P. 1
Bibliologia

Bibliologia

4.8

|Views: 8.321|Likes:
Publicado porNelson Jr

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Nelson Jr on May 28, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/14/2013

pdf

text

original

Sections

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

BIBLIOLOGIA

ESTUDO DAS SAGRADAS ESCRITURAS

CONTENDO ESTUDOS BÍBLICOS SELECIONADOS E ANALIZADOS

1ª EDIÇÃO

-1-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EBESP – Escola Bíblica de Estudo Pentecostal Igreja Pentecostal de Jesus Cristo Rua Gal Djalma da Rocha Lima, 70 Boqueirão Cep 81730-370 Curitiba Paraná Brasil Fone 0 xx 41 – 286 5747 / 286 8119

Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. Hb 4:12

Equipe EBESP Ederaldo Xavier Pontes Eliezer Koteski Eber Magalhães Lopes Natal Pereira da Silva 1ª Edição - 2000

-2-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ÍNDICE
Introdução Lição 1 - A Bíblia Definição I. Origem do Termo II. Alguns aspectos da Bíblia III. Razões pelas quais a Bíblia é a palavra de Deus IV. Atitudes em relação à Bíblia V. Exercícios Lição 2 – A singularidade da Bíblia I. Única na sua coerência II. Única em circulação III. Única em tradução IV. Única em sobrevivência V. Única nos ensinos VI. Única na influência sobre a literatura VII. A conclusão é Óbvia VIII. Exercícios Lição 3 – Como manusear a Bíblia I. Prática para o manuseio da Bíblia II. Quanto ao estudo da Bíblia III. Exercícios Lição 4 – A importância das Escrituras Sagradas I. A necessidade do estudo das Escrituras II. Porque devemos estudar a Bíblia III. Como devemos estudar a Bíblia IV. Exercícios Lição 5 – Revelação Definição I. Provas da revelação II. Meios de revelação III. Revelação quanto à natureza IV. Exercícios Lição 6 – Inspiração Definição I. Teorias sobre a inspiração II. Características da inspiração verbal e plenária III. Prova da inspiração verbal e plenária IV. Provas de inerrância V. Exercícios 5 7 7 7 8 9 10 11 13 13 15 15 16 17 19 20 21 23 25 27 29 31 32 32 34 37 39 39 39 39 41 45 47 47 47 49 49 50 51

-3-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Lição 7 – Iluminação I. Em relação aos não-salvos II. Em relação aos salvos III. Exercícios Lição 8 – Interpretação I. Princípios de interpretação II. Divisões gerais da Bíblia III. Alianças bíblicas IV. Exercícios Lição 9 – Cânon da Bíblia I. O cânon do Antigo Testamento II. Os princípios da canonicidade dos livros do Novo Testamento III. A formação do cânon do Novo Testamento IV. O cânon e as traduções mais recentes V. Exercícios Lição 10 – Estrutura da Bíblia I. Conteúdo do Antigo Testamento II. O Conteúdo do Novo Testamento III. Resumo do Novo Testamento IV. Exercícios Lição 11 – Autores da Bíblia I. Quem são os autores da Bíblia II. A fonte divina III. Exercícios Lição 12 – A Bíblia até nós I. Direcionamento bíblico II. As primeiras traduções III. Exercícios Lição 13 – Período inter-bíblico I.....Aspectos políticos II. ..Aspectos religiosos III. .Exercícios

53 56 56 57 59 59 59 60 63 65 66 66 67 68 71 73 73 76 78 79 81 81 82 85 87 87 88 91 93 93 97 101

Sistema de medidas nas Escrituras Curiosidades bíblicas Complementos Passagens bíblicas Glossário

103 109 115 117 121

-4-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

INTRODUÇÃO
A Bíblia nos aconselha a viver em um determinado padrão de vida aprovado por Deus e nos conforta com a promessa de uma grande recompensa para aqueles que se enquadrarem neste padrão. Ela nos fornece todas as informações necessárias que o ser humano precisa para ter um melhor aproveitamento da sua vida. A Bíblia é o alicerce para todo aquele que crê em Deus e tem uma esperança numa nova vida após a morte. Ela também nos previne e alerta, em relação a outras maneiras de vida que o homem escolhe, quando não confia na providência de Deus. Ela é contra todo e qualquer ensinamento ou doutrina fora de seus padrões, é categórica em condenar o que é falso. Eis a relação de algumas doutrinas que a Bíblia condena: ♦ Doutrinas dos homens (Cl 2:22 - segundo os preceitos e doutrinas dos homens? Pois que todas estas coisas, com o uso se destroem). ♦ Doutrinas dos fariseus (Mt 16:12 - Então, entenderam que não lhes dissera que se acautelassem do fermento de pães, mas da doutrina dos fariseus e dos saduceus). ♦ Doutrinas de demônios (1Tm 4:1 - Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios). ♦ Doutrinas que são preceitos de homens (Mc 7:7 - E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens). ♦ Doutrinas estranhas aos seus ensinamentos (Ef 4:14 - para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro). Todavia a Bíblia, ao mesmo tempo em que condena o que é falso, aprova magnificamente e elogia a verdadeira e sã doutrina (Sl 1:6 - Pois o SENHOR conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá. Pv 10:28 - A esperança dos justos é alegria, mas a expectação dos perversos perecerá.) Os tópicos desta apostilas constituem o conhecimento básico para o crescimento espiritual, como também intelectual de cada filho de Deus. Para um estudo mais aprofundado e específico, se faz necessário o uso de outras fontes, visto que o nosso objetivo é levar ao povo de Deus o conhecimento elementar das santas doutrinas. Esta primeira apostila “Bibliologia” é dividida por lições, contendo algumas gravuras de objetos antigos, descobertos das escavações arqueológicas. Cada parte possui o seu questionário, a fim de ajudar o aluno a memorizar os pontos mais importantes do texto. O auxílio de um professor e o interesse do aluno é indispensável para um maior aproveitamento da matéria. Os parágrafos devem ser analisados com muito critério para que todos venham realmente crescer em conhecimento e atingir o objetivo do curso.

A direção

-5-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

-6-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 1 A BÍBLIA
Definição
A primeira coisa que se pode dizer da Bíblia é que ela é, acima de todas as coisas, A PALAVRA DE DEUS. A Bíblia é a palavra de Deus em um sentido que nenhum outro livro do mundo pode ser. O Espírito Santo ungiu como um sopro (inspiração) sobre seus escritores, capacitando-os a receber e transmitir a mensagem divina sem mistura ou erro. A Bíblia é também "O Livro" no qual Deus se revela, ou seja, se dá a conhecer aos homens de modo natural ou sobrenatural. . “A bíblia é Deus falando ao homem; é Deus falando através do homem; é Deus falando como homem; é Deus falando a favor do homem, mas é sempre Deus falando!”.

A BÍBLIA É... O mapa do viajante O cajado do peregrino A bússola do piloto A espada do soldado O paraíso restaurado O céu aberto

I. ORIGEM DO TERMO
Bíblia. A palavra "Bíblia" vem do grego "biblos”, e em português significa “rolo” ou “livro” (Lc 4:17 - Então, lhe deram o livro do profeta Isaías, e, abrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito.). Quem primeiro aplicou esse vocábulo às Sagradas Escrituras foi João Crisóstomo.

Escrituras Sagradas. Termo usado no Novo Testamento para os livros sagrados que foram escritos no Antigo Testamento, que eram considerados inspirados por Deus (2Tm 3:16 - Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça; Rm 3:2 - Muita, sob todos os aspectos. Principalmente porque aos judeus foram confiados os oráculos de Deus). Também é usado no Novo Testamento com referência a outras porções do Novo Testamento (2Pe 3:16 - ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles; Jo 10:35 - Se ele chamou deuses àqueles a quem foi dirigida a palavra de Deus, e a Escritura não pode falhar; Hb 4:12 - Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração).

-7-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

II. ALGUNS ASPECTOS DA BÍBLIA

Autoridade da Bíblia – Reconhecimento da Bíblia como a nossa única regra de fé e prática. Nenhuma outra autoridade pode sobrepor-se à Palavra de Deus; nenhum outro princípio há de modificar este artigo de fé. A autoridade das Sagradas Escrituras encontra-se baseada nestes princípios:
A menor Bíblia existente foi impressa na Inglaterra e pesa somente 20 gramas. Mede 4,5cm de comprimento, 3cm de largura e 2cm de espessura.

1) É a Palavra de Deus; 2) Sua infalibilidade pode ser evidenciada interna e externamente; 3) É a única regra de fé e prática contemporânea de todas as épocas.

Autoridade na Bíblia – Tanto o Antigo, quanto o Novo Testamento, atesta ser Deus a fonte de toda a autoridade. Profetas e apóstolos mostram-no como a autoridade última. Nos livros proféticos, o Senhor Deus. Até mesmo Nabucodonosor viu-se obrigado a assimilar esta verdade. Depois daqueles sete períodos de humilhação a que o submetera o Todo Poderoso, confessa o mandatário babilônico: (Dn 4:37 - Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, exalço e glorifico ao Rei do céu, porque todas as suas obras são verdadeiras, e os seus caminhos, justos, e pode humilhar aos que andam na soberba). Inerrância e infalibilidade da Bíblia - Ambos os termos mostram ser a Bíblia completa e veraz (verdadeira) no que ensina. Ela não contém quaisquer erros; jamais falhará na concretização de seus propósitos. Recebamo-la, pois, como a única autoridade em matéria de fé e prática. Inspiração da Bíblia – Ação sobrenatural do Espírito Santo sobre os escritores bíblicos, dando-lhes capacidade plena a receber, registrar e transmitir a mensagem divina sem quaisquer misturas de erro. A inspiração da Bíblia é dinâmica, verbal e plenária. A inspiração é que faz da Bíblia a Palavra de Deus. Biblicismo – [Do gr. Bíblos + ismo] Doutrina que defende ser a Bíblia autoridade suficiente e suprema em matéria de fé e prática. Tal posicionamento, embora apregoado pelos profetas e apóstolos, renasceu com os reformadores protestantes no século XVI. Eis o que afirmou Isaías: “À Lei e ao Testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, jamais verão a alva” (Is 8:20 - À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva). Bibliolatria – [Do gr. bíblos + latria (adoração)] Adoração do aspecto físico da Palavra de Deus; é a sua transformação num fetiche. Algo similar aconteceu no Antigo Israel, quando os hebreus passaram a prestar culto à serpente que Moisés, por ordem de Jeová, havia erguido para restaurar a saúde dos que haviam sido picados pelas serpentes abrasadoras. A blibliolatria é muito comum nos lares evangélicos. Não são poucos os crentes, por exemplo, que deixam a Bíblia aberta no Salmo 91, como se esta passagem, destituída de seu real significado, fosse uma espécie de barreira contra as temeridades todas. A Bíblia não nos foi confiada a ser um objeto de culto; no-la confiou o Senhor para que adorássemos somente a Ele. Bibliologia – [Do gr. bíblos + logia (discurso ou tratado racional sobre determinado assunto)] Divisão da teologia sistemática que versa sobre a origem, formação, inspiração, autoridade e confiabilidade das Sagradas Escrituras, como a infalível Palavra de Deus.

-8-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

III. RAZÕES PELAS QUAIS A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS
1. 2.
Deus como criador teria de revelar-Se às suas criaturas. A Bíblia é o único livro do mundo digno de crédito neste assunto. O próprio Jesus Cristo leu a Bíblia, ensinou-a, chamou-a “A Palavra de Deus” e cumpriu-a (Lc 4:17 - Então, lhe deram o livro do profeta Isaías, e, abrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito:; Lc 24:27 - E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras; Lc 24:44 - A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos; Mc 7:13 - invalidando a palavra de Deus pela vossa própria tradição, que vós mesmos transmitistes; e fazeis muitas outras coisas semelhantes). Seus escritores reconheceram a ação do Espírito Santo quando liam ou produziam seus escritos (2Pe 1:21 - porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo; Is 6:8 - Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim). A história dos outros povos dá testemunho dos acontecimentos descritos na Bíblia. A própria história universal apanha emprestado da bíblia registro e fatos para a sua complementação. As descobertas científicas cada vez mais confirmam a verdade da Bíblia. A cada descoberta se valoriza mais a narrativa bíblica. O Espírito Santo fala ao coração do cristão dizendo que a Bíblia é a palavra de Deus. Os que são dirigidos por ela mostram ao mundo, através do caráter, da moral e do amor, o resultado das suas palavras. Embora tenha sido escrita em 16 séculos por cerca de 40 escritores, em épocas, lugares e circunstâncias diferentes, a Bíblia parece ter sido escrita por uma só pessoa. Seus 66 livros formam um só, do Gênesis, ao Apocalipse. As profecias da Bíblia se cumprem fielmente. Muitas profecias do Antigo Testamento se cumpriram no próprio Antigo Testamento, outras se cumpriram no Novo Testamento e outras estão se cumprindo com o passar dos séculos (Jr 1:12 - Disse-me o SENHOR: Viste bem, porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir). A Bíblia é sempre nova e inesgotável. Leia a Bíblia 1000 vezes e na próxima vez que a ler encontrará milhares de coisas novas. Aleluia!!!

3.

4. 5. 6.

7.

8.

9.

10. A Bíblia é o único livro do mundo que só tem verdades. Se há mentiras, não são dela, apenas
foram registradas. Há mais verdades na Bíblia do que todas as verdades produzidas pelo homem durante os séculos.

-9-

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

11. A Bíblia é familiar a todos os homens em todas as nações. Ao lermos a Bíblia temos a impressão
de que ela foi escrita para nós. Se fosse um produto humano não se ajustaria às línguas e costumes de todas as nações.

12. É a única palavra que tem poder. Jesus usou a Palavra para derrotar o diabo, expulsar os
demônios, curar os enfermos, dominar as tempestades, perdoar os pecadores, ressuscitar os mortos e alimentar as multidões, dentre outras coisas. É necessário usar a Palavra de Deus para lutar contra todas as forças que dominam o entendimento das pessoas que sofrem. A Palavra de Deus é, acima de tudo, um instrumento da fé, e não da razão, como muitos pensam.

Na época em que Jesus leu a profecia de Isaías na sinagoga de Nazaré, esta cópia de Isaias já tinha mais de cem anos. Foi lida inúmeras vezes e reparada nos pontos em que surgiram rasgos. As palavras que o copista deixou escapar por engano foram inseridas depois, descendo a margem nos lugares onde havia pouco espaço. A junção entre duas folhas de couro é visível à esquerda. A fotografia é do livro de Isaías dos Manuscritos do Mar Morto A (o original está no Santuário do Livro, em Jerusalém).

IV. ATITUDES EM RELAÇÃO À BÍBLIA
Racionalismo. a) Em sua forma extrema nega a possibilidade de qualquer revelação sobrenatural. b) Em sua forma moderada admite a possibilidade de revelação divina, mas essa revelação fica sujeita ao juízo final da razão humana. Romanismo. A Bíblia é um produto da igreja; por isso a Bíblia não é a autoridade única ou final. Misticismo. A experiência pessoal tem a mesma autoridade da Bíblia. Neo-ortodoxia. A Bíblia é uma testemunha falível da revelação de Deus na Palavra, Cristo. Seitas. A Bíblia e os escritos do líder ou fundador de cada seita possuem igual autoridade. Ortodoxia. A Bíblia é a nossa única base de autoridade.

- 10 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS
1. Defina a palavra “Bíblia”.

(LIÇÃO 1)

_____________________________________________________________
2. Cite três aspectos da Bíblia, e fale um pouco sobre cada um.

a)____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ b)____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ c)____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
3. Há na parte 1 da apostila 12 razões pelas quais a Bíblia é a Palavra de Deus; transcreva 5 das que mais te agradou.

a)____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ b)____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ c)____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ d)____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ e)____________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________

- 11 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 12 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 2 A SINGULARIDADE DA BÍBLIA
A Bíblia Sagrada, por tudo o que encerra, pela maneira como foi escrita, e da forma como tem sido preservada por tantos séculos, só pode ser definida numa palavra: "única". O dicionário define "único", como: 1. 2. 3. 4. 5. Que é um só; De cuja espécie não existe outro; Exclusivo; excepcional; A que nada é comparável; Superior a todos os demais.

M. Monteiro Williams, antigo professor de sânscrito, que passou 42 anos estudando livros orientais e comparando-os com a Bíblia, afirmou: "Se você quiser, empilhe-os no lado esquerdo de sua escrivaninha; mas coloque a sua Bíblia do lado direito - apenas ela, só ela - e que haja uma boa distância entre a pilha de Livros e a Bíblia. Pois existe uma grande distancia entre ela e os chamados livros sagrados do Oriente, de modo que estes se opõem àquela, total, completa e definitivamente; um abismo real que nenhuma ciência do pensamento religioso conseguirá transpor" (J. Mc Dowell, "Evidencia que Exige um Veredicto", pg.19,20).

I. ÚNICA NA SUA COERÊNCIA
É livro "diferente de todos os demais" nos seguintes aspectos (além de muitos outros): 1. Escrito durante um período de aproximadamente 1600 anos; 2. Escrito durante mais de 40 gerações; 3. Escrito por cerca de 40 autores, das mais diferentes atividades, tais como: reis, camponeses, filósofos, pescadores, poetas, estadistas, estudiosos, etc. Moisés, um líder político, que estudou nas universidades do Egito; Pedro, um pescador; Amós, um boiadeiro; Josué, um general; Neemias um copeiro; Daniel, um diplomata; Lucas, um médico; Salomão e Davi (reis e poetas); Mateus (cobrador de impostos); Paulo (rabino); Esdras (escriba e sacerdote). 4. Escrito em diferentes lugares: no deserto; numa masmorra; nos palácios de Susã, na Pérsia; nas prisões; em viagens; numa ilha, exilada. 5. Escrito em diferentes condições e circunstâncias: em tempos de paz e em tempos de guerra; em tempos de alegria, e em tempos de profunda tristeza; em tempos de liberdade, e sob o cativeiro; 6. Escrito em três continentes: Ásia, África e Europa;

- 13 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

7. Escrito em três idiomas: ♦ Hebraico (a língua do Antigo Testamento) Em 2Reis 18:26-28 (Então, disseram Eliaquim, filho de Hilquias, Sebna e Joá a Rabsaqué: Rogamos-te que fales em aramaico aos teus servos, porque o entendemos, e não nos fales em judaico, aos ouvidos do povo que está sobre as muralhas. Mas Rabsaqué lhes respondeu: Mandou-me, acaso, o meu senhor para dizer-te estas palavras a ti somente e a teu senhor? E não, antes, aos homens que estão sentados sobre as muralhas, para que comam convosco o seu próprio excremento e bebam a sua própria urina? Então, Rabsaqué se pôs em pé, e clamou em alta voz em judaico, e disse: Ouvi as palavras do sumo rei, do rei da Assíria) essa língua é chamada de "judaica"; Em Is 19:18 (Naquele dia, haverá cinco cidades na terra do Egito que falarão a língua de Canaã e farão juramento ao SENHOR dos Exércitos; uma delas se chamará Cidade do Sol) é chamada de "língua de Canaã"; ♦ Aramaico (a língua "franca" do Oriente Próximo até a época de Alexandre, o grande, no século VI ao século IV a.C., tendo permanecido em uso, paralelamente ao grego, por judeus e palestinos até à época de Cristo); ♦ Grego, a língua do Novo Testamento. Era o idioma de uso internacional à época de Cristo. 8. A Bíblia trata de centenas de temas controversos (aqueles que podem gerar opiniões divergentes, quando mencionado ou discutido). Os autores bíblicos falaram de centenas de temas controversos, com harmonia e coerência, desde Gênesis a Apocalipse, revelando uma única história: "A redenção do homem por parte de Deus". Assim, o "Paraíso Perdido" de Gênesis, se torna o "Paraíso Recuperado" do Livro de Apocalipse. Enquanto que o acesso à árvore da vida está fechado em Gênesis, encontra-se aberto para todo o sempre em Apocalipse. A grande diversidade dos escritos da Bíblia trata de: lei (civil, criminal, ética, ritual, sanitária), história, poesia religiosa e lírica, textos didáticos, parábolas e alegorias, biografia correspondência pessoal, reminiscências pessoais, diários, além de estilos caracteristicamente bíblicos de literaturas proféticas e apocalípticas. Por tudo isso a Bíblia não é uma simples antologia. Existe uma unidade que dá coesão ao todo. Uma antologia é compilada por um antologista, mas nenhum antologista compilou a Bíblia.

Em 1967, autoridades israelense confiscaram o maior de todos os manuscritos do mar Morto de seu proprietário em Belém. É o Manuscrito do Templo, com quase 8,15 metros de comprimento. O documento afirma trazer leis dadas por Deus a Moisés acerca da construção do Templo, seu culto e a conduta do rei. Os proprietários dos manuscritos provavelmente esperavam colocar em prática essa leis quando Deus lhes desse a vitória sobre seus inimigos.

- 14 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

II. ÚNICA EM CIRCULAÇÃO
A Bíblia tem sido lida por mais pessoas e publicada em mais língua do que qualquer outro livro. Existem mais cópias impressas de toda a Bíblia e mais porções e seleções dela do que de qualquer outro livro em toda a história. Em termos absolutos não existe qualquer livro que alcance, ou que mesmo comece a se igualar à Bíblia, em termos de circulação. O primeiro grande livro a ser impresso foi a "Vulgata" (versão da Bíblia em latim), impressa por Gutemberg (a.D.1450), inventor da imprensa. No período áureo do "Despertamento Evangelístico", entre 1932 a 1966 (aproximadamente), para a atender à demanda, a Sociedade Britânica e estrangeira teve que imprimir "uma cópia a cada três segundos do dia ou da noite; 22 cópias a cada minuto do dia ou da noite; 1.369 cópias a cada hora do dia e da noite; 32.876 cópias diariamente durante o ano. E é bem interessante saber que esse número surpreendente de Bíblias foi despachado para diversas partes do mundo em 4.583 caixas, num peso de 490 toneladas".

III. ÚNICA EM TRADUÇÃO
A Bíblia foi um dos primeiros livros importantes a ser traduzido (Septuaginta: tradução em grego do Antigo Testamento hebraico, por volta de 250 a.C.). A Bíblia tem sido traduzida, retraduzida e parafraseada mais do que qualquer outro livro existente. A Enciclopédia Britânica informa que "até 1966 a Bíblia completa havia aparecido em 240 línguas e dialetos; um ou mais livros da Bíblia em outros 739 idiomas, num total de 1280 línguas". Entre 1950 e 1960 3.000 tradutores da Bíblia estiveram trabalhando na tradução das Escrituras. Os fatos colocam a Bíblia numa condição única ("de cuja espécie não existe outra") em termos de tradução.

VAMOS LER A BÍBLIA? A Bíblia contém 31.000 versículos e 1.189 capítulos. Para sua leitura completa são necessárias 49 horas, a saber, 38 horas para a leitura do Velho Testamento e 11 para o Novo Testamento. Para lê-la audivelmente, em velociade normal de fala, são necessárias cerca de 71 horas. Se você deseja lê-la em 1 ano, deve ler apenas 4 capítulos por dia.

A BÍBLIA NO MUNDO
O aramaico, língua na qual a carta foi escrita, era usado pelos oficiais do rei através do Império Persa, fato que se reflete na forma em que as cartas do rei persa estão registradas no livro bíblico de Esdras.

A Bíblia já atravessou 3 mil anos, sendo traduzida em 2167 línguas.

- 15 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

IV. ÚNICA EM SOBREVIVÊNCIA
Uma porcentagem muito pequena de livros sobrevive além de um quarto de século, e uma porcentagem ainda menor dura um século, e uma porção quase insignificante dura mil anos. A Bíblia, porém, tem sobrevivido em circunstâncias adversas. Em 303 A.D. o imperador Dioclécio decretou que todos os exemplares da Bíblia fossem queimados. A Bíblia é hoje encontrada em mais de mil línguas e ainda é o livro mais lido do mundo.

1. Através dos tempos
Ser escrita em material perecível, tendo que ser copiada e recopiada durante centenas de anos, antes da invenção da imprensa, não prejudicou seu estilo, exatidão ou existência. Comparada com outros escritos antigos, a Bíblia possui mais provas em termos de manuscritos do que, juntos, possuem os dez textos de literatura clássica com maior número de manuscritos. Os judeus a preservaram como nenhum outro manuscrito foi jamais preservado. Com a "massora" (parva, magna e finalis) eles verificavam atentamente cada letra, sílaba, palavra e parágrafo. Dentro de sua cultura, eles dispunham de grupos de homens com funções específicas, cuja única responsabilidade era preservar e transmitir esses documentos com uma fidelidade praticamente perfeita. Estes eram os "escribas, copistas e massoretas". Quem alguma vez contou as letras, sílabas e palavras dos textos de Aristóteles ou Platão? De Cícero ou de Sêneca?

2. Em meio às perseguições
Como nenhum outro livro, a Bíblia tem suportado os ataques malévolos de seus inimigos. Muitos têm procurado queimá-la, proibi-la e torná-la ilegal, desde os dias dos imperadores romanos até os dias de hoje, nos países dominados pelo comunismo, islamismo, ou pagãos radicais. Voltaire, o renomado francês, incrédulo, que morreu em 1778, afirmou que, cem anos depois dele o cristianismo estaria varrido da face da terra e teria passado à História. Mas aconteceu que, Voltaire passou à História, ao passo que a circulação da Bíblia continua a aumentar em quase todas as partes do mundo, levando bênçãos aonde quer que vá. Por exemplo, a catedral inglesa em Zanzibar encontra-se edificada no local do antigo mercado de escravos, e a Mesa da Comunhão está posicionada no exato lugar do pelourinho (coluna de pedra, onde os escravos eram julgados criminosos e condenados)! Alguém já expressou com muita propriedade "É mais fácil empregar nossos esforços para interromper a trajetória do sol, do que tentar interromper a circulação da Bíblia. A respeito da presunção de Voltaire, apenas cinqüenta anos depois da sua morte, a Sociedade Bíblica de Genebra usou a gráfica e a residência dele para imprimir pilhas de Bíblias. Que ironia da História! Em 303 A.D. o imperador Diocleciano proclamou um edito para impedir os cristãos de adorarem Deus e para destruir as Escrituras. Eusébio registra o edito proclamado 25 anos após, por Constantino, sucessor de Diocleciano, para que se preparassem 50 cópias das Escrituras às expensas do governo.

- 16 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

3. Em meio às críticas
Durante dezoito séculos os incrédulos têm refutado e atacado esse livro, e, no entanto, ele está hoje firme como uma rocha. Aumenta sua circulação, é mais amado, apreciado e lido do que em qualquer outra época. Por mais de mil vezes badalaram os "sinos" anunciando a morte da Bíblia, formou-se o cortejo fúnebre, talhou-se a inscrição na lápide e fez-se a leitura da elegia fúnebre. Mas por alguma maneira o cadáver nunca permaneceu sepultado. Nenhum outro livro tem sido tão atacado, retalhado, vasculhado, examinado e difamado. Que livro de filosofia, religião, psicologia ou literatura do período clássico ou moderno, sofreu um ataque tão maciço como a Bíblia? Apesar de todos os ataques, a Bíblia é amada, lida e estudada por milhões. Críticas, como por exemplo, da "hipótese documental", que argumenta que o Pentateuco não poderia ter sido escrito por Moisés, pois, segundo esses críticos, na época de Moisés não havia escrita, ruem por terra, pois a arqueologia descobriram o "obelisco negro". Tinha caracteres uniformes e continha as leis de Hamurabi. Era um texto pós-Mosaico? Não! Era pré-Mosaico. E não apenas isso, mas era pelo menos três séculos anteriores a Moisés, o qual supunham que era um homem primitivo e não dispunha de alfabeto. Também falharam os defensores da "hipótese documental" quando asseveravam que não existiam heteus na época de Abraão, pois não existiam outros registros sobre esse povo. Deviam ser um mito. Estavam errados mais uma vez. Fruto da pesquisa arqueológica, hoje existem centenas de referências se sobrepondo umas às outras e cobrindo mais de 1200 anos da civilização dos heteus. Earl Radmacher, presidente do Seminário Batista Conservador do Oeste, nos Estados Unidos, menciona uma oportunidade em que teve de ouvir Nelson Glueck, um dos três maiores arqueólogos do mundo e que foi reitor do Seminário Teológico Judaico, ligado à Faculdade Hebraica União, da cidade de Cincinnati (também nos Estados Unidos). Disse esse arqueólogo: "Tenho sido acusado de ensinar a inspiração verbal e plena das Escrituras. Quero que fique bem claro que nunca ensinei tal coisa. Tudo o que sempre tenho dito é que em todas as minhas investigações arqueológicas jamais encontrei um único objeto antigo que venha contra dizer qualquer afirmação da Palavra de Deus”.

V.

ÚNICA NOS ENSINOS

O Alcorão, o Livro dos Mórmons, o Zenda Avesta, os Clássicos de Confúcio, todos tiveram influência no mundo. Estes, porém, conduziram a uma idéia apagada de Deus e do pecado, a ponto de ignorálos. A Bíblia, porém, tem produzido altos resultados em todas as esferas da vida: na arte, na arquitetura, na literatura, na música, na política, na ciência etc.

1. Proféticos
Wilbor Smith, que formou uma biblioteca pessoa de 25.000 volumes, chegou à conclusão de que "não importa o que alguém pense sobre a autoridade do livro que chamamos de Bíblia e sobre a mensagem que ele apresenta; o fato é que existe uma aceitação generalizada de que, por inúmeras razões, esse é o livro mais notável que já foi produzido nestes aproximadamente cinco mil anos em que a raça humana domina a escrita". "É o único volume já produzido pelo homem, ou por um grupo de homens, em que se encontra um grande corpo de profecias a respeito de nações, em particular de Israel, de todos os povos da terra, de certas cidades e daquEle que viria e deveria ser o Messias. O mundo antigo possuía

- 17 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

muitos e diferentes meios para determinar o futuro, o que é conhecido como "prognosticação", mas na totalidade da literatura grega e latina, muito embora empreguem as palavras "profetas" e "profecia", não conseguimos encontrar qualquer profecia real e especifica acerca de um grande acontecimento histórico que deveria ocorrer no futuro distante, nem qualquer profecia acerca de um Salvador que iria surgir no meio da raça humana". O Islamismo é incapaz de indicar qualquer profecia acerca da vinda de Maomé, e que tenha sido pronunciada centenas de anos antes de seu nascimento. De igual modo, os fundadores de quaisquer das seitas existentes no mundo são incapazes de identificar com precisão qualquer texto antigo que tenha predito o surgimento de tal ou tal seita.

