P. 1
Manual Relacoes Humanas

Manual Relacoes Humanas

|Views: 6.017|Likes:
Publicado porOscar Leite
copyright by COFECI
copyright by COFECI

More info:

Published by: Oscar Leite on May 08, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/07/2013

pdf

text

original

Nós podemos nos relacionar com outras
pessoas por vários motivos: profissionalmente,
socialmente, por termos simpatia por ela, etc.
Entretanto, o que importa neste momento é
sermos capazes de avaliar qual o propósito pelo
qual estamos buscando estabelecer um contato
com outra pessoa. Isto é necessário porque irá
impedir que o relacionamento humano que se
estabelece naquele momento não seja ambiva-
lente na sua interpretação.
A tomada de consciência do propósito das
relações humanas tem grande importância
principalmente com relação aos relacionamen-
tos profissionais. Se o profissional de TI apren-
der a se relacionar profissionalmente de forma
correta, muitos problemas futuros no local de
trabalho ou com os clientes poderão ser evita-
dos. Se o TTI souber identificar o real propósi-
to do seu relacionamento com os colegas e prin-
cipalmente com os clientes, ele estará dando um
passo certo para o sucesso do seu trabalho. No
ambiente de trabalho o que deve predominar
são as condições para uma verdadeira harmo-
nia entre o homem e o trabalho, e vice versa. A
base concreta para um bom relacionamento é
ter percepção dos nossos deveres e obrigações,
e dos limites e regras que fazem a relação social
ser harmônica.

Segundo Chiavenato nós temos dois tipos de
comportamento. Quais são:
a) - ( ) Cooperativo e Conflitivo
b) - ( ) Motivador e Criativo
c) - ( ) Participativo e Competitivo
d) - ( ) Cooperativo e Competitivo
e) - ( ) Motivador e Cooperativo

RELAÇÕES HUMANAS E ÉTICA – Unidade I

INEDI - Cursos Profissionalizantes

••••• 15

Para Stoner et al. (l995), “a definição
operacional de comunicação, deve considerar
três pontos essenciais: que a comunicação
envolve pessoas, e que compreender a
comunicação, portanto, implica na tentativa de
entender como as pessoas se relacionam umas
com as outras; que a comunicação envolve
significados compartilhados, o que sugere que,
para se comunicar, as pessoas devem concordar
quanto a definição dos termos que estão usando;
a comunicação é simbólica, gestos, sons, letras,
números e palavras só podem representar ou
sugerir as idéias que elas pretendem
comunicar”.

Para Penteado (1993), “a comunicação
humana compreende uma variedade de
formas, através das quais as pessoas transmitem
e recebem idéias, impressões e imagens de toda
ordem. Alguns desses símbolos, embora
compreensíveis, jamais conseguem ser
expressados por palavras”.
Para Megginson et al. (1986),
“Comunicação é o processo de transferir
significado sob a forma de idéias ou informações
de uma pessoa para outra”. Para ele existem dois
tipos de comunicação:
- “A comunicação interna (intrapessoal):
que são as coisas que imaginamos, sentimos e
dizemos dentro de nós mesmos. Quando
falamos a nós mesmos, podemos determinar o
nosso sucesso em tudo aquilo que desejamos
realizar. Infelizmente, é comum esta conversa
interior constituir um diálogo negativo que,
pode nos impedir de alcançar nossos objetivos.
Muitos ficam duvidando de si mesmos, se
sentem inseguros e acabam fracassando ou
muitas vezes paralizam, ficam sem fazer nada.
- A comunicação externa (interpessoal): que são
as nossas expressões verbais (fala, linguagem) e
não verbais (gestos, expressões) no mundo
exterior, na nossa relação com o mundo e com
outras pessoas. É nossa maneira de estar e de
ser no mundo que determina nossos
resultados”.

Assim como escreveu um poeta anônimo:

“Vigie seus pensamentos, porque eles se tornarão

1.4 – A COMUNICAÇÃO

O que é comunicação? É uma busca de
entendimento, de compreensão. É uma ligação,
transmissão de sentimentos e de idéias. Ao se
comunicar o indivíduo coloca em ação todos
os seus sentidos com o objetivo de transmitir ou
receber de forma adequada a mensagem.
A comunicação não é feita apenas com
palavras. Essas, na verdade, representam apenas
uma pequena parte de nossa forma de
expressão. Na literatura encontramos referências
de estudos que demonstram que, numa
apresentação diante de grupos, 55% do
impacto é determinado por nossa linguagem
corporal – postura, gestos e contato visual, 38%
é determinado pelo tom de nossa voz, e apenas
7% desse impacto tem a ver com o conteúdo
de nossa apresentação.
Toda a história do homem sobre a terra
constitui permanente esforço de comunicação.
Não se sabe exatamente quando a habilidade
de comunicação humana começou: uns datam
de cinco mil anos, outros acreditam que esta
habilidade ocorreu mais recentemente. Mas, a
maioria dos estudiosos concorda que o
desenvolvimento da comunicação deu-se em
função da necessidade das sociedades primitivas
trocarem informações e relacionarem-se entre
si.

