Você está na página 1de 23

1

PREFEITURA DE SÃO LUÍS

SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

LEI º 4.730

DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006
INSTITUI

O

LICENCIAMENTO

AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE SÃO
LUÍS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
O PREFEITO DE SÃO LUÍS, Capital do Estado do Maranhão.
Faço saber a todos os seus habitantes que a Câmara Municipal de São Luís
decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º. Esta Lei institui o licenciamento ambiental no âmbito do Município de
São Luís e as taxas relativas aos licenciamentos ambientais, autorizações, certidões, vistorias
e

outras

de

interesse

ambiental,

obrigatórias

para

todos

os

estabelecimentos,

empreendimentos ou atividades descritos nos Anexos I e II.
Parágrafo único. O licenciamento ambiental será exigido pelo Município de
São Luis como um instrumento de gestão ambiental, necessário à construção de uma cidade
sustentável.
Art. 2º. Para efeito desta Lei, ficam estabelecidas as seguintes definições:
I - Licenciamento Ambiental: procedimento administrativo pelo qual o
Instituto Municipal de Controle Ambiental - IMCA licencia a localização, instalação,
ampliação, operação e funcionamento de estabelecimentos, empreendimentos e atividades
utilizadores de recursos ambientais, consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou
aquelas que, sob qualquer forma, possam causar degradação ambiental, considerando as
disposições legais e regulamentares e as normas técnicas aplicáveis ao caso;
II - Licença Ambiental: ato administrativo pelo qual o IMCA estabelece as
condições, restrições e medidas de controle ambiental que deverão ser obedecidas pelo
proprietário ou empreendedor, pessoa física ou jurídica, para localizar, instalar, ampliar,
funcionar e operar estabelecimentos, empreendimentos ou atividades utilizadores dos
recursos ambientais consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou aquelas que, de
qualquer forma, possam causar degradação ambiental;

2

PREFEITURA DE SÃO LUÍS
SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

LEI º 4.730

DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006

III - Estudos Ambientais: são todos e quaisquer estudos relativos aos aspectos
ambientais relacionados à localização, instalação, ampliação, operação e funcionamento de
estabelecimentos, empreendimento ou atividade, apresentado como subsídio para a análise
da licença requerida, tais como:
a) Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental
(RIMA), conforme definido em regulamento próprio e termo de referência;
b) Plano de Controle Ambiental (PCA);
c)Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD);
d) Relatório Ambiental Preliminar (RAP);
e) Relatório Ambiental Simplificado (RAS);
d) Projeto de Monitoramento Ambiental (PMA);
e) Estudo de Risco (ER);
e) Outros existentes.
IV - Impacto Ambiental: qualquer alteração das propriedades físicas, químicas
e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante
das atividades humanas e que, direta ou indiretamente, afetem as atividades sociais e
econômicas, a saúde, a segurança ou o bem-estar da população, assim como os recursos
naturais, artificiais, culturais e do trabalho;

. Art. a ser realizado pelo IMCA. ampliação. Caberá ao IMCA definir os critérios de exigibilidade. de causar degradação ambiental. de acordo com a regulamentação. sem prejuízo de outras licenças legalmente exigíveis. construção. o porte. Art. o detalhamento e a complementação do Anexo I. 4º. sujeitando-se às sanções administrativas. modificação. os estudos ambientais necessários. o grau de impacto e outras características do estabelecimento. poluição ou degradação ambiental. públicas ou privadas instaladas ou a se instalar no Município de São Luís.Termo de Referência (TR): roteiro apresentando o conteúdo e tópicos mais importantes a serem tratados em determinado estudo ambiental. empreendimentos e as atividades relacionadas no Anexo I.3 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. dependerão de prévio licenciamento ambiental. operação e funcionamento de estabelecimentos. § 1º. quando couber. 3º. § 2º. os riscos ambientais. garantida a realização de audiências públicas. levando em consideração as especificidades. os fatores culturais. § 3º. empreendimentos e atividades.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 V . ao qual dar-se-á publicidade. empreendimento ou atividade. VI . sob qualquer forma. Estão sujeitos ao licenciamento ambiental os estabelecimentos. parte integrante desta Lei. A licença ambiental para estabelecimentos. instalação. O empreendedor e os profissionais que subscrevem os estudos previstos no parágrafo anterior serão responsáveis pelas informações apresentadas. utilizadores de recursos ambientais. A localização. empreendimentos e atividades consideradas efetiva ou potencialmente causadoras de significativo impacto ou degradação ambiental. civis e penais. dependerá de prévio estudo de impacto ambiental (EIA) e o respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA).Autorização Ambiental: ato administrativo pelo qual o IMCA autoriza o funcionamento de atividades. consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras e capazes. a execução de obras e intervenções e a realização de eventos caracterizados por possuir potencial mínimo de impacto.