2. Históricos
Nos livros bíblicos de 1ª Samuel até 2ª Crônicas encontra-se a história de Israel, cobrindo cerca de cinco séculos. Certamente o povo de Israel manifesta uma capacidade excepcional para a interpretação da história, e o Antigo Testamento representa a descrição da história mais antiga que existe. A tradição nacional hebraica supera todas as outras na maneira clara como descreve a origem tribal e familiar. No Egito e na Babilônia, na Assíria e na Fenícia, na Grécia e em Roma, procuramos em vão por qualquer coisa parecida. Nada há de semelhante na tradição dos povos germânicos. A Índia e a China também não têm algo parecido para apresentar, visto que suas lembranças históricas mais antigas são registros literários de tradições dinásticas distorcidas, sem que haja menção a criadores de animais ou lavradores que tivessem antecedido o semideus ou rei, com quem esses registros iniciam. Nem nos mais antigos escritos históricos indianos (os Puranas) nem nos primeiros historiadores gregos existe qualquer alusão ao fato de que tanto os indo-arianos como os helenos outrora haviam sido nômades que, vindos do norte, imigraram para as regiões onde se instalaram. A bem da verdade, os assírios se lembravam vagamente de seus primeiros lideres, cujos nomes recordavam sem quaisquer detalhes sobre seus feitos, e que haviam habitado em tendas; mas já fazia muito tempo que os assírios tinham se esquecido de onde vieram. A "Tabela das Nações", de Gênesis Cap.10*, é um relato histórico surpreendentemente exato. É algo absolutamente único na literatura antiga, sem qualquer paralelo mesmo entre os gregos... 'A Tabela das Nações' permanece sendo um documento surpreendentemente exato... Revela, apesar de toda a complexidade, uma compreensão tão notavelmente moderna da situação étnica e lingüística do mundo moderno, que os estudiosos jamais deixam de ficar impressionados com o conhecimento do autor sobre o assunto.

3. Na realidade da descrição dos fatos
"A Bíblia não é o tipo de livro que um homem escreveria caso pudesse, nem poderia escrever, caso quisesse". Ela trata com muita franqueza a respeito dos pecados de suas personagens. Leia as biografias escritas hoje em dia e repare como elas tentam esconder, deixar de lado ou ignorar o lado pouco recomendável das pessoas. Veja os maiores gênios da literatura: em sua maioria são descritos como santos. A Bíblia não procede dessa maneira. Ela simplesmente conta a verdade.

Uma tabuinha de argila mostra o alfabeto da escrita ugarítica. Mil e quinhentas tabuinhas que usam esse tipo de escrita já foram descobertas.

* Passagem incluída no final do livro (Passagens bíblicas)

- 18 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

4. Na denúncia dos pecados
Os pecados do povo (Dt 9:24 - Rebeldes fostes contra o SENHOR, desde o dia em que vos conheci); Os pecados dos patriarcas (Gen 12:11-13 - Quando se aproximava do Egito, quase ao entrar, disse a Sarai, sua mulher: Ora, bem sei que és mulher de formosa aparência; os egípcios, quando te virem, vão dizer: É a mulher dele e me matarão, deixando-te com vida. Dize, pois, que és minha irmã, para que me considerem por amor de ti e, por tua causa, me conservem a vida; Gn 49:5-7 - Simeão e Levi são irmãos; as suas espadas são instrumentos de violência. No seu conselho, não entre minha alma; com o seu agrupamento, minha glória não se ajunte; porque no seu furor mataram homens, e na sua vontade perversa jarretaram touros. Maldito seja o seu furor, pois era forte, e a sua ira, pois era dura; dividi-los-ei em Jacó e os espalharei em Israel); Os evangelistas descrevem suas próprias faltas e as dos apóstolos (Mat 8:10-26*; 26:31-56**; Mc 6:52 - porque não haviam compreendido o milagre dos pães; antes, o seu coração estava endurecido; Mc 8:18 - Tendo olhos, não vedes? E, tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais; Luc 8:24-25 Chegando-se a ele, despertaram-no dizendo: Mestre, Mestre, estamos perecendo! Despertando-se Jesus, repreendeu o vento e a fúria da água. Tudo cessou, e veio a bonança. Então, lhes disse: Onde está a vossa fé? Eles, possuídos de temor e admiração, diziam uns aos outros: Quem é este que até aos ventos e às ondas repreende, e lhe obedecem?; Lc 9:40-45 - Roguei aos teus discípulos que o expelissem, mas eles não puderam. Respondeu Jesus: Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei convosco e vos sofrerei? Traze o teu filho. Quando se ia aproximando, o demônio o atirou no chão e o convulsionou; mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a seu pai. E todos ficaram maravilhados ante a majestade de Deus. Como todos se maravilhassem de quanto Jesus fazia, disse aos seus discípulos: Fixai nos vossos ouvidos as seguintes palavras: o Filho do Homem está para ser entregue nas mãos dos homens. Eles, porém, não entendiam isto, e foi-lhes encoberto para que o não compreendessem; e temiam interrogá-lo a este respeito; João 10:6 - Jesus lhes propôs esta parábola, mas eles não compreenderam o sentido daquilo que lhes falava; João 16:32 - Eis que vem a hora e já é chegada, em que sereis dispersos, cada um para sua casa, e me deixareis só; contudo, não estou só, porque o Pai está comigo). A desordem nas igrejas (1Cor 1:11 - Pois a vosso respeito, meus irmãos, fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós; 1Cor 15:12 - Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos?; 2Cor 2:4 - Porque, no meio de muitos sofrimentos e angústias de coração, vos escrevi, com muitas lágrimas, não para que ficásseis entristecidos, mas para que conhecêsseis o amor que vos consagro em grande medida, etc.). Muitos indagarão: "Por que tinham que colocar aquele capítulo sobre Davi e Bate-Seba"? Bem, a Bíblia tem o costume de contar a verdade.

VI. ÚNICA NA INFLUÊNCIA SOBRE A LITERATURA
"Se todas as Bíblias de uma cidade grande fossem destruídas, seria possível restaurar o Livro em suas partes essenciais, a partir das citações dele feitas existentes nos livros da biblioteca pública municipal. Existem livros cobrindo quase todos os grandes autores literários, escritos especificamente para mostrar o quanto a Bíblia os influenciou".
*, ** Passagens incluídas no final do livro (Passagens bíblicas)

- 19 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

O historiador Philip Schaff descreve de maneira brilhante a singularidade da Bíblia ao apresentar a singularidade do Salvador: "Esse Jesus de Nazaré, sem dinheiro nem armas, conquistou milhões de pessoas em número muito maior do que Alexandre, César, Maomé e Napoleão; sem o conhecimento e a pesquisa científica ele despejou mais luz sobre assuntos materiais e espirituais do que todos os filósofos e cientistas reunidos; sem a eloqüência aprendida nos bancos escolares, ele pronunciou palavras de vida como nunca antes, nem depois foram ditas e provocou resultados que o orador e o poeta não conseguem alcançar; sem ter escrito uma linha, ele pôs em ação mais canetas, e forneceu temas para mais sermões, discursos, livros profundos, obras de arte e música de louvor do que todo o contingente de grandes homens da antigüidade e da atualidade". Existem questões complexas no estudo da Bíblia, que não tem paralelo com qualquer outra ciência ou ramo do conhecimento humano. A partir dos "pais apostólicos", em 95 A.D., até à época atual corre um largo rio literário, inspirado pela Bíblia. São dicionários bíblicos, enciclopédias bíblicas, léxicos bíblicos, atlas bíblicos e livros de geografia. Pode-se considerá-los como ponto de partida. Então, aleatoriamente, podemos mencionar as enormes bibliografias nos campos de teologia, educação religiosa, hinologia, missões, línguas bíblicas, história da Igreja, biografia religiosa, devocionários, comentários, filosofia da religião, provas do cristianismo, apologética, e assim por diante, parece ser um número interminável. "É prova da importância dEle, do efeito que Ele tem causado na história e, presumivelmente, do mistério desconcertante, provocado por Ele, que nenhuma outra pessoa que viveu neste planeta tenha sido a razão de um volume tão grande de literatura entre tão grande número de povos e línguas e que, longe de terminar, o nível da inundação continua subindo".

VII. A CONCLUSÃO É ÓBVIA
A Bíblia é única. A ela, nada é comparável. A Bíblia é o primeiro livro religioso a ser levado para o espaço sideral (ela foi em forma de microfilme). É o primeiro livro lido que descreve a origem da terra (os astronautas leram Gn 1:1 - "No princípio criou Deus os céus e a terra"). É também um dos livros mais caros (senão o mais caro) A Bíblia Vulgata Latina de Gutenberg custa 100.000 dólares. Os russos venderam o Códice Sinaítico (uma antiga cópia da Bíblia) à Inglaterra por 510.000 dólares (em 1933). E, finalmente, o mais longo telegrama do mundo foi o Novo Testamento na Edição Revista, enviado de New York a Chicago, duas cidades norte-americanas.
No fim de 1946 (novembro ou dezembro) os ta'amireh estão pastoreando seus rebanhos em Ain Feshka, oásis próximo ao Mar Morto. Três pastores, Khalil Musa, Juma Mahoma Khalil e Mahoma Ahmed elHamed, cognominado edDib (o lobo), descobrem em uma das grutas da região uns jarros de argila e em um deles três rolos. O relato dos beduínos é impreciso, mas estes rolos devem ser o manuscrito de Isaías (1QIsa), a Regra da Comunidade (1QS) e o Comentário de Habacuc (1QpHab).

- 20 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS
1. Fale um pouco sobre a singularidade da Bíblia.

(LIÇÃO 2)

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
2. Dos oito motivos pelos quais a Bíblia é um livro diferente dos demais, cite quatro. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________

3. Quantos versículos e capítulos tem a Bíblia? __________________________________________________________________________________

4. Fale sobre a sobrevivência da Bíblia. __________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
5. O que foi citado sobre o sol em relação à Bíblia?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
6. Qual foi o primeiro livro a ser levado ao espaço sideral? De que forma?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 21 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 22 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 3 COMO MANUSEAR A BÍBLIA
A Bíblia é coleção de livros agrupados por assuntos. Para facilitar a sua consulta ela é dividida em capítulos, versículos e parágrafos. A existência de inúmeras versões da Bíblia nos obriga a uma pesquisa para podermos manusear o livro de Deus com facilidade.

Divisão em capítulos e versículos – A primeira grande divisão da Bíblia é a que a divide em dois testamentos, o Antigo e o Novo. O Antigo tem 39 livros, de Gênesis a Malaquias e o Novo, 27 livros de Mateus ao Apocalipse. Para facilitar a consulta, a Bíblia foi dividida a partir de 1555 em capítulos e versículos. A primeira Bíblia que trouxe essa divisão foi a vulgata Latina. Os capítulos são identificados pelos números maiores no início dos textos, e os versículos, pelos números menores.

A Referência – É a indicação do livro, capítulo, versículo e outras informações necessárias a serem achadas na Bíblia. Exemplo: Rm 11:17.
Rm – Nome do Livro (abreviatura de Romanos). 11 – O primeiro número depois do nome do livro, refere-se ao capítulo. 17 – O número a seguir é o do versículo. Assim, temos: Rm 11:17 = Livro de Romanos, capítulo 11, versículo 17.

Abreviaturas – O sistema usado pela Sociedade Bíblica do Brasil é o mais indicado pela sua
simplicidade e rapidez. Os livros da Bíblia são abreviados com duas letras e sem ponto.Entre capítulo e versículo põe-se apenas um ponto. No índice das bíblias editadas pela SBB pode ver-se a lista dos livros assim abreviados. - A primeira letra da abreviatura é maiúscula. Ex: Jn = Jonas. - Os versículos são separados por vírgulas. Jn 1:3,4. - Os capítulos são separados por ponto e vírgula. Jn 1;3 - Usa-se o hífen para indicar o prosseguimento de um capítulo ou um versículo a outro. Jn 1:3-6 (Jonas, capítulo 1. Versículos 3 a 6 (Jonas, capítulo 1 a 3). Exemplos de referências por esse sistema: 1 Jo 2:4 ( 1 João, capítulo 2, versículo 4). Jó 2:4 (Jó, capítulo 2, versículo 4). Jn 2:4 (Jonas, capítulo 2, versículo 4) 1 Pe 5:5 (1 Pedro, capítulo 5, versículo 5). Fp 1:29 (Filipenses, capítulo 1, versículo 29). Fm v. 14 (Filemom, versículo 14).

Pedaço de pele muito fina, contendo versículos de Êxodo e de Deuteronômio em escrita minúscula.

- 23 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

O sistema tradicional adota dois pontos (:) entre capítulo e versículo, não tendo padronização na abreviatura dos livros.

Divisão de parágrafos – Só existe na versão ALMEIDA REVISTA E ATUALIZADA. Os textos
que encerram um assunto são iniciados com uma letra em negrito. Veja por exemplo o Salmo 2, que tem 5 parágrafos.

Títulos dos capítulos – São preparados pelos editores e nem sempre estão de acordo com o texto.
Serve para, numa rápida passagem, identificar o assunto.

Palavras em itálico – São palavras escritas com um tipo de letra diferente. Não constam dos
originais, mas são necessárias para complementar o sentido do texto. Em português, somente a versão ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA da Imprensa Bíblica possui essas palavras. Como exemplo, veja a palavra acerca em Mateus 2:7.

Palavras entre parênteses ou colchetes – A Bíblia na versão ALMEIDA REVISTA E
ATUALIZADA traz palavras em colchetes que também não estão nos originais, mas servem para complementar o sentido do texto. Em algumas versões estrangeiras essas palavras aparecem entre parênteses. Veja por exemplo Marcos 5:7,8. Isso só acontece no Novo Testamento.

Explicações nas margens – Uma letrinha encontrada ao lado de uma palavra remete à margem
onde vai ser encontrado um sinônimo para aquela palavra ou uma explicação que se julgue necessária.

Referências marginais – Um numero pequeno ao lado de uma palavra remete à margem onde se
encontram outras referências. Trata-se de outras passagens bíblicas que falam sobre o mesmo assunto.

Indicações nas referências – São informações necessárias para consultar a Bíblia.
“a” “b” “ss” “v” “vv” “qv” “cf” “i.e” “vd” “cap” – – – – – – – – – – Parte inicial do versículo – Rm 11:17a Parte final do versículo – Rm 11:17b Indica os versículos seguintes Versículo. Versículos. Recomendação para que veja a referência. Confira. Isto é. Vide ou Veja. Capítulo (s).

- 24 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

I.

PRÁTICA PARA O MANUSEIO DA BÍBLIA
Apontamentos individuais. Habitue-se a tomar notas de suas meditações na Palavra de Deus. A memória falha com o tempo. Use um livro de folhas soltas (livro de argola) com projeções e índices, para isso. Hoje temos o sistema de informática que facilita bastante, para quem tem um computador em casa, ou no serviço. Se não houver organização nos apontamentos, eles não prestarão serviço algum.

1. Diferença entre texto, contexto, referência, inferência.
a) Texto. São as palavras contidas numa passagem.

b) Contexto. É a parte que fica antes e depois do texto que estamos lendo. O contexto pode ser imediato ou remoto. Pode ser um versículo, um capítulo ou um livro inteiro, como é o caso de Provérbios.

c) Referências. É a conexão direta entre determinado assunto. Além de indicar o livro, capítulo e versículo, a referência pode levar outras indicações; depende da clareza que se queira dar, como: • • • • • • Indicação da parte inicial de um versículo: Rm 11:17a Indicação da parte final de um versículo: Rm 11:17b Indicação de versículos que se seguem ou não até o fim do capítulo em estudo: Rm 11:17ss Recomendação para não se deixar de ler o texto indicado no momento: “qv.” Vem da expressão latina quod vide = que veja. Recomendação para que se compare; confira ou confronte o texto indicado: “cf” Vem do latim “confere.” Indicação de mais de um versículo: Rm 11: vv 17,18 e 19

d) Inferência. É uma conexão indireta entre assuntos. Uma ilação ou conclusão que se faz; dedução pelo raciocínio. Concluir o assunto.

2. Manuscritos bíblicos e versões da Bíblia.
Manuscritos são cópias dos originais. Versões são traduções de manuscritos.

- 25 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

3. Siglas das diferentes versões em vernáculo
O uso dessas siglas poupa tempo e facilita o trabalho do professor ou estudante da Bíblia. • ARC: Almeida Revisada e Corrigida. É a Bíblia antiga de Almeida, que vem sendo impressa desde 1951 pela Imprensa Bíblica Brasileira. • ARA: Almeida Revisada e Atualizada. É a Bíblia de Almeida, revisada e publicada pela SSB (Sociedade Bíblia do Brasil), completa, a partir de 1958. • FIG: Antônio Pereira de Figueiredo. Atualmente é impressa pela Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira, Londres. • SOARES: Matos Soares. Versão popular dos católicos brasileiros (Edições Paulinas). • RHODEN: Huberto Rhoden. Versão particular desse ex-padre brasileiro. • CBSP: Centro Bíblico de São Paulo. Edição católica popular da Bíblia, São Paulo. • TR BR: Tradução Brasileira, publicada inicialmente em 1917. • VIBB: Versão da Imprensa Bíblica Brasileira.

4. Outras siglas
• SBB. Sociedade Bíblica do Brasil • IBB. Imprensa Bíblica Brasileira • Gr. Grego

• Heb. Hebraico • Aram. Aramaico

5. O tempo cronológico antes e depois de Cristo
É indicado pelas letras: • a.C. = Antes de Cristo. São as iniciais dessas duas palavras. • d.C. = Depois de Cristo. Logo, “d.C.” corresponde a AD, do latim “Anno Domini”, isto é, ano do Senhor, em alusão ao nascimento de Jesus. • AD = Do latim “Anno Domini”, isto é, ano do Senhor, em alusão ao seu nascimento. (ver referência acima)

- 26 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

6. Manuseio do volume sagrado
Obtenha completo domínio no manuseio da Bíblia, a fim de encontrar com rapidez qualquer referência bíblica. Jesus tinha essa habilidade. Em Lucas 4:17 diz: "Então, lhe deram o livro do profeta Isaías, e, abrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito:”. Ora, naquele tempo, isso era muito mais difícil do que hoje, com o progresso da indústria gráfica, visto que naquele tempo os livros tinham a forma de rolos. Não era tão fácil achar a passagem que se queria.

II.

QUANTO AO ESTUDO DA BÍBLIA

Conhecemos a Deus, de fato, não primeiramente estudando a Bíblia, mas amando-O de todo o coração, crescendo em comunhão com Ele (Jo 14:21 - Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele; Jo 14:23 - Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada; 1Jo 4:7 - Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.). A Bíblia é destinada ao coração (para ser amada), e à mente (para ser estudada, entendida - Hb 10:16 Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei). É nulo o conhecimento espiritual destituído de fé (Hb 4:2 - Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram).

Esse é um trecho do Comentário de Habacuque, um dos primeiros manuscritos do mar Morto encontrado. O autor identificou personagens da profecia bíblica com pessoas de seu tempo. Nesse trecho, diz o autor que Habacuque 2.15 refere-se ap "ímpio sacerdote que perseguiu mestre da justiça para engoli-lo".

- 27 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 28 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS
1. Como ficou definida a divisão da Bíblia?

(LIÇÃO 3)

______________________________________________________________________

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
2. Quais são as informações necessárias para consultar a Bíblia? Explique o que cada uma indica.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
3. O que significam as siglas “a.C”, “d.C”, “A.D.”, “ARC”, “ARA”, “Gr.”, “Heb” e “Aram.”

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
4. Qual o sistema de abreviatura mais apropriado? Porque?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 29 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 30 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 4 A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS SAGRADAS
Por milênios Deus se revelou ao homem através de suas obras, isto é, a Criação (Rm 1:20 - Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; Sl 19:1-6 - Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo. Aí, pôs uma tenda para o sol, o qual, como noivo que sai dos seus aposentos, se regozija como herói, a percorrer o seu caminho. Principia numa extremidade dos céus, e até à outra vai o seu percurso; e nada refoge ao seu calor). Porém, segundo o seu propósito chegou o tempo em que Ele desejava alcançar o homem com uma revelação maior, o que o fez de forma dupla: a) Através da Bíblia – A Palavra Escrita b) Através de Cristo – A Palavra viva (Jo 1:1 - No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus). Esta dupla revelação é mui especial e tornou-se necessária devido a queda do homem. Desse modo, o estudo das Escrituras se impõe como o principal meio do homem natural vir a conhecer a Deus e a sua vontade para com a sua vida, e do crente conhecer o propósito santificador de Deus para si e para todos os salvos. De acordo como mostra esta lição, a importância do estudo das escrituras se revela com quádruplo propósito: a) Prepara o crente para responder àqueles que lhe pedem a razão da esperança que nEle há (1Pe 3:15 - antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós); b) Faz o obreiro aprovado quanto ao correto manejo da palavra da verdade (2Tm 2:15 - Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade); c) Acresce a fé do crente, quanto ao fato de que as Escrituras são a infalível Palavra de Deus (Is 34:16 - Buscai no livro do SENHOR e lede: Nenhuma destas criaturas falhará, nem uma nem outra faltará; porque a boca do SENHOR o ordenou, e o seu Espírito mesmo as ajuntará); d) Dá luz e entendimento aos simples (Sl 119:130 - A revelação das tuas palavras esclarece e dá entendimento aos simples) Portando, que Deus o acompanhe passo a passo ao longo do estudo desta lição, e o faça mais habilitado para realizar a Sua obra na terra.

- 31 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

I.

A NECESSIDADE DO ESTUDO DAS ESCRITURAS

A necessidade do estudo das Escrituras está implícita nos seguintes textos:

“1Pe 3:15 - ...santificai a Cristo, como Senhor, em vossos corações, estando sempre preparados para responder aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós”. (Esse tipo de preparo vem pelo estudo das Escrituras). “2Tm 2:15 - ...Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. “Is 34:16 - Buscai o livro do Senhor, e lede; nenhuma destas criaturas falhará, nem uma nem outra faltará; porque a boca do Senhor o ordenou, e o seu Espírito mesmo as ajuntará”. “Sl 119:130 - A revelação das tuas palavras esclarece, e dá entendimento aos simples”.

O estudo destes versículos nos conduz a dois pontos de suma importância, que são:

II. PORQUE DEVEMOS ESTUDAR A BÍBLIA

a) Ela é o único manual do crente na vida cristã e no trabalho do Senhor
O crente foi salvo para servir ao Senhor (1Pe 2:9 - Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; Ef 2:10 - Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas). Sendo a Bíblia o livro-texto do cristão, é imperioso que este maneje-a bem para o eficiente desempenho de sua missão (2Tm 2:15 - Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade). Um bom profissional sabe empregar bem as ferramentas de seu ofício. Essa eficiência não é automática; vem pelo estudo e prática. Assim deve ser o crente em relação ao seu manual – a Bíblia. Entre as promessas de Deus, temos o que diz Is 55:11 - assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.

- 32 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

b) Ela alimenta nossas almas
- “Mt 4:4 - Jesus, porém, respondeu: Está escrito: não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus”. - “Jr 15:16 - Achadas as tuas palavras, logo as comi; as tuas palavras me foram gozo e alegria para o coração, pois pelo teu nome sou chamado, ó Senhor, Deus dos Exércitos”. - “1Pe 2:2 - Desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que por ele vos seja dado crescimento para salvação”. Não há dúvida que o estudo da Palavra de Deus traz nutrição e crescimento espiritual. Ela é tão indispensável à alma, como o pão ao corpo. Nas passagens citadas, ela é comparada ao alimento, porém, este só nutre o corpo quando é absorvido pelo organismo. O texto de 1Pe 2:2 fala do intenso apetite pela Palavra divina. Bom apetite pela Bíblia é sinal de saúde espiritual.

c) Ela é o instrumento que o Espírito Santo usa (Ef 6:17*)
Se em nós houver abundancia da Palavra de Deus, o Espírito Santo terá o instrumento com que operar. É preciso meditar nela (Sl 1:2 - Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite; Js 1:8 - Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido). É preciso deixar que ela domine todas as esferas da nossa vida, nossos pensamentos, nosso coração e assim molde todo o nosso viver diário. Em suma: precisamos ficar saturados da Palavra de Deus. Um requisito primordial para Deus responder nossas orações é estarmos possuídos da sua Palavra. Aqui está em parte, a razão de muitas orações não serem respondidas: desinteresse pela Palavra de Deus (Jo 15:7 - Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito). Pelo menos três fatos estão implícitos aqui: a) Na oração precisamos apoiar nossa fé nas promessas de Deus, e essas promessas estão na Bíblia. b) Por sua vez, a Palavra de Deus produz fé em nós (Rm 10:17 - E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo); e c) Devemos fazer nossas petições segundo a vontade de Deus (1Jo 5:14 - E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve), e um dos meios de saber-se a vontade de Deus é através da Palavra de Deus. Na vida cristã e no trabalho do Senhor em geral, o Espírito Santo só nos lembra o texto bíblico preciso, se o conhecermos (Jo 14:26 - mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito). É possível o aluno ser lembrado de algo que não sabe? É evidente que não. Portanto, o Espírito Santo quer não somente encher o crente, mas também encontrar nele o instrumento com que operar a Palavra de Deus. Ter o Espírito e não conhecer a Palavra conduz ao fanatismo. (Pessoas assim querem usar o Espírito Santo, em vez de permitir que Ele as use.) Estes dois extremos são igualmente perigosos.

*Ef 6:17 - Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus.

- 33 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

d) Ela enriquece espiritualmente a vida do cristão (Sl 119:72*) Essas riquezas vem pela revelação do Espírito, primeiramente. (Ef 1:17 - para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele) A pessoa que procurar entender a Bíblia somente através da capacidade intelectual, muito cedo desistirá da leitura. Só o Espírito de Deus conhece as coisas de Deus (1Co 2:10 - Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus). Um renomeado expositor cristão informa que há 32.000 promessas na Bíblia toda! Pense que fonte de riqueza há aí! Entre as riquezas derivadas da Bíblia está a formação do caráter ideal, bem como a formação da vida cristã. É a Bíblia a melhor diretriz de conduta humana; a melhor formadora de caráter. Os princípios que modelam nossa vida devem proceder dela. A falta de correta e pronta orientação espiritual, dentro da Palavra de Deus, especialmente quanto a novos convertidos, tem resultado em inúmeras vidas desequilibradas e doentias pelo resto da existência, as quais só um milagre de Deus pode reajustar. A Bíblia é a revelação de Deus à humanidade. Tudo que Deus tem para o homem e requer do homem, e tudo que o homem precisa saber espiritualmente da parte de Deus, quanto a sua redenção, conduta cristã e felicidade eterna, está revelado na Bíblia. Tudo o que o homem tem a fazer é tomar “O Livro” e apropriar-se dele pela fé. O autor da Bíblia é Deus, seu real interprete é o Espírito Santo, e seu tema central é o Senhor Jesus Cristo.

III. COMO DEVEMOS ESTUDAR A BÍBLIA
Estudar é mais que ler; é aplicar a mente a um assunto, de modo sistemático e constante. A Bíblia deve ser estudada e não apenas lida. Com o propósito de ajudá-lo a tirar o máximo de proveito dela, lhe damos cinco passos seguintes a serem seguidos:

a) Leia a Bíblia conhecendo seu autor
Isto é de suprema importância. É a melhor maneira de estudar a Bíblia. Ela é o único livro cujo autor está presente quando se lê. O autor de um livro pode explicá-lo como ninguém. É preciso conhecer e amar o autor do livro. Façamos como Maria, que aprendia aos pés do Mestre (Lc 10:39 - Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos). Aos pés do Mestre ainda é o melhor lugar para o aluno. Bendito e santo lugar!

b) Leia a Bíblia diariamente (Dt 17:19**)
Esta regra é excelente. È estimado que 90% dos crentes não lêem a Bíblia diariamente; portanto, não é de admirar haver tantos deles frios e infrutíferos nas igrejas. Mais do que isto: são anãos, raquíticos, mundanos, carnais e indiferentes, nervosos, iracundos. Sem crescimento espiritual da nossa parte, Deus não nos revelará suas verdades profundas (Jo 16:12 - Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; Hb 5:12 - Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao
*Salmos 119:72 - Para mim vale mais a lei que procede de tua boca do que milhares de ouro ou de prata. **Dt 17:19 - 19 E o terá consigo e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer o SENHOR, seu Deus, a fim de guardar todas as palavras desta lei e estes estatutos, para os cumprir.

- 34 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido; Mc 4:33 - E com muitas parábolas semelhantes lhes expunha a palavra, conforme o permitia a capacidade dos ouvintes). É de admirar haver pessoas que acham tempo para ler, ouvir e ver tudo, menos a Palavra de Deus. Resultado: “comem” tanto outras coisas que perdem o apetite pelas coisas de Deus.

c) Ler a Bíblia com a melhor atitude mental e espiritual.
A atitude correta é esta: a) Estudar a Bíblia como a Palavra de Deus, e não como um livro qualquer; b) Estudar a Bíblia com o coração e em atitude devocional, e não apenas com o intelecto. As riquezas da Bíblia são para os humildes que temem ao Senhor (Tg 1:21 - Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma). Quanto maior for a nossa comunhão com Deus, mais humildes seremos. Os galhos mais carregados de frutos são os que mais se abaixam. É preciso ler a Bíblia crendo sem duvidar do seu ensino. A dúvida ou a descrença cega o leitor (Lc 24:25 - Então, lhes disse Jesus: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!).

d) Leia a Bíblia com oração, devagar, meditando.
Assim têm feito os servos de Deus no passado a exemplo de Davi (Sl 119:12 - Bendito és tu, SENHOR; ensina-me os teus preceitos; Sl 119:18 - Desvenda os meus olhos, para que eu contemple as maravilhas da tua lei) , Daniel (Dn 9:21-23 - Falava eu, digo, falava ainda na oração, quando o homem Gabriel, que eu tinha observado na minha visão ao princípio, veio rapidamente, voando, e me tocou à hora do sacrifício da tarde. Ele queria instruir-me, falou comigo e disse: Daniel, agora, saí para fazer-te entender o sentido. No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, porque és mui amado; considera, pois, a coisa e entende a visão) . O caminho ainda é o mesmo. Na presença do Senhor em oração, as coisas incompreensíveis são esclarecidas (Sl 73:16,17 Em só refletir para compreender isso, achei mui pesada tarefa para mim; até que entrei no santuário de Deus e atinei com o fim deles). A meditação aprofunda o sentido. Muitos lêem a Bíblia para estabelecer recorde de leitura somente. Ao leres a Bíblia, aplica-a primeiro a ti próprio, senão não haverá virtude nenhuma.

e) Leia a Bíblia toda.
É a única maneira de conhecermos a verdade completa dos assuntos tratados na Bíblia, visto que a revelação de Deus mediante ela é progressiva. Como o irmão pensa compreender um livro que nem sequer o leu todo ainda? Nunca estaremos formados. Seremos sempre alunos (Rm 11:33,34 - Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro?; 1Co 13:12 - Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido; Dt 29:29 - As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei). Portanto, há dificuldades na Bíblia, mas o problema é do lado humano. O Espírito Santo que conhece as profundezas de Deus pode ir revelando o conhecimento da verdade, à medida que buscamos a Sua face e andarmos mais perto dEle.

