Você está na página 1de 7

ESCOLAS “PADRE ANCHIETA”

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA REDES DE COMPUTADORES

MÉTODOS PARA SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO E


MODOS DE TRANSMISSÃO DE DADOS

1. Métodos para serviços de comunicação

Existem diversos modos para transmitir dados entre uma origem e destino, sendo eles: Comunicação
paralela e serial, síncrona, assíncrona e isócrona, simplex e duplex.

 Comunicação Serial - método de transmissão de dados em que os bits representando um caractere

são transmitidos em seqüência, um bit por vez, por um canal de comunicações único, sendo limitada
pela velocidade da linha.

 Comunicação Paralela – Transmissão simultânea, por diferentes canais, dos bits representando um

caractere. Contrastando com a comunicação serial, uma comunicação paralela transmite um grupo de
bits de cada vez.

A comunicação paralela permite transmitir dados mais rapidamente que a serial, mas tem suas limitações.
Por exemplo, a comunicação paralela requer um canal de comunicação relativamente mais complexo.
Quanto mais longa a ligação paralela, pior é a degradação do sinal elétrico para o nós mais distantes.

Consequentemente, na maioria das comunicações de rede, a comunicação paralela é limitada a periféricos


conectados diretamente ao sistema e para comunicação entre sistemas relativamente próximos (em alguns
casos, não mais que alguns metros uns dos outros).

A comunicação serial, por outro lado, com seu caminho mais simples para os dados, é tipicamente mais
lenta, mas possibilita a transmissão de dados através dos sistemas existentes de comunicação que nem
foram originalmente projetados para esse tipo de transmissão. Por isso, as comunicações seriais são vistas
por quase todo lugar, incluindo conexões de terminais a sistemas, conexões por linhas discadas, conexões
via satélite e linhas de fibras óticas de alta velocidade.

Os problemas com velocidade típicos para as comunicações seriais estão evaporando rapidamente com as
novas tecnologias de alta velocidade.  USB e Firewire.

PROF. CARLOS ALAOR DE MELLO JR - cmello@anchieta.br 1/7


ESCOLAS “PADRE ANCHIETA”

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA REDES DE COMPUTADORES

2. Modos de transmissão de dados

Comunicação Síncrona, Assíncrona e Isócrona

As comunicações de dados são na verdade uma transferência de 0s e 1s entre um transmissor e um


receptor. Como fazer então para identificar onde começa e termina um caractere, já que tudo não passa de
uma seqüência de bits? Para isso existem três tipos de técnicas de sincronização.

 Comunicação Síncrona: Na comunicação síncrona os dois nós (transmissor e receptor) coordenam a

comunicação entre si, de forma que um nó sempre sabe o que o outro nó está enviando. Para obter tal
sincronismo a comunicação depende de um relógio inerente a rede.

 Comunicação Assíncrona: A comunicação assíncrona é obtida envolvendo os dados com bits

especiais de início e de parada, em um processo denominado encapsulamento de dados. Os dados


podem ser transmitidos pelo nó transmissor sem esperar pela notificação prévia do nó receptor.

 Comunicação Isócrona: Na comunicação isócrona uma taxa de transmissão de dados é pré

negociada entre os nós, de forma a criar uma taxa de entrega contínua de bits.

2.1 Comunicação Duplex, Half-Duplex e Full Duplex

As comunicações serial, paralela, síncrona, assíncrona e isócrina representam técnicas diferentes para
transferir dados. Associados a essas técnicas existem três modos diferentes de transmissão de dados usados
para fins de comunicação; cada um corresponde a um tipo específico de circuito – simplex, half-duplex e full
duplex. Esses modos especificam protocolos aos quais os nós transmissores e receptores obedecem para
transferir dados.

 Simplex: Os dados fluem em apenas uma direção; um dispositivo assume o papel de transmissor e o

outro de receptor. Esses papéis não podem ser invertidos.

 Half Duplex: Os dados podem fluir em ambas as direções, mas somente uma unidade pode enviar

dados de cada vez. Quando um nó está no estado de envio, o outro fica em modo de recepção.

PROF. CARLOS ALAOR DE MELLO JR - cmello@anchieta.br 2/7


ESCOLAS “PADRE ANCHIETA”

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA REDES DE COMPUTADORES

 Full Duplex: Ocorre em uma ligação com envio e recepção simultâneos de dados em ambas as

direções.

2.2 Comunicação Analógica e Digital

Os dados em uma rede de computadores são transmitidos em um meio físico na forma de sinais analógicos
ou digitais. O formato de transmissão apropriado depende do tipo de meio de transmissão que será
utilizado.

