Você está na página 1de 12

ARM - Associação Regina Mundi | arm.boanova.pt | geral@arm.org.pt | BOLETIM N.

º 119 | DEZEMBRO DE 2015

SERMOS ARTISTAS
DA FRATERNIDADE
P. Adelino Ascenso
[Superior Geral da SMBN]

Sem a literatura, o conhecimento humano seria muito pobre, pois a literatura
é um espelho que reflecte a pessoa humana ao longo dos tempos.
(René Latourelle)
Estas palavras do teólogo canadiano
René Latourelle são estímulo para reflectir sobre a importância das artes
e das letras para o aprofundamento
da fé. A Bíblia é um exemplo do extraordinário papel da literatura no que
diz respeito às esperanças e aos temores,
às dúvidas e às perplexidades no nosso
relacionamento com o mistério.
A literatura em geral é uma ocorrência simbólica que exprime realidades
vividas, estabelece conexões entre a
realidade e o sentido, entre palavras e
silêncios; é o hiato que provoca e interroga, exigindo uma reacção. A palavra
no texto não está morta; trata-se, sim,
de um evento e transporte figurativo
que representa, chama, evoca mundos
antigos e novos, abrindo-os e transmitindo-os ao leitor (Elmar Salmann).
As parábolas do Evangelho são disso
exemplo eloquente.
De que modo poderemos descrever
a relação entre vida, literatura e linguagem teológico-cristã? Devemos procurar um caminho adequado, tendo como

base os mútuos enriquecimento e progresso, em busca de associações relativas a novos estilos e à interpretação da
realidade experimentada. A literatura
pode criticar a esterilidade e a obsoleta moralidade da linguagem clerical
e enriquecer-nos na sua qualidade de
linguagem metafórica sobre situações
e experiências. O mundo da literatura e
das artes é uma fonte de fertilidade para
a teologia; ao mesmo tempo, a teologia enriquece e ilumina a literatura e as
artes. Ambas agem numa dinâmica de
mútua fertilização e estímulo recíproco.
Quando falamos no artista ou no escritor, emerge, por vezes, a tendência
para considerar que tal pessoa criativa
deverá estar afastada de crenças religiosas para se conservar livre. Talvez
tal pensamento assente na dificuldade
em entender o profundo sentido da
imaginação e o seu valioso papel na linguagem da fé. Na realidade, tal como
nos diz a escritora americana Flannery
O’Connor (1925-1964), é precisamente
o contrário, isto é, o verdadeiro crente
não pode ser menos que um artista. E
porquê? Porque o artista ou o escritor
cristão têm a experiência de um horizonte muito mais vasto, uma vez que
eles acreditam que no mundo natural se
espelha o sobrenatural.
Todos nós, cristãos leigos e consagrados, somos convidados a sermos artistas e poetas da experiência, do encontro
e da fraternidade, pois, como dizia Novalis, quanto mais poético, mais verdadeiro.

A ARM LANÇA UM NOVO CICLO DO
PROJETO “UM SORRISO PARA TI” [P.2]

SALAMA MALEMA (OLÁ MALEMA)! [P.3]

ENCONTROS REGIONAIS DA ARM [P.6-7]

ORDENAÇÃO DIACONAL DE AFONSO
MARCOLINO ANDRADE [P.9]

2

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

Crianças da Escolinha Senhora da Boa Nova (Chibuto)

EDITORIAL
Caros armistas,
Desde a última até
à presente publicação do nosso boletim passou cerca de
um ano.
Sabemos que não
Fernando Silva
Presidente da ARM
cumprimos com o
nosso compromisso de o publicar semestralmente e, por isso, queremos
apresentar, desde já, as nossas desculpas a todos os armistas. As razões
prenderam-se, essencialmente, com
compromissos profissionais, nomeadamente, do nosso secretário da
direção e nosso editor, Sérgio Cabral,
que não lhe possibilitou ter o tempo
necessário que esta tarefa implica.
Por outro lado, num tempo em que
temos utilizado outras vias de comunicação, nomeadamente, o e-mail, o
site da ARM e o facebook, não consideramos que este atraso constitua
um grande problema para a comunicação interna da ARM.
No entanto, o nosso Boletim continua a ter uma grande relevância
e, por isso, a direção da ARM quer
continuar a publicá-lo e a divulgá-lo,
cada vez mais, a um maior número
de armistas. Isto não significa que
o tenha de o imprimir em grande
número no futuro, mas que o deve
valorizar como documento formal
de informação e de conservação de
memória para o futuro.
Uma das opções da atual direção
é diminuir os custos de impressão
e expedição do boletim. Por isso,
na última edição informámos que
passaríamos a enviar o boletim, em
versão impressa, apenas para quem
o solicitasse através de SMS ou de
carta. Como foram muito poucos
os armistas que nos responderam, a
direção decidiu continuar a enviar
o boletim, em versão impressa, apenas, para os armistas residentes em
Portugal. Os membros da SMBN que
residem em Portugal terão acesso à
versão impressa do boletim nas hemerotecas das casas da SMBN.

A ARM LANÇA UM NOVO CICLO DO PROJETO

“UM SORRISO PARA TI”
Desde o ano de 2010 que o projeto
“Um sorriso para ti” tem ajudado crianças de Angola e de Moçambique,
que estão a cargo dos Missionários da
Boa Nova, a terem acesso à escola e a
condições dignas, nomeadamente, na
sua vida escolar.
Nos últimos anos, o contributo anual
daqueles que têm colaborado neste
projeto (e que a ARM agradece) tem
totalizado de cerca de 8.000 euros, tendo-se destinado às crianças do Chibuto
(Xai-Xai), Malema (Nampula) e Pemba (Cabo Delgado). Este contributo
tem sido muito importante, principalmente, numa altura em que o aumento
do custo de vida em Moçambique não
para de subir.
O crescimento económico, principalmente em Cabo Delgado, com a
implantação de várias empresas mul-

Crianças da Escolinha de Lioce (Pemba)

tinacionais de exploração de grafite e
gás natural, não tem sido inclusivo, não
tem chegado a todos. O que tem chegado são os “males” deste crescimento,
que se reflete principalmente no aumento dos preços dos bens alimentares
e outros bens de primeira necessidade,
que são um dos principais custos destas
escolinhas.
O projeto “Um sorriso para ti” cumpriu o seu segundo ciclo de três anos e é
intenção da ARM - Associação Regina
Mundi renová-lo por um novo período
de três anos, pois vemos neste projeto,
um importante instrumento para a nossa participação no trabalho realizado
na área da educação por parte dos Missionários da Boa Nova. Lançamos-lhe
pois o convite, à participação no projeto
“Um Sorriso para Ti II”, que decorrerá
nos mesmos moldes do anterior. Para
tal, além do recibo emitido pela Sociedade Missionária, que lhe permitirá
realizar as deduções fiscais correspondentes ao seu donativo, enviamos-lhe
um documento, junto deste boletim,
caso pretenda que lhe seja debitado na
sua conta o valor que indicar e da forma que indicar. Para além desta forma
de pagamento, pode continuar a dar a
sua contribuição através de cheque dirigido à ARM, transferência bancária
ou depósito na conta 0035 0121 0000
1413 3303 4.
Contamos consigo!

3

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

NO ÂMBITO DO PROJETO “UM SORRISO PARA TI”

SALAMA MALEMA (OLÁ MALEMA)!
AUTOR: SANTOS PONCIANO

No dia 2 de Agosto partimos para
Malema, numa estadia de 18 dias, com
o coração cheio de vontade em querer ajudar, no âmbito do projecto “Um
Sorriso para Ti” da ARM/SMBN.
Na bagagem levávamos mais de
300Kgs de material que nos tinham
pedido e tão necessário ao funcionamento das escolas profissionais de
Malema e Nataleia. Conseguimos levar
tudo o que nos pediram e verba suficiente para em Nampula comprar o que
não poderíamos levar de Portugal.
Os dias, que começavam cedo, foram
vividos muito intensamente. A agenda
estava bem delineada e muito preenchida e era promissora. Se já conhecíamos
a logística da casa e as estruturas das
escolas, da visita em 2010, para nós era
insipiente o conhecimento do trabalho
pastoral. Malema tem 3 missões (Malema, Nataleia e Chululo) e 110 (cento e
dez…!!!) comunidades. Numa região
predominantemente muçulmana estava curioso como era a sua vivência.
Foram 5 dias de visitas às comunidades
no mato, mas vou focar-me apenas no
primeiro encontro. Eu, que como todos
nós, na nossa meninice tivemos o sonho de ser missionários e ouvimos em-

bevecidos as histórias contadas pelos
padres que vinham de Moçambique,
tive o privilégio de vivê-las.
Foi em Mucamba. Chegamos à hora
aprazada e à nossa espera uma comunidade que nos recebe entoando cânticos de boas-vindas e de agradecimento.
Cumprimenta-se toda a gente, e todos nos vêm cumprimentar. A missa,
em português mas com o intérprete a
traduzir para macua, demora 4 horas
porque nele se celebram 4 casamentos,
80 baptismos e mais de 100 primeiras comunhões. Não raro atestámos o
baptismo do pai, da mãe, dos filhos,
casamento dos pais e primeira comunhão dos pais e dos filhos. Isto fez-me
recordar as entusiásticas prédicas do
saudoso Senhor Pe. João Avelino… em
que tudo é simples. Muito simples e em
que qualquer eventualidade é resolvida
no momento. É impressionante a religiosidade destas comunidades e como
vivem o cristianismo. A presença do
padre apenas é possível 2 ou 3 vezes
por ano, mas todas as semanas eles juntam-se para celebrar a Palavra e rezar.
É fundamental a figura do Animador,
do Ancião e do Catequista. Recebem
instruções do Pároco e preparam e assistem as pessoas para receberem o
Baptismo… impressionante a sua dedi-

cação e devoção. Foram eles que nos
tempos mais conturbados mantiveram
a Igreja Viva e apoiaram os nossos missionários. A eles a minha homenagem e
agradecimento.
Gente pobre, muito pobre, sem nada,
nada mesmo… mas com uma generosidade sobrenatural que conseguem de
alguma forma encontrar algo para nos
dar, partilhar a sua refeição… e com
muita alegria por terem visitas, alguém
que os foi ver…
Para maximizar as visitas dividimonos em 2 grupos: o primeiro ia com o
pároco, senhor Pe. Luis Figueiredo e o
segundo com o senhor Pe. Albino dos
Anjos. Ao todo foram ministrados mais
de 60 casamentos, 200 baptismos e centenas de Primeiras Comunhões.
Um marco importante desta viagem
foi o arranjo da campa do Senhor Pe.
João Baltar, sepultado em Malema.
Fruto da oferta dos colegas de curso,
ano de 1955, e familiares foi possível
colocar uma sepultura em mármore
sobre a qual foi celebrada missa no dia
13 de Agosto com a presença de dezenas de cristãos (mesmo sendo às 6 da
manhã e dia de semana).
Ainda visitámos a Missão do Mutuáli, as Casas de Nampula, Paróquia
do Aeroporto (Maputo), Seminário da

4

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

Matola e Missão de Chibuto. Aqui, no
Chibuto, também deixámos algumas
coisas que levámos de Portugal.
Voltámos cansados mas cheios. Já se
falava para “quando a nova ida”. Trouxemos na bagagem pequenos projectos,
simples mas práticos, que a ARM tem

capacidade de viabilizar e que terão
grande impacto na vida destas comunidades.
Fui sucinto pois o espaço é pouco
para a narrativa e exíguo para a emoção.
Fica para os encontros da ARM.