Desde o momento em que os homens
passaram a viver em sociedade, o nível de
progresso pode ser atribuído, com boa margem
de segurança, à maior ou menor capacidade dos
componentes desses grupos sociais de se
comunicarem.

Segundo Mattelart (1999) “em primeiro
lugar a humanidade desenvolveu a fala, que
passou das formas mais primitivas de grunhidos
até a consecução da linguagem atual. Em
segundo lugar, os seres humanos sentiram a
necessidade de deixar registrada uma forma
mais permanente do que acontecia nas suas
comunidades e, por isso, criaram signos
primitivos, o que mais tarde veio a tornar-se a
escrita”.

TÉCNICO EM TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS

INEDI - Cursos Profissionalizantes

16 •••••

palavras; vigie suas palavras, porque elas se

tornarão atos; vigie seus atos, porque eles se

tornarão seus hábitos; vigie seus hábitos, porque

eles se tornarão seu caráter; vigie seu caráter,

porque ele se tornará seu destino. Por isso tudo

começa em você ou por você, está em seu

pensamento”.


A comunicação é a utilização de qualquer
meio pelo qual um agrupamento de códigos - a
mensagem - é transmitido. No caso dos seres
humanos podemos dizer que a comunicação é
a transmissão de um modo de pensar, de ser e
de sentir. Seu objetivo é influenciar com o
objetivo de se obter uma reação específica do
outro interlocutor. É através da comunicação
que as pessoas conseguem expressar suas
emoções, motivar outras pessoas, transmitir fatos,
opiniões e experiências.

A comunicação é a principal ferramenta
do Técnico em Transações Imobiliárias - TTI.
No mundo moderno, a palavra comunicação
tornou-se lugar-comum e transformou-se em
força de extraordinária vitalidade na observação
das relações humanas e no comportamento
individual.

Por ser o grande trunfo para o sucesso do
TTI no seu trabalho, é preciso que se tenha um
bom conhecimento sobre como bem utilizar
esta ferramenta. Saber comunicar é um
atributo que todos nós possuímos, porém,
alguns sabem utiliza-la melhor do que os outros.
É preciso que a comunicação, como ferramenta,
seja usada em benefício do indivíduo e da
empresa. O uso adequado desta ferramenta
coloca o profissional à frente da sua
concorrência. Quem quiser comunicar-se bem
deverá buscar subsídios nos treinamentos,
dedicar esforços pessoais com o objetivo de
aprimorar esta habilidade.
De acordo com Roberto de Queiroz
(2008) a comunicação tem algumas funções
especificas. São elas:

“1) Função expressiva (ou emotiva): é
centrada no emissor (ou destinador) da
mensagem. Essa função da linguagem
expressa os sentimentos, emoções e
julgamentos do “eu” (do mundo interior) do
emissor, bem como apresenta uma linguagem
subjetiva e, às vezes, prima pelo uso de
metáforas e interjeições, para enfocar as
sensações do emissor e como marcas
características de entonações.
2) Função conativa (ou apelativa): é centrada
no receptor (ou destinatário). Nessa função
da linguagem, a intenção do emissor é
persuadir o receptor. Os elementos sintáticos
mais evidentes são o uso de verbos no modo
imperativo e de vocativos.
3) Função referencial ou (denotativa): é
centrada no referente (ou contexto), isto é,
no assunto da mensagem. Nessa função da
linguagem, a intenção do emissor é emitir
informações acerca do referente.
4) Função fática (ou de contato): é centrada
no canal (ou veículo de comunicação). Nessa
função da linguagem, a intenção do emissor
é instaurar, manter ou interromper a
comunicação (ou contato) com o receptor.
5) Função metalingüística: é centrada no
código. Nessa função da linguagem, a
intenção do emissor é basicamente formular
conceitos e/ou precisar o código. Quer dizer,
a metalinguagem é uma linguagem que fala
da própria linguagem. Os verbetes de
dicionário e os conceitos gramaticais, por
exemplo, evidenciam essa função da
linguagem.
6) Função poética: é centrada na própria
mensagem, ou seja, suplementa o sentido da
mensagem, por meio de seus elementos
estruturais (sonoridade, ritmo, jogos de idéias
e de imagens, etc.). Essa função da linguagem
é dominante em poemas, mas abrange
também outros gêneros textuais, como, por

exemplo, anúncios publicitários e políticos”.

