Você está na página 1de 17
Criagao e evolucao histérica do INPA (1954 - 1981) William A. Rodrigues, (*) Marlene Freitas da Silva, (*) Algenir Ferraz Suano da Silva (*) e Maria Retrata a criagdo, instalago e evolugio histérica do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazonia — INPA, mostrando as atividades cientificas e administra- tivas dos seus 12 Diretores que vo de 1954 @ 1981 Descreve 0 grande desenvolvimento atingido pelo INPA os seus 27 anos de existéncia, sob a directo do Con- selho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecno- légico (CNPq) A idéia da criacéo de um érgio de pes- guisas na Amaz6nia, que realizasse um inven- tério minucioso e exato dos recursos naturais da regio, foi proposicéo do ilustre brasileiro Dr. Paulo de Berredo Carneiro secundado por outros néo menos ilustres, inclusive o Dr. Glympio Ribeiro da Fonseca Filho, um dos De- legados do Brasil presente primeira Assem- biéia Geral da UNESCO, realizada em Iquitos (Peru). Surgiu dai a idéia da criagdo do Insti iléia Amaz6nica que te- tuto Internacional da Hil ria sede em Manaus e se ramificaria em cen- tros menores sob incentivo financeiro e téc- nico daquela Organizagao, a funcionarem tam- bem nas outras dreas amaz6nicas pertencen- tes a Bolivia, ao Peru, ao Equador, a Colémbia e & Venezuela O perigo da internacionalizagao da Amazo- nia foi sentido, dados os direitos ilimitados de extraterritorialidade, participagéo de 9 nagdes € 7 organizagées internacionais, além de ou- tros pontos controvertidos e bésicos de inte- resses nacionais. Isto levou o drgao encarre- gado de coordenar os trabalhos cientificos no Brasil — O Conselho Nacional de Desenvolvi- mento Cientifico e Tecnolégico (CNPq) na épo- ca, sob a égide do Vice-Almirante Alvaro Al- berto, contrapropor a criagéo de um érgao na- cional de pesquisas com encargo idéntico ao Orgéo que se propunha criar na Amazonia sem 0 perigo da internacionalizagao. Tal idéia SUPL. ACTA AMAZONICA 11(1): 7.23. 1981 Gées Ribeiro (*) contou com a aprovagio imediata do entéo Presidente da Republica, Dr. Getdlio Dorneles Vargas, e, assim, na 104." Sesséio do Conselho Deliberativo do CNPq, realizada a 12 de agos- to de 1952, a idéia de um érgao inteiramente nacional foi considerada e, na Sessdo seguin- te, 13 de agosto do mesmo ano, ficou acerta- da a problematica da denominagao do Institu- to. Na sesso de 17 de agosto, o assunto no- vamente foi retomado, indicando-se, entao, que 0 futuro Instituto deveria tomar a si a res- ponsabilidade do estudo da geologia, da flora, da fauna, da antropologia e dos demais aspec- tos caracteristicos da natureza amaz6nica e das condigées de vida das populagées da re- gido. Em 29 de outubro de 1952, 0 Presidente Vargas baixou 0 Decreto n.° 31672 criando o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazénia (INPA), cuja sede seria a cidade de Manaus, acatando a idéia do eminente botanico Dr. Adolfo Ducke, manifestada em um dos seus trabalhos de que a regido, onde a cidade estd localizada, representa de certo modo, uma si- tuagao toda especial como verdadeira sintese da flora e da fauna amazénicas Criado o INPA, havia necessidade de sua regulamentacao. O anteprojeto de regulamentagao, relatado pelo Dr. Sebastiao da Sant’Ana e Silva, foi elaborado por uma comissao constituida pelo Vice-Almirante Alvaro Alberto (Presidente do CNPq, na época) e mais os Drs. Rémulo de Almeida, Sécrates Bonfim, Sebastiao de Sant’ Ana e Silva, Otavio Martins, Paulo Carneiro, Gastéo Cruz, Felisberto Camargo e Arthur Ce- zar Ferreira Reis, este relator final, a qual aca- bou sendo aprovada de pé sob salvas de pal- mas e 0 novo texto do CNPq, em Sessdo espe- cial, subiu & sangéo do Senhor Presidente da — Instituto Nacional de Pesquisas da Amazénia, Manaus. Republica, que apés ouvido o DASP, e com um ‘substitutivo, foi aprovado pelo Decreto 35133 de 01 de margo de 1954. E, em 27 de julho de 1954, finalmente, o INPA foi instalado em Manaus, na sede da As- sociagéo Comercial do Amazonas, em soleni- dade presidida pelo seu primeiro diretor, Dr. Olympio Ribeiro da Fonseca Filho, enfatizando que, segundo 0 Decreto que o criara, o INPA terd como finalidade o estudo cientifico do meio fisico e das condigdes de vida da regido amazénica, tendo em vista o bem-estar huma- no e os reclamos da cultura, da economia e Ga seguranca nacional, abrangendo toda a Ama- z6nia Legal com uma drea de cerca de 5.000.000 de km?. Visando a tais interesses, a estrutura or- ganizacional do INPA ficou, entao, constituida por 6 Divisées e 32 Segdes, que néo chega- ram ser totalmente preenchidas por falta de recursos financeiros, material e de pessoal qualificado para as tarefas almejadas. Sentida a falta de exequibilidade de tao arrojada pro- posta, j4 na gestdo do Dr. Arthur Cezar Ferrei- ra Reis, o Instituto tomou caracteristicas mais realistas, convertendo essas 6 Divisdes em apenas 2 — a Divisdo de Pesquisas Médicas e a Divisdo de Tecnologia —, além de um Centro de Pesquisas Florestais, que tinha uma organi- zagéo toda especial, pois pertencia & Superin- tendéncia do Plano de Valorizagéo Econémica da Amaz6nia (SPVEA) e que fora corfiado ao INPA para montagem e funcionamento. Com estas caracteristicas permaneceu o Centro até 1859, quando acabou sendo absorvido (pessoal e equipamento) pelo proprio INPA, passando a constituir, entao, a 3." Diviséo Durante o periodo de sua existéncia, 0 INPA teve 3 fases que se destacaram : — A primeira fase, de 1954 a 1961, consi- derada como de implantagéo — foi quando o INPA lutou com toda ordem de dificuldades, inclusive de estabilidade funcional, poucos re- cursos, rea fisica e desconfianga até dos pré- prios érgos puiblicos quanto @ sua operaciona- lidade, motivados pelo mercado de trabalho no Sul que consumia parte da méo-de-obra espe- cializada representada pelos técnicos e cien- tistas. A precdria condigéo da regido, na épo- es ca, no possuia atrativos para a fixagdo de pessoal, haja vista que dos poucos pesquisa: dores que para aqui vieram, atraidos com a criagéo do INPA, a maioria retornou aos seus lugares de origem pouco tempo depois; — A segunda fase vai de 1961 a 1974, quando ocorreram medidas especiais para seu cesenvolvimento: foi criado um Quadro Espe- cial do INPA, dando estabilidade funcional ao seu pessoal; foi estimulada e promovida a for- macéo e o aperfeigoamento de pesquisadores e técnicos para a regido, concedendo-se bol- ses de estudo ou de pesquisas e facultando- se estagios em instituigdes técnico-cientiticas cc Pais e no exterior; foi alcancada estabilida- de fisica com a construgéo da sede propria do Instituto e 0 estabelecimento de 2 Reser- vas Biolégicas (a Reserva Florestal Ducke e a Reserva Florestal Walter Egler); e ocorreu a criacéo do primeiro curso de Pés-Graduacéo Tropical na Amazonia; — A terceira fase se deu a partir de 1975, quando o CNPq e seus orgaos subordinados, passaram a funcionar como Fundacdo, haven- do uma reorganizacao total no quadro de seus funcionérios, que passaram do regime Estatu- tério para 0 regime da CLT (Consolidagéo das Leis Trabalhistas), 0 que possibilitou uma maior maleabilidade de contratacSo de pessoal eltamente qualificado nao s6 da drea nacional como do exterior para o preenchimento e cria- ¢&0 de novos setores de pesquisas e estabe- lecimento de novos cursos de formagéo de p6s-graduados em varias outras dreas de con- centracao. Desde a data de sua instalacdo até os dias atuais, teve o INPA 12 Diretores (Fig. 1): — Olympio Ribeiro da Fonseca Filho (04.06.54-30.10.55) — Tito Arcoverde de Albuquerque Cavalcante (30.10.55-18.06.56 © 05.10.58-05.10.59) — Arthur Cezar Ferreira Reis (19.06.56-31.07.58) — Djalma da Cunha Batista (05.10.59-23.02.68) — Dalcy de Oliveira Albuquerque (22.03.68-26.03.68) — Otévio Hamilton Botelho Mourao (26.03.68-26.03.69) Rodrigues et al. Fig. 1 — Diretores do INPA desde sua fundacdo (1954) até a presente data: a — Olympio R. da F. Filho b —Tito Arcoverde de A. Cavalcante ¢ — Arthur Cezar F. Reis d — Djalma da C. Batista — Daley 0. Albuquerque f — Otdvio H. B. Mourdo GriacSo e evolugio histérica. .. g — Paulo de Almeida Machado h — Mario Honda 1 — Warwick E. Kerr J — José A. N. de Mello k — Enéas Salati 1 — Henrique Bergamin Filho — Paulo de Almeida Machado (31.03.69-20.01.74) — Mario Honda (21.01.74-04.03.75) — Warwick Estevam Kerr (05.03.75-31.03.79) — José Alberto Nunes de Mello (31.03.79-03.05.79) — Enéas Salati (03.05.79-03.02.81) — Henrique Bergamin Filho (03.02.81) 1—OLYMPIO RIBEIRO DA FONSECA FILHO Primeiro Diretor e fundador do INPA, foi responsével pela instalacao oficial da institui- ga em 27.07.54. As primeiras diretrizes administrativas do INPA eram feitas através de instrugdes ver- bais do presidente do CNPq, Almirante Alvaro Alberto, e entendimentos pessoais mantidos entre este e a direcdo do Instituto. Os recursos financeiros eram advindos de dotacdes cedidas pelo CNPq e da contribuicéo Passada pela SPVEA para inicio da montagem © funcionamento do CPF (Centro de Pesqui- sas Florestais) instalado em Manaus. Quanto ao pessoal, surgiu dai a maior difi- culdade, nao s6 pela insuficiéncia numérica de cientistas e técnicos habilitados no pais, nas diferentes especialidades, mas, também, pe- los baixos niveis de remuneracéo que, de um modo geral, eram oferecidos pelo servico pu- blico brasileiro. Por esta razdo, organizou-se uma tabela de salérios, que foi submetida a Presidéncia do CNPq, que por sua vez, apre- sentou-a ao colendo Conselho Deliberative do referido Orgio e, em 28 de abril de 1954, fo- ram aprovados os niveis de salarios propostos. Mesmo assim, nao foi possivel trazer pessoal suficiente e de alto nivel técnico-cientifico, pa- ra o desenvolvimento do plano de trabalho do INPA. E, até fins de 1955, 0 Quadro Provisério. de pesquisadores do Instituto compreendi além do seu Diretor, 2 Botanicos. 3 Bacteriolo- gistas, 1 Especialista em Celulose e Papel, 1 Quimico ¢ 1 Preparador de Zoologia. Além 10 — desses profissionais, foi admitido o pessoal auxiliar e subalterno quase todos eles recru: tados em Manaus Dadas, ainda, as multiplas tarefas na fase de organizacéo do INPA, foram utilizados ser- vigos prestados de varias pessoas vindas do Rio de Janeiro, Belém e Manaus. O intuito de instalar, da melhor maneira possivel o pessoal recrutado para prestar servicos a Instituicdo, levou o Diretor a alugar primeiramente o pré- dio localizado na rua Simao Bolivar, (Fig. 2) onde funcionavam os servicos de administra- ¢80 geral e demais setores criados. Verifica- da a insuficiéncia de espaco, foi alugado, nu- ma segunda etapa, o 10° andar do edificio IAPETEC (Instituto de Aposentadoria e Pen- sées dos Empregados de Transportes e Car- gas) que, com indispensdveis adaptacées, abri- gou, por alguns anos, os laboratérios de Bo- tanica, Zoologia, Microbiologia, Estatistica, Bi blioteca e, funcionando precariamente, o labo. Fig. 2 — Primeira sede do INPA situada a Rua Simao Bolivar, Manaus (1954-1956) Rodrigues et al rat6rio de Espectroquimica. Mais tarde, enten- dimentos mantidos entre o Diretor desta casa ea Secretaria de Satide do Amazonas, o INPA colocou em funcionamento, também, em con- digdes precérias, os laboratérios de Microbio- logia e Parasitologia Médica e os Cursos para preparacao de auxiliares de laboratérios. Do mesmo modo, usava 0 INPA uma drea da San- ta Casa de Misericérdia de Manaus, para es- tudo de Patologia regional. Alugou também no mesmo periodo 0 edificio situado @ rua Gui- Iherme Moreira 116, onde passou a funcionar © Centro Administrativo e alguns laboratérios de pesquisas até a mudanga para a sede atual (Fig. 3). Quanto a aquisicao dos equipamentos ne- cessarios, dentro das limitadas possibilidades orcamentarias, os laboratérios foram providos de modernos'’ aparelhos, para a época, embora nao suficientes para o desenvolvimento das pesquisas previstas. O mesmo aconteceu com a Biblioteca que comecou a funcionar com obras doadas pelos prdprios pesquisadores vindos de fora e algumas obras adquiridas, 0 que nao era suficiente para o atendimento das pesquisas propostas. Preocupado nao s6 com © recurso precdrio para atualizacio da Biblio- teca recém-instalada e também para salvar 0 que restava da Biblioteca do extinto Museu Bo- tanico Amazonense, fundado pelo botanico Joao Barbosa Rodrigues, o Diretor do Institu- to, Dr. Olympio, estabeleceu um convénio com 0 Colégio Estadual do Amazonas preven- do facilidades mdtuas para o ensino e a pes- quisa, transferindo a biblioteca daquele extin- to Museu, depositada no referido Colégio, pa- ra a biblioteca do INPA, em troca de uma co- legio de livros didaticos para alunos e profes- sores, bem como, aparelhamento para um la- boratério experimental dentro dos moldes da moderna didatica, para o Colégio. Obras im- portantissimas foram ali encontradas, como : a Flora Brasiliensis de Martius, Viagem de D’Or- bigny, as coletaneas de Linnaea, Buffon, Cas- tenaux, Prodromus de De Candole e outras obras classicas sobre a Amaz6nia, que se nado fossem retiradas do Colégio nao teriam utiliza- ¢éo devida, por se tratarem de obras cientifi- cas altamente especializadas. GriagSo ¢ evolugéo histérica. =ieup gobsisini_al_2odigdes poh sbebiinlp Fig. 3 — Segunda sede do INPA situada & Rua Gut Iherme Moreira n. 116, Manaus. Ganache lapis ALE Foi ainda nesta administragao que tiveram inicio os estudos dos recursos naturais refe- rentes a flora e @ fauna da regio. Com o andamento dos estudos implanta- dos, verificou-se a insuficiéncia e despreparo do pessoal técnico e auxiliar contratados @ procurou-se ajuda nas experiéncias de outras instituigdes nacionais e estrangeiras, envian- do-se pesquisadores ja contratados para faze- rem estudos e acompanharem as pesquisas desses 6rgaos, com a finalidade de absorve- rem melhores conhecimentos e preparos téc- nicos. Procurou-se também promover cursos para a formacao de auxiliares de laboratério, de microbiologia geral, geomorfologia aplicada, quimica, estatistica e auxiliar de biblioteca em cooperagao com a biblioteca publica do Estado do Amazonas, curso obrigatério de linguas (inglés, Francés e Alemfo), a fim de munir os laboratorios e a biblioteca com pessoal capa- citado a dar os primeiros passos naqueles se- tores. Foi ainda nesta administracao, quando foi tomada a iniciativa quanto @ formagéo do i curso de geomorfologia, que surgiram as pri- meiras expedicées cientificas organizadas pe- lo INPA, como a expedigao do Rio Branco, diri- gida pelo Professor Francis Ruellan, Diretor da Escola de Altos Estudos de Paris e sua equipe; em 7 de dezembro de 1954 foi assina- do um acordo entre 0 Governo do Estado do Para, entéo General Zacarias de Assuncao, e a direcao deste Instituto, segundo o qual, a par- tir de 1 de janeiro de 1955, a administracéio e a direcdo cientifica do Museu Paraense Emilio Goeldi, passaria pelo prazo de 20 anos & res- Ponsabilidade do INPA. Este convénio foi apoia- do pelo CNPq e pela Assembléia do Estado do Pard, sendo nomeado a 14 de abril de 1955 co- mo diretor daquela casa o Dr. José Candido de Melo Carvalho —TITO ARCOVERDE DE ALBUQUERQUE Assumiu a direcao do INPA em 31 de outu- bro de 1955, assegurando até junho de 1956 a continuidade dos trabalhos ja iniciados, quan- do renunciou em favor do Dr. Arthur Cezar Ferreira Reis. 3—ARTHUR CEZAR FERREIRA REIS Através de um convite do Coronel Aldo Vieira da Rocha, presidente do CNPq, exigindo que aceitasse a direcio do INPA “a fim de evitar que se fechasse 0 Instituto”, 0 Dr. Ar- thur Reis pediu um prazo para examinar a ques- tao e chegou & conclusdo de que um érgao da natureza do INPA nao poderia produzir fru- tos a curto prazo como lhe estavam exigin- do. Uma indagagao de ordem cientifica e tec- nolégica, exige tempo, muito tempo para pro- duzir resultados praticos. E, mais ainda, como relator que foi do projeto de sua criagao, ten- do inclusive propiciado, quando na SPVEA, os recursos iniciais que Ihe permitiram a instala- ¢40, era justo concorrer para prestagdo de pla- no to arrojado, pois entusiasta da existéncia de um 6rgao que procedesse ao estudo da Amazé6nia, sentia-se vinculado ao INPA que ajudara a criar e néo podia de modo algum concordar que sucumbisse no nascedouro. 12 — Sentia o Dr. Reis que todas as imposigées 'e dendncias dos erros que se comentavam vi- savam unicamente ao fechamento do Instituto e no a sincera correcéo dos erros. Aceitou a missdo e recebeu as instrugdes que textualmente eram: ter a cabeca fria e os pés no chdo. Nada de fantasias, de progra- mas impossiveis de serem realizados uma vez que era voz corrente que o INPA fracassara. Falava-se de milhdes de cruzeiros gastos (0 que no era real); técnicos nacionais e estran- geiros voltando aos seus lugares de origem descrentes do futuro do INPA. Isto nada mais era do qué ciumada, prevengées pessoais, ve- Ihas diferencas que envolviam técnicos e até a surda oposicdo de implantagao do drgéo em Manaus. Tudo servia para desacreditar o Insti- tuto. Em certos meios, 0 INPA era recebido com desconfianca, ora Ihe suspeitavam uma concorréncia ora Ihe atribuiam sentido de uto- pia como uma realizagao impossivel Aceitando o Dr. Arthur Reis o desafio, como o homem do momento que sentia o dra- ma e a conspiracao contra a novel instituicao, tomou posse como Diretor do INPA em junho de 1956 Eliminando os planos ambiciosos iniciais do INPA, propés ento 0 Dr. Reis uma reorga- nizagéo, que Ihe assegurasse continuidade. Sua pioneira tarefa foi reduzir as 6 Divisées existentes em apenas duas e nelas situar todo © pessoal técnico-cientifico. Desse modo, pro- curou ele distribui-los, aproveité-los, disc né-los nos programas existentes. Chamou pa- ra dirigir a 12 Divisdo de Pesquisas Tecnoldgi- cas o Dr. Raul A. Antony e para a 2." Divisdo de Pesquisas Médicas 0 Dr. Djalma da C. Ba- tista. O Centro de Pesquisas Florestais (CPF) nao existia, sendo no papel. Baixou entao ins- trugdes e lhe deu organizacao propria, pois pertencia & SPVEA e fora confiado ao INPA, para montagem e funcionamento. Neste Cen- tro, havia apenas 3 Técnicos que posteriormen- te conseguiram a colaboracao de mais trés. Para a regulamentagao do quadro de pes- soal, foi solicitado 0 concurso do Diretor de organizacdo do DASP, Dr. Wilson Aguiar, que planejou uma reforma especial para o quadro burocratico e técnico do Instituto, até entéo Rodrigues et al. sem vinculo empregaticio. Porém, aquele De- partamento de Servico Pablico devolveu-a, por- gue implicava em despesas novas, e a Presi- déncia da Repiiblica néo desejava acréscimo de novos encargos no servico publico. Os recursos financeiros nesta época vi nham do Conselho Nacional de Desenvolvi- mento Cientifico e Tecnolégico (CNPq), do qual © INPA 6 6rgo, e da Superintendéncia do Pla- no de Valorizacéo Econémica da Amaz6nia (SPVEA), e eram insuficientes para o que se tinha de fazer. Entretanto, mesmo dispondo de to poucos recursos ainda consegulu reali- zar alguns trabalhos como : cursos — Foram promovidos os cursos de Auxiliar de Laboratério, Botanica Aplicada & Amaz6nia, Metodologia e Ensino de Geogra- fia para professores de nivel primério e secun- dario, Histéria do Amazonas, para professores prim4rios do Estado, Dialetologia para prepa- racio de pessoal especializado que deveria encarregar-se do futuro Atlas Dialectolégico, curso ministrado pelo saudoso sdbio Serafim da Silva Neto e participado por professores do Estado. Parasitologia para o pessoal da chamada 2.° Diviséo do INPA. ExPEDIG6ES — Algumas expedigSes cienti- ficas foram realizadas pelo INPA ao rio Uru- bu; rio Manacapuru, rio Solimées e Codajés. BOLSAS DE ESTUDO — Um total de 18 bolsas de estudo foram concedidas sendo: (2) Geolo- gia; (2) Aerofotogrametria; (1) Geografia Agré- ria; (3) Mineralogia; (1) Antropologia Cultu- rel; (1) Sociologia — Administracao Publica; (1) Analise Econémica; (3) Fitopatologia; (1) Ofiologia. TRABALHOS EDITADOS — Um total de 46 tra- balhos cientificos foram editados. BIBLIOTECA — De 1419 volumes existentes na época, a biblioteca do INPA chegou a 6907 exemplares ressaltando-se que, além da litera- tura técnica para uso do pessoal de qualifica- 40 cientifica, foi organizada uma segao de as- suntos da Amazénia, que hoje € considerada Criagio © evolucao histérica. .. uma das melhores do Pais e vem constituin- do-se em motivo de visita e consulta de sdbios nacionais e estrangeiros Reorganizou, em colaboracéo com o Colé- gio Dom Bosco, o Museu de Histéria Natural LABORATORIOS MONTADOS — Na 1.