Você está na página 1de 1

Mia Couto

"Mar me quer" (1)


Seus olhos subiram do cho at se fixarem no rosto dele. Foi
quando ela gritou, tapando os olhos. Os restantes se aproximaram de
meu pai e um rumor se espalhou como nuvem fria.
- Os olhos dele!
Sim, os olhos de Agualberto no eram os mesmos. Ningum
conseguia olhar meu pai de frente. Porque aqueles olhos dele
estavam da mesma cor do mar: azuis, de transparncia marinha. Sua
humanidade estava lavada a modos de peixe. Ele ficara muitssimo
demasiado tempo debaixo do mar. E se espalhou um murmrio de
que Agualberto tinha os olhos de tubaro, tal iguais aos grandes e
dentilhados bichos.
A partir desse dia meu pai se adentrou em si mesmo, toda a hora
sentado na praia contemplando o horizonte. Passavam gentes vindas
de longe para espreitar de longe o preto de olhos da cor do mar.