definirá os estudos ambientais pertinentes ao respectivo processo de licenciamento. empreendimento ou atividade. termo de cooperação técnica ou convênio. da qual constituem motivo determinante.Licença Única (LU): concedida para licenciamento dos estabelecimentos. aprovando sua localização e concepção. empreendimento ou atividade.Licença Prévia (LP): concedida na fase preliminar de planejamento do estabelecimento.Licença de Instalação (LI): autoriza a instalação do estabelecimento. qualquer que seja o grau de impacto.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 Parágrafo único. O IMCA. empreendimentos ou atividades considerados insignificantes e de pequeno grau de impacto. condicionantes. degradação ou poluição ambiental ou ainda para construção de unidades residenciais. expedirá as seguintes licenças: I . . atestando a viabilidade ambiental e estabelecendo os requisitos básicos. II . restrições e medidas de controle a serem atendidas nas próximas fases de sua implementação. no exercício da sua competência de interesse local e daquelas que lhe forem delegadas pelo Estado por instrumento legal. empreendimento ou atividade. de acordo com as especificações constantes dos planos. incluindo medidas de controle ambiental e demais condicionantes. IV . verificando que a atividade ou empreendimento não é potencialmente causador de significativo impacto ou degradação ambiental. programas e projetos aprovados. com as medidas de controle ambiental e condicionantes determinados para a operação. III . 5 º.4 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. Art.Licença de Operação (LO): autoriza a operação do estabelecimento. O IMCA. após a verificação do efetivo cumprimento do que consta das licenças anteriores.

7º. § 1°. a autorização para supressão de vegetação e a outorga para o uso da água. emitidas pelos órgãos competentes. Parágrafo único. sem prejuízo das demais sanções.Licença Corretiva (LC): concedida para regularizar no prazo máximo de 12 (doze) meses a partir da publicação desta Lei. definir. de acordo com a natureza. § 2°. características e peculiaridades da atividade ou empreendimento e. Art. obrigatoriamente. quando for o caso. No procedimento de licenciamento ambiental deverá constar. Para a realização do disposto no caput deste artigo. .5 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. Parágrafo único. declarando que o local e o tipo de empreendimento ou atividade estão em conformidade com a legislação aplicável ao uso e ocupação do solo e. ainda. implantação e operação.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 V . projetos e estudos ambientais necessários ao início do processo de licenciamento ambiental. observadas a natureza. licenças ambientais específicas. os estabelecimentos. A licença única dispensa a expedição de qualquer outra licença ambiental. Art. incluir ou excluir ramos de atividades sujeitas ao licenciamento ambiental. deverá ser observada a compatibilização do processo de licenciamento com as etapas de planejamento. a certidão da Prefeitura Municipal. O IMCA editará Instrução Normativa orientando quanto aos procedimentos básicos à correta instrução dos pedidos de licenciamento ambiental. empreendimento ou atividade. empreendimentos ou atividades sem licenciamento ambiental já implantados ou em operação. O IMCA poderá criar novas modalidades de licenciamento ambiental. 6º. características e fase do estabelecimento. quando necessário. As licenças ambientais poderão ser expedidas isolada ou sucessivamente. assim como os documentos.

12. Art. dando-se a devida publicidade. podendo. Art. paga pelo interessado. 8º. deferindo ou indeferindo o pedido. e quando couber. independente da cobrança das taxas de licenciamento. O IMCA poderá estabelecer prazos de análise diferenciados para cada modalidade de licença (LP. ressalvados os casos em que houver EIA/RIMA e/ou audiência pública. bem como para a formulação de exigências complementares. desde que observado o prazo máximo de 6 (seis) meses a contar do ato de protocolar o requerimento até seu deferimento ou indeferimento. quando necessário. 11. quando o prazo será de até 12 (doze) meses. O procedimento de licenciamento ambiental encerrar-se-á com a emissão de parecer técnico conclusivo. solicitar esclarecimentos. LI. assim como das despesas totais realizadas pelo IMCA. Os técnicos do IMCA analisarão os documentos. Art. Facultar-se-á ao empreendedor acesso à planilha de custos realizados pelo IMCA para a análise da licença. nos casos de significativo impacto ambiental. 13. no Diário Oficial do Município de São Luís e em jornal local de circulação diária.6 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. em função das peculiaridades da atividade ou empreendimento. LO. contados a partir da data do pedido. bem como sua renovação serão objeto de publicação resumida. No procedimento de licenciamento ambiental poderá haver Audiência Pública. no prazo máximo de 30 (trinta) dias. Art. parecer jurídico. outros estudos e informações. projetos e estudos ambientais apresentados.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 Art. Parágrafo único. em qualquer de suas modalidades. O custo de análise. Os pedidos de licenciamento ambiental. 9º. . para o procedimento de licenciamento ambiental deverá ser repassado ao empreendedor. LU e LC). de acordo com a regulamentação pertinente. quando couber. 10. Art.

