FOLCLORE BRASILEIRO

AUTORES

BREVE PESQUISA SOBRE CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO, REALIZADA PELOS ACADÊMICOS DO 2º PERÍODO-2006 DO CURSO DE ARTES VISUAIS COM ORIENTAÇÃO DA PROFESSORA TÂNIA NASCIMENTO

ACADÊMICOS: Alessandr; Alexandre; Ana Paula; Ana Zeli; Camila; Danielly; Edson; Eliana; Elizangela; Fabiane; Fernanda; Gabriella; Geni; Gilvanea; Ivete; Jaqueline; Jéssica; Jucélia; Loiri; Luana; Luciane; Márcia; Mª Lúcia; Mª Vanilsa; Noeli; Roger; Rosangela; Rosani; Sandra; Silmara; Silvana; Simone; Tiago.

UNIPAN - ARTES VISUAIS - CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO - 2° P 2006 - PROF. TÂNIA

A formação Artística divide-se em duas correntes: Erudita: de caráter acadêmico, que são as Artes Plásticas propriamente ditas: Pintura,Escultura, Arquitetura ,Teatro, Dança e Música. Popular: manifestações que expressam elementos artísticos sem influência acadêmica,são tradições culturais transmitidas na grande maioria das vezes de forma oral , como Superstições, Lendas, Mitos Danças, Músicas, Religião, Festas Típicas, Brincadeiras infantis

O QUE É FOLCLORE?

BIBLIOGRAFIA

UNIPAN - ARTES VISUAIS - CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO - 2° P 2006 - PROF. TÂNIA

FOLCLORE
‡ O conjunto de manifestações de caráter popular de um povo, ou seja é o conjunto de elementos artísticos feitos do povo para o povo, sempre ressaltando o caráter de tradicional destas representações, transmitidas de uma geração para outra através da prática. (os pais ensinam aos filhos, que desde pequeninos já praticam). O folclore varia bastante de um Pais para o outro, e até mesmo dentro de um Estado é bastante variável,pois as diferenças entre as regiões são muito grandes.No caso do Brasil o folclore foi resultado da união da Cultura a partir da miscigenação de três povos (Europeu, Africano e o índio ). O que resultou é que em muitas regiões brasileiras o folclore é muito diferente, pois devido as influências de cada um destes povos formadores do Brasil, algumas regiões apresentam uma maior tendência a uma origem mais detalhada, por exemplo, no Nordeste na zona Litorânea as presenças das influências indígenas, Portuguesas e negra são que quase igualadas, já mais para o Sertão a presença da Cultura negra não é muito marcante como no litoral .

UNIPAN - ARTES VISUAIS - CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO - 2° P 2006 - PROF. TÂNIA

lore. d) ser anônimo.mas apresenta características próprias e que também a grande maioria são manifestações completas em caráter artístico pois possuem elementos do Teatro. o costume.de uma dança popular. c) ser espontâneo.Lembrando que as manifestações folclóricas brasileiras. Também de difícil conceituação é a palavra povo. como rádio. Dança. nesse caso há o fato folclórico.2° P 2006 . excluídas as necessidades fisiológicas. Musica e Artes Plásticas. praticado por muitos e não por uma só pessoa. livre. Folk quer dizer povo. de boca em boca. Aqui deve ser tomado como todos os participantes de uma comunidade. Pode-se afirmar: Folclore é o saber vulgar do povo. UNIPAN . espontaneamente. Cultura. disco e livro.PROF.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . de um provérbio ou adivinhas. Folk-Lore. é tudo aquilo que o homem faz. aí não há o fato folclórico. por ser formado de termos de duas línguas diferentes. material e não materialmente. para explicar ou justificar um fato. ou seja sofrem influência de diversas raças. já quando dito pelo mesmo professor ou pelos anos. Quando o professor dá um provérbio para ser analisado sintaticamente pelos alunos. na sua grande maioria são manifestações de caráter de um povo mestiço. TÂNIA . Para ser determinado como Fato inteiramente folclórico: a) ser transmitido oralmente. antropologicamente. leva a equívocos. O termo Folk-Lore foi empregado pela primeira vez em 22 de agosto de 1846. b) ser social. o conhecimento. Donde fica agosto consagrado ao Folclore. não se conhece o autor de superstição. e não por meios eletromecânicos. Não transmitido através de escolas e nem de livros e sim por imitação ou por força de tanto ver e ouvir.ARTES VISUAIS . o saber.

2° P 2006 . TÂNIA .ARTES VISUAIS .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO PROVÉRBIOS LENDAS FRASES DE PÁRA-CHOQUE BRINQUEDOS PARLENDAS CRENDICES SUPERTIÇÕES TRAVA-LÍNGUAS MEDICINA POPULAR BRINCADEIRAS DITOS POPULARES DANÇAS CULINÁRIA UNIPAN .PROF.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .

pesquisadores.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . e nem verdade absoluta.Devemos considerar que lenda não significa mentira. TÂNIA . tendem a afirmar que lendas são apenas frutos da SUDESTE imaginário popular. ter sobrevivido na memória das NORDESTE pessoas.defendida e o mais importante.folcloristas.porém como sabemos as lendas em muitos povos são "os livros na memória dos mais SUL sábios".influenciadas diretamente pela miscigenação na origem do povo brasileiro . Muitos historiadores. o que podemos e devemos deduzir NORTE é que uma história para ser criada .2° P 2006 . UNIPAN . CENTRO-OSTE e outros profissionais que estudam Sociedades.ARTES VISUAIS .ela deve ter no mínimo um pouco de fatos verídicos.PROF.LENDAS ‡ As Lendas no Brasil de inúmeras variedades.

BOITATÁ .PROF.VITÓRIA-RÉGIA .HONORATO UNIPAN .ONÇA MANETA MATINA PERÊRA .MAPINGUARI CAIPORA E CURUPIRA MULA-SEM-CABEÇA . TÂNIA .Região Norte O BOTO .COBRA .ONÇA-BOI CUCA .ARTES VISUAIS .2° P 2006 .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .DIABINHO DA GARRAFA LOBISOMEM .BICHO-PAPÃO SACI PERERÊ .IARA -CAPELOBO MUIRAQUITÃ .

CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .HOMEM DIABINHO DA GARRAFA UNIPAN .CUCA .ARTES VISUAIS .NEGRO D'ÁGUA CABRA CABRIOLA . TÂNIA .Região Nordeste VAQUEIRO MISTERIOSO MULA-SEM-CABEÇA .LOBISOMEM CAIPORA E CURUPIRA .QUIMBUNGO SACI PERERÊ .ALAMOA CAPELOBO .CABEÇA-DE-CÚIA BICHO.2° P 2006 .PROF.

LOBISOMEM MÃE.ARTES VISUAIS .Região Centro-Oeste SACI PERERÊ .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .PROF.DO-OURO .2° P 2006 . TÂNIA .MULA-SEM-CABEÇA BICHO-PAPÃO ± PAI DO MATO DIABINHO DA GARRAFA ONÇA -MANETA UNIPAN .NEGRO D'ÁGUA CAIPORA E CURUPIRA ARRANCA-LÍNGUAS ± CUCA ONÇA DA MÃO TORTA .

MULA-SEM-CABEÇA NEGRO D'ÁGUA .CUCA . TÂNIA .PROF.2° P 2006 .CAIPORA E CURUPIRA BICHO-PAPÃO .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .MÃO DE CABELO LOBISOMEM .BICHO-PAPÃO SACI PERERÊ .Região Sudeste ONÇA-MANETA .QUIMBUNGO DIABINHO DA GARRAFA PORCA DOS SETE LEITÕES UNIPAN .ARTES VISUAIS .PROCISSÃO DAS ALMAS .

PROF.SACI PERERÊ NEGRINHO DO PASTOREIO BICHO-PAPÃO .JOÃO-DE-BARRO LOBISOMEM .MÃO DE CABELO PÉ-DE-GARRAFA .2° P 2006 .ARTES VISUAIS .Região Sul GRALHA AZUL .FOZ DO IGUAÇU UNIPAN .CUCA PROCISSÃO DAS ALMAS CAIPORA E CURUPIRA MULA-SEM-CABEÇA .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . TÂNIA .

o texto verbal é uma série de imagens associadas e obedecendo apenas o senso lúdico.ou mesmo aqueles que podem brincar. dias da semana.ARTES VISUAIS .cores.PARLENDAS ‡ As Parlendas são formas literárias tradicionais. acalmar.São versos de 5 ou 6 sílabas recitadas para entender.estabelecendo-se como base a acentuação verbal.PROF.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . divertir as crianças. rimadas com caráter infantil. de ritmo fácil e de forma rápida.dentre outros assuntos. ou mesmo em brincadeiras para escolher quem inicia a brincadeira ou o jogo. Não são cantadas e sim declamadas em forma de texto.ela pode ser destinada a fixação de números ou idéias primárias.O motivo de uma Parlenda é apenas o ritmo como ela se desenvolve.Veja alguns exemplos: UNIPAN .2° P 2006 . TÂNIA .

Amanhã é domingo. Que dá no Soldado.. O sino é de ouro.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .. UNIPAN . TÂNIA .2° P 2006 .ARTES VISUAIS . Que dá na gente. Pé de cachimbo Galo monteiro Pisou na areia. Que dá no besouro. A barata é valente. Que dá na barata.PROF. Que dá no menino. O menino é danado. Que dá no sino. Areia é fina. O Soldado é Valente. O tenente é mofino. O besouro é de prata. Que dá no tenente.

comer pastéis. TÂNIA .catena Gurupi. seis.feijão com arroz.quatro.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .tena.2° P 2006 . Cinco .dois. oito .duna . Uma. chegou minha vez Sete.PROF. soladá Conte bem Que são dez UNIPAN .Dedo Mindinho Seu vizinho. Três. gurupá Solá.feijão no prato. Maior de todos Fura-bolos Cata-piolhos Um. comer biscoito Nove. dez .ARTES VISUAIS .

