Você está na página 1de 6

B ole

o etim Es
spe
era
anç
ça
a
Info
orme de Es
studos Esp
píritas, RJ, Ano II, N. 13 MAIO,
M 2010
0

EDITOR
RIAL

O mê ês de maio motiva
m inúmeeras
celebraçõ ões.
E
Esta edição o desloca das d
lembrançças as relaçõ ões afetuosas e
imprime, com doçura a e gratidãoo, a
dívida de e respeito e ternura que e a
Humanid dade deve conferir ao
espírito ffeminino, qua
ando, no mun ndo
espirituall, firmou o compromissso
sagrado de abrigar, no ventre, os
seres neecessitados dad reencarnaçção
para sere em educados s à luz do ammor
maternal.
S
Saudamos as mães e
rogamoss à Maria, Mãe M Santíssim
ma,
que as ampare no o cumprime ento
NESTE BOLETIM
B desse ssublime proje eto de edu ucar
Cap
pa
almas pa ara a promoç ção do Bem na
EDIITORIAL Terra.
GO
OTAS DE AMOR Feliz Dia das Mães!
F
Pággina 02
A EQUIPE
PER
RFIL DE MÃE
COLUNA DO CAMIINHO
Pággina 03
ECO
OS DA AMÉRICA
A DO NORTE
LIV
VRO DO MÊS
BUDA E O MATERIIALISMO
AN
NIVERSARIANTE
ES DO MÊS
DA
ATAS IMPORTAN
NTES
Pággina 04
ATU
UALIDADE DO PEN
NSAMENTO ESPÍRITA
OLIIMPÍADA DE MA
ATEMÁTICA
O CENTRO
C ESPÍRIT
TA
Pággina 05
ENSAGEM DO MÊS
ME
SOF
FRIMENTOS E TESTEMUNHOS
T
Pággina 06
GOTAS DE AMOR
A
EM
M DEFESA DO AU
UTISTA
EXP
PEDIENTE A paz legítimaa emerge do
coraçãão feliz e da mente que
PRO
OGRAMAÇÃO DA
D CASA
comprreende, age e confia.
POE
EMAS INFANTO
O-JUVENIS (Joannna de Ângelis)
Ante às crises da vida, não
te revooltes. Serve. (Emmanuel)
Ante os desaajustados da
Terra, respeita-lhes o caminho e
silenciia quando não lhes
l consigas O programa é apresentado por Ana e Aneete Guimarãess, sendo
comprreender as lutaas entremea- recomendado para toda a família, por abbordar temas e casos
das doo pranto que desconheces.
d diferenciados, sempre relaciionados à connvivência familiaar, com
(Meimmei) orientações paara a solução dee eventuais confllitos.

Boletim Esperança
E – Página 1
PERFIL DE
D MÃE COL
LUNA DO
O CAMINH
HO
Neste mês, consagrado
c às mães,
m homenageaamos especialmeente
a maatriarca do Cam minho da Espeerança, Ana Guimarães, G a mãe
m PR
ROJETO IMA
AGEM <www.p
projetoimagem.com.br/default.asp>
exemmplar que orientta e norteia noossos caminhoss, na trajetória da
evoluução espiritual. Vale a pena conferir o PROJETO
P IMAGGEM.
Trata-se da ideia de d um grupo o de
Mãe de todoss, ela não perde oportunidade dee apontar a direçção,
desenhisstas, autorizaddo pela FEB, que
fazenndo os acertos necessários, coorrigindo falhass e aprovando as passou a usar imagens s para enriqueccer o
asserttividades. estudo de algumas obras doutriná árias,
Avessa a pubblicidades efêm meras, Ana Guim marães sempre agiu a as, “Nosso Lar”” e “Há 2000 Anos”.
entre ela A
com a coerência de umau autêntica esspírita. Muitas vezes, v ela abdicaa do O primorroso trabalho po
ode ser conferid
do no
seu papel
p de dirigennte para, na inttimidade da Caasa, privar com os site do g
grupo.
colabboradores, comppartilhando seus momentos esspeciais, deixanndo
afloraar a emoção e oss sentimentos dee amor e de sauddades.
Virtuosa, ressistiu, com corragem, ao proceesso de pós-moorte
físicaa do querido espposo Geraldo Guuimarães, com quem q conviveu por
p
44 annos, e recolheu-sse no aconchegoo da Mansão do Caminho, C privanndo
do reccato e do conforrto amigo do seuu irmão de fé, Diivaldo Franco, para p
logo reconfortar-se
r e recompor a sua jornada. EC
COLOGIA E ESPIRITISM
MO <www.mundosustentavel.com
m.br>
De volta aoo Caminho da Esperança, forttalecida na fé, em André Trigueiro, conheci-
algunns momentos de sensibilidade, revelou r passagenns do seu “arquuivo
do apresenta ador do “Jornaal das
confidencial”, abrinddo o baú das lem mbranças, de sua infância aos dias d Dez” da Glo obo News, lançou
de hooje, sensibilizanndo a todos os presentes com histórias e carrtas
recentementte um livro sobre os
trocaddas, com o entãoe noivo Geraldo, G cujo teor, de conteúúdo muitos ponto os em comum m que
doutrrinário, mais pareecia com as epísstolas de Paulo Apóstolo. A existem entrre o Espiritismooea
Somos gratoos por termos o privilégio de testemunhar e priivar
Ecologia. “Se a ciê
ência
de tãoo raros momentoos da história doo Caminho da Essperança.
ecológica oferece
o um amplo
Ana Jaicy Guimarães,
G Esppírita, Mulher, Mãe, M Avó, Am miga
espectro de observa ação,
inconndicional, recebba os sentim mentos sinceross e a gratiddão, interligando
impreegnados no connsciente coletivoo desta Casa que q a tem comoo a sis
stemas que variam do o micro ao o
grandde mãe.                                                                     Rita Pontes
  macrocosmo, o Espiritismo d desdobra esse e
Se a chamam mos carinhosammente, e com proofundo respeito, de olhar na dire eção do pla ano invisível,
"Donna Ana", é porquue, no dicionárioo de nosso coração, "Dona" se faz argando eno
ala ormemente o campo de e
sinônnimo de "Mãe". inv
vestigação”. Segundo Trrigueiro, “são o
E, em nossoo caso, a Mãe ses fez Sogra, a Sogra se fez Mãe,M tantas as afinidades, que certas obras s
pois, como filhos de seu coração, nos reencontramoss sob a chancelaa de esspíritas poderiiam perfeitamente embasarr
seu olhar amoroso. Cristiane, Rica
ardo e Luís Felip
pe. alg
guns postuladoos ecológicos”..
 