14.o prazo de validade da Licença de Operação (LO) e da Licença Única (LU) será de 01 (um) ano. por igual período. medidas de reparação e controle ambiental. A renovação das licenças e autorizações ambientais fica condicionada ao cumprimento no disposto no caput deste artigo. e não será superior a 02 (dois) anos. Art. podendo a critério do IMCA. mediante solicitação de renovação por parte do empreendedor. aumentar o seu prazo de validade . restrições. medidas compensatórias e mitigadoras a serem cumpridas e atendidas pelo requerente. programas e projetos relativos ao estabelecimento. Art. 15. uma única vez. mediante requerimento da parte interessada e de forma discricionária. Art. Os prazos de validade das licenças e autorizações ambientais serão estabelecidos da seguinte forma: I . complementações e vistorias técnicas.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 Parágrafo único. poluição ou degradação ambiental. sem prejuízo de outras licenças legalmente exigíveis. O IMCA.7 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. Parágrafo único. empreendimentos ou atividades caracterizadas por possuir insignificante e pequeno grau de impacto. solicitação de esclarecimentos. poderá emitir autorizações e certidões a estabelecimentos. podendo ser prorrogado. A contagem do prazo previsto no caput deste artigo será suspensa durante a elaboração dos estudos ambientais. planos de monitoramento. empreendimento ou atividade. 16. O IMCA poderá definir nas licenças e autorizações ambientais. II . determinadas condições.o prazo de validade da Licença Prévia (LP) e da Licença de Instalação (LI) será o estabelecido pelo cronograma de elaboração dos planos.

assim como da Licença Corretiva nos termos do inc. O disposto no caput deste artigo não se aplica a Licença de Operação. que deverá ser requerida com antecedência mínima de 120 (cento e vinte) dias. IV . § 1º. ficando este automaticamente prorrogado até a manifestação definitiva do IMCA. poderá modificar as condicionantes. 18. as medidas de controle e adequação. . independente de notificação. mediante decisão fundamentada em parecer técnico. A não renovação da Licença de Operação (LO) e da Licença Única (LU).o prazo de validade de Licença Corretiva (LC) será de 01 (um) ano. passível da aplicação das penalidades previstas na legislação ambiental vigente. Art. O IMCA. Art. empreendimento ou atividade. não sendo possível renovação. durante seu prazo de vigência.os prazos de validade das autorizações e certidões ambientais variarão em função de sua natureza e peculiaridade. II . não podendo ser superior a 01 (um) ano. oportunidade em que deverá ser solicitada a Licença de Operação (LO) ou a Licença Única (LU).violação ou inadequação de quaisquer condicionantes ou normas legais.8 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO para 02 (dois) anos. suspender ou cancelar uma licença ou autorização ambiental. LEI º 4. A renovação das licenças e autorizações ambientais deverá ser requerida com antecedência mínima de 30 (trinta) dias da data da expiração de seu prazo de validade. após a avaliação do desempenho ambiental do estabelecimento. 5º desta Lei torna o responsável pelo estabelecimento. § 2º.omissão ou falsa descrição de informações relevantes que subsidiaram a emissão da licença. V do art. empreendimento ou atividade. quando ocorrer: I . 17.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 III .

os graus de impacto. empreendimentos ou atividades licenciados ou em fase de implantação no Município de São Luis até a data de publicação desta Lei devem.9 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO III . empreendimentos ou atividades que solicitarem licença. Art.superveniência de graves riscos ambientais e de saúde. III . definir o grau de impacto ambiental dos estabelecimentos. empreendimentos ou atividades serão estabelecidos da seguinte forma: I . Caberá a equipe técnica do IMCA.baixo grau (BG).alto grau (AG). . certidão e vistoria ambiental. cobrança de taxas ou outros de interesse ambiental. II . Art. Parágrafo único: Para efeito desta Lei. autorização para fins de procedimentos técnicos de análise. adequar-se ao disposto na presente norma. 21. passando as atividades a submeterem-se ao regulamento municipal depois de expirado o prazo de validade das mesmas ou excedidos 02 (dois) anos da concessão da licença. designada para tal finalidade. 20.insignificante grau (IG).significativo grau (SG). Art. Os estabelecimentos.pequeno grau (PG). no que couber. as licenças concedidas pelo órgão estadual de meio ambiente antes da data de publicação desta Lei. Terão validade no âmbito municipal. autorização. LEI º 4. IV .desvirtuamento da licença.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 IV . 19. sob pena de enquadramento na legislação ambiental vigente. VI . V . degradação e poluição dos estabelecimentos.médio grau (MG).

