Você está na página 1de 3

Bem Explicado

Centro de Explicaes Lda.


Lngua Portuguesa 6 Ano Funes Sintticas

Nome: _________________________________________________ Data: ___/___/___

L o texto.
Um grupo de sonhadores, de nariz no ar, contempla aquela nuvem pobre
escrava branca de todos os ventos.
- Parece um cavalo de batalha diz um.
- Qual! protesta outro. a mim d-me a impresso duma cabea de
romano. S lhe falta falar latim.
Uma rapariga franze os lbios no desacordo lento de ruminar em voz alta:
- Cabea de romano, no Deixa-me examinar bem Ah! J sei! uma
ave Isso mesmo: um cisne. L est o pescoo. E as asas. Que elegncia! No
veem?
- Qual cisne, qual carapua acode outro. A mim parece-me um anjo
vaporoso, leve, tnue, de asas suspensas
- Cada qual aspira reduzir a nuvem ao tamanho dos seus olhos. Este
descobre nela um elefante; aquele, um camelo no Deserto das Areias Azuis;
estoutro, um templo chins
S eu num dia seco de imaginao continuo a ver apenas a nuvem. Mas
para no fazer m figura, quando chega a minha vez de opinar, opto
resolutamente pelo hipoptamo:
- tal qual um hipoptamo.
Riem-se muito e eu aproveito o alarido para pr em prtica a minha
tcnica de viver duas vezes ao mesmo tempo espcie de Elixir de Longa Vida
que j me permitiu gozar, pelo menos, setenta anos de sol.
Jos Gomes Ferreira, O Mundo dos Outros, Publicaes Dom Quixote.

bemexplicado.pt

1. Identifica a funo sinttica desempenhada pelos constituintes sublinhados


nas frases.
a. Um grupo de sonhadores, de nariz no ar, contempla aquela nuvem pobre
escrava branca de todos os ventos.
________________________________________________________________________________
b. Um grupo de sonhadores, de nariz no ar, contempla aquela nuvem pobre
escrava branca de todos os ventos.
________________________________________________________________________________
c. - Parece um cavalo de batalha diz um.
________________________________________________________________________________
d. - Parece um cavalo de batalha diz um.
________________________________________________________________________________
e. - Qual! protesta outro. a mim d-me a impresso duma cabea de
romano. S lhe falta falar latim.
________________________________________________________________________________
f. Uma rapariga franze os lbios no desacordo lento de ruminar em voz alta.
________________________________________________________________________________
g. - Cabea de romano, no Deixa-me examinar bem Ah! J sei! uma
ave Isso mesmo: um cisne. L est o pescoo. E as asas. Que elegncia!
No veem?
________________________________________________________________________________
h. - Cabea de romano, no Deixa-me examinar bem Ah! J sei! uma
ave Isso mesmo: um cisne. L est o pescoo. E as asas. Que elegncia!
No veem?
________________________________________________________________________________
i. - Cabea de romano, no Deixa-me examinar bem Ah! J sei! uma
ave Isso mesmo: um cisne. L est o pescoo. E as asas. Que elegncia!
No veem?
________________________________________________________________________________
j. - Qual cisne, qual carapua acode outro.
________________________________________________________________________________

bemexplicado.pt

k. - A mim parece-me um anjo vaporoso, leve, tnue, de asas suspensas


________________________________________________________________________________
l. - A mim parece-me um anjo vaporoso, leve, tnue, de asas suspensas
________________________________________________________________________________
m. Este descobre nela um elefante.
________________________________________________________________________________
n. Este descobre nela um elefante.
________________________________________________________________________________
o. S eu num dia seco de imaginao continuo a ver apenas a nuvem.
________________________________________________________________________________
p. Mas para no fazer m figura, quando chega a minha vez de opinar, opto
resolutamente pelo hipoptamo.
________________________________________________________________________________
q. Mas para no fazer m figura, quando chega a minha vez de opinar, opto
resolutamente pelo hipoptamo.
________________________________________________________________________________
r. Mas para no fazer m figura, quando chega a minha vez de opinar, opto
resolutamente pelo hipoptamo.
________________________________________________________________________________
s. Riem-se muito e eu aproveito o alarido para pr em prtica a minha
tcnica de viver duas vezes ao mesmo tempo espcie de Elixir de Longa
Vida que j me permitiu gozar, pelo menos, setenta anos de sol.
________________________________________________________________________________

bemexplicado.pt

Você também pode gostar