– Ana, você é a mãe da nossa casa, mãe m da esperannça, NASC CERAM GUSTAV VO E ANA LUYS SA
portannto, de toda a faamília Esperançaa. Nasce eu, no dia 28 dee março, a ANAA LUYSA, filhinh
ha de
Nossa eternaa gratidão e carinnho. Deus lhe abbençoe a vida. Luili e Maysa. PARABBÉNS AOS PAIS!
A colluna comunica que nasceu no o dia 10 de abril o
                                Zezé Siilva  GUST TAVO, netinho ddos nossos dileto
os amigos, Alme
erinda
– Ana, você ocupa, em meuu coração, o luggar da minha mãe. m e Rob bertson. PARABÉÉNS AOS AVÓS S CORUJAS!
Nas tristezas,
t alegriass, nos erros e aceertos, você está sempre presentee.
Da filha do coração,
c Marilene Pau ulo GRAC
CINHA E ALINN
NE NO CORAL DA UFF
– Ana, amarr é a sua natureeza. Amiga de todos os instanttes, Nossas queridas
valoriza as nossas conquistas
c e esstimula na superação das nosssas ammigas Alinne e Gracinha
dificuuldades. Você é a mãe e avó dass nossas almas, dando-nos forçaas e irã
ão se apresen ntar, com o
exemmplos para buscarrmos a felicidadde. Que a nossa gratidão se traduuza Cooral da Un niversidade
em vootos de alegria e paz. Rose, T
Túlio, Lívia e Lúcio  Fluminense, no dia 26 de
 
maio, às 18h3 30min, no
– Minha mãee, para mim, voccê é a bússola que
q norteia a minnha Ceentro Cultural da Justiça
vida e corrige minha trajetória, indicaando caminhos. Feederal, na Av. Rio Branco
M
Marcelo Guimarã
ães  nºº 241, RJ. Presstigiem!
Simplesmente seer...
S
T
Totalmente dar.... EDADE ÀS VÍTIMAS DAS CHU
SOLIDARIE UVAS NO RIO
F
Fielmente crer.... AJUDE as vítimas das chuvas no RJ, R com remé
édios,
P
Pluralmente estaar... alimentos e doaçções em dinhe eiro:
N que se é a si mesma
No UPPI SUZANA WESLEY
W
S possível ondde preciso for
Ser Su
upervisora: Rosenilda Carvalho de Souza
P
Precisamente mããe Es
strada do Mato o Alto, 215 RJ-R
RJ - 23036-150
0
I
Infinitamente ammor! Te
el.: (21) 3156-6
6468
DON NA ANA?  Jair e Cláud
dia  Fa
ax: (21) 3316-33569
Respeeito merecido, Despeerta a gratidão, E--mail: upi.suzanawesley@lfc..org.br
Admiiração conquistaada, Por onnde quer que passse,
Amorr pelo vencido, Conveence cada irmãoo, FEEB PRESENTE EM AUDIÊNCIA PÚBLICA NO O SENADO
Ingraatidão perdoada. Ajudaa-o a libertar-se. Com a presença
p de representantes espíritas,
e católiccos e
prrotestantes, ocoorreu no dia 28 de abril, no Senado Federral, a
O sorrriso aquece, Vive o espiritismo, Auudiência Pública a para discussãão e reflexão do
o tema “Garanttias e
O abrraço conforta, Nessaa longa jornada, dirreitos fundameentais ao livre exercício da crença
c e dos cultos
c
A pallavra enriquece, Esvazziando o abismo,, religiosos”. Nestoor João Masottti manifestou o apoio da FEB ao
O exeemplo exorta. De paarada em parada.. Prrojeto de Lei nºº 160 de 2009, que tem por ob bjetivo harmonizar e
Regina Celia ee Rafael Rodrigu
ues de
emocratizar a discussão sobre a legislação religiosa.