PARTICIPE NO PROJETO
UM SORRISO PARA TI II!
CONSIGO, PODEMOS
AJUDAR MAIS CRIANÇAS
EM MOÇAMBIQUE!

Equipa do projeto “Salama Malema” com população de Malema

Material angariado doado no âmbito do projeto “Salama Malema”

Santos Ponciano com alunos da Escola Profissional de Malema

Crianças da Escolinha Mukatithi de Malema

Os objetivos deste projeto continuam a ser os mesmos:
1. Subsidiar ações para um melhor
crescimento da dignidade humana;
2. Prover os destinatários de
condições mínimas de alimentação e
vestuário;
3. Fornecer os meios didáticos e pedagógicos como forma de integração escolar e social;
4. Melhorar os níveis de autoestima e
confiança dos destinatários;
5. Divulgação da língua portuguesa;
6. Expressar em atos e gestos concretos a ARM na sua responsabilidade
cristã e social.
Poderá fazer transferência bancária
para o nosso NIB 0035 0121
00001413330 34 ou se preferir,
poderá enviar-nos um cheque à
ordem da ARM - Associação Regina
Mundi.
Poderá, também, preencher o documento que enviamos junto desta edição, caso pretenda que lhe
seja debitado na sua conta o valor
que indicar e da forma que indicar,
ao longo dos próximos três anos
de ciclo de projeto.

5

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

ASSEMBLEIA GERAL DA ARM
AUTOR: JOSÉ CAMPINHO

Foi no passado dia 17 de Maio que
se realizou, desta vez no Seminário da
Boa Nova, em Valadares, a Assembleia
Geral da ARM – Associação dos Antigos Alunos da Sociedade Missionária
da Boa Nova, num ambiente de grande
alegria e confraternização.
Iniciada a reunião, o Superior Geral,
Pe. Ascenso Ascenso, resumidamente,
fez o ponto da situação da Sociedade
Missionária da Boa Nova, referindo
o número de casas (18), número de
membros (1 Bispo, 80 sacerdotes e
10 Irmãos Leigos), regiões em que
trabalham (Portugal, Brasil, Angola,
Moçambique, Japão, Zâmbia e Roma),
bem como o princípio estratégico base
da missionação, que deve ser feita em
pequenos grupos, depois de formação
adequada.
Este ponto prosseguiu com os elementos da Direção presentes na Mesa a
esclarecer que, durante o ano que levam
de exercício, procuraram prosseguir os
objetivos decorrentes da atividade da
Direção anterior, e informaram que
o Boletim será publicado semestral-

mente em papel e em suporte digital e
que brevemente completariam a transferência de €8.000,00 (oito mil euros)
para o projeto «Um Sorriso para Ti».

Consequentemente, foi projetado um
filme sobre as Missões, onde o projeto
se tem vindo a concretizar (Chibuto,
Malema e Pemba), tendo sido, no final,
recomendada a publicitação do projeto
«Um Sorriso para Ti» nos órgãos de comunicação propriedade da Sociedade
Missionária da Boa Nova: a revista Boa
Nova e o jornal Voz da Missão.
No âmbito da celebração dos vinte
anos de existência dos Leigos Boa
Nova, foi anunciada a realização do
«Congresso de Leigos Boa Nova», para
o dia trinta de maio, no Auditório da
Biblioteca de Santa Maria da Feira,
subordinado ao tema «Queres mudar o
mundo? Então vem!». Foram referidos
alguns dos convidados, bem como o
valor a pagar pelos participantes.
Seguidamente, os elementos da di-

reção apresentaram as contas da ARM,
que não mereceram qualquer objeção e
foram aprovadas por unanimidade.
O ponto três da ordem de trabalhos,
no qual a Direção pretendia autorização para a fusão das Delegações Regionais de Castelo Branco, Coimbra e
Cernache do Bonjardim, também não
foi objeto de discussão, uma vez que,
unanimemente, foi reconhecido tratarse de uma competência da Direção,
prevista nos Estatutos.
No espaço dos outros assuntos, usou
da palavra o Armista Santos Ponciano,
para anunciar que, em agosto, voltaria
a Moçambique, no âmbito do projeto
«Um Sorriso Para Ti». Em ordem a esse
regresso a Moçambique e para a concretização de mais uma etapa do projeto «Um Sorriso para Ti», Santos Ponciano distribuiu a todos os presentes uma
lista de necessidades para as Missões de
Malema e Nataleia.
A reunião concluiu-se com um momento de poesia promovido pelo Armista António Moutinha Rodrigues,
lembrando os armistas que estão a passar dificuldades.
O encontro prosseguiu com a Missa
e terminou com o almoço e posterior
confraternização entre os armistas.

6

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

ENCONTROS REGIONAIS
CUCUJÃES
TRÁS-OS-MONTES
Este encontro decorreu no Convento de Balsamão (Chacim, Macedo de
Cavaleiros), onde residem os padres
Marianos da Imaculada Conceição,
com a presença do superior geral da
SMBN, a direção da ARM, os delegados regionais e cerca de 50 armistas.
Na reunião de abertura deste encontro, a primeira intervenção coube ao Superior Geral, Adelino Ascenso, que reconheceu o importantíssimo apoio que
a ARM tem prestado não só à SMBN,
mas também às comunidades que a
SMBN tem à sua responsabilidade, nomeadamente, em Moçambique.