empreendimento ou atividade utilizadores de recursos ambientais. assim como das taxas relativas a autorizações e outras taxas cabíveis. A Taxa de Licenciamento Ambiental tem por fato gerador o exercício do poder de polícia. 27. conforme valores estabelecidos no Anexo II desta Lei. responsável pelo estabelecimento. público ou privado. 26. O descumprimento do disposto nesta Lei torna os responsáveis pelo estabelecimento. 24. passíveis da aplicação das penalidades previstas na legislação ambiental Federal. possam causar degradação ambiental. Os pedidos de licenças e autorizações ambientais ficam sujeitas ao recolhimento das respectivas taxas e outras mais que se fizerem necessárias.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 Art. à presente Lei. o proprietário ou empreendedor. Art. Art.10 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. a legislação tributária do Município de São Luis. provenientes do licenciamento. autorizações. certidões e vistorias ambientais. Art. . empreendimento ou atividade. considerando as disposições legais e regulamentares e as normas técnicas aplicáveis ao caso. É contribuinte das taxas de licenciamento ambiental. serão revertidos ao tesouro municipal nos termos da Lei. Os valores arrecadados. no âmbito do interesse local do Município de São Luis. consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou aquelas que. sob qualquer forma. Aplica-se. Art. conferido ao IMCA para a execução da Política de Meio Ambiente no âmbito do Município de São Luis. 23. 22. no que couber. 25. Art. Estadual e Municipal vigente.

11 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. TADEU PALÁCIO Prefeito . publicar e correr. PALÁCIO DE LA RAVARDIÈRE. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. a todos quantos o conhecimento e execução da presente Lei pertencerem que a cumpram e a façam cumprir.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 Art. 28. Mando. portanto. 28 DE DEZEMBRO DE 2006. 29. Revogam-se as demais disposições em contrário. 185º DA INDEPENDÊNCIA E 118º DA REPÚBLICA. Art. A Secretaria Municipal de Governo a faça imprimir. tão inteiramente como nela se contém. EM SÃO LUÍS.

utensílios e acessórios com tratamento térmico e/ou de superfície . saibro.fabricação de artefatos de cimento e de cimento armado (caixas d’ água. estacas. inclusive ligas .fabricação de artefatos de vidro para lâmpadas elétricas .metalurgia de metais preciosos . não especificados ou não classificados .pesquisa mineral com guia de utilização .turfa . inclusive peças moldadas .12 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. lajotas e tijolos de cimento e semelhantes) . caixas de gordura. cimento.produção de laminados/ligas/artefatos de metais não ferrosos com ou sem tratamento de superfície.fabricação de estruturas metálicas com ou sem tratamento de superfície. com ou sem galvanoplastia . fossas sépticas. tubos.metalurgia do pó.produção de fundidos de ferro e aço/forjados/arames/relaminados com ou sem tratamento de superfície.perfuração de poços profundos e produção de petróleo e gás natural Indústria metalúrgica . não associados à extração . vidro. pedreira de bloco Indústria de produtos minerais não metálicos . recozimento de arames. tanques. tratamento de superfície Industria mecânica .fabricação de aço e de produtos siderúrgicos . estuque. incluindo suas peças e artigos. gesso.fabricação de máquinas.relaminação de metais não ferrosos.têmpera e cementação de aço.metalurgia dos metais não ferrosos em formas primárias e secundárias. amianto. pedreira de brita. postes. inclusive ouro . conexões.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 ANEXO I ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS Extração e tratamento de minerais .fabricação e elaboração de produtos minerais não metálicos tais como produção de material cerâmico. com ou sem galvanoplastia . peças.fabricação de artefatos de ferro/aço e de metais não ferrosos com ou sem tratamento de superfície. inclusive galvanoplastia. inclusive galvanoplastia .beneficiamento de minerais não metálicos. soldas e ânodos.vigas de concreto. manilhas. . cascalho.extração de areia. argila. aparelhos.

