P. 1
Apostila Contabilidade 1000 Exercícios Com Gabarito

Apostila Contabilidade 1000 Exercícios Com Gabarito

5.0

|Views: 25.437|Likes:
Publicado porCustosditoy

More info:

Published by: Custosditoy on May 16, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/18/2015

pdf

text

original

EXERCÍCIOS DE CONTABILIDADE 001) Considerando que a Contabilidade está voltada ao controle e a obtenção de informações acerca das entidades econômico

-administrativas, marque a opção para cujas pessoas a Contabilidade não tem nenhum interesse. a) Um acionista de uma grande empresa da qual detenha apenas uma ação. b) Os diretores de uma empresa, cujo objeto social está relacionado com semoventes. c) O sócio de uma cooperativa que está falida. d) Os depositantes de conta corrente de casas bancárias. e) Nenhuma das anteriores. 002) Assinale a opção incorreta: a) A Contabilidade não é aplicada no serviço público. b) Rédito é o resultado da atividade econômica. c) Pelo regime de caixa, o rédito é apurado pelo confronto entre recebimentos e os pagamentos efetuados no decorrer do período administrativo. d) Período administrativo é, em regra, o período de um ano. e) As sociedades comerciais distinguem-se das associações porque aquelas buscam um rédito econômico. 003) Com relação às finalidades para as quais se usa a informação contábil, marque a alternativa incorreta. a) Controle. b) Planejamento. c) Como meio de verificação. d) Como meio de comunicação e) Para apuração do rédito (exclusivamente). 004) A contabilidade visa, essencialmente, fornecer informações úteis acerca da gestão econômica da azienda. 005) As pessoas físicas não aplicam a contabilidade, haja vista usarem o regime de caixa e a contabilidade usa, somente, o regime de competência. 006) A finalidade da Contabilidade é: a) determinar o resultado das entidades b) atender a legislação comercial e fiscal, que exige das empresas a elaboração das chamadas demonstrações financeiras c) controlar o patrimônio das entidades, apurar o resultado e prestar informações sobre a situação patrimonial e o resultado das entidades aos usuários da informação contábil d) registrar os custos, as despesas, as receitas e apurar o resultado da entidade e) estabelecer as relações de débito e de crédito do proprietário com os agentes consignatários e agentes correspondentes 007) É verdadeira a afirmação que exclui o ente público do rol dos interessados na ciência contábil. 008) De todas, a mais importante finalidade da Contabilidade, ressalte-se, modernamente, a de: a) servir de base para a apuração e tributação do Imposto de Renda; b) possibilidade de cumprimento das exigências da Legislação Comercial; c) ter conseguido um refinamento na linguagem e nos procedimentos adotados; d) constituir instrumento essencial nas funções de planejamento e controle para a empresa; e) n.d.a. 009) Embora as finalidades para as quais se usa a informação contábil possam ser catalogadas de várias formas, podemos indicá-las da seguinte forma: a) controle e planejamento b) análise e escrituração c) previsão e registros contábeis d) econômica e sociológica e) política e auditoria 010) Não constitui finalidade da contabilidade: — Obter informações acerca da composição política da diretoria de uma S.A.. 011) A contabilidade visa estudar o patrimônio das entidades, por isso é finalidade da contabilidade o registro da riqueza dos sócios de uma entidade. 11

012) (MEMORIAL/SP/99) O objetivo da utilização da informação pelo FISCO é: a) Avaliação da informação para tomada de decisões b) Verificação da liquidez da sociedade c) Comprovação dos dividendos distribuídos d) Tributação das atividades da empresa e) n.d.a. 013) (CESPE/TCU-1998) O campo de atuação da contabilidade pública abrange as entidades privadas que recebem recursos oriundos de contribuições parafiscais. estende-se às pessoas jurídicas de direito público, bem como a algumas de suas entidades vinculadas, não apenas de direito público. abrange as fundações e empresas públicas que utilizam recursos à conta do orçamento público. visa precipuamente ao controle da aplicação dos recursos públicos provenientes do Tesouro. não visa, diferentemente da contabilidade empresarial, ao controle do patrimônio público, mas sim ao controle dos recursos orçamentários disponíveis. 014) Assinale a opção incorreta. a) A Contabilidade registra os fenômenos econômicos que afetam o patrimônio das aziendas, provocadas/consentidas ou não pela administração. b) Agentes fiscais, gerentes de bancos, clientes fornecedores, acionistas, administradores e investidores têm interesse na informação contábil. c) Avaliar as decisões e o planejamento, auxiliar o controle e determinar o rédito de período são objetivos (fins) da Contabilidade. d) A escrituração é o método utilizado pela Contabilidade para registrar os fatos contábeis ocorridos em uma entidade. e) O campo de aplicação da Contabilidade abrange qualquer tipo de pessoa física ou jurídica, com finalidades lucrativas ou não, que tenha necessidade de exercer atividades econômicas para alcançar suas finalidades. 015) Quanto à Contabilidade como um todo, analise e julgue os itens abaixo: É o único meio utilizado para o planejamento eficaz. As leis que disciplinam sua eficácia são veiculadas pelo Conselho Federal de Contabilidade. Rédito é sinônimo de resultado e este pode ser positivo ou negativo, conforme lucro ou prejuízo Um bom controle evita perda de tempo e dinheiro. Gestão é aplicada às Aziendas para obtenção de rédito positivo, enquanto que Administração está voltada para réditos beneficentes 016) A Contabilidade deve registrar: Todos os atos administrativos, praticados durante a gestão da Azienda Todos os fatos que alteram o patrimônio, quer qualitativamente, quer quantitativamente Todos os fenômenos que possam gerar riquezas futuras à entidade, em observância ao princípio da prudência As receitas de exercícios futuros em contas do passivo exigível quando estas podem, por algum motivo, ser devolvidas. As receitas de vendas a prazo somente no recebimento e as despesas somente no pagamento em observância ao princípio da competência do pagamento 017) Num contexto de economia globalizada, mister se faz que as entidades econômico-administrativas se especializem cada vez mais, no sentido de obterem controles eficazes de suas existências para salvaguardarem os seus ativos e não incorrer em passivos insolváveis. Para tanto, necessitam de pessoas que tenham conhecimentos plenos das teorias, práticas e da legislação acerca de diversos assuntos. Dentre essas entidades inclui-se o Estado. Diante do exposto, em termos de Contabilidade, assinale, dentre as opções abaixo, o conceito de Contabilidade que a defina com “aspecto” de oficialidade. a) Contabilidade é uma metodologia especialmente concebida para captar, acumular, resumir e interpretar os fenômenos que afetam as situações patrimoniais, financeiras e econômicas de qualquer ente, seja pessoa física, entidade de finalidades não lucrativas, empresa, ou mesmo, pessoa jurídica de Direito Público com fins lucrativos. b) Contabilidade é a ciência que estuda e pratica as funções de orientação, de controle e de registro relativos à administração econômica. c) Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio das entidades, mediante o registro, a demonstração expositora e a interpretação dos fatos nele ocorridos, com o fim de oferecer informações 12

sobre sua composição e variação, bem como sobre o resultado econômico decorrente da gestão da riqueza patrimonial explorada. d) Contabilidade é a arte de registrar os fatos contábeis. e) Contabilidade é a ciência que pratica o estudo do patrimônio com o fim de apurar o rédito. 018) Quanto a função de controle, a Contabilidade pode ser utilizada, exceto para: a) Como meio de comunicação. b) Como motivação. c) Como meio de verificação. d) Exclusivamente apuração do rédito (resultado). e) Avaliar a gestão. 019) Assinale a alternativa que conceitue corretamente CONTABILIDADE: a) Ciência que trata dos fenômenos relativos à produção, distribuição, acumulação e consumo dos bens materiais b) Técnica que registra as ocorrências que afetam o patrimônio de uma entidade c) Ciência que estuda e pratica as funções de orientação, controle e registro dos atos e fatos de uma administração econômica d) Técnica que consiste na decomposição, comparação e interpretação dos demonstrativos do estado patrimonial e do resultado econômico de uma entidade e) Conjunto de princípios, normas e funções que tem por fim ordenar os fatores de produção e controlar a sua produtividade e eficiência, para se obter determinado resultado 020) A Contabilidade registra: a) os fenômenos econômicos que afetam o patrimônio das aziendas, provocados ou consentidos pela administração; b) os fenômenos econômicos e não-econômicos que afetam o patrimônio das aziendas, provocados, consentidos ou não pela administração; c) os fenômenos econômicos e não-econômicos que afetam o patrimônio das aziendas provocados ou consentidos pela administração; d) os fenômenos econômicos que afetam o patrimônio das aziendas, provocados e consentidos ou não pela administração; e) n.d.a. 021) (ESAF/TTN–1992/SP) O Primeiro Congresso Brasileiro de Contabilidade, realizado na cidade do Rio de Janeiro, de 17 a 27 de agosto de 1924, formulou um conceito oficial de CONTABILIDADE. Assinale a opção que indica esse conceito oficial. a) Contabilidade é a ciência que estuda o patrimônio do ponto de vista econômico e financeiro, observando seus aspectos quantitativo e específico e as variações por ele sofridas b) Contabilidade é a ciência que estuda e pratica as funções de orientação, de controle e de registro relativas à Administração Econômica. c) Contabilidade é a metodologia especial concebida para captar, registrar, reunir e interpretar os fenômenos que afetam as situações patrimoniais, financeiras e econômicas de qualquer ente. d) Contabilidade é a arte de registrar todas as transações de uma companhia que possam ser expressas em termos monetários e de informar os reflexos dessas transações na situação econômico-financeira dessa companhia. e) Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio das entidades, mediante registro, demonstração expositiva, confirmação, análise e interpretação dos fatos nele ocorridos. 022) É objeto da Contabilidade: a) Os bens, direito e situação líquida. b) O conjunto dos haveres, direitos e obrigações. c) O controle da entidade d) O conjunto de bens, direitos e obrigações. e) A evidenciação do patrimônio, para que os bancos possam emprestar dinheiro às entidades. 023) A Contabilidade tem por objeto a) a empresa b) a pessoa física e jurídica c) a apuração de resultado de uma entidade 13

d) o patrimônio e) os lançamentos a débitos de uma conta e a crédito de outra conta 024) O campo de aplicação e o objeto da Contabilidade: a) confundem-se; b) são distintos, pois o primeiro é o patrimônio e o segundo é a azienda; c) podem ser dissociados, pois o primeiro independe da existência do segundo; d) são distintos, pois o primeiro é a azienda e o segundo é o patrimônio; e) n.d.a 025) De acordo com a corrente doutrinária hoje dominante, o objeto e o campo de aplicação da Contabilidade são, respectivamente: a) o crédito e as organizações; b) as contas da azienda e o seu patrimônio; c) o controle dos valores patrimoniais e a administração financeira das empresas; d) o patrimônio e a azienda; e) n.d.a 026) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - "O patrimônio, que a contabilidade estuda e controla, registrando todas as ocorrências nele verificadas." "Estudar e controlar o patrimônio, para fornecer informações sobre sua composição e variações, bem como sobre o resultado econômico decorrente da gestão da riqueza patrimonial." As proposições indicam, respectivamente, a) o objeto e a finalidade da contabilidade b) a finalidade e o conceito da contabilidade c) o campo de aplicação e o objeto da contabilidade d) o campo de aplicação e o conceito de contabilidade e) a finalidade e as técnicas contábeis da contabilidade 4 - FUNÇÃO ECONÔMICA DA CONTABILIDADE 027) É função econômica da Contabilidade: a) apurar lucro ou prejuízo; b) controlar o patrimônio; c) evitar erros e fraudes; d) efetuar o registro dos fatos contábeis; e) verificar a autenticidade das operações. 5 - TÉCNICAS CONTÁBEIS 028) O Balanço Patrimonial é (C ou E): Uma situação dinâmica e se presta a decomposição para análises. Um demonstrativo que fornece a situação de uma entidade em dado momento, como se fora uma fotografia. Um dos principais demonstrativos e deve ser elaborado segundo os princípios de Contabilidade e a Lei n.º 6.404/76. Um demonstrativo que fornece, por si só, amplos aspectos de análise, visto que é composto por todas as contas analíticas Uma técnica contábil de partidas dobradas de duas colunas, sendo que do lado esquerdo vão os bens e direitos e do lado direito as obrigações. 029) (MEMORIAL/SP/99) Ao fim de cada exercício social, a Diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício: Com base nas informações acima indique a proposição que responde corretamente ao indicado pela Lei das Sociedades por ações. a) balanço patrimonial, demonstração do resultado do exercício, demonstração das origens e aplicações de recursos; b) demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados e demonstração do resultado do exercício; c) demonstração do resultado do exercício e demonstração das origens e aplicações de recursos; d) demonstração das origens e aplicações de recursos; e) n.d.a. 030) As técnicas de que a Contabilidade se utiliza para alcançar os seus objetivos são: 14

a) escrituração, planejamento, coordenação e controle b) escrituração, balanços, inventários e orçamentos c) contabilização, auditoria, controle e análise de balanços d) auditoria, análise de balanços, planejamento e controle e) auditoria, escrituração, análise de balanços e demonstração 031) Considera-se ramo contábil: a) a auditoria e análise de balanço b) a fiscalização e auditoria c) o planejamento e análise de balanço d) o controle e auditoria e) a meteorologia e escrituração 032) (TFC/ESAF/96) Decomposição, comparação e interpretação dos demonstrativos do estado patrimonial e do resultado econômico de uma entidade é a) função econômica da Contabilidade b) objeto da Contabilidade c) técnica contábil chamada Análise de Balanços d) finalidade da Contabilidade e) função administrativa da Contabilidade 033) (CONTROLADADORIA/2000) Os fatos contábeis provocam modificações na estrutura de patrimônio e o seu registro deverá ser feito de maneira cronológica, selecionando-os em grupos homogêneos e evidenciando seus aspectos qualitativos e quantitativos. Isso caracteriza a Técnica Contábil de a{PRIVATE}) Controle b) Planejamento c) Auditoria d) Escrituração e) Demonstrações Contábeis 6 - PATRIMÔNIO 034) Quando A < P, sendo A o Ativo e P o Passivo exigível, teremos: a) inexistência de Dívida b) inexistência de Ativo c) passivo a descoberto d) passivo menor que Bens e Direitos e) situação superavitária 035) Numa situação patrimonial o ATIVO, em nenhuma hipótese, poderá ser: a) maior do que o Passivo Exigível b) menor do que o Passivo Exigível c) maior do que a Situação Líquida d) menor do que a Situação Líquida e) maior do que o Capital dos Proprietários 036) Considerando A = Ativo, P = Passivo Exigível e SL = Situação Líquida, assinale a opção que identifique estado patrimonial inconcebível. a) A P b) A SL P SL c) A SL A P d) A P

e)

SL

037) O Patrimônio Líquido de uma empresa não pode ser: a) maior do que o Ativo b) menor do que o Passivo Exigível c) menor do que o Ativo d) maior do que o Passivo Exigível e) igual ao Passivo Exigível 15

038) Assinale a incorreta a) O método de escrituração utiliza-se da técnica das partidas dobradas. b) O patrimônio é composto pelo conjunto de bens, direitos e obrigações. c) Chama-se de ativo o conjunto de bens e direitos e de passivo exigível ao conjunto das obrigações. d) Azienda tem correlação com fazenda, uma vez que ambos consideram um patrimônio sob ação (gestão) do homem. e) Apurar resultado é função econômica da Contabilidade e nas sociedades comerciais o objetivo é um rédito positivo. 039) Abaixo são dadas diversas situações patrimoniais. Assinale a que indica a pior situação econômica da empresa: a) Situação Líquida igual a zero b) Situação Líquida igual ao ativo c) Situação Líquida igual ao Passivo Exigível d) Situação Líquida positiva, mas menor que o Passivo Exigível e) Passivo Exigível maior do que o Ativo 040) Assinale a alternativa que indica situação patrimonial inconcebível: a) Situação Líquida igual ao Ativo b) Situação Líquida maior do que o Ativo c) Situação Líquida menor do que o Ativo d) Situação Líquida maior do que o Passivo Exigível e) Situação Líquida menor do que o Passivo Exigível 041) Com relação ao Patrimônio, julgue os seguintes itens: Patrimônio bruto é igual ao capital aplicado Patrimônio líquido negativo quer dizer passivo a descoberto, que ocorre somente se tivermos a conta prejuízos acumulados com saldo diferente de zero. O patrimônio deve ser autônomo, não podendo ser compartilhado por diversas empresas, pois do contrário teríamos diversos patrimônios autônomos, segundo o Princípio da Entidade. Patrimônio líquido menor em decorrência de diminuições de ativos, legalmente previstas, satisfaz a correta aplicação do princípio da Prudência. O ativo realizável a longo prazo e o passivo exigível a longo prazo não podem existir em um patrimônio, cuja Entidade tem o seu término previsto no final do exercício social em curso. 042) Não são considerados bens sob o ponto de vista econômico: a) Semoventes. b) Frutos pendentes. c) Animais no pasto. d) Águas do mar e) Uma marca de empresa. 043) Na maioria das empresas comerciais, o Ativo suplanta o Passivo (Obrigações). Assim, a representação mais comum do patrimônio de uma empresa comercial assume a forma: a) Passivo + Ativo = Patrimônio Líquido; b) Ativo + Patrimônio Líquido = Passivo; c) Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido; d) Ativo Permanente + Ativo Circulante = Passivo; e) Ativo + Situação Líquida = Passivo. 044) Diz-se que a situação líquida é negativa quando o Ativo total é: a) maior que o Passivo Total; b) maior que o Passivo Exigível; c) igual à soma do Passivo Circulante com o Passivo Exigível a Longo Prazo; d) igual ao Passivo Exigível; e) menor que o Passivo Exigível. 045) Assinale a alternativa que indica situação patrimonial inconcebível: a) Situação Líquida igual ao Ativo; b) Situação Líquida maior que o Ativo c) Situação Líquida menor que o Ativo; d) Situação Líquida maior que o Passivo Exigível; e) Situação Líquida menor que o Passivo Exigível. 046) Assinale a alternativa correta: a) Patrimônio é um conjunto de bens, direitos e obrigações; 16

b) os bens se dividem em tangíveis e intangíveis; c) as alternativas A e B estão corretas; d) Patrimônio é um conjunto de bens; e) n.d.a. 047) Assinale a alternativa correta: a) direitos representam valores a receber, por vendas a prazo; b) obrigações representam dívidas ou compromissos perante terceiros; c) resultado é a diferença entre o valor das receitas e o valor das despesas; d) a pessoa física ou natural é o ser humano (o homem ou a mulher), enquanto pessoa jurídica é o ser de existência abstrata que nasce da reunião de duas ou mais pessoas físicas ou jurídicas; e) todas as alternativas estão 048) (TFC/ESAF/96) Em relação ao patrimônio bruto e ao patrimônio líquido de uma entidade, todas os afirmações abaixo são verdadeiras, exceto a) o patrimônio bruto nunca pode ser inferior ao patrimônio líquido b) o patrimônio bruto e o patrimônio líquido não podem ter valor negativo c) o patrimônio bruto e o patrimônio líquido podem ter valor inferior ao das obrigações da entidade d) o soma dos bens e direitos a receber de uma entidade constitui o seu patrimônio bruto, enquanto o patrimônio líquido é constituído desses mesmos bens e direitos, menos as obrigações e) o patrimônio bruto pode ter valor igual ao patrimônio líquido 049) (TFC/ESAF/96) Na composição do patrimônio de uma empresa a) se o ativo for maior do que o passivo exigível, a situação líquida também o será b) se o passivo exigível for maior do que a situação líquida, caracteriza-se o chamado passivo descoberto c) se ativo e passivo exigível tiverem valores iguais, a situação líquida terá valor negativo d) se o ativo tiver valor igual a zero, a situação líquida também o terá e) se a ordem decrescente de valores for ativo, passivo exigível e situação líquida, a situação líquida será positiva 050) (TFC/ESAF/96) Entre as situações patrimoniais abaixo relacionadas, marque a opção que indica maior percentual de riqueza própria a) P=SL e SL<A b) A>SL e SL>P Legendas: c) A=SL e SL>P A = ativo d) SL<P e P<A P = passivo exigível e) A=P e P>SL SL = situação líquida 051) O campo de aplicação da Contabilidade é a Azienda. A Azienda é um ente cuja existência se verifica a partir da reunião dos seguintes elementos essenciais: a) Patrimônio, Trabalho e Organização b) Contabilidade, Patrimônio e Gestão c) Planejamento, Organização e Controle d) Patrimônio, Trabalho e Administração e) Registro, Orientação e Controle. 052) Assinale a alternativa correta a) Os elementos essenciais da azienda são patrimônio, administração e Contabilidade b) O organismo administrativo é composto por órgãos diretivos, órgãos executivos e órgãos vocativos c) O objeto da Contabilidade é o patrimônio, que ela estuda e pratica, registrando as ocorrências que lhe afetam a estrutura qualitativa d) Contabilidade é a ciência que estuda e pratica as funções de registro, de auditoria e de coordenação dos atos da administração econômica e) O campo de atuação e o objeto da Contabilidade são distintos um do outro, pois, o primeiro é a azienda e o segundo é o patrimônio 053) O campo de aplicação da Contabilidade é a azienda. Por azienda compreende-se: a) a entidade de natureza econômica, com finalidade lucrativa b) o controle das operações de uma organização c) o planejamento das atividades econômica-financeiras de uma empresa d) o complexo de bens, direitos e obrigações, considerado juntamente com a entidade que o administra e) a série de atos e fatos praticados e ocorridos numa entidade 054) A palavra AZIENDA é comumente usada na Contabilidade como sinônimo de fazenda, na acepção de: 17

a) conjunto de bens e haveres; b) mercadorias; c) finanças públicas; d) grande propriedade rural; e) patrimônio, considerado juntamente com a pessoa que tem sobre ele poderes de administração e disponibilidade. 056) Assinale a opção incorreta: a) A Contabilidade não é aplicada no serviço público. b) Rédito é o resultado da atividade econômica. c) Pelo regime de caixa, o rédito é apurado pelo confronto entre recebimentos e os pagamentos efetuados no decorrer do período administrativo. d) Período administrativo é, em regra, o período de um ano. e) As sociedades comerciais distinguem-se das associações porque aquelas buscam um rédito econômico. 057) Dentre os itens abaixo, assinale aquele que não representa uma assertiva verdadeira. a) A contabilidade é uma ciência que possui princípios próprios, cujo fundamento reside na valoração econômica dos bens. b) A administração Pública utiliza a contabilidade de modo diferenciado em relação à administração privada, pois na escrituração das receitas utiliza o regime de caixa. c) O regime de caixa produz, invariavelmente, o mesmo resultado que o regime de competência. d) Capital em giro da sociedade é a soma dos capitais próprios e de terceiros. e) Capital de giro é relativo as disponibilidades e o realizável, ressalvadas as contingências, mas incluídos os investimentos. 058) (AFC/STN/ESAF/2000) Ao fim de cada exercício social, a Diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as demonstrações financeiras, para exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas durante o exercício. A seguir temos cinco frases a respeito desse assunto. Assinale aquela que representa uma afirmativa verdadeira. a) O exercício social terá a duração de 1 (um) ano e a data do início e do término deverá ser fixada no estatuto. b) As demonstrações financeiras deverão registrar a destinação do lucro proposta pelos órgãos da administração, desde que tenha havido a aprovação pela assembléia geral. c) As notas explicativas deverão indicar os investimentos em outras sociedades, mas apenas aqueles investimentos que forem, e quando forem, relevantes. d) Como componentes do grupo resultados de exercícios futuros deverão ser classificadas as receitas de exercícios futuros, ou seja, aquelas receitas que tiverem sido recebidas antecipadamente. e) As contas de depreciação acumulada são componentes do ativo imobilizado, enquanto que as contas de amortização acumulada integram o ativo diferido. 059) (ANALISTA JUDICIÁRIO/TRF/4ª/2001) É registro que caracteriza regime de competência, o relativo ao a) de uma despesa a pagar. b) da compra de mercadorias à vista. c) do pagamento de duplicata pela compra de veículo a prazo. d) da venda de mercadoria à vista. e) do pagamento de uma despesa. 060) (ESAF/AFC/STN/2000) Uma empresa que contabiliza suas operações pelo regime de caixa, quando as comparar com o princípio da competência, para fins de balanço, vai verificar que as despesas incorridas, mas não pagas no exercício, provocaram a) um passivo menor que o real e um lucro maior que o real b) um passivo maior que o real e um lucro menor que o real c) um ativo maior que o real e um lucro maior que o real d) um ativo maior que o real e um lucro menor que o real e) um ativo maior que o real e um passivo menor que o real 061) (AFRF/ESAF/2001) José Henrique resolveu medir contabilmente um dia de sua vida começando do “nada” patrimonial. De manhã cedo nada tinha. Vestiu o traje novo (calça, camisa, sapatos, etc.), comprado por R$ 105,00, mas que sua mãe lhe deu de presente. Em seguida tomou R$ 30,00 emprestados de seu pai, comprou o jornal por R$ 1,20, tomou o ônibus pagando R$ 1,80 de passagem. Chegando ao CONIC, comprou fiado, por R$ 50,00, várias caixas de bombons e chicletes e passou a vendê-los no calçadão. No fim do dia, 18

a) b) c) d) e)

cansado, tomou uma refeição de R$ 12,00, mas só pagou R$ 10,00, conseguindo um desconto de R$ 2,00. Contou o dinheiro e viu que vendera metade dos bombons e chicletes por R$ 40,00. Com base nessas informações, podemos ver que, no fim do dia, José Henrique possui um “capital próprio” no valor de: R$ 120,00 R$ 189,00 R$ 2,00 R$ 187,00 R$ 107,00

062) (TRF/ESAF/2000) Ao inventariar sua riqueza de acordo com o regime contábil de caixa, os proprietários concluíram que, hoje, sua firma possui débitos no valor de R$ 190.000,00, créditos no valor de R$ 180.000,00, um capital registrado e todo integralizado no valor de R$ 80.000,00, além de diversos bens no valor de R$ 100.000,00. Foi também apurada a existência de R$ 1.000,00 de receitas já ganhas mas ainda não quitadas; de R$ 1.300,00 de despesas quitadas antecipadamente; de uma conta de energia elétrica no valor de R$ 2.000,00 vencida e não paga; além da expectativa de perda da ordem de 1% no recebimento de letras com valor nominal de R$ 50.000,00. Ao demonstrar o patrimônio acima indicado, contabilizando-o segundo os princípios contábeis da Prudência e da Competência de Exercícios, essa empresa vai evidenciar no grupo Patrimônio Líquido um lucro acumulado no valor de a) R$ 9.800,00 b) R$ 7.200,00 c) R$ 10.000,00 d) R$ 27.200,00 e) R$ 30.000,00 063) (UFSC/FISCAL-SC-1998) {PRIVATE}Num dado momento, seja A o valor do Ativo, P o valor do Passivo e PL o valor do Patrimônio Líquido de uma entidade. Sejam as equações: {PRIVATE}I. A - P = PL II P = A - PL III A + PL = P IV. A - P - PL = 0 {PRIVATE} À luz da Resolução o CFC n 750, de 29 de dezembro de 1993, pode-se afirmar que {PRIVATE}A.( ) apenas as equações I e II são equivalentes. B.( ) as equações I e III são equivalentes. C.( ) apenas as equações I e IV são equivalentes. D.( ) as equações I, II e IV são equivalentes. E.( ) a equação III é válida quando a entidade apresenta uma situação de "passivo a descoberto". 064) (ESAF/TTN-1994/matutino) Considere os dados a seguir: 01.05.93 - Vendas á vista Cr$ 4.000.000,00 01.05.93 - Vendas a prazo Cr$ 8.000.000,00 01.05.93 - Compras a prazo Cr$ 2.400.000,00 01.05.93 - Pagamento de duplicatas Cr$ 5.000.000,00 01.05.93 - Depósito bancário Cr$ 2.800.000,00 01.05.93 – Recebimento de duplicata Cr$ 3.800,000,00 02.05.93 - Saldo inicial Cr$ 100.000,00 O saldo final de Caixa, em 30.04.93, era de a) Cr$ 100.000,00, devedor b) Cr$ 200.000,00, credor c) Cr$ 200.000,00, devedor d) nihil e) Cr$ 100.000,00, credor 065) Marque a opção correta. a) O princípio da competência impõe que as despesas sejam apropriadas ao período a que corresponderem, assim temos que num empréstimo bancário com pagamento de juros antecipados, estes devem ser apropriados ao período em que foram pagos. b) A gestão econômica denomina-se exercício social, que consiste no espaço de tempo em que, ao seu término, as entidades apuram e demonstram seus resultados, sendo que sempre coincide com o ano-calendário. c) Escrituração é o método contábil encarregado no registro dos fatos patrimoniais de forma contínua e metódica, tendo como apoio a documentação relativa a esses fatos. d) A análise de balanço é a técnica e/ou especialização da Contabilidade que consiste na transformação dos dados para obter informações estatísticas acerca do patrimônio analisado. e) As receitas consideram-se realizadas, pelo regime de competência, sempre que desaparecer um passivo sem o correspondente ativo, com um lançamento a crédito no passivo. 066) Julgue os itens abaixo: 19

Uma das formas de controle contábil é ordenar um fluxo para os documentos que devem informar a escrituração A análise de balanço é uma técnica e uma especialização da Contabilidade, e baseia-se nas demonstrações contábeis. Pelo princípio do registro pelo valor original, devemos entender que os componentes patrimoniais não poderão ter alterados os seus valores intrínsecos, não configurando alteração a atualização monetária A escrituração deve ser feita sempre que se tiver razoável certeza dos fatos, mesmo que não se possua a documentação hábil que os instrui. A técnica da escrituração é a base de toda Contabilidade, devendo esta ser efetuada em ordem cronológica de dia, mês e ano, não se admitindo, em hipótese alguma, que os registros não estejam em ordem cronológica. 068) Representa uma obrigação a conta: a) Prêmio de Seguros b) Seguros a Pagar c) Seguros a Vencer d) Seguros Contratados e) Seguros Pagos Antecipadamente 069) Através das funções contábeis, a contabilidade exerce as atividades de: Escriturar, organizar e apurar as condições do patrimônio Inspecionar e informar aos administradores as condições do patrimônio Escriturar e informar as condições do patrimônio, somente Escriturar e informar a situação do patrimônio, somente As afirmativas 1 e 2 estão corretas 070) A Contabilidade é uma: Técnica que consiste na decomposição, comparação e interpretação dos demonstrativos do estado patrimonial e do resultado econômico de uma entidade Ciência Ciência com metodologia especialmente concebida para captar, registrar e interpretar os fenômenos que afetam as situações patrimoniais Ciência com metodologia especialmente concebida para captar, registrar e interpretar os fenômenos que não afetam as situações patrimoniais As afirmativas 1 e 3 estão corretas 071) Pela diferença aritmética entre os direitos e as obrigações, podemos analisar o patrimônio sob o aspecto: Jurídico Econômico Específico Financeiro As alternativas 3 e 4 estão erradas GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 001- E 011- E 018- D 037- A 046- C 056- A 002- A 012- D 019- C 038- A 047- E 057- C 003- E 020- D 029- A 039- C 048- B 058- C 067- C 004- C 021- B 030- E 040- B 049- E 059- A 068- B 005- E 014- D 022- D 031- A 050- C 060- A 006-C 023- D 032- C 051- D 061- E 007- E 024- D 033- D 042- D 052- E 062- A 008- D 025- D 034- C 043- C 053- D 063- D 009- A 026- A 035- D 044- E 054- E 064- A 010- C 017- B 027- A 036- B 045- B 055- B 065- D

013- E C C E E

015- E E C C E

016- E C E C E

028- E C C E E

041- C C C C C

066- C C C E E

069- C C E E C

070- E C C E E

071- E C E E C

20

II - OS PRINCÍPIOS DE CONTABILIDADE 072) O Código Civil conceitua as pessoas em naturais ou físicas e jurídicas. Estas são uma criação abstrata da lei. Com relação ao assunto, marque a assertiva correta, com relação a Contabilidade. a) Por ser a pessoa jurídica uma criação abstrata da lei, não há nenhuma implicação, antes o contrário, de se misturar as contas particulares com as da pessoa jurídica. b) Do princípio da entidade, que é um dos princípios fundamentais da Contabilidade, infere-se que os bens particulares não se confundem com os bens da entidade que é formada pelo conjunto de bens dos particulares, mas a recíproca não é verdadeira. c) O administrador deve ter soberania, em função do princípio da autonomia da entidade, sobre seu patrimônio, não importando a forma como gere seus negócios. d) A entidade, que é dos sócios, rege-se pelo contrato social ou estatuto, conforme o caso, e este pode, expressamente, autorizar os administradores (diretores e gerentes) a usar recursos da sociedade (como por exemplo veículos) em atividades particulares. e) Eventuais saldos de balanço podem ser rateados entre os diretores da área financeira e contábil, se assim os estatutos, expressamente, permitirem. 073) Quanto aos bens de uma empresa, assinale a incorreta. a) Devem ser relacionados de forma distinta dos de seus sócios. b) Constituem uma entidade autônoma de seus titulares. c) A azienda não deve ser confundida com o patrimônio dos particulares, visto a gestão ser dos particulares e estes devem, sempre que a empresa necessitar e pelo princípio da continuidade, socorrê-la economicamente ou com bens. d) A Contabilidade tem como objetivo o controle, o planejamento e o rédito, para salvaguardar bens e direitos, entre outros. e) A tributação envolve a transferência de patrimônio dos particulares (bens numerários) aos cofres públicos, decorrendo daí, entre outras, uma necessidade do conhecimento de Contabilidade dos servidores de órgãos arrecadadores, ou seja, envolve patrimônio, que é o objeto da Contabilidade. 074) (TCU/CESPE-1995) Os princípios fundamentais de Contabilidade estão consubstanciados na Resolução n.º 750, de 1993, do Conselho Federal de Contabilidade, que, posteriormente, editou um apêndice destinado a um maior esclarecimento de seu conteúdo e abrangência. Com base no exposto, julgue os itens a seguir. (1) Os princípios, ao contrário das normas, devido à diversidade das entidades e à evolução contínua do ambiente econômico, são adotados segundo as concepções teórico-doutrinárias dos profissionais da Contabilidade. (2) A existência de duas entidades sob controle comum, ainda que consolidem suas demonstrações contábeis, não afeta o princípio da entidade, mantendo-se as respectivas autonomias patrimoniais. 075) (PCF/UnB/CESPE-97) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Com base nesse assunto, julgue os itens a seguir. (1) O patrimônio pertence à entidade, mas a recíproca não é verdadeira. A soma ou agregação contábil de patrimônios autônomos não resulta em nova entidade, mas em uma unidade de natureza econômicocontábil. 076) (INSS/CESPE-98) A Resolução CFC n. 750, de 29 de dezembro de 1993, estabeleceu os princípios fundamentais de contabilidade aplicáveis ás sociedades brasileiras. A respeito desse assunto, julgue os itens seguintes. (1) Na aplicação dos princípios fundamentais de contabilidade a situações concretas, a essência das transações deve prevalecer sobre seus aspectos formais. 077) (CVM/ESAF/ANALISTA-2001) O procedimento de segregar o patrimônio da empresa avaliada do patrimônio de seus sócios está fundamentado no conceito da a) entidade d) materialidade b) identidade e) relatividade c) prudência 21
0

078) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) Ao analisar a formação e a estrutura patrimonial, é correto afirmar que {PRIVATE}a) o Ativo representa "Bens e Direitos" que são elementos negativos na estrutura do patrimônio b) o complexo de bens, materiais ou não, direitos, ações, posse e tudo o mais que pertence a uma pessoa ou empresa e seja suscetível de apreciação econômica, denomina-se Patrimônio c) a pessoa jurídica é a unidade jurídica resultante de um agrupamento humano organizado, estável, objetivando fins de utilidade pública ou privada, inteiramente distinta dos indivíduos que a compõem, capaz de possuir, exercitar direitos e contrair obrigações d) a conta que representa o investimento dos sócios é a conta Caixa e) no Ativo registramos somente os bens tangíveis que são representados, por exemplo, por Marcas e Patentes 079) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) Jorge Trapalhão é comerciante (revenda de produtos veterinários) e fazendeiro. Apesar de a fazenda não estar incorporada ao patrimônio da firma comercial, ele não faz distinção dos fatos decorrentes de sua dupla atividade, na escrituração do estabelecimento comercial, em que pese utilizar normalmente empregados e produtos de um em outro estabelecimento. O procedimento de Jorge Trapalhão, analisado sob o aspecto contábil, está a) correto, porque Jorge Trapalhão é pessoa física, uma vez que, de acordo com o Código Civil, a pessoa jurídica não pode ser formada de um único indivíduo b) incorreto, porque contraria o princípio contábil da Competência c) correto, porque, qualquer que seja o seu sistema de escrituração, o resultado de suas atividades reverterse-á totalmente em seu benefício d) incorreto, porque contraria o princípio contábil da Entidade e) correto, porque, apesar de os misturar, ele não omite nem adultera os fatos contábeis decorrentes de sua dupla atividade 080) (ANALISTA/JUD-CONTADOR-99) A autonomia patrimonial, fulcro do Princípio da Entidade, objetiva especificamente estabelecer que a) não seja confundido o patrimônio da entidade com o de seus sócios. b) a contabilidade deve individualizar um patrimônio particular no universo dos patrimônios. c) o patrimônio se caracteriza como o objeto da contabilidade. d) o patrimônio pertence a uma pessoa, a um conjunto de pessoas, a uma sociedade, ou a uma instituição de qualquer natureza. e) a soma de patrimônios autônomos não resulta em nova entidade. 081) (TCU/CESPE-1998) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e das teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. (1) A suspensão das atividades de uma entidade pode provocar efeitos na utilidade de determinados ativos, com a perda, até mesmo integral, de seu valor. 082) (TCU/CESPE-1995) Os princípios fundamentais de Contabilidade estão consubstanciados na Resolução n.º 750, de 1993, do Conselho Federal de Contabilidade, que, posteriormente, editou um apêndice destinado a um maior esclarecimento de seu conteúdo e abrangência. Com base no exposto, julgue os itens a seguir. (1) O princípio da continuidade aplica-se tanto à cessação integral quanto parcial das atividades de uma entidade, bem como em relação ao grau de utilização de suas instalações, com reflexos no nível de produção. 083) (PCF/UnB/CESPE-97) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Com base nesse assunto, julgue os itens a seguir. (1) A denominação princípio da continuidade, como também a entidade em marcha, ou going concern, é encontrada em muitos sistemas de normas no exterior e também na literatura contábil estrangeira. Embora tal principio também parta do pressuposto de que a entidade deva concretizar seus objetivos continuamente — o que nem sempre significa a geração de riqueza no sentido material —, não se fundamenta na idéia da entidade em movimento. 0 084) (INSS/CESPE-98) A Resolução CFC n. 750, de 29 de dezembro de 1993, estabeleceu os princípios fundamentais de contabilidade aplicáveis ás sociedades brasileiras. A respeito desse assunto, julgue os itens seguintes. 22

(1) Conforme o principio do registro pelo valor original, uma vez integrado ao patrimônio, o bem, o direito ou a obrigação não poderá ter alterado seu valor intrínseco, admitindo-se, tão-somente, sua decomposição em elementos e/ou sua agregação, parcial ou integral, a outros elementos patrimoniais. 085) (ANALISTA/JUD-CONTADOR-99) O Princípio da Continuidade objetiva afirmar que a Entidade a) é susceptível de descontinuidade. b) tem a composição de seu patrimônio afetada, na descontinuidade de suas atividades. c) tem seu patrimônio afetado, segundo as condições prováveis em que se possam desenvolver suas operações. d) pode ter a utilidade de alguns de seus ativos afetada, na suspensão de suas atividades. e) na sua aplicação, tem como situação-limite, a completa cessação de suas atividades. 086) (AFPS/CESPE-Unb/2001) A continuidade influencia o valor econômico dos ativos e, em, em muitos casos, o valor ou o vencimento dos passivos, especialmente quando a extinção da entidade tiver prazo determinado, previsto ou previsível. 087) (TCU/CESPE-1998) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e das teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. (1) Como resultado da observância do princípio da oportunidade, o registro deve ensejar o reconhecimento universal das variações ocorridas no patrimônio da entidade, em um período de tempo determinado, base necessária para gerar informações úteis ao processo decisório da gestão. 088) (PCF/UnB/CESPE-97) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Com base nesse assunto, julgue os itens a seguir. (1) Como resultado da observância do principio da oportunidade, o registro compreende os elementos quantitativos e qualitativos, referindo-se apenas aos aspectos monetários. 089) (INSS/CESPE-98) A Resolução CFC n. 750, de 29 de dezembro de 1993, estabeleceu os princípios fundamentais de contabilidade aplicáveis ás sociedades brasileiras. A respeito desse assunto, julgue os itens seguintes. (1) Como resultado da observância do princípio da oportunidade, o registro das variações patrimoniais não deve ser feito na hipótese de somente existir razoável certeza de sua ocorrência, mesmo que tecnicamente estimável. 090) (TEC/CEF/2000) Com relação aos princípios contábeis, julgue os itens a seguir. (1) O registro das variações patrimoniais, mesmo que tecnicamente estimável, deve ser feito apenas quando existir total certeza de sua ocorrência. 091) (PCF/UnB/CESPE-97) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Com base nesse assunto, julgue os itens a seguir. (1) Do princípio do registro pelo valor original, resulta que a avaliação dos componentes patrimoniais deve ser feita com base nos valores de entrada, considerando-se como tais os resultantes do consenso com os agentes externos ou da imposição destes. 092) (INSS/CESPE-98) A Resolução CFC n. 750, de 29 de dezembro de 1993, estabeleceu os princípios fundamentais de contabilidade aplicáveis ás sociedades brasileiras. A respeito desse assunto, julgue os itens seguintes. (1) A continuidade influencia o valor econômico dos ativos e, em muitos casos, o valor ou o vencimento dos passivos. 093) (TEC/CEF/2000) Com relação aos princípios contábeis, julgue os itens a seguir. (1) A avaliação dos componentes patrimoniais deve ser feita com base nos valores de saída, considerando-se como tais os resultantes do consenso com agentes externos ou que sejam impostos por estes.
0 0

23

094) Com relação aos princípios fundamentais de Contabilidade, assinale a alternativa incorreta. a) Pelo princípio da oportunidade deve-se contabilizar de imediato e de forma integral os fatos que estejam tecnicamente estimados, mesmo que exista somente razoável certeza de sua ocorrência. b) Os registros contábeis, pelo princípio da oportunidade, compreendem os elementos quantitativos e qualitativos, contemplando os aspectos físicos e monetários. c) A observância do princípio da oportunidade é indispensável à correta aplicação do princípio da competência. d) A continuidade influencia o valor econômico dos ativos e, em muitos casos, o valor ou o vencimento dos passivos, especialmente quando a entidade tem prazo determinado, previsto ou previsível ou em decorrência de passivo a descoberto. e) A análise de balanço, quando utilizados mais de um período, deve ter os efeitos externos (inflação por exemplo) eliminados, presenciando-se neste momento o princípio da atualização monetária. 095) (TCU/CESPE-1995) Os princípios fundamentais de Contabilidade estão consubstanciados na Resolução n.º 750, de 1993, do Conselho Federal de Contabilidade, que, posteriormente, editou um apêndice destinado a um maior esclarecimento de seu conteúdo e abrangência. Com base no exposto, julgue os itens a seguir. (1) A aplicação do princípio da atualização monetária possibilita a recomposição do valor original de todos os componentes patrimoniais das entidades, e de suas variações, por meio de índices específicos de preços. 096) Pelo princípio da competência as receitas devem ser reconhecidas: a) Pelo surgimento de um ativo em contrapartida de um passivo de igual valor. b) Pelo recebimento antecipado de clientes, por conta de entrega futura de bens e/ou serviços. c) Pelo recebimento, em doação, de uma máquina que vai ser utilizada na atividade fabril da empresa, mas que já se encontrava totalmente depreciada pela entidade doadora. d) Nas transações com terceiros, quando estes efetivarem o pagamento ou assumirem compromisso firme de efetivá-lo, quer pela investidura da propriedade de bens anteriormente pertencentes a entidade, quer pela fruição de serviços por eles prestados. e) Pela geração natural de novos passivos independentemente da intervenção de terceiros. 097) Ainda, com relação ao princípio da competência, julgue os itens abaixo e assinale a alternativa correta. a) A despesa considera-se ocorrida sempre que desaparecer um ativo. b) O surgimento natural de novos passivos é considerado como sendo uma despesa. c) Considera-se incorrida a despesa no recebimento de clientes, com desconto. d) Nas transações com terceiros, só se considera incorrida as despesas, no momento do pagamento. e) Sempre que se da algum desconto, mesmo que incondicional, considera-se incorrida uma despesa. 098) Julgue os itens abaixo e assinale a opção incorreta. a) O patrimônio é o conjunto de bens, direitos e obrigações. b) Quando uma empresa ganha uma receita, aumenta o seu ativo e o PL. c) A ocorrência de uma despesa acarreta a diminuição das disponibilidades. d) Entende-se como “receita diferida” uma receita recebida e ainda não ganha. e) O fato gerador de uma receita de serviço enquadra-se, normalmente, de maneira mais adequada, ao período da execução do serviço. 099) (TCU/ESAF-1999) Registrada em 25 de fevereiro de 1998, a "Firma Mento Ltda." funcionou normalmente até o fim do ano, contabilizando seus resultados sob a ótica do Regime Contábil de Caixa. Ao chegar a dezembro foi informada de que, para elaborar seus balanços, teria de observar o Regime Contábil da Competência de Exercícios, em obediência aos princípios contábeis e às determinações legais. O lucro do exercício de 1998 já estava contabilizado sob regime de caixa e computava os seguintes elementos: - Salários correspondentes aos meses de fevereiro a dezembro: R$ 3.960,00, faltando pagar apenas o mês de dezembro, no valor de R$ 360,00; - Seguros correspondentes aos meses de fevereiro de 1998 a janeiro de 1999, totalmente pago, à razão de R$ 80,00 por mês; - Serviços prestados durante todo o período, à razão de R$ 450,00 ao mês, inclusive fevereiro de 1998, faltando receber apenas o mês de dezembro/98; - Juros vencidos a favor da "Firma Mento", no valor de R$ 600,00, totalmente recebidos; - Impostos e taxas municipais no valor de R$ 400,00, já vencidos mas ainda não pagos; - Comissões recebidas em 1998 mas que se referem ao exercício de 1999, no valor de R$ 100,00. Ao fazer as correções de lançamentos para ajustar o lucro líquido ao regime de competência, a empresa, naturalmente, provocou alterações no valor contábil do resultado antes contabilizado. Essas alterações significaram: a) redução do lucro em R$ 330,00 c) aumento do lucro em R$ 310,00 e) aumento do lucro em R$ 1.030,00 b) redução do lucro em R$ 640,00 d) aumento do lucro em R$ 370,00 24

100) (TCU/CESPE-1998) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e das teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. (1) De acordo com o princípio da competência, considera-se realizada uma despesa quando da extinção, parcial ou total, de um passivo, qualquer que seja o motivo, sem o desaparecimento concomitante de um ativo de valor igual ou maior. 101) (TCU/CESPE-1998) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e das teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. (1) A receita de serviços deve sempre ser reconhecida de forma proporcional ao recebimento das parcelas contratuais. 102) (TCU/CESPE-1995) Os princípios fundamentais de Contabilidade estão consubstanciados na Resolução n.º 750, de 1993, do Conselho Federal de Contabilidade, que, posteriormente, editou um apêndice destinado a um maior esclarecimento de seu conteúdo e abrangência. Com base no exposto, julgue os itens a seguir. (1) Constitui receita, segundo o princípio da competência, o cancelamento de uma dívida originada em exercício anterior, que seria apurada no exercício corrente e provisionada em contrapartida a ajuste de exercícios anteriores. 103) (MPOG/ESAF/2000) Na aplicação dos Princípios Fundamentais de Contabilidade, é correto afirmar que: a) havendo completa cessação das atividades da entidade, os valores diferidos não poderão mais ser convertidos em despesas. b) as variações patrimoniais não são reconhecidas quando não há certeza definitiva de sua ocorrência. c) no recebimento de doação pela entidade, o registro deve ser feito pelo valor de mercado. d) a utilização da moeda do País nos registros contábeis assegura a representação de unidade constante de poder aquisitivo. e) a apropriação de receitas e despesas é vinculada ao recebimento de numerário ou ao desembolso de caixa. 104) (INSS/CESPE-97) De acordo com o princípio da competência, as receitas e as despesas devem ser incluídas na apuração do resultado do período em que ocorrerem, sempre simultaneamente quando se relacionarem, independentemente de recebimento e pagamento. Em conformidade com esse conceito, as receitas devem ser reconhecidas. (1) nas transações com terceiros, quando estes efetuarem o pagamento ou assumirem compromisso firme de efetivá-lo, que pela investidura da propriedade de bens anteriormente pertencentes à entidade, quer pela fruição de serviços por esta prestados. (2) quando da extinção, parcial ou total, de um ativo, qualquer que seja o motivo, sem desaparecimento concomitante de um passivo de valor igual ou menor. (3) ela geração natural de novos passivos, independentemente da intervenção de terceiros. (4) pelo recebimento efetivo de coações destinada à cobertura de despesas administrativas. (5) pelo recebimento antecipado de clientes, por conta de entrega futura de bens e/ou serviços. 105) (MIC/ESAF/98) O Chefe pediu ao Contador uma conciliação dos resultados do mês de março para saber se a firma andava com os pagamentos em dia. Na conciliação o Contador apurou que havia: • juros de fevereiro, pagos em março, no valor de R$ 1.000,00; • aluguel de março ainda não pago, no valor de R$ 2.000,00; • conta relativa ao consumo de energia elétrica em março, paga no mesmo mês, no valor de R$ 3.000,00; • aluguel relativo ao mês de abril, já pago antecipadamente no mês de março, no valor de R$ 4.000,00; • juros ganhos no mês de março, mas ainda não recebidos, no valor de R$ 4.000,00; • receitas recebidas em março, por serviços que só serão realizados no mês de abril, no valor de R$ 3.000,00; • juros relativos ao mês de março, recebidos no próprio mês, no valor de R$ 2.000,00; e • comissões ganhas em fevereiro mas recebidas apenas no mês de março, no valor de R$ 1.000,00. 25

O Contador fez o trabalho e informou ao Chefe que, de acordo com o Princípio Contábil da Competência, o resultado apurado no mês de março foi: a) um prejuízo de R$ 2.000,00 b) um prejuízo de R$ 1.000,00 c) um resultado nulo ou igual a zero d) um lucro de R$ 1.000,00 e) um lucro de R$ 2.000,00 106) (ESAF/AFC-STN-2000) Uma empresa que contabiliza suas operações pelo regime de caixa, quando as comparar com o princípio da competência, para fins de balanço, vai verificar que as despesas incorridas, mas não pagas no exercício, provocaram a) um passivo menor que o real e um lucro maior que o real b) um passivo maior que o real e um lucro menor que o real c) um ativo maior que o real e um lucro maior que o real d) um ativo maior que o real e um lucro menor que o real e) um ativo maior que o real e um passivo menor que o real 107) (AFTN/ESAF/98) A empresa Jasmim S/A, cujo exercício social coincide com o ano-calendário, pagou, em 30/04/97, o prêmio correspondente a uma apólice de seguro contra incêndio de suas instalações para viger no período de 01/05/97 a 30/04/98. O valor pago de R$ 30.000,00 foi contabilizado como despesa operacional do exercício de 1997. Observando o princípio contábil da competência, o lançamento de ajuste, feito em 31.12.1997, provocou, no resultado do exercício de 1998, uma {PRIVATE}a) majoração de R$ 10.000,00 b) redução de R$ 30.000,00 c) redução de R$ 20.000,00 d) majoração de R$ 20.000,00 e) redução de R$ 10.000,00 108) Assinale a opção com texto incorreto: a) O princípio da Prudência impõe a escolha da hipótese de que resulte menor patrimônio líquido, quando se apresentarem opções igualmente aceitáveis diante dos demais Princípios Fundamentais de Contabilidade b) O uso da moeda do País na tradução do valor dos componentes patrimoniais constitui imperativo de homogeneização quantitativa dos mesmos. c) O reconhecimento simultâneo das receitas e despesas, quando correlatas, é conseqüência natural do respeito ao período em que ocorrer sua geração d) O desaparecimento, parcial ou total, de um passivo, qualquer que seja o motivo, e o surgimento de um passivo, sem o correspondente ativo, considerando-se, respectivamente, despesa incorrida e receita realizada. e) A atualização monetária não representa nova avaliação, mas, tão-somente, o ajustamento dos valores originais para determinada data, mediante a aplicação de indexadores, ou outros elementos aptos a traduzir a variação do poder aquisitivo da moeda nacional em um dado período. 109) (TEC/CEF/2000) Com relação aos princípios contábeis, julgue os itens a seguir. (1) As receitas consideram-se realizadas nas transações com terceiros, quando estes efetuarem o pagamento ou assumirem o compromisso firme de efetivá-lo, quer pela investidura na propriedade de bens anteriormente pertencentes à entidade vendedora, quer pela fruição de serviços por esta prestados. 110) (TEC/CEF/2000) Com relação aos princípios contábeis, julgue os itens a seguir. (1) A despesa é considerada incorrida pelo surgimento de um passivo, sem o correspondente ativo. 111) (TRT-4ª/ANAL.JUD.-2001) É registro que caracteriza regime de competência, o relativo ao (A) da compra de mercadorias à vista. (B) do pagamento de duplicata pela compra de veículo a prazo. (C) da venda de mercadoria à vista. (D) do pagamento de uma despesa. (E) de uma despesa a pagar. 112) (Fiscal-Natal-RN-ESAF-2001) A firma Previdente S/A, em 01/08/01, contratou um seguro anual para cobertura de incêndio avaliada em R$ 300.000,00, com vigência a partir da assinatura do contrato. O exercício social da Previdente é coincidente com o ano calendário. O prêmio cobrado pela seguradora é 26

equivalente a 10% do valor da cobertura e foi pago em 31 de agosto de 2001. Em consonância com o princípio contábil da competência de exercícios, no balanço patrimonial de 31/12/01, a conta “Seguros a Vencer” constará com saldo atualizado de a) R$ 175.000,00 b) R$ 30.000,00 c) R$ 20.000,00 d) R$ 17.500,00 e) R$ 12.500,00 113) (MEMÓRIA/1999-SP) No término do exercício social, uma empresa prestadora de serviços observou que havia alguns serviços prestados a clientes que não estavam ainda faturados. Em obediência ao princípio da Competência, registrou contabilmente o fato mediante o seguinte lançamento: a) Clientes Diversos a Serviços a Faturar b) Serviços a Faturar a Receita Antecipada de Serviços c) Serviços a Faturar a Receita de Serviços d) Clientes Diversos a Receita Antecipada de Serviços e) n.d.a. 114) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Assinale a opção com texto incorreto: a) O princípio da Prudência impõe a escolha da hipótese de que resulte menor patrimônio líquido, quando se apresentarem opções igualmente aceitáveis diante dos demais Princípios Fundamentais de Contabilidade b) O uso da moeda do País na tradução do valor dos componentes patrimoniais constitui imperativo de homogeneização quantitativa dos mesmos. c) O reconhecimento simultâneo das receitas e despesas, quando correlatas, é conseqüência natural do respeito ao período em que ocorrer sua geração d) O desaparecimento, parcial ou total, de um passivo, qualquer que seja o motivo, e o surgimento de um passivo, sem o correspondente ativo, considerando-se, respectivamente, despesa incorrida e receita realizada. e) A atualização monetária não representa nova avaliação, mas, tão-somente, o ajustamento dos valores originais para determinada data, mediante a aplicação de indexadores, ou outros elementos aptos a traduzir a variação do poder aquisitivo da moeda nacional em um dado período. 115) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) No término do exercício social, uma empresa prestadora de serviços observou que havia alguns serviços prestados a clientes que não estavam ainda faturados. Em obediência ao princípio da Competência, registrou contabilmente o fato mediante o seguinte lançamento: a) Clientes Diversos a Serviços a Faturar b) Serviços a Faturar a Receita Antecipada de Serviços c) Receita Antecipada de Serviços a Receita de Serviços d) Clientes Diversos a Receita Antecipada de Serviços e) Serviços a Faturar a Receita de Serviços 116) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - O pagamento de salários do mês de dezembro de 1992, feito em cheque, em 05.01.93, foi registrado mediante o seguinte lançamento (exercício social: 01.01 a 31/12): a) Despesas de Salários a Salários a Pagar b) Salários a Pagar a Despesas de Salários c) Salários a Pagar a Bancos d) Despesas de Salários a Bancos e) Bancos a Salários a Pagar 117) (AGERS/RS/98) Para uma empresa com exercício social igual ao ano civil e ciclo operacional de até 12 meses, uma compra feita no dia 10.12.X0, com vencimento para 15.12.X1 (prazo superior a um ano), sendo paga somente em 10.01.X2, será classificada nos balanços de 31.12.X0 e 31.12.X1, respectivamente, como: a) PELP e PC b) PC e PELP c) PC e PC d) PELP e PELP e) Resultados de exercícios futuros e PELP.

27

119) (ESAF-CVM/2001) A Companhia de Reparos S.A. tem exercício social coincidente com o ano civil. Em dezembro de 2000 prestou serviços a uma indústria (conserto de máquinas), cobrando-lhe R$ 10.000,00, dos quais recebeu, contra recibo, dez por cento. Em janeiro de 2001 faturou o restante, dividindo o pagamento em 18 parcelas mensais e sucessivas de igual valor, vencendo a primeira delas em 31.01.01. De acordo com a Lei no 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações) a Companhia deve assim apropriar a receita a) R$ 10.000,00 em 2000 b) R$ 1.000,00 em 2000 e R$ 9.000,00 em 2001 c) R$ 10.000,00 em 2001 d) R$ 1.000,00 em 2000; R$ 6.000,00 em 2001 e R$ 3.000,00 em 2002 e) R$ 7.000,00 em 2001 e R$ 3.000,00 em 2002 120) A escrituração, as Demonstrações financeiras ou contábeis, a auditoria e a análise de balanço são técnicas contábeis e dentre elas a auditoria e a análise de balanço são também especializações da Contabilidade. A Contabilidade se resume, basicamente, naquelas quatro técnicas, no entanto, para que as técnicas sejam corretamente aplicadas, há de se observar os princípios fundamentais de Contabilidade, e neste particular, assinale a assertiva correta. a) Todos os custos relacionados à venda no período de apuração do resultado devem ser classificados como despesa operacional quando decorrerem de operações normais da entidade, o que satisfaz plenamente aos princípios da competência, oportunidade e prudência. b) O registro pelo valor original é imperativo à correta contabilização, decorre do fato que não pode haver nenhuma alteração desses valores, sendo portanto incompatíveis entre si o princípio do registro pelo valor original e o princípio da prudência. c) Pelo princípio da prudência deve-se classificar como despesa os custos de aquisição de imobilizado, de valor médio, que seja utilizado em somente três exercícios sociais, para diminuir a carga tributária de imediato, diminuindo, conseqüentemente, o PL. d) O princípio da continuidade tem relevância fundamental na Contabilidade e toda sua essência esta na distribuição de lucros ou não aos diretores. e) Pelo princípio da prudência devemos contabilizar os estoques pelo valor de realização, isto é, com o percentual de lucro embutido no preço de venda, quando estas estivem com razoável certeza. 121) Marque certo (C) ou errado (E), conforme o caso. (1) A Contabilidade preocupa-se com fatos economicamente valorizáveis. (2) Pelo princípio da prudência, deve-se registrar, dentre duas situações igualmente válidas, a que resultar no menor PL. (3) Em decorrência do princípio da competência, considera-se receita do exercício social atual o recebimento de aluguéis adiantados. (4) Uma empresa que possui um passivo maior que o ativo não possui patrimônio. (5) O patrimônio de uma entidade filantrópica não carece de contabilização, pois não possui proprietários, nem sócios. 122) Assinale a incorreta. a) A Contabilidade utiliza-se de meios para atingir sua finalidade. Como técnicas contábeis podemos citar: escrituração, demonstrações financeiras ou contábeis, auditoria e análise de balanço. b) Princípios contábeis são preceitos fundamentais em que se baseiam a doutrina e a técnica contábil. c) Os estoques devem ser avaliados pelo custo ou mercado, dos dois o menor. A afirmação satisfaz o princípio da prudência. d) Uma empresa tem em estoque determinada mercadoria cujo custo de aquisição é de R$ 450,00. O seu valor de mercado, à data do balanço, é de R$ 380,00. O responsável pela Contabilidade resolveu, conhecedor dos princípios de Contabilidade que é e baseado no princípio da prudência, registrar uma provisão de R$ 70,00 para ajustar ao valor de mercado. e) Os princípios fundamentais de Contabilidade vigentes no Brasil, que são em número de sete, a saber: o da entidade; o da continuidade; o da oportunidade; o do registro pelo valor original; o da atualização monetária; o da competência e o da prudência, estão legalmente formalizados por lei federal elaborada pelo Conselho Federal de Contabilidade. 123) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Com base nesse assunto, julgue os itens a seguir. 28

O patrimônio pertence à entidade, mas a reciproca não é verdadeira. a soma ou agregação contábil de patrimônios autônomos não resulta em nova entidade, mas em uma unidade de natureza econômico-contábil. Como resultado da observância do princípio da oportunidade, o registro compreende os elementos quantitativos e qualitativos, referindo-se apenas aos aspectos monetários. Do princípio do registro pelo valor original, resulta que a avaliação dos componentes patrimoniais deve ser feita com base nos valores de entrada, considerando-se como tais os resultantes do consenso com os agentes externos ou da imposição destes. O princípio da prudência impõe a escolha da hipótese da qual resulte maior patrimônio líquido, quando se apresentarem opções igualmente aceitáveis diante dos demais princípios fundamentais de contabilidade. A denominação princípio da continuidade, como também a entidade em marcha, ou going concern, é encontrada em muitos sistemas de normas no exterior e também na literatura contábil estrangeira. Embora tal princípio também parta do pressuposto de que a entidade deva concretizar seus objetivos continuamente - o que nem sempre significa a geração de riqueza no sentido material -, não se fundamenta na idéia da entidade em movimento. 124) Pagamento de salários em 05 de outubro, relativo ao mês de setembro é: um fato permutativo em observância ao princípio da competência um fato modificativo quando usado o regime de caixa um fato misto, pois envolve o regime de competência e o regime de caixa um fato que está em desacordo com os princípios contábeis um fato diminutivo do PL pela correta aplicação do princípio da Prudência 125) Acerca do princípios de Contabilidade, julgue os itens seguintes: A autonomia da entidade é o pressuposto principal do princípio da Entidade A data da ocorrência do fato gerador de uma venda deve ser considerada como a data da ocorrência da receita e despesa, mesmo que o comprador seja um caloteiro e não paga as prestações , caso a venda seja a prazo A constituição de provisão para ajuste ao valor de mercado é prática correta pela observância do princípio da Prudência Ações em tesouraria são contas devedoras, que figuram no passivo, retificando o mesmo Dividendos a pagar é uma correta aplicação do princípio da competência, e deve ser classificada no passivo circulante por representar uma obrigação da Companhia para com os acionistas da mesma. 126) (TCU/CESPE-1998) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e das teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. (1) A aplicação do princípio da prudência ganha ênfase quando, para definição dos valores relativos às variações patrimoniais, devam ser feitas estimativas que envolvam incertezas de grau variável. 127) (TCU/CESPE-1996) De acordo com a Resolução CFC n.º 750, de 29 de dezembro de 1993, é considerado princípio de Contabilidade o princípio (1) da entidade. (2) da objetividade. (3) da oportunidade. (4) da materialidade. (5) do registro pelo valor original. 128) (PCF/UnB/CESPE-97) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Com base nesse assunto, julgue os itens a seguir. (1) O principio da prudência impõe a escolha da hipótese da qual resulte maior patrimônio líquido, quando se apresentarem opções igualmente aceitáveis diante dos demais princípios fundamentais de contabilidade. 29

129) (INSS/CESPE-97) O princípio da prudência determina a adoção do menor valor para os componentes do ativo e do maior para os do passivo, sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o patrimônio líquido. Em consonância com esse princípio, (1) os custos devem ser considerados como despesa no período em que ficar caracterizada a impossibilidade de eles contribuírem para a realização dos objetivos operacionais da entidade. (2) todos os custos relacionados à venda no período de apuração do resultado devem ser classificados como despesa. (3) os encargos financeiros decorrentes do financiamento de ativos de longa maturação devem ser ativados no período pré-operacional, com amortização a partir do momento em que o ativo entrar em operação. (4) os custos relevantes de aquisição de ativo imobilizado são suscetíveis de apropriação para despesa, visando reduzir a carga tributária. (5) é passível de contabilização como ativo o direito relativo a questão judicial, com possibilidade apenas remota de ganho. 130) (MIC/ESAF/98) A Minha Empresa mantém em estoque 800 unidades de mercadorias avaliadas em R$ 10.000,00, sendo R$ 4.000,00 relativos à mercadoria tipo "A", que tem custo unitário de R$ 10,00 e R$ 6.000,00 correspondentes à mercadoria tipo "B", cujo custo unitário é de R$ 15,00. No último dia do exercício social o custo de mercado dessas mercadorias estava cotado a R$ 12,00, tanto para o tipo "A" como para o tipo "B".O Contador, cumprindo as determinações da Lei 6.404/76 e em obediência ao Princípio Contábil da Prudência, deve apresentar no balanço patrimonial a)Mercadorias (-) Provisão para Ajuste de Estoque R$ 10.000,00(R$ 400,00) b)Mercadorias(-) Provisão para Ajuste de Estoque R$ 10.000,00(R$ 1.200,00) c)Mercadorias (-) Provisão para Ajuste de Estoque R$ 10.000,00(R$ 2.400,00) d)Mercadorias R$ 9.600,00 e)Mercadorias R$ 8.800,00 131) (TEC/CEF/2000) Com relação aos princípios contábeis, julgue os itens a seguir. (1) O princípio da prudência impõe a escolha da hipótese da qual resulte maior patrimônio líquido, quando se apresentarem opções igualmente aceitáveis diante dos demais princípios fundamentais de contabilidade. 132) (AFTN/ESAF/96) Os efeitos no resultado do exercício decorrentes da mudança de critérios de avaliação dos estoques devem constar das notas explicativas. Este procedimento contábil está de acordo com o princípio contábil da (do) a) prudência b) evidenciação c) custo histórico como base de valor d) continuidade e) confrontação 133) (AF-CE-ESAF-98) Em 15.12.97, um auditor tributário lavrou auto de infração contra uma sociedade anônima, por falta de recolhimento do Imposto sobre Serviços (ISS), notificando-a a recolher a importância de R$ 15.000,00, até o dia 15 de janeiro de 1998. Em 20.12.97, a empresa impugnou parcialmente o ato, discutindo o valor de R$ 5.000,00 e concordando em recolher o restante na data aprazada. Sabendo que a empresa adota em sua escrituração os princípios da Competência e da Prudência, indique o procedimento correto para registrar o fato, por ocasião do levantamento do balanço patrimonial, em 31.12.97. a) Não efetuar nenhum lançamento contábil, consignando o fato apenas em nota explicativa. b) Lançar como despesa do exercício findo o valor total do auto de infração c) Constituir reserva para contingências no valor de R$ 15.000,00. d) Lançar como despesa do exercício findo o valor de R$ 10.000,00 e fazer provisão para contingências no valor de R$ 5.000,00. e) Lançar como despesa do exercício findo o valor de R$ 10.000,00 e constituir reserva para contingências no valor de R$ 5.000,00. 134) (BACEN/CESPE/97) O princípio da prudência determina a adoção do menor valor para os componentes do ativo, e do maior, para os do passivo, sempre que se apresentem opções igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o patrimônio líquido. Com base nessa afirmação, julgue os itens abaixo. A Contabilidade deve manter um comportamento prudente e reconhecer as despesas mesmo antes que surja o fato gerador, sempre que se puder prever um acréscimo do passivo. O Princípio da prudência impõe a escolha da hipótese da qual resulte um menor patrimônio líquido, quando se apresentarem opções igualmente aceitáveis diante dos demais princípios fundamentais da Contabilidade. O princípio da prudência somente se aplica às mutações posteriores, constituindo ordenamento indispensável à correta aplicação do princípio da competência. 30

A aplicação do princípio da prudência ganha ênfase quando, para a definição dos valores relativos às variações patrimoniais, devam ser feitas estimativas que envolvam incertezas de grau variável. O princípio da prudência é perfeitamente coerente com o registro no ativo de depósitos judiciais relativos a processos cuja probabilidade de sucesso é remota, sem que haja lançamento de provisão para contingência correspondente no passivo. 135) Marque a opção incorreta. a) O pagamento antecipado de aluguel deve ser registrado como despesa no exercício social do efetivo pagamento pela correta observância do princípio da prudência. b) O fato de um AFRF ou um AFPS vasculhar ou devassar a Contabilidade de uma empresa, não fere o princípio da entidade. c) O fato de uma empresa, que trabalha com vendedores externos, adiantar a estes certa quantia para prováveis despesas de viagem, não contabilizar esses valores como despesa no ato do adiantamento, não estará infringindo o princípio da prudência. d) A provisão do imposto de renda é uma decorrência do princípio da competência. e) O rédito deve ser apurado, pelo menos, ao final de cada exercício social, devendo este ser feito com a extensão correta dos fatos efetivamente ocorridos naquele período. 136) (TÉC-CONTR-INTERNO) Devemos adotar o Princípio da Prudência sempre que se apresentem opções igualmente válidas para quantificação das mutações patrimoniais que alterem o Patrimônio Líquido. A adoção deste princípio tem por objetivo a) não proporcionar variação no patrimônio líquido b) representar o ativo pelo maior valor c) proporcionar menor valor para o resultado d) representar o passivo pelo menor valor e) proporcionar maior valor no resultado do exercício 137) (MEMÓRIA/1999-SP) São Princípios Fundamentais de Contabilidade, reconhecidos pelas Normas Brasileiras de Contabilidade: I - o da ENTIDADE; II - o da CONTINUIDADE; III - o da OPORTUNIDADE; IV - o do REGISTRO PELO VALOR ORIGINAL; V - o da ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA; VI - o da COMPETÊNCIA e VII - o da PRUDÊNCIA. a) As afirmativas I e II estão corretas b) As afirmativas I,II,III estão corretas c) As afirmativas IV , V ,VI, e VII estão corretas d) Todas as opções estão corretas e) n.d.a. 138) (ESAF/TTN-1994/matutino) Assinale a opção com afirmativa incorreta. a) Lançamento de complementação é aquele que vem posteriormente, complementar, aumentando ou reduzindo, o valor anteriormente registrado. b) O critério de maior valor para os itens do ativo e da receita e o de menor valor para os itens do passivo e despesa, com os efeitos correspondentes no Patrimônio Liquido. serão adotados para registro, diante de opções na escolha de valores. c) São elementos essenciais do lançamento: local e data, conta debitada, conta creditada, histórico e valor. d) O estorno consiste em lançamento inverso àquele feito erroneamente, anulando-o totalmente. e) Lançamento de transferência é aquele que promove a regularização de conta indevidamente debitada ou creditada, através da transposição do valor para a conta adequada. 139) (INSS/CESPE-98) A Resolução CFC n. 750, de 29 de dezembro de 1993, estabeleceu os princípios fundamentais de contabilidade aplicáveis ás sociedades brasileiras. A respeito desse assunto, julgue os itens seguintes. (1) Na aplicação dos princípios fundamentais de contabilidade a situações concretas, a essência das transações deve prevalecer sobre seus aspectos formais. (2) Como resultado da observância do princípio da oportunidade, o registro das variações patrimoniais 31
0

não deve ser feito na hipótese de somente existir razoável certeza de sua ocorrência, mesmo que tecnicamente estimável. (3) A continuidade influencia o valor econômico dos ativos e, em muitos casos, o valor ou o vencimento dos passivos. (4) Conforme o principio do registro pelo valor original, uma vez integrado ao patrimônio, o bem, o direito ou a obrigação não poderá ter alterado seu valor intrínseco, admitindo-se, tão-somente, sua decomposição em elementos e/ou sua agregação, parcial ou integral, a outros elementos patrimoniais. (5) O princípio da prudência não se aplica somente às mutações posteriores. 140) (CESPE/TCU-1995) Os princípios fundamentais de Contabilidade estão consubstanciados na Resolução n.º 750, de 1993, do Conselho Federal de Contabilidade, que, posteriormente, editou um apêndice destinado a um maior esclarecimento de seu conteúdo e abrangência. Com base no exposto, julgue os itens a seguir. (1) Os princípios, ao contrário das normas, devido à diversidade das entidades e à evolução contínua do ambiente econômico, são adotados segundo as concepções teórico-doutrinárias dos profissionais da Contabilidade. (2) A existência de duas entidades sob controle comum, ainda que consolidem suas demonstrações contábeis, não afeta o princípio da entidade, mantendo-se as respectivas autonomias patrimoniais. (3) O princípio da continuidade aplica-se tanto à cessação integral quanto parcial das atividades de uma entidade, bem como em relação ao grau de utilização de suas instalações, com reflexos no nível de produção. (4) A aplicação do princípio da atualização monetária possibilita a recomposição do valor original de todos os componentes patrimoniais das entidades, e de suas variações, por meio de índices específicos de preços. (5) Constitui receita, segundo o princípio da competência, o cancelamento de uma dívida originada em exercício anterior, que seria apurada no exercício corrente e provisionada em contrapartida a ajuste de exercícios anteriores. 141) (CESPE/TCU-1998) Os princípios fundamentais de contabilidade representam a essência das doutrinas e das teorias relativas à ciência da contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional brasileiros. Concernem, pois, à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das entidades. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. (1) De acordo com o princípio da competência, considera-se realizada uma despesa quando da extinção, parcial ou total, de um passivo, qualquer que seja o motivo, sem o desaparecimento concomitante de um ativo de valor igual ou maior. (2) A aplicação do princípio da prudência ganha ênfase quando, para definição dos valores relativos às variações patrimoniais, devam ser feitas estimativas que envolvam incertezas de grau variável. (3) Como resultado da observância do princípio da oportunidade, o registro deve ensejar o reconhecimento universal das variações ocorridas no patrimônio da entidade, em um período de tempo determinado, base necessária para gerar informações úteis ao processo decisório da gestão. (4) A receita de serviços deve sempre ser reconhecida de forma proporcional ao recebimento das parcelas contratuais. (5) A suspensão das atividades de uma entidade pode provocar efeitos na utilidade de determinados ativos, com a perda, até mesmo integral, de seu valor. GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 072- B 082- C 092- C 102- E 111- E 073- C 083- C 093- E 103- C 112- D 074-EC 084- C 094- D 113- C 122- E 128- E 135- A 075- C 085- C 095- E 114- D 076- C 086- C 096- C 105- D 115- E 077- A 087- C 097- C 106- A 116- C 130- B 138- B 078- C 088- E 098- C 107- E 117- C 131- E 079- D 089- E 099- A 108- D 118- C 080- B 090- E 100- E 109- C 119- A 081- C 091- C 101- E 110- C 120- A 126- C 133- E

104- C E E C E

121- C C E E E 127- C E C E C 134- E C C C E 141- E C C E C

123- C E C E C 129- C C C E E 136- C 137- D

124- C C E E E

125- C C C C C 132- B* NULA

139- C E C C E

140- E C C E E

32

III - O ESTUDO DO CAPITAL 142) (ESAF/TTN-1994/matutino) - Empresa: Cia. Industrial Camilinha - Capital Social em 30/06/92: Reserva da Correção Monetária do Capital Social em 30/06/92: - Reserva de Lucro Suspenso em 30/06/92: - Aumento do Capital Social em 30/11/92: 1) Em moeda corrente: 2) Com Reserva da Correção Monetária do Capital Social: 3) Com Reserva de Lucro Suspenso: 0bs.: As reservas incorporadas ao capital social estavam atualizadas até a data do evento. - Valores da UFIR diária (hipotéticos) em 30/06/92: em 30/11/92: em 31/12/92: Cr$ 24,00 Cr$ 60,00 Cr$ 80,00 Periodicidade: Mensal

Cr$ 2.400,00 7.200,00 4.800,00 24.000,00 21.600,00 12.000,00

- Registro Contábil da Correção Monetária do Balanço - Periodicidade dos balanços em 1992: Semestral

Após a contabilização em 30/11/92 do aumento do capital social, a conta Reserva da Correção Monetária do Capital Social apresentou, na mesma data, o seguinte saldo: a) zero b) Cr$ 18.000,00 c) CR$ 14.400,00 d) Cr$ 16.800,00 e) Cr$ 2.400,00 143) (ESAF/TTN-1994/matutino) - Empresa: Cia. Industrial Camilinha Cr$ - Capital Social em 30/06/92: 2.400,00 - Reserva da Correção Monetária do Capital Social em 30/06/92: 7.200,00 - Reserva de Lucro Suspenso em 30/06/92: 4.800,00 - Aumento do Capital Social em 30/11/92: 1) Em moeda corrente: 24.000,00 2) Com Reserva da Correção Monetária do Capital Social: 21.600,00 3) Com Reserva de Lucro Suspenso: 12.000,00 0bs.: As reservas incorporadas ao capital social estavam atualizadas até a data do evento. - Valores da UFIR diária (hipotéticos) em 30/06/92: Cr$ 24,00 em 30/11/92: Cr$ 60,00 em 31/12/92: Cr$ 80,00 - Registro Contábil da Correção Monetária do Balanço Periodicidade: Mensal - Periodicidade dos balanços em 1992: Semestral No período de 01/11/92 a 31/12/92 não houve aumento ou redução do capital social da Cia. Industrial Camilinha e, em decorrência, o saldo da conta Reserva da Correção Monetária do Capital Social, em 31/12/92, importou em a) Cr$ 22.400.00 b) Cr$ 12.800.00 c) Cr$ 32.000.00 d) Cr$ 8.000.00 e) Cr$ 20.000.00 144) (ICMS/MS/2000) A empresa Concursus Ltda. efetuou um débito no total de R$ 100,00 em uma conta de ativo. Simultaneamente registrou um crédito de igual montante em uma conta do patrimônio líquido. Assinale, dentre as alternativas abaixo, aquela que melhor representa essa transação : a) Venda de um imóvel. b) Aquisição de um veículo por meio de operação de leasing. c) Financiamento a curto prazo. d) Aumento do capital social com integralização de numerário. 33

145) (MEMÓRIA/1999-SP) É correto afirmar que os recursos investidos pelos proprietários, serão classificadas no seguinte grupo: a) passivo circulante; b) passivo exigível a longo prazo; c) resultados de exercícios futuros; d) patrimônio líquido; e) n.d.a. 147) Com relação ao o que se pode afirmar sobre capital, julgue os seguintes itens É o conjunto de bens e direitos aplicados no ativo, tratando-se no caso de capital total à disposição da entidade. Capital social é o mesmo que capital nominal menos capital a integralizar O capital de terceiros mais o capital próprio é igual ao somatório das origens de recursos e este por sua vez é igual ao total das aplicações Capital social representa o montante de recursos colocado a disposição da entidade, pelos sócios, e em certos casos, acrescido do produto da gestão formalmente a ele incorporados. Capital subscrito é aquele pelo qual os sócios ou acionistas se comprometem com a entidade, sendo responsabilidade dos mesmos a sua integralização. 148) (INSS/CESPE-97) No balanço patrimonial, a diferença entre o valor dos ativos e dos passivos e o resultado de exercícios futuros representa o patrimônio líquido que é o valor contábil pertencente aos acionistas ou sócios. De acordo com a Lei n.º 6.404/76, o patrimônio líquido pode incluir 1. capital social, que representa valore recebidos pela empresa ou valores por ela gerados que estão formalmente incorporados ao capital social. 2. reservas de capital, que representam valores recebidos, inexigíveis e que não transitam por contas de resultado. 3. provisões para contingências, representando prováveis compromissos futuros, de fatos contábeis ocorridos. 4. reservas de lucros, representando lucros obtidos pela empresa e retidos com finalidade específicas. 5. estoques de ouro, representando as reservas reais da empresa para garantir ou lastrear os títulos emitidos e adquiridos no mercado de valores mobiliários.