2° P 2006 .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . ‡ Bagre branco.TRAVA .a jarra arranha a aranha. TÂNIA .dois Tigres.branco Bagre. ‡ Exemplos: ‡ Porco crespo .ARTES VISUAIS . ‡ Pia o pinto. ‡ A aranha arranha a jarra.O Prato de Prata não é do Padre Pedro. a pipa pinga ‡ O Padre Pedro tem um prato de Prata.PROF.três Tigres tristes. ‡ Três pratos de trigo para três Tigres. UNIPAN . tôco preto ‡ Um Tigre.LÍNGUAS ‡ São formas de divertimento e para que as frases funcionem a pessoa deve repetir a frase por muitas vezes seguidas criando assim uma impossibilidade de comunicação.

é que este serve de alerta ao futuro.2° P 2006 .DITOS POPULARES São palavras. UNIPAN .PROF. O que difere ditado de frase popular (provérbio).e frases que na sua grande maioria têm a função comparativa com diversos assuntos.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . TÂNIA .modo de agir. e não apenas julga na ocasião do acontecimento como faz a frase. como animais.ARTES VISUAIS .modo de pensar.

Por isso. como fazem as galinhas. quando ingere um alimento. Lágrimas de crocodilo: É uma expressão bastante usada para se referir a choro fingido.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . dizem que as pessoas que lembram de tudo (até mesmo as magrinhas!) tem a memória de elefante. ao se aproximar. como fazem as galinhas. ele "chora" enquanto devora uma vítima. comprimindo as glândulas lacrimais. Os povos mais antigos acreditam que esses animais conseguiam enxergar através das paredes. é surpreendido por um forte abraço. Dormir com as galinhas : A expressão significa deitar-se cedo. Olhos de lince: Os filhotes só abrem os olhos com dez dias de vida. motivo por que é uma das principais atrações do circo. faz forte pressão contra o céu da boca.PROF. Abraço de tamanduá : Sinônimo de traição ou deslealdade. Ter olhos de lince significa enxergar longe. O crocodilo. quando crescem.ARTES VISUAIS . O inimigo. UNIPAN . O canto do cisne: São as últimas realizações de alguém. Em compensação. os linces têm uma visão apurada. O tamanduá se deita de barriga para cima e abre seus braços. que o esmaga. logo ao anoitecer. Antigamente dizia-se que o cisne emitia um lindo canto quando estava prestes a morrer.Memória de Elefante : O elefante lembra de tudo o que aprende. Assim.2° P 2006 . Acordar com as galinhas : A expressão significa acordar cedo. Estômago de avestruz : Aquele que come qualquer coisa. O estômago do avestruz é dotado de um poderoso suco gástrico que é capaz de dissolver até metais. TÂNIA .

que é falsa.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .ARTES VISUAIS . Criança Traquina : Buliçosa. Ficar Chupando dedo: Ficar somente com a vontade de fazer alguma coisa. Amigo da Onça: Diz da pessoa. Colocar a Carroça na frente dos Bois: Significa fazer alguma coisa da forma errada. Pintar o 7: fazer bagunça. Dar a mão a Palmatória: aceitar que errou. ou com dor de cabeça.2° P 2006 . travessa. Cabeça Martelando: Quando a pessoa está com muitos problemas.ou amigo. Dar com os Burros n'água: Fazer muito esforço para conseguir algo e acabar perdendo tudo de forma banal. TÂNIA . Remar contra a Maré ou Remar contra a Correnteza: Tentar fazer uma coisa e tudo der errado.PROF. UNIPAN .Osso duro de roer : Coisa difícil de resolver Dar nó em pingo d'água: Ser capaz de se sair de todas as dificuldades.

TÂNIA .‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ E mais: Tapa com luvas de pelica: A língua é chicote da bunda. Quando a água bate na bunda é que se aprende a nadar. Mais velho que andar pra frente. Diga com quem andas e direi que és. Santo do pau oco.ARTES VISUAIS . UNIPAN . A vaca foi pro brejo.2° P 2006 . Foi o boi com a corda.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .PROF.

2° P 2006 .PROF.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .ARTES VISUAIS . TÂNIA .PROVÉRBIOS: ‡ Servem de advertência e as vezes apresenta um sentido construtivo e uma correção moral . UNIPAN .

não faz Verão:Em certas ocasiões uma pessoa sozinha não resolve o problema.ARTES VISUAIS . Deus escreve certo por linhas tortas: Deus consegue estabelecer a verdade por mais difícil que pareça ser. Cavalo dado. Quem mistura-se com porcos . Quem casa. TÂNIA . ela quer uma casa própria. quer casa: A pessoa quando se casar.Antes só do que mal acompanhado: antes a pessoa ficar sozinha do que acompanhada de uma pessoa ruim. Um dia da caça.no outro não. :Quem acompanha pessoa de índole ruim. Uma Andorinha só .2° P 2006 . o outro murcha a orelha: quando uma pessoa fala a outra se cala. dá bom dia a Cavalo: Algumas pessoas conversam tudo da própria vida se arrependendo depois.a galinha enche o papo: Aos poucos se consegue atingir um objetivo. Quando um Burro fala. Cada macaco no seu galho: Cada pessoa no seu devido lugar .o outro é do caçador: Num dia as pessoas tem sorte.PROF.farelo come. De grão em grão.acaba se tornando igual a ela.não se olha os dentes: um objeto dado não se olha o valor.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . UNIPAN . Quem fala de mais.

Não adianta chorar o leite derramado.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . espeto de pau.. Nunca desista antes de tentar . TÂNIA . Nos pequenos frascos estão os melhores perfumes. Faça o bem sem olhar a quem. Pimenta nos olhos dos outros é refresco.2° P 2006 . Toda panela tem sua tampa. Casa de ferreiro. Mais vale um pássaro na mão do que dois voando. Quem com ferro fere. Águas paradas são profundas. Não adianta chorar pelo leite derramado. Panela velha é que faz comida boa. Filho de tigre sai pintado. Há males que vem para o bem. Uma gota de água levanta um oceano.‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ E assim vai. dois não brigam. Quando um não quer. com ferro será ferido. Os últimos serão os primeiros. Nunca cuspa para cima porque pode cair na testa.PROF. Seguro morreu de velho. Em terra de cego quem tem um olho é rei.ARTES VISUAIS . Águas passadas não movem moinhos. Quem ama o feio bonito lhe parece.. UNIPAN . A vida é dura para quem é mole.

Mão direita coçando é sinal de dinheiro saindo. vitrine de varizes Filho de peixe peixinho é Se plantar vento.‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Olho por olho. ficam-se os dedos. dente por dente Se correr o bicho pega.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . UNIPAN . Vaso com trigo para multiplicar dinheiro. Mão esquerda coçando é sinal de dinheiro entrando. Vassoura caída é sinal de má sorte. Plantar arruda na porta de casa. morre torto Beijo não mata a fome mas abre o apetite Mulher de amigo meu para mim é homem Vão-se os anéis. Fecha-se uma porta. Quem está na chuva é pra se molhar. se parrar o bicho come Quem cria cobra é mordido por ela O que aqui se faz aqui se paga Perna velha. TÂNIA .PROF. colhe tempestade Pau que nasce torto.2° P 2006 . abre-se uma janela.ARTES VISUAIS . Quem come em pé não tem o que quer.

CRENDICES E SUPERSTIÇÕES ‡ São explicações sem caráter científico comprovando fatos e acontecimentos naturais.2° P 2006 .PROF. UNIPAN .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .ARTES VISUAIS . TÂNIA .

a tradição diz que cruzar com um gato preto é azar na certa.PROF. Sexta-Feira 13. nascerá uma menina. Se for pontudo e saliente. o guarda-chuva deve ficar sempre fechadinho. Mas se a palma da mão direita é que estiver coçando. Gato Preto : Na Idade Média. dia do azar.Pedir à futura mamãe que mostre a mão é uma delas. abri-lo dentro de casa traz infortúnios e problemas de saúde aos familiares. Brinde: Se a pessoa estiver bebendo alguma bebida alcoólica. Para aumentar a eficiência do contra-ataque. é sinal de que vem vindo dinheiro. será menino. Não permita ainda que outra pessoa se olhe no espelho ao mesmo tempo que você. a ter seus desejos invertidos. Espelho Quebrado : A superstição prega que serão sete anos de má sorte. é porque alguém está falando mal de você.ARTES VISUAIS . Se a palma estiver para cima. Sexo do bebê: Existem algumas crendices para tentar adivinhar. uma visita desconhecida está para aparecer. é sinal de que um menino está para chegar.2° P 2006 . Orelha Quente : Se sua orelha esquentar de repente. TÂNIA . nesse tin-tim. Matar uma aranha pode causar infelicidade no amor. Ficar se admirando num espelho quebrado é ainda pior . não brinde com alguém cujo copo contenha uma bebida sem álcool. Existe também a linguagem do ventre. acreditavam-se que os gatos eram bruxas transformadas em animais. grilos e lagartixas representam boa sorte para o lar. Arredondado e crescendo para os lados será menina. Nesses casos. ou deixar pingar o sangue de uma verruga na pele.significa quebrar a própria alma.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . vá dizendo os nomes dos suspeitos até a orelha parar de arder. morda o dedo mínimo da mão esquerda: o sujeito irá morder a própria língua. Ninguém deve se olhar também num espelho à luz de velas. Vocês estarão se arriscando.Veja alguns exemplos: Coceira na Mão : Se a palma da mão esquerda coçar. Se ela a estender com a palma para baixo. Aranhas: Aranhas. Segundo uma tradição oriental. Por isso. UNIPAN . Verrugas:Segundo a superstição popular o que faz nascer verrugas é apontar para estrelas. Guarda-Chuva : Dentro de casa. 1.

Armar guarda chuva dentro de casa fica viúva Noiva que come na panela no dia do casamento chove.para não receber visitas. Sal grosso espanta mau agouro. está mandando a mãe para o inferno Quebrar o espelho. Pensar em uma fofoqueira quando estourar pipoca. UNIPAN . São João.PROF. Não apontar estrela com o dedo que nasce verruga. Colocar a imagem de Santo Antônio de cabeça para baixo para arrumar casamento. Varrer pela porta da frente. Andar de costas.ARTES VISUAIS .2° P 2006 . Figa traz sorte. Elefante com a bunda para a porta traz fortuna. bebê nasce com mancha Visitar mulher grávida menstruada seca o leite da mãe Cair um dente de leite fala: São João. Andar de costas chama a morte Deixar vassoura atrás da porta . é só quebrar um ovo a Santa Clara Varrer os pés de alguém essa pessoa não casa Para parar de chover pedra é só jogar a peneira no quintal Vassoura em pé atrás da porta espanta visita Garfo quando cai ao chão chega pessoa com fome Passar em baixo de escada da azar Mulher grávida passando desejo.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Solicitar a São Longuinho a achar algo e quando achado em forma de gratidão se dá três pulinhos no lugar. leva esse dente podre e me dá um bom. 7 anos de azar Para parar de chover. TÂNIA .‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Entre outros: Passar em baixo de escada dá azar.

Normalmente. UNIPAN .FRASES DE CAMINHONEIRO ‡ São as frases escritas nos pára-choques. TÂNIA . sugere traição e uma pitada erotismo e sátira.2° P 2006 . mas na maioria das vezes. fala do cotidiano e da profissão do caminhoneiro.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .ARTES VISUAIS .PROF.

Quando um não quer o outro insiste. suja. quem se engana são os sábios! A diferença entre um credor e um devedor é que o primeiro tem uma memória muito melhor! Champanhe de pobre é sonrrisal! Você não é fácil. Adão que foi feliz de não ter sogra e morar no paraíso. A calunia é como carvão: quando não queima. eu é que sou irresistível.2° P 2006 . A ciência é infalível. 20 Buscar 100 demora 60 aqui e vamos embora. porque a minhoca é mole.Festa de pobre é que nem picolé. 6 pneus cheios e um coração vazio. passe 100 atrapalhar. 80 São! 20 ver! 100 você. TÂNIA . 99% da beleza feminina sai com água e sabão. 70 me passar.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . não sei viver! A bebida desperta o poeta que há em cada um de nós.PROF. A terra é virgem. 3 eixos envenenados e 1 machão invocado. começa doce e termina no pau. A cal é virgem porque só lida com brocha.ARTES VISUAIS . UNIPAN .

A fé remove montanhas. A desgraça prova se eles existem de fato. quanto mais curto melhor..Adoro as brasileiras.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .. UNIPAN .PROF. tenho pressa de chegar! Discurso deve ser igual a vestido de mulher. mas prefiro as trepadeiras. Minha vida é um litro aberto. A fome é o melhor tempero. A melhor vacina contra a aids é a comida caseira. uma maneira de viajar. A felicidade não é um destino onde chegamos. A medicina não cura a dor da separação. Dinheiro não traz felicidade . Dinheiro não traz felicidade. Adoro as rosas. mas ajuda a sofrer em Paris. A melhor maneira de se lembrar do aniversario da mulher é esquecê-lo uma vez.. a filha dela me chama de gato. Dirigido por mim. A mãe me chama de cachorro. Deus teria criado Adão e Ivo Dirijo devagar. guiado por Deus. A Mulher que se vende vale menos do que recebe! Sou grande porque respeito os pequenos.ARTES VISUAIS . mas prefiro mesmo as thecas. A fortuna faz amigos. mas eu prefiro dinamite.2° P 2006 . mas sim.. Alegria de poste é estar em mato sem cachorro. Se homossexualismo fosse normal. TÂNIA . manda buscar.

As nuvens são como chefes. só paro para fazer xixi... Mas tem pão doce. O sonho acabou. Somente pode ser atingida pelo entendimento. ninguém te dá bola. UNIPAN .porque ser pobre todo dia é fogo!!! Se a sua estrela não brilha. não tente apagar a minha!!! Veiculo rastreado pelos fofoqueiros de plantão. quando desaparecem. Não procuro trabalho.. Do Amazonas ao Chuí.Dizem que dinheiro é coisa do diabo. TÂNIA . Não beije no portão. Dirijo com cuidado para não deixar chorando quem me espera sorrindo. o amor é cego.PROF. mas não faça seus amigos de escada" A paz não pode ser mantida à força. mas o vizinho não. mas se quiser ver o diabo.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Maria mole e queijadinha. ande sem dinheiro.2° P 2006 .ARTES VISUAIS . o dia fica lindo Se ruga fosse sinal de velhice. "Nunca cruze os braços para ninguém. o saco era pré-histórico ae ninguém te liga. tenho medo de encontrar. A força da tua inveja é a velocidade do meu sucesso O brinquedinho cresceu mas o menino é o mesmo. porque não tinha ninguém perguntando quando ia ficar pronto!!! "Nâo sou detetive mas vivo na pista" Sem caminhão você não come feijão Gostaria de ser pobre um dia.. deixe uma comta atrasar Deus pôde fazer o mundo em 7 dias. pois o maior homem do mundo morreu de braços abertos" "Suba na vida.

Chifre não existe . estressada. ... de pobre é sarna! O amor é livre. Cada ovo comido é um pinto perdido...CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . triste. TÂNIA .. UNIPAN . O cigarro adverte: Este governo é prejudicial à saúde. o sexo é pago. sempre existe uma mulher. Coceira de rico é alergia...2° P 2006 . até pobre tem! Só tenho olhos para uma mulher. Posto de vacinação Professor de sexo 1a. passe 100 atrapalhar Quando homem valer dinheiro. mas se bater Ford tudo! Estepe e mulher é sempre bom ter de reserva. Filha! Tô dentro Minha família meu projeto de vida Chifre é igual dente. chateada. . baixinho serve de troco. Este veículo é rastreado por Deus. pinga na cidade dá cana.Sogra! Tô fora... só dói enquanto tá nascendo. aula grátis Este é um Ford. isto é coisa que puseram na sua cabeça.. Sorria: Sua mulher me ama. 70 me passar.PROF. Virgindade dá câncer..cansada. Cana na fazenda dá pinga.de cada vez é claro Atrás de um grande homem...ARTES VISUAIS . Tem dia que a noite é foda! Bebo todas e ferro todos! Mulher não vale nada.

por isso não me campari com qualquer rum. Como não achei a sapa. resolvi ficar com a perereca! Eu não sou sapo mas adoro uma perereca UNIPAN . do que alcoólatra anônimo. TÂNIA .e seja feliz. você não me conhaque.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .Você já cheirou Coca? Tem o mesmo cheiro da Pepsi.. Dimheiro não traz felicidade. por a kaiser você bebeu hoje? Cerveja como são as coisas. Jesus ama você. mas o resto de nós te acha um babaca! Você é a droga que me deixa louco. Se você CD eu te dou meu K-7 Não bebo água.. Sogro rico e porco gordo só dão lucro quando morrem. O caçador da perereca perdida.ARTES VISUAIS . vê se não me embrahma e traz uma natártica gelada. Turma da perereca amarradinha. resolvi ficar com a perereca! Eu não sou sapo mas adoro uma perereca Fugi da skol a e caí na bohemia. então me de o seu. mas adoro afogar o ganso Quando a galinha é boa o pinto cresce Seu namorado pode até fazer direito mas conheço seu corpo como ninguém..2° P 2006 .. É melhor ser bêbado conhecido... Cultura enriqueçe. Pergunte aos donos da escola. não sabe de onde eu vinho. se malt pergunto.. Faço medicina. Seja ecológica solte a perereca.PROF. Peixes transam nela Sou a favor da ecologia. Como não achei a sapa.

mas nois agradece e vorta prá fila do INSS Bebo para esquecer. Se você está triste. As drogas provocam amnésia e outras coisas que não me lembro mais. Comecei uma dieta: cortei a bebida e comidas pesadas. Trocaram o p pelo f e nem me avisaram! Oração do aposentado: quando a gente se aposenta: a barriga cresce o pinto desce o saco amolece as muié oferece. fique rico!) Agora véu votar nas putas! Cansei de votar nos filhos dela. de leãozinho. Philips se lê Filips.. em 14 perdi 2 semanas! Todo mundo vê as pingas que eu tomo.O Ministério da saúde adverte: Fumar e Beber fazem mau a saúde. Drogas tô fora..CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .ARTES VISUAIS . Sogra devia ser que nem batata. Mulher é como relógio: deu o primeiro defeito. Meu pensamento continua onde a minissaia termina. mas ninguém quer levar para casa. mas não sustenta. UNIPAN . Futa que o Faril. Marido de mulher feia sempre acorda assustado. Dane-se o Ministério! Existem dois tipos de mulheres: as que me amam.2° P 2006 . mas não vê os tombos que eu levo Nunca tive problemas com drogas. E de macaquinho. Philco se lê Filco. Sogra e onça pintada muita gente defende. já nascer debaixo da terra. de elefantinho. (por favor.PROF. Só com a polícia. nunca mais anda direito Beijo é igual cigarro: vicia. Beijo de mulher casada tem gosto de chumbo.. Fui comprar e volto já. TÂNIA .. eu fico triste. Se você está alegre. eu fico alegre. e as que não me conhecem Ecologia é coisa de veadinho. só não lembro do que! A luz dos teus olhos ilumina o meu caminho.

