Você está na página 1de 7

Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio

Curso EFA – Secundário

CLC

1 – Identifique diferentes redes de equipamentos (teatros, museus, bibliotecas, cinemas)

 Teatros:
Theatro Circo;
 Museus:
Museu D. Diogo de Sousa;
Museu dos Biscaínhos;
Museu da Imagem;
 Bibliotecas:
Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva;
 Espaço de Lazer: Jardim de Santa Bárbara;

2 – Compreender as funções dos vários equipamentos visitados:

 Teatros: A principal função do Theatro Circo é o convívio com diversas pessoas,


funciona também como um espaço de lazer e entretenimento; (Consulte o Site do
Theatro)
 Museus: A função educativa dos museus faz parte do seu estatuto de serviço público.
Assumindo-se como importantes recursos educativos, os museus trabalham, cada vez
mais, com uma grande variedade de públicos aos quais procuram responder com
actividades adequadas às suas necessidades e expectativas. (Distinga a função de cada
museu)
 Bibliotecas: Uma biblioteca, em sentido geral, é uma colecção organizada de livros,
publicações em série, documentos gráficos e audiovisuais possuída por um particular,
ou por uma instituição, caso em que se destina à consulta ou empréstimo ao público.
Em sentido estrito, designa ainda a própria instituição ou serviço responsável pela
aquisição, conservação, tratamento documental e comunicação de monografias e
1
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA – Secundário

publicações periódicas, impressas ou manuscritas, facilitando, através de recursos


humanos e técnicos especializados, o acesso dos utilizadores a documentos que
correspondam às suas necessidades de informação. (consulte o site da Bibliteca Lúcio
Craveiro da Silva)

A Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva abriu oficialmente as suas portas ao público em


21 de Dezembro de 2004. Nasceu da união de vontades da Universidade do Minho e da
Câmara Municipal de Braga, que em 1990 manifestaram o interesse, junto do
Ministério da Cultura, na integração de Braga no projecto Bibliopolis, lançado pelo
Instituto Português do Livro e das Bibliotecas para os grandes centros urbanos (quatro
a nível nacional), tendo em vista a adesão à Rede Nacional de Leitura Pública.
Vocacionada e equipada segundo os mais modernos padrões internacionais, tem entre
os seus objectivos a dinamização da leitura e a atracção de novos públicos, bem como
o de criar as estruturas conducentes à concretização de uma Rede de Bibliotecas
Escolares no concelho de Braga.

Situada no centro histórico de Braga, foi habilmente concebida pelo arquitecto Mário
Abreu, de modo a preservar e expor os vestígios arqueológicos encontrados no local.

Este espaço, concebido para acolher simultaneamente 600 utentes de perfis diversos
e em diferentes actividades, dispõe de três salas de leitura para adultos com
capacidade de 200 lugares, numa das quais se disponibilizam cabinas de leitura
individual, uma sala de leitura infanto-juvenil com 65 lugares e ainda um espaço
autónomo especialmente destinado a actividades de animação infantil com 30
lugares. Uma sala de expressão plástica para actividades em grupo complementa o
espaço destinado ao público mais jovem.

A audição de um CD, o visionamento de um filme, estão disponíveis em amplos e


cómodos espaços concebidos para esse efeito e equipados com a mais moderna
tecnologia e com capacidade para 30 utentes em utilização simultânea.

Um auditório com 160 lugares, uma sala de exposições e um bar com amplo espaço
envolvente, onde em confortáveis sofás poderá tomar o seu café enquanto lê um
jornal, uma revista ou um livro, completam o equipamento destinado ao público.

Nesta biblioteca poderão ser consultadas as obras publicadas em Portugal desde 1975,
parte significativa em regime de livre acesso às estantes, num total de cerca de
250.000 obras. Estão também disponível 1.500 CD e DVD.

Ao dispor do utente existem 60 computadores com acesso às mais variadas fontes de


informação disponíveis na Internet. Sendo este um espaço equipado com rede sem
fios, o utente poderá fazer-se acompanhar do seu computador pessoal e navegar
livremente na Rede.

2
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA – Secundário

3 – Explore em que medida a programação cultural de diversos equipamentos eventos


contempla (ou não) o multiculturalismo.

A programação cultural de qualquer autarquia contribui de sobremaneira para o


enriquecimento cultural da sua população. Se uma entidade promover programas culturais
que abarque diferentes culturas, mais diversificadas e enriquecidas ficam a populações-alvo.
Dou como exemplo a cidade de Braga, que através dos equipamentos existentes, Theatro
Circo, Museu dos Biscainhos, Museu D. Diogo, Mosteiro de Tibães, que promovem diferentes e
diversificadas actividades que vão de encontro aos anseios culturais de diferentes públicos. Há
um aproveitar dos equipamentos e património existente para promover actividades culturais.