RELAÇÕES HUMANAS E ÉTICA – Unidade I

INEDI - Cursos Profissionalizantes

••••• 17

1. Correlacione a coluna 2 com a coluna 1

1.5 - COMUNICAÇÃO E FALA

Um grande engano ocorre quando se
confunde comunicação com falar.
Comunicação é muito mais do que
simplesmente o ato da fala. Ela envolve outros
sentidos que, na maioria das vezes, não são
considerados como importantes, ou mesmo
como parte essencial da comunicação. Ver, ouvir,
sentir são constantemente, esquecidos quando
se discuti o processo de comunicação. Muitas
pessoas falam, e por não saber falar provocam
danos irreparáveis na sua rede de relações
humanas, principalmente na rede de
relacionamentos profissionais. Muitas pessoas
escutam, mas não ouvem, muitas olham, mas
não vêem. Os poucos que conseguem
desenvolver habilidades em saber ouvir, ver e
sentir, descobrem que são capazes de inovar e
melhorar o seu desempenho profissional.

Para o profissional da venda, ouvir talvez
seja o requisito principal para garantir o sucesso
de um negócio. Ouvir requer muita prática e
paciência. Requer a capacidade de saber refrear
o impulso da impaciência para deixar a outra
pessoa se expressar. Quando realmente estamos
ouvindo, uma forte conexão é estabelecida entre
nós e o outro. Uma ligação invisível que nos
conecta e nos permite, num processo de
empatia, ocuparmos o lugar do outro, e com
isso conseguimos entender melhor que esta
outra pessoa é e o que ela deseja.

Quando você estiver ouvindo, foque sua
atenção somente na outra pessoa. Escute, veja,
sinta o que ela tem a dizer. Escute não somente
o que está sendo dito, mas preste atenção
principalmente no que não está sendo dito.
‘Leia’ a expressão corporal, sinta a energia
transmitida, veja a luz que brilha no olhar do
outro. Ou seja, fique concentrado no que está
sendo dito pelo outro. Quando você realmente
souber ouvir um mundo de oportunidades
surgirá. Ouça seus clientes, sua família, seus

a) - ( ) 2 4 3 1 6 5
b) - ( ) 2 5 1 4 6 3
c) - ( ) 3 2 1 6 5 4
d) - ( ) 3 5 1 6 2 4
e) - ( ) 1 2 3 6 5 4

TÉCNICO EM TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS

INEDI - Cursos Profissionalizantes

18 •••••

amigos e você aprenderá muito com eles;
principalmente a ouvir você mesmo. Ouça,
pergunte, compreenda e, só então, dê a sua
resposta.

Convém ressaltar algumas habilidades de
saber ouvir: Um bom ouvinte...

•Eficiente é aquele que ‘ouve’ com
todos os seus sentidos, emoções e
sentimentos.
•Deve ser capaz de pensar
rapidamente para sintetizar e encontrar
prontas respostas para aquilo que o
transmissor está comunicando.
•Deve saber que ouvir exige reflexão,
questionamento e poder de síntese sobre
aquilo que está acontecendo;
•Não deve perder a concentração
quando o transmissor está enviando uma
mensagem. Ele de ficar sempre atento,
não deve demonstrar inquietação e nem
ansiedade, demonstrando interesse sobre
o que está sendo transmitido.
•Olha para o transmissor todo o
tempo, numa demonstração de respeito
e interesse pelo outro.

Agora, senhor TTI, você já sabe por que
comunicar é fundamental para a sua profissão.
A vida de uma pessoa pode ser mudada,
quando, no momento certo, ela escuta palavras
que foram bem escolhidas e que puderam ajudar
numa tomada de decisão. Ninguém pode se
destacar se não tiver outra(s) pessoa(s) com quem
se comunicar, com quem se relacionar. Agir
com sabedoria e sinceridade significa levar em
consideração os sentimentos, valores,
conhecimentos e história de vida do(s) outro(s).

Assim como, colocar à disposição os seus
valores, sentimentos, conhecimentos e história

de vida.

1. Requer muita prática e paciência.

a) - ( ) Falar
b) - ( ) Vender
c) - ( ) Comprar
d) - ( ) Ouvir
e) - ( ) Nenhuma das acima

2. Um bom TTI deve:

a) - ( ) Não levar em consideração a
escolha das sua palavras
b) - ( ) Não se importar com os desejos
e anseios do cliente
c) - ( ) Deixar de lado o que seu cliente
fala
d) - ( ) Todas as acima
e) - ( ) Nenhuma das acima

RELAÇÕES HUMANAS E ÉTICA – Unidade I

INEDI - Cursos Profissionalizantes

••••• 19

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->