São Paulo, 28 de Março de 2010 Resumo crítico do artigo: “Ondas do Canadá abalam gelo da Antártida” (Caderno de Ciência) em 18 de fevereiro

de 2010 na Folha de São Paulo. Por Deborah Rios Tolosa Luisa Di Gianantonio Lopes, 3-B Em 2002 a plataforma de gelo Larsen-B se desprendeu da Antártida, mas ninguém sabia explicar qual teria sido a gota d’água para seu rompimento. Cientistas de universidades no EUA pensaram em uma teoria para explicar o que havia ocorrido, ondas de infragravidade poderiam estar atingindo a placa e causando rachaduras em seu ponto mais frágil. Ondas são perturbações na superfície da água . quando ocorrem tempestades essas ondas são intensificadas, e passam a ser ondas infragravitacionais, chegando até a Antártida levadas pelos ventos.Ela tem período entre 50 a 250 segundos e velocidade entre 288 a 1440 km/h.Sua frequência (quantidade de ondas em um determinado espaço de tempo) varia de 0,04 a 0,002 Hz. Essas ondas medem aproximadamente 20 Km de comprimento e sua altura é inversamente proporcional à profundidade do oceano.Essas ondas propagam-se através do oceano com velocidade maior, e a maiores distancias que ondas comuns, também não são enfraquecidas pelo gelo marinho. As ondas de infragravidade vem da costa oeste da América do Norte e com a ajuda dos ventos chegam à Antartida. Essas ondas atingem as grandes placas de gelo ligadas ao continente, elas então abalam o gelo até que ele se rompa em seu ponto mais frágil. Esta descoberta é importante pois anteriormente pensava-se que a separação das placas do continente era efeito do aquecimento globa, mas se esta teoria das ondas estiver correta isso mostra que os efeitos do aquecimento global são mostrados de forma exagerada. Fontes: http://peregrinacultural.wordpress.com/2009/04/06/colapso-da-ponte-de-gelo-daplataforma-wilkins-na-antartica/ http://www.scribd.com/doc/28472962/Analise-Critica-Da-Noticia-de-Fisica-Para-N-C

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful