Você está na página 1de 36
I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO 1. Leigo, morava numa fazenda, em Port Gibson, Nova

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO

1.

Leigo, morava numa fazenda, em Port Gibson, Nova Yorque

2.

Metodista, aceitou a mesagem do

advento, em 1843

a)

Sua

adventista da localidade

casa

tornou-se

o

centro

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO 3. Associado a Edson, estavam: a) Dr. Franklin B.

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO

3.

Associado a Edson, estavam:

a)

Dr. Franklin B. Hahn e Owen R. L Crosier

4.

Em 22 de outubro de 1844, o grupo

de crentes aguardava, em sua casa,

a vinda de Jesus

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO “ Esperamos pela vinda do Senhor até que no

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO

Esperamos pela vinda do Senhor até que no relógio soaram 12 batidas à meia-noite.

O dia havia passado, e o nosso

desapontamento tornou-se uma certeza. Nossas mais caras esperanças e

expectativas se desfizeram, e um tal

espírito de pranto nos sobreveio como nunca havíamos experimentado antes.

Choramos e choramos até o alvorecer.

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO 5. Após o desapontamento, muitos dos crentes voltaram desolados

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO

5.

Após o desapontamento, muitos dos crentes voltaram desolados aos seus

lares

a)

Hiram Edson e os demais ficaram em um círculo de oração

I.

NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO

IMAGEM DE CROSIER
IMAGEM
DE
CROSIER

6. Após o desjejum, Edson convida Crosier para irem encorajar alguns amigos

7. No caminho, ao atravessarem um milharal, Hiram Edson tem uma visão:

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO IMAGEM “ Detive-me em meio ao campo. O céu

I.

NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO

IMAGEM

Detive-me em meio ao campo. O céu

parecia abrir-se-me à vista e vi distinta e

claramente que em lugar de nosso Sumo

Sacerdote sair do Lugar Santíssimo do santuário celestial para vir a Terra (em 22

de outubro), Ele pela primeira vez entrava

nesse dia no segundo compartimento desse santuário; e que Ele tinha uma obra

para realizar no Santíssimo antes de vir à

Terra.

I.

NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO O santuário a ser purificado , ele acrescentou, era claramente

O santuário a ser purificado, ele

acrescentou, era claramente o santuário

celestial, e não esta terra no seu todo.

8. Relacionou Apocalipse 10 com a experiência dos

mileritas.

a)

doce como melesperança iminente na vinda de Jesus

b)

amargo ao estômago- desapontamento

I. NOVA LUZ SOBRE O SANTUÁRIO

B. COMPARTILHANDO AS BOAS-NOVAS

1.

Inverno de 1844/1845 Hiram Edson, O.R.L. Crosier e F.B. Hahn estudam intensivamente a Bíblia.

a)

Estudos em Hebreus, com foco nos capítulos 8 e 9

2.

Abril de 1845 cópias do panfleto The Day Dawn

3.

07.Fev. de 1846 Enoch Jacobs, editor do The Day- Star, publica um artigo de Crosier sobre o santuário

a) O título A Lei de Moiséstinha um sentido

ambíguo

C. Conceitos publicados no artigo de Crosier:

1. Um santuário real, literal, existe no céu

2. Em 1844, Cristo passou do Lugar Santo para o Santíssimo

3. Antes de Seu retorno à Terra, Cristo tem uma obra a fazer no Santíssimo, que

difere da que Ele estivera realizando

4.

O ritual do santuário hebraico era uma representação visual do plano da salvação,

com cada tipo tendo seu antítipo

5. O propósito do Dia da Expiação é preparar um povo purificado

6. A purificação de Cristo do Santuário Celestial envolve a purificação de Seu povo

7. O bode emissárionão representa Cristo, mas a Satanás

8. Por ser o autor do pecado, Satanás receberá a culpa final pelos pecados

9. A expiação iniciou apenas quando Cristo entrou no Santuário Celestial

I. A DOUTRINA DO SÁBADO

A.

ANTECEDENTES

1.

Século XVI (Reforma)

a)

Anabatistas sabatistas

2.

Século XVII

 

a)

Francis Bamfield e John James ministros ingleses, perseguidos por causa do sábado

b)

Dr. Peter Chamberlen (1601 1683) - obstetra

da realeza e nobreza da Inglaterra.

I. A DOUTRINA DO SÁBADO

A.

ANTECEDENTES

3. Século XVIII

a) Conde Nicolau von Zinzendorf observava o

sábado e o domingo

b) Francisco H. R. Mexia (1773 1825)

e James

Begg (1800 1868) ambos proclamavam o

segundo advento e observavam o sábado

I. A DOUTRINA DO SÁBADO

B. A OBSERVÂNCIA DO SÁBADO NA AMÉRICA

1. Penetrou na América por Stephen Mumford.

a) Emigrou da Inglaterra em 1664

b) Organizou, em 1671, a primeira igreja batista do sétimo dia na América.

