Você está na página 1de 5

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da __ Vara de Família da

Comarca de Volta Redonda – Rio de Janeiro.

Inês Brasil, brasileira, solteira, cantora, portadora do documento de Registro
Geral nº X.XXX.XXX.X, inscrita no Cadastro de Pessoa Física sob o numero
XXX.XXX.XXX-XX, com o e-mail eletrônico rainhadainternet@gmail.com, residente
e domiciliada na rua Y, nº Y, no bairro Vila Santa Cecilia – Volta Redonda/RJ, vêm,
perante Vossa Excelência, por meio do seu representante legal, infra assinado nos autos,
propor a presente

AÇÃO DE ALIMENTOS GRAVÍDICOS
EM REGIME DE TUTELA DE URGÊNCIA

Em face de Jair Bolsonaro, brasileiro, casado, político, portador do documento
de Registro Geral nº Y.YYY.YYY.Y, inscrito Cadastro de Pessoa Física sob o numero
YYY.YYY.YYY-YY, com o e-mail eletrônico jairbolsonaro@uol.com.br, residente e
domiciliado na rua X, nº X, no bairro Barra da Tijuca – Rio de Janeiro/RJ.

PRELIMINARMENTE

na forma de casal. este terminou o relacionamento com a Autora. ocorre que após a confirmação da gravidez e de dada a notícia ao réu. enxoval do bebê e diversos outros gastos comprovados por documentos em anexo. este vinha visitar a autora em seu domicilio. Nessas ocasiões o réu além de o réu sempre ter estadia na casa da Autora. Deste relacionamento resultou a gravidez da Autora. na cidade de Volta Redonda.DOS FATOS No caso em exposição. mesmo tendo uma condição financeira muito boa se recusa a ajudá-la. conforme mostra exame anexado aos autos. Por outro lado. como pré-natal. ambos chegaram a fazer diversas vezes visitas a família da autora. Dos Alimentos Gravídicos Os fatos descritos anteriormente não deixam dúvidas quanto a legitimidade da ação. Este dinheiro ainda mal lhe atendia sozinha. variando de acordo com o que consegue agendar de shows.804/08. o demandado. a Autora e o réu mantiveram um relacionamento estável durante 6 meses. DOS FUNDAMENTOS I. gestação. todos os finais de semana no período citado. e não consegue por si só arcar com o dinheiro necessário para garantir uma boa. E por isso a mesma não vê outra saída. quem dirá para conseguir atender com todas as despesas referentes a gravidez. Porém. conforme a Lei 11. se não a judiciária. recusando sempre a responsabilidade que lhe cabe. A Autora também não possui nenhum plano de saúde. A Autora não possui uma condição econômica privilegiada. por meio das . tendo em vista que o seu trabalho como cantora não lhe rende um valor garantido todo o mês. e digna. mesmo quando esta o procurou para no intuito de fazer um acordo no tocante aos alimentos necessários ao infante. para garantir a ajuda financeira necessária e de direito para o prosseguimento de sua gravidez. que tinha conhecimento do relacionamento e de sua seriedade. conforme ainda se fará demonstrado. como pode provar testemunho dos familiares da Autora. cortando todas as formas de contato com a mesma. Mesmo o réu sendo casado.

