P. 1
Geografia - Orientação - Bússola I

Geografia - Orientação - Bússola I

4.8

|Views: 17.139|Likes:
Publicado porGeografia Geoclasy

More info:

Published by: Geografia Geoclasy on May 15, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/22/2013

pdf

text

original

Construção de Instrumentos Náuticos

Bússola
1) O que é uma bússola
Instrumentos Náuticos

A bússola é um instrumento muito antigo que permite ao homem orientar-se quando se desloca. Não se sabe ao certo se foram os Árabes ou os Chineses que a divulgaram na Europa. Uma bússola é um instrumento constituído por uma agulha com propriedades magnéticas que roda à “procura” do Norte sempre que a movimentamos. Uma das extremidades dessa agulha é atraída para a direcção Norte.

2) Evolução da bússola
A bússola, mais conhecida pelos marinheiros como agulha, é sem dúvida o instrumento de navegação mais importante a bordo. Baseia-se no princípio que um ferro natural ou artificialmente magnetizado tem em se orientar segundo a direcção do campo magnético da Terra. A bússola é constituída por leves barras magnetizadas e paralelas que se fixam na parte inferior de um disco graduado – a rosa-dos-ventos. Não se sabe ao certo quem teve primeiro a ideia de deixar uma pedra de minério de ferro ionizado indicar o Norte. Há quem acredite que os Chineses foram os primeiros a explorar o fenómeno. “ Si Nan” é considerada a primeira bússola e a expressão significa em português “ O Governador do Sul”. É simbolizada por uma concha cuja pega aponta para Sul. Como a concha era bastante imprecisa, os Chineses começaram a magnetizar agulhas de modo a ganhar mais precisão e estabilidade. O Norte tinha extrema importância na sua cultura e por isso dizia-se que “o imperador estava sentado no trono a Norte do palácio olhando para Sul”. Surge uma nova bússola chinesa composta por um prato quadrangular representando a Terra onde uma colher de magnetite apoiada no centro indicava o Sul.
Figura 1: Bussola Chinesa

Mas a utilidade das bússolas não se prende apenas à orientação na construção de casas. De acordo com alguns escritos Chineses, as primeiras bússolas foram utilizadas no mar por volta do ano 850. A invenção foi espalhada pelo mundo por astrónomos e cartógrafos para ocidente até aos Indianos, Muçulmanos e Europeus. Há registos que indicam que no séc. XII a bússola já era utilizada pelos Árabes. Inicialmente a bússola era composta por uma agulha de ferro magnetizada que se colocava sobre uma palhinha flutuando numa vasilha cheia de água e que apontava o Norte. Levava-se a bordo pedras de magnetite para se cevar as agulhas à medida que estas iam perdendo o seu magnetismo.

Fig. 2: Pedra

de cevar

Clube da Navegação 2005/2006

DMFCUL

1

Construção de Instrumentos Náuticos

A bússola foi desenvolvida através dos séculos, e foi conseguido um avanço considerável quando se descobriu que uma peça fina de metal podia ser magnetizada, esfregando-a com minério de ferro. O passo seguinte consistiu em conseguir envolver e encerrar a agulha num invólucro cheio de ar e transparente. Desta forma conseguiu proteger-se a agulha. Observa a figura 3 ao lado.
Figura 3: Giovanni Savoi, 1770

Inicialmente, as agulhas das bússolas “dançavam” bastante e demoravam muito tempo a estabilizar. As bússolas modernas são instrumentos de precisão, e a agulha, geralmente encerrada num invólucro cheio de liquido, rapidamente se posiciona na direcção NorteSul. Em 1948, durante umas escavações numa colónia Vikingue na Gronelândia, descobriuse uma pequena secção de um disco em madeira datada cerca do ano 1000. O disco, se estivesse completo, teria uns 7 cm de diâmetro com 32 recortes triangulares feitos à mão através do seu perímetro, tal como uma rosa-dos-ventos. Assumiu-se desde logo que faria parte de um instrumento de navegação, usado para encontrar o Norte durante o nascer e pôr-do-sol. Alguns anos depois reconheceram-se duas linhas inscritas na superfície do disco como curvas gnómon, ou seja curvas que traçam a sombra da projecção de um gnómon (pino de um relógio de sol).

