P. 1
Valores e atitudes

Valores e atitudes

4.5

|Views: 8.629|Likes:
Publicado porEduc@
Chamada de tenção para a incoerêcia entre os valores e as atiitudes verificáveis nos educadores no exercicio da sua prática educativa.
Chamada de tenção para a incoerêcia entre os valores e as atiitudes verificáveis nos educadores no exercicio da sua prática educativa.

More info:

Published by: Educ@ on May 19, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/08/2013

pdf

text

original

_____Educ@

naWeb __________________
Valores e Atitudes

Valores e atitudes são dois factores impressos no quotidiano de cada um de nós enquanto profissionais de educação. Como facilmente se intui, são os nossos valores que condicionam as atitudes que diariamente se expressam nas nossas acções, fruto das opções que fazemos. Basicamente, valores e atitudes reflectem aquilo que somos. Partindo deste princípio, podemos então partir da assumpção que as nossas atitudes expressam os nossos valores! Isto, seguindo o principio da coerência. • Valores Chamamos valores às nossas convicções, às nossas crenças, a aquilo em que acreditamos. São as crenças que norteiam o nosso desempenho, aquilo que fazemos e a forma como fazemos. • Atitudes As atitudes são as acções. É tudo aquilo que exteriorizamos através do que fazemos. Relativamente ao Educador e ao seu papel no campo profissional, colocamos duas questões: Sabe, de forma clara e inequívoca, quais são os seus valores enquanto profissional de educação? No dia-a-dia, as suas atitudes reflectem esses valores? Todos nós pautamos a nossa acção educativa por valores que orientam e moldam a nossa visão enquanto Educadores e, por princípio, deverão reflectir-se nas nossas atitudes, mas nem sempre é assim! Acontece por vezes (ou por várias vezes), VALORES e ATITUDES não se encontrarem! Percebemos isso quando temos a impressão que o que estamos a fazer, ou como estamos a fazer, nos deixa inseguros, desconfortáveis ou pouco à-vontade quando observados por outros, ou quando nos vemos na contingência de explicar as nossas opções. Apercebemo-nos disso também noutras situações: quando lemos um artigo sobre um aspecto relacionado com a educação de infância e o discurso parece-nos correcto, com sentido. Na verdade nem consideramos que pudesse ser de outra forma! Incorporamos essa mesma crença e a mesma passa a constituir-se como um valor, um princípio. O problema surge quando nos apercebemos que esse valor, ao contrário do que seria desejável, não possui força suficiente para se traduzir nas atitudes, nas nossas acções. No nosso trabalho esta incoerência traduz-se nas nossas opções metodológicas, estratégias, actividades que propomos, na focalização dos conteúdos ou orientação que damos ao rumo que traçamos, e nos itens em que assentam a avaliação das aprendizagens ou do processo de ensino. Nesse caso, os nossos valores não se revêem nas nossas atitudes. Preste atenção! Pergunte-se e reflicta: No seu trabalho, valores e atitudes estão em sintonia? http://educanaweb.googlepages.com
_____2008_____________________________________________________

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->