I. A DOUTRINA DO SÁBADO

B. A OBSERVÂNCIA DO SÁBADO NA AMÉRICA

2. Publicou apelos sobre a observância do sábado

a)Rejeitados

pelos

mileritas

e

observadores do domingo

outros

3. Além disso, não acreditavam na mensagem e no movimento milerita

I. A DOUTRINA DO SÁBADO

C. O SÁBADO É ACEITO ENTRE OS ADVENTISTAS

1.

Frederico

metodista-adventista, afirmou, ao pregar:

Wheeler

(1811

1910)

ministro

afirmou, ao pregar: Wheeler (1811 – 1910) – ministro “ Todo aquele que confessa sua comunhão

Todo aquele que confessa sua comunhão com Cristo num serviço como este, deveria estar disposto a obedecer a Deus e a guardar os Seus mandamentos em todas as coisas.

I. A DOUTRINA DO SÁBADO

C. O SÁBADO É ACEITO ENTRE OS ADVENTISTAS

2. Influenciado por Rachel Oakes, Wheeler tornou-

se o primeiro ministro adventista a observar o

sábado.

a)

A senhora Rachel influenciou outras pessoas a guardarem o sábado

o primeiro ministro adventista a observar o sábado. a) A senhora Rachel influenciou outras pessoas a

I. A DOUTRINA DO SÁBADO

D. O SÁBADO É ACEITO ENTRE OS ADVENTISTAS

1. Tomás M. Preble segundo pastor adventista a

guardar o sábado

a)

Publica sobre o sábado e converte muitos à verdade. Entre eles:

b)

José Bates leu a obra e estudou a Bíblia

para comprovar

I. A DOUTRINA DO SÁBADO

D. O SÁBADO É ACEITO ENTRE OS ADVENTISTAS

c)

Viajou

220km

para

encontrar-se

com

Wheeler e estudar sobre o assunto

d)

No caminho de volta, encontrou Tiago Mandison e convenceu-o sobre a guarda do sábado

e)

Publicou, mais tarde, um tratado sobre a guarda do sábado

I. O DOM DE PROFECIA

1. Nasceu

Maine

em

Gorham,

Estado

do

2. Ellen e sua irmã gêmea, eram as filhas mais novas de uma família de 8 filhos

3. Quando tinha 9 anos, foi atingida

por uma pedra desferida por uma

colega

4. Ficou com a saúde debilitada e

impossibilitada de estudar

anos , foi atingida por uma pedra desferida por uma colega 4. Ficou com a saúde

I. O DOM DE PROFECIA

5. Março de 1840 Ellen e sua família aceitaram a mensagem do advento

– Ellen e sua família aceitaram a mensagem do advento 6. Junho de 1842 – Batizada
– Ellen e sua família aceitaram a mensagem do advento 6. Junho de 1842 – Batizada

6.

Junho de 1842 Batizada por imersão (os

metodistas batizam por aspersão)

 

7.

Setembro de 1843 foram desligados da igreja metodista por terem aceitado as verdades mileritas

8.

Uniu-se aos mileritas aguardando a vinda

de Jesus, em outubro de 1844

I. O DOM DEPROFECIA

A. Sua Primeira Visão

1. Dezembro de 1844 Sua primeira visão ocorreu na casa da Sra. Haines, em Portland

a)

A visão tratava da caminhada do povo do advento

para a cidade de Deus

 

b)

A

visão

não

explicou

o

porque

do

c)

desapontamento. Isto deveria ser descoberto e explicado no estudo da Bíblia Ellen relata a visão aos crentes em Portland, que creram

LeRoy Froom descreve-a:

A mensagem básica desta primeira visão era clara:

Deus estava indiscutivelmente no poderoso Clamor da

Meia-Noite: Se continuassem seguindo na luz

progressiva e crescente, chegariam seguramente à cidade de Deus. Pelo contrário, se falhassem em prosseguir na infalível luz, ele tropeçariam e cairiam no caminho. Assim, eles tragicamente jamais

alcançariam a cidade de Deus

I. O DOM DEPROFECIA

B. O chamado para o Ministério Profético

1.

Antes

chamado dois homens para o ofício profético:

de

chamar

Ellen

G.