mas abre o apetite.Meu pensamento está acima dos seus joelhos. e se você for bonita. Mulher é como lona de freio: só é boa encostada. Tô fora.. mijador com mijador Menina casa comigo que você não passa fome.. Sexo!? Tô fora. Menina casa comigo que nois vai fazê amor. aproveite-se de mim Mulher é como remédio: agita-se antes de usar. de noite pinto te come. Beijo é cultura! Por isto que conheço várias línguas. Se eu estiver bêbado. Mulher é como horóscopo: nunca dá certo.. Mulher é como abelha: ou dá mel ou ferroada. Tô dentro.. prá encontrar 1/2 de te levar prá 1/4 e fazer seu pai 1/9 Beijo é igual ferro elétrico. Cola boca com boca. Mulher é como retrato.. mas sempre se dá uma olhadinha.2° P 2006 . Tô dentro. Ame sua pátria! Ela não tem culpa dos filhos que tem.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Minha sogra caiu do céu. só se revela no escuro.ARTES VISUAIS . TÂNIA . Gata. rezei 1/3. De dia tu come pinto. UNIPAN . A vassoura dela quebrou. Minha vida é uma rede que o destino balança! Mulher desquitada e cana de engenho só deixam bagaço. Marido de mulher feia tem raiva de feriado..PROF. liga em cima e esquenta embaixo. Beijo não mata a fome. Buraco e pedágio só dão prejuízo..

No baralho da vida encontrei apenas uma dama.. Na subida. Nasci careca. mas até hoje não inventaram nada melhor. continuo sonhando.PROF. Destroem nosso país. que seja de limão.ARTES VISUAIS . paciência.99 por minuto. e ainda não comi ninguém! Nem todos os homens são idiotas. na descida. nem vou transar. UNIPAN .. só meu caminhão não tem imitação. continuo trabalhando. Navio imita tubarão. quando nasce! Neste carnaval não vou beber. dá licença. Ignoram nossa música e eu sigo dançando. se ficar o fusca come! Matam meu salário. só dói.Se for prá morrer de batida. Chifre é igual dente de neném.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .. pelado e sem dente.. só vou falar mentira Só dou carona prá quem me dá. se mulher fala de sexo com homem é R$ 1.. Se você já deu a bundinha. TÂNIA . alguns são solteiros. O que vier é lucro! O sexo não resolve todos os problemas.2° P 2006 . não vou fumar. Saí de casa cedo. Não vou bem como quero nem mal como pensam. para não deixar mais uma viúva a procura de marido.. avião imita gavião. Se correr o fusca pega. dê uma risadinha. Se o homem fala de sexo com mulher é assédio sexual. Não ultrapasse em local proibido.

BRINQUEDOS

Peão ± Bilboquê ± Pipa Telefone de fio ± Peteca Boneca de palha ± Bulica ± Bambolê ± Cavalo de Pau...
UNIPAN - ARTES VISUAIS - CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO - 2° P 2006 - PROF. TÂNIA

BRINCADEIRAS
Cinco Maria Regras: O jogo começa com 5 pedrinhas, as pedrinhas são jogadas para cima e passa por várias etapas, aumentando o grau de dificuldade, não podendo deixar as pedrinhas caírem. Esconde-Esconde Regras: Num Grupo de crianças, uma é eleita a fechar os olhos e contar até 10. Enquanto uma conta os outros integrantes vão se esconder. Quando acaba de contar vai à procura dos outros e não pode deixar as crianças que estão escondidas bater no pique. Obs: Café com Leite ± criança pequena que não tem condições de participar ativamente da brincadeira. Alerta Regras: Joga-se com vários componentes, cada um escolhe uma fruta forma-se um círculo e um vai ao centro com uma bola, arremessa a bola para cima dizendo o nome de uma das frutas escolhidas. A pessoa dona da fruta, pega a bola e grita alerta, os demais que saíram correndo param ao ouvir o grito. Três passos são dados e tenta-se queimar um desses que correram.
UNIPAN - ARTES VISUAIS - CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO - 2° P 2006 - PROF. TÂNIA

Morto-Vivo Regras: Uma pessoa fala as outras obedecem,³morto´ se abaixa e ³vivo´ fica em pé aquele que errar de simplesmente ameaçar sai fora, vence o último que ficar. Passa Anel Regras: Joga-se com varias pessoas, onde uma fica observando, enquanto que em uma fileira ,o aneleiro passa o anel deixando-o com uma das pessoas, aquela que estava observando descobrir onde esta o anel. Pula corda Regras: Dois integrantes um em cada ponta da corda, com duas entradas: com a corda parada ou em movimento, uma criança entra para pular e as outras cantam versinhos no decorrer da brincadeira. Peteca Regras: Pode ser brincada com duas ou mais pessoas, com duas mãos um componente que está jogando passa para outro, quem deixa cair vai perdendo pontos ou saindo fora do jogo.
.

UNIPAN - ARTES VISUAIS - CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO - 2° P 2006 - PROF. TÂNIA

Amarelinha Regras: Duas ou mais pessoas desenham com giz ou outro material a amarelinha e alguém é sorteado para começar. Quem consegue jogar a pedrinha e pular em todos os lugares, se errar passa a vez para outra pessoa. Cabra-cega Regras: Faz-se um circulo no chão e todos os participantes só tem aquele limite a percorrer, uma dos membros venda os olhos (ele é a cabra cega)o mesmo tem que pegar os outros, aquele que for pego assumira o papel de cabra cega. Salada de frutas Regras: Faz-se um circulo, onde cada pessoa recebe o nome de uma fruta, uma pessoa fica nocentro do circulo e grita um nome de fruta, todas as pessoas com aquela fruta tem que mudar de lugar, e é nesse momento que aquele que está no centro tenta roubar o luguar de alguém, a quele que perder o lugar, vai para o centro da roda.

UNIPAN - ARTES VISUAIS - CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO - 2° P 2006 - PROF. TÂNIA

derrepente para a música. Essa pessoa percorre em volta do círculo dizendo. Entra uma equipe em cada metade do campo. pode se uma bolinha. UNIPAN . Inicia. Coloca-se o objeto em segredo atrás de alguém. Estátua Regras: Coloca-se uma musica e põe as pessoas a dançar. se isto ocorrer ela estará fora da brincadeira. e este fica com a responsabilidade de fazer o mesmo quando um dos elementos receber a barata três vezes queima e sai fora do grupo. uma equipe tenta queimar um individuo da outra.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .PROF. O goleiro(reserva) fica pegando a bola e tentando queimar também ao jogar de volta para a equipe.2° P 2006 . se estes pegar a bola corre para a linha do meio de campo e tenta queimar o adversário. Então você começa a provocar a pessoa para ver se ela se movimenta. as demais respondem: ta fedendo. com um objeto. Barata Regras: Uma turma sorteia a barata. Quem eliminar a outra equipe primeiro ganha o jogo.Ovo choco ou galinha choca Regras: Faz-se um circulo de oito pessoas ou mais. TÂNIA .ARTES VISUAIS . da maneira que a pessoa estiver ela tem que ficar. ovo choco. Quem ficou com a barata corre atrás dos elementos do grupo até conseguir bater um tapa nas costas e falar barata. fica uma sobrando fora do círculo. se a pessoa escolhida não ver. fica chocando dentro do círculo. Queima ou caçador Regras: Forma-se duas equipes e ficam a beira do campo.

uma das duplas defendera a casa com as bets(dois pedaços de madeira em forma de bastão) e a outra dupla tenta acertar a casa com uma bolinha. No último ponto. e cuspe em cima e conta-se até 21. era quem iniciaria. Bets Regras: Jogo com quatro componentes formando duas duplas.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Quem fosse o primeiro a gritar.ARTES VISUAIS . inicia-se gritando ³primeirinha´ pulando o mais longe que conseguir. corre e cruza as bets ao meio do jogo. TÂNIA . joga-se a bola bem longe.Pula-tábua Regras: Duas pessoas pulam em cima de uma tábua suspensa por um pedaço de madeira. troca de lugar mas se este defender e acertar a bola com a bets. seco ou molhado. UNIPAN . tentaria pisar no pé mais próximo para eliminá-la (a outra pessoa tentar se esquivar) e assim por diante até ficar o único vencedor.2° P 2006 . Se acertar a casa.PROF. e assim até completar 21 pontos.Coloca-se dois tijolos em certa distância que servirá como casa. dá o lugar para outro. Primeirinha Regras: Um grupo de pessoas com um dos pés posicionados em um ponto em comum. Quem se desequilibrar primeiro. corre e troca de lugar batendo as bets no meio do caminho. . Obs: -2 para trás perde as bets -Início do jogo.

que terá que correr e tentar pegar (tocar) as demais pessoas do grupo para passar (e livrarse) o ³cargo. essa iniciava ³cantando´ a seguinte frase: Olhos fechados (1): . UNIPAN . a ³mãe´.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .2° P 2006 .a pessoa (1) que está com o dedo indicador esticado para ³escolher´ o seu ³bem´. nesse local a ³mãe´ não pode pegá-los. aperto de mão.Caiu-no-poço Regras: Em um círculo de pessoas. TÂNIA . Pega-pega Regras: Dentre um grupo de pessoas.PROF.´ Para o descanso rápido da correria tem-se os pontos de descanso que são chamados de pique. duas ficavam ao centro.a pessoa (2) pergunta: .Caí no poço! Quem tapava (2): .ARTES VISUAIS . abraço. quando escolhido ± depois de alguns ³nãos´ chega-se ao ³sim´ . etc.O que você quer dele? A pessoa (1) escolhe entre beijo.Quem te tira? (1): Meu bem! (2): Quem é seu bem? (2): É esse? ± e assim a pessoa (2) direciona ± pela circunferência do círculo . escolhe uma pessoa. Então a pessoa que foi escolhida vai ao centro para ficar com os olhos tapados e inicia-se novamente a brincadeira. sendo uma tapando os olhos da outra pessoa (que caiu no poço).