- 35 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 36 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS

(LIÇÃO 4)

1. Cite a dupla forma em que Deus se revelou ao homem e explique-as.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

2. Qual é o quadruplo propósito do estudo das escrituras sagradas?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

3. Transcreva os Quatro textos sobre a necessidade do estudo das Escrituras e procure decorá-los.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 37 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

4. Cite os motivos porque devemos estudar a Bíblia.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
5. De que maneiras devemos estudar a Bíblia? Cite um versículo acompanhando cada uma.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 38 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 5 REVELAÇÃO
Definição
É a operação divina que comunica ao homem fatos que a razão humana é insuficiente para conhecer. É, portanto a operação divina que comunica a verdade de Deus ao homem. É Deus falando aos homens. (1Co 2:10 - Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus).

I.

PROVAS DA REVELAÇÃO

O diabo foi o primeiro ser a pôr em dúvida a existência da revelação: “É assim que Deus disse?” (Gn 3:1 - Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?). Mas a Bíblia é a Palavra de Deus. Vejamos alguns argumentos:

II. MEIOS DE REVELAÇÃO
1. Pela natureza (Rm 1:18-21 - A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-selhes o coração insensato.; Sl 19 - Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo. Aí, pôs uma tenda para o sol, o qual, como noivo que sai dos seus aposentos, se regozija como herói, a percorrer o seu caminho. Principia numa extremidade dos céus, e até à outra vai o seu percurso; e nada refoge ao seu calor. A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o

- 39 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos. O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre; os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos. São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos. Além disso, por eles se admoesta o teu servo; em os guardar, há grande recompensa. Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas. Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão. As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, SENHOR, rocha minha e redentor meu!). 2. Pela providência (Rm 8:28 - Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.; At 14:15-17 - Senhores, por que fazeis isto? Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles; o qual, nas gerações passadas, permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos; contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria.). 3. Pela preservação do universo (Cl 1:17 - Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste; Hb 1:3 - Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas; At 17:25 - Nem é servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse; pois ele mesmo é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais; At 17:28 - pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como alguns dos vossos poetas têm dito: Porque dele também somos geração). 4. Através de milagres (Jo 2:11 - Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galiléia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele., Ex. 4:1-9 - Respondeu Moisés: Mas eis que não crerão, nem acudirão à minha voz, pois dirão: O SENHOR não te apareceu. Perguntou-lhe o SENHOR: Que é isso que tens na mão? Respondeu-lhe: Um bordão. Então, lhe disse: Lança -o na terra. Ele o lançou na terra, e o bordão virou uma serpente. E Moisés fugia dela. Disse o SENHOR a Moisés: Estende a mão e pega-lhe pela cauda (estendeu ele a mão, pegou-lhe pela cauda, e ela se tornou em bordão); para que creiam que te apareceu o SENHOR, Deus de seus pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Disse-lhe mais o SENHOR: Mete, agora, a mão no peito. Ele o fez; e, tirando -a, eis que a mão estava leprosa, branca como a neve. Disse ainda o SENHOR: Torna a meter a mão no peito. Ele a meteu no peito, novamente; e, quando a tirou, eis que se havia tornado como o restante de sua carne. Se eles te não crerem, nem atenderem à evidência do primeiro sinal, talvez crerão na evidência do segundo. Se nem ainda crerem mediante estes dois sinais, nem te ouvirem a voz, tomarás das águas do rio e as derramarás na terra seca; e as águas que do rio tomares tornar-seão em sangue sobre a terra.). 5. Por comunicação direta (At 22:17-21 - Tendo eu voltado para Jerusalém, enquanto orava no templo, sobreveio-me um êxtase, e vi aquele que falava comigo: Apressa-te e sai logo de Jerusalém, porque não receberão o teu testemunho a meu respeito. Eu disse: Senhor, eles bem sabem que eu encerrava em prisão e, nas sinagogas, açoitava os que criam em ti. Quando se derramava o sangue de Estêvão, tua testemunha, eu também estava presente, consentia nisso e até guardei as vestes dos que o matavam. Mas ele me disse: Vai, porque eu te enviarei para longe, aos gentios; Nm 12:8 - 8 Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a forma do SENHOR; como, pois, não temestes falar contra o meu servo, contra Moisés?; Dt 34:10 - Nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, com quem o SENHOR houvesse tratado face a face).

- 40 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

6. Através de Encarnação (Jo 1:14 - E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai; Hb 1:1 - Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas; Jo 8:26 - Muitas coisas tenho para dizer a vosso respeito e vos julgar; porém aquele que me enviou é verdadeiro, de modo que as coisas que dele tenho ouvido, essas digo ao mundo; Jo 15:15 - Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer). 7. Através da Bíblia (1Jo 5:9-12 - Se admitimos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior; ora, este é o testemunho de Deus, que ele dá acerca do seu Filho. Aquele que crê no Filho de Deus tem, em si, o testemunho. Aquele que não dá crédito a Deus o faz mentiroso, porque não crê no testemunho que Deus dá acerca do seu Filho. E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida.).

III. REVELAÇÃO QUANTO A NATUREZA
Sua unidade, formação e harmonia: Pois embora tenha sido escrito por uns quarenta autores diferentes, por um período de 1.600 anos, ela revela ser um livro único que expressa um só sistema doutrinário e um só padrão moral, coerentes e sem contradições. 1. Sua preservação. Uma porcentagem muito pequena de livros sobrevive além de um quarto de século, e uma porcentagem ainda menor dura um século, e uma porção quase insignificante dura mil anos. A Bíblia, porém, tem sobrevivido em circunstâncias adversas. Em 303 A.D. o imperador Dioclécio decretou que todos os exemplares da Bíblia fossem queimados. A Bíblia é hoje encontrada em mais de mil línguas e ainda é o livro mais lido do mundo.
2.

Sua superioridade. Ela é superior a qualquer outro livro do mundo. O mundo, com sua sabedoria e vasto acúmulo de conhecimento nunca foi capaz de produzir um livro que chegue perto de se comparar a Bíblia. É um livro honesto, pois revela fatos sobre a corrupção humana, fatos que a natureza humana teria interesse em acobertar.

3. Sua influência. O Alcorão, o Livro dos Mórmons, o Zenda Avesta, os Clássicos de Confúncio, todos tiveram influência no mundo. Estes, porém, conduziram a uma idéia apagada de Deus e do pecado, a ponto de ignorá-los. A Bíblia, porém, tem produzido altos resultados em todas as esferas da vida: na arte, na arquitetura, na literatura, na música, na política, na ciência etc. 4. Argumento da Analogia: Os animais inferiores expressam com suas vozes seus diferentes sentimentos. Entre os racionais existe uma presença correspondente, existe comunicação direta de um para o outro, uma revelação de pensamentos e sentimentos. Consequentemente é de se esperar que exista, por analogia da natureza, uma revelação direta de Deus para com o homem. Sendo o homem criado à Sua imagem, é natural supor que o Criador sustente relação pessoal com Suas criaturas racionais.

- 41 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

5. Argumento da Experiência: O homem é incapaz por sua própria força descobrir que: 1. 2. 3. 4. Precisa ser salvo. Pode ser salvo. Como pode ser salvo. Se há salvação.

Somente a revelação pode desvendar estes mistérios eternos. A experiência do homem tem demonstrado que a tendência da natureza humana é degenerar-se e seu caminho ascendente se sustém unicamente quando é voltado para cima em comunicação direta com a revelação de Deus.

6. Argumento da Profecia Cumprida: Muitas profecias a respeito de Cristo se cumpriram integralmente, sendo que a mais próxima do primeiro advento, foi pronunciada 165 anos antes de seu cumprimento. As profecias a respeito da dispersão de Israel também, se cumpriram (Dt 28*; Jr 15:4 - Entregálos-ei para que sejam um espetáculo horrendo para todos os reinos da terra; por causa de Manassés, filho de Ezequias, rei de Judá, por tudo quanto fez em Jerusalém; Jr l6:13 - Portanto, lançar-vos-ei fora desta terra, para uma terra que não conhecestes, nem vós nem vossos pais, onde servireis a outros deuses, de dia e de noite, porque não usarei de misericórdia para convosco.; Os 3:4 - Porque os filhos de Israel ficarão por muitos dias sem rei, sem príncipe, sem sacrifício, sem coluna, sem estola sacerdotal ou ídolos do lar, etc); Da conquista de Samaria e preservação de Judá (Is 7:6-8 - Subamos contra Judá, e amedrontemolo, e o conquistemos para nós, e façamos reinar no meio dele o filho de Tabeal. Assim diz o SENHOR Deus: Isto não subsistirá, nem tampouco acontecerá. Mas a capital da Síria será Damasco, e o cabeça de Damasco, Rezim, e dentro de sessenta e cinco anos Efraim será destruído e deixará de ser povo; Os 1:6,7 - Tornou ela a conceber e deu à luz uma filha. Disse o SENHOR a Oséias: Põe-lhe o nome de Desfavorecida, porque eu não mais tornarei a favorecer a casa de Israel, para lhe perdoar. Porém da casa de Judá me compadecerei e os salvarei pelo SENHOR, seu Deus, pois não os salvarei pelo arco, nem pela espada, nem pela guerra, nem pelos cavalos, nem pelos cavaleiros; 1Rs 14:15 - Também o SENHOR ferirá a Israel para que se agite como a cana se agita nas águas; arrancará a Israel desta boa terra que dera a seus pais e o espalhará para além do Eufrates, porquanto fez os seus postes-ídolos, provocando o SENHOR à ira). Do cativeiro babilônico sobre Judá e Jerusalém (Is 39:6 - Eis que virão dias em que tudo quanto houver em tua casa, com o que entesouraram teus pais até ao dia de hoje, será levado para a Babilônia; não ficará coisa alguma, disse o SENHOR; Jr 25:9-12 - eis que mandarei buscar todas as tribos do Norte, diz o SENHOR, como também a Nabucodonosor, rei da Babilônia, meu servo, e os trarei contra esta terra, contra os seus moradores e contra todas estas nações em redor, e os destruirei totalmente, e os porei por objeto de espanto, e de assobio, e de ruínas perpétuas. Farei cessar entre eles a voz de folguedo e a de alegria, e a voz do noivo, e a da noiva, e o som das mós, e a luz do candeeiro. Toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto; estas nações servirão ao rei da Babilônia setenta anos. Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, castigarei a iniqüidade do rei da Babilônia e a desta nação, diz o SENHOR, como também a da terra dos caldeus; farei deles ruínas perpétuas).

- 42 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Sobre a destruição final de Samaria (Mq 1:6-9 - Por isso, farei de Samaria um montão de pedras do campo, uma terra de plantar vinhas; farei rebolar as suas pedras para o vale e descobrirei os seus fundamentos. Todas as suas imagens de escultura serão despedaçadas, e todos os salários de sua impureza serão queimados, e de todos os seus ídolos eu farei uma ruína, porque do preço da prostituição os ajuntou, e a este preço volverão. Por isso, lamento e uivo; ando despojado e nu; faço lamentações como de chacais e pranto como de avestruzes. Porque as suas feridas são incuráveis; o mal chegou até Judá; estendeu-se até à porta do meu povo, até Jerusalém.). Sobre a restauração de Jerusalém (Jr 29:10-14 a.C., de argila coberta - Assim diz o SENHOR: Logo que se Datada no aséculo VIIprimeiraesta tabuinhaassíria da Epopéia de inscrições, décima da versão de cumprirem para a Babilônia setenta anos, Gilgamés, contém o relato babilônico do dilúvio. atentarei para vós outros e cumprirei para convosco a minha boa palavra, tornando a trazer-vos para este lugar. Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais. Então, me invocareis, passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei. Buscar-meeis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. Serei achado de vós, diz o SENHOR, e farei mudar a vossa sorte; congregar-vos-ei de todas as nações e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o SENHOR, e tornarei a trazer-vos ao lugar donde vos mandei para o exílio), etc. 7. Reivindicações da Própria Escritura: A própria Bíblia expressa sua infalibilidade, reivindicando autoridade. Nenhum outro livro ousa fazê-lo. Encontramos essa reivindicação nas seguintes expressões: “Disse o Senhor a Moisés” (Ex 14:1,15,26; 16:4; 25:1; Lv.1:1; 4:1; 11:1; Nm 4:1; 13:1; Dt 32:48) “O Senhor é quem fala” (Is 1:2); “Disse o Senhor a Isaías” (Is 7:3); “Assim diz o Senhor” (Is.43:1). Outras expressões semelhantes são encontradas: “Palavra que veio a Jeremias da parte do Senhor” (Jr 11:1); “Veio expressamente a Palavra do Senhor a Ezequiel” (Ez 1:3); “Palavra do Senhor que foi dirigida a Oséias” (Os 1:1); “Palavra do Senhor que foi dirigida a Joel” (Jl 1:1), etc. Expressões como estas são encontradas mais de 3.800 vezes no Velho Testamento. Portanto o A.T. afirma ser a revelação de Deus, e essa mesma reivindicação faz o Novo Testamento (1Co 14:37 - Se alguém se considera profeta ou espiritual, reconheça ser mandamento do Senhor o que vos escrevo; 1Ts 2:13 - Outra razão ainda temos nós para, incessantemente, dar graças a Deus: é que, tendo vós recebido a palavra que de nós ouvistes, que é de Deus, acolhestes não como palavra de homens, e sim como, em verdade é, a palavra de Deus, a qual, com efeito, está operando eficazmente em vós, os que credes; 1Jo 5:10 - Aquele que crê no Filho de Deus tem, em si, o testemunho. Aquele que não dá crédito a Deus o faz mentiroso, porque não crê no testemunho que Deus dá acerca do seu Filho; 2Pe 3:2 - para que vos recordeis das palavras que, anteriormente, foram ditas pelos santos profetas, bem como do mandamento do Senhor e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos).

- 43 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 44 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS
1. Escreva com suas palavras sobre a “Revelação”.

(LIÇÃO 5)

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
2. Quais são os meios pelos quais Deus se revela ao homem? Escreva um versículo junto com cada "meio". (Escrever o versículo todo e onde está escrito)

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

3. O que revela a Bíblia se si mesma?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 45 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 46 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 6 INSPIRAÇÃO
Definição
É a operação divina que influenciou os escritores bíblicos, capacitando-os a receber a mensagem divina, e que os moveu a transcrevê-la com exatidão, impedindo-os de cometerem erros e omissões, de modo que ela recebeu autoridade divina e infalível, garantindo a exata transferência da verdade revelada de Deus para a linguagem humana inteligível (2Co 10:13 Nós, porém, não nos gloriaremos sem medida, mas respeitamos o limite da esfera de ação que Deus nos demarcou e que se estende até vós; 2Tm 3:16 - Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça; 2Pe 1:20,21 - sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo).

I.

TEORIAS SOBRE A INSPIRAÇÃO

1. Natural ou Intuição
Afirma que a inspiração é simplesmente um discernimento superior das verdades moral e religiosa por parte do homem natural. Assim como tem havido artistas, músicos e poetas excepcionais, que produziram obras de arte que nunca foram superadas, também em relação as Escrituras houve homens excepcionais com visão espiritual que, por causa de seus dons naturais, foram capazes de escrever as Escrituras. Esta é a noção mais baixa de inspiração, pois enfatiza a autoria humana a ponto de excluir a autoria divina. Esta teoria foi defendida pelos pelagianos e unitarianos.

2. Mística ou iluminativa
Afirma que inspiração é simplesmente uma intensificação e elevação das percepções religiosas do crente. Cada crente tem sua iluminação até certo ponto, mas alguns têm mais do que outros. Se esta teoria fosse verdadeira, qualquer cristão em qualquer tempo, através da energia divina especial, poderia escrever as Escrituras. Schleiermacher foi quem disseminou esta teoria. Para ele inspiração é "um despertamento e excitamento da consciência religiosa, diferente em grau e não em espécie da inspiração piedosa ou sentimentos intuitivos dos homens santos". Lutero, Neander, Tholuck, Cremer, F.W.Robertson, J.F.Clarke e G.T.Ladd defendiam esta teoria, segundo Strong.

- 47 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

3. Mecânica ou da ditação
Afirma que os escritores bíblicos foram meros instrumentos (amanuenses), não seres cujas personalidades foram preservadas. Se Deus tivesse ditado as Escrituras, o seu estilo seria uniforme. Teria a dicção e o vocabulário do divino Autor, livre das idiossincrasias dos homens (Rm 9:1-3 - Digo a verdade em Cristo, não minto, testemunhando comigo, no Espírito Santo, a minha própria consciência: tenho grande tristeza e incessante dor no coração; porque eu mesmo desejaria ser anátema, separado de Cristo, por amor de meus irmãos, meus compatriotas, segundo a carne; 2Pe 3:15,16 - e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles). Na verdade o autor humano recebeu plena liberdade de ação para a sua autoria, escrevendo com seus próprios sentimentos, estilo e vocabulário, mas garantiu a exatidão da mensagem suprema com tanta perfeição como se ela tivesse sido ditada por Deus. Não há nenhuma insinuação de que Deus tenha ditado qualquer mensagem a um homem além daquela que Moisés transcreveu no monte santo, pois Deus usa e não anula as suas vontades. Esta teoria, portanto, enfatiza sobremaneira a autoria divina a ponto de excluir a autoria humana.

4. Parcial ou Dinâmica
Somente o não conhecível foi inspirado (e.g, criação, conceitos espirituais) Afirma que Deus forneceu a capacidade necessária para a confiável transmissão da verdade que os escritores das Escrituras receberam ordem de comunicar. Isto os tornou infalíveis em questões de fé e prática, mas não nas coisas que não são de natureza imediatamente religiosa, isto é, a inspiração atinge apenas os ensinamentos e preceitos doutrinários, as verdades desconhecidas dos autores humanos. Esta teoria tem muitas falhas: Ela não explica como os escritores bíblicos poderiam mesclar seus conhecimentos sobrenaturais ao registrarem uma sentença, e serem rebaixados a um nível inferior ao relatarem um fato de modo natural. Ela não fornece a psicologia daquele estado de espírito que deveria envolver os escritores bíblicos ao se pronunciarem infalivelmente sobre matérias de doutrina, enquanto se desviam a respeito dos fatos mais simples da história. Ela não analisa a relação existente entre as mentes divina e humana, que produz tais resultados. Ela não distingue entre coisas que são essenciais à fé e a pratica e àquelas que não são. Erasmo, Grotius, Baxter, Paley, Doellinger e Strong compartilham desta teoria.

5. Conceitual
Esta teoria pressupõe pensamentos à parte das palavras, através da qual Deus teria transmitido idéias, mas deixou o autor humano livre para expressá-las em sua própria linguagem. Mas idéias não são transferíveis por nenhum outro modo além das palavras. Esta teoria ignora a importância das palavras em qualquer mensagem. Muitas passagens bíblicas dependem de uma das palavras usadas para a sua força e valor. O estudo exegético das Escrituras nas línguas originais é um estudo de palavras, para que o conceito possa ser alcançado através das palavras, e não para que palavras sem importância representem um conceito. A Bíblia sempre enfatiza suas palavras e não um simples conceito (1Co 2:13Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais; . Jo 6:63 - O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida; Jo 17:8 - porque eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste, e eles as receberam, e verdadeiramente conheceram que saí de ti, e creram que tu me enviaste; Ex 20:1 - Então, falou Deus todas estas palavras; Gl 3:16 - Ora, as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente. Não diz: E aos descendentes, como se falando de muitos, porém como de um só: E ao teu descendente, que é Cristo).

- 48 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

6. Gradual
Esta teoria alega que algumas partes da Bíblia são mais inspiradas do que outras. Embora ela reconheça as duas autorias, dá margem a especulação fantasiosa.

7. Neo-ortodoxa
Autores humanos só poderiam produzir um registro falível.

8. Verbal e plenária
É o poder inexplicável do Espírito Santo agindo sobre os escritores das Sagradas Escrituras, para orientá-los (conduzí-los) na transcrição do registro bíblico, quer seja através de observações pessoais, fontes orais ou verbais, ou através de revelação divina direta, preservando-os de erros e omissões, abrangendo as palavras em gênero, número, tempo, modo e voz, preservando, desse modo, a inerrância das Escrituras, e dando a ela autoridade divina. Esta é a verdadeira doutrina e significa que cada palavra (verbal) e todas as palavras (plenária) foram inspiradas no sentido da definição acima.

9. falível
Uma teoria, que vem ganhando popularidade, de que a Bíblia é inspirada, mas não isenta de erros.

II. CARACTERÍSTICAS DA INSPIRAÇÃO VERBAL E PLENÁRIA
1. 2. 3. 4. A verdadeira doutrina é válida apenas para os manuscritos originais. Ela se estende às próprias palavras. Vê Deus como o superintendente do processo, não ditando aos escritores, mas guiando-os. Inclui a inerrância.

III. PROVA DA INSPIRAÇÃO VERBAL E PLENÁRIA
1. 2Tm 3:16 - Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça. Theopneustos, soprado por Deus. Afirma que Deus é o autor das Escrituras e que estas são o produto de Seu sopro criador. 2. 2Pe 1:20,21 - Sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo. O “como” da inspiração – homens “movidos” (lit. “carregados”) pelo Espírito Santo.

- 49 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

3. Ordens específicas para escrever a Palavra do Senhor (Ex 17:14 - Então, disse o SENHOR a Moisés: Escreve isto para memória num livro e repete-o a Josué; porque eu hei de riscar totalmente a memória de Amaleque de debaixo do céu; Jr 30:2 - Assim fala o SENHOR, Deus de Israel: Escreve num livro todas as palavras que eu disse). 4. O uso de citações (Mt 15:4 - Porque Deus ordenou: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte; At 28:25 - E, havendo discordância entre eles, despediram-se, dizendo Paulo estas palavras: Bem falou o Espírito Santo a vossos pais, por intermédio do profeta Isaías, quando disse:). 5. O uso que Jesus fez do Antigo Testamento (Mt 5:17 - Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir; Jo 10:35 - Se ele chamou deuses àqueles a quem foi dirigida a palavra de Deus, e a Escritura não pode falhar). 6. O N.T. afirma que outras partes do N.T. são Escritura (1Tm 5:18 - Pois a Escritura declara: Não amordaces o boi, quando pisa o trigo. E ainda: O trabalhador é digno do seu salário; 2Pe 3:16 ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles). 7. Os escritores estavam conscientes de estarem escrevendo a Palavra de Deus (1Co 2:13 - Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais; 1Pe 1:11,12 - investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam. A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar).

IV. PROVAS DE INERRÂNCIA
1. A fidedignidade do caráter de Deus (Jo 17:3 - E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste; Rm 3:4 - De maneira nenhuma! Seja Deus verdadeiro, e mentiroso, todo homem, segundo está escrito: Para seres justificado nas tuas palavras e venhas a vencer quando fores julgado). 2. O ensino de Cristo (Mt 5:17 - Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir; Jo 10:35 - Se ele chamou deuses àqueles a quem foi dirigida a palavra de Deus, e a Escritura não pode falhar). 3. Os argumentos baseados em uma palavra ou na forma de uma palavra: • “Descendente” (Gl 3:16 - Ora, as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente. Não diz: E aos descendentes, como se falando de muitos, porém como de um só: E ao teu descendente, que é Cristo). “Sou” (Mt 22:31,32 - E, quanto à ressurreição dos mortos, não tendes lido o que Deus vos declarou: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó? Ele não é Deus de mortos, e sim de vivos).

- 50 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS
1. Defina o que é inspiração.

(LIÇÃO 6)

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________

2. Cite três teorias sobre a inspiração.

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
3. Qual é a teoria verdadeira? Fale sobre ela.

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
4. Cite duas características da inspiração verbal e plenária.

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
5. Cite as três provas de inerrância com uma referência bíblica de cada uma delas.

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________

- 51 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 52 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 7 ILUMINAÇÃO
É a influência ou ministério do Espírito Santo que capacita todos os que estão num relacionamento correto com Deus para entender as Escrituras (1Cor 2:12 - Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente; Lc 24:32 - E disseram um ao outro: Porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?; Lc 24:45 - Então, lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras; 1Jo 2:27). A iluminação não inclui a responsabilidade de acrescentar algo às Escrituras (revelação) e nem inclui uma transmissão infalível na linguagem (inspiração) daquele que o Espirito Santo ensina. A iluminação é diferenciada da revelação e da inspiração no fato de ser prometida a todos os crentes, pois não depende de escolha soberana, mas de ajustamento pessoal ao Espirito Santo. Além disso, a iluminação admite graus podendo aumentar ou diminuir (Ef 1:16-18 - não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações, para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos; Ef 4:23 - e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,; Cl 1:9 - Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual;). A iluminação não se limita a questões comuns, mas pode atingir as coisas profundas de Deus (1Co 2:10 - Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus.) porque o Mestre Divino está no coração do crente e, portanto, ele não houve uma voz falando de fora e em determinados momentos, mas a mente e o coração são sobrenaturalmente despertados de dentro (1Co 2:16 - Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.). Este despertamento do Espírito pode ser prejudicado pelo pecado, pois é dito que o cristão que é espiritual discerne todas as coisas (1Co 2:15 Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém.), ao passo que aquele que é carnal não pode receber as verdades mais profundas de Deus que são comparadas ao alimento sólido (1Co 3:1-3 - Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo. Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais. Porquanto, havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem?; Hb 5:12-14 - Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal).

- 53 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

A iluminação, a inspiração e a revelação estão estritamente ligadas, porém podem ser independentes, pois há: Inspiração sem revelação (Lc 1:1-3 - Visto que muitos houve que empreenderam uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, conforme nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares e ministros da palavra, igualmente a mim me pareceu bem, depois de acurada investigação de tudo desde sua origem, dar-te por escrito, excelentíssimo Teófilo, uma exposição em ordem; 1Jo 1:1-4 - O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida (e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vola anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada), o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo. Estas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa). Inspiração com revelação (Ap 1:1-11 - Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João, o qual atestou a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo, quanto a tudo o que viu. Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo. João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém! Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Certamente. Amém! Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso. Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus. Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta, dizendo: O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia.). Inspiração sem iluminação (1Pe 1:10-12 - Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça a vós outros destinada, investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam. A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar.). Iluminação sem inspiração (Ef 1:18 - iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos). Iluminação sem revelação (1Co 2:12 - Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente; Jd 3 Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.);

- 54 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Revelação sem iluminação (1Pe 1:10-12 - Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça a vós outros destinada, investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam. A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar.) Revelação sem inspiração (Ap 10:3,4 - e bradou em grande voz, como ruge um leão, e, quando bradou, desferiram os sete trovões as suas próprias vozes. Logo que falaram os sete trovões, eu ia escrever, mas ouvi uma voz do céu, dizendo: Guarda em segredo as coisas que os sete trovões falaram e não as escrevas.; Ex.20:1-22 - Então, falou Deus todas estas palavras: Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão. Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou. Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá. Não matarás. Não adulterarás. Não furtarás. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo. Todo o povo presenciou os trovões, e os relâmpagos, e o clangor da trombeta, e o monte fumegante; e o povo, observando, se estremeceu e ficou de longe. Disseram a Moisés: Fala-nos tu, e te ouviremos; porém não fale Deus conosco, para que não morramos. Respondeu Moisés ao povo: Não temais; Deus veio para vos provar e para que o seu temor esteja diante de vós, a fim de que não pequeis. O povo estava de longe, em pé; Moisés, porém, se chegou à nuvem escura onde Deus estava. Então, disse o SENHOR a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: Vistes que dos céus eu vos falei). É digno de nota que encontramos estes três ministérios do Espírito Santo mencionados em uma só passagem (1Co 2:9-13 - mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.); a revelação no versículo 10 (sublinhado); a iluminação no versículo 12 (negrito) e a inspiração no versículo 13 (final).

- 55 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

I.

EM RELAÇÃO AOS NÃO-SALVOS

1. Sua necessidade (1Co 2:14 - Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente; 2Co 4:4 - nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.).

2. Ministério de convencimento do Espírito (Jo 16:13-15 - quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.).

II. EM RELAÇÃO AOS SALVOS

1. Sua necessidade (1Co 2:10-12 - Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente; 1Co 3:2 - Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais).

2. O ministério de ensino do Espírito (Jo 16:13-15 - quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar).

Em cacos de cerâmicas encontrados no recinto contíguo ao portão lêem-se relatórios de um soldado judeu ao seu comandante em Laquis. As notícias eram enviadas via sinais de fumaça.

- 56 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS
1. Defina Iluminação.

(LIÇÃO 7)

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

2. A iluminação pode abranger todos os crentes ou é privilégios de alguns?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

3. Cite a passagem bíblica na qual se encontra os três ministérios do Espírito Santo, separando cada uma das partes (revelação, iluminação e inspiração).

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 57 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 58 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 8 INTERPRETAÇÃO
É a elucidação ou explicação do sentido das palavras ou frases de um texto, para torná-los compreensivos. A ciência da interpretação é designada hermenêutica, e, em razão de sua abrangência, requer um estudo especial separado da Bibliologia.

