FORTUNA CRÍTICA DE PAULINA CHIZIANE

[Estudos acadêmicos - teses, dissertações, ensaios, artigos e livros]
ABREU, Denise Borille de. Nós também vamos à luta: os efeitos da
guerra sobre as mulheres nas obras de Letícia Wierzchowski, Lídia
Jorge e Paulina Chiziane.. In: Anais do III Colóquio Mulheres em Letras/
I Encontro Nacional Mulheres em Letras, 2011.
ADÃO, Deolinda M.. Novos espaços do feminino: uma leitura de
Ventos do Apocalipse de Paulina Chiziane. In: MATA, Inocência;
PADILHA, Laura Cavalcante. A mulher em África. Vozes de uma
margem sempre presente. Lisboa: Edições Colibri, 2007.p. 199-207.
AFONSO, Ana Lidia da Silva. Buscando outro significado para Eva: a
representação do feminino na escrita de Paulina Chiziane. In: II
Congresso de Letras da UERJ - São Gonlçalo, 2005, São Gonçalo. Anais
do II CLUERJ-SG. Rio de Janeiro: Botelho - Editora, 2005. v. Único.
AGUIAR, Rafael Hofmeister de; CONTE, Daniel. De áfrica, de áfricas e
outros silenciamentos: da tradição oral à materialidade ficcional de
Paulina Chiziane. Signo (UNISC. Online), v. 39, p. 127-150, 2014.
ALBUQUERQUE, Soraya do Lago. O Patchwork literário de Paulina
Chiziane e Toni Morrison: um estudo comparativo entre Niketche: uma
história de poligamia e Beloved. (Dissertação Mestrado em Estudos
de Linguagem). Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT, 2014.
ALBERGARIA ROCHA, Enilce do Carmo. O Delírio Coutumier em
Édouard Glissant: Uma abordagem do romance "O Sétimo Juramento",
de Paulina Chiziane.. In: Enilce Albergaria Rocha; Cláudia Lahni;
Ignácio Jósé Godinho Delgado; Elizete M. Menegat; Danúbia Andrade.
(Org.). Culturas e Diásporas Africanas. 1ª ed., Juiz de Fora: Editora
UFJF, 2009, v. , p. 37-54.
ALÓS, Anselmo Peres. O romance de autoria feminina em
Moçambique: Balada de amor ao vento, de Paulina Chiziane. Dossiê,
TODAS AS LETRAS T, v. 14, n. 2, 2012. Disponível no link. (acessado
em 17.5.2015).
ARAUJO, Erika Tonelli de. Um olhar sobre a cultura e sociedade em
Moçambique: a ficção e a realidade em Nicketche: uma História de
Poligamia, de Paulina Chiziane. (Dissertação Mestrado em Sociologia).
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, 2009.
BEZERRA, Rosilda Alves. Estratégias do feminino e identidade de
gênero na ficção de Paulina Chiziane. In: Antonio de Paduas Dias da
Silva; Maria Goretti Ribeiro. (Org.). Rumos dos estudos de gênero e de
sexualidades na agenda contemporânea. 1ª ed., Campina Grande:
EDUEPB, 2013, v. 1, p. 189-202.

. 1-10. Samantha Simões. (Dissertação Mestrado em Letras). v. BEZERRA. 143-178. Rosilda Alves. BRAGA. 1ª ed. Rosilda Alves.). Altamir. (Org. 2013. Scheilla Graziella Cayô. CESAR. sexualidades e a herança das relações coloniais: nuances reveladas em Balada de Amor ao Vento. de Paulina Chiziane. p. 2. 133-159. Ana Beatriz Matte. Dimensões do herói moçambicano em As Andorinhas de Paulina Chiziane. Lina Magaia. Estudos de Literatura Africana Contemporânea.). de Paullina Chiziane. Vozes femininas na literatura moçambicana: Paulina Chiziane. . BRAUN. P. 2010. 1. Mulemba. v. Metamorfoses Narrativas: estudos de textos de ficção. Rafael Domingues Lenz. 2010. Bauru: Canal 6. BEZERRA. v. 2012. Zuleide. p. DOCA. de Toni Morrison. p. 2011. 1-16. 2007. (Org. BOTOSO. Igor Fernando Xanthopulo. O feminino na escrita literária de Paulina Chiziane. 1. GERMANO. 1ª ed. (Dissertação Mestrado em Letras). Disponível no link. In: Altamir Botoso. Internacionalização do Regional. 2015. Colóquio Nacional Representações de Gêneros e de Sexualidades. de Paulina Chiziane. Lilia Momplé. . BEZERRA. p. In: XIII Congresso Internacional da ABRALIC. Campina Grande. PUC Minas.2015). F. 2010.BEZERRA.5. Eletras (UTP). Patricia Gomes. Campina Grande: REALIZE. v. 1-8. Multiculturas. poligamia: o contexto da literatura moçambicana e Niketche. v. 2014. Rosilda Alves. Campina Grande. v. Heloisa Helou Doca. 84-98. v. Universidade de São Paulo. A Cor das Letras (UEFS). p. In: Altamir Botoso. 2014. 2008. PIOLA. p. Bauru: Canal 6.uma história de poligamia. CARMO. Noémia de Souza. 1. p. 16. 1-12. pluralidades. Elaine Aparecida Prado. Na dança das convenções:uma leitura do romance Niketche . 2. In: VI Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades. USP. Labirintos (UEFS). 12. 2014. Heloisa Helou. 199-222. p. Mulheres negras. DUARTE. 1. A mulher moçambicana e sua relação com a guerra em Ventos do apocalipse.de Paulina Chiziane. de Paulina Chiziane. R. CAVALCANTE. Altamir. 2013.. v. Mulemba. A construção do espaço no romance Niketche: uma história de poligamia. Abandono e errância: a busca identitária em Léonora Miano e Paulina Chiziane. GIANINI. (acessado em 17. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. BOTOSO. Rosilda Alves. Identidades sociais e sujeitos deslocados em Balada de amor ao vento de Paulina Chiziane. O entre-lugar e os conflitos ideológicos nas narrativas de Chinua Achebe e Paulina Chiziane. e O Olho mais Azul. 1. v. Campina Grande: REALIZE. p. 6-12.