149) (AFPS/CESPE-Unb/2001) O aumento do capital social com reservas de capital, sem emissão de novas ações, dá-se com um lançamento à crédito das reservas de capital a serem utilizadas, em contrapartida de um débito na conta de capital social. 150) (Unb/CESPE-STM-99) No balanço patrimonial de uma sociedade por ações, a conta do capital social discriminará, entre os elementos do patrimônio líquido, o montante a) das disponibilidades. b) das reservas de capital. c) subscrito e, por dedução, a parcela ainda não-realizada. d) de ações emitidas. e) subscrito apenas pelo acionista controlador. 151) “A” e “B” constituíram a empresa comercial A & B Ltda., com capital de R$ 20.000,00, dividido em parte iguais. “A” integralizou em dinheiro R$ 5.000,00 e “B” integralizou em imóveis a totalidade do capital por ele subscrito. Depois dessas operações, o Capital social realizado, o Capital de Terceiros e o Capital Próprio da empresa tinham, respectivamente, os valores de R$: a) 20.000,00 15.000,00 5.000,00 b) 20.000,00 ZERO 20.000,00 c) 15.000,00 ZERO 15.000,00 d) 15.000,00 15.000,00 ZERO e) 20.000,00 5.000,00 15.000,00 152) (TRT-4ª/ANAL.JUD.-2001) O capital subscrito e realizado pelo titular, sócio ou acionista é considerado capital próprio em virtude do princípio ou convenção (A) do conservadorismo. (B) da continuidade. (C) da entidade. (D) da realização das receitas. 34

(E) da objetividade. 153) (ICMS/MS/2000) A empresa Firma Ltda. tem registrado, na conta Lucros Acumulados, o montante de R$ 10.000,00, e na conta Capital Social, a cifra de R$ 100.000,00. Em 3 de janeiro de 2000 foi decidido um aumento da conta Capital Social, mediante a utilização do total contabilizado na conta Lucros Acumulados. Assinale a alternativa abaixo que melhor reflete essa operação : a) Somente diminuição do patrimônio líquido. b) Aumento do passivo e/ou diminuição do ativo. c) Não há nem aumento, nem diminuição no patrimônio líquido. d) Somente aumento do patrimônio líquido. 154) Marque a opção incorreta. a) O capital a disposição da empresa engloba o capital próprio e o capital de terceiros, esses capitais estão totalmente aplicados no ativo. b) A compra de mercadorias a prazo gera, pelo método das partidas dobradas, o registro contábil de duas contas: uma é o estoque de mercadorias e a outra, fornecedores ou duplicatas a pagar. Esta representa um débito de funcionamento. c) A nota promissória representa uma obrigação que não possui nenhuma vinculação ao seu fato gerador, e constitui obrigação de quem a emite. d) A duplicata mercantil tem como característica a sua vinculação ao fato gerador, e representa um direito de quem a emite. e) O recebimento de clientes, em cheques pré-datados, deve ser classificado como direitos, pela observância das normas societárias e legais, bem como ao princípio da competência e da prudência. 155) Capital e Capital a Realizar são contas do Patrimônio Líquido. Em relação a elas é correto afirmar: a) ambas possuem saldo devedor b) ambas possuem saldo credor c) a primeira tem saldo credor e a segunda, devedor d) a primeira tem saldo devedor e a segunda, credor e) a primeira é retificadora da segunda 156) (TRF/ESAF/2000) Se determinada empresa decide aumentar o próprio capital com o aproveitamento das reservas existentes, terá que contabilizar esse fato administrativo da forma seguinte: a) Capital Social a Reservas b) Capital a Integralizar a Reservas c) Capital a Integralizar a Capital Social d) Reservas a Capital Social e) Reservas a Capital a Integralizar 157) (TÉC-CONTR-INTERNO) O balancete de verificação da Cia Delta apresentava a seguinte posição em reais: {PRIVATE}Contas Saldo 30.11.t1 Saldo 01.12.t1 Máquinas 8.500,00 8.500,00 Caixa 18.000,00 18.000,00 Receita Serviços 48.700,00 58.700,00 Capital 80.000,00 130.000,00 Depreciação Acumulada 1.700,00 1.700,00 Serviços de Terceiros 6.300,00 6.300,00 Lucros / Prejuízos Acumulados 14.200,00 Material Consumo (estoque) 15.000,00 15.000,00 Terrenos 30.000,00 30.000,00 Bancos C/Mov. 62.300,00 62.300,00 Reservas de Lucro 7.000,00 Contas a Pagar 9.700,00 9.700,00 Custos dos Serviços 21.200,00 21.200,00 Clientes 10.000,00 Veículos 28.800,00 A estrutura de capital da empresa foi alterada. Os novos recursos investidos na estrutura patrimonial pelos sócios foram de a) R$ 21.200,00 b) R$ 28.800,00 c) R$ 38.800,00 d) R$ 50.000,00 35

e) R$ 60.000,00 158) Considerando: CP = Capital Próprio; CTe = Capital de Terceiros; CN = Capital Nominal ; CTO = Capital Total à disposição da empresa; PL = Patrimônio Líquido; SLp = Situação Líquida positiva e A = Ativo, podese afirmar que CTO é igual a: a) CP + CTe = SLp; b) A + CTe; c) CP + CTe; d) A (-) SLP; e) CP + CTe + CN. 159) (TÉC-CONTR-INTERNO) A estrutura de capital da empresa Alagoas é representada por capital próprio mais passivo real. O volume de capital próprio excedeu ao investimento no ativo fixo no ANO II. Ao se admitir que não ocorreu no ativo fixo nenhuma modificação e que o capital circulante próprio passou a ser positivo no ANO II, poderemos justificar esse fato em função a) do lucro no exercício/ prêmio na emissão de debêntures/distribuição de dividendos b) da reavaliação do ativo/ subscrição e integralização de capital/redução por distribuição de dividendos c) do resultado positivo no exercício/ redução por distribuição de dividendos/doação e subvenções para investimentos recebidos d) da reavaliação do ativo/ subscrição e integralização de capital/prejuízo do exercício e) do lucro no exercício/ subscrição e integralização de capital/ prêmio recebido na emissão de debêntures

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 142- A 149- E 159- E 143- E 150- C 144- D 151- C 145- D 152- C 146- C E E C C 153- C 154- E 147- C E C C C 155- C 156- D 148- C C E C E 157- B 158- C

36

IV - A EQUAÇÃO PATRIMONIAL 160) Marque a opção incorreta. a) A ocorrência de despesas acarreta, em tese, redução de PL. b) A ocorrência de receita acarreta, em tese, aumento de PL. c) Situação líquida significa patrimônio líquido. d) O patrimônio é o conjunto de bens, direitos e obrigações. e) todas estão incorretas. 161) Assinale a alternativa incorreta. a) Não devemos registrar como ativo o direito relativo a questão judicial, com possibilidade apenas remota de ganho, em função do princípio da Prudência. b) Pelo mesmo princípio do item anterior, devemos registrar as obrigações relativas a questões judiciais, com valor estimado de perda, como provisão. c) Vendas a prazo normais, para diretores, devem ser registradas no circulante se se vencerem até o final do exercício seguinte. d) Numa empresa individual, os empréstimos e retiradas de seu patrimônio não precisam ser discriminados na Contabilidade por tratar-se de unicidade de pessoas. e) Numa sociedade comercial, com quatro sócios, os empréstimos que estes usufruírem da sociedade, mesmo que os mesmos vençam em um mês, ou até mesmo no dia seguinte, devem ser, sempre, classificados no longo prazo. 162) Assinale a incorreta. a) Os investimentos efetuados pelos proprietários em troca de ações, quotas e outras participações são fontes de PL. b) Definimos patrimônio Líquido, situação líquida ou capital próprio como sendo a diferença entre o valor do ativo e do passivo de uma entidade, em determinado momento e circunstância. c) Os lucros acumulados na entidade são fontes (adicionais) de financiamento. d) O capital de terceiros corresponde aos investimentos feitos na empresa, com recursos proveniente de terceiros. e) Capital nominal é a mesma coisa que capital próprio. 163) Num balanço patrimonial, o capital próprio da empresa é representado pelo saldo: a) do grupo de contas do Patrimônio Líquido b) do grupo de contas do Ativo c) da conta Caixa d) das contas Caixa e Bancos - C/Movimento e) da conta Capital 164) Haverá passivo a descoberto, se o Passivo Exigível for: a) menor do que o Patrimônio Líquido b) maior do que o Patrimônio Líquido c) menor do que o Ativo d) maior do que o Ativo e) maior do que o Ativo Circulante 165) Se o Passivo Exigível de uma empresa é de R$ 19.650,00 e o Patrimônio Líquido de R$ 9.850,00, o valor do seu Capital Próprio será de: a) R$ 29.500,00 b) ZERO c) R$ 9.800,00 d) R$ 9.850,00 e) R$ 19.650,00 166) Um examinador, ao preparar uma questão para prova, não se deu conta de que colocara alternativas que, embora diferentemente redigidas, tinham a mesma significação conceitual. A questão estava assim formulada: Surge o Passivo a Descoberto quando: 1) o valor do Ativo excede o valor do Passivo; 2) o valor do Passivo é menor que o valor do Ativo; 3) o valor do Ativo é menor que o valor do Passivo; 4) os bens e direitos superam as obrigações; 5) a Situação Líquida tem valor negativo. As alternativas com significação idêntica, são as de n.º.: a) 1/2/4 e 3/5; 37

b) 1/3 e 2/5; c) 1/2/3 e 4/5; d) 1/2 e 4/5; e) 1/3/5 e 2/4. 167) (ESAF/AFRF-2001) José Henrique resolveu medir contabilmente um dia de sua vida começando do “nada” patrimonial. De manhã cedo nada tinha. Vestiu o traje novo (calça, camisa, sapatos, etc.), comprado por R$ 105,00, mas que sua mãe lhe deu de presente. Em seguida tomou R$ 30,00 emprestados de seu pai, comprou o jornal por R$ 1,20, tomou o ônibus pagando R$ 1,80 de passagem. Chegando ao CONIC, comprou fiado, por R$ 50,00, várias caixas de bombons e chicletes e passou a vendê-los no calçadão. No fim do dia, cansado, tomou uma refeição de R$ 12,00, mas só pagou R$ 10,00, conseguindo um desconto de R$ 2,00. Contou o dinheiro e viu que vendera metade dos bombons e chicletes por R$ 40,00. Com base nessas informações, podemos ver que, no fim do dia, José Henrique possui um “capital próprio” no valor de: R$ 120,00 R$ 189,00 R$ 2,00 R$ 187,00 R$ 107,00

a) b) c) d) e)

168) (CESPE/TCU-1996) Pertence ao conjunto de contas do passivo a conta denominada (1) Fornecedores. (2) Obrigações Fiscais. (3) Duplicatas a Receber. (4) Títulos a Pagar. (5) Benfeitorias em Propriedades de Terceiros. 169) (ESAF/TRF-2000) Considerando as regras fundamentais da digrafia contábil, que determina o registro da aplicação dos recursos simultaneamente e em valores iguais às respectivas origens, temos como correta a seguinte equação contábil geral: a) Ativo = Passivo + Capital Social + Despesas - Receitas b) Ativo + Receitas = Capital Social + Despesas + Passivo c) Ativo - Passivo = Capital Social + Receitas + Despesas d) Ativo + Capital Social + Receitas = Passivo + Despesas e) Ativo + Despesas = Capital Social + Receitas + Passivo 170) (ESAF/AFTN-1994/março) Numa operação em que há o aumento do patrimônio líquido, ocasionado por uma diminuição do passivo superior à diminuição do ativo, o fato contábil pertinente pode ser apresentado pela a) venda de um bem com lucro b) colocação de debêntures abaixo do preço c) quitação de uma dívida com desconto d) renovação de dívidas com incidência de juros e) prescrição de dívida, sem qualquer contraprestação 171) Assinale a opção que contenha exclusivamente contas retificadoras: a) Encargos de Depreciação - Depreciação Acumulada de Veículos - Provisão para Férias b) Depreciação Acumulada de Veículos - Provisão para Perdas Prováveis em Investimentos - Duplicatas Descontadas c) Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa - Provisão para Ajustes ao Valor de Mercado - Provisão o para 13 . salário d) Duplicatas Descontadas - Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa - Provisão para Férias e) Ações em Tesouraria - Provisão para Ajustes ao Valor de Mercado - Encargos de Depreciação 172) Assinale a opção correta. a) As receitas diminuídas das despesas produz o que chamamos de resultado este será incorporado no balanço patrimonial via lucros ou prejuízos acumulados. Assim, as receitas decorrentes do desaparecimento de um ativo sem o correspondente passivo vão aumentar o PL. 38

b) Nas associações sem fins lucrativos e para as pessoas físicas, é obrigatória a observação do princípio da competência, na contabilização de seus atos, bem como nas declarações de rendimentos. c) Podemos, de uma forma matemática e em determinada situação, expressar a equação patrimonial como sendo: bens + direitos - obrigações - capital social + despesas - receitas = 0. d) As contas de ativo, em sendo a parte positiva da patrimônio, são creditadas quando aumentam de valor. e) As contas de receita são da mesma natureza que as contas de ativo, pois ambas aumentam o PL. 173) Dentre as situações abaixo, marque a pior. a) A P = 820,00 = 790,00 b) Bens = 380,00 Direitos = 120,00 Obrigações = 520,00 d) Passivo PL 1.200,00 10,00

c) Ativo = 80,00 PL = 0,00 e) Passivo = 30,00 Ativo = 50,00

174) Uma empresa iniciou suas atividades de 1995 com um capital de R$ 500.000,00, integralizado pela metade, em dinheiro. Em dezembro do mesmo ano, ao encerrar seu primeiro exercício social, apurou um prejuízo de R$ 100.000,00 e passivo exigível de igual valor. Assinale a alternativa que identifique, pela ordem, a situação patrimonial da empresa, após cada um dos fatos relatados. Legenda: A = Ativo P = Passivo Exigível SL = Situação Líquida a) b) c) d) e) A A A A A P SL SL P P SL SL e e e e e A A SL A A SL A P SL P SL P P SL

175) Sabemos que uma empresa tem Passivo e Descoberto quando o seu patrimônio é representado pela seguinte equação: a) Ativo = Passivo b) Ativo = Passivo - Situação Líquida c) Ativo = Passivo + Situação Líquida d) Ativo = Passivo + Capital Próprio e) Ativo = Passivo - Capital de Terceiros 176) A situação patrimonial em que os recursos aplicados no Ativo são originários, parte de riqueza própria e parte de capital de terceiros, é representada pela equação: a) A = PL, portanto P = zero; b) A = P, portanto PL = zero; c) A > P, portanto PL > zero; d) A < P, portanto PL < zero; e) P = (-) PL, portanto A = zero. Importante: PL = Patrimônio Líquido; A = Ativo; P = Passivo Exigível (não inclui o PL) 177) Julgue os seguintes itens, observando o enunciado: "Toda receita será creditada, pois": Por ser receita, sempre, aumenta o ativo. Tem a mesma natureza do patrimônio líquido, haja vista possuir o condão de aumentá-lo, quando analisado isoladamente, é claro. Representa a saída de mercadoria o que caracteriza uma venda e venda é creditada. A despesa é debitada, e receita e despesa devem constituir lançamentos antagônicos, diferentemente das contas do ativo e do passivo, que possuem a mesma natureza. 39

O patrimônio é composto por bens, direitos e obrigações. 178) (TFC/1996–ESAF) Entre as situações patrimoniais abaixo relacionadas, marque a opção que indica maior percentual de riqueza própria a) P=SL e SL<A b) A>SL e SL>P Legendas: c) A=SL e SL>P A = ativo d) SL<P e P<A P = passivo exigível e) A=P e P>SL SL = situação líquida 179) (ESAF/AFTN-1994/março) Numa sociedade anônima, o lançamento referente à correção monetária do capital realizado a) aumenta o valor contábil da conta corrigida b) aumenta a situação líquida do patrimônio c) diminui a situação líquida do patrimônio d) não altera o valor da situação líquida do patrimônio e) debita e credita contas patrimoniais 180) (ESAF/TFC-SFC/97) Indique a equação patrimonial que configure passivo descoberto. a) A = PE b) PE = A + SL c) A = PE + SL d) SL = A - PE e) PE = A - SL Legendas: A = Ativo PE= Passivo Exigível SL= Situação Líquida 181) (ESAF/AFTN-1994/março) Lançamentos (apenas contas e valores) 1º Aluguéis a caixa Cr$ 500,00 2º Fornecedores a Descontos Obtidos Cr$ 100,00 3º Caixa a Prêmios Recebidos na Emissão de debêntures Cr$ 800,00 4º Contrapartida dos Ajustes de Correção Monetária a Reservas para Contingências Cr$ 700,00 5º Abatimentos sobre Vendas a Duplicatas a Receber Cr$ 300,00 Dos lançamentos acima, o único que não altera o valor da situarão líquida do patrimônio é o: a) 1º b) 2º c) 3º d) 4º e) 5º 182) O patrimônio de determinada empresa, em dois momentos sucessivos, se apresentava da seguinte maneira: 1º momento dinheiro: $ 10,00 bens de venda: $ 50,00 obrigações com terceiros: $ 40,00 bens de uso: $ 20,00 capital próprio: $ 40,00 2º momento dinheiro: $ 13,00 bens de venda: $ 40,00 direitos: $ 5,00 obrigações com terceiros $ 40,00 bens de uso: $ 20,00 capital próprio: $ 38,00 O fato ocorrido foi: a) Venda de mercadoria à vista e a prazo. b) Venda de mercadoria à vista e a prazo, com prejuízo. c) Venda de mercadorias à vista e a prazo, com lucro. d) Aplicação de recursos próprios com prejuízo. e) Compra de mercadorias para revenda. 40

183) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) Na representação gráfica do estado patrimonial de uma entidade coloca-se normalmente o ativo do lado esquerdo e o passivo exigível e o patrimônio líquido do lado direito. Às vezes, entretanto, o patrimônio líquido aparece do lado esquerdo. Isso ocorre quando a) não há passivo exigível b) o passivo exigível é maior do que o patrimônio líquido c) o ativo é maior do que o patrimônio líquido d) o passivo exigível é maior do que o ativo e) o ativo é maior do que o passivo exigível 184) (ESAF/TFC-1996) Em relação ao patrimônio bruto e ao patrimônio líquido de uma entidade, todas os afirmações abaixo são verdadeiras, exceto a) o patrimônio bruto nunca pode ser inferior ao patrimônio líquido b) o patrimônio bruto e o patrimônio líquido não podem ter valor negativo c) o patrimônio bruto e o patrimônio líquido podem ter valor inferior ao das obrigações da entidade d) o soma dos bens e direitos a receber de uma entidade constitui o seu patrimônio bruto, enquanto o patrimônio líquido é constituído desses mesmos bens e direitos, menos as obrigações e) o patrimônio bruto pode ter valor igual ao patrimônio líquido

185) No Ativo, conforme Lei 6.404/76, as contas serão dispostas em: a) ordem crescente de grau de liquidez b) ordem do plano de contas c) ordem decrescente da data de aquisição d) ordem decrescente do grau de liquidez e) ordem da ocorrência das transações (dia, mês e ano) 186) Assinale a alternativa que contém os três grupos de Reservas que compõem o Patrimônio Líquido: a) Reservas de Investimentos, Reservas Estatutárias e Reservas de Lucros b) Reservas Legais, Reservas de Reavaliação e Reservas de Correção Monetária do Capital c) Reservas de Lucros a Realizar, Reservas de Lucros e Reservas de Reavaliação d) Reservas de Capital, Reservas de Reavaliação e Reservas de Lucros e) Reservas de Contingência, Reservas de Capital e Reservas de Lucros 187) Assinale a incorreta. a) A ocorrência de um desfalque de caixa é um evento que afeta o patrimônio diminuindo o ativo e conseqüentemente a situação líquida, pois não altera o passivo. b) Denomina-se receita diferida àquela recebida e ainda não ganha. c) A situação em que as obrigações suplantam os bens e direitos é conhecida por passivo a descoberto. d) Os capitais próprios, no balanço patrimonial, são classificados dentro do passivo total, no grupo do PL. e) A equação fundamental do patrimônio segundo a Lei n.º 6.404/76 deve ser enunciada como sendo: patrimônio líquido = bens + direitos - passivo exigível. 188) Assinale a opção correta. a) O balanço patrimonial representa a situação analítica, demonstrando a igualdade dentre os valores ativos, passivos e o do patrimônio líquido. b) O passivo, segundo a Lei n.º 6.404/76, é composto pelo circulante, exigível a longo prazo, resultado de exercícios futuros e capital social. c) As contas de resultado serão evidenciadas no balanço patrimonial sob a forma de lucros ou prejuízos acumulados, sendo por isso consideradas analíticas. d) Resultados de exercícios futuros é um componente do passivo, mas não representa, em hipótese alguma, obrigação para com terceiros. e) As empresas com passivo a descoberto, passivo maior que o ativo, não possuem patrimônio. 189) Os grupos de contas que compõem o Ativo no Balanço Patrimonial são: a) Circulante, Exigível a Longo Prazo e Permanente b) Circulante, Exigível a Longo Prazo, Resultado de Exercícios Futuros e Permanente c) Circulante, Realizável a Longo Prazo e Permanente d) Circulante, Realizável a Longo Prazo, Resultado de Exercícios Futuros e Permanente e) Circulante, Realizável a Longo Prazo e Investimentos 41

190) De conformidade com a Lei n 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações), classificam-se no mesmo grupo as contas: a) Encargos de Depreciação de Veículos e Depreciação Acumulada de Veículos b) Provisão para Perdas Prováveis na Realização de Investimentos e Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa c) Juros a Vencer e Juros a Acionistas na Fase de Implantação d) Provisão par Perdas Prováveis da Realização de Investimentos e Depreciação Acumulada de Veículos e) Duplicatas Descontadas e Duplicatas a Pagar 191) Comercial Bráulio Ltda., em funcionamento, aprovou projeto de ampliação e modernização da sua loja de departamentos, o qual estará concluído no prazo de 5(cinco) anos. No decurso desse prazo, as despesas pertinentes ao referido projeto deverão der debitadas em contas do: a) Ativo Circulante b) Realizável a Longo Prazo c) Resultado do exercício d) Ativo Diferido e) Passivo Circulante 192) Dentre as seguintes, a conta retificadora que integra o Patrimônio Líquido é a de: a) Lucros Acumulados b) Ações em Tesouraria c) Reserva de Correção de Capital Realizado d) Capital Realizado e) Reserva de Avaliação 193) De acordo com a Lei n 6.404/76, as contas Seguros a Vencer no exercício social subseqüente e Provisão para Imposto de Renda curto prazo são classificadas, respectivamente, no: a) Ativo Diferido e Passivo Exigível b) Resultado do Exercício e Ativo Circulante c) Ativo Circulante e Resultado do Exercício d) Ativo Diferido e Passivo Circulante e) Ativo Circulante e Passivo Circulante 194) Indique a alternativa que contém os grupos de contas na correta disposição em que devem ser o. apresentados no balanço patrimonial, de acordo com a Lei n 6.404/76 a) Ativo Circulante, Ativo realizável a Longo Prazo, Ativo Permanente e Despesas, no Ativo; Passivo Circulante, Passivo Exigível a Longo Prazo, Patrimônio Líquido e Receitas, no Passivo b) Ativo Disponível, Ativo realizável e Ativo Permanente, no Ativo; Não Exigível e Exigível, no Passivo c) Circulante, Realizável a Longo Prazo, Pendente e Permanente, no Ativo d) Circulante, exigível a Longo Prazo, Resultados de Exercícios Futuros e Patrimônio Líquido, no Passivo e) Circulante, Exigível a Longo Prazo e Permanente, no Ativo 195) A Cia. PENDENTE decidiu que o prédio de sua propriedade, localizado à Rua MARCONDES, 280 será alugado, pois não serve mais como sede da sua filial de roupas para crianças. Após a locação realizada, tal imóvel será classificado no grupo de contas do: a) Ativo Permanente - Investimento b) Ativo Permanente - Imobilizado c) Ativo Permanente - Diferido d) Realizável a Longo Prazo e) Ativo circulante 196) O ATIVO PERMANENTE abrange os subgrupos de contas: a) “Investimentos”, “Imobilizado” e “Diferido” b) “Valores Mobiliários”, “Ativo Intangível” e “Ativo de Funcionamento” c) “Pré-Operacionais”, “Ativo Tangível” e “Ativo Fixo” d) “Prédios”, “Veículos” e “Móveis e Utensílios” 42
o.

o.

e) “Ativo Depreciável”, “Ativo Amortizável” e “Ativo Exaurível” 197) Balanço Patrimonial é a representação: a) das variações positivas e negativas do patrimônio, evidenciando a variação sofrida por sua situação líquida b) da receita e despesa previstas para determinado período c) do movimento de numerário em determinado período d) sintética dos elementos que formam o patrimônio, evidenciando a equação existente entre os capitais obtidos e os aplicados no complexo patrimonial e) das variações positivas e negativas do patrimônio, evidenciando o resultado econômico do exercício 198) A firma HAFFEN foi registrada e obteve: R$ 500,00 dos sócios, na forma de Capital; R$ 300,00 de terceiros, na forma de empréstimos e R$ 150,00 de terceiros, na forma de rendimentos. Aplicou esses recursos, sendo: R$ 450,00 em bens para revender; R$ 180,00 em caderneta de poupança; R$ 240,00 em empréstimos concedidos; e o restante em despesas. Com essa gestão, pode-se afirmar que a empresa ainda tem um patrimônio bruto e um patrimônio líquido, respectivamente, de: a) R$ 870,00 e R$ 570,00; b) R$ 690,00 e R$ 570,00; c) R$ 950,00 e R$ 500,00; d) R$ 870,00 e R$ 500,00; e) R$ 950,00 e R$ 650,00. 199) No balanço os estoques são classificados, no ativo circulante, presumindo-se que sejam realizados dentro de um ano, ou dentro do ciclo normal de operações. O detalhamento por conta dos estoques pode ser feito no próprio balanço. Uma forma bastante utilizada para que as demonstrações financeiras fiquem mais condensadas é a dos estoques apresentados no balanço pelo total, mas com uma nota explicativa demonstrando as principais categorias, dispostas em ordem de realização. A base de avaliação dos estoques ou métodos de determinação dos custos deve ser exposta na nota explicativa relativa aos principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais. Relativamente a estoques, julgue os seguintes itens. De acordo com a interpretação fiscal, sistema de contabilidade de custos integrado e coordenado com o restante da escrituração è aquele apoiado em valores originados da escrituração contábil para seus insumos, quais sejam, matéria-prima, mão-de-obra direta e gastos gerais de fabricação, fato esse que exige um plano de contas de produção, por natureza, das demais despesas operacionais. As empresas que não atenderem aos requisitos para que sua contabilidade seja considerada integrada e coordenada terão de, seguindo a legislação fiscal, avaliar seus estoques de produtos acabados por valores calculados na base de 5% do maior preço de venda do ano. Considerando que a base elementar para avaliar os estoques é o custo e que o imposto sobre circulação de mercadorias e serviços está incluído no preço das mercadorias, constante nas notas fiscais, tem-se de mantê-lo na conta estoques para efeito de avaliação e, principalmente, para que o resultado do período esteja de acordo com o regime de competência. Quando nos estoques estiverem incluídos itens estragados, danificados, obsoletos e morosos, e uma baixa ou redução direta nos seus valores não for praticável, deve-se, então, constituir uma provisão para reconhecer tal perda. A inclusão dos elementos de custos segundo o custeio por absorção, fazendo com que os estoques recebam todos os custos incorridos no processo produtivo, diretos e indiretos, é a base de avaliação aceita pelos princípios fundamentais de contabilidade e pela legislação fiscal. 200) (ESAF/AFRF-2001) Classificam-se como Reservas de Capital as Reservas a) de Prêmios pela Emissão de Debêntures b) de Doações e Subvenções, quando recebidas em entidades privadas c) de Reavaliação de Bens do Ativo Imobilizado d) Estatuárias, destinadas a Investimentos e) por Ajuste de Investimentos em Sociedades- Controladas 201) (ESAF/AFRF-2001) Na conversão de debêntures em ações, as parcelas que ultrapassem o valor nominal da ação deverão ser registradas como a) reserva de lucros que poderão amortizar prejuízos futuros ou ser distribuídas aos sócios no exercício social em que não forem apurados lucros b) reserva de lucros que poderá ser distribuída aos sócios, no próprio exercício c) reservas de capital d) reserva de lucros destinada, obrigatoriamente, a amortizar prejuízos 43

e) receitas não-operacionais do exercício 202) (TFC/1996–ESAF) Pedro e Paulo constituíram uma empresa para explorar o comércio de gêneros alimentícios. Subscreveram capital de 100.000,00, integralizado em 20%. Para a integralização, os sócios fizeram empréstimo bancário, individualmente. A empresa adquiriu bens de uso, no valor de 30.000,00, utilizando para pagamento os recursos oriundos da integralização do capital e títulos de crédito emitidos em favor dos vendedores. Adquiriu, ainda, a prazo, mercadorias para revenda, no valor de 20.000,00. Assim sendo, o capital próprio da nova sociedade é de a) zero b) 20.000.00 c) 30 000.00 d) 50.000,00 e) 100.000,00 203) Quanto ao o que são dívidas, julgue os seguintes itens Débitos de funcionamento, quando decorrentes de operações normais da empresa Créditos de terceiros Débitos de financiamentos, quando são oriundas de empréstimos contraídos Contas devedoras Contas credoras 204) O patrimônio de uma empresa, em um determinado momento, está representado por numerário (R$ 70,00), bens de venda (R$ 80,00), débitos de funcionamento (R$ 120,00), bens de uso (R$ 230,00), débitos de financiamento (R$ 140,00), bens de renda (R$ 70,00) e créditos de funcionamento (R$ 130,00). Seu patrimônio líquido é de: a) R$ 230,00 b) R$ 70,00 c) R$ 340,00 d) R$ 580,00 e) R$ 320,00 205) (TFC/1996–ESAF) Na composição do patrimônio de uma empresa a) se o ativo for maior do que o passivo exigível, a situação líquida também o será b) se o passivo exigível for maior do que a situação líquida, caracteriza-se o chamado passivo descoberto c) se ativo e passivo exigível tiverem valores iguais, a situação líquida terá valor negativo d) se o ativo tiver valor igual a zero, a situação líquida também o terá e) se a ordem decrescente de valores for ativo, passivo exigível e situação líquida, a situação líquida será positiva GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 160- E 169- E 178- C 188- D 198- A 161- D 170- C 179- D 189- C 162- E 171- B 180- B 190- D 163- A 172- C 181- D 191- D 200- A 164- D 173- B 182- B 192- B 201- C 165- D 174- E 183- D 193- E 202- B 166- A 175- B 184- B 194- D 167- E 176- C 185- D 195- A 168- C C E C E 177- E C E E E 186- D 196- A 204- E 187- E 197- D 205- E

199- C E E C C

203- C C C E C

44

V - A ESCRITURAÇÃO 206 – (ESAF/TTN–1992/SP) Quanto ao seu mecanismo de débito e crédito, é certo afirmar que as contas a) do passivo são debitadas quando obrigações assumidas são liquidadas b) do patrimônio líquido são debitadas quando se lhes incorpora a correção monetária do exercício c) de despesa são debitadas em contrapartida com conta específica, para apuração do resultado do exercício d) do ativo são debitadas quando há saída de bens ou direitos no patrimônio e) de receita são debitadas, porque concorrem para o aumento do patrimônio líquido 207) Segundo a Teoria Personalista, as contas são classificadas em: a) contas integrais e contas diferenciais; b) contas dos proprietários e contas de agentes consignatários e contas dos agentes correspondentes; c) contas dos proprietários e contas dos agentes secundários; d) contas patrimoniais e contas de resultado; e) contas patrimoniais, contas de agentes consignatários e contas de agentes correspondentes. 208) 1 - Adiantamentos de Clientes; 2 - Bancos; 3 - Caixa; 4 - Duplicatas a Pagar; 5 - Edifícios de Uso; 6 - Fornecedores; 7 - Máquinas Fabris; 8 - Mercadorias em Estoque; 9 - Nota Promissória de sua emissão; 10 - Receitas de Vendas; 11 - Salários a Pagar; 12 - Terrenos. Levando-se em conta os dados fornecidos, assinale a opção que indica, pelos números de ordem, exclusivamente contas que se classificam no Ativo. a) 1 - 2 - 3 e 5; b) 5 - 8 e 12; c) 1 - 5 - 7 e 12; d) 1 - 2 - 5 e 8; e) todas estão corretas.

209) Integram o Ativo do Balanço Patrimonial, dentre outras, as seguintes contas: a) Clientes, Despesas a Vencer, Imóveis e Mercadorias b) Caixa, fornecedores, Mercadorias e Contas a Receber c) Veículos, Despesas de Juros, Bancos C/Movimento e Imóveis d) Caixa, Bancos C/Movimento, Veículos e Capital Social e) Contas a Receber, Máquinas e Equipamentos, Caixa e Receitas a Vencer. 210) Assinale a alternativa que contém apenas Contas do Proprietário, de acordo com a Teoria Personalista das Contas. a) Juros Ativos, Caixa e Despesas Diversas b) Capital Social, Comissões Ativas e Lucros Acumulados c) Comissões Passivas, Mercadorias e Receitas Diversas d) Descontos Ativos, Juros Passivos e Salários a Pagar e) Juros Passivos, Capital Social e Veículos 211) Quanto à classificação da conta “Impostos a Recolher”, pode-se dizer que ela é uma conta: a) integral, de saldo credor b) integral, de saldo devedor c) patrimonial, de saldo devedor d) diferencial, de saldo credor e) diferencial, de saldo devedor 45

212) Segundo a Teoria Personalista, as contas são classificadas em: a) contas integrais e contas diferenciais b) contas do proprietário e contas de agentes consignatários c) contas do proprietário e contas de agentes d) contas patrimoniais e contas de resultado e) contas patrimoniais, contas de agentes consignatários e contas de agentes correspondentes 213) Dentre as contas do Ativo destacam-se: a) Empréstimos de Diretores, Estoques de Mercadorias, Duplicatas a Receber, Máquinas b) Adiantamento a Fornecedores, Duplicatas a Pagar, Máquinas c) Empréstimos de Diretores, Adiantamentos a Fornecedores, Máquinas d) Empréstimos a Diretores, Benfeitorias em Imóveis de Terceiros, Máquinas, Instalações e) Adiantamento a Empregados, Adiantamento a Fornecedores, Adiantamento de Diretores 214) De acordo com a Lei n 6.404/76, as contas Seguros a Vencer e Provisão para Imposto de Renda são classificadas, respectivamente, no: a) Ativo Diferido e Passivo Exigível b) Resultado do Exercício e Ativo Circulante c) Ativo Circulante e Resultado do Exercício d) Ativo Diferido e Passivo Circulante e) Ativo Circulante e Passivo Circulante 215) A conta ADIANTAMENTOS DE CLIENTES é classificada como: a) patrimonial ativa, sintética b) patrimonial passiva, sintética c) patrimonial passiva, analítica d) patrimonial ativa, analítica e) de resultado, sintética 216) Em relação às contas classificadas no Ativo, num balanço patrimonial, é correto afirmar: a) todas elas devem ter saldo devedor b) representam os bens, direitos e obrigações da empresa c) tem normalmente saldo devedor; algumas, porém, podem apresentar-se com saldo credor d) registram as fontes de recursos utilizados pela empresa para realização de suas atividades e) devem ser dispostas em ordem crescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados
o.

217) Indique o único título contábil que se classifica no Ativo Permanente a) Títulos de Renda Fixa b) Bens não de Uso Próprio c) Material em Estoque d) Almoxarifado - material de consumo e) Financiamentos Rurais 218) A RESERVA PARA CONTINGÊNCIAS é uma: a) reserva de capital b) reserva de reavaliação c) reserva de lucros d) conta do Passivo Circulante e) conta do Ativo Circulante 219) A conta “Ações em Tesouraria” é classificada, no BALANÇO PATRIMONIAL, no grupo de contas denominado a) Ativo Realizável a Longo Prazo b) Patrimônio Líquido c) Ativo Permanente - Investimentos d) Passivo Circulante e) Ativo Permanente - Imobilizado 46

220) Quanto ao Patrimônio Líquido Nulo, podemos afirmar que: a) O Capital Próprio é igual ao Capital de Terceiros b) O Passivo é menor que os direitos c) O valor dos bens é igual ao valor das obrigações d) Inexistem bens e direitos na entidade, porém as obrigações são maiores que zero e) O ativo total é igual ao passivo exigível mais os resultados de exercícios futuros. 221) (ESAF/TTN–1992/SP) As contas são analíticas ou sintéticas, conforme exijam, ou não, desdobramentos ou subdivisões. São contas analíticas: a) Contas Corrente e Caixa b) Bancos – C/Movimento e Fornecedores c) Veículos e Duplicatas a Receber d) Duplicatas a Pagar e Provisão para Imposto de Renda e) Caixa e Bancos – C/Movimento 223) O registro de débitos e créditos de mesma natureza, identificados por um título que qualifica um componente do Patrimônio: a) Diário b) Conta c) Razão d) Balancete e) Plano de contas 224) Os elementos que devem compor um plano de contas são: a) Elenco de contas, função e funcionamento das destas contas. b) Elenco de contas, ordenados em contas patrimoniais, contas de resultado, e contas de compensação. c) Elenco das contas e a que grupo elas pertencem, indicando os códigos. d) A sua natureza, a sua finalidade e a sua versatilidade. e) A estrutura conforme são inseridas no balanço patrimonial. 225) Assinale a alternativa que contém apenas contas de resultado: a) Despesas de Juros - Juros a Vencer - Receitas de Juros b) Custo das Mercadorias Vendidas - Vendas de Mercadorias - Compras de Mercadorias c) Encargos de Depreciação - Depreciação Acumulada - Encargos de Exaustão d) Despesas de Pessoal - Despesas de Salários - Salários a Pagar e) ICMS a Recolher - ICMS a Recuperar - Despesas de ICMS 226) As contas BANCOS - C/MOVIMENTO, DUPLICATAS A RECEBER e ESTOQUE DE MERCADORIAS, de conformidade com a Lei no. 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações), devem ser dispostas no balanço patrimonial na seguinte ordem: a) Bancos - C/Movimento - Duplicatas a Receber - Estoque de Mercadorias b) Bancos - C/Movimento - Estoque de Mercadorias - Duplicatas a Receber c) Estoque de Mercadorias - Bancos - C/Movimento - Duplicatas a Receber d) Duplicatas a Receber - Bancos - C/Movimento - Estoque de Mercadorias e) Duplicatas a Receber - Estoque de Mercadorias - Bancos - C/Movimento 227) A Lei 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações) determina que, para o levantamento do Balanço Patrimonial, sejam observadas as seguintes normas: a) os direitos e títulos de crédito serão avaliados pelo custo de aquisição ou pelo valor de mercado, se este for maior b) no Ativo, as contas serão dispostas em ordem crescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados c) serão classificados como reservas de lucros as contas que registrarem o prêmio recebido na emissão de debêntures d) serão classificadas como resultados de exercício futuro as receitas de exercícios futuros, diminuídas dos custos e despesas a elas correspondentes e) serão classificados no Ativo Realizável, a Longo Prazo os direitos derivados de vendas e diretores da companhia que constituírem negócios usuais na exploração do objeto da companhia 228) Assinale a alternativa que contenha exclusivamente contas de resultado a) Compras de Mercadorias - ICMS Incidente s/ Vendas - Vendas b) Encargos de Depreciação - Depreciação Acumulada de Veículos - Receitas de Comissões c) Despesas Gerais - despesas Pré-operacionais - Despesas Bancárias 47

d) Juros a Vencer - Juros Obtidos - Despesas de Juros e) Despesas de Salários - Salários a Pagar - Encargos Sociais 229) O patrimônio de MONTE & CIA. É composto dos seguintes elementos: Mercadorias - R$ 1.000,00; Duplicatas de sua emissão (até 90 dias) - R$ 100,00; Dinheiro R$ 50,00; Duplicatas de seu aceite (até 60 dias) - R$ 200,00; Móveis para uso - R$ 30,00; Nota promissória de sua emissão (180 dias) - R$ 100,00. O Ativo Circulante é de R$ a) 900,00 b) 1.100,00 c) 1.150,00 d) 1.200,00 e) 1.250,00 230) O patrimônio líquido de uma empresa, num determinado balanço patrimonial, era representado unicamente por duas contas: Capital Social (que registrava o capital subscrito, totalmente integralizado) R$ 100.000.000,00 e Prejuízos Acumulados - R$ 1.500.000,00. Pode-se, assim, afirmar, com segurança, que a empresa, na data do balanço, possuía: a) mais direitos do que obrigações b) mais obrigações do que direitos c) situação líquida positiva d) situação líquida negativa e) capital próprio inferior ao capital de terceiros 231) Em relação à conta ICMS A RECUPERAR é correto afirmar que seu saldo representa: a) direito da empresa, devendo ser classificado no Ativo Circulante b) obrigação da empresa, devendo ser classificado no Passivo Circulante c) obrigação da empresa, devendo ser classificado em Resultados de Exercícios Futuros d) passivo não exigível, devendo ser classificado no Patrimônio Líquido e) direito da empresa, devendo, por isso, reduzir o valor do ICMS escriturado como despesa no período-base 232) Numa escrituração contábil, o saldo da conta Caixa em determinado momento, era de R$ 50.000,00 (devedor). Posteriormente, o contabilista equivocou-se ao fazer um lançamento, debitando a conta que deveria ser creditada e creditando a que deveria ser debitada, provocando com isso um “estouro de caixa”. Tal lançamento pode referir-se a: a) compra à vista de mercadorias no valor de R$ 60.000,00 b) pagamento de duplicata no valor de R$ 60.000,00 c) recebimento de crédito no valor de R$ 50.000,00 d) emissão de cheque no valor de R$ 60.000,00 para reforço do numerário em caixa e) depósito bancário no valor de R$ 60.000,00 233) O pagamento, através de cheque, de uma obrigação contraída pela compra de mercadorias a prazo é um fato administrativo que afeta o patrimônio da forma seguinte: a) aumenta o Ativo e diminui o Passivo b) diminui o Patrimônio Líquido e aumenta o Ativo c) diminui o Ativo e diminui o Passivo d) aumenta o Passivo e aumenta o Ativo e) diminui o Ativo e diminui o Patrimônio Líquido 234) Se o Patrimônio Líquido de uma empresa tem valor negativo, duas contas, pelo menos, obrigatoriamente o integram. São elas: a) Capital Subscrito e Capital a Integralizar b) Prejuízos Acumulados e Capital a Integralizar c) Capital Subscrito e Prejuízos Acumulados d) Reservas para Contingências e Capital Subscrito e) Prejuízos Acumulados e Reservas para Contingências

235) O passivo real corresponde a: a) Capital próprio b) Resultados de Exercícios Futuros 48

c) Patrimônio Líquido d) Capital alheio e) Capital Nominal 236) Acerca do Capital Social, marque a assertiva correta. a) É um componente do Patrimônio Líquido da Entidade e representa os recursos iniciais que seus sócios ou acionistas colocam a disposição da mesma. b) É um componente do Patrimônio Líquido da Entidade e representa os recursos iniciais que seus sócios ou acionistas colocam a disposição da mesma, podendo também estar representado por recursos adicionais, oriundos dos mesmos ou novos sócios ou acionistas. c) É um componente do Patrimônio Líquido da Entidade e representa os recursos iniciais que seus sócios ou acionistas colocam a disposição da mesma, podendo também estar representado por recursos adicionais, oriundos dos mesmos ou novos sócios ou acionistas, ou de parcela de recursos gerados pela Entidade e formalmente integrados ao mesmo. d) Só pode ser alterado quando houver a retirada ou ingresso de um novo sócio ou acionista. e) É uma conta típica do que chamamos de conta unilateral, por esta razão, uma vez constituída, não pode em hipótese alguma ter reduzido o seu valor, sendo que para as situações em que se faz necessária a sua alteração, esta deve ser efetivada nas contas de Reserva de Capital. 237) Uma empresa comercial e prestadora de serviços, num determinado período, realizou as operações abaixo mencionadas, todas devidamente contabilizadas: 1- pagou antecipadamente, em dinheiro, uma duplicata de seu aceite no valor de R$ 100.000,00 para gozar do desconto de 2%; 2- emitiu Nota Fiscal-Fatura relativa a prestação de serviços, no valor de R$ 250.000,00 a 30 dias de prazo; 3- adquiriu material de consumo no valor de R$ 10.000,00, pagos em dinheiro, apropriando-o ao resultado do exercício; 4- recebeu aviso bancário comunicando que uma duplicata de sua emissão, no valor de R$ 50.000,00, descontada no Banco, foi liquidada pelo sacado; 5- emitiu cheque no valor de R$ 200.000,00, sacando o dinheiro em seguida; fez empréstimo em dinheiro a um sócio no valor de R$ 300.000,00 6- pagou aos empregados, em dinheiro, salários do exercício anterior, no valor de R$ 250.000,00, já apropriados como despesa operacional do exercício a que se referem. Se o saldo de CAIXA, depois das operações acima citadas, passou a ser de R$ 60.000,00, antes dela era de: a) R$ 268.000,00 b) R$ 468.000,00 c) R$ 518.000,00 d) R$ 658.000,00 e) R$ 718.000,00 238) (ESAF/MPOG/2001) Classifica-se como conta de resultado: a) Subvenção para Custeio b) Prejuízos Acumulados c) Dividendos a Distribuir d) Amortização Acumulada de Bens Intangíveis e) Conta Corrente de ICMS 239) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) São contas patrimoniais de natureza credora: a{PRIVATE}) ICMS a recolher / duplicatas a pagar / prejuízos acumulados / fundo de garantia a recolher b) provisão para férias / provisão para crédito de liquidação duvidosa / depreciação acumulada / salários a pagar c) duplicatas descontadas / reservas de lucro / capital a integralizar / contas a receber d) fornecedores / amortização acumulada / títulos a pagar / adiantamento de férias e) salários a pagar / credores por financiamento / reservas de lucro / amortização 240) (ESAF/TTN-1994/matutino) “A escrituração da companhia será mantida em registros, com obediência aos preceitos da legislação e desta Lei e aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de Competência.” Completam corretamente o artigo 177 da Lei a? 6404/76, que trata da escrituração, retrotranscrito com duas (2) omissões as palavras: a) permanentes e tributária b) confiáveis e comercial c) individualizados e comercial d) permanentes e comercial e) contábeis e fiscal 49

241) (ESAF/TTN-1994/matutino) Um lançamento a crédito da conta Aluguéis a Pagar, se não for de estorno, representa a) um aumento do Patrimônio Liquido b) um aumento do Ativo e) um decréscimo do Ativo d) uma redução do Patrimônio Líquido e) um decréscimo no Passivo 242) (FISCAL/ICMS–MS/2000) Assinale, dentre as alternativas abaixo, aquela que melhor demonstre o resultado da liquidação de uma obrigação de curto prazo : a)Diminuição do patrimônio líquido, do passivo de curto prazo e aumento do ativo. b)Aumento do ativo e diminuição do passivo. c)Diminuição do ativo, do passivo e aumento do patrimônio líquido. d)Diminuição do ativo e do passivo. 243) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) Em relação ao patrimônio de uma entidade é correto afirmar: a) se houver acréscimo do ativo, o patrimônio líquido também será acrescido b) se houver acréscimo de 20% no ativo e de 20% no passivo exigível, o patrimônio líquido não será alterado c) o patrimônio líquido pode ser aumentado ainda que haja redução do ativo d) se o passivo exigível for maior do que o patrimônio líquido, surge a figura do passivo descoberto e) o ativo e o patrimônio líquido só podem ter valor positivo; o passivo exigível pode ter valor positivo ou negativo 244) (ESAF/TTN-1994/matutino) Contas de um Plano de Contas de uma Companhia Comercial: 1) - Serviços Prestados por Terceiros 2) - Juros Passivos 3) - Prêmios de Seguros a Vencer 4) - Adiantamentos de Clientes 5) - Empréstimos Compulsórios 6) - Honorários da Diretoria 7) - Provisão para o Imposto de Renda (Curto Prazo) 8) - Fornecedores 9) - Créditos de Coligadas e Controladas Se apresentarem saldo, devem constar do Balanço Patrimonial, sem exceção alguma, as contas referentes aos números a) 1, 3, 4, 5, 8 e 9 b) 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9 c) 3, 4, 5, 7, 8 e 9 d) 1, 3, 4, 7 e 8 e) 2, 3, 4, 5 e 8 245) (ESAF/TTN-1994/vespertino) – Ao elaborar um plano de contas para uma empresa mercantil, cuja atividade principal é a revenda de mercadorias, o contador, recém formado, considerou como Reservas de Lucros as seguintes contas: I – Reserva Legal II – Reserva Estatutárias III – Reservas para Contingências IV – Reservas de Lucros a Realizar V – Reserva de Correção Monetária do Capital Realizado VI – Resultado de Exercícios Futuros VII – Reserva de Reavaliação de Elementos do Ativo Em assim sendo, cometeu a) cinco erros de classificação b) um erro de classificação c) quatro erros de classificação d) três erros de classificação e) dois erros de classificação 246) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - Itens Título Estorno Ativo Data da Operação Saldo Situação Líquida Valor do Débito Valor do Crédito Local Os elementos essenciais da Conta constantes dos itens relacionados são em número de a) Quatro 50

b) Oito c) Cinco d) Seis e) Sete 247) (ESAF/TTN-1994/vespertino) – Assinale a opção incorreta. a) O princípio fundamental do método das partidas dobradas é o de que não há devedor sem credor e viceversa, correspondendo a cada débito, invariavelmente, um crédito de igual valor. b) O Patrimônio é um conjunto de bens, direitos e obrigações vinculados a uma pessoa ou a entidade. c) No Balanço Patrimonial, o total do Ativo é sempre igual ao do Passivo. d) No lançamento, a data e o histórico exercem função histórica. e) Método de escrituração é a forma de registrar os fatos administrativos. 248) (AFPS/CESPE-Unb/2001) O registro de crédito de imposto de renda sobre prejuízo fiscal é feito a débito em uma conta de ativo circulante ou realizável a longo prazo, em contrapartida de um crédito na conta de provisão para imposto de renda, no resultado do período de competência. 249) (AFPS/CESPE-Unb/2001) No encerramento de cada exercício anual, os saldos das contas do ativo e passivo no último dia do exercício são mantidos na abertura do período seguinte, e as contas de receitas e despesas são encerradas contra uma conta de apuração do resultado do período, de maneira que, no início do próximo exercício, não haja saldo nessas contas. Essa conta de apuração do resultado também pode ser encenada contra a conta de lucros ou prejuízos acumulados. 250) (CESPE/TCU-1996) Durante o mês de outubro de um determinado ano, uma empresa prestadora de serviços realizou as seguintes operações de receitas e despesas: dia 2 - pagamento de despesas de materiais de escritório, dia 3 - compra, a prazo, de peças para reparos, empregadas nos serviços prestados, dia 5 - recebimento de receita por serviços prestados, dia 15 - emissão de uma fatura por serviços prestados, dia 30 pagamento de salários. Julgue os itens a seguir, que apresentam os comandos relativos aos débitos e créditos adotados pelo contador da empresa, ao efetuar esses registros contábeis. (1) dia 2 - débito de Despesas de Materiais de Escritório e crédito de Caixa (2) dia 3 - débito de Despesas de Peças para Reparos e crédito de Contas a Pagar (3) dia 5 - débito de Caixa e crédito de Receitas de Serviços (4) dia 15 - débito de Receitas de Serviços e crédito de Contas a Receber (5) dia 30 - débito de Caixa e crédito de Despesas de Salários 251) (ESAF/TFC-SFC/97) Observe o lançamento contábil abaixo: Contas a Receber Depreciação Acumulada de Máquinas Máquinas Resultados não-operacionais O lançamento registra contabilmente a) b) c) d) e)

17.000 5.000 15.000 7.000

venda a prazo, por 17.000, de máquina de uso, cujo valor contábil era de 10.000 baixa de máquina do ativo imobilizado, cujo valor contábil, levado a prejuízo do exercício, era de 7.000 venda a prazo, por 17.000, de máquina de uso, cujo valor contábil era de 15.000 baixa de máquina do ativo imobilizado por haver atingido depreciação total venda a prazo, por 17.000, de máquina de uso, com prejuízo de 7.000

252) (ESAF/TFC-SFC/97) Um bem do ativo permanente foi adquirido por 10.000,00. No primeiro ano de permanência na empresa o seu valor foi corrigido monetariamente em 20% e depreciado em 10%. No segundo ano não houve correção monetária do seu valor, havendo a depreciação incidido corretamente sobre o valor de a) 9.000,00 b) 10.000,00 c) 10.800,00 d) 11.000,00 e) 12.000,00 253) (ESAF/TFC-1996) Duplicatas a Receber Depreciação Acumulada Máquinas 1.500,00 1.500,00 51

Resultados não operacionais 300,00 a Máquinas de Uso 3.300,00 O lançamento acima registra a) venda de máquina do ativo imobilizado por 3.300,00 b) venda de máquina do ativo imobilizado cujo valor contábil era de 3.300,00 c) baixa de máquina do ativo imobilizado por estar totalmente depreciada d) venda de máquina do ativo imobilizado com prejuízo de 300,00 e) venda de máquina do ativo imobilizado com prejuízo de 1.800,00 254) (ESAF/TFC-1996) Uma empresa apropriou em 31 de dezembro de 1995 (data de encerramento do exercício social) as despesas com pessoal do mês de dezembro/95, cuja folha seria paga em 5 de janeiro de 1996. Constavam da folha os seguintes valores: - Valor bruto da folha - 20.000,00 - Encargos sociais de responsabilidade da empresa - 20% do valor da folha - Fundo de garantia por tempo de serviço - 8% do valor da folha - Previdência social de responsabilidade dos empregados - 9% do valor da folha - Imposto de renda na fonte de responsabilidade dos empregados - 1.500,00 Feitos os lançamentos devidos, a empresa verificou que as suas obrigações a curto prazo sofreram um aumento de a) 28.900,00 b) 16.700,00 c) 20.000,00 d) 24.000,00 e) 25.600,00 255) (ESAF/TFC-1996) No dia 5 de janeiro de 1996, a empresa a que se refere a questão anterior efetuou o pagamento a seus empregados, utilizando cheque bancário. Fez, então, o seguinte lançamento em sua escrituração: a) Salários a Pagar a Despesas com Salários 20.000,00 b) Despesas com Salários a Bancos - C/Movimento 20.000,00 c) Salários a Pagar a Bancos - C/Movimento 25.600,00 d) Despesas com Salários a Bancos - C/Movimento 16.700,00 e) Salários a Pagar a Bancos - C/Movimento 16.700,00

256) (CESPE/STM/SUPERIOR/99) Uma empresa que possua um saldo inicial de contas a receber de vendas a prazo de RS 1.000,00, que realize vendas a prazo no exercício social subsequente no valor de R$ 15.000.00 e receba, de vendas a prazo, no mesmo período, a importância de R$ 14.500.00 apresentará, no fim do exercício, um saldo de contas a receber de a) R$ 1.000,00 b) R$ 1.200,00 c) R$ 1.300,00 d) R$ 1.500,00 e) R$ 2.000,00 257) (Unb/CESPE-STM-99) No plano de contas de uma companhia aberta, as contrapartidas dos débitos de doações e de subvenções para investimentos deveriam estar classificadas como a) passivo circulante. b) passivo exigível a longo prazo c) reserva de reavaliação. d) reserva de capital, no patrimônio líquido. e) provisão para contingências, no passivo exigível a longo prazo. 258) (FISCAL/ICMS–MS/2000) O saldo de uma conta de ativo é obtido: a)Pela diferença entre os valores debitados e creditados. b)Pela soma dos valores debitados. c)Pelo valor do lançamento inicial. 52

d)Pelo conjunto de valores creditados. 259) (INSS/CESPE-97) A folha de pagamento de uma empresa resume os valores financeiros de todos os empregados, especificando as parcelas de salários, descontos relativos a encargos sociais, imposto de renda, adiantamentos e outros. A contabilização da folha de pagamento segue as mesmas normas básicas aplicáveis aos fatos contábeis em geral. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. 1. as despesas/custos de salários de uma empresa são representados pelos valores líquidos desembolsados, ou seja, depois de deduzidos os encargos sociais, impostos e demais descontos incidentes sobre os proventos dos empregados. 2. as contribuições previdenciárias a recolher compreendem as parcelas da empresa e dos empregados. 3. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) do pessoal que desenvolve tarefas na área de administração geral deve ser contabilizado como despesa operacional. 4. as contribuições previdenciárias a recolher e o FGTS a recolher são parcelas que, devidas e não-pagas, devem ser demonstradas no passivo circulante com saldo devedor. 5. desembolso a débito da conta de adiantamentos a empregado e a crédito de uma das contas das disponibilidades. 260) (ESAF/AFTN-1989) Ao examinar o patrimônio da empresa Comercial Ltda., encontramos os seguintes elementos: . dinheiro: na tesouraria R$ 800,00 depositado no banco R$ 2.500,00 . máquinas: para uso próprio R$ 30.000,00 para revender R$ 25.000,00 . material de consumo R$ 2.000,00 . equipamento para uso próprio R$ 10.000,00 . duplicatas: emitidas pela empresa R$ 11.000,00 emitidas por terceiros R$ 13.500,00 . notas promissórias: emitidas pela empresa R$ 5.500,00 emitidas por terceiros R$ 5.000,00 . empréstimos não garantidos por títulos: obtidos pela empresa R$ 26.000,00 concedidos a terceiros R$ 3.500,00 . capital registrado na Junta Comercial R$ 40.000,00 A composição do patrimônio acima descrito e o conhecimento de que todos os títulos a ele incorporados foram pela empresa ou contra ela emitidos evidenciam que a Comercial Ltda., em suas relações com terceiros, possui créditos e débitos, respectivamente, de: a) R$ 42.500,00 e R$ 22.000,00 b) R$ 45.000,00 e R$ 19.500,00 c) R$ 85.000,00 e R$ 89.800,00 d) R$ 22.000,00 e R$ 42.500,00 e) R$ 19.500,00 e R$ 45.000,00 261) (ESAF/AFTN-1991) Os débitos escriturados no Razão da conta “Duplicatas a Receber” da empresa Comercial Rio Capibaribe S/A, no período-base de 01.01.90 a 31.12.90, somaram R$ 86.750.000,00 Informações adicionais: R$ - Saldo da Conta “Duplicatas a Receber” no balanço de 31.12.89 7.300.000,00 - Total dos débitos estornados no ano de 1990, em função de erros de 400.000,00 escrituração - Créditos correspondentes a Descontos Financeiros concedidos, em 1990, por recebimentos antecipados de Duplicatas vinculadas a revendas de 1.200.000,00 mercadorias Como todos os demais débitos feitos no ano de 1990 na questionada conta corresponderam a duplicatas emitidas contra Clientes, o montante das Vendas a Prazo naquele ano foi de: a) R$ 79.050.000,00 b) R$ 77.850.000,00 53

c) R$ 79.450.000,00 d) R$ 80.250.000,00 e) R$ 79.850.000,00 262) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Reconhece existência de pagamento antecipado de juros: a) Juros Ativos a Juros a Vencer b) Juros a Vencer a Juros Ativos c) Juros Passivos a Juros Ativos d) Juros a Vencer a Juros Passivos e) Receitas de Juros a Juros a Vencer 263) (ESAF/AFTN-1994/março) Lançamentos (só contas e valores) 1 ) Comissões sobre Vendas a Bancos Conta Movimento $ 500,00 2) Bancos Conta Movimento a Duplicatas a Receber $ 800,00 3) Bancos Conta Movimento a Receita de Aluguéis de Equipamentos $ 60,00 4) Obrigações Fiscais a Bancos Conta Movimento $ 200,00 5) Bancos Conta Movimento a Fundo de Comércios Adquirido $ 5.000,00 Os lançamentos acima, apresentados de forma simplificada, não se referem a estornos, retificações, transferências, complementações ou venda de direitos. Assim sendo, está errado, em função da natureza e finalidade das contas envolvidas, o registro contábil de número a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 264) (ESAF/AFTN-1994/março) A Cia. Industrial Romex efetuou, conforme nota fiscal 1.383 de 30/11/93, a seguinte transação Cr$ - Venda a prazo de 20 (vinte) unidades do produto "XIS", de sua fabricação, ao 90,00 preço unitário de 4,50 - Desconto Incondicional Concedido (constante da própria nota fiscal) 10,00 - IPI (20%) 16,00 - ICMS destacado (na nota fiscal) 20,00 O lançamento de 4ª fórmula (só contas e valores) correspondente a essa operação foi D C a) Clientes 90,00 Impostos sobre Vendas 36,00 A Vendas 96,00 A Conta Corrente do ICMS 20,00 A Descontos Incondicionais Concedidos 10,00 126,00 126,00 b) Clientes Descontos Incondicionais Concedidos Impostos sobre Vendas Conta Corrente do IPI A Vendas 80,00 10,00 20,00 16,00 90,00 54

A Conta Corrente do ICMS 126,00 c) Clientes Descontos Incondicionais Concedidos Impostos sobre Vendas A Vendas A Conta Corrente do IPI A Conta Corrente do ICMS 80,00 10,00 36,00

20,00 126,00

126,00 d) Clientes Descontos Incondicionais Concedidos Impostos sobre Vendas A Vendas A Conta Corrente do IPI A Conta Corrente do ICMS 96,00 10,00 20,00

90,00 16,00 20,00 126,00

126,00 e) Clientes Descontos Incondicionais Concedidos A Vendas A Conta Corrente do IPI A Conta Corrente do ICMS 116,00 10,00

90,00 16,00 20,00 126,00

126,00 GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 206- A 216- C 226- A 236- C 246- C 255- E 264- D 207- B 217- B 227- D 237- C 247- E 256- D 208- B 218- C 228- A 238- A 248- C 257- D 209- A 219- B 229- C 239- B 249- C 258- A 210- B 211- A 220- E 221- B 230- C 231- A 240- D 241- D 250- C C C E E 259- E C C E C 212- C 222- D 232- D 242- D 251- A 260- E 213- D 223- B 233- C 243- C 252- E 261- A 214- E 224- A 234- C 244- C 253- D 262- D

90,00 16,00 20,00 126,00

215- B 225- B 235- D 245- D 254- E 263- E

55

VI - O LANÇAMENTO CONTÁBIL 265) CAIXA a JUROS R$ 100,00 O lançamento acima, apresentado de forma sintética, é exemplo de fato contábil a) modificativo aumentativo b) modificativo diminutivo c) permutativo ativo d) misto ou composto e) permutativo passivo 266) A venda à vista, por R$ 2.000,00, de mercadorias adquiridas a prazo, por R$ 1.600,00, representa fato: a) modificativo, porque modificou tanto o Ativo quanto o Passivo. b) permutativo, porque permutou mercadorias adquiridas a prazo por dinheiro c) modificativo, porque as mercadorias foram convertidas em dinheiro d) permutativo, porque houve diminuição do saldo da conta Mercadorias e aumento do Passivo e) misto, porque modificou o Ativo e a Situação Líquida 267) Aumenta o Patrimônio Líquido: a) pagamento de salários; b) recebimento de duplicatas a receber; c) recebimento de duplicatas com juros; d) pagamento de obrigações em dinheiro; e) compra, à vista, de móveis e utensílios. 268) Numa empresa, o recebimento de juros (sobre adiantamento feito a empregado) sem o recebimento do principal correspondente é um fato contábil: a) misto aumentativo; b) modificativo aumentativo; c) permutativo; d) misto diminutivo; e) modificativo diminutivo. 269) No pagamento de uma obrigação tributaria já registrada em seu Passivo, a empresa ultrapassou o prazo de vencimento, tendo que resgatá-la com os respectivos acréscimos legais cabíveis. Essa operação caracteriza-se como um fato contábil: a) permutativo; b) misto diminutivo; c) misto aumentativo; d) modificativo aumentativo; e) modificativo diminutivo. 270) A emissão de cheque no valor de R$ 1.000,00 para pagamento de uma duplicata, com juros de 25%, representa: a) fato permutativo; b) fato modificativo aumentativo; c) fato modificativo diminutivo; d) fato misto aumentativo; e) fato misto diminutivo. 271) O lançamento Contábil Contas a Receber a Receita de Juros Serve para registrar corretamente uma operação que: a) afeta a situação líquida da empresa, porque há apropriação de novas receitas b) não afeta a situação líquida da empresa, porque não há o efetivo recebimento dos juros c) afeta a situação líquida da empresa, porque há o surgimento de novos direitos d) não afeta o patrimônio da empresa, porque o fato é apenas permutativo e) afeta o patrimônio da empresa, porque há aumentado do valor do Ativo e do Passivo 272) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) A alienação de um veículo por R$ 10.000,00 cujo valor contábil é de R$ 18.000,00 e a depreciação acumulada de R$ 7.200,00 constituirá contabilmente um fato (E) misto diminutivo {P modificativo diminutivo (C) misto aumentativo RI 56

VA TE }(A ) (B) permutativo (D) modificativo aumentativo 273) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) Observe a seqüência dos fatos contábeis ocorridos numa empresa: aquisição de um veículo de uso, a prazo, por 10.000,00; correção monetária do veículo (índice 1,1000); depreciação do veículo em 20% do valor corrigido; venda do veículo, a prazo, por 8.000,00. A seqüência mostra a ocorrência de fatos contábeis a) permutativo - modificativo diminutivo - modificativo diminutivo - misto diminutivo b) permutativo - modificativo aumentativo - modificativo diminutivo - misto diminutivo c) modificativo aumentativo - modificativo aumentativo - modificativo diminutivo - permutativo d) misto aumentativo - permutativo - misto diminutivo - modificativo diminutivo e) Permutativo - permutativo - permutativo - permutativo 274) (AGERS/RS/98) Considere a representação gráfica do patrimônio, em R$, em dois momentos. ANTES ATIVO PASSIVO E P. LÍQUIDO Caixa 50 Fornecedores 20 Mercadorias 20 Credores 100 Imobilizado 150 Capital Social 100 220 220 “DEPOIS” ATIVO PASSIVO E P. LÍQUIDO Caixa 50 Fornecedores 20 Clientes 10 Credores 100 Mercadorias 15 Patr. Líquido 105 Imobilizado 150 225 225 Pode-se afirmar que o fato contábil ocorrido entre “ANTES” e “DEPOIS” é um fato: a) misto aumentativo. b) permutativo. c) misto diminutivo. d) modificativo aumentativo. e) modificativo diminutivo. 275) (AGERS/RS/98) Um veículo adquirido por R$ 100,00 e com valor atual de R$ 240,00, utilizado durante 48 meses, foi vendido por R$ 48,00. Considerando que os procedimentos contábeis foram normais em relação ao bem, pode-se afirmar que, em R$: a) a venda deu lucro de 48 b) o PL aumentará em 240 c) o PL diminuirá em 140 d) o PL não será alterado e) a venda deu um lucro de 92 276) (MTB-CESPE-UNB/94) A operação que caracteriza um fato contábil permutativo é o(a) a) execução de serviços a terceiros, para pagamento a prazo. b) recebimento de doação, por uma empresa estatal. c) aumento de capital com a utilização de lucros acumulados e de reservas legais. d) apuração do resultado de correção monetária de Ativo Permanente e do Patrimônio Líquido. e) aumento de capital com nova subscrição dos sócios. 277) (ESAF/TFC-1996) Ocorre um fato contábil modificativo aumentativo a) na prestação remunerada de serviço b) no recebimento de duplicata julgada incobrável, mas ainda não baixada c) na alienação de mercadorias a prazo, com incidência de juros de mora d) na permuta de bens do ativo, com recebimento de troco em dinheiro e) na realização de capital subscrito

57

278) (PF/PERITO/1993) Determinada empresa decidiu aumentar o seu Capital, utilizando-se, para isso, de recursos de lucros obtidos em exercícios anteriores. Essa decisão caracteriza-se como um: (A) fato contábil modificativo. (B) Fato contábil permutativo. (C) Fato contábil misto. (D) Ato administrativo. 279) (ESAF/TFC-SFC/97) O lançamento a seguir registra um fato contábil Contas a Receber 17.000 Depreciação Acumulada de Máquinas 5.000 Máquinas 15.000 Resultados não-operacionais 7.000 a) b) c) d) e) permutativo modificativo aumentativo misto aumentativo misto diminutivo modificativo diminutivo

280) (ESAF/TTN-97) Uma empresa, que adota o regime da competência em sua escrituração, encerrou exercício social em 31.12.96. Nos primeiros dias de 1997 escriturou os seguintes eventos: 1. pagamento de salários dos empregados relativos ao mês de dezembro de 1996; 2. recebimento da diferença de imposto recolhido a maior em dezembro de 1996 e já reclamada naquele mês à autoridade competente; 3. venda de um bem do ativo permanente pelo preço de custo. A escrituração refere-se, respectivamente, a fatos contábeis a) permutativo - permutativo - permutativo b) modificativo diminutivo - modificativo aumentativo - permutativo c) permutativo - modificativo aumentativo - modificativo diminutivo d) modificativo diminutivo - misto aumentativo - permutativo e) misto diminutivo - misto aumentativo - misto diminutivo 281) (ESAF/MPOG/2001) Caracteriza fato contábil misto diminutivo a operação representada pelo lançamento a) D Fornecedores C Banco - Conta Movimento C Abatimentos sobre Compras b) D Caixa C Duplicatas a Receber C Receitas Financeiras c) D Veículos - novos C Caixa C Títulos a Pagar C Veículos - antigos d) D Empréstimos de Sócios C Capital a Integralizar e) D Empréstimos Bancários D Encargos Financeiros sobre Dívidas Repactuadas C Títulos a Pagar 282) Caracterizam o Livro Diário, todos os atributos abaixo, exceto: a) registro de todos os fatos administrativos que afetam o patrimônio; b) registro no órgão competente; c) ordem cronológica de escrituração; d) faculdade de escrituração em partidas mensais; e) obrigatoriedade. 283) A escrituração do Livro Diário com as operações registradas em rigorosa ordem cronológica de dia, mês e ano atende a uma: a) formalidade extrínseca prevista para os livros obrigatórios; b) exigência de natureza contratual; c) formalidade intrínseca prevista para os livros facultativos; d) formalidade extrínseca prevista para os livros facultativos; e) formalidade intrínseca prevista para os livros obrigatórios. 58

284) O lançamento de terceira fórmula, no Livro Diário, assume a seguinte forma: a) Local e data d) Local e data Conta Devedora Diversos a Diversos a Conta Credora Histórico e valor; Histórico e valor; b) Local e data Diversos a Conta Devedora Histórico e valor c) Local e data Conta Credora a Diversos Histórico e valor; 285) Uma Partida de Diário deve conter, no mínimo: a) histórico; local e data; valor da operação; contas devedora e credora b) códigos das contas devedora e credora; valor da operação; histórico o. c) n do “slip”; data e saldo da operação; contas devedora e credora; histórico d) data e saldo da operação; histórico; contas devedora e credora e) códigos das contas devedora e credora; data e valor da operação 286) Quanto à classificação dos livros contábeis, pode-se dizer que o Razão é um livro: a) obrigatório, sistemático e principal b) obrigatório, cronológico e principal c) facultativo, sistemático e principal d) obrigatório, sistemático e auxiliar e) facultativo, cronológico e principal 287) É considerada formalidade intrínseca do Livro Diário a: a) identificação da firma ou sociedade cujas operações são nele registradas b) escrituração das operações em ordem cronológica c) sua encadernação d) numeração tipográfica de suas folhas e) assinatura dos termos de abertura e de encerramento 288) Num livro DIÁRIO foram feitos 2 lançamentos, sendo o 1 . com várias contas debitadas e apenas uma o creditada e o 2 . com uma conta debitada e várias creditadas. Constata-se do exposto, terem sido utilizados lançamentos, respectivamente, de: a a a) 1 . e 4 . fórmulas a a b) 3 . e 2 . fórmulas a a c) 2 . e 3 . fórmulas a a d) 1 . e 2 . fórmulas a a e) 3 . e 4 . fórmulas 289) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) Os fatos contábeis provocam modificações na estrutura de patrimônio e o seu registro deverá ser feito de maneira cronológica, selecionando-os em grupos homogêneos e evidenciando seus aspectos qualitativos e quantitativos. Isso caracteriza a Técnica Contábil de {PRI Controle VAT E}(A ) (B) Planejamento (C) Auditoria (D) Escrituração (E) Demonstrações Contábeis 290) (TRT-4ª/ANAL.JUD.-2001) Indicar todas e cada uma das operações da entidade na medida e ordem em que ocorrem, assim como as alterações qualitativas e quantitativas por elas produzidas nos recursos aplicados e nas origens destes recursos constitui função do (A) razão. (B) diário. 59
o

e) Local e data Conta Devedora a Conta Credora Histórico e valor.

(C) balanço patrimonial. (D) doar. (E) fluxo de caixa. 291) Em relação ao texto abaixo, assinale a afirmativa falsa. O princípio basilar do Método das Partidas Dobradas - não há débito sem crédito correspondente - permite que se chegue às seguintes conclusões: a) a soma dos débitos é sempre igual à soma dos créditos; b) a soma dos saldos devedores é sempre igual à soma dos saldos credores; c) a soma das despesas (débito) é sempre igual à soma das receitas (crédito) d) a um débito ou a mais de um débito, numa ou mais contas, deve corresponder um crédito equivalente em uma ou mais contas; e) o total do Ativo será sempre igual à soma do Passivo Exigível com o Patrimônio Líquido. 292) Assinale a alternativa que contém a assertiva correta. a) "Salários a Pagar" é conta de despesa, pois representa a parte dos salários que ainda não foi paga; b) "Fornecedores" tem saldo credor, porque representa um débito da empresa e um crédito de terceiros; c) "Clientes" tem saldo devedor, porque representa um débito da empresa; d) "Fornecedores" representa uma divida da empresa, por isso é uma conta de saldo devedor; e) "Clientes" representa um direito da empresa por isso é uma conta de saldo credor. 293) Em relação às contas de Resultado, pode-se afirmar que: a) uma despesa, paga à vista, provoca uma redução de Ativo e um aumento de Passivo; b) uma despesa, paga à vista, provoca uma redução no Ativo e na Situação Líquida; c) uma receita, recebida á vista, provoca um aumento de Ativo e uma redução de Passivo; d) uma receita, recebida à vista, provoca um aumento no Ativo e na Situação Líquida e) as alternativas b e d estão corretas. 294) O saldo credor da conta Caixa: a) é inadmissível numa escrituração regular e correta; b) pode ocorrer nos casos de fornecimento de vales a empregados; c) pode ocorrer nos casos de omissão de escrituração de compras á vista; d) pode ocorrer nos casos de lançamento em duplicidade de vendas à vista; e) pode ocorrer nos casos de desfalques de dinheiro sofridos pela empresa. 295) Identificar a única operação ocorrida com a Empresa XMW entre dois momentos (M1 e M2), sucessivos. Ativo R$ M1 M2 200 320 40 800 600 400 400 1.000 1360 Passivo R$ M1 400 1.000 1.400

Caixa Fornecedores Clientes PL Mercadorias Capital Máquinas. Prejuízo Total a) redução do Capital Social; b) venda de mercadorias, à vista, com lucro; c) venda de mercadorias, parte à vista e parte a prazo, com prejuízo; d) venda de mercadorias, parte à vista e parte a prazo, com lucro; e) n.d.a.

M2 400 1.000 (40) 1360

296) A Cia. XMW adquire R$ 160,00 de mercadorias, pagando, em moeda corrente, 50% com desconto de 20% e aceitando, pelo restante, uma duplicata. O Ativo da firma: a) aumentou em R$ 96,00; b) aumentou em R$ 160,00; c) aumentou em R$ 80,00; d) não aumentou e nem diminuiu; e) n.d.a. 297) O Patrimônio Líquido da Cia. XMW, em determinado momento, está representado (em R$) por: Numerário - 100,00; Bens de Venda - 700,00; Bens de Uso - 500,00; Dívidas para com terceiros - 400,00; Bens de Renda - 100,00; Direitos - 200,00. Seu Patrimônio Líquido é de: a) R$ 1.200,00; b) R$ 1.300,00; e) n.d.a. c) R$ 1.800,00; d) R$ 2.000,00; 60

298) O Patrimônio da empresa XMW é constituído (em R$) por: Máquinas - 600,00; Nota Promissória de sua emissão - 500,00; Duplicatas de seu aceite - 1.500,00; Fornecedores - 400,00; Estoques - 3.000,00; Bancos - 200,00; Caixa - 100,00. Sabendo-se que o lucro corresponde a 20% do capital de terceiros, determinar o valor do Capital Social: a) R$ 1.500,00; e) R$ 2.400,00. b) R$ 3.900,00; c) R$ 1.020,00; d) R$ 480,00; 299) A conta LUCROS ACUMULADOS : a) tem sempre saldo credor; b) pode ter saldo devedor, se o resultado do exercício for negativo; c) é retificadora do Patrimônio Líquido; d) é creditada nas transferências para constituição de reservas; e) é debitada nas reversões de reservas anteriormente constituídas. 300) Assinale a alternativa que contém contas cujos saldos no Balanço Patrimonial são devedores: a) Fornecedores e Honorários a Pagar; b) Capital Social Subscrito e ICMS a Recolher; c) Lucros Acumulados e Contas a Pagar; d) Duplicatas a Receber e Móveis e Utensílios; e) Duplicatas a Pagar e Aluguéis a Pagar. 301) No levantamento de Balanço para apuração do resultado do período base, as contas de: a) custos e despesas são debitadas em contrapartida de uma conta transitória de resultado; b) receitas são creditadas em contrapartida de uma conta transitória de resultado; c) custos e despesas são creditadas em contrapartida de uma conta transitória de resultado; d) receitas são creditadas em contrapartida de conta de Lucros ou Prejuízos Acumulados; e) receitas são creditadas e as de despesas e custos são debitadas em contrapartida de uma conta transitória de resultado. 302) Assinale a opção que identifica, pelos números de ordem , exclusivamente contas que têm saldo de natureza devedora, constantes da relação a seguir: 1 - Caixa 2 - Duplicatas a Pagar 3 - Duplicatas a Receber 4 - Duplicatas Descontadas 5 - Imóveis de Uso 6 - Máquinas 7 - Móveis e Utensílios 8 - Notas Promissórias a Pagar 9 - Despesas de Salários 10 - Veículos de Uso a) 1, 3, 5, 7 e 9; b) 2, 4, 6, 8 e 10; c) 1, 2, 3, 4 e 5; d) 6, 7, 8, 9 e l0; e) 3, 4, 5, 6 e 7. 303) Do Balanço Patrimonial de uma empresa, foram extraídos os seguintes dados: Patrimônio Líquido R$ 150.000,00; Mercadorias R$ 150.000,00; Fornecedores R$ 50.000,00. Os dados faltantes são os relativos a Capital, Lucros ou Prejuízos Acumulados e outros Ativos, e têm, respectivamente, os seguintes valores (considere que os valores entre parênteses referem-se a prejuízos): a) R$ 150.000,00; zero e zero; b) R$ 150.000,00; (R$ 50.000,00) e zero; c) R$ 150.000,00; R$ 50,00,00 e R$ 50.000,00; d) R$ 100.000,00; R$ 50.000,00 e R$ 50.000,00; e) R$ 150.000,00; (R$ 50.000,00) e R$ 50.000,00. 304) De acordo com o regime de competência: a) as receitas e despesas são computadas no resultado de cada exercício na proporção dos recebimentos e pagamentos; 61

b) as receitas e despesas somente podem ser computadas no resultado do exercício depois de seus recebimentos e pagamentos; c) a receita é reconhecida quando bens ou serviços são fornecidos a terceiros em troca de dinheiro ou de outro valor do Ativo; d) as receitas e despesas são atribuídas aos períodos de ocorrência de seus respectivos fatos geradores; e) as alternativas c e d estão corretas. 305) Quando se adota o regime de competência, ao encerrar-se o exercício, os saldos: a) de todas as contas são transferidos automaticamente para o resultado do exercício; b) não são transferidos para o resultado do exercício; c) das contas de resultado são automaticamente transferidos para o resultado do exercício; d) das contas de resultado, somente depois de expurgadas as parcelas que se referem a exercícios futuros, é que se transferem para o resultado do exercício; e) n.d.a. 306) Os saldos das contas Caixa e Bancos no dia 01/05/97 eram, respectivamente, de R$ 70.000,00 e R$ 740.000,00. Sabendo-se que, no período: foram feitos saques em conta - corrente bancária no valor de R$ 580,000,00, em dinheiro; foram feitos depósitos bancários no montante de R$ 500.000,00; não foram feitos outros créditos na conta Caixa; no dia 31/05/97, o saldo da conta Caixa era de R$ 150.000,00. Pode-se afirmar que os valores: total de débitos à conta Caixa e saldo da conta Bancos eram, em 31/05/97, respectivamente, de: a) R$ 70.000,00 e R$ 660.000,00; b) R$ 150.000,00 e R$ 660.000,00; c) R$ 500.000,00 e R$ 500.000,00; d) R$ 580,000,00 e R$ 660.000,00; e) R$ 580.000,00 e R$ 500.000,00 307) Indique o item que contém o lançamento contábil de um dos fatos contábeis descritos: 1 - compra de material de consumo, a prazo; 2 - apropriação de consumo de energia elétrica; 3 - pagamento de duplicata com juros de mora; 4 - pagamento de salários do período anterior. a) Despesas de Salários a Caixa b) Despesas de Energia Elétrica a Contas a Pagar c) Caixa a Receitas de Juros d) Duplicatas a Pagar a Caixa e) Caixa a Salários a Pagar 308) observe o lançamento abaixo: Duplicatas a Pagar a Diversos a Bancos 98.000,00 a Descontos Obtidos 2.000,00 Assinale a alternativa correta: a) alienação de bens a prazo; b) alienação de bens a prazo, com desconto; c) aquisição de bens a prazo; d) aquisição de bens com desconto; e) pagamento de dívidas com desconto.

100.000,00

62

309) Uma empresa que adquiriu um carro para seu próprio uso, pagando uma entrada de 20% e aceitando duplicatas no valor de R$ 20.000,00, deverá fazer o seguinte lançamento contábil; a) Diversos a Duplicatas a Pagar Caixa 5.000,00 Veículos 20.000,00 25.000,00 b) Veículos a Diversos a Caixa 5.000,00 a Duplicatas a Pagar 20.000,00 25.000,00 c) Diversos a Duplicatas a Pagar Caixa 4.000,00 Veículos 16.000,00 20.000,00 d) Veículos a Diversos a Caixa 4.000,00 a Duplicatas a Pagar 16.000,00 20.000,00 e) Veículos a Diversos a Caixa 4.000,00 a Duplicatas a Pagar 16.000,00 20.000,00 310) A emissão de um cheque no valor de R$ 500,00 para pagamento de uma duplicata, com juros de 25%, deve receber o seguinte lançamento contábil: a) Diversos a Bancos c/Movimento Duplicatas a Pagar 400,00 Juros Passivos 100,00 500,00 b) Duplicatas a Pagar a Diversos a Bancos c/Movimento 500,00 a Despesas de Juros 100,00 600,00 c) Diversos a Bancos c/Movimento Duplicatas a Pagar Despesas de Juros d) Bancos c/Movimento a Diversos a Duplicatas a Pagar a Juros Passivos e) Diversos a Duplicatas a Pagar Bancos c/Movimento Despesas de Juros

500,00 125,00

625,00

400,00 100,00 500,00

500,00 100,00

600,00

311) Determinado cliente pagou duplicata de seu aceite no valor de R$ 80.000,00, adicionado de juros de mora de R$ 4.000,00. Assinale a opção que contém o lançamento contábil, na emitente da duplica, considerando-se que sua liquidação foi feita através de cobrança bancária. a) Diversos a Duplicatas a Receber Bancos 80.000,00 Receitas de Juros 4.000,00 84.000,00 b) Bancos a Diversos a Duplicatas a Receber 80.000,00 a Receitas de Juros 4.000,00 84.000,00 c) Duplicatas a Receber 63

a Diversos a Bancos a Receitas de Juros d) Diversos a Bancos Duplicatas a Receber Receitas de Juros e) Duplicatas a Receber a Diversos a Duplicatas Descontadas a Receitas de Juros

80.000,00 4.000,00 84.000,00 80.000,00 4.000,00 84.000,00 80.000,00 4.000,00 84.000,00

312) O Método das Partidas Dobradas utiliza, nos lançamentos: a) uma fórmula; b) duas fórmulas; c) três fórmulas; d) quatro fórmulas; e) n.d.a. 313) Observe: Diversos a Caixa 110.000,00 Financiamentos Bancários 100.000,00 Juros Passivos 10.000,00 O lançamento acima representa no Método das Partidas Dobradas, lançamento de : a) segunda fórmula; b) terceira fórmula; c) quarta fórmula; d) pagamento de financiamento bancário com acréscimo de juros; e) as alternativas b e d estão corretas. 314) Para o registro contábil do pagamento de uma duplicata, com desconto, feito num único lançamento (Partida de Diário), usam-se: a) uma conta devedora e uma credora b) duas contas devedoras e duas credoras c) duas contas devedoras e uma credora d) uma conta devedora e duas credoras e) três contas devedoras e uma credora 315) A compra de equipamento para uso da própria empresa, pagando-se uma entrada em dinheiro e aceitando-se duplicatas pelo valor restante, será contabilizada através de um único lançamento de: a) segunda fórmula b) primeira fórmula c) fórmula simples d) terceira fórmula e) quarta fórmula 316) Assinale a alternativa correta: a) A conta “Salários a Pagar” é uma conta de despesa, pois representa a parte dos salários que ainda não foi paga b) A conta “Fornecedores” tem saldo credor, porque representa um débito da empresa c) A conta “Clientes” tem saldo devedor, porque representa um débito da empresa d) A conta “Fornecedores” representa uma dívida da empresa, por isso é uma conta de saldo devedor e) A conta “Clientes” representa um direito da empresa, por isso é uma conta de saldo credor 317) O lançamento DIVERSOS a DIVERSOS a) é geralmente empregado no registro de operações através de partidas mensais b) é o mais adequado ao registro individualizado das operações de uma empresa c) é o mais adequado à escrituração feita através da computação eletrônica de dados d) não é admitido pelo método das partidas dobradas a e) é chamado de 2 . fórmula 64

318) O lançamento de 2 . fórmula é aquele composto de: a) uma conta a débito e uma a crédito b) uma conta a débito e duas ou mais contas a crédito c) duas ou mais contas a débito e uma só conta a crédito d) duas ou mais contas a débito e duas ou mais contas a crédito e) histórico e valor da operação 319) A operação de venda de um veículo ainda não depreciado, feita sem lucro ou prejuízo, é registrada contabilmente mediante o seguinte lançamento: a) débito de contas a pagar e crédito de veículos b) débito de veículos e crédito de caixa c) débito de veículos e crédito de contas a receber d) débito de contas a receber e crédito de veículos e) débito de veículos e crédito de contas a pagar 320) A empresa “Delmiro Campos e Cia. Ltda.” devolveu a um cliente, em dinheiro, a quantia de R$ 27.000,00 recebida a maior quando da liquidação de duplicata mercantil por ela emitida. O registro contábil do fato feito, acertadamente, a débito da conta: a) “Duplicatas a Pagar” b) “Caixa” c) “Duplicatas a Receber” d) “Despesas com Restituições” e) “Devolução de Vendas” 321) Toda conta do Ativo será: a) debitada pelo aumento e creditada pela diminuição b) debitada pela diminuição e creditada pelo aumento c) debitada ou creditada, conforme se trate de bem tangível e intangível d) debitada para registrar decréscimo patrimonial e creditada para registrar aumento patrimonial e) debitada para registrar aumento patrimonial e creditada para registrar decréscimo patrimonial 322) Tendo em vista que as contas podem receber lançamentos de débito e de crédito, pode-se afirmar que os lançamentos: a) a crédito de conta de despesas representam um aumento em seu saldo b) a débito da conta de Resultado do Exercício representam transferência das contas de despesas ou custos c) a débito da conta de despesas representam transferência de saldo para apuração de resultado do exercício d) a débito da conta de Resultado do Exercício representam transferência das contas de receitas e) a crédito da conta de receitas representam transferência de saldo para apuração de resultado do exercício 323) O método das Partidas Dobradas utiliza, nos lançamentos: a) uma fórmula b) três fórmulas c) duas fórmulas d) quatro fórmulas e) fórmulas mistas 324) Registra contabilmente o aumento das obrigações da empresa o lançamento a) Despesas de Seguros a Seguros a Vencer b) Provisão para créditos de Liquidação Duvidosa a Clientes c) Adiantamentos a Fornecedores a Caixa d) Impostos Incidentes sobre Vendas - ICMS a ICMS a Recolher e) Duplicatas Descontadas a Duplicatas a Receber 325) Levando-se em conta os pressupostos do método das partidas dobradas, podemos afirmar que o lançamento de valores a débito de uma conta: a) e a crédito de duas ou mais de duas contas é denominado lançamento de segunda fórmula b) e a crédito de duas ou mais de duas contas é denominado lançamento de terceira fórmula c) e a crédito de uma ou mais de uma conta é denominado lançamento de quarta fórmula d) e a crédito de outra conta é denominado lançamento de terceira fórmula e) ou mais de uma conta e a crédito de uma conta é denominado lançamento de segunda fórmula 65

a

326) O lançamento DUPLICATAS DESCONTADAS a DUPLICATAS A RECEBER é feito para registrar contabilmente a) a emissão de duplicata contra cliente da empresa b) o aceite de duplicata por parte do sacado c) o desconto de duplicata junto a um banco d) a baixa de duplicata descontada junto ao banco que a descontou, por não haver sido paga pelo sacado e) o pagamento, pelo sacado, de duplicata descontada 327) (TFC/ESAF-2001) Aponte o lançamento correto, considerando que os históricos estão certos e adequados: a) Diversos a Caixa pelo recebimento de duplicatas, como segue: Duplicatas a Receber valor principal do título 300,00 Juros Ativos valor dos juros incorridos 30,00 330,00 b) Duplicatas a Pagar a Diversos pelo pagamento de duplicatas, como segue: a caixa valor líquido do título 270,00 a Descontos Passivos valor dos descontos obtidos no pagamento 30,00 300,00 c) Diversos a Diversos valor das vendas de mercadorias isentas de tributação realizadas nesta data, como segue: Caixa valor recebido como entrada e sinal de pagamento 100,00 Clientes valor financiado na operação, para 30 e 60 dias 400,00 500,00 a Mercadorias valor de custo que ora se baixa do estoque 350,00 a Resultado com Mercadorias valor do lucro alcançado nesta venda 150,00 500,00 d) Caixa a Bancos conta Movimento valor do nosso depósito bancário nesta data 250,00 e) Comissões Ativas a Caixa valor das despesas de comissão, pago nesta data 60,00 328) (AGERS/RS/98) Efetuando, no mesmo lançamento, a venda por valor abaixo do residual e a baixa de um bem do imobilizado, o resultado da operação e o lançamento, quanto à fórmula, serão, respectivamente: a) prejuízo e 3ª fórmula b) prejuízo e 4ª fórmula c) lucro e 2ª fórmula d) prejuízo e 2ª fórmula e) lucro e 4ª fórmula 329) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - Recife, 13 de julho de 1994 D - Duplicatas a pagar Valor da duplicata n.º 73/94 da SETEX S.A., substituída por Uma Nota promissória vencível em 13/09/94. R$ 700,00 D - Juros Passivos 4% sobre valor da duplicata 73/94 da SETES S.A. substituída por nota promissória vencível em 13/09/94 R$ 28,00 C - Notas Promissórias a Pagar Nosso aceite de nota promissória em favor da SETEX S.A., Vencível em 13/09/94, emitida em substituição à duplicata Nº 73, vencida hoje, mais juros de 2% ao mês. R$ 728,00

R$ 728,00 66

Obs.: A situação líquida da empresa que efetuou o lançamento continuou, após o mesmo, positiva. O lançamento contábil transcrito (feito no livro Diário) observou o método das partidas simples, a função histórica e a função monetária b) é de 2ª fórmula e reduziu a situação líquida c) é de 3ª fórmula e reduziu a situação líquida d) é de 2ª fórmula e aumentou a situação líquida e) observou o método das partidas dobradas e aumentou a situação líquida 330) (ESAF/TTN-97) Na conferência física do dinheiro depositado em cofre verificou-se que havia ali R$ 300,00, enquanto que o saldo contábil da conta Caixa era de R$ 400,00. Justificou-se a divergência com a seguinte constatação: a) houve omissão de escrituração de vendas no valor de R$ 100,00 b) uma nota de compra de R$ 50,00 foi escriturada como sendo de venda c) um adiantamento salarial de R$ 100,00 foi escriturado duas vezes d) um cheque emitido para suprimento de caixa, do valor de R$ 100,00, não foi escriturado e) Houve omissão de escrituração de compras no valor de R$ 50,00 331) (ESAF/TRF-2000) Abaixo são apresentadas cinco afirmativas. Escolha entre elas a única que não expressa inteiramente a verdade. a) O pagamento, em cheque bancário, do valor de uma duplicata acrescido de encargos de juros e de mora, deve ser contabilizado em lançamento de terceira fórmula. b) Quando o extrato bancário de uma empresa apresenta saldo credor, o valor desse saldo passa a representar um passivo na estrutura patrimonial. c) A aquisição de máquinas, parte para alugar e parte para revender, com pagamento de entrada em dinheiro e aceite de títulos pelo valor restante, caracteriza um fato administrativo permutativo. d) As contas de Provisão tanto podem ser classificadas no Passivo Circulante, como no Ativo Circulante ou no Ativo Permanente, dependendo de sua natureza, mas, mesmo assim, todas elas são formadas a partir de débitos lançados em contas de despesa. e) Uma operação de devolução de vendas afeta os valores contabilizados tanto em “Receita de Vendas”, como em “Custo das Vendas”, como também afeta o valor do estoque final. 332) (ESAF/TRF-2000) Os títulos que estão relacionados abaixo em ordem alfabética constam do Plano de Contas da empresa S/A Mera & Simples. Ações de Coligadas Ações em Tesouraria Capital a Integralizar Capital Social Depósito Bancário Despesas Antecipadas Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Empréstimos Bancários Estoque de Mercadorias Receitas Antecipadas Venda de Mercadorias Observando-se a relação acima podemos dizer que ela contém a) 01 conta de passivo, 05 contas de ativo e 07 contas de patrimônio líquido b) 02 contas integrais credoras, 05 contas integrais devedoras e 06 contas diferenciais c) 03 contas de resultado e 10 contas patrimoniais d) 06 contas de saldos credores e 07 contas de saldos devedores e) 03 contas de agente consignatário, 04 contas de agente correspondente e 06 contas do proprietário 333) (ESAF/TFC/2001) Os procedimentos contábeis utilizados no Método das Partidas Dobradas exigem que se registrem os investimentos da atividade em contrapartida com as respectivas fontes de financiamento, formando-se, com isso, um fundo de valores positivos e negativos que se contrapõem. Desse modo, quando é elaborado um balancete de verificação no fim de determinado período, o fundo de valores positivos, do ponto de vista contábil, estará representado pela soma a) dos bens, dos direitos e das despesas b) dos bens e dos direitos c) dos bens, dos direitos e das receitas d) do ativo e do patrimônio líquido e) do patrimônio líquido 334) O Balancete de Verificação do Razão tem como principal finalidade: a) demonstrar o crédito apurado; b) demonstrar a exatidão da equação do patrimônio; 67

c) evidenciar o Patrimônio Líquido da entidade; d) colocar em destaque o Ativo Líquido da entidade; e) relacionar as contas de acordo com seus respectivos saldos e verificar a igualdade entre a soma dos saldos devedores e credores. 335) O balancete de verificação da empresa Alfa apresenta as seguintes contas e respectivos saldos em 31.12.88: Mercadorias (estoques) R$ 2.750,00 Material de Consumo (estoques) R$ 800,00 Contas a Pagar R$ 4.250,00 Receita de Aluguel R$ 1.700,00 Contas a Receber R$ 1.250,00 Despesas de Juros R$ 1.150,00 Impostos a Recolher R$ 1.350,00 Capital Social R$ 3.400,00 Prejuízos Acumulados R$ 250,00 Com base nas informações acima, pode-se afirmar com segurança que, em 31.12.88, a empresa Alfa tinha um Capital Próprio no valor de: a) R$ 3.150,00 b) R$ 2.350,00 c) R$ 3.700,00 d) R$ 3.950,00 e) R$ 2.900,00 336) Após todos os ajustes, o Balancete de Verificação, da Cia. XMW em 31/12/X2, apresentou os seguintes dados: Contas Bancos conta movimento Caixa Capital Custo das Mercadorias Vendidas Depreciação Acumulada Despesas Gerais Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Equipamentos Lucros Acumulados Mercadorias Receitas de vendas Salários a Pagar Totais Saldos em R$ Devedores Credores 120.000 20.000 200.000 680.000 15.000, 220.000 50,000 80.000 60.000 30.000 40.000 910.000 15.000 1.220.000 1.220.000

No Balanço de encerramento, o Patrimônio Líquido totaliza: a) R$ 245.000,00; b) R$ 240.000,00; c) R$ 230.000,00; d) R$ 220.000,00; e) R$ 200.000,00. 337) Casa das Baterias Ltda., cujo balanço é levantado a 31 de agosto de cada ano, apresentou no Balancete de Verificação de 31/08/82 (elaborado com a finalidade de permitir a realização de ajustes ao resultado do exercício), na conta “ALUGUÉIS A VENCER”, um saldo devedor de R$ 36.000,00, relativo ao contrato de aluguel, no montante de R$ 135.000,00, do depósito geral, abrangendo o período de 01/10/80 a 31/03/83. A fim de atender ao regime de competência dos exercícios, o contador da empresa fez uma partida de diário, debitando a conta ALUGUÉIS e creditando a conta “ALUGUÉIS a VENCER”, no valor de: a) R$ 27.600,00 b) R$ 1.200,00 c) R$ 4.500,00 d) R$ 31.500,00 e) R$ 13.500,00 338) Considere o lançamento abaixo: Lucros ou Prejuízos Acumulados 68

a Resultado do Exercício Esse lançamento se destina ao seguinte registro: a) encerramento das contas de despesas na apuração do resultado do exercício; b) encerramento das contas de receitas na apuração do resultado do exercício; c) transferência para lucros ou prejuízos acumulados do lucro apurado do exercício; d) transferência para lucros ou prejuízos acumulados do prejuízo apurado no exercício; e) correção monetária dos lucros ou prejuízos acumulados dentro da sistemática da correção monetária do balanço. 339) A firma ABC foi registrada e obteve R$ 500,00 dos sócios, na forma de capital; R$ 300,00 de terceiros, na forma de empréstimos e R$ 150,00 de terceiros, na forma de rendimentos. Aplicou esses recursos, sendo: R$ 450,00 em bens para revender; R$ 180,00 em caderneta de poupança; R$ 240,00 em empréstimos concedidos; e o restante em despesas. Com essa gestão, pode-se afirmar que a empresa ainda tem um patrimônio bruto e um patrimônio líquido, respectivamente, de: a) R$ 870,00 e R$ 570,00 b) R$ 690,00 e R$ 570,00 c) R$ 630,00 e R$ 330,00 d) R$ 950,00 e R$ 500,00 e) R$ 950,00 e R$ 650,00 340) Dados extraídos de um balanço patrimonial: Ativo Total 10.000,00 Ativo Permanente 5.000,00 Ativo Realizável a Longo Prazo 2.000,00 Ativo Circulante (valor parcial, faltando ser computado o saldo de uma conta) A conta cujo saldo não fora computado no Ativo Circulante poderá ser: a) Bancos - Conta Movimento b) Duplicatas a Receber c) Mercadorias em Estoque d) Despesas Pagas Antecipadamente e) Duplicatas Descontadas

3.500,00

341) (ESAF/AFTN-1989) A empresa Comercial Santa Rita Ltda., registrou nos livros fiscais e comerciais a aquisição, em 28/09/88, de 500 (quinhentas) radiolas, ao preço unitário de R$ 10.000,00. O ICMS destacado na nota fiscal, R$ 600.000,00, foi calculado à alíquota de 12% (doze por cento). No livro DIÁRIO foram debitadas as contas “COMPRAS” (R$ 4.400.000,00) e “ICMS A RECUPERAR” (R$ 600.000,00) e creditada a conta “FORNECEDORES” (R$ 5.000.000,00). Toda a mercadoria adquirida foi inventariada em 31/12/88, o que acarretou o lançamento contábil (DIÁRIO) a débito da conta “ESTOQUES DE MERCADORIAS” e a crédito da conta “COMPRAS”. No dia 03/01/89 mais um lançamento foi feito do DIÁRIO a débito da conta “FORNECEDORES” (R$ 5.000.000,00) e a crédito das contas “ESTOQUES DE MERCADORIAS” (R$ 4.400.000,00) e “RECEITA NÃO-OPERACIONAIS” (R$ 600.000,00 O Fisco Estadual constatou, posteriormente, que a nota fiscal era “fria” e o fornecedor fantasma, ou seja, a operação tinha sido forjada. Em decorrência, autuou a empresa pelo crédito indevido do ICMS e enquadrou seus dirigentes como incursos em crime de sonegação fiscal. Em função dos registros contábeis efetuados, o lucro líquido apurado e declarado pela Comercial Santa Rita Ltda., em 31/12/88, no montante de R$ 10.000.000,00 a) não foi afetado b) foi reduzido em R$ 600.000,00 c) foi aumentado em R$ 600.000,00 d) foi reduzido em R$ 5.000.000,00 e) foi reduzido em R$ 4.400.000,00 342) (ESAF/TFC-SFC/97) Aponte o lançamento contábil que enseje variação do patrimônio líquido. 69

a) Reserva de Lucros a Realizar a Lucros Acumulados b) Reserva Legal a Capital c) Prejuízos Acumulados a Resultado do Exercício d) Lucros Acumulados a Reserva para Contingências e) Capital a Prejuízos Acumulados 343) (ESAF/MPOG/2001) De acordo com a legislação brasileira, a) os bens arrendados utilizados pela arrendatária integram seu Ativo. b) o fundo de comércio que a empresa vai acumulando ao longo de sua existência não é registrado em seu Ativo. c) as partes beneficiárias atribuídas gratuitamente pela companhia classificam-se no seu Patrimônio Líquido. d) os tributos devidos cujo valor esteja sendo questionado pela empresa não podem figurar em seu Passivo. e) as ações da própria companhia, adquiridas e mantidas em tesouraria, devem ser classificadas no seu Ativo. 344) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) Quando há o aumento do capital com utilização de Lucros Acumulados e Reservas, observa-se que {PRI haverá aumento no capital próprio VAT E}(A ) (B) não há variação no capital próprio (C) haverá a diminuição no capital próprio (D) haverá aumento no passivo e diminuição no patrimônio líquido (E) haverá a diminuição no passivo e aumento no patrimônio líquido 345) (ESAF/TFC-1996) Pedro e Paulo constituíram uma empresa para explorar o comércio de gêneros alimentícios. Subscreveram capital de 100.000,00, integralizado em 20%. Para a integralização, os sócios fizeram empréstimo bancário, individualmente. A empresa adquiriu bens de uso, no valor de 30.000,00, utilizando para pagamento os recursos oriundos da integralização do capital e títulos de crédito emitidos em favor dos vendedores. Adquiriu, ainda, a prazo, mercadorias para revenda, no valor de 20.000,00. Assim sendo, o capital próprio da nova sociedade é de a) zero b) 20.000.00 c) 30 000.00 d) 50.000,00 e) 100.000,00 346) (Unb-CESPE/STF-analista/99) A escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, devendo observar métodos ou Critérios contábeis uniformes no tempo. Tendo havido modificação de métodos ou critérios contábeis, de efeitos relevantes no resultado do período, a companhia tem o dever de a) alterar a sua escrita, revertendo os registros, pois não pode haver mudança de método ou critério contábil. b) excluir os seus efeitos da base de cálculo dos dividendos a serem distribuídos. c) oferecer a diferença à tributação, caso tenha ocorrido acréscimo de resultado. d) retificar o valor do patrimônio líquido no balanço patrimonial, passando a demonstrar a situação sem esses efeitos e com eles em todos os exercícios sociais subsequentes. e) indicá-la em nota explicativa e ressaltar esses efeitos. 347) (ESAF/TFC-1996) A conta Marcas e Patentes é representativa de a) bem do ativo permanente - imobilizado, sujeita a depreciação 70

b) bem do ativo permanente - investimentos, sujeito a depreciação c) direito do ativo permanente - imobilizado, sujeito o amortização d) direito do ativo permanente - investimentos, sujeito a amortização e) bem ou direito do ativo diferido, sujeito a exaustão 348) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) Ao liquidar uma dívida da empresa {PRI o seu débito diminuirá VAT E}(A ) (B) a sua dívida aumentará (C) o seu crédito aumentará (D) o seu débito permanecerá inalterado (E) o seu crédito diminuirá 349) (ESAF/TTN-1994/matutino) Fatos Contábeis: - Pagamento em dinheiro de duplicata de fornecedor: - Compra de imóvel à vista: - Depósito de cheque recebido de cliente, em banco: - Aumento do Capital Social com incorporação de Reservas; - Juros creditados pelo banco, na conta de movimento, referentes a Duplicatas a Receber, cobrança simples, liquidadas com atraso; - Desconto obtido pelo pagamento antecipado de duplicata a fornecedor; - Pagamento de juros de mora por atraso na liquidação de empréstimo bancário: - Pagamento de ordenados: - Venda à vista de ações em tesouraria: - Adiantamentos de acionistas para futuro aumento de capital. Obs.: Todos os recebimentos, em dinheiro ou cheque, são contabilizados na conta CAIXA. Os lançamentos contábeis dos fatos acima relacionados que não alteram o total do ATIVO (soma do Circulante, Realizável a Longo Prazo e Permanente - parte positiva do patrimônio) são em número de a) seis c) três d) quatro b) sete e) cinco 350) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - Uma empresa transferiu seus Ativos e Passivos por R$ 165.000,00, importância recebida em dinheiro. Sabendo-se que o seu Patrimônio Líquido era de R$ 145.000,00, podese afirmar que a operação gerou a) resultado nulo ------ nem lucro, nem prejuízo -----b) prejuízo de R$ 310.000,00 c) prejuízo de R$ 20.000,00 d) lucro de R$ 310.000,00 e) lucro de R$ 20.000,00 351) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) Como exemplos de Técnicas Contábeis, temos: {PRI controle e auditoria VAT E}(A ) (B) planejamento e escrituração (C) demonstrações contábeis e controle (D) planejamento e controle (E) auditoria e análise de balanços GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 265- A 275- D 285- A 295- C 305- D 266- E 276- C 286- C 296- C 306- D 267- C 277- A 287- B 297- A 307- B 268- B 278- B 288- B 298- C 308- E 269- B 279- C 289- D 299- A 309- B 270- E 280- A 290- B 300- D 310- A 271- A 281- E 291- C 301- C 311- B 272- E 282- D 292- B 302- A 312- D 273- B 283- E 293- E 303- D 313- E 274- A 284- D 294- A 304- E 314- D 71