Boletim Esperança
E – Página 2
LIIVRO DO MÊS
S:
ECOSS DA AMÉRICA DO NORRTE:
COMO SER ESPÍRITA
E EM
M PAÍS EST
TRANGEIRO
O C
CARTAS DE
E UMA MOR
RTA
(Da. MARIA JOÃO DE DEU US)
Moro nos Esstados Unidos, em e Salt Lake Citty, Estado de Uttah,
Cartas de uma Morta é a única obra de d Da.
há 111 anos. Quandoo aqui chegamoos, nossa famíliaa era composta de
Maria João dee Deus, espírito o que foi na Teerra, a
cincoo membros: eu, meum marido e trêês filhos, todos espíritas.
e Hoje, dos
d
abnegada mãezzinha de Franciisco Cândido Xavier.
X
dois filhos
f casados, um
u deu-nos três lindas netas quee, na verdade, sãão a
Quando o méddium falava de sua progenitoraa, seus
alegriia de nossas vidaas.
olhos se enternneciam e seu co oração, já tão grande,
g
Como não há centros espírittas nessa cidade, pois a maioriaa da
agigantava-se mais, dentro das recordações da
popullação daqui é mórmon,
m a única forma que encontrei de me mannter
distante meninnice em Pedro Leopoldo (MG G), sua
em allguma atividadee espírita foi segguir fazendo o cultoc do Evangeelho
terra natal. D Dizia Chico Xavier
X que as zonas
no larr uma vez por seemana. Dessa attividade, muitas vezes, minha nora n
inferiores do pplano espiritual não se encontraam tão
e as crianças
c participam. As pequenaas já sabem orar em português e até
reppletas de sofreddores, unicamennte em virtude do d dedicado am mor de
leem e comentam pequenosp trechoos de “O Evanngelho segundoo o
mããe. No momentto exato em quee os complexos de culpa agravvam os
Espirritismo”, sob a nossa orientação.
caastigos de cadaa criatura, desteerrando-a, por força do mecaanismo
Há cerca dee um ano, meuss familiares quee vivem no Braasil
divvino, às zonas umbralinas,
u lá chega o carinho materno, e usanndo de
insisttiram para que eu
e escutasse a Rádio
R Rio de Janneiro, porque elees a
toddos os recursos que lhe faculta seu elevado sentimento, colhe em e seu
consiideram um verdaadeiro centro esppírita on-line porr 24 horas. Embbora
reggaço os seus filhhos, afastando-os para lugares dee refazimento e paz.
p
eu nãão tivesse dado muito
m crédito a isso, resolvi ateendê-los, acessanndo
Leia-Participe--Medite-Divulgu ue!
a Ráddio pela Interneet. Surpresa: foi a maior alegrria de minha viida!
Entãoo, ocorreu um faato que passo a reelatar.
BUDA E O MATERIALISMO
Trabalho emm um depósito de nome Warehoouse, com produutos
de beeleza e tratamentto de pele. Meu departamento se s chama Inventory Há relatos de que, certa
Contrrol (IC) e minhha posição é a de auditoria (A Audy). Somos duuas feita, um discípulo pergunttou a
auditooras, Marlene, hondurenha
h que está aqui há 22 anos, e eu. Ela fala
f Buda o que mais
m o surpree
endia
espannhol e inglês, mas me pede paraa conversarmos em português, que q na humannidade e ele
ela enntende, pois afiirma amar o Brrasil, embora nuunca tenha visitaado respondeu: "Os homeens...
nossaa pátria. Curiosoo é que essa amiga tem o nome de minha cunhaada, Porque perd dem a saúde para
suas filhas se chamaam Vanessa e Carol C (nomes dee minha irmã e de juntar dinheiro, depois perdem
minha nora respectivvamente), seu maridom se chama Mário (nome de dinheiro pa ara recupera ar a
meu filho),
f seus irmããos se chamam Giannina
G e Marcco Túlio (nomess de saúde.
meus irmãos) e sua cuunhada se cham ma Rose, como a minha cunhada.. E por
p pensaarem
Durante o exxpediente, comoo trabalhamos ao a computador, eu ansiosamentte no fu
uturo,
passeei a acessar a Rádio Rio de Janeiro para ouvir o parte de um esquecem do d presente de tal
progrrama nos intervaalos do trabalho.. Certo dia, eu estava fazendo issso, forma que acabam por não
quanddo Marlene peerguntou-me dee que program ma se tratava. Ao viver nem o presente ne em o
expliccar-lhe, ela se interessou tam mbém e passou a escutá-lo juunto futuro.
comiggo. É interessaante observar que, q nessa ativiidade profissionnal, m como se nunca
E vivem
lidam
mos com númeroos e precisamos apresentar muitta produção, maas o fossem morrer... e mo orrem
fato ded ouvir a Ráddio jamais prejuudicou nosso renndimento. Os dias d como se nunca tivesssem
ficaraam leves, apesarr do trabalho pessado. vivido."
Sempre escuutamos palestras de Divaldo Fraanco, Raul Teixeeira
e Emmanuel Cristianoo. Engraçado é que, algumas vezes, v ao ouvi--los AN
NIVERSARIANTES DO MÊS
durannte nossas atividdades, minha am miga faz uma pauusa no serviço, por p
Pa
aulo Jurand
dyr 02/05 Dayan 21/05
um breve
b instante, e diz estar em estado de graçça. E eu a alerrto:
“Trabbalhe para evitarrmos problemas!!”.
Escutamos também
t os proogramas: “Cam minho do Senhoor”, Sa
aulo Pereira
a 04/05 Rita Ponttes 22/05
“Crônnicas de Famíliaa”, “Debate na Rio”,R “Educar para
p crescer”, “LLuz
na Peenumbra”, “Medditação: evocaçãão da Ave-Mariia” e “Prelúdio de Divaldo Franc
co 05/05 Jânio Sallles 29/05
paz”. Marlene se tornnou espírita por causa da Rádio RJ.
Certa sexta-ffeira, eu estava escutando
e a Naddja do Couto Vaalle
que, non intervalo de sua fala, colocoou uma música que q cantávamos no
Erick Guimarrães 08/05
Grupo Espírita Andrré Luiz, localizaado na Rua Jiquuibá, no Maracaanã,
RJ. As
A lágrimas rollaram de saudaddes desta casa tão querida, onnde DATAS
S IMPORTANTES DO MÊS
S DE MAIO
colabborei na confecçção das refeiçõess da Escola Gam maliel, nas manhhãs
de doomingo, por apennas 10 anos. Aqquela música me transportou parra o 01
1/05/1855 – Karddec assiste, pela pprimeira vez, os fenômenos das "mesas
"
passaado e revi meuss filhos pequennos Guilherme, Bernardo e Máário girrantes".
transiitando pelos espaços benditos deesse grupo de am mor.
Quero agradeecer à direção daa Rádio Rio de Janeiro,
J que estáá de 05
5/05/1927 – Nasccimento de Divalddo Pereira Franco em Feira de Saantana,
parabbéns, pela exceleente programaçãão espírita, pois a escuto das 4:330h BA
A.
da maanhã até às 15:000h. E, enquantoo estamos no traabalho, meu marrido
8/05/1955 – Allann Kardec assiste à primeira comu
08 unicação mediúnnica na
e eu deixamos
d o rádioo de casa ligado por todo o dia.
Nesta oportuunidade, deixo meu abraço caaloroso a todos os casa de Mme. Plainnemaison.
amigoos sinceros do André
A Luiz, quee, eu sei, estiverram sempre oranndo 12
2/05/1996 – Ideallizada por Alamaar Régis Carvalho
o, é iniciada a Prrimeira
por nós,
n como Aninnha, Aparecida, Colares (que jáá retornou à pátria
espiriitual), Maria Luuíza, Denise, Milton,
M Nadja... ó, meu Deus, são Seemana Espírita dee New York, reallizada pelos USU
US (United Spiriitist of
tantoss amigos do cooração... e aos nossos
n amores do Grupo Espírrita thee United States) com apoio do Alllan Kardec Spirittist Center – NY, USA.
Camiinho da Esperannça. Que possam mos todos juntos divulgar a Ráádio
Rio ded Janeiro, porqque eu aqui, appesar de ter pouucos amigos, esstou 23
3/05/1889– A FE
EB realiza a prim
meira reunião pú
ública de estudo de "O
sempre recomendanddo a qualquer um m que aparece: “Ouça
“ a Rádio Rio
R Livro dos Espíritoss" – Rio de Janeirro, RJ.
de Janneiro.” Muita paaz!
6/05/1861 – Nasciimento de Améliaa Rodrigues, em Santo Amaro, BA
26 A.
Adria
ana Laucas Imb
bico 