2012. USP. Sádico e Manipulador em Niketche. Universidade de São Paulo. COSTA. Assimilaçaõ. de Toni Morrison. 2010.Diásporas. Marcas da diferença: as literaturas africanas de língua portuguesa. Niketche: performance e diálogos femininos. Às margens da nação moderna em Ventos do Apocalipse de Paulina Chiziane. CHAVES. In: IV Encontro de professores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa. 2008. NGUZU: Revista do Núcleo de Estudos Afro-Asiáticos. São Paulo: Ateliê. 2013. Deslocamentos. COSTA. UNESP. CESÁRIO. Pollyana dos Santos Silva. Rita. IX. Niketche: a dança da criação do amor poligâmico. de Paulina Chiziane. Rio de Janeiro. 2010. Laços Africanos em Vivências Femininas. 2010. 2. CHAVES. A trajetória descendente do Amante Viciado. (Tese Doutorado em Letras).CESAR. 2014. África: dinâmicas culturais e literárias. Cadernos do CNLF (CiFEFil). Angola e Moçambique: experiência colonial e territórios literários. de Conceição Evaristo: Vivências Femininas. Eloísa Porto. Diversidades. CESÁRIO. Rita. Gurué. p. n. Irineia Lina. São Paulo: Alameda. COSTA. Ouro Preto. 2006. 47-64. Rafael Domingues Lenz. (Dissertação Mestrado em Literaturas de Língua Portuguesa). (Dissertação Mestrado em Literatura). (Dissertação Mestrado em Literatura e Crítica Literária). gurué – A saga das mulheres em O alegre canto da perdiz. 30. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Mulheres negras e o paradigma colonial: afetividades. In: Anais eletrônicos do Fazendo Gênero 9 . (Tese Doutorado em Letras). CESÁRIO. CORRÊA. p. 2006. De mitos e silêncios: nas águas do feminino pelos romances de Paulina Chiziane. identidade e memória na obra O alegre canto da perdiz. COSTA. Irineia Lina. Eliane Gonçalves da. Ventos do Apocalipse. 2005. Irineia Lina. Cartografias de Moçambique no Romance Niketche: uma história de poligamia de Paulina Chiziane. Eliane Gonçalves da.2. de Paulina Chiziane. Maria Gabriela. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. . UnB. Maceió: mimeo. Leocádia Aparecida. e O olho mais azul. 2010. v. de Paulina Chiziane. PUC Minas. v. de Paulina Chiziane e Ponciá Vicêncio. 2010. Universidade de Brasília. PUC-SP. de Paulina Chiziane. CHAVES. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tirano. sexualidades e outros exercícios revelados em Balada de amor ao vento. 2013.

Ventos do apocalipse: ventos de mudança em tempos de pós. COSTA. Rosilene Silva da. DANTAS. de Paulina Chiziane. DAVID. quem adjetiva quem em Ventos do apocalipse de Paulina Chiziane?. 2012. p. 2007. 2011. Personagens femininas negras nas obras de Carolina Maria de Jesus. Porto Alegre: Jadeditora. O desencanto utópico ou o juízo final: um estudo comparado entre A costa dos murmúrios. (Org.. v. Luciana Neuma Silva Muniz Meira. Maria Conceição Evaristo Brito e Paulina Chiziane.. Rita Jesus da. (Dissertação Mestrado em História).5. 2. 1. 2008. (Dissertação Mestrado em Letras). UFRGS. José.. Rosilene Silva da. 353-358. Pollyana dos Santos Silva. Seminário Mulher e Literatura. 2009. USP. 048-060. v. (Tese Doutorado em Letras). Regina Pahim Pinto e Fúlia Rosemberg. -. Subjetividades femininas: mulheres negras sob o olhar de Carolina Maria de Jesus. CRAVEIRINHA.. PUC-SP. Rosilene Silva da. Débora Leite. Maria Conceição Evaristo e Paulina Chiziane. Navegações. Lisboa: Editorial Caminho. Renata Jesus da.). COSTA. p. 2008. Relações raciais no Brasil: pesquisas contemporâneas. 178179. 1995. Renata Jesus da. A diversidade cultural na obra O sétimo juramento de Paulina Chiziane. DAVID. Universidade Estadual da Paraíba. 2008. (Dissertação Mestrado em História). (acessado em 17. 2011. Narrador-contador ou contador-narrador. O alegre canto da perdiz. p. COSTA. UEPB. p. São Paulo: Contexto. de Lídia Jorge.. COSTA. Resenha: Chiziane. Boitatá. (Dissertação Mestrado em Literatura e Interculturalidade). 2011. Maputo: AEMO. PUC SP. A pesquisa em letras e Lingüística em tempos de pós. In: Coloquio Nacional a pesquisa em Letras e Lingüística em tempos de pós. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.2015). Identidade da mulher moçambicana nas obras de Noémia de Sousa e Paulina Chiziane. Subjetividades femininas: mulheres negras sob o olhar de Carolina Maria de Jesus. Paulina. Débora Leite. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. COSTA.COSTA. 1. 2011. v. p. e Ventos do apocalipse. 2007. 2009. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. v. Universidade de São Paulo. A mulher moçambicana e a assimilação na obra de Paulina Chiziane. Karingana ua karingana... COSTA. In: Valter Roberto Silério. 1. Maria Conceição Evaristo e Paulina Chiziane. 2025/193-2034. Disponível no link. .

