Você está na página 1de 1

75

Para ele, a experincia religiosa do homem antes de qualquer coisa a manifestao


do sagrado, e prope, para isso, o termo hierofania. Essas experincias religiosas se opem ao
profano. Assim, de acordo com o autor, h dois modos de estar no mundo: o sagrado e o
profano. Enquanto o profano apenas a negao do sagrado, este, em seus aspectos
qualitativos, considerado de importncia primordial (ELIADE, 2008).

4.2 Religies no Brasil

O Brasil um pas onde as prticas religiosas so diversificadas e abrangem vrios


sistemas de crenas e tradies distintas, que refletem elementos das religies europeias
(catlicas e protestantes), africanas, orientais, indgenas, entre outras. Essa diversidade tem
seu alicerce no processo de colonizao dos imigrantes europeus, a partir de 1500, escravos e
as tribos indgenas locais.
O catolicismo foi a religio oficial no Brasil durante os perodos colonial (1500-1822)
e imperial (1822-1889), quando as prticas religiosas dos ndios nativos e dos escravos
africanos no eram bem aceitas e as dos estrangeiros, principalmente os protestantes, no
tinham permisso para serem expressas. Com o advento da Repblica, a primeira constituio,
em 1891, ps fim ao monoplio catlico oficializando o estado laico e pluralista, garantindo a
liberdade religiosa para todos os cultos e a separao entre Estado e Igreja (MARIANO,
2001).
Apesar da instituio da laicidade no estado brasileiro, no perodo republicano, a igreja
catlica continuou exercendo poder na sociedade. Mariano (2011) afirma que havia
discriminao em relao s outras crenas religiosas, especialmente as espritas, constituindo
uma neutralidade estatal zero em matria religiosa, tanto por parte de instituies e agentes
estatais como pblicos e privados: