Você está na página 1de 2

ANO LECTIVO DE 2010/ 2011

ESCOLA BSICA 2, 3 COM SECUNDRIO DE


SANTO ANTNIO
DISCIPLINA DE PSICOLOGIA 12 ANO- TURMAS A
eB
PROF: Suzete Brito

SNTESE DE APOIO SOBRE AS PRINCIPAIS TEORIAS DA


VINCULAO
Mary Ainsworth
Esta psicloga canadiana, que trabalhou com John Bowlby (outra
referncia importante no campo da investigao sobre a importncia
da vinculao), desenvolveu uma teoria da vinculao, aps as suas
investigaes sobre o efeito da separao. Uma primeira experincia
foi feita no Uganda nos anos 60, teve a durao de 3 anos e nela
participaram 28 bebs.
A partir da observao atenta das relaes entre essas crianas e os
seus pais, a psicloga concluiu que se a relao que o beb mantm
com eles gera segurana, na medida em que o beb est certo que a
relao se mantm para alm da separao, ele sente-se mais livre
para descobrir o mundo, para estabelecer outras relaes.
Ao regressar aos Estados Unidos, Mary Ainsworth prossegue as suas
investigaes e realiza uma experincia que ficou conhecida como a
situao estranha. Nessa experincia a psicloga regista o efeito
da separao e o reencontro com a me de um grupo de bebs com
idades compreendidas entre os 12 e os 24 meses.
Descrio da Experincia:
- A criana est com a me numa sala;
- uma pessoa estranha entra e junta-se a eles;
- a me abandona a sala deixando a criana com a pessoa estranha;
- a pessoa estranha abandona a sala deixando a criana sozinha;
- a pessoa estranha regressa para junto da criana;
- a me regressa para junto da criana.
Para Mary Ainsworth, a forma como a criana reagiria, quer
ausncia da me, quer ao seu regresso, reflectiria o equilbrio

emocional, que se relacionava com os cuidados que recebera e com a


qualidade da vinculao, ou seja, dos laos que estabelecera com ela.
Conclui a partir das suas observaes existirem 3 tipos de vinculao:
- Vinculao segura, Vinculao evitante e Vinculao
ambivalente/ resistente.
Vinculao segura Neste tipo de vinculao, as crianas choram e
protestam com a ausncia da me, mas procuram o contacto fsico
logo que ela regresse sala, ficando calmas;
Vinculao evitante - As crianas parecem indiferentes quer
separao da me, quer ao seu regresso;
Vinculao ambivalente/ resistente A criana manifesta
ansiedade mesmo antes da me sair da sala e perturbao quando
esta abandona a sala. Quando a me regressa hesitam entre a
aproximao e o afastamento.