. 1ª ed. O feminino em dois romances de Lídia Jorge e Paulina Chiziane. p. ENTREVISTA. Rosalia Estelita Gregorio. v. Tania. DIOGO. SECCO Carmem Lucia Tindó. Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.5. p. ENTREVISTA.). dossie 1. Paulina chiziane . 113-121. (Org. valores. MACEDO. 1ª ed. DIOGO.2015). [entrevista concedida a Douglas Freitas e Marcelo Hailer]. (Tese Doutorado em Letras/Literaturas de Língua Portuguesa). In: CHAVES. In: MIRANDA. Doralice de Freitas. 2014. In: Duarte. Rosalia Estelita Gregorio.. Maputo. 173-182. DAVID. The Dialogue about Racial Democracy among African-American and Afro-Brazilian Literatures. p.2015). n. p. (acessado em 17. Revista Crioula (USP). originalmente publicada na Revista Bastião. Tereza Batista e Rami: uma análise da representação literária do discurso feminino em Jorge Amado e Paulina Chiziane. 8-90..).5. FERREIRA. Os anjos de Deus são brancos até hoje. 1. (Org. Belo Horizonte. v. Isabel Cristina Rodrigues. As diversas possibilidades de falar sobre o feminino. 1ª ed. FERNANDES. FERREIRA. Rosalia Estelita Gregorio. edição nº 18. (Dissertação Mestrado em Letras). sentidos. University of North Carolina at Chapel Hill. Paulina Chiziane e as relações de gênero em Moçambique. Disponível no link. University of North Carolina at Chapel Hill. Débora Leite. (Org. 2008. v.O ato de colonizar está na mente. 361-395. (acessado em 17. 2012. Rosalia Estelita Gregorio. 2007. Curitiba: Appris. 2010. Disponível no link.5. DIOGO. DIOGO. Paulina Chiziane: versos e rostos femininos de Moçambique. 2013. Moçambique: Marimbique. Constância Lima. 1. (Dissertação Mestrado em Master of Arts in Romance Languages). 2005. (acessado em 17. 1. . 14. 27. Débora Leite. entrevista a Paulina Chiziane. Maria Geralda de. (Tese Doutorado em Doctor of Philosophy in Romance Languages). PUC Minas. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Arquivos femininos: literatura. UERN. Isabel Cristina Rodrigues. Passagens para o Índico: encontros brasileiros com a literatura moçambicana. 2013. As diversas possibilidades de falar sobre o feminino. Paulina Chiziane e Conceição Evaristo: escritas de resistência. 2013.DAVID. 2º sem. Belo Horizonte: UFMG. A narrativa de Paulina Chiziane e o romance moçambicano contemporâneo. Rita. SCRIPTA. v. Disponível no link.The Power of Religion in Paulina Chiziane s O Sétimo Juramento. in: Buala.).2015). . p. v.

O tempo e o corpo: birutas de ler os "Ventos do Apocalipse" (sobre o romance de Paulina Chiziane). In: SILVA. 10. Artur de Vargas. A presença estrangeira em Ventos do Apocalipse. v. 2010. de Paulina Chiziane. As imagens da incestualidade nas narrativas de Mia Couto e Paulina Chiziane. p. José Luís Giovanoni. Recife: EDUFRPE. 2010. p.. Dossiê Africanas. 99-109.5. Revista Crioula (USP). Identities and Cultures. FREITAS. . UFPB. 2011. 7.. 103/2-109. 1. (Org. 1. O feminismo negro de Paulina Chiziane. 2012. de Rita Chaves e Tania Macêdo (organizadoras). 161-171. 2014. 2012. 2008. 141-161. Sávio Roberto Fonseca de. 2014. Ricardo George de Araújo. (Dissertação . Sávio Roberto Fonseca de. Áfricas de África.2015). v. Antares: Letras e Humanidades. de Paulina Chiziane. Disponível no link. (Tese Doutorado em Letras). Universalismos teóricos e diferenças culturais em Ventos do apocalipse. 218-234. GIORGI. FREITAS. Moçambique por Paulina Chiziane. Ciências Humanas em Debate. Claudia Roberta. Revista todas as letras (MACKENZIE. 9. Adelto. GONÇALVES. p. Online).).FERREIRA. Recife: Programa de Pós-Graduação da UFPE. In: Passagens para o Índico: encontros brasileiros com a literatura moçambicana. In: Zuleide Duarte. Balada de amor ao vento: as relações de gênero na ficção de Paulina Chiziane. (Org.2015).5. Marcia Souto. p. v. 1ª ed. 1. 12-18. In: Asma Sayed. v.). A condição feminina em Balada de amor ao vento. GODOY. João Pessoa: Ideia. v. 180p.). FORNOS. p. 1. (Org. Literaturas FREITAS.. v. Sávio Roberto Fonseca de. Isabel Cristina Rodrigues. FREITAS. v. de Paulina Chiziane. p. (acessado em 17. Disponível no link. Paulina Chiziane: Uma voz de Moçambique. Oxford: Inter-Disciplinary Press. 4. 1ª ed. FORTES. Márcia Denise de Oliveira. Anamélia Fernandes. p. Corpos Transfigurados: representações do corpo na ficção de Paulina Chiziane. Sávio Roberto Fonseca de. 2005. 81-87. Mulemba. Writing Diaspora: Transnational Memories. Maputo: Marimbique Conteúdos e Publicações. GONÇALVES. 2014. 33-41. Sávio Roberto Fonseca de (Org. FREITAS. 2008. v. Religious Experience in Paulina Chiziane's O sétimo juramento. Sociopoética (UEPB). TAVARES SILVA. v.). ed.. pp. (acessado em 17. FERREIRA. Fabio da Silva. 1. 16. p. Universidade Federal da Paraíba. 1ª ed.