Roubo do Pão Regras: É uma brincadeira baseada em uma música. então. jogavam cachangá. de mãos dadas. é revelado o que se falou e o que por último se escutou ± o que costuma ser bem diferente. etc UNIPAN ..CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . deixa o Zé Belê ficar.) dar a meia-volta. na casa do João!´ ³Quem eu?´ ³Sim. você!´ ³Eu não´ ³Então quem foi?´ ³Foi o sicrano!´.2° P 2006 .a brincadeira termina quando todos já participaram e. bota. na qual há a interação de todos os participantes e se dá da seguinte forma: ³Fulano roubou pão.. Se o bobinho a bola pegar este passa a ser um jogador e a pessoa que deixou ele pegara bola vira o bobinho. volta e meia vamos dar (.a pessoa que escutou deve passar a frase ou palavra para a outra pessoa ao seu lado.)´..Bobo Regras: Esta brincadeira necessita de no mínimo 3 pessoas. pedras.. guerreiros com guerreiros fazem zig zig zá.´e assim por diante.PROF. guerreiros com guerreiros fazem zig zig zá ± Variações: com caixinhas de fósforos. conte um verso e que saia da roda.. Consiste em jogar a bola um para o outro sem deixar que a pessoa que esta no meio (o bobinho) peque a bola.. Ciranda cirandinha Regras: É uma brincadeira de roda entre varias crianças.ARTES VISUAIS . Escravos de jó Regras: Em círculo canta-se: Escravos de jô.. tira. No final da canção a letra pede que um nome seja chamado para que o sujeito entre na roda. chinelos. João .uma pessoa fala ao ouvido da pessoa ao seu lado alguma frase ou palavra. que cantando a canção vão seguindo os comandos da letra: ³(. Assim é concluída a brincadeira. Telefone sem fio Regras: Todos os participantes devem estar em círculo ou fila. ³O sicrano roubou pão. TÂNIA .

ensinando a alegria da cooperação. De qualquer maneira. É a manifestação espontânea de uma coletividade. Tem como cenário normal as ruas. como pela sua freqüência. Outras servem de atos propiciatórios. TÂNIA . ou a tarefas de trabalho coletivo. visto que conjugam os mais diversos aspectos da vida cotidiana. pois possui todas as suas principais características. largos. à graça dos ademanes e aos atributos da resistência física em manifestações de saúde. acontecimentos dignos de serem periodicamente rememorados como exemplos de coesão social. pode-se dizer. são as expressões mais fiéis de nosso espírito musical.DANÇAS FOLCLÓRICAS As danças folclóricas existem em quase todos os países do mundo. praças públicas e possui estruturação própria através da reunião de seus participantes e ensaios periódicos. não só pela quantidade e variação. As danças brasileiras. Outras evocam fatos épicos. apresentam incomparável valor folclórico.2° P 2006 . à cor. ao ritmo.ARTES VISUAIS .PROF. é um fato folclórico completo. ao sentido lúdico e utilitário. Muitas delas são ligadas a manifestações de culto.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . A dança. sendo portanto coletiva e aceita pela sociedade onde subsiste. UNIPAN . associando a música ao gesto. alegria e vigor.

no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio.ARTES VISUAIS . como na dança de São Gonçalo. de par solto. como a chimarrita. são de roda.2° P 2006 . Existem também as de fileiras em que os dançadores se colocam uns atrás dos outros em duas filas que se defrontam. podendo haver aquelas em que o par se enlaça e se separa conforme as marcações. Existem ainda as que. conforme o número de participantes. ex. pois nelas os participantes fazem roda. TÂNIA . sendo de par. como a valsa. ficando o dançador ou o par no centro.: ciranda. em: solistas.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . quadrilha. Algumas danças. como as primitivas.‡ Classificação: As danças folclóricas podem ser classificadas coreograficamente. como o jongo. como no caso do samba de roda ou batuque. os pares giram em roda.PROF. como no frevo. quanto existe um só dançador. de par enlaçado. UNIPAN .

CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . É. Dramáticas: Cheganças. elas podem ser: Tranqüilas. Coco.PROF. a fisionomia típica de certa época ou de certa sociedade. Mouros e Cristãos. As danças folclóricas geralmente são acompanhadas por instrumentos ou conjuntos instrumentais e por palmeados e sapateados. sendo que em algumas delas enquanto se canta não se dança e noutras os tocadores não dançam.2° P 2006 . Batuque. sendo algumas também de cortejo. UNIPAN . Nada melhor do que uma dança folclórica para traduzir. Cururu. Funerárias: Axexê. Lúdicas: como as danças de roda das crianças.ARTES VISUAIS . pois necessário que as danças brasileiras sejam mais estudadas e protegidas a fim de defender do esquecimento nossas tradições populares. sendo do último tipo as danças mágico-religiosas dos ritos primitivos. num esboço. Maracatu. Jongo. Quanto à movimentação. agitadas e frenéticas. São Gonçalo. Profanas: Fandango. TÂNIA . Guerreiras: como Congada. Mímicas: quando os dançadores imitam alguma coisa. Quadrilha.Quanto à motivação as danças podem ser: Religiosas: Santa Cruz. com os do candomblé.

ARTES VISUAIS .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .PROF.2° P 2006 .Danças folclóricas incluídas na pesquisa da disciplina de Cultura e Folclore Brasileiro: Pau de fitas Balainha Catira Cateretê Carimbó Congada Baião Ciranda Côco Alogoano Reizado Polca Fandango Reizado Xaxado Frevo Quadrilha Maracatu UNIPAN . TÂNIA .

as bênçãos que o espírito da árvore tem o poder de conceder.ARTES VISUAIS . adornados de flores e fitas.2° P 2006 . tendo como objetivo. entre os mineiros de Nuanda. recém-desperto pela primavera. ela geralmente está associada à Dança dos arcos e flores e à Jardineira. Em São Benedito de Los Andes. Nos países de origem portuguesa. é encontrada em vários estados. No Brasil. no Peru. UNIPAN . esta dança. Até hoje.PROF. originária do meio rural que aparece em alguns países como a Espanha. Aparece ainda. fazendo parte do repertório de grupos folclóricos de várias etnias. na primavera ou no princípio do verão. mastros de maio. Este tipo de dança também já existia na América.Em muitas partes da Europa. era e ainda é costume ir passear pelos bosques. cortar uma árvore e leva-la para a aldeia. onde era erguida em meio à alegria geral. A intenção deste costume era levar para cada uma das casas da aldeia.Pau de fitas A Dança Pau de Fitas é uma tradição milenar. atrair o frutificante espírito da vegetação. ou mesmo no dia do solstício de verão. muito antes de seu descobrimento e os maias ainda incluem em seus costumes. na Venezuela. Inglaterra e outras regiões da Europa.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . são levantados no primeiro dia do mês de maio. foi registrada dança semelhante aos pau-de-fita dançados aqui no Brasil. no século XVIII. TÂNIA .

UNIPAN .2° P 2006 .ARTES VISUAIS . no ciclo junino (antes da apresentação do Pau-de-Fitas). sustentando um arco florido. tanto de forma autônoma.PROF. TÂNIA . a Balainha é desenvolvida com os pares de dançantes (sempre mulheres).Balainha Conhecida também com o nome de Arcos Floridos ou Jardineira. quanto dando abertura à dramatização do Boi de Mamão. Balainha é uma dança observada no litoral dos estados do Paraná e Santa Catarina. cada um deles.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .

PROF. O Fandango chegou ao litoral do Paraná com os primeiros casais de colonos açorianos e com muita influência espanhola. folclórico por excelência. que é um prato típico a base de carne e toucinho.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . TÂNIA . por volta de 1750 e passou a ser batido principalmente durante o Intrudo (percussor do Carnaval). UNIPAN .2° P 2006 . ou seja. tornou-se uma dança típica do caboclo litorâneo.ARTES VISUAIS . Nestes 04 dias a população não fazia outra coisa senão bater o Fandango e comer Barreado. que podem ser bailadas (dançadas) ou batidas (sapateadas).Fandango O termo Fandango designa uma série de danças populares. que presidem o encerramento das fainas de um ³Pixirão´ (mutirão) ou divertimento rotineiro de qualquer ocasião. uma suíte ou reunião de várias danças. chamadas de ³marcas´. o Fandango paranaense. Três séculos já se passaram e nesse correr dos anos. Sua coreografia possui características comuns. variando somente as melodias e textos. com nomes e ritmos fixos para cada marca.

Frevo Embora esteja presente em todo o Nordeste.2° P 2006 . ensaiador das bandas da Brigada Militar de Pernambuco.ARTES VISUAIS . TÂNIA . A data do aparecimento do frevo parece estar estabelecida.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . já na introdução sincopada em sesquiálteras. Atribui-se a criação do novo ritmo ao capitão José Lourenço da Silva. entre os anos de 1909 e 1911. é em Pernambuco que o Frevo adquire expressão mais significativa. o frevo pernambucano nasceu da polca-marcha. com certeza. Segundo algumas opiniões. UNIPAN .PROF.

