P. 1
Apostila Contabilidade Custos 10

Apostila Contabilidade Custos 10

4.7

|Views: 52.988|Likes:
Publicado porCustosditoy

More info:

Published by: Custosditoy on May 23, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/23/2015

pdf

text

original

Vimos anteriormente que a apropriação dos Custos Indiretos a um produto somente pode
ser feita através de estimativas, critérios de rateio, comportamento dos custos, etc. .

Porém todos estes métodos de alocação tendem a ser arbitrários, visto que sempre
carregarão uma certa dose de subjetividade na apropriação, pois até poderá por vezes ser
acompanhado de critérios consistentes, mas existirá também por outro lado, a simples
necessidade de aceitação por falta de melhores alternativas.

A seguir alguns exemplos de Bases de Rateio que servem de critérios para alocação dos
Custos Indiretos de Fabricação :

- Horas Máquina

- Horas de Mão-de-Obra Direta

- Área Ocupada

- Quantidade de Materiais Diretos

- Custos Diretos

Vamos agora imaginar que, se na composição dos Custos Indiretos de Fabricação,
tivéssemos com maior peso as Despesas com Depreciação de Máquinas, Aluguel e Energia
Elétrica por exemplo, e que o mais importante fosse justamente a utilização das máquinas
na produção, poderíamos portanto adotar como critério de rateio o número de Horas
Máquina.

Se por outro lado, a maior incidência nos CIFs fosse Gastos com Pessoal, ou seja Salários,
Encargos e Benefícios da administração da gerência de produção e que, a função é a de
justamente supervisionar os funcionários da fábrica, poderíamos então utilizar como
critério de rateio o número de Horas de Mão-de-Obra Direta.

Pode-se ainda utilizar mais de uma base de rateio (ex. Materiais Direto + MDO Direta), se
for o caso de se buscar uma maior precisão na alocação dos CIFs.

De qualquer forma, o que é importante se destacar num processo de alocação dos Custos
Indiretos de Fabricação, é a necessidade de se proceder uma análise de cada despesa que as

37

compõem, e a partir daí estabelecer quais os critérios que melhor relacionam estas despesas
com o produto em si, visto que a consistência da aplicação desses critérios é fundamental
para que a avaliação do custo final do produto não se torne artificial.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->