Você está na página 1de 27

PREÇO DE VENDA

• Para o cálculo do preço de venda é necessário inicialmente levantar
todos os custos diretos envolvidos numa construção civil e depois
adicionar uma margem sobre ele de modo a cobrir todos os gastos
incidentes.
• Preço de Venda (PV) = Custo Direto (CD) + BDI

BDI - BENEFÍCIO E CUSTOS INDIRETOS
• PERCENTUAL RELATIVO À SOMA DAS DESPESAS INDIRETAS (SEDE E
FILIAIS), DO LUCRO OPERACIONAL E DOS TRIBUTOS PERMITIDOS, QUE
INCIDIRÁ SOBRE OS CUSTOS DIRETOS, INDIRETOS E DESPESAS
INDIRETAS.
• BDI (%) = DESPESAS INDIRETAS + LUCRO OPERACIONAL + TRIBUTOS

• DA SEDE E FILIAIS (SEDE) • DO CANTEIRO DE OBRA (LOCAL) .DESPESAS INDIRETAS • É O GASTO OPERACIONAL DE UMA EMPRESA. DECORRENTE DE SUA ESTRUTURA E DAS OBRAS E/OU DOS SERVIÇOS DE ENGENHARIA EM EXECUÇÃO.

APÓS SUA CONCLUSÃO E ANTES DO RECOLHIMENTO DO IRPJ E O CSLL.LUCRO OPERACIONAL • É O RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO RESULTANTE DA DIFERENÇA ENTRE O TOTAL DE RECEITAS E DESPESAS DE UMA OBRA. .

EM BENEFÍCIO COLETIVO. QUE O PODER PÚBLICO. PAGO EM DINHEIRO. SOBRE UM ATO OU ATIVIDADE. DE CARÁTER GERAL E OBRIGATÓRIO. DIRETA OU INDIRETAMENTE. PARA ATENDER ÀS DESPESAS DA ADMINISTRAÇÃO.TRIBUTO • É UM DIREITO FISCAL. . EXIGE DE CADA PARTICULAR.

EM REAIS .BDI • BDI = ( VG/CDG – 1) x 100 • VG – VALOR GLOBAL OU FINAL DA OBRA. EM REAIS • CDG – CUSTO DIRETO GLOBAL.

EM REAIS • R – RISCO OU EVENTUAIS. EM REAIS • L – LUCRO OPERACIONAL. EM REAIS • T – SOMA DE TODOS OS TRIBUTOS.VALOR GLOBAL OU FINAL DA OBRA • VG = ( CDG + DIS + DF + R + L ) / ( 1 – T / 100 ) • CDG – CUSTO DIRETO GLOBAL. EM REAIS • DF – DESPESAS FINANCEIRAS. EM % .EM REAIS • DIS – DESPESAS INDIRETAS DA SEDE.

EM NUMERAL DF – TAXA DE DESPESAS FINANCEIRAS. EM NUMERAL I – TAXA DE LUCRO OPERACIONAL. EM NUMERAL R – TAXA DE RISCO DO EMPREENDIMENTO.BDI A PARTIR DOS ÍNDICES PERCENTUAIS DIS – TAXA DE DESPESAS INDIRETAS DA SEDE E FILIAIS. EM NUMERAL . EM NUMERAL T – TAXA CORRESPONDENTE A SOMA DOS TRIBUTOS.

EXEMPLO DE CÁLCULO DO (BDI) .

EXEMPLO DE CÁLCULO DO (BDI) .

EXEMPLO DE CÁLCULO DO (BDI) .

EXEMPLO DE CÁLCULO DO (BDI) .

EXEMPLO DE CÁLCULO DO (BDI) .

EXEMPLO DE CÁLCULO DO (BDI) .

EXEMPLO DE CÁLCULO DO (BDI) .

EXEMPLO DE CÁLCULO DO (BDI) .

divide as tarefas por data. atribuindo horários para execução. um cronograma pode tornar o trabalho mais fácil. repleto de caixas para explicar seu funcionamento e guiar o usuário. O modelo.CRONOGRAMAS • Maneira de organizar diversas tarefas em um mês. duração e datas. dando um controle preciso sobre o que deverá ser executado e quando . horário e inclusive determina a duração do intervalo entre uma tarefa e outra.

• ESTABELECER O “QUANDO CADA ENVOLVIDO DEVERÁ INICIAR OU CONCLUIR SUAS ATRIBUIÇÕES. • SER UM FORTE INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO.BENEFÍCIOS • MINIMIZAR PROBLEMAS. TAIS COMO: ATRASOS. • MANTER A ADMINISTRAÇÃO INFORMADA QUANTO AO DESENVOLVIMENTO. ESTRANGULAMENTOS DA PRODUÇÃO E INTERRUPÇÕES DE SERVIÇOS. • CONHECER. . ATIVIDADES CRITICAS CUJO CUMPRIMENTO POSSA INFLUENCIAR A DURAÇÃO TOTAL DO PROGRAMA. COORDENAÇÃO E CONTROLE. ANTECIPADAMENTE.

GANTT. enquanto as colunas representam os dias. semanas ou meses do calendário de acordo com a duração do projeto .  • Cada tarefa é representada por uma linha. Trata-se de um instrumento inventado em 1917 por Henry L.CRONOGRAMA DE GANTT •  É um instrumento que permite modelar a planificação de tarefas necessárias para a realização de um projeto.

CRONOGRAMA DE GANTT .

• NÚMERAÇÃO DAS ATIVIDADES • SEQUENCIAÇÃO • DATAS MAIS CEDO E MAIS TARDE DE INÍCIO E FIM • FOLGAS • ATIVIDADES CRÍTICAS • REALIZAÇÃO .CRONOGRAMA INTEGRADO GANTT-PERT/CPM • APRESENTAR ADICIONALMENTE AO CRONOGRAMA DE GRANTT VÁRIAS INFORMAÇÕES.

SEQUENCIAÇÃO .

FOLGAS .

NÚMERAÇÃO DAS ATIVIDADES .

REALIZAÇÃO .

CRONOGRAMA COM BDI .

Projeto e Execução – Pini. Aldo Dórea. Editora PINI • DÓREA. São Paulo.Planejamento e controle de obras – Editora Pini -São Paulo – SP – 2010. Maçahico – Orçamento na Construção Civil – Consultoria. • TISAKA. Como Preparar Orçamentos de Obras. Aldo . 2006 .REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS • MATTOS.