TÂNIA . Os trajes usados são as roupas comuns de todo o dia. A dança varia em cada região do país. especialmente nos Estados de Minas Gerais.Catira . menos o cateretê. cantavam trechos religiosos. que batem o pé ao som de palmas e violas.ARTES VISUAIS . São Paulo. também. UNIPAN . no Nordeste.Cateretê Conhecida e praticada.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .PROF. largamente. mas geralmente são dançadas em duas fileiras formadas por homens de um lado e mulheres do outro. no interior do Brasil. É uma dança de origem indígena e dançada em muitos estados brasileiros. traduziu para a língua tupi alguns textos católicos. assim enquanto os índios dançavam. Foi bastante usada pelo Padre Anchieta que em sua catequese. Goiás e. por este fato é que muitos caipiras paulistas consideram muitas danças diabólicas. em menor escala.2° P 2006 .

CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .korimbó -. O nome é de origem tupi .2° P 2006 . TÂNIA . aculturada. como ficou nacionalmente conhecida a dança. que revela traços culturais lusitanos. UNIPAN .ARTES VISUAIS .e para carimbó. formado por duas palavras: curi que significa "pau oco: e mbó . Posteriormente o povo foi trocando as letras do curimbó para corimbo . que significa "furado".como ainda é chamado no município de Salinópolis .PROF. negros e índios.Carimbó É uma Dança regional.

Goiás. Paraná. No interior.Reizado O Reisado foi introduzido no Brasil-Colônia pelos portugueses no século XIX. cuja ribalta é a praça pública. ou Reisado. é uma dança do período natalino em comemoração ao nascimento do Menino Jesus e em homenagem aos Reis Magos: Gaspar. na Guanabara. que representam as três dimensões de Cristo (realeza. constitui um dos mais originais folguedos folclóricos. mas as vezes pode ser apresentado em residências.ARTES VISUAIS .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . UNIPAN . Folia de Reis.PROF. São Paulo. Melchior e Baltazar.2° P 2006 . incenso e mira. Rio de Janeiro. TÂNIA . Espírito Santo e. É uma folia conhecida em Minas Gerais. que levaram ouro. É um espetáculo popular das festas de Natal e Reis. divindade e humanidade). desde alguns anos. a rua.

a quadrilha passou a sofrer as influências regionais. Veio para o Brasil pelas mãos dos mestres de orquestra de danças francesas. daí surgindo muitas variantes. uma dança própria dos festejos juninos..Assimilada por todo o país. pois é quem determina as figurações diversas que os dançadores devem desenvolver.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .ARTES VISUAIS .Quadrilha A Quadrilha era inicialmente uma dança aristocrática de origem francesa.PROF.Quadrilha e Quadrilha Caipira. TÂNIA .2° P 2006 . mas que apresentava influência de antigas danças folclóricas da Inglaterra. Para sua ocorrência é importante a presença de um mestre "marcante" ou "marcador". A Quadrilha se popularizou no Brasil e é hoje. UNIPAN .

já a guarda de Moçambique valoriza os elementos tipicamente negros. na festa e dança dramática. Além da corte de reis e rainhas. UNIPAN . TÂNIA . capitães. organizados em guardas ou ternos. tem o batido mais ralentado e é considerada o "pé de coroa". congado ou congo são nomes genéricos dados ao conjunto de elementos que circundam uma Festa de Reinado.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . organizada por «irmandades» de santo. tocadores.PROF. rainhas e mestres desfilam um cortejo processional. Em geral.Congada Congada.ARTES VISUAIS . abrindo caminhos. em movimento rápido. brincantes. reis. aquela que vem imediatamente antes da corte ou do reino.2° P 2006 . duas guardas são recorrentes: a guarda de Congo puxa os dançantes. conduzindo-a. em se encena a coroação de «Reis do Congo» em louvor de um santo negro.

TÂNIA .ARTES VISUAIS .. as pessoas já associam a palavra a uma dança de roda e a infância. UNIPAN . um pedaço de alguma coisa lá dentro que é muito nossa e quando ela chega..PROF. é também uma dança de roda de adultos.Ciranda Quando fala-se em Ciranda. giramos ao sabor destas lembranças. que apareceu no litoral norte de Pernambuco.2° P 2006 . de origem portuguesa.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Realmente. Mas a Ciranda não é só divertimento de crianças. reconhecemos na Ciranda a lembrança de uma brincadeira muito gostosa.

onde se misturavam escravos índios com africanos.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .Côco alogoano Apesar de mais freqüente no litoral.ARTES VISUAIS . acredita-se que o Coco tenha surgido no interior de Alagoas. no início da vida social brasileira (época colonial). TÂNIA . UNIPAN .2° P 2006 . provavelmente no Quilombo dos Palmares.PROF.

recebeu várias orquestrações de maestros americanos. inicialmente era o nome de um tipo de festa. seu primeiro grande sucesso Baião. passou a ser conhecido em todo Brasil. por intermédio do sanfoneiro pernambucano Luiz Gonzaga. este gênero musical também passou a ser conhecido internacionalmente. quando gravou em 1946. este ritmo tomou conta do Brasil e vários artistas começaram a gravar o baião. TÂNIA .ARTES VISUAIS . A partir daí e até meados da década de 1950. Em 1950. o baião Delicado do instrumentista e compositor Valdir Azevedo. UNIPAN . Este gênero musical que era restrito ao sertão nordestino.Baião Dança e canto típico do Nordeste.2° P 2006 . onde havia muita dança e melodias tocadas em violas.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .PROF.

ARTES VISUAIS . cheia de vida e feliz.Polca Alegre. sem acompanhamento de instrumentos. e algumas vezes a dança e o canto fazem parte das tradições das comunidades rurais.PROF.2° P 2006 . É normalmente dançada ao som de cantos entoados pelos participantes da festa. TÂNIA .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . UNIPAN . é esta polca sueca executada pela família em torno da árvore de Natal.

PROF. TÂNIA . UNIPAN . Primeiramente a melodia era apenas cantada e o tempo forte marcado pela batida de um rifle no chão. considerado entre outras denominações o "Rei do Cangaço.ARTES VISUAIS .Xaxado Dança popular do sertão nordestino. razão pela qual nunca se tornou uma dança de salão.2° P 2006 . as letras eram e continuam satíricas.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . cujo nome foi dado devido ao som do ruído que as sandálias dos cangaceiros faziam ao arrastarem sobre o solo durante as comemorações celebradas nos momentos de glória do grupo de "Lampião". É dançada somente por homens.

PROF. música e dança.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .Maracatu Os Maracatus mais antigos do Carnaval do Recife. A parte falada foi sendo eliminada lentamente. e fala de uma instituição que compreendia um setor administrativo e outra. nasceram da tradição do Rei do Congo. implantada no Brasil pelos portugueses. UNIPAN . TÂNIA . de Olinda. também conhecidos como Maracatus de Baque Virado ou Maracatu Nação. O mais remoto registro sobre Maracatu data de 1711. com teatro.2° P 2006 .ARTES VISUAIS . resultando em música e dança próprias para homenagear a coroação do rei: o Maracatu. festivo.

CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . bem antes dos primeiros Portugueses aqui chegarem .2° P 2006 . gestos ou palavras para obter mais saúde para as pessoas. como o" mal olhado" (doença onde a pessoa fica abatida. frutos. substâncias. outros remédios e simpatias curiosos e pitorescos.sem ânimo.MEDICINA POPULAR A Medicina Popular no Brasil é uma prática muito antiga. diferente da Medicina Científica.ela já era praticada e muito bem conhecida pelo Índios que habitavam o Brasil já a muito tempo.são as Plantas Medicinais. Em alguns casos estas três formas podem ser empregadas juntas. Na Medicina Popular. o indivíduo que vai ser tratado é analisado sob dois aspectos básicos a saúde de seu corpo e a saúde de seu espírito. Há também o seu lado mágico. americanos e australianos sempre buscaram e continuam encontrando nas plantas alívio ou cura para os seus males. Vejamos. A medicina popular ou rústica é a utilização pelo povo de drogas. em seguida.PROF.dai o conhecimento e a prática ser tão bem apurada por eles. africanos. TÂNIA . folhas. raízes e tubérculos de determinadas plantas é tão antigo quanto os primórdios da história da humanidade. Não é apenas uma coleção de plantas medicinais. suas ações e orações que o povo utiliza na cura dos seus males físicos e mentais. usadas para prevenir e curar doenças.pois muitas vezes a pessoa não está com uma doença do corpo e sim uma doença espiritual.as Rezas e Simpatias.como é o caso das rezadeiras que utilizam plantas medicinais para realizar as orações nas pessoas doentes.provocada pela inveja de outra pessoa). Na prática a Medicina Popular utiliza três formas de tratar a pessoa que esta doente. europeus. Asiáticos.ARTES VISUAIS . O uso de remédios feitos com flores.usados pelo povo nordestino: UNIPAN .