315- A 325- A 335- C 345- B

316- B 326- E 336- B 346- E

317- A 327- C 337- C 347- C

318- B 328- A 338- D 348- A

319- D 329- C 339- A 349- C

320- C 330- B 340- E 350- E

321- A 331- B 341- A 351- E

322- B 332- D 342- C

323- D 333- A 343- B

324- D 334- E 344- B

VII - OPERAÇÕES COM MERCADORIAS

352) (FISCAL ICMS/MS-2000) Indique, dentre as alternativas abaixo, aquela que melhor caracteriza o Sistema de Inventário Permanente: A)Sempre que houver o controle do Estoque de Mercadorias de forma contínua, dando-se baixa acumulada e anual pelo total das Vendas, utilizando como base o preço de mercado dessas mercadorias vendidas. B)Sempre que não houver o controle do Estoque de Mercadorias de forma não contínua, dando-se baixa acumulada e anual pelo total das Vendas, utilizando como base o preço de mercado dessas mercadorias vendidas. C)Sempre que houver o controle do Estoque de Mercadorias de forma contínua, dando-se baixa, em cada venda, pelo custo dessas mercadoria vendidas. D)Sempre que houver o controle do Estoque de Mercadorias de forma não contínua, paralela e concomitante, dando-se baixa do total transacionado pelo custo dessas mercadorias vendidas. 353) (FISCAL ICMS/MS-2000) Quando as Vendas de uma empresa são realizadas sem um controle concomitante e paralelo do Estoque de Mercadorias, indique qual dos sistemas abaixo está sendo utilizado para calcular o Custo das Mercadorias Vendidas: A) Sistema de Inventário Permanente. B) Sistema de Inventário de Preço Justo. C) Sistema de Inventário Periódico. D) Sistema de Inventário de Fluxo Alternado. 354) (AFTN-1994/setembro) Na escrituração contábil de uma empresa varejista encontramos o seguinte lançamento de registro de compra de mercadorias: Caixa a Mercadorias 800.000,00 800.000,00

Sabendo-se que o registro se refere a uma nota fiscal com as seguintes características: 1) 40 u. do produto X a R$ 12,50 a u. 40 u. do produto Y a R$ 5,00 a u. 40 u. do produto Z a R$ 2,50 a u. 2) IPI lançado 3) Total da nota fiscal 4) Mercadoria sujeita ao ICMS de 18% 5) A empresa não é equiparada para efeito de IPI podemos afirmar que o lançamento a) está correto, apesar de não registrar o destaque do ICMS b) não está correto, porque não registrou o destaque do ICMS e o lançamento do IPI c) não está correto d) não está correto, porque não registrou o destaque do ICMS e) está correto 72 500.000,00 200.000,00 100.000,00 800.000,00 120.000,00 920.000,00

355) (MEMÓRIA/1999-SP) No término do exercício social, uma empresa prestadora de serviços observou que havia alguns serviços prestados a clientes que não estavam ainda faturados. Em obediência ao princípio da Competência, registrou contabilmente o fato mediante o seguinte lançamento: A) Clientes Diversos a Serviços a Faturar B) Serviços a Faturar a Receita Antecipada de Serviços C) Serviços a Faturar a Receita de Serviços D) Clientes Diversos a Receita Antecipada de Serviços E) n.d.a. 356) O saldo da conta Mercadorias, utilizada para registro dos estoques, das entradas e das saídas de mercadorias, apresentava-se credor, no valor de R$ 430,00. Sabendo-se que o inventário indica a existência de estoques de R$ 270,00, pode-se afirmar que o Resultado com Mercadorias foi de: a) R$ 160,00 de lucro b) R$ 160,00 de prejuízo c) R$ 270,00 de lucro d) R$ 430,00 de prejuízo e) R$ 700,00 de lucro 357) As operações com mercadorias realizadas durante o exercício estão resumidas no razonete abaixo: MERCADORIAS SI - 40.000 230.000 – V C - 160.000 Convenções: SI = Saldo Inicial; C = Compras; V = Vendas Sabendo-se que o estoque final é de R$ 30.000,00, CONCLUI-SE que o Resultado com Mercadorias (RCM) do exercício foi de: a) Zero b) R$ 30.000,00, positivo c) R$ 30.000,00. Negativo d) R$ 60.000,00, positivo e) R$ 60.000,00, negativo 358) Na empresa “Casa das Tintas Ltda.”, a conta mista MERCADORIAS apresentou, no balancete levantado em 31/12/82 para fins de apuração do resultado do exercício, um saldo devedor de R$ 820.000,00, no qual estavam computadas vendas no valor de R$ 2.900.000,00. O resultado bruto com mercadorias (RCM), sabendo-se que a avaliação do estoque final de mercadorias para revenda importou em R$ 280.000,00, foi um: a) lucro de R$ 540.000,00 b) prejuízo de R$ 540.000,00 c) lucro de R$ 2.360.000,00 d) lucro de R$ 1.800.000,00 e) prejuízo de R$ 1.100.000,00 359) “Mercadorias”, usada como conta mista por uma empresa, apresentou no balancete de verificação de final de exercício saldo credor de R$ 10.000,00. O inventário físico apontou estoque de R$ 2.000,00. Sabendo-se que a margem de lucro bruto (fixa) é de 30% sobre o valor das vendas, conclui-se que o valor das vendas no período foi de R$: a) 10.000,00 b) 12.000,00 c) 24.000,00 d) 30.000,00 e) 40.000,00 360) (ESAF/TFC-1996) Uma empresa usa uma única conta para registrar estoques, entradas e saídas de mercadorias. No final do exercício de 1995, essa conta apresentava saldo devedor de 80.000,00. O resultado bruto com mercadorias no exercício foi de 140.000,00 (positivo). O estoque final de mercadorias em 31.12.95 era, portanto, de a) 60.000,00 73

b) 80.000,00 c) 120.000,00 d) 140.000,00 e) 220.000,00 361) No sistema de inventário permanente, a conta de Mercadorias, cujo saldo representa o estoque atualizado das mercadorias existentes, é assim movimentada: a) é debitada pelo valor das compras e creditada pelo valor das vendas b) é debitada pelo valor do estoque inicial e das compras e creditada pelo valor de custo das mercadorias vendidas c) é debitada pelo valor do estoque inicial e creditada pelo valor do estoque final de mercadorias e pelas vendas d) é debitada pelo valor do estoque inicial e das compras e creditada pelo valor das vendas e) é debitada pelo valor das compras e creditada pelo valor do estoque inicial de mercadorias 362) (PF/PERITO/1993) A Empresa Comercial Alfa Ltda. Adota o critério de inventário permanente. Num determinado dia ela comprou mercadoria à vista no valor de CR$ 200.000,00. A alíquota do ICMS era de 17%. Os lançamentos referentes a esta transação são: A) Compras a Caixa ICMS a Recuperar a ICMS B) Diversos a Caixa Mercadorias (Estoques) ICMS a Recuperar C) Mercadorias (Estoques) a Caixa ICMS a Recuperar a ICMS a Recolher D) Mercadorias (Estoques) a Diversos a Caixa a ICMS a Recolher 200.000,00 34.000,00

166.000,00 34.000,00 200.000,00 34.000,00

200.000,00

166.000,00 34.000,00

200.000,00

363) Selbach (RS), 07 de julho de 2001. DIVERSOS a FORNECEDORES MERCADORIAS* 147.000,00 CONTA-CORRENTE DE ICMS 28.000,00 175.000,00 * Não se trata de conta mista, sendo as vendas registradas em conta própria Analise o lançamento acima e assinale a opção que descreve o fato contábil correspondente, bem como o sistema de controle de inventário utilizado, corretamente. a) Compra a prazo de mercadorias para revenda, por empresa que utiliza o sistema de inventário permanente, com incidência de 16% de ICMS na operação b) Compra a prazo de mercadorias para revenda, por empresa que utiliza o sistema de inventário periódico, com incidência de 16% de ICMS na operação c) Compra a prazo de mercadorias para revenda, por empresa que utiliza o sistema de inventário periódico, com incidência de 19,05% de ICMS na operação d) Devolução de mercadorias adquiridas a prazo, por empresa que avalia o estoque pelo método PEPS, com incidência de 16% de ICMS na operação e) Devolução de mercadorias adquiridas a prazo, por empresa que utiliza o método UEPS de avaliação de estoques, com incidência de 19,05% de ICMS na operação 364) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) A Minha Empresa mantém em estoque 800 unidades de mercadorias avaliadas em R$ 10.000,00, sendo R$ 4.000,00 relativos à mercadoria tipo "A", que tem custo unitário de R$ 10,00 e R$ 6.000,00 correspondentes à mercadoria tipo "B", cujo custo unitário é de R$ 15,00. No último dia do exercício social o custo de mercado dessas mercadorias estava cotado a R$ 12,00, tanto para o tipo "A" como para o tipo "B".O Contador, cumprindo as determinações da Lei 6.404/76 e em obediência ao Princípio Contábil da Prudência, deve apresentar no balanço patrimonial a)Mercadorias (-) Provisão para Ajuste de Estoque R$ 10.000,00(R$ 400,00) b)Mercadorias(-) Provisão para Ajuste de Estoque R$ 10.000,00(R$ 1.200,00) c)Mercadorias (-) Provisão para Ajuste de Estoque R$ 10.000,00(R$ 2.400,00) d)Mercadorias R$ 9.600,00 74

e)Mercadorias R$ 8.800,00 365) (ESAF/TTN-97) Um comerciante adquiriu um lote de mercadorias por R$ 1.000,00, incidindo sobre a compra ICMS de 17%. Revendeu-o, em seguida, por R$ 1.200,00, estando também a venda sujeita a ICMS de 17%. Considerando, respectivamente, os sistemas de inventário periódico, de inventário permanente e de conta mista de Mercadorias, indique o valor pelo qual a conta Mercadorias foi creditada para registrar a operação de venda. a) R$ 1.200,00 - R$ 1.200,00 - R$ 1.200,00 b) R$ 996,00 - R$ 996,00 - R$ 996,00 c) R$ 996,00 - R$ 830,00 - R$ 996,00 d) R$ Zero - R$ 830,00 - R$ 1.200,00 e) R$ Zero - R$ Zero - R$ 1.200,00 366) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) O Mercadinho Comercial Ltda. efetuou uma venda a prazo de mercadorias tributadas, fazendo o competente registro, inclusive do ICMS, mas, no mesmo exercício, recebeu parte dessa mercadoria em devolução. Sabendo-se que a empresa adota o sistema de inventário periódico mas não usa a conta Mercadorias como "conta mista", o Contador fez corretamente o registro da devolução como indicado abaixo: a) Devolução de Vendas a Clientes b) Diversos a Clientes Devolução de Vendas Contas Correntes - ICMS c) Devolução de Vendas a Clientes e ICMS s/ Vendas a Contas Correntes - ICMS d) Clientes a Diversos a Devolução de Vendas a Contas Correntes - ICMS e) Devolução de Vendas a Clientes e Contas Correntes - ICMS a ICMS s/ Vendas 367) (ESAF/TCU-1999) Utilizando corretamente os critérios técnicos e legais de avaliação patrimonial, a empresa que não mantiver sistema de custo integrado e coordenado com o restante da escrituração, o chamado "controle permanente", deverá avaliar o custo de seus estoques de bens de vendas utilizando uma das opções abaixo. Assinale-a. a) Ao custo das primeiras entradas. b) Ao custo das últimas entradas. c) Ao preço de custo médio ponderado. d) Ao preço de custo médio ponderado ou a PEPS, opcionalmente. e) Ao preço de custo médio ponderado, ou a PEPS, ou a UEPS, opcionalmente. 368) (CESPE/AGENTE/PF/2000) Julgue os itens a seguir, relativos à compra de material de estoque para revenda por uma empresa que atue no ramo de comércio varejista. 1. A compra de diversos itens por um preço total de R$ 5.000,00, após um desconto de R$ 500,00 para pagamento à vista, altera o lucro da empresa, mesmo antes da revenda desses itens. 2. A compra de material de estoque por R$ 1.000,00, para pagamento a prazo, acarreta um débito em conta de estoques e um crédito em conta de passivo de fornecedores. 3. A compra de diversos itens de estoque, pelo preço total de R$ 10.000,00, com pagamento de R$ 1.000,00 no ato e R$ 9.000,00 a prazo, implica o registro de R$ 1.000,00 em conta redutora do lucro operacional, além dos demais registros. 4. A compra de itens no valor de R$ 20.000,00, com um custo adicional de frete de R$ 400,00, implica um registro de R$ 20.400,00 a débito de conta de estoques. 5. A compra de calçados para revenda, com emissão de nota fiscal pelo fornecedor no valor total de R$ 30.000,00, estando nele incluso um ICMS de R$ 3.000,00, acarreta um registro pelo comprador a crédito de estoques no valor de R$ 27.000,00. 369) (ESAF/AFTN-1989) A empresa Alfa Ltda., realizou as seguintes operações: 1) recebimento de aluguel do mês. Valor: R$ 4.000,00 2) compra de mercadorias a prazo, com entrada. Preço da compra: R$ 5.000,00; valor da entrada: 20% do preço 3) venda à vista de mercadorias. Preço de venda: R$ 4.000,00; valor do lucro: 30% do preço 4) compra a prazo de mercadorias. Preço da compra: R$ 5.000,00 75

5) venda de mercadorias a prazo com entrada. Preço da venda: R$ 3.000,00; valor da entrada: 20% do preço; valor do prejuízo: 10% do preço; e 6) pagamento de duplicatas com juros. Valor da dívida: R$ 4.000,00; valor dos juros: 10% da dívida. Considerando exclusivamente estas seis operações e que as compras e vendas são isentas de impostos, podemos afirmar que, no fim do período, o saldo da conta Caixa e o estoque de mercadorias tem, respectivamente, os seguintes valores: a) R$ 3.600,00 e R$ 3.900,00 b) R$ 3.200,00 e R$ 3.000,00 c) R$ 3.600,00 e R$ 4.500,00 d) R$ 3.600,00 e R$ 3.000,00 e) R$ 3.200,00 e R$ 3.900,00 370)A avaliação do Ativo tem o seguinte tratamento: a) os estoques são avaliados pelo preço de mercado, exceto os de mercadorias fungíveis destinadas à venda b) os direitos e títulos de crédito, pelo valor de mercado ou de aquisição, se este for maior c) os direitos referentes a mercadorias, pelo valor de mercado ou de aquisição, se este for menor d) os direitos que tiverem por objeto as mercadorias e matérias-primas, pelo custo de aquisição, ajustado ao valor de mercado, quando este for inferior e) as matérias-primas serão avaliadas pelo preço de mercado 371) (AFTN/ESAF/96) Em 31.12.X1 a Cia PRA apresentava os seguintes dados relativos aos estoques finais de matéria-prima: Matéria-PRIMA QUANTIDADE CUSTO TOTAL VALOR DE MERCADO (EM $) (EM $) A 1.000 2.000, 1.800,00 B 1.500 6.000, 7.500,00 C 2.000 8.000, 7.000,00 Com base nestes dados, o valor total do estoque de matéria-prima que deve ser evidenciado no Balanço Patrimonial é: a) $ 14.800,00 b) $ 16.000,00 c) $ 16.500,00 d) $ 15.000,00 e) $ 15.800,00 372) (FISCAL/ICMS/MS-2000) A exatidão nos inventários é muito importante, podendo-se mesmo concluir que dela depende diretamente a precisão do Balanço Patrimonial e da Demonstração de Resultado do Exercício. Assinale a alternativa correta mais apropriada que justifique essa afirmação: A) Quando o Inventário Final estiver superestimado, o Lucro Líquido será subestimado. B) Quando o Inventário Final estiver subestimado, o Lucro Líquido será superestimado. C) Quando o Inventário Inicial estiver subestimado, o Lucro Líquido será superestimado. D) Quando o Inventário Inicial estiver subestimado, o Lucro Líquido será subestimado. 373) (ESAF/TTN-97) Na data de encerramento do exercício social, o estoque de mercadorias para revenda de uma empresa era de R$ 5.000,00, registrado pelo valor de aquisição. O seu valor de mercado era, entretanto, de R$ 4.500,00. No balanço patrimonial essas mercadorias devem ser registradas pelo valor de a) R$ 5.000,00 b) R$ 4.750,00 c) R$ 4.500,00 d) R$ 4.500,00 ou R$ 5.000,00, facultativamente e) R$ 5.000,00, deduzido de provisão de R$ 500,00 374) A Cia. Comercial, que é contribuinte do ICMS, mas não é do IPI, comprou a vista, para revender, 200 liqüidificadores ao preço unitário de R$ 300,00, com incidência de IPI à alíquota de 20% de ICMS à alíquota de 17%. Para registrar a operação, o Contador deverá fazer o seguinte lançamento: a) Diversos a Caixa Mercadorias R$ 49.800,00 C/C de ICMS R$ 10.200,00 R$ 60.000,00 b) Diversos a Caixa Mercadorias C/C de IPI C/C de ICMS

R$ 37.800,00 R$ 12.000,00 R$ 10.200,00 R$ 60.000,00 76

c) Diversos a Caixa Mercadorias C/C de IPI d) Diversos a Caixa Mercadorias C/C de ICMS e) Diversos a Caixa Mercadorias C/C de ICMS

R$ 60.000,00 R$ 12.000,00 R$ 72.000,00

R$ 72.000,00 R$ 10.200,00 R$ 82.200,00

R$ 61.800,00 R$ 10.200,00 R$ 72.000,00

375) Uma empresa adquiriu um lote de mercadorias para revenda, a prazo, sendo extraída em seu nome nota fiscal com os seguintes dados: 100 unidades do produto A . R$ 1.000,00................................. R$ 100.000,00 IPI 10%........................................ R$ 10.000,00 Total da Nota Fiscal...................... R$ 110.000,00 ICMS - 17% - R$ 17.000,00 Sabendo-se que a empresa compradora é contribuinte do ICMS, mas não é do IPI, sabe-se, também que deve registrar a compra através do seguinte lançamento: a) Compras a Fornecedores b) Diversos a Fornecedores Compras. Contas Correntes – ICMS Contas Correntes - IPI. c) Diversos a Fornecedores Compras.... Contas Correntes - IPI ... d) Diversos a Fornecedores Compras....... Contas Correntes - ICMS e) Diversos a Fornecedores Compras. C/C - ICMS R$ 110.000,00 R$ 83.000,00 R$ 17.000,00 10.000,00 R$ 110.000,00

R$

R$ 100.000,00 R$ 10.000,00 R$ 83.000,00 R$ 17.000,00

R$ 110.000,00

R$ 100.000,00

R$

R$ 93.000,00 17.000,00 R$ 110.000,00

376) A Cia. P, que se dedica exclusivamente à revenda (varejo) de mercadorias de fabricação nacional e adota o sistema de inventário permanente, adquiriu da Cia. Industrial Q um lote de mercadorias, o. assim especificadas na Nota Fiscal-Fatura n 0001: 100 bolsas de couro, para senhoras, a R$ 40.000 cada uma 4.000.000 Despesas com transporte da mercadoria até o destino 20.000 Total 4.020.000 IPI - 10% 402.000 Total da Nota 4.422.000 ICMS - 15% (já incluído no preço) 603.000 O registro contábil dessa aquisição de mercadorias foi corretamente feito pela Cia. Comercial P, assim: R$ R$ a) Estoque de Mercadorias a Fornecedores 4.422.000 b) Estoque de Mercadorias Contas Correntes - ICMS Contas Correntes - IPI Despesas de Frete a Fornecedores 3.397.000 603.000 402.000 20.000

4.422.000 77

c) Compras de Mercadorias Contas Correntes - ICMS a Fornecedores d) Estoque de Mercadorias Contas Correntes - ICMS Contas Correntes - IPI a Fornecedores e) Estoque de Mercadorias Contas Correntes - ICMS a Fornecedores

3.819.000 603.000 3.417.000 603.000 402.000 3.819.000 603.000

4.422.000

4.422.000

4.422.000

377) Um lançamento feito corretamente a débito da conta ICMS A RECUPERAR pode registrar apropriação de ICMS incidente sobre mercadorias a) vendidas a revendedor b) recebidas em consignação c) adquiridas para revenda d) adquiridas para consumo e) vendidas diretamente ao consumidor 378) A Companhia Alpha adquiriu matérias-primas para serem utilizadas na industrialização de seus produtos, cuja nota fiscal continha os seguintes dados: Valor das matérias-primas R$ 1.000 IPI R$ 200 Valor total da nota fiscal R$ 1.200 ICMS destacado na nota fiscal R$ 170 Sabendo-se que o IPI e o ICMS são impostos recuperáveis para a empresa, assinale a alternativa que contém o valor que poderá ser computado no custo das referidas matérias-primas: a) R$ 630 b) R$ 830 c) R$ 1.030 d) R$ 1.170 e) R$ 1.200 379) A “Casa dos Televisores Ltda.”, que utiliza contas patrimoniais distintas para contabilizar o ICMS das compras e o ICMS das vendas, devolveu mercadorias adquiridas a prazo, para revenda, em razão de estarem fora das especificações do “Pedido de Compra”. O valor do ICMS incidente sobre a devolução foi, por ocasião do registro contábil do fato, creditado à conta: a) “ICMS a recuperar” b) “ICMS sobre vendas” c) “ICMS a creditar” d) “Clientes” e) “Resultado do Exercício” 380) (ESAF/AFTN-1989) A Cia. Comercial, que é contribuinte do ICMS, mas não é do IPI, comprou à vista, para revender, 200 liqüidificadores ao preço unitário de R$ 300,00, com incidência de IPI à alíquota de 20% e de ICMS à alíquota de 17%. Para registrar a operação, o Contador deverá fazer o seguinte lançamento: a) Diversos a Caixa Mercadorias C/C de ICMS b) Diversos a Caixa Mercadorias C/C de IPI C/C de ICMS c) Diversos 78

R$ 49.800,00 R$ 10.200,00

R$ 60.000,00

R$ 37.800,00 R$ 12.000,00 R$ 10.200,00

R$ 60.000,00

a Caixa Mercadorias C/C de IPI d) Diversos a Caixa Mercadorias C/C de ICMS e) Diversos a Caixa Mercadorias C/C de ICMS

R$ 60.000,00 R$ 12.000,00

R$ 72.000,00

R$ 72.000,00 R$ 10.200,00

R$ 82.200,00

R$ 61.800,00 R$ 10.200,00

R$ 72.000,00

381) (Unb-CESPE/STF-analista/99) A compra de calçados para revenda por uma empresa atacadista. Por R$ 20.000,00 (valor final da nota fiscal), com crédito de ICMS de R$ 2.400,00, deve dar entrada no seu estoque por meio de um a) débito de RS 17.600,00. b) débito de RS 20.000,00. c) débito de RS 22.400,00. d) crédito de R$ 17.600.00. e) crédito de RS 22.40000. 382) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) A Industrial & Cia. emitiu a seguinte nota fiscal de venda a prazo de um lote de produtos: {PRIVATE}200 marretas de bater pneus, tamanho médio, a R$ 8,00, cada uma Despesa com o transporte e seguro do produto até a loja do comprador R$ IPI (Imposto s/Produtos Industrializados) Total da nota fiscal ICMS (Já incluído no preço) R$ R$ 50,00 165,00 245,00 R$ 1.600,00

R$ 1.815,00

O comprador dessa mercadoria, a empresa Comercial Ltda., adota o sistema de inventário permanente e mandou fazer a contabilização dessa partida de compra através do seguinte lançamento contábil, que está correto: {P Estoque de Mercadorias RIV a Fornecedores AT E}a ) b) Diversos a Fornecedores Estoque de Mercadorias Contas Correntes - ICMS Contas Correntes - IPI Despesa de Frete c) Diversos a Fornecedores Estoque de Mercadorias Contas Correntes - ICMS 1.570,00 245,00 1.815,00 79 1.355,00 245,00 165,00 50,00 1.815,00

1.815,00

d) Diversos a Fornecedores Estoque de Mercadorias Contas Correntes - ICMS Contas Correntes - IPI e) Diversos a Fornecedores Compra de Mercadorias Contas Correntes - ICMS 1.570,00 245,00 1.815,00 1.405,00 245,00 165,00 1.815,00

383) (ESAF/TCU-1999) Através da nota fiscal n.º 1.315, a firma Comercial Ltda. adquiriu quatro máquinas de calcular ao preço unitário de R$ 120,00, com incidência de IPI a 10% e ICMS a 12%. Pagou o total da nota com o cheque BB 125.874. A finalidade da compra foi uma máquina para uso da própria firma e três máquinas para revender. Na Contabilidade foi providenciado o lançamento contábil correto que está apresentado a seguir sem o respectivo histórico. Assinale-o. a) Diversos a Bancos c/Movimento Móveis e Utensílios 120,00 Mercadorias 360,00 480,00 b) Diversos a Bancos c/Movimento Móveis e Utensílios 120,00 Mercadorias 316,80 ICMS a Recuperar 43,20 480,00 c) Diversos a Bancos c/Movimento Móveis e Utensílios 132,00 Mercadorias 396,00 528,00 d) Diversos a Bancos c/Movimento Móveis e Utensílios 117,60 Mercadorias 352,80 ICMS a Recuperar 57,60 528,00 e) Diversos a Bancos c/Movimento Móveis e Utensílios 132,00 Mercadorias 352,80 ICMS a Recuperar 43,20 528,00 384) (ESAF/TCU-1999) A empresa comercial "Compras, Trocas & Vendas" resolveu encerrar definitivamente o seu estoque de chapéus de couro, que já não tinha fornecedor garantido, dispondo-se a vendê-lo sem nenhum lucro, ressarcindo-se, via preço, apenas do custo e do ICMS, que, certamente, teria de recolher na venda, à alíquota de 17%. Não havia ICMS anterior a ser recuperado. O custo do estoque em questão era de R$ 4.150,00. A tributação da venda para o ICMS era de 17%. Para não ganhar nem perder, a firma "Compras, Trocas & Vendas” teria de vender seu estoque pelo valor total de a) b) c) d) e) R$ 3.444,50 R$ 4.150,00 R$ 4.855,50 R$ 5.000,00 R$ 5.850,00

385) (ESAF/TFC/SFC-1997) A conta ICMS a Recuperar registra crédito de ICMS do contribuinte do imposto. Para registrar esse crédito, debita-se a conta, em contrapartida com a) Caixa, Bancos ou Duplicatas a Receber 80

b) c) d) e)

ICMS a Recolher, Fornecedores ou Caixa Impostos Incidentes sobre Vendas, Bancos ou Duplicatas a Pagar Caixa, Bancos ou Fornecedores Notas Fiscais a Faturar, Duplicatas a Pagar ou Fornecedores

386) (ESAF/SUSEP/2001) Em 25 de janeiro, a nossa empresa adquiriu a prazo, para revender, um lote de 500 itens industrializados, com tributação de ICMS a 12% e de IPI a 4%. O preço de venda praticado pela indústria vendedora e aceito por nós foi de R$ 30,00 a unidade. Na operação foram emitidas duplicatas, que aceitamos devidamente. A nossa Contabilidade é informatizada, utilizando um sistema que só admite lançamentos contábeis de primeira fórmula, de modo que, para contabilizar a operação acima citada, foram necessários os três lançamentos abaixo. Assinale a opção correta. a) Mercadorias a Duplicatas a Pagar pelo preço de compra 15.000,00 ICMS a Recuperar a Duplicatas a Pagar pelo valor do ICMS s/ a compra 1.800,00 IPI a Recuperar a Duplicatas a Pagar pelo valor do IPI s/ a compra 600,00 b) Mercadorias a Duplicatas a Pagar pelo preço de compra ICMS a Recuperar a Mercadorias pelo valor do ICMS s/ a compra Mercadorias a Duplicatas a Pagar pelo valor do IPI s/ a compra c) Mercadorias a Duplicatas a Pagar pelo preço de compra Mercadorias a ICMS a Recuperar pelo valor do ICMS s/ a compra Mercadorias a IPI a Recolher pelo valor do IPI s/ a compra d) Mercadorias a Duplicatas a Pagar pelo preço de compra ICMS a Recuperar a Mercadorias pelo valor do ICMS s/ a compra Mercadorias a Duplicatas a Pagar pelo valor do IPI s/ a compra e) Mercadorias a Duplicatas a Pagar pelo preço de compra ICMS a Recuperar a Mercadorias pelo valor do ICMS s/ a compra IPI a Recuperar a Mercadorias pelo valor do IPI s/ a compra

13.200,00 1.800,00 600,00

13.200,00

1.800,00

600,00

15.000,00

1.800,00

600,00

15.000,00

1.800,00

600,00 81

387) (FISCAL ICMS/MS-2000) Numa empresa comercial ou industrial, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) faz parte do custo do período? A) Sim, quando for manufatura. B) Não, pois é um imposto recuperável. C) Somente quando se tratar de laticínios. D) Somente para a indústria de autopeças. 388) (ESAF/TTN–1992/SP) O saldo da conta ICMS a recuperar representa a) débito da empresa com o governo b) crédito da empresa com clientes c) crédito da empresa com fornecedores d) crédito da empresa com o governo e) débito da empresa com fornecedores 389) Na determinação da Receita Líquida de Vendas, os valores redutores da Receita Bruta de Vendas são: a) ICMS, ISS, IPI, Vendas Canceladas do Exercício Anterior. b) Vendas Canceladas, Descontos Incondicionais Concedidos e Abatimentos s/Vendas. c) PIS-Receita Bruta, Cofins-Receita Bruta e ICMS s/ Vendas. d) Comissões sobre Vendas e Fretes sobre Vendas. e) As alternativas b e c estão correras. 390) Pelo livro de controle do ICMS, um comerciante apurou o valor de R$ 120,00 de ICMS devido pelas vendas efetuadas durante o exercício, e de R$ 90,00 de ICMS decorrente das compras efetuadas a seus fornecedores durante o mesmo exercício. Na Demonstração do Resultado do Exercício o contabilista fará constar: a) R$ 120,00 como Dedução da Receita Bruta de Vendas b) R$ 120,00 como Despesa Operacional c) R$ 30,00 como Dedução da Receita Bruta de Vendas d) R$ 30,00 como Despesa Operacional e) R$ 90,00 como Custo das Mercadorias Vendidas e R$ 30,00 como Despesa Operacional 391) A empresa CLOK Ltda., com um Capital Social de R$ 120.000,00, um saldo de Caixa de R$ 100.000,00 e um Ativo Permanente de R$ 20.000,00, adquiriu mercadorias para revenda, de acordo com os seguintes dados obtidos da Nota Fiscal: 100 relógios a R$ 1.000,00 cada R$ 100.000,00 IPI (18%) R$ 18.000,00 Frete e embalagem R$ 2.000,00 TOTAL DA NOTA FISCAL R$ 120.000,00 ICMS incluso (15%) R$ 15.000,00 Esta compra foi paga 30% em dinheiro e o restante faturado para 90 dias da data. Posteriormente, a empresa vendeu 80 relógios ao preço unitário de R$ 2.000,00, sendo 20% em dinheiro e o restante para pagamento no prazo de 75 dias; ICMS incidente sobre vendas foi de 15%. O saldo de ICMS a RECUPERAR foi transferido para ICMS a RECOLHER. Com base nos dados acima, indique os saldos de CAIXA, DUPLICATAS A RECEBER e ESTOQUE DE MERCADORIA, respectivamente a) R$ 96.000,00, R$ 128.000,00, R$ 21.000,00 b) R$ 64.000,00, R$ 128.000,00, R$ 105.000,00 c) R$ 96.000,00, R$ 160.000,00, R$ 24.000,00 d) R$ 64.000,00, R$ 128.000,00, R$ 21.000,00 e) R$ 48.000,00, R$ 128.000,00, R$ 20.000,00 392) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) A empresa Delta devia à empresa Gama duplicatas no valor de R$ 100,00. Para liquidar a dívida devolveu a mercadoria comprada, acrescendo 6% de juros a serem pagos em 60 dias. O registro, de forma simplificada, na contabilidade de Gama é: a) Diversos a Diversos Mercadorias 100,00 Juros a Receber 6,00 a Duplicatas a Receber 100,00 82

a Juros Ativos b) Mercadorias a Diversos a Duplicatas a Pagar a Juros a Pagar c) Diversos a Mercadorias Duplicatas a Pagar Juros a Pagar d) Diversos a Mercadorias Duplicatas a Receber Juros a Receber e) Mercadorias a Diversos a Duplicatas a Receber a Juros a Receber

6,00 100,00 6,00 106,00

100,00 6,00 106,00 100,00 6,00 106,00 100,00 6,00 106,00

393) (ESAF/AFTN-1989) Ao contabilizar a devolução de 100 unidades de um lote de 1000 camisas adquiridas de um fornecedor local, para revenda, a Cia. Comercial Camiseiro do Norte fez, em 23/08/89, um crédito de R$ 300,00 na conta “ICMS a Recolher”. Tendo sido de 10% (dez por cento) a alíquota do ICMS incidente na aquisição, o valor do débito a inicial feito na conta “COMPRAS”, com utilização de partida de 3 . (terceira) fórmula, montou em: a) b) c) d) e) R$ 30.000,00 R$ 27.000,00 R$ 27.300,00 R$ 2.700,00 R$ 3.000,00

394) (FISCAL ICMS/MS-2000) O Bazar Centauro Ltda. compra diversas mercadorias e as remete periodicamente aos seus representantes. O Inventário de Mercadorias deve abranger, como regra geral, todas as mercadorias de propriedade do Bazar, quer estejam em seu poder ou sob custódia de terceiros, excluídas, porém, as mercadorias de propriedade de terceiros que se encontrem em poder da empresa. Assinale, a seguir, a alternativa que melhor se ajuste ao controle do Estoque de Mercadorias: A) A inclusão de mercadorias no Inventário do Bazar Centauro Ltda. deve basear-se, como regra geral, no critério de Propriedade. B) A inclusão de mercadorias no Inventário do Bazar Centauro Ltda. deve basear-se, como regra geral, no critério de Preço pelo Valor Bruto de Remessa. C) A inclusão de mercadorias no Inventário do Bazar Centauro Ltda. deve basear-se, como regra geral, no critério de Posse. D) A inclusão de mercadorias no Inventário do Bazar Centauro Ltda. deve basear-se, como regra geral, no critério de Preço pelo Valor Líquido de Retorno. 395) (FISCAL ICMS/MS-2000) Sempre que um fabricante ou comerciante remeter mercadorias diversas que lhe pertencem a um representante para que seja processada a sua venda, essa transação é designada, regra geral, como: A) Representação, e o representante é denominado consignante. B) Demonstração, e o proprietário é denominado consignatário. C) Consignação, e o representante é denominado consignatário. D) Comercialização, e o representante é denominado consignante. {PRIVATE}396) (FISCAL/ICMS/SC-1998) A Cia. Ômega, empresa comercial típica, negocia uma única mercadoria. Além dos registros contábeis, controla a movimentação de tal mercadoria através de uma ficha de controle físico-financeiro (uma "ficha de estoques") e adota o método do custo médio ponderado variável. No início de um período, as 15 unidades existentes em estoque estão registradas por $ 144,00 (as 15 unidades). No início de tal período, a conta ICMS a Recuperar apresenta um saldo devedor de $ 12,00. Durante tal período, ocorrem as seguintes únicas operações com a mercadoria: Compra 1: 30 unidades são adquiridas e registradas por $ 306,00 na "ficha de estoques" (a alíquota do ICMS nesta operação foi de 15%); Venda 1: 12 unidades são vendidas por $ 18,00 cada uma (a alíquota do ICMS nesta operação foi de 15%); 83

Compra 2: 15 unidades são adquiridas e registradas por $ 249,00 na "ficha de estoques" (a alíquota do ICMS nesta operação foi de 17%); Devolução: 5 unidades da Compra 2 são devolvidas pela Cia. Ômega ao fornecedor. O valor do ICMS destacado na Nota Fiscal emitida pela Cia. Ômega para devolver as 5 unidades é de {P $ 14,25 RI VA TE }A) B) $ 4,00 C) $ 17,00 D) $ 9,00 E) $ 11,67 397) No sistema de inventário periódico para controle de mercadorias, uma dentre as contas abaixo, deve ser encerrada no processo de apuração contábil do Custo das Mercadorias Vendidas. A referida conta é: a) ICMS sobre Vendas b) Vendas Canceladas c) Devoluções de Compras d) Descontos Financeiros Obtidos e) Descontos Financeiros Concedidos 398) Calcule o CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS de uma empresa comercial, com base nos seguintes dados: - compras 4.360.000,00 - valor do inventário final de mercadorias 600.000,00 - devolução de compras 120.000,00 - fretes sobre compras 90.000,00 - estoque inicial de mercadorias para revenda 380.000,00 - abatimento sobre compras 290.000,00 a) R$ 4.260.000,00 b) R$ 4.110.000,00 c) R$ 3.820.000,00 d) R$ 3.730.000,00 e) R$ 4.420.000,00 399) ( ESAF/TTN-98) Ao encerrar o exercício social, a Cia. Comércio & Comércio constatou as seguintes apurações: 1- Receitas Brutas de Vendas do período: R$ 12.000,00 2- Impostos faturados sobre vendas (ICMS): 17% 3- Resultado Operacional Bruto: 30% do total das vendas 4- Estoque inicial de mercadorias: R$ 1.160,00 5- Valor das compras de mercadorias efetuadas no exercício (líquido de impostos): R$ 8.000,00 Com essas informações podemos afirmar que o estoque de mercadorias, apurado em inventário, no final do exercício, corresponde, em relação às compras, a a) 09,5% b) 24,5% c) 50,0% d) 35,5% e) 35,0% 400) (FISCAL ICMS/MS-2000) A Companhia Perfeita Ltda. efetuou uma venda de mercadoria que possuía em estoque, à vista, no montante de R$ 100,00, concedendo um desconto de 10% (dez por cento) na nota fiscal. A mercadoria vendida havia custado R$ 50,00 para a Companhia Perfeita. Assinale a alternativa que melhor reflete os lançamentos contábeis dessa operação (CMV = Custo das Mercadorias Vendidas): A) Débitos = CMV R$50,00 / Caixa R$90,00 / Descontos Concedidos R$10,00 84

Créditos = Vendas R$100,00 / Estoque de Mercadorias R$50,00 B) Débitos = CMV R$50,00 / Caixa R$90,00 Créditos = Vendas R$100,00 / Estoque de Mercadorias R$50,00 / Descontos Concedidos R$10,00 C) Débitos = Estoque de Mercadorias R$50,00 / Vendas R$100,00 Créditos = CMV R$50,00 / Caixa R$90,00 / Descontos Concedidos R$10,00 D) Débitos = CMV R$50,00 / Caixa R$100,00 Créditos = Vendas R$100,00 / Estoque de Mercadorias R$50,00 401) (FISCAL ICMS/MS-2000) O cálculo do Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) é obtido, regra geral, mediante o emprego de uma das alternativas abaixo relacionadas. Assinale aquela que melhor reflete a equação do Custo das Mercadorias Vendidas: A) Estoque inicial mais compras, menos deduções de compras, mais deduções de venda, mais estoque final. B) Estoque inicial mais compras, menos deduções de compras, mais estoque final. C) Estoque inicial menos compras, menos deduções de compras, menos estoque final. D) Estoque inicial mais compras, menos deduções de compras, menos estoque final. 402{PRIVATE}) (FISCAL/ICMS/SC-1998) Na Cia. Excelsior, uma empresa industrial, seus exercícios sociais se encerram a cada 31 de dezembro. Ela apura lucro/prejuízo uma só vez em cada exercício social. Sobre o exercício social de 1994, sabe-se que estoque inicial de produtos em elaboração $ 610 mão-de-obra direta empregada na fabricação em 1994 $ 6.900 compras de matérias primas durante 1994 $ 8.900 estoque final de produtos prontos $ 1.500 devoluções de compras de matérias primas durante 1994 $ 40 estoque final de matérias primas $ 140 custos indiretos de fabricação de 1994 $ 2.100 estoque final de produtos em elaboração $ 400 estoque inicial de matérias primas $ 110 estoque inicial de produtos prontos $ 1.120 O "Custo dos Produtos Prontos" (= "Custo da Produção Acabada") de 1994 e o "Custo dos Produtos Vendidos" de 1994 foram de, respectivamente, {P $ 17.660 e $ 18.040. RIV AT E}A ) B) $ 17.620 e $ 18.000. C) $ 18.040 e $ 17.660. D) $ 17.620 e $ 17.240. E) $ 18.040 e $ 18.420.

403) (ESAF/TFC-SFC/97) A conta ICMS a Recuperar registra crédito de ICMS do contribuinte do imposto. Para registrar esse crédito, debita-se a conta, em contrapartida com a) Caixa, Bancos ou Duplicatas a Receber b) ICMS a Recolher, Fornecedores ou Caixa c) Impostos Incidentes sobre Vendas, Bancos ou Duplicatas a Pagar d) Caixa, Bancos ou Fornecedores e) Notas Fiscais a Faturar, Duplicatas a Pagar ou Fornecedores 404) (ESAF/TFC-SFC/97) Um comerciante, contribuinte do ICMS e não-contribuinte do IPI, adquiriu um lote de mercadorias ao custo de 10,00 por unidade (valor constante da nota fiscal). Sobre essa mercadoria incidiram IPI (10%) e ICMS (17%). A incidência do ICMS na venda é também de 17%. Para obter lucro líquido de 23% sobre o valor de venda, o comerciante deve revender essa mercadoria ao preço unitário de a) 12,00 b) 12,50 85

c) 13,20 d) 13,75 e) 15,50 Legendas: IPI: Imposto sobre Produtos Industrializados ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços 405) Deduzindo da Receita Bruta das Vendas os impostos incidentes sobre as vendas, os abatimentos concedidos incondicionalmente e as vendas canceladas, obtém-se: a) o lucro operacional bruto b) o lucro bruto c) o lucro operacional líquido d) a receita líquida das vendas e) o resultado líquido em vendas 406) O § 1 . do art. 187 da Lei n 6.404/76 estabelece que: o “§ 1 . - Na determinação do resultado do exercício serão computados: a) as receitas e os rendimentos ganhos no período, independentemente da sua realização em moeda; e b) os custos, despesas, encargos e perdas, pagos ou incorridos, correspondentes a essas receitas e rendimentos.” Esse dispositivo legal consagra o princípio fundamental da Contabilidade, aprovado pelo Conselho Federal de Contabilidade, denominado a) competência b) periodicidade c) oportunidade d) continuidade e) uniformidade 407) Com base nos dados a seguir, levantados da escrituração contábil de uma empresa, assinale a alternativa que contém o valor do Resultado com Mercadorias (lucro bruto). Compras (sem ICMS) Custo de Bens do Ativo Vendidos Despesas Administrativas Despesas com Vendas Despesas Tributárias Devolução de Compras (sem ICMS) Devolução de Vendas Estoque Final (inclusive fretes) Estoque Inicial Fretes sobre Compras ICMS sobre Vendas Receita Bruta de Vendas Receita de Venda de Bens do Ativo a) R$ 13.252,00 b) R$ 13.146,00 c) R$ 12.952,00 d) R$ 12.778,00 e) R$ 12.564,00 9.388,00 380,00 3.144,00 786,00 68,00 300,00 368,00 968,00 774,00 106,00 4.054,00 26.200,00 400,00
o o.

408) Assinale a opção em que todas as contas citadas devem ser deduzidas da Receita Bruta de Vendas, para fins de determinação da Receita Líquida. a) “ABATIMENTO SOBRE VENDAS”, “DESCONTOS COMERCIAIS” e “FRETES SOBRE VENDAS b) “ICMS SOBRE VENDAS”, “DEVOLUÇÕES DE COMPRAS” e “DESCONTOS FINANCEIROS” c) “DESCONTOS INCONDICIONAIS SOBRE VENDAS”, “PIS SOBRE FATURAMENTO” e “FINSOCIAL SOBRE A RECEITA BRUTA” d) “DESCONTOS INCONDICIONAIS”, “ICMS SOBRE VENDAS” e “FRETES SOBRE VENDAS” e) “DEVOLUÇÕES DE VENDAS”, “PIS SOBRE FATURAMENTO” e “ICMS A RECUPERAR” 409) (ESAF/AFTN-1989) A Cia. Comercial Sagitário adquiriu para revenda, em 08/11/88, em primeira negociação, 20 (vinte) máquinas de calcular ATLAS, sendo: 86

Preço Unitário: R$ 100,00 Condições de pagamento: 50% em 08/12/88 e o restante em 09/01/89. Alíquota de ICMS: 10% (dez por cento) No período entre a data de recebimento da referida mercadoria e 31/12/88 fez às seguintes operações: I - vendeu 10 (dez) unidades ao preço unitário de R$ 120,00; II - devolveu 2 (duas) unidades em 31/12/88, por defeito de fabricação, sendo a nota de débito correspondente acatada pelo FORNECEDOR em 20/12/88; III - pagou no vencimento, sem qualquer abatimento, a primeira duplicata (50% do valor da compra); IV - transferiu para uso próprio em 31/12/88, Departamento de Contabilidade, uma unidade. Em decorrência, o valor do ESTOQUE FINAL dessa mercadoria, no Balanço patrimonial de 31/12/88, importou em: a) R$ 600,00 b) R$ 720,00 c) R$ 810,00 d) R$ 700,00 e) R$ 630,00 410) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) Observe os seguintes itens de resultado da firma Específica S/A: {PRIVATE}Receita Bruta de Vendas R$ 2.500,00 Vendas canceladas no exercício anterior R$ 50,00 PIS sobre o Faturamento R$ 19,00 Descontos financeiros concedidos R$ 50,00 Comissões sobre vendas R$ 125,00 Cofins s/Vendas R$ 12,50 IPI sobre o faturamento R$ 250,00 Devolução de Vendas R$ 250,00 Contas Correntes - ICMS R$ 425,00 Custo das Mercadorias Vendidas R$ 750,00 Fretes sobre Vendas R$ 100,00 ICMS sobre Vendas R$ 382,50 Com base na relação dada acima, assinale a opção que contém a Receita Líquida de Vendas. {P R$ 1.536,00 RIV AT E}a ) b) R$ 1.641,00 c) R$ 1.786,00 d) R$ 1.836,00 e) R$ 1.986,00 411) (ESAF/TFC-SFC/97) Uma empresa efetuou a venda de um lote de mercadorias, a prazo, pelo valor de 10.000,00. Sobre a venda incidiu ICMS de 17%. A mercadoria foi devolvida pelo comprador, havendo, portanto, o cancelamento da venda. O cancelamento foi registrado contabilmente pela empresa vendedora, que usou corretamente o seguinte lançamento: Contas a) Vendas Canceladas Notas Fiscais a Faturar b) Vendas Canceladas Notas Fiscais a Faturar c) Vendas Canceladas ICMS a Recolher Notas Fiscais a Faturar Impostos Incidentes s/ Vendas Débito 8.300 Crédito 8.300 10.000 10.000 10.000 1.700 10.000 1.700 87

d) Vendas Canceladas ICMS a Recolher Notas Fiscais a Faturar e) Vendas Canceladas Impostos Incid. s/ Vendas Notas Fiscais a Faturar ICMS a Recolher

8.300 1.700 10.000 8.300 1.700 8.300 1.700

412) (PF/PERITO/1993) O balancete da empresa ABC S/A, no final do ano, época em que iria ser levantado o seu balanço, apresentou, dentre outras, as seguintes contas e respectivos saldos: Compras 50.000,00 Vendas 80.000,00 Estoque inicial 5.000,00 Abatimentos s/ vendas 2.000,00 Abatimentos s/ compras 4.000,00 Devolução de compras 5.000,00 ICMS 9.500,00 IPI 4.200,00 Despesas c/ Juros 8.000,00 Despesas c/ Salários 9.500,00 Receitas de Descontos 1.200,00 Observação: o inventário de mercadorias, na mesma época, somou CR$ 12.700,00. Analisando as contas acima, pode-se concluir que a Receita Líquida de Vendas e o Custo das Mercadorias Vendidas apresentaram, respectivamente, os seguintes valores: (A) CR$ 66.300,00 e CR$ 42.300,00. (B) CR$ 66.300,00 e CR$ 33.000,00. (C) CR$ 64.300,00 e CR$ 42.300,00. (D) CR$ 64.300,00 e CR$ 33.300,00. 413) (FISCAL ICMS/MS-2000) Assinale, dentre as alternativas abaixo, o registro contábil que melhor reflete a transação proposta: A) No dia 1º de dezembro de 19X1 a Companhia ABC comprou mercadorias, à vista, no montante de R$650,00: Débito = Caixa R$650,00 / Crédito = Compras R$650,00. B) No dia 2 de dezembro de 19X1 a Companhia ABC vendeu mercadorias, a prazo, no montante de R$800,00. Houve um desconto comercial nesta venda, proporcional à quantidade vendida. O valor normal da venda seria de R$860,00.(Desconsidere o lançamento referente ao desconto ): Débito = Clientes R$800,00 / Crédito = Vendas R$800,00 C) No dia 5 de dezembro de 19X1 houve uma devolução parcial das vendas efetuadas no dia 2 de dezembro, no montante de R$120,00: Débito = Clientes R$120,00 / Crédito = Devolução de Vendas R$120,00. D) No dia 6 de dezembro de 19X1 a Companhia ABC comprou mais mercadorias, a prazo, no montante de R$800,00: Débito = Fornecedores R$800,00 / Crédito = Compras R$800,00 414{PRIVATE}) (FISCAL/ICMS/SC-1998) A Cia. Xis, empresa comercial típica, negocia uma única mercadoria. Além dos registros contábeis, controla a movimentação de tal mercadoria através de uma ficha de controle físico-financeiro (uma "ficha de estoques") e adota o método PEPS ("primeiro a entrar, primeiro a sair"). No início de um período, as 10 unidades existentes em estoque estão registradas por $ 122,00 (as 10 unidades). No início de tal período, a conta ICMS a Recuperar apresenta um saldo devedor de $ 22,10. Durante tal período, ocorrem as seguintes únicas operações com a mercadoria: Compra 1: 8 unidades são adquiridas por $ 13,00 cada uma (a alíquota do ICMS contido na Nota Fiscal é de 17%); Venda 1: 11 unidades são vendidas por $ 21,00 cada uma (a alíquota do ICMS nesta operação foi de 17%); Venda 2: 5 unidades são vendidas por $ 23,00 cada uma (a alíquota do ICMS nesta operação foi de 17%); Devolução: 3 unidades contidas na Venda 2 são devolvidas pela empresa comercial que adquiriu da Cia. Xis. O valor do ICMS que a Cia. Xis deverá registrar em decorrência de ter recebido as 3 unidades em devolução é de {PR $ 10,71. IVA TE} A) B) $ 6,63. 88

C) D) E)

$ 11,03. $ 19,04. $ 11,73.

415) Foram feitas as seguintes aquisições do produto A. 01.04.96 - 20 unidades a R$ 15,00 cada uma 15.04.96 - 25 unidades a R$ 12,00 cada uma 15.05.96 - 25 unidades a R$ 10,00 cada uma 31.05.96 - 30 unidades a R$ 10,00 cada uma Sabendo-se que: 1. não existia estoque inicial; 2. em 20.05.96, foram vendidas 60 unidades ao preço de R$ 20,00 cada uma; 3. foi desconsiderado o destaque de ICMS; 4. os cálculos são feitos com duas casas decimais; 5. o estoque é avaliado pelo método PEPS; pode-se afirmar que o Resultado com Mercadorias (RCM) é de: a) R$ 1.200,00 b) R$ 728,57 c) R$ 471,43 d) R$ 450,00 e) R$ 400,00 416) Na escrituração da Comercial Santos Ltda., relativa ao exercício social findo em 31/12/89, foram obtidas as seguintes informações: CONTAS SALDO (R$) Resultado bruto com mercadorias (lucro) 3.620.000,00 ICMS sobre vendas 2.037.280,00 Pis sobre faturamento 95.497,50 Finsocial sobre a receita bruta 63.665,00 Vendas canceladas 203.000,00 Abatimentos sobre vendas 64.000,00 Descontos financeiros 340.000,00 Fretes sobre vendas 840.837,50 Estoque final de mercadorias para revenda 2.156.000,00 Custo das mercadorias vendidas 6.649.557,50 Verifique quais as contas, entre as relacionadas, que são computadas na apuração do RESULTADO BRUTO (Resultado com Mercadorias) e assinale a alternativa que contém o valor bruto das vendas. a) R$ 13.573.837,50 b) R$ 13.073.000,00 c) R$ 12.669.335,00 d) R$ 11.892.162,50 e) R$ 12.733.000,00 417) A Cia. Comercial Sagitário adquiriu para revenda, em 08/11/88, em primeira negociação, 20 (vinte) máquinas de calcular ATLAS, sendo: Preço Unitário: R$ 100,00 Condições de Pagamento: 50% em 08/12/88 e o restante em 09/01/89. Alíquota do ICMS: 10% No período entre a data do recebimento da referida mercadoria e 31/12/88 fez as seguintes operações: I - vendeu 10 unidades ao preço unitário de R$ 120,00; II - devolveu 2 unidades em 11/12/88, por defeito de fabricação, sendo a nota de débito correspondente acatada pelo FORNECEDOR em 20/12/88; III - pagou no vencimento, sem qualquer abatimento, a primeira duplicata (50% do valor da compra); IV - transferiu para uso próprio em 31/12/88, Departamento de Contabilidade, uma unidade. Em decorrência, o valor do ESTOQUE FINAL dessa mercadoria, no Balanço Patrimonial de 31/12/88, importou em: a) R$ 600,00 b) R$ 720,00 c) R$ 810,00 d) R$ 700,00 e) R$ 630,00

89

418) Numa situação de economia inflacionária, uma empresa que utilizou o critério de avaliação de estoques denominado de PEPS no início e o UEPS no encerramento do exercício social, se não fizer os ajustes necessários, provocará: a) aumento do CMV (Custo das Mercadorias Vendidas) b) aumento do valor do estoque final de mercadorias c) aumento do RCM (Resultado com Mercadorias) d) redução do valor do estoque inicial de mercadorias e) redução do valor das vendas efetuadas durante o exercício social 419) (ESAF-CVM/2001) Após realizar a primeira operação de venda do exercício na qual obteve Receita Bruta de Vendas de R$ 1.000,00, com um CMV (Custo das Mercadorias Vendidas) de R$ 600,00, a empresa Arfe Ltda. aceitou devolução parcial das mercadorias vendidas, cujo valor de R$ 200,00 foi creditado ao cliente. As mercadorias recebidas foram devolvidas ao fornecedor, que foi debitado pelo valor de R$ 100,00. Considerando que essa mercadoria estava isenta de impostos, podemos dizer que a operação rendeu à Arfe um lucro bruto de a) R$ 80,00 b) R$ 100,00 c) R$ 200,00 d) R$ 300,00 e) R$ 320,00 420) (ESAF/AFTN-1994/set) Indique o lucro bruto sobre vendas, considerando que: - o saldo inicial da conta Mercadorias para Revenda era de R$ 200,00; no período foram feitas aquisições de mercadorias, sujeitas a ICMS de 20%, no montante de R$ 800,00; - o inventário, ao final do período, registrou o valor de R$ 160,00, já excluído o ICMS; - o montante das vendas foi equivalente a 200% do custo das mercadorias vendidas; - os impostos incidentes sobre as vendas eqüivalem a 20% a) R$ 1.360,00 b) R$ 504,00 c) R$ 408,00 d) R$ 952,00 e) R$ 840,00 421) (ESAF/AFTN-1989) A empresa S/A Modelo de Indústria emitiu a NF n . 1.234 para vender à Cia. Comercial de Varejo 400 bandejas inox, modelo 2, ao preço unitário de R$ 50,00, com IPI de 10% e ICMS de 17%. o A empresa Cia. Comercial de Varejo emitiu a NF n . 0172 para vender ao Sr. José Maria 40 das bandejas compradas da S/A Modelo de Indústria. Obteve um preço de R$ 100,00 por unidade, com ICMS de 17%. Baseados apenas nas informações constantes das notas fiscais acima, podemos afirmar com certeza que a Cia. Comercial de Varejo obteve um Lucro Operacional Bruto de: a) R$ 2.000,00 b) R$ 1.660,00 c) R$ 1.460,00 d) R$ 1.120,00 e) R$ 2.140,00 422) (FISCAL/ICMS–MS/2000) A Indústria de Calçados Phoenix Ltda. concede um desconto financeiro de 3% (três por cento) para os clientes que anteciparem o pagamento de seus títulos do dia 30 de janeiro de 2000, para o dia 25 do mesmo mês e ano. Caso algum cliente decida aproveitar o desconto concedido pagando adiantadamente dentro do prazo estipulado, indique qual é o melhor procedimento contábil a ser considerado pela Indústria de Calçados Phoenix Ltda.: A) Proceder a uma redução do valor da venda, proporcional ao desconto concedido. B) Tratar o desconto concedido como Despesas Financeiras. C) Tratar o desconto concedido como Despesas de Vendas. D) Tratar o desconto concedido como Descontos Comerciais. 423) (MEMÓRIA/1999-SP) Durante o inventário físico, se houver subavaliação de estoques ao final de determinado exercício, este fato : A) Reduz o lucro bruto do exercício findo e aumenta o lucro do exercício seguinte B) Reduz o lucro bruto do exercício findo, mas não afeta o resultado do exercício seguinte C) Aumenta o lucro bruto do exercício findo e do exercício seguinte D) Aumenta o lucro bruto do exercício findo e reduz o do exercício seguinte E) n.d.a. 90
o

424) (AGERS/RS/98) O saldo da conta Clientes, em 30.08.X1, antes das operações abaixo, era de R$ 7.234,00. Compras = 150 Vendas à vista = 290 Desconto da Duplicata com as seguintes características: Valor = R$ 230,00 Emissão = 25.08.X1 Vencimento = 30.09.X1 Reembolso de duplicata em cobrança = R$ 230,00 Qual o novo saldo, em R$, da conta Clientes, após a operação? a) 7.004 b) 6.774 c) 7.104 d) 6.824 e) 6.594 425) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - O Razão da conta Mercadorias, contabilizado no método conta mista, apresentava Cr$ 450.000,00 na coluna Débito e Cr$ 325.000,00 na coluna Crédito. Sabendo-se que o valor das mercadorias existentes no final do período é de Cr$ 235.000,00, é correto afirmar que o lucro obtido nas vendas foi de a) Cr$ 110.000,00 b) Cr$ 125.000,00 c) Cr$ 360.000,00 d) Cr$ 235.000,00 e) Cr$ 215.000,00 426) (AFPS/CESPE-Unb/2001) A venda a prazo de uma mercadoria estocada deve ser lançada a débito de contas a receber. Em contrapartida, deve ser lançado um crédito em estoque, no valor correspondente ao custo da mercadoria vendida, e um crédito em receita de venda, pelo valor do resultado da transação, que é igual ao preço de venda menos custo da mercadoria vendida, inclusive no caso de esse resultado ser negativo. 427) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) A Empresariado S/A tem atividade exclusivamente comercial. No mês de maio realizou uma compra de bens para revender, desembolsando a quantia de R$ 4.800,00, sendo R$ 4.000,00 referente ao preço, com ICMS incluso, e R$ 800,00 referente ao IPI adicionado ao preço. No fim do mês a mesma empresa vendeu, a prazo, um quarto das mercadorias compradas logrando um faturamento total de R$ 2.000,00. No mês considerado vigora, a seguinte tabela de impostos e contribuições: IPI = 20%; ICMS = 17%; ISS = 12%; Cofins = 2%; e PIS - faturamento = 0,5%. Na operação realizada, essa empresa conseguiu auferir um lucro bruto de {P R$ 970,00 RIV AT E}a ) b) R$ 680,00 c) R$ 630,00 d) R$ 590,00 e) R$ 580,00 428) (AFTN/ESAF/98) Determinada empresa industrial vendeu 2.000 unidades de um produto, ao preço unitário de R$ 120,00, com frete de R$ 3.000,00 por conta do vendedor. O vendedor concedeu, na nota fiscal, um desconto de R$ 2.500,00 e, ainda, um desconto de R$ 2.000,00 no pagamento da duplicata, vencível a 30 dias. Sabendo-se que: - o custo dos Produtos Vendidos é de R$ 120.000,00; - foram pagas: outras despesas com vendas de R$ 2.600,00; salários de vendedores de R$ 3.500,00; - a transação estava sujeita a: Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços de R$ 2.400,00; Imposto sobre Produtos Industrializados de R$ 2.100,00; Programa de Integração Social (PIS) – faturamento de R$ 500,00; Contribuição Social sobre o Faturamento (COFINS) de R$ 1.000,00 podemos afirmar que a receita líquida de vendas do produto é de {PRIVATE}a) R$ 231.500,00 91

b) R$ 229.500,00 c) R$ 228.600,00 d) R$ 233.600,00 e) R$ 231.600,00 429) (FISCAL/ICMS–MS/2000) A Millennium Ltda. apresentou o seguinte movimento de mercadorias: Estoque final R$ 140,00 Devoluções sobre vendas. R$ 10,00 Devoluções sobre compras. R$ 20,00 Estoque inicial R$ 120,00 Vendas Brutas R$ 160,00 Compras Brutas R$ 150,00 Nota: A Millennium utiliza o sistema de inventário periódico. Assinale a alternativa que melhor expresse o Lucro ou Prejuízo Bruto sobre Vendas da empresa: a)R$ 30,00 b)R$ 40,00 c)R$ 20,00 d)R$ 40,00) 430) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) A subavaliação de estoques no final do exercício a) reduz o lucro bruto do exercício findo e do exercício seguinte b) reduz o lucro bruto do exercício findo, mas não afeta o resultado do exercício seguinte c) aumenta o lucro bruto do exercício findo e do exercício seguinte d) aumenta o lucro bruto do exercício findo e reduz o do exercício seguinte e) reduz o lucro bruto do exercício findo e aumenta o do exercício seguinte 431) (ESAF/TFC-SFC/97) No encerramento do exercício social, as contas que registram operações com mercadorias se apresentavam com os seguintes saldos: Mercadorias 3.000,00 Compras 25.000,00 Fretes e Carretos s/ Compras 2.000,00 Vendas 33.000,00 Vendas Canceladas 4.000,00 Impostos Incidentes s/ Vendas 5.000,00 Resultado com Mercadorias ? Estoque final de mercadorias, conforme inventário físico 6.000,00 Feitas as apurações devidas, verifica-se que o ponto de interrogação deve ser corretamente substituído pelo valor de a) Zero b) 2.000,00 c) 4.000,00 d) 5.000,00 e) 9.000,00 432) (TRT-4ª/ANAL.JUD.-2001) O lucro bruto do período, em R$ (milhões), considerando as mercadorias inventariadas de 70 e os seguintes saldos de contas apresentados no fim de um período de apuração é: Mercadorias Estoque 40 Compras 1 460 Vendas 2 000 Impostos sobre Vendas 140 Descontos Financeiros em Pagamentos 40 (A) 290 (B) 360 (C) 390 (D) 430 (E) 460 433) (ESAF/AFC/SFC-1997) Considere os seguintes dados: Compras de Mercadorias Correção Monetária do Balanço Despesas Operacionais 800 120 360 92

Devoluções de Compras Devoluções de Vendas Estoque final de Mercadorias Lucro na alienação de bens do Ativo Imobilizado Lucro Bruto na Venda de Mercadorias Receita de Venda de Mercadorias

80 100 200 40 1.000 2.000

Levando-se em conta os dados acima e considerando-se que os impostos incidentes sobre compras e vendas são de 20%, podemos afirmar que o estoque inicial da conta de Mercadorias para Revenda era de a) b) c) d) e) 144 320 400 480 560

434) (AGERS/RS/98) Considere os dados relativos a mercadorias. Compras do período 80 Vendas do período 140 Estoque inicial 4 Estoque final 2 Devolução de compras 2 Devolução de vendas 5 A partir desses dados, desconsiderando efeitos tributários, pode-se afirmar que, no período, o total de mercadorias disponíveis para venda, o custo das mercadorias vendidas e o resultado das vendas foram, respectivamente: a) b) c) d) e) 82, 84, 82, 78, 135, 96 78 80 71 80 e e e e e 59 62 55 67 55

435) (ESAF/TTN-1994/matutino) Dados extraídos da ficha de estoque dos televisores ALFA X- 130, para apuração, na empresa Comercial Telealfa 5/A, do resultado do período de 02/01/X2 a 31/12/X2: - Total das entradas (contém o estoque inicial) Quantidade: 540 Valor: Cr$ 50.600.000,00 - Total das saídas (contém as devoluções de vendas) Quantidade: 480 Valor: Cr$ 44.950.000,00 Saldo Quantidade: 60 Valor: Cr$ 5.650.000,00 Outras informações daquele período sobre operações relacionadas com a referida mercadoria: - Vendas brutas - Devoluções de vendas Descontos concedidos por recebimento antecipado de vendas a prazo - ICMS sobre vendas - Outros tributos s/vendas - Valor do estoque inicial Cr$ 100.000.000.00 4.000.000.00 1.600.000,00 25.000.000,00 2.500.000,00 2.000.000,00

Assinale, com base nos elementos fornecidos, a opção que indica o Lucro Bruto obtido com a venda dos citados televisores. a) Cr$ 21.950.000.00 b) Cr$ 11.150.000,00 c) Cr$ 21.550.000,00 d) Cr$ 23.550.000,00 e) Cr$ 17.900.000,00

93

436) (AFC/SFC-1996) Em uma determinada empresa, em seu primeiro ano de funcionamento, ocorreram os seguintes fatos, em R$ Compras de mercadorias para revenda 350,00 Custo das mercadorias vendidas 200,00 Devoluções de compras 50,00 Vendas brutas 400,00 Considerando-se que: - foram devolvidas mercadorias vendidas, no valor de R$ 100,00; - os impostos incidentes sobre as compras e as vendas eqüivalem a 20% da transação; - inexistia saldo inicial na conta de Mercadorias para Revenda; - as despesas operacionais montaram a R$ 40,00; - foi obtido lucro de R$ 10,00 na alienação de bens do ativo imobilizado; - as bases de cálculo da contribuição social sobre o lucro e do imposto de renda são negativas, podemos afirmar que os saldos das contas de Mercadorias para Revenda e de Resultado do Exercício são, respectivamente, de: a) R$ 40,00 e ZERO b) R$ 40,00 e R$ 10,00 c) R$ 100,00 e R$ 40,00 d) R$ 100,00 e R$ 60.00 e) R$ 200,00 e R$ 160.00 437) (ESAF/TTN-1994/vespertino) – O Lucro Bruto na empresa comercial é contabilizado como RCM – Resultado Com Mercadorias. A equação base para encontrar o RCM é a seguinte: a) RCM = Vendas – Estoque Inicial – Compras + Estoque Final b) RCM = Vendas - Estoques c) RCM = Vendas – Estoques + Compras d) RCM = Estoques Inicial + Compras – Estoque Final e) RCM = Vendas – Estoques Inicial + Compras – Estoque Final 438) (ESAF/CVM/PLANEJAMENTO-2001) Após realizar a primeira operação de venda do exercício na qual obteve Receita Bruta de Vendas de R$ 1.000,00, com um CMV (Custo das Mercadorias Vendidas) de R$ 600,00, a empresa Arfe Ltda. aceitou devolução parcial das mercadorias vendidas, cujo valor de R$ 200,00 foi creditado ao cliente. As mercadorias recebidas foram devolvidas ao fornecedor, que foi debitado pelo valor de R$ 100,00. Considerando que essa mercadoria estava isenta de impostos, podemos dizer que a operação rendeu á Arfe um lucro bruto de a)R$ 80,00 b)R$ 100,00 c)R$ 200,00 d)R$ 300,00 e)R$ 320,00 439) (ESAF/TFC-1996) O resultado com mercadorias de uma empresa foi positivo nos exercícios de 1994 e 1995. No final do exercício de 1994, ela procedeu a uma subavaliação de estoques. O procedimento: a) diminuiu o lucro de 1994 e aumentou o de 1995 b) não teve repercussão no resultado dos exercícios de 1994 e 1995 c) aumentou o lucro de 1994 e diminuiu o de 1995 d) diminuiu os lucros de 1994 e 1995 e) diminuiu o lucro de 1994 e não teve repercussão no resultado de l995 440) (ESAF/AFTN-1989) Observe a seguinte operação, isenta de impostos: Vendas de mercadorias a prazo com entrada e prejuízo: preço de venda R$ 6.000,00 entrada 20% do preço prejuízo 30% do preço A empresa realizou a venda, para registrá-la, deixando certo o saldo da conta Mercadorias, deverá lançar débitos e créditos como segue: R$ 1.200,00 a) Débito de Caixa R$ 4.800,00 Débito de Clientes R$ 1.800,00 Débito de RCM R$ 7.800,00 Crédito de Mercadorias b) Débito de Caixa Débito de Clientes Débito de Mercadorias R$ 1.200,00 R$ 4.800,00 R$ 4.200,00 94

Crédito de RCM c) Débito de Caixa Débito de Clientes Créditos de Mercadorias d) Débito de Caixa Débito de Mercadorias Crédito de RCM Crédito de Clientes e) Débito de Caixa Débito de Clientes Débito de RCM Crédito de Mercadorias

R$ 1.800,00 R$ 1.200,00 R$ 4.800,00 R$ 6.000,00 R$ 1.200,00 R$ 4.800,00 R$ 1.800,00 R$ 4.200,00 R$ 1.200,00 R$ 3.000,00 R$ 1.800,00 R$ 6.000,00

441) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Foram levantados os seguintes dados da contabilidade: Estoque final de Mercadorias R$ 40,00 Compras de Mercadorias R$ 220,00 Devolução de compras R$ 20,00 Lucro bruto de Vendas de Mercadorias R$ 330,00 Devolução de vendas R$ 80,00 Vendas de Mercadorias R$ 880,00 As compras e as vendas estavam sujeitas a impostos de 20% Os dados acima autorizam afirmar que o estoque inicial de Mercadorias era de: a) R$ 190,00 b) R$ 238,00 c) R$ 254,00 d) R$ 194,00 e) R$ 214,00 442) (ESAF/AFRF-2001) Assinale a opção correta, levando em conta os seguintes dados: Valor total Histórico Quantidades Estoque inicial 120 1.200 Compras 400 5.040 Estoque final 20 240 O Resultado Operacional é de 2.000. Desconsidere impostos incidentes sobre compras e vendas. a) b) c) d) e) a Receita Bruta de Vendas é de 8.240 o custo unitário das compras é de 12,60 a Receita Líquida de Vendas é de 8.240 o Custo de Mercadorias Vendidas é de 6.240 o custo unitário das compras é de 12,00

443) (ESAF/TFC-1996) Observe as notas fiscais abaixo, para responder A SEGUINTE questão. Nota Fiscal de Entrada 100 camisas a 50,00 IPI - 10 % Total da Nota ICMS 12 % Nota Fiscal de Saída 40 camisas a 70,00 ICMS 17 % 5.000,00 500,00 5.500,00 600,00

= =

2.800,00 476,00

O Custo das Mercadorias Vendidas (nota fiscal de saída) foi de a) 1.760,00 b) 2.464,00 c) 2.000,00 d) 2.200,00 e) 1.960,00 95

444) No sistema de inventário permanente, a escrituração contábil pode ser conferida com os assentamentos das fichas de controle de estoque. O saldo da conta Custo das Mercadorias Vendidas, por exemplo, deve corresponder, na ficha de controle de estoque, à soma da coluna de: a) entradas mais a de saldos b) saídas mais a de saldos c) entradas d) saídas e) saldos 445)O Estoque Final de Mercadorias da firma “Zetabeta Ltda.”, foi superavaliado, em R$ 32,00, no balanço encerrado em 31/12/79. Em decorrência, o lucro final apurado, naquele balanço, foi: a) Subavaliado em R$ 32,00 b) Superavaliado em R$ 32,00 c) Não sofreu alteração d) Coerente com o princípio contábil denominado “custo como base de valor” e) As alterações são insignificantes 446) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Em um dado período, os registros da Comercial Brasileira Ltda., assinalam vendas a crédito de R$ 50,00, ao custo de R$ 30,00. - as compras, sujeitas a ICMS de 20%, de R$ 60,00 foram feitas à vista; - a empresa adota controle permanente de estoques e, no período, não se registraram perdas; - os impostos incidentes sobre vendas foram de 20%; - as vendas à vista somaram R$ 100,00, ao custo de R$ 60,00; - os estoques iniciais de mercadorias eram de R$ 70,00 Dois lançamentos que se relacionam com as vendas das mercadorias, apresentados de forma unificada e simplificada (para maior facilidade), são: a) pela aquisição das mercadorias: Mercadorias 60,00 a Caixa pela venda e apropriação dos custos das mercadorias vendidas: Diversos a Mercadorias 100,00 Caixa 50,00 Duplicatas a Receber 90,00 240,00 Custo de Mercadorias Vendidas b) pela venda das mercadorias: Diversos a Mercadorias para revenda Caixa Duplicatas a Receber pela apropriação dos custos das mercadorias vendidas: Custo de Mercadorias Vendidas a Mercadorias para Revenda c) pelo registro das aquisições de mercadorias: Mercadorias a Caixa pela apropriação dos custos das mercadorias vendidas: Custo de Mercadorias Vendidas a Mercadorias d) pela venda das mercadorias Caixa a Diversos a Mercadorias a ICMS a Pagar pela apropriação dos custos das mercadorias vendidas: Custo de Mercadorias Vendidas a Mercadorias e) pela apropriação dos custos das mercadorias vendidas: Custo de Mercadorias Vendidas a Mercadorias

100,00 50,00 150,00 90,00

60,00

72,00

80,00 20,00 100,00 90,00

90,00 96

pela venda das mercadorias: Diversos a Vendas Caixa Clientes

100,00 50,00 150,00

447) No mês de outubro a firma Omar Telo de Barros realizou a seguinte movimentação de compras e vendas da única mercadoria com que trabalha e que é isenta de ICMS: Estoque em 01.10: 2.200 unidades ao custo unitário de R$ 0,50 Vendas em 05.10: 1.000 unidades ao preço unitário de R$ 0,95 Compras em 10.10: 2.000 unidades ao custo unitário de R$ 0,90 Vendas em 30.10: 1.400 unidades ao preço unitário de R$ 0,95 Com estas operações, a empresa apresentará na Contabilidade um estoque final de mercadorias e um lucro operacional bruto (RCM), respectivamente de: a) R$ 900,00 e R$ 280,00, se adotar o critério de avaliação UEPS b) R$ 900,00 e R$ 280,00, se adotar o critério de avaliação PEPS c) R$ 1.242,00 e R$ 622,00, se adotar o critério de avaliação Preço Médio d) R$ 1.620,00 e R$ 1.000,00, se adotar o critério de avaliação UEPS e) R$ 1.620,00 e R$ 1.000,00, se adotar o critério de avaliação PEPS 448) Informações: Empresa: Comercial Moura Lima S/A Mercadoria: Máquina de Calcular TI-1020 Período-base: 01/01 a 31/12/84 ICMS: taxa de 16% (para compra e venda); recuperável para a empresa Valor total da nota Data Operação Quantidade Fiscal (R$) com ICMS 20/02/84 Compra 100 1.000.000 14/05/84 Venda 70 1.000.000 23/08/84 Compra 50 1.000.000 02/11/84 Venda 40 1.000.000 31/12/84 Compra 30 1.000.000 O valor do estoque final da citada mercadoria, em 31/12/84, avaliado pelo método PEPS (o primeiro que entra é o primeiro que sai), importou em R$ a) 1.000.000 b) 1.800.000 c) 2.333.333 d) 588.000 e) 1.512.000 449) Num regime de economia inflacionária, o Custo das Mercadorias Vendidas será menor, se usado, para avaliação do estoque final de mercadorias, o sistema denominado de: a) PEPS b) UEPS c) Média ponderada móvel d) Valor de Mercado e) Valor corrente 450) Uma empresa que possuía 100 unidades de mercadorias compradas a R$ 2,00 cada uma e compra 150 unidades a R$ 3,00 cada uma, vende 200 unidades a R$ 2,50 cada uma, compra mais 50 unidades a R$ 3,50 cada uma, nessa ordem de datas, terá, ao fim do período, um estoque de mercadorias no valor de: a) R$ 325,00, se trabalhar com o critério UEPS b) R$ 325,00, se trabalhar com o critério PEPS c) R$ 200,00, se trabalhar com o critério PEPS d) R$ 200,00, se trabalhar com o critério UEPS e) R$ 275,00, se trabalhar com o critério Preço Médio 451) (ESAF-CVM/2001) Em economias nas quais a flutuação de preços ocorra de forma constante, o critério de apreçamento de estoques que resultará em valores de estoque final mais próximos dos preços praticados no mercado é: a) Último que entra primeiro que sai b) Média ponderada móvel c) Média ponderada fixa d) Primeiro que entra último que sai e) Primeiro que entra primeiro que sai 97

452) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) As empresas que adotam o sistema PEPS avaliam seus estoques considerando o custo: a) das primeiras entradas b) das últimas entradas c) médio ponderado das entradas d) das primeiras saídas e) das últimas saídas 453) (TÉC.CONTABILIDADE-1999) Em 31.10.X1 o estoque da Cia Beta era de R$ 8.000,00, representado por 100 máquinas destinadas à revenda. Em novembro de X1 ocorreram as seguintes movimentações: ICMS: Taxa de 18% (para compra e venda); recuperável para a empresa. Operação Quantidade Valor total na nota {PRIVATE}D ata 03.11 Compra 30 R$ 3.000,00 10.11 Venda 90 R$18.000,00 20.11 Compra 40 R$ 6.000,00 25.11 Venda 60 R$15.000,00 28.11 Compra 20 R$ 6.000,00 O valor do Custo das Mercadorias Vendidas, avaliado pelo método PEPS (o primeiro a entrar é o primeiro que sai) em novembro de X1, será de {PRI R$ 7.380,00 VAT E}(A ) (B) R$ 9.000,00 (C) R$ 11.000,00 (D) R$ 12.920,00 (E) R$ 14.000,00 454) (ESAF/MPOG-2001) Em economias nas quais a flutuação de preços ocorra de forma constante, o critério de apreçamento de estoques que resultará em valores de estoque final mais próximos dos preços praticados no mercado é: a) Último que entra primeiro que sai b) Média ponderada móvel c) Média ponderada fixa d) Primeiro que entra último que sai e) Primeiro que entra primeiro que sai 455) (FISCAL-ICMS/MS-2000) Em período de alta generalizada de preços (inflação), o método de custeio que permite manter o valor dos estoques mais próximos do preço de custo corrente é o: A) Do Custo Específico. B) Do Preço Médio Ponderado. C) Do PEPS (FIFO) primeiro que entra, primeiro que sai. D) Do UEPS (Lifo) último que entra, primeiro que sai. 456) (ESAF/TTN-98) Em 25 de março de 1998, a Firma Mento Ltda. pagou o total de R$ 210,00, na aquisição de 4 mesas, com a finalidade de revendê-las. Esse valor contém o preço das mesas com incidência de R$ 34,00 de ICMS e de R$ 10,00 de IPI. - a empresa mantém controle permanente de estoques; - o critério de avaliação utilizado é pelo método PEPS (Primeiro a Entrar é o Primeiro a Sair); Após contabilizar essa aquisição de mercadorias a empresa deverá lançar na Ficha de Controle de Estoques, do item mesas para revenda, o valor unitário de a) R$ 44,00 b) R$ 50,00 c) R$ 46,50 d) R$ 52,50 e) R$ 41,50 457) (FISCAL ICMS/MS-2000) Em um cenário inflacionário, o método de controle de estoques UEPS (último que entra, primeiro que sai), pode ser usado de forma gerencial, pois; A) Subavalia os lucros e superavalia os custos. B) Subavalia os custos e superavalia os lucros. 98

C) Subavalia os lucros e subavalia os custos. D) Superavalia os custos e superavalia os lucros. 458) (ESAF/AFRF-2001) A Comercial Estrela D’alva praticou as seguintes transações mercantis: - em 02.11: compras a prazo de 300 unidades pelo preço total de R$ 600,00; - em 10.11: vendas a prazo de 200 unidades pelo preço total de R$ 500,00; - em 15.11: compras a vista de 160 unidades pelo preço total de R$ 400,00; - em 30.11: vendas a vista de 150 unidades pelo preço total de R$ 450,00. Considerando-se que em 31.10 a empresa já possuía 200 unidades ao custo unitário de R$ 1,50, podemos afirmar que: a) b) c) d) e) se o critério de avaliação dos estoques for PEPS, o custo das vendas terá o valor de R$ 775,00 se o critério de avaliação dos estoques for PEPS, o estoque final terá o valor de R$ 525,00 se o critério de avaliação dos estoques for UEPS, o custo das vendas terá o valor de R$ 600,00 se o critério de avaliação dos estoques for UEPS, o estoque final terá o valor de R$ 525,00 se o critério de avaliação dos estoques for PEPS, o lucro bruto terá o valor de R$ 175,00

459) Foram feitas as seguintes aquisições do produto A: 31.01.96 - 30 unidades a R$ 10,00 cada uma 15.02.96 - 25 unidades a R$ 10,00 cada uma 28.02.96 - 25 unidades a R$ 12,00 cada uma 15.03.96 - 20 unidades a R$ 15,00 cada uma Sabendo-se que: 1. não existia estoque inicial; 2. em 10.03.x6, foram vendidas 60 unidades ao preço de R$ 20,00 cada uma; 3. foi desconsiderado o destaque do ICMS; Pode-se afirmar que o inventário, após a aquisição do dia 15.03.96, avaliado pelo custo médio ponderado, é de: a) R$ 400,00 b) R$ 512,50 c) R$ 540,00 d) R$ 600,00 e) R$ 800,00 460) Observe as informações abaixo: Histórico Unidades Custo Unitário - Estoque Inicial 40.000 140 - Aquisição 01/89 30.000 160 - Aquisição 02/89 50.000 200 - Venda 03/89 30.000 - Venda 04/89 40.000 - Estoque final 50.000 Levando-se em conta essas informações, os métodos para avaliação de estoques reconhecidos por Média Ponderada e “PEPS”, os custos unitários do estoque final são: a) b) c) d) e) Média Ponderada 200 170 140 200 140 “PEPS” 160 200 200 170 170

461) A empresa Alpha Ltda., trabalha com um único item de estoques. Em dezembro o movimento de estoques ocorreu na seguinte ordem: Estoque em 30/11 - 100 unidades a R$ 15,00 Vendas em 10/12 - 100 unidades a R$ 25,00 Compras em 25/12 - 100 unidades a R$ 30,00 Se a empresa Alpha avaliar o seu estoque pelo critério da Média ponderada Móvel, o seu estoque final de dezembro será de R$: a) 1.500,00 b) 1.900,00 99

c) 2.250,00 d) 2.500,00 e) 3.000,00 462) Em regime inflacionário de economia, o lucro bruto com mercadorias terá escala ascendente de valor, se empregados pela ordem, os seguintes sistemas de avaliação de estoques: a) UEPS - Média ponderada - PEPS b) UEPS - PEPS - Média ponderada c) PEPS - Média ponderada - UEPS d) PEPS - UEPS - Média ponderada e) Média ponderada - UEPS - PEPS 463) (AFTN/ESAF/98) A nossa empresa identificou seu estoque de mercadorias em 2.000 unidades avaliadas ao custo médio unitário de R$ 60,00. Logo após, promoveu uma venda de 1.500 unidades à vista, por R$ 150.000,00, numa operação isenta de tributação. O comprador, todavia, mostrando-se insatisfeito com a transação, devolveu 20% da compra e ainda conseguiu obter um abatimento de 10% no preço. Feita a renegociação e refeitos os registros cabíveis, a nossa empresa mantém um estoque de mercadorias assim formado: {PRIVATE}a) 500 unidades a R$ 54,00 = R$ 27.000,00 b) 800 unidades a R$ 54,00 = R$ 43.200,00 c) 800 unidades a R$ 60,00 = R$ 48.000,00 d) 500 unidades a R$ 60,00 = R$ 30.000,00 e) 800 unidades a R$ 90,00 = R$ 72.000,00 464{PRIVATE}) (FISCAL/ICMS/SC-1998) A Cia. Lâmbda, empresa comercial típica, adota o regime de inventário permanente e avalia a única mercadoria que negocia pelo custo médio ponderado variável. Sabe-se que o correto saldo da conta ICMS a Recuperar no final de março de 1994 (após realizada a "apuração do ICMS" de março/94) é de $ 42,00. O trecho da ficha de controle físicofinanceiro a seguir mostrado está correto e reflete as operações efetuadas pela Cia. Lâmbda até o dia 15/abr./94, com a mercadoria que negocia: ENTRADAS SAÍDAS SALDO OPERAÇÕES Quantida Valor Valor Total Quantidade Valor Unitário Valor Total Quantida Valor Valor Total de Unitário de Unitário Estoque Inicial ------------20 10,000 200,00 1) Compra 30 14,1667 425,00 ------50 12,500 625,00 2) Venda ------15 12,50 187,50 35 12,500 437,50 etc. etc. etc. {PRIVATE}Sobre as 2 operações de abril de 1994 mostradas no trecho da "ficha de estoques" sabese que: 1 A compra foi a prazo e a alíquota do ICMS da Nota Fiscal foi de 15%. O fornecedor foi uma outra empresa comercial. 2 O cliente que adquiriu as 15 unidades foi outra empresa comercial típica. A alíquota de ICMS utilizada pela Cia. Lâmbda foi de 18% e o lucro operacional bruto desta operação foi de $ 796,50. O valor cobrado do cliente que adquiriu as 15 unidades foi de {P $ 984,00. RIV AT E}A ) B) $ 1.101,00. C) $ 1.416,00. D) $ 1.200,00. E) $ 885,00. 465) (ESAF/TTN-98) Na primeira semana de abril de 1998, uma empresa comercial realizou o seguinte movimento de compra e venda de mercadorias: 02/04/98 - compra a prazo de 400 unidades de mercadorias pelo valor total de R$ 5.200,00; 03/04/98 - venda a prazo de 500 unidades de mercadorias pelo valor total de R$ 6.000,00; 04/04/98 - compra a vista de 400 unidades de mercadorias ao preço unitário de R$ 15,00; 05/04/98 - venda a vista de 200 unidades de mercadorias ao preço unitário de R$ 18,00. - O estoque final dessas mercadorias em 31 de março de 1998 era de 200 unidades avaliadas ao custo unitário de R$ 10,00. - A empresa em questão mantém controle permanente de estoques e o avalia pelo método do custo médio ponderado. - As compras e as vendas dessas mercadorias estão isentas de tributação. Com base nessas informações, podemos afirmar que: 100

a) o custo total das vendas do dia 03 de abril foi de R$ 5.900,00 b) o estoque final existente após a venda do dia 05 de abril é de 300 unidades ao custo médio unitário de R$ 14,40 c) o lucro bruto total das operações exemplificadas alcançou a cifra de R$ 3.900,00 d) ao todo, nesta semana, foram vendidas 700 unidades de mercadorias ao custo médio unitário de R$ 13,20 e) o lucro bruto alcançado nas vendas do dia 05 de abril foi de R$ 3,00 por unidade 466{PRIVATE}) (FISCAL/ICMS/SC-1998) A Cia. Industrial Armada fabrica o item denominado "beliscão" cuja alíquota de IPI é de 12% incidente sobre o "valor da mercadoria" (neste "valor da mercadoria" incide a alíquota do ICMS destacado na Nota Fiscal a qual, na presente Questão, é de 17%). A Cia. Industrial Armada vende 25 beliscões para a Lambida Ltda., empresa comercial típica, a qual fica devendo os $ 560,00 que é o valor global da Nota Fiscal que acompanhou os 25 beliscões. Imediatamente antes de adquirir tais beliscões, a Lambida Ltda. já era proprietária de 10 deles, contabilmente registrados, todos eles, por $ 155,00. Imediatamente após a aquisição ela vende 20 beliscões a um consumidor final, por eles cobrando $ 400,00 (neste valor está incluído um ICMS de 17%). Os beliscões que remanesceram em estoque na Lambida Ltda. estão avaliados por {P $ 238,00 se adotado o UEPS ("último a entrar, primeiro a sair"). RIV AT E}A ) B) $ 250,00 se adotado o PEPS ("primeiro a entrar, primeiro a sair"). C) $ 285,00 se adotado o UEPS ("último a entrar, primeiro a sair"). D) $ 249,00 se adotado o PEPS ("primeiro a entrar, primeiro a sair"). E) $ 270,00 se adotado o "custo médio ponderado variável". 467) (ESAF/AFC/97) Em setembro de 1997, a conta de Mercadorias para Revenda registrou a seguinte movimentação: 05.09.97 Compra de 500 unidades, ao preço de 0,20 a unidade; 10.09.97 Compra de 2.000 unidades, ao preço unitário de 0,25; 15.09.97 Venda de 300 unidades, pelo valor total de 150; 20.09.97 Compra de 600 unidades, pelo valor total de 150; 25.09.97 Compra de 800 unidades, pelo valor total de 200; 30.09.97 Venda de 3.000 unidades, ao preço unitário de 0,60. Considere que: - as compras e as vendas estão sujeitas a ICMS de 20%; - a empresa avalia seus estoques pelo método de custo médio ponderado; - o estoque, em 31.08.97, era de 200 unidades, ao custo unitário de 0,30; - nos cálculos devem ser consideradas duas casas decimais; - o saldo da conta CC/ICMS, em 31.08.97, era nulo. Levando-se em conta os dados acima, podemos afirmar que o a) Lucro Bruto na venda de 30.09.97 é de 1.110 b) Lucro Bruto na venda de 15.09.97 é de 78 c) valor do estoque final, em 30.09.97, é de 188 d) Lucro Bruto nas vendas do período é de 1.200 e) saldo da conta C/C ICMS, em 30.09.97, é de 200 468) (ESAF/MPOG/2001) Durante o período, a empresa realizou, seqüencialmente, as seguintes operações com mercadorias: ABCDaquisição de 10 unidades, a $ 5,00 cada uma; aquisição de 10 unidades, a $ 8,50 cada uma; venda de 15 unidades, a $ 10,00 cada uma; aquisição de 5 unidades, a $ 10,00 cada uma.