Tomou a palavra também o presidente da ARM, Fernando Silva, o delegado
regional, Gabriel Carvalho, assim como
muitos armistas ali presentes. As intervenções, de um modo geral, focaramse no reconhecimento da importância
da formação recebida nos seminários
da SMBN, para uma visão do mundo e
da vida de uma forma diferente.
O encontro prosseguiu com a Eucaristia na belíssima Igreja desta comunidade religiosa e encerrou com
o almoço, servido no restaurante do
próprio convento.

LISBOA
Os armistas de Lisboa fizeram festa no
dia 17 de Outubro de 2015, Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza
e véspera do Dia Mundial das Missões.
O local de encontro foi, como habitualmente, na Igreja do Santo Condestável,
Campo de Ourique em Lisboa. O Al-

moço foi no Museu Nacional do Teatro
e da Dança (Lumiar).
Como sempre houve alegria e convívio entre todos, fazendo-se questão
de que, para o próximo ano, este encontro seja realizado num noutro ambiente também de muita dignidade.

A Delegação Regional de Cucujães
promoveu, a 25 de Outubro de 2015,
um dia de encontro e convívio com
todos os antigos alunos que passaram,
durante algum tempo, por alguns seminários da Sociedade Missionária da
Boa Nova. Marcaram presença cerca de
30 armistas e familiares.
O ambiente foi de grande familiaridade e amizade. Os armistas não deixaram de recordar o amigo P. Martinho, falecido no dia anterior, confiantes
de que ele se encontra já junto de Deus
a interceder por nós.

7

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

VALADARES
No dia 8 de novembro, dia de oração
pelos Seminários, no Seminário da Boa
Nova em Valadares, realizou-se o tradicional Encontro Regional da ARM. O
nosso Delegado, Francisco da Costa
Andrade, não pôde estar presente por
motivos de saúde da esposa. A este
evento, apesar de se ter feito diversos
apelos, não acorreram mais do que
duas dezenas de participantes.
Na reunião formal deste encontro, o
Sr. Padre Jerónimo falou da presente
situação da SMBN, suscitando a reflexão entre os armistas. Travou-se um
agradável diálogo a que se juntaramse algumas vozes entre as quais a do
Presidente da ARM, Fernando Silva,
tentando encontrar soluções para
tais problemas. No final da reunião, o
nosso amigo, Afonso Andrade, natural
de Gulpilhares, tomou a palavra para
informar que, no dia 8 de dezembro,
pelas 16 horas, seria ordenado Diácono
Permanente na Sé do Porto e concluiu
do seguinte modo: “já que o Senhor
não quis ordenar-me padre, quis, no
entanto, ordenar-me diácono”. Os restantes armistas aplaudiram-no com
uma grande salva de palmas. Sobre a
sua ordenação, entretanto realizada,
pode ler o artigo que se encontra na página 9 desta publicação.
Seguiu-se a Eucaristia, como sempre
participada por todos.
O almoço-convívio decorreu de
forma agradável como habitualmente,
ficando as anunciadas castanhas e jeropiga para o meio da tarde na famosa
“Casa do Padre André”. Só que desta
vez, foi o Padre Zacarias, o Bom da Fita,
que à última hora as comprou em substituição do delegado regional, Francisco da Costa Andrade. Entretanto, os
armistas realizaram a sua habitual romagem à gruta do seminário, seguido
de foto de grupo.
No final todos partimos mais felizes
para nossas casas.

CERNACHE DO BONJARDIM
O Encontro Regional dos armistas
da região de Cernache do Bonjardim
decorreu no passado dia 8 de dezembro no Seminário de Cernache do Bonjardim. Ali se concentraram dezenas de
participantes, oriundos das Beiras, mas
sobretudo da região de Castelo Branco.
Cernache do Bonjardim é o local mais
apelativo de todos quantos por ali passaram na sua caminhada de vida pelos
seminários da SMBN.
Os participantes e seus familiares
começaram a chegar a partir das 10h00.
Pelas 11h00 foi celebrada a Missa da
Festividade da Imaculada Conceição,
Padroeira da Sociedade Missionária da
Boa Nova, presidida pelo Rev.mo Sr. Pe.
Amadeu Oliveira, seguida de Procissão
pelas ruas de Cernache do Bonjardim.
Finda a procissão deu-se início ao almoço, no qual foram prestadas algumas informações de interesse relevante
para a ARM e SMBN.

À tarde, depois da foto da praxe, em
frente à imagem exterior da Imaculada
Conceição, foi feita uma visita ao interior do seminário, à gruta, e à quinta,
locais muito ricos em recordações de
oração, estudo e trabalho, fundamentais na nossa formação. As despedidas
foram feitas com um até para o ano,
visto que é nossa intenção repetir o encontro neste mesmo dia.
A participação de gerações mais
novas neste encontro foi bastante significativa, o que pode ser um bom sinal para o futuro próximo da ARM.
Participaram cerca de 30 armistas. No
entanto, o número total de pessoas foi
de 60, contando com filhos, esposas e
namoradas...
À SMBN e ao Rev.mº Pe. Amadeu
pelo excelente acolhimento que nos
dispensaram em Cernache e pela sua
grande generosidade, aqui deixamos os
nossos sinceros agradecimentos.