Harmon,

Deus

havia

a) Guilherme Ellis Foy pregador milerita, de cor

parda

1)

1ª visão em 18 de janeiro de 1842

2)

2ª visão em 4 de fevereiro de 1842

3)

3ª visão próximo ao tempo de expectativa de

1844

4)

Visão das Três Plataformas

I. O DOM DEPROFECIA

B. O chamado para o Ministério Profético

b)

Hassen Foss teve visões no outono de 1844

1)

1ª visão a caminhada do povo do advento para

a cidade de Deus

2) 2ª visão foi advertido que, se ele não relatasse a mensagem que Deus lhe dera, a responsabilidade seria tirada dele e posta sobre alguém mais frágil

I. O DOM DEPROFECIA

B. O chamado para o Ministério Profético

2. Foy e Foss recusaram o chamado profético

3. Deus escolheu Ellen G. Harmor, 17 anos de

idade para esse ofício sagrado

4. Segunda Visão O Senhor apresentou-lhe as provas que ela iria passar

a)

Ellen

ora

para que o encargo fosse

removido

b)

Mas decide aceitá-lo, sob a direção de

Deus

I. O DOM DEPROFECIA

C.

A

sabatista

orientação

profética

no

movimento

adventista-

1. 1845 1845 período de estudo intensivo entre adventistas

a) Compreender o Grande Desapontamento

I. O DOM DEPROFECIA

C.

A

sabatista

orientação

profética

no

movimento

adventista-

2.

O Espírito de profecia foi um auxílio e um guia para a compreensão das verdades bíblicas

a)

Era o elemento confirmador e ampliador das

novas descobertas doutrinárias

 

b)

Não foi o canal através do qual as principais doutrinas foram dadas

c)

Contribuiu

para

manter

o

equilíbrio

contra

o

fanatismo

I. O DOM DEPROFECIA

D. Algumas visões significantes

(Exeter, Maine) Fevereiro de 1845

Jesus erguendo-Se do Seu trono mediatório e indo para o santíssimo como Esposo para receber Seu

 

reino.

(Randolph Boston) Verão de 1845

A mais longa visão (4 horas de duração) - Nesta visão ela levantou uma Bíblia, mencionando textos e

indicando a sua localização sem olhar para eles. Nesta

 

ocasião foi condenado o fanatismo de três pregadores:

Robbins, Sargent e French.

(------) Novembro de 1846

[

]

lhe foram apresentados alguns detalhes

astronômicos, que convenceram José Bates a aceitar o

 

dom profético da irmã White.

(Topsham, Maine) 3 de abril de 1847

[

]

viu, no templo celestial, a Lei de Deus, com um halo

de luz envolvendo o 4 ° mandamento [

]

I. OS CONGRESSOS SABÁTICOS de 1848

A. O que eram?

congressos bíblicos, nos quais os crentes, provenientes

de diferentes lugares, se reuniam com o intuito de estudar as verdades bíblicas

B. Qual foi sua importância?

demonstraram ser um poder unificador, clarificador e

fortalecedor, consolidando as posições do crescente

grupo sabatista [

]

I. OS CONGRESSOS SABÁTICOS de 1848

Rocky Hill (20-24 de abril)

José Bates abordou o sábado e Tiago White abordou o significado da terceira mensagem angélica

Volney

(18 de agosto)

Bates abordou o sábado Tiago White pregou sobre a parábola de Mateus 25.1-13

Ellen White teve uma visão e admoestou os presentes a

abandonarem seus erros

Port Gibson

(27 e 28 de agosto)

Realizado no celeiro de Hiram Edson, com alguns amigos

mileritas

Rocky Hill

8 e 9 de setembro)

Tiago e Ellen deixam seu primeiro filho, Henry Nichols, aos

cuidados da irmã Clarissa Bonfoey

Topsham

(20-22 de outubro)

Discutiram a possibilidade de publicarem um periódico, mas

não havia fundos para isso.

I. OS CONGRESSOS SABÁTICOS de 1848

A importância dos Congressos

CONSENSO GERAL EM OITO PONTOS ESPECÍFICOS:

Segundo advento premilenista

As duas fases do ministério de Cristo

O sábado do sétimo dia

Orientação profética através de Ellen White

O dever de proclamar as três mensagens angélicas

Imortalidade condicional e morte como um sono inconsciente

O tempo em que ocorrerão as sete últimas pragas

A final e completa destruição dos ímpios após o milênio

II.

Visão de Ellen White:

NOVA LUZ SOBRE A DOUTRINA DA PORTA- FECHADA

Jesus havia fechado a porta do lugar santo, e que nenhum homem poderia abri-la; e que Ele havia aberto a porta para o santíssimo, e que homem algum podia

fechá-la (Apocalipse 3:7 e 8); e que uma vez que Jesus

abrira a porta para o santíssimo, onde está a arca, os mandamentos têm estado a brilhar para o povo de Deus,

e eles estão sendo testados sobre a questão do sábado

(Primeiros Escritos, p.42-45)