O estoque inicial era de 5 unidades, a $ 3,00 cada uma. O estoque final era de a) $ 150,00, pelo critério PEPS, no sistema de inventário periódico. b) $ 107,50, pelo critério PEPS, no sistema de inventário permanente. c) $ 110,00, pelo critério da Média Ponderada Móvel. d) $ 90,00, pelo critério UEPS, no sistema de inventário periódico. e) $ 65,00, pelo critério UEPS, no sistema de inventário permanente. PEPS - Primeiro a entrar, primeiro a sair; 101

UEPS - Último a entrar, primeiro a sair. 469) (AGERS/RS/98) Considere uma economia com inflação constante, embora pequena, e um estoque com movimentação mensal de compras e baixas. Entre os valores abaixo, qual se refere a estoques avaliados pelo método PEPS, admitindo que dos valores restantes, um seja UEPS, outro CMU e os demais não se refiram a estoques? a) b) c) d) e) R$ 30,00 R$ 40,00 R$ 495,00 R$ 498,00 R$ 500,00

470) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - Na movimentação de mercadorias controladas por ficha de estoque, podemos afirmar corretamente que: a) o estoque final avaliado a preço médio é maior que o mesmo estoque avaliado a PEPS, num período de preços crescentes (inflacionário) b) o estoque final avaliado a PEPS tem o valor das últimas entradas c) o estoque final avaliado a UEPS tem o valor das últimas entradas d) o estoque final tem o valor das compras menos o valor das vendas e) o estoque final avaliado a preço médio é menor que o mesmo estoque avaliado a UEPS, num período de preços crescentes (inflacionário) 471) (ESAF/AFC/SFC-1996) Considere os dados a seguir: 31.05.96 Estoque inicial. 200 unidades avaliadas em 600; 05.06.96 Compra de 200 unidades pelo valor total de 750; 10.06.96 Compra de 280 unidades pelo valor total de 1.050; 15.06.96 Venda de 180 unidades pelo valor unitário de 5; 20.06.96 Venda de 100 unidades pelo valor unitário de 5,50; 25.06.96 Compra de 400 unidades pelo valor total de 2.500; 30.06.96 Venda de 300 unidades pelo valor total de 2.100; 30.06.96 Estoque final Sabendo-se que: - a empresa não procedeu a ajustes de estoques a valor de mercado. - as compras e as vendas estão sujeitas a ICMS de 20% sobre o valor da transação, podemos afirmar que o Custo das Mercadorias Vendidas, em junho de 1996, é de a) 2.540, se os estoques foram avaliados pelo método PEPS b) 2.040, se os estoques foram avaliados pelo método do custo médio ponderado c) 2.040, se os estoques foram avaliados pelo método PEPS d) 1.740, se os estoques foram avaliados pelo método UEPS e) 1.740, se os estoques foram avaliados pelo método do custo médio ponderado {PRIVATE}472) (FISCAL/ICMS/SC-1998) Suponha uma empresa comercial situada em um país onde os preços das mercadorias que adquire para revender sempre decrescem a cada nova compra que ela efetua. Suponha que ao longo de determinado período tal empresa efetuou diversas compras e diversas vendas, intercaladamente. Tendo em vista o cenário descrito, pode-se afirmar que {PRIVATE}A) se a empresa adotar o método PEPS, os valores do estoque final e do custo das mercadorias vendidas serão, respectivamente, menor e maior do que se adotar o método UEPS. B) se a empresa adotar o método PEPS, os valores do estoque final e do custo das mercadorias vendidas serão, respectivamente, maior e menor do que se adotar o método UEPS. C) se a empresa adotar o método UEPS, os valores do estoque final e do custo das mercadorias vendidas serão, respectivamente, menor e maior do que se adotar o método PEPS. D) se a empresa adotar o método PEPS, os valores do estoque final e do custo das mercadorias vendidas serão, respectivamente, maior e igual do que se adotar o método UEPS. E) se a empresa adotar o método UEPS, os valores do estoque final e do custo das mercadorias vendidas serão, respectivamente, maior e igual do que se adotar o método PEPS. 473) (AFTN/ESAF/96) A CIA AMAZÔNIA compra a prazo lotes de um determinado produto na seguinte ordem: LOTE DATA AQUISIÇÂO QUANTIDADES PREÇO UNITÁRIO A B C 04.01.X1 20.01.X1 27.01.X1 500 1.000 2.000 $ 400.00 $ 450,00 $ 520,00

Considerando ainda que: I - sobre as compras do Lote A foram pagos fretes no valor de $ 20 por unidade transportada em 05.01.X1; 102

II - devolução em 21.01.X1 de 200 unidades do Lote B; III - sobre as compras do lote C foi concedido um abatimento no valor de $ 118.400 em 28.01.X1; IV - no mês foram consumidas: 1.200 unidades, em 23.01.X1 e 2.000 unidades, em 30.01.X1. Com base nestes dados, pode-se afirmar que o valor dos estoques consumidos, de acordo com a média ponderada fixa foi de a) $ 1.445.626,38 b) $ 1.570.000,00 c) $ 1.449.600,00 d) $ 1.446.400,00 e) $ 1.445.520,00 474) (ESAF/AFTN-1989) No mês de outubro, a firma Omar Telo de Barros realizou a seguinte movimentação de compras e vendas da única mercadoria com que trabalha e que é isenta de ICMS: Estoque em 01.10: 2.200 unidades ao custo unitário de R$ 0,50 Vendas em 05.10: 1.000 unidades ao preço unitário de R$ 0,95 Compras em 10.10: 2.000 unidades ao custo unitário de R$ 0,90 Vendas em 30.10: 1.400 unidades ao preço unitário de R$ 0,95 Com estas operações, a empresa apresentará na Contabilidade um estoque final de mercadorias e um lucro operacional bruto (RCM), respectivamente, de: a) R$ 900,00 e R$ 280,00, se adotar o critério de avaliação UEPS b) R$ 900,00 e R$ 280,00, se adotar o critério de avaliação PEPS c) R$ 1.242,00 e R$ 622,00, se adotar o critério de avaliação Preço Médio d) R$ 1.620,00 e R$ 1.000,00, se adotar o critério de avaliação UEPS e) R$ 1.620,00 e R$ 1.000,00, se adotar o critério de avaliação PEPS 475) (FISCAL/ICMS–MS/2000) Assinale a alternativa mais apropriada para expressar o Resultado Líquido do Período: A) Vendas menos Custo das Mercadorias Vendidas. B) Resultado com Mercadorias menos Outras Receitas, mais Outras Despesas. C) Vendas Brutas menos Devoluções, mais Tributos, menos Resultado Bruto. D) Resultado com Mercadorias mais Outras Receitas, menos Outras Despesas. 476) (ESAF/CVM/2001) Resumo das operações realizadas durante o exercício social de 2000 pela Cia. Sol Nascente com o produto A. Data Histórico Quant. Valor unitário Valor total 01.01.00 Estoque inicial 10 10,00 100,00 20.01.00 Aquisição 20 7,00 140,00 05.03.00 Venda 5 12,00 60,00 15.04.00 Venda 10 11,00 110,00 06.06.00 Aquisição 10 12,00 120,00 09.08.00 Venda 5 14,00 70,00 20.12.00 Venda 18 15,00 270,00 O estoque final do produto foi avaliado em R$ 22,00. Conclui-se do exposto que o critério de avaliação de estoques usado foi o (a) a) PEPS (primeiro a entrar, primeiro a sair) b) UEPS (último a entrar, primeiro a sair) c) Média ponderada móvel d) média simples dos preços relativos às aquisições efetuadas durante o exercício e) preço específico 477) A compra de equipamento para uso da própria empresa, pagando-se uma entrada em dinheiro e aceitando-se duplicatas pelo valor restante, será contabilizada através de um único lançamento de: a) segunda fórmula b) primeira fórmula c) fórmula simples d) terceira fórmula e) quarta fórmula 478) A quitação por parte do sacado de uma duplicata descontada no banco deve ser assim contabilizada pela empresa emitente: a) Bancos c/Movimento 103

a Duplicatas Descontadas b) Duplicatas Descontadas a Banco c/Movimento c) Duplicatas a Receber a Duplicatas Descontadas d) Bancos c/Movimento a Duplicatas a Receber e) Duplicatas Descontadas a Duplicatas a Receber 479) Indique a operação que represente aplicação de recursos: a) pagamento de empréstimos a curto prazo b) integralização, em dinheiro, de capital subscrito anteriormente por acionistas c) empréstimos obtidos a longo prazo d) transformação do Realizável a Longo Prazo em Ativo Circulante e) prejuízo apurado no exercício 480) A empresa S/A Modelo de Indústria emitiu a NF n 1.234 para vender à Cia. Comercial de Varejo 400 bandejas inox, modelo 2, ao preço unitário de R$ 50,00, com IPI de 10% e ICMS de 17%. o. A empresa Cia. Comercial de Varejo emitiu a NF n 0172 para vender ao Sr. José Maria 40 bandejas compradas da S/A Modelo de Indústria. Obteve um preço de R$ 100,00 por unidade, com ICMS de 17%. Baseados apenas nas informações constantes das notas fiscais acima, podemos afirmar com certeza que a Cia. Comercial de Varejo obteve um Lucro Operacional Bruto de: a) R$ 2.000,00 b) R$ 1.660,00 c) R$ 1.460,00 d) R$ 1.120,00 e) R$ 2.140,00
o.

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 352- C 362- B 371- A 381- A 391- A 401- D 411- C 421- C 431- A 441- A 451- E 461- E 471- B 353- C 363- A 372- C 382- C 392- A 402- C 412- D 422- B 432- D 442- B 452- D 462- A 472- A 354- C 364- B 373- E 383- D 393- B 403- D 413- B 423- A 433- A 443- E 453- D 463- C 473- D 355- C 365- D 374- E 384- D 394- A 404- E 414- E 424- A 434- C 444- D 454- E 464- D 474- E 356- E 366- E 375- E 385- D 395- C 405- D 415- D 425- A 435- D 445- B 455- C 465- B 475- D 357- D 367- B 376- E 386- D 396- C 406- A 416- E 426- E 436- B 446- E 456- A 466- E 476- E 358- B 377- C 387- B 397- C 407- D 417- E 427- C 437- A 447- E 457- A 467- E 477- A 359- E 378- B 388- D 398- C 408- C 418- A 428- D 438- D 448- E 458- D 468- C 478- E 360- E 369- E 379- A 389- E 399- E 409- E 419- D 429- B 439- A 449- A 459- B 469- E 479- E 361- B 370- D 380- E 390- A 400- A 410- D 420- C 430- E 440- A 450- B 460- B 470- B 480- C

368- E C E C E

104

VIII - AJUSTES E OPERAÇÕES DE ENCERRAMENTO 481) (FISCAL/ICMS–MS/2000) A Milênio Ltda. encerra o seu exercício contábil no dia 31 de dezembro de cada ano fiscal. A empresa processa o pagamento dos salários do mês de dezembro no mês seguinte, isto é, em janeiro. Habitualmente, deixa de efetuar o lançamento correspondente de ajuste pelo regime de competência de exercícios. Assinale, dentre as alternativas abaixo, aquela que melhor reflete a conseqüência desse procedimento: A) Diminuição do lucro do exercício. B) Aumento do lucro do exercício. C) Aumento das despesas do exercício. D) Diminuição do saldo de caixa do exercício. 482) (AGERS/RS/98) Considere os dados correspondentes à renovação de uma apólice de seguro. Valor do seguro atual = R$ 1.680,00 Vencimento da apólice = 30.05.X0 Prazo do novo seguro = 1 ano Valor do novo seguro = 40% maior do que o vigente Vigência da nova apólice = 01.06.X0 Data do pagamento da renovação = 01.05.X0 Em junho de 19X0, qual a despesa conhecida, em R$, de 19X0 e 19X1 respectivamente? a) 1.568 e 784 b) 980 e 1.372 c) 2.352 e 0(zero) d) 1.372 e 980 e) 980 e 700 483) (ESAF-CVM/2001) Depois que todos os fatos ocorridos em dezembro foram contabilizados, o Contador da firma Leisa elaborou um balancete com as seguintes contas e saldos: Caixa 100,00 Mercadorias 300,00 Material de Consumo 20,00 Duplicatas a Receber 400,00 Notas Promissórias a Receber 280,00 Duplicatas a Pagar 700,00 Notas Promissórias a Pagar 330,00 Impostos a Recolher 120,00 Salários a Pagar 150,00 Capital Social 1.100,00 Lucros Acumulados 140,00 Imóveis 300,00 Ações de Coligadas 200,00 Móveis e Utensílios 300,00 Receita de Vendas 1.000,00 Receitas Diversas 200,00 Custo das Vendas 600,00 Despesas Operacionais 420,00 Despesas Não-Operacionais 120,00 Ao elaborar o Balanço Patrimonial, entretanto, o Contador deparou com a necessidade de reclassificar algumas contas tendo em vista os seguintes motivos: - ainda não fora contabilizado um aumento de capital de R$ 100,00, havido no exercício com a utilização de lucros anteriores; - no resultado havia R$ 100,00 de despesas pagas antecipadamente e R$ 70,00 de receitas recebidas antecipadamente; - nos títulos foi verificado que R$ 250,00 das duplicatas e R$ 150,00 das notas promissórias emitidas pela Leisa, têm vencimento a longo prazo, em relação à data deste balanço; - o Imposto de Renda do exercício ainda não fora provisionado. Realizadas corretamente essas modificações, podemos dizer que o Balanço Patrimonial deverá apresentar um novo Ativo Circulante no valor de a) R$ 950,00 b) R$ 880,00 c) R$ 850,00 d) R$ 800,00 e) R$ 670,00 105

484) (ESAF/AFTN-1994/março) A Cia. Comercial Linda, cujo período-base coincide com o ano calendário, contratou, em 01/09/X3, um empréstimo bancário com vencimento para 31/08/X4, pagando, antecipadamente, naquela data, $ 720,00 de juros e correção monetária prefixada ($ 60,00 por mês). O Balanço Patrimonial de 31/12/X3, em decorrência dessa operação financeira, apresentou a) um acréscimo disponível de $ 240.00 b) um valor realizável a curto prazo de $ 240,00 c) uma realização a longo prazo de $ 720,00 d) uma despesa do exercício seguinte de $ 480,00 e) um passivo circulante de $ 480,00 485) (AFTN/ESAF/96) A contrapartida das contas de Provisões são contas do (de) a) Ativo b) Receita c) Passivo d) Reservas e) Resultado 486) (ESAF/TRF-2000) Em 31.12.1999 a firma Dubitatia Ltda. fez a estimativa de que, provavelmente, perderia no ano seguinte R$ 670,00 no recebimento das duplicatas de sua emissão. Nessa mesma data havia saldo anterior de R$ 320,00 na conta Provisão para Devedores Duvidosos. Considerando válida a expectativa de perda e corretos os cálculos efetuados, essa empresa deverá, para adequar seu balanço aos princípios contábeis fundamentais, mandar fazer o seguinte lançamento: a) Devedores Duvidosos a Provisão para Devedores Duvidosos 350,00 b) Provisão para Devedores Duvidosos a Duplicatas a Receber 320,00 c) Devedores Duvidosos a Provisão para Devedores Duvidosos 670,00 d) Devedores Duvidosos a Duplicatas a Receber 670,00 e) Devedores Duvidosos a Provisão para Devedores Duvidosos 990,00 487) (ESAF/TFC-1996) O valor de uma duplicata julgada incobrável foi debitado na conta Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa em contrapartida com Duplicatas a Receber. O lançamento realizado: a) reduziu o valor do Ativo Circulante b) reduziu o lucro líquido do exercício, apesar de serem patrimoniais as contas debitada e creditada c) reduziu o lucro líquido do exercício porque a conta debitada é conta de resultado d) não interferiu no resultado do exercício porque são patrimoniais as contas debitada e creditada e) não interferiu no resultado do exercício, apesar de a conta debitada ser conta de resultado 488) (FISCAL/ICMS–MS/2000) Assinale a alternativa correta quando for registrada a baixa de um cliente incobrável no montante de R$300,00 (Valores em R$): A) Débito = Clientes 300 / Crédito = Devedores Incobráveis 300 B) Débito = Clientes 300 / Crédito = Provisão para Devedores Duvidosos 300 C) Débito = Provisão para Devedores Duvidosos 300 / Crédito = Clientes 300 D) Débito = Clientes Duvidosos 300 / Crédito = Devedores Incobráveis 300 489) (ESAF/AFTN-1991) O registro contábil da provisão para “Créditos de Liquidação Duvidosa” tem como contrapartida devedora a conta de resultado a) Despesas com a Constituição de Provisões b) Provisão para Devedores Duvidosos c) Duplicatas a Receber d) Lucros Acumulados e) Despesas do Exercício Seguinte 490) (AFTN/ESAF/98) A empresa Cravos e Rosas S/A, ao encerrar o exercício social em 31.12.19x7, tinha estoques de bens de vendas de 100 mil unidades, ao custo unitário de R$ 1,00 (um real) e duplicatas emitidas em vendas a prazo, no valor total de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais). - a empresa tem experiência válida e comprovada, nos últimos três exercícios, de que 2% de seus créditos costumam se tornar iliquidáveis; 106

- o preço de mercado de suas mercadorias foram cotados a R$ 1,10 (um real e dez centavos) a unidade, no dia do balanço; - as duplicatas a receber ainda não estão vencidas. Ao aplicar integralmente o princípio contábil da prudência, referida empresa apresentará, em balanço, esse Ativo Circulante (estoques e créditos) pelo valor contábil de {PRIVATE}a) R$ 294.900,00 b) R$ 298.900,00 c) R$ 296.000,00 d) R$ 297.100,00 e) R$ 300.000,00 491) (AGERS/RS/98) Dentre os lançamentos, para que um crédito prescrito seja retirado do patrimônio, somente é válido: a) Credores a Insubsistências ativas b) Credores a Prescrição de dívidas c) Devedores a Superveniências ativas d) Insubsistências passivas a Devedores e) Créditos prescritos a Receitas eventuais 492) (FISCAL/ICMS–MS/2000) O mecanismo da depreciação é um procedimento contábil que ajusta: A) Todo o ativo permanente intangível. B) Parcialmente o ativo permanente tangível. C) Parcialmente o ativo permanente intangível. D) Todo o ativo permanente tangível. 493) (ESAF/AFTN-1994/setembro) Em 01.07.96 foi adquirido equipamento, por R$ 100,00, em substituição a outro considerado obsoleto, sendo que: 20% do valor do equipamento adquirido foi amortizado com a entrega do equipamento substituído, como parte do pagamento; à época, o valor de aquisição do equipamento antigo, como registrado na contabilidade, era de R$ 30,00 e a depreciação acumulada alcançava 80% desse valor; ambos os equipamentos são depreciados à taxa anual de 10% e a depreciação é reconhecida nos resultados por ocasião do encerramento do exercício social; não deve ser considerado o efeito de correção monetária. No balancete de verificação levantado para efeito de balanço de encerramento do exercício, em 31.12.96 encontramos as seguintes contas e valores: a) Equipamentos R$ 130,00 Depreciação de equipamentos R$ 29,00 Resultado na venda de equipamentos R$ 6,00 R$ 100,00 b) Equipamentos R$ 5,00 Depreciação de equipamentos Resultado na venda de equipamentos R$ 14,00 c) Equipamentos R$ 100,00 Depreciação de equipamentos R$ 29,00 Resultado na venda de equipamentos R$ 6,00 d) Equipamentos Depreciação de equipamentos Resultado na venda de equipamentos e) Equipamentos Depreciação de equipamentos Resultado na venda de equipamentos R$ 100,00 R$ 80,00 (R$ 10,00) R$ 130,00 R$ 34,00 R$ 10,00

494) (ESAF/AFRF-2001) Um bem depreciável, com vida útil de 20 anos, foi comprado por Nossa Firma em 01-04-20X1, mas só foi instalado para uso em primeiro de julho. O valor total da aquisição foi R$ 20.000,00 e deverá ser depreciado com um valor residual de 10%, em contabilização anual. 107

a) b) c) d) e)

Se a empresa adotar o método de depreciação conhecido como método linear, no balanço patrimonial de 20X3, este bem já terá sido depreciado em 15,00% 22,50% 13,75% 12,50% 23,75%

495) (FISCAL-FORTALEZA-ESAF/98) Os registros contábeis relativos a um veículo de uso da empresa consignam os seguintes valores: - Valor de aquisição, corrigido monetariamente 8.000,00 - Depreciação acumulada 3.000,00 A empresa deve escriturar agora uma depreciação de 10%. Fará isso mediante o seguinte lançamento: a) Encargos de Depreciação a Depreciação Acumulada 800,00 b) Encargos de Depreciação a Veículos 800,00 c) Encargos de Depreciação a Veículos 500,00 d) Encargos de Depreciação a Depreciação Acumulada 500,00 e) Depreciação Acumulada a Veículos 800,00 496) (ESAF/TCE-RN/2001) A firma SONÓS LTDA. tem exercício social coincidente com o ano-calendário. No seu balanço patrimonial de 1998 constam, entre outras, as contas VEÍCULOS com saldo de R$ 9.000,00 e DEPRECIAÇÃO ACUMULADA - VEÍCULOS, com saldo de R$ 4.900,00. Informações internas indicam a existência nessa conta de 3 automóveis cujas placas são: AAX, AAY e AAZ. O carro AAX foi incorporado em 01/01/1996, por R$ 3.000,00. O carro AAY foi incorporado em 01/04/1996, por R$ 2.000,00 e foi vendido a vista por R$ 1.300,00 em 30/12/1999. O carro AAZ foi incorporado em 01/07/1996, por R$ 4.000,00. O método de depreciação utilizado pela firma é o da linha reta. Inicialmente, a vida útil dos veículos foi estimada em 5 anos mas, pelas condições de uso, a vida útil passou a ser estimada em 2 anos, após dezembro de 1998. Com fulcro nas informações acima, após contabilizar a depreciação dos veículos no exercício de 1999, podemos dizer que: a) a taxa total ajustada de depreciação aplicada ao veículo vendido alcançou 77,5% b) a alienação do veículo AAY gerou um lucro contábil de R$ 800,00 c) o encargo de depreciação de veículos no ano de 1999 foi de R$ 1.800,00 d) a conta depreciação acumulada, no balanço de 1999 após a baixa do veículo vendido, terá saldo de R$ 2.050,00 e) os dois veículos não vendidos terão, no balanço de 1999, o valor contábil de R$ 7.000,00 497) ( ESAF/AFTN-1994/março) Balancete Final de 31/12/X2 da empresa VECTOR S/A - Valor corrigido da conta Veículos $ 10.000,00 Valor corrigido da Conta Depreciação Acumulada de Veículos $ 8.000,00 Balancete Final de 31/12/X3 da empresa VECTOR S/A - Valor corrigido da conta Veículos $ 60.000,00 Valor corrigido da conta Depreciação Acumulada de Veículos $ ? Outros Dados - Taxa de Depreciação Anual Utilizada: 20% (vinte por cento) - Não houve aquisições ou baixas de veículos no ano-base de X3 - Na correção monetária foi utilizado o índice oficial de desvalorização da moeda nacional 0 valor corrigido da conta Depreciação Acumulada de Veículos no Balancete Final de 31/12/X3, após os registros contábeis do encargo de depreciação e da correção monetária do balanço concernentes, importou em a) $ 50.000,00 b) $ 45.000,00 e) $ 42.000,00 d) $ 40.000,00 e) $ 10.000,00

108

498) ( ESAF/AFTN-1994/março) Lançamentos Simplificados (Contas e Valores) 1) Provisão para Devedores Duvidosos a Duplicatas a receber $ 36.000,00 2) Devedores Duvidosos a Provisão para Devedores Duvidosos $ 210.000,00 3) Encargos de Depreciação a Depreciação Acumulada de Veículos $ 70.000,00 4) Contas a pagar a Caixa $ 26.000,00 5) Prêmios de Seguros a Vencer a Contas a Pagar $ 44.000,00 6) Caixa a Receitas Financeiras $ 2.000,00 Nos lançamentos acima, os valores debitados em Contas de Resultado totalizam a) $ 306.000,00 b) $ 280.000,00 c) $ 254.000,00 d) $ 150.000,00 e) $ 114.000,00 499)( ESAF/AFTN-1989) O Balancete Final, em 31/12/88, da Indústria de Tecidos Estrela do Sul S/A, apresentou, entre outros, os seguintes saldos: CONTAS SALDOS (R$) - Tear Howa 87.000.000,00 (D) - Depreciação acumulada do tear Howa 50.025.000,00 (C) Considerando que, desde o mês da sua entrada em funcionamento, o referido tear só foi utilizado em 01 (um) turno diário de 8 (oito) horas e que na contabilidade os encargos de depreciação pertinentes sempre foram registrados pela taxa anual de 10% (dez por cento), o período restante de depreciação, se mantidas a mesma taxa e a continuidade na contabilização dos encargos, era, naquela data, de: a) 4 anos e 9 meses b) 4 anos e 3 meses c) 4 anos e 1 mês d) 5 anos e 3 meses e) 575 dias 500) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) Com base nos demonstrativos contábeis {PRIVATE}A) a conta depreciação acumulada é uma conta de resultado B) os bens e direitos não representam investimentos C) quando os bens e direitos forem iguais às obrigações, o patrimônio líquido é positivo D) o lucro bruto é a diferença entre a receita bruta menos as deduções E) quando as aplicações de recursos (Ativo) são menores que as origens de recursos (Capital de Terceiros), temos um passivo a descoberto 501) (ESAF/AFRF-2001) A firma Duplititus opera com vendas a prazo alternando a cobrança em carteira e em bancos, mediante desconto de duplicatas. Em primeiro de abril mantinha as duplicatas de sua os os emissão n 03, 05 e 08 em carteira de cobrança e as de n o 04, 06 e 07, descontadas no banco. Cada uma dessas letras tinha valor de face de R$ 60,00, exceto a n 07, cujo valor era R$ 70,00. Durante o mês de abril ocorreram os seguintes fatos: os - vendas a prazo com emissão das duplicatas n 09, 10 e 11 (3x50): R$ 150,00 - vendas a vista mediante notas fiscais: R$ 200,00 os - desconto bancário das duplicatas n 09 e 10; R$ 100,00 os - recebimento em carteira das duplicatas n 03 e 05; R$ 120,00 o - devolução pelo banco da duplicata n 04, sem cobrar; R$ 60,00 o - recebimento pelo banco da duplicata n 07. R$ 70,00 Com essas informações podemos concluir que, após a contabilização, o saldo final das contas Duplicatas a Receber e Duplicatas Descontadas será, respectivamente, de: a) R$ 160,00 e R$ 330,00 b) R$ 330,00 e R$ 160,00 c) R$ 140,00 e R$ 160,00 d) R$ 200,00 e R$ 220,00 e) R$ 330,00 e R$ 220,00 502) (ESAF/TFC-1996) Duplicatas Descontadas Descontos Passivos 20.000,00 2.000,00 109

a Duplicatas a Receber 20.000,00 a Banco c/Movimento 2.000,00 O lançamento acima corresponde a um aviso bancário vazado nos seguintes termos: a) "Comunicamos o recebimento de duplicata de seu endosso, com o abatimento de 2.000,00 autorizado por V. Sª. e debitado em sua conta." b) "Comunicamos o desconto de duplicata de seu endosso, com débito em sua conta de 2.000,00, referente a comissões e juros deste banco." c) "Comunicamos o desconto de duplicata de seu endosso, cujo valor líquido creditamos em sua conta." d) "Comunicamos a devolução, por incobrável, de duplicata de seu endosso. Debitamos a V. Sª. 2.000,00 de despesas bancárias." e) "Comunicamos o recebimento de duplicata de seu endosso, cujo valor líquido creditamos em sua conta. " 503) (ESAF/AFC/SFC-1996) Os saldos das contas Duplicatas a Receber e Duplicatas Descontadas, em 31.12.95, eram, respectivamente de R$ 1.000,00 e R$ 600,00 No mês de janeiro de 1996 registraram-se os seguintes fatos, em R$ - desconto de duplicatas em bancos 2.500,00 - duplicatas descontadas devolvidas pelo banco sem cobrança 300,00 - recebimento de duplicatas em carteira 800,00 - recebimento de duplicatas descontadas em bancos 1.500,00 - vendas a prazo 4.000,00 - vendas a vista 2.000,00 O saldo da conta Duplicatas a Receber, em 31 de janeiro de 1996, é de a) R$ 1.400,00 b) R$ 2.400,00 c) R$ 2.700,00 d) R$ 2.900,00 e) R$ 4.200,00 504) (TÉC-CONTAB/CONTROLADORIA-99) Foi creditado na conta bancária da empresa o valor de R$ 220,00 proveniente do recebimento de uma duplicata no valor de R$ 200,00 acrescidos de R$ 20,00 de juros. Como deverá ser contabilizado esse valor? {P duplicatas a receber RI a diversos VA a bancos c/ movimento 200,00 TE a juros passivos 20,00 220,00 }A) B) caixa a diversos a duplicatas a receber 200,00 a juros passivos 20,00 220,00 C) bancos c/ movimento a diversos a duplicatas a receber 200,00 a juros ativos 20,00 220,00 D) duplicatas a receber a diversos a caixa 200,00 a juros ativos 20,00 220,00 E) caixa a diversos a duplicatas a receber 200,00 a juros ativos 20,00 220,00 505) (ESAF/AFTN-1994/setembro) O saldo, em 01.06.93, da conta Duplicatas a Receber era de R$ 45,00 No mês de junho ocorreram os seguintes fatos: - vendas a prazo R$ 190,00 - vendas à vista R$ 240,00 - recebimento de duplicatas R$ 30,00 - desconto de duplicatas, no Banco Segurança R$ 110,00 - recebimento duplicatas, pelo Banco Segurança R$ 90,00 Considerando que o Banco devolveu, sem cobrar, duplicatas descontadas no valor de R$ 20,00, podemos afirmar que o saldo da conta Duplicatas a Receber, em 30.06.93 era de: a) R$ 355,00 b) R$ 95,00 c) R$ 235,00 d) R$ 135,00 e) R$ 115,00 110

506) (ESAF/TCE-RN/2001) Tendo certa empresa recebido aviso do banco, comunicando o recebimento, e respectiva quitação, de uma duplicata descontada com ele, a Contabilidade dessa empresa deverá fazer o seguinte lançamento: a) Bancos c/ Movimento a Duplicatas a Receber b) Duplicatas a Receber a Bancos c/ Movimento c) Títulos Descontados a Duplicatas a Receber d) Títulos Descontados a Bancos c/ Movimento e) Duplicatas a Receber a Títulos Descontados 507) (ESAF/AFTN-1989) A empresa Cia. Das Flores tinha duplicatas a receber descontadas no Banco do Brasil. Em 30.09 recebeu o aviso de que o Banco recebera uma delas no valor de R$ 1.000,00. Para contabilizar o evento, o Contador deverá fazer o seguinte lançamento: a) Banco c/ Movimento a Duplicatas Descontadas R$ 1.000,00 b) Duplicatas Descontadas a Duplicatas a Receber R$ 1.000,00 c) Bancos c/ Movimento a Duplicatas a Receber R$ 1.000,00 d) Duplicatas Descontadas a Banco c/ Movimento R$ 1.000,00 e) Duplicatas a Receber a Duplicatas Descontadas R$ 1.000,00 508) (ESAF/TRF-2000) Se uma empresa mantém todas as duplicatas de sua emissão em determinado banco, em operação de desconto, os seus clientes serão creditados quando a(o) a) duplicata for descontada no banco b) duplicata for enviada ao banco para desconto c) banco acusar o recebimento da duplicata d) banco emitir o aviso de crédito e) cliente pagar a duplicata no banco 509) (FISCAL/ICMS–MS/2000) A empresa Nossa S.A. descontou duplicatas no Banco Insegurança S.A., no total de R$10.000,00, em 16 de dezembro de 1999. No dia 3 de janeiro de 2000 recebeu um aviso do banco comunicando o recebimento de uma duplicata anteriormente descontada, no montante de R$200,00. Assinale a alternativa abaixo que melhor registre esse fato (Valores em R$): A) Débito = Duplicatas a receber 200 Crédito = Títulos descontados 200. B) Débito = Bancos conta movimento 200 Crédito = Duplicatas a receber 200. C) Débito = Títulos descontados 200 Crédito = Duplicatas a Receber 200. D) Débito = Duplicatas a receber 200 Crédito = Bancos conta movimento 200. 510) (ESAF/TTN-98) Quando a Empresa Comercial Ltda. realizou uma operação de desconto bancário, enviando ao Banco S/A a duplicata n.º 3112, que tinha a receber de Sebastião Silva-ME, o seu Contador realizou corretamente o seguinte lançamento: a) Duplicatas Descontadas Despesas Bancárias a Duplicatas a Receber b) Duplicatas Descontadas a Bancos Conta Movimento a Despesas Bancárias c) Bancos Conta Movimento Despesas Bancárias a Duplicatas Descontadas d) Bancos Conta Movimento Despesas Bancárias a Duplicatas a Receber 111

e)

Bancos Conta Movimento Despesas Bancárias a Duplicatas Descontadas a Duplicatas a Receber

511) (AFTN/ESAF/96) Em 01.10.19X1 a CIA ALVORECER desconta uma nota promissória de $ 100.000,00, com vencimento previsto para 31.01.19X2 e juros de $ 8.000,00. Com base nesta afirmativa, assinale a opção correta nas questões 08 e 09. Na data da operação o registro contábil efetuado foi: a) débito de $ 92.000,00 na conta “Notas Promissórias a Pagar” e crédito de igual valor na conta “Bancos Conta Movimento” b) débitos de $ 8.000,00 em “Despesas Financeiras de Juros” e $ 92.000,00 em “Bancos c/ Movimento” e crédito de $ 100.000,00 em “Notas Promissórias a Pagar” c) débito de $ 8.000,00 em “Encargos Financeiros a Transcorrer”, $ 92.000,00 em “Bancos c/ Movimento” e crédito de $ 100.000,00 em “Notas Promissórias a Pagar” d) débitos de $ 8.000,00 em “Resultados de Exercícios Futuros - Juros Ativos”, $ 92.000,00 em “Bancos c/ Movimento” e crédito de $ 100.000,00 em “Notas Promissórias a Pagar” e) débitos de $ 92.000,00 na conta “Bancos c/ Movimento” e crédito de igual valor na conta “Nota Promissória a Pagar” 512) (AFTN/ESAF/96) Em 31.12.19X1, quando a empresa apresentar seu Balanço Patrimonial, o efeito gerado pela operação retrocitada na apuração do resultado da empresa é a) nulo, por se tratar de Resultado de Exercícios Futuros b) de apropriação de despesa financeira em $ 4.000,00 c) de apropriação de despesa financeira em $ 8.000,00 d) de apropriação de despesa financeira em $ 2.000,00 e) de apropriação de despesa financeira em $ 6.000,00 GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 481- C 491- D 501- B 511- C 482- D 492- B 502- A 512- E 483- A 493- B 503- C 484- D 494- D 504- C 485- E 495- A 505- E 486- A 496- A 506- C 487- D 497- A 507- B 488- C 498- B 508- C 589- A 499- B 509- C 490- C 500- E 510- C

IX - BALANCETE DE VERIFICAÇÃO 513) Da "Demonstração do Resultado do Exercício" da Comercial XMW S/A, em 31/12/X1, foram extraídos os seguintes elementos: R$ 110.000,0 0 3.000,00 2.000,00 13.000,00 52.750,00 10.000,00 750,00 500,00 4.000,00 750,00 4.000,00 16.000,00 1.000,00 6.250,00 O Resultado com Mercadorias (Lucro Bruto) e o Lucro Líquido do Exercício (após o Imposto de Renda) na referida demonstração, importaram, respectivamente (R$), em: a) 31.250 e 10.000; b) 28.000 e 17.000; c) 30.000 e 10.000; d) 29.250 e 13,000; e) 33.000 e 11.250. Contas Receita (Bruta) da Venda de Mercadorias Receitas financeiras Despesas de comissões sobre vendas Outras Despesas operacionais Custo das mercadorias vendidas Descontos Incondicionais Concedidos PIS sobre a Receita Bruta Cofins sobre a Receita Bruta Receitas Não-operacionais Despesas Não-operacionais. Outras despesas ICMS sobre vendas Despesas financeiras Provisão para o IR (sobre Lucro Real)

112

514) O Balancete da Companhia Comercial XMW, em 31/12/X2, antes do encerramento das contas de resultado, apresentou, entre outros, os seguintes saldos. Contas Saldos (R$) Receita da Revenda de Mercadorias 20.000,00 Vendas Canceladas de Mercadorias 1.000,00 Abatimentos Incondicionais sobre Vendas de Mercadorias 2.000,00 ICMS sobre Vendas de Mercadorias 3.000,00 Outros Impostos sobre Vendas de Mercadorias 500,00 Custo das Mercadorias Revendidas 10.500,00 Estoque Final de Mercadorias para Revenda 1.600,00 Variações Monetárias Ativas 700,00 Receitas Financeiras 300,00 Saldo Credor da Conta de Correção Monetária do Balanço 1.200,00 O Lucro Bruto, considerando-se apenas as contas necessárias á sua apuração, importou em: a) R$ 5.200,00; b) R$ 1.400,00; c) R$ 5.000,00; d) R$ 4.000,00 e) R$ 3.000,00. 515) Em relação ao Balanço Patrimonial e ao Balancete de Verificação que lhe deu origem, é correto afirmar que: a) a soma da coluna de débitos do Balancete é sempre igual ao Ativo do Balanço; b) a soma da coluna de créditos do Balancete é sempre igual à soma do Passivo Exigível com o Patrimônio Líquido do Balanço; c) todas as contas que aparecem no Balancete tem saldo devedor; d) todas as contas que aparecem no Balanço sempre aparecem também no Balancete; e) no Balanço, a soma do Ativo é igual à soma das contas do Passivo Exigível mais a soma das contas do Patrimônio Líquido; no Balancete, isso nem sempre acontece. 516) Balancete da Empresa XMW em 31 de dezembro de 19Xl Saldos - R$ Devedores Credores

Contas

1 - Bancos 80.000, 2 - Caixa 20.000, 3 - Capital 200.000, 4 - Compras 700.000, 5 - Depreciação Acumulada 50.000, 6 - Despesas Gerais 100.000, 7 - Duplicatas a Receber 300.000, 8 - Fornecedores 400.000, 9 - Juros Ativos 50.000, 10 - Juros Passivos 100.000, 11 - Mercadorias 200.000, 12 - Móveis e Utensílios 100.000, 13 - Vendas 900.000, Totais 1.600.000 1.600.000, Levando-se em conta que os estoques, em 31/12/X1 montavam a R$ 300.000,00, pode-se afirmar que o Lucro Operacional Bruto e o Lucro Líquido do Exercício são, respectivamente: a) R$ 300,000,00 e R$ 150.000,00; b) R$ 200.000,00 e R$ 150.000,00; c) R$ 350.000,00 e R$ 150,000,00; d) R$ 100.000,00 e R$ 100.000,00; e) R$ 150.000,00 e R$ 300.000,00. 113

517) Observe os dois balancetes abaixo apresentados: “A” Saldos em R$ Contas Caixa Bancos - C/Movimento Mercadorias Impostos a Recolher Duplicatas a Pagar Capital Devedores 1.000 5.000 10.000 4.000 2.000 10.000 16.000 Credores

16.000 “B” Saldos em R$ Contas Caixa Bancos - C/Movimento Mercadorias Impostos a Recolher Descontos obtidos Capital

Devedores 500 3.700 10.000

Credores

4.000 200 10.000 14.200 14.200 o o Considerando que houve uma única operação entre o 1 . e o 2 . balancetes apresentados, concluise que houve: a) pagamento de uma duplicata, em dinheiro, do valor de R$ 2.000,00 b) recebimento de uma duplicata do valor de R$ 2.000,00 c) pagamento de uma duplicata, parte em dinheiro e parte em cheque, do valor de R$ 2.000,00 com desconto de R$ 200,00 d) pagamento de uma duplicata, em dinheiro, do valor de R$ 500,00, com desconto de R$ 200,00 e) pagamento de uma duplicata, em cheque do valor de R$ 1.300,00, com desconto de R$ 200,00 518) No balancete de verificação preparatória ao Balanço Patrimonial correspondente ao exercício social encerrado em 31.12.85, os saldos das contas classificáveis no Ativo Permanente tinham soma algébrica igual à soma algébrica dos saldos das contas classificáveis no Patrimônio Líquido. Significa isso dizer que: a) a empresa, naquela data, tinha todo o capital próprio imobilizado b) a conta Correção Monetária do Balanço apresentará, necessariamente, saldo ZERO c) o capital de terceiros em poder da empresa é maior do que o capital próprio d) a empresa havia imobilizado capital de terceiros e) a empresa não possuía capital circulante Líquido 519) Num balancete de verificação, a conta Depreciação Acumulada - Veículos aparecerá normalmente na mesma coluna em que aparecer a conta: a) Veículos b) Duplicatas a Receber c) Juros a Vencer d) Comissões Passivas e) Reserva Legal 520) ( ESAF/TRF-2000) O Contador da nossa firma recebeu para classificação e contabilização os documentos referentes aos seguintes fatos ocorridos em determinado mês: I - contrato de empréstimo no banco no valor de 1.200,00 com encargos de 10%; II - pagamento de um título de 650,00 com desconto de 10%; III - recebimento de um título de 460,00, com juros de 10%; IV - recebimento do aluguel do mês no valor de 38,00; V - registro dos impostos do mês para recolhimento posterior, no valor de 12,00; 114

VI - compra a prazo de máquinas para uso por 1.000,00 pagando 40% de entrada; VII- pagamento de um título de 450,00 com juros de 10%; VIII - recebimento de um título de 360,00 com desconto de 10%; IX - pagamento do aluguel do mês no valor de 28,00; X - registro de serviço realizado para recebimento a prazo, no valor de 52,00. Considerando, exclusivamente, a contabilização desses fatos, podemos afirmar que a) o lucro alcançado nas operações foi de R$ 40,00 b) no balanço patrimonial o valor do passivo exigível alcançou R$ 672,00 c) no balancete de verificação a soma dos saldos devedores é R$ 913,00 d) no balanço patrimonial a soma do grupo ativo alcançou R$ 712,00 e) o valor total creditado foi R$ 2.013,00 521) (CESPE/AGENTE/PF/2000) Balancete simplificado de verificação em 31/7/2000 Contas Bancos conta movimento Aplicações com liquidez Bancos conta vinculada Contas a receber Estoques e almoxarifado Despesas do período seguinte Adiantamentos e outras ativas Capital social a integralizar Ações avaliadas pelo custo Ações avaliadas pela equivalência patrimonial Imóveis Móveis e utensílios Veículos Máquinas r equipamentos Instalações Depreciação e amortização acumulada Despesas pré-operacionais Gastos com pesquisa e desenvolvimento Fornecedores Empréstimos bancários Tributos a pagar Salários e encargos a pagar Dividendos a pagar Empréstimos bancários de longo prazo Tributos parcelados de longo prazo Capital social Reservas de capital Reservas de lucros Lucros acumulados Receita bruta de vendas e serviços Impostos sobre vendas Devoluções e abatimentos Custo das mercadorias vendidas Despesas com tecnologia da informação Despesas comerciais Despesas gerais e administrativas Despesas financeiras Despesa de depreciação Outras despesas operacionais Despesas com impostos diversos Despesas com pesquisa Despesa de amortização do diferido Despesa de imposto de renda Saldo (em R$) Devedor Credor 1.000 2.000 500 7.000 500 100 200 1.000 1.500 500 2.000 1.000 5.000 2.000 500 1.000 500 100 200 2.000 500 2.000 500 3.000 2.000 7.215 3.000 2.000 500 30.000 4.000 200 15.000 800 4.000 2.000 500 600 100 200 300 50 563 115

Despesa de contribuição social sobre o lucro 202 Totais 46.115 67.715 Com base nos dados do balancete de uma determinada sociedade anônima, apresentado acima, julgue os seguintes itens. 1. Estão erroneamente classificados nas colunas de saldo os valores correspondentes às seguintes contas: bancos conta movimento; contas a receber; depreciação e amortização acumulada. 2. Estão corretamente classificados nas colunas de saldo os valores correspondentes às seguintes contas: despesas do período seguinte; ações avaliadas pelo custo; capital social. 3. Um lançamento de compra à vista de máquinas e equipamentos do imobilizado, no valor de R$ 100,00, alteraria a diferença entre os totais de débitos e de créditos, apresentados na última linha do balancete. 4. A conta capital social a integralizar está corretamente classificada como saldo devedor. 5. Em despesas gerais e administrativas, devem estar registradas as despesas com salários e encargos sociais do pessoal empregado no departamento jurídico que exerça função de assessoramento da diretoria. 522) (AGERS/RS/98) A boa técnica contábil rejeita o uso de contas patrimoniais híbridas, exceto quando caracterizada como conta corrente. Mesmo assim, algumas contas patrimoniais, corretamente escrituradas, em função do saldo, podem ser de Ativo ou de Passivo. Considerando essa afirmativa, qual o somatório do balancete, em R$, a partir das contas abaixo? Contas a receber 200 Despesas financeiras 80 Capital social 1.220 Bancos 70 Veículos 370 Mercadorias 570 Caixas 3 Contas a pagar 30 Títulos a pagar 53 Máquinas e equipamentos 150 a) 1.233 b) 1.303 c) 1.363 d) 1.373 e) 1.383

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 513- C 522- D 514- E 515- D 516- A 517- C 518- A 519- E 520- C 521- E C E C C

116

X – QUESTÕES DE PROVAS RECENTES 523) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb) Art. 175. O exercício social terá duração de um ano e a data do término será fixada no estatuto. Parágrafo único. – Na constituição da companhia e nos casos de alteração estatutária o exercício social poderá ter duração diversa. Julgue os seguintes itens, considerando o texto acima, extraído da Lei das S.A. 1 Apesar de o exercício social normalmente ter a duração de um ano, a companhia pode preparar balanços semestrais, os quais podem servir de base para a distribuição de dividendos intermediários. 2 A companhia não pode ter um exercício social com período diferente do anual (12 meses). 3 O término do exercício social, quando não estiver previsto no estatuto social da companhia, deve coincidir com o ano civil. 4 Após o encerramento do exercício social, é indispensável a preparação e publicação do balanço patrimonial da data final do período contábil. 5 A demonstração do resultado deve ser publicada com a indicação dos valores correspondentes da demonstração do exercício anterior. 524) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) Art. 177. A escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial e desta lei e aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de competência. § 1.º As demonstrações financeiras do exercício em que houver modificação de métodos ou critérios contábeis, de efeitos relevantes, deverão indicá-la em nota e ressaltar esses efeitos. § 2.º A companhia observará em registros auxiliares, sem modificação da escrituração mercantil e das demonstrações reguladas nesta lei, as disposições da lei tributária, ou de legislação especial sobre atividade que constitui seu objeto, que prescrevam métodos ou critérios contábeis diferentes ou determinem a elaboração de outras demonstrações financeiras. § 3.º As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários, e serão obrigatoriamente auditadas por auditores independentes registrados na mesma comissão. § 4.º As demonstrações financeiras serão assinadas pelos administradores e por contabilistas legalmente habilitados. A respeito da escrituração contábil e dos princípios de contabilidade e com base no texto acima, retirado da Lei das S.A., julgue os itens a seguir. 1 Em consonância com o disposto no § 2.º, em epígrafe, a legislação tributária criou o Livro de Apuração do Lucro Real, para a apuração do lucro tributável segundo normas e critérios diferenciados dos princípios de contabilidade. 2 A auditoria de uma companhia aberta, segundo normas da Comissão de Valores Mobiliários, só pode ser feita por um auditor independente por, no máximo, dois exercícios sociais consecutivos, para garantia de independência. 3 A uniformidade de critérios exigida pela citada lei obriga a manutenção de um mesmo critério de rateio na apuração do custo dos produtos fabricados, ainda que pudesse haver uma alteração para melhor. 4 O regime de competência pode deixar de ser utilizado em determinados casos, especialmente quando for do interesse da companhia elevar os seus lucros, pagando mais impostos e dividendos. 5 Segundo os princípios de contabilidade, a avaliação dos componentes patrimoniais deve ser feita com base nos valores de entrada, considerando-se como tais os resultantes do consenso com os agentes externos ou da imposição destes. Texto CE-I – questões de 525 a 528 Os quadros abaixo apresentam o balanço patrimonial de 31/12/2000, a demonstração do resultado e o fluxo de caixa do primeiro trimestre de 2001 e a planilha de trabalho para a elaboração do balanço de 31/3/2001. balanço patrimonial (em R$) ativo 31/12/200 passivo 31/12/2000 0 Circulante 291.000 Circulante 160.000 disponibilidades 10.000 fornecedores 56.000 contas a receber de vendas 178.000 pessoal e encargos a pagar 5.000 estoque de mercadorias 98.000 tributos a pagar 36.000 despesas do período seguinte 5.000 aluguéis e seguros a pagar 3.000 (aluguéis e seguros) realizável a longo prazo 12.000 Dividendos 11.000 117

Empréstimos Permanente Investimentos Imobilizado Diferido Total

12.000 71.000 15.000 50.000 6.000 374.000

Empréstimos Patrimônio Líquido Capital Social Reservas de Capital Reservas de Lucros Lucros Acumulados Total

49.000 214.000 100.000 50.000 10.000 54.000 374.000

demonstração do resultado do 1.º trimestre de 2001 250.000 vendas brutas (46.250) Tributos sobre vendas vendas líquidas 203.750 custo das mercadorias vendidas (91.688) lucro bruto 112.063 despesas com pessoal (12.000) despesas com materiais e serviços despesas com aluguéis e seguros depreciação amortização do diferido receitas financeiras de aplicação das disponibilidades de empréstimos de longo prazo despesas financeiras lucro antes de IR e CSLL IR e CSLL lucro líquido (8.000) (12.000) (3.500) (300) 1.000 300 700 (2.400) 74.863 (25.453) 49.409

fluxo de caixa do 1.º trimestre de 2001 saldo inicial Entradas de vendas de empréstimos de curto prazo de aumento do capital social rendimento de aplicação das disponibilidades saídas pessoal fornecedores aluguéis e seguros tributos dividendos empréstimos recebidos aquisição de imobilizado à vista aquisição de ações de coligadas à vista saldo final 10.000 295.300 260.000 25.000 10.000 300 (302.000) (11.000) (100.000) (15.000) (75.000) (10.500) (51.000) (26.500) (13.000)

3.300

planilha de trabalho 31/12/0 Movimen 31/3/0 Passivo 31/12/0 0 to 1 0 1º trimestre Circulante 291.00 circulante 160.00 0 0 10.000 56.000 Disponibilidades Fornecedores contas a receber de 178.00 pessoal e encargos a 5.000 vendas 0 pagar estoque de 98.000 tributos a pagar 36.000 mercadorias despesas do período 5.000 aluguéis e seguros a 3.000 seguinte pagar realizável a longo 12.000 dividendos 11.000 prazo empréstimos 12.000 empréstimos 49.000 permanente 71.000 patrimônio líquido 214.00 0 investimentos 15.000 capital social 100.00 0 imobilizado 50.000 reservas de capital 50.000 diferido 6.000 reservas de lucros 10.000 lucros acumulados 54.000 total 374.00 total 374.00 0 0 Ativo

Movimen 31/3/0 to 1 1º trimestre

525) Unb/CESPE-CONTADOR-PETROBRÁS (30/09/2001) Considerando os elementos do texto CE-I, julgue os itens a seguir. 118

1 O saldo das disponibilidades, em 31/3/2001, estará entre R$ 12.000,00 e R$ 15.000,00. 2 O saldo de contas a receber de vendas estará entre R$ 160.000,00 e R$ 170.000,00. 3 Considerando compras no primeiro trimestre de 2001, no valor de R$ 102.000,00, o saldo final de estoques será de R$ 109.313,00, em 31/3/2001. 4 Considerando o pagamento antecipado de aluguéis e seguros no período, no valor de R$ 3.000,00 e a apropriação para despesas de aluguéis e seguros, de R$ 2.500,00, no mesmo primeiro trimestre, o saldo final dessa conta será de R$ 5.500,00. 5 Considerando que as receitas financeiras dos empréstimos ativos serão recebidas juntamente com o principal, o saldo de empréstimos realizáveis a longo prazo será de R$ 12.500,00, em 31/12/2001. 526) Unb/CESPE-CONTADOR-PETROBRÁS (30/09/2001) Com base nos dados apresentados no texto CE-I, em 31/3/2001, o saldo 1 de investimentos será de R$ 18.000,00. 2 do imobilizado será de R$ 70.000,00. 3 do diferido estará entre R$ 5.000,00 e R$ 6.000,00. 4 de fornecedores, considerando compras de R$ 102.000,00 no período, estará entre R$ 50.000,00 e R$ 60.000,00. 5 da conta pessoal e encargos a pagar estará entre R$ 5.500,00 e R$ 7.000,00. 527) Unb/CESPE-CONTADOR-PETROBRÁS (30/09/2001) Em face dos quadros mostrados no texto CE-I, julgue os itens seguintes referentes à posição em 31/3/2001. 1 O saldo da conta tributos a pagar estará entre R$ 32.000,00 e R$ 33.000,00. 2 Considerando que, no período, tenha havido pagamento antecipado de aluguéis e seguros, de R$ 3.000,00 e apropriação para o resultado de despesas antecipadas de aluguéis e seguros, de R$ 2.500,00, o saldo da conta de aluguéis e seguros a pagar será inferior a R$ 1.000,00. 3 Desconsiderando a destinação do resultado do trimestre, a conta de dividendos a pagar deve apresentar um saldo inferior a R$ 1.000,00. 4 O saldo da conta de empréstimos a pagar deve apresentar um saldo superior a R$ 26.000,00. 5 A conta capital social deve apresentar um saldo superior a R$ 120.000,00. 528) SEFA/PA – 2002 (ESAF) Assinale a opção correta. As despesas de fretes a) e seguros pagas na aquisição de mercadorias para revenda devem ser classificadas como custo de aquisição de mercadorias. b) e seguros pagas na aquisição de mercadorias para revenda devem ser classificadas como despesas comerciais. c) não pagas, devem ser classificadas no ativo diferido. d) pagas na entrega de mercadorias vendidas devem ser classificadas como custo de mercadorias vendidas. e) pagas na venda de mercadorias não alteram o resultado operacional. 529) SEFA/PA – 2002 (ESAF) Assinale a opção correta. a) Os investimentos de terceiros na sociedade são fontes do Patrimônio Líquido. b) Quando o valor do Passivo é inferior ao valor do Ativo, fica caracterizada uma Situação Líquida negativa. c) A conta de Duplicatas Descontadas representa obrigação da empresa junto a bancos e é classificada como Passivo Circulante. d) Para que seja melhor evidenciada a situação da empresa os bens do Ativo devem ser avaliados pelo critério de valor de mercado. e) Em situações particulares o valor do Passivo pode ser superior ao valor do Ativo. 530) SEFA/PA – 2002 (ESAF) Nos lançamentos contábeis, as partidas são denominadas de a) terceira fórmula, quando são debitadas duas contas e creditada uma conta. b) segunda fórmula, quando são debitadas duas contas e creditada uma conta. c) segunda fórmula, quando são debitadas duas contas e creditadas duas contas. d) terceira fórmula, quando são creditadas duas contas e debitada uma conta. e) terceira fórmula, quando são debitadas duas contas e creditadas duas contas. 531) SEFA/PA – 2002 (ESAF) Assinale a opção correta.

119

a) Todo acréscimo de valor em contas do Ativo corresponde, necessariamente, a um decréscimo de valor em contas do Passivo. b) Um decréscimo no valor de contas do Ativo corresponde, necessariamente, a um acréscimo de valor em contas do Passivo. c) Um acréscimo no valor de uma conta do Ativo corresponde, necessariamente, a um acréscimo de valor em conta do Passivo ou do Patrimônio Líquido. d) A um decréscimo no valor total do Ativo corresponde, necessariamente, um acréscimo no valor de uma, ou mais, contas do Passivo ou do Patrimônio Líquido. e) Um acréscimo no valor total do Ativo não corresponde, necessariamente, a um acréscimo no valor do Patrimônio Líquido. 532) SEFA/PA – 2002 (ESAF) Indique a opção incorreta. a) A manutenção de um sistema de controle permanente de estoques é admitida para efeito de apuração dos resultados do exercício. b) A escrituração do livro Diário pode ser substituída pela escrituração obrigatória do livro Razão. c) A avaliação dos estoques pelo método do custo médio ponderado é aceita para efeito de apuração dos resultados do exercício. d) Os créditos de impossível realização devem ser expurgados do Ativo. e) A perda de valor dos recursos minerais explorados deve ser reconhecida através de registro em contas de exaustão. 533) SEFA/PA – 2002 (ESAF) Em 10.01.2002, uma empresa comercial adquiriu da Indústria X, para revenda, 8 unidades do produto X, pelo valor de fatura de R$ 400,00. O estoque inicial, em 31.12.2001, do produto X era de 4 unidades, no total de R$ 160,00. A compra do produto X, sujeita ao ICMS de 20% e isenta do IPI, foi feita a prazo. O registro contábil da compra foi: a) Produtos Prontos Produto X a Fornecedores Indústria X Pela aquisição de 8 unidades para revenda 400,00 b) Produtos Prontos Produto X a Mercadorias para Revenda Produto X Pela aquisição de 8 unidades para revenda 400,00 c) Mercadorias para Revenda Produto X a Fornecedores Indústria X Pela aquisição de 8 unidades para revenda 400,00 d) Diversos a Fornecedores Indústria X Mercadorias para Revenda 320,00 Produto X Pela aquisição de 8 unidades para revenda Contas Correntes ICMS 80,00 400,00 e) Diversos a Fornecedores Indústria X Mercadorias para Revenda 400,00 Produto X Pela aquisição de 8 unidades para revenda Contas Correntes ICMS 80,00 480,00 534) SEFA/PA – 2002 (ESAF) Os dados colhidos na Escrituração da Ville Gagnon S/A informam a existência dos seguintes valores em 31.12.01, data de encerramento do exercício: Caixa R$ 100,00 120

Máquinas, sendo 1/3 para revender R$ 630,00 Ações de outras empresas, sendo 1/3 para revender R$ 450,00 Despesas de Depreciação de Máquinas R$ 90,00 Depreciação Acumulada R$ 180,00 Perdas em Investimentos R$ 20,00 Provisão para Perdas em Investimentos R$ 60,00 Provisão para Ajustes de Ações ao Preço de Mercado R$ 30,00 Fornecedores R$ 850,00 Duplicatas Descontadas R$ 90,00 Duplicatas a Receber R$ 290,00 Capital Social R$ 600,00 Reservas de Lucro R$ 100,00 Organizando-se essas contas e respectivos saldos na forma de balancete, podemos não ter uma igualdade contábil, mas, certamente, teremos: a) saldos credores de R$ 1.550,00 b) saldos devedores de R$ 1.220,00 c) ativo total com saldo de R$ 1.110,00 d) passivo exigível com saldo de R$ 940,00 e) diferença devedora no valor de R$ 330,00 535) SUSEP-2002(ESAF) - Assinale a opção correta. Na estrutura do Balanço Patrimonial, classificam-se no: a) Ativo Realizável a Longo Prazo os direitos realizáveis no decorrer do exercício em curso. b) Ativo Circulante os direitos a receber de sociedades controladas realizáveis no curso do exercício corrente. c) Passivo Exigível a Longo Prazo os direitos a receber de sociedades controladas. d) Ativo Permanente/Imobilizado os direitos de participações permanentes em outras empresas. e) Passivo Circulante as obrigações exigíveis no curso do exercício seguinte ao balanço. 536) SUSEP-2002(ESAF) - Determinada empresa, que mantém controle permanente de estoques, registrou, em 31.12.2001, o estoque de 800 unidades, no valor unitário de R$ 4,00. A movimentação em janeiro de 2002 foi a seguinte: 05.01.02 Venda de 400 unidades a R$ 10,00 cada; 10.01.02 Compra de 1.600 unidades a R$ 5,00 cada; 15.01.02 Venda de 1.500 unidades a R$ 10,00 cada; 20.01.02 Venda de 400 unidades a R$ 10,00 cada; 25.01.02 Compra de 1.400 unidades a R$ 5,00 cada. Considerando que as operações de compra e venda estão sujeitas ao ICMS de 20%, podemos afirmar que o valor do estoque em a) 15.01.2002 é de R$ 2.400,00. b) 31.01.2002 é de R$ 6.000,00. c) 31.01.2002 é de R$ 7.480,00. d) 10.01.2002 é de R$ 9.600,00. e) 20.01.2002 é de R$ 480,00. 537) SUSEP-2002(ESAF) - Considere os seguintes dados da conta de Mercadorias para Revenda: Estoque inicial - 1.000 unidades no valor de R$ 4.000,00; Compras - 500 unidades no valor de fatura de R$ 2.500,00; Estoque final - 200 unidades. Sabendo-se que as compras e vendas estão sujeitas a ICMS de 20% e que o preço unitário de venda das Mercadorias é de R$ 5,00, podemos afirmar que a) o Lucro Bruto sobre Vendas é de R$ 1.300,00. b) a Receita Líquida de Vendas é de R$ 6.500,00. c) o Custo de Mercadorias Vendidas é de R$ 6.500,00. d) o saldo da conta de Mercadorias para Revenda é de R$ 1.000,00. e) o Lucro Bruto sobre Vendas é nulo. 538) SUSEP-2002(ESAF) - Analise os dados a seguir e assinale a opção correta. I – Saldos em 31.12.2001, em R$. Mercadorias para Revenda 500,00 Duplicatas a Receber 1.200,00 Duplicatas a Pagar 800,00 121

ICMS a Pagar 100,00 II– Saldos em 31.01.2002, em R$. Mercadorias para Revenda 1.000,00 Duplicatas a Receber 1.700,00 Duplicatas a Pagar 300,00 ICMS a Pagar 1.500,00 III– Fatos ocorridos em janeiro de 2002, em R$. Compras a vista 1.500,00 Compras a prazo 1.000,00 Vendas a vista 6.000,00 Vendas a prazo 4.000,00 IV– Compras e vendas sujeitas a ICMS de 20%. V– As operações a prazo demandaram emissão e aceite de duplicatas. a) O Custo de Mercadorias Vendidas é de R$ 1.500,00. b) O valor das Duplicatas pagas é de R$ 500,00. c) O Custo de Mercadorias Vendidas é de R$ 2.000,00. d) O valor das Duplicatas recebidas é de R$ 500,00. e) O valor do ICMS pago é de R$ 1.600,00. 539) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - A firma Previdente S/A, em 01/08/01, contratou um seguro anual para cobertura de incêndio avaliada em R$ 300.000,00, com vigência a partir da assinatura do contrato. O exercício social da Previdente é coincidente com o ano calendário. O prêmio cobrado pela seguradora é equivalente a 10% do valor da cobertura e foi pago em 31 de agosto de 2001. Em consonância com o princípio contábil da competência de exercícios, no balanço patrimonial de 31/12/01, a conta “Seguros a Vencer” constará com saldo atualizado de a) R$ 175.000,00 b) R$ 30.000,00 c) R$ 20.000,00 d) R$ 17.500,00 e) R$ 12.500,00 540) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - A firma Celta & Cia. Ltda. aplicou seu capital inicial da seguinte forma: 40% em máquinas compradas a vista por R$ 3.500,00, uma nota promissória emitida por um de seus sócios no valor de R$ 3.000,00 e o restante em moeda corrente do País. Em seguida essa empresa: o comprou mercadorias da Casa São Benedito, conforme Nota Fiscal n 2.315. O preço de compra foi de R$ 3.000,00. A Casa São Benedito obteve lucro de 20% nessa transação. A Celta pagou entrada de 20%, assinando duplicata pelo valor restante; os vendeu mercadorias por R$ 1.900,00, conforme Notas Fiscais de n 002 a 049, recebendo como entrada apenas 40% do total; pagou impostos e taxas no valor de R$400,00; registrou salários e respectivos encargos no valor bruto de R$ 900,00, para pagamento no mês seguinte; registrou a baixa do estoque no valor de R$ 1.300,00, referente ao custo das vendas. Ao final da gestão acima transcrita a empresa terá apurado: a) capital aplicado de R$ 8.750,00 b) capital próprio de R$ 8.050,00 c) capital alheio de R$ 3.780,00 d) rédito bruto de R$ 700,00 e) rédito líquido de R$ 600,00 541) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - O contador da firma Alfa Limitada ME criou os seguintes títulos para complementar seu plano de contas: Despesas de Aluguel Aluguéis a Receber Aluguéis a Pagar Aluguéis Ativos Aluguéis Passivos 122

Aluguéis Ativos a Vencer (valores recebidos antecipadamente, sem hipótese de reembolso) Aluguéis Passivos a Vencer Prêmios de Seguros Seguros a Vencer Seguros a Pagar Impostos e Taxas Impostos a Recolher Impostos a Recuperar Salários Ao codificar as contas acima no plano de contas, o contador classificou, corretamente: a) sete contas de resultado b) seis contas patrimoniais c) seis contas de despesas d) quatro contas de passivo circulante e) quatro contas de ativo circulante 542) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - A firma Amoreiras S/A tem um plano de contas corretamente implantado com uma classificação adequada à elaboração das demonstrações financeiras. Quando a investidora comprou, com a intenção de logo revender, um lote de 0,5% das ações do Banco do Brasil e outro lote de 11% das ações dos Supermercados do Sol S/A, o contador precisou criar os títulos “Valores Mobiliários – Ações Banco do Brasil” e “Ações de Coligadas – Supermercados do Sol”. Assinale a classificação correta para as citadas contas “Valores Mobiliários – Ações Banco do Brasil” e “Ações de Coligadas – Supermercados do Sol”, respectivamente. a) Ativo Circulante e Ativo Realizável a Longo Prazo b) Ativo Permanente - Investimentos e Ativo Permanente - Investimentos c) Ativo Realizável a Longo Prazo e Ativo Permanente - Investimentos d) Ativo Permanente - Investimentos e Ativo Circulante e) Ativo Circulante e Ativo Permanente - Investimentos 543) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - A empresa Com Têxtil Limitada trabalha, exclusivamente, com o tecido “alfa”. Em 20 de outubro negociou uma partida nos seguintes termos: aquisição de 2.000 metros ao preço unitário de R$ 5,00; pagamento em moeda corrente na apresentação da nota; tributação de ICMS sobre a compra e transporte, no valor de R$ 1.200,00; tributação de IPI sobre a compra, no valor de R$ 500,00; fretes e seguro relativos à operação de compra, no valor de R$ 300,00. De posse dos documentos decorrentes da operação acima exemplificada, o contador promoveu lançamentos na forma seguinte. Assinale o registro correto, sabendo-se que a empresa é contribuinte do ICMS e nãocontribuinte do IPI. a) Diversos a Caixa pelas aquisições desta data, como segue: Mercadorias ICMS a Recuperar IPI a Recuperar Despesas Acessórias (Fretes e Seguros) b) Diversos a Caixa pelas aquisições desta data, como segue: Mercadorias ICMS a Recuperar IPI a Recuperar

R$ 10.000,00 R$ 1.200,00 R$ 500,00 R$ 300,00

R$ 12.000,00

R$ 10.300,00 R$ 1.200,00 R$ 500,00

R$ 12.000,00

123

c) Diversos a Caixa pelas aquisições desta data, como segue: Mercadorias ICMS a Recuperar IPI a Recuperar d) Diversos a Caixa pelas aquisições desta data, como segue: Mercadorias ICMS a Recuperar e) Diversos a Caixa pelas aquisições desta data, como segue: Mercadorias ICMS a Recuperar

R$ 9.100,00 R$ 1.200,00 R$ 500,00

R$ 10.800,00

R$ 9.600,00 R$ 1.200,00

R$ 10.800,00

R$ 9.100,00 R$ 1.200,00

R$ 10.300,00

544) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - Durante o mês de outubro a ficha de estoque do item “Botinas Clássicas” apresentou os seguintes saldos físicos e financeiros: em 28.10: saldo físico: 100 unidades; saldo financeiro: R$ 5.000,00 em 29.10: saldo físico: 200 unidades; saldo financeiro: R$ 12.000,00 em 30.10: saldo físico: 100 unidades; saldo financeiro: R$ 6.000,00 as entradas do mês foram tributadas em 12% com ICMS as saídas do mês foram tributadas em 17% com ICMS a receita líquida de vendas do dia 30.10 foi de R$ 8.000,00 todo o movimento da conta está contido acima Promovendo-se os cálculos específicos a partir dos dados de outubro, podemos afirmar que a) b) c) d) e) o preço unitário de venda foi de R$ 96,39 o custo unitário das vendas foi de R$ 70,00 o preço unitário das compras de 29/10 foi de R$ 60,00 em 29/10 o estoque foi acrescido de R$ 60,00 por unidade o lucro bruto alcançou R$ 6,40 por unidade

545) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - José é irmão de Maria. Maria é sócia e Diretora da firma Zé, Maria & Irmão Ltda., que comercializa artigos de viagem. José e Maria resolveram viajar e, em 31 de outubro de 2001, compraram em sua própria empresa R$ 4.200,00 em artigos de viagem acertando o pagamento para 30 meses, em parcelas iguais, vencendo a inicial em 30/11/01. Maria obteve também R$ 600,00 em vales da empresa para pagamento de novembro de 2001 a fevereiro do ano seguinte. O exercício social coincide com o ano calendário e, ao seu final, considere não haver parcelas vencidas. Seguindo as regras atuais de classificação das contas do Sistema Patrimonial, podemos afirmar que, em 31 de dezembro de 2001, no que concerne a essas operações, a empresa terá créditos de a) R$ 4.800,00 no Ativo Realizável a Longo Prazo b) R$ 4.220,00 no Ativo Realizável a Longo Prazo c) R$ 2.540,00 no Ativo Realizável a Longo Prazo d) R$ 2.560,00 no Ativo Circulante e) R$ 1.980,00 no Ativo Circulante 546) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - Os estatutos sociais da firma que ora consideramos estabeleciam que do lucro do exercício deveriam ser constituídas uma reserva especial de 10%, uma reserva legal de 5%, além do pagamento de gratificação de 10% à Diretoria e provisionamento de 30% para o Imposto de Renda. No exercício social em que o lucro líquido do exercício, antes de qualquer destinação, alcançou a cifra de R$150.000,00, o montante destinado à Reserva Legal deverá ser de a) R$ 4.200,00 124

b) c) d) e)

R$ 4.500,00 R$ 4.725,00 R$ 5.250,00 R$ 7.500,00

547) BRDES/ANALISTA/2001 - Segundo a Teoria Materialista, as contas são classificadas em a) agentes consignatários e agentes correspondentes. b) agentes consignatários e proprietários. c) agentes consignatários e patrimoniais. d) integrais e diferenciais. e) patrimoniais e de resultado. 548) BRDES/ANALISTA/2001 - Qual é o critério de avaliação de estoques no qual se atribui a cada unidade estocada o valor efetivamente pago por ela? a) Preço médio. b) Preço específico. c) PEPS. d) UEPS. e) Preço ponderado. 549) PREFEITURA DE NATAL–RN-2001(ESAF) - Abaixo estão relacionadas as trinta e uma contas movimentadas pela Cia. de Comércio Beta, conforme Razão Geral de 31.12.00 01 Ações de Coligadas R$ 1.200,00 02 Ações em Tesouraria R$ 300,00 03 Aluguéis Ativos R$ 200,00 04 Aluguéis Passivos R$ 550,00 05 Bancos c/ Aplicação R$ 1.100,00 06 Caixa R$ 1.200,00 07 Capital a Integralizar R$ 3.000,00 08 Capital Social R$ 10.000,00 09 Custo da Mercadoria Vendida R$ 3.800,00 10 Despesas a Pagar R$ 160,00 11 Despesas a Vencer R$ 280,00 12 Duplicatas a Pagar R$ 3.000,00 13 Duplicatas a Receber R$ 1.000,00 14 Duplicatas Descontadas R$ 800,00 15 Fornecedores R$ 4.000,00 16 Edificações R$ 5.000,00 17 Impostos R$ 650,00 18 Impostos a Recolher R$ 500,00 19 Matéria-Prima R$ 1.300,00 20 Mercadorias R$ 2.500,00 21 Móveis e Utensílios R$ 3.500,00 22 Participações Acionárias R$ 800,00 23 Participação de Empregados R$ 320,00 24 Provisão p/ Ajuste de Estoques R$ 150,00 25 Provisão p/ Imposto de Renda R$ 700,00 26 Receitas a Receber R$ 600,00 27 Receitas a Vencer R$ 250,00 28 Receita Bruta de Vendas R$ 6.000,00 29 Reservas de Capital R$ 350,00 30 Reservas de Lucros R$ 400,00 31 Lucros ou Prejuízos Acumulados com saldo igual à diferença entre devedores e credores. Considerando-se, exclusivamente, a relação, podemos afirmar que a empresa demonstra um Patrimônio Bruto de a) R$ 10.750,00 b) R$ 17.530,00 c) R$ 17.940,00 125

d) R$ 18.290,00 e) R$ 18.480,00 550) SERPRO/2001-ESAF - Na nossa Mini Microempresa, apuramos que o aluguel de R$ 180,00, vencido em janeiro/00, fora pago em dezembro/99; que em dezembro/99 foram recebidos juros de R$ 150,00, que só venciam em janeiro/00; que os salários de dezembro/99, no valor de R$ 200,00, só foram pagos em janeiro/00; e que, também em dezembro/99, foram prestados serviços no valor de R$ 310,00 para recebimento apenas no mês seguinte. Estes fatos haviam sido contabilizados no exercício de 1999 segundo as regras do regime contábil de caixa. No entanto, a lei determina que, para fins de balanço, deve ser utilizado o regime contábil de competência, uma vez que se trata de um Princípio Fundamental de Contabilidade. A modificação contábil do regime de caixa para o de competência, neste caso particular, vai provocar um dos seguintes efeitos na apuração final do resultado do exercício de 1999. Assinale a resposta certa. a) O rédito terá decréscimo de R$ 30,00 b) O rédito será um prejuízo de R$ 30,00 c) O rédito terá acréscimo de R$ 80,00 d) O rédito será um lucro de R$ 80,00 e) O rédito será um lucro de R$ 110,00 551) SERPRO/2001-ESAF - Apresentamos abaixo cinco igualdades literais que, se expressas com avaliação em moeda nacional, podem demonstrar a equação fundamental do patrimônio e a representação gráfica de seus estados, em dado momento. 01. ATIVO menos SITUAÇÃO LÍQUIDA é igual a ZERO 02. ATIVO menos PASSIVO é igual a ZERO 03. ATIVO menos PASSIVO menos SITUAÇÃO LÍQUIDA é igual a ZERO 04. ATIVO menos PASSIVO mais SITUAÇÃO LÍQUIDA é igual a ZERO 05. ATIVO mais PASSIVO menos SITUAÇÃO LÍQUIDA é igual a ZERO Observando as igualdades acima, podemos afirmar que a hipótese de número a) 01 é impossível de ocorrer na prática b) 02 representa o melhor estado patrimonial c) 03 representa o pior estado patrimonial d) 04 representa estado patrimonial pré-falimentar e) 05 ocorre quando da criação e registro da empresa 552) SERPRO/2001-ESAF - Os correntistas bancários, atualmente, podem dispor de facilidades nas chamadas contas de livre movimentação ou Bancos c/Movimento, com limites de saques garantidos por contratos de “cheque especial”. Estas contas ora representam ativo contábil, ora representam passivo contábil, dependendo de seu tipo de saldo. Podemos dizer que a conta de depósitos bancários da empresa, garantida por contrato de cheque especial, é uma conta de passivo quando a) o saldo da conta no livro razão da empresa for devedor b) o saldo da conta no livro razão do banco for devedor c) o saldo da conta no extrato bancário for credor d) o saldo da conta tanto no livro razão da empresa, como no extrato bancário for credor e) o saldo da conta tanto no livro razão da empresa como no extrato bancário for devedor 553) SERPRO/2001-ESAF - O estudo lítero-expositivo da Ciência Contábil estabeleceu diversas teorias doutrinárias como forma de classificar os componentes do sistema contábil, condensando esses estudos nas chamadas Teorias das Contas. Entre estas Teorias das Contas existe uma denominada “Teoria Personalista”, que classifica os componentes do sistema contábil em a) Contas Patrimoniais e Contas Diferenciais b) Contas Integrais e Contas Patrimoniais c) Contas Integrais e Contas de Resultado d) Contas de Agentes Consignatários e Contas de Proprietários e) Contas de Agentes e Contas de Proprietários 554) SERPRO/2001-ESAF - O nosso Contador mandou promover, no livro Diário, a contabilização das operações abaixo exemplificadas: 01. registro de capital a prazo, no valor de 5.000,00; 02. venda a prazo por 5.000,00, com ICMS de 12% e lucro bruto de 10%, emitindo duplicatas; 03. pagamento de dívidas em duplicatas de 500,00 com descontos de 10%; 04. registro dos impostos do mês, no valor de 120,00, para recolhimento posterior. Observações: - O ICMS ainda não foi recolhido; 126

- O plano de contas usa a conta receita de vendas; - A baixa no estoque é contabilizada simultaneamente à venda. Após a transcrição dos lançamentos para o livro Razão, obedecidas as regras básicas do Método das Partidas Dobradas, podemos observar que a) foi debitado valor total de R$ 11.270,00 b) foi creditado valor total de R$ 10.620,00 c) o ativo patrimonial foi acrescido de R$ 5.650,00 d) o conjunto dessas operações rendeu à empresa um lucro bruto de R$ 440,00 e) o conjunto dessas operações rendeu à empresa um lucro líquido de R$ 330,00 555) SERPRO/2001-ESAF - José de Anchieta, nosso empregado matrícula número 1520, pediu para conferir os cálculos de seu contracheque, tendo encontrado os seguintes valores: Salários e Ordenados R$ 550,00; Insalubridade: 40% do salário-mínimo ; 18 horas extras com acréscimo de 50%; INSS do segurado à alíquota de 11%; INSS patronal à alíquota de 26%; FGTS à alíquota de 8%. Observações: - o salário-mínimo vigente tem o valor de R$ 151,00; - o mês comercial é composto por 220 horas. Pelos cálculos de José de Anchieta, podemos concluir que sua remuneração mensal vai provocar para a empresa um débito em despesas no valor de a) R$ 833,81 b) R$ 858,15 c) R$ 875,13 d) R$ 908,38 e) R$ 982,95 556) AFRF/2002(ESAF) - Abaixo estão cinco assertivas relacionadas com os Princípios Fundamentais de Contabilidade. Assinale a opção que expressa uma afirmação verdadeira. a) A observância dos Princípios Fundamentais de Contabilidade é obrigatória no exercício da profissão, mas não constitui condição de legitimidade das Normas Brasileiras de Contabilidade. b) O Princípio da Entidade reconhece o Patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, exceto no caso de sociedade ou instituição, cujo patrimônio pode confundir-se com o dos sócios ou proprietários. c) Da observância do Princípio da Oportunidade resulta que o registro deve ensejar o reconhecimento universal das variações ocorridas no patrimônio da Entidade, em um período de tempo determinado. d) A apropriação antecipada das prováveis perdas futuras, antes conhecida como Convenção do Conservadorismo, hoje é determinada pelo Princípio da Competência. e) A observância do Princípio da Continuidade não influencia a aplicação do Princípio da Competência, pois o valor econômico dos ativos e dos passivos já contabilizados não se altera em função do tempo. 557) AFRF/2002(ESAF) - Da leitura atenta dos balanços gerais da Cia. Emile, levantados em 31.12.01 para publicação, e dos relatórios que os acompanham, podemos observar informações corretas que indicam a existência de: Capital de Giro no valor de R$ 2.000,00 Capital Social no valor de R$ 5.000,00 Capital Fixo no valor de R$ 6.000,00 Capital Alheio no valor de R$ 5.000,00 Capital Autorizado no valor de R$ 5.500,00 Capital a Realizar no valor de R$ 1.500,00 Capital Investido no valor de R$ 8.000,00 Capital Integralizado no valor de R$ 3.500,00 Lucros Acumulados no valor de R$ 500,00 Prejuízo Líquido do Exercício no valor de R$ 1.000,00 A partir das observações acima, podemos dizer que o valor do Capital Próprio da Cia. Emile é de a) R$ 5.500,00 b) R$ 5.000,00 c) R$ 4.000,00 d) R$ 3.500,00 e) R$ 3.000,00 558) AFRF/2002(ESAF) - Assinale a opção que apresenta uma afirmativa incorreta. a) Reservas de Capital representam, genericamente, acréscimo ao Patrimônio Líquido que não transitam pela conta de resultado da companhia nem são provenientes de reavaliação de ativos. b) Reservas de Lucros representam, genericamente, a retenção de parcelas provenientes de ganhos, com o objetivo de preservar o Patrimônio Líquido de uma sociedade. 127

c) A depreciação dos bens representa a diminuição de seu valor em conseqüência do desgaste pelo uso, ação da natureza ou obsolescência. d) Reservas de Lucros representam, genericamente, a retenção de parcelas provenientes dos ganhos da entidade, com o objetivo de preservar o patrimônio líquido para posterior destinação. e) Um imóvel que a diretoria não tem intenção de vender e que é alugado a terceiros, por não ter emprego na exploração da atividade da empresa, deve ser classificado como ativo permanente imobilizado. 559) AFRF/2002(ESAF) - A Companhia Capcap de Negócios apresenta os seguintes valores relacionados ao capital próprio: Capital Autorizado R$ 100.000,00 Capital Subscrito R$ 90.000,00 Capital Integralizado R$ 70.000,00 Lucros Acumulados R$ 20.000,00 Reserva de Ágio na Venda de Ações R$ 19.000,00 Reserva para Contingências R$ 17.000,00 Reserva de Correção Monetária R$ 16.000,00 Reservas Estatutárias R$ 15.000,00 Reservas para Investimento R$ 14.000,00 Reserva Legal R$ 13.000,00 Reserva de Reavaliação R$ 12.000,00 Agrupando corretamente os títulos acima, encontraremos a) Capital Social no valor de R$ 100.000,00 b) Capital a Realizar no valor de R$ 30.000,00 c) Reservas de Lucros no valor de R$ 59.000,00 d) Reservas de Capital no valor de R$ 47.000,00 e) Patrimônio Líquido no valor de R$ 216.000,00 560) AFRF/2002(ESAF) - A empresa Andaraí S/A extraiu de seu balancete o seguinte elenco resumido de contas patrimoniais: Ações e Participações R$ 3.000,00 Adiantamento a Diretores R$ 500,00 Bancos Conta Movimento R$ 2.000,00 Caixa R$ 500,00 Despesas com Pesquisa R$ 2.500,00 Duplicatas a Pagar R$ 300,00 Duplicatas a Receber R$ 3.000,00 Empréstimos e Financiamentos obtidos R$ 10.000,00 Fornecedores R$ 5.000,00 Imóveis R$ 6.000,00 Mercadorias R$ 3.000,00 Máquinas e Equipamentos R$ 1.700,00 Poupança R$ 1.000,00 Receitas Antecipadas R$ 6.500,00 Seguros a Vencer R$ 800,00 Títulos a Pagar R$ 2.000,00 Veículos R$ 1.000,00 Se agruparmos as contas acima por natureza contábil, certamente encontraremos uma diferença entre a soma dos saldos credores e devedores. Assinale a opção que indica o valor correto. a) R$ 1.200,00 é a diferença devedora. b) R$ 1.200,00 é a diferença credora. c) R$ 1.800,00 é a diferença credora. d) R$ 17.300,00 é a soma dos saldos credores. e) R$ 22.000,00 é a soma dos saldos devedores. 561) AFRF/2002(ESAF) - Dos lançamentos abaixo, apenas um está correto, no seu todo. Assinale a opção que aponta tal registro contábil.(COM ADAPTAÇÃO) a) Salários e Ordenados a Diversos valor da folha de pagamento do mês, como segue: Salários a Pagar valor líquido do mês 900,00 Contribuições a Recolher Previdência Social consignada aos empregados 99,00 999,00 b) Estoque de Materiais a Diversos n/compra d/data conf. NF xxx, como segue: Matérias Primas preço de custo que ora se estoca 1.760,00 128

ICMS a Recuperar incidência a 12% c) Diversos a Receita Bruta de Vendas n/vendas conf. NF abcd, como segue: Caixa vlr. recebido n/data Duplicatas a Receber vlr. n/emissão ICMS a Recolher incidência a 12% d) Diversos a Salários a Pagar Valor da folha de pagamento do mês, como segue: Salários e Ordenados Valor líquido do mês Contribuições a Recolher Previdência Social consignada aos empregados e) Diversos a Fornecedores n/compra a prazo, conf. NF xyxy, como segue: Matérias Primas preço de custo que ora se estoca ICMS a Recuperar incidência a 12% IPI a Recuperar incidência a 5%

240,00

2.000,00

380,00 500,00 120,00 1.000,00

801,00 99,00 900,00

1.760,00 240,00 100,00 2.100,00

562) AFRF/2002(ESAF) - Assinale, abaixo, a opção que não se enquadra no complemento da frase: “A companhia deve ter, além dos livros obrigatórios para qualquer comerciante, os seguintes, revestidos das mesmas formalidades legais: a) Livro de Registro de Ações Ordinárias”. b) Livro de Atas das Assembléias-Gerais”. c) Livro de Presença de Acionistas”. d) Livro de Atas e Pareceres do Conselho Fiscal”. e) Livro de Transferência de Ações Nominativas”. 563) AFRF/2002(ESAF) - No balancete de 30 de junho, a firma Zimbra Comercial Ltda., apresentava um estoque de mercadorias no valor de R$ 75.000,00. Durante o mesmo mês, o movimento de entradas e saídas demonstrou: estoque inicial de R$ 60.000,00, com compras de R$ 120.000,00 e vendas de R$ 100.000,00. As operações foram tributadas em 10% com IPI nas compras; em 12% com ICMS nas compras; e em 17% com ICMS nas vendas. No mês seguinte, ao acertar as contas com o fisco, a empresa demonstrará, em relação ao movimento de junho passado, a) ICMS a Recolher de R$ 17.000,00 b) ICMS a Recuperar de R$ 14.400,00 c) ICMS a Recuperar de R$ 4.600,00 d) ICMS a Recolher de R$ 2.600,00 e) ICMS a Recolher de R$ 1.160,00 564) AFRF/2002(ESAF) - A Sapataria J.B. consegue fabricar botinas custeando materiais e mão-de-obra em partes iguais. Atualmente está vendendo as botinas a R$ 20,00 o par. Nós, da J.C. Comércio, no início de maio, tínhamos 200 pares dessas botinas em estoque, ao custo unitário de R$ 17,00. Durante o mês, compramos mais 300 pares, ao preço oferecido por J.B. mais 30% de IPI. É verdade que o produto vende bem. No fim de maio, restaram-nos apenas 40 pares, avaliados a custo médio. As operações de compra e venda são tributadas com ICMS a 20%. Com essas informações, podemos dizer que o custo unitário das vendas de J.C. Comércio, no mês de maio, foi de a) R$ 16,40 b) R$ 18,80 c) R$ 20,00 d) R$ 21,20 e) R$ 22,40 565) AFRF/2002(ESAF) - Apresentamos abaixo os dados da movimentação do estoque de cestos de vime, comprados para revender, relativos ao mês de março. O mês começou com a existência de 15 cestos avaliados a R$ 3,00 por unidade. As vendas ocorreram no dia 5: cinco unidades; no dia 20: quinze unidades; e no dia 30: vinte unidades. Os preços unitários foram, respectivamente, de R$ 4,00, R$ 6,00 e R$ 8,00. 129