Para a catapora acabar de sair ou sair ainda mais depressa. 3) Encher a cárie com sarro de cachimbo. PÉ ou BRAÇO DESMENTIDOS. se for tempo de tanajura. Comer tanajura torrada. 2) Comer uma banana prata verdosa. UNIPAN . sobre a testa. DOR-DE-GARGANTA. 3) comer testículos de porco assados e sevidos sem sal. Dar uma surra no lugar afetado com um saquinho de sal grosso. dentro do começo do nariz da pessoa desmaiada.ARTES VISUAIS . em jejum. uma mistura feita com pó de café e manteiga. 1) Pingar. 6) Tomar chá de "olho" que tem na pena do pavão. REZAS e SIMPATIAS. AZIA. Aplica-se. 1) Tomar chá feito com a moela de galinha. DESMAIO. CACHUMBA. um emplasto feito com lodo de carregar água da cacimba. 2) Soprar nos ouvidos e bater na sola dos pés a pessoa tornar. Tomar. nada como tomar chá feito de cabelo-de-milho sem açucar. durante trinta dias. crua. 2) Banhar os olhos com água onde se pôs uma rosa branca.‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ PLANTAS MEDICINAIS. TÂNIA . uma cabeça de fósforo. crua. 2) fumar um cigarro feito com folhas secas de zabumba. ASMA. 3) Comer um pedaço de macaxeira branca. no olho doente.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . o calo é uma certeza: 1) colocar sobre o calo cera-de-ouvido. Beber um copo d`água no qual foram colocados três pitadas de cinza fria. Colocar. algumas gotas de leite materno.2° P 2006 . um copo de água fria com três gotas de creolina. Quando o sapato é novo. encher a cavidade com sarro de cachimbo. DOR-DE-DENTE 1) Introduzir na cárie. no local. Depois de retirado o bicho-de-pé. 2) Pingar no calo cera de aveloz. 1) Tomar chá feito com enxerto-de-passarinho. uma pena de galinha até a pessoa voltar a si. volta a si. 2) Encher a cárie com o pó feito de chocalho da cobra cascavel. DOENÇA-DOS-OLHOS. 5) Tomar chá feito com o chocalho da cobra cascavel. AMEBA. DOR-DE-BARRIGA. 1) Passar. se couber. DOR-DE-CABEÇA. CATAPORA. GALO. DEDO. BICHO-DE-PË. 4) Tomar fel de boi misturado com um pouco de cachaça. com auxilio de um alfinete.PROF.

Para o furúnculo estourar. HEMORRAGIA. para que o doente se acocore e possa tomar banho do vapor. sobre ele. Quando se leva uma pancada na cabeça e aparece um "galo" nada como fazer. HIDROCELE ou ÁGUA-NAS-PARTES. Amarrar. Comer pombo bem assado. 1) Sentar num pedaço de tronco de bananeira recém-cortado. ERISIPELA. 3) Colocar compressas de querosene. Molhar a cabeça em água fria e ficar olhando para o céu durante cinco minutos. ENJÔO-DE-GRAVIDEZ. TÂNIA . sem sal. UNIPAN . HEMORROIDAS. 2) Colocar uma pela de fumo no local. por si só. BEMORRAGIA-NASAL.2° P 2006 . JÁ-COMEÇA ou COCEIRA. IMPINGEM. em jejum até aborrecer. Ferver a água necessária para quase encher uma bacia de tamanho médio em que se tenha colocada uma caixa de charutos vazia. se for homem. ENJÔO-DE-VIAGEM-DE-AUTOMÓVEL 1) Colocar uma castanha de caju no bolso. no local da hemorragia externa. sem camêlos. forte pressão com a folha de uma faca fria. cru. FURÚNCULO. Tomar banho com o cozimento de maxixes. Chá feito com a pele que envolve a moela de uma galinha. LOMBRIGA. 1) É bom cobrir a impingem com tinta de escrever. Comer coco seco raspado.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . urna fita vermelha. Botar. Colocar.PROF. 2) Esfregar a impingem com pólvora de caçador.ARTES VISUAIS . se for mulher. nada com colocar no "olho" da cabeça-de-prego. um chumaço de algodão embebido em verniz de carpinteiro. GALO-NA-CABEÇA. ou na bolsa. um emplastro feito com o couro do bacalhau. no ouvido que estiver doendo três gotas de leite materno. 2) Mascar uma cabeça de fósforo.‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ DOR-DE-OUVIDO. INDIGESTÃO. crua. para parar o sangue. no tornozelo.

a semente de olho-de-boi e depois colocá-la sobre o olho onde está localizado o terçol. Tomar chá de cupim. Pentear os cabelos com um pente feito de chumbo. MIJAR-NA-CAMA. carne de carneiro preto. 2) Esfregar. Passar. SOLUÇO. MULHER-MANINHA.‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ MAL-DOS-SETE-COUROS. todo dia. no almoço. Tomar meia garrafa de querosene e comer um prato de farofa com bacalhau assado na brasa. 2) Dar ao marido. TERÇOL.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . no local.2° P 2006 . PANOS-BRANCOS. QUEDA-DE-CABELO. Pregar um susto à pessoa que estiver com soluço. PRISÃO-DE-VENTRE. Lavar o rosto ou a parte afetada pelos panos brancos. Fazer um chá do talo do jerimum. UNIPAN . sebo de carne-do-ceará.ARTES VISUAIS . TRIPA-DE-FORA (Prolapso do reto). no chão.PROF. 2) Chá de alpiste. Sentar a pessoa acometida do mal em um pedaço de tronco de bananeira cortado na hora. URINA-PRESA. Para que a mulher venha a ter filhos: 1) Tomar água antes de ter relações sexuais. TÂNIA . Nada como dar umas capadas na criança com um muçu vivo. MORDIDA-DE-COBRA. Chá de cabelo-de-milho. 1) Engolir nove caroços de limão durante três dias seguidos. seco e torrado. com água da chuva caída na hora. UMBIGO-CRESCIDO-DE-RECÉM-NASCIDO. bem quente. com um copo de vinho.

leite de coco e o dendezeiro (do qual se faz o azeitedendê). novos alimentos são incluídos na dieta e se abrasileiram.PROF. que na região Sudeste é comida de festa. africana e dos diversos povos que imigraram para o Brasil.2° P 2006 . a cana-de-açúcar. como o macarrão italiano. PRATOS TÍPICOS UNIPAN . Este processo de aculturação é constante. Dos africanos recebeu o inhame. TÂNIA .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . a bananeira. a culinária recebeu dos índios a mandioca (hoje mais utilizada como farinha) e o palmito.ARTES VISUAIS . Conforme os diferentes povos chegam ao Brasil. Já no período colonial. européia.CULINÁRIA A culinária folclórica brasileira resulta da aculturação indígena.

morreteanos e parnanguaras.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . O nome do prato vem da expressão "barrear" a panela.PROF. UNIPAN . com um pirão de cinza ou farinha de mandioca. o Barreado é símbolo de fartura. festa e alegria. TÂNIA .Prato do litoral paranaense. de origem polêmica o barreado é motivo de deliciosa discussão entre capelistas.2° P 2006 . para evitar que o vapor escape e o cozido não sequem depressa.Paraná No folclore paranaense. Dizem que o mesmo era servido aos cablocos que iam às vilas levar os produtos da lavoura.ARTES VISUAIS .

PROF.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .Pratos Típicos BARREADO BOLO DE PINHÃO QUIRERA COM PORCO ARROZ DOCE BOLO DE MANDIOCA TAPIOCA BOLO DE BATATA DOCE BOLO DE MILHO CURAU BALA DE CÔCO PAÇOCA PÉ-DE-MOLEQUE CUSCUZ CANJICA UNIPAN .2° P 2006 .ARTES VISUAIS . TÂNIA .

lento. Coloca-se todos os temperos (menos a pimenta vermelha). Por isto costuma-se preparar ao meio-dia seguinte.05 Kilos de carne (peito.2° P 2006 .03 cabeças média de alho . O segredo é o cozimento. O tempo de cozimento não pode ser inferior à 12 horas com fogo brando. e com uma mistura de farinha de mandioca. TÂNIA .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . patinho ou coxão mole) . vedando bem. experimente se está bom de sal.01 pitada de cominho em pó (torrado) . Quando abrir a panela.Pimenta vermelha Modo de Preparo Feito na véspera de ser servido: Cortar a carne em pedaços pequenos (cubinhos de 3 a 4 cm) e o toucinho em pedaços menores (quadradinhos de 1 a 2 cm). Como servir: Coloca-se farinha de mandioca no prato e escalda-se com o Barreado(como quem faz um "pirão bem molinho"). e acrescente o molho de pimenta vermelha a gosto.ARTES VISUAIS . ou coloca-se a tampa.Folhas de louro .Sal a gosto . ‡ UNIPAN .05 cabeças de cebola .01 colher de pimenta do reino .01 pitada de coentro (torrado) . usando o fogão a lenha. Põe-se a carne e o toucinho numa panela de barro. laranja e arroz. barrea-se. Tampa-se a panela com uma folha de bananeira previamente sapecada no fogo amarrando-a na boca da panela.BARREADO ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Ingredientes: (Para 10 pessoas) . cinza e água quente. Serve-se acompanhado com banana.500 gramas de toucinho fresco .PROF.

a maisena e o pinhão.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Peneire e acrescente a farinha de trigo. UNIPAN . Asse em forno bem quente. Por último acrescente as claras em neve e o fermento. juntando-se a massa alternadamente com o leite.ARTES VISUAIS . a margarina e o açúcar.2° P 2006 . bata bem as gemas. TÂNIA .BOLO DE PINHÃO ‡ Ingredientes: ‡ 1 xícara de pinhão cru 2 xícaras de açúcar 2 xícaras de farinha de trigo 1 xícara de maisena 1 xícara de leite 3 colheres de margarina 4 ovos 1 colher de fermento em pó ‡ Modo de Preparo: ‡ Moa os pinhões.PROF.

é só servir acompanhado de uma salada verde] UNIPAN . frite como se fosse o arroz .ARTES VISUAIS .QUIRERA COM CARNE DE PORCO ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Minas Gerais Ingredientes 1 x de quiréra 500g de costela de porco 1 cebola media picada 2 dente de alho ½ de óleo 2 tomate picado sal pimenta do reino a gosto cheiro verde a gosto Modo de fazer frite a carne de porco e reserve . TÂNIA . refogue a cebola. o alho e o tomate.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .PROF. adicione 1 ½ litro de àgua fervendo. por ultimo o cheiro verde.2° P 2006 . deixe cozinhar. adicione a carne e a quirera e sal a gosto.

