Você está na página 1de 8

1

TEMA: EDIFICANDO O LAR EM JESUS -


PRINCÍPIOS DE DEUS PARA O CASAMENTO
TEXTO BÍBLICO: 1Coríntios 7.1-17
TEXTO BASE: Mateus 7.24-27

"Todo aquele, pois, que ouve estas palavras e as


pratica, será comparado a um homem prudente,
que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a
chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e
deram com ímpeto contra aquela casa, que não
caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo
aquele que ouve estas minhas palavras e não as
pratica, será comparado a um homem insensato,
que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a
chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e
deram com ímpeto contra aquela casa, e ela
desabou, sendo grande a sua ruína."
Mateus 7:24-27

ICT.: O texto bíblico orienta os princípios de Deus


para um casamento saudável, alicerçado na rocha
que é Jesus.

OBJ G.: CONSAGRAÇÃO

OBJ E.: Levar os ouvintes a uma mudança


significativa de vida por meio da Palavra de Deus.
2

INTRODUÇÃO

A rocha é Jesus! Famílias prudentes edificam seu


lar na rocha inabalável da Palavra de Deus (Salmo
19.14). São famílias íntegras, fieis e que amam o
Senhor acima de todas as coisas (Lucas 10.27).
Filhos que honram seus pais (Êxodo 20.12); pais
que não provocam a ira de seus filhos, mas que os
criam na disciplina e instrução do Senhor (Efésios
6.4). Cônjuges que são servos submissos e que se
amam mutuamente como Jesus amou sua igreja e a
si mesmo se entregou por ela (Efésios 5.24-25).
Famílias firmadas na rocha são aquelas que vão
passar por fortes chuvas, suportar as inundações,
resistir a forças dos ventos mas permanecerão
firmes, alicerçadas e confiantes, porque o Senhor é
a sua rocha e a sua salvação (2Samuel 22.32;
Deuteronômio 32.4).

Ao contrário do que parece, a bíblia declara que


nenhuma família está livre das circunstâncias que é
comum a cada um de nós. São crises, conflitos,
desentendimentos, perdas, traições, ódio, rancor,
separações, viuvez, vícios e toda sorte de males
que atingem diretamente nossos lares."Um irmão
entregará seu irmão à morte; e um pai, a seu filho; e
filhos se rebelarão contra os pais e os matarão"
(Mateus 10.21). Não há nenhuma família que esteja
livre das ameaças da destruição eminente de seu
lar. Quanto mais passam os dias mais fortes se
torna a tormenta. A sensação que se dá para os
lares-crentes é que as rajadas são mais
impetuosas, sopram com mais força e violência do
que para àqueles que ainda não conhecem a Jesus.
Porém, para eles, as circunstâncias podem até
serem as mesmas, a diferença é que lares-crentes
encontram refúgio, segurança, libertação e abrigo
nas promessas do Senhor sobre àqueles que o
temem (Salmo 18.1-2).
3

O que temos visto hoje são famílias de crentes e


não crentes sendo devastadas, arruinadas,
totalmente destruídas por que desconhecem o
poder que há nessas Palavras que iremos examinar
hoje para edificação de nosso lar.

Para edificar seu lar em Jesus é preciso ouvir e


praticar a Palavra de Deus. Todo aquele, pois, que
ouve estas Palavras e as põe em pratica, será
comparado a um homem prudente, que edificou a
sua casa sobre a rocha que é o Senhor. (Mateus
7.24).

Mas que Palavras exatamente são essas que


precisamos conhecer para que possamos construir
nosso lar.

ESBOÇO

EDIFICANDO O LAR EM JESUS

... PRINCÍPIOS DE DEUS PARA O CASAMENTO

Deus é amor! É a afirmação bíblica que


encontramos em 1João 4.8. O primeiro e mais
importante fundamento para a edificação de um lar
é o amor. Não há como sobreviver dentro de um
casamento sem amor. O amor é o vinculo da
perfeição (Colossenses 3.14). É o fruto do Espírito
(Gálatas 5.22). É a paz com Deus (Filipenses 4.6,7).
É o amor que mantém o alicerce firme e inabalável.
O amor é a base de um relacionamento perfeito.
Quem ama se doa.Quem ama perdoam suporta.
Quem ama respeita, é fiel, generoso, alegre,
paciente, benigno, bondoso, amável, ama mesmo
não sendo amado (Gálatas 5.22).
4

Quando a bíblia declara que o amor é o vínculo da


perfeição, ela está nos dizendo que sem amor não
há como sustentar um relacionamento conjugal,
muito menos entre pais e filhos. É impossível
conviver com alguém apenas por gostar dela ou do
dinheiro dela, sentir algo físico, químico ou uma
paixão repentina. O que sustenta um casamento é o
vínculo da perfeição. Se você não ama, não case,
não edifique um lar, uma família sobre a falsidade
de um amor fingido, mesquinho e falso (Romanos
12.9). Não case por conveniência! Não case por
pressão dos outros. Não case por aquilo que os
outros vão achar de você. Não case para fugir de
casa. Não case apenas por satisfazer os caprichos
e os desejos de alguém. CASE APENAS POR
AMOR.