Boletim Esperança
E – Página 3
“ATUALIDA
ADE DO PEN
NSAMENTO O ESPÍRITA””    
E O PROB
BLEMA QUEE VIVE HOJE
E A CHINA    
   
C
Chegou às minhas
m mãos a notícia de d um parquee de    
diversões na cidaade de Kunm ming, na Chiina, onde os 120    
funccionários são anões.
a Até aí tudo bem, maas, à medida queq  o  
artiggo se desenvoolve, percebem d  
m-se indícios de exclusão dessa  
   
popuulação pequenna da sociedadde. Além de trrabalharem láá, são    
respoonsáveis por vários
v númeroos de shows huumorísticos.    
O que chamaa atenção é, principalmennte, o fato de d os    
empregados moraarem no parquue, onde tudoo é adaptado para   “ CENTRO
“O O ESPÍRITA”
”  
eles.. Várias enttidades proteestaram conttra esse tipoo de   As vibraçções dissemin nadas pelos ambientes
a de um  
  Centro espírita, pe elos cuidadoss dos seus tu utelares invisívveis;  
segregacionismo, já que ele im mpede que os anões particiipem   os fluidos úteis, necessários aos variados s quão delica ados  
da vida comum.   traba alhos que ali se devem processar, desde a cura a de  
E
Esta reportageem vem ao encontro
e do estudo
e  
sociolóógico enferrmos até a conversão d de entidades s desencarna adas  
que se tem desenvvolvido às quuintas-feiras em m nosso Cam minho   sofreedoras e até mesmo
m a orató
ória inspirada
a pelos instruto ores  
   
da Esperança.
E O livro “Atualidade do Penssamento Espírrita”,  
espirrituais, são ele ementos esse enciais, mesm mo indispensá áveis
 
psicoografado por Divaldo Frannco, trata do assunto
a dos guuetos
  a ce erta série de e exposições movidas pe elos obreiros da  
moddernos com baastante lucideez por parte do d Espírito Viianna   Imorttalidade a serviço da Terceira Re evelação. Esssas  
de Carvalho,
C eluccidando que, apesar dos discutidos
d  
dirreitos vibrações, esses fluidos especializados, muito sutiss e  
  sensíveis, hão-d de conserva ar-se imacula ados, portando,  
hummanos, é laamentável que q ainda existam bollsões
  intacttas, as virtudees que lhes sã ão naturais e indispensávei
i s ao  
segregacionistas dividindo
d os indivíduos pelos
p seus lim
mites,  desenrolar dos trabalhos,
t orque, assim não sendo, se
po  
tenddências e prefeerências, entree outros.   mesc clarão de imp purezas prejud diciais aos mesmos
m trabalhos,  
A Doutrina Espírita
E abre o espaço, antes
a fechadoo, da  por anularem
a as suas
s profundaas possibilidad
des. Daí porqu ue a  
imorrtalidade da alma e da reeencarnação, mostrando que q  a Espirritualidade essclarecida re ecomenda, aos a adeptos da  
   
popuulação terráquuea está subm metida ao proccesso de evollução  
Grande Doutrina, o máximo o respeito nas n assemblleias  
conttínua e ininterrrupta. Nada a assustar, poiss o próprio hom mem  espírritas, onde ja amais deverã ão penetrar a frivolidade e a  
commeça a revoluccionar o pensaamento tacanhho do separatiismo,   incon nsequência, a maledicência a e a intriga, o mercantilism mo e  
commo gritou a voz da senhora Kênia Pottes, responsável pela   o mu undanismo, o ruído e as atitudes menos graves, visto que  
  estas s são manifestações in nferiores do caráter e da  
Assoociação Gentee Pequena doo Brasil, ONG G que defendde os    
incon nsequência humana, cu ujo magnetis smo, para tais
anõees.   assembleias e, po ortanto, para a agremiação o que tais co oisas  
F
Ficamos com Jesus, afirm mando que diaa virá em quue os   permmite, atrairá ba andos de entiidades hostis e malfeitorass do  
hommens amar-se-ãão como verdaadeiros irmãoss.   invisíível, que virã ão a influir noos trabalhos posteriores, a tal  
   
Vaanessa Bia anca  
ponto o que poderão adulterá-loss ou impossib bilitá-los, uma vez
 
  que tais ambien ntes se torn narão incompatíveis com m a  
VINÍCCIUS GUIMA ARÃES CAP PELLI Espirritualidade ilumminada e benffazeja.
   
GANHOU U UMA MED DALHA DE OURO O NA   Um Centtro Espírita o onde as vibrrações dos seus s  
OLIMPÍAD DA BRASILE EIRA DE MAT TEMÁTICA   frequ uentadores, encarnados ou u desencarna ados, irradiem m de  
  menttes respeitosa as, de coraçõ ões fervoroso os, de aspiraçções  
A OLIMP PÍADA BRAS SILEIRA DE E MATEMÁT TICA    
eleva adas; onde a palavra emitida jamais se s desloque para p
DAS S ESCOLAS PÚBLICAS
P (OOBMEP) é um m projeto que vem   futilid
dades e dep preciações; o onde, em ve ez do garga alhar  
crianndo um ambieente estimulannte para o estuudo da Matem mática  diverrtido, se prattique a prece e; em vez de d estrépitoss de  
entree alunos e proofessores de toodo o país.   aclam mações e louvvores inébitoss, se emitam forças telepátticas  
Voltada paara a escola púública, seus    
à pro ocura de insp pirações felizees; e ainda onde,
o em vezz de
   
estuddantes e profeessores, a OBM MEP tem o   cerimmônias ou passsa-tempos m mundanos, co ogite o adepto o da  
commpromisso dee afirmar a excelência   comu unhão mental com os seus mortos amados ou os seus s  
commo valor maiorr no ensino púúblico. Suas   guias s espirituais, um Centro assim, fiel observador dos  
ativiidades vêm mostrando
m a importância
i   dispo ositivos recom mendados de início pelos organizadores
o s da  
  filosoofia espírita, será detentor d da confiança da
d Espiritualid dade  
da Matemática
M paara o futuro dos jovens e    
escla arecida, a qua al o elevará à dependência a de organizaçções
paraa o desenvolvim mento do Braasil.   mode elares do Esp paço, realizand do-se então, em
e seus recin ntos,  
  sublim mes empreen ndimentos, qu ue honrarão oso seus dirigentes  
   
dos dois planos da Vida. Som mente esses, portanto, se erão
   
 
registrados no Allém-Túmulo ccomo casas beneficentes,, ou  
  temp plos do Amorr e da Frate ernidade, aba alizados para a as  
  melin ndrosas experriências espírittas, porque os s demais, ou seja,
s  
  aque eles que se e desviam para norma as ou prátticas  
  extraavagantes ou o inapropriaadas, serão o, no Espaço,  
  considerados mero os clubes onde se aglomere em aprendizes do  
  Espirritismo em horras de lazer.  
   