* Divisdo, os Laboratérios de Quimica Orgdnica, Inorga- nica e Limnologia; na segunda Divisao, os de Parasitologia, Imunologia, Microbiologia, Ana- tomia Patolégica, Hematologia e Zoologia; no Centro de Pesquisas Florestais, 0 de Botanica. Deixou em fase inicial de montagem os labo- ratérios da 1." Diviséo: Geomorfologia e na 2.* Divisdo, 0 de Bioquimica e o Ambulatério. No Centro de Pesquisas Florestais. 0 laboratério de Fitopatologia, Tecnologia de Madeira e Pe- dologia. Para todos estes laboratérios, foram adqui- ridos 0s equipamentos imprescindiveis para que os servigos chegassem, pelo menos, ao minimo de funcionamento e resultado. conFERENcrAs — Foram promovidas varias conferéncias (hoje seminérios), algumas profe- ridas por professores e pesquisadores de re- nomes como: F.A. von Baren, boténico ho- landés, Roderick A. Barnes, quimico norte- americano, André Aubréville, silvicultor fran- cés, todos naturalmente sobre assuntos de sua especialidade. Fez o INPA participar de reunides @ jornadas de ciéricias brasileiras; e de grupos de estudo como o do babagu, cria- de pelo proprio Presidente da Republica. Foi conseguido apoio de pesquisadores externos para colaborarem com o pessoal técnico do INPA, entre eles A. Ducke e Jodo G. Kuhl- mann e de vérios érgaos nacionais e estran- geiros que abriam seus laboratérios e suas bi- bliotecas e dividiam ainda com o nosso pes- soal as proprias experiéncias, mostrando que © INPA era imperativo e que se recuperava de sua pretensa superfluidade. MUSEU GOELDI — Para o Museu Paraense Emilio Goeldi, foi dada uma atengéo toda espe- cial com a recuperacéo daquele patriménio cientifico cultural do Brasil, que depois de uma existéncia brilhante a servigo da Amazén — 13 constrangia a Nac&o por sua decadéncia. Fa- lavam contra ele nos circulos mundiais da cul- tura. Diretores anteriores j4 Ihe haviam volta- do especial atencdo como o Dr. José Candido de M. Carvalho e Dr. Walter Alberto Egler, que se dedicaram as tarefas em crescente de senvolvimento com orgulho e desvelo. No en- tanto, nesta fase de decadéncia, o Museu pre- Cisava de ser reestruturado, a fim de voltar a ser considerado como um cartao de visita apre- cidvel. Nesta época, 0 Museu langou um dos ntimeros de seu boletim e 20 publicacdes avul- sas sobre Zoologia, Botanica, Geologia, Antro- pologia e Limnologia. 4—DJALMA DA CUNHA BATISTA Nomeado a 5 de outubro de 1959 para o cargo de Diretor do INPA, 0 Dr. Djalma nor- teou a sua administragado preocupado, em pri- meiro lugar, com a continuidade das pesqui- sas jé em andamento, prosseguimento da mon- tagem dos laboratérios (especialmente os da 12 Divisao), com a divulgagao dos trabalhos de pesquisas elaborados pelo INPA principal- mente, com a preparacéo do pessoal técnico, proporcionando-Ihes apoio através da conclu- 880 de cursos superiores e estégios em cen- tros mais avancados, época em que nao havia em Manaus a Universidade do Amazonas. Pro- cvrou-se ainda com o entrosamento entre os Giversos setores do INPA inclusive com o Mu- seu Goeldi, com 0 préprio CNPq e com a Su- perintendéncia do Plano de Valorizagéo Econd- mica da Amazénia (SPVEA). E, no ano seguin- te (1956), jé alguns fatos positives foram assi- nalados como : — A articulago mais estreita com o CNPq, iniciada com a vinda a Manaus e Belém do vi- ce-presidente daquele Orgao, Prof. Athos da Silveira Ramos, que inspecionou todas as ati- vidades do Instituto e sentiu suas dificuldades, inclusive orientou a organizagao de programas de pesquisas; — A organizacéo do enquadramento do pessoal segundo a lei de Reclassificagéo e Or- ganizacao do quadro definitive para o INPA e Museu Goeldi dentro dos principios da Lei de Paridade; 14 — — A organizacéo e funcionamento da 1.* Diviséo com a concluséo da montagem de al- guns laborat — Prosseguimento de todas as pesquisas inicladas e complementadas com outras ne- cessérias para o conhecimento publico. No ano de 1961, o problema cruciante em Manaus era a escassez de energia elétrica e, principalmente, por esta razio, os trabalhos também sofriam retardamento. A falta de ener- gia restringia muito a atividade do Instituto e, até as publicagées foram em numero mui- to reduzido, entretanto, houve continuidade administrativa e regularidade nas dotacées fi- nanceiras, as quais possibilitavam a saida de excursdes para coleta de material e trabalhos de rotina nos laboratérios. Foram intensifica- dos também os programas de pesquisas em colaboragéo com outras entidades. Com relagao ao Museu Goeldi, um fato do- loroso e uma perda irrepardvel se verificou — a morte de seu Diretor Dr. Walter Alberto Egler, de maneira tragica, no alto rio Jari, quan- do fazia o levantamento botanico da regiao do Territorio do Amapé em colaboracio com o New York Botanical Garden. Agravava-se ain- da mais a situagéo do Museu Goeldi, onde as 4 Divisées, com excegéo da Diviséo de Geolo- gia, nao funcionavam regularmente por falta de pesquisadores. No ano seguinte (1962), merecem ser des- tacados alguns fatos na vida do INPA, com — © cumprimento de quase todos os pro- gramas tracados; — A renovagio de toda a rede elétrica dos laborat6rios; — 0 inicio de um plano de preparacao de pessoal para a pesquisa com a conces- so de 16 bolsas de estudo para cursos superiores fora de Manaus; — 0 10¥ aniversério de fundacéio do INPA; — Inicio e andamento de programas em co- laboragéo do INPA com o IMUR (Instituto de Micologia da Universidade do Recife), Escola Nacional de Quimica, Instituto de Hidrologia da Sociedade Max-Plank, IAN (Instituto Agronémico do Norte, hoje EMBRAPA-Paré) e Instituto Evandro Cha- Rodrigues et al. gas. Com estes programas em funcio- namento, verificouse uma grande con- centragéo de esforcos para realizagées de trabalhos em torno da regido de Ma- naus. J no ano de 1963, 0 INPA realizava a im- Portante expedicdo etnobiolégica ao alto rio Negro sob a chefia do Prof. E. Hore Biocca; também, o INPA fora escolhido e servia de se- de em Manaus para a realizagéo da Reunido da Sociedade Botanica do Brasil, onde com- Pereceram mais de 80 botanicos nacionais e estrangeiros; foi organizado e ministrado pe- los Professores Dr. Mauro T. Magalhaes e Otto R. Gottlieb com a colaboracéo do Dr. Nelson Maravalhas, na época pesquisador do INPA, um curso de Fitoquimica com duragao de 2 meses para preparagéo de pessoal de apoio local. E, como resultados de pesquisas elaboradas no INPA, obras importantes para a Amaz6nia foram publicadas, dentre elas, a Car- tografia da AmazOnia de Isa Adonias em 2 vo- lumes, Amaz6nia Bibliografia 1 volume publi- cado pelo IBICT, entéo IBBD, onde esto cita- des mais de 7.000 obras sobre a regido. Hou- ve também a participagéo do INPA nos 2 cur- sos sobre a Desenvolvimento da Amazénia, promovidos em Belém-Paré pelo BCA (Banco de Crédito da Amazénia) e pela CEPAL (Comis- so Econdmica para a América Latina) em coo- peragdo com a Universidade do Pard e do Fo- rum sobre a Amaz6nia, promovido no Rio de Janeiro pela Casa do Estudante do Brasil. Em 1964, sobrevivia o INPA a uma série de fatos ameacadores principalmente no que dizia respeito & inquietagéo pré e pés-revolu- ciondria refletida em toda a populacéo, espe- cialmente nas classes intelectuais. Ameacava ‘@ extingdo do CNPq e consegientemente ha- veria uma alteragao fundamental na estrutura do INPA. Cogitou-se até de transferi-lo para Ambito de outro organismo federal e varios econtecimentos concorriam para o desdnimo geral, como: a nao decretagéo do enquadra- mento do pessoal de pesquisas, corte de 40% mes dotacées orcamentérias do CNPq destina- das 2 material, servicos e encargos sociais etc... fatos que motivaram o atraso de paga- Griacao € evolucio histérica mento de funcionérios. Descortinava-se uma situagdo critica e mesmo assim, apés inces- sante luta, alguns pontos positivos puderam ser ainda apontados, como : — A intensificagaéo do programa de forma- G40 pessoal, concedendo-se mais bolsas de estudo e estagios; — O desenvolvimento dos trabalhos de Sil- vicultura na Reserva Florestal Ducke; — A montagem da Estacéo Climatolégica na Reserva Florestal Ducke e funciona- mento em cardter experimental; — Crescimento substancial da biblioteca; — Escolha do local e primeiras providén- cias para a montagem da usina-piloto de celulose; — Publicagéo de livros avulsos como o “Catalogo de Madeira da Amaz6nia 2 volumes; — Libertagao do INPA da dependéncia eco- némica da SPVEA com a obtenc&o de verba orcamentéria especifica para pes- soal e de uma dotacdo substancial do CNPq, agora em ascensao; — A aquisicdo de uma lancha para servicos do Instituto; — A colaboracao do INPA com a expedi¢aio BISHOP do Juy's Hospital Medical School of London. Um fato deveras importante e que merece ser ressaltado foi a nomea¢ao neste periodo, para governador do Estado do Amazonas, do entigo diretor do INPA, o Dr. Arthur C. F. Reis, passando o Instituto a ter cobertura to- tal no plano estadual.. O ano de 1965 foi entaéo encerrado com o estabelecimento de 10 objetivos a serem per- seguidos visando-se a consolidagéo e 0 desen- volvimento do Instituto. Tais objetivos eram: 1—A continuagao do programa de forma- cao de pessoal; 2—A dinamizacéo da biblioteca; 3—A publicagéo de uma nova série cha- mada Cadernos da Amazénia, que enfo- caria apenas assuntos de relevancia para 0 progresso da regido; — 15 O apoio a programas de pesquisas em andamento; A montagem e funcionamento da usina- piloto de celulose e papel, mesmo a ti- tulo experiment: 6—O primeiro pensamento sobre a cons- trugéo da sede prépria do INPA; 7—0 enquadramento funcional do pessoal de pesquisas; 8—0 entrosamento do pessoal do INPA com 0 pessoal do Museu Goeldi; 9—A admisséo de novos pesquisadores; 10—Salérios mais condizentes para o pes- soal de pesquisa; Destes 10 itens, apenas 3 nao se concreti- zaram: O enquadramento do pessoal de pes- quisas, a construgao da sede propria do INPA € a obtenco de salérios mais condizentes pa- ra 08 pesquisadores. Em 1966, era organizada a Operacéo Ama- z6nia € 0 INPA, embora tendo como finalida- de “o estudo do meio fisico e das condigdes de vida na regiéo amazénica” nao chegou a fa- zer parte dessa Operacao, pois as instituigées de pesquisas foram deixadas de lado, o que chegou a causar estranheza, pois tinham sido criadas para a fungdo especifica de servir de Pronto em apoio ao desenvolvimento da drea, que € a maior, a mais desconhecida e a menos Ppovoada do Brasil. Mas em 1966, 0 INPA teve ainda pontos de gléria. As pesquisas continua- vam normalmente, excursdes eram realizadas ‘io de Rondénia (Porto Velho, Guajaré-Mirim, Jaciparané, Tabajara e Serijipa); grupos de pesquisas sécio-econémicas foram @ Coari, & margem do Solimées; realizou-se uma excursao limnolégica com Harald Unge- mach a Roraima para colher agua do rio Bran- co; foram feitas pesquisas de campo ao longo de Rodovia Manaus-Itacoatiara; excursio a Amazé6nia-Maranhense, vales do Pindaré e do Turi; excurséo a Maués para levantamento de dados sobre a cultura do “guarana"; excursdes para coletas botanicas em colaboracdo com o Jardim Botanico de New York e participagao do IPEAN com bolsas para a formagéo de pes- soal em nivel de pés-graduagao, sendo 5 de Histéria Natural, 1 de Fisica, 3 de Engenharia 16 — Florestal, 2 de Quimica Industrial e 1 de Qui mica, todos com a promessa de trabalhar pa- ré 0 INPA por periodo minimo de 2 anos a par- tir da vigéncia da bolsa. Foi ainda em 1966 que o INPA publicou em colaboragéo com o Instituto Max-Planck de Limnologia, através do Prof. Harald Sioli, 0 1° numero da revista “Amazoniana" “Limnologia et Ecologia Regionalis Systema Flum| Ama- zonas”. Langava-se 0 Instituto no mundo cien- tifico internacional. Neste perfodo, era sensivel a melhoria das instalagdes e programas constantes das ativi- gades cientificas do Museu Goeldi, tendo a frente o Dr. Dalcy Albuquerque. Foi ainda nes- te ano que se realizou o Simpésio sobre a Bio- ta Amazonica, quando se aproveitando do mo- mento foram reabertas as exposigdes do Mu- seu e inauguradas as modificagdes do parque Zoobotanico. Em 1967, a administragdo continuou nor- mal, mas, houve um acréscimo no quadro de Pesquisadores com a contratagéo de 8 novos técnicos ja formados através de bolsas de es- tudo concedidas por este Instituto. A usina-pi- loto funcionava em colaboragéo com o Institu- to de Pesquisas Tecnoldgicas de Sao Paulo, os trabalhos em pesquisas florestais na Reserva Ducke foram intensificadas assim como as Pesquisas limnolégicas com a vinda de 2 téc- nicos do Max-Planck para colabcrarem. Obte- ve-se ainda a ajuda financeira da SUDAM, an- tiga SPVEA, para bolsas de estudo de reflores- tamento, celulose e papel, minérios e rochas. No inicio de 1968, com a saida do Dr. Djal- ma Batista, respondeu pela diregao do Institu- to, em carater provisério, 0 entéo Diretor do Museu Goeldi, Dr. Dalcy Albuquerque, que em abril do mesmo ano a entregou ao Prof. Octa- vio H. B, Mourao que permaneceu durante 12 meses a frente do Instituto. Foi um ano de grandes dificuldades _ financeiro-administrati- vas, mas todos os projetos que estavam em endamento tiveram continuidade. chegando-se mesmo 4 intensificagdo de alguns deles como © da usinapiloto de celulose e papel e as pes- auisas florestais na Reserva Florestal Ducke Um acontecimento marcante nesta fase, foi a doacéo pelo governador do Estado, Dr Rodrigues et al. ‘Danilo de Mattos Areosa, do terreno onde esté Tecalizada a Reserva Florestal Walter Egler 1Km-64 da Rodovia Torquato Tapajés) 7—PAULO DE ALMEIDA MACHADO © INPA, com sede em Manaus, atuando em toda a Amazénia Legal, sempre lutou com ‘grandes dificuldades financeiras, agravadas pe- fas limitadas possibilidades locais, dificultan- Go a vida do pessoal e a sobrevivéncia da ins- tituigdo. A deficiéncia de comunicagées, a euséncia de uma estrutura racional e a falta ce uma politica definida de pesquisa, torna- vem profundamente diffceis a consolidacao da instituicdo. A arrancada desenvolvimentista, junto com esforgos e objetivos eficazes do go- verno federal trazia 4 tona uma série crescen- te de problemas, cujo equacionamento depen- Gia de dados técnicos e cientificos inexisten- tes ou se existentes, incompletos. Na proble- matica desenvolvimentista, a caréncia de ob: servagées sobressaia como maior obstéculo @ efetiva integracdo da Amazénia. As distancias, os rios e a selva poderiam ser vencidos em maior ou menor tempo, conforme a magnitude de recursos. Mas, falar em recursos na épo- ca, era j4 pensar em obstaculo. E, se depen- desse disso, o desconhecimento da regiao per- maneceria intacto. Faltava, sobretudo uma po- litica prépria de pesquisas especiais para a regido amaz6nica. Faltava também a conscien- tizacdo de que a Amaz6nia precisava ser ven- cida. Falava-se muito em pobreza de recursos, mas pouco se discutia, na época, como empre- gé-los para alcancar a meta desejada. Cabia ao INPA, entéo, desenvolver a pesquisa na Amazonia e este, naquela sua curta e dificil existéncia, néo tinha ainda encontrado o ca- minho para aquela lideranca. O desenvolvi- mento colheu-o desprestigiado e desaparelha- do para aquela missao. No entanto, o dinamis- mo de um homem levou a galgar dias melho- res e, assim, os principais trabalhos realiza- dos no exercicio de 1970 foram : — Designacao de um grupo de trabalho pa- ra a elaboracéo do seu Plano Diretor e presidéncia; — A elaboragao da reforma administrativa do Projeto de Regimento do INPA; Criag&o e evolugio hist6rica, — 0 inicio do convénio com a Universida- de de Sao Paulo; — Assinaturas de convénios com o BNDE/ FUNTEC para financiamento do progra- ma integrado de pesquisas florestais: — Assinatura de convénios com a SUDAM para financiamento de prosseguimento das obras da sede; — Reorganizacao da orientagdo cientifica ¢ ampliagéo do corpo de orientadores; — Edicéo mensal do boletim interno do INPA; — Inicio das obras de construgdo da sede do INPA e conclusao das obras previs- tas como prioritérias (infra-estrutura, ga- ragem e oficinas, casa do zelador, her- bério, botdnica, pesquisas florestais, se- tor sécio-econémico, laboratério de celu- lose e alojamentos). Foi feita ainda a construgéo do barco-laboratério, Maru- pia Em 1971, jé contava o INPA com 11 unida- des construidas e com 3 reservas florestais a Reserva Florestal Ducke no Km 26 da estra- da Manaus-Itacoatiara, a Reserva Florestal Walter Egler no Km 64 da mesma estrada e a Reserva Bioldgica de Campina, no Km 47 da estrada Manaus-Caracarai. Dispunha ainda de uma Estacao Experimental de Silvicultura Tro- pical no Km 45 da Estrada Manaus-Caracarai, um depdsito de inflamaveis na Coldnia Olivei- ra Machado, um flutuante para guarda e con- servacéo das embarcagdes na margem esquer- da do rio Negro, préximo & Ponta Pelada, um outro barco-laboratdrio, o “Piata”; um servico de telecomunicagdes com 400 watts de potén- cia, sistema SSB. O Museu Paraense Emilio Goeldi, em Belém, continuava com a sua impo- néncia e seu desenvolvimento cientifico. Foi ainda neste ano que houve a primeira modifi- cag&o quanto ao formato e nome do entéo pe- riédico publicado pelo INPA, passando de Bole- tim para a Revista Acta Amazonica, de tira: gem quadrimestral, saindo o seu 1.° numero em abril de 1971 Em 1972, continuou o Diretor a intensificar a construgéo da sede do INPA, o aperfeigoa- mento do pessoal e, acima de tudo, a amplia go e atualizagéo da Biblioteca. —17 Ao término de 1973, achava-se jd conclui- do 0 complexo que mereceu 0 epiteto de “Ci- dade da Ciéncia”, hoje sede do INPA (Fig. 4) Foi concluida a pavimentacao do sistema vid- rio, que foi planejado de maneira a suprir o transito supérfluo, evitar cruzamentos e disci- plinar o estacionamento; foi concluido o siste- ma de iluminagao publica e de distribuicéo de energia elétrica e de agua. Neste mesmo ano, a Prefeitura de Manaus, por solicitagao e in- sisténcia da diregéo, mandou asfaltar a estra- da do Aleixo e a COSAMA, empresa respon- savel pelo abastecimento de agua de Manaus, estendeu sua rede até a “Cidade da Ciéncia” Foram concluidos os prédios, Ciéncias do Am- biente, Fitoquimica, Biotério, Estagdo A P T, Castelo d'Agua, Cantina, Lavanderia (hoje La- boratério de Entomologia), Depésito de Infla- méveis, 10 residéncias para pesquisadores, co- laboradores visitantes, 2 blocos, cada um com 6 apartamentos para pesquisadores estudan- tes, 2 casas para vigias, a residéncia do Dire- tor, Administra¢do, Almoxarifado, Patologia Tropical, Servigos Comunitérios, edificando desta maneira o INPA um total de 35 unidades. Foi iniciada ainda a construcdo do Centro de Documentagao e Informatica composto de 3 pavilhdes, ficando em projeto a construgao do auditério, Centro de Tecnologia de Madeira e © Altar das Bandeiras. & justo ressaltar que no seu primeiro estégio, todas as obras foram financiadas pelo CNPq, SUDAM e SUFRAMA. De 1970 em diante as verbas eram fornecidas pelo CNPq e pelo Ministério do Planejamento (FNDCT e FINEP) Neste ano mantinha, o INPA dois cursos regulares : — Programa Intensivo de Adestramento pa- rao Trabalho na Amazénia (PIATAm), um curso intensivo com duracéo de 6 meses € 1.200 horas de atividades, des- tinado a recém-graduados que desejas- sem ingressar na carreira cientifica no INPA e 0 Curso de Botanica Tropical em Fig. 4 — Sede atual do INPA, conhecida pelo epiteto Cidade da 18 — cla, situada & Estrada do Aleixo, Km 3.5 Rodrigues et al. nivel de Pés-Graduagdo, um curso de al- to nivel projetado e organizado pelo Dr. G. T. Prance, do New York Sotanical Garden, destinado a formar botanicos al- tamente qualificados. Este curso tinha a duragao de 2 anos com a previsdo de no final o candidato apresentar a defesa de sua tese. Em 1974, foram edificados no Campus o Centro de Documentagdo e Informatica consti- tuido de 3 pavilhées. E, 0 que se fazia ressal- tar era que no pavilhdo de usuério, pela 1 vez, na regido Norte, eram edificadas salas para leituras individuais e preparacdo de traba- thos. O Programa PIATAm entregava o 1.° gru- Po capacitado e orientado para trabalhar na Amazénia; foram concedidas também bolsas de estudo para mestrado em Manaus, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Modificava- se e impunha-se a estrutura fisica do INPA e dinamizavam-se as suas pesquisas. 