P. 1
A Cultura do Mirtilo

A Cultura do Mirtilo

|Views: 8.651|Likes:
Publicado porJoaquim
MIRTILO
“A Fruta dos Deuses”

O mirtilo é a fruta mais rica em anti-oxidantes, segundo dados do laboratório do Departamento de Agricultura dos EUA. É possuidor de uma elevada quantidade de polifenóis tanto na casca como na polpa, que lhe conferem funções de protecção sobre as paredes das células. O mirtilo é rico em vitaminas, sais minerais, açúcares e ácidos. Contém vitaminas A e C e minerais como zinco, potássio, ferro, cálcio e magnésio. Além disso, tem baixo valor calórico e é rica em fibras
MIRTILO
“A Fruta dos Deuses”

O mirtilo é a fruta mais rica em anti-oxidantes, segundo dados do laboratório do Departamento de Agricultura dos EUA. É possuidor de uma elevada quantidade de polifenóis tanto na casca como na polpa, que lhe conferem funções de protecção sobre as paredes das células. O mirtilo é rico em vitaminas, sais minerais, açúcares e ácidos. Contém vitaminas A e C e minerais como zinco, potássio, ferro, cálcio e magnésio. Além disso, tem baixo valor calórico e é rica em fibras

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Joaquim on May 08, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/09/2013

pdf

text

original

MIRTILO

“A Fruta dos Deuses”

O mirtilo é a fruta mais rica em anti-oxidantes, segundo dados do laboratório do Departamento de Agricultura dos EUA. É possuidor de uma elevada quantidade de polifenóis tanto na casca como na polpa, que lhe conferem funções de protecção sobre as paredes das células. O mirtilo é rico em vitaminas, sais minerais, açúcares e ácidos. Contém vitaminas A e C e minerais como zinco, potássio, ferro, cálcio e magnésio. Além disso, tem baixo valor calórico e é rica em fibras, beneficiando a regulação intestinal. Pela ausência de sódio e colesterol, é indicada em regimes para hipertensão arterial, e na prevenção de doenças cardiovasculares. Estudos científicos têm mostrado que o mirtilo também previne doenças relacionadas com a visão. O mirtilo pode ser consumido ao natural, preparado em saladas, sumos, e se for congelado, pode ser usado para a produção de geléias, sorvetes, iogurtes, tortas e na preparação de molhos para pratos diversos; as suas folhas também podem ser utilizadas em chá, rico em propriedades medicinais. A polpa é deliciosamente doce, para alguns, acridoce. Melhora a visão dos que lêem muito, dos que passam muito tempo em frente ao computador ou televisão. Melhora a circulação sanguínea nas artérias, veias e capilares. Cresce a cada ano o consumo desta fruta, devido a seus comprovados benefícios para a saúde. Podem ser consumidas no escritório, na hora do lazer, no café da manhã, no lanche da tarde, antes de dormir, etc. Por todo o mundo há laboratórios que investigam e estudam os benefícios que o Mirtilo traz à nossa saúde. Já se descobriu que o mirtilo é rico em vitaminas, sais minerais, açúcares e ácidos. Também tem propriedades de anti-séptico, anti-diarreico e anti-hemorrágico. A fibra é um componente muito abundante nestes frutos, o seu consumo habitual durante os meses em que abundam pode resultar num remédio para tratar constipações e a atonia intestinal. Anti-oxidante O mirtilo é o fruto que contém mais anti-oxidantes, que consistem num grupo de vitaminas, de minerais e de enzimas. Os anti-oxidantes trabalham para neutralizar radicais livres que prejudicam o nosso sistema imunológico e que conduzem a muitas doenças degenerativas. Os radicais livres aparecem quando estamos expostos a uma variedade de substâncias tais como a radiação, os produtos químicos, a poluição, o fumo, as drogas, o álcool e pesticidas. Reduz o Colesterol