I.

PRINCÍPIOS DE INTERPRETAÇÃO

1. Interpretar histórica e gramaticalmente. 2. Interpretar de acordo com os contextos imediato e mais amplo. 3. Interpretar em harmonia com toda a Bíblia, comparando Escritura com Escritura.

II. DIVISÕES GERAIS DA BÍBLIA
1. Antigo testamento (A.T.)
a) Livros históricos – de Gênesis a Ester. b) Livros poéticos – de Jó a Cantares de Salomão. c) Livros proféticos – de Isaías a Malaquias.

VOCÊ SABIA ...
Que a divisão em capítulos foi feita no ano 1.250 pelo Cardeal Hugo de Saint Cher, abade dominicano. Que a divisão em versículos foi feita em duas vezes. O Antigo Testamento em 1.445 pelo Rabino Nathan; o Novo Testamento em 1.551, pôr Robert Stevens, um impressor em Paris que publicou a primeira Bíblia dividida em capítulos e versículos em 1.555, sendo esta a Vulgata Latina.

2. Novo Testamento (N.T.)
1. Evangelhos – de Mateus a João. 2. História da Igreja – Atos. 3. Epístolas – de Romanos a Judas. 4. Profecia – Apocalipse.

- 59 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

III. ALIANÇAS BÍBLICAS
1. Noética (Gn 8:20-22 - Levantou Noé um altar ao SENHOR e, tomando de animais limpos e de aves limpas, ofereceu holocaustos sobre o altar. E o SENHOR aspirou o suave cheiro e disse consigo mesmo: Não tornarei a amaldiçoar a terra por causa do homem, porque é mau o desígnio íntimo do homem desde a sua mocidade; nem tornarei a ferir todo vivente, como fiz.Enquanto durar a terra, não deixará de haver sementeira e ceifa, frio e calor, verão e inverno, dia e noite.). 2. Abraâmica (Gn 12:1-3 - Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.). 3. Mosaica (Ex 19:3 - Subiu Moisés a Deus, e do monte o SENHOR o chamou e lhe disse: Assim falarás à casa de Jacó e anunciarás aos filhos de Israel: Ex 40:38 - De dia, a nuvem do SENHOR repousava sobre o tabernáculo, e, de noite, havia fogo nela, à vista de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas.).
contra 4. Palestiniana (Dt 30 - Quando, pois, todas estas coisas O ataque de rei SenaqueribeTaylor". Jerusalém está registrado no "Prisma de vierem sobre ti, a bênção e a maldição que pus diante de ti, se te recordares delas entre todas as nações para onde te lançar o SENHOR, teu Deus; e tornares ao SENHOR, teu Deus, tu e teus filhos, de todo o teu coração e de toda a tua alma, e deres ouvidos à sua voz, segundo tudo o que hoje te ordeno, então, o SENHOR, teu Deus, mudará a tua sorte, e se compadecerá de ti, e te ajuntará, de novo, de todos os povos entre os quais te havia espalhado o SENHOR, teu Deus. Ainda que os teus desterrados estejam para a extremidade dos céus, desde aí te ajuntará o SENHOR, teu Deus, e te tomará de lá. O SENHOR, teu Deus, te introduzirá na terra que teus pais possuíram, e a possuirás; e te fará bem e te multiplicará mais do que a teus pais. O SENHOR, teu Deus, circuncidará o teu coração e o coração de tua descendência, para amares o SENHOR, teu Deus, de todo o coração e de toda a tua alma, para que vivas. O SENHOR, teu Deus, porá todas estas maldições sobre os teus inimigos e sobre os teus aborrecedores, que te perseguiram. De novo, pois, darás ouvidos à voz do SENHOR; cumprirás todos os seus mandamentos que hoje te ordeno. O SENHOR, teu Deus, te dará abundância em toda obra das tuas mãos, no fruto do teu ventre, no fruto dos teus animais e no fruto da tua terra e te beneficiará; porquanto o SENHOR tornará a exultar em ti, para te fazer bem, como exultou em teus pais; se deres ouvidos à voz do SENHOR, teu Deus, guardando os seus mandamentos e os seus estatutos, escritos neste Livro da Lei, se te converteres ao SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma. Porque este mandamento que, hoje, te ordeno não é demasiado difícil, nem está longe de ti. Não está nos céus, para dizeres: Quem subirá por nós aos céus, que no-lo traga e no-lo faça ouvir, para que o cumpramos? Nem está além do mar, para dizeres: Quem passará por nós além do mar que no-lo traga e no-lo faça ouvir, para que o cumpramos? Pois esta palavra está mui perto de ti, na tua

- 60 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

boca e no teu coração, para a cumprires. Vê que proponho, hoje, a vida e o bem, a morte e o mal; se guardares o mandamento que hoje te ordeno, que ames o SENHOR, teu Deus, andes nos seus caminhos, e guardes os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos, então, viverás e te multiplicarás, e o SENHOR, teu Deus, te abençoará na terra à qual passas para possuí-la. Porém, se o teu coração se desviar, e não quiseres dar ouvidos, e fores seduzido, e te inclinares a outros deuses, e os servires, então, hoje, te declaro que, certamente, perecerás; não permanecerás longo tempo na terra à qual vais, passando o Jordão, para a possuíres. Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando o SENHOR, teu Deus, dando ouvidos à sua voz e apegando-te a ele; pois disto depende a tua vida e a tua longevidade; para que habites na terra que o SENHOR, sob juramento, prometeu dar a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó). 5. Davídica (2Sm 7:5-17 - 5 Vai e dize a meu servo Davi: Assim diz o SENHOR: Edificar-me-ás tu casa para minha habitação? Porque em casa nenhuma habitei desde o dia em que fiz subir os filhos de Israel do Egito até ao dia de hoje; mas tenho andado em tenda, em tabernáculo. Em todo lugar em que andei com todos os filhos de Israel, falei, acaso, alguma palavra com qualquer das suas tribos, a quem mandei apascentar o meu povo de Israel, dizendo: Por que não me edificais uma casa de cedro? Agora, pois, assim dirás ao meu servo Davi: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Tomei-te da malhada, de detrás das ovelhas, para que fosses príncipe sobre o meu povo, sobre Israel. E fui contigo, por onde quer que andaste, eliminei os teus inimigos diante de ti e fiz grande o teu nome, como só os grandes têm na terra. Prepararei lugar para o meu povo, para Israel, e o plantarei, para que habite no seu lugar e não mais seja perturbado, e jamais os filhos da perversidade o aflijam, como dantes, desde o dia em que mandei houvesse juízes sobre o meu povo de Israel. Dar-te-ei, porém, descanso de todos os teus inimigos; também o SENHOR te faz saber que ele, o SENHOR, te fará casa. Quando teus dias se cumprirem e descansares com teus pais, então, farei levantar depois de ti o teu descendente, que procederá de ti, e estabelecerei o seu reino. Este edificará uma casa ao meu nome, e eu estabelecerei para sempre o trono do seu reino. Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; se vier a transgredir, castigá-lo-ei com varas de homens e com açoites de filhos de homens. Mas a minha misericórdia se não apartará dele, como a retirei de Saul, a quem tirei de diante de ti. Porém a tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será estabelecido para sempre. Segundo todas estas palavras e conforme toda esta visão, assim falou Natã a Davi). 6. Nova Aliança (Jr 31:31-34 - Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porquanto eles anularam a minha aliança, não obstante eu os haver desposado, diz o SENHOR. Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniqüidades e dos seus pecados jamais me lembrarei; Mt 26:28 - porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados.).

- 61 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 62 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS
1. Qual a importância da interpretação?

(LIÇÃO 8)

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
2. Quais os princípios da interpretação?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
3. Quais são as alianças bíblicas?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
4. Fale com suas próprias palavras sobre a nova aliança.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 63 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 64 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 9 CÂNON DA BÍBLIA
A palavra “Cânon” é usada em referência aos livros reconhecidos como componentes da Bíblia. O termo vem do grego “Kanon” e significa “vara”, dando a idéia de uma vara reta que era usada para medir a retidão de objetos. A palavra grega kanon derivou do hebraico kaneh que significa junco ou vara de medir (Ap 21:15 - Aquele que falava comigo tinha por medida uma vara de ouro para medir a cidade, as suas portas e a sua muralha); daí tomou o sentido de norma, padrão ou regra (Gl 6:16 - E, a todos quantos andarem de conformidade com esta regra, paz e misericórdia sejam sobre eles e sobre o Israel de Deus; Fp 3:16 - Todavia, andemos de acordo com o que já alcançamos). A canonização dos livros da Escritura foi se dando aos poucos. Deus dirigiu de tal maneira a redação do seu livro que no decorrer dos anos e séculos da história bíblica, os líderes religiosos foram reconhecendo a inspiração dos livros até completar o cânon. Por canonicidade das Escrituras queremos dizer que, de acordo com "padrões" determinados e fixos, os livros incluídos nelas são considerados partes integrantes de uma revelação completa e divina, a qual, portanto, é autorizada e obrigatória em relação à fé e à prática.

O calendário de Gezer é o mais antigo escrito no alfabeto encontrado na terra de Israel. Provavelmente data do tempo do rei Salomão.

a) A fonte da Canonização
A Canonização de um livro da Bíblia não significa que a nação judaica ou a igreja tenha dado a esse livro a sua autoridade canônica; antes significa que sua autoridade, já tendo sido estabelecida em outras bases suficientes, foi consequentemente reconhecida como pertencente ao cânon e assim declarado pela nação judaica e pela igreja cristã.

b) Considerações fundamentais
♦ A Bíblia é auto-autenticável e os concílios eclesiásticos só reconheceram (não atribuíram) a autoridade inerente nos próprios livros. ♦ Deus guiou os concílios de modo que o cânon fosse reconhecido.

- 65 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

I.

O CÂNON DO ANTIGO TESTAMENTO

a) Alguns afirmam que todos os livros do cânon do Antigo Testamento foram reunidos e reconhecidos sob a liderança de Esdras (quinto século a.C.). b) O Novo Testamento se refere ao Antigo Testamento como Escritura (Mt 23:35 - para que sobre vós recaia todo o sangue justo derramado sobre a terra, desde o sangue do justo Abel até ao sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem matastes entre o santuário e o altar; a expressão de Jesus equivaleria a dizer hoje “de Gênesis a Malaquias”; cf. Mt 21:42 - Perguntou-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular; isto procede do Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos?; Mt 22:29 Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.). O Sínodo de Jamnia (90 A.D.). Uma reunião de rabinos judeus que reconheceu os livros do A.T., embora houvesse alguns que questionassem Ester, Eclesiastes e Cantares de Salomão.

II. OS PRINCÍPIOS DA CANONICIDADE DOS LIVROS DO NOVO TESTAMENTO
Adotam-se 5 critérios canônicos.

1) Apostolicidade: O livro deveria ter sido escrito por um dos apóstolos ou por autor que tivesse relacionamento com um dos apóstolos (imprimatur apostólico). 2) Universalidade: Quando era impossível demonstrar a autenticidade apostólica, o critério de uso e circulação do livro na comunidade cristã universal era considerado para sua aferição canônica. O livro deveria ser aceito universalmente pela igreja para dela receber o seu imprimatur. 3) Conteúdo do Livro: O livro deveria possuir qualidades espirituais, e qualquer ficção que nele fosse encontrada tornava o escrito inaceitável. 4) Inspiração: O livro deveria possuir evidências de inspiração. 5) Leitura em Público: Nenhum livro seria admitido para leitura pública na igreja se não possuísse características próprias. Muitos livros eram bons e agradáveis para leitura particular, mas não podiam ser lidos e comentados publicamente, como se fazia com a lei e os profetas na sinagoga. É a esta leitura que Paulo exorta Timóteo a praticar (1Tm 4:13 - Até à minha chegada, aplica-te à leitura, {leitura: leitura pública das Escrituras} à exortação, ao ensino.).

- 66 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

III. A FORMAÇÃO DO CÂNON DO NOVO TESTAMENTO
1. Período dos apóstolos
Eles reivindicaram autoridade para seus escritos (1Ts 5:27 - Conjuro-vos, pelo Senhor, que esta epístola seja lida a todos os irmãos; Cl 4:16 - E, uma vez lida esta epístola perante vós, providenciai por que seja também lida na igreja dos laodicenses; e a dos de Laodicéia, lede-a igualmente perante vós.).

2. Período pós-apostólico
Todos os livros foram reconhecidos, exceto Hebreus, 2 Pedro, 2 e 3 João. 3. O Concílio de Cartago, 397, reconheceu como canônicos os 27 livros do Novo Testamento.

Texto Áureo da Bíblia

Jo 3.16
Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Esta fotografia mostra o final de evangelho de Lucas.

- 67 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

IV. O CÂNON E AS TRADUÇÕES MAIS RECENTES
A palavra "cânon" significa "regra, padrão, vara de medir". Portanto, canônico é o livro que satisfaz a certos critérios ou padrões. A história das versões da Bíblia é comovente.

1. Septuaginta (250-150 a.C.)
Com as conquistas de Alexandre, o Grande, o grego tornou-se a língua do comércio, dos negócios e da educação no Oriente Próximo e no Médio Oriente. A cidade de Alexandria, no Egito, veio a tornar-se o grande centro da erudição e da culta grega. É conhecida por "Septuaginta", porque a tradição diz que é o resultado de setenta sábios hebreus, convocados em Alexandria, no Egito, pelo rei Ptolomeu Filadelfo. Esta versão era muito usada pelos apóstolos.

2. Vulgata latina
Quatro séculos depois de Cristo, quando já não era falado nem o grego, nem o latim, JERÔNIMO encetou nova tradução da Escritura para o latim "vulgar" ou "comum", que é a Vulgata Latina.

3. João Wycliffe (1324-1384)
Traduziu a Vulgata Latina para o inglês. Muitas pessoas converteram-se a Cristo. Deus, porém, estava trabalhando. A invenção da imprensa foi responsável pela grande mudança. Entre 1462 e 1522, apareceram, só em alemão, pelo menos 17 versões e edições da Bíblia.

4. Versão siríaca peshito
Esta versão é a terceira de interesse, facilitada para o idioma da Síria. Provavelmente a primeira tradução do N.T. tenha sido esta. Estas versões citadas são importantes porque foram usadas para traduções mais recentes. Martinho Lutero apelou para os originais hebraicos e gregos a fim de preparar uma melhor tradução da Palavra de Deus em Alemão. Influenciado por Lutero, William Tyndale elaborou, em 1525, a primeira tradução impressa do Novo Testamento em inglês.

- 68 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

5. A bíblia em português
JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA, nascido em Portugal, nas proximidades de Lisboa, traduziu a Bíblia para o português, em 1628. Era ministro da Igreja Reformada Holandesa. Refugiado na Ilha de Java, no Oceano Índico traduziu primeiro o Novo Testamento, que foi publicado na Holanda em 1681. O Velho Testamento ele traduziu até Ezequiel, quando o Senhor o recolheu. Seus amigos concluíram o seu trabalho. Hoje, onde quer que se fale o português, João Ferreira de Almeida é lembrado pela bravura e pioneirismo de seu espírito.

6. Revisões da obra de Almeida
Em 1951 - ARC, Almeida Revista e Corrigida Imprensa Bíblica Brasileira. Em 1958 - ARA, Almeida Revista e Atualizada Sociedade Bíblica do Brasil. Em 1995 - ARC/ARA, pela Sociedade Bíblica do Brasil.

7. Outras versões da bíblia em português
♦ IBB - Imprensa Bíblica Brasileira ♦ Tradução Brasileira ♦ Figueiredo ♦ Matos Soares e outras traduções pela Igreja Católica
Esses fragmentos são parte da cópia mais antiga de Deuteronômio encontrada no Egito, um rolo escrito por volta de 100 a.C.

Daniel 8:1-7 (referência citada na página 94) No ano terceiro do reinado do rei Belsazar, eu, Daniel, tive uma visão depois daquela que eu tivera a princípio. 2 Quando a visão me veio, pareceu-me estar eu na cidadela de Susã, que é província de Elão, e vi que estava junto ao rio Ulai. 3 Então, levantei os olhos e vi, e eis que, diante do rio, estava um carneiro, o qual tinha dois chifres, e os dois chifres eram altos, mas um, mais alto do que o outro; e o mais alto subiu por último. 4 Vi que o carneiro dava marradas para o ocidente, e para o norte, e para o sul; e nenhum dos animais lhe podia resistir, nem havia quem pudesse livrar-se do seu poder; ele, porém, fazia segundo a sua vontade e, assim, se engrandecia. 5 Estando eu observando, eis que um bode vinha do ocidente sobre toda a terra, mas sem tocar no chão; este bode tinha um chifre notável entre os olhos; 6 dirigiu-se ao carneiro que tinha os dois chifres, o qual eu tinha visto diante do rio; e correu contra ele com todo o seu furioso poder. 7 Vi -o chegar perto do carneiro, e, enfurecido contra ele, o feriu e lhe quebrou os dois chifres, pois não havia força no carneiro para lhe resistir; e o bode o lançou por terra e o pisou aos pés, e não houve quem pudesse livrar o carneiro do poder dele.
1

- 69 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 70 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS

(LIÇÃO 9)

1. Qual o significado da palavra cânon? E qual o emprego desta palavra?

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
2. Quem concede a autoridade canônica? A nação judaica ou a Igreja?

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
3. Cite quais são os critérios canônicos do Novo Testamento. Fale sobre um deles.

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
4. Defina a palavra cânon.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
5. O que chamamos de Septuaginta e por que?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 71 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Quem foi o autor da Vulgata Latina?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
6. Quem foi João Wycliffe?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
7. O que é a versão siríaca peshito?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
4. Como foram escritos os primeiros livros e como eram feitos?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
5. Qual a diferença entre fariseus e saduceus?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
6. Qual a ligação entre sinagogo, sacerdote e escriba? Defina cada termo.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 72 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 10 ESTRUTURA DA BÍBLIA
A palavra Bíblia significa livros, vem da palavra grega biblios, portanto, é o conjunto dos livros sagrados do Antigo e Novo Testamento. Este livro sagrado (não muda com o tempo) contém 66 livros, escritos por 40 autores, abrangendo um período de aproximadamente 1600 anos. A Bíblia está dividida em dois grandes blocos: O Velho Testamento, composto por 39 livros e o Novo Testamento, por 27 livros. A palavra "testamento" quer dizer pacto, aliança. Portanto o Antigo Testamento é o pacto que Deus fez com o homem para a sua salvação de Cristo vir ao mundo, basicamente com o povo judeu. O Novo Testamento é a nova aliança de Deus com o homem para a salvação após Cristo vir. O Antigo Testamento é a aliança da lei, o Novo Testamento é a aliança da graça, a primeira foi um encaminhamento à segunda. Gálatas 3:17-25 - E digo isto: uma aliança já anteriormente confirmada por Deus, a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois, não a pode ab-rogar, de forma que venha a desfazer a promessa. Porque, se a herança provém de lei, já não decorre de promessa; mas foi pela promessa que Deus a concedeu gratuitamente a Abraão. Qual, pois, a razão de ser da lei? Foi adicionada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa, e foi promulgada por meio de anjos, pela mão de um mediador. Ora, o mediador não é de um, mas Deus é um. É, porventura, a lei contrária às promessas de Deus? De modo nenhum! Porque, se fosse promulgada uma lei que pudesse dar vida, a justiça, na verdade, seria procedente de lei. Mas a Escritura encerrou tudo sob o pecado, para que, mediante a fé em Jesus Cristo, fosse a promessa concedida aos que crêem. Mas, antes que viesse a fé, estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados, para essa fé que, de futuro, haveria de revelar-se. De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé. Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio.

I.

CONTEÚDO DO ANTIGO TESTAMENTO

No Antigo Testamento temos: 5 livros Lei, 12 Históricos, 5 Poéticos, 17 Proféticos (5 Maiores e 12 Menores, pela extensão do livro). Veja o que Henrietta C. Mears escreve no seu livro Estudo Panorâmico da Bíblia: O Antigo Testamento começa o que o Novo completa. O Antigo se reúne ao redor do Sinai. O Novo ao redor do Calvário. O Antigo está associado com Moisés. O Novo com Cristo (Jo 1:17 - Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.).

1. Pentateuco
Conjunto dos cinco primeiros livros bíblicos, escritos por Moisés, confirmados pelo próprio Senhor Jesus Cristo, é assim formado:

- 73 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

a) Gênesis é o livro das origens, apresenta Jesus Cristo, nosso Deus Criador. Escrito em: 1450-1410 a.C. b) Êxodo é o livro da redenção, apresenta Jesus Cristo nosso Cordeiro Pascal. Escrito em 1450-1410 a.C. c) Levítico é o livro do culto e da comunhão, apresenta Jesus Cristo como Nosso Sacrifício pelo Pecado, escrito em 1450-1410 A.C. d) Números fala das experiências de um povo peregrino apresentando Jesus Cristo como o que Foi Levantado, escrito em: 1450-1410. e) Deuteronômio é um livro de instruções para o povo que iam tomar posse da terra prometida. Escrito também entre 1450-1410 a.C., aproximadamente.

2. Livros históricos
São doze que narram a ascensão e a queda da teocracia, os cativeiros de Israel e Judá, o retorno à terra prometida e a restauração do templo e da cidade de Jerusalém. Os livros Históricos são assim apresentados: a) Josué apresenta Jesus Cristo como Capitão da Nossa Salvação, escrito por Josué, apresentando a conquista de Canaã, escrito no XIV século a.C.. b) 2-Juízes, é um livro de autor desconhecido, escrito no século XI a.C., apresentando Jesus Cristo como nosso Juiz Libertador, descrevendo derrotas e livramentos do povo de Deus. c) Rute, também de autor desconhecido, escrito no século XI a.C., onde o Senhor Jesus Cristo é apresentado como Nosso Parente Resgatador. d) I Samuel, também é um livro de autor desconhecido que apresenta Jesus Cristo como Nosso Rei, escrito no século X a.C., onde se destacam as pessoas de Samuel, Saul e Davi. e) II Samuel, cuja autoria é desconhecida, continua apresentado Jesus Cristo como nosso Rei, descreve o reinado de Davi, escrito também no século X a.C.. f) I e II Reis têm autorias desconhecidas, escritos no VI século a.C., apresentam Jesus Cristo como Rei e trabalha a história de Israel e Judá. g) I e II Crônicas, de autor (es) desconhecido (s), apresentam Jesus Cristo como Rei, contém descrições genealógicas e foram escritos no V século a.C.. h) Esdras é o nome do autor desse livro, onde Jesus Cristo é apresentado como Nosso Restaurador, descreve a volta do cativeiro babilônico e foi escrito no V século a.C.. i) Neemias também é outro livro que traz o nome do seu autor, o Senhor Jesus Cristo continua apresentado como o Único Restaurador com a narrativa da reconstrução dos muros de Jerusalém. j) Ester é o livro que apresenta Jesus Cristo como Nosso Advogado, de autoria desconhecida, destaca a providência de Deus, foi escrito no V século a.C..

- 74 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

3. Livros poéticos e da sabedoria
São seis, apesar de todo o Velho Testamento ter passagens poéticas, como em Êxodo 15:1-21*, Juízes 5**, e em grande parte das obras proféticas, mas esse segmento bíblico se destaca pela extensão e beleza poética. A base da poesia hebraica é o paralelismo do pensamento. Na introdução dos livros Poéticos da Bíblia com as referências e anotações de Dr. C.I. Scofield, temos o comentário: "O ritmo não é buscado pela semelhança de sons, como nos versos com rima, ou pelo acento métrico, como nos versos brancos (embora a poesia hebraica não seja totalmente sem acento), mas principalmente pela repetição, pelo contraste e pela elaboração de idéias". Como vemos em Sl 25:4 - Faze-me, SENHOR, conhecer os teus caminhos, ensina-me as tuas veredas; Salmo 1:6 - Pois o SENHOR conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá; e Jó 11:8 - Como as alturas dos céus é a sua sabedoria; que poderás fazer? Mais profunda é ela do que o abismo; que poderás saber?. a) Jó é um livro de autor desconhecido apresentando Jesus Cristo como Meu Redentor, tendo uma forte abordagem sobre o problema do sofrimento. b) Os Salmos apresentam Jesus Cristo, Nosso Tudo em Todos. O Tema deste livro é o louvor, escrito por Davi e outros no X século a.C. e mais tarde. c) Salomão e outros autores escreveram Provérbios onde Jesus Cristo é a Nossa Sabedoria, no século X a.C.. d) Eclesiastes é o livro seguinte que foi escrito por Salomão onde o assunto básico é o raciocínio do homem, escrito também no século X a.C., onde o Senhor Jesus Cristo é apresentado como a Finalidade da Vida. e) Salomão também escreveu Cantares, Jesus é O que Ama Nossa Alma, escrito no século X A.C..

4.

Livros proféticos

Foram escritos por homens chamados por Deus para um ministério profético com objetivos de reavivamento em nome de Deus, não perdendo a consciência patriótica. A mensagem tanto era para o momento como também tinha o aspecto preditivo em relação à invasão de Israel e o seu cativeiro pelo reino babilônico, Exílio, os livros proféticos podem ser divididos em três grupos: a) Pré-exílicos: Isaias, Jeremias, Oséias, Joel, Amós, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque e Sofonias. b) Exílicos: Ezequiel, Daniel e Obadias. c) Pós-Exílicos: Ageu, Zacarias e Malaquias. A divisão em profetas maiores e menores, com base no simples volume dos livros, não é histórica e não é cronológica. a) Pré-Exílios - Ordem cronológica dos profetas 1. 2. 3. 4. 5. Joel (cerca 850-700A. C.), Jesus o Restaurador; Jonas (cerca 800 a.C.), Jesus Cristo Nossa Ressurreição e Vida; Amós (cerca 780-755 a.C.), Jesus é o Divino Lavrador; Oséias (cerca 760-710 a.C.), Jesus, O que Encaminha o Desviado; Miquéias (cerca de 740 a.C.), Jesus Cristo é apresentado como o a Testemunha Contra Nações Rebeldes; 6. Isaías (cerca de 740-680 a.C.), apresenta Jesus Cristo como o Messias;
*, ** Passagens incluídas no final do livro (Passagens bíblicas)

- 75 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

7. Naum (cerca 700-615 a.C.), Jesus Cristo e a Fortaleza no Dia da Angústia; 8. Sofonias (cerca de 700-615 a.C.), Jesus é o Senhor Zeloso; 9. Habacuque (630-620 a.C.), Jesus, O Deus da Minha Salvação; 10. Jeremias (626-580 a.C.), Jesus e o Renovo da Justiça. b) Os Profetas Exílicos 1. Daniel (604-535 ªC.), Jesus e a Pedra que Esmiúça; 2. Ezequiel (593-570), Jesus é O Filho do Homem; 3. Obadias (cerca de 585 ªC.), Jesus é o Nosso Salvador.

O Conteúdo da Bíblia é...
- A mente de Deus - O estado espiritual do homem - O caminho da salvação - A condenação dos pecadores - A felicidade dos crentes - Alimento para sustentar as Doutrinas santas - Preceitos obrigatórios - Histórias verídicas - Decisões imutáveis - Luz para dirigir - Conforto para alegrar

c) Os profetas do Pós-Exílio 1. Ageu (520 a.C.), Jesus, O Desejado de Todas as Nações; 2. Zacarias (520-518 a.C.), Jesus, O Renovo da Justiça; 3. Malaquias (450-400 a.C.), Jesus é o Sol da Justiça.

II. O CONTEÚDO DO NOVO TESTAMENTO
Logo depois da ressurreição de Cristo e de sua ascensão, os que foram testemunhas oculares de sua glória foram a todos os lugares pregando o Evangelho. De boca em boca anunciavam as boas novas que o Mestre havia trazido. Com o passar dos anos surgiu a necessidade de registrar o que ensinavam. Foi aí que os livros do Novo Testamento começaram a ser escritos. O ambiente de perseguição no qual foram escritos ratifica que o Novo Testamento foi escrito com sangue. Desde o sangue vertido na cruz do Calvário até o sangue dos apóstolos. As epístolas de Paulo foram os primeiros escritos do Novo Testamento, num total de 13. Foram escritas entre 52 e 67 AD, ou DC, tanto faz. As epístolas de Hebreus a Judas foram escritas entre 68 a 90 AD. O livro de Atos foi escrito em 63 AD, os Evangelhos, entre os anos 60 a 65, o de João em 85 AD. Algumas das epístolas de Paulo foram escritas depois dos evangelhos sinóticos (os três primeiros evangelhos e literalmente este vocábulo significa: “o que de um só golpe de vista abrange várias coisas”.) 1Tm 5:18 - Pois a Escritura declara: Não amordaces o boi, quando pisa o trigo. E ainda: O trabalhador é digno do seu salário. O Apocalipse é o mais novo livro do Novo Testamento Foi escrito em 96 AD durante o reinado do imperador Domiciano. O Novo Testamento foi escrito com a finalidade da revelação da pessoa e ensinos do Senhor Jesus Cristo, o mediador da Nova Aliança. Oito pessoas escreveram o Novo Testamento, no mínimo quatro (Mateus, João, Pedro e Paulo) eram Apóstolos. Marcos e Lucas foram companheiros dos apóstolos. Tiago e Judas eram irmãos do Senhor Jesus. Os livros do Novo Testamento também não estão em ordem cronológica. Os escritores não são como os ocidentais, detalhistas e cronológicos. Escrevem como se o assunto tratado fosse do conhecimento de todos. O leitor que trate de arrumá-los. Esse é um dos milagres da Bíblia: Deus não usou o homem como uma máquina. Conseguiu fazer no estilo de cada um, com que sua palavra fosse escrita sem erros ou contradições.

- 76 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

O Novo Testamento tem 27 livros classificados em 4 grupos: BIOGRAFIA (4 Evangelhos), HISTORIA (1 Histórico), EPISTOLAS (21 Epístolas - 14 Paulinas e 7 Gerais) e PROFECIAS (1 livro Profético). Foi escrito em Koinê, idioma comum dos gregos, levado a quase todo o mundo existente, pôr Alexandre.