As compras foram feitas no dia 10: vinte unidades; e no dia 15: dez unidades. A primeira compra teve custo unitário igual ao do estoque inicial e a última foi feita ao preço unitário de fatura de R$ 5,00. As compras e vendas foram tributadas em 20% com ICMS. Não houve devoluções, nem descontos. O estoque é contabilizado por Controle Permanente e avaliado pelo Custo Médio Ponderado. Com as informações acima podemos afirmar que a) o estoque final apresenta custo unitário de R$ 3,25. b) o custo das mercadorias vendidas foi de R$ 130,00. c) a venda do dia 20 de março deu lucro bruto de R$ 41,25. d) o estoque existente ao fim do dia 10 de março foi de R$ 78,00. e) o valor total do estoque final de março foi de R$ 81,25. 566) AFRF/2002(ESAF) - A empresa Carnes & Frutas S/A, em 30 de agosto de 2000, obteve um financiamento em cinco parcelas semestrais iguais de R$ 3.000,00 e repassou, por R$ 20.000,00, uma de suas máquinas, dividindo o crédito em 10 parcelas bimestrais. Todos os encargos foram embutidos nas respectivas parcelas e não se verificou nenhum atraso nas quitações. Devedores e credores admitem compensar débitos e créditos dessas operações em 2002, mas só o farão à época própria, cabendo à empresa dar ou receber a quitação restante. Em decorrência desses fatos, se observarmos o balanço de fim de exercício, elaborado com data de 31.12.00, certamente vamos encontrar a) valores a receber a curto prazo R$ 16.000,00. b) valores a receber a longo prazo R$ 4.000,00. c) valores a pagar a curto prazo R$ 7.000,00. d) valores a pagar a longo prazo R$ 13.000,00. e) saldo a compensar a longo prazo R$ 2.000,00. 567) AFRF/2002(ESAF) - A empresa Zola estava desmontando seu parque operacional e, para isto, efetuou as seguintes operações: a – vendeu, a vista, por R$ 3.000,00 uma máquina adquirida por R$ 4.000,00 e que já fora depreciada em 70%; b – baixou do acervo patrimonial um guindaste comprado por R$ 5.000,00, já depreciado em 80%; e c – alienou por R$ 2.000,00 um cofre, ainda bom, com valor contábil de R$ 3.000,00, embora já depreciado em 25%. No período não houve incidência de correção monetária e as operações não sofreram tributação. Considerando apenas as transações citadas, podemos dizer que a empresa Zola incorreu em a) custos de R$ 13.000,00. b) custos de R$ 4.450,00. c) lucros de R$ 550,00. d) perdas de R$ 2.600,00. e) perdas de R$ 200,00. 568) AFRF/2002(ESAF) - A Cia. Poços & Minas possui uma máquina própria de sua atividade operacional, adquirida por R$ 30.000,00, com vida útil estimada em 5 anos e depreciação baseada na soma dos dígitos dos anos em quotas crescentes. A mesma empresa possui também uma mina custeada em R$ 60.000,00, com capacidade estimada de 200 mil kg, exaurida com base no ritmo de exploração anual de 25 mil kg de minério. O usufruto dos dois itens citados teve início na mesma data. As contas jamais sofreram correção monetária. Analisando tais informações, podemos concluir que, ao fim do terceiro ano, essa empresa terá no Balanço Patrimonial, em relação aos bens referidos, o valor contábil de: a) R$ 34.500,00 b) R$ 40.500,00 c) R$ 49.500,00 d) R$ 55.500,00 e) R$ 57.500,00 569) TRF/2002(ESAF) - Em primeiro de outubro de 2001, a Imobiliária Casa & Terra S/A recebeu, antecipadamente, seis meses de aluguel com valor mensal de R$ 300,00 e pagou o aluguel dos próximos doze meses no valor anual de R$ 2.400,00. Nesse caso, as regras do regime contábil da competência nos leva a afirmar que no balanço de encerramento do exercício, elaborado em 31.12.01, em decorrência desses fatos haverá a) despesas do exercício seguinte no valor de R$ 600,00. b) receitas do exercício seguinte no valor de R$ 900,00. c) despesas do exercício seguinte no valor de R$ 1.200,00. d) receitas do exercício seguinte no valor de R$ 1.800,00. 130

e) despesas do exercício seguinte no valor de R$ 2.400,00. 570) TRF/2002(ESAF) - Estudiosos notáveis da Contabilidade têm-na contemplado com diversas teorias e proposições. Três dessas teorias sobrevivem e, hoje, são consideradas principais. Uma delas, conhecida como Teoria Personalista ou Personalística, classifica todas as contas em: a) contas patrimoniais e contas diferenciais. b) contas integrais e contas diferenciais. c) contas patrimoniais e contas de resultado. d) contas de agentes consignatários e contas de proprietário. e) contas de agentes e contas de proprietário. 571) TRF/2002(ESAF) - A empresa Andaraqui S/A possui no Ativo Imobilizado um imóvel adquirido por R$ 65.000,00 e Móveis e Utensílios adquiridos por R$ 20.000,00. O desgaste desses bens é contabilizado anualmente, calculado pelo método da linha reta. No encerramento do exercício, em 31.12.01, o imóvel completou exatos oito anos de uso e os móveis apenas quatro anos. A vida útil do imóvel (edificação) foi estimada em 25 anos e a dos móveis e utensílios em 10 anos. Os saldos não sofreram baixas, reavaliação, nem correção monetária. O custo do terreno equivale a 60% do imóvel. Com as informações supra alinhadas, feitos os cálculos corretos, podemos dizer que no balanço de 31.12.01, a depreciação acumulada de imóveis e de móveis e utensílios estará com saldo credor de a) R$ 4.600,00 b) R$ 14.720,00 c) R$ 16.320,00 d) R$ 18.400,00 e) R$ 28.800,00 572) TRF/2002(ESAF) - Observe o seguinte lançamento, constante do Diário da Firma Violetas – ME, do qual foi, cuidadosa e didaticamente, suprimido o histórico para fins de concurso. Duplicatas Descontadas a Diversos valor que se registra em decorrência ..........................., a saber: a Bancos c/ Movimento .................................... R$ 1.300,00 a Duplicatas a Receber .................................... R$ 2.700,00 R$ 4.000,00 O histórico suprimido no lançamento supra descrito deverá descrever a a) quitação de desconto bancário, com devolução de duplicatas não recebidas. b) quitação de desconto bancário, com liquidação de duplicatas recebidas. c) contratação de desconto bancário, com entrega de duplicatas, recebendo parte do dinheiro em conta corrente. d) quitação de desconto bancário, com devolução de duplicatas não recebidas e liquidação de duplicatas recebidas. e) quitação de desconto bancário, com liquidação de duplicatas recebidas e devolução de duplicatas não recebidas. 573) TRF/2002(ESAF) - Entre as formalidades extrínsecas e intrínsecas dos Livros de Escrituração, destacamos as abaixo indicadas, exceto: a) Termos de abertura e de encerramento. b) Registro na Junta Comercial (autenticação). c) Numeração tipográfica e seqüencial das folhas. d) Escrituração em ordem cronológica de dia, mês e ano. e) Existência de emendas, rasuras e espaço em branco. 574) TRF/2002(ESAF) - A Comercial Flores Ltda. apurou os seguintes dados em relação à mercadoria “Palmas”, no exercício de 2001: Estoque inicial 120 unidades ao custo unitário de R$ 2,00 Compras 120 unidades ao preço unitário de R$ 2,50 Vendas 120 unidades ao preço unitário de R$ 3,50 Compras 100 unidades ao preço unitário de R$ 3,00 Vendas 100 unidades ao preço unitário de R$ 4,80 As operações de compra e venda são tributadas a 20% com ICMS e o faturamento é tributado a 3% para a COFINS. A empresa utiliza o critério UEPS para avaliação dos estoques. Feitos os cálculos devidos e elaborando-se a demonstração parcial do resultado do exercício, vamos encontrar um Lucro Bruto sobre Vendas no valor de: 131

a) R$ 213,00 b) R$ 240,00 c) R$ 253,00 d) R$ 280,00 e) R$ 693,00 575) AFC/2002(ESAF) - A Fábrica de Pré-moldados, contribuinte de IPI e ICMS, adquiriu uma partida de materiais pré-industrializados para uso industrial. A operação foi realizada a prazo, pagando-se, no ato, apenas 10% da compra mais frete e seguros. Emitida a nota fiscal 1xxx3, dela constavam: quantidade 4.000 unidades; preço unitário R$ 2,50; ICMS 17%; IPI 12%; frete e seguros 2% do preço. Assinale o lançamento correto para contabilizar a operação. a) Diversos a Diversos Materiais R$ 6.900,00 IPI a Recuperar R$ 1.200,00 ICMS a Recuperar R$ 1.700,00 Fretes e Seguros R$ 200,00 R$ 10.000,00 a Caixa R$ 1.000,00 a Fornecedores R$ 9.000,00 R$ 10.000,00 b) Diversos a Diversos Materiais R$ 8.300,00 IPI a Recuperar R$ 1.200,00 ICMS a Recuperar R$ 1.700,00 Fretes e Seguros R$ 200,00 R$ 11.400,00 a Caixa R$ 1.320,00 a Fornecedores R$ 10.080,00 R$ 11.400,00 c) Diversos a Diversos Materiais R$ 8.500,00 IPI a Recuperar R$ 1.200,00 ICMS a Recuperar R$ 1.700,00 R$ 11.400,00 a Caixa R$ 1.140,00 a Fornecedores R$ 10.260,00 R$ 11.400,00 d) Diversos a Diversos Materiais R$ 8.500,00 IPI a Recuperar R$ 1.200,00 ICMS a Recuperar R$ 1.700,00 R$ 11.400,00 a Caixa R$ 1.320,00 a Fornecedores R$ 10.080,00 R$ 11.400,00 e) Diversos a Diversos Materiais R$ 9.700,00 ICMS a Recuperar R$ 1.700,00 R$ 11.400,00 a Caixa R$ 1.320,00 a Fornecedores R$ 10.260,00 R$ 11.400,00 576) AFC/2002(ESAF) - Abaixo está uma relação de contas constantes do Plano de Contas elaborado para a empresa Sol de Março – ME. Caixa Clientes Mercadorias Juros Passivos Fornecedores Capital Social Títulos a Pagar Aluguéis Ativos Seguros a Vencer Prêmios de Seguros Móveis e Utensílios Ações de Coligadas Lucros Acumulados Impostos a Recolher Material de Consumo 132

Reservas de Reavaliação Receitas de Comissões a Vencer Observando-se as contas acima sob o prisma das escolas doutrinárias da Contabilidade, que formularam as conhecidas “Teorias das Contas”, podem ser identificadas na relação a) 3 contas de agentes consignatários. b) 4 contas de agentes correspondentes. c) 5 contas de resultado. d) 6 contas diferenciais. e) 11 contas patrimoniais. 577) AFC/2002(ESAF) - Abaixo está demonstrado o fluxo de entradas e saídas da mercadoria alfa da empresa Beta, em outubro de 2001. As operações de compra e venda foram tributadas com ICMS de 10%. - compras 600 unidades preço de fatura R$ 1.800,00 data 02/10 - compras 200 unidades preço de fatura R$ 800,00 data 05/10 - compras 500 unidades preço de fatura R$ 2.500,00 data 15/10 - vendas 400 unidades preço de fatura R$ 1.600,00 data 03/10 - vendas 300 unidades preço de fatura R$ 1.500,00 data 10/10 - vendas 300 unidades preço de fatura R$ 1.200,00 data 16/10 Sabendo-se que o estoque em primeiro de outubro constava de 100 unidades ao custo unitário de R$ 2,70 e com base no fluxo demonstrado acima, pode-se dizer que o estoque de mercadorias em 31/10/01 terá o valor de a) R$ 1.080,00, se for avaliado a PEPS. b) R$ 1.388,00, se for avaliado a Preço Médio. c) R$ 1.440,00, se for avaliado a UEPS. d) R$ 1.530,00, se for avaliado a PEPS. e) R$ 1.800,00, se for avaliado a Preço Médio. 578) TRF/2000(ESAF) - Considerando as regras fundamentais da digrafia contábil, que determina o registro da aplicação dos recursos simultaneamente e em valores iguais às respectivas origens, temos como correta a seguinte equação contábil geral: a) Ativo = Passivo + Capital Social + Despesas - Receitas b) Ativo + Receitas = Capital Social + Despesas + Passivo c) Ativo - Passivo = Capital Social + Receitas + Despesas d) Ativo + Capital Social + Receitas = Passivo + Despesas e) Ativo + Despesas = Capital Social + Receitas + Passivo 579) TRF/2000(ESAF) - Abaixo são apresentadas cinco afirmativas. Escolha entre elas a única que não expressa inteiramente a verdade. a) O pagamento, em cheque bancário, do valor de uma duplicata acrescido de encargos de juros e de mora, deve ser contabilizado em lançamento de terceira fórmula. b) Quando o extrato bancário de uma empresa apresenta saldo credor, o valor desse saldo passa a representar um passivo na estrutura patrimonial. c) A aquisição de máquinas, parte para alugar e parte para revender, com pagamento de entrada em dinheiro e aceite de títulos pelo valor restante, caracteriza um fato administrativo permutativo. d) As contas de Provisão tanto podem ser classificadas no Passivo Circulante, como no Ativo Circulante ou no Ativo Permanente, dependendo de sua natureza, mas, mesmo assim, todas elas são formadas a partir de débitos lançados em contas de despesa. e) Uma operação de devolução de vendas afeta os valores contabilizados tanto em “Receita de Vendas”, como em “Custo das Vendas”, como também afeta o valor do estoque final. 580) TRF/2000(ESAF) - Os títulos que estão relacionados abaixo em ordem alfabética constam do Plano de Contas da empresa S/A Mera & Simples. Ações de Coligadas Ações em Tesouraria Capital a Integralizar Capital Social Depósito Bancário Despesas Antecipadas Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Empréstimos Bancários Estoque de Mercadorias Receitas Antecipadas Venda de Mercadorias Observando-se a relação acima podemos dizer que ela contém a) 01 conta de passivo, 05 contas de ativo e 07 contas de patrimônio líquido 133

b) c) d) e)

02 contas integrais credoras, 05 contas integrais devedoras e 06 contas diferenciais 03 contas de resultado e 10 contas patrimoniais 06 contas de saldos credores e 07 contas de saldos devedores 03 contas de agente consignatário, 04 contas de agente correspondente e 06 contas do proprietário

581) TRF/2000(ESAF) - Se uma empresa mantém todas as duplicatas de sua emissão em determinado banco, em operação de desconto, os seus clientes serão creditados quando a(o) a) duplicata for descontada no banco b) duplicata for enviada ao banco para desconto c) banco acusar o recebimento da duplicata d) banco emitir o aviso de crédito e) cliente pagar a duplicata no banco 582) TRF/2000(ESAF) - Em 31.12.1999 a firma Dubitatia Ltda. fez a estimativa de que, provavelmente, perderia no ano seguinte R$ 670,00 no recebimento das duplicatas de sua emissão. Nessa mesma data havia saldo anterior de R$ 320,00 na conta Provisão para Devedores Duvidosos. Considerando válida a expectativa de perda e corretos os cálculos efetuados, essa empresa deverá, para adequar seu balanço aos princípios contábeis fundamentais, mandar fazer o seguinte lançamento: a) b) c) d) e) Devedores Duvidosos a Provisão para Devedores Duvidosos Provisão para Devedores Duvidosos a Duplicatas a Receber Devedores Duvidosos a Provisão para Devedores Duvidosos Devedores Duvidosos a Duplicatas a Receber Devedores Duvidosos a Provisão para Devedores Duvidosos 350,00 320,00 670,00 670,00 990,00

583) TRF/2000(ESAF) - Se determinada empresa decide aumentar o próprio capital com o aproveitamento das reservas existentes, terá que contabilizar esse fato administrativo da forma seguinte: a) Capital Social a Reservas b) Capital a Integralizar a Reservas c) Capital a Integralizar a Capital Social d) Reservas a Capital Social e) Reservas a Capital a Integralizar 584) AFRF/2000(ESAF) - Classificam-se como Reservas de Capital as Reservas a) de Prêmios pela Emissão de Debêntures b) de Doações e Subvenções, quando recebidas em entidades privadas c) de Reavaliação de Bens do Ativo Imobilizado d) Estatuárias, destinadas a Investimentos e) por Ajuste de Investimentos em Sociedades- Controladas 585) AFRF/2000(ESAF) - A firma Duplititus opera com vendas a prazo alternando a cobrança em carteira e em os bancos, mediante desconto de duplicatas. Em primeiro de abril mantinha as duplicatas de sua emissão n os 03, 05 e 08 em carteira de cobrança e as de n 04, 06 e 07, descontadas no banco. Cada uma dessas letras o tinha valor de face de R$ 60,00, exceto a n 07, cujo valor era R$ 70,00. Durante o mês de abril ocorreram os seguintes fatos: os - vendas a prazo com emissão das duplicatas n 09, 10 e 11 (3x50): R$ 150,00 - vendas a vista mediante notas fiscais: R$ 200,00 os - desconto bancário das duplicatas n 09 e 10; R$ 100,00 os - recebimento em carteira das duplicatas n 03 e 05; R$ 120,00 o - devolução pelo banco da duplicata n 04, sem cobrar; R$ 60,00 o - recebimento pelo banco da duplicata n 07. R$ 70,00 Com essas informações podemos concluir que, após a contabilização, o saldo final das contas Duplicatas a Receber e Duplicatas Descontadas será, respectivamente, de: a) R$ 160,00 e R$ 330,00 b) R$ 330,00 e R$ 160,00 c) R$ 140,00 e R$ 160,00 d) R$ 200,00 e R$ 220,00 e) R$ 330,00 e R$ 220,00 134

586) AFRF/2000(ESAF) - A Comercial Estrela D’alva praticou as seguintes transações mercantis: - em 02.11: compras a prazo de 300 unidades pelo preço total de R$ 600,00; - em 10.11: vendas a prazo de 200 unidades pelo preço total de R$ 500,00; - em 15.11: compras a vista de 160 unidades pelo preço total de R$ 400,00; - em 30.11: vendas a vista de 150 unidades pelo preço total de R$ 450,00. Considerando-se que em 31.10 a empresa já possuía 200 unidades ao custo unitário de R$ 1,50, podemos afirmar que: a) se o critério de avaliação dos estoques for PEPS, o custo das vendas terá o valor de R$ 775,00 b) se o critério de avaliação dos estoques for PEPS, o estoque final terá o valor de R$ 525,00 c) se o critério de avaliação dos estoques for UEPS, o custo das vendas terá o valor de R$ 600,00 d) se o critério de avaliação dos estoques for UEPS, o estoque final terá o valor de R$ 525,00 e) se o critério de avaliação dos estoques for PEPS, o lucro bruto terá o valor de R$ 175,00 587) AFRF/2000(ESAF) - José Henrique resolveu medir contabilmente um dia de sua vida começando do “nada” patrimonial. De manhã cedo nada tinha. Vestiu o traje novo (calça, camisa, sapatos, etc.), comprado por R$ 105,00, mas que sua mãe lhe deu de presente. Em seguida tomou R$ 30,00 emprestados de seu pai, comprou o jornal por R$ 1,20, tomou o ônibus pagando R$ 1,80 de passagem. Chegando ao CONIC, comprou fiado, por R$ 50,00, várias caixas de bombons e chicletes e passou a vendê-los no calçadão. No fim do dia, cansado, tomou uma refeição de R$ 12,00, mas só pagou R$ 10,00, conseguindo um desconto de R$ 2,00. Contou o dinheiro e viu que vendera metade dos bombons e chicletes por R$ 40,00. Com base nessas informações, podemos ver que, no fim do dia, José Henrique possui um “capital próprio” no valor de: a) R$ 120,00 b) R$ 189,00 c) R$ 2,00 d) R$ 187,00 e) R$ 107,00 588) ATE/MS/2001(ESAF) - A Nossa empresa fecha o exercício social e faz balanços a cada 31 de agosto. Em 31 de agosto de 2000, o balancete elaborado com vistas à realização de ajustes ao resultado do exercício apresentou a conta “Aluguéis Passivos a Vencer” com saldo remanescente de R$ 36.000,00, relativo ao contrato de aluguel do Depósito Geral celebrado no montante de R$ 135.000,00 para o período de 01/10/98 a 31/03/01. A fim de atender ao Princípio Contábil da Competência dos Exercícios, o contador da empresa deverá fazer a seguinte partida de diário: a) Aluguéis Passivos a Aluguéis Passivos a Vencer R$ 4.500,00 b) Aluguéis Passivos a Vencer a Aluguéis Passivos R$ 4.500,00 c) Aluguéis Passivos a Aluguéis Passivos a Vencer R$ 22.500,00 d) Aluguéis Passivos a Vencer a Aluguéis Passivos R$ 22.500,00 e) Aluguéis Passivos a Aluguéis Passivos a Vencer R$ 31.500,00 589) ATE/MS/2001(ESAF) - A empresa Carente S/A recebeu aviso do Banco da Casa, comunicando o recebimento de uma duplicata com ele descontada anteriormente. O Contador, acertadamente, promoveu o seguinte lançamento: a) Bancos c/Movimento a Duplicatas a Receber b) Duplicatas a Receber a Bancos c/Movimento c) Títulos Descontados a Duplicatas a Receber d) Duplicatas a Receber a Títulos Descontados e) Títulos Descontados a Bancos c/Movimento 590) ATE/MS/2001(ESAF) - Folheando o Plano de Contas utilizado na Empresa Berilo S/A, destacamos os seguintes títulos, pendentes de classificação: 135

Título das contas 01 – Ações de Coligadas 02 – Ações em Tesouraria 03 – Bancos c/Movimento 04 – Capital a Integralizar 05 – Capital Social 06 – Clientes 07 – Despesas Antecipadas 08 – Duplicatas a Pagar 09 – Duplicatas Descontadas 10 – Empréstimos Bancários 11 – Mercadorias em Estoque 12 – Receitas Antecipadas 13 – Venda de Mercadorias Analisando os títulos acima, indique, entre as opções abaixo, aquela que contém a informação classificatória verdadeira. a) Todas as contas acima são patrimoniais e devem figurar no Balanço Patrimonial. b) Sete das contas acima apresentam saldos devedores e seis apresentam saldos credores. c) Das contas acima, três são integrais credoras, três são de resultado e duas são retificadoras. d) A relação acima contém três contas de resultado, cinco contas de saldos devedores e cinco contas de saldos credores. e) A relação acima contém três contas retificadoras, duas contas de passivo e uma conta de resultado. 591) ATE/MS/2001(ESAF) - Em novembro passado a folha de pagamento da empresa Rubi Vermelho Ltda. discriminava: Salários e Ordenados R$ 120.000,00 Horas extras trabalhadas R$ 8.000,00 INSS patronal a 22% INSS do segurado a 11% FGTS do segurado a 8% No mês de dezembro não foi computado nenhum reajuste salarial e a jornada de trabalho foi absolutamente igual ao mês anterior. Esta folha está dividida de tal modo que não há imposto de renda recolhido na fonte. Exclusivamente a partir desses dados, considerando que a empresa acima encerra o exercício em 31 de dezembro, podemos afirmar que esta folha de pagamento ocasionou para a empresa em questão uma despesa total de a) R$ 180.480,00 b) R$ 166.400,00 c) R$ 156.160,00 d) R$ 152.320,00 e) R$ 149.920,00 592) ATE/MS/2001(ESAF) - As contas e saldos listados a seguir foram extraídos, entre outras contas, do Livro Razão da Cia. Comercindústria, no último dia do exercício social: Contas (em ordem alfabética) saldos(R$) Ações de Coligadas 100,00 Aluguéis a Pagar 150,00 Aluguéis a Receber 200,00 Caixa 250,00 Capital a Integralizar 300,00 Capital Social 950,00 Clientes 900,00 Duplicatas Aceitas 850,00 Duplicatas Emitidas 800,00 Fornecedores 750,00 Juros Ativos 700,00 Juros Passivos 650,00 Máquinas e Equipamentos 600,00 Materiais 550,00 Mercadorias 500,00 Notas Promissórias Aceitas 450,00 Notas Promissórias Emitidas 400,00 136

Receitas a Receber 350,00 Receitas a Vencer 300,00 Considerando, exclusivamente, as contas acima listadas, podemos verificar que os saldos devedores e os créditos da empresa estão nelas evidenciados, respectivamente, pelos valores de: a) R$ 5.650,00 e R$ 4.100,00 b) R$ 2.700,00 e R$ 3.800,00 c) R$ 2.900,00 e R$ 4.200,00 d) R$ 5.300,00 e R$ 4.450,00 e) R$ 5.650,00 e R$ 3.000,00 593) ATE/MS/2001(ESAF) - A empresa Alfa encerra seu balanço em 31 de dezembro de cada ano. No dia 10 de janeiro de 2001 adquiriu da empresa Beta uma máquina industrial usada, cuja vida útil remanescente foi estimada em 5 anos. Sabe-se que a empresa Beta adquiriu este equipamento para instalação em seu parque industrial em 01 de janeiro de 1998. O valor pelo qual a empresa Alfa adquiriu a máquina foi de R$ 750,00. Seu valor residual é de R$ 50,00. Com estas considerações, podemos afirmar que o valor da depreciação anual a ser contabilizada em 31 de dezembro de 2001, pelo método da linha reta será de a) R$ 140,00 b) R$ 150,00 c) R$ 280,00 d) R$ 300,00 e) R$ 700,00 594) BACEN/2001(ESAF) - A empresa industrial Aços & Móveis adquiriu uma máquina por R$12.000,00, instalando-a para funcionar a partir de 01/08/1998. Tal máquina tem vida útil prevista para produzir 240.000 peças. A capacidade produtiva da empresa Aços & Móveis é de 30.000 peças anuais. Tendo funcionado estritamente dentro do planejado nos anos de 1998, 1999 e 2000, e contabilizado o coeficiente 1,2 de depreciação acelerada no ano 1999, podemos dizer que: a) a depreciação acumulada até o final de 1999 foi de R$ 2.425,00 b) a depreciação acumulada no balanço de 2000 foi de R$ 3.300,00 c) o encargo de depreciação em 1999 foi de R$1.500,00 d) para vender essa máquina em 30 de junho de 2001, ganhando R$1.000,00, o preço deveria ser de R$6.100,00 e) o valor depreciável da máquina em 31/12/2001 será de R$6.900,00

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 523 – C E E C C 528 – A 538 – A 548 – B 558 - E 568 - D 578 - E 588 - A 529 – E 539 – D 549 – B 559 - C 569 - B 579 - B 589 - C 524 – C E E E C 530 – A 540 – B 550 – E 560 - A 570 - E 580 - D 590 - B 531 – E 541 – E 551 – D 561 - E 571 - C 581 - C 591 - B 525 – E C E C E 532 – B 542 – E 552 – B 562 - A 572 - D 582 - A 592 - E 533 - D 543 - D 553 - E 563 - D 573 - E 583 - D 593 - A 526 – E E C E C 534 - C 544 - A 554 - C 564 - C 574 - A 584 - A 594 - A 535 - E 545 - C 555 - D 565 - A 575 - D 585 - B 527 – C C C E E 536 - B 546 - C 556 - C 566 - B 576 - D 586 - D 537 - E 547 – D 557 - E 567 - E 577 - C 587 - E

137

X - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO TÍTULOS SALDOS EM 31/12/X2 Receita da Revenda de mercadorias Receita da Prestação de serviços Vendas canceladas ICMS sobre a Revenda de Mercadorias Outros Impostos Incidentes sobre a Receita de Revenda de Mercadorias e da Prestação de Serviços Custo das mercadorias Revendidas Custo dos serviços vendidos Despesas operacionais (Outras) Receitas financeiras Líquidas Outras despesas Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS). 1.000,00 600,00 100,00 150,00 47,00 430,00 310,00 293,00 70,00 80,00 40,00

595) Identifique, entre os itens acima relacionados, aqueles que são computados na determinação do LUCRO BRUTO e a natureza dos respectivos saldos. Efetue a soma algébrica dos valores identificados e assinale, em seguida, a alternativa que contém esse LUCRO. a) R$ 523,00; b) R$ 270,00; c) R$ 80,00; d) R$ 200,00; e) R$ 120,00. 596) É considerada não-operacional a receita decorrente: a) de aplicação financeira; b) de aluguel de imóvel; c) do recebimento de dividendos; d) da reversão da Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa; e) da venda de bem do Ativo Imobilizado. 597) Na Demonstração do Resultado do Exercício, as receitas financeiras aparecem: a) como outras receitas operacionais; b) como receitas não-operacionais; c) reduzindo o valor das despesas financeiras; d) como receita operacional bruta; e) n.d.a. 598) Na Demonstração de Resultado do Exercício (DRE), as despesas financeiras e o saldo da conta de correção monetária do balanço são colocados, respectivamente: a) antes do lucro operacional e após os resultados não-operacionais; b) após os resultados não-operacionais e entre as contas de apuração do lucro não-operacional; c) antes do lucro operacional e antes dos resultados não-operacionais; d) antes do lucro operacional e entre as contas de resultados operacionais; e) n.d,a. 599) Através da Demonstração dos Resultados do Exercício é possível identificar-se: a) a distribuição do lucro do período e a movimentação ocorrida no saldo dos Lucros Acumulados b) a situação financeira da empresa c) o montante do lucro Líquido por ação do capital social d) a movimentação ocorrida durante o exercício nas diversas contas componentes do Patrimônio Líquido e) a movimentação dos financiamentos e investimentos da empresa durante o exercício 600) O Resultado do Exercício, depois da Provisão para Imposto de Renda, de uma sociedade anônima, apurado através da Demonstração do Resultado do Exercício, foi de R$ 15.000.000,00. Sabe-se que: 1 - os estatutos da Companhia determinam que os administradores fazem jus à participação de 10% do resultado do exercício, e os empregados a outros 10%, sendo a distribuição feita de o. conformidade com as normas estabelecidas pela Lei n 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações); 2 - a Companhia jamais emitiu debêntures ou partes beneficiárias; 138

3 - registros contábeis da Companhia revelam a existência de prejuízos acumulados de exercícios anteriores no valor de R$ 3.000.000,00 Assim sendo, chega-se à conclusão de que o LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO apurado na Demonstração Financeira mencionada foi de: a) R$ 9.600.000,00 b) R$ 9.720.000,00 c) R$ 12.000.000,00 d) R$ 12.600.000,00 e) R$ 12.720.000,00 601) A base de cálculo das participações estatutárias da MANZAN S/A, no balanço de 31/12/X8, foi um lucro de R$ 20.000.000,00. De acordo com o estatuto vigente à época, os percentuais eram: PARTICIPAÇÕES De empregados 10% (dez por cento) De administradores 5% (cinco por cento) De partes beneficiárias 5% (cinco por cento) A parcela do lucro atribuída aos titulares das PARTES BENEFICIÁRIAS, calculada com observância da legislação comercial (Lei 6.404/76), importou em: a) R$ 1.000.000,00 b) R$ 855.000,00 c) R$ 902.500,00 d) R$ 850.000,00 e) R$ 900.000,00 602) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) Dados extraídos da Demonstração de Resultado do Exercício e de registros auxiliares de contabilidade de uma sociedade anônima que se dedica às atividades de revenda de mercadorias e de prestação de serviços a terceiros: - Receita da revenda de mercadorias 60.000,00 - Receita de serviços 40.000,00 - Receita decorrente de aplicações no mercado financeiro 20.000,00 - Receita de aluguel de imóvel de uso da companhia (durante período de férias 5.000,00 coletivas) - Produto da venda de um veículo de uso, cujo valor contábil era de 5.000,00 8.000,00 - ICMS incidente sobre as vendas 10.000,00 - ISS incidente sobre os serviços prestados 1.000,00 - Desconto a clientes, por antecipação de pagamento 4.000,00 - Custo das mercadorias vendidas 50.000,00 O lucro bruto do exercício foi, portanto, de a) 30.000,00 b) 35.000,00 c) 39.000,00 d) 55.000,00 e) 68.000,00 603) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) O resultado não operacional da empresa mencionada na questão anterior foi de a) 3.000,00 b) 8.000,00 c) 13.000,00 d) 28.000,00 e) 33.000,00 604) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) As empresas prestadoras de serviços sujeitam-se ao pagamento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). Na Demonstração do Resultado do Exercício dessas empresas o ISS incidente sobre os serviços prestados a) não figura expressamente, porque é deduzido do valor da receita bruta de serviços b) não figura expressamente, porque o seu valor é repassado aos usuários dos serviços c) figura como parcela redutora da receita bruta de serviços d) é incluído no valor do custo dos serviços vendidos e) figura como despesa operacional da empresa 605) (MTB-CESPE-UNB/94) Suponha-se que a Empresa X apresentasse no seu balancete do Razão, no dia do balanço, entre outras, as seguintes contas e respectivos saldos: Estoque inicial ..................... $ 500,00 139

Compras ............................. $ 8.000,00 Vendas (Receita bruta) .............. $ 12.000,00 Devolução de Vendas ................. $ 400,00 Despesas com Vendas ................. $ 900,00 Abatimentos sobre Vendas ............ $ 200,00 Imposto de Renda .................... $ 1.080,00 Impostos sobre Vendas ............... $ 2.100,00 O inventário de mercadorias levantado nesta data somou $ 800,00. Com base nestas informações, assinale a opção que indica o valor do lucro bruto. a) $ 520,00 b) $ 700,00 c) $ 1.600,00 d) $ 3.700,00 e) $ 4.300,00 606) (MTB-CESPE-UNB/94) A Demonstração de Resultado do Exercício tem a sua apresentação disciplinada pela Lei Nº 6.404/76. Assim, após a apresentação do lucro operacional, para se obter o resultado antes do imposto de renda, deve-se a) deduzir as despesas não-operacionais e somar as receitas não-operacionais. b) considerar as despesas e receitas não-operacionais, o saldo da conta de correção monetária, as participações de terceiros e as contribuições sociais. c) considerar as despesas e receitas não-operacionais, o saldo da conta de correção monetária e as participações de terceiros. d) considerar as despesas e receitas não-operacionais, o saldo da conta de correção monetária e as contribuições para instituições ou fundos de assistência ou previdência de empregados. e) considerar as despesas e receitas não-operacionais e o saldo da conta de correção monetária. 607) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) O Chefe pediu ao Contador uma conciliação dos resultados do mês de março para saber se a firma andava com os pagamentos em dia. Na conciliação o Contador apurou que havia: juros de fevereiro, pagos em março, no valor de R$ 1.000,00; aluguel de março ainda não pago, no valor de R$ 2.000,00; conta relativa ao consumo de energia elétrica em março, paga no mesmo mês, no valor de R$ 3.000,00; aluguel relativo ao mês de abril, já pago antecipadamente no mês de março, no valor de R$ 4.000,00; juros ganhos no mês de março, mas ainda não recebidos, no valor de R$ 4.000,00; receitas recebidas em março, por serviços que só serão realizados no mês de abril, no valor de R$ 3.000,00; juros relativos ao mês de março, recebidos no próprio mês, no valor de R$ 2.000,00; e comissões ganhas em fevereiro mas recebidas apenas no mês de março, no valor de R$ 1.000,00. O Contador fez o trabalho e informou ao Chefe que, de acordo com o Princípio Contábil da Competência, o resultado apurado no mês de março foi: a) um prejuízo de R$ 2.000,00 b) um prejuízo de R$ 1.000,00 c) um resultado nulo ou igual a zero d) um lucro de R$ 1.000,00 e) um lucro de R$ 2.000,00 608) (PCF/UnB/CESPE-97) A demonstração do resultado do exercício é a apresentação, em forma resumida, das operações realizadas pela empresa, durante o exercício social, demonstradas de forma a destacar o resultado liquido do período. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. (1) Na determinação do resultado do exercício, serão computadas apenas as receitas e os rendimentos efetivamente realizados em moeda no período, assim como os custos, despesas, encargos e perdas pagos, correspondentes às receitas e rendimentos. (2) O resultado do período, antes das destinações para constituição das reservas e dividendos, deve ser registrado na conta de lucros ou prejuízos acumulados. (3) As despesas financeiras, gerais, administrativas e com vendas devem ser demonstradas após a apuração do resultado operacional. (4) Os impostos sobre as vendas, como IPI, ICMS e ISS, considerados como dedução da receita bruta, devem ser demonstrados após a apuração do lucro bruto. (5) Os valores devedores de ajustes de exercícios anteriores, decorrentes de mudanças de critérios contábeis ou de efeitos de erros imputáveis a determinados exercícios anteriores, e que não possam ser atribuíveis a fatos subseqüentes, devem ser contabilizados em despesas não-operacionais. 609) (CESPE/TCU-1996) Na demonstração do resultado, de acordo com a Lei n.º 6.404/76, o lucro ou prejuízo líquido do exercício é uma rubrica apresentada após (1) a participação de empregados. 140

(2) os dividendos. (3) a constituição da reserva legal. (4) a participação de debêntures. (5) a participação de administradores. 610) (ESAF/TCU-1999) Registrada em 25 de fevereiro de 1998, a "Firma Mento Ltda." funcionou normalmente até o fim do ano, contabilizando seus resultados sob a ótica do Regime Contábil de Caixa. Ao chegar a dezembro foi informada de que, para elaborar seus balanços, teria de observar o Regime Contábil da Competência de Exercícios, em obediência aos princípios contábeis e às determinações legais. O lucro do exercício de 1998 já estava contabilizado sob regime de caixa e computava os seguintes elementos: - Salários correspondentes aos meses de fevereiro a dezembro: R$ 3.960,00, faltando pagar apenas o mês de dezembro, no valor de R$ 360,00; - Seguros correspondentes aos meses de fevereiro de 1998 a janeiro de 1999, totalmente pago, à razão de R$ 80,00 por mês; - Serviços prestados durante todo o período, à razão de R$ 450,00 ao mês, inclusive fevereiro de 1998, faltando receber apenas o mês de dezembro/98; - Juros vencidos a favor da "Firma Mento", no valor de R$ 600,00, totalmente recebidos; - Impostos e taxas municipais no valor de R$ 400,00, já vencidos mas ainda não pagos; - Comissões recebidas em 1998 mas que se referem ao exercício de 1999, no valor de R$ 100,00. Ao fazer as correções de lançamentos para ajustar o lucro líquido ao regime de competência, a empresa, naturalmente, provocou alterações no valor contábil do resultado antes contabilizado. Essas alterações significaram: a) redução do lucro em R$ 330,00 b) redução do lucro em R$ 640,00 c) aumento do lucro em R$ 310,00 d) aumento do lucro em R$ 370,00 e) aumento do lucro em R$ 1.030,00 611) (BACEN/CESPE-Unb/97) O objetivo da demonstração do resultado do exercício é fornecer aos usuários das demonstrações financeiras da empresa os dados básicos e essenciais da formação do resultado do exercício. O art. 187 da Lei das Sociedades por Ações disciplina a apresentação dessa demonstração, visando atender a tal objetivo. A esse respeito, julgue os itens a seguir. Na demonstração do resultado, as despesas financeiras devem ser dispostas depois do resultado operacional. A receita líquida de vendas é a obtida a partir da receita bruta de vendas após as deduções das vendas, dos abatimentos e dos impostos. As participações de debêntures, empregados e administradores devem ser reconhecidas após o lucro líquido. A demonstração do resultado discriminará lucro ou prejuízo líquido do exercício por ação do capital social. As despesas com vendas devem ser demonstradas antes do lucro bruto. 612) (ESAF/TFC-1996) Na Demonstração do Resultado do Exercício apurou-se o resultado do exercício antes do imposto de renda no valor de 10.000,00. A alíquota do imposto de renda é de 25%. Pelos estatutos da Sociedade, os empregados e os administradores têm direito a uma participação nos lucros de 15% e 10%, respectivamente. Cada um dos três administradores recebeu, em partes iguais: a) 212,50 b) 250,00 c) 333,33 d) 637,50 e) 750.00 613) (ESAF/AFC-STN/97) Considere os dados abaixo, extraídos do balancete de 30.09.97: Ativo Imobilizado 1.150 Caixa 40 Capital 300 C/C ICMS 300 Custo de Bens do Ativo Imobilizado vendidos 10 Despesas Comerciais 100 Despesas Financeiras 60 Despesas Gerais 140 Duplicatas a Pagar 600 Duplicatas a Receber 500 ICMS sobre Vendas 800 Imposto de Renda na Fonte a Recolher 200 141

Juros Ativos 80 Juros a Vencer 150 Lucros Acumulados 150 Mercadorias para Revenda 700 Receita de Venda de Bens do Ativo Imobilizado 50 Receita de Venda de Mercadorias 4.000 Sabendo-se que: - as compras, sujeitas a ICMS de 20%, somaram 2.500; - o estoque final de Mercadorias para Revenda, em 30.09.97, foi de 900; - dos valores dos estoques inicial e final já está excluído o ICMS de 20%; - o saldo da conta C/C ICMS, em 31.08.97, era nulo; - as bases de cálculo da contribuição social sobre o lucro e do imposto de renda são negativas; - as vendas estão sujeitas a ICMS de 20%. Considerando os dados acima, podemos afirmar que o Resultado do Exercício, em 30.09.97, foi de a) 600 b) 720 c) 1.100 d) 1.220 e) 1.520 614) (MEMÓRIA/99-SP) A Demonstração Contábil que relata o montante de despesas administrativas incorridas durante o ano: A) Balanço Patrimonial B) Demonstração do Resultado do Exercício C) Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido D) Notas Explicativas E) n.d.a. 615) (MEMÓRIA/99-SP) Demonstração Contábil que informa a composição do lucro que a entidade apurou durante o exercício social: A) Balanço Patrimonial B) Demonstração do Resultado do Exercício C) Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos D) Notas Explicativas E) n.d.a. Com base no texto abaixo, responda da questão 616 à questão 619: Dados extraídos da Demonstração de Resultado do Exercício e de registros auxiliares de contabilidade de uma sociedade anônima que se dedica às atividades de revenda de mercadorias e de prestação de serviços a terceiros: - Receita da revenda de mercadorias $160.000,00 - Receita de serviços $140.000,00 - Receita decorrente de aplicações no mercado financeiro $ 20.000,00 - Receita de aluguel de imóvel de uso da companhia (durante período de férias coletivas) $ 5.000,00 - Produto da venda de um veículo de uso, cujo valor contábil era de $5.000,00 $ 8.000,00 - ICMS incidente sobre as vendas $ 10.000,00 - ISS incidente sobre os serviços prestados $ 1.000,00 - Desconto a clientes, por antecipação de pagamento $ 4.000,00 - Custo das mercadorias vendidas $250.000,00 616) (MEMÓRIA/99-SP) O lucro bruto do exercício foi, portanto, de: A) $30.000,00 B) $35.000,00 C) $39.000,00 D) $63.000,00 617) (MEMÓRIA/99-SP) O resultado não operacional foi de : A) $3.000,00 B) $8.000,00 C) $13.000,00 D) $28.000,00

E) n.d.a.

E) n.d.a.

618) (MEMÓRIA/99-SP) O lucro líquido antes do imposto de renda foi de : A) $30.000,00 B) $35.000,00 C) $39.000,00 D) $63.000,00

E) n.d.a.

619) (MEMÓRIA/99-SP) A receita líquida foi de : A) $140.000,00 B) $160.000,00 C) $250.000,00 D) $289.000,00 E) n.d.a.

142

620) (ESAF/AFTN-1989) A base de cálculo das participações estatuárias de MANZAN S/A, no balanço de 31/12/88, foi um lucro de R$ 20.000.000,00 De acordo com o estatuto vigente à época, os percentuais eram: PARTICIPAÇÕES De empregados - 10% (dez por cento) De Administradores - 5% (cinco por cento) De partes beneficiárias - 5% (cinco por cento) A parcela do lucro atribuído aos titulares das PARTES BENEFICIÁRIAS, calculada com observância da legislação comercial (Lei 6.404/76), importou em: a) R$ 1.000.000,00 b) R$ 855.000,00 c) R$ 902.500,00 d) R$ 850.000,00 e) R$ 900.000,00 621) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Balancete em 31.12.93 (em R$ 1,00) Bancos 1 Capital 20 Caixa 1 Compras 14 Comissões sobre Vendas 2 Correção Monetária do Balanço 9 Despesas Gerais 7 Duplicatas a Pagar 12 Duplicatas a Receber 45 Impostos incidentes sobre vendas 12 Juros Ativos 4 Juros Passivos 3 Juros a Pagar 6 Juros a Vencer 5 Móveis e Utensílios 3 Vendas 60 Sabendo-se que: - o balancete se refere ao encerramento do primeiro período de funcionamento da empresa; - o inventário de Mercadorias para Revenda em 31.12.93, foi de R$ 9,00; - o estoque inicial de Mercadorias para Revenda era nulo, podemos afirmar que o lucro bruto, o lucro operacional e o resultado do exercício antes da Contribuição Social sobre o Lucro e do Imposto de Renda foram, respectivamente de: a) R$ 48,00, R$ 38,00 e R$ 29,00 b) R$ 43,00, R$ 33,00 e R$ 24,00 c) R$ 43,00, R$ 27,00 e R$ 18,00 d) R$ 43,00, R$ 35,00 e R$ 26,00 e) R$ 48,00, R$ 40,00 e R$ 31,00 622) (ESAF/AFTN-1994/março) Operações com Mercadorias Isentas do ICMS $ Vendas 336,00 Devoluções de vendas 9,00 Abatimentos sobre Vendas 6,00 Estoque Inicial 45,00 Compras 273,00 Devoluções de Compras 14,00 Abatimentos sobre Compras 7,00 Descontos Comerciais sobre Vendas 8,00 Estoque Final 42,00 Tributos Incidentes s/ Vendas (PIS e COFINS) 8,00 O Lucro Bruto calculado com base nos valores acima importa em a) CR$ 66,00 143

b) CR$ 58,00 c) CR$ 56,00 d) CR$ 51,00 e) CR$ 50,00 623) (ESAF/AFTN-1994/março) Dados constantes dos registros contábeis da "Comercial Omega Ltda." relativos ao exercício social findo em 31/12/93 Mercadorias Para Revenda $ Estoque Inicial 190,00 Compras 300,00 Despesas com Compras (Fretes, Seguros, etc.) 280,00 Estoque Final 230,00 Receita Líquida 1.500,00 Outras Receitas Operacionais Financeira 90,00 Aluguéis de Imóveis 10,00 Determine, considerando apenas os itens necessários a sua composição o valor do LUCRO BRUTO em 31/12/93 e marque a opção que o indica a) CR$ 1.240,00 b) CR$ 1.060,00 c) CR$ 1.050,00 d) CR$ 970,00 e) CR$ 960,00 624) (ESAF/AFTN-1994/março) Dados extraídos de um Balancete Final de 31/12/93 ITENS $ - Receita líquida das vendas e serviços 700,00 - Custo dos Bens e Serviços Vendidos 300,00 - Receitas Financeiras 60,00 - Resultados Positivos em Participações Societárias 12,00 Reversões dos Saldos de Provisões Constituídas no Exercício Anterior 10,00 - Despesas Operacionais (Com Vendas, Gerais e Admin.) 200,00 - Despesas Financeiras 40,00 - Participações de debêntures 6,00 - Receitas não Operacionais 20,00 - Despesas Não Operacionais 2,00 - Saldo Credor da Conta de Correção Monetária do Balanço 102,00 - Provisão para a Contribuição Social sobre o Lucro 32,00 - Provisão para o Imposto de Renda 81,00 O Lucro Líquido do Exercício findo em 31/12/93, depois da provisão para o imposto de renda, apurado com base nos dados acima, foi de a) CR$ 356,00 b) CR$ 255,00 c) CR$ 243,00 d) CR$ 223,00 e) CR$ 219,00 625) (AFTN/ESAF/98) A empresa Jasmim S/A, cujo exercício social coincide com o ano-calendário, pagou, em 30/04/97, o prêmio correspondente a uma apólice de seguro contra incêndio de suas instalações para viger no período de 01/05/97 a 30/04/98. O valor pago de R$ 30.000,00 foi contabilizado como despesa operacional do exercício de 1997. Observando o princípio contábil da competência, o lançamento de ajuste, feito em 31.12.1997, provocou, no resultado do exercício de 1998, uma {PR majoração de R$ 10.000,00 IVA TE} a) b) redução de R$ 30.000,00 c) redução de R$ 20.000,00 d) majoração de R$ 20.000,00 e) redução de R$ 10.000,00

144

626) (AFTN/ESAF/98) O Balancete levantado em 31/12 apresenta a seguinte posição: Caixa R$ 50,00; Fornecedores R$ 150,00; Contas a Pagar R$ 100,00; Duplicatas a Receber R$ 100,00; Móveis e Utensílios R$ 250,00; Estoques R$ 50,00; Bancos conta Movimento R$ 25,00; Vendas R$ 1.200,00; Despesas Antecipadas R$ 25,00; Salários R$ 100,00; Custo das Mercadorias Vendidas R$ 500,00; Capital Social R$ 200,00; Lucros Acumulados R$ 50,00; Impostos R$ 100,00; Despesas de Impressos e Materiais para Escritório R$ 100,00; Energia R$ 50,00; Despesas Diversas R$ 150,00; Receitas de Juros R$ 50,00; Descontos Concedidos R$ 50,00; Instalações R$ 200,00. O encerramento das contas de resultado relacionadas acima demonstra que houve um lucro líquido de {PR R$ 50,00 IVA TE} a) b) R$ 200,00 c) R$ 250,00 d) R$ 150,00 e) R$ 450,00 627) (ESAF/AFRF-2001) Os dados abaixo foram extraídos de um balancete: Compras Custo de bens do ativo imobilizado vendidos Despesas Comerciais Despesas Gerais ICMS sobre Vendas Mercadorias Receita de Venda de Bens do Ativo Imobilizado Vendas - o estoque final de Mercadorias é de 50; - desconsidere impostos sobre compra. O lucro operacional é de: a) 10 b) 90 c) (40) d) 100 e) 170 100 10 50 110 80 100 20 400

628) (ESAF/AFRF-2001) A empresa Lua Luar S.A., em 31.12.X1, mandou distribuir todo o lucro líquido do exercício, na forma seguinte: R$ 200,00 para imposto de renda; R$ 60,00 para dividendos; R$ 50,00 para reservas estatutárias; R$ 30,00 para participação de debenturistas; R$ 40,00 para reserva legal; e R$ 180,00 para lucros acumulados. Considerando-se que essa empresa tinha R$20,00 de prejuízos anteriores, e que a destinação do lucro foi corretamente contabilizada, podemos afirmar que: a) o valor das participações estatutárias é R$80,00 b) o lucro líquido do exercício, depois do imposto de renda, era de R$ 190,00 c) o saldo atual da conta Lucros ou Prejuízos Acumulados é de R$ 160,00 d) o lucro líquido do exercício, antes da distribuição, era de R$ 410,00 e) em decorrência do prejuízo anterior, o imposto de renda será de R$ 180,00 629) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) No primeiro ano de funcionamento da empresa Alfa ocorreram os seguintes fatos: Vendas totais R$ 60,00 Compras R$ 46,00 Devoluções de compras R$ 5,00 Custo das Mercadorias Vendidas R$ 24,00 Sabe-se que: das vendas totais foram devolvidas mercadorias que haviam sido vendidas por R$ 10,00; o saldo inicial da conta de Mercadorias para Revenda era nulo; incidiram impostos de 20% sobre as compras e sobre as vendas; as despesas comerciais, financeiras, administrativas e gerais somaram R$ 12,00; a venda de bens do ativo imobilizado produziu um lucro de R$ 2,00. Considerando as informações acima, indique a opção que contém o valor do saldo final da conta Mercadorias para Revenda e do Resultado do Exercício antes da Contribuição Social sobre o lucro e do Imposto de Renda, respectivamente. a) R$ 21,00 e R$ 26,00 b) R$ 8,80 e R$ 6,00 145

c) R$ 17,00 e R$ 6,00 d) R$ 12,80 e R$ 10,00 e) R$ 36,80 e R$ 2,80 630) (ESAF/AFTN-1991) A Correção Monetária do Balanço (ativo permanente e patrimônio líquido) da empresa “Gasparini e Filhos Ltda.”, referente ao exercício social findo em 31.12.90, apresentou o seguinte resultado: Contas Corrigidas Valor da Correção (R$) Terrenos 13.900.000,00 Edifícios 17.650.000,00 Instalações 16.140.000,00 Móveis e Utensílios 12.210.000,00 Capital Social 24.700.000,00 Lucros Acumulados 28.170.000,00 Depreciações Acumuladas - de Edifícios 1.420.000,00 - de Instalações 3.228.000,00 - de Móveis e Utensílios 2.442.000,00 Informações Adicionais: - O saldo da conta “Reserva da Correção Monetária do Capital” constante do balanço patrimonial de 31.12.89 foi totalmente incorporado ao Capital Social em 30.04.90. - Não foram contabilizadas adições ou baixas nas contas retrocitadas no ano-base de 1990, apenas a transferência de que trata o item anterior. Como conseqüência, o saldo em 31.12.90 da conta de resultado “Correção Monetária do Balanço”, transferido para a conta “Resultado do Exercício”, importou em: a) R$ 35.200.000,00 (devedor) b) R$ 27.530.000,00 (credor) c) R$ 7.030.000,00 (credor) d) R$ 60.000,00 (devedor) e) R$ 7.030.000,00 (devedor) Saldo em 31/12/88 (R$) 1.000.000,00 600.000,00 100.000,00 150.000,00 47.000,00 430.000,00 310.000,00 293.000,00 70.000,00 80.000,00 40.000,00

TÍTULOS - receita da revenda de mercadorias - receita da prestação de serviço - vendas canceladas - ICMS sobre a revenda de mercadorias - outros impostos incidentes sobre a receita de revenda de mercadorias e da prestação de serviços - custo das mercadorias revendidas - custos dos serviços vendidos - despesas operacionais (outras) - receitas financeiras líquidas - correção monetária do balanço (saldo devedor) - contribuição social

631) (ESAF/AFTN-1989) Identifique, entre os itens acima relacionados, aqueles que são computados na determinação do LUCRO BRUTO e a natureza dos respectivos saldos. Efetue a soma algébrica dos valores identificados e assinale, em seguida, a alternativa que contém esse LUCRO. a) R$ 563.000,00 b) R$ 270.000,00 c) R$ 80.000,00 d) R$ 200.000,00 e) R$ 120.000,00

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 595- A 605- C 612- A 622- E 596- E 606- E 613- D 623- E 597- C 607- D 614- B 624- C 598- A 599- C 608- E C E E E 615- B 616- C 625- E 626- B 600- E 601- B 609- C E E C C 617- A 618- D 627- A 628- D 602- C 610- A 619- D 629- B 603- A 604- C 611- E C E C E 620- B 621- D 630- D 631- A

146

XI - BALANÇO PATRIMONIAL 632) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) São demonstrações contábeis obrigatórias: a) Balanço Patrimonial, Demonstração das Mutações Patrimoniais e Demonstração do Resultado do Exercício b) Demonstração de Resultado de Exercício, Balanço Social e Demonstração das Mutações Patrimoniais c) Demonstração de Resultado de Exercício, Notas Explicativas e Demonstração de Lucros Acumulados d) Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos, Balanço Patrimonial e Notas Explicativas e) Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos, Demonstração de Lucros Acumulados e Balanço Social 633) Ao elaborar o Balanço Patrimonial, em 31/12/X6, a Empresa XMW Ltda., classificou a conta Títulos a Pagar no valor de R$ 190.000,00 no Exigível a Longo Prazo, pois ela representava uma nota promissória com vencimento para 30/06/X8 e, ao elaborar o Balanço Semestral, em 30/06/X7, essa mesma conta - no valor de R$ 190.000,00, seria classificada no: a) Exigível a Longo Prazo; b) Passivo Circulante; c) Resultado de Exercícios Futuros; d) Patrimônio Líquido/Reservas de Capital; e) Disponível.

BALANÇO PATRIMONIAL 31.12.1988 (em R$ milhares) ATIVO CIRCULANTE Disponibilidades Caixa Bancos c/ Movimento Créditos Clientes Duplicatas a Receber - Provisão p/ Devedores Duvidosos - Duplicatas Descontadas Estoques Mercadorias Despesa do Exercício Seguinte Seguros a Vencer Ativo Permanente Ativo Imobilizado Móveis e Utensílios Veículos Depreciação Acumulada Soma total do Ativo Passivo Circulante Duplicatas a Pagar Fornecedores Adiantamento a Fornecedores Impostos a Recolher Provisão p/ Imposto de Renda Patrimônio líquido Capital Social Realizado Capital Social - Capital a Realizar - Ações em Tesouraria Reservas Reserva Legal Reservas Estatutárias - Prejuízos Acumulados Soma do Passivo e do PL 48 22 10 12 22 14 16 (2) (6) 18 18 4 4 34 34 20 22 (8) 100 67 23 19 (7) 17 15 33 18 21 (5) (3) 24 11 13 (4) 100

634) (ESAF/TCE-RN/2001) Observando atentamente o Balanço Patrimonial acima exposto, podemos afirmar que ele a) está composto de 23 contas b) contém 11 contas de saldo devedor c) contém 12 contas de saldo credor d) demonstra saldos credores cuja soma total é R$ 100.000,00 e) demonstra saldos devedores cuja soma total é R$ 134.000,00 147

Observe a relação de contas abaixo com os respectivos saldos, para responder à questão seguinte (adaptada): - Caixa 1.000 - Fornecedores 3.000 - Mercadorias 5.000 - Duplicatas a Receber 10.000 - Capital Realizado 20.000 - Veículos de Uso 4.000 - Máquinas e Equipamentos de Uso 3.000 - Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa 1.000 - Lucros Acumulados 2.000 - Ações em Tesouraria 1.000 - Impostos a Recolher 2.000 - Duplicatas Descontadas 3.000 - Imóveis de Uso 10.000 635) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) O balancete não fecha porque houve a omissão de uma conta. Sabendo-se que o valor do Patrimônio Líquido é de 21.000 e que 2/3 dele estão empregados em bens de uso permanente, pode-se dizer com segurança que a conta omitida pertence ao grupo do a) Ativo Circulante ou Realizável a Longo Prazo b) Passivo Circulante c) Passivo Exigível a Longo Prazo d) Patrimônio Líquido e) Ativo Permanente 636) (ESAF/FISCAL-FORTALEZA/98) O patrimônio líquido de uma sociedade anônima, na data de encerramento do exercício social, mas antes de computados os resultados obtidos, estava assim constituído: - Capital Social Realizado 300.000,00 - Reserva Legal 30.000,00 - Prejuízos Acumulados 5.000,00 O lucro do exercício, antes da Provisão para o Imposto de Renda, que serviu de base para o cálculo do imposto (lucro real) foi de 60.000,00. A alíquota do imposto aplicada foi de 25%. Não houve pagamento de contribuições ou quaisquer outros encargos fiscais. A diretoria resolveu propor à Assembléia Geral uma participação nos lucros de 10% aos o administradores da companhia, calculada de acordo com as determinações da Lei n 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações). Feitos os lançamentos devidos, o patrimônio líquido da sociedade passou a ter o valor de a) 364.000,00 b) 366.000,00 c) 369.000,00 d) 371.000,00 e) 374.000,00 +637) (AGERS/RS/98) O DRE é apresentado na forma vertical. Em que caso o Balanço Patrimonial deve seguir esta formação? a) Em nenhum caso, pois a forma de apresentação será sempre em duas colunas. b) Em nenhum caso, pois a forma de apresentação será sempre Ativo, de um lado, e Passivo e Patrimônio Líquido, de outro. c) Quando a soma do Ativo for diferente da soma do Passivo. d) Quando houver situação líquida nula. e) Quando houver Passivo a descoberto. 638) (MTB-CESPE-UNB/94) De acordo com a Lei Nº 6.404/76, as contas no ativo circulante serão classificadas do seguinte modo: a) as disponibilidades, os valores a receber e os estoques. b) as disponibilidades, os direitos realizáveis no curso do exercício social subseqüente e as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. c) as disponibilidades, os direitos realizáveis durante o exercício e as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. d) as disponibilidades, os créditos em geral, os estoques e as despesas antecipadas. e) as disponibilidades, os valores a receber, os estoques e as despesas antecipadas. 148

639) (MTB-CESPE-UNB/94) De conformidade com a Lei Nº 6.404/76, no seu passivo, as contas serão classificadas nos seguintes grupos: a) passivo circulante, passivo exigível a longo prazo e resultados de exercícios futuros. b) passivo circulante, passivo exigível e resultados de exercícios futuros. c) passivo circulante, passivo exigível a longo prazo, resultados de exercícios futuros e patrimônio líquido. d) passivo circulante, passivo exigível a longo prazo, resultados de exercícios futuros e patrimônio líquido, dividido em capital, reserva de lucros, reservas de reavaliação, reservas de capital e lucros ou prejuízos acumulados. e) passivo circulante, passivo exigível a longo prazo, resultados de exercícios futuros e patrimônio líquido, dividido em capital social, reservas de capital, reservas de reavaliação reserva de lucros e lucros ou prejuízos acumulados. 641) (TÉC-CONTR-INTERNO) Balancete de Verificação elaborado em 31.12.t4 em reais {PRIVATE}Contas Saldo Devedor Saldo Credor Caixa 10.000,00 Bancos 7.000,00 Duplicatas Receber 86.000,00 Duplicatas Descontadas 22.000,00 Prov. P/Devedores Duvidosos 500,00 Mercadorias 84.300,00 Seguro a Apropriar 4.800,00 Dupl. Receber L/P 30.000,00 Prom. Receber L/P 25.000,00 Part. Soc. Controladas 48.000,00 Máquinas 25.000,00 Deprec. Acum. Máquinas 5.000,00 Empréstimos a Pagar 12.000,00 Salários a Pagar 3.000,00 Financ. Pagar L/P 10.000,00 Capital 205.000,00 Reservas 12.000,00 Ações Tesouraria 2.000,00 Lucro ou Prej. Acumulado 17.400,00 Custo das Merc. Vendidas 106.700,00 ICMS s/Vendas 38.700,00 Salários 16.000,00 Aluguel 13.000,00 Juros Ativos 3.600,00 Descontos Concedidos 1.400,00 Serviços Terceiros 7.600,00 Vendas 215.000,00 TOTAL 505.500,00 505.500,00 Com base no balancete acima o total dos Ativos Realizáveis e o Resultado Bruto são, respectivamente, (A) 55.000,00 / 69.600,00 (B) 55.000,00 / 108.300,00 (C) 169.000,00 / 108.300,00 (D) 224.600,00 / 69.600,00 (E) 224.600,00 / 108.300,00 Para levantar um Balanço Patrimonial segundo a Lei n.º 6.404/76, conhecida como Lei das Sociedades por Ações, foram fornecidos a um candidato a contador de uma sociedade mercantil os seguintes dados: Contas Saldos(R$) - Valores Mobiliários 510,00 - Caixa 20,00 - Bancos Conta Movimento 90,00 - Contas a Receber 10,00 - Clientes (Duplicatas a Receber) 400,00 - Estoques de Mercadorias para Revenda 200,00 - Duplicatas Descontadas 120,00 - Edifícios 700,00 - Participação (Permanente) em Sociedade Controlada 200,00 - Móveis, Utensílios e Instalações 300,00 149

- Prêmios de Seguros a Vencer 12,00 - Depreciação Acumulada de Edifícios 400,00 - Depreciação Acumulada de Móveis Utens. e Instalações 60,00 - Provisão para Devedores Duvidosos 6,60 - Contas a Pagar 70,00 - Empréstimo a Sociedade Controlada 100,00 - Fornecedores (Duplicatas a Pagar) 150,00 - Capital Social Realizado 800,00 - Reserva da C. Monetária do Capital Social Realizado 55,00 - Lucros Acumulados 468,00 - Ações em Tesouraria 22,00 - Impostos, Taxas e Contribuições a Recolher 45,00 - Provisão para a contribuição Social sobre o Lucro 63,00 - provisão para o Imposto de Renda 170,00 - Reserva Legal 27,00 - Dividendos a Pagar 130,00 0bs.: Todos os direitos e obrigações são, pela ordem, realizáveis e vencíveis a curto prazo. Prêmios de Seguro a Vencer representam aplicações de recursos em despesas do exercido seguinte. O empréstimo à controlada não constitui negócio usual. Com base no Balanço Patrimonial levantado responda à seguinte questão. 642) (ESAF/TTN-1994/matutino) O Ativo Circulante importou em a) R$ 1.242,00 b) R$ 1.216.00 c) R$ 1.138.00 d) R$ 1.236,00 e) R$ 1.116,00 643) (ESAF/AFTN-1989) A Empresa Beta S/A apresenta, em 31.12, a seguinte posição de saldos: Caixa R$ 1.000,00 Duplicatas a Receber R$ 20.000,00 Ações de Coligadas R$ 5.000,00 Capital a Realizar R$ 4.000,00 Salários R$ 1.300,00 Provisão para Imposto de Renda R$ 400,00 Duplicatas a Pagar R$ 14.800,00 Salários a Pagar R$ 600,00 Reserva Legal R$ 1.100,00 Lucros Acumulados R$ 800,00 Mercadorias R$ 6.700,00 Despesas Antecipadas R$ 300,00 Móveis e Utensílios R$ 10.000,00 Aluguéis Passivos R$ 200,00 Duplicatas Descontadas R$ 1.500,00 Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa R$ 500,00 Depreciação Acumulada R$ 2.000,00 Capital Social R$ 24.000,00 Juros Ativos R$ 1.600,00 Imposto a Recolher R$ 1.200,00 Com base nas contas e saldos acima, pode-se afirmar que o total de saldos credores do balancete e o valor do Ativo Circulante no Balanço Patrimonial da empresa Beta S/A, são, respectivamente, de: a) R$ 46.500,00 e R$ 26.000,00 b) R$ 48.500,00 e R$ 28.000,00 c) R$ 48.500,00 e R$ 26.000,00 d) R$ 46.500,00 e R$ 27.500,00 e) R$ 44.500,00 e R$ 27.500,00 644) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Em 31.11.x2, a composição do Fundo Fixo de Caixa sempre suprido pela Tesouraria em moeda corrente, era a seguinte: R$ - Moeda corrente 10.000,00 - Comprovantes de despesa 90.000,00 Total 100.000,00

150

Naquela data foi feita a reconstituição do fundo e, concomitantemente, a redução do valor em moeda corrente de R$ 100.000,00 para R$ 50.000,00 Em função dos registros contábeis concernentes, o somatório das contas do Ativo Circulante a) diminuiu em R$ 90.000,00 b) aumentou em R$ 40.000,00 c) aumentou em R$ 50.000,00 d) aumentou em R$ 130.000,00 e) diminuiu em R$ 50.000,00 645) (ESAF/AFRF-2001) A empresa Sol S.A. apresentou valores correntes ou circulantes, com os seguintes saldos: Caixa 40,00 Bancos c/Movimento 100,00 Valores Mobiliários 200,00 Mercadorias 600,00 Materiais de Consumo 120,00 Duplicatas a Pagar 800,00 Duplicatas Descontadas 300,00 Duplicatas a Receber 500,00 No encerramento do exercício, para promover os ajustes necessários ao Balanço, o Contador apurou que: 1 - o extrato bancário indicava um cheque de R$ 20,00 emitido mas ainda não sacado pelo portador; 2 - os valores mobiliários são mil ações da CSN, avaliadas a vinte e cinco centavos de real, no dia do balanço; 3 - ainda faltam contabilizar R$ 40,00 de receitas antecipadas e R$ 150,00 de despesas antecipadas. Feitas as atualizações contabilmente necessárias, o balanço patrimonial apresentará um Ativo Circulante no valor de: a) R$ 1.150,00 b) R$ 1.300,00 c) R$ 1.320,00 d) R$ 1.410,00 e) R$ 1.370,00

646) (ESAF/TFC-1996) Uma empresa, em agosto de 1994, adquiriu um lote de ações de algumas companhias, na bolsa de valores, com a intenção de as revender assim que se lhe oferecesse uma oportunidade vantajosa. Até 31.12.95, data de encerramento de seu exercício social, ainda não as havia revendido. No balanço patrimonial de 31.12.95 essas ações devem figurar no ativo a) circulante b) realizável a longo prazo c) permanente - imobilizado d) permanente - investimentos e) permanente - diferido 647) (CESPE/STM/SUPERIOR/99) Devem ser integralmente classificados no ativo realizável a longo prazo, de acordo com a Lei das S.A., a) os contratos de aluguéis, pelos valores correspondentes aos períodos de utilização dos imóveis a vencerem a partir do exercício seguinte. b) as letras de câmbio, com qualquer vencimento. c) os direitos derivados de vendas, adiantamentos ou empréstimos a sociedades coligadas ou controladas, diretores, acionistas ou participantes no lucro da companhia, que não constituírem negócios usuais na exploração do objeto da companhia. d) os investimentos permanentes em coligadas e controladas. e) as despesas incorridas com projetos de pesquisa. que contribuirão para a formação do resultado de mais de um exercício social. 648) (AFTN/ESAF/96) Quando adquiridos com caráter de permanente, são classificados como Ativo Permanente Investimentos: a) participações societárias e os bens de uso intangíveis 151

b) bens de uso intangíveis e os direitos de longo prazo c) bens tangíveis não utilizados nas atividades da empresa d) bens tangíveis utilizados nas atividades da empresa e) bens de uso tangíveis e os direitos de longo prazo 649) (AFTN/ESAF/96) O Ativo Permanente Imobilizado é formado a) apenas por bens intangíveis e direitos da entidade utilizados em suas atividades b) por todos os bens tangíveis e intangíveis além dos direitos a longo prazo da entidade c) apenas por bens tangíveis utilizados no desenvolvimento de suas atividades d) por bens e direitos da entidade utilizados no desenvolvimento de suas atividades e) somente por bens depreciáveis utilizados no desenvolvimento das atividades da entidade 650) (ESAF/AFTN-1994/março) No Balanço Patrimonial, as participações permanentes em outras sociedades e os direitos de qualquer natureza, não classificáveis no ativo circulante, e que não se destinem à manutenção da atividade da companhia ou da empresa serão classificados a) no Ativo Imobilizado b) no Ativo Diferido c) em Investimentos d) no Ativo Realizável a Longo Prazo e) no Exigível a Longo Prazo 651) (ESAF-CVM/2001) Os juros e demais encargos financeiros decorrentes de financiamentos para a construção de bens imobilizados são: a) Registrados em conta destacada, que evidencie sua natureza, e classificados no mesmo grupo do ativo que lhe deu origem b) Levados ao resultado do exercício no período em que forem pagos ou provisionados de acordo com a competência de exercício c) Inscritos em uma conta do Diferido e levados ao resultado do exercício de acordo com a taxa de retorno esperada d) Computados como despesas financeiras no período em que ocorrer o seu efetivo pagamento e) Computados em conta específica do grupo Resultado de Exercícios Futuros e apropriados ao resultado em até 5 anos 652) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) A Cia. Giramuito não tem, em seu balanço, valores a longo prazo nem resultados de exercícios futuros. Ostenta um patrimônio líquido de R$ 420.000,00 representando 2/3 do patrimônio bruto. Sabendo-se que o Capital de Giro Próprio da Cia. Giramuito soma o montante de R$ 90.000,00, podemos dizer com certeza que o seu Ativo Permanente tem o valor de a) R$ 210.000,00 b) R$ 300.000,00 c) R$ 330.000,00 d) R$ 420.000,00 e) R$ 630.000,00 Para levantar um Balanço Patrimonial segundo a Lei n.º 6.404/76, conhecida como Lei das Sociedades por Ações, foram fornecidos a um candidato a contador de uma sociedade mercantil os seguintes dados: Contas Saldos(R$) - Valores Mobiliários 510,00 - Caixa 20,00 - Bancos Conta Movimento 90,00 - Contas a Receber 10,00 - Clientes (Duplicatas a Receber) 400,00 - Estoques de Mercadorias para Revenda 200,00 - Duplicatas Descontadas 120,00 - Edifícios 700,00 - Participação (Permanente) em Sociedade Controlada 200,00 - Móveis, Utensílios e Instalações 300,00 - Prêmios de Seguros a Vencer 12,00 - Depreciação Acumulada de Edifícios 400,00 - Depreciação Acumulada de Móveis Utensílios e Instalações 60,00 - Provisão para Devedores Duvidosos 6,60 - Contas a Pagar 70,00 - Empréstimo a Sociedade Controlada 100,00 - Fornecedores (Duplicatas a Pagar) 150,00 - Capital Social Realizado 800,00 - Reserva da C. Monetária do Capital Social Realizado 55,00 152

- Lucros Acumulados 468,00 - Ações em Tesouraria 22,00 - Impostos, Taxas e Contribuições a Recolher 45,00 - Provisão para a contribuição Social sobre o Lucro 63,00 - provisão para o Imposto de Renda 170,00 - Reserva Legal 27,00 - Dividendos a Pagar 130,00 0bs.: Todos os direitos e obrigações são, pela ordem, realizáveis e vencíveis a curto prazo. Prêmios de Seguro a Vencer representam aplicações de recursos em despesas do exercido seguinte. O empréstimo à controlada não constitui negócio usual. 653) (ESAF/TTN-1994/matutino) O Passivo Circulante importou em a) R$ 498,00 b) R$ 628,00 c) R$ 634,00 d) R$ 748,00 e) R$ 754,00 654) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - Para levantar um Balanço Patrimonial segundo a Lei n.º 6.404/76, conhecida como Lei das Sociedades por Ações, foram fornecidos a um candidato a contador de uma sociedade mercantil os seguintes dados: Contas Saldos (R$) - Valores Mobiliários 510,00 - Caixa 20,00 - Bancos Conta Movimento 90,00 - Contas a Receber 10,00 - Clientes (Duplicatas a Receber) 400,00 - Estoques de Mercadorias para Revenda 200,00 - Duplicatas Descontadas 120,00 - Edifícios 700,00 - Participação (Permanente) em sociedade Controlada 200,00 - Móveis, Utensílios e Instalações 300,00 - Prêmio de Seguros a Vencer 12,00 - Depreciação Acumulada de Edifícios 400,00 - Depreciação Acumulada de Móveis, Utensílios e Instalações 60,00 - Provisão para Devedores Duvidosos 6,00 - Contas a Pagar 70,00 - Empréstimos a Sociedade Controlada 100,00 - Fornecedores (Duplicatas a Pagar) 150,00 - Capital Social Realizado 800,00 - Reserva da C. Monetária do Capital Social Realizado 55,00 - Lucros Acumulados 468,00 - Ações em Tesouraria 22,00 - Impostos, Taxas e Contribuições a Recolher 45,00 - Provisão para a Contribuição Social Sobre o Lucro 63,00 - Provisão para o Imposto de Renda 170,00 - Reserva Legal 27,00 - Dividendos a Pagar 130,00 Obs.: Todos os direitos e obrigações são, pela ordem, realizáveis e vencíveis a curto prazo. Prêmios de Seguros a Vencer representam aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. O empréstimo à controlada não constitui negócio usual. Com base no Balanço Patrimonial levantado responda à questão: O Ativo Permanente importou em a) R$ 940,00 b) R$ 1.200,00 c) R$ 1.000,00 d) R$ 740,00 e) R$ 540,00 655) (ESAF/TTN-97) A Diretoria de uma sociedade anônima resolveu, ad referendum da Assembléia-Geral, distribuir aos seus acionistas, na forma de dividendos, todo o lucro auferido no exercício. Essa decisão da Diretoria fez aumentar a(o) a) participação dos acionistas no capital da sociedade b) patrimônio líquido da companhia c) passivo circulante d) Passivo exigível a longo prazo e) Saldo da conta de Lucros Acumulados Considere os seguintes elementos de um balancete para responder às questões 656 e 657. Contas Valores (R$) 153

Contas a pagar Impostos a pagar Dividendos a pagar Capital social realizado Reservas de capital Reservas de lucros Lucros acumulados Empréstimos e financiamentos passivos Investimentos Imobilizado Diferido Empréstimos e financiamentos ativos Depósitos judiciais

2.000,00 2.000,00 500,00 12.250,00 1.500,00 4.600,00 3.800,00 1.500,00 2.500,00 25.000,00 1.500,00 1.200,00 300,00

656) (CESPE/STM/SUPERIOR/99) De acordo com os dados do balancete apresentado e considerando haver apenas um saldo de ativo circulante de R$ 2.650,00, cujas contas não estão ali relacionadas, é correto afirmar que o ativo total corresponde a a) um valor inferior a R$ 34.000.00. b) R$ 34.150.00. c) R$ 36.550,00. d) R$ 37.150,00. e) um valor superior a RS 40.000,00. 657) (CESPE/STM/SUPERIOR/99) Com base nos dados apresentados no balancete, é correto afirmar que o valor do ativo permanente é de a) R$ 25.000,00. b) R$ 26.500.00. c) R$ 27.500,00. d) R$ 28.000.00. e) R$ 29.000,00. 658) (ESAF/AFTN-1989) Do BALANÇO PATRIMONIAL da Cia. Comercial de Móveis de Aço, levantado em 31/12/88 e publicado no Jornal dos Balanços de 28/04/89, foram extraídos, de forma desordenada e sem preocupação com a natureza dos saldos, os seguintes itens: TÍTULOS R$ Empréstimos a Sociedades Controladas 12.000,00 Aplicações Financeiras de Curto Prazo 70.000,00 Estoques 90.000,00 Terrenos 20.000,00 Despesas do Exercício Seguinte 5.000,00 Edifícios 30.000,00 Imóveis Destinados à venda 10.000,00 Veículos 8.000,00 Caixa 2.000,00 Bancos Conta Movimento 4.000,00 Móveis e Utensílios 16.000,00 Instalações 26.000,00 Clientes (Curto Prazo) 100.000,00 Provisão Para Créditos de Liquidação Duvidosa 3.000,00 Participações Permanentes em Controladas 40.000,00 Depreciações Acumuladas 52.000,00 Duplicatas Descontadas 25.000,00 Empréstimos a Acionistas 1.000,00 Com base nesses itens, assinale a alternativa que contém, pela ordem, os valores correspondentes ao ATIVO CIRCULANTE e ao ATIVO PERMANENTE. a) R$ 278.000,00 e R$ 98.000,00 b) R$ 265.000,00 e R$ 140.000,00 c) R$ 253.000,00 e R$ 88.000,00 d) R$ 256.000,00 e R$ 93.000,00 e) R$ 266.000,00 e R$ 150.000,00 659) (AFTN/ESAF/98) A Cia. Eira & Eira foi constituída com capital de R$ 750.000,00, por três sócios, que integralizaram suas ações como segue: Adão Macieira R$ 300.000,00 Bené Pereira R$ 150.000,00 Carlos Parreira R$ 300.000,00 Após determinado período, a empresa verificou que nas suas operações normais lograra obter lucros de R$ 600.000,00, dos quais R$ 150.000,00 foram distribuídos e pagos aos sócios. Os restantes R$ 450.000,00 foram reinvestidos na empresa na conta Reserva para Aumento de Capital, nada mais havendo em seu Patrimônio Líquido. 154

Sabendo-se que esta empresa não tem resultados de exercícios futuros e que suas dívidas representam 20% dos recursos aplicados atualmente no patrimônio, podemos afirmar que o valor total de seus ativos é de {PR R$ 1.200.000,00 IVA TE} a) b) R$ 750.000,00 c) R$ 600.000,00 d) R$ 1.500.000,00 e) R$ 1.350.000,00 660) (ESAF-CVM/2001) Comparando-se o conceito do Ativo Permanente Diferido com o das Despesas Antecipadas, pode-se dizer que a) O Diferido é formado por despesas já incorridas e não pagas que afetam exclusivamente o Passivo Circulante b) As Despesas Antecipadas são formadas por despesas incorridas e não pagas que afetam o Passivo Circulante e o Exigível de Longo Prazo c) As Despesas Antecipadas registram despesas pagas e não incorridas e o Diferido é formado por despesas já incorridas d) As Despesas Antecipadas alteram o Resultado Não-Operacional e o Diferido o Resultado Operacional e) O Diferido afeta os resultados do exercício através de amortizações baseadas em estimativas e as Despesas Antecipadas quando são pagas 661) (ESAF/AFTN-1994/março) CONTAS $ Caixa 10,00 Bancos Conta Movimento 20,00 Duplicatas a Receber 3.000,00 Duplicatas Descontadas 600,00 Provisão para Devedores Duvidosos 45,00 Adiantamentos para Despesas de Viagens 30,00 Benefícios Sociais a Recuperar 200,00 Impostos a Recuperar 70,00 Estoques de Mercadorias para Revenda 1.000,00 Prêmios de Seguros a Vencer 120,00 Despesas Financeiras Pagas Antecipadamente 80,00 Empréstimos a Sociedades Controladas 240,00 Aplicações Financeiras 410,00 Participações em Sociedades Controladas 900,00 Terrenos 500,00 Edifícios 880,00 Móveis e Utensílios 340,00 Depreciações Acumuladas de Edifícios 264,00 Depreciações Acumuladas de Móveis e Utensílios 272,00 Despesas Pré-Operacionais 320,00 Amortizações Acumuladas de Despesas Pré-Operacionais 256,00 Com base nos elementos acima, extraídos de um balanceie final de 31/12/X3, determine o montante do ATIVO, no Balanço Patrimonial correspondente, e assinale a opção que o contêm a) $ 6,683.00 b) $ 7,328.00 c) $ 7,883.00 d) $ 7,928.00 e) $ 8,120.00 662) (Unb/CESPE-STM-99) Considerando o grau de liquidez a ser respeitado na apresentação das contas que compõem o ativo, os estoques de mercadorias para revenda em uma empresa varejista devem ser apresentados a) antes das contas a receber de vendas a prazo. b) após as contas a receber de vendas a prazo. c) antes das aplicações financeiras de liquidez imediata. d) após o ativo realizável a longo prazo. e) no ativo imobilizado. 663) (Unb/CESPE-STM-99) Os direitos que tenham por objeto bens destinados à manutenção das atividades 155

da companhia e da empresa, ou exercidos com essa finalidade, inclusive os de propriedade industrial ou comercial, devem ser classificados no ativo a) circulante. b) realizável a longo prazo. c) imobilizado. d) permanente, em investimentos. e) diferido. 664) (PCF/UnB/CESPE-97) Do patrimônio resulta o patrimônio líquido, mediante a equação considerada como básica na contabilidade: (bens + direitos) - (obrigações) = patrimônio liquido. Esses componentes básicos patrimoniais podem ser denominados de ativos (bens + direitos), passivos (obrigações) e patrimônio líquido, sendo que todos os elementos patrimoniais devem ter contas correspondentes para representá-los, possibilitando os registros a débito e a crédito e a apuração dos respectivos saldos. Relativamente a esse assunto, julgue os itens a seguir. (1) As aplicações temporárias em ouro devem ser classificadas no grupo de investimentos, como subgrupo do ativo permanente. (2) A depreciação de terrenos é utilizada com a finalidade de distribuir o custo do capital neles aplicado ao longo de sua vida economicamente útil, abrangendo diversos períodos contábeis de apuração de resultado, e o saldo acumulado deve ser demonstrado em conta redutora do ativo, com saldo devedor. (3) Marcas, direitos e patentes industriais devem ser classificados no ativo diferido. (4) As debêntures emitidas pelas empresas com cláusula de conversibilidade em ações, inclusive juros e participações, devem ser classificadas no passivo circulante ou exigível a longo prazo. (5) As provisões para resgate de partes beneficiárias com prazo superior a dois anos devem ser classificadas no passivo exigível a longo prazo. 665) (ESAF/TFC-1996) Uma empresa possuía um veículo, utilizado no desempenho de suas atividades, registrado contabilmente por 20.000,00 (valor de aquisição + correção monetária) e depreciado em 40% do seu valor. Vendeu-o por 15.000,00, em 31 de outubro de 1995, concedendo prazo ao comprador para pagamento até o final de fevereiro de 1996, com juros de 5% ao mês, recebidos no ato da venda. A empresa encerra seu exercício social em 31 de dezembro de cada ano. A operação proporcionou à empresa vendedora a) redução do ativo imobilizado no valor de 20.000,00 b) resultado operacional positivo no valor de 6.000,00 c) aumento do ativo circulante no valor de 18.000,00 d) aumento da receita financeira do exercício de 1995 no valor de 3.000,00 e) aumento do patrimônio líquido no valor de 3.000,00 666) (INSS/CESPE-98) As empresas mercantis devem preparar as demonstrações contábeis em cada período, nelas contemplando o valor correspondente ao imposto sobre a renda. Acerca desse assunto. julgue os itens a seguir. (1) No balanço, o imposto sobre a renda pode ser apresentado no ativo e no passivo, simultaneamente. (2) O imposto sobre a renda pode ser um passivo circulante ou um passivo de longo prazo. (3) O imposto sobre a renda, se classificável no ativo, será registrado sempre no circulante e nunca no realizável a longo prazo. (4) Pelas normas fiscais, o valor do imposto sobre a renda provisionado em despesa em um determinado período não pode ser afetado por uma despesa considerada como não-dedutível, em condições permanentes, que tenha influenciado na determinação do lucro líquido do período. (5) O valor de imposto sobre a renda de ajuste de exercícios anteriores deve ser reconhecido como resultado do exercício em que o ajuste foi contabilizado. 667) (CESPE/STM/SUPERIOR/99) Serão classificados(as) como resultados de exercício futuro a) as receitas de exercícios futuros, diminuídas dos custos e despesas a elas correspondentes. b) os valores de contingências passivas, improváveis ou impróprios para serem classificados como exigibilidade. c) os gastos diferidos. d) os impostos e as contribuições diferidos, por diferença temporal no reconhecimento como resultado pelo método contábil em relação ao fiscal. e) somente os tributos diferidos. 668) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Balanço em 01.06.94 Mercadorias 10,00 Capital Caixa 15,00 Contas a Pagar Total 25,00 Total Balanço em 30.06.94 Mercadorias 10,00 Capital 20,00 5,00 25,00 10,00 156

Caixa 5,00 Contas a Pagar 5,00 Total 15,00 Total 15,00 Considerando que, no período, ocorreu um único fato contábil, a alteração dos valores pode ser justificada por: a) retirada de sócio, sem transferência da participação b) alteração na composição do quadro social, pela transferência de participação entre os sócios c) venda de mercadorias com prejuízo d) compra e venda de mercadorias com lucro e) venda de mercadorias com lucro 669) (AFTN/ESAF/98) A Lei 6.404/76 determina que, para o levantamento do Balanço Patrimonial, sejam observadas, dentre outras, as seguintes regras: {PRIVATE}a) serão classificadas como resultados de exercícios futuros as receitas de exercícios futuros, diminuídas dos custos e despesas a elas correspondentes b) os direitos e títulos de crédito serão avaliados pelo custo de aquisição ou pelo valor de mercado, se este for maior c) serão classificadas como reservas de lucros as contas que registrarem o prêmio recebido na emissão de debêntures d) no Ativo, as contas serão dispostas em ordem crescente do grau de liquidez dos elementos nelas registrados e) serão classificados no Ativo Realizável a Longo Prazo os direitos derivados de vendas a diretores da companhia que constituírem negócios usuais na exploração do objeto da companhia 670) (AFTN/ESAF/96) No grupo Resultados de Exercícios Futuros devem ser incluídos a) os valores não pertencentes ao exercício atual, que afetam apenas os exercícios seguintes e representem obrigações futuras derivadas de antecipações de valores genuínos de despesas ou de receitas b) os valores recebidos que afetarão exercícios futuros, sobre os quais não pese nenhuma obrigatoriedade futura de entrega de bens e serviços ou de devolução pela entidade c) os valores recebidos que afetarão exercícios futuros, sobre os quais pese a obrigatoriedade de entrega de bens e serviços e que em hipótese alguma impliquem devolução de valor financeiro d) os valores pertencentes a diversos exercícios, passíveis de devolução e que representem obrigações futuras de entrega de bens e serviços. e) valores que devem ser apropriados à competência de cada exercício, exclusivamente como receitas, e que sejam passíveis de devolução ou, ainda, representem obrigações futuras de entrega de bens e serviços. 671) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) A Companhia Comercial PERFIL emitiu e colocou, durante o mês de dezembro de 1993, debêntures no valor nominal de R$ 300.000,00, ao preço de venda de R$ 360.000,00. Isto em decorrência da excelente remuneração oferecida, da segurança, dos lucros auferidos anteriormente, liquidez etc. A diferença de R$ 60.000,00 (R$ 360.000,00 - R$ 300.000,00), corretamente contabilizada, representou e teve como contrapartida credora, respectivamente. a) lucro da emitente e reserva de lucro b) prêmio a favor da emitente e receita operacional c) ágio a favor da emitente e receita não operacional d) lucro da emitente e receita financeira e) prêmio a favor da emitente e reserva de capital 672) (ESAF/AFRF-2001) Na conversão de debêntures em ações, as parcelas que ultrapassem o valor nominal da ação deverão ser registradas como a) reserva de lucros que poderão amortizar prejuízos futuros ou ser distribuídas aos sócios no exercício social em que não forem apurados lucros b) reserva de lucros que poderá ser distribuída aos sócios, no próprio exercício c) reservas de capital d) reserva de lucros destinada, obrigatoriamente, a amortizar prejuízos e) receitas não-operacionais do exercício 673) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) A existência de saldo credor da Correção Monetária do Balanço, na Demonstração do resultado do Exercício, quando o montante do Ativo Permanente, no Balanço Patrimonial correspondente, for inferior ao do Patrimônio Líquido, é: a) conseqüência do registro contábil de reavaliação de bem do ativo imobilizado b) inadmissível, pois o valor maior da situação líquida gera saldo devedor c) indicativo de distribuição excessiva de lucros na data do balanço d) decorrência do prejuízo apurado no próprio exercício social e) possível de ocorrer em algumas situações, com respaldo na legislação pertinente 674) (ESAF/AFRF-2001) Classificam-se como Reservas de Capital as Reservas 157

a) b) c) d) e)

de Prêmios pela Emissão de Debêntures de Doações e Subvenções, quando recebidas em entidades privadas de Reavaliação de Bens do Ativo Imobilizado Estatuárias, destinadas a Investimentos por Ajuste de Investimentos em Sociedades- Controladas

675) (ESAF/AFTN-1994/março) A Cia. Industrial Santa Helena recebeu, em 31/12/X3, uma Subvenção para Investimento feita por pessoa jurídica de direito público com finalidade específica de adquirir equipamentos para expandir o seu empreendimento econômico. Segundo a Lei das Sociedades por Ações, esse tipo de subvenção deve ser classificado, na beneficiaria, como a) reserva para contingência b) retenção de lucro C) reserva legal d) receita operacional e) reserva de capital 676) (ESAF-CVM/2001) Quando uma companhia aberta opta por reverter as reavaliações anteriormente registradas retornando ao critério do custo corrigido, este procedimento deve ser: a) Autorizado pelas empresas do conglomerado b) Aprovado pela Assembléia Geral de acionistas c) Registrado apenas pelas empresas controladoras d) Inscrito como Resultado de Exercícios Futuros e) Recomendado como obrigatório para as suas coligadas 677) (ESAF-CVM/2001) Assinale a opção correta. a) A Reavaliação dos Ativos tem como base técnica a atualização monetária do custo histórico. b) Apenas nas companhias abertas é que o processo de Reavaliação pode ser feito em todos os elementos do ativo. c) No Brasil o processo de Reavaliação dos Ativos é obrigatório para todos os tipos de sociedades, incidindo sobre todos os Ativos Permanentes. d) No processo de Reavaliação dos Ativos, o laudo de avaliação deve conter, entre outros elementos, a vida útil remanescente do bem avaliado. e) Se a Participação Societária for relevante, torna-se facultativo à investidora reconhecer os efeitos da Reavaliação efetuada pela investida. 678) (ESAF/AFTN-1991) Assinale a opção que contém uma “Reserva” que independe da apuração do resultado para sua constituição. a) Reserva Legal b) Reserva da Correção Monetária do Capital c) Reserva Estatuária d) Reserva de Reavaliação e) Reserva de Contingência 679) (AFTN/ESAF/96) São classificados como Reserva de Capital a) os Prêmios na Emissão de Debêntures e a Reserva Especial para Dividendo Obrigatório não Distribuído b) a Reserva Especial para Dividendo Obrigatório não Distribuído e as Subvenções para Investimentos c) a Reserva de Lucros a Realizar, o Ágio na Emissão de Ações e as Doações e Subvenções para Investimentos d) os Prêmios na Emissão de Debêntures, o Ágio na Emissão de Ações e as Doações e Subvenções para Investimentos e) as Reservas para Contingências, a Reserva para Expansão e a Correção Monetária do Capital Realizado 680) (AFTN/ESAF/96) A Diferença existente entre a Reserva de Reavaliação e a Correção Monetária Patrimonial consiste em: a) a primeira levar em conta apenas o valor de mercado e a segunda o custo histórico corrigido b) a primeira tomar por base o valor de mercado enquanto a segunda leva em conta o custo de reposição c) a primeira não levar em conta o custo histórico como base de valor e a segunda considerar apenas o valor de mercado d) a primeira observar apenas o valor de realização do bem e a segunda considerar o valor de reposição corrigido e) a primeira tomar por base o custo histórico corrigido e a segunda simplesmente o valor de realização corrigido. 681) (ESAF/TCE-RN/2001) Assinale, entre as opções abaixo listadas, aquela que está inteiramente correta. 158

a) Ao tomar um bem que lhe custou exatos R$ 100,00 e vendê-lo de modo a recuperar esse custo, recuperar o ICMS de 17% devido na venda e ainda ganhar R$ 10,00, o dono deste bem deverá vendê-lo por R$ 127,00. b) Ao aceitar e receber R$ 950,00 em quitação de um título de R$ 1.000,00, que já tinha sido provisionado em 3% para “devedores duvidosos”, a empresa terá tido uma perda efetiva de R$ 20,00. c) Ao contabilizar como Resultado de Exercícios Futuros as receitas recebidas antecipadamente, a empresa estará adotando o princípio contábil da prudência. d) A destinação de lucros para constituir a Reserva Legal não pode reduzir a base de cálculo do imposto de renda, mas deve reduzir a base de cálculo do dividendo mínimo obrigatório calculado sobre o lucro. e) Os valores contabilizados a débito da conta “Ações em Tesouraria” correspondem a ações compradas pela mesma empresa que as emitiu e representam a subscrição de parte do capital social. 682) (ESAF/AFRF-2001) Indique a opção correta, levando em conta os seguintes dados: Capital 200 Reserva Legal 30 Reservas de Capital 25 Resultado antes do imposto de renda 400 Participações 20 Provisão para imposto de renda 80 O valor a ser destacado para constituição da Reserva Legal a) deverá ser de 15 b) deve ser de 5 c) pode ser de 15 d) deve ser de 20 e) pode ser de 5 683) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) A firma "Chis" apresenta o seguinte patrimônio líquido: Capital Social R$ 30.000,00 Reservas de Subvenções p/Investimento R$ 1.300,00 Reserva de Ágio na Emissão de Ações R$ 2.000,00 Reserva Legal R$ 2.000,00 Reservas Estatutárias R$ 1.000,00 No exercício de 19X1 a empresa apurou um lucro líquido final (após o Imposto de Renda e as participações) no valor de R$ 76.000,00. Considerando-se as limitações impostas pela Lei 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações) podemos dizer que, para constituir a Reserva Legal no referido exercício, essa empresa {P poderá destinar R$ 3.700,00 RIV AT E}a ) b) deverá destinar R$ 3.700,00 c) deverá destinar R$ 3.800,00 d) deverá destinar R$ 4.000,00 e) poderá destinar R$ 4.000,00 684) (CESPE/AGENTE/PF/2000) Demonstração de lucros acumulados de 1999 (em R$ mil) Lucros acumulados em 31/12/98 50.000 Lucro do exercício social de 1999 120.000 Parcela destinada à formação da reserva legal (6.000) Parcela destinada à formação da reserva de contingências (20.000) Reversão da reserva de lucros a realizar 10.000 Dividendos declarados (50.000) Lucros acumulados em 31/12/99 104.000 Com base no quadro demonstrativo de lucros acumulados de uma sociedade anônima do ramo de navegação, apresentado acima, julgue os itens que se seguem. 1. A reserva legal, a de contingências e a de lucros a realizar fazem parte do patrimônio líquido da empresa. 2. Para a formação da reserva de contingências, deverá haver um registro a débito da conta relativa a essa reserva no valor de R$ 20.000.000,00.