Novos estudos e pesquisas efectuadas por laboratórios credenciados, nos Estados Unidos, revelaram que o mirtilo pode também baixar o nível de mau colesterol, e é mais eficiente que muitos medicamentos prescritos pelos médicos. Infecções Urinárias Estudos recentes provaram que o mirtilo tem compostos que ajudam a prevenir e a tratar infecções no aparelho urinário. Memória e Coordenação Motora Melhora a memória e a coordenação motora afectada por doenças de carácter degenerativo, o mirtilo protege o cérebro dos efeitos de deterioração cerebral associados à doença de Alzheimer e por acção do envelhecimento, como perda da memória a curto prazo. Visão O mirtilo melhora a vista, diversos estudos na Europa documentaram que os mirtilos têm concentrações muito elevadas de anticianina, um composto normalmente vinculado com prestações que melhoram a visão nocturna e reduzem a vista cansada. História Originários da América do Norte, Ásia e Europa Central, os mirtilos têm sido consumidos pelo homem desde tempos pré-históricos. Em Portugal, encontram-se em regiões onde o Inverno é muito rigoroso, como a zona do médio Vouga. Aparência Existem mais de 30 espécies que crescem em regiões distintas e centenas de diferentes variedades. Os mirtilos cultivados têm um sabor ligeiramente doce e uma atractiva cor azul púrpura. É conveniente para se usar em muitas receitas como batidas, molhos, saladas e doces. Ou também se podem simplesmente lavar e comer à mão-cheia, sem necessidade de descascar ou cortar! Interesse Nutricional Excelente fonte de flavonóides, especialmente antocianinas, que lhe dão a típica cor azulada, vitamina C, fibra solúvel e insolúvel, como a pectina. Também muito ricos em taninos, vitamina E, manganésio e riboflavina.

Pobres em calorias e super nutritivos, os mirtilos merecem um lugar privilegiado à nossa mesa. Os selvagens são mais adstringentes. Os benefícios dos mirtilos advêm principalmente dos seus pigmentos antocianos que têm um poder anti-oxidante muito elevado. Os anti-oxidantes combatem os radicais livres destrutivos, compostos instáveis produzidos pelo nosso metabolismo e encontrados nos poluentes ambientais. Pensa-se que os radicais livres podem provocar várias doenças como o cancro e as doenças cardiovasculares, bem como contribuir para o processo de envelhecimento e doenças como as cataratas, glaucoma, varizes, hemorróidas e úlceras pépticas. Protecção do Coração

Segundo um estudo publicado pelo Journal of Agriculture and Food Chemistry, os mirtilos fornecem 38% mais anti-radicais livres do que o vinho tinto, alimento com reputação de protector do coração. Fruta Visionária Os mirtilos melhoram a visão e protegem contra a degeneração macular relacionada com o envelhecimento; excelentes para prevenir cataratas e retinopatias dos diabéticos. Também melhoram a visão nocturna e reduzem a vista cansada. Promovem a Saúde do Trato Urinário Estudos recentes conduzidos pela Rutgers University NJ, provaram que o mirtilo tem compostos que ajudam a prevenir e a tratar infecções no aparelho urinário. Um Cérebro Mais Funcional Estudos laboratoriais levaram a concluir que os mirtilos melhoram a memória e a coordenação motora afectada por doenças de carácter degenerativo, protegendo o cérebro dos efeitos de deterioração cerebral associados à doença de Alzheimer e por ação do envelhecimento, como perda da memória a curto prazo. São excelentes antídotos para a depressão. Uma Eliminação Mais Saudável Os mirtilos podem ajudar a regular o trânsito intestinal e reduzir a inflamação do sistema digestivo. Comprar / Armazenar A época dos mirtilos é o verão, quando se pode consumi-los no seu estado natural, frescos; no resto do ano pode encontrá-los congelados e secos. Adquira mirtilos frescos que sejam firmes ao toque, sem humidades aparentes, com a pele seca e com um brilho prateado. Evite frutas demasiado moles, enrugadas ou com sinais de mofo. Os pacotes de mirtilos com manchas de sumo indicam que a fruta já não está no seu melhor.

Coloque os mirtilos no frigorífico e use-os até 7 dias após compra. Lave-os somente imediatamente antes de consumi-los.

Sugestões de Uso Adicionar um punhado de mirtilos às receitas de batidas favoritas. Excelente para adicionar aos cereais matinais, e saladas de frutas. Como recheio de crepes, bolachas e bolos. Às vezes, adquirem uma tonalidade verde quando cozidos e perdem muitas das suas propriedades anti-oxidantes.

Cultivares de Mirtilo

O mirtilo é um arbusto pertencente à família Ericaceae, género Vaccinium.

Em Portugal existem espécies silvestres do género Vaccinium: o V. myrtillus (mirtilo Europeu) na Serra do Gerês, o V.padifolium na Ilha da Madeira e o V. cylindraceum (também conhecido por uva-da-serra) no arquipélago dos Açores. As cultivares existentes e comercializadas, são na sua maioria, híbridos de espécies norte americanas e estão divididas em vários grupos entre os quais se encontra o grupo Highbush (Northern e Southern) – V. corymbosum. Características

O sistema radicular é fasciculado e composto por 2 tipos de raízes, umas mais finas e superficiais responsáveis pela absorção de água e nutrientes, e outras maiores, cuja função é fixar o arbusto ao solo. As raízes do mirtilo apresentam a particularidade de não terem pêlos radiculares, estruturas da raiz cuja função é aumentar a superfície de absorção de água e nutrientes. Os ramos têm origem na coroa (zona de transição entre raízes e ramos), são erectos e podem atingir os 2,5m de altura para a maior parte das cultivares. Flores As flores encontram-se agrupadas em cachos; são brancas e têm as pétalas soldadas entre si, formando uma campânula invertida. Devido às suas características, as flores do mirtilo favorecem a polinização cruzada assumindo a polinização entomófila (realizada por insectos) uma grande importância na rentabilidade da cultura.