durante a instrução do processo. no período de 6 meses. E ainda. Dos Alimentos Provisórios e da Urgência Conforme disposição legal do art. deixando claro a certeza da paternidade do nascituro. para que a Demandante consiga o mínimo necessário lhe proporcionar uma gestação saudável e digna. parto.provas cabíveis. o juiz fixará alimentos gravídicos que perdurarão até o nascimento da criança. o juiz fixará desde logo alimentos provisórios a serem pagos pelo devedor. E por tal fato a presente ação se mostra cabida e de acordo com o direito. já descrita. 226 e 227 (que aludem a proteção familiar pelo Estado e a proteção da criança contra qualquer forma de negligencia e violência). exames complementares. Art. tendo em vista que a Autora. em seus art. em seu art. enfrentada pela genitora. tendo em vista a urgência e a gravidade da decisão a ser tomada acerca da questão. Na situação apresentada fica clara a necessidade de tal fixação prevista legalmente. manteve relações conjugais. sopesando as necessidades da parte autora e as possibilidades da parte ré. . O presente caso discutido tem sua base jurídica na legislação nacional. inclusive as referentes a alimentação especial. salvo se o credor expressamente declarar que deles não necessita.804 de 2008: Art. de forma habitual. na própria Constituição. 11. Não restam dúvidas de que o réu é pai do nascituro. 2o Os alimentos de que trata esta Lei compreenderão os valores suficientes para cobrir as despesas adicionais do período de gravidez e que sejam dela decorrentes. além de outras que o juiz considere pertinentes. II. 4º da Lei 5478/68: Ao despachar o pedido. a própria Lei acrescenta. 6o Convencido da existência de indícios da paternidade. da concepção ao parto. medicamentos e demais prescrições preventivas e terapêuticas indispensáveis. devido à notoriedade da convivência do casal. 6º. sendo devido a condenação do requerido ao pagamento de pensão alimentícia. a juízo do médico. com maior ênfase na lei supra citada. somente com o mesmo. internações. que para a fixação desses alimentos gravídicos basta apenas a existência de indícios da paternidade. tendo em vista à dificuldade financeira. assistência médica e psicológica.

inciso II do Código Processual Civil de 2015. de forma imediata. como prevê o artigo 178. Que seja julgado procedente a condenação do réu a pagar o valor mensal de 30% (trinta por cento) do salário do réu. DOS PEDIDOS Isto posto. compromete o próprio objeto da ação. a demora e espera para sentença final. requerem-se os presentes alimentos provisórios. que se encontra atualmente (na data XX/XX/XXX) com 2 meses de gravidez. no intuito de possibilitar a Autora meios à uma gravidez digna. Que a presente petição seja recebida. quando então este serão convertidos em seu favor. 4. requer: 1. 2. 3. e caso não o mesmo não haja vinculo empregatício. Que o Ministério Público seja intimado. Assim. Assim coloca o conceito de urgência dado pelo Código de Processo Civil de 2015: Art. e caso não o mesmo não haja vinculo empregatício. Citação do réu para contestar no prazo de 5 dias. e liminarmente. sob pena de revelia 5. de acordo com o art. . Que se conceda o benefício da gratuidade da justiça. até o nascimento do filho. uma vez demonstradas as condições da ação e os pressupostos processuais. A tutela de urgência será concedida quando houver elementos que evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo. tendo em vista que o presente processo se tratar de interesse de menor. durante toda gravidez.Ainda. após toda a instrução do processo. que sejam convertidos em pensão alimentícia em favor do menor. que é a garantia de pensão para o período de gestação da autora. E após o nascimento com vida. 306 do CPC/15. isto é. 300. e que seja concedido. em sentido legal. no valor de 30% (trinta por cento) do salário do réu. que o valor a ser determinado não seja menor à 3 salários mínimos. pela autora ser pobre. até o nascimento da criança. quando então deverão ser os mesmos revertidos em seu proveito. a urgência da decisão deste juízo para que conceda tais alimentos fica caracterizada pela própria natureza dos mesmos. os alimentos provisórios. conforme a Lei 1060/50 e declaração de pobreza em anexo.

28 de Abril de 2016. Thais Marques de Souza/ OAB XXX-XX .XXX. notadamente. tendo em vista a urgência do presente processo. Termos em que. a pericial. Volta Redonda. Pede e espera deferimento. Condenação do réu as honorários advocatícios no montante de 20% (vinte por cento)sobre o valor da causa A Autora protesta provar o alegado por todos os meios de prova admitidos em direito. A Autora não opta pela a realização da audiência de conciliação ou mediação.XX (XXXXX reais). documental.6. após o nascimento com vida. testemunhal e. Dar-se-á à presente causa o valor de XX.