159

685) (CESPE/TCU-1995) A Cia. TECEÚ apurou, ao final do exercício, lucro líquido de $ 1.000. O estatuto prevê a destinação de 10% para aumento de capital. Constatou-se a existência de uma contingência de $ 150. Metade das vendas a prazo que haviam ensejado a constituição da reserva de lucros a realizar no exercício anterior será recebida no próximo exercício. O dividendo obrigatório é de 25% do lucro líquido ajustado. O patrimônio líquido, já corrigido, antes do cálculo das reservas e do dividendo, está assim constituído: Capital Social $ 1.000 Correção Monetária do Capital Social $ 200 Subvenção para Aumento de Capital $ 180 Reserva Legal $ 200 Reserva de Lucros a Realizar $ 120 Julgue os itens a seguir. (1) A Cia. TECEÚ tem duas alternativas para a Reserva Legal: não constituí-la ou constituí-la pelo valor de $ 50. (2) O saldo da Reserva de Lucros a Realizar no balanço será de $ 60. (3) Se a Cia. TECEÚ for uma companhia aberta, o saldo remanescente do lucro (após as destinações) deverá figurar no balanço patrimonial como "Lucros Acumulados". (4) O somatório do Capital Social e das reservas de capital no balanço patrimonial será de $ 1.480. 686) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Balancete em 31.12.93 (em R$ 1,00) Bancos 10 Caixa 20 Capital 500 Clientes 350 Correção Monetária de Balanço 150 Custo de Mercadorias Vendidas 300 Depreciações Acumuladas 50 Despesas Comerciais 70 Despesas Financeiras 10 Despesas Tributárias 10 Fornecedores 180 Imóveis 80 Impostos incidentes sobre vendas 200 Juros ativos 40 Máquinas 30 Mercadorias 620 Reserva Correção Monetária Capital 70 Reserva de Lucros 60 Reserva Legal 100 Salários a Pagar 50 Veículos 200 Vendas 1000 OBS.: As bases de cálculo da Contribuição Social sobre o Lucro e do imposto de Renda (PJ) foram negativas. Considerando os dados acima podemos afirmar que o valor levado à conta de Reserva Legal, na distribuição de resultados do balanço de 31.12.93, foi de: a) zero b) R$ 15,00 c) R$ 20,00 d) R$ 14,00 e) R$ 13,00 687) (MTB-CESPE-UNB/94) “A assembléia-geral poderá, por proposta dos órgãos da administração, destinar parte do lucro líquido à formação de reservas, com a finalidade de compensar, em exercício futuro, a diminuição do lucro decorrente de perda julgada provável, cujo valor possa ser estimado.” O enunciado citado acima caracteriza a reserva a) estatutária. b) de lucros. c) de lucros a realizar. d) de contingência. e) de capital. 160

688) (TFC/ESAF-2001) Abaixo são apresentados alguns eventos cujos recursos demandam a contabilização de reservas patrimoniais. Assinale a opção cujo evento não dá origem à formação de “Reserva de Capital”. a) doações e subvenções recebidas para custeio b) produto da venda de bônus de subscrição c) produto da venda de partes beneficiárias d) ágio obtido na emissão de ações e) valores reservados para aumento de capital 689) (CESPE/STM/SUPERIOR/99) Em uma sociedade por ações, a contribuição do subscritor de ações que ultrapassar o valor nominal e a parte do preço de emissão das ações sem valor nominal que ultrapassar a importância destinada à formação do capital social, inclusive nos casos de conversão em ações de debêntures ou partes beneficiárias, serão classificadas como a) receita do período. b) reserva de capital c) reserva de lucros. d) reserva de reavaliação. e) reserva de capital. 690) (TRT-4ª/ANAL.JUD.-2001) É reserva de lucros a de (A) reavaliação. (B) lucros a realizar. (C) ágio na emissão de ações. (D) alienação de partes beneficiárias. (E) alienação de bônus de subscrição. 691) (INSS/CESPE-97) Juntamente com as demonstrações financeiras do exercício social, os órgãos de administração de uma companhia apresentarão à assembléia geral ordinária proposta a respeito da destinação a ser dada ao lucro líquido do exercício. Considera-se destinação possível para o lucro líquido 1. a provisão par ao imposto de renda. 2. a parcela destinada à constituição da reserva de retenção de lucros. 3. prêmio da emissão de debêntures. 4. a transferência par a reserva de lucros a realizar. 5. a formação da reserva para contingências. 692) (CESPE/STM/SUPERIOR/99) As transferências de lucros para reservas, os dividendos declarados e a parcela dos lucros incorporada ao capital social, além de outras movimentações, serão discriminadas na demonstração a) das origens e aplicações de recursos. b) do resultado do período. c) de lucros ou prejuízos acumulados. d) do fluxo de caixa. e) da movimentação das reservas de capital. 693) (ESAF/TFC-1996) O Patrimônio Líquido de uma empresa estava assim formado: Capital Realizado 1.000.000,00 200.000,00 Reserva de Correção do Capital Realizado 120.000,00 Reserva Legal 40.000,00 Reserva de Retenção de Lucros 30.000,00 Lucros Acumulados Foi apurado um prejuízo no exercício de 90.000,00, o qual, segundo o Lei n.º 6.404/76, deve ser absorvido assim: a) 30.000.00 pelos Lucros Acumulados, 30.000,00 pela Reserva de Retenção de Lucros e 30.000,00 pela Reserva Legal; b) 90.000,00 pela Reserva Legal ; c) 90.000.00 pela Reserva de Correção do Capital Realizado; d) 30.000,00 pelos Lucros Acumulados, 40.000,00 pela Reserva de Retenção de Lucros e 20.000,00 pela Reserva Legal; e) 30.000,00 pelos Lucros Acumulados e 60.000.00 pela Reserva Legal 694) (ESAF/AFTN-1994/março) Elabore a Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados da Empresa Comercial Vendex S/A, referente ao período-base findo em 31/12/X3, com base nos seguintes elementos: ITENS $ Saldo Anterior de Lucros Acum. (Balanço de 31/12/X2) 1.800,00 161

Correção Monetária do Saldo Inicial 2.000,00 Reversão de Reserva de Exercício Anterior 400,00 prejuízo Líquido do Exercício 700,00 Transferências para Reservas 200,00 Dividendos Distribuídos 300,00 Parcela dos Lucros Incorporada ao Capital Social 1.000,00 Assinale, agora, a opção que expõe o Saldo ao Fim do Período da conta "Lucros ou Prejuízos Acumulados". a) $ 2.600,00 b) $ 2.400,00 c) $ 2.000,00 d) $ 1.600,00 e) $ 1.200,00 695) (ESAF/AFC/2001-SAF) Nossa Firma, ao fim do exercício social de 19X1, ostentava um patrimônio líquido com a seguinte composição: Capital Social 100.000,00 Capital a Realizar (9.000,00) Reservas de Capital 8.000,00 Reservas Estatutárias 7.000,00 Reserva Legal 6.000,00 Lucros Acumulados 5.000,00 Somatório 117.000,00 No resultado do exercício de 19X1, foi apurado um prejuízo líquido no valor de R$ 15.000,00, que deverá ser absorvido por recursos próprios anteriores. Assim sendo, o novo patrimônio líquido, após a absorção do prejuízo do exercício, deverá ter a seguinte composição: a) Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório b) Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório c) Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório d) Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório 100.000,00 ( 9.000,00) 8.000,00 0,00 3.000,00 0,00 102.000,00 100.000,00 ( 9.000,00) 8.000,00 3.000,00 0,00 0,00 102.000,00 100.000,00 (9.000,00) 0,00 0,00 6.000,00 5.000,00 102.000,00 100.000,00 ( 9.000,00) 4.000,00 7.000,00 0,00 0,00 102.000,00 162

e) Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório

100.000,00 (9.000,00) 8.000,00 0,00 0,00 3.000,00 102.000,00

696) (AFTN/ESAF/98) No dia primeiro do mês quatro a firma Violetas S/A demonstrou a seguinte situação patrimonial: Ativo Circulante R$ 2.300,00 Ativo Permanente R$ 2.300,00 Passivo Circulante R$ 2.300,00 Patrimônio Líquido R$ 2.300,00 Durante o referido mês, a empresa executou e contabilizou diversas partidas contábeis, chegando ao último dia com a seguinte situação patrimonial: Ativo Circulante R$ 1.100,00 Ativo Permanente R$ 4.800,00 Passivo Circulante R$ 3.400,00 Patrimônio Líquido R$ 2.500,00 No período não houve aumento de capital por subscrição e integralização de ações novas. Diante destas informações, podemos dizer que a Violetas S/A, no mês de abril acima referido, apurou {PRIVATE}a) perdas de R$ 1.200,00, como mostra a redução do Ativo Circulante b) ganhos de R$ 200,00, como mostra o aumento do Patrimônio Líquido c) perdas de R$ 1.100,00, como mostra o aumento do Passivo Circulante d) ganhos de R$ 1.300,00, como mostra o aumento do ativo total e) nem ganhos nem perdas já que o patrimônio permanece balanceado 697) (AFTN/ESAF/98) No mês de julho, a firma Papoulas Ltda. foi registrada e captou recursos totais de R$ 7.540,00, sendo R$ 7.000,00 dos sócios, como capital registrado e R$ 540,00 de terceiros, sendo 2/3 como empréstimos obtidos e 1/3 como receitas ganhas. Os referidos recursos foram todos aplicados no mesmo mês, sendo R$ 540,00 em mercadorias; R$ 216,00 em poupança bancária; R$ 288,00 na concessão de empréstimos; e o restante em despesas normais. Após realizados esses atos de gestão, pode-se afirmar que a empresa ainda tem um patrimônio bruto e um patrimônio líquido, respectivamente, de {PR R$ 1.044,00 e R$ 684,00 IVA TE} a) b) R$ 1.044,00 e R$ 864,00 c) R$ 1.044,00 e R$ 504,00 d) R$ 1.584,00 e R$ 1.044,00 e) R$ 7.540,00 e R$ 7.000,00 698) (ESAF/AFRF-2001) Indique a opção correta. a) Os financiamentos para aquisição de bens do ativo permanente, vencíveis após o término do exercício social seguinte, são classificados no Ativo Realizável a Longo Prazo. b) Os empréstimos recebidos de sociedades coligadas ou controladas, vencíveis no curso do exercício social seguinte, serão classificados no Ativo Circulante. c) Os empréstimos recebidos de sociedades coligadas ou controladas, vencíveis após término do exercício social seguinte, serão classificados no Passivo Exigível a Longo Prazo. d) Os financiamentos para aquisição de bens do Ativo Permanente, vencíveis após o término do exercício social seguinte, serão classificados no Passivo Circulante. e) Os empréstimos recebidos de sociedades coligadas ou controladas, vencíveis no curso do exercício social seguinte, serão classificados no Ativo Realizável a Longo Prazo. 699) (ESAF/AFTN-1994/março) Comercial Grande Morena S/A Ativo Permanente em 31/12/X2 $ 2.400,00 Patrimônio Líquido em 31/12/X2 $ 2.400,00 Prejuízo Líquido (contábil) em 31/12/X3 $ 300,00 Esclarecimentos Adicionais I. O ativo Permanente em 31/12/X2 era representado por um terreno e no período-base de 01/01/X3 a 31/12/X3 não houve movimentação, por acréscimos ou baixas de bens ou direitos, neste grupo de conta; 163

II. Em 31/12/X2 o 31/12/X3 não existiam contas em outros grupos do Balanço Patrimonial sujeitas à correção monetária aplicada aos itens do Ativo Permanente e Patrimônio Liquido III. Não houve, afora os registros contábeis da correção monetária do balanço e do prejuízo líquido apurado ($ 300,00), entradas (créditos) ou saídas (débitos) do Patrimônio Líquido no período-base fendo em 31/12/X3; IV. O resultado da Comercial Grande Morena SIA é apurado em balanço anual; e V. O índice oficial de desvalorização da moeda nacional, utilizado na correção monetária do balanço do ano base de X3, foi de 3, sendo 31/12/X3 $ 12,00/$ 4,00 = 3 31/12/X2 Em decorrência do exposto e dos lançamentos contábeis pertinentes, o Patrimônio Líquido da referida empresa comercial em 31/121X3 importou em a) $ 7.200,00 b) $ 6.900,00 c) $ 4.800,00 d) $ 4.500,00 e) $2.100,00 700) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Balanço em 31.12.91 (em R$ 1,00) Ativo Passivo Caixa 2 Fornecedores Bancos 3 Impostos a Pagar Mercadorias 12 Salários a Pagar Duplicatas a Receber 4 Patrimônio Líquido Imóveis 15 Capital Equipamentos 9 Reservas 45 Ocorreram as seguintes operações em 1992:- pagamentos a fornecedores - venda à vista de mercadorias - custo das mercadorias vendidas - duplicatas recebidas de clientes - venda de imóvel, para recebimento em seis meses - custo do imóvel vendido - aumento de capital em dinheiro - pagamento dos salários provisionados em 1991 - compra de mercadorias a prazo - compra de equipamentos, a prazo de seis meses

10 1 2 27 5 45 7 20 15 3 6 6 10 2 9 1

Notas: desconsidere a incidência de impostos e a correção monetária; considere que os negócios a prazo foram feitos em dezembro de 1992 e o prazo para pagamento das mercadorias é janeiro de 1993. Considerando que as operações descritas acima foram as únicas ocorridas no período de 01.01.92 a 31.12.92, podemos afirmar que: a) comparando o balanço de 31.12.92 com o balanço de 31.12.91, verificamos que houve redução de R$ 21,00, no valor do Capital Circulante Líquido b) comparando o balanço de 31.12.92 com o balanço de 31.12.91, verificamos que o Capital Circulante Líquido sofreu uma diminuição de R$ 20,00 c) o valor do Capital Circulante Líquido sofreu um incremento de R$ 21,00, no balanço de 31.12.92, em comparação com o balanço de 31.12.91 d) no balanço de 31.12.92 o valor do Ativo Circulante eqüivale a três vezes o valor do Passivo Circulante e) no balanço de 31.12.91 o valor do Ativo Circulante eqüivale a duas vezes o valor do Ativo Circulante do balanço de 31.12.92 701) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Balancete em 31.12.93 (em R$ 1,00) Bancos Caixa Capital Custo de Mercadorias Vendidas 70 40 600 1.800 164

Depreciações Acumuladas Despesas Comerciais Despesas Financeiras Despesas gerais Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Financiamentos Imóveis Impostos a Pagar Lucros Acumulados Máquinas Mercadorias para Revenda Reserva de Capital Reserva de Lucros Salários a Pagar Veículos Vendas

70 300 800 600 40 290 140 1.000 200 300 300 150 700 180 100 120 200 2.000

A situação da empresa, no balanço geral levantado com base no balancete acima, era de: a) patrimônio Líquido positivo de R$ 320,00 b) Patrimônio Líquido de R$ 1.800,00 c) Situação Líquida superavitária de R$ 320,00 d) Situação Líquida superavitária de R$ 1.180,00 e) passivo a descoberto de R$ 320,00 702) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) A Cia. Comercial Tudo Bem faz apuração mensal dos resultados com encerramento das contas diferenciais e elaboração das Demonstrações Financeiras exigidas pela legislação das sociedades anônimas. No seu balanço patrimonial de 31.12.92 constavam, entre outros, os seguintes valores: R$ - Ativo Permanente (soma algébrica). 700.000,00 - Patrimônio Líquido (soma algébrica). 500.000,00 Dados Complementares: R$ - Lucro líquido, após a provisão para o Imposto de Renda, do período base de 01.01.93 a 31.01.93 300.000,00 - Dividendos creditados aos acionistas em 31.01.93 75.000,00 - valores da UFIR diária (hipotéticos) 31.12.92 1.000,00 31.01.93 1.300,00 Em decorrência, no balanço patrimonial de 31.01.93, o montante do Patrimônio Líquido importou em: a) R$ 800.000,00 b) R$ 725.000,00 c) R$ 875.000,00 d) R$ 815.000,00 e) R$ 1.010.000,00 703)( ESAF/AFTN-1994/março) Dados extraídos de um Balanço Patrimonial de 21/12/X3 $ Passivo Circulante 1.936,00 Ativo Permanente 678,00 Exigível a Longo Prazo 96,00 Realizável a Longo Prazo 65,00 Resultados de Exercícios Futuros (Receita maior que custos e despesas correspondentes) 200,00 No referido balanço o capital circulante líquido (ativo circulante maior que o passivo circulante) foi de $ 2.168,00. Assinale, com base nos elementos fornecidos, a opção que tem em si o somatório do Patrimônio Líquido em 31/12/93 a) $ 679,00 b) $ 2.215,00 c) $ 2.423,00 d) $ 2.615,00 165

e) $ 2.516,00 704) (ESAF/AFC/SFC-1996) Indique a opção que contém a resposta correta, considerando os dados a seguir: Banco Conta Movimento 10 Caixa 5 Capital 80 Custo de Mercadorias Vendidas 120 Depreciações Acumuladas 5 Despesas Comerciais 30 Despesas Financeiras 40 Despesas Gerais 60 Duplicatas Descontadas 5 Duplicatas a Pagar 50 Duplicatas a Receber 50 Imóveis 20 Impostos a Pagar 60 Lucros Acumulados 30 Máquinas 35 Mercadorias para Revenda 155 Reserva de Capital 20 Reserva de Lucro 15 Salários a Pagar 10 Veículos 50 Vendas 300 Do resultado do exercício foram destacados: Participação de Empregados 5 Provisão para Imposto do Renda 10 Reserva para Contingências 5 a) o Patrimônio Líquido é de 180, positivo b) o Passivo a Descoberto é de 180 c) a Situação Líquida é superavitária de 195 d) o Passivo a Descoberto é de 195 e)o Patrimônio Líquido é de 315 705) (ESAF/AFC/SFC-1996) Considere os seguintes dados: - Saldos em 31 12.95 Ativo Circulante 60 Ativo Permanente 30 Ativo Realizável a Longo Prazo 10 Passivo Circulante 45 Patrimônio Líquido 55 - Fatos ocorridos em janeiro de 1996 Compras de Mercadorias a prazo 30 Compras de Mercadorias a vista 20 Custo de Mercadorias Vendidas 45 Descontos obtidos no pagamento de duplicatas 10 Pagamento de diversos despesas operacionais 50 Pagamentos de duplicatas 25 Recebimento de duplicatas 15 Vendas a prazo 35 Vendas a vista 25 Obs.: - Estoque de Mercadorias em 31.12.95 40 - Estoque de Mercadorias em 31.01.96 45 - Desconsidere a incidência de impostos sobre compras e vendas. Os fatos ocorridos em janeiro de 1996 provocaram: a) acréscimo de 30 no Ativo Circulante e de 25 no Patrimônio Líquido b) acréscimo de 30 no Ativo Circulante e decréscimo de 25 no Patrimônio Líquido c) acréscimo de 25 no Capital Circulante Líquido d) decréscimo de 5 no Passivo Circulante e de 30 no Ativo Circulante e) decréscimo de 25 no Capital Circulante Líquido 166

706) (Unb/CESPE-STM-99) Em uma determinada data, uma empresa constituída sob a forma de sociedade por responsabilidade limitada possuía uma posição patrimonial, em reais, com os seguintes elementos: Disponibilidades 1.000,00 Contas a receber 3.000,00 Estoques 4.500,00 Imobilizado 5 000,00 Passivo circulante 6.500,00 Nessas condições, considerando que não havia outro elemento patrimonial, o patrimônio líquido da empresa, na data considerada, era de a) R$ 3.500,00. b) R$ 4.500,00. c) R$ 5.500,00 d) R$ 6.000,00. e) R$ 7.000,00. 707) (CESPE/STM/SUPERIOR/99) De acordo com a Lei das S.A., as ações em tesouraria deverão ser destacadas no balanço como a) ativo circulante. b) ativo realizável a longo prazo. c) investimentos, quando adquiridas em bolsa de valores. d) dedução da conta do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição. e) dedução das obrigações associadas aos capitais utilizados na aquisição das ações. 708) (TFC/ESAF-2001) No balancete de verificação da empresa Gaivota, levantado em 31.12.X1, assim se apresentavam as contas: Bancos 10 Clientes 20 Capital a Realizar 50 Capital 100 Salários a Pagar 10 Caixa 15 Mercadorias 40 Empréstimos Obtidos 40 Prejuízos Acumulados 20 Fornecedores 5 Soma 310 Com base nesse balancete, conclui-se que: a) a soma da coluna 1(saldos devedores) do balancete é 85 b) a soma da coluna 2(saldos credores) do balancete é 105 c) o valor do Ativo Patrimonial é de 155 d) o valor do Passivo Patrimonial é de 65 e) o valor do Patrimônio Líquido é de 30 709) (ESAF/TFC-SFC/97) No demonstrativo abaixo estão relacionadas, com os respectivos saldos, todas as contas que compuseram o balanço patrimonial de uma sociedade anônima nos exercícios de 1995 e 1996, com exceção das contas integrantes do patrimônio líquido. Saldos Saldos Contas 1995 1996 Caixa e Bancos 1.000 1.500 Duplicatas a Receber (até 120 dias) 5.000 6.000 Duplicatas a Pagar (até 90 dias) 3.000 3.000 Duplicatas Descontadas 1.500 2.000 Notas Fiscais a Faturar 2.000 3.000 Provisão para Férias 4.000 5.000 Receita Antecipada de Produtos em 2.000 Fabricação Fornecedores 6.000 5.000 Empréstimos de Instituições Financeiras 10.000 12.000 Custos Atribuídos a Produtos em Fabricação 1.500 Estoques de Mercadorias 8.000 7.000 Adiantamentos a Empregados 1.500 Móveis e Utensílios 3.000 5.000 Veículos 8.000 10.000 Imóveis 15.000 15.000 Depreciações Acumuladas 2.000 3.000 167

O demonstrativo nos assegura que o patrimônio líquido da sociedade no exercício de 1996, em relação ao de 1995, a) manteve o seu valor b) aumentou em 2.000 c) aumentou em 500 d) aumentou em 9.000 e) reduziu em 1.500 710) (ESAF/TTN-2000) Em 31 de dezembro de 1999, o Contador da firma ZÊ LTDA. apresenta as seguintes contas e saldos, extraídos do livro Razão: CONTAS SALDOS Caixa 250 Duplicatas a Pagar 650 Lucros Acumulados 130 Aluguéis Passivos 140 Comissões Ativas 30 Receita de Juros 110 Impostos a Recolher 300 Veículos 900 Custo das Vendas 600 Receita de Vendas 900 Despesas de Juros 130 Clientes 360 Móveis e Utensílios 540 Capital Social 950 Impostos Federais 200 Salários 450 Fornecedores 880 FGTS a Recolher 200 Conferimos essa listagem e verificamos que o balancete não está fechado, pois a soma dos saldos devedores não está com valor igual à soma dos saldos credores. Mesmo assim, certificamo-nos de que as contas diferenciais estão todas representadas com saldos corretos na relação acima. Deste modo, podemos afirmar que o Patrimônio Líquido contido na listagem apresentada soma o valor de a) R$ 1.080,00 b) R$ 710,00 c) R$ 800,00 d) R$ 910,00 e) R$ 600,00 711) (ESAF/TTN-1994/vespertino) Contas R$ - Capital 1.000,00 - Reserva da Correção Monetária do Capital 4.000,00 - Financiamentos Externos 3.000,00 - Reserva Legal 200,00 - Reserva Estatutária 500,00 - Lucros Acumulados 2.000,00 - Fornecedores Nacionais 5.000,00 - Empréstimos Bancários 300,00 O Patrimônio Líquido, com base nos elementos relacionados, totaliza R$ a) 11.000,00 b) 16.000,00 c) 5.000,00 d) 10.700,00 e) 7.700,00 712) (ESAF/TTN-1994/vespertino) – Assinale a opção com afirmação incorreta. a) Ações em Tesouraria é apresentada no Balanço Patrimonial como conta redutora do Patrimônio Líquido. b) A correção monetária de um veículo 100% depreciado não afeta o resultado do exercício. c) O método denominado Equivalência Patrimonial é utilizado para ajuste dos investimentos permanentes em sociedades controladas. d) O resumo das movimentações ocorridas no patrimônio líquido, em determinado período, está evidenciado no Balanço Patrimonial. e) A utilização de Lucros Acumulados para aumento do capital social não afeta o montante do Patrimônio Líquido.

168

713) (ESAF/TTN-98) Considere as contas abaixo, e respectivos saldos, representativas do Razão da Empresa S/A na data de encerramento do seu exercício social: Caixa 20,00 Bancos c/Movimento 80,00 Duplicatas a Receber 240,00 Máquinas e Equipamentos 160,00 Fornecedores 300,00 Salários a Pagar 200,00 ICMS a Recolher 100,00 Capital Social 300,00 Lucros ou Prejuízos Acumulados 60,00 Receita Bruta de Vendas 700,00 Despesas Operacionais 180,00 ICMS sobre Vendas 90,00 Custo da Mercadoria Vendida 230,00 Estoque de Mercadorias 410,00 Veículos 250,00 Ao estruturar o seu Balanço Patrimonial com base nos dados acima, a empresa em questão demonstrará um Patrimônio Líquido de: a) R$ 500,00 b) R$ 300,00 c) R$ 470,00 d) R$ 560,00 e) R$ 360,00 714) (ESAF/TTN-1994/matutino) O balancete de verificação destinado à apuração dos resultados e levantamento do balanço de encerramento do exercício social, apresenta, após todos os ajustes, os seguintes saldos: Devedores Credores Bancos 300.000 Caixa 70.000 Capital 500.000 Custo das Mercadorias Vendidas 1.300.000 Despesas 700.000 Duplicatas a Pagar 280.000 Duplicatas a Receber 430.000 Impostos a pagar 120.000 Mercadorias 600.000 2.500.000 Receitas Totais 3.400.000 3.400.000 No balanço de encerramento o Patrimônio Liquido é de a) Cr$ 3.400.000 b) Cr$ 1.000.000 c) Cr$ 500.000 d) Cr$ 2.500.000 e) Cr$ 3.000.000 715) (ESAF/TTN-1994/matutino) Dados extraídos de um Balanço Patrimonial de 31/07/94: - Capital Social Subscrito R$ Não Realizado 30,00 Realizado 100,00 - Reservas de Capital 20,00 - Reservas de Lucros 10,00 - Prejuízos Acumulados 4,00 - Ações em Tesouraria 3,00 A Situação Liquida, com base nos dados fornecidos, importou em a) R$ 93,00 b) R$ 96,00 c) R$ 123,00 d) R$ 126.00 e) R$ 153,00 716) (ESAF/TTN-1994/vespertino) - Para levantar um Balanço Patrimonial segundo a Lei n.º 6.404/76, conhecida como Lei das Sociedades por Ações, foram fornecidos a um candidato a contador de uma sociedade mercantil os seguintes dados: Contas Saldos (R$) - Valores Mobiliários 510,00 169

- Caixa - Bancos Conta Movimento - Contas a Receber - Clientes (Duplicatas a Receber) - Estoques de Mercadorias para Revenda - Duplicatas Descontadas - Edifícios - Participação (Permanente) em sociedade Controlada - Móveis, Utensílios e Instalações - Prêmio de Seguros a Vencer - Depreciação Acumulada de Edifícios - Depreciação Acumulada de Móveis, Utensílios e Instalações - Provisão para Devedores Duvidosos - Contas a Pagar - Empréstimos a Sociedade Controlada - Fornecedores (Duplicatas a Pagar) - Capital Social Realizado - Reserva da C. Monetária do Capital Social Realizado - Lucros Acumulados - Ações em Tesouraria - Impostos, Taxas e Contribuições a Recolher - Provisão para a Contribuição Social Sobre o Lucro - Provisão para o Imposto de Renda - Reserva Legal - Dividendos a Pagar

20,00 90,00 10,00 400,00 200,00 120,00 700,00 200,00 300,00 12,00 400,00 60,00 6,00 70,00 100,00 150,00 800,00 55,00 468,00 22,00 45,00 63,00 170,00 27,00 130,00

Obs.: Todos os direitos e obrigações são, pela ordem, realizáveis e vencíveis a curto prazo. Prêmios de Seguros a Vencer representam aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. O empréstimo à controlada não constitui negócio usual. Com base no Balanço Patrimonial levantado responda à questão: O Patrimônio Líquido importou em a) R$ 1.350, 00 b) R$ 1.328, 00 c) R$ 1.956, 00 d) R$ 1.458, 00 e) R$ 1.498, 00 717) (ANALISTACOMEX/ESAF/98) As contas seguintes e seus respectivos saldos representam o razão da Cia. Balanceada ao final do exercício social: {PRIVATE}Contas Saldos Caixa 20.000,00 Valores Mobiliários 30.000,00 Seguros a Vencer 10.000,00 Capital Social 200.000,00 Provisão para o Imposto de Renda 20.000,00 Títulos a Pagar 80.000,00 Estoques 100.000,00 Reserva Legal 14.000,00 Reserva de Reavaliação 10.000,00 Adiantamentos a Diretores 60.000,00 Imóveis 160.000,00 Reserva de Lucros a Realizar 26.000,00 Reserva de Correção Monetária do Capital 30.000,00 Doações para Investimentos 16.000,00 Subvenções para Investimentos 4.000,00 Reservas Estatutárias 20.000,00 Investimentos/Ações 40.000,00 Soma 420.000,00 Com base no balancete acima que, evidentemente, está fechado, assinale a opção que contém os valores do Ativo Circulante, do Patrimônio Líquido e das Reservas de Lucro, nesta seqüência. {P R$ 150.000,00, R$ 300.000,00 e R$ 150.000,00 RIV AT E}a ) b) R$ 160.000,00, R$ 300.000,00 e R$ 60.000,00 c) R$ 160.000,00, R$ 320.000,00 e R$ 60.000,00 d) R$ 220.000,00, R$ 320.000,00 e R$ 46.000,00 e) R$ 220.000,00, R$ 320.000,00 e R$ 60.000,00 170

718) (Unb-CESPE/STF-analista/99) No balanço, as aplicações financeiras não-classificadas como investimento serão avaliadas pelo a) valor de resgate futuro. b) valor presente do fluxo de caixa futuro descontado a uma taxa máxima de 12% ao ano. c) custo ou pelo valor de mercado, se este for menor, sendo admitido o aumento do custo, até o limite do valor de mercado, para registo de correção monetária, variação cambial ou juros acrescidos. d) valor de custo, apenas. e) valor do capital aplicado, apenas. 719) (INSS/CESPE-98) Quanto aos critérios de avaliação patrimonial que devem ser observados na contabilização dos ativos e passivos, julgue os itens abaixo. (1) Os valores mobiliários mantidos temporariamente no ativo devem ser avaliados ao custo de aquisição, atualizado pelos juros ou pela correção transcorridos, e reduzidos ao valor de mercado, se esse for menor. (2) Os estoques devem ser avaliados pelo valor de mercado. (3) Outros investimentos — que não os feitos cm coligadas e controladas—, devem ser avaliados pelo valor de mercado, destacando contabilmente o ágio ou deságio na aquisição. (4) Os resultados de exercícios futuros devem ser demonstrados pela diferença entre receitas e custos ou despesas correspondentes. 720) (ESAF-CVM/2001) Na avaliação dos Ativos a valores de saída, os conceitos utilizados são: a) custo líquido de realização e custo histórico corrigido b) custo de reposição e valor do custo histórico corrigido c) valor corrente corrigido e valor de reavaliação d) valor de reposição e fluxo de caixa descontado e) valor de realização e fluxo de caixa descontado 721) (ESAF/AFRF-2001) Considere os seguintes dados: PASSIVO CIRCULANTE ATIVO CIRCULANTE Mercadorias 50 Impostos a Pagar 80 Duplicatas a Receber 70 Salários a Pagar 120 Caixa 10 Fornecedores 240 Bancos 30 Empréstimos bancários 180 Outras contas 60 Matérias-Primas 60 Máquinas 120 o A apresentação acima, de acordo com as disposições da Lei n 6.404/76, incorre em algumas impropriedades. Elas são em número de: a) 3 b) 1 c) 2 d) 5 e) 4 722) (AFTN/ESAF/98) A empresa Secret S/A demonstra seu patrimônio em apenas quatro grupos: Ativo Circulante, Ativo Permanente, Passivo Circulante e Patrimônio Líquido. O seu Capital Próprio, no valor de R$ 1.300,00, está formado do Capital registrado na Junta Comercial e de reservas já contabilizadas na ordem de 30% do capital social. O grau de endividamento dessa empresa foi calculado em 35%. O quociente de liquidez corrente foi medido em 1,2. A partir das informações trazidas nesta questão, podemos afirmar que o Balanço Patrimonial da empresa Secret S/A apresentará {PRIVATE}a) Ativo Permanente de R$ 840,00 b) Patrimônio Líquido de R$ 1.350,00 c) Ativo Circulante de R$ 1.160,00 d) Patrimônio Bruto de R$ 2.000,00 e) Passivo Circulante de R$ 845,00 723) (AFTN/ESAF/98) A Cia. Bira & Bira foi constituída com capital de R$ 750.000,00, por três sócias, que integralizaram suas ações como segue: Amélia Macambira R$ 300.000,00 Beatriz Itabira R$ 150.000,00 Creuza Mambira R$ 300.000,00 Após determinado período, a empresa verificou que nas suas operações normais lograra obter lucros de R$ 600.000,00, dos quais R$ 150.000,00 foram distribuídos e pagos às sócias. Os restantes R$ 450.000,00 171

foram reinvestidos na empresa na conta Reserva para Aumento de Capital, nada mais havendo em seu Patrimônio Líquido. Nessa oportunidade, Beatriz Itabira decide retirar-se da sociedade, vendendo sua participação às duas outras sócias, com ágio de 20% sobre o valor patrimonial. Considerando as informações acima fornecidas, podemos afirmar que a Sra. Beatriz Itabira deve receber pela venda de sua participação acionária o valor de {PR R$ 144.000,00 IVA TE} a) b) R$ 36.000,00 c) R$ 288.000,00 d) R$ 180.000,00 e) R$ 324.000,00 724) (AFTN/ESAF/98) As sociedades por ações têm ampla regulamentação em Lei. Em relação à constituição da companhia e ao exercício social previstos na Lei, podemos afirmar corretamente que {PRIVATE}a) as demonstrações de cada exercício serão publicadas com a indicação dos valores correspondentes das demonstrações do exercício anterior b) a constituição da companhia depende do cumprimento, entre outros, dos seguintes requisitos: subscrição, por mais de uma pessoa, de pelo menos 90% (noventa por cento) das ações em que se divide o capital fixado no estatuto e realização, em dinheiro, de no mínimo 10% (dez por cento) das ações subscritas, para que possam ser depositadas em Banco Oficial, até a institucionalização da empresa c) em 31 de dezembro de cada ano, a Diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício 0 d) o exercício social terá a duração de 1 (um) ano, com início em 1 de janeiro e término em 31 de dezembro, podendo ter duração diversa, no ano em que a companhia for constituída e) as demonstrações financeiras registrarão a destinação dos lucros segundo a proposta dos órgãos da administração, desde que esta proposta tenha sido aprovada pela assembléia geral 725) (AFTN/ESAF/98) Contabilizado em seu Ativo Imobilizado, a empresa Reboq Ltda. possuía um guindaste, sobre o qual não foi contratado nenhum seguro e que, talvez por isso mesmo, sofreu um incêndio com perda total. Nada foi recuperado. No referido dia o Contador verificou que: - o guindaste fora comprado por R$ 50.000,00; - dessa aquisição só foram pagos R$ 45.000,00, restando ainda uma dívida de R$ 5.000,00; - já foi contabilizada uma correção monetária de R$ 8.000,00; - também já foi contabilizada uma depreciação de R$ 3.000,00. Feitos estes cálculos e os ajustes contábeis necessários, verifica-se que o incêndio do guindaste provocou a contabilização de uma despesa líquida não operacional, decorrente da perda total, no valor de {PR R$ 55.000,00 IVA TE} a) b) R$ 47.000,00 c) R$ 53.000,00 d) R$ 50.000,00 e) R$ 58.000,00 726) (AFTN-1994/março) O contador da empresa IMPÉRIO DAS CARNES CIA considerou, no Balanço Patrimonial de 31/12/93, como integrantes do grupo Ativo Circulante as seguintes contas: - Caixa - Bancos Conta Movimento - Valores Mobiliários (CP) - Estoques de Mercadorias para Revenda (Perecíveis) - Duplicatas a Receber (CP) - Duplicatas Descontadas (CP) - Provisão para Devedores Duvidosos (CP) - Empréstimos a Diretores (CP) - Almoxarifado de Material de Escritório (CP) - Participações em Sociedades Controladas - Despesas Financeiras Pagas Antecipadamente (CP) - Contas a Receber (CP) - Capital Social a Integralizar (x) - Ações em Tesouraria (y) Obs.: (CP) = Curto Prazo 172

(x) integralizado em 23/02/94 (y) vendidas as pessoas físicas em 26/01/94 - As participações societárias são relevantes e influentes e foram avaliadas pelo método da equivalência Patrimonial. A classificação no referido grupo, segundo o comando das normas pertinentes, foi incorreta em relação a a) quatro contas b) três contas c) duas contas d) uma conta e) cinco contas 727) (AFTN-1994/setemb.) Em 30.12.x2, as contas do Patrimônio Líquido apresentavam os saldos abaixo: Contas R$ - Capital Social 100.000,00 - Reserva da Correção Monetária do Capital Social 400.000,00 - Reserva para Contingência 70.000,00 - Lucro Suspenso 230.000,00 - Reserva Legal 14.000,00 - Ações em Tesouraria 20.000,00 No dia seguinte, 31.12.x2, foram feitos os lançamentos relativos à correção monetária do balanço e à apuração do resultado do exercício social, os quais afetaram o patrimônio líquido nos seguintes valores: Contas R$ - Reserva da Correção Monetária do Capital 150.000,00 - Reserva para Contingência 21.000,00 - Lucro Suspenso 69.000,00 - Reserva Legal 4.200,00 - Ações em Tesouraria 6.000,00 - Prejuízo do Exercício 50.000,00 OBS.: o prejuízo do exercício, face ao disposto no parágrafo único do art. 189 da Lei das Sociedades por Ações, foi absorvido, ainda em 31.12.x2, pela conta Lucro Suspenso. Em função desses lançamentos, o montante do Patrimônio Líquido em 31.12.x2 importou em: a) R$ 930.200,00 b) R$ 1.032.200,00 c) R$ 1.034.200,00 d) R$ 1.008.200,00 e) R$ 982.200,00 728) (AFTN-1994/setemb.) Os estatutos da Companhia Comercial QQ estabelecem que as participações abaixo serão calculadas com base no lucro que remanescer, após a participação anterior, na seguinte ordem: Administradores - 10% Partes beneficiárias - 5% No período-base findo em 31.12.93 a referida companhia apurou um lucro antes da Provisão para o Imposto de Renda e antes das Participações Estatutárias de R$ 4.000,00. Outros dados: - A Provisão para o Imposto de Renda importou em R$ 1.000,00; - O montante dos Prejuízos Acumulados de exercícios anteriores era de R$ 2.000,00; e - A empresa estava dispensada de constituir a Provisão para a Contribuição Social sobre o Lucro; - Desconsidere os aspectos relacionados com a distribuição de dividendos. Os lançamentos contábeis para registrar essas participações, feitos a débito de contas de despesas de participações (por natureza), foram, pela ordem, de: a) R$ 400,00 e R$ 180,00 b) R$ 300,00 e R$ 150,00 c) R$ 100,00 e R$ 45,00 d) R$ 300,00 e R$ 135,00 e) R$ 100,00 e R$ 50,00 Lançamento em 31/12/88): 1) DESPESAS NÃO-OPERACIONAIS a MÓVEIS E UTENSÍLIOS 2) DEPRECIAÇÃO ACUMULADA UTENSÍLIOS a RECEITAS NÃO-OPERACIONAIS

R$ 3.000.000,00 DE MÓVEIS E R$ 2.400.000,00

173

3) CAIXA a RECEITAS NÃO-OPERACIONAIS 4) MÓVEIS E UTENSÍLIOS a FORNECEDORES

R$ 3.000.000,00 R$ 2.400.000,00

729) (ESAF/AFTN-1989) Da análise conjunta dos lançamentos acima conclui-se, em termos de grupo de contas do Balanço Patrimonial, que: a) o Patrimônio Líquido diminuiu R$ 2.400.000,00 e o Ativo Circulante diminuiu R$ 3.000.000,00 b) o Patrimônio Líquido diminuiu e o Ativo Permanente aumentou em igual valor c) o Ativo Permanente diminuiu e o Patrimônio Líquido aumentou d) o Ativo Permanente diminuiu e o Patrimônio Líquido aumentou e) o Ativo Permanente aumentou e o Patrimônio Líquido aumentou R$ 2.400.000,00 R$ 600.000,00 R$ 5.400.000,00 R$ 600.000,00 R$ 2.400.000,00 R$ 1.800.000,00 R$ 2.400.000,00

730) (SUSEP/ESAF/2001) A empresa Tecnotécnica S/A possuía, há dois anos, um computador de grande porte e de última geração, adquirido a vista por US$ 25,000.00 (vinte e cinco mil dólares americanos) quando a cotação estava a R$ 1,10 por US$ 1.00. No balanço do final do ano 2000, como a cotação do dólar americano estava a R$ 1,25 por US$ 1.00, a empresa mandou contabilizar a atualização desse item do seu ativo permanente para R$ 31.250,00, baseada na declaração formal do fabricante de que referida cotação era exata no dia do balanço. À luz das normas e legislação aplicáveis no Brasil, o procedimento contábil descrito a) está correto, desde que a diferença seja creditada como Reserva de Capital b) está correto, desde que a diferença seja creditada como Reserva de Reavaliação c) está correto, desde que a diferença seja creditada como Reserva de Lucros a Realizar d) está correto, desde que a diferença seja creditada como Receita do Exercício e) não está correto 731) (INSS/CESPE-97) No balanço patrimonial, a diferença entre o valor dos ativos e dos passivos e o resultado de exercícios futuros representa o patrimônio líquido, que é o valor contábil pertencente aos acionistas ou sócios. De acordo com a Lei n.º 6.404/76, o patrimônio líquido pode incluir 1. capital social, que representa valores recebidos pela empresa, ou valores por ela gerados que estão formalmente incorporados ao capital social. 2. reservas de capital, que representam valores recebidos, inexigíveis e que não transitam por contas de resultado. 3. provisões para contingências, representando prováveis compromissos futuros, de fatos contábeis ocorridos. 4. reservas de lucros, representando lucros obtidos pela empresa e retidos com finalidades específicas. 5. estoques de ouro, representando as reservas reais da empresa para garantir ou lastrear os títulos emitidos e adquiridos no mercado de valores mobiliários. 732) (Unb/CESPE-STM-99) O registro contábil da compra de bens para o imobilizado pelo valor de R$ 10.000,00, sendo 30% desse valor à vista e 70% para pagamento em 30, 60 e 90 dias, fora o mês da compra, deve corresponder a um débito em imobilizado, a) um crédito nas disponibilidades e um débito em contas a pagar. b) outro em disponibilidades e um crédito em contas a pagar. c) outro em contas a pagar e um crédito em disponibilidades. d) um crédito em contas a receber e outro em disponibilidades. um crédito nas e) disponibilidades e outro em contas a pagar. 733) (MEMÓRIA/1999-SP) Com base nas informações abaixo indique a proposição que responde corretamente ao indicado abaixo. I - As demonstrações de cada exercício serão publicadas com a indicação dos valores correspondentes das demonstrações do exercício seguinte. II - Nas demonstrações, as contas semelhantes poderão ser agrupadas; os pequenos saldos poderão ser agregados, desde que indicada a sua natureza e não ultrapassem 0,1 (um décimo) do valor o respectivo 174

grupo de contas; mas é vedada a utilização de designações genéricas, como "diversas contas" ou "contascorrentes". III - As demonstrações financeiras registrarão a destinação dos lucros segundo a proposta dos órgãos da administração, no pressuposto de sua aprovação pela chefe do almoxarifado. IV - As demonstrações não poderão ser complementadas por notas explicativas e outros quadros analíticos ou demonstrações contábeis necessários para esclarecimento da situação patrimonial e dos resultados do exercício. A) A afirmativa I está correta B) A afirmativa II está correta C) A afirmativa III está correta D) A afirmativa IV está correta E) n.d.a. 734) (TFC/ESAF-2001) A empresa Júpiter S.A. promoveu a contabilização completa de seus atos e fatos administrativos, mas o Contador, quando mandou levantar o balancete de verificação, nele não incluiu as seguintes contas e respectivos saldos: Ações em Tesouraria R$ 600,00 Amortização Acumulada R$ 160,00 Capital a Realizar R$ 800,00 Depreciação Acumulada R$ 450,00 Duplicatas Descontadas R$ 400,00 Prejuízos Acumulados R$ 110,00 Provisão p/FGTS R$ 222,00 Provisão p/Férias R$ 111,00 Provisão p/Créditos de Liquidação Duvidosa R$ 200,00 Provisão p/Imposto de Renda R$ 500,00 Provisão p/Perdas em Investimento R$ 300,00 Prov. p/Ajuste ao Preço de Mercado R$ 100,00 A inclusão das contas acima e respectivos saldos, já contabilizados, na montagem estrutural das demonstrações contábeis provocará todas as alterações abaixo, exceto: a) os saldos devedores aumentarão em R$ 1.510,00 b) os saldos credores aumentarão em R$ 2.443,00 c) o Ativo permanente ficará reduzido em R$ 910,00 d) o Passivo Circulante ficará aumentado em R$ 433,00 e) o Ativo Circulante ficará reduzido em R$ 700,00 735) (TFC/ESAF-2001) A Varejista S/A possui, no fim do exercício, 300 unidades, assim discriminadas: 100 unidades do item tipo “A”, ao custo unitário de R$ 2,50; 100 unidades do item tipo “B”, ao custo unitário de R$ 2,70; 100 unidades do item tipo “C”, ao custo unitário de R$ 2,80. Os itens tipo “C” estão todos contabilizados como bens de uso, os outros dois tipos são destinados à venda. No dia de encerramento do exercício social os três tipos de itens “A”, “B” e “C” estavam cotados ao preço de mercado de R$ 2,60 por unidade. Com essas informações podemos afirmar que, no Balancete de Verificação do final do período, preparatório para o Balanço Patrimonial, as contas que registravam esses itens apresentavam saldos cuja soma total era de: a) R$ 770,00 b) R$ 780,00 c) R$ 790,00 d) R$ 800,00 e) R$ 810,00 736) (TFC/ESAF-2001) O balancete levantado no final do período apresenta a seguinte posição: Caixa 100 Fornecedores 300 Contas a Pagar 200 Duplicatas a Receber 200 Móveis e Utensílios 700 Bancos 50 Receitas de Serviços 1.400 Despesas Antecipadas 50 Salários e Ordenados 200 Capital 500 175

Lucros Acumulados 100 Impostos Municipais 200 Material Consumido 200 Despesa de Energia 100 Despesas Diversas 300 Receitas Financeiras 100 Descontos Concedidos 100 Instalações 400 Juros Ativos 80 Juros Passivos 120 Soma 5.800 O encerramento das contas de receitas e de despesas, constantes desse balancete, informará que houve, no período, um lucro líquido de: a) 320 b) 360 c) 420 d) 440 e) 460 737) (TFC/ESAF-2001) Um bem depreciável em 4 (quatro) anos, foi adquirido por R$ 6.000,00, com pagamento contratado para 3 (três) anos, em parcelas iguais. No fim do segundo ano de uso desse bem, a empresa terá um encargo de depreciação no valor de: a) R$ 4.000,00 b) R$ 3.000,00 c) R$ 2.000,00 d) R$ 1.500,00 e) R$ 1.000,00 738) (ESAF/TFC-1996) De acordo com a Lei n.º 6.404/76, consideram-se lucro a realizar, para efeito de constituição de reserva específica, todos os eventos abaixo relacionados, exceto: a) o saldo credor da conta de correção monetária b) o aumento do valor do investimento em coligadas c) o produto da reavaliação de bens do ativo permanente d) o lucro em vendas a prazo realizável após o término do exercício seguinte e) o aumento do valor do investimento em controladas 739) (ESAF/TCU-2000) A empresa S.A. Indústria e Comércio produz tornos metálicos e outras ferramentas industriais que são comercializados em operações de venda, tanto a vista como a prazo. Seu exercício financeiro coincide com o ano-calendário. Em 21 de dezembro de 1999 o Diretor Financeiro dessa empresa, que também é seu acionista, obteve na Tesouraria um empréstimo de R$ 6.000,00, assinando uma promissória vencível em 25 do mês seguinte. No mesmo dia, esse Diretor comprou a prazo algumas ferramentas, na própria loja da fábrica, assinando três notas promissórias de R$ 600,00, vencíveis a 60, 120 e 180 dias. As operações foram debitadas em Títulos a Receber. Ao encerrar o exercício em 31 de dezembro do referido ano, deverá constar no balanço patrimonial dessa empresa a conta “Títulos a Receber” com saldo de a) R$ 7.800,00 no ativo circulante b) R$ 7.800,00 no ativo realizável a longo prazo c) R$ 6.000,00 no ativo circulante d) R$ 6.000,00 no ativo circulante e de R$ 1.800,00 no ativo realizável a longo prazo e) R$ 1.800,00 no ativo circulante e de R$ 6.000,00 no ativo realizável a longo prazo 740) (INSS/CESPE-98) Com relação à elaboração anual das demonstrações contábeis, nas quais as empresas devem observar os princípios fundamentais de contabilidade e uma série de normas que tratam dos seus critérios de preparação, inclusive das notas explicativas. julgue os seguintes itens. (1) No balanço, os elementos do ativo devem ser apresentados, sempre, em ordem crescente de grau de liquidez. (2) As obras de arte devem ser registradas no ativo diferido. (3) As provisões para contingências devem ser apresentadas no patrimônio líquido. (4) A demonstração das origens e aplicações de recursos deve evidenciar as variações ocorridas no capital circulante liquido. (5) A demonstração das mutações do patrimônio liquido deve evidenciar os dividendos sobre o resultado do exercício. 741) (PCF/UnB/CESPE-97) Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do 176

patrimônio e as mutações ocorridas no exercício. Julgue os itens abaixo, relativos a demonstrações financeiras. (1) As demonstrações de cada exercício serão publicadas com a indicação dos valores correspondentes das demonstrações de dois exercícios anteriores. (2) Nas demonstrações, as contas semelhantes poderão ser agrupadas; os pequenos saldos poderão ser agregados, desde que indicada a sua natureza e não ultrapassem a dois décimos do valor do respectivo grupo de contas. (3) As demonstrações financeiras registrarão a destinação dos lucros segundo a proposta dos órgãos da administração, no pressuposto de sua aprovação pela assembléia geral. (4) As demonstrações financeiras do exercício em que houver modificação de métodos ou critérios contábeis, de efeitos relevantes, deverão indicá-la em nota explicativa e ressaltar esses efeitos. (5) No ativo, as contas serão dispostas em ordem crescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados. 742) (ESAF-CVM/2001) Observando atentamente as afirmações abaixo listadas, podemos dizer que a única que expressa inteiramente a verdade é a seguinte: a) Embora sendo uma conta de saldo credor, a conta Amortização Acumulada deverá constar do Ativo Permanente no Balanço Patrimonial, como conta redutora do subgrupo Ativo Diferido. b) A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados deverá indicar o montante do lucro líquido por ação do capital social. c) A lei determina que o exercício social deverá ter a duração de um ano, mas a classificação de contas patrimoniais no circulante ou longo prazo não só poderá, como deverá ser diferente de um ano, na companhia em que o ciclo operacional da empresa tiver duração maior que o exercício social. d) No passivo as contas serão classificadas nos grupos passivo circulante, passivo exigível a longo prazo, resultados de exercícios futuros, patrimônio líquido, capital social, reservas e lucros. e) As ações em tesouraria deverão ser destacadas no balanço como dedução da conta capital social no patrimônio líquido. 743) (AGENTE-PF/CESPE/2000) Com referência a movimentações do patrimônio líquido, segundo a Lei n.º 6.404/76, julgue os itens abaixo. 1. No recebimento de dinheiro de acionistas para integralização do capital social subscrito, deverá haver um registro a crédito do capital social ou da conta que registra o capital a integralizar. 2. Na emissão de ações ao preço unitário de R$ 1,00, sendo R$ 0,50 destinados ao capital social e R$ 0,50 à reserva de capital – ágio na subscrição de novas ações -, a empresa deverá registrar R$ 0,80 para cada real recebido, por conta desse aumento e capital, na conta de bônus de subscrição, no patrimônio líquido. 3. O produto da alienação de partes beneficiárias pode ser registrado no patrimônio líquido. 4. No recebimento de um bem imóvel doado por uma sociedade anônima cujo registro se dará em conta de patrimônio líquido de doações e subvenções para investimento, deverá haver um registro a débito dessa conta, em contrapartida de um crédito no imobilizado de igual valor. 5. Uma empresa que apresentar uma reserva de capital no valor de R$ 8.000,00 e um saldo de prejuízo de R$ 2.000,00, após consumir os lucros acumulados e todas as reservas de lucros acumulados e todas as reservas de lucros, poderá compensá-lo com parte da reserva de capital que ela possui.

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 632- A 633- B 642- E 643- C 652- D 653- B 662- E 663- C 670- B 671- E 680- A 681- D 688- A 689- C 697- A 698- C 707- D 708- E 717- C 718- C 726- A 727- E 735- D 736- B 743- C E C E C 634- E 635- E 636- B 644- A 645- B 646- D 654- D 655- C 656- A 664- C E E C C 665- C 672- C 673- E 674- A 682- E 683- A 684- C E 690- B 691- E C E C C 699- B 700- D 701- E 709- A 710- E 711- E 719- C E E C 720- E 728- C 729- E 730- E 737- D 738- C 739- E 637- E 638- B 639- E 640- B 647- C 648- C 649- D 650- C 657- E 658- C 659- D 660- C 666- C C E E E 667- A 668- A 675- E 676- B 677- D 678- D 685- E C E E 686- D 692- C 693- D 694- C 695- A 702- C 703- D 704- A 705- D 712- D 713- D 714- B 715- C 721- A 722- D 723- C 724- A 731- C C E C E 732- B 733- B 740- E E E C C 741- E E C C E 641- D 651- A 661- A 669- A 679- D 687- D 696- B 706- B 716- B 725- A 734- D 742- C

177

XII - NOTAS EXPLICATIVAS 744) (ESAF-CVM/2001) A divulgação em Notas Explicativas relativa aos Instrumentos Financeiros deve ser feita a) apenas quando tais instrumentos corresponderem a direitos contratuais recebíveis em moeda corrente b) por companhias abertas que possuam tais instrumentos, reconhecidos ou não como ativo ou passivo em seu Balanço Patrimonial c) por sociedades anônimas, indicando o histórico da operação que deu origem a esse evento, quando ajustados ao valor de mercado d) somente pelas empresas arrendatárias se estas reconhecerem tais contratos em itens do Balanço Patrimonial e os mesmos alterarem seus resultados e) quando tratar-se de títulos restritos a representatividade de participação no patrimônio de outra entidade ou impliquem variação das disponibilidades 745) (INSS/CESPE-97) A publicação de notas explicativas das demonstrações financeiras está prevista no parágrafo 4º do art. 176 da Lei n.º 6.404/76, o qual estabelece que “as demonstrações serão complementadas por notas explicativas e outros quadros analíticos ou demonstrações contábeis necessários para o esclarecimento da situação patrimonial e dos resultados do exercício”. O parágrafo 5º do mesmo artigo estabelece que as notas devem indicar 1. a qualificação profissional dos administradores da companhia. 2. as taxas de juros de empréstimos de curto prazo concedidos a acionistas minoritários. 3. a participação dos acionistas minoritários nos lucros e no patrimônio líquido da companhia, consideradas as demonstrações financeiras da entidade isoladamente, ante de qualquer eventual consolidação de controlada. 4. os principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais especialmente estoques; dos cálculos de depreciação, amortização e exaustão; de constituição de provisões para encargos e riscos; e de ajustes para atender as perdas prováveis na realização de elementos do ativo 5. os eventos subsequentes à data de encerramento de exercício que tenham, ou possam vir a ter, efeito relevante a situação financeira e os resultados da companhia. 746) (MEMÓRIA/1999-SP) Sobre a escrituração contábil sabe-se que a escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial e aos Princípios Fundamentais de Contabilidade, devendo observar métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de competência. Assim NÃO é correto afirmar : a) As demonstrações financeiras do exercício em que houver modificação de métodos ou critérios contábeis, de efeitos relevantes, deverão desprezá-los. b) A companhia observará em registros auxiliares, sem modificação da escrituração mercantil e das demonstrações reguladas em lei, as disposições da lei tributária, ou de legislação especial sobre a atividade que constitui seu objeto, que prescrevam métodos ou critérios contábeis diferentes ou determinam a elaboração de outras demonstrações financeiras. c) As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários, e serão obrigatoriamente auditadas por auditores independentes registrados na mesma comissão. d) As demonstrações financeiras serão assinadas pelos administradores e por contabilistas legalmente habilitados. e) n.d.a. 747) (ESAF/TFC-1996) As notas explicativas que acompanham as demonstrações financeiras deverão conter todas as informações abaixo, exceto: a) modificação do critério de atribuição de preços aos inventários; b) modificação na composição e nas atribuições do Conselho de Administração da companhia c) modificação do regime de escrituração adotado d) aumento do valor de bens do ativo resultante de novas avaliações e) as condições essenciais constantes dos contratos de financiamento a longo prazo celebrados pela companhia 748) (MEMÓRIA/1999-SP) Em relação as demonstrações financeiras, as notas explicativas deverão indicar: I - Os principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais, especialmente estoques, dos cálculos de depreciação, amortização e exaustão, de constituição de provisões para encargos ou riscos, e dos ajustes para atender a perdas prováveis na realização de elementos do ativo; II - Os investimentos em outras sociedades, quando relevantes.; 178

III - O aumento de valor de elementos do ativo resultante de novas avaliações; IV - Os ônus reais constituídos sobre elementos do Passivo, as garantias não prestadas a terceiros e outras responsabilidades eventuais ou contingentes; a) A afirmativa I está incorreta b) A afirmativa II está incorreta c) A afirmativa III está incorreta d) A afirmativa IV está incorreta e) n.d.a. 749) (AFPS/CESPE-Unb/2001) Em notas explicativas às demonstrações contábeis, a companhia deverá evidenciar as opções de compra de ações outorgadas e exercidas no exercício.

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 744- B 745- E E E C C 746- A 747- B 748- D 749- C

II - DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) 750) (ESAF-CVM/2001) A variação do Capital Circulante Líquido é evidenciada na demonstração da(s) a) Mutações do Patrimônio Líquido b) Origens e Aplicações de Recursos c) Flutuações dos Valores Circulantes d) Geração do Caixa Operacional e) Flutuações dos Valores Não-Circulantes 751) (ESAF/AFRF-2001) Em 31 de dezembro o nosso Contador havia montado um rascunho da DOAR (Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos) com a seguinte estrutura: I - Origens 1.800,00 II - Aplicações 2.600,00 III - Redução de CCL 800,00 quando descobriu que o lucro líquido do exercício ainda não fora computado nessa demonstração. Referido lucro foi assim formado e distribuído: Resultado do Exercício: Receitas totais do período 6.000,00 Despesas do período (sem as depreciações) (3.500,00) Encargos de depreciação do período (400,00) Lucro Líquido antes do Imposto de Renda 2.100,00 Provisão para o Imposto de Renda (300,00) Lucro Líquido do Exercício 1.800,00 Lucros ou Prejuízos Acumulados: Saldo inicial 0,00 Lucro Líquido do Exercício 1.800,00 Dividendos Propostos (150,00) Saldo atual 1.650,00 Após o cômputo do resultado do exercício acima demonstrado, naquilo que couber, a DOAR apresentará: a) no item I: origens no valor de R$ 4.300,00 b) no item I: origens no valor de R$ 3.900,00 c) no item III: aumento no CCL no valor de R$ 1.250,00 d) no item II: aplicações no valor de R$ 3.000,00 e) no item II: aplicações no valor de R$ 3.150,00 752) (ESAF/AFRF-2001) Aumentam o Capital Circulante Líquido: a) os aumentos do Ativo Circulante e do Passivo Circulante b) os aumentos do Passivo Circulante e dos Investimentos c) a redução do Passivo Exigível a Longo Prazo e o aumento do Ativo Realizável a Longo Prazo d) o aumento do Passivo Exigível a Longo Prazo e a redução do Ativo Permanente e) o aumento do Ativo Realizável a Longo Prazo e a Contribuição para Reserva de Capital 753) (ESAF-CVM/2001) Na Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos, as depreciações de ativos realizadas durante o exercício social são consideradas 179

a) grupo de origens de recursos b) grupo de aplicações de recursos c) acréscimo ao lucro líquido do exercício d) redução do lucro líquido do exercício e) valor não considerado na sua apresentação 754) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Valores em R$ 1,00 Bancos Caixa Capital Compras Custo de Mercadorias Vendidas Duplicatas a Pagar Duplicatas e Receber Duplicatas Descontadas Mercadorias - saldo inicial Vendas 9 3 30 42 30 28 14 6 4 50

Considerando os dados acima, extraídos dos balancetes levantados em 31.12.93, podemos afirmar que os valores do Capital Circulante Líquido e do Patrimônio Líquido, no balanço de 31.12.93, são, respectivamente: a) R$ 42,00 e R$ 30,00 b) R$ 8,00 e R$ 30,00 c) R$ 8,00 e R$ 50,00 d) R$ 14,00 e R$ 30,00 e) R$ 14,00 e R$ 50,00 755) (ESAF/AFTN/ESAF/98) Os balanços encerrados em 31/12/x7 e em 31/12/x6 da empresa Lírios & Lotus mostram o seguinte quadro: {PRIVATE}Ativo 31.12.x7 31.12.x6 Caixa 4.000,00 2.000,00 Clientes 9.000,00 10.000,00 Estoque de Mercadorias 11.000,00 7.000,00 Realizável a Longo Prazo 2.000,00 2.500,00 Terrenos 8.000,00 5.000,00 Total do Ativo 34.000,00 26.500,00 Passivo Fornecedores 6.800,00 10.000,00 Capital Social 24.000,00 14.000,00 Exigível a Longo Prazo 1.200,00 1.500,00 Lucros Acumulados 2.000,00 1.000,00 Total do Passivo 34.000,00 26.500,00 Analisando esse quadro patrimonial e a evolução de 19x6 para 19x7, é correto afirmar-se que, na Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR), podemos encontrar {P origens de recursos no valor de 22.500,00 RIV AT E}a ) b) origens de recursos no valor de 11.000,00 c) aumento do Capital Circulante Líquido de 10.000,00 d) aplicações de recursos no valor de 3.300,00 e) aplicações de recursos no valor de 12.500,00 756) (ESAF/AFTN-1994/setembro) Numa Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos, as origens dos recursos somaram R$ 1.300,00 180

Outros dados pertinentes Ativo Circulante Início do Exercício Fim do Exercício Passivo Circulante Início do Exercício Fim do Exercício

R$

1.600,00 2.400,00 900,00 1.200,00

Com base nesses dados, determine o montante das aplicações de recursos da referida demonstração e marque a opção que contém a) R$ 2.300,00 b) R$ 800,00 c) R$ 1.900,00 d) R$ 1.100,00 e) R$ 2.500,00 757) (ESAF/AFTN-1991) Na “Demonstração das origens e Aplicações de Recursos”, a) a realização do capital é uma aplicação b) o aumento do ativo diferido é uma origem c) o encargo de depreciação é uma origem d) o aumento do exigível a longo prazo é uma aplicação e) a contribuição do subscritor de ações que ultrapassar o valor nominal é uma aplicação 758) (ESAF/AFTN-1994/setembro) Balancete em 31.12.93 (em R$ 1,00) Ações em Tesouraria Aluguéis a Vencer Bancos Caixa Capital Depreciação Acumulada Veículos Depreciação Acumulada Equipamentos Depreciação Acumulada Máquinas Duplicatas Descontadas Duplicatas a Receber Equipamentos Financiamento - vencível 1994 vencível 1995 vencível 1996 Fornecedores Imóveis Impostos a Pagar Impostos a Recuperar Máquinas e Instrumentos Mercadorias (devedor) Prejuízos Acumulados Provisão para Devedores Duvidosos Reserva de Correção de Capital Salários a Pagar Veículos Considerando os dados acima podemos afirmar que, no Balanço de 31.12.93, Circulante Líquido, Ativo Total e Passivo Circulante eram, nessa ordem, de: a) R$ 9,00, R$ 72,00 e R$ 21,00 b) R$ 7,00, R$ 63,00 e R$ 28,00 c) R$ 3,00, R$ 70,00 e R$ 25,00 d) R$ 7,00, R$ 70,00 e R$ 21,00 e) R$ 14,00, R$ 63,00 e R$ 21,00 181

2 1 3 2 43 6 4 3 7 20 8 1 2 2 17 30 2 1 5 9 4 1 8 1 12 os valores do Capital

759) (ESAF/AFTN-1994/setembro) Balancete em 31.12.93 (em R$ 1,00) Bancos Caixa Capital Compras Depreciações Acumuladas Despesas Gerais (1) Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Imóveis Impostos a Recuperar Lucros Acumulados Máquinas e Equipamentos Mercadorias para Revenda (2) Móveis e Utensílios Provisão para Devedores Duvidosos Reserva de Capital Reserva de Lucros Salários a Pagar Títulos Descontados (3) Veículos Vendas

8 5 20 50 1 30 12 19 20 4 2 1 3 5 2 1 2 1 7 9 4 60

(1) Consta do saldo de Despesas Gerais prêmio de seguro de R$ 3,00, cuja apólice cobre o período de 01.09.93 a 31.08.94; (2) O inventário de Mercadorias para Revenda, em 31.12.93, soma R$ 6,00 (3) Notas promissórias descontadas em Banco, com vencimento para 30.06.94. No balanço de 31.12.93, levantado após os ajustes no balancete acima, o Capital Circulante Líquido era de: a) (R$ 2,00) b) (R$ 4,00) c) (R$ 5,00) d) (R$ 8,00) e) (R$ 3,00) 760) (ESAF/AFC/SFC-1996) Indique a opção que contém os valores do Capital Circulante Líquido, do Ativo Total e do Passivo Circulante nessa ordem, relativos ao balanço levantado em função dos dados transcritos a seguir: Ações em Tesouraria 12 Aluguéis a Vencer 4 Bancos 10 Caixa 5 Capital 140 Depreciação Acumulada de Equipamentos 3 Depreciação Acumulada de Máquinas e instrumentos 5 Depreciação Acumulada de Veículos 12 Duplicatas Descontadas 10 Duplicatas a Receber 40 Equipamentos 30 Financiamentos vencíveis em 1996 6 Financiamentos vencíveis em l997 4 Financiamentos vencíveis em 1998 2 Fornecedores 7 Imóveis 20 Impostos a Pagar 8 Impostos a Recuperar 14 Máquinas e Instrumentos 25 Mercadorias 25 Prejuízos Acumulados 18 Provisão para Devedores Duvidosos 3 Reserva de Correção Monetária do Capital 50 13 Salários a Pagar 60 Veículos a) 45 - 115 - 34 b) 45 - 200 - 40 c) 51 - 85 - 34 d) 51 - 85 - 40 e) 51 - 200 - 34 182

761) (ESAF/AFC/SFC-1996) O balanço levantado em 31.5.96 apresenta os seguintes dados: Ativo Circulante 40 Ativo Permanente 15 Ativo Realizável a Longo Prazo 20 Passivo Circulante 30 Patrimônio Líquido 45 Durante o mês de junho de 1996 foram registrados os seguintes fatos. Compras de mercadorias a prazo 80 Compras de mercadorias a vista 50 Custo de bens do ativo imobilizado vendidos 10 Custo de Mercadorias Vendidas 70 Pagamento de diversas despesas operacionais 25 Pagamento de duplicatas de Fornecedores 15 Recebimento de créditos de longo prazo 5 Recebimento de duplicatas 15 Vendas a prazo 200 Vendas a vista 150 Venda de bens do ativo imobilizado, a vista 20 Na Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos, elaborada com os dados do balanço levantado em 30.6.96, o montante do Capital Circulante Líquido é de: a) 380 b) 290 c) 310 d) 355 e) 280 762) (Unb/CESPE/INSS-97) A demonstração das origens e aplicações de recursos é utilizada par indicar as modificações na posição financeira da companhia e deve discriminar 1. os empréstimos de curto prazo tomados pela companhia no período. 2. lucro do exercício, acrescido de depreciação, amortização ou exaustão e ajustado pela variação nos resultados de exercícios futuros. 3. os dividendos propostos sobre o lucro do exercício. 4. as aquisições de estoques circulantes. 5. as reservas de lucros constituídas. 763) (Unb/CESPE/INSS-97) O capital circulante líquido, que é a folga financeira da empresa a curto prazo, é obtido pela diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante. AS transações que podem aumentar o capital circulante líquido incluem 1. A aquisição a prazo de estoques de mercadorias para revenda. 2. A venda à vista, com lucro, de um equipamento obsoleto que estava classificado no imobilizado. 3. pagamento de despesas com o conserto de máquinas não-provisionadas. 4. recebimento em dinheiro de uma duplicata já baixada anteriormente como prejuízo. 5. A aquisição à vista de participações societárias de uma empresa controlada. 764) (MEMÓRIA/1999-SP) A demonstração das origens e aplicações de recursos indicará as modificações na posição financeira da companhia, discriminando as aplicações de recursos, agrupadas em: A) dividendos recebidos; B) aquisição de obrigações do ativo imobilizado; C) aumento do ativo realizável a longo prazo, dos investimentos e do ativo diferido; redução do passivo exigível a longo prazo. D) receitas a vista E) n.d.a. 765) (MEMÓRIA/1999-SP) A Demonstração Contábil que informa o valor dos bens da entidade adquiridos durante o ano: A) Balanço Patrimonial B) Demonstração do Resultado do Exercício C) Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido D) Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos E) n.d.a. 766) (MEMÓRIA/1999-SP) A Demonstração Contábil que informa o valor dos novos empréstimos bancários que ingressaram na entidade durante o exercício social: 183

A) Notas Explicativas B) Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos C) Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido D) Demonstração do Resultado do Exercício E) n.d.a. 767) (MEMÓRIA/1999-SP) Sobre a demonstração de lucros ou prejuízos acumulados pode-se afirmar: I - o saldo do início do período, os ajustes de exercícios anteriores e a correção monetária do saldo inicial; II - as reversões de reservas e o lucro líquido do exercício; III - as transferências para reservas, os dividendos, a parcela dos lucros incorporada ao capital e o saldo ao fim do período. IV - a demonstração de lucros ou prejuízos acumulados não deverá indicar o montante do dividendo por ação do capital social e não poderá ser incluída na demonstração das mutações do patrimônio líquido, se elaborada e publicada pela companhia. A) A afirmativa I está incorreta B) A afirmativa II está incorreta C) A afirmativa III está incorreta D) A afirmativa IV está incorreta E) n.d.a. 768) (Unb/CESPE/STM/SUPERIOR/99) Uma empresa que, no inicio do período, apresentou um ativo circulante de R$ 1.000,00 e, no fim, de R$ 1.500.00, e um passivo circulante inicial de R$ 2.000,00 e final de R$ 2.200,00 operou com uma variação de capital circulante líquido a) positiva de R$ 500,00. b) positiva de R$ 300,00. c) positiva de R$ 200,00. d) negativa de R$ 200,00. e) negativa de R$ 300,00. 769) (Unb/CESPE/STM/SUPERIOR/99) Considere que na demonstração das origens e aplicações de recursos de uma empresa haverá uma rubrica contendo o lucro do exercício, acrescido de depreciação, amortização e exaustão e ajustado pela variação nos resultados de exercícios futuros. Considere, ainda, que essa empresa operou com os valores seguintes. Elementos Valores (R$) Lucro líquido do exercício 5.000.00 Depreciação, amortização e exaustão 6.500,00 Elevação nos resultados de exercícios futuros 1.500,00 Como valor total das origens provenientes dos elementos citados, a referida rubrica deverá apresentar a) R$ 0,00. b) R$ 10.000,00. c) R$ 11.000,00. d) R$ 12.000,00. e) R$ 13.000,00. 770) (Unb/CESPE-STM-99) Para fins de preparação da demonstração das origens aplicações de recursos, o valor de um empréstimo tomado registrado no passivo exigível a longo prazo será considerar como uma a) aplicação de recursos. b) redução do capital circulante líquido. c) variação das disponibilidades. d) origem de recursos. e) retificação das origens de recursos. 771) (ESAF/AFC-STN/97) Considere os dados abaixo: Aluguéis a Pagar Bancos conta movimento Caixa Capital Depreciação Acumulada de Imóveis Depreciação Acumulada de Máquinas e Equipamentos Depreciação Acumulada de Móveis e Utensílios Depreciação Acumulada de Veículos Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Duplicatas Descontadas Financiamentos-vencíveis em 1997 Financiamentos-vencíveis em 1998 Imóveis Impostos a Pagar Impostos a Recuperar 10 40 20 300 30 40 20 50 240 400 150 120 100 100 80 50 184

Juros a Vencer 20 Máquinas e Equipamentos 80 Mercadorias para Revenda 170 Móveis e Utensílios 40 Prejuízos Acumulados 90 Reservas de Capital 60 Salários a Pagar 80 Seguros a Vencer 20 Veículos 250 Indique a opção que contém os valores do Ativo Total, do Passivo Circulante e do Capital Circulante Líquido, nessa ordem, constantes do Balanço, levantado em 31.12.96, com os dados do balancete acima. a) 900; 630 e (60) b) 900; 530 e 40 c) 900; 410 e 160 d) 750; 680 e (260) e) 750; 560 e (140) 772) (Unb/CESPE/BACEN-97) A demonstração das origens e aplicações de recursos deve informar as modificações ocorridas no patrimônio da empresa e o seu efeito em termos de variação do capital circulante líquido. Considerando as normas legais que regem essa matéria, julgue os itens que se seguem. A aquisição de direitos do ativo imobilizado deve ser classificada como uma origem de recursos. Os dividendos distribuídos fazem parte das aplicações de recursos. O aumento do capital social, com a emissão de novas ações e a subsequente entrada de novos recursos, deve ser considerado como origem de recursos. A redução do passivo exigível a longo prazo deve ser considerada como origem de recursos. O lucro do exercício deve ser contemplado como aplicação de recursos, acrescido de depreciação, amortização e exaustão e ajustado pela variação do resultado de exercícios futuros, sempre que o valor for positivo. 773) (ESAF/TCU-2000) Abaixo estão os saldos contábeis comparativos de 1998 e 1999 da EMPRESA S.A., colhidos no livro razão para fins de elaboração das Demonstrações Financeiras do exercício: Contas 1998 1999 Caixa 200,00 160,00 Capital Social 400,00 400,00 Clientes 600,00 460,00 Debêntures Emitidas - Longo Prazo -0400,00 Depreciação Acumulada Equipamentos -010,00 Depreciação Acumulada Veículos 40,00 80,00 Dividendos a Pagar 240,00 700,00 Equipamentos -0100,00 Fornecedores 580,00 360,00 Mercadorias 400,00 1.840,00 Provisão p/ Devedores Duvidosos 40,00 60,00 Reservas de Lucro 100,00 910,00 Salários a Pagar 60,00 80,00 Seguros a Vencer 60,00 40,00 Veículos 200,00 400,00 Custo da Mercadoria Vendida ------860,00 Despesas Operacionais ------530,00 Outras Receitas Operacionais ------460,00 Receitas Não Operacionais ------380,00 Vendas ------2.000,00 Observações: - Apenas R$ 50,00 das despesas operacionais referem-se a depreciações do período. - Do lucro líquido, R$ 810,00 foram creditados a “Reservas”. Todo o restante foi destinado ao pagamento de dividendos. Com base nas informações acima, podemos afirmar que, na Demonstração de Origens e Aplicação de Recursos (DOAR) dessa empresa, no exercício de 1999, constará no item II - Aplicação de Recursos, o total de a) R$ 540,00 b) R$ 300,00 c) R$ 960,00 d) R$ 940,00 e) R$ 850,00 774) (Unb/CESPE/AFPS-2001) A demonstração das origens e aplicações de recursos, que explica a variação do capital circulante líquido, deve evidenciar como uma das aplicações o pagamento de empréstimos de curto prazo pelo seu valor principal. 185

775) (AGERS/RS-98) Considere os saldos finais das contas correspondentes ao balancete do período. Fornecedores 50 Salários 10 Empréstimos 17 Vendas 35 Clientes 37 L/P. Acumulados 08 Estoque inicial 40 Caixa 10 Bancos 20 CMV 23 Capital Social 30 Sabendo-se que o valor das compras foi 25, a alternativa que contém os valores do patrimônio líquido, do capital circulante líquido, do estoque inicial e do lucro do período, respectivamente, é: a) 50, 38, 10 e 20 b) 40,107, 38 e 20 c) 50,107, 38 e 2 d) 40, 40, 38 e 2 e) 40, 38, 38 e 8 776) (ESAF-CVM/2001) A firma Experimental Limitada constatou, em 30 de junho, que, para iniciar o segundo semestre, seu negócio tinha um investimento total de R$ 10.000,00, com dois quintos (2/5) financiados com recursos de terceiros, significando um bom aporte de recursos próprios. O capital circulante líquido estava negativo em R$ 700,00, apesar de a empresa só estar operando a curto prazo e de não trabalhar com antecipação de receitas e despesas. O Ativo Permanente da firma era, portanto, de a) R$ 700,00 b) R$ 3.300,00 c) R$ 4.700,00 d) R$ 6.700,00 e) R$ 10.000,00 777) (Unb-CESPE/STF-analista/99) A demonstração das origens e aplicações de recursos indicará as modificações na posição financeira da companhia, discriminando, entre as origens, o a) prejuízo do período. b) acréscimo do ativo imobilizado, por aquisição de nova planta industrial. c) aumento do capital social com a utilização de reservas de lucros de anos anteriores. d) aumento do capital social por emissão de novas ações e as contribuições para reservas de capital. e) aumento de contas a receber vencíveis até noventa dias. 778) (ESAF/AFC/SFC-1996) Um exemplo de operação que não afeta o Capital Circulante Líquido é: a) distribuição de Lucros ou Dividendos b) aumento de Capital em dinheiro c) formação de Provisão p/Devedores Duvidosos d) aumento de Capital com Lucros Acumulados e) compra de Equipamentos para o Ativo Imobilizado 779{PRIVATE}) (UFSC/FISCAL/ICMS/SC/1998) A Cia. Peperi negocia toalhas de banho e adota o regime de inventário periódico para controlar seu estoque. Seus exercícios sociais se encerram a cada 31 de dezembro. Nada do resultado (lucro/prejuízo) de cada exercício social recebe qualquer destinação. O Balancete de Verificação a seguir fornecido foi "levantado" em 31/dez./92, imediatamente antes dos lançamentos de apuração do resultado de 1992. Os valores nele contidos estão corretos. COMPANHIA PEPERI BALANCETE DE VERIFICAÇÃO (31 / dez. / 92) (imediatamente antes da apuração do resultado de 1992) contas saldos devedores Duplicatas a Receber (AC) 5.000 Compras de Mercadorias 14.080 ICMS a Recolher (PC) Duplicatas a Receber (ARLP) 11.000 Lucros Acumulados (PL) Despesas com Vendas (global das...) 608

saldos credores

140 8.800 186

Fornecedores (PC) Mercadorias (AC) Devoluções de Vendas Despesas Administrativas (global das ....) ICMS sobre Vendas Capital Social (PL) Aluguel a Pagar (PC) Terrenos ( AP / I ) Caixa e Bancos (AC) Vendas Brutas Salários e Encargos Sociais a Pagar (PC) TOTAIS O seguinte trecho de DOAR está correto:

1.025 1.600 3.000 3.392 6.460 10.000 30 5.860 10.305 41.000 310 61.305

61.305

CIA. PEPERI DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS DE 1992 I ) ORIGENS DE RECURSOS II) APLICAÇÕES DE RECURSOS III) AUMENTO DO CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO (I - II) IV) MODIFICAÇÃO NO CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO: 31/dez/91 31/dez/92 Variação Ativo Circulante 6.600 16.445 9.845 Passivo Circulante 3.460 1.505 (1.955) Capital Circulante Líquido 3.140 14.940 11.800 Com base no que foi informado, pode-se afirmar que em 1992, o valor das "vendas líquidas" e o valor do "lucro operacional bruto" da Cia. Peperi foram de, respectivamente, a{PRIVATE}) $ 31.540 e $ 17.000. b) $ 30.932 e $ 15.252. c) $ 31.540 e $ 15.860. d) $ 30.932 e $ 17.000. e) $ 34.540 e $ 17.000. GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 750- B 760- E 768- B 777- D 751- C 761- B 769- E 778- D 752- D 753- C 762- E C C E E 770- D 771- B 779- A 754- C 755- D 763- C C E C E 772- E C C E E 756- B 764- C 773- D 757- C 765- D 774- E 758- D 766- B 775- D 759- C 767- D 776- D

187

XIV - DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) E A DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDO 780) (ESAF/AFTN-1994/setembro) Dados Contábeis da Comercial PVA Ltda. R$ - Prejuízo Acumulado Saldo do Balanço Anterior 600,00 - Ajuste Credor do Exercício Anterior Excesso de Provisão para Imposto de Renda (Valor original) 100,00 - Reversão da Reserva de Contingência Saldo do Balanço Anterior (Valor original) 200,00 - Lucro Líquido do Exercício Findo em 31.12.93 1.200,00 Valores da UFIR (hipotéticos) Do Balanço de 31.12.93 6,00 Do Balanço Anterior 1,50 Com base nos dados acima indique a opção que contém o saldo final da Demonstração de Lucros e ou Prejuízos Acumulados em 31.12.93 a) zero b) R$ 2.400,00 c) R$ 4.800,00 d) R$ 1.500,00 e) R$ 1.800,00 781) (PF/PERITO/1993) A Demonstração de Lucros e Prejuízos acumulados, de conformidade coma Lei 6404/76, descriminará, entre outros: (A) as transferências para reserva, os dividendos, a parcela dos lucros incorporada ao capital e o saldo ao fim do período. (B) O saldo das contas do patrimônio líquido. (C) O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do Capital Social. (D) As reversões de provisões e o lucro operacional do exercício. 782)(PCF/UnB/CESPE-97) As demonstrações financeiras são elaboradas para cumprir as obrigações societárias das empresas, com a finalidade de dar conhecimento aos interessados sobre a sua situação econômico-financeira e permitir uma série de decisões sobre investimentos, gerenciamento de recursos, direitos trabalhistas, dividendos e outras. Os objetivos principais a serem atingidos na divulgação são os relativos à informação não-enganosa, clara e concisa, de maneira a dar representatividade às demonstrações, para que sirvam de instrumentos valiosos a orientar as decisões a serem tomadas com base nela. Relativamente a esse tema, julgue os seguintes itens. (1) A Lei das Sociedades por Ações determina a obrigatoriedade de divulgação do montante do lucro ou prejuízo líquido por ação do capital social da companhia, mais comumente denominado lucro por ação, na demonstração do resultado do exercício. (2) A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados ganha relevância em razão do dividendo obrigatório das sociedades por ações e pela possibilidade de segregar parcelas do lucro do exercício para a formação da reserva de lucros a realizar e reservas de contingências, as quais estarão sujeitas à incidência do dividendo obrigatório no futuro, quando forem revertidas para lucros ou prejuízos acumulados. (3) A demonstração das mutações do patrimônio liquido, que é de muita utilidade, pois fornece a movimentação ocorrida durante o exercício nas diversas contas componentes do patrimônio líquido, deve ser preparada também de forma obrigatória por todas as sociedades constituídas sob a égide da Lei das Sociedades por Ações. (4) A demonstração das origens e aplicações de recursos deve evidenciar as movimentações patrimoniais ocorridas no exercício social, dando ênfase a todos os valores de ingresso e saída de recursos de curto prazo, afetando, por conseqüência, os elementos não-circulantes. (5) As demonstrações financeiras serão complementadas por notas explicativas e outros quadros analíticos ou demonstrações contábeis necessários para o esclarecimento da situação patrimonial e dos resultados do exercício, referindo-se, por exemplo, aos investimentos em outras sociedades, quando relevantes. 783) (Unb-CESPE/STF-analista/99) A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados discriminará a(s) a) receitas do período. b) participação de administradores nos resultados. c) participação de partes beneficiárias nos resultados. d) parcela dos lucros incorporada ao capital social no período. e) participação de debenturistas nos resultados.

188

784) (CESPE/AGENTE/PF/2000) Demonstração de lucros acumulados de 1999 Lucros acumulados em 31/12/98 Lucro do exercício social de 1999 Parcela destinada à formação da reserva legal Parcela destinada à formação da reserva de contingências Reversão da reserva de lucros a realizar Dividendos declarados Lucros acumulados em 31/12/99

(em R$ mil) 50.000 120.000 (6.000) (20.000) 10.000 (50.000) 104.000

Com base no quadro demonstrativo de lucros acumulados de uma sociedade anônima do ramo de navegação, apresentado acima, julgue os itens que se seguem. 1. Os dividendos declarados pela empresa, relativamente ao exercício social de 1999, são superiores a 25% do lucro líquido do exercício ajustado por constituição e reversão de reservas. 2. A reserva legal, a de contingências e a de lucros a realizar fazem parte do patrimônio líquido da empresa. 3. O saldo de lucros acumulados em 31/12/99 não poderá ser utilizado para nova distribuição de dividendos, em conformidade com os princípios de contabilidade. 4. Para a formação da reserva de contingências, deverá haver um registro a débito da conta relativa a essa reserva no valor de R$ 20.000.000,00. 5. Os dividendos declarados deverão ser registrados a débito das disponibilidades. 785) (CESPE/TCU-1995) A Cia. TECEÚ apurou, ao final do exercício, lucro líquido de $ 1.000. O estatuto prevê a destinação de 10% para aumento de capital. Constatou-se a existência de uma contingência de $ 150. Metade das vendas a prazo que haviam ensejado a constituição da reserva de lucros a realizar no exercício anterior será recebida no próximo exercício. O dividendo obrigatório é de 25% do lucro líquido ajustado. O patrimônio líquido, já corrigido, antes do cálculo das reservas e do dividendo, está assim constituído: Capital Social $ 1.000 Correção Monetária do Capital Social $ 200 Subvenção para Aumento de Capital $ 180 Reserva Legal $ 200 Reserva de Lucros a Realizar $ 120 Julgue os itens a seguir. (1) A Cia. TECEÚ tem duas alternativas para a Reserva Legal: não constituí-la ou constituí-la pelo valor de $ 50. (2) Na determinação do lucro líquido ajustado, é obrigatória a inclusão da contingência e facultativa a da Subvenção para Aumento de Capital. (3) O saldo da Reserva de Lucros a Realizar no balanço será de $ 60. (4) Se a Cia. TECEÚ for uma companhia aberta, o saldo remanescente do lucro (após as destinações) deverá figurar no balanço patrimonial como "Lucros Acumulados". (5) O somatório do Capital Social e das reservas de capital no balanço patrimonial será de $ 1.480. 786) (Unb-CESPE/STF-analista/99) Rubrica Valores (R$) Lucro líquido 500.000,00 Reversão da reserva de lucros a realizar 250.000,00 Constituição da reserva de contingências 150.000,00 Constituição da reserva legal 25.000.00 Uma sociedade anônima com disposição estatutária estabelecendo o pagamento do dividendo anual com base em 25% do lucro líquido ajustado, de acordo com o art. 202 da Lei das SA., e que apresente os números do quadro acima será devedora de um dividendo, em reais de a) 18750,00 b) 106.250,00. c) 143.750,00. d) 156.250,00. e) 231.250,00. 787) (CESPE/TCU-1996) Na apuração do lucro líquido ajustado, previsto no artigo 202 da Lei n.º 6.404/76, para fins de cálculo do dividendo mínimo obrigatório, devem ser considerados (1) os valores de lucros a realizar, transferidos para a respectiva reserva, e os valores de lucros anteriormente registrados nessa reserva, que tenham sido realizados no exercício. (2) os valores destinados à constituição das reservas estatutárias e os valores relativos às reversões das mesmas reservas anteriormente constituídas. (3) os valores destinados à formação de reservas para contingências e a reversão das mesmas reservas formadas em exercícios anteriores. 189

(4) os valores de retenção de lucros transferidos para as reservas de lucros, bem como aqueles revertidos das respectivas reservas. (5) os valores destinados à formação das reservas de capital e as suas correspondentes reversões. 788) (CESPE/TCU-1998) Acerca da distribuição de resultados, julgue os itens que se seguem. 1 Os acionistas de sociedades por ações têm direito de receber como dividendo obrigatório, em cada exercício, a parcela dos lucros estabelecida no estatuto, ou, se este for omisso, metade do lucro líquido do exercício ajustado nos termos da Lei n.º 6.404/76. 2 A companhia somente pode pagar dividendos à conta de lucro líquido do exercício. 3 Os acionistas não são obrigados a restituir os dividendos que em boa-fé tenham recebido. 4 O estatuto da companhia poderá estabelecer o dividendo como porcentagem do lucro ou do capital social, ou fixar outros critérios para determiná-lo, desde que estes sejam regulados com precisão e minúcia e não sujeitem os acionistas minoritários ao arbítrio dos órgãos de administração ou da maioria acionária. 5 Havendo lucro líquido, o dividendo obrigatório previsto na Lei n.º 6.404/76 deverá ser pago em cada exercício social, mesmo sendo ele incompatível com a situação financeira da companhia. 789) (AFTN/ESAF/98) Feitos os lançamentos de encerramento para levantamento do Balanço Patrimonial, o Contador constatou que o saldo da conta de Resultado do Exercício apresentava saldo credor de R$ 800.000,00. Para encerrar esta conta, ele creditou Provisão p/ Imposto de Renda, em R$ 180.000,00; Participação de Empregados em R$ 12.000,00; Participação de Diretores em R$ 10.000,00; e Lucros Acumulados pelo valor restante de R$ 598.000,00. Em Lucros Acumulados, após contabilizar Reserva Legal de R$ 25.000,00; Reserva Estatutária de R$ 50.000,00; Reversão de Reserva Estatutária de R$ 10.000,00 e Reversão de Reserva de Contingências de R$ 30.000,00, o Contador calculou o dividendo mínimo obrigatório fixado na Lei 6.404/76 (art. 202) à base de 30% como previsto nos Estatutos Sociais, encontrando o valor de {P RIV AT E}a ) b) c) d) e) R$ 156.900,00

R$ 162.900,00 R$ 168.900,00 R$ 171.900,00 R$ 180.900,00

790) (AFTN/ESAF/98) Como os estatutos sociais da Empresa S/A não previam um percentual para dividendos, foi ela compelida pela Lei 6.404/76 a destinar 50% do seu lucro líquido do ano passado para esse fim. Tentando evitar percentagem tão alta de distribuição, os acionistas reuniram-se em AssembléiaGeral e fixaram nos estatutos a percentagem mínima permitida na Lei para previsão estatutária. No presente exercício a Empresa S/A apurou um lucro, ajustado nos termos do art. 202 da referida Lei 6.404/76, no valor de R$ 800.000,00, e deverá distribuir o mínimo fixado nos Estatutos, que, no caso, alcança o valor de {P RIV AT E}a ) b) c) d) e) R$ 80.000,00

R$ 200.000,00 R$ 320.000,00 R$ 160.000,00 R$ 400.000,00

791) (ESAF-CVM/2001) Balancete de final de exercício da Cia. Moliterno Débitos Créditos Caixa e Bancos 600 Contas a Receber 2.000 Estoques 700 Terrenos 3.000 Edifícios 4.500 Máquinas e Equipamentos 1.500 190

Móveis e Utensílios Custo das Mercadorias Vendidas Deduções de Vendas Despesas com Vendas Despesas Financeiras Despesas Administrativas Fornecedores Obrigações Sociais a Recolher Obrigações Tributárias a Recolher Provisões Diversas Empréstimos Bancários Capital Social Receitas de Vendas TOTAIS

800 1.300 300 400 300 500 450 150 200 100 1.000 10.000 4.000 15.900

15.900

O Capital Social é constituído de 10.000 ações ordinárias do valor de R$ 1,00 cada uma. Apurado o Lucro Líquido do Exercício, a Cia. decidiu distribuí-lo integralmente na forma de dividendos. Assim sendo, cada ação da Companhia fará jus ao dividendo de a) R$ 0,075 b) R$ 0,120 c) R$ 0,240 d) R$ 0,270 e) R$ 0,400 792) (ESAF-CVM/2001) Observando um resumo da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) publicada pela empresa Finan Cia., podemos ver que ela apurou Lucro Bruto de R$ 5.000,00, Lucro Operacional de R$ 2.100,00, Resultado do Exercício de R$ 1.500,00, antes do Imposto de Renda; Provisão para Imposto de Renda de R$ 500,00 e Lucro Líquido do Exercício após o IR de R$ 1.000,00. A empresa não tinha prejuízos acumulados, não constituiu reservas no exercício, nem sujeitou-se à contribuição social sobre o lucro. Os procedimentos contábeis de praxe contabilizaram a distribuição do lucro, exclusivamente, destinando 20% para pagamento do dividendo mínimo obrigatório previsto na lei, 20% para pagamento de participação estatutária aos administradores e 20% para pagamento de participação estatutária aos empregados. Após a contabilização, podemos constatar que a conta “Dividendos a Pagar”, que antes não tinha saldo, passou a ter saldo credor de a) R$ 120,00 b) R$ 128,00 c) R$ 160,00 d) R$ 168,00 e) R$ 200,00 793) (AFPS/CESPE-Unb/2001) Uma companhia aberta com boa situação financeira, que tenha previsto em seu estatuto social um dividendo fixo de 6% sobre o seu capital social preferencial, pode destinar apenas a parte do lucro líquido do período correspondente a essa obrigação estatutária, mesmo que essa parte seja inferior a 25% do lucro líquido ajustado nos termos do artigo 202 da Lei das Sociedades Anônimas.