junco ou palha trançados .fabricação de pólvora/explosivos/detonantes/munição para caça-desporto.fabricação de cola animal Indústria química . e artefatos diversos de couros e peles .730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 Industria de material elétrico.fabricação de chapas.curtimento de outras preparações de couros e peles . eletrônico e comunicações . suas peças e acessórios Indústria de madeira .produção de óleos /gorduras /ceras vegetais-animais /óleos essenciais vegetais e outros produtos da destilação da madeira . inclusive látex Indústria de couros e peles . de gás natural. vara para pesca e outros artigos . cartolina. fósforos de . papelão.fabricação e montagem de veículos rodoviários.fabricação de câmara de ar.fabricação de combustíveis não derivados de petróleo .preservação de madeira . fichas.fabricação de material elétrico. aeronaves.fabricação de papel. placas de madeira aglomerada. compensada. pasta mecânica.fabricação de celulose. inclusive antenas Indústria de material de transporte .beneficiamento de borracha natural . palha preparada para garrafas.fabricação de espuma de borracha e de artefatos de espuma de borracha.fabricação de cestos.produção de substâncias e fabricação de produtos químicos . cortiça. pratos. bandejas. esteiras e outros artefatos de bambu. fonógrafos.fabricação de resinas e de fibras e fios artificiais e sintéticos e de borracha e látex sintéticos . embarcações. vime.serraria e desdobramento de madeira . baterias e outros acumuladores . ferroviários.fabricação de pilhas. de rochas betuminosas e de madeira .13 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4. peças e acessórios para televisões.fabricação de produtos derivados do processamento de petróleo. cartão e fibra prensada e artefatos Indústria de borracha . fabricação e recondicionamento de pneumáticos e fios de borracha .secagem e salga de couros e peles. estrutura de madeira e móveis Indústria de papel e celulose . eletrônico e equipamentos para telecomunicação e informática. rádios. prensada.

fabricação e refinação de açúcar .produção de manteiga. impermeabilizantes. refinarias e similares Indústria de produtos de matéria plástica .preparação. vinagre. germicidas e fungicidas . moagem. torrefação e fabricação de produtos alimentares .produção de álcool etílico. óleos minerais. detergentes e velas .fabricação de inseticidas.fabricação de desinfetantes . vinhos.beneficiamento.fabricação de conservas .preparação de pescados e fabricação de conservas de pescados . .fabricação de fertilizantes e agroquímicos . charqueadas e derivados de origem animal.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 .recuperação e refino de solventes. cacau.beneficiamento de materiais têxteis de origem animal . beneficiamento e industrialização de leite e derivados .fabricação.matadouros.refino/preparação de óleo e gorduras vegetais . esmaltes. destilarias.fabricação de bebidas não alcoólicas.14 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO segurança e artigos pirotécnicos LEI º 4. cervejas. seus acessórios e semelhantes .fiação e tecelagem com fibras artificiais e sintéticas .fabricação de preparados para limpeza e polimento . lacas.fabricação de produtos farmacêuticos e veterinários . tingimento e acabamento de fios e tecidos.fabricação de farinhas e produtos do milho Indústria de fumo . de vestuário.beneficiamento. vernizes. gorduras de origem animal para alimentação . e couro.fabricação de perfumarias e cosméticos .fabricação de concentrados aromáticos naturais. abatedouros. impermeáveis ou não.fabricação de fermentos e leveduras.fabricação de artefatos de material plástico Indústria têxtil. frigoríficos. moagem de cereais e produtos afins . vegetais e animais .beneficiamento de fibras têxteis vegetais . solventes e secantes . calçados e artefatos de tecidos .fabricação de sabões. metanol. bem como engarrafamento e gaseificação de águas minerais . chopes e maltes ou qualquer bebida alcoólica . artificiais e sintéticos .fabricação de tintas.fabricação de laminados plásticos .fabricação de calçados e componentes para calçados Indústria de produtos alimentares e bebidas .fabricação de rações balanceadas e de alimentos preparados para animais .

recuperação de áreas contaminadas e degradadas .fabricação de cigarros/charutos/cigarrilhas e outras atividades de beneficiamento do fumo Indústrias diversas . . hipermercado .abertura de barras.sistema de drenagem .salões de baile e/ou festas.postos de revenda de combustíveis e lubrificantes Atividades agropecuárias.transposição de bacias hidrográficas .canais para drenagem .15 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4.usinas de produção de concreto.depósito de produtos químicos e produtos perigosos Atividades diversas .oleodutos.transporte de cargas perigosas . urbanos e especiais (líquidos e sólidos) . estação elevatória e tratamento de esgoto sanitário -tratamento e destinação de resíduos industriais. terminais e depósitos.supermercado. discoteca. obras e irrigação e drenagem Atividades ou empreendimentos geradores de tráfego intenso e/ou pesado .rodovias. casas de show. gasodutos. emissários.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 .retificação de curso de água . salas de espetáculo.incineradores de lixo urbano.transporte de cargas tóxicas ou perigosas . cinema.dragagem e derrocamento em corpos d’água . boate.barragens de captação e reservação -linha de transmissão de energia .barragens e diques .usina de compostagem de lixo urbano .construção de casas e condomínios verticais ou horizontais Obras de saneamento . ferrovias e hidrovias . produtos tóxicos e perigosos e resíduos hospitalares Obras de infra-estrutura. .centro de abastecimento .interceptores. embocaduras e canais . petróleo e derivados e produtos químicos .estações de tratamento de água .aeroportos .distrito e pólo industrial. transporte. minerodutos -terminais de minérios. asfalto e serviços de galvanoplastia Obras diversas . teatro .usinas de geração de energia .