Fruto Baga de tamanho e tom de azul variável, dependendo da cultivar, revestida por uma camada cerosa. Quando ocorre a maturação do fruto, dá-se uma diminuição do teor em clorofila e aumenta o teor em antocianinas e açúcares, fazendo com que a cor mude de verde para azul. As antocianinas são pigmentos naturais que têm

propriedades antioxidantes e às quais se atribuem uma série de benefícios para a saúde, valendo ao mirtilo denominações tais como “Rei dos Antioxidantes”, “fruto da juventude”, “fruto da saúde” ou “fruto da longevidade”.

Além das antocianinas o mirtilo tem também vitaminas e minerais, tais como vit. A, B, C e K, potássio, magnésio, cálcio, fósforo e ferro.

O cultivo do mirtilo

O solo ideal para uma plantação

O mirtilo prefere um solo arenoso ou franco-arenoso, bem drenado, rico em matéria orgânica e com pH ácido (4,5 a 5,5).

A preparação do solo

A preparação do solo deve ser iniciada, pelo menos, um ano antes da plantação, começando por se realizar análises ao solo no sentido de averiguar se é necessário efectuar previamente correcções no pH ou incorporar matéria orgânica. As infestantes deverão ser totalmente eliminadas, podendo utilizar-se herbicidas sistémicos não residuais. Em locais em que a drenagem da água possa estar comprometida, após as devidas correcções e operações de preparação do solo, é aconselhável a realização de camalhões onde se irão plantar os mirtilos.

A escolha da cultivar

A escolha da cultivar deverá ter em atenção vários factores nomeadamente: o clima, a possibilidade de ocorrência de geadas tardias, a resistência a doenças e pragas e ainda, se se tratar de uma plantação comercial, à produção e à qualidade do fruto. De um modo geral, as cultivares do grupo Northern Highbush, por necessitarem de um maior nº de horas de frio durante o repouso invernal, são mais adequadas para o norte e centro de Portugal e as cultivares do grupo Southern Highbush para o sul. Cultivares Northern Highbush: Bluetta, Earliblue, Patriot, Duke, Bluecrop, Spartan, Bluejay, Brigitta, Lateblue, Darrow. Cultivares Southern Highbush: Sharpblue, O’Neal, Misty, Biloxi, Cape Fear, Star

Plantação

Deve ser feita na Primavera ou no Outono. O compasso de plantação deverá ser ajustado ao vigor das cultivares escolhidas e às condições do local, podendo variar de 1m a 1,5m na linha e 3m a 3,5m na entrelinha. Quanto às plantas, sempre que possível, dever-se-á preferir estacas enraizadas com 2 anos de idade, provenientes de um viveiro idóneo.

Rega

Existem algumas características do sistema radicular do mirtilo que deverão ser conhecidas, pois condicionam a forma como a rega deverá ser feita:

1) As raízes que asseguram a absorção de água (as raízes mais finas) encontram-se, normalmente, nos primeiros 30 a 40 cm do solo. Este facto, juntamente com a inexistência de pêlos radiculares, torna o mirtilo particularmente susceptível ao stress hídrico.

A água deverá então ser distribuída de forma a manter o solo junto às raízes permanentemente húmido mas sem encharcamento, pois a planta de mirtilo também não tolera bem o excesso de água.

2) Ao contrário do que sucede na maior parte das plantas, o movimento de translocação de água e nutrientes através da planta de mirtilo não ocorre de forma uniforme. Se a água e os nutrientes forem distribuídos apenas de um dos lados da raiz da planta, então apenas esse lado da parte aérea do mirtilo se desenvolverá. Temos então necessidade de um sistema de rega capaz de formar um bolbo húmido uniforme em torno da planta.

Fertilização

Deverá ser sempre feita com base em análises ao solo e análises foliares, e tendo sempre em atenção que os nutrientes, à semelhança da água de rega, devem ser distribuídos uniformemente em redor da planta. Na escolha dos fertilizantes, não utilizar cloretos nem azoto sob a forma de nitrato.