Pensa-se que esse disco funcionaria como uma Bússola Solar e que foi usada durante as navegações que os Vikingues faziam quando atravessavam o Atlântico rumo à Gronelândia. Este instrumento só permitia navegações dentro da latitude para que tinha sido elaborado.
Fig. 4: Disco da bússola

Vikingue

A vantagem sobre uma bússola vulgar é que aponta para o Norte verdadeiro, enquanto a sua precisão ou a falta do sol é o maior problema. Além dos Vikingues, algumas expedições científicas fizeram uso de instrumentos derivados da bússola solar. Durante a Segunda Guerra, alguns exércitos que combatiam no deserto usaram a bússola solar.

Fig. 5: Bússola solar actual

Clube da Navegação 2005/2006

DMFCUL

2

Construção de Instrumentos Náuticos
3) Componentes de uma bússola
A bússola é uma caixinha circular de material transparente a que se chama cápsula e dentro dela existe uma peça metálica que se chama agulha. Esta é equilibrada sobre um eixo em que tem livre movimento. Como a agulha é magnetizada, ela sempre indicará para o norte magnético. Em torno da cápsula existe um anel graduado denominado limbo ou anel graduado, dependendo do tamanho da bússola. O limbo é graduado de grau em grau ou de dois em dois graus ou mais. Quanto menor for o diâmetro do limbo, mais graus haverá entre as marcas. Normalmente a escala do limbo é em graus ( esta escala vai de 0º a 360º). A marca "N" do limbo denomina-se norte-do-limbo. Os valores lidos no limbo são chamados de azimutes magnéticos, que são valores angulares que começam da direcção do norte magnético apontado pela agulha e vão até uma direcção escolhida por nós, seja ela um pico, uma árvore, ou outro referencial. No fundo da cápsula existe uma série de linhas paralelas: as linhas finas servem para alinhar a bússola ( linhas de coordenada do mapa); as duas linhas centrais geralmente estão em destaque (mais grossas ou de outra cor) e a faixa entre estas linhas internas é chamada de setas-guia ou portão. Na placa base da bússola, ao lado da cápsula, existe uma seta apontando para extremidade desta placa e que se chama linha-de-fé ou seta de rumo. Existem dois Pólos Norte, o verdadeiro, Pólo Norte Geográfico (PNG), que é o utilizado como referência para a posição dos mapas e o Pólo Norte Magnético (PNM), que é o apontado pela bússola. A diferença angular entre estes dois pólos é chamada de declinação magnética.

Fig.6 : Componentes de uma bússola

Clube da Navegação 2005/2006

DMFCUL

3

Construção de Instrumentos Náuticos
4) Como construir uma bússola?
Existem várias formas de construir uma bússola. De seguida são exemplificados alguns processos de magnetizar diversos tipos de agulhas: Processo 1: Bússola em Taça de água Material: - Taça de vidro ou de plástico;
Rolha de cortiça com, aproximadamente, 3 cm de altura e 5 cm de diâmetro; Agulha de coser ; Fita cola; Íman; Caneta de acetato;

Figura 7

Montagem: Pegue numa agulha de coser e magnetize-a passando-a num sentido por um íman. Esta também pode ser magnetizada se a esfregar num pano de lã. Passe uma faca afiada de um lado a outro da rolha ( também pode ser usada uma rolha de garrafa de vinho), seguindo um diâmetro e fazendo um corte com a profundidade de 5 mm. Introduza a agulha magnetizada no corte da rolha e cole com fita cola. Desenhe os quatro pontos cardeais do lado de fora da taça de vidro com a caneta de acetato de forma a conseguir ver-se quando esta estiver com água. Ponha a rolha a flutuar numa taça com água. A taça deve estar cheia de água para que a agulha possa ficar acima das bordas da taça. A agulha se orientará, imediatamente, na direcção Norte-Sul.

Processo 2: Bússola com suporte de madeira

Material:
- 3 pedaços de madeira com aproximadamente as mesmas dimensões ( 20 × 5 × 1 cm ); - Pedaço de linha bastante fina; - Pedaço de cartolina com 4 cm por 12 cm; - Agulha de croché em aço com aproximadamente 10 cm de comprimento; - Um íman; - Três pregos pequenos e um martelo.

