Você está na página 1de 3

JN - Imprimir Artigo 1 of 2

http://jn.sapo.pt/2008/05/14/pais/apagao_informatico_esta_a_paralisar_.html
"Apagão" informático está a
paralisar a Câmara
arquivo jn

Serviços técnicos da autarquia não


conseguiram resolver o problema, que
já se arrasta há quase um mês

Telma Roque

Um misterioso "apagão" informático levou ao


desaparecimento de milhões de ficheiros dos serviços
da Câmara de Santarém e transformou num inferno o
quotidiano de quem trabalha no município. A caneta e
o papel voltaram em força para cima das secretárias,
assim como o telefone e as pilhas de pastas de
arquivo. Na área da contabilidade, por exemplo, o
pesadelo é constante.

Entre os documentos que se encontram em paradeiro


incerto estão os relativos às contas de gerência do
ano passado, drama que obrigou a Câmara a pedir ao
Tribunal de Contas a prorrogação do prazo de entrega
do relatório. O JN apurou que o pedido foi
imediatamente aceite e que tem enquadramento legal
na Lei de Organização e Processo do Tribunal de
Contas.

"Houve um problema no servidor principal que afectou


também o sistema de backup. Foi necessário
recuperar o disco. Vamos conseguir recuperar tudo,
mas é um trabalho que leva tempo", afirmou ao JN o
presidente Moita Flores, acrescentando que o
problema deverá estar resolvido até ao
fim-de-semana.

As origens do "apagão" - que aconteceu há quase um


mês - ainda estão a ser apuradas. Pode ter ocorrido
devido a uma simples quebra de corrente ou por erro
humano. A Câmara ainda tentou resolver a questão
internamente, mas acabou por recorrer a uma
empresa especializada.

A conta-gotas

A recuperação dos ficheiros parece estar garantida,


mas os documentos perderam a sua identificação.

http://jn.sapo.pt/tools/imprimir.html?file=/2008/05/14/pais/apagao_informatico_esta_a_paralisar_.html
JN - Imprimir Artigo 2 of 2

Surgem apenas numerados. Os técnicos têm que abrir


ficheiro a ficheiro, ver o conteúdo e depois voltar a
atribuir um nome. É um trabalho, moroso, minucioso
que tem levado semanas.

"Já pedimos informação técnica detalhada. Queremos


saber o que aconteceu, se foi negligência ou erro
humano. Também queremos perceber porque é que
está a demorar tanto tempo a resolver este problema",
frisou, Rui Barreiro, vereador do PS.

Luísa Mesquita, vereadora independente,


confessou-se admirada com a dimensão que o drama
informático ganhou. "Foi com admiração que verifiquei
que um problema destes não é de fácil resolução",
disse ao JN. "A informatização dos dados nem sempre
é segura, daí ser importante ter uma rectaguarda",
rematou.

http://jn.sapo.pt/tools/imprimir.html?file=/2008/05/14/pais/apagao_informatico_esta_a_paralisar_.html
JN - Imprimir Artigo 1 of 1

http://jn.sapo.pt/2008/05/14/pais/solucao_e_morosa_e_muito_cara.html
Solução é morosa e muito cara

Numa altura em que a informatização toca todos os


serviços, públicos e privados, a perda de ficheiros não
é tão rara quanto se pensa. Mais raro é quando
também o sistema de backup é afectado. Ainda assim,
é possível recuperar dados. No entanto, um
especialista informático contactado pelo JN garantiu
que esta é uma tarefa morosa e altamente
dispendiosa. Certamente, a Câmara de Santarém
pagará caro pela recuperação dos ficheiros. O facto
de o sistema de backup ter sido afectado pode estar
relacionado com a "arquitectura do sistema, que pode
não ser o ideal", explica o técnico. "A informação deve
estar o mais descentralizada possível. "Se assim for,
em caso de avaria, perde-se um sector e não tudo de
uma vez", diz.

http://jn.sapo.pt/tools/imprimir.html?file=/2008/05/14/pais/solucao_e_morosa_e_muito_cara.html