4- Compreenda que a incorporação de equipamentos sistemas técnicos na cultura e nas


artes promoveu o acesso mais generalizado aos bens e levou a transformações na relação
entre diferentes géneros artísticos.

Actualmente, a sociedade está de tal forma habituada ao acesso à cultura de determinados


meios que, muitas vezes, se abstêm de participar vivamente nos eventos culturais. Refiro-me à
facilidade de aquisição de filmes, que levou a uma redução drástica da ida das pessoas ao
cinema e ao próprio teatro. Vivem a cultura de uma maneira mais individualista. A internet
facilitou também a procura de pesquisa nas bibliotecas, nos livros. Tudo está mais
generalizado e facilitado no acesso à cultura.

Também a existência de sites e páginas sobre as instituições que promovem actividades


culturais, contendo a calendarização cultural, facilita de sobremaneira o interesse quer na
participação, quer nas próprias visitas aos locais culturais.

C.P

5-Identifique a multiculturalidade presente no museu dos Biscainhos.

Construído no século XVI e modificado ao longo dos séculos, este palácio aristocrático exibe
terraços com jardins ornamentados e grandes salões com tectos luxuosos. Abriga o Museu
Etnográfico e Artístico, com peças de mobiliário português e estrangeiro. O pavimento estriado
do rés-do-chão, particularmente invulgar, permitia que as carruagens entrassem no edifício a
fim de desembarcarem os passageiros e seguirem para as cavalariças.

O Museu dos Biscaínhos está instalado no Palácio dos Biscaínhos, fundado no século XVII e
definido arquitectonicamente na primeira metade do século XVIII. Durante três séculos foi a
habitação de uma família nobre, transformando-se em museu público que abriu ao público em
11 de Fevereiro de 1978.

3
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA – Secundário

No século XIX, o palácio foi propriedade dos segundos Condes de Bertiandos e a filha destes, a
segunda viscondessa de Paço de Nespereira, foi casada com João Lobo Machado Cardoso do
Amaral e Meneses, antigo governador civil de Braga.

O palácio e os jardins barrocos revelam o quotidiano da nobreza setecentista, assim como


numerosas referências da vida dos outros habitantes do espaço: criados, escravos, capelães. O
museu permite o conhecimento contextualizado da colecção de artes decorativas (mobiliário,
ourivesaria, cerâmicas, vidros, têxteis etc.), instrumentos musicais, meios de transporte, da
época compreendida entre o século XVII e XIX.

O jardim, de cerca de 1750, é considerado um dos mais importantes jardins históricos do


período Barroco em Portugal.

O espaço, de aproximadamente um hectare, está dividido no terreiro, jardim formal,


patamares («parterres») do pomar e das hortas, recinto das muralhas, canavial e largo do
pombal.

O jardim é enriquecido com diversas fontes e esculturas barrocas.

O jardim formal, apresenta um traçado labiríntico de canteiros de buxo. A embelezá-lo,


existem janelas e portões ornamentais, encimados por pináculos ou por meninos com
charamelas, esculturas decorativas, painéis de azulejos policromos, cinco fontes de repuxo, um
pavilhão de jardim, um mirante e duas monumentais e paralelas casas de fresco (construídas
por árvores vivas) de japoneiras oitocentistas com chafarizes no interior.

Actualmente parte do palácio está tutelado pela câmara municipal de Braga, tendo aí, em
tempos, funcionado a Assembleia Municipal. Actualmente está abandonada e em avançado
estado de degradação.

No resto do Palácio, sob a tutela do Instituto dos Museus, está instalado o Museu dos
Biscaínhos.

O museu dos Biscaínhos é um exemplo de multiculturalidade, pois nele existem culturas


diversas, desde a colecção de trajes, passando pela arquitectura, pela botânica. O museu dos
Biscaínhos reúne em si diferentes e riquíssimas culturas que deixam o visitante com uma visão
geral da época representada.

O palácio e os jardins barrocos revelam o quotidiano da nobreza setecentista, assim como


numerosas referências da vida dos outros habitantes do espaço: criados, escravos, capelães.

O Museu dos Biscaínhos é também um exemplo de multiculturalidade. Naquele espaço estão


expostas e visível uma colecção de artes decorativas (mobiliário, ourivesaria, cerâmicas, vidros,

4
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA – Secundário

têxteis etc.), instrumentos musicais, meios de transporte, da época compreendida entre o


século XVII e XIX.

Parte do seu espólio mostra as diferenças culturais de diferentes países.

5 – Identifique, na cidade de Braga, exemplos do Património Nacional.