Paulo falando sobre o casamento ele apresenta


alguns princípios de Deus para o casamento em
sua carta a 1° Coríntios 7.1-40.

O primeiro princípio para um casamento


edificado na rocha da Palavra de Deus é cada
homem tenha sua mulher, e cada mulher, seu
marido (v.2).

Isto é nada de amantes, concubinas, casos extra-


conjugais, poligamia. Quem ama sua mulher, ama
seu próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si
mesmo (Efésios 5.28). Quem ama não adoece! Não
precisa de amantes para satisfazer sua fantasias
eróticas, imorais e pervertidas. Quem ama está
satisfeito consigo mesmo e com o seu cônjuge. Não
precisa buscar fora do casamento nenhum relação
picante para aliviar a pressão e massagear seu
próprio ego. Quem for edificar um lar, deve respeitar
seu cônjuge pois são uma só carne (Gênesis 2.25).
Nada de imoralidade. Nada de casos extra-
conjugais. Se você era o pegador quando solteiro,
não é mais. Agora você é propriedade de uma única
pessoa, seu cônjuge. Você agora não domina mais
seu próprio corpo e suas vontades, seu coração
pertence a uma única pessoa, a qual você jurou
5

fidelidade, carinho, amor, atenção, respeito,


fidelidade, e serão uma só carne (Efésios 5.31).
Nada de ficar espiando de olho cumprido um
homem ou uma mulher, desejando e abrindo
brechas para o inimigo destruir seu lar. A bíblia
mesmo declara "se os seus olhos forem bons, todo
o seu corpo será cheio de luzem" Mateus 6.33.
Ilumine sua vida conjugal, fixando seu olhar em seu
cônjuge, despertando em você o desejo de ter mais
e mais quem um dia mudou sua história, mexeu
com o seu coração, tornou você a mulher e o
homem mais feliz do mundo. As coisas não foram
fáceis, mas você lutou, conseguiu, conquistou.
Honre Deus no seu casamento, sendo fiel a seu
cônjuge. Honre sua esposa. Honre seu esposo.
Honre seu filhos, sua família, sua igreja. E serão
uma só carne (Efésios 5.31).

O segundo princípio de Deus para o casamento


é seja feliz e plenamente realizado em sua vida
sexual com o seu cônjuge (vv 3-5).

Vocês foram feitos um para o outro. É natural,


saudável, honroso, o sexo no casamento (Hebreus
13.4). Foi exatamente assim que Deus planejou a
felicidade tanto do homem como da mulher
(Gênesis 5.22-25). A bíblia orienta que "o marido
deve cumprir a sua responsabilidade conjugal para
com sua mulher, e do mesmo modo a mulher para
com o marido" (vv 3-4). Que responsabilidade é
essa? Não é apenas a responsabilidade de
satisfazer sexualmente um ao outro. O sexo é uma
conseqüência do desejo de uma energia produzida
quimicamente pelo corpo, não é o ato que irá
satisfazer um ao outro, e sim o que permite a
relação sexual. A imoralidade, a erotização,
pornografia e a banalização do sexo traz
conseqüências gravíssimas para a mente, corpo e
espírito (1 Tessalonicenses 4.3-5; Romanos 1.26-
27). Estabelecendo conflitos dentro da relação
conjugal. O cônjuge que precise de estímulos
pornográficos, imorais para ter relações sexuais,
está doente e precisa urgentemente de ajuda
6

espiritual, moral e psicológica, antes que esses


estímulos destrua totalmente sua vida, casamento e
sua família.

Mas afinal de contas, que responsabilidade é essa


de que Paulo fala que ambos precisam ter dentro do
casamento? Mais uma vez encontramos aqui o
firme fundamento de um lar edificado na rocha que
é o Senhor, o AMOR. Não há maior
responsabilidade de um homem e de uma mulher
do que amarem-se mutuamente. Um dia essa
vontade toda, essa energia descontrolada, vai
diminuir, para alguns pode até acabar, mas o que
permitirá que um continue amando e honrado um ao
outro não é a química, e sim o amor. A maior
responsabilidade de um cônjuge é amar, porque
amando serão saudáveis, terão um casamento feliz
e honroso, e acima de tudo, filhos saudáveis. Todas
as vezes que a Palavra de Deus corrige algum
distúrbio, ou aponta os erros em um casamento é
exatamente pela falta de amor. Quem ama não
busca seus próprios interesses; não se ira, não
suspeita mal, não guarda ressentimento, não se
alegra com a injustiça, não é invejoso, não se
vangloria e não se orgulha (1Coríntios 13.4-5).
Quem ama não busca estímulos pervertidos,
imorais, pornográficos para se auto-satisfazer. Está
plenamente realizado sexualmente em amor.