Figura 8

Montagem: Arranje três pedaços de madeira com aproximadamente, as mesmas dimensões (20 x 5 x 1 ) cm. Arme-os, prendendo-os com pregos e formando um suporte como indica a figura 8. Arranje uma agulha de croché, com cerca de 10cm de comprimento, e magnetize-a passando num único sentido por um íman. Corte um pedaço de cartolina de 4 cm por 12 cm, dando-lhe a forma de uma flecha e enfie a agulha magnetizada na cartolina, do modo indicado na figura 8. Pendure-a à barra horizontal do suporte com uma linha bem fina. Se a flecha não apontar para o Norte, volte a magnetizar a agulha a agulha ao contrário, ou inverta sua posição na seta.

Clube da Navegação 2005/2006

DMFCUL

4

Construção de Instrumentos Náuticos
Processo 3: Bússola em frasco de vidro
Tampa invertida com agulha de croché atravessada

Material:
Frasco de vidro tipo maionese ( 500 ml a 1 l de capacidade); Tampa de metal ligeiramente menor que o topo do frasco de vidro; Agulha de croché em aço com aproximadamente 10 cm de comprimento; Um íman; Cera de uma vela; um prego.

Figura 4

Figura 9

Montagem: Arranje um frasco de vidro (tipo maionese) e uma tampa de metal um pouco menor que a boca do vidro, de modo a deixar apenas uma folga suficiente para esta se mover sem causar fricção. Faça dois furinhos na parte lateral da tampa, diametralmente opostos, bem junto à borda com a ajuda de um prego. Enfie uma agulha de croché de aço, magnetizada, nos furos. Para magnetizar a agulha basta passar esta uma vez e num só sentido pelo íman. Encha o frasco de água e ponha a tampa com a agulha a flutuar na água (figura 9). O frasco deve estar completamente cheio de água para que a agulha possa ficar acima das bordas do mesmo. Se a tampa se inclinar para a frente, ou para trás, pode corrigir-se este defeito, empurrando um pouco a agulha para o lado mais leve. Se a tampa se inclinar para os lados, restabeleça o equilíbrio, pingando parafina derretida ou cera de uma vela sobre o lado mais leve.

Processo 4: Bússola com tubo de ensaio

Material:
Tábua de madeira com aproximadamente ( 10 × 5× 1 cm ); Tubo de ensaio de 12 a 15 cm de comprimento; Agulha de croché em aço com aproximadamente 10 cm de comprimento; Um íman; Rolha de cortiça com 5 cm de diâmetro; Um prego com 18 cm de comprimento; fita cola.

Figura 10

Montagem: Pegue numa rolha de cortiça chata com cerca de 5cm de diâmetro. Passe uma faca afiada de um lado a outro da rolha, seguindo um diâmetro e fazendo um corte com a profundidade de cerca de 5mm. Magnetize uma agulha de croché e prenda-a à rolha da plataforma giratória, bem no centro, com fita cola. Prenda um prego de 18 cm de comprimento à tábua de madeira de baixo para cima e coloque o tubo de ensaio sobre o prego grande. Coloque a rolha com a agulha por cima do tubo de ensaio. Se ela estiver um pouco inclinada, empurre a agulha através da fita cola, até que o tubo de ensaio se mantenha verticalmente, sem tocar no prego pela parte lateral.

Clube da Navegação 2005/2006

DMFCUL

5

Construção de Instrumentos Náuticos
Todas as agulhas das tuas bússolas apontam o Norte? Para testá-las, deves mantê-las afastadas uma das outras cerca de 1 m (um metro) e longe de qualquer íman ou peça de metal.

5) Como se utiliza uma bússola e para que serve?
A bússola é um instrumento que nos permite conhecer a direcção do Pólo Norte, em qualquer ponto da terra. Numa bússola estão registadas, pelos menos, as quatro direcções: Norte, Sul, Este e Oeste. Pega na bússola construída e coloca-a na horizontal e longe de objectos de metal e de ímans. Após alguns segundos a agulha pára e indica a direcção Norte. Actividade: a) Como vives em Portugal e é de dia, o sol está quase sempre para as tuas costas. Consegues dizer de que lado nasce e se põe o sol? b) Coloca a bússola perto de um íman, por exemplo, muito perto da borracha da porta de um frigorifico. O que acontece? c) Experimenta mudar a posição do íman. O que acontece à agulha da bússola? Porque será que a agulha magnetizada da bússola aponta sempre para Norte?

Clube da Navegação 2005/2006

DMFCUL

6

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->