794) (AGERS/RS/98) Considere os lançamentos abaixo. I - Lucros acumulados a Caixa II - Juros s/Capital próprio a Bancos III- Bancos a Dividendos IV - Caixa a Dividendos V - Dividendos a receber a Dividendos Quais deles se referem à remuneração de acionistas? 191

a) apenas o I e o II b) apenas o I, o II e o V c) apenas o II, o III e o IV d) apenas o III e o IV e) apenas o IV e o V. 795) (AGERS/RS/98) Para evitar que uma empresa distribua antecipadamente lucros que se consolidarão apenas a longo prazo, deduzem-se as parcelas desses lucros do resultado utilizando-se o lançamento: a) Resultados de exercícios futuros a Lucros a pagar a Longo Prazo b) Lucros Acumulados a Reservas de lucros a realizar c) Resultados de exercícios futuros a Lucros a realizar d) Lucros acumulados a Lucros a realizar e) Lucros acumulados a Resultados de exercícios futuros 796) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) Empresa: Indústrias Reunidas Delta S/A Data do balanço patrimonial: 31.12.92 Estatuto social: omisso, no que diz respeito ao pagamento de dividendos. Inalterado até 30.04.93. Dados para calcular o montante de dividendo obrigatório: R$ - Lucro líquido do exercício, após a Provisão para o Imposto de Renda 8.000,00 - Reservas revertidas 1) de Contingência 1.200,00 2) de Lucros a Realizar 300,00 - Reservas constituídas 3) Legal 400,00 4) de Contingência 1.700,00 5) de Lucros a Realizar 200,00 Em decorrência, os acionistas tiveram direito de receber como dividendo obrigatório o montante de: a) R$ 3.800,00 b) R$ 3.600,00 c) R$ 1.800,00 d) R$ 1.600,00 e) R$ 800,00 797) (FISCAL/ICMS/SC-1998){PRIVATE} A Cia. Alfa situa-se em um país sem inflação e sem qualquer tipo de tributação. Ela encerra seus exercícios sociais em 31 de dezembro de cada ano quando, então, o elabora as demonstrações financeiras (contábeis) previstas na Lei n 6.404/76. Em 31/dez./95, havia sido constituída uma "Reserva para Contingências" no valor de $ 1.300 a qual foi revertida em 31/dez./96, pois nesta data deixaram de existir as razões que justificaram sua constituição. Em 31/dez./96, a Diretoria autorizou a constituição de quaisquer "Reserva(s) para Contingências" que fossem necessárias. O Contador entende já ser possível proceder o "encerramento do exercício social" (ou seja, "apurar o resultado" e "destinar o resultado"). Se tal ocorrer neste momento, do confronto das receitas com as despesas já contabilizadas (e relativas a 1996), será apurado um lucro de $ 8.700. O Contador efetuará os lançamentos de apuração do resultado de 1996, obtendo um lucro líquido de $ 8.700. Depois disso, efetuará os lançamentos de destinação do resultado, dentre os quais estará o da constituição de uma "Reserva para Contingências" no valor de $ 1.100, em virtude do seguinte fato (o que a seguir narrado realmente ocorreu): Em 31/dez./96, a Cia. Alfa efetuou à vista, a venda de um lote de equipamentos por ela produzidos e que estavam registrados no seu estoque de produtos prontos. Fugindo totalmente das regras da empresa, a Diretoria garantiu ao comprador que até 31/dez./97 a Cia. Alfa arcaria com qualquer conserto nos equipamentos caso apresentassem defeitos. Quando tomou tal decisão singular, a Diretoria o fez baseada em profundo estudo técnico de diversas áreas da empresa. Tal estudo apontava o valor de $ 1.100 como sendo o mais provável que ela desembolsaria até 31/dez./97, em função da decisão. Diante do acima exposto, escolha a alternativa que aprecia adequadamente o que está contido no enunciado: a{PRIVATE}) Está correta a posição assumida pelo Contador. O lucro líquido é de $ 8.700 e deveria ser constituída a "Reserva para Contingências" de $ 1.100. 192

b) Está incorreta a posição assumida pelo Contador. O lucro líquido é de $ 7.600 e não deveria ser constituída uma "Reserva para Contingências" de $ 1.100. c) Está incorreta a posição assumida pelo Contador. O lucro líquido é de $ 7.600, deveria ser constituída a "Reserva para Contingências" de $ 1.100 e, complementarmente, deveria ser constituída uma "Provisão para Contingências" de $ 1.100. d) Está incorreta a posição assumida pelo Contador. O lucro líquido é de $ 8.900 ($ 8.700 mais $ 1.300 da reversão da "reserva para contingências" que existia menos $ 1.100 decorrentes da garantia dada em 31/dez./96). Não deveria ser constituída a "Reserva para Contingências" de $ 1.100. e) Está incorreta a posição assumida pelo Contador. O lucro líquido é de $ 8.900 ($ 8.700 mais $ 1.300 da reversão da "reserva para contingências" que existia menos $ 1.100 decorrentes da garantia dada em 31/dez./96). Complementarmente, deveria ser constituída uma "Reserva para Contingências" de $ 1.100. GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 780- A 781- A 787- C E C E E 795- B 796- B 782- C C C E C 788- C E C C E 797- B 783- D 789- E 784- C C E E E 790- B 791- B 785- E E C E E 792- B 793- E 786- C 794- A

XV - REAVALIAÇÃO DE ATIVOS 798) (CESPE/TCU-1995) A legislação comercial, em particular a aplicável às sociedades por ações, define os principais critérios de avaliação patrimonial. Com base nessa legislação, nos princípios e na doutrina contábil, julgue os itens a seguir. (1) Os imóveis classificados como "Investimentos" serão avaliados pelo custo de aquisição, ajustado, para mais ou para menos, ao valor de mercado. (2) Os empréstimos sujeitos a correção monetária serão atualizados com base no índice oficial e acrescidos de todos os encargos calculáveis até a data do vencimento. (3) As participações societárias no capital social de outras sociedades, quando ficarem caracterizados a relevância e o controle, serão avaliadas com base na equivalência patrimonial. (4) Os créditos em moeda estrangeira serão convertidos em moeda nacional, atualizados com base na variação cambial e deduzidos das provisões adequadas ao valor provável de realização. (5) As matérias-primas e outros insumos de produção serão avaliados pelo custo de aquisição, ajustado ao valor de mercado, que corresponde ao preço pelo qual possam ser revendidos. 799) (ESAF/AFTN-96) Entre os efeitos gerados pela prática de reavaliação dos Ativos está o de permitir melhor apresentação dos: a) Índices de rotatividade, de lucratividade e de rentabilidade b) Valores do patrimônio e dos índices de rotatividade c) Índices de solidez financeira e dos índices de rentabilidade d) Valores do ativo, dos índices de rotatividade e lucratividade e) Valores monetários, dos índices de rotatividade e rentabilidade 800) (ESAF/AFTN-96) O efeito da reavaliação de bens efetuados nas empresas coligadas, quando as participações societárias são avaliadas pelo método de custo: a) Não gera nenhum registro contábil na investidora b) É também registrado pela investidora imediatamente c) É registrado pela investidora no ano subsequente ao fato d) Gera o reconhecimento de receita não-operacional na investidora e) Gera um registro contábil de receita operacional na investidora 801) (ESAF/AFTN-96) A reserva de reavaliação, transferida por ocasião da incorporação, fusão ou cisão, terá na sucessora o seguinte tratamento: {PRIVATE}a) ser desconsiderada na incorporação, fusão, encampação ou cisão b) ser considerada realizada, totalmente, na apuração do lucro real c) mesmo tratamento tributário que teria na sucedida d) somente os bens comuns às duas sociedades deverão ser reconhecidos como realizados e) na fusão deve ser incluída na apuração do lucro real; na cisão e incorporação, não 802) (ESAF/AFTN-96) Quando da Reavaliação, os laudos poderão indicar que, no conjunto, o total apurado é inferior ao valor líquido contábil dos bens correspondentes. Neste caso deve-se 193

{PRIVATE}a) reconhecer, contabilmente, a redução, debitando-se a Reserva e creditando-se o Ativo Permanente b) não registrar, contabilmente, a redução e reportar o fato somente em Notas Explicativas c) reconhecer, debitando-se o Permanente e creditando-se o Patrimônio Líquido d) não reconhecer no Patrimônio Líquido e reconhecer no Permanente e) reconhecer a redução quando existirem reavaliações anteriores ainda não realizadas 803) (ESAF/AFTN-96) Quando uma sociedade coligada ou controlada proceder à reavaliação, a investidora, que avalia esse investimento pelo método da equivalência patrimonial, deverá efetuar o seguinte lançamento contábil: {PRIVATE}a) Débito de Ativo Permanente e crédito de Lucros e Perdas b) Débito de Ativo Permanente e crédito de Exigível a Longo Prazo c) Crédito de Ativo Permanente e débito de Lucros e Perdas d) Débito de Ativo Permanente e crédito de Patrimônio Líquido e) Débito de Ativo Permanente e crédito de Resultado de Exercícios Futuros 804) (ESAF/AFTN-96) Em 31/12/1991 a Cia ABC tinha registrado em seu Ativo Imobilizado um Equipamento no valor de $.5.000.000 e uma Depreciação Acumulada de $.2.800.000 . Se na mesma data o bem foi reavaliado em $.6.200.000, o valor inscrito na Reserva de Reavaliação foi de: a) $.1.200.000 b) $.4.000.000 c) $.6.200.000 d) $.2.800.000 e) $.9.000.000 805) (ESAF/AFRF-2001) Quando os laudos de avaliação indicarem que, no conjunto, o total apurado é inferior ao valor contábil dos ativos imobilizados, deve ser observado o seguinte procedimento. a) Quando de uma primeira reavaliação ou quando não houver saldo na reserva de reavaliação não cabe o reconhecimento do efeito negativo. b) Quando houver saldo na reserva de reavaliação o efeito negativo deve ser reconhecido, creditando-se a reserva de reavaliação no patrimônio líquido e debitando-se o valor da reavaliação no Ativo Permanente imobilizado. c) O reconhecimento do ativo deve ser feito com um lançamento de débito no ativo imobilizado e de crédito em uma reserva de lucro. d) Quando de uma primeira reavaliação ou quando não houver saldo na reserva de reavaliação cabe o reconhecimento do efeito negativo. e) Quando houver saldo na reserva de reavaliação o efeito negativo deve ser reconhecido, creditando-se a reserva de reavaliação no patrimônio líquido e debitando-se imposto de renda diferido. GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 798- E E C C E 799- B 800- A 801- C 802- A 803- D 804- B 805- A

194

XVI - AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTOS 806) (ESAF/AFTN-96) Segundo o texto da Lei Societária, os direitos e títulos de crédito não classificáveis como Investimentos Permanentes devem ser avaliados pelo: a) Custo de aquisição ou valor de mercado, dos dois o menor b) Valor de reposição ou valor de mercado, dos dois o menor c) Valor de realização ou pelo custo histórico, dos dois o menor d) Custo de aquisição deduzidas as despesas para realização e) Valor corrigido de realização ou valor reposição corrigido 807) (ESAF/AFTN-98) De acordo com a Lei 6.404/76 os investimentos, classificados como temporários, deverão ser avaliados pelo {P valor presente do fluxo de caixa futuro RIV AT E}a ) b) custo histórico de aquisição c) valor de realização futura d) valor de reposição e) custo de aquisição ou mercado, dos dois o menor 808) (ESAF/AFTN-96) As ações adquiridas no mercado de balcão poderão ser classificadas como: a) Ativo permanente desde que não ocorra flutuação de preços durante 2 exercícios subsequentes b) Ativo circulante desde que ocorra flutuação de preços e a intenção seja de tornar-se acionista da entidade c) Realizável a longo prazo desde que não ocorra flutuação de preços durante 2 exercícios subsequentes d) Ativo permanente desde que a aquisição não seja efetuada com a intenção de participar da sociedade e) Ativo circulante desde que a aquisição seja efetuada com a intenção de não participar da sociedade 809) (ESAF/AFRF-2001) Os direitos de qualquer natureza, não classificáveis no Ativo Circulante, e que não se destinem à manutenção da atividade da companhia ou da empresa, segundo o texto da Lei 6.404/76, são classificados como: a) Disponibilidades b) Contas a Receber c) Investimentos d) Imobilizados e) Diferido 810) (ESAF/AFRF-2001) O critério da avaliação contábil a ser aplicado aos títulos de crédito, e a quaisquer valores mobiliários não classificados como Investimentos Permanentes é: a) Custo ou mercado dos dois o menor b) Custo histórico como base de valor c) Custo corrente ou o de reposição d) Custo de Realização acrescido dos rendimentos e) Custo original como base de valor 811) (ESAF/AFRF-2001) Aplicações em Investimentos Temporários que apresentem características de liquidez imediata são classificadas no Ativo como: a) Valores Realizáveis b) Investimentos c) Não Circulante d) Permanente e) Disponível 703)(ESAF/AFTN-96) São métodos de avaliação das Participações Societárias: a) Método de Custo e Custo ou Mercado, dos dois o menor b) Método do Valor Presente e Equivalência Patrimonial c) Método do Custo e Equivalência Patrimonial d) Método do Valor de Realização e Equivalência Patrimonial 195

e) Método do Valor de Realização e Valor Presente

196

813) (ESAF/AFTN-1994/setemb.) nas sociedades anônimas devem ser avaliados pelo custo de aquisição mais a correção monetária (com base nos índices de desvalorização da moeda nacional reconhecidos pelas autoridades federais), menos a provisão para perdas prováveis na realização do seu valor, quando essa perda estiver comprovada como permanente, os investimentos em: a) marcas, patentes e outros bens intangíveis b) participações permanentes no capital social de outras sociedades, exceto as coligadas e controladas c) veículos, móveis e utensílios, equipamentos e instalações d) ativos diferíveis durante a fase anterior ao início das operações e) estoques dos imóveis destinados à revenda ou utilizados no processo produtivo.

814) (ESAF/AFTN-96) O efeito da reavaliação de bens efetuados nas empresas coligadas, quando as participações societárias são avaliadas pelo método de custo: a) Não gera nenhum registro contábil na investidora b) É também registrado pela investidora imediatamente c) É registrado pela investidora no ano subsequente ao fato d) Gera o reconhecimento de receita não-operacional na investidora e) Gera um registro contábil de receita operacional na investidora

815) (ESAF/AFRF-2001) O método da Equivalência Patrimonial reconhece, na investidora, as alterações ocorridas nas empresas investidas quando estas afetarem: a) O Ativo Circulante das Controladas e Coligadas. b) O Ativo Permanente das empresas Controladas. c) Os ativos não circulantes das companhias Investidas. d) O Patrimônio Líquido das empresas Investidas. e) O Passivo Exigível de Longo Prazo das Investidas. 816) (ESAF/AFTN-98) Os resultados decorrentes de avaliação de investimento no exterior, pelo método da equivalência patrimonial, terão o seguinte tratamento: {PR não serão reconhecidos na apuração do resultado IVA TE} a) b) se negativos, não serão reconhecidos c) serão reconhecidos até o limite do valor de realização d) serão reconhecidos pelo método do custo e) receberão o mesmo tratamento dado aos investimentos locais 817) (ESAF/AFTN-98) Na determinação da equivalência patrimonial, os lucros não realizados, referentes a negócios entre coligada ou controlada com a investidora, deverão ser {PR incluídos no PL da investida IVA TE} a) b) incluídos no PL da investida e investidora c) excluídos do PL da investida d) incluídos no Ativo da investida e) excluídos do Passivo da investidora 818) (ESAF/AFRF-2001) De acordo com a Instrução CVM 247/96, para determinação do cálculo do valor do Investimento e o respectivo cálculo da equivalência patrimonial não são excluídos a) os prejuízos decorrentes de transações com a investidora, coligadas e controladas b) os resultados obtidos em transações realizadas com controladas indiretas e coligadas equiparadas c) todos os resultados apurados em venda de imobilizados e transferência de realizáveis ocorrida entre controladas, coligadas e a investidora d) os lucros apurados em operações de venda de Imobilizados das empresas coligadas efetivas para a investidora e) quaisquer resultados obtidos em transações efetuadas entre investidora, coligadas e controladas 197

819) (ESAF/AFRF-2001) De acordo com a Lei das S/A. n 6.404/76, Art. 247, considera-se relevante o investimento: a) Em cada sociedade coligada ou controlada, se o valor contábil é igual a 5% do valor do patrimônio líquido da companhia investidora. b) No conjunto das sociedades coligadas e controladas, se o valor corrente é igual ou superior a 20% do valor do patrimônio líquido da companhia investidora. c) Em cada sociedade coligada ou controlada, se o valor contábil é igual ou superior a 10% do valor do patrimônio líquido da companhia investidora. d) No conjunto das sociedades coligadas e controladas, se o valor de mercado é igual ou superior a 25% do valor do patrimônio líquido da companhia investidora. e) Em cada sociedade coligada ou controlada, se o valor de realização é igual ou superior a 15% do valor do patrimônio líquido da companhia investidora. 820) (CESPE/TCU-1998) De acordo com a Instrução CVM n.º 247, de 27 de março de 1996, que dispõe, entre outras coisas, a respeito da avaliação de investimentos em sociedades coligadas e controladas, julgue os itens abaixo. (1) O valor contábil do investimento relevante e influente em coligada ou controlada abrange o custo de aquisição mais a equivalência patrimonial e o ágio não-amortizado, deduzidos o deságio não-amortizado e a provisão para perdas. (2) O investimento em controlada deve ser avaliado pelo método da equivalência patrimonial. (3) É considerada exemplo de evidência de influência na administração da coligada a significativa dependência tecnológica e/ou econômico-financeira. (4) O investimento em sociedade coligada ou controlada, cuja venda por parte da investidora, em futuro próximo, tenha efetiva e clara evidência de realização, deixará de ser avaliado pelo método da equivalência patrimonial, imediatamente após a decisão de venda. (5) O investimento em coligada que, por redução do valor contábil do investimento, deixar de ser relevante, deixará de ser avaliado pela equivalência patrimonial, mesmo que a redução não seja considerada de caráter permanente. 821) (ESAF/AFTN-96): Em qual das situações a seguir pode-se dizer que uma companhia é controlada: a) Quando a Investidora elege um dos membros do Conselho de Administração b) Quando a investidora e a investida atuam no mesmo mercado fabricando o mesmo produto c) Quando Investida e Investidora pertencem ao mesmo grupo empresarial d) Quando é dona da patente da tecnologia explorada pela Investida e) Quando um dos acionistas da empresa possui 10% do capital preferencial 822) (AFRF-2001) A empresa Lua S.A. apresentou valores não circulantes ou permanentes, com os seguintes saldos: Contas: Saldos Ações de Coligadas R$ 2.000,00 Ações de Controladas R$ 5.000,00 Ações em Outras Cias. R$ 1.000,00 Gastos Pré-operacionais R$ 200,00 Marcas e Patentes R$ 400,00 Móveis e Utensílios R$ 800,00 Provisão para Perdas em Investimentos R$ 100,00 Veículos R$ 1.200,00 Observações: - não há contabilização de correção monetária - não houve nenhuma movimentação no saldo das contas - apenas a participação em controladas é avaliada por equivalência patrimonial - as participações acionárias são: PA de 40% em controladas; PA de 20% em coligadas; e PA de 10% em outras companhias. - as controladas apuraram lucro líquido de R$ 1.000,00 e distribuíram dividendos de R$ 200,00; - as coligadas apuraram lucro líquido de R$ 1.000,00 e distribuíram dividendos de R$ 200,00. Contabilizando-se os ajustes necessários ao balanço, no fim do exercício, vamos encontrar essa empresa com um Ativo Permanente no valor de a) R$ 10.860,00 b) R$ 10.980,00 c) R$ 10.620,00 198

o

d) e)

R$ 10.900,00 R$ 10.820,00

823) (ESAF/AFTN-98) A Cia. Continental é uma empresa de capital aberto com investimentos em 4 outras empresas, sendo o valor contábil de seus investimentos, em 31.12.19x7, o seguinte: {PRIVATE}na R$ 50.000 - representa 8% do capital da empresa "A"; Cia. A na Cia. B R$ 100.000 - representa 15% do capital da empresa "B"; na Cia. C R$ 150.000 - representa 25% do capital da empresa "C"; na Cia. D R$ 500.000 - representa 40% do capital da empresa "D". O Patrimônio Líquido da Cia. Continental na mesma data é R$ 5.000.000. As Participações Societárias que deverão ser avaliadas pelo método da equivalência patrimonial são as das Cias: {PR B, C, D IVA TE} a) b) B, C, D c) A, B, C d) A, C, D e) A, B, C, D Utilizando apenas as informações contidas na tabela abaixo, responda às questões 524 e 825. Quadro de composição acionária da CIA ITARARÉ nas companhias Mauá e Rondon: Composição do Capital Empresas Cia. Cia. Outros Total Itararé Caxias Acionistas de ações Cia. Mauá 2.000 4.000 4.000 10.000 Cia. Rondon 16.000 2.000 2.000 20.000 Cia. Caxias 35.000 -----15.000 50.000 824) (ESAF/AFRF-2001) A Cia. Itararé tem uma participação total nas investidas na seguinte ordem: a) 67% na Cia. Rondon, 30% na Cia. Caxias e 40% na Cia. Mauá b) 70% na Cia. Rondon, 70% na Cia. Caxias e 38% na Cia. Mauá c) 70% na Cia. Rondon, 70% na Cia. Caxias e 20% na Cia. Mauá d) 87% na Cia. Rondon, 70% na Cia. Caxias e 48% na Cia. Mauá e) 10% na Cia. Rondon, 70% na Cia. Caxias e 40% na Cia. Mauá 825) (ESAF/AFRF-2001) O percentual de participação indireta da Cia. Itararé nas empresas Mauá e Rondon é: a) 18% na Cia. Mauá e 77% na Cia. Rondon b) 28% na Cia. Mauá e 20% na Cia. Rondon c) 28% na Cia. Mauá e 7% na Cia. Rondon d) 8% na Cia. Mauá e 28% na Cia. Rondon e) 7% na Cia. Mauá e 70% na Cia. Rondon 826) (ESAF/AFRF-2001) De acordo com a Instrução 247/96 da CVM, são consideradas participações societárias equiparadas às coligadas quando uma sociedade participa da outra a) com 5% ou mais do capital votante e mais de 20% do Exigível a Longo Prazo sem, entretanto, ocorrer dependência financeira b) com 5% do capital votante sem, entretanto, controlá-la, independentemente da participação total do capital da investida c) com 10% ou mais do capital total da investida sem, entretanto, controlá-la, independentemente da participação total no Exigível da investida d) com 10% ou mais do capital votante exercendo o controle econômico e administrativo, independentemente da participação total do capital da investida e) com 10% ou mais do capital votante sem, entretanto, controlá-la, independentemente da participação total do capital da investida 827) (ESAF/AFRF-2001) O ágio na compra de investimento avaliado pelo método da equivalência patrimonial é determinado pelo valor pago que exceder 199

a) b) c) d) e)

ao valor do capital da investidora. ao valor de cotação em bolsa. ao valor do capital da investida. ao valor patrimonial da ação. ao valor do capital e reservas de capital da investida.

Responda às questões 828 a 832, utilizando os dados do enunciado a seguir: 0 Em 1 de janeiro de 19x8, a Cia. Alfa pagou R$ 700.000 por 100.000 ações que representavam 30% das ações da Cia. Beta. O ágio pago pela Cia. Alfa será amortizado em 10 anos. Em 31 de dezembro de 19x8, 0 a Cia. Beta apresentou um lucro do exercício 19x8 de R$ 300.000. Em 1 de julho de 19x8, a empresa Beta pagou, em caixa, dividendos de R$ 100.000. A Cia. Alfa exerce significativa influência sobre a Cia. Beta e avalia seus investimentos pelo método da equivalência patrimonial. O valor apurado como Lucros e Prejuízos de Participações em outras Sociedades reportado pela Cia. Alfa foi de R$ 80.000 em 31.12.19x8. 828) (ESAF/AFTN-98) O valor do ágio pago por Alfa, por ocasião da aquisição das ações da Cia. Beta, foi de {PR R$ 100.000,00 IVA TE} a) b) R$ 30.000,00 c) R$ 90.000,00 d) R$ 80.000,00 e) R$ 60.000,00 829) (ESAF/AFTN-98) Ao final do exercício de 19x8, o valor apurado na aplicação da Equivalência Patrimonial foi de {PR R$ 30.000,00 IVA TE} a) b) R$ 60.000,00 c) R$ 100.000,00 d) R$ 80.000,00 e) R$ 90.000,00 830) (ESAF/AFTN-98) O valor registrado na Conta Participações Permanentes em Outras Sociedades pela Cia. Alfa foi de {PR R$ 700.000,00 IVA TE} a) b) R$ 300.000,00 c) R$ 600.000,00 d) R$ 900.000,00 e) R$ 800.000,00 831) (ESAF/AFTN-98) O valor nominal unitário das ações adquiridas da Cia. Beta foi de {PR R$ 8,00 IVA TE} a) b) R$ 9,00 c) R$ 2,00 d) R$ 6,00 e) R$ 3,00 832) (ESAF/AFTN-98) O valor do ágio amortizado, ao final do exercício de 19x8, pela Cia. Alfa foi de {PR R$ 10.000,00 200

IVA TE} a) b) c) d) e)

R$ 90.000,00 R$ 70.000,00 R$ 30.000,00 R$ 60.000,00

833) (ESAF/AFTN-98) Na aquisição de Participação Societária relevante, o custo de aquisição deve ser registrado, desdobradamente, em valor {PR pago dentro do exercício e a pagar no exercício seguinte IVA TE} a) b) conta de Ativo e de Patrimônio Líquido c) de Participação Societária e de ágio ou deságio na aquisição d) de mercado do investimento e de realização futura e) de lucros esperados e perdas não-recuperáveis 834) (ESAF/AFRF-2001) A contabilização do ágio/deságio verificado no processo de incorporação de controladora por sua controlada quando o fundamento econômico tiver sido a expectativa de resultado futuro, é feita: a) a débito de conta específica do ativo imobilizado quando se tratar de ágio b) a crédito de conta especifica do ativo diferido quando se tratar de deságio c) a débito de conta específica do ativo diferido quando se tratar de ágio d) a crédito de conta específica do ativo imobilizado quando se tratar de ágio e) a crédito de conta específica do ativo imobilizado quando se tratar de deságio 835) (TRT-4ª/ANAL.JUD.-2001) A controladora detém 60% do capital da investida, que teve no exercício um lucro de 5 000 e lhe atribuiu lucros acumulados de 2 000, resultando em acréscimo do valor desse seu investimento: a) 1 000 b) 1 800 c) 3 000 d) 5 000 e) 7 000 836) (ESAF/AFTN-96) Quando a Participação Societária for relevante, o efeito gerado por prejuízos apurados na investida deve ser registrado pela empresa controladora da seguinte forma : a) Lucros / Prejuízos Acumulados a Participações Societárias b) Participações Societárias a Lucros / Prejuízos Acumulados c) Lucros / Prejuízos Acumulados a Participação nos Resultados de Coligadas e Controladas d) Participação nos Resultados de Coligadas e Controladas a Lucros / Prejuízos Acumulados e) Participação nos Resultados de Coligadas e Controladas a Participações Societárias 837) (ESAF/AFTN-96) Nas participações Societárias relevantes, os dividendos pagos pelas investidas são tratados como: a) Receitas não operacionais b) Resultados de exercícios futuros c) Receitas operacionais do período d) Redução do valor dos investimentos e) Resultado positivo de equivalência Em 31.12.1994 os balancetes finais das Cias. PARÁ e SERGIPE eram os seguintes : CIA. PARÁ CIA. SERGIPE Contas Saldos Saldos Ajustados Ajustados Ativo Circulante 12.000 5.000 Ativo Realizável a Longo Prazo 18.000 --Ativo Permanente Investimentos 30.000 --Imobilizado Líquido 110.000 49.000 201

Passivo Circulante 25.000 15.000 Passivo Exigível a Longo Prazo 15.000 5.000 Patrimônio Líquido: Capital 80.000 50.000 Reservas 10.000 1.000 Lucros/Prejuízos Acumulados 20.000 (14.000) Despesas Operacionais 60.000 45.000 Receitas Operacionais 80.000 42.000 Outras informações: I - para apuração dos resultados de 1994, das empresas, falta apenas a avaliação dos Investimentos Permanentes. II - a Cia PARÁ detinha 60% do capital da Cia. SERGIPE e constituía-se na única participação societária da empresa . III - a inflação no período foi ZERO IV - até o exercício contábil de 1993 os investimentos não eram avaliados pela equivalência patrimonial Com base nas informações anteriores, identifique a resposta correta para as questões de números 729 a 731. 838) (ESAF/AFTN-96) Aplicando o método da equivalência patrimonial, o valor correto dos Investimentos Permanentes na Cia PARÁ seria: a) $30.000 b) $20.400 c) $ 9.600 d) $22.000 e) $ 1.800 839) (ESAF/AFTN-96) O resultado apurado na aplicação da equivalência patrimonial deveria ser lançado pela Cia. PARÁ como: a) Lucros/ Prejuízos Acumulados - Ajustes de Exercícios Anteriores 7.800 Outras Despesas Operacionais - Lucros e Prejuízos de Participações em outras Companhias 1.800 a Investimentos 9.600 b) Provisão para Perdas com Investimentos Permanentes 9.600 a receitas não Operacionais - Ganhos c/ Investimentos 7.800 a Investimentos 1.800 c) Lucros / Prejuízos Acumulados - Ajustes de Exercícios Anteriores 1.800 Outras Despesas Operacionais Lucros e Prejuízos de Participações em outras Companhias 7.800 a Investimentos 9.600 d) Ganhos / Perdas com Alienação de Investimentos 7.800 Despesas não-operacionais - Lucros e Prejuízos de Participações em outras Companhias 1.800 a Investimentos 9.600 e) Investimentos 1.800 Despesas não-operacionais - Lucros e Prejuízos de Participações em outras Companhias 7.800 a Ganhos e Perdas c/ Investimentos 9.600 840) (ESAF/AFTN-96) Considerando o valor apurado na equivalência patrimonial, o Resultado do Exercício de 19x4 da Cia. PARÁ é: a) $.24.200 b) $.10.400 c) $.12.200 d) $.22.200 e) $.18.200 841) (ESAF/AFTN-96) A figura contábil do ágio pode ocorrer por origens e circunstâncias diversas, entre elas a expectativa: a) De rentabilidade futura da Participação Societária adquirida b) Das despesas futuras da Participação Societária adquirida c) De o valor do Imobilizado Líquido da empresa investida tender para zero d) De prejuízos futuros da Participação Societária adquirida e) De o Patrimônio Líquido da empresa investida ser negativo 842) (ESAF/TCU-2000) A empresa Cia. Aços Especiais investiu R$ 200.000,00 em ações da empresa S.A. Armamentos Gerais e contabilizou o investimento em “Ações de Coligadas”, constituindo uma participação acionária de 30%, a ser avaliada pelo método da equivalência patrimonial. 202

No fim do exercício de 1999 a S.A. Armamentos Gerais contabilizou um lucro líquido anual de R$ 20.000,00 e destinou 25% desse lucro para dividendos na forma do lançamento abaixo: Lucros (ou Prejuízos) Acumulados a Dividendos a Pagar Valor que ora se distribui aos acionistas ............R$ 5.000,00. Ao receber a comunicação sobre os dividendos propostos e contabilizados na forma acima, o Contador da empresa investidora, Cia. Aços Especiais, deverá promover o seguinte lançamento: a) b) c) d) e) Dividendos a Receber a Receitas de Dividendos Ações de Coligadas a Receitas de Dividendos Dividendos a Receber a Ações de Coligadas Dividendos a Receber a Receitas de Dividendos Ações de Coligadas a Receitas de Dividendos R$ 1.500,00 R$ 1.500,00 R$ 1.500,00 R$ 5.000,00 R$ 6.000,00

843) (AFTN/ESAF/98) A empresa Dona S/A possui capital social formado por 2 milhões de ações. Nós, a empresa Sócia S/A, possuímos 30% desse capital e avaliamos o nosso investimento pelo método da Equivalência Patrimonial. No fim do exercício social a empresa Dona S/A, tendo apurado lucro líquido de R$ 300.000,00, resolveu contabilizar a distribuição de dividendos calculados em 40% deste lucro. O nosso Contador, ao ser comunicado deste fato, promoveu o seguinte lançamento no Diário da empresa Sócia S/A, para registrar o dividendo a ela distribuído: Dividendos a Receber b) a Receitas de Dividendos Pelo valor que nos cabe como acionista R$ 36.000,00 c) Investimentos Permanentes Ações da Empresa Dona S/A a Receita da Equivalência Patrimonial Pelo valor que nos cabe como acionista R$ 90.000,00 d) Dividendos a Receber a Receitas de Dividendos Pelo valor que nos cabe como acionista R$ 90.000,00 e) Dividendos a Receber a Investimentos Permanentes a Ações da Empresa Dona S/A Pelo valor que nos cabe como acionista R$ 36.000,00 844) (ESAF/AFTN-98) Quando uma sociedade coligada ou controlada proceder à reavaliação, a investidora, que avalia esse investimento pelo método da equivalência patrimonial, deverá efetuar o seguinte lançamento contábil: {PR Débito de Ativo Permanente e crédito de Lucros e Perdas IVA TE} a) b) Crédito de Ativo Permanente e débito de Lucros e Perdas c) Débito de Ativo Permanente e crédito de Patrimônio Líquido d) Débito de Ativo Permanente e crédito de Exigível a Longo Prazo e) Débito de Ativo Permanente e crédito de Resultado de Exercícios Futuros 845) (ESAF/AFTN-96) Quando uma empresa controladora faz reavaliação de seus bens, a empresa investidora deve registrar: a) O fato apenas juridicamente e evidenciá-lo nas Notas Explicativas na ocasião da publicação do seu balanço b) Contabilmente a parcela correspondente ao percentual de participação como contrapartida de receita realizada no período c) Contabilmente a parcela correspondente ao percentual de participação como contrapartida de receita de exercícios futuros d) Contabilmente a parcela correspondente ao percentual de participação como contrapartida de reserva de reavaliação e) Contabilmente a parcela correspondente ao percentual de participação de redução do valor do investimento 203

846) (ESAF/AFRF-2001) Em um investimento avaliado pelo método da equivalência patrimonial, a constituição da Reserva de Reavaliação de Ativo Imobilizado na investida origina o seguinte lançamento na investidora: a) Débito de “Ativo Permanente - Investimentos”, subgrupo “Reserva de Reavaliação de Coligadas e Controladas” e crédito de “Resultado do Exercício”, subgrupo “Resultado Apurado na Equivalência Patrimonial”. b) Débito do “Patrimônio Líquido” subgrupo “Reserva de Reavaliação de Coligadas e Controladas” e crédito do “Ativo Permanente” subgrupo “Reserva de Reavaliação de Coligadas e Controladas”. c) Débito de “Resultado do Exercício” subgrupo “Resultado da Equivalência Patrimonial” e crédito de “Ativo Permanente” subgrupo “Investimentos Avaliados pela Equivalência Patrimonial”. d) Débito de “Ativo Permanente – Imobilizado” e crédito do “Patrimônio Líquido” subgrupo “Reserva de Reavaliação de Coligadas e Controladas”. e) Débito de “Ativo Permanente - Investimentos” subgrupo “Investimentos Avaliados pela Equivalência Patrimonial” e crédito no “Patrimônio Líquido” subgrupo “Reserva de Reavaliação de Coligadas e Controladas”. 847) (ESAF/AFRF-2001) Todas as opções abaixo descritas são transações entre partes relacionadas, exceto: a) compras ou vendas de produtos/serviços, realizadas pela controladora, que constituem o objeto social da empresa controlada b) avais, fianças e hipotecas, depósitos e outras garantias concedidas a empresas de acionistas controladores c) direitos de preferência à subscrição de valores mobiliários de empresas coligadas em condições favorecidas d) quaisquer transferências não remuneradas efetuadas com empresas pertencentes ao mesmo grupo econômico e) alienação ou transferência de direitos de propriedade industrial realizada sem qualquer tipo de benefício ou dependência 848) (ESAF/AFRF-2001) Em circunstâncias que determinem situações que configurem a existência de perdas já previstas mas não contabilizadas pelas coligadas ou controladas, deve ser constituída uma provisão para perdas em Investimentos. Sobre esse assunto a Instrução CVM 247/96, em seu artigo 12 inciso II, estabelece como perdas potenciais a) responsabilidade formal ou operacional para cobertura de passivo a descoberto e tendência de perecimento de investimento b) tendência de perecimento do investimento e elevado risco de paralisação de operações de coligadas e controladas c) eventos que resultarem em perdas não provisionadas pelas coligadas ou controladas em suas demonstrações contábeis d) elevado risco de paralisação de operações de coligadas e controladas e responsabilidade formal ou operacional para cobertura de passivo a descoberto e) perdas decorrentes de sinistros já ocorridos e ainda não registradas contabilmente pela controlada ou coligada

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DETE CAPÍTULO 806- A 816- E 825- C 835- A 845- D 807- E 817- C 826- E 836- E 846- E 808- E 818- A 827- D 837- D 847- E 809- C 819- C 828- A 838- A 848- B 810- A 811- E 820- C C C E E 829- E 830- C 839- A 840- E 812- C 821- D 831- D 841- A 813- B 822- E 832- A 842- C 814- A 823- A 833- C 843- E 815- D 824- D 834- C 844- C

XVII - REORGANIZAÇÃO DE SOCIEDADES 849) (ESAF/AFTN/96) A operação pela qual uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que lhes sucede em todos os direitos e obrigações, é chamada de a) Fusão b) Consórcio c) Incorporação d) Cisão e) Monopólio 204

850) (ESAF/AFTN/98) No processo de incorporação, uma das preocupações é garantir uma participação justa dos acionistas tanto da incorporadora quanto da incorporada no novo Patrimônio Líquido que surge. As opções abaixo representam procedimentos que garantirão esta justa participação, exceto {PRIVATE}a) proceder ao levantamento do Balanço Patrimonial contábil na mesma data-base e com os mesmos critérios contábeis para ambas as empresas b) proceder à incorporação pelos valores contábeis originais da data-base c) o aumento de capital na incorporadora tomará por base um preço de emissão das ações igual ao valor patrimonial d) proceder à contabilização das diferenças oriundas das avaliações e) proceder, através de peritos, à avaliação patrimonial de ambas as empresas aos seus valores de mercado, com base nos mesmos critérios de avaliação dos Ativos e Passivos 851) (ESAF/AFRF-2001) De acordo com a Lei 6.404/76 - Lei das S/A., incorporação é operação pela qual a) se unem duas ou mais sociedades para formar sociedade nova que lhes sucederá em todos os direitos e obrigações. b) uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que lhes sucede em todos os direitos e obrigações. c) a companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades, constituídas para esse fim, ou já existentes, extinguindo-se a companhia cindida, se houver versão de todo o seu patrimônio, e dividindo-se o seu capital, se parcial a versão. d) se unem duas ou mais sociedades sem formar uma sociedade nova. e) a companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades, sem extinguir a sociedade cindida. 852) (CESPE/Unb-TEC/CEF/2000) As ações de uma companhia aberta apresentaram uma forte queda na bolsa de valores em razão da divulgação de uma reorganização societária, segundo a qual ela incorporaria oito outras empresas. O patrimônio líquido da empresa resultante seria formado pela soma do patrimônio líquido de todas as empresas envolvidas no processo de incorporação, linha por linha, de maneira a não alterar a situação de reservas, e a relação de troca entre as ações seria feita com base no valor patrimonial CONTÁBIL delas, apurado ao final do mês imediatamente anterior ao da aprovação da incorporação pela assembléia geral extraordinária convocada para tratar desse assunto. Como cada empresa envolvida nessa incorporação não possuía qualquer participação acionária nas demais empresas participantes desse processo, poder-se-ia deduzir que a nova situação e as perspectivas de resultados futuros, conseqüências da reorganização, não teriam sido bem-vistas pelo mercado de valores mobiliários, especialmente pelos investidores. As razões podem ser inúmeras, como eventuais ativos ruins das empresas a serem incorporadas, dívidas elevadas dessas empresas etc. Nessa situação, a alternativa de incorporação que, talvez, pudesse ser mais bem-vista pelo mercado seria com a relação de trocas das ações feita com base no valor de mercado destas e não com base no valor patrimonial contábil. A partir da situação hipotética apresentada, julgue os itens abaixo. (1) De acordo com a legislação de regência a sociedade incorporadora acima descrita é uma sociedade por ações. (2) Na incorporação societária citada, todos os ativos e passivos das empresas envolvidas podem ser aglutinadas, exceto o capital social. (3) Após essa incorporação societária, eventuais dívidas e créditos entre as empresas envolvidas, anteriores ao ato de incorporação, seriam automaticamente anulados. (4) No processo relatado, os acionistas/sócios majoritários das empresas incorporadas passam a ser acionistas/sócios da empresa incorporadora, mas os acionistas minoritários não poderiam ter essa opção, segundo a legislação de regência. (5) Em face da situação descrita, todos os lançamentos de incorporação deveriam ser feitos no livro diário da incorporadora. 853) (ESAF/AFTN/98) Incorporação é a operação pela qual uma (um) {PRIVATE}a) empresa adquire mais de 50% do controle acionário de outra do mesmo grupo b) empresa une seu patrimônio a outra formando uma terceira c) edifício é construído por uma empresa em um terreno previamente cedido pela outra d) empresa transfere a totalidade do Patrimônio para outra que a sucede em direitos e obrigações e) empresa passa a ter acionistas comuns a uma outra empresa 854) (ESAF/AFTN/96) O procedimento que deve ser observado no processo de fusão de sociedade é: a) a nomeação dos peritos que avaliarão os patrimônios das sociedades deve ser feita apenas pela Assembléia Geral de Acionistas da companhia fundida b) a exigência de entrega pela entidade que será fundida dos Balanços Patrimoniais e das Demonstrações de Resultado de Exercício dos últimos 5 anos. c) a nomeação dos peritos que Avaliarão os patrimônios das sociedades feita apenas pela Assembléia Geral de Acionistas da companhia adquirente do Patrimônio d) a exigência de entrega pela entidade que será fundida dos Balanços Patrimoniais e das Demonstrações das Mutações Patrimoniais dos últimos 3 anos 205

e) a nomeação dos peritos que avaliarão os patrimônios das sociedades envolvidas deve ser feita pela Assembléia Geral que aprovar o protocolo da operação da fusão 855) (ESAF/AFTN/98)As empresas A, B e C encerram suas atividades através de uma fusão, transferindo seu Patrimônio Líquido para a formação de uma nova empresa denominada "D". Cada uma das empresas possui dois sócios com igual participação no Capital. O Patrimônio Líquido de cada empresa antes da fusão era: {PRIVATE}Patrimônio Líquido A B C Capital 760 720 2.880 Lucros Acumulados 200 0 0 Reserva de Lucro 0 240 0 As empresas A e B aumentaram seu Capital antes da fusão, utilizando os saldos de Lucros Acumulados e Reserva de Lucro. A participação, individual, dos sócios da empresa B após a fusão é equivalente a {PRIVATE}a) R$ 1.440,00 para cada um b) 10% do total c) 30% do total d) 50% do total e) R$ 380,00 para um e R$ 1.360,00 para outro 856) (ESAF/AFTN/98)Com relação às reorganizações societárias mediante os processos de incorporações, fusões ou cisões, podemos afirmar que todas as opções abaixo são corretas, exceto {PRIVATE}a) fusão é a operação pela qual se unem duas ou mais sociedades para formar sociedade nova, que as sucederá em todos os direitos e obrigações b) uma companhia emissora de debêntures em circulação ficará sempre obrigada à prévia autorização dos debenturistas sob pena de nulidade da incorporação, fusão ou cisão c) cisão é a operação pela qual a companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades, constituídas para esse fim, ou já existentes, extinguindo-se a companhia cindida, se houver versão de todo o seu patrimônio, e dividindo-se o seu capital, se parcial a versão d) interesses de natureza societária entre quotistas ou acionistas são fatores importantes a serem contemplados no processo de reorganização e) incorporação é a operação pela qual uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que a sucede em todos os direitos e obrigações

857) (INSS/CESPE-98) Fusão, incorporação e cisão são modalidades de reorganização de sociedades, previstas em lei, que permitem às empresas, a qualquer tempo, promover as reformulações que forem apropriadas, atendendo a diversos objetivos. Acerca desse assunto, julgue os itens abaixo. (1) Um processo de incorporação, fusão ou cisão, antes de se efetivar, requer que os órgãos da administração ou sócios das sociedades interessadas firmem um protocolo, que incluirá os critérios e as principais bases de efetivação da modalidade de reorganização a ser implementada. (2) Até sessenta dias após publicados os atos relativos à incorporação ou fusão. o credor por ela prejudicado poderá pleitear judicialmente a anulação da operação. (3) Incorporação é a operação pela qual se unem duas ou mais sociedades para formar sociedade nova, que lhes sucederá em todos os direitos e obrigações. (4) Fusão é a operação pela qual a companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades. constituídas para esse fim, ou já existentes, extinguindo-se a companhia fusionada, se houver versão de todo o seu patrimônio, e dividindo-se o seu capital, se a versão for parcial. (5) Na incorporação, fusão ou cisão, a contabilidade pode adotar o critério de avaliação dos ativos a valores de saída, na base de liquidação forçada, decaindo os princípios de contabilidade, a menos que se trate de companhia aberta, com ações negociadas em bolsa de valores. 858) (CESPE/TCU-1995) A(Lei nº 6.404/76). Tomando por a fusão e a cisão são reguladas pela Lei das Sociedades por Ações transformação, a incorporação, base a legislação sobre a matéria, julgue os seguintes itens. (1) Havendo incorporação da sociedade B pela A, os sócios da B participarão do decorrente aumento de capital na A, na proporção das participações que detinham na B. (2) Se as sociedades A, B e C se fundem, desaparecem as três, dando origem a uma nova, constituída pelos sócios de A, B e C. (3) No caso de cisão parcial da sociedade A, não poderá haver constituição de outra; se a cisão for total, terá de ocorrer, pelo menos, a constituição de uma outra sociedade. (4) Distingue-se a simples absorção da incorporação; no primeiro caso, a sociedade resultante adquire apenas o ativo e o passivo exigível da que desaparece, cujos sócios serão reembolsados. (5) A transformação, quando operada mediante modificação do quadro societário, exige liquidação da sociedade e constituição de uma nova sociedade. 206

859) (INSS/CESPE-97) Há diversas formas, previstas na legislação, de reorganização das sociedades por ações, as quais permitem às sociedades, a qualquer tempo, promover as reformulações que lhes forem apropriadas, para atender a objetivos específicos. Acerca do assunto, julgue os itens que se seguem. 1. a incorporação é a operação pela qual uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que lhes sucede em todos os direitos e obrigações. 2. na conclusão do processo de incorporação, aos acionistas de empresa incorporada será sempre garantida a manutenção de igual quantitativo de ações possuídas da empresa incorporada. 3. será mantida, após o processo de incorporação a situação de participação recíproca existente entre incorporada e incorporadora. 4. a cisão e a operação pela qual se unem duas ou mais sociedades para formar uma sociedade nova, que lhes sucederá em todos os direitos e obrigações. 5. a fusão é a operação pela qual uma companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades, já existentes ou constituídas para esse fim, extinguindo-se a companhia fusionada, se houver versão de todo o seu patrimônio, ou dividindo-se o seu capital, se parcial a versão. 860) (CESPE/INSS/2001) Julgue os itens abaixo, relativos a incorporação, cisão e fusão. Na incorporação de uma sociedade anônima por outra já existente constará de protocolo firmado pelos órgãos de administração ou pelos sócios de sociedade interessada, entre outras coisas, o valor do aumento ou da redução do capital social da sociedade incorporadora. Na incorporação de sociedade anônima pela sua controladora, a justificação apresentada à assembléiageral da controlada deverá conter, além de outras informações, o cálculo das relações de substituição das ações dos acionistas não controladores da controlada com base no valor do patrimônio líquido das ações da controladora e da controlada. Esses dois patrimônios deverão ser avaliados segundo os mesmos critérios e na mesma data, a preços de mercado. Na incorporação da controladora por sua subsidiária integral, em uma situação em que a controladora seja uma holding que possua em seu ativo apenas os investimentos na companhia incorporadora, a sociedade resultante da incorporação irá possuir, ao final do processo, suas próprias ações registradas no ativo, em contrapartida de receita de incorporação do período. Na fusão de duas empresas Alfa e Beta sob controle comum de, Celta, sem que haja participação entre as fusionadas, o acionista controlador de Celta e os seus minoritários com participação preponderante em Alfa ou Beta passam a ser os únicos acionistas da nova empresa, perdendo as suas participações os acionistas minoritários de Alfa ou Beta cujas participações fossem não-preponderantes, extinguindo-se contabilmente a parcela de patrimônio liquido correspondente às ações dos acionistas que perderam suas participações no processo, em contrapartida de lucros ou prejuízos acumulados. Em uma operação de cisão parcial, com a versão de parcelas patrimoniais para múltiplas empresas criadas, é permitido pela Lei das Sociedades Anônimas que os acionistas da empresa cindida sejam mantidos em todas as empresas resultantes do processo, com a mesma participação acionária que detinham na empresa objeto da cisão, com base em patrimônios líquidos de cada sociedade definidos no protocolo e na justificação de cisão. 861) (ESAF/AFTN/98)Nas operações de cisão, podem ocorrer as seguintes situações, exceto {PRIVATE}a) cisão total com a criação de duas ou mais empresas novas b) cisão total com versão de parte do Patrimônio Líquido para empresa nova e parte para empresa já existente c) cisão total com versão do patrimônio para empresas já existentes d) cisão parcial com versão de parte do patrimônio para empresas já existentes e) cisão parcial com versão de todo o patrimônio para a mesma sociedade 862) (ESAF/AFRF-2001) Nos processos de fusão, cisão ou incorporação envolvendo companhias abertas a divulgação das condições de negociações deve ser feita: a) apenas aos acionistas minoritários, à Comissão de Valores Mobiliários, aos principais credores e às bolsas de valores 30 dias após a data da realização da assembléia geral que irá deliberar sobre o protocolo b) nos jornais utilizados habitualmente pela companhia e comunicada 10 dias antes da assembléia geral aos acionistas minoritários, ao Ministério da Fazenda e aos principais credores das companhias envolvidas c) apenas aos acionistas ordinários, ao Banco Central, aos principais credores e a todas as bolsas de valores, na data da realização da assembléia geral que irá deliberar sobre o protocolo de intenções d) dando destaque entre outros itens aos benefícios esperados de natureza patrimonial, empresarial, legal e financeira e demais efeitos positivos da operação bem como os eventuais fatores de risco envolvidos e) dando destaque apenas aos itens de natureza patrimonial, financeira e legal, no prazo de 30 dias após a realização da assembléia geral e publicando 90 dias após a assembléia 863) (ESAF-CVM/2001) Nas operações de incorporação ou fusão de empresas, os credores dessas empresas poderão: 207

a) pleitear judicialmente a anulação da operação em até 60 dias depois de publicados os atos relativos a essas operações, desde que os mesmos sejam prejudicados em seus direitos b) anular a operação durante a Assembléia Geral Ordinária, convocada para aprovação do protocolo da operação, desde que ocorra aumento do risco de recebimento de seus créditos c) pedir judicialmente o cancelamento da operação 15 dias após a Assembléia Geral que aprovar o protocolo da operação, desde que comprovem prejuízo de recebimento de seus créditos d) na Assembléia Geral Ordinária, que tratar da aprovação do protocolo da operação, votar pela anulação da operação desde que comprovem a manipulação de dados em prejuízo do acionista minoritário e) anular a operação após 90 dias da Assembléia Geral Extraordinária, que aprovar o protocolo da operação, desde que comprovem aumento de dificuldades no recebimento de seus créditos GABARITO DOS EXERCÍCIOS DESTE CAPÍTULO 849- C 850- C 857- C C E E E 863- A 851- B 852- C E E E C 853- D 858- C C E C E 859- C E E E E 854- E 855- B 860- C C E E C 856- B 861- E 862- D

208

XVIII - QUESTÕES DE PROVAS RECENTES

864) Unb/CESPE-MJ/DPF/ANP/DRS – Agente de Policia Federal (27/01/2002) Companhia das Armações S.A. balanço patrimonial em 31/12/2000 (em R$ mil) Ativo passivo circulante 835.750 circulante caixa 306.550 Fornecedores Bancos 1.200 Pessoal e encargos a pagar Contas a receber 253.000 Tributos a pagar Estoque 125.000 Aluguéis e seguros a pagar despesas do período seguinte 150.000 Dividendos realizável a longo prazo 250.000 Empréstimos Empréstimos a sócios 250.000 Res. Exercício futuro permanente 281.000 patrimônio líquido Investimentos 0 capital social Imobilizado 125.000 reservas de capital Diferido 156.000 Reservas de lucros Lucros acumulados 1.366.750 Total Total

1.100.500 160.000 90.500 558.000 85.000 37.000 170.000 31.250 235.000 130.000 20.000 25.000 60.000 1.366.750

1. 2.

3.

4.

5.

Julgue os itens subseqüentes, considerando o balanço da Companhia das Armações S.A., indústria produtora de grades metálicas, apresentado acima. No balanço da companhia, os elevados valores das contas despesas do período seguinte e diferido estão dando sinais de que ativos foram avaliados segundo critérios de qualidade duvidosa. Sabendo que todas as saídas de vendas dessa companhia são tributadas pelo ICMS e pelo IPI, então, nas entradas por compra de matérias-primas, os impostos incluídos nas notas fiscais correspondentes devem ser computados na apuração do custo dos produtos. Sabendo que essa companhia paga imposto de renda com base no lucro real, conclui-se que ela deve controlar, na parte B do Livro de Apuração do Lucro Real (LALUR), as adições temporárias feitas na parte A do referido livro. No custeio dos produtos fabricados, para fins da contabilidade societária, essa companhia considera apenas os custos variáveis — mão-de-obra, matéria-prima e custos indiretos de fabricação variáveis —, em respeito aos princípios fundamentais de contabilidade. Considerando que essa companhia tenha um passivo real com fornecedores de R$ 400 mil na data do balanço apresentado acima, portanto, com um valor não-registrado de R$ 240 mil, conclui-se que, no balanço, há ativo(s) subavaliado(s) e(ou) patrimônio líquido superavaliado.

865) Unb/CESPE-MJ/DPF/ANP/DRS – Agente de Policia Federal (27/01/2002) Presença da economia informal Define-se economia informal a desobediência civil de atividades econômicas regulares de mercado. Por exemplo: • trabalhadores sem registro em carteira de trabalho; • sonegação de impostos; • vendas sem notas; • serviços de autônomos sem recibo. Se incluirmos as atividades ilegais, como contrabando, tráfico de drogas, jogo do bicho etc., temos o conceito mais amplo de economia subterrânea ou economia marginal. Evidentemente, a não-inclusão desse tipo de transação no cálculo do Produto Nacional pode representar um viés razoável, dependendo do país. No Brasil, a única estatística oficial, calculada pelo IBGE para o Rio de Janeiro, mostra que a economia informal é de 18% do PIB carioca. Considerando o texto acima, julgue os itens seguintes. 1. As vendas realizadas sem nota fiscal e, conseqüentemente, sem registro contábil, levam, em última análise, a um balanço com valor de patrimônio líquido superior ao real no valor das vendas sem nota menos os impostos e outras despesas, em conseqüência da operação de venda. 2. As compras de mercadorias sem notas e sem registro contábil interferem na avaliação dos estoques, na escrituração do livro de inventário, no registro do passivo junto a fornecedores, nas disponibilidades, na apuração do resultado e em outras rubricas contábeis. Com essa ocorrência, a situação patrimonial 209

demonstrada pela contabilidade será melhor que a real, se as mercadorias assim compradas tiverem sido pagas e vendidas e todas as demais transações tiverem sido devidamente registradas contabilmente. 3. As transações realizadas sem nota por uma empresa prejudicam a mensuração dos valores das contas nacionais, do balanço patrimonial e da demonstração do resultado, porém não afetam a demonstração das origens e aplicações de recursos. 4. Para fins societários, os recursos aplicados no ativo diferido serão amortizados periodicamente, em prazo não-superior a cinco anos, a partir do início da operação normal ou do exercício em que passem a ser usufruídos os benefícios deles decorrentes, devendo ser registrada a perda do capital aplicado quando abandonados os empreendimentos ou as atividades a que se destinavam, ou quando comprovado que essas atividades não poderão produzir resultados suficientes para amortizá-los. 5. Na avaliação dos estoques pelo sistema de custeio por absorção, a depreciação dos bens utilizados na produção deve ser apropriada ao custo de produção. 866) Unb/CESPE-MJ/DPF/ANP/DRS – Agente de Policia Federal (27/01/2002) Julgue os itens a seguir, relativos à contabilidade geral. 1 Em uma demonstração de resultado, uma empresa pode apresentar tributos pagos ou devidos — nas contas de dedução das receitas brutas, das despesas gerais e administrativas, de outras despesas operacionais — e, antes do lucro líquido, o imposto de renda e a contribuição social sobre o lucro. 2 Uma companhia aberta que tenha adicionado ao seu ativo imobilizado R$ 1 milhão, em função de reavaliação, e tenha depreciado desse valor a importância de R$ 300 mil até a data do mais recente balanço patrimonial encerrado, deverá transferir da reserva de reavaliação os mesmos R$ 300 mil para a conta de lucros ou prejuízos acumulados, na escrituração societária, caso não tenha adotado a reversão da reavaliação dos seus livros. 3 Com cinco anos de utilização, um bem do ativo imobilizado que esteja sendo depreciado em dez anos, pelo método linear, terá sido depreciado em 45% do seu valor total, se, no cálculo da taxa, foi previsto um valor residual líquido de 10% do valor do bem. 4 O livro diário não é obrigatório para atividades de serviços, enquanto o livro razão é obrigatório para companhias abertas. 5 Sempre que os custos de produção apresentarem valor inferior aos preços de mercado, os estoques de produtos acabados serão avaliados a preços de mercado. 867) ESCRIVÃO DE POLÍCIA FEDERAL/CESPE/Unb/2002 (26/01/2002) Com relação à contabilidade, julgue os itens a seguir. 1 Uma empresa estará utilizando recursos próprios para realizar investimentos adotando o custo de oportunidade do capital como parâmetro de tomada de decisão, quando os capitais de terceiros (passivo circulante e passivo exigível a longo prazo) forem inferiores aos ativos circulantes e não for requerida a elevação do nível de dívidas para a aplicação de capital. 2 Na contabilidade oficial de uma empresa, a compra de máquinas novas deverá ser registrada no ativo imobilizado ao custo, incluindo os gastos necessários à obtenção dos bens em condições de operação ou funcionamento. 3 De acordo com o regime de competência, os bens imobilizados tangíveis devem ser depreciados por um período correspondente ao do benefício econômico esperado pela utilização desses bens, com registro a débito de contas de despesa e a crédito da conta de depreciação acumulada. 4 O patrimônio líquido só será considerado como um recurso próprio dos acionistas quando o seu valor for superior ao ativo permanente. 5 As reservas de capital são aquelas formadas pelos lucros da companhia e não entram no cômputo dos recursos próprios ou de terceiros. 868) ESCRIVÃO DE POLÍCIA FEDERAL/CESPE/Unb/2002 (26/01/2002) Julgue os itens abaixo, acerca de aspectos de contabilidade. 1 O aumento da alíquota de ICMS sobre os produtos de uma empresa que atua em um mercado altamente competitivo, cujos itens de venda tenham demanda elástica, produzirá um registro na conta de deduções da receita bruta de valor proporcionalmente maior em relação à receita bruta e uma redução da margem de receita líquida em relação à receita bruta. 2 Uma empresa comercial com estoques iniciais de R$ 10.000,00 e finais de R$ 15.000,00, que tenha feito compras líquidas no valor de R$ 180.000,00 no período, terá de apresentar um custo de mercadorias vendidas, nesse mesmo período, de valor superior a R$ 176.000,00. 210

3 A aquisição, por R$ 2 bilhões, do controle acionário de uma companhia cujo valor de patrimônio líquido do investimento seja de R$ 1,5 bilhão implicará o registro de um ganho com a equivalência patrimonial de R$ 500 milhões no momento da compra. 4 Uma companhia que, em determinado exercício social, apresente prejuízo de R$ 100.000,00 e tenha lucros acumulados de R$ 200.000,00 poderá, em consonância com as normas da Lei das S.A., distribuir dividendos no valor de R$ 50.000,00. 5 Uma empresa que apresente, em diversos meses, saldo de caixa elevado em relação ao saldo na conta bancos pode estar dando evidências de ingresso de capital sem registro na conta capital social. 869) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) Art. 1.º O investimento permanente de companhia aberta em coligadas, suas equiparadas e em controladas, localizadas no país e no exterior, deve ser avaliado pelo método da equivalência patrimonial, observadas as disposições desta instrução. Parágrafo único. Equivalência patrimonial corresponde ao valor do investimento determinado mediante a aplicação da percentagem de participação no capital social sobre o patrimônio líquido de cada coligada, sua equiparada e controlada. Art. 2.º Consideram-se coligadas as sociedades quando uma participa com 10% ou mais do capital social da outra, sem controlá-la. Considerando as disposições da Instrução CVM n.º 247/1996 e o texto acima, dela extraído, julgue os itens subseqüentes. 1 Só podem ser considerados como permanentes os investimentos assim classificados no balanço patrimonial. 2 Equiparam-se às coligadas as sociedades quando uma participa indiretamente da outra com 10% ou mais do seu capital votante, sem controlá-la. 3 O patrimônio líquido de uma controlada de companhia aberta que tenha se elevado de 1 milhão para 2 milhões, de um exercício social para o outro, com a manutenção do percentual de participação acionária de todos os acionistas, estará gerando, certamente, um ganho de equivalência patrimonial para a sua controladora de 100% do valor do seu investimento. 4 O registro pelo método de equivalência patrimonial na investidora faz que esta reconheça o ganho havido na coligada ou controlada e aumenta o seu lucro tributável pelo imposto de renda e pela contribuição social sobre o lucro. 5 Uma sociedade pode controlar outra empresa, mesmo que possua menos de 10% do capital social desta. 670) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) DOAR do período encerrado em 31 de dezembro de 2000 (em R$ mil) origens recursos gerados pelas operações empréstimos de longo prazo aumento do capital social total aplicações investimentos aquisição de ativo imobilizado aplicações financeiras de longo prazo total variação do capital circulante líquido 90.650

215.275 125.375 150.000 490.650 125.000 250.000 25.000 400.000 90.650

Julgue os itens a seguir, acerca da demonstração das origens e aplicações de recursos (DOAR) acima apresentada e da legislação pertinente. 1 Considerando que houve variação positiva do capital circulante líquido, é correto afirmar que, no período considerado, os passivos circulantes cresceram mais que os ativos circulantes. 2 O valor apresentado como recursos gerados pelas operações dá a evidência absolutamente certa de que a empresa gerou lucro líquido no período. 3 Na preparação da DOAR, é considerada como aplicação de recursos a transferência de empréstimos ativos de longo prazo para o circulante. 4 As aplicações havidas no período considerado foram financiadas por recursos próprios e de terceiros. 5 As aplicações financeiras de longo prazo se referem a um aumento havido no ativo realizável a longo prazo. 211

871) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) demonstração dos lucros/prejuízos acumulados do período encerrado em 31 de dezembro de 2000 (em R$ mil) saldo anterior lucro líquido do período 235.258 reserva legal (11.763) reserva de lucros a realizar (85.000) reserva de contingências (25.000) reserva estatutária (23.526) reversão da reserva de lucros a realizar 161.000 dividendos declarados (250.000) retenção de lucros 969 saldo final Julgue os itens subseqüentes, relativos à demonstração acima apresentada e à legislação de regência desse assunto. 1 Há incorreção na demonstração apresentada, já que não pode haver distribuição de dividendo com valor superior ao lucro líquido gerado no período. 2 A reversão da reserva de lucros a realizar poderia ser feita com crédito direto à conta de capital social, sem trânsito na conta de lucros ou prejuízos acumulados e sem formar a base de cálculo de dividendos obrigatórios. 3 A reserva estatutária tem de limitar-se a 10% do lucro líquido e deve ter como finalidade única reter recursos para o financiamento do capital de giro de uma companhia. 4 A reversão da reserva de contingências deve ser feita obrigatoriamente a crédito de lucros acumulados. 5 A companhia poderá deixar de constituir a reserva legal no exercício em que o saldo dessa reserva, acrescido do montante das reservas de capital, exceder a 30% do capital social. 872) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) No que se refere a fusão, cisão e incorporação de empresas, julgue os itens seguintes. 1 Na incorporação de uma sociedade anônima fechada por sua controladora, também fechada, os acionistas minoritários da controlada não têm direito de retirar-se dela. 2 Se a incorporação, fusão ou cisão envolver companhia aberta, as sociedades que a sucederem não serão, obrigatoriamente, abertas. 3 As ações integralizadas com parcelas de patrimônio da companhia cindida serão, em princípio, atribuídas a seus titulares, em substituição às extintas, na proporção das que possuíam. 4 No balanço de cisão de companhia aberta, a participação dos acionistas não-controladores no patrimônio líquido e no lucro do exercício será destacada, respectivamente, no balanço patrimonial e na demonstração do resultado do exercício. 5 Na cisão com versão parcial do patrimônio, a empresa cindida continua existindo. 873) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) Quanto à consolidação de demonstrações contábeis, julgue os itens que se seguem. 1 Na preparação das demonstrações contábeis consolidadas, os lucros registrados de operações entre controladora e controladas devem ser eliminados. 2 Na elaboração da demonstração do resultado consolidado, o ganho ou a perda de equivalência patrimonial da controladora, proveniente do resultado da controlada, é eliminado. 3 É mantido o investimento de participação acionária de controle indireto no balanço consolidado envolvendo toda a cadeia de empresas, controladas direta e indiretamente. 4 A demonstração do resultado da controladora, individualmente, não pode apresentar o mesmo resultado que se verificará na demonstração do resultado consolidada. 5 Quando há elevação do percentual de participação da controladora no capital social da controlada, não há, necessariamente, redução no valor da participação minoritária, referente à controlada, no balanço consolidado. 874) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) A respeito da análise econômico-financeira de empresas, julgue os itens seguintes. 1 Se houver elevação do ativo permanente em R$ 1 milhão e do patrimônio líquido em R$ 2 milhões, ocorrerá um aumento da liquidez geral da empresa. 2 A companhia com o quociente de liquidez corrente abaixo de 1 que eleva tanto o ativo circulante como o passivo circulante em R$ 1 bilhão (valor relevante) apresentará um aumento nesse índice de liquidez corrente. 212

3 A taxa de remuneração do capital próprio de determinada companhia tenderá a ser afetada positivamente caso a rentabilidade proveniente de novos ativos seja superior ao custo da dívida assumida para financiá-los. 4 O prazo médio de recebimento de vendas de um ano, de R$ 360.000,00, para um contas a receber médio, líquido da provisão para devedores duvidosos, de R$ 30.000,00, estará em torno de 30 dias. 5 O aumento do prazo de renovação de estoques, com a elevação de vendas e do custo das mercadorias vendidas, não requererá, necessariamente, capital para o financiamento desse ativo acrescido. 875) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) A respeito de custos, julgue os itens a seguir. 1 Determinada empresa intensiva em custos fixos, operando a 50% da capacidade instalada, que tenha um custo unitário de R$ 5,00 no conceito por absorção, não poderá aceitar encomenda para ocupar a capacidade ociosa por preço abaixo de R$ 5,00, sob pena de registrar prejuízo na operação. 2 Revelada uma margem de contribuição de determinado produto menor ou igual a zero, ele deve obrigatoriamente ser eliminado da linha de produção, mesmo que participe da formação da margem de contribuição de outro produto da mesma empresa. 3 Conceitualmente, o ponto de equilíbrio de determinado produto é atingido quando a margem de contribuição total dele atinge os custos fixos. 4 Os estoques de mercadorias, produtos e matérias-primas devem ser avaliados pelo custo de aquisição ou produção, deduzido de provisão para ajustá-lo ao valor de mercado, quando este for inferior. 5 No sistema de custeio RKW, os custos de depreciação de equipamentos e outros bens de produção devem ser apropriados aos produtos. 876) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) Com referência aos princípios internacionais de contabilidade, julgue os itens que se seguem. 1 Segundo os princípios contábeis norte-americanos, as demonstrações contábeis geralmente refletem transações e eventos aos valores pagos ou ao valor justo, atribuídos quando ocorrerem. 2 As demonstrações contábeis presumem que a entidade reportada continuará a existir e a realizar seus ativos e a liquidar seus passivos no curso normal das operações. 3 É geralmente preferível a apresentação das demonstrações contábeis comparativas para mais de um exercício, sendo esta uma regra obrigatória a ser seguida pelas companhias de capital aberto registradas na Securities and Exchange Commission (SEC). 4 A demonstração de fluxos de caixa fornece informações sobre entradas e saídas de dinheiro em um determinado período, classificando-as em origens e aplicações operacionais, não-operacionais e extraordinárias, evidenciando, obrigatoriamente, o fluxo de entradas das operações pelo método direto. 5 Os ajustes de exercícios anteriores são registrados diretamente no resultado do período, e a reelaboração das demonstrações contábeis de exercícios anteriores não é requerido. 877) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) No que se refere a contabilidade tributária, julgue os itens abaixo. 1 As aplicações de disponibilidades pelas companhias mercantis, no mercado financeiro, sofrem a retenção do imposto de renda na fonte sobre os rendimentos produzidos, a qual é registrada como despesa, em confronto com a receita financeira, em respeito ao regime de competência. 2 O PIS/PASEP e a COFINS são tributos federais e incidem apenas sobre a receita de vendas de bens e serviços das empresas. 3 Nas aquisições de ativo imobilizado proveniente de outros estados por empresas com saídas sujeitas a esse tributo, é devido o imposto referente ao diferencial de alíquotas na maioria dos estados brasileiros, e o crédito é passível de compensação, em 48 parcelas mensais, com o ICMS devido sobre as saídas. 4 Na apuração do efeito marginal no resultado líquido, de uma transação que envolva receitas tributadas e despesas dedutíveis, devem ser consideradas as despesas de imposto de renda de pessoa jurídica e a contribuição social sobre o lucro líquido incidentes sobre o resultado antes desses tributos. 5 O ICMS incidente na importação de mercadorias para revenda sujeita a esse tributo deve entrar no custo das unidades estocadas. 878) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) Há diversas classificações possíveis para custos. Entre as mais relevantes, de acordo com sua função administrativa, estão • custos de fabricação (produção) — vinculados ao processo produtivo —, que podem ser divididos em material direto, mão-de-obra direta e custos indiretos; • custos não-vinculados à fabricação (administrativos) — decorrentes das atividades de apoio —, que podem ser as despesas de vendas (despesas associadas à obtenção de vendas e à entrega do produto) ou despesas gerais e administrativas. Acerca do assunto objeto do texto acima, julgue os itens a seguir. 1 O sistema de custeio direto ou variável considera, no custo dos produtos e serviços, os custos diretos e indiretos, fixos e variáveis. 213

2 O sistema de custeio por absorção considera, no custo dos produtos e serviços, os custos de fabricação e os administrativos. 3 A energia elétrica consumida pelos pontos de luz da fábrica normalmente é considerada como um custo direto. 4 Utilizar melhor a capacidade instalada ou reduzir a ociosidade significa reduzir o custo fixo por produto (unitário). 5 O custo de processamento de dados de uma indústria de calçados deve ser considerado como um custo de fabricação. 879) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) Considerando a legislação pertinente, julgue os itens a seguir, relativos às contabilidades em moeda constante, fiscal e societária. 1 Uma mercadoria cujo valor de venda líquida tenha de ser R$ 100,00 terá como preço de venda R$ 125,00, caso o ICMS a ser incluído no preço seja de 25%. 2 Na conversão de demonstrações contábeis para moeda estrangeira, todos os princípios contábeis do país a que se destinam as demonstrações devem ser considerados sempre que a sua não-adoção trouxer efeitos relevantes na avaliação da empresa e do seu resultado. 3 Pelas novas disposições da Lei das S.A., os lucros que não forem destinados, em cada exercício, para lucros retidos ou reservas legal, estatutária, para contingências e lucros a realizar deverão ser distribuídos como dividendos. 4 Considerando as vendas e os índices de preços apresentados abaixo, o valor total de vendas do primeiro semestre, em moeda de junho de 2001, seria de R$ 63.708,80. vendas do primeiro semestre de 2001 (em R$) Fevereiro Março Abril Maio Junho 10.200 11.000 9.800 9.500 11.000

Janeiro 10.000

Total 61.500

índice geral de preços Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho 100 101 102 104 105 107 5 Os componentes do ativo e passivo, as receitas e as despesas de uma sociedade controlada em conjunto, em função de operação de joint venture ou não, deverão ser agregados às demonstrações contábeis consolidadas das investidoras, na proporção da participação de cada uma dessas investidoras no capital social da sociedade controlada em conjunto. 880) PERITO CONTÁBIL – 2002 (CESPE/Unb-PERITO) Considerando a Lei das S.A. e as alterações nela recentemente introduzidas, julgue os itens a seguir. 1 O dividendo mínimo obrigatório de uma S.A., caso o estatuto seja omisso, será de 50% do lucro líquido do exercício, deduzido da reserva legal e da reserva de contingências e acrescido da reversão da reserva de contingências que tiver sido realizada. 2 Os lucros registrados na reserva de lucros a realizar, quando realizados e se não tiverem sido absorvidos por prejuízos, deverão ser acrescidos ao primeiro dividendo declarado após a realização. 3 O resultado líquido positivo da equivalência patrimonial não é base para a formação da reserva de lucros a realizar. 4 Nenhuma companhia aberta pode distribuir dividendos em valor inferior ao mínimo obrigatório. 5 A reserva de contingências objetiva compensar, em exercício futuro, a diminuição do lucro decorrente de perda julgada provável, cujo valor possa ser estimado. Texto CE-I – questão 881 Os quadros abaixo apresentam o balanço patrimonial de 31/12/2000, a demonstração do resultado e o fluxo de caixa do primeiro trimestre de 2001 e a planilha de trabalho para a elaboração do balanço de 31/3/2001. balanço patrimonial (em R$) ativo 31/12/200 passivo 31/12/2000 0 Circulante 291.000 Circulante 160.000 disponibilidades 10.000 fornecedores 56.000 contas a receber de vendas 178.000 pessoal e encargos a pagar 5.000 estoque de mercadorias 98.000 tributos a pagar 36.000 214

despesas do período (aluguéis e seguros) realizável a longo prazo Empréstimos Permanente Investimentos Imobilizado Diferido Total

seguinte

5.000 12.000 12.000 71.000 15.000 50.000 6.000 374.000

aluguéis e seguros a pagar Dividendos Empréstimos Patrimônio Líquido Capital Social Reservas de Capital Reservas de Lucros Lucros Acumulados Total

3.000 11.000 49.000 214.000 100.000 50.000 10.000 54.000 374.000

demonstração do resultado do 1.º trimestre de 2001 250.000 vendas brutas (46.250) Tributos sobre vendas vendas líquidas 203.750 custo das mercadorias vendidas (91.688) lucro bruto 112.063 despesas com pessoal despesas com materiais e serviços despesas com aluguéis e seguros depreciação amortização do diferido receitas financeiras de aplicação das disponibilidades de empréstimos de longo prazo despesas financeiras lucro antes de IR e CSLL IR e CSLL lucro líquido (12.000) (8.000) (12.000) (3.500) (300) 1.000 300 700 (2.400) 74.863 (25.453) 49.409

fluxo de caixa do 1.º trimestre de 2001 saldo inicial Entradas de vendas de empréstimos de curto prazo de aumento do capital social rendimento de aplicação das disponibilidades saídas pessoal fornecedores aluguéis e seguros tributos dividendos empréstimos recebidos aquisição de imobilizado à vista aquisição de ações de coligadas à vista saldo final 10.000 295.300 260.000 25.000 10.000 300 (302.000) (11.000) (100.000) (15.000) (75.000) (10.500) (51.000) (26.500) (13.000)

3.300

planilha de trabalho 31/12/0 Movimen 31/3 Passivo 31/12/0 0 to /01 0 1º trimestre Circulante 291.00 circulante 160.00 0 0 10.000 56.000 Disponibilidades Fornecedores contas a receber de 178.00 pessoal e encargos a 5.000 vendas 0 pagar estoque de 98.000 tributos a pagar 36.000 mercadorias despesas do período 5.000 aluguéis e seguros a 3.000 seguinte pagar realizável a longo 12.000 dividendos 11.000 prazo empréstimos 12.000 empréstimos 49.000 permanente 71.000 patrimônio líquido 214.00 0 investimentos 15.000 capital social 100.00 0 imobilizado 50.000 reservas de capital 50.000 diferido 6.000 reservas de lucros 10.000 lucros acumulados 54.000 Ativo

Movimen 31/3/0 to 1 1º trimestre

215

total

374.00 0

total

374.00 0

881) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) Considerando, ainda, os elementos do texto CE-I, julgue os itens que se seguem. 1 O saldo da conta de reservas de capital deve ficar acima de R$ 60.000,00, em 31/3/2001. 2 Desconsiderando a destinação do resultado do trimestre, o saldo da conta de reservas de lucros deve ficar abaixo de R$ 9.000,00, em 31/3/2001. 3 Desconsiderando a destinação do resultado do trimestre, a conta de lucros acumulados deve encerrar o período com um saldo inferior a R$ 100.000,00. 4 Caso a demonstração do resultado apresentasse um resultado positivo de equivalência patrimonial de R$ 5.000,00, o lucro líquido seria aumentado nessa mesma importância, pela não-incidência de imposto de renda e contribuição social sobre o lucro líquido. 5 O efeito direto de um ganho de capital por variação no percentual de participação na controlada ou coligada, corresponderá a um acréscimo do investimento, no ativo permanente, e do patrimônio líquido, da mesma importância, transitando pelas contas de resultado. 882) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) Julgue os itens a seguir, acerca da conta estoques de uma indústria petroquímica. 1 Normalmente, a avaliação dos estoques desse tipo de indústria envolve uma estimativa dos produtos em processo, em função do sistema de produção contínua. 2 Caso a empresa adote o método primeiro a entrar, primeiro a sair (PEPS) na avaliação dos estoques de matéria-prima, a mesma apresentará os preços de compra dos estoques mais recentes no ativo. 3 De acordo com os princípios fundamentais de contabilidade, os estoques devem ser avaliados a preços de mercado ou de custo, dos dois o maior. 4 Aplicando o conceito de custeio variável para os estoques, a depreciação não entra no custo de produção. 5 Pelos princípios fundamentais de contabilidade, os estoques devem ser avaliados pelo sistema de custeio RKW. 883) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) Julgue os itens a seguir, quanto à contabilização dos efeitos tributários de uma diferença temporária no reconhecimento de uma despesa para fins contábeis e fiscais. 1 O registro de uma despesa de provisão para contingências na contabilidade só é dedutível para fins de imposto de renda de pessoa jurídica no pagamento e liquidação da contingência. 2 O registro da despesa de contingência em determinado período, sem que tenha ocorrido o pagamento correspondente, gerará um aumento na despesa de imposto de renda. 3 O pagamento do imposto de renda sobre provisão para contingência não-paga gera um ativo de crédito tributário. 4 O imposto de renda não será devido se a contingência for de natureza tributária. 5 Caso venha a ocorrer a reversão da contingência não-paga, o registro no resultado produzirá efeito direto sobre o cálculo da despesa de imposto de renda. 884) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) Julgue os itens a seguir, acerca do PIS/PASEP e da COFINS. 1 Alteração na legislação em 1998 trouxe a elevação da alíquota combinada do PIS/PASEP e da COFINS, para o setor petroquímico. 2 As receitas financeiras entram na base de cálculo do PIS/PASEP e da COFINS. 3 As despesas financeiras entram na base de cálculo do PIS/PASEP e da COFINS. 4 As receitas tributadas pelo imposto sobre serviço são isentas do PIS/PASEP e da COFINS. 5 PIS/PASEP e COFINS incidem sobre a receita de alienação de ativo permanente. 885) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) Julgue os itens a seguir, com relação aos efeitos inflacionários sobre o patrimônio das empresas. 1 Os ativos monetários não são afetados pelos efeitos inflacionários. 2 Os ativos não-monetários produzem perdas inflacionárias, independentemente da aplicação de indexadores para a atualização monetária. 3 Os passivos monetários sem encargos geram ganhos inflacionários para as empresas que os possuem. 4 Os estoques de produtos em processo são itens não-monetários. 5 Na elaboração das demonstrações financeiras em moeda de poder aquisitivo constante, só se admite uma data de referência para a apresentação dos valores patrimoniais e de resultado.

216

Texto CE-II – questões 886 e 887 Nos quadros a seguir são apresentados os balanços da controladora e da controlada, e a planilha para se elaborar o balanço consolidado. empresa controladora balanço patrimonial (em R$ mil) ativo 31/12/200 passivo 31/12/200 0 0 ativo circulante 376.000 passivo circulante 443.000 disponibilidades 25.000 fornecedores 125.000 contas a receber de vendas 276.000 pessoal e encargos a pagar 78.000 estoque de mercadorias 65.000 tributos a pagar 125.000 despesas do período seguinte 10.000 aluguéis e seguros a pagar 15.000 realizável a longo prazo 15.000 dividendos 25.000 empréstimos 15.000 empréstimos 75.000 permanente 287.000 patrimônio líquido 235.000 investimentos 125.000 capital social 130.000 imobilizado 150.000 reservas de capital 20.000 diferido 12.000 reservas de lucros 25.000 lucros acumulados 60.000 total 678.000 total 678.000 empresa controlada balanço patrimonial (em R$ mil) ativo 31/12/200 passivo 0 Circulante 161.500 circulante disponibilidades 12.500 fornecedores contas a receber de vendas 75.000 pessoal e encargos a pagar estoque de mercadorias 69.000 tributos a pagar despesas do período seguinte 5.000 aluguéis e seguros a pagar realizável a longo prazo 0 dividendos de minoritários Empréstimos 0 empréstimos permanente 136.000 patrimônio líquido investimentos 0 capital social imobilizado 135.000 reservas de capital diferido 1.000 reservas de lucros Total 297.500 lucros acumulados total

31/12/200 0 141.250 35.000 12.500 56.000 5.000 12.000 20.750 156.250 100.000 5.000 1.250 50.000 297.500

balanço patrimonial consolidado (em R$ mil) 31/12/200 passivo 0 Circulante circulante disponibilidades fornecedores contas a receber de vendas pessoal e encargos a pagar estoque de mercadorias tributos a pagar despesas do período seguinte aluguéis e seguros a pagar realizável a longo prazo dividendos de minoritários Empréstimos empréstimos permanente patrimônio líquido investimentos capital social imobilizado reservas de capital diferido reservas de lucros ativo Total lucros acumulados total

31/12/200 0

886) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) Com base nos dados apresentados no texto CE-II, julgue os itens a seguir, referentes ao balanço consolidado, considerando que a única participação acionária da controladora é nessa controlada, cujo investimento está avaliado pela equivalência patrimonial, e que a única transação entre elas é o empréstimo de R$ 15.000.000,00. 1 As disponibilidades deverão apresentar um saldo inferior a R$ 37.000.000,00. 2 As contas a receber de vendas deverão apresentar um saldo inferior a R$ 350.000.000,00. 217

3 Os estoques deverão apresentar um saldo superior a R$ 150.000.000,00. 4 Os investimentos deverão apresentar saldo igual a R$ 125.000.000,00. 5 Os empréstimos passivos deverão apresentar saldo entre R$ 70.000.000,00 e R$ 80.000.000,00. 887) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) Ainda com base nos dados apresentados no texto CE-II, julgue os itens abaixo, acerca do balanço consolidado, considerando não existirem lucros a realizar entre controladora e controlada. 1 A participação minoritária deve ficar com um valor inferior a R$ 32.000.000,00. 2 Os dividendos passivos devem apresentar um saldo inferior a R$ 36.000.000,00. 3 O patrimônio líquido do balanço consolidado é igual ao da controladora. 4 Os tributos a pagar devem apresentar um saldo superior a R$ 190.000.000,00. 5 O diferido deverá apresentar um saldo entre R$ 12.000.000,00 e R$ 15.000.000,00. 888) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) capacidade de produção, em unidades 500.000 nível de produção atual 300.000 custo unitário variável (mão-de-obra e matéria-prima) R$ 2,35 custo fixo total mensal R$ 300.000,00 preço de venda líquido de tributos R$ 4,00 Considerando os dados apresentados no quadro acima, referentes a uma empresa que tem um único produto em linha de produção, julgue os itens a seguir. 1 Aumentando a sua produção até o limite da capacidade instalada (500.000 unidades) e mantendo o preço atual, o lucro bruto da companhia seria elevado para um valor superior a R$ 520.000,00. 2 Caso as 200.000 unidades adicionais fossem vendidas a R$ 2,50, não haveria aumento do lucro bruto da companhia, em relação à situação inicial. 3 O preço de venda de equilíbrio (lucro bruto igual a zero), utilizando a capacidade total, é igual a R$ 2,95. 4 O ponto de equilíbrio, ao preço de venda de R$ 4,00, está entre 200.000 e 220.000 unidades. 5 Caso recebesse proposta para colocação das 200.000 unidades que cabem na sua capacidade de produção, ao preço de R$ 2,65, a empresa não deveria aceitar, porque cairia o lucro bruto. 889) Unb/CESPE-PETROBRÁS-CONTADOR (30/09/2001) Julgue os itens subseqüentes, quanto à fusão, cisão e incorporação de empresas. 1 A incorporação é a operação pela qual uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que as sucede em todos os direitos e obrigações. 2 A fusão é a operação pela qual se unem duas ou mais sociedades para formar sociedade nova, que lhes sucederá em todos os direitos e obrigações. 3 Na incorporação de uma sociedade controlada pela sua controladora, os acionistas minoritários da empresa incorporada passam a ser acionistas da incorporadora. 4 A cisão é a operação pela qual a companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades, constituídas para esse fim ou já existentes, sem extinguir a companhia cindida, mesmo se houver versão de todo o seu patrimônio, ou dividindo-se o seu capital, se parcial a versão. 5 Caso haja o exercício do direito de retirada por parte de acionistas, as ações assim adquiridas pela incorporadora não poderão ficar em tesouraria. 890) SEFA/PA-2002-ESAF - O Ativo Imobilizado de determinada empresa estava assim constituído: - Caminhão adquirido em 01.07.99 R$ 500,00 - Móveis e Utensílios adquiridos em 01.01.99 R$ 100,00 - Máquinas e Equipamentos adquiridos em 01.03.99 R$ 200,00 - Automóvel adquirido em 01.01.00 R$ 400,00 Considerando que os bens entraram em uso na data de sua aquisição e que as quotas de depreciação foram calculadas à base de 20% ao ano para os veículos e 10% ao ano para os demais bens, durante todo o período, podemos afirmar que, no balanço levantado em 31.12.01, o valor a) contábil da conta Veículos era de R$ 410,00. b) da conta Depreciação Acumulada de Móveis e Utensílios era de R$ 55,00. c) contábil da conta Máquinas e Equipamentos era de R$ 200,00. d) da conta Depreciação Acumulada de Veículos era de R$ 410,00. e) da conta Depreciação Acumulada de máquinas e Equipamentos era de R$ 30,00. 891) SEFA/PA-2002-ESAF - Considere os seguintes dados, relativos à única mercadoria que a empresa revende. 31/01/02 Estoque de 300 unidades a R$ 4,00 cada uma. 10/02/02 Compra de 200 unidades por R$ 1.000,00 (valor de fatura). 15/02/02 Venda de 400 unidades. 20/02/02 Venda de 50 unidades. 218

25/02/02 Compra de 450 unidades por R$ 2.250,00 (valor de fatura). 28/02/02 Venda de 100 unidades. 01/03/02 Venda de 300 unidades. Considerando que - o Lucro Bruto sobre Vendas foi de R$ 680,00; - as compras e vendas estão sujeitas ao ICMS de 20%; - as despesas operacionais foram de R$ 180,00; - foi adotado o sistema de avaliação de estoques denominado de custo médio ponderado; - a provisão para Imposto de Renda foi de R$150,00, podemos afirmar que, no Balanço de 28.02.2002, a) a Receita Bruta de Vendas foi de R$ 5.100,00. b) o Custo de Mercadorias Vendidas foi de R$ 2.880,00. c) o Custo de Mercadorias Vendidas foi de R$ 3.400,00. d) a Receita Bruta de Vendas foi de R$ 3.600,00. e) o Custo de Mercadorias Vendidas foi igual ao Lucro Bruto sobre Venda, isto é, de R$ 680,00. 892) SEFA/PA-2002-ESAF - Considere os dados abaixo e assinale a opção correta. Compras do período (líquidas de ICMS) R$ 200,00 Custo das Mercadorias Vendidas R$ 150,00 Despesas com Vendas R$ 100,00 Despesas Financeiras R$ 50,00 Despesas Gerais R$ 80,00 Lucro Líquido do Exercício R$ 20,00 Receita Líquida de Vendas R$ 400,00 Os estoques inicial e final são, respectivamente, de: a) R$ 70,00 e R$ 50,00. b) R$ 50,00 e R$ 70,00. c) R$ 20,00 e R$ 70,00. d) R$ 70,00 e R$ 20,00. e) R$ 20,00 e R$ 50,00. 893) SEFA/PA-2002-ESAF - Considere os dados abaixo e assinale a opção correta. Compras 100 unidades a R$ 2,50, cada; Estoque final 10 unidades; Estoque inicial 20 unidades, no valor de R$ 40,00; Lucro bruto R$ 100,00; Lucro operacional R$ 20,00; ICMS sobre Compras e Vendas – 20%. Na apuração do resultado verificamos que a) a Receita Líquida de Vendas é de R$ 400,00. b) a Receita Bruta de Vendas é de R$ 400,00. c) a Receita Bruta de Vendas é de R$ 320,00. d) o Custo de Mercadorias Vendidas é de R$ 290,00. e) o Custo de Mercadorias Vendidas é de R$ 300,00. 894) SEFA/PA-2002-ESAF - Assinale a opção correta. Do resultado do exercício devem ser deduzidos, antes de qualquer outra dedução: a) 20% para a constituição da reserva legal, nas companhias. b) os prejuízos acumulados. c) os valores destinados aos sócios. d) 5% para a constituição da reserva legal, nas companhias. e) os valores destinados às reservas de lucros. 895) SEFA/PA-2002-ESAF - No Balancete levantado para balanço de encerramento do exercício, as contas estavam assim agrupadas (valores em R$): ATIVO Circulante 100 Permanente 150 PASSIVO Circulante 80 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital 100 Reservas 20 CUSTOS E DESPESAS 450 219

RECEITAS 500 Após a conciliação das contas, foram feitos os seguintes registros: 1 – perda de estoques = R$ 10,00; 2 – ajuste no valor de seguros levado a despesas do exercício, que se referem ao exercício seguinte – R$ 5,00; 3 – valor de duplicatas a receber registrado como perdas, em virtude de serem consideradas incobráveis – R$ 5,00. No balanço de encerramento do exercício, levantado após todos os ajustes e encerramento das contas de resultado, o saldo do a) Ativo Circulante era de R$ 80,00. b) Patrimônio Líquido era de R$ 160,00. c) Ativo Permanente era de R$ 140,00. d) Patrimônio Líquido era de R$ 170,00. e) Patrimônio Líquido era de R$ 120,00. 896) SEFA/PA-2002-ESAF - A firma Brontë S/A apresentava o seguinte balancete de fim de período: Banco c/Movimento R$ 600,00 Capital Social R$ 2.000,00 Aplicações de Liquidez Imediata R$ 240,00 Depreciação Acumulada R$ 500,00 Despesas Administrativas R$ 900,00 Empréstimos de Longo Prazo R$ 280,00 Terrenos R$ 1.600,00 Fornecedores R$ 800,00 Lucros(Prejuízos) Acumulados R$ 880,00 Material de Consumo R$ 200,00 Receitas Antecipadas R$ 340,00 Receitas de Serviços R$ 1.100,00 Seguros Antecipados R$ 200,00 Veículos R$ 2.000,00 Despesas de Depreciação R$ 160,00 quando teve de promover o registro: – do pagamento antecipado de uma despesa de R$ 100,00; – da ocorrência de uma despesa de R$ 160,00 para pagamento futuro; e – da apropriação de uma despesa paga antecipadamente no valor de R$ 150,00. No balanço patrimonial, após os registros acima, vamos encontrar um Ativo no valor de a) R$ 3.930,00 b) R$ 4.090,00 c) R$ 4.190,00 d) R$ 4.240,00 e) R$ 4.590,00 897) SEFA/PA-2002-ESAF - A organização empresarial Camel Sútil começou o exercício social com um Patrimônio Líquido de R$ 100.000,00, tendo, no período, praticado as seguintes operações: – em março, os acionistas integralizaram capital em dinheiro no valor de R$ 10.000,00; – em junho promoveram retiradas, a título de antecipação de lucros, no valor de R$ 9.000,00; – no fim do ano foi apurado um lucro de R$ 20.000,00, antes da Provisão para o Imposto de Renda; – aumentado o Capital em R$ 20.000,00, com a entrega de um imóvel; – contabilizado Imposto de Renda de R$ 4.000,00. Foram, também, constituídas reservas de lucros no valor de R$ 1.000,00. Após considerar o registro de todos os fatos narrados, mas apenas isto, podemos afirmar que o Patrimônio Líquido atual tem o valor de a) R$ 137.000,00 b) R$ 136.000,00 c) R$ 127.000,00 d) R$ 116.000,00 e) R$ 107.000,00 898) SUSEP-2002-ESAF - No encerramento do exercício social foi apurado um resultado positivo de R$ 12.000,00, antes de deduzidas as participações, os prejuízos acumulados e a provisão para imposto de renda. O Patrimônio Líquido estava assim composto, em R$. 220

Capital Social 10.000,00 Capital a Realizar 2.000,00 Reservas de Capital 4.000,00 Reserva de Reavaliação 3.000,00 Prejuízos Acumulados 5.000,00 Considerando a provisão para imposto de renda de R$ 3.000,00 e as participações de administradores (10%) e de empregados (10%), podemos afirmar que, no Balanço de Encerramento, o valor do saldo da conta a) Lucros Acumulados era de R$ 12.000,00. b) Participações de Administradores era de R$ 400,00. c) Lucros Acumulados era de R$ 3.240,00. d) Participações de Empregados era de R$ 1.200,00. e) Lucros Acumulados era de R$ 3.200,00. 899) FISCAL-NATAL(RN)-ESAF-2001 - Assinale, entre as afirmativas abaixo, aquela que exprime uma informação correta. a) Debêntures são títulos de crédito emitidos por sociedades anônimas que conferem a seus titulares direitos de créditos junto a ela nas condições constantes das escrituras de emissão ou dos certificados. Rendem participação nos lucros, mas não podem render juros, nem correção monetária. b) Partes beneficiárias são títulos negociáveis sem valor nominal e estranhos ao capital social que podem ser criados pela sociedade anônima em qualquer tempo. O único direito que o detentor desses títulos tem é a participação nos lucros, que não poderá ser superior a quinze por cento do lucro apurado. c) As participações estatutárias de debêntures, de empregados, administradores e partes beneficiárias serão determinadas, sucessivamente e nessa ordem, com base nos lucros que remanescerem depois de deduzida a participação anteriormente calculada. d) As doações e subvenções para investimentos recebidas pela empresa, bem como o prêmio recebido na emissão de debêntures por ela lançadas no mercado, não constam da demonstração do resultado do exercício mas integram o patrimônio líquido como reservas de lucro. e) O saldo de todas as reservas de lucro, excetuando-se apenas a reserva de contingência e a de lucros a realizar, não poderá ultrapassar o capital social. 900) BRDES-2001 - Qual é o método de custeio adotado por uma empresa industrial que, na apuração do custo de fabricação (ou custo de produção) de seus produtos, considera apenas os custos diretos, agregando os custos indiretos à apuração do resultado do exercício? a)Custeio por inventário permanente. b)Custeio por absorção. c) Custeio por inventário periódico. d)Custeio direto. e)Custeio por sazonalidade. 901) BRDES-2001 - A Lei Federal nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, que dispõe sobre as demonstrações finan-ceiras das Sociedades por Ações, estabelece, em seu Art. nº 247, que as notas explicativas dos investimentos relevantes devem conter informações precisas sobre as sociedades coligadas e controladas e suas relações com a companhia. Dentre as alternativas abaixo, a única que NÃO é exigida por esse diploma legal é a) a denominação da sociedade, seu capital social e patrimônio líquido. b) o número, espécies e classes das ações ou quotas de propriedade da companhia, e o preço de mercado das ações, se houver. c) as opões de compra de ações outorgadas e exercidas no exercício. d) os créditos e obrigações entre a companhia e as sociedades coligadas e controladas. e) o montante das receitas e despesas em operações entre a companhia e as sociedades coligadas e controladas. 902) BRDES-2001 - A reserva de lucros, constituída anualmente pela apropriação de um determinado percentual do lucro líquido do exercício, calculado antes de qualquer destinação, é denominada 221

a) b) c) d) e)

Reserva Estatutária. Reserva Legal. Reserva para Contingências. Reserva de Retenção de Lucros. Reserva Especial de Lucros a Realizar.

903) SERPRO/2001-ESAF - Observe os seguintes saldos contábeis colhidos no livro Razão da empresa Introcont S.A., em 30 de abril de 2001: Contas saldos Caixa 200,00 Capital Social 3.240,00 Máquinas e Equipamentos 1.200,00 Prejuízos Acumulados 100,00 Custo das Mercadorias Vendidas 1.400,00 Juros Passivos 230,00 Salários a Pagar 400,00 Duplicatas a Pagar 700,00 Clientes 600,00 Impostos 180,00 Aluguéis Ativos 350,00 Receitas de Vendas 2.000,00 Empréstimos Bancários 800,00 Reservas de Lucros 230,00 Imóveis – Terrenos 3.000,00 Material de Consumo 300,00 Ações de Coligadas 740,00 Observações: Levando em conta os objetivos deste quesito e a respectiva liberdade didática, advertimos que a relação de saldos acima pode não estar digraficamente balanceada. Considere que a eventual diferença, se houver, não afeta o valor dos capitais próprios patrimoniais. A partir dos dados indicados, podemos afirmar que o patrimônio líquido dessa firma, em 30 de abril de 2001, tem o valor contábil de: a) b) c) d) e) R$ 3.170,00 R$ 3.580,00 R$ 3.910,00 R$ 3.960,00 R$ 4.140,00

904) SERPRO/2001-ESAF - A empresa Reservada S/A apresentou no fim do exercício: Ativo Circulante de R$ 4.800,00 Ativo Permanente de R$ 6.000,00 Passivo Exigível de R$ 8.750,00 Capital Social de R$ 1.000,00 Reservas Estatutárias de R$ 150,00 Reserva Legal de R$ 100,00 Receitas do exercício de R$ 2.400,00 Despesas e custos de R$ 1.600,00 Observações: - Não houve tributação, nem qualquer distribuição de lucros para terceiros; - O lucro líquido do exercício deve ser apropriado, exclusivamente, para constituir a reserva legal e uma reserva estatutária, que o estatuto social determina como sendo de 4% do lucro líquido do exercício. Com base nessas informações, o Contador, cumprindo as permissões legais e respectivas limitações de valor quanto a reservas, deverá contabilizar: a) Reserva Estatutária de R$ 32,00 e Reserva Legal de R$ 40,00 b) Reserva Estatutária de R$ 32,00 e Reserva Legal de R$ 18,00 c) Reserva Estatutária de R$ 30,40 e Reserva Legal de R$ 40,00 d) Reserva Estatutária de R$ 30,40 e Reserva Legal de R$ 19,60 e) Reserva Estatutária de R$ 10,00 e Reserva Legal de R$ 40,00

222

905) SERPRO/2001-ESAF - A Nossa Fábrica de Produtos conseguiu produzir 8 mil unidades do objeto Mono e, no mesmo período, vendeu 6 mil unidades dele, a vista, pelo preço total de R$ 60.000,00. As outras informações relativas às operações do período são as seguintes: - materiais diretos R$ 2,00 por unidade; - mão-de-obra direta R$ 1,00 por unidade; - custos indiretos de fabricação R$ 40.000,00 total; - custos indiretos de fabricação fixos, corres-pondentes a 60% dos CIFs; - despesas fixas de venda e de administração R$ 10.000,00; - a empresa não possuía estoque inicial de produtos; - tanto a fabricação como a venda estão isentas de tributação. Com os dados acima alinhados, se a empresa utilizar o Custeio por Absorção, o valor do Lucro Bruto apurado no período será de a) R$ 12.000,00 b) R$ 18.000,00 c) R$ 30.000,00 d) R$ 42.000,00 e) R$ 48.000,00 906) SERPRO/2001-ESAF - A Cia. Fabricante S/A produziu 8 mil unidades de seu produto e, no mesmo período, vendeu 6 mil unidades ao preço unitário de R$ 10,00. As outras informações relativas às operações do período são as seguintes: - materiais diretos R$ 2,00 por unidade; - mão-de-obra direta R$ 1,00 por unidade; - custos indiretos de fabricação R$ 40.000,00 total; - custos indiretos de fabricação fixos, corres-pondentes a 60% dos CIFs; - despesas fixas com vendas e administração R$ 10.000,00; - a empresa não possuía estoque inicial de produtos; - tanto a fabricação como a venda estão isentas de tributação. Com os dados acima alinhados, se a empresa utilizar o Custeio Variável, o Resultado Líquido apurado no período será: Lucro Líquido de R$ 44.000,00 Lucro Líquido de R$ 38.000,00 Prejuízo Líquido de R$ 22.000,00 Prejuízo Líquido de R$ 4.000,00 Não haverá nem lucro nem prejuízo

a) b) c) d) e)

907) SERPRO/2001-ESAF - A Resolução CFC-750/93 estabeleceu como Princípios Fundamentais da Contabilidade, os princípios da: a) Oportunidade e da Materialidade b) Prudência e da Objetividade c) Competência e da Oportunidade d) Consistência e da Previsibilidade e) Provisionalidade e da Universalidade 908) SERPRO/2001-ESAF - São considerados Resultados Não-Operacionais: a) os ganhos e perdas de capital nos investimentos b) os resultados de equivalência patrimonial c) os resultados de exercícios futuros d) os prejuízos de participações em outras empresas e) as variações monetárias de obrigações e créditos 909) SERPRO/2001-ESAF - As Demonstrações Contábeis, previstas na Lei 6.404/76, que são objeto do processo de Consolidação são: a) Demonstração dos Lucros/Prejuízos Acumulados, a Demonstração das Mutações Patrimoniais e o Balanço Patrimonial. b) Fluxo de Caixa, a Demonstração das Mutações Patrimoniais e a Demonstração das Origens e aplicações de Recursos. c) O Balanço Patrimonial, a Demonstração de Resultado do Exercício e a Demonstração das Mutações Patrimoniais. 223

d) A Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos, o Fluxo do Caixa, o Resultado do Exercício e o Balanço Patrimonial. e) A Demonstração de Resultado do Exercício, Balanço Patrimonial e a Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos. 910) SERPRO/2001-ESAF - São inscritos no Patrimônio Líquido, como Reservas de Capital, a) o ágio na emissão de ações e os Lucros não Realizados b) os prêmios na emissão de debêntures c) o valor dos lucros não realizados no período d) o produto do ajuste a valor de mercado do imobilizado e) o dividendo mínimo obrigatório não distribuído 911) SERPRO/2001-ESAF - Torna-se necessário o estorno da parcela da reavaliação e o retorno ao conceito de custo histórico, quando: a) da verificação de partes relacionadas nos processos de cisão de companhias com atividades diferenciadas. b) ocorrer operação de incorporação de companhias de segmentos econômicos altamente diferenciados. c) houver aumento de capital com conferência de bens em processos de reorganização empresarial. d) existir clara evidência de descontinuidade de imobilizado anteriormente reavaliado. e) da fusão de companhias com atividades operacionais dispares ou de segmentos econômicos diferenciados. Dados da Cia. Comercial Santarém: 1 – Balanço Patrimonial de Disponibilidades Estoques Clientes Prov. p/Devedores Duvidosos Duplicatas Descontadas Participações Societárias Terrenos Bens de Uso Depreciações Acumuladas Total Ativo C/ a Pagar Fornecedores Provisão p/ Imposto de Renda Dividendos a Pagar Empréstimos de L. Prazo Capital Social Reservas de Lucros Lucros Prejuízos Acumulados Total P+PL 19x8 19x8 2.000 6.500 25.000 (250) (8.750) 10.000 15.000 13.000 (2.000) 60.500 5.000 10.000 1.000 1.000 10.000 30.000 500 3.000 60.500 e 19x9 4.000 4.000 42.000 (300) (6.200) 12.000 15.000 18.000 (3.500) 85.000 7.000 13.500 2.000 3.500 16.000 40.000 1.000 2.000 85.000 19x9

2 – Demonstração do Resultado dos Exercícios de 19x8 e 19x9 19x8 19x9 Vendas 160.000 300.000 CMV (80.000) (180.000) Resultado Bruto Operacional 80.000 120.000 Despesas Administrativas (49.700) (70.000) Depreciação (1.000) (1.500) Devedores Duvidosos (250) (300) Despesas Financeiras (3.750) (8.700) Despesas de Vendas (19.800) (31.500) Resultado Antes do Imp. de Renda 5.500 8.000 Provisão p/ Imposto de Renda (1.000) (2.000) Resultado Líquido do Exercício 4.500 6.000 3 – Outras informações: Do resultado de 19x9 foram destinados: 3.500 para os acionistas e 500 para Reservas de Lucros. os Tomando como base apenas os dados acima fornecidos, responder as questões de n 23 a 30 a seguir:

224

912) SERPRO/2001-ESAF - O valor do Ativo Circulante em 19x9 é: a) 50.000 b) 46.000 c) 43.500 d) 36.500 e) 24.000 913) SERPRO/2001-ESAF - O valor do Passivo Não Circulante para as dois períodos é: 19x8 19x9 a) 43.500 59.000 b) 41.500 43.500 c) 36.000 40.500 d) 24.500 29.500 e) 17.000 26.000 914) SERPRO/2001-ESAF - O Capital Circulante Líquido nos dois períodos é: 19x8 19x9 a) (17.500) 26.000 b) 17.500 (26.000) c) 10.000 (24.500) d) (7.500) 17.500 e) 7.500 17.500 915) SERPRO/2001-ESAF - O valor das compras de mercadorias efetuadas em 19x9 é: a) 180.000 b) 177.500 c) 177.000 d) 173.500 e) 173.000 916) SERPRO/2001-ESAF - Com base unicamente nos dados fornecidos pode-se identificar que: a) foi efetuado um pagamento de dividendos na ordem de 3.500 b) a Liquidez Imediata apresenta uma acentuada queda em 19x9 c) ocorreram perdas com clientes na ordem de 300 em 19x8 d) houve um aumento de capital com aporte de recursos dos sócios e) as atividades de investimento geraram um aumento nas disponibilidades 917) SERPRO/2001-ESAF - Em 19x9 o valor dos ingressos de disponibilidades originados por vendas é: a) 300.000 b) 296.500 c) 283.200 d) 280.200 e) 280.000 918) SERPRO/2001-ESAF - O quociente de Liquidez Geral em 19x9 é: a) 1,67 b) 1,52 c) 1,44 d) 1,12 e) 1,06 919) SERPRO/2001-ESAF - O valor apurado, em 19x9, como pagamento de Despesas, no Fluxo de Caixa pelo Método Direto é: a) 173.500 b) 173.200 c) 108.200 d) 78.200 e) 68.000 920) AFC-STN 16/12/00-ESAF - Uma empresa que contabiliza suas operações pelo regime de caixa, quando as comparar com o princípio da competência, para fins de balanço, vai verificar que as despesas incorridas, mas não pagas no exercício, provocaram a) um passivo menor que o real e um lucro maior que o real b) um passivo maior que o real e um lucro menor que o real c) um ativo maior que o real e um lucro maior que o real d) um ativo maior que o real e um lucro menor que o real e) um ativo maior que o real e um passivo menor que o real

225

921) AFC-STN 16/12/00-ESAF - A empresa Comercial Aurífero foi constituída por três sócios, que integralizaram de imediato o capital de R$ 25.000,00, cabendo R$ 10.000,00 ao sócio Abel Bastos, R$ 5.000,00 ao sócio Caio Dantas e R$ 10.000,00 ao sócio Élcio Freitas. Após determinado período, o histórico de resultados da empresa era o seguinte: lucros auferidos nas operações: R$ 20.000,00, dos quais apenas R$ 5.000,00 foram distribuídos e pagos aos sócios. Os restantes R$ 15.000,00, por decisão dos próprios sócios, foram reinvestidos na empresa coma reserva para aumento de capital. Por esta época, o Sr. Caio Dantas resolveu retirar-se da sociedade oferecendo sua parte à venda, com um ágio de 10%. O Sr. Abel Bastos aceitou a compra, mas com deságio de 10%; o Sr. Élcio Freitas fez proposta de compra a valor patrimonial. A empresa tem dívidas calculadas em 20% do patrimônio bruto. A partir dessas informações, pode-se afirmar que a) Abel Bastos aceita o capital de Caio Dantas com deságio, por R$ 4.500,00 b) Abel Bastos quer vender seu capital com ágio, por R$ 5.500,00 c) a empresa já tem um passivo de R$ 8.000,00 d) o valor patrimonial do capital de Caio Dantas atualmente é R$ 9.000,00 e) o patrimônio bruto dessa empresa já soma o total de R$ 50.000,00 922) AFC-STN 16/12/00-ESAF - A microempresa Global ME elaborou sua folha de pagamento com salários totais de R$ 2.000,00, e alíquotas de previdência de 21%, a parte patronal e de 11%, a parte dos empregados. A contabilização das contribuições previdenciárias sobre essa folha de pagamento vai provocar a) débito de 640,00 em despesa de previdência e crédito de 640,00 em contribuições a recolher b) débito de 640,00 em despesa de previdência, crédito de 420,00 em contribuições a recolher e crédito de 220,00 em Salários a Pagar c) débito de 640,00 em despesa de salários e crédito de 640,00 em contribuições a recolher d) débito de 220,00 em despesa de salários, débito de 420,00 em despesa de previdência e crédito de 640,00 em contribuições a recolher e) débito de 220,00 em despesa de salários, débito de 420,00 em despesa de previdência, crédito de 420,00 em contribuições a recolher e crédito de 220,00 em Salários a Pagar 923) AFC-STN 16/12/00-ESAF - A consolidação do pensamento contábil pautou-se em diversos estudos e correntes doutrinárias, entre as quais se destaca uma teoria de cunho jurídico denominada “Personalismo” ou “Teoria Personalista das Contas”, que divide os componentes do sistema contábil em contas de agentes consignatários, contas de agentes correspondentes e contas do proprietário. Assinale entre as opções abaixo aquela que, segundo a Teoria Personalista, contém apenas contas do proprietário. a) Juros Ativos, Salários a Pagar, Capital Social, Lucros Acumulados, Ações de Coligadas b) Juros a Receber, Salários, Capital Social, Móveis e Utensílios, Imposto a Recolher c) Juros Passivos, Salários, Capital Social, Impostos, Reservas de Contingências d) Patentes, Capital Social, Juros a Pagar, Impostos, Reservas de Reavaliação e) Depreciação Acumulada, Impostos a Recolher, Juros a Receber, Cliente e Duplicatas a Pagar 924) AFC-STN 16/12/00-ESAF - Um direito sobre bens do ativo permanente tem vida útil de 7 (sete) anos. Submetendo-se esse bem à depreciação, comparativamente, pelos Métodos da Linha Reta e da Soma dos Dígitos dos Anos, pode-se afirmar que, no quarto ano da vida útil, a) o imposto de renda seria maior se fosse utilizado o método da linha reta b) o imposto de renda seria maior se fosse utilizado o método da soma dos dígitos dos anos c) coincidentemente, o imposto de renda seria o mesmo em ambas as hipóteses d) a depreciação, durante a vida útil, na verdade, não afetaria o imposto de renda e) o imposto de renda seria maior, num ou noutro método, dependendo do valor residual 925) AFC-STN 16/12/00-ESAF - A empresa S A Comércius Tributs adquiriu no mês de maio mercadorias no valor de R$ 3.500,00, com ICMS de 17%. Nesse mês a empresa manteve 30% das mercadorias em estoque e realizou 70% através de vendas ao preço total de R$ 6.000,00, sendo metade tributada a 17% e metade a 13% de ICMS. Baseados nestas informações conseguimos apurar que, no fim do referido mês, a empresa em questão terá: a) Resultado Operacional Bruto no valor de R$ 5.100,00 b) Receita Líquida de Vendas no valor de R$ 5.405,00 c) Custo da Mercadoria Vendida no valor de R$ 3.067,00 d) ICMS a Recuperar no valor de R$ 595,00 e) ICMS a Recolher no valor de R$ 305,00

226

926) AFC-STN 16/12/00-ESAF - A relação abaixo contém as contas e respectivos saldos colhidos, em 31.12.1999, no livro razão da FIRMASA para fins de elaboração das Demonstrações Financeiras. Contas 1999 Caixa 1.600,00 Capital Social 4.000,00 Clientes 4.600,00 Debêntures Emitidas - Longo Prazo 4.000,00 Depreciação Acumulada - Equipamentos 100,00 Depreciação Acumulada - Veículos 800,00 Dividendos a Pagar 2.400,00 Equipamentos 1.000,00 Fornecedores 3.600,00 Mercadorias 18.400,00 Provisão p/ Devedores Duvidosos 600,00 Reservas 1.000,00 Salários a Pagar 800,00 Seguros a Vencer 400,00 Veículos 4.000,00 Custo das Vendas 8.600,00 Despesas Operacionais 5.300,00 Outras Receitas Operacionais 2.800,00 Receitas Não-Operacionais 3.800,00 Vendas 20.000,00 Observações: - Apenas R$ 500,00 das despesas operacionais se referem a depreciações do período. - Do lucro líquido R$ 8.100,00 foram creditados em “reservas”. Todo o restante foi destinado ao pagamento de dividendos. Com base nas informações acima, podemos afirmar que o balancete de verificação e o balanço patrimonial dessa empresa, no exercício de 1999, “fecharão” com saldos devedores e patrimônio bruto, respectivamente, no valor de a) R$ 30.000,00 e R$ 28.500,00 b) R$ 31.500,00 e R$ 28.500,00 c) R$ 42.400,00 e R$ 30.000,00 d) R$ 43.900,00 e R$ 28.500,00 e) R$ 47.900,00 e R$ 32.500,00 927) AFC-STN 16/12/00-ESAF - Ao fim de cada exercício social, a Diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as demonstrações financeiras, para exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas durante o exercício. A seguir temos cinco frases a respeito desse assunto. Assinale aquela que representa uma afirmativa verdadeira. a) O exercício social terá a duração de 1 (um) ano e a data do início e do término deverá ser fixada no estatuto. b) As demonstrações financeiras deverão registrar a destinação do lucro proposta pelos órgãos da administração, desde que tenha havido a aprovação pela assembléia geral. c) As notas explicativas deverão indicar os investimentos em outras sociedades, mas apenas aqueles investimentos que forem, e quando forem, relevantes. d) Como componentes do grupo resultados de exercícios futuros deverão ser classificadas as receitas de exercícios futuros, ou seja, aquelas receitas que tiverem sido recebidas antecipadamente. e) As contas de depreciação acumulada são componentes do ativo imobilizado, enquanto que as contas de amortização acumulada integram o ativo diferido. 928) AFC-STN 16/12/00-ESAF - Observando a relação de contas abaixo, verificamos que contém todas as contas e saldos respectivos que importam ao resultado do exercício na empresa Comércio Comercial Ltda. Contas saldos Aluguéis Passivos 300,00 COFINS 400,00 Compras do Período 9.000,00 Despesas Financeiras 160,00 Despesas Gerais 180,00 Devolução de Vendas 200,00 Encargos de Previdência 200,00 227

a) b) c) d) e)

FGTS 260,00 Ganhos de Capital 700,00 ICMS sobre Compras 1.200,00 ICMS sobre Vendas 1.700,00 Mercadorias 2.000,00 PIS sobre Faturamento 100,00 Provisão para Imposto de Renda 600,00 Receita Bruta de Vendas 10.000,00 Receitas de Aplicação Financeira 400,00 Salários e Ordenados 400,00 Ao elaborarmos a demonstração de resultado do exercício, considerando a existência de um estoque final de mercadorias no valor de R$ 5.000,00, com certeza vamos constatar que a receita líquida e o lucro bruto desta empresa alcançaram, respectivamente, os valores de R$ 7.600,00 e R$ 2.600,00 R$ 7.600,00 e R$ 2.800,00 R$ 8.100,00 e R$ 2.500,00 R$ 8.100,00 e R$ 2.800,00 R$ 8.800,00 e R$ 2. 800,00

929) AFC-STN 16/12/00-ESAF - A Assembléia Geral Ordinária da firma Confecções Madagascar S.A aprovou proposta de distribuição de lucros apresentada pela Diretoria, nos seguintes termos: 5% para formação de reserva legal; 10% para pagamento de participação à diretoria; 20% para formação de reserva estatutária; 25% para pagamento de dividendo mínimo obrigatório; 30% para pagamento do imposto de renda e o restante para crédito em lucros acumulados. Observações: A conta lucros ou prejuízos acumulados já tinha saldo devedor de R$ 5.000,00. O crédito do período antes de qualquer destinação foi um lucro líquido de R$ 45.000,00. Com fulcro nessas informações, pode-se afirmar que, no encerramento do exercício de que se trata, foi contabilizado o valor de a) R$ 1.260,00 em Reserva Legal b) R$ 3.200,00 em Participações da Diretoria a Pagar c) R$ 5.600,00 em Reservas Estatutárias d) R$ 7.235,00 em Dividendos a Pagar e) R$ 11.600,00 em Provisão para Imposto de Renda 930) AFC(SFC)-2000-ESAF - Abaixo são apresentadas assertivas sobre os enunciados dos Princípios Fundamentais de Contabilidade. Apenas uma dessas frases contém afirmativa verdadeira. As outras apresentam defeitos, incorreções ou imprecisões, que as tornam falsas e incorretas. 1 - Sempre que se apresentarem afirmativas igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o Patrimônio Líquido, deve ser adotado o menor valor para os componentes do Ativo e do Passivo. 2 - Na apuração do resultado do período devem ser incluídas todas as receitas recebidas e todas as despesas pagas, sempre simultaneamente quando se correlacionarem, independentemente de terem sido auferidas ou realizadas. 3 - Quando da classificação e avaliação das mutações patrimoniais, quantitativas e qualitativas, deve ser considerada a vida definida ou provável da entidade, bem como o fato de ela permanecer ou não existindo e funcionando. 4 - O patrimônio é o objeto da Contabilidade e pertence à entidade, confundindo-se, apenas, com os patrimônios dos seus sócios ou proprietários, no caso de sociedades ou instituições. 5 - Os componentes do patrimônio devem ser registrados pelos valores originais das transações com o mundo exterior, expressos a valor presente na moeda em que se tiver realizado o negócio ou transação. 6 - Os efeitos da alteração do poder aquisitivo da moeda nacional devem ser reconhecidos nos registros contábeis através do ajustamento da expressão formal dos valores dos componentes patrimoniais, sempre que houver um surto inflacionário. Das opções acima apresentadas, a única verdadeira é aquela que se refere ao Princípio a) da Atualização Monetária b) do Registro pelo Valor Original c) da Entidade d) da Competência e) da Continuidade

228

931) AFC(SFC)-2000-ESAF - Durante todo o mês passado, as operações mercantis da Sociedade Sol Sanônima obedeceram ao seguinte fluxo: Aquisições a vista 1.000,00 Vendas a vista 1.800,00 Aquisições a prazo 2.000,00 Vendas a prazo 1.300,00 Devolução de compras 400,00 Abatimento sobre vendas 200,00 ICMS sobre compras 600,00 ICMS sobre vendas 900,00 PIS s/Faturamento 100,00 FGTS 300,00 Estoques no início do mês 500,00 Estoques no fim do mês 1.400,00 Após efetuar os registros contábeis necessários e fazer a Demonstração do Resultado do referido mês, a sociedade apurou: a) Receita Líquida de R$ 2.000,00 b) Lucro Bruto de R$ 1.900,00 c) Lucro Operacional de R$ 500,00 d) Custo das Mercadorias Vendidas de R$ 1.700,00 e) ICMS a Recolher de R$ 900,00 932) AFC(SFC)-2000-ESAF - A empresa Saturno Ltda. preparou sua folha de pagamento de dezembro com os seguintes dados: 1- salários e ordenados dos empregados R$ 3.000,00; 2- horas extras trabalhadas no mês R$ 200,00; 3- previdência social dos empregados à alíquota de 11%; 4- Fundo de Garantia dos empregados à alíquota de 8%; e 5- previdência social patronal à alíquota de 21%. A contabilização dessa folha de pagamento foi efetuada, de forma correta, em um único lançamento. Assinale a opção que o contém: a) Despesas de Salários e Ordenados a Salários e Ordenados a Pagar valor da folha de salários que ora se contabiliza 4.480,00 b) Despesas de Salários e Ordenados a Diversos valor da folha de salários que ora se contabiliza, como segue: a Salários e Ordenados a Pagar 4.128,00 a Contribuições Sociais a Recolher 352,00 4.480,00 c) Diversos a Diversos valor da folha de salários que ora se contabiliza, como segue: Despesas de Salários e Ordenados 3.200,00 Encargos Sociais e Trabalhistas 1.280,00 4.480,00 a Salários e Ordenados Pagar 2.848,00 a Contribuições Sociais a Recolher 1.632,00 4.480,00 d) Diversos a Diversos valor da folha de salários que ora se contabiliza, como segue: Despesas de Salários e Ordenados 3.200,00 Encargos Sociais e Trabalhistas 928,00 4.128,00 a Salários e Ordenados a Pagar 2.848,00 a Contribuições Sociais a Recolher 1.280,00 4.128,00

229

e) Diversos a Diversos valor da folha de salários que ora se contabiliza, como segue: Despesas de Salários e Ordenados 2.848,00 Encargos Sociais e Trabalhistas 1.280,00 a Salários e Ordenados a Pagar 2.848,00 a Contribuições Sociais a Recolher 1.280,00

4.128,00 4.128,00

933) AFC(SFC)-2000-ESAF - No último dia do exercício apuramos os seguintes saldos: Contas saldos Ações em Tesouraria R$ 800,00 Ações em Outras Cias. (caráter permanente) R$ 1.000,00 Ações de Coligadas (investimento relevante) R$ 2.000,00 Ações de Controladas R$ 5.000,00 Veículos R$ 1.200,00 Móveis e Utensílios R$ 800,00 Marcas e Patentes R$ 400,00 Gastos Pré-operacionais R$ 200,00 Para fins de balanço final foram efetuados alguns ajustes contábeis, por força das exigências técnicas, legais e estatutárias. São eles: 1- provisão para FGTS R$ 30,00 2- provisão para perdas em investimentos R$ 100,00 3- provisão para Imposto de Renda R$ 200,00 4- provisão para créditos de liquidação duvidosa R$ 80,00 5- depreciação de bens de uso R$ 25,00 6- amortização de bens intangíveis R$ 10,00 7- dividendos a receber de controladas R$ 35,00 8- dividendos a receber de coligadas R$ 15,00 Contabilizados esses ajustes, o Ativo Permanente da empresa passou a ter o valor de: a) R$ 10.235,00 b) R$ 10.415,00 c) R$ 10.465,00 d) R$ 11.005,00 e) R$ 11.265,00 934) AFC(SFC)-2000-ESAF - A Nossa Firma, ao fim do exercício social de 19X1, ostentava um patrimônio líquido com a seguinte composição: Capital Social 100.000,00 Capital a Realizar (9.000,00) Reservas de Capital 8.000,00 Reservas Estatutárias 7.000,00 Reserva Legal 6.000,00 Lucros Acumulados 5.000,00 Somatório 117.000,00 No resultado do exercício de 19X1, foi apurado um prejuízo líquido no valor de R$ 15.000,00, que deverá ser absorvido por recursos próprios anteriores. Assim sendo, o novo patrimônio líquido, após a absorção do prejuízo do exercício, deverá ter a seguinte composição: a) Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório Capital Social 100.000,00 ( 9.000,00) 8.000,00 0,00 3.000,00 0,00 102.000,00 100.000,00 ( 9.000,00) 8.000,00 3.000,00 0,00 0,00 102.000,00 100.000,00 230

b)

c)

Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório d) Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório Capital Social Capital a Realizar Reservas de Capital Reservas Estatutárias Reserva Legal Lucros Acumulados Somatório

( 9.000,00) 0,00 0,00 6.000,00 5.000,00 102.000,00 100.000,00 ( 9.000,00) 4.000,00 7.000,00 0,00 0,00 102.000,00 100.000,00 ( 9.000,00) 8.000,00 0,00 0,00 3.000,00 102.000,00

e)

935) AFRF/2002-ESAF - A firma Comércio Livre Ltda. apurou os seguintes valores, em 31.12.01: Depósito no banco R$ 150,00 Salários do mês R$ 620,00 Comissões Ativas R$ 450,00 Títulos a Receber R$ 900,00 Aluguéis Passivos R$ 600,00 Produtos para Venda R$ 750,00 Equipamentos R$ 1.000,00 Serviços Prestados a Prazo R$ 1.500,00 Capital Inicial R$ 2.650,00 Duplicatas a Pagar R$ 2.200,00 Lucros Anteriores R$ 120,00 Casa e Terrenos R$ 1.350,00 Receitas de Vendas R$ 1.000,00 Impostos Atrasados R$ 450,00 Ao elaborar Balancete de Verificação e o Balanço Patrimonial com fulcro nas contas e saldos acima, a empresa encontrará: a) Saldos devedores no valor de R$ 5.650,00. b) Ativo Circulante no valor de R$ 2.250,00. c) Passivo Circulante no valor de R$ 4.150,00. d) Ativo Permanente no valor de R$ 2.950,00. e) Patrimônio Líquido no valor de R$ 3.000,00. 936) AFRF/2002-ESAF - A empresa Livre Comércio Ltda. realizou as seguintes operações ao longo do mês de setembro de 2001: I. venda a vista de mercadorias por R$ 300,00, com lucro de 20% sobre as vendas; II. pagamento de duplicatas de R$ 100,00, com juros de 15%; III. prestação de serviços por R$ 400,00, recebendo, no ato, apenas 40%; e IV. pagamento de títulos vencidos no valor de R$ 200,00, com desconto de 10%. Analisando as operações acima listadas podemos afirmar que, em decorrência delas, a) o ativo recebeu débitos de R$ 460,00. b) o ativo aumentou em R$ 165,00. c) o patrimônio líquido aumentou em R$ 460,00. d) o passivo recebeu créditos de R$ 300,00. e) o passivo diminuiu em R$ 335,00.

231

937) AFRF/2002-ESAF - A empresa Agro & Pecuária S/A apurou no exercício um lucro líquido de R$ 140.000,00. Não havendo prejuízos anteriores a amortizar, a Contabilidade providenciou o registro da seguinte destinação: Participações estatutárias R$ 7.000,00 Reservas estatutárias R$ 8.000,00 Reserva legal R$ 9.000,00 Reserva para contingência R$ 10.000,00 Reversão de reserva p/contingências R$ 2.000,00 Reversão de reservas estatutárias R$ 1.000,00 Após a constituição e a reversão das reservas acima, o Contador deve contabilizar o Dividendo Mínimo Obrigatório de 30% sobre o lucro, conforme previsto nos Estatutos. Isso provocará um aumento do passivo no valor de a) R$ 32.700,00 b) R$ 34.800,00 c) R$ 37.200,00 d) R$ 37.500,00 e) R$ 37.800,00 938) AFRF/2002-ESAF - As contas abaixo representam um grupo de receitas e despesas e, embora distribuídas aqui aleatoriamente, compõem a demonstração do resultado do exercício da empresa Boapermuta S/A. Receitas Não-Operacionais R$ 2.000,00 Provisão para Contribuição Social 10% Juros Recebidos R$ 1.500,00 Depreciação R$ 700,00 Participação de Administradores 5% Impostos e Taxas R$ 500,00 Propaganda e Publicidade R$ 1.800,00 Vendas Canceladas R$ 20.000,00 PIS/PASEP 1% Despesas Bancárias R$ 800,00 Estoque Inicial R$ 30.000,00 Comissões sobre Vendas de Mercadorias R$ 3.000,00 Descontos Incondicionais Concedidos R$ 20.000,00 Estoque Final R$ 37.000,00 Descontos Condicionais Concedidos R$ 2.000,00 Participação de Partes Beneficiárias 5% Juros Pagos R$ 500,00 Vendas de Mercadorias R$ 100.000,00 COFINS 2% Salários e Encargos R$ 3.000,00 Água e Energia R$ 200,00 Provisão para Imposto de Renda 15% Compras de Mercadorias R$ 50.000,00 ICMS s/ Compras e Vendas 12% Descontos Obtidos R$ 15.000,00 Ordenando-se as contas acima, adequadamente e em conformidade com as regras de elaboração da Demonstração do Resultado do Exercício, vamos encontrar a) Receita Líquida de Vendas de R$ 48.000,00. b) Lucro Operacional Bruto de R$ 4.000,00. c) Lucro Operacional Líquido de R$ 15.000,00. d) Lucro Líquido antes da Contribuição Social e do Imposto de Renda de R$ 20.000,00. e) Lucro Líquido do Exercício de R$ 13.500,00. 939) AFRF/2002-ESAF - A empresa Zucata S/A, que negocia com máquinas usadas, em 30 de abril, promoveu uma venda dos seguintes itens: um trator de seu estoque de vendas, vendido por R$ 35.000,00; um jeep de seu imobilizado, vendido por R$ 25.000,00; e um imóvel de sua propriedade, vendido por R$ 70.000,00. A operação de venda não sofrerá nenhum gravame fiscal, a não ser de imposto de renda sobre eventuais lucros ao fim do ano e que serão calculados naquela ocasião. Os dados para custeamento da transação foram os seguintes: - o trator foi adquirido por R$ 28.000,00, tem vida útil de 10 anos e já estava na empresa há dois anos e meio; - o jeep foi adquirido por R$ 20.000,00, tem vida útil de 8 anos e já estava na empresa há dois anos; - o imóvel foi adquirido por R$ 80.000,00, tem uma edificação equivalente a 40% do seu valor, com vida útil estimada em 25 anos e já estava na empresa há dez anos. 232

Considerando essas informações, podemos afirmar que, na operação de venda, a Zucata alcançou um lucro global de a) R$ 26.200,00 b) R$ 26.000,00 c) R$ 21.000,00 d) R$ 19.800,00 e) R$ 14.000,00 940) AFRF/2002-ESAF - A Cia. Faunix & Florix, ao fim do ano de 2001, demonstrava o seguinte Patrimônio Líquido: Capital Social R$ 50.000,00 Reserva de Subvenção para Investimentos R$ 2.000,00 Reserva de Reavaliação R$ 3.000,00 Reserva Estatutária R$ 4.000,00 Reserva Legal R$ 8.000,00 O lucro líquido apurado no exercício foi de R$ 60.000,00, após a destinação planejada, exceto a constituição de reservas. Agora, para seguir as regras e preceitos atinentes à espécie, a Contabilidade deverá contabilizar uma Reserva Legal de a) R$ 3.000,00 b) R$ 2.500,00 c) R$ 2.000,00 d) R$ 1.000,00 e) R$ 0,00 941) AFRF/2002-ESAF - O patrimônio da Cia. ZAZ TRAZ S/A foi devidamente apurado em 31.12.01, data do encerramento do exercício, demonstrando os dados abaixo, em ordem alfabética. Ações de Coligadas R$ 900,00 Ações de Curto Prazo R$ 600,00 Ações em Tesouraria R$ 400,00 Adiantamento a Fornecedores R$ 200,00 Amortização Acumulada R$ 400,00 Bancos c/Movimento R$ 1.000,00 Capital a Integralizar R$ 700,00 Capital Social R$ 7.000,00 Débitos de Coligadas R$ 1.300,00 Depreciação Acumulada R$ 400,00 Duplicatas Descontadas R$ 1.200,00 Duplicatas a Receber R$ 5.000,00 Duplicatas a Pagar R$ 2.000,00 Estoques de Mercadorias R$ 4.500,00 Fornecedores R$ 3.200,00 Gastos Pré-Operacionais R$ 1.400,00 Máquinas e Equipamentos R$ 2.100,00 Prejuízos Acumulados R$ 200,00 Provisão para Ajuste de Estoques R$ 200,00 Provisão para Férias R$ 700,00 Provisão para Perdas em Investimentos R$ 300,00 Reserva para Contingências R$ 800,00 Reserva Legal R$ 600,00 Reserva de Reavaliação R$ 1.500,00 A elaboração do Balanço Patrimonial, com base nas contas e nos saldos acima, certamente demonstrará: a) Ativo Permanente no valor de R$ 3.600,00 b) Patrimônio Bruto no valor de R$ 14.500,00 c) Patrimônio Líquido no valor de R$ 9.000,00 d) saldos credores no valor de R$ 14.500,00 e) saldos devedores no valor de R$ 18.100,00

233

942) TRF-2002-ESAF - O patrimônio da Empresa Alvas Flores, em 31.12.01, era composto pelas seguintes contas e respectivos saldos, em valores simbólicos. Caixa R$ 100,00 Capital Social R$ 350,00 Empréstimos Obtidos LP R$ 150,00 Bancos c/Movimento R$ 200,00 Lucros Acumulados R$ 200,00 Fornecedores R$ 100,00 Contas a Receber R$ 100,00 Empréstimos Concedidos LP R$ 100,00 Dividendos a Pagar R$ 150,00 Duplicatas Emitidas R$ 800,00 Notas Promissórias Emitidas R$ 500,00 Adiantamento de Clientes R$ 200,00 Impostos a Pagar R$ 50,00 Equipamentos R$ 100,00 Clientes R$ 450,00 Reserva Legal R$ 100,00 Mercadorias R$ 500,00 Notas Promissórias Aceitas R$ 250,00 Duplicatas Aceitas R$ 1.000,00 Patentes R$ 200,00 A representação gráfica do patrimônio que acima se compõe evidenciará um ativo total no valor de a) R$ 2.400,00 b) R$ 2.600,00 c) R$ 2.800,00 d) R$ 2.850,00 e) R$ 3.050,00 943) TRF-2002-ESAF - A nossa Empresinha de Compras realizou as cinco operações abaixo, no prazo de uma semana. 1 - comprou objetos por R$ 2.000,00, pagando 30% de entrada; 2 - pagou a conta de luz vencida no mês passado, no valor de R$ 95,00; 3 - vendeu 2/4 dos objetos por R$ 800,00, recebendo 40% de entrada; 4 - registrou a conta de luz do mês (R$ 80,00) para pagamento no mês seguinte; e 5 - vendeu, a vista, o resto dos objetos comprados, por R$ 1.300,00. A contabilização obedece aos princípios fundamentais da Contabilidade; as operações de compra e venda não sofreram tributação; não houve outras transações no mês. O registro contábil desses fatos, se corretamente lançados, evidenciará o seguinte resultado do mês: a) R$ 5,00 (lucro) b) R$ 20,00 (lucro) c) R$ 75,00 (prejuízo) d) R$ 100,00 (lucro) e) R$ 155,00 (prejuízo) 944) TRF-2002-ESAF - Abaixo estão cinco afirmativas relacionadas com o Balanço Patrimonial. Assinale a opção que expressa uma afirmação falsa. a) As duplicatas descontadas, cujos vencimentos ocorrerem após o encerramento do exercício social seguinte ao do balanço, formarão conta redutora do ativo realizável a longo prazo. b) As sociedades podem valer-se da constituição de reserva para contingências para enfrentar a quitação futura de seu passivo trabalhista. c) São coligadas as sociedades quando uma participa com 10% ou mais do capital social da outra, sem controlála. d) Consoante o critério de avaliação das contas, no ativo circulante, os direitos realizáveis compreendem as contas representativas de disponibilidades, bens, direitos ou valores a receber. e) Consideram-se ativo diferido as aplicações de recursos em gastos que contribuam para a formação do resultado de mais de um exercício social. 945) AFC-2002-ESAF - A empresa Comércio e Indústria LSM promoveu o estudo comparativo de três de seus produtos no mercado específico, compilando os seguintes dados: • item alfa: saldo contábil R$ 300.000,00, quantidade 12.000, preço de mercado R$ 24,00; • item beta: saldo contábil R$ 25.000,00, quantidade 1.000, preço de mercado R$ 26,00; • item celta: saldo contábil R$ 153.000,00, quantidade 5.100, preço de mercado R$ 31,00. Diante da conclusão desse estudo e para atender aos princípios fundamentais de contabilidade, a empresa deverá, para fins de balanço, a) fazer provisão de R$ 12.000,00, com base na variação negativa entre custo e mercado. b) fazer provisão de R$ 10.860,00, com base na diferença média de variação entre custo e mercado. c) fazer provisão de R$ 6.100,00, com base na variação positiva entre custo e mercado. d) fazer provisão de R$ 5.900,00, com base na diferença de variação entre custo e mercado. e) deixar de fazer provisão, pois o preço médio de mercado é maior que o de custo. 234

946) AFC-2002-ESAF - O patrimônio da Indústria Luzes & Velas é constituído pelos elementos que abaixo apresentamos com valores apurados em 30 de setembro. Bens fixos R$ 2.100,00 Notas Promissórias emitidas R$ 600,00 Débitos de Funcionamento R$ 900,00 Créditos de Financiamento R$ 600,00 Bens de Venda R$ 900,00 Créditos de Funcionamento R$ 1.200,00 Bens Numerários R$ 450,00 Bens de Renda R$ 750,00 Débitos de Financiamento R$ 300,00 Reservas de Lucros R$ 750,00 Reservas de Capital R$ 1.800,00 Sabendo-se que essa empresa apresenta lucros acumulados correspondentes a 25% do valor do capital de terceiros, podemos afirmar que o valor do seu Capital Social é a) R$ 4.200,00 b) R$ 3.000,00 c) R$ 2.550,00 d) R$ 1.800,00 e) R$ 1.200,00 947) AFC-2002-ESAF - Entre as cinco opções, assinale aquela que contém uma afirmativa correta. a) No Ativo Circulante são classificados, entre outros, os direitos realizáveis no curso do exercício social subseqüente e as despesas do exercício seguinte ao balanço. b) No Ativo Realizável a Longo Prazo são classificados, entre outros, os bens e direitos realizáveis após o término do exercício seguinte ao balanço e os bens e direitos oriundos dos negócios realizados por controladas, coligadas, proprietários, sócios, acionistas e diretores. c) Em investimentos, no Ativo Permanente, são classificados as participações permanentes em outras sociedades e os direitos de qualquer natureza que não se destinem à manutenção da atividade da empresa. d) No Ativo Diferido são classificadas, entre outras, as contas representativas das aplicações de recursos que contribuirão para a formação do resultado de mais de um exercício social. e) Como reservas de capital, no Patrimônio Líquido, são classificados, entre outros, os valores recebidos a título de ágio na subscrição de ações de coligadas, que ultrapassarem a importância destinada à formação do capital social. 948) AFC-2002-ESAF - A Empresa Oficial de Mercancia, em 31/12/01 elaborou o seguinte balancete de verificação: Ações em Tesouraria R$ 1.000,00 Ações de Coligadas R$ 1.500,00 Adiantamentos a Fornecedores R$ 600,00 Adiantamentos de Clientes R$ 300,00 Bancos c/ Movimento R$ 1.200,00 Capital a Integralizar R$ 4.000,00 Capital Social R$15.000,00 Clientes R$ 2.800,00 Duplicatas Descontadas R$ 800,00 Duplicatas a Receber R$ 2.000,00 Fornecedores R$ 6.000,00 Impostos a Recolher R$ 600,00 Juros Ativos R$ 300,00 Juros Ativos a Receber R$ 110,00 Juros Ativos a Vencer R$ 100,00 Juros Passivos R$ 200,00 Lucros Acumulados R$ 300,00 Material de Consumo R$ 500,00 Mercadorias R$ 3.000,00 Móveis e Utensílios R$ 5.500,00 Provisão de Férias R$ 400,00 Provisão para Imposto de Renda R$ 1.800,00 Provisão p/ Perdas Investimentos R$ 700,00 Reserva Legal R$ 800,00 Seguros a Vencer R$ 190,00 Veículos R$ 4.500,00 Ao elaborar o balanço patrimonial, a empresa certamente encontrará 235

a) Passivo Circulante de R$ 8.300,00 b) Ativo Circulante de R$ 8.700,00 c) Patrimônio Líquido de R$ 11.100,00 d) Ativo Permanente de R$ 11.800,00 e) Ativo Total de R$ 20.400,00 949) AFC-2002-ESAF - A Cia. SM Simétrica, em 31/12/01, contabilizou o encerramento de suas contas de resultado para fins de balanço com base nos seguintes saldos, aqui mostrados em ordem alfabética: COFINS R$ 18.600,00 Compras 4.000 unidades Contribuição Social sobre Lucro R$ 2.900,00 Custo unitário compras/fatura R$ 100,00 Custo unitário Estoque Inicial R$ 85,00 Custo unitário Estoque Final Preço Médio Ponderado Despesas Administrativas R$ 9.000,00 Despesas Financeiras R$ 10.000,00 Despesas Gerais R$ 11.000,00 Despesas Não-Operacionais R$ 5.000,00 Estoque inicial de mercadorias 4.000 unidades Estoque final de mercadorias 3.000 unidades ICMS sobre Compras e Vendas 15% Lucro na Alienação de Bens de Uso R$ 7.000,00 Outras Receitas Operacionais R$ 6.000,00 Participação Estatutária R$ 3.700,00 PIS/Faturamento R$ 4.400,00 Provisão para Imposto de Renda R$ 17.100,00 Receitas de Vendas R$ 700.000,00 Receitas Financeiras R$ 4.000,00 Vendas Canceladas R$ 80.000,00 Ao elaborar a DRE – Demonstração do Resultado do Exercício, em 31/12/01, a Cia. SM encontrará a) receita líquida de vendas de R$ 492.000,00. b) lucro operacional bruto de R$ 41.500,00. c) lucro operacional líquido de R$ 59.000,00. d) lucro líquido antes do imposto de renda e da CSLL de R$ 54.100,00. e) lucro líquido após a tributação de R$ 33.300,00. 950) AFC-2002-ESAF - Ao encerrar o resultado do exercício de 2001 a Cia. De Sal & Sol apurou um lucro de R$ 85.000,00, após fazer as provisões para o imposto de renda e para a contribuição social sobre o lucro. A empresa deverá mandar contabilizar a destinação desse lucro para - Participações Estatutárias o valor de R$ 5.000,00 - Reservas Estatutárias o valor de 10% sobre o lucro - Reserva Legal o valor de R$ 4.000,00 e para - Dividendo Mínimo Obrigatório sobre o lucro o valor de R$ 20.000,00. Com base nas informações acima, pode-se afirmar que o valor destinado às reservas estatutárias deverá ser de a) R$ 5.600,00 b) R$ 6.000,00 c) R$ 7.600,00 d) R$ 8.000,00 e) R$ 8.500,00

236

951) AFC-2002-ESAF - A empresa Associety S/A, em 31/12/01 montou os balanços abaixo demonstrados sinteticamente e prontos para a evidenciação do capital de giro líquido. Contas Saldos Saldos 31/12/00 31/12/01 Caixa R$ 1.000,00 R$ 800,00 Clientes R$ 1.200,00 R$ 1.300,00 Estoques R$ 1.400,00 R$ 1.200,00 Duplicatas a receber R$ 1.600,00 R$ 1.650,00 Títulos a Receber Longo Prazo R$ 1.800,00 R$ 2.000,00 Ações de Coligadas R$ 2.000,00 R$ 1.700,00 Imóveis R$ 2.500,00 R$ 3.500,00 Depreciação Acumulada R$ 400,00 R$ 600,00 Dividendos a Pagar R$ 0,00 R$ 350,00 Fornecedores R$ 2.000,00 R$ 2.200,00 Duplicatas a Pagar R$ 1.200,00 R$ 1.100,00 Títulos a Pagar Longo Prazo R$ 2.300,00 R$ 1.500,00 Capital Social R$ 5.500,00 R$ 5.500,00 Capital a Integralizar R$ 600,00 R$ 100,00 Reserva Legal R$ 500,00 R$ 600,00 Lucros Acumulados R$ 200,00 R$ 400,00 Com base exclusivamente nas informações acima, pode-se dizer que a elaboração da Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos – DOAR vai evidenciar a) Redução do CCL no valor de R$ 450,00. b) Aumento do CCL no valor de R$ 700,00. c) Origens de recursos no valor de R$ 1.300,00. d) CCL atual no valor de R$ 2.000,00. e) Aplicações de recursos no valor de R$ 2.350,00. 952) TRF-2000-ESAF - Ao inventariar sua riqueza de acordo com o regime contábil de caixa, os proprietários concluíram que, hoje, sua firma possui débitos no valor de R$ 190.000,00, créditos no valor de R$ 180.000,00, um capital registrado e todo integralizado no valor de R$ 80.000,00, além de diversos bens no valor de R$ 100.000,00. Foi também apurada a existência de R$ 1.000,00 de receitas já ganhas mas ainda não quitadas; de R$ 1.300,00 de despesas quitadas antecipadamente; de uma conta de energia elétrica no valor de R$ 2.000,00 vencida e não paga; além da expectativa de perda da ordem de 1% no recebimento de letras com valor nominal de R$ 50.000,00. Ao demonstrar o patrimônio acima indicado, contabilizando-o segundo os princípios contábeis da Prudência e da Competência de Exercícios, essa empresa vai evidenciar no grupo Patrimônio Líquido um lucro acumulado no valor de a) R$ 9.800,00 b) R$ 7.200,00 c) R$ 10.000,00 d) R$ 27.200,00 e) R$ 30.000,00 953) TRF-2000-ESAF - O Contador da nossa firma recebeu para classificação e contabilização os documentos referentes aos seguintes fatos ocorridos em determinado mês: I - contrato de empréstimo no banco no valor de 1.200,00 com encargos de 10%; II - pagamento de um título de 650,00 com desconto de 10%; III - recebimento de um título de 460,00, com juros de 10%; IV - recebimento do aluguel do mês no valor de 38,00; V - registro dos impostos do mês para recolhimento posterior, no valor de 12,00; VI - compra a prazo de máquinas para uso por 1.000,00 pagando 40% de entrada; VII - pagamento de um título de 450,00 com juros de 10%; VIII - recebimento de um título de 360,00 com desconto de 10%; 237

IX - pagamento do aluguel do mês no valor de 28,00; X - registro de serviço realizado para recebimento a prazo, no valor de 52,00. Considerando, exclusivamente, a contabilização desses fatos, podemos afirmar que a) o lucro alcançado nas operações foi de R$ 40,00 b) no balanço patrimonial o valor do passivo exigível alcançou R$ 672,00 c) no balancete de verificação a soma dos saldos devedores é R$ 913,00 d) no balanço patrimonial a soma do grupo ativo alcançou R$ 712,00 e) o valor total creditado foi R$ 2.013,00 954) TRF-2000-ESAF - Em 31 de dezembro de 1999, o Contador da firma ZÊ LTDA. apresenta as seguintes contas e saldos, extraídos do livro Razão: CONTAS SALDOS Caixa 250 Duplicatas a Pagar 650 Lucros Acumulados 130 Aluguéis Passivos 140 Comissões Ativas 30 Receita de Juros 110 Impostos a Recolher 300 Veículos 900 Custo das Vendas 600 Receita de Vendas 900 Despesas de Juros 130 Clientes 360 Móveis e Utensílios 540 Capital Social 950 Impostos Federais 200 Salários 450 Fornecedores 880 FGTS a Recolher 200 Conferimos essa listagem e verificamos que o balancete não está fechado, pois a soma dos saldos devedores não está com valor igual à soma dos saldos credores. Mesmo assim, certificamo-nos de que as contas diferenciais estão todas representadas com saldos corretos na relação acima. Deste modo, podemos afirmar que o Patrimônio Líquido contido na listagem apresentada soma o valor de a) R$ 1.080,00 b) R$ 710,00 c) R$ 800,00 d) R$ 910,00 e) R$ 600,00 955) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Considere os seguintes dados: ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Mercadorias 50 Impostos a Pagar 80 Duplicatas a Receber 70 Salários a Pagar 120 Caixa 10 Fornecedores 240 Bancos 30 Empréstimos bancários 180 Outras contas 60 Matérias-Primas 60 Máquinas 120 o A apresentação acima, de acordo com as disposições da Lei n 6.404/76, incorre em algumas impropriedades. Elas são em número de: a) 3 b) 1 c) 2 d) 5 e) 4

238

956) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Indique a opção correta. a) Os financiamentos para aquisição de bens do ativo permanente, vencíveis após o término do exercício social seguinte, são classificados no Ativo Realizável a Longo Prazo. b) Os empréstimos recebidos de sociedades coligadas ou controladas, vencíveis no curso do exercício social seguinte, serão classificados no Ativo Circulante. c) Os empréstimos recebidos de sociedades coligadas ou controladas, vencíveis após término do exercício social seguinte, serão classificados no Passivo Exigível a Longo Prazo. d) Os financiamentos para aquisição de bens do Ativo Permanente, vencíveis após o término do exercício social seguinte, serão classificados no Passivo Circulante. e) Os empréstimos recebidos de sociedades coligadas ou controladas, vencíveis no curso do exercício social seguinte, serão classificados no Ativo Realizável a Longo Prazo. 957) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - A empresa Sol S.A. apresentou valores correntes ou circulantes, com os seguintes saldos: Caixa 40,00 Bancos c/Movimento 100,00 Valores Mobiliários 200,00 Mercadorias 600,00 Materiais de Consumo 120,00 Duplicatas a Pagar 800,00 Duplicatas Descontadas 300,00 Duplicatas a Receber 500,00 No encerramento do exercício, para promover os ajustes necessários ao Balanço, o Contador apurou que: 1 - o extrato bancário indicava um cheque de R$ 20,00 emitido mas ainda não sacado pelo portador; 2 - os valores mobiliários são mil ações da CSN, avaliadas a vinte e cinco centavos de real, no dia do balanço; 3 - ainda faltam contabilizar R$ 40,00 de receitas antecipadas e R$ 150,00 de despesas antecipadas. Feitas as atualizações contabilmente necessárias, o balanço patrimonial apresentará um Ativo Circulante no valor de: a) R$ 1.150,00 b) R$ 1.300,00 c) R$ 1.320,00 d) R$ 1.410,00 e) R$ 1.370,00 958) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - A aquisição, a vista, de um computador para o setor de vendas a) altera, para maior, o quociente de liquidez seca b) reduz o quociente de liquidez imediata c) não altera o quociente de liquidez geral d) não altera o quociente de liquidez imediata e) não altera o quociente de liquidez seca 959) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - A empresa Lua S.A. apresentou valores não circulantes ou permanentes, com os seguintes saldos: Contas: Saldos Ações de Coligadas R$ 2.000,00 Ações de Controladas R$ 5.000,00 Ações em Outras Cias. R$ 1.000,00 Gastos Pré-operacionais R$ 200,00 Marcas e Patentes R$ 400,00 Móveis e Utensílios R$ 800,00 Provisão para Perdas em Investimentos R$ 100,00 Veículos R$ 1.200,00 Observações: - não há contabilização de correção monetária - não houve nenhuma movimentação no saldo das contas - apenas a participação em controladas é avaliada por equivalência patrimonial - as participações acionárias são: PA de 40% em controladas; PA de 20% em coligadas; e PA de 10% em outras companhias. - as controladas apuraram lucro líquido de R$ 1.000,00 e distribuíram dividendos de R$ 200,00; - as coligadas apuraram lucro líquido de R$ 1.000,00 e distribuíram dividendos de R$ 200,00. Contabilizando-se os ajustes necessários ao balanço, no fim do exercício, vamos encontrar essa empresa com um Ativo Permanente no valor de a) R$ 10.860,00 b) R$ 10.980,00 c) R$ 10.620,00 d) R$ 10.900,00 e) R$ 10.820,00 239

960) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Na conversão de debêntures em ações, as parcelas que ultrapassem o valor nominal da ação deverão ser registradas como a) reserva de lucros que poderão amortizar prejuízos futuros ou ser distribuídas aos sócios no exercício social em que não forem apurados lucros b) reserva de lucros que poderá ser distribuída aos sócios, no próprio exercício c) reservas de capital d) reserva de lucros destinada, obrigatoriamente, a amortizar prejuízos e) receitas não-operacionais do exercício 961) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Indique a opção correta, levando em conta os seguintes dados: Capital 200 Reserva Legal 30 Reservas de Capital 25 Resultado antes do imposto de renda 400 Participações 20 Provisão para imposto de renda 80 O valor a ser destacado para constituição da Reserva Legal a) deverá ser de 15 b) deve ser de 5 c) pode ser de 15 d) deve ser de 20 e) pode ser de 5 962) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Os dados abaixo foram extraídos de um balancete: Compras 100 Custo de bens do ativo imobilizado vendidos 10 Despesas Comerciais 50 Despesas Gerais 110 ICMS sobre Vendas 80 Mercadorias 100 Receita de Venda de Bens do Ativo Imobilizado 20 Vendas 400 - o estoque final de Mercadorias é de 50; - desconsidere impostos sobre compra. O lucro operacional é de: a) 10 b) 90 c) (40) d) 100 e) 170 963) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - A empresa Lua Luar S.A., em 31.12.X1, mandou distribuir todo o lucro líquido do exercício, na forma seguinte: R$ 200,00 para imposto de renda; R$ 60,00 para dividendos; R$ 50,00 para reservas estatutárias; R$ 30,00 para participação de debenturistas; R$ 40,00 para reserva legal; e R$ 180,00 para lucros acumulados. Considerando-se que essa empresa tinha R$20,00 de prejuízos anteriores, e que a destinação do lucro foi corretamente contabilizada, podemos afirmar que: a) o valor das participações estatutárias é R$80,00 b) o lucro líquido do exercício, depois do imposto de renda, era de R$ 190,00 c) o saldo atual da conta Lucros ou Prejuízos Acumulados é de R$ 160,00 d) o lucro líquido do exercício, antes da distribuição, era de R$ 410,00 e) em decorrência do prejuízo anterior, o imposto de renda será de R$ 180,00 Histórico Quantidades Valor total Estoque inicial 120 1.200 Compras 400 5.040 Estoque final 20 240 O Resultado Operacional é de 2.000. Desconsidere impostos incidentes sobre compras e vendas. 240

964) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Assinale a opção correta, levando em conta os dados acima. a) a Receita Bruta de Vendas é de 8.240 b) o custo unitário das compras é de 12,60 c) a Receita Líquida de Vendas é de 8.240 d) o Custo de Mercadorias Vendidas é de 6.240 e) o custo unitário das compras é de 12,00 965) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Em 31 de dezembro o nosso Contador havia montado um rascunho da DOAR (Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos) com a seguinte estrutura: I – Origens 1.800,00 II – Aplicações 2.600,00 III - Redução de CCL 800,00 quando descobriu que o lucro líquido do exercício ainda não fora computado nessa demonstração. Referido lucro foi assim formado e distribuído: Resultado do Exercício: Receitas totais do período 6.000,00 Despesas do período (sem as depreciações) (3.500,00) Encargos de depreciação do período (400,00) Lucro Líquido antes do Imposto de Renda 2.100,00 Provisão para o Imposto de Renda (300,00) Lucro Líquido do Exercício 1.800,00 Lucros ou Prejuízos Acumulados: Saldo inicial 0,00 Lucro Líquido do Exercício 1.800,00 Dividendos Propostos (150,00) Saldo atual 1.650,00 Após o cômputo do resultado do exercício acima demonstrado, naquilo que couber, a DOAR apresentará: a) no item I: origens no valor de R$ 4.300,00 b) no item I: origens no valor de R$ 3.900,00 c) no item III: aumento no CCL no valor de R$ 1.250,00 d) no item II: aplicações no valor de R$ 3.000,00 e) no item II: aplicações no valor de R$ 3.150,00 966) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Aumentam o Capital Circulante Líquido: a) os aumentos do Ativo Circulante e do Passivo Circulante b) os aumentos do Passivo Circulante e dos Investimentos c) a redução do Passivo Exigível a Longo Prazo e o aumento do Ativo Realizável a Longo Prazo d) o aumento do Passivo Exigível a Longo Prazo e a redução do Ativo Permanente e) o aumento do Ativo Realizável a Longo Prazo e a Contribuição para Reserva de Capital 967) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Ao promover a análise de balanços da Cia. Argentum, o Contador-analista apurou a “Margem de Garantia” de 2,30. Quando essa empresa comprou equipamentos a prazo por R$ 400,00, vendeu mercadorias a prazo por R$ 500,00, ganhando R$ 200,00 e pagou R$ 100,00 de despesas administrativas, esse quociente foi drasticamente alterado. Referida alteração ocorreu com o aumento de a) R$ 900,00 no numerador e de R$ 500,00 no denominador b) R$ 500,00 no numerador e de R$ 400,00 no denominador c) R$ 500,00 no numerador e de R$ 300,00 no denominador d) R$ 200,00 no numerador e de R$ 100,00 no denominador e) R$ 100,00 no numerador e de R$ 400,00 no denominador 968) {PRIVATE}AFRF/2000-ESAF - Considere os dados abaixo e assinale a opção correta. Custo de Mercadorias Vendidas 12 Duplicatas a Receber - valor médio 5 Estoque de Mercadorias - valor médio 4 Passivo Circulante 6 Patrimônio Líquido 4 Vendas a Prazo 20 Vendas a Vista 8 a) o prazo de rotação dos estoques é de 120 dias b) o quociente de rotação de estoque é 7 c) o quociente de rotação do capital próprio é 5 d) o prazo de rotação dos créditos é de 120 dias e) o quociente de rotação dos créditos é de 120 dias 241

969) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - De acordo com a legislação vigente sobre classificação contábil, os empréstimos tomados de empresas coligadas ou controladas, com vencimento para 120 dias, devem ser classificados no Grupo Patrimonial a) Ativo Circulante b) Passivo Circulante c) Ativo Realizável a Longo Prazo d) Passivo Exigível a Longo Prazo e) Ativo Permanente – Investimentos 970) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - A Azienda é uma microempresa do ramo comercial. Suas contas, exceto a conta Lucros (ou Prejuízos) Acumulados, apresentam os seguintes saldos: Capital R$ 800,00 Empréstimos Bancários R$ 2.000,00 Impostos a Recolher R$ 120,00 Impostos e Taxas R$ 150,00 Juros Ativos R$ 250,00 Mercadorias R$ 1.200,00 Caixa R$ 800,00 Salários e Ordenados R$ 320,00 Receita de Vendas R$ 950,00 Custo das Vendas R$ 900,00 Por ocasião do encerramento do exercício, contabilizando-se os resultados sem nenhuma tributação ou distribuição, poderemos confirmar quatro das assertivas abaixo. Assinale a única que não está correta. a) Capital Alheio: valor de R$ 2.120,00 b) Capital Próprio: valor de R$ 800,00 c) Passivo a Descoberto: valor de R$ 120,00 d) Prejuízos Acumulados: valor de R$ 920,00 e) Prejuízo do Exercício: valor de R$ 170,00 971) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - O fato contábil decorrente da quitação ou liquidação de um crédito de curto prazo causa no patrimônio o seguinte efeito: a) diminuição do ativo disponível e do passivo circulante b) aumento do ativo disponível e do passivo circulante c) diminuição e aumento no passivo circulante, simultaneamente d) diminuição e aumento no ativo circulante, simultaneamente e) não haverá alterações, pois o fato é permutativo 972) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - Abaixo estão listados cinco conjuntos de contas. Um deles contém apenas contas representativas de receitas que não transitam pela Demonstração do Resultado do Exercício – DRE. Assinale essa opção. a) Reservas de Capital, Variações Cambiais Ativas, Ganhos em Participações Societárias. b) Lucro na Venda de Ativos, Doações para Investimentos, Vendas Canceladas. c) Receita Não-Operacional, Impostos Sobre Vendas, Reservas de Capital. d) Ganhos em Participações Societárias, Ganhos de Capital, Reversão de Provisões. e) Ágio na Emissão de Ações, Doações e Subvenções para Investimentos, Alienação de Partes Beneficiárias. 973) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - O chapeleiro Sr. Francisco de Paula, fabricante dos chapéus Frapa, está planejando uma promoção de vendas em que possa oferecer a todos os clientes um desconto-padrão de 20%, mas precisa obter uma margem bruta sobre vendas também de 20%. Sabendo-se que o custo unitário dos chapéus é R$ 80,00, qual será o preço bruto a ser marcado para cada unidade? a) R$ 112,00 b) R$ 115,20 c) R$ 120,00 d) R$ 125,00 e) R$ 133,20

242

974) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - Considere uma empresa comercial que tenha adquirido, a prazo, 600 unidades de certo objeto ao custo unitário de R$ 30,00, pagando frete de R$ 0,50 por unidade. Em seguida, tenha vendido metade dessas aquisições, emitindo nota fiscal no valor de R$ 12.000,00 com entrega em domicílio, pagando frete total de R$ 320,00. Sabendo-se que não havia estoques iniciais, que o frete está isento de tributação, mas que as compras e vendas foram tributadas com ICMS à alíquota de 17%, assinale a opção que indica corretamente o lucro bruto alcançado na operação. a) R$ 3.490,00 b) R$ 2.365,00 c) R$ 2.340,00 d) R$ 2.170,00 e) R$ 2.020,00 975) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - A empresa MIP Comercial utiliza o Método do Inventário Periódico, com avaliação pelo critério PEPS, para controlar os seus estoques. Durante o exercício de 2000, entretanto, houve um roubo de mercadorias que só foi descoberto em março de 2001 com a confissão do culpado. No exercício de 2000 o “custo das mercadorias roubadas” foi incluído, despercebidamente, a) no estoque inicial de mercadorias b) nas compras de mercadorias c) nas vendas de mercadorias d) no estoque final de mercadorias e) no custo das mercadorias vendidas 976) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - A Sapataria Pollíssola, no fim do exercício, inventariou seu estoque de mercadorias para fins de balanço, tendo apurado a seguinte situação a preço de custo e de mercado: Descrição quantidade preço/custo preço/mercado Sapato Polar 100 pares R$ 45,00/par R$ 40,00/par Sandália Pescador 200 pares R$ 22,00/par R$ 25,00/par Solado borracha 006 dúzias R$ 11,00 /unidade R$ 12,00 /unidade Fivela metálica 001 grosa R$ 2,50 /unidade R$ 2,00 /unidade Para obedecer aos critérios de avaliação patrimonial e tendo em vista o Princípio Contábil da Prudência, a Sapataria deve adotar uma das opções abaixo. Assinale-a. a) Não deve fazer provisões, pois o preço de mercado está maior que o de custo. b) Deve fazer uma provisão de R$ 100,00, que é a diferença entre preço de custo e de mercado. c) Deve dar baixa no estoque de sapatos e de fivelas, pela diferença a maior no preço de custo. d) Deve fazer uma provisão no valor de R$ 672,00 para ajustar o preço de custo ao de mercado. e) Deve fazer uma provisão no valor de R$ 572,00 para ajustar o preço de custo ao de mercado. 977) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - A Firma ComServiçal Limitada, no exercício de 2000, apurou resultados baseados nas seguintes informações: Serviços prestados a vista R$ 12.000,00 Serviços prestados a prazo R$ 18.000,00 Materiais estocados no fim do período: para uso nos serviços oferecidos R$ 1.400,00 para revenda direta “in natura” R$ 7.000,00 Compras a vista: Materiais para uso nos serviços R$ 4.000,00 Materiais para revenda direta R$ 5.000,00 Compras a prazo: Materiais para uso nos serviços R$ 6.000,00 Materiais para revenda direta R$ 5.000,00 Estoques iniciais inexistentes em ambos os tipos de materiais: Mão-de-obra direta do serviço R$ 6.200,00 Mão-de-obra do restante da atividade R$ 2.700,00 Despesas de Juros e Multas R$ 1.000,00 Cofins e PIS/Faturamento: 4% ICMS e ISS: alíquota zero Lucro Operacional Bruto da atividade de revenda de materiais: R$ 6.500,00 A contabilização correta desses valores vai demonstrar, no referido exercício, a existência de: a) custo das mercadorias vendidas no valor de R$ 3.260,00 b) custo dos serviços prestados no valor de R$ 20.200,00 c) custo total (de mercadorias e serviços) no valor de R$ 21.500,00 d) lucro bruto na atividade serviços no valor de R$ 14.000,00 e) lucro líquido no valor de R$ 16.540,00 243

978) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - No mês de outubro de 2000 a empresa “M” apurou um lucro operacional bruto de R$ 3.000,00 nas operações de compra e venda de sua mercadoria “Beta”, cuja tributação de ICMS é feita à alíquota de 17%. O cálculo desse lucro considerou a contabilização de Receita Bruta de Vendas no valor de R$ 10.000,00 e de Compras de Mercadorias no valor de R$ 7.000,00. O Custo das Mercadorias Vendidas foi equivalente a 50% do preço bruto de venda e a contribuição para o COFINS foi de 3%. Não haverá PIS/Faturamento. Após a contabilização dos fatos geradores do resultado acima listado, ocorreu a devolução de 20% das compras e de 10% das vendas do período. A efetivação dos ajustes contábeis provocados pelas devoluções mencionadas vai evidenciar para o lucro operacional bruto o valor correto de: a) R$ 2.000,00 b) R$ 2.250,00 c) R$ 2.700,00 d) R$ 3.000,00 e) R$ 3.200,00 979) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - Na apuração do resultado do exercício de 2000 a empresa Deltafon alcançou um lucro líquido final de R$ 15.000,00, tendo computado vendas para recebimento a longo prazo de R$ 6.500,00, receitas de participação acionária de R$ 2.800,00 e custos nas vendas a longo prazo de R$ 4.500,00. No mesmo exercício houve perdas de R$ 900,00 em participação acionária e a formação das seguintes reservas: Reserva Legal no valor de R$ 600,00 Reserva para Contingência no valor de R$ 700,00 Reserva de Reavaliação no valor de R$ 1.000,00 Reserva para Aumento do Capital no valor de R$ 800,00 Considerando exclusivamente essas informações, podemos dizer que no aludido exercício foi apurado o valor de a) R$ 4.800,00 como lucros a realizar b) R$ 3.900,00 como lucros a realizar c) R$ 1.800,00 como limite máximo para reserva de lucros a realizar d) R$ 1.700,00 como limite máximo para reserva de lucros a realizar e) R$ 800,00 como limite máximo para reserva de lucros a realizar 980) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - Assinale a opção correta. Pelas disposições da Lei 6.404/76 sobre Demonstrações Financeiras, podemos perceber que: a) a Demonstração do Resultado do Exercício deve apresentar, expresso em reais, o valor do rédito auferido para cada uma das ações do capital social. b) a Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, quando devidamente elaborada, substitui a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido. c) o Balanço Patrimonial deve apresentar, quando ocorrer, o Passivo a Descoberto como dedução do Patrimônio Líquido. d) a Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos apresenta, discriminadamente, todas as origens e respectivas aplicações de recursos feitas durante o exercício no patrimônio da entidade econômicoadministrativa. e) as demonstrações financeiras de empresas do mesmo ramo podem ser consolidadas, desde que uma participe do capital social da outra. 981) AGENTE TRIBUTÀRIO ESTADUAL – ATE – MS-ESAF-2001 - A Cia. RentaLucra apresentou a seguinte composição em seu balanço encerrado em 31 de dezembro do ano 2000: Componentes saldo(R$) em 31.12.00 Bens Numerários 3.000,00 Duplicatas a Receber 9.000,00 Provisão p/Devedores Duvidosos 2.700,00 Empréstimos a Coligadas 1.500,00 Despesas Antecipadas 1.050,00 Estoques 14.100,00 Ações de Coligadas 5.295,00 Imobilizado 7.050,00 Duplicatas Descontadas 3.000,00 Empréstimos Bancários (LP) 3.000,00 Dividendos a Pagar 2.325,00 Contas a Pagar 5.700,00 244

Provisão p/Imposto de Renda 3.150,00 Capital Social 7.815,00 Reservas de Lucros 2.850,00 Reservas de Capital 9.480,00 Lucros (Prejuízos) Acumulados 975,00 Observações: 1 – Sabe-se que no Grupo Patrimônio Líquido, em 01/01/2000, existiam os seguintes saldos: Capital Social R$ 7.815,00 Reservas de Capital R$ 9.480,00 Prejuízos Acumulados R$ 5.400,00 2 – Os dividendos a pagar são todos oriundos da destinação do resultado obtido em 31 de dezembro de 2000. Baseados nos dados e informações acima, podemos afirmar que o Lucro Líquido antes do Imposto de Renda, apresentado na DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) de 2000 dessa empresa, expressou o valor de a) R$ 20.175,00 b) R$ 19.200,00 c) R$ 17.850,00 d) R$ 14.700,00 e) R$ 9.300,00 982) BACEN-2001-ESAF - Chamado para a reunião da Diretoria, o contador da Nossa Firma explicou que, apesar do capital registrado no valor de R$15.000,00 e dos recursos aplicados no valor de R$72.000,00, a empresa apresenta um endividamento brutal, a ponto de levar o coeficiente de solvência para 0,8, conforme será publicado no balanço atual, e que, mesmo com um lucro operacional bruto de R$1.000,00, o prejuízo líquido havia chegado a R$2.200,00 no exercício findo. Indagado sobre a situação líquida patrimonial, o Contador afirmou que, com esse quociente de solvência, a empresa ostentava, sem nenhum orgulho, um Passivo a Descoberto de R$18.000,00, significando que no Balanço Patrimonial a conta Prejuízos Acumulados estará com saldo devedor de a) R$20.200,00 b) R$2.200,00 c) R$51.840,00 d) R$33.000,00 e) R$18.000,00 983) BACEN-2001-ESAF - A Cia. RentaLucra apresentou a seguinte composição em seu balanço encerrado em 31 de dezembro do ano 2000, com indicação também dos saldos anteriores: Componentes saldo em 31.12.99 saldo em 31.12.00 Disponibilidades 1.000,00 850,00 Valores a Receber 2.500,00 2.000,00 Estoques 2.000,00 9.400,00 Imobilizado 1.100,00 2.000,00 Empréstimos Bancários 2.700,00 2.850,00 Dividendos a Pagar 1.200,00 3.500,00 Salários a Pagar 300,00 400,00 Participações a Pagar 200,00 350,00 Provisão p/Imposto de Renda 0,00 600,00 Capital Social 2.000,00 2.000,00 Reserva Legal 0,00 150,00 Reserva Estatutária 0,00 300,00 Reserva de Contingências 500,00 400,00 Lucros (Prejuízos) Acumulados (300,00) 3.700,00 Sabe-se que durante o exercício de 2000 foram pagos os salários e as participações no lucro de 1999 que estavam atrasados, mas não foram quitados os dividendos anteriores. Baseados nos dados e informações acima, podemos afirmar que o Lucro Líquido antes do Imposto de Renda, apresentado na DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) de 2000 dessa empresa, expressou o valor de a) R$4.350,00 b) R$4.850,00 c) R$7.600,00 d) R$7.650,00 e) R$8.150,00

245

984) BACEN-2001-ESAF - No balancete de 31 de outubro de 2000, o Banco Bom S/A apresentava a conta Ações em Tesouraria com saldo devedor de R$115.000,00, constituído pelo custo de aquisição de suas próprias ações, adquiridas em operação realizada no dia 5 do mesmo mês. No mesmo dia 31 de outubro o Banco conseguiu vender metade dessas ações, a vista, por R$72.000,00. Segundo as regras do COSIF, o lucro obtido na transação deve ser registrado a crédito de a) Reservas de Lucro b) Outras Reservas de Capital c) Capital Social d) Receitas Não-Operacionais e) Ações em Tesouraria 985) AFRF/2002-ESAF - A avaliação de valores mobiliários, não classificados como investimentos, estabelecida no artigo 183 da Lei 6.404/76, utiliza como base os critérios contábeis a) do denominador comum monetário. b) da convenção de consistência. c) do custo histórico e da materialidade. d) do custo ou mercado, dos dois o menor. e) da prudência e do custo de oportunidade. 986) AFRF/2002-ESAF - No final de 2000, a Cia. Quartzo apura o resultado do exercício e provisiona 1.000.000 de reais como dividendos devidos a seus acionistas. A Cia. Cristal, que possui uma participação societária não relevante nessa empresa, ao registrar os dividendos a que tem direito, credita a conta: a) Reservas de Capital b) Receitas de Dividendos c) Participações Societárias d) Resultados de Exercícios Futuros e) Valores a Receber 987) AFRF/2002-ESAF - A empresa Juruá S/A, controladora do Grupo Solimões, evidencia, em um determinado período, os valores de 140 milhões como Participações Societárias e 250 milhões como total de Patrimônio Líquido. No mesmo período, essa empresa possui 5% do capital preferencial da Cia. Rio Negro, que é de 90.000. Com base nas informações anteriores, identifique o procedimento contábil correto a ser aplicado nessas circunstâncias. a) os dividendos, quando pagos pela investida, devem ser registrados como receita. b) as alterações ocorridas no Patrimônio Líquido da investida são simultaneamente reconhecidas na investidora. c) a empresa investida é reconhecida como equiparada à empresa Coligada no processo de Consolidação. d) na distribuição dos lucros da investida, os dividendos provisionados representam ingressos de Disponibilidades. e) na avaliação dessa participação societária, aplica-se a equivalência patrimonial. 988) AFRF/2002-ESAF - Assinale a opção que corresponde a um correto tratamento contábil relativo a investimentos no exterior. a) Os investimentos em controladas ou coligadas existentes no exterior devem obrigatoriamente fazer a consolidação de balanços independentemente da relevância do valor investido. b) O método da equivalência patrimonial deve ser adotado para avaliar participações societárias tanto em controladas como em coligadas, sempre que essas forem relevantes. c) Independentemente da relevância do investimento no exterior, deve ser utilizado o método de equivalência patrimonial mesmo quando se tratar de filiais ou agências no exterior. d) A avaliação de investimentos societários em empresas estrangeiras deverá ser feita pelo método do custo identificado pela taxa média de câmbio do mês em que o mesmo for efetivado. e) Na adoção de critérios contábeis divergentes daqueles utilizados pela investidora brasileira, os valores apurados no exterior devem ser apenas convertidos à taxa de câmbio média do período contábil de referência. 989) AFRF/2002-ESAF - O registro contábil efetuado quando da aquisição de participações societárias relevantes com deságio, de acordo com a Instrução CVM 247/76, envolve: a) lançamentos em subcontas do grupo Permanente Investimentos. b) reconhecimento de receitas não-operacionais de lucros com investimentos. c) lançamento de crédito em ganhos com investimentos permanentes. d) registro em participação societária apenas pelo valor líquido pago. e) a apropriação em resultados de exercícios futuros do valor do deságio. 990) AFRF/2002-ESAF - O prazo máximo para amortização do ágio ou deságio decorrente de expectativa de resultado futuro, conforme estabelecido por Instrução/CVM, é de: a) 3 anos b) 5 anos 246

c) 7 anos d) 8 anos e) 10 anos 991) AFRF/2002-ESAF - Um dos procedimentos de divulgação, relativos à reavaliação de ativos por companhia aberta, é a) publicar o evento e suas conseqüências patrimoniais em jornal de grande circulação nas localidades em que tiver maior volume de operações em bolsa de valores. b) evidenciar em notas explicativas o efeito no resultado do exercício, oriundo das depreciações, amortizações ou exaustões sobre a reavaliação, e baixas posteriores. c) convocar uma Assembléia Geral de acionistas para autorizar e aprovar o procedimento de reavaliação, apresentando o sumário das contas objeto da reavaliação com seus respectivos valores. d) enviar carta registrada a todos os acionistas minoritários, contendo o histórico da operação, data da reavaliação e o sumário das contas objeto da reavaliação com seus respectivos valores. e) proceder o envio de carta registrada aos acionistas, contendo o histórico da operação, data da reavaliação, o sumário das contas objeto da reavaliação e o tratamento quanto aos dividendos. 992) AFRF/2002-ESAF - Em 1998 a Cia. Ágata procedeu à reavaliação de um item de seu imobilizado. Em dezembro de 2001, por ocasião do encerramento do balanço, decide pela descontinuidade e não reposição do bem em questão. O procedimento contábil aplicável a esse caso é a) fazer um lançamento de crédito na conta Lucros/Prejuízos Acumulados e debitar a conta de Reserva de Reavaliação. b) estornar parcialmente o valor correspondente a Reserva de Reavalição como ajuste de exercícios anteriores. c) lançar a crédito em imobilizado e debitar a conta de Lucros/Prejuízos Acumulados por mudança de critério contábil. d) proceder o estorno das parcelas referentes à reavaliação e às respectivas provisões anteriormente efetuadas. e) efetuar um débito em Reservas de Reavaliação e, como contrapartida, um crédito na conta Ganhos/Perdas com Imobilizados. 993) AFRF/2002-ESAF - Quando uma empresa controlada faz a reavaliação de seus ativos imobilizados, e a investidora avalia sua participação por equivalência patrimonial, o procedimento contábil da companhia controladora será a) reconhecer uma receita não-operacional proporcional ao novo valor do patrimônio líquido da investida. b) registrar em Resultados de Exercícios Futuros o valor proporcional ao novo patrimônio líquido da investida. c) ajustar o valor do investimento, creditando em Reserva de Reavaliação o valor proporcional a sua participação societária. d) lançar a crédito de Lucros/Prejuízos Acumulados o valor proporcional ao aumento do patrimônio líquido da controlada. e) fazer referência do fato em notas explicativas, reconhecendo o acréscimo patrimonial como resultado de exercício. 994) AFRF/2002-ESAF - A Cia. Jade, controladora do conglomerado Rochas, efetua a reavaliação de seus imobilizados, registrando em seu patrimônio líquido a importância de dois milhões de reais. Do ponto de vista contábil, o patrimônio da Cia. Esmeralda, controlada dessa empresa a) não sofrerá nenhuma alteração ou registro contábil por este evento. b) aumentará, pelo registro da Reserva de Reavaliação correspondente. c) diminuirá, em razão da valorização correspondente ao da sua controladora. d) sofrerá o acréscimo da conta Lucros/Prejuízos Acumulados. e) acresce no valor correspondente ao percentual de participação. 995) AFRF/2002-ESAF - Em processo de incorporação, pela controladora, de companhia controlada, a avaliação dos dois patrimônios envolvidos, sendo ambas companhias abertas, deve ser feita por a) perito nomeado pela incorporada. b) três peritos nomeados pela Assembléia Geral. c) empresa especializada em avaliação. d) perito nomeado ou empresa especializada. e) peritos nomeados pelo conselho de administração. 996) AFRF/2002-ESAF - Uma operação realizada entre empresas que envolva a transferência de direitos de propriedade industrial de uma sociedade para a outra é caracterizada como um(a): a) participação recíproca. b) consórcio de empresas. c) parte relacionada. d) oligopólio. e) livre concorrência. 247

997) AFRF/2002-ESAF - A operação pela qual se unem duas ou mais sociedades para formar uma nova é denominada a) fusão b) incorporação c) cisão d) consórcio e) sucursal 998) AFRF/2002-ESAF - As demonstrações financeiras de companhias abertas que servirem de base para operações de fusão, cisão e incorporação devem a) ter seus valores patrimonais consolidados. b) ser auditadas por auditor registrado na CVM. c) ser assinadas por contador registrado na CVM. d) ter os dados apresentados confidencialmente aos interessados. e) divulgar o fluxo de dividendos dos acionistas controladores. 999) AFRF/2002-ESAF - A deliberação sobre a transformação, fusão, incorporação e cisão da companhia, compete privativamente a) à Assembléia Geral. b) ao conselho Fiscal. c) à presidência da sociedade. d) ao conselho de Administração. e) à diretoria da empresa. 1000) AFRF/2002-ESAF - Das operações listadas a seguir, indique aquela que não tem como conseqüência alteração nas disponibilidades. a) diminuições de financiamentos por amortizações b) novos investimentos de longo prazo c) aumento de imobilizados por reavaliações d) créditos concedidos a coligadas e controladas e) operações com debêntures conversíveis em ações

GABARITO DESTE CAPÍTULO 864- C E C E C 869- C C E E C 874- C C C C E 879- E C C E C 884- C C E E E 889- C C C E E 898- C 908- A 918- A 928- B 938- D 948- E 958- B 968- A 978- C 988- B 998- B 899- E 909- E 919- C 929- A 939- D 949- C 959- E 969- B 979- A 989- A 999- A 865- E C E E C 870- E E E C C 875- E E C C C 880- * C E E C 885- E E C C C 890- D 900- D 910- B 920- A 930- E 940- C 950- B 960- C 970- B 980- A 990- E 1000-C 248 891- D 901- C 911- D 921- E 931- C 941- B 951- E 961- E 971- D 981- D 991- B 866- C C C E E 871- E E E C C 876- C C C E E 881- E E E C C 886- E E E E E 892- C 902- B 912- C 922- D 932- D 942- C 952- A 962- A 972- E 982- D 992- D 893- B 903- C 913- A 923- C 933- B 943- B 953- C 963- D 973- D 983- C 993- C 867- C C C E E 872- E C C E C 877- E E C C E 882- C C E C E 887- C E C E C 894- B 904- A 914- E 924- C 934- A 944- D 954- E 964- B 974- C 984- B 992- A 895- B 905- A 915- B 925- E 935- E 945- A 955- A 965- C 975- E 985- D 995- C 868- C E E C E 873- E C E E C 878- E E E C E 883- C E C E C 888- C E C E E 896- C 906- D 916- D 926- D 936- B 946- E 956- C 966- D 976- E 986- B 996- C 897- A 907- C 917- D 927- C 937- B 947- A 957- B 967- B 977- D 987- A 997- A

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->