1. Biografia
Os quatro primeiros livros do Novo Testamento (Mateus, Marcos, Lucas e João), são os Evangelhos. Os três primeiros (Mt, Ma e Lc) também chamados Sinópticos, devido ao paralelismo entre eles. Os Evangelhos eram conhecidos na Igreja Primitiva como “O EVANGELHO”. A razão de haver quatro Evangelhos se compreende pelo seguinte: MATEUS – Escrito em hebraico, se dirige aos Judeus e apresenta Jesus como o MESSIAS. MARCOS – Se dirige aos romanos e apresenta Jesus como o REI VITORIOSO E VENCEDOR. E o menor deles. LUCAS JOÃO – Escrito à Igreja e apresenta Jesus como O FILHO DO HOMEM, é o mais completo. – Se dirige a Igreja e apresenta Jesus como O FILHO DE DEUS. É o mais espiritual.

2. História
É o livro de Atos dos Apóstolos. Registra a história da Igreja primitiva.

3. Epístolas
São 21. Vão de Romanos a Judas. Contém a doutrina da Igreja, se subdividem da seguinte maneira: ECLESIASTICAS – São nove. Dirigidas a Igreja. De Ro a II Te. Ro, I Co, II Co, Gl, Ef, Fi, Co, 1Te e 2Te. INDIVIDUAIS COLETIVA UNIVERSAIS – São quatro. Dirigidas a Indivíduos. De I Ti a Fl. I Ti, II Ti, Tt e Fm. – A carta aos Hebreus. Dirigida aos Hebreus Cristãos. – São sete. Dirigidas a todos indistintamente. De Tiago a Judas. Embora II e II Jo sejam dirigidas a pessoas, se enquadram ai. Ti, I Pe, II Pe, I Jo, II Jo, III Jo e Jd.

4. Profecia
É o livro do apocalipse. Trata da volta pessoal do Senhor à Terra e das coisas que precederão esse glorioso evento.

- 77 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

5. Outras características do Novo Testamento
1. A palavra "evangelho" significa "boa nova". Esses quatro livros trazem uma Boa Nova: JESUS CRISTO, filho de Deus, Sua vida, morte e ressurreição. 2. O livro seguinte, o quinto livro, é chamado de Atos dos Apóstolos, que na realidade são atos do Espírito Santo. Este livro é histórico: contém o relato dos primeiros anos da Igreja, numa expressão de poder na propagação da Verdade. 3. Os livros seguintes são as cartas chamadas "Epístolas". Alguns desses livros levam os nomes das igrejas a que foram dirigidas, por exemplo: Romanos, Coríntios, Colossenses, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses e Tessalonicenses; outros, de indivíduos para os quais foram dirigidas as cartas, como Timóteo, Tito e Filemon. Há um livro que se refere a uma comunidade geral: Hebreus. Também temos os que receberam os nomes dos seus autores: Tiago, Pedro, João e Judas. Dessas cartas trezes são do Apóstolo Paulo, uma cujo autor não conhecemos com certeza (Hebreus); uma de Tiago (ou Jacó), duas de Pedro, três de João e uma de Judas; totalizando vinte e uma cartas, que objetivam um ensinamento direcionado para que conheçamos melhor a graça e vontade de Deus. 4. Por último temos, o último livro do Novo Testamento: O Apocalipse. "Apocalipse" é uma palavra de origem grega que significa "revelação". É um livro escrito fortemente em símbolos e sinais que realisticamente trata das coisas que acontecem e ainda estão para acontecer. Destacamos o seguinte trecho deste livro: "Ap 1:3 - Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo" .

III. RESUMO DO NOVO TESTAMENTO
O Novo Testamento (NT) compõe-se de: 1. 2. 3. 4. Quatro (4) livros sobre a vida de Cristo, chamados "Evangelhos". Um (1) livro sobre a história da Igreja durante seus primeiros passos. 21 cartas que ampliam o ensinamento sobre as verdades maiores: o Evangelho. Um (1) livro profético. "Por detrás e por baixo da Bíblia, acima e além, está o Deus da Bíblia".

A mensagem central da Bíblia é a salvação mediante Jesus Cristo, esta é a grande mensagem escrita em todos os seus 66 livros, por 40 autores, abrangendo um período de aproximadamente 1600 anos. A maior parte do Velho Testamento foi escrita em hebraico, pequenos trechos em aramaico e o Novo Testamento foram escrito na língua grega. O apóstolo Pedro escreveu: "2Pe 1:21 - Homens falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo". Na Bíblia temos a expressão da comunicação humana, sob o pensamento e inspiração divina. A Bíblia é uma forma de revelação contínua ligando uma eternidade passada com uma eternidade futura. O Antigo Testamento é o alicerce; O Novo Testamento é a superestrutura. O alicerce é inútil se não se construir sobre ele. Um edifício é impossível ser construído, a não ser que haja um fundamento.

Assim, o Antigo Testamento e o Novo Testamento são essenciais um ao outro. O Novo está contido no Antigo. O Antigo está explicado no Novo. O Novo está latente no Antigo. O Antigo está patente no Novo. Jesus Cristo é o amor de Deus revelado. A Bíblia é a Sua palavra escrita. Sejamos leitores da Bíblia obedientes, práticos e ativos no serviço do Reino do Senhor Jesus.

- 78 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS

(LIÇÃO 10)

1. O que significa a palavra bíblia e de onde se origina?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
2. Transcreva o comentário de Henriqueta C. Mears.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
3. Qual o conteúdo do Antigo Testamento?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
4. O Novo Testamento foi escrito com que finalidade?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
5. Qual o significado da palavra evangelho?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
6. Qual a mensagem central da Bíblia?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
7. Faça um comentário resumido do conteúdo do Novo Testamento.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 79 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 80 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 11 AUTORES DA BÍBLIA
Os livros da Bíblia são, do ponto de vista literário, registros de fatos e acontecimentos, tradições, costumes e histórias do povo de Deus. Nesse aspecto, devemos considerar que fica muito difícil atribuir, na maioria dos livros a autoria. Os livros costumam levar o nome do seu personagem principal e com raras exceções pode-se afirmar que foi aquele personagem quem o escreveu. Não existe um original da Bíblia ou de um livro bíblico. São centenas e às vezes milhares de fragmentos que foram ajuntados para se compor determinado livro. Os manuscritos antigos são por isso, chamados de originais. Existem vários estudos sobre a composição da literatura bíblica. Modernamente, os mais aceitos pela área acadêmica são os da crítica literária moderna ou “alta crítica”. Os estudiosos dessa corrente admitem para o Pentateuco, por exemplo, várias escolas literárias que produziram textos paralelos e que depois houve uma tentativa de harmonizar os textos paralelos e que depois houve uma tentativa de harmonizar os textos produzidos em um só, formando então os livros. Para o Novo Testamento, principalmente em relação aos Evangelhos, a teoria é semelhante. Por mais sérios que possam ser esses estudos, não podemos desconsiderar o fato de que são apenas “teorias”. Os cristãos de todos os tempos têm preferido aceitar o Plano de Deus na revelação e inspiração da Bíblia aceitando o que Ela diz literalmente

I.

QUEM SÃO OS AUTORES DA BÍBLIA

Já ouvimos falar sobre os diversos autores de livros da Bíblia, como Moisés, Paulo e outros. Talvez você esteja perguntando: Como pode ser a Bíblia a palavra de Deus se os homens a escreveram? Deus se tem revelado ao homem principalmente por três recursos: a) A revelação na natureza. (Sl 19:1 - Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos; At 14:17 - contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria; Rm 1:20 - Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis. b) A revelação pessoal em Seu Filho (Jo 1:18 - Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou).

- 81 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

c) A Bíblia, Sua Palavra escrita: uma forma exata e permanente (sagrada).

Tabuinhas de El-Amarna, escritas por reis cananeus do faraó egípcio.

Conforme 2Tm 3:16 (Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça), Deus inspirou as Sagradas Escrituras.Inspirou prejudicar as características de cada escritor. "Se o próprio Deus tivesse escrito, a Palavra escrita não seria mais exata e mais autoritária do que é”.Há trechos bíblicos que foram dados diretamente por Deus, como Ex 20:1 (Então, falou Deus todas estas palavras:); Lv 1:1 (Chamou o SENHOR a Moisés e, da tenda da congregação, lhe disse:) e Dt 5:4 (Face a face falou o SENHOR conosco, no monte, do meio do fogo). A inspiração bíblica é divina, não é a inspiração psico-física de um poeta ou artista.

II. A FONTE DIVINA

O apóstolo Pedro foi bem claro na sua afirmação: "2Pe 1:21 - porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens de Deus [santos] falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo”.

1. Os autores humanos
O apóstolo Paulo escrevendo aos romanos (Rm 3:2 - Muita, sob todos os aspectos. Principalmente porque aos judeus foram confiados os oráculos de Deus), diz, referindo-se aos judeus: "...as palavras de Deus lhes foram confiadas." Então, sob a inspiração divina a Bíblia foi escrita, inspiração esta testada pelos próprios escritores do Velho Testamento, inclusive há diversas expressões "assim diz o Senhor", ou expressões semelhantes. (2Sm 23:2-3 - O Espírito do SENHOR fala por meu intermédio, e a sua palavra está na minha língua. Disse o Deus de Israel, a Rocha de Israel a mim me falou: Aquele que domina com justiça sobre os homens, que domina no temor de Deus; Is 59:21 - Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o SENHOR: o meu Espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se apartarão dela, nem da de teus filhos, nem da dos filhos de teus filhos, não se apartarão desde agora e para todo o sempre, diz o SENHOR; Jr 1:9 - Depois, estendeu o SENHOR a mão, tocou-me na boca e o SENHOR me disse: Eis que ponho na tua boca as minhas palavras).

- 82 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Cristo afirma a inspiração do Velho Testamento (Mt 5:18 - Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra; Mt 22:42-43 - Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Responderam-lhe eles: De Davi. Replicou-lhes Jesus: Como, pois, Davi, pelo Espírito, chama-lhe Senhor, dizendo:; Mc 12:36 - O próprio Davi falou, pelo Espírito Santo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés; Jo 10:35 - Se ele chamou deuses àqueles a quem foi dirigida a palavra de Deus, e a Escritura não pode falhar). Os apóstolos dão o mesmo testemunho (At 1:16 - Irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo proferiu anteriormente por boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam Jesus; At 4:24-25 - Ouvindo isto, unânimes, levantaram a voz a Deus e disseram: Tu, Soberano Senhor, que fizeste o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há; que disseste por intermédio do Espírito Santo, por boca de Davi, nosso pai, teu servo: Por que se enfureceram os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs?; At 28:25 - E, havendo discordância entre eles, despediram-se, dizendo Paulo estas palavras: Bem falou o Espírito Santo a vossos pais, por intermédio do profeta Isaías, quando disse:; Hb 3:7 - Assim, pois, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz; Hb 10:15-16 - E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto, após ter dito: Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei; 2Pe 1:20-21 - sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo). Esta confirmação da veracidade das Escrituras, não foi só de palavra, mas com a própria vida. Henrietta C. Mears, diz em seu livro Estudo Panorâmico da Bíblia: "O Antigo Testamento é o relato de uma nação (a nação hebraica). O Novo Testamento é o relato de um Homem (o Filho do homem). A nação foi estabelecida e alimentada por Deus com o fim de trazer o Homem ao mundo" (Gn 12:1-3 - Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra). Os escritores da Bíblia foram judeus, com exceção do Evangelho de Lucas e provavelmente e Livro de Atos. Então, há uma diversidade de autores humanos da Bíblia: a) Todos, provavelmente exceto Lucas, eram judeus. b) A Bíblia foi escrita num período de aproximadamente 1600 anos. c) Deus usou para escrever este livro aproximadamente 40 pessoas. - Desconhecemos a autoria literária de alguns livros. - De outros não há absoluta certeza. d) Interessante que todos os 66 livros apresentam uma unidade.

2. A palavra viva: Cristo
"Deus se fez homem para que saibamos o que pensar quando pensamos em Deus (Jo 1:14 - E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.; Jo 14:9 - Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis). Sua aparição na terra é o acontecimento central de toda a História. O Antigo Testamento prepara o terreno para isso. O Novo Testamento o descreve" (H.C. Mears). A Bíblia tem vencido o tempo, as culturas, as perseguições direcionadas, tanto de cunho religioso como ideológico, assim, tem demonstrado uma prática secular que realmente é uma revelação escrita de Deus, nos trazendo a história de Cristo e a vida eterna aos homens.

- 83 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 84 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS

(LIÇÃO 11)

1. Por que devemos considerar difícil a autoria dos livros bíblicos?

___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
2. Baseado em que, chamamos os manuscritos antigos de originais?

___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
3. Quem são os autores da Bíblia?

___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
4. Quais os recursos da revelação? Cite versículos.

___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
5. O que é revelação pessoal? Cite versículos.

___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________

- 85 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

6. O que é inspiração divina?

____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________
7. Cite alguns versículos que afirme a autoria da Bíblia.

___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
8. Qual a finalidade da encarnação de Cristo?

___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
9. O que diz Pedro a respeito das Escrituras?

___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
10. Qual o tempo gasto para a escrita completa da Bíblia?

___________________________________________________________ ___________________________________________________________

- 86 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 12 A BÍBLIA ATÉ NÓS
O Velho Testamento foi escrito em hebraico, a linguagem dos israelitas. Uma língua própria para expressar os anúncios, as antecipações e as profecias. O Novo Testamento foi escrito em grego, que era a língua única da época, suficiente para o propósito de Deus na comunicação universal do Evangelho. Por ser uma língua precisa, foi própria para levar com exatidão a mensagem da encarnação, morte e ressurreição do Filho de Deus. Os judeus tinham a prática de queimarem reverentemente os manuscritos bíblicos, depois de havê-los copiado com a maior meticulosidade, quando estavam quase inutilizados pelo uso, o que implicou em não termos mais nenhum dos originais do Velho Testamento quanto ao Novo Testamento existem hoje aproximadamente quatro mil manuscritos em grego, referentes ao todo ou a certas partes. A crítica textual é a ciência extensiva que investiga o texto original do Novo Testamento. Os drs. Wescott e Hort, grandes cientistas nesta área, afirma que "A soma do que se pode chamar uma variação considerável, apenas tem algo mais que uma milésima parte do texto inteiro". E o sábio inglês, Sir Frederic Kenyon, afirma que nenhuma doutrina do cristianismo está baseada em versículo discutível. No Museu Britânico existe um manuscrito completo do Novo Testamento com data do Século IV. E, recentemente descobriram porções que procedem do Século II, havendo um fragmento do Evangelho de João feito no ano 125, sendo escrito pelo apóstolo em cerca de 85-90 a.D..

I.

DIRECIONAMENTO BÍBLICO

1. O VELHO TESTAMENTO - É lógico que os primeiros ouvintes do Velho Testamento foram os israelitas, porém a sua mensagem é dirigida ao mundo inteiro. Deus sempre incluiu estrangeiros no Seu serviço e na participação da sua graça. O Novo Testamento tem um direcionamento mais universalista, como diz Paulo: "Digo pois, que Jesus Cristo foi ministro da circuncisão, por causa da verdade de Deus, para que confirmasse as promessas de Deus aos pais; e para que os gentios glorifiquem a Deus pela sua misericórdia" (Rm 15:8-9 - Digo, pois, que Cristo foi constituído ministro da circuncisão, em prol da verdade de Deus, para confirmar as promessas feitas aos nossos pais; e para que os gentios glorifiquem a Deus por causa da sua misericórdia, como está escrito: Por isso, eu te glorificarei entre os gentios e cantarei louvores ao teu nome). 2. OS QUATRO EVANGELHOS - De acordo com a época, Mateus dirigiu-se num estilo próprio para os judeus. Marcos aos romanos.Lucas e João ao mundo grego. O livro de Atos começa com a ordem de Cristo aos discípulos de levar o Evangelho até os confins da terra (At 1:8 - mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra).

- 87 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

3. AS CARTAS - São ensinamentos a crentes espalhados em toda a terra, após receberem a mensagem evangélica. "Estas coisas vos escrevi, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus" (1Jo 5:13 - Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus).

II. AS PRIMEIRAS TRADUÇÕES
Sempre houve empenhos para que a Bíblia fosse traduzida para línguas comuns. Há três traduções que são importantes por serem antigas, são testemunhas primitivas dos textos antigos.

VERSÃO DOS SETENTA - É uma tradução em grego do VELHO TESTAMENTO, feita entre os anos 280 e 130 a.C., e é conhecida por "Septuaginta", porque a tradição diz que é o resultado de setenta sábios hebreus, convocados em Alexandria, no Egito, pelo rei Ptolomeu Filadelfo. Esta versão era muito usada pelos apóstolos.

VULGATA LATINA - Versão foi feita por Jerônimo no fim do Século IV. No Século IV havia diversas versões em latim, divergentes entre si, e a igreja entregou a Jerônimo, grande conhecedor do hebraico e do grego, a tarefa de preparar uma versão confiável em latim. Os colegas de Jerônimo preferiam as antigas versões defeituosas. Somente no Século VI que a Vulgata Latina de Jerônimo começou a receber a aceitação da maioria. A Igreja Católica Romana, desde o fim do Século XVI, tem adotado esta versão como oficial.

VERSÃO SIRÍACA PESHITO - Esta versão é a terceira de interesse, facilitada para o idioma da Síria. Provavelmente a primeira tradução do Novo Testamento tenha sido esta. Estas versões citadas são importantes porque foram usadas para traduções mais recentes.

LIVROS APÓCRIFOS - Nas versões dos Setenta e na Vulgata Latina encontram-se outros livros (I Esdras, II Esdras, Tobias, Judite, o resto de Ester, Sabedoria de Salomão, Eclesiástico, Baruque, a Epístola de Jeremias, o Canto do Três Mancebos, a História de Suzana, Bel e o Dragão, A Oração de Manassés, I Macabeus, II Macabeus, O Códice Alexandrino acrescenta ainda III e IV Macabeus, num total de 16 livros) que são considerados "apócrifos" (ocultos); os próprios judeus não aceitaram esses livros inspirados por Deus mesmo aparecendo na Vulgata Latina, o próprio Jerônimo não os aceitou como inspirados. A Igreja Evangélica considera esses livros fora do Cânon Sagrado pelas razões básicas: contem erros históricos geográficos e cronológicos, aprovam a mentira, o suicídio, o assassinato, os encantamentos mágicos, as orações aos mortos, salvação por meio de gratificações, descrição do sobrenatural de uma forma grotesca e ridícula. No Concílio de Trento (1546 d.C.) a Igreja Ocidental passou a considerá-los autoritários com o voto de 53 prelados sem conhecimentos históricos destacados sobre documentos orientais, encontrando oposição de grandes homens como o cardeal Polo que afirmou que assim agira o Concílio a fim de dar maior ênfase às diferenças entre católicos romanos e os evangélicos. Outro destacado líder católico, Tanner afirmou que a Igreja Católica Romana encontrou nesses livros o seu próprio espírito (Após Introdução ao Antigo Testamento, Dr. Donaldo D. Turner, IBB).

- 88 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

VERSÕES PORTUGUESAS - Portugal com todo o seu valor histórico e sentimento religioso não deixou uma tradução da Bíblia em língua popular. O primeiro esforço para divulgação das Escrituras em português foi da rainha Leonora, esposa de D. João, rei de Portugal, que em 1495 mandou imprimir uma tradução da Vida de Cristo, escrita em latim por Ludolfo da Saxônia. Em 1505 a mesma rainha mandou imprimir uma versão dos Atos dos Apóstolos e das Epístolas Universais de São Tiago, São Pedro, São João e São Judas. Em 1495 apareceu uma edição litúrgica das Epístolas e Evangelhos traduzidos por Gonçalo Garcia.

A VERSÃO DE ALMEIDA - João Ferreira de Almeida nasceu em Lisboa em 1628, filho de católicos e entre os holandeses aceitou a fé na Igreja Reformada, aos treze anos de idade, cuja conversão se atribui à leitura de um folheto em espanhol sobre a diferença entre a Igreja Reformada e a Romana. Antes de completar quinze anos de idade traduziu de espanhol para o português um resumo dos Evangelhos e Epístolas. E aos dezesseis anos traduziu o Novo Testamento do latim, consultando as versões espanholas, italianas e francesas, como também a Liturgia e Catecismo de Heidelberg. Em 1656 foi ordenado ministro, falecendo em 1691. Escreveu várias obras, sendo o destaque a Bíblia em português. A primeira edição do Novo Testamento de Almeida foi impressa em Amsterdã, em 1681. A primeira edição completa do Velho Testamento do padre Almeida foi impressa de 1748 a 1753 em dois volumes. A parte que Almeida não chegou a traduzir, de Ez 48:21, em diante, foi obra de Jacob Ofden Akkar, ministro na Batávia. Almeida levou sua vida pregando o Evangelho em Java, Ceilão e na Costa de Malabar.

- 89 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 90 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS
1. Como a Bíblia chegou até nós?

(LIÇÃO 12)

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
2. Quais as línguas originais da Bíblia?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
3. Quantos manuscritos existem aproximadamente?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
4. O que afirma o sábio inglês Sir. Frederic Tenyon?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
5. A quem foi dirigido o Antigo Testamento?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
6. Os quatro evangelhos foram dirigidos a quem?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
7. Qual a finalidade das cartas?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 91 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

8. Porque temos tantas traduções?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
9. O que é a “Versão dos Setentas”?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
10. Descreva a “Vulgata Latina”.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
11. O que são livros apócrifos?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
12. O que significa cânon sagrado?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
13. Fale sobre as versões portuguesas.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
14. Qual o valor das versões de Almeida para você?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 92 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

LIÇÃO 13 PERÍODO INTER-BÍBLICO
No período inter-bíblico aconteceram fatos de suma importância na evolução religiosa e política do povo, que trouxeram resultados e conseqüências nos dias de Jesus e até os dias de hoje. Entre as profecias de Malaquias e João Batista se estende um período de 400 anos, ou seja, entre as palavras de Malaquias: "Eis que eu envio o meu anjo, que preparará o caminho diante de mim: e de repente virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais...", e as palavras de João Batista: "E naqueles dias apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia, e dizendo: “Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus". Embora não seja vital para o entendimento dos evangelhos, o conhecimento certo do período entre o Velho e o Novo Testamento, é necessário se quisermos apreciar plenamente as cenas e incidentes que ergueram as cortinas deste período entre Malaquias e Matheus que abrange cerca de 400 anos, chamado de "período negro" da História Israel, por não ter surgido um profeta ou escritor inspirado, cumprindo o salmo 74:9, época que foi escrito os dois livros apócrifos 1 e 2 Macabeus. Duzentos anos antes, Israel havia sido conquistado pela Babilônia (587 a.C.), e durante este cativeiro o Império Babilônico foi derrubado pelo medo Persa; Ciro, imperador persa expede decreto em 536 AC.(50 anos depois) provocando a volta dos remanescentes, no reinado Zorobabel, cerca 50.000, e 21 anos mais tarde com muitos obstáculos, a construção do novo templo completada em 515aC. No ano 458aC, 50 anos após, Esdras se juntou com mais duas mil pessoas, restaurando a Lei e o ritual, e no ano de 446aC, doze anos após, Neemias chega a Jerusalém para reconstruir os muros e ser o governador, existindo, agora, novamente o Estado dos Judeus na Judéia, sem o domínio Persa. Os remanescentes que voltaram foram apenas uma pequena parte, sendo que a parte maior da nação preferiu permanecer na Babilônia, onde prosperavam e eram tratados mais como colonos do que como cativos. A massa Judaica continuava dispersa e a história continuaria nos remanescentes que voltaram, e para apreciar corretamente temos que analisar o aspecto político e aspecto religioso.

I.
1. Período persa

ASPECTOS POLÍTICOS

O final de Malaquias os judeus se achavam ainda sob o reinado persa e permanecerem nessa situação durante praticamente sessenta anos da era intertestamentária. A forma sacerdotal do governo judeu foi respeitada e sumo sacerdote recebeu ainda maior poder civil além de seus ofícios religiosos, embora tivesse de, naturalmente, prestar contas ao governador persa da Síria.

- 93 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Em 2Reis 17:24-34*, lemos que bem antes, em 721 AC, depois de destruir o reino das dez tribos de Israel e dispersar os israelitas através das cidades dos medos, o rei da Assíria repovoou as cidades de Israel com um povo misto que veio a ser chamado de “samaritanos”, seu território sendo conhecido como Samaria, o nome da cidade principal, ex-capital de Israel.

2. Período grego
Assim como Daniel tinha profetizado (Dn 8:1-7** “chifre notável”), o império persa caiu perante o rei da Grécia. Este era Alexandre o Grande. Ele expandiu o helenismo com maior ímpeto já que praticamente se tornou o senhor do antigo oriente médio. O idioma grego se tornou a língua franca, foi a língua que foi usada no comércio e na diplomacia. Ao se aproximar a época do Novo Testamento, o grego era a língua comumente falada nas ruas de Roma, onde o proletariado indígena falava latim, mas onde os escravos libertos falavam grego. Alexandre o Grande fundou setenta cidades moldando-as ao estilo grego. Ele e os seus soldados se casaram com mulheres orientais misturando as culturas grega e oriental. Com a morte de Alexandre o império se divide em quatro partes, governadas pelos quatro generais de Alexandre (Ptolomeu, Lisímaco, Cassandro e Seleno, Cf. Dn 8:21-22 - mas o bode peludo é o rei da Grécia; o chifre grande entre os olhos é o primeiro rei; o ter sido quebrado, levantando-se quatro em lugar dele, significa que quatro reinos se levantarão deste povo, mas não com força igual à que ele tinha.). As partes que influenciam o pano de fundo do Novo Testamento são: Ptolomeu( os Ptolomeus) e Seleno ou Seleuco (os Seleucidas). O primeiro centralizava-se no Egito, tendo Alexandria como capital. Os seleucidas tinham por centro a Síria e Antioquia era a sua capital. Espremida entre o Egito e a Síria, a Palestina tornou-se vítima da rivalidade destes dois.

3. Período egípcio
No começo dominaram a Palestina durante 122 anos (320-198). Os judeus gozaram de uma boa condição de vida. O sumo sacerdote era o governador e aplicava as leis. O templo era o centro da vida nacional. A festa da Páscoa, das Semanas e dos Tabernáculos eram realizadas no próprio templo. Mantinha-se o estudo da lei e durante este período a interpretação da mesma se desenvolveu com pormenores. Foi sob o reinado de Ptolomeu Filadelfo que se realizou a versão do Antigo Testamento para o grego. Esta ficou conhecida como Setuaginta (LXX). A obra foi realizada no Egito (Alexandria), onde setenta e dois eruditos fizeram esta tradução. Apesar das vantagens do povo judeu, este era um povo relativamente pobre, pagava um imposto baixo, pois as guerras constantes tinham empobrecido a terra.
* Passagem incluída no final do livro (Passagens bíblicas) ** Esta passagem se encontra na página 69

O rei Tutancâmon, o jovem faraó egípcio do século XIV a.C.

- 94 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

4. Período sírio
Houve constantes lutas até que a Palestina caiu sob o domínio da Síria, mas o que mais importa para compreensão do Novo Testamento é a figura de Antíoco Epifanio (176-164) e os seus atos. O seu nome significa “deus manifesto”.

Quando o rei anterior a Antíoco IV, chamado Antíoco III tinha derrotado os egípcios (Ptolomeus), já os judeus estavam divididos em duas facões: A casa de Onias (Pró-Egito) e a casa de Tobias (PróSíria). Quando subiu Antíoco IV, rei da Síria, substituiu o sumo sacerdote judeu Onias III, pelo irmão deste Jasom, helenizante, o qual planejava transformar Jerusalém em uma cidade grega.

Foi erigido um ginásio com pista de corrida. Ali se praticavam corridas despidos, à moda grega, isto era um ultraje para os judeus piedosos. As competições eram inauguradas com invocações feitas as divindades pagãs, participando até sacerdotes judeus. A helenização incluía a freqüência aos teatros gregos, vestes ao estilo grego, a cirurgia que removia a marcas da circuncisão e a mudança de nomes hebreus por gregos. Os que se opunham a esta paganização eram os “hasidim” ou “os piedosos”, a grosso modo seriam os puritanos.

Jasom o sacerdote helenizante foi substituído por outro judeu helenizante que parece não ter pertencido a uma família sacerdotal, este pagou um tributo mais elevado (simonia), o nome deste era Melenau.

Antíoco tenta anexar o Egito ao seu domínio, mas termina falhando. Isto chega aos ouvidos de Jasom de que Antíoco era morto. Jasom retornou a Jerusalém retirou Melenau do controle da cidade. Antíoco na sua volta interpretou isto como uma revolta de Jasom e enviou seus soldados a reintegrarem Melenau e saquearam a cidade e o templo de Jerusalém e passaram ao fio de espada os seus habitantes. Dois anos mais tarde (168 AC), Antíoco enviou seu general Apolonio com um exército de 22 mil homens para coletar tributo, tornar ilegal o judaísmo e estabelecer o paganismo à força e assim consolidar o seu império e refazer o seu tesouro. Os soldados saquearam Jerusalém, incendiaram a cidade, os homens mortos e as mulheres escravizadas.

Novas leis e Proibições: Ofensa capital é circuncidar-se; proibido observar o sábado; celebrar festas judaicas, possuir copias do Antigo Testamento. Os sacrifícios pagãos tornaram-se compulsórios. Foi eregido um altar consagrado a Zeus, possivelmente no templo. Foram sacrificados animais imundos no altar e a prostituição sagrada passou a ser praticada no templo de Jerusalém.

- 95 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

5. A revolta dos Macabeus
Neste período houve em torno de oito guerras. Judas Macabeus morreu na sétima luta sendo sucedido por Jônatas o quinto mais jovem filho de Matatias. A revolta começou com Matatias, sacerdote de Modim (167). Após a sua morte seu filho Judas (166161) continuou a luta com seis mil homens. Quando Antíoco mandou sessenta mil homens para subjugá-lo, Judas mandou os temerosos para a casa. Com três mil homens derrotaram os sírios. Em seguida Judas entrou em Jerusalém e reedificou o templo (25 de dezembro de 166 AC). A festa da dedicação foi instituída no ano 164 (Cf. Jo 10:22 - Celebrava-se em Jerusalém a Festa da Dedicação. Era inverno.). O significado da opressão siria e a revolta dos macabeus: restaurou a nação da decadência política e religiosa. Criou um espírito nacionalista, uniu a nação e suscitou virilidade. Deu um novo impulso ao judaísmo, isto pode ser percebido na purificação moral e espiritual do povo; na onda da literatura apocalíptica e numa nova e intensa esperança messiânica. Intensificou-se o desenvolvimento dos dois movimentos que se tornaram os fariseus e os saduceus. Os primeiros surgiram do grupo purista e nacionalista e os saduceus surgiram do grupo que se aliou com os helenistas. Houve um ímpeto maior da diáspora onde muitos judeus queriam ausentar-se durante as perseguições de Antíoco.