Património Nacional de Braga

Designações Categoria Tipologia Freguesia Grau Ano


Castelo de Braga Arquitectura Castelo São João do MN 1910
Militar Souto
Ponte do Prado Arquitectura Ponte São Paio de MN 1910
sobre o Cávado Civil Merelim
Sé de Braga Arquitectura Sé Catedral Sé MN 1910
Religiosa
Arco da Porta Arquitectura Arco Sé MN 1910
Nova Civil
Capela do Espírito Arquitectura Lugar do Nogueira MN 1567
Santo Religiosa Espírito Braga
Santo
Cruzeiro de Arquitectura Cruzeiro Mire de MN 1910
Tibães Religiosa Tibães
Capela do Senhor Arquitectura Capela São João de MN 1910
Morto Religiosa Souto
Arqueologia Basílica Dume MN 1993

STC

Observe as ruas do centro de Braga. Tome atenção aos sinais e ao tipo se circulação
existente.

Durante a visita de estudo pude observar a arquitectura de alguns edifícios. Em relação ao


trânsito automóvel junto ao Museu dos Biscaínhos não se verifica muita circulação, talvez
devido ao facto de nessa rua este se efectuar apenas num só sentido.

Também pude verificar que certas ruas da cidade de Braga estão interditas ao trânsito
automóvel, por exemplo a Rua do Souto que, dessa forma, facilita o acesso das pessoas às
áreas de comércio.

5
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA – Secundário

Estas medidas por parte da Autarquia local, na minha opinião, são bastante positivas uma vez
que os peões podem circular à vontade, sem problemas com o trânsito automóvel.

2-Coloque-se no papel de formador, descreva como teria organizado esta visita de estudo,
identificando e explicando as principais etapas e obstáculos.

OBJECTIVOS DA VISITA: Reconhecer a multiculturalidade que estes espaços nos oferecem e


promover o convívio entre todos os membros do Curso de Educação e Formação de Adultos.

PREPARAÇÃO DA VISITA

Após verificar e efectuar um levantamento do património existente na cidade de Braga,


contactaria os locais que pretendia que o grupo visitasse. Agendaria uma data,
preferencialmente ao sábado, verificava o custo de entrada por participante e conciliaria com
a disponibilidade dos serviços de visita.

Reunidas as condições, colocaria a proposta à consideração do grupo, ponderando a melhor


forma de transporte dos visitantes.

Itinerário Proposto:

 09.00 Horas - Póvoa de Lanhoso – Braga (transporte próprio e /ou aluguer de


autocarro, ou solicitação de transporte à autarquia);
 09.30 Horas – Visita ao Museu D. Diogo de Sousa;
 10.30 Horas – Visita à Biblioteca Municipal Lúcio Craveiro da Silva;
 11.15 Horas – Visita ao Theatro Circo;
 12.30 Horas – Almoço no Centro da Cidade;
 14.30 Horas – Visita ao Museu dos Biscaínhos (visita guiada);
 16.00 Horas – Visita ao Museu da Imagem;
 16.30 Horas – Visita ao Espaço de Lazer: Jardim de Santa Bárbara.
 17.30 Horas – Regresso à Póvoa de Lanhoso

Observação: A Deslocação entre os locais realizar-se-ia a pé, uma vez que são próximos e os
participantes teriam oportunidade de interagir com a população local.

Considero que com o itinerário definido anteriormente, teríamos mais tempo para poder
observar e apreciar os locais visitados, bem como permitiria um maior convívio entre os
formadores e formandos.

6
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA – Secundário

As visitas de estudo permitem criar novas formas de relacionamento entre todos os membros
da comunidade escolar, estimulando os alunos para participar em actividades que também
contribuem para a sua formação cultural.

OBSTÁCULOS: Condições climatéricas desfavoráveis, conciliar a data da visita com a


disponibilidade dos espaços a visitar, bem como com a disponibilidade dos formandos e
conseguir transporte através da autarquia local.

REALIZAÇÃO DA VISITA: Sábado, pois a disponibilidade dos alunos assim o impõe.

CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS: A multiculturalidade presente no Museu dos Biscaínhos; a


arquitectura do Theatro Circo, bem como a agenda cultural; observação de vestígios
arqueológicos do tempo dos Romanos (Bracara Augusta); uma breve alusão à cidade de Braga
nos séculos XIX e XX, através da visualização de fotografias da época, entre outros.

BALANÇO/ AVALIAÇÃO: O balanço foi claramente positivo, pois consegui incutir nos
formandos bastante interesse e motivação. Estes puderam visualizar e apreender
conhecimentos que lhes passariam despercebidos nas visitas à cidade de Braga, dando-lhes
uma perspectiva diferente desta cidade.

3- Realizar, em grupo, uma exposição fotográfica sobre a Visita e um Moviemaker.

Maria Tinoco