O terceiro princípio de Deus para o casamento é


que ele foi feito para durar a vida toda
(vv 10-11).

Ninguém deve casar pensando na alternativa da


separação (Mateus 19.3-12). O ensino bíblico é que
“o que Deus uniu não o separe o homem” (Marcos
10:9). Deus colocou muros ao redor do casamento
não para fazer dele uma prisão, mas um lugar
seguro. Mas, o que fazer se bateu aquele
arrependimento, ou quando a situação parece
insustentável? A Palavra nos desafia a buscar todas
as alternativas impossíveis de reconciliar, de salvar
o que está perdido. "Que a mulher não separe do
7

marido" (vv 10). Essa declaração de Paulo me


deixou intrigado e ao mesmo tempo inquieto.
Parece depender mais da mulher do que do homem
a sustentação do matrimônio. Talvez esteja
exatamente no coração de quem está mais
desprovida de autoridade, poder e
responsabilidade, a submissão de salvar sua
felicidade, seu grande amor e sua família. Não é por
acaso que a bíblia afirma que "a mulher sábia
edifica o seu lar, mas a insensata, com as próprias
mãos o derruba” (Provérbios 14:1). A bíblia sustenta
do início ao fim de que a mulher é a companheira,
aquela que auxilia que encontra na sabedoria
razões para continuar acreditando e esperando nas
promessas de Deus para o seu matrimônio.

O quarto princípio de Deus para o casamento é que


crente casa com crente (vv 12-24). Deus está
protegendo a felicidade da constituição do lar. Foi
assim desde os tempos bíblicos. Deus queria
proteger seu povo das mãos dos inimigos,
estrangeiros e forasteiros. Que não entendiam seu
projeto de vida para o seu povo. Quando Deus
estabelece esse princípio, Deus não está fazendo
nenhum tipo de acepção ou preconceito, está
apenas sendo zeloso e leal a cada um de nós.
Quando ele diz, não é bom que o homem viva
sozinho (Gênesis 2.18) Ele não está obrigando
ninguém a casar (1Coríntios 7.7), está apenas
orientando o que é melhor para cada um de nós.
Deus está preocupado com a nossa realização
pessoal. Por isso que não pode haver nenhuma
comunhão entre as trevas e a luz (2Coríntios 6.7).
Suponhamos que me apaixone por uma garota não
crente e que gosta de frivolidades, é natural que eu
deseje acompanhar ela nos bailes, festas, itafolia,
carnaval, cachaçada, bebedeira, etc. Será ainda
mais natural que eu me torne exatamente como ela
é, e isso vai acontecendo sorrateiramente, quando
eu perceber, já será tarde demais. Ou então, que
ela se apaixonou por mim, então vai ter que ser
como eu sou, crente de qualquer jeito. Daí se
casam, e ela ainda não reconheceu Jesus em sua
8

vida, e casados, com a pretensa sensação de que


agora as coisas são outras, vai ser do jeito que eu
quero. Ela começa a sair para suas frivolidades, eu
fico em casa assistindo o jogo, enquanto ela sai
com suas amigas no meio dos meus amigos. E aí,
como vai ser? Como será possível sustentar um lar
entre a luz e as trevas. IMPOSSÍVEL! Não haverá
respeito, sujeição e cumplicidade dentro dessa
relação. Por isso que Deus aconselha, orienta que
crente case com crente. Por que daí para um atrito
ou outro, as coisas não vão fugir do controle e se
fugir darão conta de si mesmos a Deus (Romanos
14.12).

Mas há uma outra inquietação, devamos, então


permanecer casados com cônjuges incrédulos? A
resposta bíblica é sim (1Coríntios 7.12-13). É um
ato de desobediência um cristão casar-se com um
incrédulo (7:39; 2 Coríntios 6:14). Mas se uma
pessoa se torna cristã depois do casamento, ela
não deve usar isso como base para separação, pelo
contrário ela precisa exercer influência positiva no
casamento. Portanto, há casos em que o cônjuge
incrédulo recusa-se terminantemente a conviver
com o cônjuge crente. Caso o cônjuge incrédulo
tome a iniciativa abandonando definitivamente o
cônjuge crente, este fica livre do jugo conjugal
(7:15). Mas, se o incrédulo se separar, que se
separe (1Coríntios 7l.15). Ninguém deve em
momento algum abrir mão da sua salvação e
comunhão com Deus para salvar seu casamento (1
Coríntios 7.16-17).

CONCLUSÃO
Para um lar ser edificado na rocha que é Cristo o
Senhor ele precisa ouvir e praticar esses
ensinamentos dados por Deus a sua igreja, sem
queixas ou murmurações (Filipenses 1.14). Que o
Eterno nos Abençoe, Amém!