Você está na página 1de 23

O Balãozinho Vermelho

Versão Original: Iela Mari

História recontada pelos alunos da Sala Arco-íris


e ilustrada pela turma do 1.º B
da E.B. 1/JI do Pragal

Educadora Mariana Simas


Professora Maria João Calvário

Outubro de 2009
Era uma vez um balão vermelho, muito
redondo e grande.
(Ana Margarida e Nicole)
O balão, de pastilha, nasceu pequenino na
boca do menino Filipe que já era grande,
mas era careca.
(Luca e Inês)
Então ele soprou outra vez e o balão ficou
um bocadinho grande.
(Tiago M.)
Mas aconteceu que o menino deixou fugir o
balão, porque ele abriu a boca.
(Luca)
O balão de pastilha transformou-se num
balão de brincar que ainda leva o fio de
segurar e agora vai a voar.
(Sofia)
O balão está a começar a transformar-se
outra vez, faz lembrar uma maçã.
(Viviana)
Transformou-se mesmo numa maçã
pendurada num tronco de uma macieira, e
era tão grande e bonita.
(Catarina)
Passou muito tempo e a maçã caiu da
árvore porque era pesada.
(Henrique)
A folha também caiu por causa do vento.
(Henrique)
A maçã chegou ao chão, bateu numa pedra
e transformou-se numa borboleta.
(Lucas)
Formou-se uma linda borboleta num dia de
sol e Primavera.
(Gabriel)
Ela foi pousando de flor em flor, que é o
que elas fazem sempre.
(João Mota)
Mas de repente transformou-se numa flor
no meio das ervas daninhas, e eu não
sei porquê?!...
(João Calvário)
Um menino apanhou a flor porque queria
pô-la num vaso, 7
(Pedro)
7mas decidiu dá-la à mãe.
(Pedro)
O tempo mudou, apareceu o vento, a flor
transformou-se num chapéu de chuva 7
(Tiago Andrade)
... e fez muita falta ao menino que o usou
quando começou a chover, porque se
não o tivesse ficava todo molhado.
(Tiago Carvalho)
Depois lá foi ele para casa debaixo do
seu chapéu.
(Vitor)
Mas quando chegou a casa foi calçar
umas botas de borracha para brincar na
lama e nas poças de água, 7
(Diogo)
7e poder saltar de poça em poça.
(Diogo)
FIM