Você está na página 1de 16
EDITORIAL Viver em seguranca Este pequeno texto pretende dar inicio & divulgagto das ‘actividades desenvolvidas nas. vérias vertentes que ‘compdem o mundo da seguranga em ambiente escolar. Entendemos que seguranga comega em cada um de 1s e tem de ser uma preocupago permanente. ‘A seguranga implica a participagdo © @ envolvimento responsivel de todos os elementos que constituem uma comunidade, neste caso particular, a comunidade ‘escolar. = 0 que podemos fazer para que a seguranca seja uma realldade na nossa vida, ¢ em particular na comunidade escolar? ‘A realidade tem demonstrado que 0 ser humano no cconsegue criar e mantersituagdes de seguranca absoluta, hha sempre qualquer coisa que pode falar, por erro ou. descuido humano ou por qualquer outra razio, ‘Sabemos que, onde esta o ser humano esto riseo, por ‘sso acreditamos que as situagbes de risco e a dimensBes do proprio risco podem e devem ser reduzidas 20 ‘Com base nestes pressupostos entendemos que s6 ha um ccaminho certo a seguir, apostar na informasao © formagio dos seres lhumanos para que todos saibam 0 ‘que fazer para prevenir os acidentes ou, quando eles, acontecem, as medidas a tomar para minorar as suas consequéncias = O que pode provocar o sentimento de inseguranca? Podemos afirmar que alguns acontecimentos, pela sua dimensio ¢ gravidade e outros pela sua frequéncia, podem perturbar o direito que temos @ uma vida tranquila, sem medos e receios. © trabatho que temas vindo a desenvolver procura eriar manter, 20 longo do tempo, uma cultura de segurangs. Para podermos alcangar este objective implementamos uma série de medidas e actividades que procuram garantir, de forma articulada, por um lado a riagio © manutengio de condigies efectivas de seguranga_na escola © por outro envolver toda a comunidade na interiorizago de conceitos, ‘comportamentos ¢atitudes que conduzam & aquisigao de ‘competéncias nos dominios da auto ¢ hetero-proteceto. ASECURANGA DOS VOSSOS FILIOS ASEEURANGA DOS NOSSOS ALUNOS No sentido de fazer chegar a todos 0s clementos da ‘comunidade educativa mais informagio sobre as tarefas © 25 intengBes dos que, por forga das suas fungdes, so responsdiveis por assegurar que estio reunidas as condigbes necessérias e suficientes para que a vida de todos decorra normalmente, vamos comegar por apresentar algumas das medidas que esto a ser tomadas ‘O Clube de Protecya0 Civil; (0s Planos de Prevengio e Seguranca da escola; ‘© Programa de Higiene e Seguranga Alimentar; © Programa Escola Segura; ‘A Seguranga nos Equipamentos Desportivos; Sistema informético de controle de entradas © saldas do recinto escolar; Sistema de alarme contra intrusto e detecgao de fumos; Nos proximos jomais iremos dar noticias de algumas destas medidas, dos seus objectivos ¢ actividades. E nao se esquegam: - Mais vale prevenir do que remediar! © responsével pela seguranga na escola Jacinto Colago Visita & Junta de Freguesia de S.Clennentie No dia 20 de Fevereiro, alunos do 2° ano (tarde) da E.B.1 N°2 de Loulé foram fazer uma visita & Junta de Freguesia de Sdio Clemente, 0 senhor Presidente da Junta recebeu-os muito bem, esperando-os com um lanche. + “aa Entrevista ao Sr. Presidente da Junta de Freguesia de S Clemente Como & que 0 senhor Pedro ficou presidente? P.Z.F ~ De quatro em quatro anos hé eleicées pare a pessoas de Freguesioescolherem 0 Presidente do nta de Freguesiae votaram em mim Gosta do seu trabalho? P.J.F - Gosto muito do meu trabalho. © que fazem na junta de freguesia? P.ILF - Na junta de freguesia procuramos fazer 0 que as pessoas da freguesia gostam e ajudar naquilo que mais precisam Com quem & que trabalha? P.J.F ~ Trabalho com teés funcionérias, dois operérios @ quatro coleges que fazem parte ‘da minha equipe. Como é que voc# paga as coisas da escola? PIF - Como dinheiro que a Junta de Freguesia recebe da Cémara Municipal de Loulé ety No ambito da Sopalindia, projecto de educagao rentar, centrado na promocio de uma alimentagao saudavel que esti a ser desenvotvide neste Agrupamento escolar, 0 Clube de Saide da Escola Padre Joio Coelho Cabanita esti a dinamizar a campanha da fruta sob o lema “Diz...Frutal” sta iniciativa surgiu com base na constatago que (5 nossos alunos, & hora do almogo, comem poutea fruta Agradecemos a colaboragio da Cémara Municipal de Loulé que cedeu os servigos do fotdgrafo Mira para @ realizagio das fotografias de alguns dos inossos alunos das turmas 9°A e 9°D, membros do Clube da Satie. Campanha da Fruta Menines da Escola de Infancia N.° 1 visitam a escola sede ‘A turma CEF- Jardinagem organizou a Semana de Sensibilizago sobre a Compostagem de 25 a 29 de Fevereiro. Estes alunos fizeram uma accdo de formagdo sobre 2 ‘compostagem, deslocando- se a cada turma, nas aulas de Formagao Civica No dia 27 receberam a preciosa ajuda e colaboragao do Jardim de Infancia N. * 1. Os mais pequenos juntaram -se ‘208 mais crescidos na defesa do nosso planeta e traziam 2 ligdo bem sabida, Cantaram uma cang&o sobre a reciclagem, colaboram na compostagem © colocaram questées bem pertinentes para os nossos alunos Fesponderem, Por fim, quiseram visitar a nossa escola © @ sala de aulas dos “alunos grandes’! Desta visita resultou ‘uma exposigae feita pelo Jardim de Infancia, que em breve vigjerd até 3 nossa escola. ‘Como se vé "essa historia" da reciclagem ja esta bem presente nas praticas dos pequeninos © comega a fazer parte dos mais crescidos! E’voce, 0 que @ que faz para mudar 0 mundo? E que pequenas acodes individuais sdo a maior forca transformadora que se conhega. Economize agua. luz, recicle 0 seu Ixo, faca a sua parte e ajude a construir um futuro para todos. Professora: Maria Vitéria Moreira A Compostagem