8—MARIO HONDA No periodo de 1974 a 1975, assumia a di- regdo do INPA, em cardter provisério, 0 pes- quisador Mario Honda, em virtude de o Diretor Dr. Paulo de Almeida Machado ter sido convi- dado pelo Presidente da Republica, na época General Ernesto Geisel, para ocupar a Pasta da Saide. Neste periodo foram concluidas a cons- trugdo de 2 casas inicialmente destinadas pa- ra servirem de residéncias e que posteriormen- te foram transformadas em laboratérios de Pesquisas para os Departamentos de Ictiologia e Ecologia, isso em fins de 1975 Teve prosseguimento ainda os Cursos PIATAm e P6s-Graduacao em Botanica Tropical 6, no final de sua gestao, os primeiros frutos eram colhidos com a conclusdo e defesa de tese dos primeiros Mestres. — WARWICK ESTEVAM KERR Em 5 de marco de 1975, assumiu a direcdo do INPA o Cientista Dr. Warwick E. Kerr, que ‘© encontrou com um quadro de pessoal defi- ciente, com apenas 1 pesquisador em nivel de PhD e€ poucos mestres recém-formados. Foi, Griagdo e evolugio histérica entdo, em abril do mesmo ano que se proce- deu a uma sensivel modificagéo na estrutura- 80 da organizagéo — é que desta data em diante, o INPA passou da antiga Legislagao Es- tatutéria para o regime de CLT (Consolidagao das Leis Trabalhistas), sendo possivel, entdo, para 0 atual diretor, a contratagéio de um maior numero de pessoal qualificado para comple- mentagao de seu quadro e dinamizagao se suas metas de pesquisas. Com esta mudanca, des- locaram-se do INPA cerca de 22 pesquisadores. Para substituir os pesquisadores deslocados, foram contratados 30 outros, dentre os quais @ Doutores e 8 Mestres. Numa tentativa de dar o maximo de funcionalidade ao INPA, este foi ainda reestruturado em 4 Divisées : 1—Diviséo de Biologia, contendo as Sec- gées de: Botanica, Ecologia, Biologia com a Seccio de Quimica de Produtos Naturais abran- gendo os Setores de Bioquimica, Fito- quimica, Farmacologia e Processamen- to de Frutas; e a Seccdo de Celulose, Papel e Fermentagéo de Madeiras, a Secgao de Tecnologia de Madeiras abrangendo os Setores de Anatomia, Tecnologia, Conservagéo e Utilizagéo de Madeiras; 3 — Diviséo de Ciéncias Médicas, encerran- do as Secgées de: Parasitologia 1 e 2, Micologia, Doengas Gastrintestinais com os setores de Microbiologia e Ver- minose e Secgdo de Nutricao; 4—Divisao de Ciéncias Agronémicas, com as Secgdes de Genética, Fixagdo de Ni- trogénio, Silvicultura e Apicultura Eco- légica com o Setor de Apidologia. Os projetos de curta duragao, os quais nao podiam ser totalmente encaixados nas D ‘s0es, eram realizados com recursos adquiri- dos para Projetos Especiais. Na Informatica, estava situada a Biblioteca © o Centro de Processamento de Dados (CPD), hoje desativado e substituido pela Assessoria de Informatica Em 21 de maio de 1975, 0 Dr. José Dion Ge Melo Teles aprovava o Regimento Interno —19 do INPA, passando entéo o Instituto a receber © apoio de outras institui¢des nacionais como © Museu de Zoologia da Universidade de Sao Paulo, que dispds para uso do INPA em suas pesquisas 0 barco “Lindolpho Guimaraes" e a alvarenga “Garbe". Neste mesmo ano, ainda ao se fazer uma reavaliacdo do curso de Pés- Graduacao em Botanica Tropical, viu-se a im- periosidade de estender-se tal iniciativa para cutras éreas. E, apoiado pelo Presidente do CNPq, Dr. José Dion de Melo Teles, este pro- grama foi ampliado para mais 3 reas, todas a nivel de Mestrado e Doutoramento, ficando entéo os Cursos: de Botanica (jd existente), Entomologia, Ecologia e Biologia de Peixes de Agua Doce e Pesca Interior. Para tanto, foi elaborado um convénio com a Fundagéo Uni- versidade do Amazonas (FUA) a cujo érgio o programa seria subordinado para fins acadé- micos. Estes cursos jé contribuiram para a formacéo de 56 mestres e 4 Doutores, dos quais alguns fixados na Amazé6nia Legal. Neste mesmo periodo, teve a Biblioteca do INPA a sua capacidade duplicada com a aqui- sigio de uma nova estrutura metélica cons- truida em 2 andares e que comporta toda a es- tanteria do acervo da entidade Em 1976, foi doado ao INPA pelo Governa- dor do Estado do Amazonas, Prof. Dr. Henock Reis, um terreno situado & esquerda do rio Negro para servir de porto-flutuante. E, desa- propriada e doada pelo mesmo uma drea de 250 x 300m, localizada na estrada do Contor- no, onde foram erguidos os prédios da Ictiolo- gia e Agronomia. Foi adquirido um terreno de vérzea de 850 x 1.500m em frente a ilha da Paciéncia para servir de Estacao Experimental do Ariat e foram adquiridos com recursos pro- prios os barcos Cularé e Pium. Neste mesmo ano (1976), a Revista Acta Amazonica passou de 3 para 4 numeros anuais, acrescida dos suplementos que fossem neces- sérios, e publicagdes de livros avulsos. No setor educacional, surgiu a Cartilha da Amazonia de autoria dos Drs. Geraldina Por- to Wither, da Universidade de Sdo Paulo (USP), Warwick E. Kerr e Ozério J. da Fonseca (am- bos do INPA) com a finalidade de resolver pro- blemas na educagéo escolar de primeiras le- 20 — tras na Amaz6nia. Foi ainda em 1976 que o Dr. José Dion de Melo Teles determinou que © projeto Cidade de Humboldt, em Aripuana (Mato Grosso), passasse a integrar-se a rede de pesquisas do INPA como um terceiro cam- po de trabalho. Tal projeto teve suas origens no idealismo do Dr. Pedro Paulo Lomba, em 1973, em rea cedida pelo Estado de Mato Gros- so, ao lado de uma Vila com 400 habitantes, projeto que se encontra infelizmente hoje de- sativado. Ressalta-se, ainda que no setor educacio- nal, em 1975 a 1977 0 INPA manteve o MOBRINPA para educagao de servidores adul- tes, 0 qual foi desativado em virtude de, em 1977, as iniciativas estaduais e 0 MOBRAL ofe- recerem condigées semelhantes. Iniciaram-se entdo as atividades pré-primarias com uma Es- cola Experimental dirigida inicialmente por uma Mestra em educacao, Dra. Margareth Charlwood, hoje denominada “Pré-Escola Abe- linha-INPA" que funciona no bairro do Coroa- do Il, na Estrada do Aleixo, proximo ao INPA, com 240 alunos matriculados. Hoje, a Escola é dirigida pela Prof* Maria das Gracas V. C Fernandes. Em 1977, fatos importantes aconteceram, ampliando-se assim os campos de trabalhos e recursos: foi assinado um convénio CNPq- ELETROBRAS, para o INPA realizar estudos ictioecolégicos em Curud-Una (Santarém-Para), primeira represa hidrelétrica da regiéo amaz6- nica e concluiu-se a construcéo de uma Esta- gd Experimental Flutuante no Lago Janauacd para a Divisao de Peixe e Pesca Em 1978, foi doado pelo Governador do Estado do Acre, Prof. Geraldo Gurgel de Mes- quita, um prédio de 578,54 m’, situado ao lado do antigo aeroporto, com fundos para o rio Acre. Para ocupacio deste, algumas adapta- Gdes foram feitas como: preparagdo de salas para laboratorios com instalacées adequadas e salas para microscopia, pesagem, semind- rios e aulas, pequenos laboratérios para varios tipos de pesquisas e instalagdes para pesqui- sadores visitantes. Ganhavam-se ainda 3. ca- sas e um terreno de 7.150m*. Todos os imévei na mesma localizacao. Foi, ainda, em maio de 1978, que se iniciou o programa educacional Rodrigues et al. para os funcionarios técnicos e auxiliares de servicos gerais do INPA, 0 quai compreendia conferéncias mensais, com 0 objetivo de com- partilhar a ciéncia e a tecnologia desenvolvi- das no Instituto com 0 grupo de apoio que as torneram possiveis, e, também, transmitir-Ihes algumas descobertas cientificas para que Ihes servissem como orientagdo pratica proporcio- nendo-Ihes o bem viver. Com 0 afastamento do entdo Diretor para reassumir suas fungdes no Departamento de Genética da Universidade de Ribeiro Preto, assumiu a diregéo do INPA em caréter provi- s6rio, 0 Vice-Diretor, Dr. José Alberto Nunes de Mello, que procurou dar apoio ¢ incentivar os trabalhos em andamento. 