 
B e z er r a d e M en ez
zes  
  ____
______  
  PEREEIRA, Yvonne A. A Dramas da obsessão. [Pe elo Espírito Bezzerra  
  de Me
enezes]. 4. ed. Federação
F Espírita Brasileira, 1981. p. 145-14
47.  
   

Boletim Esperança
E – Página 4
prresença agrad
dável em qualquer ocasião, ele sempre soube
s
M
MENSA
AGEM DO
D MÊ
ÊS orrientar com o aconselhamento gentil. Houve
H dia em
m que
G
GRATIDÃO
O
de
esafiado a fazzer um discursso sobre uma cadeira não se
s fez
Parecia uma criança adormecida. O tempo passou
p de
econsigo
e levou rogado,toda
e, em
aquela energia
a
qu
ue fazia dela a minha âncora, o meu arrimo..
a lição aos ca
preciosa andidatos à orratória, demon
nstrou
Hoje eu a vejo repousando,
r tão frágil, tão de
ependente. Um leque de recordações condu
uz-me ao suave
e caminho
co
omo é possívvel tornar inte
eressante umaa palestra, me
esmo
da
as lembranças mais queridas.
so
obre o mais improvável do
os temas. Geraldo Guima
arães,
Mãe! O tempo passou, poré
M ém deixou-nos a capacidade e de lembrar, trazendo ima agens orvalhad das pelo carin nho,
caapazes de nos transportar a velhos
v sítios e despertar o lad
do bom que m exxiste em todas
ais ilustre as criaturas.
collaborador do R
Rever-te nas ta
nosso Boletim arefas
m, domésti
partiu dcas11
no dia
foi tão simples! As
A mãos mágiccas capazes de e transformar cortinas
c ou uma velha toalha de mesa num ma fatiota nova para um dos te eus
hos. Para nós, tudo era natu
filh ural, mãe. Não tínhamos noçção dos prodíg eios
de janeiro, deixxando-nos,
que realiza avas para quea todos, um
não nos po
ouco
sse omais
faltas trisstes
necessá ário, e
poois bastava peddir-te, nossa fada madrinha. órrfãos de sua companhia. A Ainda há uma a esperança nesse
n
A
Agora, caminha
ando pelo terrreno das lemb
branças, record
Cado-me
aminho,de pois
a te
ser ovisto choratro
reencontr e, émuita vez
certo. z,Sentidos
disfarçando
co
omas o
lág
grimas.
oc
corrido, desejjamos extern
nar nossa pro
ofunda gratid
dão e
Eu era muito jo
ovem para ir mais
m além, para buscar o fulcro das tuas dores
d ou tenta
ar minimizá-las
s. Perdoa, mãe
e, a
ce
egueira e o ego
oísmo da infânccia descuidada
a. am
mizade eterna a. Que Deus o acompanhe e o ampare nessan

O caleidoscópioo do tempo me e traz a imageem de uma mu no


ova etapa
ulher forte de secidida,
sua
e de existência
a.
profes Muito
ssora obriga
rural, ado
nov por tudo!
ve filhos e outtros
tan
ntos que eram os seus aluno os, quer fosse corrigindo provvas ou lavando
o as roupas na a beira do rio, ccom o semblante sereno! Ha avia
umma elegância natural
n na tua pessoa,
p nos caabelos presos em
e coque, no lenço
l que te coobria o pescoçço, nas mãos ded dedos longo os e
bra
ancos e na form
ma ereta de caaminhar, mesmmo sob o peso de d uma trouxa de roupas. Equipe do Boletim Esperrança
Sabe, mãe, o tempo
t passou,, mas as lutass são as mesm mas neste mundo de provass e de expiaçõ ões. Hoje te vejo
v
enncolhida sob coobertas, depenndendo das mããos operosas de tua filha, trabalho que ela a realiza com carinho e desv
velo. Mas o paalco
daas experiênciass continua o meesmo, o mundoo evoluiu em te
ecnologia, poréém são muitass as mães que lavam as rouppas dos filhos com
c
ass próprias mã ãos. Os homens fizeram mil descoberttas, entretanto o muitas mãe es continuam a atender as a necessidad des
me edicamentosass de seus filhoos com chás e carinho. As distâncias fora am encurtadass pelos meios de comunicaç ção e locomoçção,
toddavia mães ain
nda continuam a caminhar qu uilômetros para
a levar os filhos
s à escola.
O mundo marcha, mãe, e co om ele marcha amos também. Espero que, depois que d deixares esse corpo cansado e
rettornares ao pa
alco da vida, en
ncontres um mundo
m mais solidário, onde nã
ão haja tanta diferença
d socia
al, onde se com
mpreenda a divvina
razzão de viver, cujo
c objetivo é fazer-nos fratternos, irmãos. Não é utopiaa, mãe, é o futturo da Human nidade e, para
a que isso ocorra,
Je
esus vela!
E nós, os espíriitas de boa vontade, estamo
os trabalhando no sentido de
e despertar o h
homem de bem
m que se escon
nde
no
o íntimo de cad
da um.
O que sou devo o aos teus zeloss, renúncias, sacrifícios
s e lab
bores incansáveis. Tu foste a alavanca do meu
m progresso. Já
meenina-moça, aiinda convivia com
c os teus cu
uidados: a roupa, os sapatos s, a alimentaçã
ão e os conselhos, muitos coonselhos. Os te
eus
olh
hos pareciam ver
v o futuro e te inquietavass um pouco co om esse aman nhã. Tenho cerrteza de que, se pudesses intervir, eu jam
mais
de
erramaria uma lágrima ou soffreria qualquer dissabor.
Hoje, sendo mãe também, com
mpreendo melh
hor o teu “mundo”, tuas expectativas para ccom os teus filh
hos.
O
Obrigada, mãe, Deus abençoe
e tua existência
a tão digna e tã
ão nobre.