Balada de amor ao vento. 145-158. Rami: a mulher. UFF. Lisboa: Edições Colibri. UFSJ.a dança do amor. Os ritos de iniciação em Balada de amor ao vento. Lúcia Marilena. Cintia Acosta. In: MIRANDA.. 2014.Lisboa: Edições Colibri. A mulher em África. A negritude africana de língua portuguesa. Carmen Lucia Tindó. Novos espaços de formação: balada de amor ao vento. erotismo e vida: uma criação novelística de tradições e linguagem por Paulina Chiziane. 1998. um bildungsroman feminino. In: Carmen Lúcia Tindó Ribeiro Secco e Maria Geralda de Miranda. SECCO. Curitiba: Appris. (Org. Universidade Federal Fluminense. Pires. p. 2007. 2013. Graphos (João Pessoa). 2015. Niketche .. Niterói: Vício de leitura. 1. (Dissertação Mestrado em Estudos Literários). 137-150. 1. 7-20. de Paulina Chiziane. (Org. 1987. KRISTEVA. p.Mestrado em Teoria Literária e Critica da Cultura). KÜTTER. JORGE. de Paulina Chiziane. Vozes de uma margem sempre presente. A mulher escritora em África e América Latina.). 2013.317-330. 1995. GUIDICINI. . Russel G. 14.1999.). Ivan Takashi Kano. p. (Org. 2010.). a realidade e a trajetória na narrativa de Paulina Chiziane. 2013. Maria Geralda de. 1ª ed. Inocência. Revista Mulheres e Literatura. p. HAMILTON. v. São Paulo: Edusp. 1. LEITE. Porto: Afrontamento. Entre guerras e narrativas:percursos da escrita de Paulina Chiziane e Lília Monplé. p. Cintia Acosta. LARANJEIRA. 217228. 1ª ed. um romance de formação refletido em corpo feminino. de Paulina Chiziane. de Paulina Chiziane. Curitiba: Appris. Oralidades e africanas. 16. Ensaios sobre literatura portuguesa e literaturas africanas de língua portuguesa. Feminismo e linguagem. Silvio Renato. Denise Maria Soares. Laura Cavalcante. A presença da mulher moçambicana em O sétimo juramento e Niketche. Julia. In: Roberta Guimarães Franco. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos em Moçambique. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. Cintia Acosta. escritas nas literaturas LIMA. PADILHA. Otávio Henrique Meloni.. 2011. In: MATA. KÜTTER. Ana Mafalda. v. Lisboa: Num. KÜTTER. p. v. v. 1-3. A mesma palavra outra. Cintia Acosta. Universidade Federal de São João Del-Rei. v. KÜTTER.

p. Tânia Maria de Araújo. M. M. Algemira de Macêdo. O pós-colonialismo no Canto Alegre da Perdiz. 2013. 2013. MATA. Peles negras . (Dissertação Mestrado em Linguística). de Paulina Chiziane: construção e afirmação da identidade feminina e cultural de Moçambique. Niketche. 1-11. uma estória de poligamia. (Org. Moçambicanismos: para um léxico dos usos do português moçambicano. de Paulina Chiziane.135142.8. v4.máscaras feiticeiras em Paulina Chiziane. 2007. Discurso e Memória: Literatura.. p. Inocência. IDENTIDADES E DIVERSIDADE CULTURAL: etnia e gênero. SANTOS. 2002. LINS. v. In: Metamorfoses 1. MENDES. 1. BOTELHO. R. and the writing of oneself. SITOE. de Paulina Chiziane – uma alegoria sobre o preço do poder. 2014. 1. In: Anais do I Encontro nacional de Ficção. 1.. A. MACÊDO. Laura Cavalcante. MENDES. CIARLINI. Cleuma Regina Ribeiro da Rocha. Salvador Júlio. Literaturas de língua portuguesa – Moçambique. Amara Cristina de Barros e Silva. Paulino José (orgs). v. Vera. Contexto: Revista do Programa de Pós-graduação em Letras. D. p. 1. p. MATA. Universidade Federal da Paraíba. In: 17º Encontro Nacional da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre a Mulher e Relações de Gênero 2012. v. In: Marleide Lins. p.LIMA.). cinema. MATA. 7-22. XI Encontro sobre o ensino de Língua e Literatura. de Paulina Chiziane: o discurso da alteridade. Lisboa: Edições Colibri. Editora UFPB. MENDONCA. UFPB. Maputo: Ed. 7-15. v. B.187-191. by Paulina Chiziane. Oralidade e polifonia em Niketche. Belo Horizonte. Niketche uma história de poligamia. p. A mulher em África. 2013. p. Armando José. Inocência.Rio de Janeiro: Cosmos. Algemira de Macêdo. São Paulo: Arte & Ciência. D. São Luis: EDUFMA. 2014. NHAMUENDE. . MAQUÊA. Tania. Universitária. v. In: SCRIPTA. LINS. 2000. Inocência. Paulina Chiziane: uma coletora de memórias imaginadas. 1ª ed. Vozes de uma margem sempre presente. 2014. 2007. 175-181. LOPES. MENDES. gêneros digitais e outros gêneros. n. Algemira de Macêdo.. C. 2009. 26. Olinda.. a Polygamy Story. PADILHA. N. 1-635. LISBOA: CEIPHAR / ITM. Recife: Pipa Comunicação. O sétimo juramento.. A escrita da mulher em Balada do amor ao vento de Paulina Chiziane. In: XI Encontro sobre o ensino de língua e literatura.