6. Período romano
O General Pompeu subjuga a Palestina (63AC) e o período do Novo Testamento fica sob o domínio do Império Romano. Imperadores ligados às narrações do Novo Testamento: Augusto (27AC-14DC), sob quem ocorreram o nascimento de Cristo, o recenseamento e os primórdios do culto ao Imperador. Tibério (14-37DC), ministério e morte de Jesus. Calígula (37-41DC) exigiu que lhe prestassem culto e ordenou que sua estátua fosse colocada no templo de Jerusalém, mas veio a falecer antes que sua ordem fosse cumprida. Cláudio (41-54DC), expulsou de Roma os residentes judeus por distúrbios civis, entre os quais estavam Áquila e Priscila. Nero (54-68DC) perseguiu os cristãos, embora provavelmente nas cercanias de Roma, e sob quem Pedro e Paulo foram martirizados. Vespasiano (69-79DC), ainda general romano começou a esmagar uma revolta dos judeus, tornou-se imperador e deixou o restante da tarefa ao seu filho Tito, numa campanha que atingiu o seu clímax com a destruição de Jerusalém e seu templo, em 70DC. Domiciano (81-96DC), cuja perseguição contra a Igreja provavelmente serviu de pano-de-fundo para a escrita o Apocalipse, como encorajamento para os cristãos oprimidos.

7. Herodes, o grande
Os romanos permitiam a existência de governantes nativos vassalos de Roma, na Palestina. Um deles foi Herodes o Grande, que governou o país sob os romanos de 37 a 4AC. O senado aprovou o oficio real de Herodes, mas ele foi forçado a obter o controle da Palestina mediante o poder das armas.

- 96 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

A Dinastia de Herodes

a) Arquelau tornou-se etnarca da Judéia, Samária e Iduméia b) Herodes Filipe, tetrarca da Ituréia, Traconites, Gaulanites, Auranites e Batanéia c) Herodes Antipas, tetrarca da Galiléia e Peréia d) Herodes Agripa I, neto de Herodes o Grande, executou Tiago e também encarcerou Pedro e) Herodes Agripa II, bisneto de Herodes o Grande, ouviu Paulo em sua autodefesa Antecedentes na vida de Herodes: mostrou grande zelo no seu governo, erradicando os bandidos que tinham infiltrado a Galiléia. Os primeiros 12 anos (37-25AC) foram gastos na luta pelo poder. Os segundo doze anos (25-13AC) foram os seus melhores anos. Os últimos nove anos (13-4AC) se caracterizaram pela crueldade e amargura. Os sucessos de Herodes: usou de muito mais tato na sua tentativa de helenizar os judeus, que Antíoco Epifânio. Com espetáculos, jogos, etc. ganhou a lealdade dos jovens que se tornaram herodianos. Aumentou a fortaleza de Jerusalém denominada “Antonia” (At 21:34 - Na multidão, uns gritavam de um modo; outros, de outro; não podendo ele, porém, saber a verdade por causa do tumulto, ordenou que Paulo fosse recolhido à fortaleza.). Edificou a Cesaréia (At 10:1 - Morava em Cesaréia um homem de nome Cornélio, centurião da coorte chamada Italiana; At 23:23-24 - Chamando dois centuriões, ordenou: Tende de prontidão, desde a hora terceira da noite, duzentos soldados, setenta de cavalaria e duzentos lanceiros para irem até Cesaréia; preparai também animais para fazer Paulo montar e ir com segurança ao governador Félix). Reconstruiu o templo de Zorobabel, cuidando de não ofender os judeus. Começou em 20AC. Completando o santuário em 18 meses e o templo todo só em 64 DC (Cf. Jo 2:20 - Replicaram os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este santuário, e tu, em três dias, o levantarás?).

II. ASPECTOS RELIGIOSOS
O fato da Palestina ter mudado seis vezes de mãos, fez também que os judeus mudassem. Surgiram seitas (fariseus, saduceus...), Instituições (sinagogas...), envolvendo a nação inteira neste culto - o Judaísmo - desenvolvimento e volta do Antigo Testamento. Os judeus (o povo) e o judaísmo (a religião) praticamente coexistindo, encontravam-se e um implicava o outro.

Depois da morte de Salomão, houve a divisão do reino único de Davi, o Reino do Norte com dez tribos e Samária como capital, e do Sul - Judá - com a capital Jerusalém. O Reino do Norte foi conquistado pelos assírios, que repovoaram a terra com mistura heterogênea de cativos de outras religiões que em 721aC. Tornou-se conhecido como SAMARITANOS, enquanto que Judá sucumbiu ao poder Babilônico, destruindo Jerusalém, e o povo cativo por 70 anos, causando grande impacto no povo judeu neste período Inter Bíblico.

- 97 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

1. Sinagogas
Não existiam no Velho Testamento. Passou a ser importante, e a lei que era transmitida, e foi dela que a primeira Igreja Cristã, como organizada pelos apóstolos, extraiu a sua constituição, e principais formas de adoração, bem como os títulos, a forma, etc... Quanto aos discípulos, a jurisdição da Sinagoga passou ser ampla, inevitável onde a lei eclesiástica e civil era uma só.

2. Escribas
Os escribas que devem ser distinguidos dos sacerdotes e dos fariseus - que vemos no Novo Testamento, e que se desenvolveram no período inter-bíblico, são uma classe de peritos profissionais estudiosos na interpretação e aplicação da Lei e do Velho Testamento, e não são os mesmos encontramos nas narrativas do Velho Testamento, passando, agora, depois do exílio, a constituir uma ordem especialmente distinta na Nação, devido a cinco fatores: 1 - conversão do povo, deixando a idolatria e abraçando a ardente fé na religião e escrituras. 2 - necessidade de professores pela separação de sua pátria, capital e templo. 3 - mudança da língua do hebraico para o aramaico. 4 - aparecimento e difusão da SINAGOGA. 5 - interrupção das profecias e interesse na palavra escrita - as escrituras.

3. Sacerdotes
Suas funções estavam ligadas inteiramente com as cerimônias oficiais e deveres da adoração do Templo, função esta que poderia ser acumulada com a de escriba, fariseu, abrangendo áreas distintas de sua vida.

4. Fariseus
Coletivamente tratava-se de uma SEITA poderosa e extraordinária, dito pelo Senhor, e esta forte oposição teve conseqüências fatais, como a dissolução dos casamentos efetuados durante o exílio babilônico, bem como pela importância e prestígio que passou a ter o Sumo Sacerdote - autoridade sagrada e civil - o que tornou o cargo ambicionado, pensando mais em suas vantagens políticas do que espiritual, levando à falta de escrúpulos, criminalidade e degradação do cargo, prejudicando o curso da história da nação. Os Fariseus (que significa separatista) e os Saduceus surgiram em oposição. Os fariseus nos dias de João Hircano, como um movimento histórico, representando a subdivisão dos líderes e povo, com dedicação aos primeiros ideais do judaísmo, sendo oriundos dos Hasidim - os "PIEDOSOS" agrupados trinta ou quarenta anos secretamente, com o objetivo de preservar a fé judaica, porque o enlouquecido Antíoco Epifânio procurava exterminá-la. Podemos dizer que os escribas por vocação seriam fariseus por convicção, embora tendo como "armadilha" a facilidade de cair na hipocrisia. No princípio se esforçavam para com os deveres escribas, fracassando, obedeciam somente no exterior, ocultando-se na máscara da piedade, pecando e se acostumando a pecar e a sua hipócrita prática.

- 98 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Ressaltando que muitas obras eram sinceras e dedicadas apesar de má concentrada, foram os fariseus responsáveis nas lutas para alcançar o poder, incitaram o povo à guerra civil contra o rei e os saduceus obrigando Alexandre Janus a fugir, lideraram insurreição no reinado de Aristóbulo II, e 80 anos de independência sob dinastia hasmoneu (macabeus) somando aos ensinamentos dos fariseus, provocaram a reação violenta dos judeus quando se tornou parte do Império Romano. Sua marca - a ritualística - que não se contenta com a palavra escrita de Deus e a verdade do evangelho, sentindo necessidade de acrescentar suas principais idéias, tornando a religião complexa, cujo peso tornava a religião um pesado fardo para os homens carregarem.

5. Saduceus
Outro grupo divergente e inimigo dos sacerdotes e escribas desenvolveu quando os profetas não operavam. Eles emergiram junto com os fariseus, como um "grupo Social", bem menor que os fariseus, pertencentes às ricas e poderosas famílias dos sacerdotes, que formavam a aristocracia da nação judaica, embora não tinham grande influência na massa do povo, e como acontece aos políticos, a lei de Deus não se aplicava à política. A seita dos saduceus mantinha inimizade com os fariseus, e foram responsáveis pela crucificação de Jesus, mas não podemos generalizar, porque nem todos os sacerdotes eram necessariamente saduceus. Sua marca - o racionalismo - não pode aceitar a Palavra escrita de Deus, nem a verdade do Evangelho, onde precisa ser julgado no tribunal da razão humana, cortando-se várias coisas para poder tornar a fé mais racional e convincente, por não querer acreditar em anjos ou demônios, ressurreição dos mortos ou qualquer outro milagre.

6. Zelotes
Quarta seita, que concordava com os conceitos judaicos, afirmando que Deus deve ser o único Rei e Senhor, não se preocupam com a morte, e se revoltavam contra os romanos, pelo abuso de autoridade. Representavam de maneira dinástica o partido nacionalista judeu, que provocaram o choque furioso com Roma, resultando completa ruína e saque de Jerusalém; movimento iniciado pelos Macabeus em 63 a.C., oposição esta a Roma pela força das armas, que criou um pretexto para a violência.

7. Essênios
Seita que reaparecera em três tipos: ortodoxo, heterodoxo e peculiares; que se satisfazia em viver o espírito da lei, retiravam da sociedade humana comum, vivendo isolados no campo; praticando um estilo monocrástico de vida e um tipo rústico de judaísmo. Eram super judeus e Moisés sua principal autoridade. Eles se desligaram dos sacrifícios no templo, por possuírem purificações próprias, eram considerados infalíveis, isolados, só viviam em casa de sua propriedade, rejeitavam o comércio e a cobiça; tomavam refeições com sacrifícios preparados por seus sacerdotes, se opunham à guerra e alguns até renunciavam ao casamento.

8. Herodianos
- 99 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Grupo político com objetivo em promover a causa do governo de Herodes, e não se davam com os fariseus, que se odiavam, motivo pelo qual surpreendeu a sua união contra o Senhor. Sua marca era - os secularistas - não se importavam em somar ou subtrair, não se preocupavam com a palavra escrita de Deus, a mensagem do evangelho, a fé entregue aos santos, sendo que seu interesse estava na vida de hoje, passando por cima de tudo.

9. Triângulo perverso
Fariseus, saduceus e herodianos juntos na Judéia se odiavam, com sentimentos de desprezo e maldosos. Os três grupos se uniram em oposição assassina contra o Deus-homem. Na hora da mais profunda degradação de Israel; quando o reino Herodes parecia zombar das aspirações dos israelitas fiéis, seus filhos contemplavam os rugidos do Senhor - verdadeiro Rei do reino de Deus.

10. Seitas
Que surgiram na antigüidade, se apresentam como nove a cada geração, surgidos entre os mais modernos cristãos. Esses grupos que praticamente surgiram no período inter-bíblico e que difere sensivelmente um do outro, mas farão causa comum contra o cristianismo evangélico, que pedem unicamente o próprio Cristo e a Palavra de Deus, SEITAS estas que continuam falando até os dias de hoje.

11. Sinéprio
Cuja tradição remonta de Moisés, quando designou 70 anciãos para julgar o povo, pode ter havido acordo entre a corte e o sumo-sacerdote em suas responsabilidades, no período inter-bíblico; que após ficou suficientemente poderoso, sendo temporariamente dissolvido durante a revolta dos Macabeus e restaurando depois da conclusão vitoriosa desse conflito, e consistiam a verdadeira corte de julgamento de leis orais e escritas para os judeus.

12. Talmude
É a grande coleção de escritos que abrange e determina as leis religiosas e civis do povo judeu, preceitos, regras, interpretações e instituições; em adição ao Antigo Testamento, são eles abertamente guiados.

13. Mishna
Ou lei oral, copiosa agregação de regras e regulamentos, cuidadosamente interpretada e deduzida da lei escrita de Moisés pelos escribas, principalmente durante o período inter-bíblico, que hoje faz parte do TALMUDE, e pretende expandir e expor a lei escrita, deve ser explicada e completada.

- 100 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

EXERCÍCIOS

(LIÇÃO 13)

1. Defina o período inter-bíblico segundo o teu parecer.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
2. Qual a importância do período inter-bíblico para a igreja?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
3. Em quantos períodos podemos dividir os aspectos políticos e quais foram eles?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
4. Cite os acontecimentos de vital importância de cada período.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
5. Qual a finalidade e o ponto positivo do período dos macabeus?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 101 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

6. O que você entende por dinastia?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
7. Cite a dinastia dos Herodes na seqüência dos acontecimentos.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
8. Quais as táticas usadas por Herodes para helenizar os judeus?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
9. Quando e como se deu a divisão do reino de Davi?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
10. Cite os aspectos religiosos desta época e destaque os mais importantes ou poderosos.

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
11. O que se define por triângulo perverso?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________
12. Qual a diferença entre Talmude e Mishma?

_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

- 102 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

SISTEMAS DE MEDIDAS NAS ESCRITURAS

Medida é a "grandeza conhecida e determinada que se toma base para a valiação de outras grandezas do mesmo gênero". As medidas gerais variam de acordo com épocas e locais diferentes. Vários intérpretes consideram as medidas de formas diferenciadas. Nesta matéria foram utilizadas várias fontes de pesquisa, de forma que não usamos refêrencias em meio aos textos ou tabelas.

As tabelas das medidas
Todas as medidas constantes nas tabelas são aproximadas e tem suas correspondências distintas em várias fontes de consultas. A primeira coluna especifica a medida com o nome traduzido ou transliterado, tal como aparece nas maiorias das versões em língua portuguesa. A segunda coluna, "Nome", de cada tabela, deve ser compreendida como "Nome original", que vem a ser o termo hebraico ou grego encontrado nos originais dos textos da coluna "Referências". No caso dos termos hebraicos, há tão somente as transliterações, enquanto que no caso dos termos gregos, há a grafia original seguida da transliteração. Após cada termo grego há geralmente a transliteração aproximada.

Medidas do Velho Testamento
Pesos
Relação Correspondência Referências unidade básica, 2 becas 11,4 gramas de prata Gn 23:15; 2 Rs 6:25 1/20 do siclo 0,57 gramas de prata Ex 30:13; Ez 45:12 1/2 siclo, 10 geras aprox. 6 g Ex 38:26 50 siclos 570 gramas de prata 50 siclos (1 Rs) 570 g (1 Rs) mina maneh 1 Rs 10:17; Ez 45:12 60 siclos (Ez) 680 g (Ez) talento kikar 60 minas, 3000 siclos cerca de 34 kg (ouro / prata) Ex 25:39 talento grego 26,2 kg 1 e 2 Mc (apócrifo) A medida gerá era a menor unidade de peso existente. A palavra kikar, traduzida por "talento" também quer dizer pão redondo, disco de chumbo, peso. Medida siclo gerá beca libra de prata Nome sheqel gerah beqa'

Medidas de comprimento
Medida 1) dedo 2) palmo menor 3) palmo 4) côvado cana vara passo jornada de um dia skenos gômed Nome etzevah tophar (mão) zeret Relação largura da mão (4 dedos) Polegar ao dedo mínimo ver *1 6 côvados Corresp. -2 cm 7,5 cm Referências Jr 52:21 Ex 25:25 (?); 37:12; 2 Cr 4:5; Sl 39:5 (?)

(egípcio) ??

ignorado

22,5 cm Ex 28:16; 39:9; 1 Sm 17:4 (3 mãos) 45-52 cm Gn 6:15; 7:20; Dt 3:11; 1 Sm 17:4; 1 Cr 11:23; Et 5:15 3 metros Ez 40:3, 5; 42:16 2,67 m 1,50 metros 1 Sm 20:3; 2 Sm 6:13 35 km Gn 30:36; 31:23; Nm 10:33 5-6 km 2 Mc 11:5 (apócrifo); σταδιουσ, stadious (Septuaginta) ignorado Jz 3:16 somente

- 103 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

As medidas numeradas na página anterior encontram-se especificadas por seus respectivos números no infográfico ao lado. *1) O côvado era a distância do cotovelo à ponta do dedo médio (cerca de 2 palmos).

Medidas de superfície
Medida Nome Relação Corresp. Referências jeira 1 Sm 14:14; Is 5:10; Ez 45:14 (?) Aparentemente não havia sistema de medidas quadradas, dentre os judeus. A superfície era apenas medida sendo dado o número de côvados da largura e comprimento. A jeira, única medida de superfície registrada nas escrituras, não tinha suas dimensões fornecidas.

Medidas de capacidade
Para secos
Medida efá cabe gômer Nome ephah kab Relação unidade básica 1/18 do efa 1/10 do efá 1/3 do efá 5 efás Corresp. 37 litros 2,05 litros 3,7 litros 12,3 litros 185 litros Referências Ex 29:40; Lv19:36; Nm 15:4; 28:5; Jz 6:19 2 Rs 6:25 Ex 16:16, 22, 36; Lv 27:16; Is 5:10; Os 3:2 Gn 18:6; 1 Sm 25:18 2 Rs 7:1

seá seah letec letheck alqueire O efá tinha também a medida de 3 arrobas.

Para líquidos
Medida Nome Relação Corresp. Referências log 1/12 do him 1/2 litro him 1/6 do bato 6,2 litros Ex 29:40; Ez 4:11 bato igual ao efa 37 litros 1 Rs 7:26, 38; 2 Cr 2:10; Ed 7:22; Ez 45:14 coro 10 batos 370 litros 1 Rs 4:22; Ez 45:14 ômer 360 litros Ez 45:14 O bato tinha a mesma capacidade do efa, a saber, 37 litros e era o dízimo do hômer, medida básica: "A efa e o bato serão duma mesma medida, de maneira que o bato contenha a décima parte do hômer, e a efa a décima parte do hômer; o hômer será a medida padrão." (Ez 45:11). O efá tinha também a medida de 3 arrobas.

- 104 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Medidas do Novo Testamento
Medida moeda quadrante leptos ceitil centavo asse dinheiro denário dracma didracma estáter talento Nome νομισμα, nomisma κοδραντη, kodrante λεπτον, lepton κοδραντη, kodrante κοδραντη, kodrante ασσαριον, assarion αργυριον, argurion δεναριον, denarion δραχμα, drachma διδραχμα, didrachma στατερ, státer ταλαντον, talanton Relação nome genérico 1/4 asse, 2 leptos 1/2 quadrante, 1/8 asse tradução tradução 1/10 a 1/16 dinheiro nome genérico salário de um dia aprox. ao dinheiro 2 dracmas 4 dracmas 6000 dracmas/denários Corresp. Referências Mt 22:19 moeda de cobre Mc 12:42 0,8 g de cobre Mc 12:42; Lc 12:59; 21:2 Mt 5:26 Mt 5:26 0,25 g de prata Mt 10:29 Mt 25:18,27 ver nota abaixo 4 g de prata Mt 18:28; 20:2,9,10,13; 22:19; Lc 10:35 3,6 g de prata Lc 15:8 7,2 g de prata Mt 17:24 14,4 g de prata Mt 17:27 21,6 kg de prata Mt 18:24; 25:15,16,20,22

O termo grego νομισμα, nomisma, "moeda" ou "regra", é derivado de νομος, nomos, "lei". É um nome genérico para o valor monetário básico indistinto. Jesus referia-se ao objeto em si, a moeda, sem aludir ao nome que lhe conferiria valor e distinçào. Provavelmente era um δεναριον, denarion, o denário romano. O κοδραντη, kodrante, era a menor moeda romana em circulação. As duas pequenas moedas da viúva, juntas, alcançava este ínfimo valor. No texto original de Mt 5:26 o termo encontrado é κοδραντη, kodrante, ou quadran, menor moeda romana, de pequeno valor, traduzido por centavo, menor moeda de nosso conhecimento, centésima parte da unidade monetária do Brasil, ou ceitil, moeda em curso no tempo de D. João I, valendo um sexto do real da época. Na passagem paralela deste texto, Lc 12:59, o termo é λεπτον, lepton, menor moeda judaica, de metade do valor do quadrante. A intenção dos dois autores não é estabelecer um valor fixo e correspondente, pois estariam em contradição, mas mostrar a obrigação inflexível do dever, "pagando até o último centavo", ou até moedas tão ínfimas como o quadran e o lepto. O λεπτος, leptos, era a menor moeda judaica em circulação e a única desta origem citada no Novo Testamento. Valia muito pouco, cerca de 2% do valor do denário, ou seja, o pagamento de quinze minutos ou menos de trabalho. Tem o seu nome derivado do termo grego λεπτος, leptos, que significa "despojado da própria pele", "desnudo", "delgado", "fino", delicado", "leve", e vem do verbo λεπω, lepo, "pelar", "descascar", "desnudar". Pode-se notar pelos significados que o leptos não tinha nenhuma camada externa de prata ou ouro, mas era feito de materiais menos nobres como o cobre ou bronze, extremamente fino ou delgado, portanto de pequeno peso e destituído de valor monetário, conferindo pouco poder de subsistência e compra a seu ganhador ou portador. Dois dessem pequenos leptos era toda a renda da pobre viúva de Mc 12:42. Não havia oferta menor que dois leptos. Portanto aquele viúva ofertou a menor soma, porém tudo o que possuia. Asse, em grego ασσαριον, assarion, moeda romana de quase nenhum valor, embora valia quatro vezes mais que o quadrante e oito vezes o lepto. Seriam necessários dez deles para pagar apenas um dia de trabalho. Era usado pelos gregos, romanos e judeus como símbolo daquilo que não tem algum valor. O pássaro de Mt 10:29, na realidade um pardal (στρουθια, strouthia), tem tão pouco valor que dois deles valiam 1 asse, ou virtualmente nada. Lucas chega a afirmar que cinco deles valem duas desta moeda, reputando-os por menos (Lc 12:6). Apesar de serem reputados por nada, pela parte do homem, Jesus demonstra o cuidado de Deus com a criação, informando que não cairá nenhum deles ao chão sem o consentimento do Pai, que jamais se esquecerá deles (Dt 22:6). O termo traduzido como dinheiro, αργυριον, argurion, tem o significado inicial de "prata", ou "moeda de prata". É um nome genérico, como a "moeda" de Mt 22:19. No texto proposto pela tabela, Mt 25:18,27, o termo encontrado, segundo o contexto, é "moeda de prata". Trata-se da parábola dos talentos e somente ao que recebe um talento é dito "...αργυριον τον κυριου αυτου.", "...o dinheiro do seu senhor." (v. 18) e "...τα αργυρια μου...", "...o meu dinheiro..." (v.27), sem aplicar-lhe valores e correspondências monetárias. Mas seu valor é claramente especificado em "...ο το εν ταλαντου ειληφως..."; "...o que recebera um talento..." (v. 24), "...το ταλαντον σου...", "..o teu talento..." (v. 25); "...το ταλαντον...", "...o talento..." (v.28). Portanto os versículos 18 2 27 trazem um termo genérico, "dinheiro" ou "moeda de prata" e os versículos 24, 25 e 28 o especificam como "um talento". Não se pode confundir o termo empregado "dinhero" como um denário, salário diário, cerca de 4 gramas de prata, com o talento, 6.000 denários, ou dias de trabalho, ou aproximadamente 20 anos, algo mais que 20 kg de prata. O denário, δεναριον, denárion, tinha a efígie do imperador Tibério ou Agusto e era de prata, sendo um generoso salário ou pagamento pelo trabalho de um dia (Mt 20:3) e o bastante para fornecer refeições a 25 homens (Mc 6:37), pois eram 5000 homens presentes na multiplicação (Mc 6:44) e os discípulos perguntaram a Jesus se levariam 200 denários para comprar pão (pois a soma era razoável, cerca de 7 meses de trabalho e seria um número fabulos de pães a ser comprado por com tal valor). Ora, 200 denários para 5000 homens, permitiriam que 25 homens se alimentassem com apenas um único denário. Na parábola do servo incompassivo de Mt 18:23-35, este exige que um de seus conservos (συνδουλων) pague-lhe o que deve, isto é, cem denários (εκατον δεναρια), três meses e meio de trabalho. Não podendo, lançou-lhe na prisão. Sua falta de misericórdia se contrasta com o perdão que lhe fora dado por parte do rei, pois devia-lhe a exorbitância de dez mil talentos (v. 24) ou 60 milhões de denários, algo simplesmente impossível de pagar, pois iria muitíssimo além do que o curto período da vida

- 105 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

humana poderia ganhar, necessitando de um perdão incondicional e total do rei. Ele devia 60 milhões de denários, foi perdoado. Seu conservo lhe devia 100 denários e foi lançado na prisão por este ingrato servo sem a menor compaixão. No texto da parábola dos trabalhadores da vinha (Mt 20:1-16), o proprietário regulou o salário diário como um denário. Por dia de trabalho entende-se o tempo compreendido entre o nascer-do-sol e o aparecimento das estrelas. Nesta parábola é proposta a equidade do Senhor e a igualdade dos galardões, pois os que começaram a trabalhar logo no início do dia ganharam o mesmo daqueles que começaram o labor às 9:00h (hora terceira), ao meio-dia (hora sexta), às 15:00h ou três horas da tarde (hora nona) e aos últimos, que só iniciaram seu trabalho às 17:00h ou cinco da tarde (hora undécima), ou seja, uma hora antes do término do expediente do dia. Em Mt 22:19 um denário (δεναριον, denárion) foi apresentado à Jesus como a moeda do tributo (νομισμα του κηνσου, nomisma tou kensou) onde era cunhada a imagem (εικων, eikon, v. 20) de Tibério, bem possivelmente e em seu anverso a inscrição (επιγραφη, epigrafe). Na parábola do bom samaritano (Lc 10:30-37), este entrega ao hospedeiro, para que cuide do "...homem que descia de Jerusalém..." (v. 30) a generosa quantia de dois denários (v. 35), suficiente para alimenar 50 homens, ou a diária de dois dias. Para a mulher da parábola das dracmas (Lc 15:8-10) perder uma dracma (δραχμα, drachma), dentre as dez que economizara era mesmo motivo de sua diligência em não só acender a candeia, mas varrer meticulosamente a casa. Talvez este pequeno montante fosse a difícil poupança de uma pobre habitante da Palestina dos tempos de Jesus. A didracma (διδραχμα, didrachma) é descrita em Mt 17:24 como o imposto anual que o judeu pagava ao tesouro do templo, cobrado de Jesus através de Pedro, que foi pago de maneira miraculosa, através da pesca de um único peixe (Mt 17:27), dentro do qual havia um estáter, moeda grega de valor próximo a 4 dracmas ou 2 didracmas, com o qual foi pago o tributo da dupla. O στατηρ, státer, moeda de ouro ou prata é originado do termo grego ιστημι, istemi, verbo que também significa "fixar", "instituir", nos trazendo a idéia de que o státer era o valor e moeda instituida e fixada como base no sistema monetário grego. Foi encontrado no interior do peixe que Pedro pegou com anzol, a mando de Jesus, a fim de pagar o tributo de ambos (Mt 17:27). O talento, em gergo ταλαντον, talanton, era também o peso legal, cerca de 26 kg, e poderia ser de ouro, prata ou cobre, sendo de um valor monetário altíssimo, equivalendo a cerca de 6.000 denários, ou algo como 6.000 dias de trabalho, ou mesmo 20 anos de tarefas para o homem comum. O homem da parábola dos talentos de Mt 25:14-30 entregou somas altíssimas à confiança de seus criados ou servos, a saber: 1) ao primeiro entregou 5 talentos, 30.000 denários (ou dinheiros), mais do que um homem poderia angariar em toda sua vida: mais de 90 anos de trabalho. 2) ao segundo conferiu 2 talentos, ou 12.000 denários, ou mesmo 40 anos de trabalho. 3) ao último deu apenas um talento, cuja relação já conhecemos. Os dois primeiros dobraram os valores recebidos, mostrando terem empreendido e aplicado de maneira eficiente tais somas. O último, nada fez.