Ana Guim
marães
Soofrimentos e testemunhoos de Divald
do Franco
Quem coonhece hoje o méédium Divaldo FrancoF (1927), joovial e • em 1947, foi excomungado pela Igreja
sorrridente, não imaagina o seu ideaalismo e as lutas que enfrentou nestesn Católicaa, em Salvadorr, porque foi à Cúria
sesssenta anos (19477-2007) de mediuunidade, na sua joornada de semeaddor do solicitarr apoio para a Mansão do Caminhho, obra
Evaangelho Restauraado pelas luzes doo Espiritismo. A vantagem deste artigo que funndara para criançaas órfãs e carentees e, por
é concentrar
c os fattos, pois os messmos já foram comentados
c em livros ser espírita, foi consideraada “obra do dem
mônio”;
bioográficos (ou artiggos) sobre Divalddo, os quais podeem ser consultadoos por • em 1948,
1 recebeu innjúrias e cusparaadas no
queem queira. Menciioná-los-emos toppicamente só paraa registrar. rosto váárias vezes proveenientes de pessooas que,
ALGUM MAS PERSEGUIÇ ÇÕES E INCOM MPREENSÕES quando sabiam de suua condição esppírita, o
Que estees testemunhos marcantes
m na vida de Divaldo não visem
v consideeravam endemonninhado e por isso se
enggrandecê-lo, mas servir de estímullo e coragem aoss médiuns novatos, que negavam m a prestar-lhe auxílio em favvor das
devvem conscientizaar-se de que em um mundo de exxpiações e provaas não criançass órfãs de que elee começava a cuiddar;
devvemos esperar beenesses em nossoo favor, mas sim m lutas e testemuunhos, • por mais de trinta anoss, Divaldo sofreu o assédio de um Espírito, desafeto
quee traduzem a partte que nos cabe e que merecemoss, em virtude da Lei L de do passsado, que queriaa destruí-lo, e qque criou inúmeeras situações de d
Ação e Reação (colhhe-se o que se plaanta). Então exem mplifiquemos: constranngimento tentanddo até matá-lo. Reesignado, Divald
do nunca se abateuu
• desde a adolescência até a a fase adultaa, por muitos am migos, com essa influência neggativa, mas conttinuou otimista em e sua missão de d
fammiliares e no trabbalho foi consideerado como doennte mental e louco, em divulgação espírita. Atéé que um dia, ssem o saber, Div valdo acolheu nan
funnção da manifesttação de sua meddiunidade, que ninguém
n compreeendia, Mansão o um bebê achadoo no lixo, o que ffez com que o Esspírito perturbadoor
cheegando váriasOB BRIGADO
vez GERALDO
zes quase a ser internado; O encerrassse seu instintoo de perseguiçãoo, porque recon nhecera no bebbê
acolhido o a reencarnação do Espírito da prrópria mãe.
Éramos fellizes, como fe
elizes eram ass oportunidad
des Washin ngton Luiz Noguueira Fernandees 
de ouvir
o o nossso mais flue
ente orador. Sorriso fácil e Fonte: Jornall Mundo Espíritta ­ Agosto/2007 