inclusive de empresas de lixo urbano Comercio atacadista de combustíveis e lubrificantes .utilização do patrimônio genético natural . shopping center.comércio atacadista de combustíveis e lubrificantes não especificados ou não classificados Serviços de Editorial e Gráficas Serviços domiciliares Serviços de saúde .quaisquer outras atividades não mencionadas.garagens em geral.uso da diversidade biológica pela tecnologia .exploração econômica da madeira ou lenha e subprodutos florestais .terminal rodoviário e ferroviário .introdução e manejo de espécies exóticas e/ou geneticamente modificadas .locais para feiras e exposições .manejo e criação de fauna silvestre . galeria de lojas .730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 . ambulatórios. policlínicas.hospitais. mas que se enquadrem nas categorias de atividades acima relacionadas .manejo e criação de recursos aquáticos vivos .silvicultura .centro comercial.comércio de distribuição canalizada de gás . maternidades.depósitos e armazéns atacadistas e de estocagem de matéria-prima ou manufaturada em geral . gasolina. laboratórios.comércio atacadista de álcool carburante. casa de repouso Uso de recursos naturais . gás e demais derivados do refino do petróleo . postos de saúde. clínicas. casas de saúde.16 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4.

00 EMPRESA GRAU LEI º 4.R$( REAL) POR M² DE AREA CONSTRUIDA.20 O R$0.00 R$1.30 R$0.50 R$1.40 R$1.60 R$1.00 300.60 R$1.00 R$ 400. ITEM 1.00 R$ 300.20 R$1.2 LICENÇA PREVIA (LP).30 De 50 a 150m² De150 a 250m² De 250 a 500m² Acima de 500m² ISENTO ____________ ____________ ____________ ISENTO R$0.80 R$1.00 R$ 300.80 R$0.20 R$1.EM REIAS (R$) INSIGNIFICA PEQUEN BAIXO MEDIO ALTO SIGNIFICATI NTE O GRAU VO PESSOA FISICA GRAU R$ 25.00 R$ 100.00 MICROEMPRESA R$ 50.30 R$0.70 R$2.00 500.00 R$ R$ R$ GRAU R$ 500.00 GRAU DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 R$ R$ R$ R$ R$ 5000. AUTORIZAÇÕES. CERDIDÕES E OUTRAS DE INTERESSE AMBIENTAL.50 R$1.TAXA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL ITEM 1.00 600.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 ANEXO II PREÇOS DAS TAXAS DE LICENÇAS AMBIENTAIS.00 100.50 R$1.00 400.00 R$ R$ 2000.90 R$1.00 R$ R$ 3000.17 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI º 4.00 R$1.00 200.00 R$ 400. INSIGNIFICAN PEQUEN BAIXO MEDIO ALTO SIGNIFICATIVO TE O GRAU GRAU GRAU GRAU Até 50m² GRAU ISENTO GRAU ISENTO ISENT ISENTO R$0.60 R$0.00 .00 GRAU R$ 50.730 EMPRESA R$ 300.00 R$ 300.00 PEQUENA EMPRESA MEDIA R$ 200.00 R$ 500.00 R$ 200.00 R$ R$ 1000.20 R$0.1 LICENÇA AMBIENTAL ÚNICA PARA CONSTRUÇÃO DE UNIDADES RESIDENCIAIS MONOFAMILIARES.00 R$ 200.00 ITEM 1.00 R$ 100.