Controlo de infestantes

É de primordial importância dado que pelas características do seu sistema radicular (raízes superficiais sem pêlos radiculares), os mirtilos encontram-se em desvantagem em relação às infestantes na competição por água e nutrientes. Na entrelinha pode utilizar-se herbicidas, mobilização do solo (com especial atenção para não danificar as raízes dos mirtilos) ou recorrer à sementeira de um revestimento permanente adequado. Na linha, na largura de um metro, deve efectuar-se o empalhamento da cultura aplicando uma camada de 10-15cm de material vegetal como casca de pinho, serradura, palha, folhas, etc. ou, em alternativa, plástico ou tela.

O empalhamento da cultura cumpre 3 funções importantes: 1) Protecção contra infestantes 2) Manutenção da humidade do solo. 3) Redução da temperatura do solo no Verão, de forma a favorecer a actividade radicular. O desenvolvimento das raízes do mirtilo é influenciado pela temperatura do solo, verificandose uma maior actividade entre os 6ºC e os 16ºC.

Poda

Feita em Janeiro/Fevereiro, no fim do repouso Invernal. Tem como objectivo remover ramos danificados, doentes ou com pouco vigor, eliminar ramos que frutifiquem muito perto do solo (dificultando a colheita), abrir a copa para permitir o arejamento e a entrada de luz no interior do arbusto e manter a produção e a qualidade dos frutos, controlando eventuais excessos de carga de flor. Em plantas mais velhas, compreende também o corte de ramos com mais de 6 anos para dar lugar a outros mais jovens e produtivos (poda de rejuvenescimento). Nos primeiros três anos após a plantação, recomenda-se a remoção da maior parte dos botões florais para que a planta se “concentre” apenas em crescer e em estabelecer-se correctamente.

Mirtilos

O mirtilo (Vaccinium corymbosum) é uma baga de cor azulseroso que cresce num arbusto homónimo da família das Ericáceas e género Vaccinium. As plantas são arbustos de pequeno porte que crescem em alguns sub-bosques em zonas de microclima muito selectivo das florestas temperadas do continente Europeu. Vive em regiões nas quais o Inverno é rigoroso, porque necessita em média de 500 horas anuais de temperatura entre os 10º e os 12º centígrados, daí a enorme dificuldade em cultivá-lo na maior parte do território. O mirtilo é um fruto conhecido pela sua riqueza em diversas vitaminas como a A, B, C e PP, possuindo ainda sais minerais, magnésio, potássio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, açucares, pectina, tanino, ácidos cítrico, málico e tartárico. O mirtilo é uma planta medicinal, da qual se podem usar quase todas as partes da planta, flores, folhas, fruto e raízes sendo o fruto que contém mais anti oxidantes, o que previne os sinais do envelhecimento. Experiências realizadas em ratinhos, na Tuft’s Universidade de Boston, mostram que este pequeno fruto é capaz de reparar os danos causados pelo envelhecimento no cérebro. A versatilidade culinária é uma característica que lhe está associada, combina com caça, saladas e outros pratos, tartes, bolos, pudins, biscoitos, gelados, batidos, é usado no fabrico de rebuçados, não podendo deixar de salientar o licor desta pequena baga.

Outras Variedades de mirtilo:

Primeira temporada (3 Produtos)

Earliblue Esta variedade apresenta frutos grandes azul claro, resistentes à fissuração. Têm um doce sabor suave e amadurecem de maneira uniforme. É popular entre os produtores comerciais e jardineiros.

Patriot Variedade de inverno excelente, resistente de alto rendimento tolerante com uma com bagas muito grandes.

Duque Esta variedade de início da temporada, vigoroso de alta qualidade e alto rendimento, tem grandes bagas, e foi considerada uma das melhores variedades. Este Mirtilo de cor azul clara, médio/grande com um sabor suavemente doce, é completamente firme e retém a sua qualidade fresca por muito mais tempo que a maioria das variedades. O mirtilo Duke floresce tarde mas matura cedo, o que protege as flores das geadas da primavera. É um dos mais pesados, a maioria de produtores colhe 4 a 5 quilos de mirtilos por o arbusto quando adulto. Os arbustos Duke crescem erectos mas as pontas inclinam-se para terra quando têm fruta.

Época Média (2 Produtos)

Bluecrop

Variedade líder de mirtilos, muito grandes, doces e aromáticos, tipo híbrido americano. Planta robusta de crescimento ereto e vigorosa.

Blueray

O Blueray é vigoroso de alto rendimento. As bagas são muito grandes, escuras com um excelente sabor. O Cluster é grande e apertado permitindo uma colheita fácil.

Época tardia (2 Produtos)

Coville Variedade tardia, de bagas muito grandes, sabor levemente azedo. Excelente para fazer uma sobremesa.

Jersey O Jersey é conhecido pelas suas bagas azuis e doces, com arbustos em forma uniforme. É uma variedade resistente e superando outros rendimentos em vigor . Tem uma excelente tolerância ao inverno.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->