Dados transmitidos utilizando recursos de transmissão analógica são convertidos para sinais analógicos, que
são ondas eletromagnéticas semelhantes a uma senóide.

Dados transmitidos utilizando recursos de transmissão digital são convertidos para sinais digitais, que são
criados aplicando uma corrente (voltagem presente) ou desligando-a (voltagem ausente).

Ex: Uma vitrola de discos de vinil ou um rádio utilizam sinais analógicos. A voz humana tem originalmente
um formato analógico. Já em um computador, todo o tipo de comunicação é feita de forma digital. Tudo é 0
e 1, ou, ligado e desligado. Quando um computador necessita se conectar à Internet através de um modem
utilizando linha discada, os sinais originalmente em formato digital são convertidos para sinais analógicos.

 Sinal analógico é um tipo de sinal contínuo que varia em função do tempo. Comunicação analógica

refere-se a qualquer método de comunicação baseado em princípios analógicos.

 Sinal digital é quando toda a informação é codificada em bits, que são representados na forma de

variações de voltagens, que representam os estados ligado e desligado (0 e 1).

Na comunicação analógica os dados são transmitidos em forma de ondas senoidais, contendo três atributos:
amplitude, freqüência e fase.

 Amplitude – É representada pelo nível de voltagem no cabo, que define a intensidade da transmissão.

 Freqüência – É o número de oscilações ou ciclos de uma onda em um determinado intervalo de


tempo. A freqüência de 1 ciclo por segundo é denominada Hz

 Fase – É o ponto que uma onda atingiu dentro de um ciclo.

PROF. CARLOS ALAOR DE MELLO JR - cmello@anchieta.br 3/7


ESCOLAS “PADRE ANCHIETA”

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA REDES DE COMPUTADORES

Ex: 1 Hz = uma freqüência de 1 ciclo por segundo


100 Hz ou 1khz = 100 ciclos por segundo.

Em qualquer sistema de comunicação entre computadores os dados são transmitidos através de um meio
físico na forma de sinais elétricos. Na comunicação analógica, os sinais fluem através do fio como ondas
eletromagnéticas.

Curiosidade:
A unidade de medida da quantidade de oscilações que uma onda tem em um determinado intervalo de
tempo é chamada de Hz, e é uma homenagem ao físico alemão Heinrich Rudolph Hertz, que comprovou na
prática a teoria das ondas eletromagnéticas do físico inglês James Clerck Maxwell.

Hertz demonstrou a natureza da propagação da onda eletromagnética, tornando possível o desenvolvimento


do rádio, da televisão e do radar.

Hertz e Maxwell acreditavam que as ondas eletromagnéticas se propagavam através de um meio invisível,
como as ondas sonoras se propagam através do ar. Eles chamaram esse meio invisível de Éter luminoso.
Essa teoria foi refutada um tempo depois pelo físico americano (nascido na Alemanha) Albert Michelson,
mas o conceito do Éter luminoso é mantido até hoje e é utilizado nas redes Ethernet, que recebeu esse
nome em função desse conceito.

Nas comunicações digitais, os sinais são denominados discretos (ou seja, ligado ou desligado, 0 ou 1). O que
caracteriza um sinal discreto é não ter estados intermediário. Uma analogia pode ser feita com uma
lâmpada, que pode estar acesa ou apagada; não existe uma lâmpada meio acesa (a não ser que essa
lâmpada esteja ligada em um sistema analógico).

Portando, podemos dizer que em uma comunicação digital, os sinais elétricos possuem dois estados: com
corrente e sem corrente. Na maioria dos sistemas, a presença de corrente significa ligado, ou 1, e a
ausência significa desligado, ou 0. Esse mecanismo é chamado de interpretação binária.

Cada tipo de circuito digital define as faixas de voltagens onde são representados o 1 e o 0. Isso é
necessário devido a fatores do mundo real, como por exemplo, ruídos elétricos, resistência dos cabos e
diferenças de potencial elétrico.

PROF. CARLOS ALAOR DE MELLO JR - cmello@anchieta.br 4/7


ESCOLAS “PADRE ANCHIETA”

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA REDES DE COMPUTADORES

Ex: Em uma interface serial, o 1 binário é representado por uma voltagem entre +5 e +15. Já o 0 é
representado por uma voltagem de -5 a -15 volts. Em uma situação onde um transmissor necessita
representar o dígito 1, ele inicia a transmissão com 12 volts. Em função da resistência do cabo, a voltagem é
atenuada durante o percurso da transmissão, chegando no receptor com 10 volts. Como 10 volts está no
intervalo de +5 a + 15, o receptor entende que esse nível de voltagem representa o 1 binário.