10—ENEAS SALATI Nos tltimos anos, jd tendo o INPA acumu- ledo uma grande soma de conhecimentos cien- ificos sobre a regido amazénica, especialmen- te nos setores de pesquisas mais fundamen- tais foram intensificadas pesquisas tecnol6gi- cas com programas especiais em Tecnologia de Madeira, Fontes Nao Convencionais de Energia, Manejo Florestal e Piscicultura. Con- tava o INPA com um programa amplo porém bem definido, acoplando os conhecimentos bé- sicos a0 desenvolvimento tecnolégico em fun- g&0 de programas estabelecidos pelos drgios governamentais que atuam na regiio. Estes programas tém se desenvolvido através dos Grgdos instalados em Manaus {INPA), e em Belém (MPEG), nos laboratérios avangados do rio Branco-Acre, Tucurui (Estado do Para) € nU- cleo pioneiro Humboldt, no Aripuand (Mato Grosso), na época ainda em atividade Foi, ainda, em 1980, que, por solicitagéo das Sociedades Elétricas do Brasil (ELETRO- NORTE), foram iniciados alguns projetos es- peciais, procurando dignosticar 0 impacto eco- I6gico nas grandes represas a serem instala- das nos afluentes do rio Amazonas. Dentro dessa programagao, foi iniciado 0 Projeto Tu- curui, no rio Tocantins (Para), dinamizado o Projeto Curud-Una (Santarém-Paré) e iniciados estudos para a hidrelétrica de Balbina (Amazo- nas). Crlagio © evolugio histérica. Contou ainda o INPA com a colaboracdo imprescindivel de diversas entidades nacionais € internacionais para o desenvolvimento de suas atividades, como o CENA (Centro de Energia Nuclear na Agricultura), USP (Univer- sidade de Sao Paulo, CNEN (Comissao Nacio- nal de Energia Nuclear), BID (Banco Internacio- nal de Desenvolvimento), OEA (Organizagao dos Estados Americanos), OMS (Organizagéo Mundial de Satide) e outras organizagées fran- cesas, alemdes, norte-americanas e canaden- ses. Além dos cursos de Pés-Graduagao ja exis- tentes, f iado 0 téo almejado Curso de Manejo Florestal a nivel de Mestrado e Dou- toramento, contando-se com recursos cedidos pela Superintendéncia da Zona Franca de Ma- naus (SUFRAMA) e Banco da Amazonia S.A. (BASA). Para estudar e resolver a problematica dos cursos j4 existentes, criou-se uma Comisséo Especial a quem coube a reformulagao do Re- gulamento e interrelagéo com a Fundagdo Uni- versidade do Amazonas (FUA). Como resulta- do, foi encaminhado & CPGI (Comissao de Pés- Graduagdo Integrada) 0 novo Regulamento dos Cursos, 0 qual foi aprovado, ficando as novas estruturas com programacées prontas para 1983. Foi, entdo, o Dr. Enéas Salati chamado pa- ra assumir a diregéo geral do CENA e, sendo © seu diretor-adjunto, na época, o Dr. Henri- que Bergamin Filho, foi para este passada a Diretoria do Instituto no dia 3 de margo de 1981. E seu adjunto 0 ecdlogo Dr. Herbert Schubart, ambos com a misséo de conduzirem ‘os destinos do INPA a realizagéo de suas ta- refas ORGANIZAGAO ATUAL DO INPA O Instituto atualmente sob a tutela do cientista Dr. Henrique Bergamin Filho esta di- retamente ligado ao Conselho Nacional de De- senvolvimento Cientifico e Tecnoiégico (CNPq) @ este subordinado a Secretaria de Planeja- mento da Presidéncia da Republica (SEPLAN) Organizacionalmente, o INPA conta com o epoio direto de uma Gomissao Técnico-Cienti- fica (CTC) constituida de membros da Direto- =. tla (Diretor, Diretor-Adjunto), 4 pesquisadores da propria instituiggo @ 4 pesquisadores de outros érgdos. Conta com uma assessoria de Coordena- ¢&0 de Projetos, uma Assessoria de Informati- ca (CPD), uma Secretaria Executiva e o Museu Paraense Emilio Goeldi, 6rgao localizado em Belém (Para), que possui estrutura propria e organizacao funcional subordinada ao INPA, A estrutura cientifica do INPA 6 compos- ta de 8 Departamentos, 31 Divisdes, 1 Nucleo de Pesquisas no Estado do Acre, 1 Biblioteca © 1 Geréncia Administrativa com 4 Divisées (Fig. 5). quadro técnico-cientifico e de apoio do INPA 6 formado de 703 funcionérios. Na sede TNPA IRE ToRIA| em Manaus, atuam 28 Doutores, 47 Mestres e 67 Graduados, num total de 142 pesquisado- res. Os demais servidores preenchem o qua- dro administrative e de apoio as Pesquisas, num total de 561 funcionérios. Com apoio e in- Centivo formaco de pessoal da regio, o Ins- tituto mantém alguns estagidrios, em numero de 30 atualmente das Universidades locais. Nao raramente, alunos de Universidades es- trangeiras também vém trabalhar no INPA em forma de estagio visando & sua formacao e graduagao técnico-cientifica, Com 0 apoio técnico-cientifico, o Instituto alcangou um resultado positivo, o que foi com- Provado com a publicagéo de 858 trabalhos em varias séries (Fig. 6). r Ee ae =e T [tee Fig. 5 — Organograma do INPA. 22 — Rodrigues et al. activities perfomed by is twelve directors during the period 1954-1981. The great development made by INPA In its 27 years of existence, under the guidance of Ne tional Research Council of Brazil (CNPq) is described. REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS CARVALHO, José Candido de Melo 1978 — Olympio Oliveira Ribeiro da Fonseca, 1895- 1978. Acta Amazonica, 8 (2): 921-24. INPA 1955 — Relatério anual. 1956 — Relatério anual 1957 — Relatério anual. 1958 — Relatério anual. 1959 — Relatério anual 1960 — Relatério anual. 1961 — Relatério anual 1962 — Relatério anual. 1963 — Relatério anual 1964 — Relatério anual 1965 — Relatério anual 1968 — Relatério anual 1967 — Relatério anual 1968 — Relatério anual 1972 — Relatério anual 1973/78 — Relatério quadrianual 1980 — Relatério anual. Uma sintese. REIS, Arthur Cezar Ferreira 1956 — O Instituto Nacional de Pesquisas da Ama zénia. Origem. Objetivos. Funcionamento. . ‘Sua contribuigao para o conhecimento rea Fig. 6 — Série de edigées do INPA. SUMMARY Istico da AmazGnia. Publicagéo avulsa do INPA, (7): 1-17. (mimeografado) A historical perspective of the creation and ins: 1958 — Prestacdo de conta de uma administracao. ‘tellation of the National Research Institute of the Ama- Publicagdo avulsa do INPA, (15): 1-12 (mi- zon (INPA) showing the scientific and administrative meografada) Griagio e evolugio histérica... — 23