8

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

ENCONTRO DO CURSO DOS ALUNOS DO CURSO DE 1958
AUTOR: DOMINGOS CARDOSO FERNANDES

para um dia de convívio, de desfolhar
de mil recordações.
A Dra. Eva Dias, doutorada em
História da Arte, acompanhou-nos
numa viagem histórica iniciada em
1139, quando foi erigido o mosteiro
beneditino de São Martinho do Couto
de Cucujães, com paragens obrigatórias
no Claustro, na Sacristia, na Igreja, no
Batistério e outras instalações do Seminário.
A Santa Missa foi celebrada na capela
do Seminário pelo padre Domingos
Carvalho. O almoço, confecionado por
um restaurante de Cucujães, foi servido
no refeitório do Seminário e constituiu
um ponto alto de são convívio entre os

antigos alunos e alguns dos seus formadores ali residentes. Apagou as 57
velas o padre Domingos Carvalho e fez
o brinde o nosso colega padre Augusto
Farias.
A visita ao Lar de Santa Teresinha,
anexo ao Seminário, permitiu rever um
ou outro antigo formador e levar uma
palavra de conforto e esperança àqueles
que ali residem. A chuva não permitiu a
romagem ao cemitério e a visita à gruta.
A hora da despedida acordou-nos para
a realidade. Estávamos em viagem.
Cada um tinha de continuar a percorrer o seu caminho. Até 9 de outubro de
2016, no Seminário de Valadares.

ADMISSÃO ÀS ORDENS SACRAS

INSTITUIÇÃO DE MINISTÉRIOS

JURAMENTOS EM VALADARES

Sábado, 21 de Novembro de 2015,
na Missa Vespertina das 19:30h, no
Seminário da Boa Nova (Valadares),
realizou-se a cerimónia de Admissão
às Ordens Sacras dos alunos Alfredo
Tumbo Júnior, Daniel Ndungula, Pedro Katchoko Manuel Alfredo e Tiago
da Conceição Estêvão Tomás. Presidiu à celebração o Superior Geral, P.
Adelino Ascenso.

Domingo, dia 22 de Novembro de
2015, às 16:00h, realizou-se, na Sé-Catedral do Porto, a instituição de ministérios aos alunos Jaime Pedro Mathe
e Rui Jorge Santos Vieira Ferreira, no
ministério dos Acólitos, Alfredo Tumbo Júnior, Daniel Ndungula, Pedro
Katchoko Manuel Alfredo e Tiago da
Conceição Estêvão Tomás, no ministério dos Leitores. Presidiu à celebração o
Bispo do Porto, D. António Francisco
dos Santos, e concelebraram os bispos
auxiliares do Porto, o Bispo Emérito
de Setúbal, D. Manuel Martins, e numerosos sacerdotes da Diocese do
Porto. Participaram, igualmente, na
celebração o Superior Geral e o Reitor
do Seminário da Boa Nova (Valadares).

No passado domingo, dia 6 de
Dezembro, realizou-se, na missa das
12:00h do Seminário de Valadares, a
cerimónia de renovação do juramento
temporário de cinco membros e o juramento perpétuo do Hipólito Maria
André Julião Vida, que será ordenado
diácono no dia 8, pelas 16:00h, no
Seminário de Valadares.

No dia 11 de outubro realizou-se o
Encontro Comemorativo do 57° Aniversário dos alunos do curso de 1958
no Seminário das Missões em Cucujães.
Foi um fim de semana de Outono
muito chuvoso que deu as boas vindas
aos antigos alunos do curso de 1958,
que compareceram em grande número,
acompanhados pelas esposas. O Presidente da ARM honrou-nos, também,
com a sua presença. É sempre comovente vivenciar os fortes abraços, o
sorriso aberto, a alegria do reencontro,
daqueles que mais uma vez se reuniram

NOTÍCIAS SMBN

9

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI
FOTO: DIOCESE DO PORTO

NOTÍCIAS SMBN

ORDENAÇÃO DIACONAL

DE HIPÓLITO VIDA

ORDENAÇÃO DIACONAL DE
AFONSO MARCOLINO ANDRADE
Afonso Marcolino Andrade foi ordenado diácono pelo bispo do Porto, D.
António Francisco, no dia 8 de dezembro, dia da Solenidade da Imaculada
Conceição, numa cerimónia em que
foram ordenados sete diáconos permanentes.
Afonso reside em Gulpilhares, Vila
Nova de Gaia, e frequentou o Seminário
de Tomar no ano letivo de 1953/54, cujo
reitor era o Pe. José Mendes Patrício e
vice-reitor, o Pe. Manuel Abreu. Do seu
ano, formaram-se os padres Armando
Soares e Manuel Cardoso Fernandes.
D. António Francisco, na homilia da
celebração, assumiu o dom da ordenação de diáconos permanentes como um
“desafio pastoral” e como um “caminho
a prosseguir”. Ao todo, na diocese do
Porto são já 93 diáconos permanentes.

Referiu, também, que os diáconos
permanentes são “constituídos para
o ministério e não para o sacerdócio”.
[Os diáconos] “munidos com a graça
sacramental, servem o Povo de Deus
na diaconia da liturgia, da palavra e da
caridade, em comunhão com o Bispo e
seu Presbitério” (Lumen Gentium, 29).
Basta ver como os diáconos acompanharam Paulo e o auxiliaram no permanente trabalho de itinerância missionária da evangelização!”
Para o bispo do Porto, é esta a missão
que confia aos novos diáconos: ajudar
os bispos da diocese, assim como os
presbíteros, em cada comunidade, a
fazer da “Alegria do Evangelho a nossa
missão” e a proclamar com a vida, por
palavras e obras: “Felizes os misericordiosos!”.

FOTOS: DIOCESE DO PORTO

Dia 8 de Dezembro, Solenidade da
Imaculada Conceição (Padroeira de
Portugal, de Moçambique e da Sociedade Missionária da Boa Nova),
realizou-se, pelas 16:00h, no Seminário de Valadares, a missa de ordenação diaconal do membro da SMBN
Hipólito Maria André Julião Vida. O
Bispo ordenante foi D. António José
da Rocha Couto, Bispo da Diocese de
Lamego e membro da SMBN.
Concelebraram, além do Superior
Geral e do Reitor do Seminário de
Valadares, numerosos sacerdotes da
Sociedade Missionária, assim como
alguns padres diocesanos e de outros
institutos. A igreja do Seminário de
Valadares foi pequena para acolher
a grande multidão que se quis associar a este acontecimento. No final, o
Superior Geral leu uma carta-mensagem dos seus pais e irmãos, carta essa
que lhe tinha sido entregue pelo pai
do Hipólito Vida aquando da sua ida
a Moçambique em Outubro passado.
Foi por este meio que os seus familiares se fizeram espiritualmente presentes. Após a ordenação e a sessão
de cumprimentos, houve um lanche
ajantarado no refeitório do Seminário. Foi um dia de festa e um sinal
de esperança para a SMBN. (in http://
missionarios.boanova.pt)

10

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

LEIGOS BOA NOVA: 20 ANOS EM MISSÃO
FOTO: DANIEL FERREIRA

UMA NOVA MISSÃO
Desde o mês de abril que, com a partida da Diana Salgado e Sofia Silva, os
Leigos Boa Nova (LBN) estão a desenvolver um novo projeto desenvolvimento em parceria com a paróquia do
Chibuto, em Moçambique. Este projeto
abrange várias áreas de cooperação, tais
como: educação, construção habitacional e saúde infantil.
Todavia, a prioridade centra-se na
educação, uma vez que os LBN têm ao
seu cuidado o funcionamento de uma
escolinha com cerca de 95 crianças.
Esta escolinha já foi intervencionada,
substancialmente, no âmbito do projeto “Um Sorriso para Ti” da ARM, mas
ainda é necessário melhorar as suas
infraestruturas. É, também, necessário
fortalecer o apoio a esta escolinha, para
que se continue a assegurar uma alimentação equilibrada a todas as crianças e a suportar todos os custos com as
educadoras e funcionários e os custos
inerentes à manutenção do espaço.
No âmbito desta prioridade, os LBN
julgam fundamental a compra de uma
carrinha, primeiramente, para assegurar o transporte de crianças, e em segundo lugar, para gerar fundos através
da sua utilização como “chapa” (veículo
privado de transporte coletivo de pessoas). O propósito é tornar, a longo
prazo, a escolinha mais autossustentável sem depender de ajudas externas.
Para a aquisição desta carrinha é necessário amealhar cerca de 15.000€.
Tem havido campanhas de recolha de
fundos, mas até à data o valor recolhido ainda fica bastante aquém do valor
referido. Por isso, os LBN disponibilizam o seu NIB para quem quiser colaborar: 0010 0000 27012030 0017 9. As
crianças do Chibuto agradecem.

CONGRESSO DOS LBN
AUTOR: SÉRGIO CABRAL

Os Leigos Boa Nova realizaram um
congresso comemorativo dos seus
20 anos intitulado “Queres mudar o
mundo? Então vem!” no auditório da
Biblioteca Municipal de Santa Maria da
Feira, no dia 30 de maio de 2015.
Neste congresso, abordaram-se três
dimensões fundamentais na transformação do mundo: economia social,
religião, política. A dimensão musical
não foi objeto de debate, mas também
mereceu destaque. Subiram ao palco
João Afonso e Rogério Pires.
Na abertura do congresso, as palavras de D. António Francisco, bispo do
Porto, foram um grande estímulo para
os LBN. De seguida, o P. Jerónimo percorreu a história dos LBN desde a sua
fundação até à atualidade, relevando o
papel que os leigos têm na descoberta
de vários caminhos de missão no mundo concreto do dia-a-dia.
Ficam, se seguida, alguns pensamentos dos intervenientes deste congresso.
Diana e Sofia, desde o Chibuto, citando o Pe. Manuel Neves: “Ser missionário, deixar sua família e cultura, não
é sacrifício, mortificação, renúncia… É
livre preferência, alegre investimento,
imensa alegria e enriquecimento”.
Pedro Krupenski: “O rosto concreto das pessoas deve estar no centro
da cooperação para desenvolvimento e
não o dinheiro; por isso, toda a ajuda
deve ser pensada e realizada a partir
das pessoas, com as pessoas e para as
pessoas”.

Dr. Mahmoud Soares: “O muçulmano é chamado a ser submisso a Deus e
a praticar a verdadeira Jihad, que deve
ser entendida como “uma luta interior
que significa abandonar os maus hábitos pessoais e sociais, resistir aos maus
desejos, partilhar com os pobres de forma efetiva, ter paciência, perdoar, ser
justo, bondoso e ter compaixão pelos
outros. E essa luta não se deve esvaziar
nos seus conceitos. Fazem parte da vida
de um muçulmano.”
P. Augusto Farias: “O ser humano
pouco pode fazer se não acreditar em
Deus e obedecer às suas leis. A religião
é fonte de bem para toda a sociedade. O
problema surge quando existe uma instrumentalização da religião para benefício pessoal ou ideológico, dando lugar
aos radicalismos”.
Rafaela Silva: “A democracia deve
começar por cada um de nós e o simples gesto de votar é o primeiro passo
para a mudança”.
Prof. Marcelo Rebelo de Sousa: “Se
os cidadãos têm a missão de mudar o
mundo, então os cristãos têm a missão
reforçada de mudar o mundo. Os cristãos não agem em nome pessoal, mas
em nome de Deus, de uma Igreja, de
uma comunidade e isso constitui uma
grande responsabilidade. A eternidade
é para começar a construir-se nesta
terra. Por isso, cada passo que damos
no serviço dos outros, é um passo de
construção de eternidade. Em sentido
inverso, a passividade ou a omissão
constitui uma violação à nossa missão”.

