P. 1
Resenha - "Em Defesa de Cristo" - Lee Strobel

Resenha - "Em Defesa de Cristo" - Lee Strobel

|Views: 846|Likes:
Publicado porEliel Vieira
Resenha do livro "Em Defesa de Cristo", escrito pelo teólogo americano Lee Strobel
Resenha do livro "Em Defesa de Cristo", escrito pelo teólogo americano Lee Strobel

More info:

Published by: Eliel Vieira on May 02, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

04/23/2013

pdf

- www.ElielVieira.

org -

RESENHA: “EM DEFESA DE CRISTO” - LEE STROBEL

Por Eliel Vieira

A série de livros “Em Defesa...”, de Lee Strobel, é composta por quatro livros. Além dos dois que já foram lançados no Brasil pela Editora Vida1, o autor ainda lançou The Case for a Creator [Em Defesa do Criador] e The Case for the Real Christ [Em Defesa do Cristo Verdadeiro], estes dois ainda sem previsão de lançamento no Brasil. Em meados de 2009 eu li e resenhei o livro Em Defesa da Fé e, aproveitando que a Editora Vida recentemente relançou o livro Em Defesa de Cristo, que estava esgotado a alguns meses, decidi comprá-lo e lê-lo, mesmo considerando o material de Em Defesa da Fé bastante limitado e superficial, conforme escrevi em minha resenha ao mesmo2. Em Defesa de Cristo, porém, me surpreendeu. O livro é muito melhor que Em Defesa da Fé em vários sentidos. Sua estrutura é mais bem elaborada, a gama de entrevistados bem como a diversidade de suas atuações são variadas, as dificuldades são tratadas com maior profundidade, enfim, totalmente diferente da superficialidade de Em Defesa da Fé. A estrutura do livro é semelhante à do livro Em Defesa da Fé: Lee, usando toda a experiência que adquiriu durante o tempo em que foi jornalista, entrevista autoridades em diversas áreas-chave referentes à questão da ressurreição de Cristo. Alguns entrevistados aparecem também em Em Defesa da Fé, como é o caso de William Lane Craig e J. P. Moreland (as entrevistas de ambos, juntamente com as entrevistas de Gary Habermas e Craig Blomberg, são as melhores do livro). A impressão que temos após a leitura deste livro é que o argumento cristão a favor da ressurreição de Jesus é disparadamente o melhor de todos os argumentos apologéticos já elaborados. Os ateus simplesmente não conseguem elaborar uma teoria que explique (sem recorrer a um trilhão de
1 2

“Em Defesa da Fé” e “Em Defesa de Cristo”. <http://www.elielvieira.org/2009/09/resenha-em-defesa-da-fe-lee-strobel.html>.

Página | 1

ad hocs) os vários fatos bem estabelecidos sobre a vida, morte e aparições de Jesus. A saída mais comum dos ateus é atacar espantalhos – modelos ridículos e mais fracos que não representam o argumento verdadeiro –, ou conduzir a discussão sobre a ressurreição para um terreno longe da investigação histórica, como fez Bart Ehrman em seu debate contra William Lane Craig sobre a ressurreição3. Talvez esta impressão de que o argumento da ressurreição seja o melhor de todos não seja apenas uma mera impressão, mas algo verdadeiro. Estive conversando alguns dias atrás com um amigo meu ex-apologeta. Por alguns anos ele participou efetivamente de discussões na internet contra ateus, mas de alguns anos para cá ele abandonou toda a atividade apologética, vindo a dedicar seus estudos a outras áreas. Certa vez ele inclusive chegou a chamar a atividade apologética de “Filosofia Tabajara”. Enfim, nesta conversa específica que tive com ele lhe perguntei sobre o que ele pensava sobre o argumento da ressurreição, e sua resposta foi: “Sim, acredito neste argumento. O argumento da ressurreição é praticamente impossível de ser refutado. Nenhuma explicação naturalista [sobre Jesus] teve qualquer êxito até hoje”. Lee cita em seu livro o debate que ocorreu entre Antony Flew (quando ele ainda era ateu) e Gary Habermas, sobre a historicidade da ressurreição de Jesus, em 1987. Lee cita o fato constrangedor [para os ateus] que cinco filósofos de cinco universidades distintas foram convidados para serem juízes deste debate, dos quais quatro declararam Habermas vencedor, enquanto o outro declarou o debate como empatado. E, mais interessante ainda, Lee cita (já no fim no livro) o caso do advogado Sir Lionel Luckhoo,
... o advogado brilhante e inteligente cujas 245 absolvições impressionantes de assassinado consecutivas lhe valeram um lugar no livro Guinness de recordes mundiais como advogado mais bem-sucedido do mundo. Feito cavaleiro duas vezes pela rainha Elizabete, este antigo juiz e diplomata submeteu os fatos históricos sobre a ressurreição de Jesus à sua análise rigorosa durante sete anos antes de declarar: “Digo de modo inequívoco que as provas da ressurreição de Jesus Cristo são tão avassaladoras que exigem que as aceitemos sem deixar absolutamente nenhum lugar para dúvidas”.4

3 4

<http://www.elielvieira.org/2009/08/18-existem-evidencias-historicas-para.html>. STROBEL, Lee. Em Defesa de Cristo. São Paulo: Editora Vida, 2001. p. 335.

Página | 2

Além de possuir uma argumentação bastante forte e sólida que a sustente, a ressurreição de Cristo possui, apologeticamente, um fator de bastante importância. O argumento cosmológico kalam, se verdadeiro, prova a existência de um Ser Criador, mas não diz nada sobre este Ser: pode ser Jeová, ou Maomé, ou Baal, enfim, o argumento não conclui praticamente nada, além da existência de um Criador. As mesmas coisas podem ser ditas sobre todos os demais argumentos teístas, como o argumento teleológico, o argumento ontológico, o argumento da contingência, ou o argumento axiológico. Eles, se verdadeiros, apontam para a existência de um Criador, mas não passa muito disto. Mas nós não temos o mesmo gap de objetividade quando lidamos com o argumento para a ressurreição de Jesus. Pois se Jesus Cristo de Nazaré de fato ressuscitou de dentre os mortos, então realmente ele era tudo o que ele afirmava ser. Se ele realmente ressuscitou, ele era “um com o Pai”. Então aos cristãos teriam aqui um argumento que aponta efetivamente para a veracidade de sua cosmovisão, não dando brechas para dúvidas pluralistas de ignorância. Enfim, o livro é muito bom. Para quem nunca leu nada sobre a historicidade da ressurreição de Jesus, é uma ótima pedida. Apesar de não ter gostado de Em Defesa da Fé, Em Defesa de Cristo certamente está entre meus favoritos...

-

www.ElielVieira.org

Página | 3

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->