2010. O trânsito da memória. Tempo e história na narrativa moçambicana. Rio de Janeiro: Publicações Dialogarts. Carmen Lucia Tindó. Maria Geralda de.8.. Belo Horizonte: Scripta. v. v. MIRANDA. 193-202. Carmen Lucia Tindó R. 2005. Brasília: 1988. A metamorfose do narrador na ficção moçambicana. K. MOREIRA. PUC-Minas. Belo Horizonte: Scripta. n.). O vão da voz. Mulemba. 2013. v. v. MIRANDA. MIRANDA. MOREIRA. Mito e história: articulações entre Pepetela. Terezinha Taborda. 1. 2014.Instituto Camões. 2000. v. 1. Reflexões sobre Gênero a partir da escrita de Paulina Chiziane. p. 1-48. In: IV Painel "Reflexões Sobre o Insólito na Narrativa Ficcional": Tensões entre o sólito e o insólito. Abraço Utópico entre Logos e Sofia na Produção Literária de Paulina Chiziane. Universidade Federal de Minas Gerais. SECCO. A metamorfose do narrador na ficção moçambicana. Terezinha Taborda. O alegre canto da perdiz. Mulemba. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. p. UFMG.: o saber de Ominsulá. Maria Geralda de. Maria Geralda de. 1. 1ªed. p. Terezinha Taborda. 222-226. p. (Tese . 30-35. 2008. p. Roberto de Sá.MENDES. O Marrare (Online) (Rio de Janeiro). MOREIRA.Curitiba: APPRIS. v.. 2010. In: Maria Geralda de Miranda. (Org. p. v. Com quantos retalhos se faz um quilt? – costurando a narrativa de três escritoras contemporâneas. Curitiba: Appris. MIRANDA. MIRANDA. 2013.13. Terezinha Taborda. (Tese Doutorado em Letras). p. 1. Pedro Manuel. Terezinha Taborda. (Tese Doutorado em Estudos Literário). Belo Horizonte: Ed. Mitos e ritos nagô. MIRANDA.). MOREIRA. n. 2009. 1.4. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. 2001. E. PUC Minas. 2014. Maria Geralda de. Análise do texto da entrevista à Paulina Chiziane pelo Maderazinco. Mia Couto e Paulina Chiziane. v. Maria Geralda de. de Paulina Chiziane.250-257. O vão da voz. Escrita e performance na literatura moçambicana. (Org. 77-85. NAPIDO.356-367. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. Questões de gênero e inclusão social em Paulina Chiziane. Marli Maria. p. In: MIRANDA. Heloísa. 263-284. MOREIRA. AVELAR. NASCIMENTO. 1.7. Boletim . 2003. Maria Geralda de. A África e o feminino em Paulina Chiziane.. 1ª ed. Secco.

53-63. Adélia Miglievich . Portugal. 2005. v. Ianá Souza..uma história de poligamia. In: X Congresso Internacional da ABRALIC. Heloisa Toller.). Lugares do Discurso: anais do X Congresso Internacional da Abralic (Cd-ROM). 7. NASCIMENTO. (Org. Capulanas e vestidos de noiva. Alda Espírito Santo e Odete Semedo. PEREIRA. Vozes femininas de Moçambique.).90. NASCIMENTO. 1. p. v. Leitura de Romances de Paulina Chiziane. Maria Geralda de Miranda. PADILHA. Vera Duarte. v. Jurema José de. niversidade do Estado de Mato Grosso. Mulheres de Moçambique: Impressões subversivas no Romance Niketche de Paulina Chiziane. Heloísa. 1. Carmen Lúcia Tindó Secco. PADILHA. O Novo e o antigo: ponderações sobre o enredamento das estórias de Paulina Chiziane na tessitura póscolonial. 2011. 1. OLIVEIRA. Universidade Estadual do Rio de Janeiro. A dança das contradições em Niketche . 1ª ed. Vitória. 2014. Laura Cavalcante. 2006. In: I Congresso Nacional Africanidades e Braslidades: ensino. Carmen Lúcia. USP. (Dissertação Mestrado em Estudos Literários). Vitória: 2012. 83 . Universidade de São Paulo. v. NASCIMENTO. 1ª ed. 2006. Paulina Chiziane e a história da poligamia. Curitiba: Editora Appris. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. Paulina Chiziane: na literatura e na guerra. 2013. 2013. p. UNEMAT. TINDÓ. 1 set. de Paulina Chiziane. Porto. Capulanas e Vestidos de Noiva. p. Alda Lara. UERJ. 2012. In: Maria Geralda de Miranda. Revista Athena. Caderno Seminal Digital (Rio de Janeiro). OLIVEIRA. Luciana Alberto. (Org.. Luciana Alberto. 161176. OLIVEIRA. v. Anais do Congresso Africanidades e Braslidades. 1. MIRANDA. Ianá Souza. p. Paulina Chiziane e a história da poligamia. 1-8. In: Julia Almeida. Rio de Janeiro. 16. 176-185.Doutorado em Letras). 2011. 1. 2008. 2011. . Jurema José de. Rio de Janeiro: 7 Letras. p. Paulina Chiziane. PEREIRA. Revista Curupira: revista do Grupo de Estudos Lusófanos. p. Ana Paula Tavares. Jurema José de. (Dissertação Mestrado em Letras). 42-54. Leitura de romances de Paulina Chiziane. v. Laura Cavalcante. 2014. Noémia de Sousa. Paulina Chiziane e a história da poligamia.Ribeiro. p. Desenredo (PPGL/UPF). pesquisa e crítica.

de Paulina Chiziane. Scripta (PUCMG). de Paulina Chiziane. Juliana. p. Universidade Federal da Paraíba. PRIMI. RESENDE. 2010. . USP. 87-104. p. Entre dois mundos: um olhar sobre a loucura feminina nos romances O Alegre Canto da Perdiz. 2006. 14. 2009. QUINTILHANO. UFPE. v. Corpos transfigurados: uma análise do corpo mestiço em O Alegre Canto da Perdiz de Paulina Chiziane. (Dissertação Mestrado em Letras). 2006. v. de Dina Salústio. X ABRALIC. São Paulo. GONÇALVES. Entre dois mundos: a loucura feminina em A Louca de Serrano. uma história de poligamia. Lourenço do. Ipotesi (UFJF. Juliana. 10. As inscrituras do verbo: dizibilidades performáticas da palavra poética africana. de Mia Couto.193. In: X Congresso Internacional da ABRALIC. Universidade Federal de Pernambuco. de Paulina Chiziane e A Louca de Serrano. Cadernos CESPUC de Pesquisa. Boletim Academia Paulista de Psicologia. Amarino Oliveira de. Práticas e táticas do cotidiano na obra Niketche. Universidade de São Paulo. p. (Tese Doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa). Oralidade e Polifonia na Construção da Identidade Linguística e Cultural Moçambicana em Niketche. 20. ROSÁRIO. Entre dois mundos: a loucura feminina em A Louca de Serrano. Cleuma Regina Ribeiro da. Badou Koffi. Universidade de São Paulo. v. 2011. de Paulina Chiziane. Universidade de São Paulo. e Ventos do apocalipse. 2010. Silvana Rodrigues. Lisângela Daniele. Juliana. 18. 2013. 2007. UFPB. USP. PERUZZO. de Paulina Chiziane. A consciência da subalternidade: trajetória da personagem Rami em Niketche de Paulina Chiziane. PRIMI. 2014. ROBERT. Moçambique: história.Rom. USP. Belo Horizonte: Nandyala. De armas e de palavras: um estudo comparado da temática da guerra em Terra Sonâmbula. de Dina Salústio e O Alegre Canto da Perdiz. 2013. v. sociedade e literatura. Adelaine La Guardia. PRIMI. 196-203. de Dina Salústio e O Alegre Canto da Perdiz. Anamélia Fernandes. 2010.PEREIRA. Rio de Janeiro: CD. (Tese Doutorado em Letras). ROCHA. (Tese Doutoramento em Teoria da Literatura). 1 jun. (Dissertação Mestrado em Letras). Mulheres ao vento: a identidade social feminina em um romance moçambicano. QUEIROZ. 179 . Rio de Janeiro. 2010. Ianá Souza. culturas. Impresso). p. 215-226.

7. Thaís Cristina. A presença da voz em Niketche. (acessado em 17. de Paulina Chiziane. de Paulina Chiziane. 2010. p. PRZYBYLSKI. SANTOS. Érica Alves.. O super-homem calcificado no Éden da praça. SANTOS. Nau Literária (UFRGS). (Dissertação Mestrado em Literatura e Crítica Literária). SANTOS. 75-100. SANTOS. 2010. 1-16. de Paulina Chiziane. p.Revista do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Espírito Santo. (Tese Doutorado em Letras). de Paulina Chiziane. Entre a Tradição e a Modernidade: O Sétimo Juramento. 1-16. SANTOS. 2010. Disponível no link.5. 2. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. PUC-Rio. Castro Soromenho e Paulina Chiziane: projetos (pós) coloniais. 2013. Florianópolis: Instituto de Estudos de Gênero. (acessado em 17. (Dissertação Mestrado em Letras Vernáculas). In: XI Encontro Regional da ABRALIC .2015). p. v. Patrícia Maria dos Santos. O calvário e o apocalipse na obra de Paulina Chiziane. Estórias de vida. 11. SANTOS. Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2010. Tiago Ribeiro dos. SANTOS. 2007. 14. v. In: Anais Eletrônicos do Seminário Internacional Fazendo Gênero 9. 22-40. Florianópolis. Online).ROSSI. 3. Disponível no link. Teia literária.5. A questão do feminino e a reconfiguração da moçambicanidade em Balada de Amor ao Vento. SANTANA. Alexsandra Machado da Silva dos. Tiago Ribeiro dos. SANTOS. Revista Contexto . p. 2014. Palimpsesto (Rio de Janeiro.2015). 26."Literaturas. Cristina Mielczarski. 345-362. v. SANTOS. v. 2011. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Tiago Ribeiro dos. PUC/SP. p. "Ventos do apocalipse": conexões entre a guerra e a esperança. Márcia Cristina dos. 2010. In: Anais Eletrônicos do II Seminário dos Alunos do Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina. v. Mauren Pavão. v. Poética da negociação cultural em Paulina Chiziane e Mia Couto. p. Cristina Mielczarski. Thaís Cristina. UFRJ. O Marrare (Online) (Rio de Janeiro). cenas de morte: a representação da guerra nas narrativas de Mia Couto e Paulina Chiziane. . 382-393. 2010. de Paulina Chiziane. 2009. p. Artes. 2012. Memória e magia em O Sétimo Juramento. Saberes". p. História e histórias entrelaçadas pela voz: a narrativa performática em O Alegre Canto da Perdiz. RevLet: Revista Virtual de Letras. SANTOS. Alexsandra Machado da Silva dos. Entre a tradição e a modernidade: O sétimo juramento. 1-8. 160-180.