00 MICROEMPRESA R$ 50.3 400.00 LICENÇA DE INSTALAÇÃO (LI).00 500.00 EMPRESA R$ 200.00 PEQUENA EMPRESA MEDIA R$ 300.00 R$ 400.00 R$ 500.00 .00 R$ R$ 2000.00 200.00 400.00 R$ R$ R$ R$ R$ 3000.00 R$ 200.00 GRANDE ITEM 1.00 R$ 400.00 R$ R$ 1000.00 500.00 PESSOA FISICA R$ 400.00 R$ 500.00 R$ R$ 5000.00 R$ 300.00 R$ 100.00 700.00 R$ R$ 2000.00 MICROEMPRESA R$ 100.00 500.00 R$ R$ 5000.00 R$ R$ 6000.00 400.EM REIAS R$ INSIGNIFICA PEQUEN BAIXO MEDIO ALTO SIGNIFICATI NTE O GRAU VO GRAU R$ 50.18 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO GRANDE ITEM 1.00 GRAU R$ 50.00 R$ R$ 3000.00 700.00 R$ 600.00 EMPRESA PEQUENA GRAU LEI º 4.00 GRAU R$ R$ R$ R$ GRAU R$ 1000.00 100.00 R$ 400.00 R$ 300.00 800.00 R$ 300.00 R$ 400.00 R$ 400.00 R$ 100.00 600.00 100.00 R$ 300.00 R$ 500.00 EMPRESA 400.00 EMPRESA 300.00 600.4 GRAU GRAU LICENÇA DE OPERAÇÃO (LO).730 GRAU DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 EMPRESA MEDIA R$ 200.00 R$ R$ R$ GRAU R$ 500.00 R$ 700.00 R$ 600.00 300.00 500.00 R$ 600.00 200.00 R$ 200.EM REIAS R$ INSIGNIFICA PEQUEN BAIXO MEDIO ALTO SIGNIFICATI NTE O GRAU VO PESSOA FISICA GRAU R$ 25.00 600.00 R$ 200.00 300.00 GRANDE R$ 300.00 700.00 R$ 500.

730 PESSOA FISICA GRAU DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 R$ 50.00 200.00 600.00 R$ 300.00 R$ 500.00 GRANDE R$ 400.00 R$ R$ 2000.00 .00 R$ EMPRESA R$ 100.00 PEQUENA EMPRESA MEDIA R$ 300.00 300.00 700.00 R$ R$ 3000.00 R$ 500.00 MICROEMPRESA R$ 100.00 R$ 400.00 R$ R$ 5000.EM REIAS R$ INSIGNIFICA PEQUEN BAIXO MEDIO ALTO SIGNIFICATI NTE O GRAU VO GRAU GRAU GRAU GRAU LEI º 4.00 R$ 300.00 R$ 600.00 R$ R$ 3000.00 GRAU R$ 50.00 500.00 R$ R$ 2000.00 200.00 R$ 300.00 R$ 100.00 R$ 300.00 PEQUENA EMPRESA MEDIA R$ 200.00 EMPRESA 400.00 R$ 500.00 EMPRESA R$ 200.00 R$ 700.00 700.00 R$ 300.00 R$ R$ 6000.00 R$ 500.00 R$ R$ 1000.00 R$ 400.00 R$ 200.00 R$ R$ 5000.EM REIAS R$ INSIGNIFICA PEQUEN BAIXO MEDIO ALTO SIGNIFICATI NTE O GRAU VO GRAU R$ 25.00 R$ 400.00 GRAU GRAU MICROEMPRESA R$ 50.00 R$ 300.00 R$ 400.00 400.6 LICENÇA CORRETIVA (LC).00 R$ 500.00 R$ R$ R$ R$ R$ 1000.00 R$ 600.00 500.00 100.00 800.00 R$ 600.00 600.00 100.00 R$ 200.19 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO ITEM 1.00 R$ R$ R$ GRAU R$ 500.00 R$ 400.00 GRANDE ITEM 1.5 PESSOA FISICA LICENÇA UNICA (LU).00 EMPRESA 300.00 200.00 R$ 400.

00 ANIMAIS 2.11 TRANSPORTE DE ENTULHO AUTORIZAÇÃO PARA MILHEIRO R$ 20.9 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 R$ 20.00 2.00 2.50 PARA M³ TRANSPORTE DE PRODUTOS DE 2.00 ANIMAIS SILVESTRES DE PEQUENO PORTE AUTORIZAÇÃO PARA UNIDADE TRANSPORTE 2.5 ÁRVORE AUTORIZAÇÃO R$ 1.30 2.1 ATIVIDADE UNIDADE AUTORIZAÇÃO PARA SUPRESSÃO m² VALOR R$/UNID. R$ 0.20 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO ITEM 2.4 ÁRVORE AUTORIZAÇÃO PARA CORTE DE UNIDADE R$ 50.TAXA DE AUTORIZAÇÃO AMBIENTAL ITEM 2.2 DE VEGETAÇÃO AUTORIZAÇÃO PARA LIMPEZA DE m² R$ 0.6 EXTRAÇÃO MINERAL AUTORIZAÇÃO TRANSPORTE DE PARA M³ R$ 1.20 2.10 SILVESTRES DE GRANDE PORTE AUTORIZAÇÃO PARA M³ R$ 1.3 AREA(ENTULHO e VEGETAÇÃO) AUTORIZAÇÃO PARA PODA DE UNIDADE R$ 20.00 ANIMAIS SILVESTRES DE MEDIO PORTE AUTORIZAÇÃO PARA UNIDADE TRANSPORTE R$ 10.00 PANFLETAGEM .50 PRODUTOS ORIGEM VEGETAL LEI º 4.8 PARA UNIDADE DE DE DE R$ 15.730 2.50 2.7 AUTORIZAÇÃO TRANSPORTE 2.

RELIGIOSOS E POLITICOS ELEITORAL POR HORA/ 2.15 CURSO DAGUA AUTORIZAÇÃO PARA LIMPEZA DE M² ISENTO 2.13 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO HORA DE SOM PRAÇAS. SHOWS E ESPETACULOS SEM FINS LUCRATIVOS E COM OBJETIVOS CULTURAIS.14 DIA AUTORIZAÇÃO PARA LIMPEZA DE M² ISENTO 2.00 DE SOM EM EVENTOS.16 VALA DE DRENAGEM AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO HORA R$ 30. SHOWS E ESPETACULOS COM FINS LUCRATIVOS POR HORA/ DIA LEI º 4.PRAIAS ESPAÇOS PÚBLICOS R$ 50.12 AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO HORA DE SOM EM VIAS PUBLICAS.730 2.00 PARA RELIZAÇÃO DE EVENTOS. E OUTROS PRAÇAS.21 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO 2. SHOWS E ESPETACULOS DE QUALQUER . E OUTROS PÚBLICOS PARA RELIZAÇÃO DE EVENTOS. EM VIAS PRAIAS ESPAÇOS ISENTO PUBLICAS.

19 POR HORA/DIA .20 POR HORA/DIA . COM FINS LUCRATIVOS. SEM FINS LUCRATIVOS. OBJETIVOS COM CULTURAIS.22 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO NATUREZA .18 POR DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO HORA DE SOM EM R$ 5. ISENTO .00 VEICULOS DE GRANDE PORTE (Trio Elétrico) . AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO HORA DE SOM AUTOMOTORES EM R$ 5. SEM LUCRATIVOS PRIVADAS QUALQUER FINS EM SEM PROTEÇÃO AREAS A DEVIDA ACUSTICA HORA/DIA LEI º 4.00 DE SOM EM EVENTOS. MEDIO E GRANDE PORTE . AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO HORA DE SOM AUTOMOTORES EM VEICULOS DE PEQUENO. SHOWS E ESPETACULOS NATUREZA DE . EM VIAS PÚBLICAS 2. COM LUCRATIVOS PRIVADAS EM SEM PROTEÇÃO 2. COM FINS LUCRATIVOS.17 FINS AREAS A DEVIDA ACUSTICA POR HORA/DIA AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO HORA R$ 10.00 VEICULOS AUTOMOTORES DE PEQUENO E MEDIO PORTE .730 2. EM VIAS PÚBLICAS 2.

5 OUTRAS CERTIDÒES VISTORIA SIMPLES LAUDO TECNICO DE VISTORIA DEFESA / IMUGNAÇÃO 3.00 AMBIENTAL LEI º 4.00 R$ 50.23 PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO RELIGIOSOS E POLITICOS ELEITORAL POR HORA/ DIA EM VIAS PÚBLICAS POR HORA/DIA .8 ADMINISTRATIVO RECURSO ADMINISTRATIVO UNIDADE RENOVAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO UNIDADE R$ 50.9 3.00 3.11 UNIDADE UNIDADE UNIDADE UNIDADE SIGNIFICATIVO IMPACTO TERMO DE REFERENCIA DE UNIDADE LICENÇA DE UNIDADE 20% DA LP .6 ADMINISTRATIVA PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO UNIDADE R$ 20.00 VALOR LICENÇA AMBIENTAL DA DESPESA ANTERIOR. A CALCULAR TOTAL LICENCIAMENTO 3.7 3.TAXAS ESPECIAIS ITEM 3. IGUAL VALOR 3. R$ 30.00 R$ 20.730 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 3.00 IGUAL AMBIENTAL DA RENOVAÇÃO ANTERIOR. ITEM 3.10 DE LICENÇA UNIDADE R$ 30.00 R$ 150.1 ATIVIDADE CERTIDÃO DE UNIDADE REGULARIDADE UNIDADE VALOR R$/UNID.2 3.4 3.3 3.