Modo de fazer: ‡ Lave o arroz e escorra bem.ARTES VISUAIS . UNIPAN . 1 lata de leite condensado 1 copo de leite água e canela em pó. Sirva-o polvilhado com canela. Quando ferver. abaixe o fogo e cozinhe até que o arroz fique macio. Leve ao fogo numa panela grande com 1 1/2 litro de água. misture bem e retire do fogo. Junte leite e o leite condensado.ARROZ DOCE ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Ingredientes: 1 xícara de arroz. TÂNIA .PROF.2° P 2006 .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .

cubra com água e leve ao fogo. cozinhe mais um pouco. passe-o para uma panela de pressão. escorra o milho.ARTES VISUAIS . Se não estiver.PROF. Na hora de servir. a canela e cravos-da-índia a gosto e cozinhe em fogo mínimo. UNIPAN . cravo-da-índia .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Coloque o açúcar. No dia seguinte. polvilhe a canela em pó. TÂNIA . junte leite suficiente para cobrir todo o milho. Deixe esfriar até poder abrir a panela. Deixe esfriar.Canela em pó.CANJICA ‡ Ingredientes: 2 xícaras de chá de milho p/ canjica. verifique se o milho já está macio. ‡ Leite.2° P 2006 . coloque o milho de molho numa tigela com água. ‡ Depois. mexendo de vez em quando com a colher de pau até obter um caldo grosso e saboroso. Modo de fazer: ‡ Na véspera. ‡ 2 xícaras de chá de açúcar ‡ Canela em pedaços ou em pó.

passe por uma peneira fina e deixe escorrer por 5 minutos para retirar todo o excesso de polvilho da mandioca. Despeje a massa peneirada numa outra tigela. mexa bem. Retire do forno. corte em pedaços UNIPAN . A seguir. Leve o bolo para assar em forno médio pré-aquecido por 45 minutos. acrescente os ovos batidos. enfiando um palito. ele saia limpo. o coco e o sal.BOLO DE MACAXEIRA OU MANDIOCA ‡ ‡ ‡ Ingredientes: 1½ kg de mandioca ralada ½ copo (tipo americano) de água 2 xícaras (chá) de açúcar 2 xícaras (chá) de manteiga 5 ovos 1 colher (sobremesa) de canela em pó ½ xícara (chá) de queijo ralado ½ xícara (chá) de coco ralado 1 pitada de sal Modo de fazer: Numa tigela.PROF. a canela.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . coloque a mandioca e junte a água. ou até que. TÂNIA . Quando frio. junte o açúcar e mexa até que ele se dissolva.ARTES VISUAIS . junte a manteiga derretida.2° P 2006 . Misture bem. o queijo.

coloque outra porção de goma. UNIPAN . dobre a massa ao meio. uma porção de coco ralado e um pouco de manteiga.PROF. limpe bem a frigideira com um pano seco e esquente-a novamente. sem untar. Pronto. Para fazer outra. Quando o recheio esquentar e o queijo começar a derreter.ARTES VISUAIS . Só aí.TAPIOCA ‡ Ingredientes: Goma de tapioca Fatias bem finas de queijo coalho Coco fresco ralado Manteiga de garrafa Modo de fazer: ‡ Passe a goma pela peneira. coloque uma porção da goma (o suficiente para cobrir com uma camada bem fina o fundo da panela).2° P 2006 . O fogo deve estar bem brando para a massa não queimar. apertando as bordas com uma colher para fechar a tapioca. TÂNIA . Esquente bem uma frigideira e. ‡ Coloque algumas fatias de queijo.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .

Se ficar pesado. 100 g de castanhas torradas e moídas. 3 xícaras de açúcar. 4 gemas. 120 g de manteiga. as claras em neve. 2 claras em neve. leite côco. UNIPAN .BOLO DE BATATA DOCE ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Ingredientes: 1 quilo de batata doce cozidas e amassadas. Bata bem e coloque. por último. junte um pouco de leite de vaca. 1 colher de chá de fermento. 1 xícara de farinha de trigo. TÂNIA .PROF. Modo de fazer: Junte a batata com todos os ingredientes.2° P 2006 .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Forno quente em forma untada.ARTES VISUAIS .

TÂNIA . 2 xícaras (de chá) de leite.ARTES VISUAIS . uma colher (de café) de canela em pó. 2 colheres (de sopa) de margarina derretida. uma colher (de sobremesa) de fermento em pó. cortando-os rente ao sabugo. a canela e a margarina. o açúcar. Unte muito bem uma assadeira com margarina. Deixe esfriar e corte em quadrinhos. Leve ao forno por aproximadamente 40 minutos. Coloque no liquidificador o milho e o leite e bata muito bem.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Modo de fazer: Retirar os grãos de milho verde com uma faca afiada. Leva de duas a três horas para esfriar. batendo até ficar uma mistura homogênea.BOLO DE MILHO ‡ ‡ Ingredientes: 6 espigas de milho verde. Finalmente acrescente o fermento.PROF. quatro ovos. 2 xícaras (de chá) de açúcar. ‡ ‡ ‡ ‡ UNIPAN .2° P 2006 . Junte os ovos.

polvilhe com a canela. TÂNIA ‡ . Despeje o caldo de milho em uma panela grande e acrescente o açúcar e o sal. Aos poucos. Coe a massa em um pano. Pode ser servido quente.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Cozinhe por 45 minutos. apertando bem.ARTES VISUAIS . Continue adicionando leite e apertando o pano enquanto o caldo coado sair muito amarelo. Você também pode saber se está bem cozido pelo cheiro forte de milho.2° P 2006 . Despeje em recipientes pequenos. Prove para testar o cozimento.PROF. Coloque o milho em uma tigela grande e misture 1 litro de leite. rale as espigas em um ralador comum de cozinha. 3 xícaras de chá de açúcar. canela em pó Modo de fazer: Depois de limpas e lavadas. Passe uma colher pelos sabugos para extrair mais sumo e misture-o ao milho ralado. UNIPAN . adicione o outro litro de leite à massa que está dentro do pano. frio ou gelado. 1 pitada de sal. apertando-o para tirar mais caldo.CURAU ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Ingredientes: 10 espigas médias de milho verde. mexendo sempre. se quiser. 2 litros de leite integral.

CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .BALA DE CÔCO ‡ Ingredientes: 1 vidro de leite de coco 200ml de água 1 kg de açúcar 200 grs de coco ralado Modo de fazer: Coloque em uma panela grande. Depois coloque um pouco de leite de coco por cima e adicione coco ralado.PROF.ARTES VISUAIS . Modo de Fazer a Bala Gelada Corte as balas e deixe descansar. coloca-se um pouco de massa em uma xícara com água.2° P 2006 . o leite de coco. Deixe descansar um pouco. a água e o açúcar. Para verificar o ponto. depois coloque na geladeira UNIPAN . Deve formar uma bola dura. Depois jogue a massa sobre o mármore untado com margarina. deixe esfriar e puxe a bala até ficar branca como pérola e corte as balas. Mexa tudo muito bem e leve ao fogo alto sem mexer mais. TÂNIA ‡ ‡ ‡ ‡ .

CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .2° P 2006 . agora é só saborear! UNIPAN . aos poucos. no processador de alimentos ou no liquidificador até que se tornem um pó fino. Pronto.PAÇOCA ‡ Ingredientes: 1 quilo de amendoim torrado sem casca e sem pele 2 xícaras (chá) de açúcar 1 xícara de farinha de mandioca 1 colherinha de sal Modo de fazer: ‡ Misture todos os ingredientes e passe-os. Coloque a mistura em forminhas para moldar as paçoquinhas ou em canudinhos de papel.PROF.ARTES VISUAIS . TÂNIA .

a manteiga.1 xícara (chá) de amendoim torrado Modo de fazer: ‡ Em uma panela. TÂNIA . Retire do fogo e adicione o amendoim. Deixe esfriar e corte com auxílio da faca.PROF. UNIPAN .CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO .PÉ DE MOLEQUE Ingredientes: .1 tablete de chocolate meio amargo . ‡ Cozinhe até desgrudar da panela (ponte de brigadeiro mole). Pincele com manteiga a pedra da pia e espalhe o pé de moleque.1 xícara (chá) de açúcar . grosseiramente triturado.1 lata de leite condensado . o açúcar e o chocolate raspado. coloque o leite condensado.1 colher (sopa) de manteiga .ARTES VISUAIS .2° P 2006 .

fritar a cebola e o alho e refogar o resto dos ingredientes inclusive o frango desfiado.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . Acrescentar o caldo do frango e deixar ferver um pouco e por último acrescentar a farinha de milho até dar o ponto.PROF.ARTES VISUAIS .2° P 2006 . colocar numa forma com buraco forrada com pimentão.CUSCUZ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Ingredientes 1 1/2 xícara (chá) de flocos de milho 01 peito de frango 02 cebolas de picadas 02 dentes de alho 01 xícara (chá) de óleo 06 tomates picados 1/2 litro de caldo de frango 01 lata de milho 01 lata de ervilha 01 xícara (chá) de azeitonas picadas 1/2 xícara (chá) de cheiro verde 01 pitada de pimenta 03 ovos pimentão vermelho picado Sal a gosto Modo de Preparo Cozinhar o peito de frango e desfiar. TÂNIA . azeitonas e ovos em pedacinhos. e outra panela. UNIPAN . Leve a geladeira e desenforme na hora de servir.

2° P 2006 . O Grande Livro do Folclore. LIMA. TÂNIA . Irmãos Vitale Editores.CULTURA E FOLCLORE BRASILEIRO . UNIPAN .ARTES VISUAIS . Belo Horizonte: Editora Leitura. 1961 Brasil Histórias. Editora Ricordi. Manual de Danças Gauchas.BIBLIOGRAFIA FELIPE. costumes e lendas. 1985. . 2004. Abecê de Folclore. Editora três. Carlos.PROF. Rossini Tavares de.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful