Você está na página 1de 14

O PEIXE

ARCORIS

E agora?

FIM

TEXTO DE APOIO NO PROJECTAR

O peixe Arco-ris
Era uma vez um peixe chamado Arco-ris que vivia no fundo do oceano. Esse
peixinho era o mais bonito de todos. Todos os outros peixes tinham uma s cor, ou eram
vermelhos, ou eram castanhos, cor-de-rosa, verdes No entanto, arco-ris tinha todas as
cores.
Arco-ris era muito belo mas era muito vaidoso e egosta. Achava que era mais
importante que os outros peixes e que no precisava deles para nada. Sempre que
algum precisava de ajuda ele nunca aparecia, dava sempre a desculpa de que tinha
muito que fazer.
Num certo dia, quando ia a passear ouviu uma voz que dizia: Tu s to bonito!
Aproxima-te mais um pouco para eu te poder ver melhor. Como arco-ris era muito
vaidoso aproximou-se para ver quem que o estava a elogiar, e nem reparou que aquilo
era uma armadilha.
Era o peixe Julio que lhe queria dar uma lio:
- Agora ficas a preso, que quando eu voltar vou-te comer.
Ento arco-ris como estava muito aflito de estar ali preso, comeou a gritar e a
pedir ajuda:
- Socorro! Socorro! Algum que me ajude.
Todos os que por ali passavam viravam a cara e diziam:
- Quando ns precisvamos de ti estavas sempre ocupado, agora somos ns
que estamos ocupados.

TEXTO DE APOIO NO PROJECTAR

No entanto havia um peixinho muito pequenino que no estava a gostar do que se estava
a passar. Foi ento falar com o pai e com a me:
- Pai, Me! Porque que ningum vai ajudar o arco-ris.
Respondeu o pai:
- Porque ele sempre foi muito vaidoso e egosta, nunca ajudou ningum.
E o peixinho retorquiu:
- Pois mas ao agirmos assim estamos a fazer o mesmo que ele.
Mas o pai como estava muito zangado disse:
- No interessa, ele tem que aprender a lio.
No entanto, a me era muito atenciosa e como viu que o seu filho tinha razo
disse:
- Manel o teu filho tem razo. Devamos ajud-lo.
E foi assim que o pai se convenceu:
- Pronto est bem, mas vou-lhe dizer umas verdades.
Foram ento salvar o arco-ris. Ele ficou to contente que a partir da comeou
a ajudar toda a gente. J no era egosta, nem desvalorizava os outros.
E viveram felizes para sempre!

Edio: Parquia de Barr http://paroquiabarro.no-ip.org/


Autor: Catarina Oliveira Catequista do Dep. Catequese Barr
Ano: Maio 2006
Pode ser copiado desde que indique edio e autor