O Sétimo Juramento: uma reflexão sobre a mulher e a política em Moçambique. v. (Tese Doutorado em Letras). O outro. Carmen Lúcia Tindó. v. p. Poesia e Prosa. p. Maria Geralda de. 2009. Gestão e Sociedade. p. SANTOS. 11. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. Carmen Lúcia Tindó Ribeiro. Disponível no link. Epifanias do feminino em Paulina Chiziane e Clarice Lispector. In: MIRANDA. ..). 1-403. A voz feminina na literatura de ascendência africana: hibridismo de mitos e ritos nos romances Niketche de Paulina Chiziane e A cor púrpura de Alice Walker. 1. 2007. Carmen Lucia Tindó.). 1ª ed. 5. Revista África e Africanidades. 249-262. In: Anne Begenat-Neuschäfer. 2009. SANTOS. 1. Maria Geralda de. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Niktche de Paulina Chiziane e A cor púrpura de Alice Walker: Intersecções entre escritoras negras contemporâneas. 96 .. 2013. Maria Geralda de. (acessado em 17. SECCO. Diásporas e Identidades. 2010. Revista de Educação.). Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. 115-126. In: XXI Encontro de Professores de Literatura Portuguesa ABRAPLIP. In: MIRANDA. 2007. Carmen Lúcia Tindó Ribeiro. Sueli da Silva. Universidade de Taubaté. 1ª ed. Secco. (Org.118. Flavio Quintale. Vera Lúcia Martins. Thaís Cristina. . Vera Lucia Martins. IANNACE. p. Dessacralização do discurso do poder no gênero romance: Niketche de Paulina Chiziane e A cor púrpura de Alice Walker. 2010.2015). São Paulo. Curitiba: Appris. 1ª ed. Paisagens apocalípticas com mulheres e guerra ao fundo. UFF. SARUBBI. SANTOS. Waltecy Alves dos. nas narrativas de Niketche e A cor púpura. Frankfurt/Bern/Bruxelles/New: Peter Lang. Universidade Federal Fluminense. SARAIVA. Revoluções. p. v. MIRANDA.SANTOS. Ricardo. 1-28. (Org..5. 2014. SANTOS. 15 out. PUC-SP. p. v. 2015. O Sétimo Juramento: leitura mítica do poder e da perdição de um fausto moçambicano. Maria Geralda de. 01.Curitiba: Appris. Sueli da Silva. SECCO. v. Vozes femininas de África. (Dissertação Mestrado em Literatura e Crítica Literária). SECCO.). Revista Desmedida. o eu: a cama. MIRANDA. (Org. A representação da identidade cultural feminina na obra de Paulina Chiziane. Waltecy Alves dos. (Orgs.. SARAIVA. 1ed. Curitiba: Appris. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. 2013. SARUBBI. 2013. Waltecy Alves dos. Waltecy Alves dos.

p. 2. SP: Yendis. Meyre Ivone Santana da. (Tese Doutorado em Literatura Comparada). M. BOTELHO. 2014. SILVA. SILVEIRA.. PUC Minas. Memória e história na obra "O alegre canto da perdiz". 237254. Cândido Rafael Mendes. Inversões e espelhamentos críticos em Paulina Chiziane. 82-90. 32-48. v. (Org. Universitária. p. Curitiba: Appris. 1996. SECCO. . Regina da Costa da. moçambicanidades revisitadas. p. (Dissertação Mestrado em Letras Vernáculas). 2011. p. 2010. Carmen Lucia Tindó. Carmo. moçambicanização. de Paulina Chiziane. Disponível no link. 2010. In: MIRANDA. v. SILVA. Estados Unidos.5. v. Encontro: . de Paulina Chiziane. 2013. A representação da fome em Ventos de Apocalipse. Manoel de Souza e. Condição humana e identidade em Balada de amor ao vento. Identidade. SILVA. 1ª ed. (acessado em 17. Rosilene Teodora da. de Paulina Chiziane. (Org. Simone Pereira. 2013. São Paulo: Edusp. 229-247.2015). Desenredo (PPGL/UPF). v.. Scripta (PUCMG). 2014. v. Paulina Chiziane: para ler Moçambique no feminino. 7. José Craverinha e Paulina Chiziane: identidades questionadas.2015). UO. in: UEAngola. Amara Cristina de Barros e Silva.). de Paulina Chiziane. 317-329. (acessado em 17. SALGADO. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.. Narratives of Desire: Gender and Sexuality in Bugul. M. SILVA. (Dissertação Mestrado em Literatura Africana de Lingua Portuguesa). p. Franciane Conceição da. Maria Geralda. Cândido Rafael Mendes. Maputo: Ed. 1. Universidade Federal do Rio de Janeiro. SILVA.). In: SECCO. Os perfis femininos em O alegre canto da perdiz de Paulina Chiziane. Disponível no link. SIQUEIRA. Tindó.5. 2. África & Brasil: letras em laços vol. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. a paródia como recurso especular em Niketche: uma história de poligamia. Simone Pereira. 2009. SERRA. Xiboniboni: a metáfora dos espelhos em Niketche. Carlos (org). São Caetano do Sul. Aidoo and Chiziane. Cândido Rafael Mendes. Do alheio ao próprio: A poesia em Moçambique. SILVA. ensaios..18. University of Oregon. SILVA. SEPÚLVEDA. moçambicanidade. UFRJ. SCHMIDT. v.SCHMIDT. Carmen L. Teresa. 1998. A. Corpo e terra em O alegre canto da perdiz. Semioses (Rio de Janeiro).

.. (Org. Eliseu. Disponível no link. p. Rafaella Cristina Alves. Por uma modernidade própria: O transcultural nas obras Hibisco Roxo de Chimamanda Ngozi Adichie e O sétimo Juramento de Paulina Chiziane. Paulina Chiziane: vozes e rostos femininos de Moçambique. Direitos humanos. 1. p. Araguaína/TO. As mulheres de Paulina Chiziane nas narrativas da guerra colonial moçambicana. p. 3. Izabel Cristina dos Santos. Universidade Estadual da Paraíba. (acessado em 17.5. Flávio Camargo Pereira. In: Carmen Lucia Tindó Ribeiro Secco.. 39-48. Revista Língua & Literatura (Impresso).). jurídicas e filosóficas sobre a diferença. de Paulina Chiziane. v.5. Porto Alegre: Appris. 1ª ed. Salvador Bahia./jul. v. literatura e sexualidade. 2014. 12. (Dissertação Mestrado em Literatura e Interculturalidade). Izabel Cristina dos Santos. Diversidades: diáligos (im)pertinentes entre educação. (Org. (Org. TEIXEIRA. UnB. TEIXEIRA. 2013. Rafaella Cristina Alves. Izabel Cristina dos Santos. Maria Geralda de Miranda. (Tese Doutorado em História). p. In: Eliseu Riscarolli. Narrativas da moçambicanidade. TEIXEIRA.2015). Ventos do apocalipse a Meio sol amarelo: Enlace entre a tradição e a modernidade nas obras de . Universidade Federal de Santa Catarina. Maria do Carmo Ferraz. 185-196. Disponível no link.. 15 jul. 129-138. p. TEIXEIRA. TEOTÔNIO. Curitiba: CVR. 1ª ed. Izabel Cristina dos Santos. 2013. Ecos feministas na literatura moçambicana contemporânea. 313-320. Universidade de Brasília. 2008. 82-91. In: XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais. 1ª ed. TEIXEIRA. democracia e justiça: percepções literárias. TEIXEIRA. 2013. Recife. 2011. 1. As mulheres que criam reis uma leitura de Maundlane.). In: RISCAROLLI. de Paulina Chiziane. 2011. Representações de práticas familiares camponesas nos romances de Mia Couto e Paulina Chiziane. Maria do Carmo Ferraz. 2012. n. Os romances de Paulina Chiziane e Mia Couto e a reconfiguração da identidade. 2011. 2014. em 'Balada do amor ao vento'. UFSC. Sarnau e Mwando: o 'amor' para além das relações de gênero. Curitiba: Editora CVR. 1. Diversidades d Desigualdades. TEDESCO. TEOTÔNIO. jan. Elas por ela: algumas mulheres na “dança” de Paulina Chiziane. UEPB. o criador. v. p.). TEDESCO. 07-207. 1. v. (acessado em 17. Um eco feminista em \. Vanessa Ribeiro. (Tese Doutorado Literatura).2015). Entreletras. v. 2010.Revista do Gabinete de Português e Leitura de Pernambuco. Izabel Cristina dos Santos.

2007. Maximiliano Gomes. PB: Editora Realize. Reflexões sobre gênero na narrativa de Paulina Chiziane: uma leitura do conto As cicatrizes do amor. In: Anais do XIII Congresso Internacional da ABRALIC: Internacionalização do Regional. v. (Org. VICTORINO. Paulina Chiziane e Gioconda Belli: vozes confluentes na geografia de uma guerra? (Tese Doutorado em Literatura Comparada). de Chimamanda Ngozi Adichie e O sétimo juramneto. 2004. p. 1-12. Teia literária. 1-11. TEOTÔNIO. Rio de . 1. Quem não dança. (Org. v. (acessado em 17.). Campina Grande. v. Lisboa: Edições Colibri. Jorge Vicente. Disponível no link. Mulemba. PB: Editora Universitária da UFPB. TEOTÔNIO. de Paulina Chiziane. Shirlei Campos. 3.). p. 2010. A mulher em África. 1. VALENTIM. Laura Padilha. TORRES. p. de Paulina Chiziane. Universidade Federal Fluminense. Salete. Maximiliano Gomes. África: dinâmicas culturais e literárias. São Paulo: Corrupio. Agonia e abandono: as faces de Medéia em As cicatrizes do amor. 2012. VALENTIM. p. p. VALER. p. Shirlei Campos. Rafaella Cristina Alves. 1. As memórias e estórias de Paulina Chiziane e Chimamanda Ngozi Adichie. (Monografia Graduação em Letras). danças e cantos: a ficção de Paulina Chiziane.Jan/Mai 2009. VICTORINO. Rio de Janeiro: UFRJ. Por uma modernidade própria: o transcultural nas obras Hibisco roxo. In: IV Encontro de Professores de Literaturas Africans de Língua Portuguesa. 2004. UEPB. Paulina Chiziane e Gioconda Belli: vozes confluentes na geografia de uma guerra. 2009. v. 2010. 2013. Pierre. A geografia da guerra em Ventos do Apocalipse de Paulina Chiziane. 2010. In: IV Seminário de Literaturas de Língua Portuguesa: Portugal & África. Ouro Preto. 1ed. TORRES. In: Inocencia Mata. Nos caminhos das Literaturas: Práticas Literárias e Culturais. Ano II . 2010. In: Marilene Carlos do Vale Melo. 141-154. dança (uma leitura de Niketche. Balada de amor ao vento: a enunciação do “eu feminino” em uma sociedade patriarcal e poligâmica. 103-104. 1981. 1. 7-252. In: Anais do Colóquio Africanas 10. VICTORINO.Paulina Chiziane e Chimamanda Ngozie Adichie.João Pessoa. de Paulina Chiziane). REVELA Periódico de Divulgação Científica da FALS. UFF.Nº 4. Rafaella Cristina Alves. 2010. VERGER. Shirlei Campos. Orixás: deuses iorubás na África e no Novo Mundo. v. 351-364. Voez de uma margem sempre presente.5. v. Jorge Vicente. Entre baladas. Universidade Estadual da Paraíba.2015).

Fluminense. Revolução. Niterói: Universidade Federal . Revoluções. 2004.Janeiro.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful