Você está na página 1de 7

O Marketing promove

alimentos com pouco interesse


nutricional para as crianças!

As crianças estão expostas a muitos anúncios publicitários durante a


programação televisiva. Grande parte dos anúncios publicitários (45%) promove
produtos alimentares.

Os produtos alimentares mais anunciados são:

- bolos e bolachas
- cereais e chocolate
- aperitivos salgados
- bebidas e fast food.

As crianças são “consumidores” vulneráveis e indefesos.


Até aos 6 a 8 anos, as crianças ainda não desenvolveram as capacidades
cognitivas e psicológicas, que lhes permitem perceber o marketing e a publicidade
enquanto comunicação comercial para a promoção e venda de produtos. Só0 mais
tarde, o seu desenvolvimento permite ter um espírito crítico.
As crianças são “ consumidores” diferentes dos adultos. É
errado pensar-se que “sabem melhor o que querem”, “são mais
exigentes” ou, porque dominam as novas tecnologias, “são mais
esclarecidas e informadas do que as gerações anteriores”.

Vários estudos comprovam que o marketing e a publicidade


aos produtos alimentares para crianças:

-Afectam as preferências alimentares


-Condicionam a decisão de compra da família
-Influenciam os hábitos de consumo alimentar…

As crianças são bastante atraídas por alimentos de marca, que


vendem a imagem de super-heróis e artistas, ou oferecem
brindes, jogos e tatuagens. Como resultado, as crianças gostam
dos anúncios publicitários que as levam a coleccionar os brindes e
a apreciar os alimentos promovidos.

Muitos desses alimentos têm níveis elevados de gordura, açúcar e


sal, contrastando com uma dieta alimentar equilibrada e
saudável.
Os pais são os principais responsáveis para a alimentação dos seus
filhos. Mas algumas estratégias de marketing estão a sabotar os esforços
das famílias e da comunidade escolar na promoção de uma alimentação
saudável.
É difícil combater a pressão comercial que promove alimentos com pouco
interesse nutricional.
Custa dizer não às crianças até porque nem todos os pais estão atentos e
alguns desconhecem os potenciais efeitos destas campanhas de
marketing.

O marketing alimentar está a contribuir para o problema da


obesidade , que afecta milhões de crianças em todo o mundo. Em
Portugal, uma em cada três crianças tem excesso de peso ou é
obesa.

A publicidade e o marketing não pode ser um negócio como outro


qualquer quando está em causa a saúde das crianças…
O que queremos?

Regulamentação que restrinja publicidade dirigida às crianças, ao


nível da mensagem e quantidade, qualquer que seja o seu suporte.

Campanhas informativas para as famílias e escolas sobre a


alimentação saudável e equilibrada.

Queremos marketing
alimentar mais
saudável! Trabalho realizado
por:
-Ana Almeida n.º1
-João Cardoso n.º11
-Mafalda Sofia n.º15
-Tiago Pais n.º24
Fim