2.3 Velocidade e Capacidade em um canal de comunicação

Quando se fala em redes de computadores e transmissão de dados, logo vem à tona o assunto velocidade.
De forma geral, em uma rede de computadores velocidade implica taxa de dados, ou seja, o quão rápido os
dados podem ser transmitidos de um nó para outro; capacidade indica a quantidade de dados que podem
ser transportados por um canal de comunicação.

Os conceitos de velocidade e capacidade de transmissão de dados são muitas vezes confundidos. Para
descrevê-los são utilizados os seguintes termos: Largura de Banda, Taxa de Dados, Capacidade de Fluxo e
Taxa baud.

2.4 Largura de Banda e Taxa de Dados

Em comunicações analógicas, largura de banda refere-se à capacidade total de um canal de comunicação, e


é a diferença entre a freqüência mais alta e a mais baixa que podem ser transportadas pelo canal.

Nas comunicações digitais, a largura de banda relaciona-se à taxa de dados, que é a quantidade de dados
que podem ser transferidos por um meio de comunicação em um dado período. A taxa de dados é medida
em bits por segundo (bps). A taxa baud descreve a quantidade de mudanças discretas em um período do
sinal.

2.5 Capacidade de Fluxo

Frequentemente capacidade de fluxo é confundida com largura de banda. A capacidade de fluxo determina a
capacidade real de transmissão em um meio de comunicação. Em uma rede de computadores, a largura de
banda representa a capacidade teórica em um meio de comunicação, expressa em bits por segundo.

PROF. CARLOS ALAOR DE MELLO JR - cmello@anchieta.br 5/7


ESCOLAS “PADRE ANCHIETA”

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA REDES DE COMPUTADORES

Em uma rede Fast Ethernet, cuja largura de banda é de 100mbps, a capacidade de fluxo geralmente é
limitada a um valor inferior, determinado por fatores externos como capacidade de processamento de um
nó, velocidade de processamento de entrada e saída, sobrecarga no sistema operacional etc. Todos esses
fatores reduzem a taxa de dados.

2.6 Ruídos

Ruído é um sinal externo e indesejável em um meio de comunicação. Existem dois tipos de ruídos: ruído
ambiente ou térmico e ruído de impulso.

O ruído ambiente está sempre presente, sendo gerado por equipamentos de transmissão, transformadores,
lâmpadas fluorescentes etc. Com a presença do ruído ambiente, um equipamento receptor pode ter
problemas para distinguir sinais recebidos.

O ruído por impulso consiste de sinais indesejáveis intermitentes, induzidos por fonte externas como
iluminação, equipamentos com chave de liga e desliga e máquinas elétricas pesadas.

Embora o ruído esteja sempre presente, pode ser parcialmente evitado fazendo a instalação apropriada de
cabos.

2.7 Limite de Shannon e Teorema de Nyquist

O limite de Shannon é um teorema matemático e descreve um modelo para determinar a taxa máxima de
dados de um canal de comunicações analógicas e com ruídos.

Nas comunicações digitais, a taxa máxima de transmissão de dados é definida pelo Teorema de Nyquist.

PROF. CARLOS ALAOR DE MELLO JR - cmello@anchieta.br 6/7


ESCOLAS “PADRE ANCHIETA”

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA REDES DE COMPUTADORES

2.8 Multiplexação e Chaveamento

Dois outros conceitos relacionados com redes e comunicações entre computadores são multiplexação e
chaveamento.

 Multiplexação é uma técnica usada para colocar múltiplos sinais em um único canal de comunicação.

Ex: Sinais de televisão.

 Chaveamento diz respeito a vincular uma fonte emissora a um destino apropriado. Existem duas

estratégias básicas para chaveamento usadas em redes de computadores: Chaveamento por Circuito e
Chaveamento por Pacotes.

 Chaveamento por Circuito: Um circuito físico dedicado deve ser estabelecido entre nós fonte e
destino antes de ocorrer a transmissão de dados, e esse circuito deve persistir durante toda a
transmissão.

 Chaveamento pro Pacotes: Os nós compartilham um canal de comunicação através de um circuito


virtual, que nada mais é do que uma conexão não dedicada baseada em um meio compartilhado
que fornece ao usuário de alto nível os serviços de uma conexão direta dedicada entre nó origem e
destino.

PROF. CARLOS ALAOR DE MELLO JR - cmello@anchieta.br 7/7