Pesos
Medida arrátel libra (romana?) talento Nome original Relação λιτραν λιτραν Correspondência 327,5 gramas 327,5 gramas 26-36 kg de prata/cobre Referências Jo 12:3 Jo 12:3; 19:39 Ap 16:21

Medidas de comprimento
Medida côvado braça estádio milha jornada de um sábado jornada de um dia Nome Relação πηχυς, pékus οργυια, orguia 4 côvados σταδιον,stadion 400 côvados 1/8 milha μιλιον, milion σαββατον εξον οδον ημερας οδον Corresp. 45-60 cm 1,80 m 180 m 1480 m Referências Mt 6:27; Jo 21:8; Ap 21:17 At 27:28 Lc 24:13; Jo 6:19; 11:18; Ap 14:20,24; 21:16 Mt 5:41

1- 1,2 km At 1:12 35 km Lc 2:44

A palavra grega πεκυσ, pekus, usada para designar o côvado, significa "cotovelo", "braço" ou "vara". O côvado que Jesus disse que os ansiosos não podiam acrescentar à sua estatura (Mt 6:27) não pode ser tomado como medida de comprimento, mas de tempo, visto que acrescentar de 45 a 50 cm à estatura física seria um verdadeiro milagre. Como o côvado é a medida de quase dois pés ou mesmo um passo, uma melhor traduçào do testo seria "...qual de vós... pode acrescentar um passo à sua vida?". Desta forma, "passo" seria o decorrer do tempo na caminhada da vida, em lugar de apenas uma estéril medida de comprimento. No incidente da pesca miraculosa, após a ressurreição de Cristo, os discípulos, à excessão de Pedro, foram ao encontro do Mestre a partir do barquinho onde estavam, "...distantes da terra senão cerca de duzentos côvados." (Jo 21:8). Estes "duzentos côvados" (πηχων διακοσιων) somariam cerca de cem metros. O côvado usado para a medida do muro da cidade de Nova Jerusalém em Ap 21:17 é "...medida de homem, isto é, de anjo...", expressão de dificílima interpretação. A orguia é uma medida derivada do termo ορεγμα, oregma, "ação de estender (os braços)", que

- 106 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

se origina do verbo ορεγω, orego, que lembra o ato de estender os braços abrindo-os, como numa cruz. Esta medida, a οργυια, orguia, traduzida por "braça" é a distância entre os dedos médios, de braço à braço, abertos em cruz. Durante a viagem de Paulo de Antioquia a Roma, quando no mar de Adria (At 27:27), os marinheiros lançaram a sonda (βολισαντες, de βολις, "sonda") a fim de medirem a profundidade (embora ευρον, no texto, signifique "largura"). Encontraram, inicialmente, vinte braças (οργυιας εικοσι), ou 36 m. Logo mais adiante alcançaram 15 braças (οργυιας δεκαπεντε), 27 m (At 27:28). A sonda (βολις), ou prumo, era uma linha (corda ou cabo) com um peso de chumbo ou outro material na ponta, lançada até tocar ao fundo, oferecendo a medida de profundidade. O σταδιων, stadion, era a oitava parte da milha romana, tendo a equivalência de cerca de 125 passos ou 185 m. Era uma medida grega. A aldeia de Emaús distava de Jerusalém 60 estádios (σταδιουσ εξηκοντα), ou mais de 10 km (Lc 24:13). Quando Jesus andava sobre o mar (Jo 6:11), os discípulos o encontraram após remarem vinte e cinco estádios (σταδιους εικοσι πεντε, stadious eikosi pente), algo como 4,5 km; ou mesmo 30 estádios (τριακουτα, triakouta), 5,4 km. A variação (25 ou 30 estádios) é dada pelo próprio escritor. Mateus diz estar o barco "...muitos estádios da terra..." (σταδιους πολλους απο της γης, stadious pollous apo tes ges) em Mt 14:24, sem se importar com detalhes. João era pescador, computava distâncias no mar com facilidade. Mateus tratava com medidas monetárias, visto ter sido cobrador de impostos. Marcos se cala sobre a questão (Mc 6:45-51). No texto de Jo 11:18, a distância entre Betânia e Jerusalém era de "...quinze estádios..." ou 1875 passos percorridos em cerca de 45 minutos, alcançando algo como 3 km. Os conhecidos de Marta e Maria caminharam esta distância a fim de consolarem a família do morto Lázaro. Já no texto de Ap 14:20, a extensão do juízo apocalíptico é de 1.600 estádios, algo próximo a 300 km, alcançando quase todo o comprimento da Palestina. Em Ap 21:16, a cúbica cidade de Nova Jerusalém (sua altura, largura e comprimento são idênticos) foi medida por uma cana em 12.000 estádios, ou os fantásticos 2220 km. Durante o sermão da montanha (ou do monte), nos λογοι a respeito da verdadeira aplicação e observância da lei mosaica, Jesus fala de uma medida de comprimento: a milha (μιλιον, milion). Há traduções para o texto que trazem "...caminhar mil passos..."e outras "...andar uma milha...". O texto grego traz "...αγγαρευσει μιλλιον εν..." (Mt 5:41). Uma milha romana media mil passos ou cerca de 1480 metros, quase 1,5 km. Os soldados romanos constrangeram um judeu de Cirene a suportar o peso da cruz de Cristo (Mt 27:32; Mc 15:21). A tradução de A Bíblia Viva, 9 ed, SP: Editora Mundo Cristão, 1996, traz: "Se um soldado exigir que você carregue a mochila dele por um kilômetro, carregue dois." A tradução parafrásica traz luz à compreensão atual, mas não a correspondência correta, visto que a milha, como vimos, vai além do kilômetro da tradução. Ocorre o mesmo na versão A Bíblia na Linguagem de Hoje. O termo "jornada de um sábado"deriva-se da expressão σαββατον εξον οδον, sabbaton exon odon, que seria a distância que seria permitida caminhar no sábado. após a ressurreição e ascensão de Cristo, os discípulos voltaram para Jerusalém do Monte das Oliveiras, próximo àquela cidade "...a distância da jornada de um sábado..." (σαββατου εχον οδον, sabbaton echon odon) (At 1:12). Esta medida era o percurso de dois mil passos ou 1,2 Km. O termo "jornada de um dia"deriva-se da expressão ημερας οδον, emeras odon, "caminho de um dia". Quando Maria e José procuravam a Jesus durante a viagem de regresso à Galiléia, tiveram que percorrer o extensíssimo comboio de várias famílias com seus animais e pertences, por vários quilômetros, pois era bastante numerosa a caravana que vinha de Nazaré. O casal, à proucura do pequeno Jesus, percorreram durante um dia "...entre parentes e conhecidos..." (συγγενευσιν και τοις γνωστοις, sungeneusin kai tois gnostois). Estima-se terem caminhado 35 km na empreitada.

Medidas de capacidade
Para secos Medida medida (quénice) coro Nome χοινιξ, koinix κορος, koros Relação medida para trigo ou cevada 10 batos Corresp. 1,1 litro 370 litros Referências Ap 6:6 Lc 16:7

O κορος, koros, transliterado para coro, medida para secos que podia também ser usada para líquidos, era como o "ômer", equivalendo a 10 batos. No texto de Lc 16:7, o segundo devedor da parábola do mordomo infiel (Lc 16:1-13) devia 100 coros de trigo ou 37.000 litros, uma porção considerável. Algumas traduções de Ap 6:6 trazem "...queniz de trigo..." ou "...quênice de trigo..." (χοινιξ σιτον, koinix siton) e "...três quenizes de cevada..." ou "...tres quenices de cevada..." (τρεις χοινικες κριθων, treis koinikes krithon). A medida aí é o koinix, ou quêniz grego, algo proximo a 450 g, o que podia ser consumido por um homem em um dia. a profecia apocalíptica aponta para uma época de extrema carestia, pois com um denário (δεναριον), salário pelo trabalho de todo um dia, podia-se comprar tão somente a quantidade inferior a meio quilo de trigo, o que talvez não saciasse um homem, quanto mais toda sua família. A cevada (κριθων), cereal mais trivial e barato, era comprado em tres destas porcões pelo mesmo preço, ou seja, menos de um quilo e meio, o que será abusivamente caro.

- 107 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Para líquidos Medida alqueire medida medida, bato cado metreta, almude Nome μοδιον, modion σατον, saton βατος, batos tradução μετρετες, metretes cerca de 1/3 do bato igual ao bato V.T. aprox. ao bato Relação Correspondê ncia 8,75 litros 13 litros 37 litros 40 litros Referências Mt 5:15; Mc 4:21 Mt 13:33; Lc 13:21 Lc 16:6 Jo 2:6

O μοδιον, módion, traduzido por "alqueire", é uma medida usada através de uma vasilha, possivelmente de barro, como um vaso, objeto bastante familiar e comum em qualquer casa. Era usada para medir cereais, grande o bastante para receber mais que oito litros deste conteúdo. Outro uso que se dava para esta medida era o apagar das candeias, facho de madeira acesa que iluminava o interior da casa. O velador era um suporte para a candeia, que impedia de cair de certa altura da parede. Desta forma Jesus assevera em Mt 5:5 e Mc 4:21 que "...nem os que acendem uma candeia a colocam debaixo do alqueire, mas no velador, e assim ilumina a todos que estão na casa." e "Vem porventura a candeia para se meter debaixo do alqueire, ou debaixo da cama? não é antes para se colocar no velador?" A palavra alqueire é derivada do termo árabe al-káil. Aqui não se trata de medida de área, mas de capacidade. Diferentemente do alqueire bíblico, este mediria 16 litros. Na parábola do fermento (Mt 13:33; Lc 13:21) a medida descrita é o sato (σατον, saton), uma medida hebraica, usada para calcular a quantidade da farinha, não para o fermento. Cada sato correspondia a 13 litros. Tres deles alcançavam a grande quantidade de 37 litros, para uma receita a ser preparada de uma só vez. O bato (βατος, batos) era a medida de tres ânforas (vaso grego antigo, cujo nome αμφορευς, é uma haplologia de αμφι "dos dois lados", e φερω, "levar", "carregar". Desta forma seu nome quer dizer "o que se leva por ambos os lados", pelo fato da ânfora ter "alças" de ambos os lados para fins de transporte). Correspondia a 37 litros, como o bato do Velho Testamento ( vide tabela). O que o primeiro devedor tinha como dívida na parábola do mordomo infiel (Lc 16:1-13) era "...cem cados de azeite..." ou "...cem batos de azeite..." (εκατου βατους ελαιου, ekatou batous elaiou) ou mais de 3.500 litros de azeite. O bato era a medida hebraica de maior capacidade para líquidos e seu nome grego deriva do hebraico bath. A tradução cados vem do grego καδος, kados, "vaso", de origem semítica, e era um grande vaso de barro para líquidos como vinho e outras bebidas. A metreta (μετρετες, metretes) usada no casamento de Jo 2:6 era uma medida de capacidade líquida. Seu nome grego, que também significa "medidor", deriva-se do verbo μετρεω, metreo, "medir", "contar", calcular". Na Septuaginta é a tradução do bato (bath) hebraico. Naquelas bodas haviam seis talhas de pedra (λιθιναι υδριαι, lithinai udriai) de duas ou tres metretas. Cada talha, portanto, reservava até 120 litros, perfazendo, no total de seis talhas, 720 litros! O historiador hebreu Josefo aponta a capacidade de 25 litros para cada metreta. Sendo assim, em cada talha caberiam até 75 litros, que no total de seis talhas contariam 450 litros, o que já se caracterizaria um portentoso milagre de abundande forneciemnto de vinho, para todos os dias daquela abençoada festa de casamento.
H

- 108 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

CURIOSIDADES BÍBLICAS

A Bíblia contém 31.101 versículos e 1.189 capítulos. Para sua leitura completa são necessárias 49 horas, a saber, 38 horas para a leitura do Velho Testamento e 11 para o Novo Testamento. Para lê-la audivelmente, em velocidade normal de fala, são necessárias cerca de 71 horas. Se você deseja lê-la em 1 ano, deve ler apenas 4 capítulos por dia.
Comparações dos dois Testamentos Antigo Testamento 39 livros 929 capítulos 23.144 versículos Uns 30 autores Versículo Central – II Cr 20.8 Capitulo Central – Jó 2 Livro central – Pr Versículo Menor – Ex 20.23, Jó 3.2 Versículo Maior- Et 8.9 Mensagem – Jesus Virá Velho concerto – Ex 24.8, Jr 31.33 Novo Testamento 27 livros 260 capítulos 7.957 versículos 9 autores Versículo Central – At 17.17 Capitulo central – Ro 13 Livro central – II Te Versículo Menor – Jo 11.35, Lc 20,30 Versículo Maior – Ap 20.4 Mensagem – Jesus veio Novo concerto – Hb 9.14-15

Texto áureo da Bíblia – Jo 3.16 Bíblia já atravessou 3 mil anos, sendo traduzida em 2167 línguas.

1. A menor Bíblia
A menor Bíblia existente foi impressa na Inglaterra e pesa somente 20 gramas. Este fabuloso exemplar da Bíblia mede 4,5cm de comprimento, 3cm de largura e 2cm de espessura. Apesar de ser tão pequenina, contém 878 páginas, possui uma série de gravuras ilustrativas e pode ser lida com o auxílio de uma lente.

2. A maior Bíblia
A maior Bíblia que se conhece, contém 8048 páginas, pesa 547 kg e tem 2,5m de espessura. Foi confeccionada por um marceneiro de Los Angeles, durante dois anos de trabalho ininterrupto. Cada página é uma delgada tábua de 1m de comprimento, em cuja superfície estão gravados os textos.

- 109 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

3. Gênesis e Apocalipse
A Bíblia e toda ela uma historia só. A última parte do último livro da bíblia, soa como o final da historia, começada na primeira parte do primeiro livro. Gênesis Apocalipse

O primeiro versículo é: “No principio criou Deus O último versículo é: “Vi novo céu e nova Terra os céus e a terra “. Gn 1:1 “. Ap 21:1 “Ao ajuntamento das águas chamou mar “. Gn 1:10 “As trevas chamou noite “. Gn 1:5 “Deus fez os dois grandes luzeiros “. Gn 1:16 “No dia em que dela comerdes morreras “. Gn 2:17 “Multiplicarei sobremodo as tuas dores “. Gn 3:16 “Maldita a terra pôr tua causa “. Gn. 3:17 “Satanás aparece como o enganador da humanidade “. Gn 3:1-4 “E o mar já não existe “. Ap 21:1 “Lá não haverá noite”. Ap 21:25 “A cidade não precisa nem de sol, nem de lua, pois a gloria de Deus a iluminou “. Ap 21:13 “Não haverá mais morte “. Ap 21:4 “Não mais haverá sofrimentos “. Ap 21:4 “Não mais haverá maldição “. Ap 22:3 “Satanás desaparece para sempre “. Ap 20:10

“Foram afastados da arvore da Vida “. Gn 3:22- “Reaparece a arvore da vida “. Ap 22:2 24 “O homem afastou-se da presença de Deus “. Gn “Verão a sua face “. Ap 22:4 3:24 “A primeira habitação do homem foi um jardim a “A eterna habitação do homem redimido será ao lado de rio corre para sempre do trono de Deus”. beira de um rio “. Gn 22:10 Ap 22:1

4. Livros Aprócrifos
A Bíblia “Católica” (Católica Romana) contem 7 livros a mais chamados de “Livros Apócrifos”, isto é, livros que são considerados como não inspirados pôr Deus. Esses livros apócrifos estão colocados no AT e nunca foram citados pôr Jesus ou pêlos Apóstolos. São chamados também de “Deutereocanônicos” (Segundo cânone). O NT não contem nenhum livro apócrifo. Os livros apócrifos são: II Esdras, Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc e I e II Macabeus. O nosso I e II Samuel, correspondem ao I e II Reis Católicos, e o III e IV Reis Católicos são os nossos I e II Reis. Paralipomenos Católicos, correspondem aos nossos I e II Crônicas. Existe uma Bíblia Católica, tradução do Padre Matos Soares, Edições Paulinas onde, na “Introdução“ (pagina 10), o Padre escreve o seguinte: “Todos os livros do Velho Testamento e Novo Testamento são inspirados. Porem nos primeiros séculos do Cristianismo, numa ou noutra Igreja surgiram algumas duvidas a cerca da inspiração de alguns livros da Bíblia. A partir do século XVI (século 16) chamaram-se “Deutereo-canônicos”, os livros cuja inspiração fora impugnada, e os reconhecidos como fazendo parte do “Cânon”(lista de Livros Inspirados), chamam-se de “Protocanônicos”.

- 110 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

5. Fatos particulares da Bíblia
Divisão em capítulos – Foi feita no ano 1.250 pelo Cardeal Hugo de Saint Cher, abade dominicano. Divisão em versículos – Foi feita em duas vezes. O AT em 1.445 pelo Rabino Nathan; o Novo Testamento em 1.551, pôr Robert Stevens, um impressor em Paris que publicou a primeira Bíblia dividida em capítulos e versículos em 1.555, sendo esta a Vulgata Latina. O maior livro é o de Salmos e o menor e a Epistola II João. O maior capitulo e o Sl 119. O menor capitulo é o Sl 117. O Maior Versículo é Et 8.9. O menor versículo depende da tradução: ARA Jó 3.2; ARC Lc 20.30; TB Lc 20.30; outras Jo 11.35 ou Ex 20.13. O versículo Central da Bíblia e Sl 118.8. Os livros de Ester e Cantares não têm a palavra de Deus. Há na Bíblia 8.000 menções de Deus nos seus vários nomes, 177 menções ao diabo em seus vários nomes. A expressão “Assim diz o Senhor” e equivalente encontram-se cerca de 3.800 vezes na Bíblia. A vinda do Senhor e referida 1.845 vezes, sendo 1.527 no Antigo Testamento e 318 no Novo Testamento. A palavra “Senhor“ e encontrada na Bíblia 1.853 vezes, e “Jeová “ 6.855. Em certa tradução foram contadas 3.586.483 letras e 773.693 palavras. A expressão “Não Temas“ ocorre 366 vezes na Bíblia, o que dá uma para cada dia do ano. Segundo recente estatística, a Bíblia, no todo ou em parte já foi traduzida para mais de 1.600 línguas e dialetos. Há 15 qualidades de literaturas na Bíblia. Os números 03 e 07 predominam a numerologia bíblica. O Sl 119 tem em hebraico, 22 seções de 8 versículos. Cada uma das seções inicia com uma letra do alfabeto hebraico, que tem 22 letras. Dentro das seções, cada versículo inicia com a letra da seção. No livro de Lm, os capítulos 1, 2, 4, têm versículos em numero de 22 cada, compreendendo as letras do alfabeto hebraico. O capitulo 3 tem 66 versículos levando cada 3 deles a mesma letra do alfabeto. O capitulo 19 de II Reis e igual ao 37 de Isaías. No Sl 107 a 4 versículos iguais: 8, 15, 21, 31. Todos os versículos do Sl 136 terminam da mesma maneira. O Antigo Testamento encerra citando a palavra “Maldição“, e o Novo Testamento encerra citando a “Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo“. As primeiras palavras de Gênesis falam de criação de Deus, as ultimas falam de caixão no Egito. A Bíblia foi o primeiro livro impresso no mundo após a invenção da imprensa, isso deu-se em 1.452 em Mainz, na Alemanha. O menor livro do mundo tem cerca de 18 mm de comprimento pôr 12 mm de largura. Trata-se de um Novo Testamento, impresso nos Estados Unidos em 1.895. Constitui-se de 860 pg.

- 111 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

6. A divisão da Bíblia
A Bíblia divide-se em dois testamentos. O Antigo Testamento e o Novo Testamento. O Antigo foi escrito em Hebraico e o Novo em Grego, menos o Evangelho de Mateus, que foi escrito em Hebraico. A divisão da Bíblia em capítulos e atribuída ao Cardeal Hugo Caro (falecido em 1.263), ou a Stephen Langton (falecido em 1.228). A divisão em versículos é obra de Robert Stevens, datando de 1.551. A Bíblia inteira apareceu pela primeira vez com a divisão atual em capítulos e versículos, na edição da Vulgata, publicada pôr Robert Stevens, em 1.556. A Bíblia Sagrada foi o primeiro livro impresso no mundo em 1.535.

7. A escrita da Bíblia
A Bíblia foi escrita pôr mais de 40 autores, os quais viveram em lugares diferentes, de varias classes sociais, de diferentes níveis de inteligência, de diversas culturas, e que a escreveram num período de 1.600 anos. No entanto, ela e denominada com propriedade da “Bíblia”, isto é, “Um Livro“, ou “Coleção de Livros”, porque dela há um fato singular, HÁ UMA UNIDADE PERFEITA, fruto da inspiração divina sobre aqueles que a escreveram. A Bíblia foi escrita usando quase que todos os gêneros literários, história, biografia, crônica, relatório, carta, lei, poesia, provérbios, drama, profecia, etc. A Bíblia e o único livro que fala do inicio do mundo, do fim dos tempos, e que mostra o plano de redenção do homem, pôr parte de Deus.

8. Calvário
Calvário ou Gólgota. Ambas as palavras, a primeira derivada do latim e a segunda do aramaico, significam "a caveira" ou "o lugar da caveira", e fazem referência ao lugar onde Cristo foi crucificado (Mt 27:33, Lc 23:33). Se o chamaram "o lugar da caveira" por ser um local de execução (um lugar onde havia caveiras) ou porque o lugar parecia com uma caveira, não se sabe ainda hoje. A localização exata do calvário é atualmente desconhecida devido ao fato de Tito ter destruído Jerusalém no ano 70 d.C. Durante uns 60 anos, a cidade permaneceu em total ruína. Poucos cristãos regressaram para viver ali, e os que o fizeram, certamente eram em menor número do que aqueles que fugiram da cidade e não tiveram condições de reconhecer nenhum lugar em meio à devastação total. Vários lugares têm sido sugeridos como a provável localização da sepultura, mas só dois deles são considerados com seriedade. Um é no interior da igreja do Santo Sepulcro, e outro é o calvário de Gordon, com sua tumba do jardim.

- 112 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

9. O destino dos Apóstolos
Todos os apóstolos que andavam com Jesus morreram como mártires, com exceção de dois: Judas Iscariotes, que traiu Jesus e acabou se enforcando, e João, que após ser exilado na ilha de Patmos, obteve a liberdade e morreu de morte natural. PAULO, que não era apóstolo oficialmente, foi considerado apóstolo do gentios por causa da sua grande obra missionária nos países gentílicos. Foi decapitado em Roma por ordem de Nero. MATIAS, que ficou no lugar de Judas Iscariotes, foi martirizado na Etiópia. SIMÃO, o zelote, foi crucificado. JUDAS TADEU morreu como mártir pregando o evangelho na Síria e na Pérsia. TIAGO (o mais jovem), pregou na Palestina e no Egito, sendo ali crucificado. MATEUS morreu como mártir na Etiópia. TOMÉ pregou na Pérsia e na Índia, sendo martirizado perto de Madras no monte de São Tomé. BARTOLOMEU serviu como missionário na Armênia, sendo golpeado até a morte. FILIPE pregou na Frígia e morreu como mártir em Hierápolis. ANDRÉ pregou na Grécia e Ásia Menor. Foi crucificado. TIAGO (o mais velho) pregou em Jerusalém e na Judéia. Foi decapitado por Herodes. SIMÃO PEDRO pregou entre os judeus chegando até a Babilônia, esteve em Roma, onde foi crucificado com a cabeça para baixo.

10. Sobre o casal Abraão e Sara
Sara Viveu 127 (cento e vinte e sete) anos, Abraão viveu 165 (cento e sessenta e cinco) anos; ambos foram sepultados no Campo de Efrom, em Macpela, terra que foi comprada por Abraão pela quantia de 400 (quatrocentos) siclos de prata. Ao contrário do que muitos afirmam, o primeiro filho de Abraão foi Ismael e não Isaque. Ismael foi concebido por Agar, serva egípcia de Sara (Sara tinha entregado Agar a Abraão para que concebesse). Ainda nesta época, Abraão chamava-se Abrão (visto que Deus não havia mudado seu nome). Quando nasceu Isaque, Abraão tinha 100 (cem) anos. Após o falecimento de Sara, Abraão tomou como mulher a Quetura, e concebeu Quetura a seis filhos: Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Isbaque e Suã. Abraão deu a Isaque (o filho da promessa de Deus) todos os seus bens e riquezas, e aos demais filhos deu dádivas e os despediu. Isaque casou-se com Rebeca, que era da parentela de Abraão. Rebeca era estéril, assim como Sara, e tanto uma quanto outra conceberam por promessa de Deus. O Casamento de Isaque foi como consolo pela morte de sua mãe Sara.

- 113 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 114 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

COMPLEMENTOS
CONHECENDO A BÍBLIA SAGRADA
Qual a origem da palavra Bíblia? Quando com eçou a ser cham ada por este nom e ? Grega, Significa Livros, tanto pode ser plural neutro, com o singular fem inino.

A partir do 4 o século, por João Crisóstom o, profundo conhecedor da Palavra , nascido em Antioquia, foi considerado um dos pais da Igreja, conhecido com o: " O boca de Ouro " Nom es Técnicos: A Palavra Tg 1:21-23; (... se alguém é ouvinte da Palavra e não praticante, assem elha-se ao hom em que contem pla, num espelho, o seu rosto natural; ) AS Escrituras Mt 22:29 (Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus. ) Nom es figurativos: Um a luz Sl 119:105 (Lâm pada para os m eus pés é a tua palavra e, luz para os m eus cam inhos.)

Um espelho Tg 1:23 (... se alguém é ouvinte da Palavra e não praticante, assem elha-se ao hom em que contem pla, num espelho, o seu rosto natural; )

Com o Ela é conhecida ?

Escritura Jo 2:22; (Q uando, pois, Jesus ressuscitou dentre os m ortos, lem braram -se os seus discípulos de que ele dissera isto; e creram na Escritura e na palavra de Jesus. A Palavra do Senhor 2 Ts 3:

Um a fonte Ef 5:26

Um m artelo Jr 23:29 (Não é a m inha palavra fogo, diz o SENHOR, e m artelo que esm iúça a penha?)

A Palavra da verdade 2 Cor 6:7

Um a espada Ef 6:17 ( Tom ai tam bém o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;)

Com o Ela veio a existência ?

Até certo ponto do V/T, não tem os evidência, da Palavra de Deus escrita, m as sabem os que Ele sem pre falou, entretanto som ente Moisés recebeu a ordem para escrever. Ex 17:14 ( ... Então, disse o SENHO R a Moisés: Escreve isto para m em ória num livro... ) e Ex 24:04 ( ... Moisés escreveu todas as palavras do SENHOR ... )


Com o que hom em era guiado, antes Palavra de Deus escrita?

Pela natureza : Sl 19:01 (Os céus proclam am a glória de Deus, e o firm am ento anuncia as obras das suas m ãos. ) Pela Consciência : 1 Tm 4:02 ( ... pela hipocrisia dos que falam m entiras e que têm cauterizada a própria consciência... )

Obs.:Pela natureza descobria-se a existência, poder e a bondade de Deus, m as não o cam inho para Ele, já a consciência pode ser cauterizada. Rm 2:14-16 (Quando, pois, os gentios, que não têm lei, procedem , por natureza, de conform idade com a lei, não tendo lei, servem eles de lei para si m esm os. 15 Estes m ostram a norm a da lei gravada no seu coração, testem unhando-lhes tam bém a consciência e os seus pensam entos, m utuam ente acusando-se ou defendendo-se, 16 no dia em que Deus, por m eio de Cristo Jesus, julgar os segredos dos hom ens, de conform idade com o m eu evangelho. ) A dificuldade dos críticos, não é explicar com o a Bíblia chegou até nós e sim com o o Gênesis chegou até Moisés. Existem duas teorias a) Transm issão verbal: ( Adão, Sete, Lam eque, Noé, Abraão, Jacó, Até Moisés). b) Revelação direta do Espírito Santo: ( Moisés escreveu sobre total inspiração, recebendo diretam ente de Deus). O que é Revelação ? a) Revelação: É o poder sobrenatural de Deus, operado por interm édio do Espírito Santo, que consiste em Deus, revelar os seus desígnios aos hom ens, os quais o hom em jam ais descobriria se Deus, não os revelasse; O que é Inspiração ? b) Inspiração: É o poder sobrenatural de Deus, operado por interm édio do Espírito Santo, que capacita o hom em a escrever as verdades reveladas por Deus SEM ERRO. O que é Ilum inação ? C) Ilum inação: É o poder sobrenatural de Deus, operado por interm édio do Espírito Santo, que capacita o hom em a entender as verdades reveladas por Deus. Um livro apenas: ( 66 capítulos de um grande livro ) Aspectos im portantes a considerar sobre a Bíblia Um único assunto: A redenção do Hom em , através de Jesus

Com o Ela, chegou até nós ?