11

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

NOS BRAÇOS DE DEUS PAI
ARMISTAS FALECIDOS
José Augusto
Raposo Quina
No dia 5 de Janeiro de
2015, com 57 anos de
idade ainda inconclusos, faleceu no IPO de
Coimbra o Armista, José Augusto Raposo Quina, vitimado por doença do foro
oncológico.
Era natural de Vimioso, o mais novo de 8
irmãos, e entrou para o Seminário de Cucujães em 1968, seguindo as pegadas de
outros 2 que o precederam. As exéquias
fúnebres realizaram-se em Vimioso,
onde foi sepultado no dia 7 de Janeiro de
2015. Paz à sua Alma.
José Abílio Raposo Quina
João Ferreira
da Costa
Faleceu no dia 22 de
Janeiro de 2015, o nosso colega João Ferreira
da Costa.
Nasceu em Remelhe-Barcelos, em 1948,
e entrou em Tomar em 1959. Tinha 66
anos de idade. O seu funeral realizou-se
no dia 23 da Igreja da Reboleira para o
cemitério de Camarate. Deus o receba em
Sua Glória.
Amadeu Gomes de Araújo
Francisco Manuel
da Costa Afonso
No dia 27 de Julho de
2015 faleceu, de doença súbita, no Hospital
de Vila Real o meu
primo e armista Francisco Manuel da
Costa Afonso, tendo-se realizado o funeral no dia 29 na igreja velha de Aldoar,
na cidade do Porto.
O Costa Afonso, como era conhecido na
ARM, era natural de Carção, concelho
de Vimioso. Foi um excelente obreiro da
ARM e um dos seus grandes esteios, sobretudo nas fases mais críticas da nossa
associação, cuja sede chegou a ser transferida para sua casa na cidade do Porto,
na grande crise dos anos setenta, atitude que se revelaria fundamental para a
própria sobrevivência da ARM.

Após o exame da antiga quarta classe entrou para o Seminário de Tomar em 1949,
passou por Cernache e ainda frequentou
o Seminário de Cucujães.
Francisco da Costa Andrade
António Maria
Marcos
Armista, ex-irmão auxiliar, de Urrós, Mogadouro, faleceu em
27 de Julho de 2015.
Contava quase 92 anos de idade. Entrou
em Tomar no ano 1936. Em 1937 foi para
Cucujães como aspirante a irmão leigo.
Fez o juramento na SMP em 15.09.1946
e deixou a SMP em 26.06.1956. Viveu alguns dos últimos anos no Convento de
Balsamão, Macedo de Cavaleiros, onde o
seu filho Mário trabalhava e, nos últimos
meses, continuou na companhia do mesmo no Hotel Rural dos Marcos em Bemposta, Mogadouro. Que Deus o receba
em sua glória...
Armindo Henriques

PADRES FALECIDOS
Pe. Manuel dos
Santos Neves
Nasceu na Vila de Cucujães no dia 01 de
Agosto de 1941. Entrou no nosso Seminário de Tomar em 01 de Outubro de
1952.Em 10 de Junho de 1964 era ordenado Presbítero no Santuário de Fátima,
juntamente com outros nove Diáconos
da Sociedade Missionária.
Depois de ter sido Vice-Prefeito, Prefeito
e Professor nos nossos Seminários de
Cucujães e Tomar, partiu para Moçambique (Diocese de Pemba) em Dezembro
de 1967. Regressou a Portugal em 1974,
sendo nomeado Prefeito e Ecónomo no
Seminário Valadares, Director do Ano de
Formação (1975 1976) e Professor.
Em 14 de Outubro de 1978 partiu para o
Brasil, indo trabalhar para a Paróquia da
Chapadinha (Maranhão).
Os últimos tempos já os conhecemos:
a sua “via Crucis” no Hospital de Santa
Maria da Feira. Faleceu no dia19 de abril,
vítima de pneumonia. Paz à sua alma.