Boletim Esperança
E – Página 5
EM
M DEFESA
A DO AUTIS
STA: 02 DE
E ABRIL – DIA
D PROGRAMAÇ
ÇÃO DA CAS SA
2ª Feira (20
0:00 às 21:00)
M
MUNDIAL D CONSCIENTIZAÇÃ
DA ÃO AUTIST
TA
N luta em deffesa do autistaa, motivada peelo filho amaddo que
Na PALESTRAS
P D
DOUTRINÁRI
IAS: LIVRO DOS
D ESPÍRITO
OS
Deus colocou em m meus braços, posso desttacar a vontaade de 03/05 – Jânio Sales
S Questõ
ões 330 a 336
propoorcionar senão a cura, pelo menosm minimizzar o sofrimennto das
criançças nessa conddição e de seus familiares. 10/05 – Claudia
a Passarelli Questõ
ões 337 a 343
Partindo do princípio de quue nada é por acaso, não é, é com
17/05 – Josué Bezerra Questõ
ões 344 a 350
certezza, por acaso que
q estou aqui, às voltas com m um filho autissta que
já paassou por várias fases, da agressividade
a a desinteressse pela
ao 24/05 – Jair Ce
esário Questõ
ões 351 a 360
vida, o mutismo tottal, a depressãoo e outras tantaas...
A perceber a grande
Ao g dificulddade que as fammílias têm de acesso 31/05 – Ana Gu
uimarães LIVRE
ao traatamento, enteendi o que Deeus desejava de mim, que toomasse
3ª F
Feira
iniciaativas.
A
Aliei-me à ADE EFA, Associaçção em Defesaa do Autista, fuundada O EVANGELHO SEGUNDO O ESP PIRITISMO
por Eloah
E e Juceli,, mãe e avó exxtremosas, quee são hoje vallorosas (14:50 à
às 15:25)
comppanheiras no movimento em e prol do autista e dee seus
familliares. Ulisses da Costa Batissta é outro nom me que vale deestacar 04/05 – Teresa
a Cap. 05
5, item 20
por seus
s 10 anos de luta, somaando conosco o desejo imennso de 11/05 – Giannina Laucas Cap. 05
5, item 21
mudaar a realidade do d autismo no Brasil.
B
A
Afinal, o que fazemos?
f Alémm de realizar audiências púúblicas 18/05 – Rafael Pinho Cap. 05
5, item 22
para discutir
d o assuunto, projetos de
d leis estaduaais e federais (que
( já 25/05 – Helena
a Alves Cap. 05
5, item 23
estão tramitando e,, com fé em Deus, D serão approvadas), busscamos
médiccos, psicólogoos, fonoaudióloogos e outros profissionais
p d área
da REUN
NIÃO MEDIÚN
NICA (20:00 às
s 21:00)
biomédica que se aliem ao movimento para tratar dos quue não
podem m arcar com os custos do tratamento. AderimosA tambbém ao 5ª Feira (19
9:30 às 21:00)
DIA MUNDIAL DA D CONSCIE ENTIZAÇÃO AUTISTA – 2 de ESTUDO DO LIVRO
abril. “Para que o preconceitoo diminua, os profissionaiis que
traballham com essaas crianças usam, durante toddo o mês de abrril, um “ATUALID ENSAMENTO ESPÍRITA”
DADE DO PE
laço azul
a no peito para
p que, cadaa vez que for perguntado
p o motivo
m 06/05 – Vanesssa Laucas
da faiixa, eles expliqquem um poucco mais da doennça” (globo.coom).
R
Recentemente, D Javier Salvvador Gamarraa, médico hom
Dr. meopata 13/05 – Jair Ce
esário
e oraador espírita de d Curitiba, estendeu suas generosas mããos em
direçãão à ADEFA, prontificando-
p -se a ajudar esssas crianças. 20/05 – Giannina Laucas
A ADEFA realiizou, nos dias 5 e 6 de abril, outra audiênccia no 27/05 – Cláudia
a Passarelli
auditóório da Defennsoria Públicaa do Estado do Rio de Jaaneiro.
Contaamos com a prresença do nossso querido Sauulo Laucas, quue vem Sábado (8::30 às 15:00)
na linnha de frente, abrilhantando nosso movim mento. Saulo é tenor,
ESCOLA DE ESTUDOS ESPÍRITAS ESPERANÇA
E A
autistta, cego, estuudante da Esccola de Músicca da Univerrsidade
Federral do Rio de Janeiro
J (UFRJ)) e um exempllo de superaçãoo. Não
DA
A ESCOLA ESP
PERANÇA PAR
RA VOCÊ
hesitaa em se apressentar para noos auxiliar, cattivando o púbblico e
propoorcionando espperança a tantaas famílias. POEMAAS INFANTO--JUVENIS
Berenicce Piana de Piana
P
(“Nã
ão venci todas as ve
ezes que lutei. Mas perdi todas as veze
es que deixei de luttar”.)
AS MÃES
S
As mães encantaam a todos pela sua limpeza,
E outros... elas sempre querem m agradar...
PEDIENTE
EXP Prrocuram o bemm do filho comoo o do pai tamb bém.
Dire
eção do Jornal: Rafael Rodrrigues As mães também m brigam, mas é por uma boaa causa,
Seccretária: Regin
na Celia Ellas não querem
m agredir o filhho para não maagoá-lo.
Revvisora: Giannin
na Laucas Ellas sofrem muiito quando o fiilho nasce, mass tem sua belezza.
Cola
aboradores: É por isso que comemoramos: todo dia é diaa das mães,
or seu amor e beleza
Po b interna, como é bom ter
t mãe!
Ana Guim
marães “Geraldo Guimarães”
G
Aggradeça a Deuus quem tem um ma porque, semm ela, é só tristteza.
Vanessa Bianca Flávia Vie
eira
FELIPE LAUCAS (08 ANOS)
A
Rita Ponttes Júlia Solin
no
DIR
REÇÃO DA IN
NSTITUIÇÃO
Pressidente: Juran
ndyr Paulo GR
RUPO ESPÍRITA CAMINHO DA ESPERANÇ
E ÇA
Vice
e-presidente: “Geraldo Guim
marães” Rua Aristidess Lobo, 51 – Rio Com
mprido
Seccretária: Vanesssa Bianca o de Janeirro/RJ CEP.: 20.250-450
Rio
Tessoureiras: Crisstiane Drummo
ond e Cláudia Passarelli Tell.: (21) 250
04-8512
Boletim Esperança
E – Página 6