- 115 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Abreviaturas
Antigo Testamento
SBB * Gn Ex Lv Nm Dt Js Jz Rt 1 Sm 2 Sm 1 Rs 2 Rs 1 Cr 2 Cr Ed Ne Et Jó Sl Pv Ec Ct Is Jr Lm Ez Dn Os Jl Am Ob Jn Mq Na Hc Sf Ag Zc Ml Livro Gênesis Êxodo Levítico Números Deuteronomio Josué Juizes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Crônicas 2 Crônicas Esdras Neemias Ester Jó Salmos provérbios Eclesiastes Cantares Isaías Jeremias Lamentações de Jeremias Ezequiel Daniel Oséias Joel Amós Obadias Jonas Miquéias Naum Habacuque Sofonias Agéu Zacarias Malaquias Baruc Livro do Eclesiastico ( Sirac ) Judite 1 Macabeus 2 Macabeus Livro da Sabedoria Tobias Editora Ave-Maria Gn Ex Lv Nm Dt Js Jz Rt 1 Sm ( 1 Reis ) 2 Sm ( 2 Reis ) 1 Rs (3 Reis ) 2 Rs ( 4 reis ) 1 Cr ( 1 Paralipômenos ) 2 Cr ( 2 Paralipômenos ) Es ( 1 Esdras ) Ne ( 2 Esdras ) Est Jó Sl Pr Ecl ( Coelet ) Ct ( Cântico dos Cânticos ) Is Jr Lm ( Lamentações ) Ez Dn Os Jl Am Ab ( Abdias ) Jn Mq Na Hab ( Habacuc ) Sf Ag Zc Ml Br Eclo Jt 1 Mc 2 Mc Sb Tb

Novo Testamento
SBB * Livro Mt Mateus Mc Marcos Lc Lucas Jo João At Atos Rm Romanos 1 Co 1 Corintios 2 Co 2 Corintios Gl Gálatas Ef Efésios Fp Felipenses Cl Colossenses 1 Ts 1 Tessalonicenses 2 Ts 2 Tessalonicenses 1 Tm 1 Timóteo 2 Tm 2 Timóteo Tt Tito Fm Filemom Hb Hebreus Tg Tiago 1 Pe 1 Pedro 2 Pe 2 Pedro 1 Jo 1 João 2 Jo 2 João 3 Jo 3 João Jd Judas Ap Apocalipse * Sociedade Bíblica do Brasil

Abreviaturas diversas da ARA
Arm. cap(s) contr. E.R.C Hbr Lat LXX ms(s). p.ex. sir. v. V.T v.Seg. vulg. c. comp. E.R.A Gr. i.e. Lit. Marg. N.T ref(s) trad vs. /vv. cf. vs./segs. Aramaico capitulo(s) Contrasta Edição Revista e corrigida Hebraico ( uma transliteração) Latim Septuaginta Manuscrito(s) pôr exemplo Siriaco versículo Velho Testamento versículo seguinte Vulgata, uma versão Latina das Escrituras Circa, isto é, cerca de Comparar Edição Revista e Atualizada no Brasil grego (uma transliteração) Isto é Literalmente À margem Novo Testamento referencia(s) tradução Versículos conferir Versículos seguintes

* Sociedade Bíblica do Brasil
ARC ARA FIG SOARES RHODEN CBSP TB, VB, EB LXX VULG SBB IBB Siglas das versões Almeida Revista e Corrigida – Imprensa Bíblica Brasileira Almeida Revista e Atualizada – Sociedade Bíblica Antônio Pereira de Figueiredo – Sociedade Bíblica do Brasil Matos Soares, Versão Popular dos Católicos Brasileiros Humberto Rhoden Centro Bíblico de São Paulo – Edição Católica Tradução Brasileira de 1.917 Setuaginta ou versão dos Setenta Vulgata Latina Sociedade Bíblica Brasileira Impressora Bíblica Brasileira

AC AD DC

Antes de Cristo Depois de Cristo. Do Latim “Ano Domini “, ano do Senhor Depois de Cristo

- 116 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

PASSAGENS BÍBLICAS

Gênesis, capítulo 10 - ref. da página 18 São estas as gerações dos filhos de Noé, Sem, Cam e Jafé; e nasceram-lhes filhos depois do dilúvio. 2 Os filhos de Jafé são: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tiras. 3 Os filhos de Gomer são: Asquenaz, Rifate e Togarma. 4 Os de Javã são: Elisá, Társis, Quitim e Dodanim. 5 Estes repartiram entre si as ilhas das nações nas suas terras, cada qual segundo a sua língua, segundo as suas famílias, em suas nações. 6 Os filhos de Cam: Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã. 7 Os filhos de Cuxe: Sebá, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabtecá; e os filhos de Raamá: Sabá e Dedã. 8 Cuxe gerou a Ninrode, o qual começou a ser poderoso na terra. 9 Foi valente caçador diante do SENHOR; daí dizer-se: Como Ninrode, poderoso caçador diante do SENHOR. 10 O princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar. 11 Daquela terra saiu ele para a Assíria e edificou Nínive, Reobote-Ir e Calá. 12 E, entre Nínive e Calá, a grande cidade de Resém. 13 Mizraim gerou a Ludim, a Anamim, a Leabim, a Naftuim, 14 a Patrusim, a Casluim (donde saíram os filisteus) e a Caftorim. 15 Canaã gerou a Sidom, seu primogênito, e a Hete, 16 e aos jebuseus, aos amorreus, aos girgaseus, 17 aos heveus, aos arqueus, aos sineus, 18 aos arvadeus, aos zemareus e aos hamateus; e depois se espalharam as famílias dos cananeus. 19 E o limite dos cananeus foi desde Sidom, indo para Gerar, até Gaza, indo para Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim, até Lasa. 20 São estes os filhos de Cam, segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, em suas nações. 21 A Sem, que foi pai de todos os filhos de Héber e irmão mais velho de Jafé, também lhe nasceram filhos. 22 Os filhos de Sem são: Elão, Assur, Arfaxade, Lude e Arã. 23 Os filhos de Arã: Uz, Hul, Geter e Más. 24 Arfaxade gerou a Salá; Salá gerou a Héber. 25 A Héber nasceram dois filhos: um teve por nome Pelegue, porquanto em seus dias se repartiu a terra; e o nome de seu irmão foi Joctã. 26 Joctã gerou a Almodá, a Selefe, a Hazar-Mavé, a Jerá, 27 a Hadorão, a Uzal, a Dicla, 28 a Obal, a Abimael, a Sabá, 29 a Ofir, a Havilá e a Jobabe; todos estes foram filhos de Joctã. 30 E habitaram desde Messa, indo para Sefar, montanha do Oriente. 31 São estes os filhos de Sem, segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, em suas nações. 32 São estas as famílias dos filhos de Noé, segundo as suas gerações, nas suas nações; e destes foram disseminadas as nações na terra, depois do dilúvio.
1

Mateus 8:10-26 - ref. da página 19 Ouvindo isto, admirou-se Jesus e disse aos que o seguiam: Em verdade vos afirmo que nem mesmo em Israel achei fé como esta. 11 Digo-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugares à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no reino dos céus. 12 Ao passo que os filhos do reino serão lançados para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes. 13 Então, disse Jesus ao centurião: Vai-te, e seja feito conforme a tua fé. E, naquela mesma hora, o servo foi curado. 14 Tendo Jesus chegado à casa de Pedro, viu a sogra deste acamada e ardendo em febre. 15 Mas Jesus tomou -a pela mão, e a febre a deixou. Ela se levantou e passou a servi-lo. 16 Chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele meramente com a palavra expeliu os espíritos e curou todos os que estavam doentes; 17 para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças. 18 Vendo Jesus muita gente ao seu redor, ordenou que passassem para a outra margem. 19 Então, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores. 20 Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. 21 E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu pai. 22 Replicou-lhe, porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. 23 Então, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram. 24 E eis que sobreveio no mar uma grande tempestade, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Entretanto, Jesus dormia. 25 Mas os discípulos vieram acordá-lo, clamando: Senhor, salva-nos! Perecemos! 26 Perguntou-lhes, então, Jesus: Por que sois tímidos, homens de pequena fé? E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande bonança.
10

- 117 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Mateus 26:31-56 - ref. da página 19 Então, Jesus lhes disse: Esta noite, todos vós vos escandalizareis comigo; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas. 32 Mas, depois da minha ressurreição, irei adiante de vós para a Galiléia. 33 Disse-lhe Pedro: Ainda que venhas a ser um tropeço para todos, nunca o serás para mim. 34 Replicou-lhe Jesus: Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, tu me negarás três vezes. 35 Disse-lhe Pedro: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei. E todos os discípulos disseram o mesmo. 36 Em seguida, foi Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar; 37 e, levando consigo a Pedro e aos dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. 38 Então, lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo. 39 Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres. 40 E, voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Então, nem uma hora pudestes vós vigiar comigo? 41 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. 42 Tornando a retirar-se, orou de novo, dizendo: Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade. 43 E, voltando, achou-os outra vez dormindo; porque os seus olhos estavam pesados. 44 Deixando-os novamente, foi orar pela terceira vez, repetindo as mesmas palavras. 45 Então, voltou para os discípulos e lhes disse: Ainda dormis e repousais! Eis que é chegada a hora, e o Filho do Homem está sendo entregue nas mãos de pecadores. 46 Levantai-vos, vamos! Eis que o traidor se aproxima. 47 Falava ele ainda, e eis que chegou Judas, um dos doze, e, com ele, grande turba com espadas e porretes, vinda da parte dos principais sacerdotes e dos anciãos do povo. 48 Ora, o traidor lhes tinha dado este sinal: Aquele a quem eu beijar, é esse; prendei -o. 49 E logo, aproximando-se de Jesus, lhe disse: Salve, Mestre! E o beijou. 50 Jesus, porém, lhe disse: Amigo, para que vieste? Nisto, aproximando-se eles, deitaram as mãos em Jesus e o prenderam. 51 E eis que um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, sacou da espada e, golpeando o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe a orelha. 52 Então, Jesus lhe disse: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão. 53 Acaso, pensas que não posso rogar a meu Pai, e ele me mandaria neste momento mais de doze legiões de anjos? 54 Como, pois, se cumpririam as Escrituras, segundo as quais assim deve suceder? 55 Naquele momento, disse Jesus às multidões: Saístes com espadas e porretes para prender-me, como a um salteador? Todos os dias, no templo, eu me assentava convosco ensinando, e não me prendestes. 56 Tudo isto, porém, aconteceu para que se cumprissem as Escrituras dos profetas. Então, os discípulos todos, deixando-o, fugiram.
31

Êxodo 15:1-21 - ref. da página 76 Então, entoou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR, e disseram: Cantarei ao SENHOR, porque triunfou gloriosamente; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. 2 O SENHOR é a minha força e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus; portanto, eu o louvarei; ele é o Deus de meu pai; por isso, o exaltarei. 3 O SENHOR é homem de guerra; SENHOR é o seu nome. 4 Lançou no mar os carros de Faraó e o seu exército; e os seus capitães afogaram-se no mar Vermelho. 5 Os vagalhões os cobriram; desceram às profundezas como pedra. 6 A tua destra, ó SENHOR, é gloriosa em poder; a tua destra, ó SENHOR, despedaça o inimigo. 7 Na grandeza da tua excelência, derribas os que se levantam contra ti; envias o teu furor, que os consome como restolho. 8 Com o resfolgar das tuas narinas, amontoaram-se as águas, as correntes pararam em montão; os vagalhões coalharam-se no coração do mar. 9 O inimigo dizia: Perseguirei, alcançarei, repartirei os despojos; a minha alma se fartará deles, arrancarei a minha espada, e a minha mão os destruirá. 10 Sopraste com o teu vento, e o mar os cobriu; afundaram-se como chumbo em águas impetuosas. 11 Ó SENHOR, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu, glorificado em santidade, terrível em feitos gloriosos, que operas maravilhas? 12 Estendeste a destra; e a terra os tragou. 13 Com a tua beneficência guiaste o povo que salvaste; com a tua força o levaste à habitação da tua santidade. 14 Os povos o ouviram, eles estremeceram; agonias apoderaram-se dos habitantes da Filístia. 15 Ora, os príncipes de Edom se perturbam, dos poderosos de Moabe se apodera temor, esmorecem todos os habitantes de Canaã. 16 Sobre eles cai espanto e pavor; pela grandeza do teu braço, emudecem como pedra; até que passe o teu povo, ó SENHOR, até que passe o povo que adquiriste. 17 Tu o introduzirás e o plantarás no monte da tua herança, no lugar que aparelhaste, ó SENHOR, para a tua habitação, no santuário, ó Senhor, que as tuas mãos estabeleceram. 18 O SENHOR reinará por todo o sempre. 19 Porque os cavalos de Faraó, com os seus carros e com os seus cavalarianos, entraram no mar, e o SENHOR fez tornar sobre eles as águas do mar; mas os filhos de Israel passaram a pé enxuto pelo meio do mar. 20 A profetisa Miriã, irmã de Arão, tomou um tamborim, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamborins e com danças. 21 E Miriã lhes respondia: Cantai ao SENHOR, porque gloriosamente triunfou e precipitou no mar o cavalo e o seu cavaleiro.
1

- 118 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Juízes 5 - ref. da página 76 Naquele dia, cantaram Débora e Baraque, filho de Abinoão, dizendo: 2 Desde que os chefes se puseram à frente de Israel, e o povo se ofereceu voluntariamente, bendizei ao SENHOR. 3 Ouvi, reis, dai ouvidos, príncipes: eu, eu mesma cantarei ao SENHOR; salmodiarei ao SENHOR, Deus de Israel. 4 Saindo tu, ó SENHOR, de Seir, marchando desde o campo de Edom, a terra estremeceu; os céus gotejaram, sim, até as nuvens gotejaram águas. 5 Os montes vacilaram diante do SENHOR, e até o Sinai, diante do SENHOR, Deus de Israel. 6 Nos dias de Sangar, filho de Anate, nos dias de Jael, cessaram as caravanas; e os viajantes tomavam desvios tortuosos. 7 Ficaram desertas as aldeias em Israel, repousaram, até que eu, Débora, me levantei, levantei-me por mãe em Israel. 8 Escolheram-se deuses novos; então, a guerra estava às portas; não se via escudo nem lança entre quarenta mil em Israel. 9 Meu coração se inclina para os comandantes de Israel, que, voluntariamente, se ofereceram entre o povo; bendizei ao SENHOR. 10 Vós, os que cavalgais jumentas brancas, que vos assentais em juízo e que andais pelo caminho, falai disto. 11 À música dos distribuidores de água, lá entre os canais dos rebanhos, falai dos atos de justiça do SENHOR, das justiças a prol de suas aldeias em Israel. Então, o povo do SENHOR pôde descer ao seu lar. 12 Desperta, Débora, desperta, desperta, acorda, entoa um cântico; levanta-te, Baraque, e leva presos os que te prenderam, tu, filho de Abinoão. 13 Então, desceu o restante dos nobres, o povo do SENHOR em meu auxílio contra os poderosos. 14 De Efraim, cujas raízes estão na antiga região de Amaleque, desceram guerreiros; depois de ti, ó Débora, seguiu Benjamim com seus povos; de Maquir desceram comandantes, e, de Zebulom, os que levam a vara de comando. 15 Também os príncipes de Issacar foram com Débora; Issacar seguiu a Baraque, em cujas pegadas foi enviado para o vale. Entre as facções de Rúben houve grande discussão. 16 Por que ficaste entre os currais para ouvires a flauta? Entre as facções de Rúben houve grande discussão. 17 Gileade ficou dalém do Jordão, e Dã, por que se deteve junto a seus navios? Aser se assentou nas costas do mar e repousou nas suas baías. 18 Zebulom é povo que expôs a sua vida à morte, como também Naftali, nas alturas do campo. 19 Vieram reis e pelejaram; pelejaram os reis de Canaã em Taanaque, junto às águas de Megido; porém não levaram nenhum despojo de prata. 20 Desde os céus pelejaram as estrelas contra Sísera, desde a sua órbita o fizeram. 21 O ribeiro Quisom os arrastou, Quisom, o ribeiro das batalhas. Avante, ó minha alma, firme! 22 Então, as unhas dos cavalos socavam pelo galopar, o galopar dos seus guerreiros. 23 Amaldiçoai a Meroz, diz o Anjo do SENHOR, amaldiçoai duramente os seus moradores, porque não vieram em socorro do SENHOR, em socorro do SENHOR e seus heróis. 24 Bendita seja sobre as mulheres Jael, mulher de Héber, o queneu; bendita seja sobre as mulheres que vivem em tendas. 25 Água pediu ele, leite lhe deu ela; em taça de príncipes lhe ofereceu nata. 26 À estaca estendeu a mão e, ao maço dos trabalhadores, a direita; e deu o golpe em Sísera, rachou-lhe a cabeça, furou e traspassou-lhe as fontes. 27 Aos pés dela se encurvou, caiu e ficou estirado; a seus pés se encurvou e caiu; onde se encurvou, ali caiu morto. 28 A mãe de Sísera olhava pela janela e exclamava pela grade: Por que tarda em vir o seu carro? Por que se demoram os passos dos seus cavalos? 29 As mais sábias das suas damas respondem, e até ela a si mesma respondia: 30 Porventura, não achariam e repartiriam despojos? Uma ou duas moças, a cada homem? Para Sísera, estofos de várias cores, estofos de várias cores de bordados; um ou dois estofos bordados, para o pescoço da esposa? 31 Assim, ó SENHOR, pereçam todos os teus inimigos! Porém os que te amam brilham como o sol quando se levanta no seu esplendor. E a terra ficou em paz quarenta anos.
1

2 Reis 17:24-34 - ref. da página 96 O rei da Assíria trouxe gente de Babilônia, de Cuta, de Ava, de Hamate e de Sefarvaim e a fez habitar nas cidades de Samaria, em lugar dos filhos de Israel; tomaram posse de Samaria e habitaram nas suas cidades. 25 A princípio, quando passaram a habitar ali, não temeram o SENHOR; então, mandou o SENHOR para o meio deles leões, os quais mataram a alguns do povo. 26 Pelo que se disse ao rei da Assíria: As gentes que transportaste e fizeste habitar nas cidades de Samaria não sabem a maneira de servir o deus da terra; por isso, enviou ele leões para o meio delas, os quais as matam, porque não sabem como servir o deus da terra. 27 Então, o rei da Assíria mandou dizer: Levai para lá um dos sacerdotes que de lá trouxestes; que ele vá, e lá habite, e lhes ensine a maneira de servir o deus da terra. 28 Foi, pois, um dos sacerdotes que haviam levado de Samaria, e habitou em Betel, e lhes ensinava como deviam temer o SENHOR. 29 Porém cada nação fez ainda os seus próprios deuses nas cidades em que habitava, e os puseram nos santuários dos altos que os samaritanos tinham feito. 30 Os de Babilônia fizeram Sucote-Benote; os de Cuta fizeram Nergal; os de Hamate fizeram Asima; 31 os aveus fizeram Nibaz e Tartaque; e os sefarvitas queimavam seus filhos a Adrameleque e a Anameleque, deuses de Sefarvaim. 32 Mas temiam também ao SENHOR; dentre os do povo constituíram sacerdotes dos lugares altos, os quais oficiavam a favor deles nos santuários dos altos. 33 De maneira que temiam o SENHOR e, ao mesmo tempo, serviam aos seus próprios deuses, segundo o costume das nações dentre as quais tinham sido transportados. 34 Até ao dia de hoje fazem segundo os antigos costumes; não temem o SENHOR, não fazem segundo os seus estatutos e juízos, nem segundo a lei e o mandamento que o SENHOR prescreveu aos filhos de Jacó, a quem deu o nome de Israel.
24

- 119 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

Deuteronômio 28 - ref. da página 42
1 Se atentamente ouvires a voz do SENHOR, teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, o SENHOR, teu Deus, te exaltará sobre todas as nações da terra. 2Se ouvires a voz do SENHOR, teu Deus, virão sobre ti e te alcançarão todas estas bênçãos: 3Bendito serás tu na cidade e bendito serás no campo. 4Bendito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e o fruto dos teus animais, e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas. 5Bendito o teu cesto e a tua amassadeira. 6Bendito serás ao entrares e bendito, ao saíres. 7O SENHOR fará que sejam derrotados na tua presença os inimigos que se levantarem contra ti; por um caminho, sairão contra ti, mas, por sete caminhos, fugirão da tua presença. 8O SENHOR determinará que a bênção esteja nos teus celeiros e em tudo o que colocares a mão; e te abençoará na terra que te dá o SENHOR, teu Deus. 9O SENHOR te constituirá para si em povo santo, como te tem jurado, quando guardares os mandamentos do SENHOR, teu Deus, e andares nos seus caminhos. 10E todos os povos da terra verão que és chamado pelo nome do SENHOR e terão medo de ti. 11O SENHOR te dará abundância de bens no fruto do teu ventre, no fruto dos teus animais e no fruto do teu solo, na terra que o SENHOR, sob juramento a teus pais, prometeu dar-te. 12O SENHOR te abrirá o seu bom tesouro, o céu, para dar chuva à tua terra no seu tempo e para abençoar toda obra das tuas mãos; emprestarás a muitas gentes, porém tu não tomarás emprestado. 13O SENHOR te porá por cabeça e não por cauda; e só estarás em cima e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do SENHOR, teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir. 14Não te desviarás de todas as palavras que hoje te ordeno, nem para a direita nem para a esquerda, seguindo outros deuses, para os servires. 15Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do SENHOR, teu Deus, não cuidando em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos que, hoje, te ordeno, então, virão todas estas maldições sobre ti e te alcançarão: 16Maldito serás tu na cidade e maldito serás no campo. 17Maldito o teu cesto e a tua amassadeira. 18Maldito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas. 19Maldito serás ao entrares e maldito, ao saíres. 20O SENHOR mandará sobre ti a maldição, a confusão e a ameaça em tudo quanto empreenderes, até que sejas destruído e repentinamente pereças, por causa da maldade das tuas obras, com que me abandonaste. 21O SENHOR fará que a pestilência te pegue a ti, até que te consuma a terra a que passas para possuí-la. 22O SENHOR te ferirá com a tísica, e a febre, e a inflamação, e com o calor ardente, e a secura, e com o crestamento, e a ferrugem; e isto te perseguirá até que pereças. 23Os teus céus sobre a tua cabeça serão de bronze; e a terra debaixo de ti será de ferro. 24Por chuva da tua terra, o SENHOR te dará pó e cinza; dos céus, descerá sobre ti, até que sejas destruído. 25O SENHOR te fará cair diante dos teus inimigos; por um caminho, sairás contra eles, e, por sete caminhos, fugirás diante deles, e serás motivo de horror para todos os reinos da terra. 26O teu cadáver servirá de pasto a todas as aves dos céus e aos animais da terra; e ninguém haverá que os espante. 27O SENHOR te ferirá com as úlceras do Egito, com tumores, com sarna e com prurido de que não possas curar-te. 28O SENHOR te ferirá com loucura, com cegueira e com perturbação do espírito. 29Apalparás ao meio-dia, como o cego apalpa nas trevas, e não prosperarás nos teus caminhos; porém somente serás oprimido e roubado todos os teus dias; e ninguém haverá que te salve. 30Desposar-te-ás com uma mulher, porém outro homem dormirá com ela; edificarás casa, porém não morarás nela; plantarás vinha, porém não a desfrutarás. 31O teu boi será morto aos teus olhos, porém dele não comerás; o teu jumento será roubado diante de ti e não voltará a ti; as tuas ovelhas serão dadas aos teus inimigos; e ninguém haverá que te salve. 32Teus filhos e tuas filhas serão dados a outro povo; os teus olhos o verão e desfalecerão de saudades todo o dia; porém a tua mão nada poderá fazer. 33O fruto da tua terra e todo o teu trabalho, comê-los -á um povo que nunca conheceste; e tu serás oprimido e quebrantado todos os dias; 34e te enlouquecerás pelo que vires com os teus olhos. 35O SENHOR te ferirá com úlceras malignas nos joelhos e nas pernas, das quais não te possas curar, desde a planta do pé até ao alto da cabeça. 36O SENHOR te levará e o teu rei que tiveres constituído sobre ti a uma gente que não conheceste, nem tu, nem teus pais; e ali servirás a outros deuses, feitos de madeira e de pedra. 37Virás a ser pasmo, provérbio e motejo entre todos os povos a que o SENHOR te levará. 38Lançarás muita semente ao campo; porém colherás pouco, porque o gafanhoto a consumirá. 39 Plantarás e cultivarás muitas vinhas, porém do seu vinho não beberás, nem colherás as uvas, porque o verme as devorará. 40Em todos os teus limites terás oliveiras; porém não te ungirás com azeite, porque as tuas azeitonas cairão. 41Gerarás filhos e filhas, porém não ficarão contigo, porque serão levados ao cativeiro. 42Todo o teu arvoredo e o fruto da tua terra o gafanhoto os consumirá. 43O estrangeiro que está no meio de ti se elevará mais e mais, e tu mais e mais descerás. 44Ele te emprestará a ti, porém tu não lhe emprestarás a ele; ele será por cabeça, e tu serás por cauda. 45Todas estas maldições virão sobre ti, e te perseguirão, e te alcançarão, até que sejas destruído, porquanto não ouviste a voz do SENHOR, teu Deus, para guardares os mandamentos e os estatutos que te ordenou. 46Serão, no teu meio, por sinal e por maravilha, como também entre a tua descendência, para sempre. 47Porquanto não serviste ao SENHOR, teu Deus, com alegria e bondade de coração, não obstante a abundância de tudo. 48Assim, com fome, com sede, com nudez e com falta de tudo, servirás aos inimigos que o SENHOR enviará contra ti; sobre o teu pescoço porá um jugo de ferro, até que te haja destruído. 49O SENHOR levantará contra ti uma nação de longe, da extremidade da terra virá, como o vôo impetuoso da águia, nação cuja língua não entenderás; 50nação feroz de rosto, que não respeitará ao velho, nem se apiedará do moço. 51Ela comerá o fruto dos teus animais e o fruto da tua terra, até que sejas destruído; e não te deixará cereal, mosto, nem azeite, nem as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas, até que te haja consumido. 52Sitiar-te -á em todas as tuas cidades, até que venham a cair, em toda a tua terra, os altos e fortes muros em que confiavas; e te sitiará em todas as tuas cidades, em toda a terra que o SENHOR, teu Deus, te deu. 53Comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, que te der o SENHOR, teu Deus, na angústia e no aperto com que os teus inimigos te apertarão. 54O mais mimoso dos homens e o mais delicado do teu meio será mesquinho para com seu irmão, e para com a mulher do seu amor, e para com os demais de seus filhos que ainda lhe restarem; 55de sorte que não dará a nenhum deles da carne de seus filhos, que ele comer; porquanto nada lhe ficou de resto na angústia e no aperto com que o teu inimigo te apertará em todas as tuas cidades. 56A mais mimosa das mulheres e a mais delicada do teu meio, que de mimo e delicadeza não tentaria pôr a planta do pé sobre a terra, será mesquinha para com o marido de seu amor, e para com seu filho, e para com sua filha; 57mesquinha da placenta que lhe saiu dentre os pés e dos filhos que tiver, porque os comerá às escondidas pela falta de tudo, na angústia e no aperto com que o teu inimigo te apertará nas tuas cidades. 58Se não tiveres cuidado de guardar todas as palavras desta lei, escritas neste livro, para temeres este nome glorioso e terrível, o SENHOR, teu Deus, 59então, o SENHOR fará terríveis as tuas pragas e as pragas de tua descendência, grandes e duradouras pragas, e enfermidades graves e duradouras; 60fará voltar contra ti todas as moléstias do Egito, que temeste; e se apegarão a ti. 61Também o SENHOR fará vir sobre ti toda enfermidade e toda praga que não estão escritas no livro desta Lei, até que sejas destruído. 62Ficareis poucos em número, vós que éreis como as estrelas dos céus em multidão, porque não destes ouvidos à voz do SENHOR, vosso Deus. 63Assim como o SENHOR se alegrava em vós outros, em fazer-vos bem e multiplicar-vos, da mesma sorte o SENHOR se alegrará em vos fazer perecer e vos destruir; sereis desarraigados da terra à qual passais para possuí-la. 64O SENHOR vos espalhará entre todos os povos, de uma até à outra extremidade da terra. Servirás ali a outros deuses que não conheceste, nem tu, nem teus pais; servirás à madeira e à pedra. 65Nem ainda entre estas nações descansarás, nem a planta de teu pé terá repouso, porquanto o SENHOR ali te dará coração tremente, olhos mortiços e desmaio de alma. 66A tua vida estará suspensa como por um fio diante de ti; terás pavor de noite e de dia e não crerás na tua vida. 67Pela manhã dirás: Ah! Quem me dera ver a noite! E, à noitinha, dirás: Ah! Quem me dera ver a manhã! Isso pelo pavor que sentirás no coração e pelo espetáculo que terás diante dos olhos. 68O SENHOR te fará voltar ao Egito em navios, pelo caminho de que te disse: Nunca jamais o verás; sereis ali oferecidos para venda como escravos e escravas aos vossos inimigos, mas não haverá quem vos compre.

- 120 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

GLOSSÁRIO
Aferição – Ato ou efeito de aferir . Aferir – Conferir com respectivos padrões. Alegorias – Exposição de um pensamento sob forma figurada. Ficção que representa uma coisa para dar idéia de outra. Alusão – referência vaga e indireta. Menção, referência, relação. Antologia – Coleção de trechos em prosa ou em verso. Apócrifos – Diz-se de obra ou fato sem autenticiade. Apologético – Que encerra apologia. Apologia – Discurso para justificar, defender ou louvar. Ascender – Subir, elevar-se. Ascensão - Ato de ascender, subida, elevação. Cânon – Padrão, modelo, norma, regra. Canônico – Conforme os cânones. Canonizar – Inscrever no rol dos santos. Declarar santo. Concílio – Assembléia de prelados católicos em que se tratam assuntos dogmáticos, doutrinários ou disciplinares. Conjurar – Rogar com instância, suplicar. Cunho – Marca em relevo, impressa. - Marca, selo. Coerência - Ligação, harmonia entre dois assuntos ou idéias, conexão, lógica, nexo. Coexistir - Existir simultaneamente. Edito - Parte da lei que preceitua alguma coisa. Édito - Ordem judicial publicada por anúncios ou editais. Elegia - Poema lírico cujo tom é quase sempre terno e triste. Erradicar - Desarraigar. Especulação - Investigação teórica, exploração. Étnico - Relativo ou pertencente a povo ou raça. Exalçar - Exaltar, enaltecer. Exegese - Comentário para esclarecimentos ou minuciosa interpretação. Exílio - Expatriação forçada ou voluntária, degredo, desterro. Facções - Parte divergente de um grupo ou partido. Fidedigno - Digno de fé. Helenizar - Tornar conforme ao caráter grego. Helenos - Gregos. Heterodoxo - Oposto aos princípios de uma religião. Heterogêneo - De diferente natureza Hinologia - Parte da composição de hinos, ato de cantar ou recitar hinos. Idiossincrasia - Maneira de ver, sentir, reagir, própria de cada pessoa. Implicar - Trazer como conseqüência. Implícito - Não de modo claro. Imprimátur - Permissão de autoridade religiosa para imprimir texto que foi submetido à sua censura. Insurreição - Revolta, rebelião, oposição violenta. Irancundo. Propenso à ira, irascível. Lápide - Pedra com qualquer inscrição comemorativa. Latente - Que permanece escondido, oculto, disfarçado. Lírica - Sentimental, emocional. Masmorra - Prisão subterrânea. Massorá - Conjunto dos comentários críticos e gramáticos acerca da Bíblia feita por doutores judeus. Meticulosidade - Minúcias, pormenores. Métricos - Sistema de versificação particular a um poeta. Misticismo - Disposição para crer no sobrenatural. Místico - Misterioso e espiritualmente figurado. Noética - Relativo a Noé (uso exclusivo). Ortodoxia - Absoluta conformidade com um princípio ou doutrina. Oráculos - Palavra, sentença, decisão infalível de quem tem grande autoridade. Parafrasear - Explicar desenvolvendo. Paralelismo - Correspondência de idéias ou opiniões. Patente - Claro, evidente, manifesto. Pecagianismo - Doutrina que nega o pecado original e a corrupção da natureza humana. Peculiar - Relativo a uma pessoa ou coisa especial. Perscrutar - Investigar minuciosamente. Proletariado - Camada social assalariada. Ritualística - Relativo a ritual. Simonia - Tráfego de coisas sagradas ou espirituais. Sinóticos - Paralelo, semelhante. Sânscrito - Uma das mais antigas línguas clássicas da Índia. Teocracia - Forma de governo em que a autoridade emana dos deuses ou de Deus. Vassalados - Súditos, subordinados(as).

- 121 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 122 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 123 -

EBESP - Escola Bíblica de Estudo Pentecostal

Bibliologia.doc

ESPAÇO RESERVADO PARA SUAS ANOTAÇÕES
_____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
- 124 -

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->