Pe. Martinho
Joaquim de Castro
e Silva
Nasceu a 11 de Novembro de 1934, em
Vilar de Andorinho,
Vila Nova de Gaia.
Entrou no Seminário de Tomar a
28.9.1945. Foi ordenado padre em Cucujães a 3.5.1959. Foi formador em Tomar
e Cernache e a 3.9. 1960 foi enviado para
Moçambique, diocese de Pemba (Porto
Amélia). Trabalhou nos seminários e
na secretaria da diocese. Em 1960 foi
chamado para a secretaria da Sociedade
na Diocese de Nampula, até 1969. Regressou a Portugal a 27.2.1975. Foi nomeado secretário da revista Boa Nova,
arquivista, secretário do Superior Geral
e, a partir de 1992 tomou conta da Secretaria Geral da SMBN e da contabilidade.
No dia 24 de outubro de 2015, na nossa
casa de Lisboa, tomou o pequeno-almoço
e sentiu-se mal. Foi atendido pelo INEM
que não conseguiu fazê-lo ressuscitar
para este mundo. Deus o tenha.
Pe. Firmino João
Firmino Augusto João
nasceu em Pinelo,
Concelho de Vimioso.
Entrou no Seminário
de Tomar a 27.09.1943
e foi ordenado padre a 30.05.1957. Foi
formador em Tomar, em Cernache e
Vice-reitor em Tomar e Cucujães. Partiu
para o sul de Moçambique em 25.10.1969.
O seu campo de trabalho foi a região de
Chibuto e diocese de Xai Xai.
Nas cheias do ano 2.000, o Chibuto foi
o centro de socorro internacional aos
desalojados. O P. Firmino foi o grande
herói. A paróquia e a mesquita forneciam
a água potável para toda a cidade. Construiu centenas de casas para os desalojados e administrou os fundos de organizações internacionais.
De 2011 a 2013 foi reitor do Seminário da
Boa Nova, Matola.
Faleceu no dia 16 de dezembro, tendo
sido sepultado no cemitério de Cucujães.
Paz à sua Alma!
Informação relativa aos padres falecidos
retirada da página do facebook da SMBN

12

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

LIVROS
Amadeu Gomes de Araújo, Um erro de
Afonso Costa - As missões laicas republicanas (1913-1926), Alêtheia Editores,
2015.
As Missões Laicas (1913-1926),
«exemplo
paradigmático do diferendo entre Estado
e Igreja durante a I
República», constituem o tema do
livro assinado por
Amadeu Gomes
de Araújo, que conta com prefácio
de Mário Soares, ex-presidente da
República e ex-primeiro-ministro.
O volume, publicado pela Alêtheia
Editores, apresenta também «o panorama de uma época conturbada da
vida portuguesa», na sequência da passagem da Monarquia para a República,
ocorrida em 1910, e das medidas tomadas pelo novo poder político contra a
Igreja católica.
«O projeto novo e emblemático das
missões laicas civilizadoras propunhase levar aos povos do Ultramar português os grandes valores da solidariedade, da filantropia, do patriotismo e
da civilização», realça Mário Soares.
Eugénio Beirão, Um anjo na cidade, Ed.
Tempo Novo, 2015
Eugénio Brandão
é o nome literário
de João Rodrigues
Gamboa, natural
de Peraboa, Covilhã e antigo presidente da ARM.
O pseudónimo é
homenagem a sua
mãe (Maria Eugénia) e à Beira Baixa/
Beira Interior, onde nasceu.
O autor, que classifica esta obra como
romance, refere nas notas introdutórias
que as “personagens, situações, insti-

tuições e até acontecimentos descritos
nesta obra poderão ter alguma semelhança com a realidade conhecida de
alguns leitores, mas não são mais que
isso e a vaga familiaridade pressentida
é pura sugestão. Esta obra é de ficção,
não é de reportagem; e não é relato, é
recriação. Claro que há uma cidade
conhecida, há lugares e espaços nomeados, mas as personagens que aí atuam e
as situações e acontecimentos em que
se envolvem são fruto da invenção do
escritor”. Um excelente livro para ter à
cabeceira.
D. António Couto, O Livro dos Salmos,
Editorial Missões, 2015
D. António Couto,
Bispo de Lamego,
publica na Editorial Missões este
estudo sobre o
Livro dos Salmos
fixando-se em alguns Salmos mais
significativos.
“Os Salmos - diz
D. António - são para cantar com toda
a intensidade, ao som de instrumentos musicais, para entregarmos a Deus
a nossa alegria, mas também o ódio
que nos habita. Rezar é entregar tudo
a Deus. As coisas belas, claro. Mas também o lixo, o mato e as silvas que nos
habitam. A oração dos Salmos, recitada
com toda a intensidade, depura e decanta a nossa vida, de Deus recebida e
a Deus oferecida, por Deus agraciada e
transformada, transfigurada”.
Mais à frente, D. António reforça a
ideia: “Dizer «Salmos» ou «Saltério» é
dizer intensidade, vida, energia, canto,
música, alegria, prazer, festa e ainda
que, por vezes, dorida. Mas dizer a
quem? Os dois grandes interlocutores
da Bíblia são Deus e o Homem. Deus
fala ao Homem. O Homem responde a
Deus. (...) Os salmos são, pois, no meio
do caminho tantas vezes difícil e tortuoso da vida, como que a «partitura
poética da vida», «poesia divina» (teopoesia) inspirada, transformante, que
opera transformação e não se limita a
passar informação”.

FICHA TÉCNICA
Propriedade:
ARM – Associação Regina Mundi
Sede:
Rua da Bempostinha, 30
1150-066 Lisboa
Tel.: 218 851546
Fax: 218 850258
NIPC: 503 268 372
NIB: 0035 0121 0000 1300 530 98
Presidente da Direção:
Fernando Manuel da Costa e Silva
Direção, Redação e Administração:
Seminário das Missões
Largo da Igreja
Apartado 40
3721-908 Vila de Cucujães
E-mail:
arm@boanova.pt
Site: www.arm.boanova.pt
Facebook: www.facebook.com/arm.
reginamundi
Fotocomposição e impressão:
Escola Tipográfica das Missões
Vila de Cucujães
Tiragem desta Edição:
750 Exemplares
Colaboradores deste número:
P. Adelino Ascenso
Fernando Silva
Sérgio Cabral
Afonso Marcolino Andrade
Amadeu Araújo
Armindo Henriques
Domingos Cardoso Fernandes
Francisco da Costa Andrade
Joaquim Pereira
José Campinho
José Quina
Santos Ponciano
Design e paginação:
Sérgio Cabral