Você está na página 1de 1

Uma viagem...

Por: Luis Carlos Zuze Dhein

Há poucos dias, em um desses raros momentos vagos, estive a observar as


pessoas que passavam em frente à escola. Várias mães passavam com seus filhos, ainda
bem pequenos, e eles ficavam a observar atentamente a movimentação na escola, as
cores e as crianças que felizes, correm e brincam, aproveitando ao máximo seu descanso
ao qual chamamos de recreio. Nesse momento me lembrei da minha infância.
Desde onde a memória me permite lembrar, me reconheço como um apaixonado
pela escola, mas que tinha medo dela. Medo esse quase inexplicável, pois não era um
medo da escola, e sim da ausência da mãe. Imaginava que a mãe iria me abandonar, mas
esse medo durou até o momento que entrei na escola e vi aquela mulher sorrindo,
dizendo que iríamos aprender muitas coisas novas juntos. Até hoje acho que foi o
aprender juntos que me conquistou.
O que sempre me passava pela cabeça eram as letras, elas me encantavam. Eu
as transformava em desenhos, tinha um letreiro antigo e com a ajuda dele elas viravam
prédios, carros, pessoas e tudo que a minha imaginação me permitia criar. Sempre irei
lembrar a importância que teve a televisão na minha alfabetização. Havia alguns
programas de música, nos quais passavam as letras, e ali descobri que as palavras
faladas eram um conjunto de símbolos, símbolos esses que estavam em meu letreiro.
Descobrir a magia de aprender, esse deve ser o objetivo de uma educação que
busca formar seres humanos que tenham a capacidade de aprender juntos.
Naquela época eu nem imaginava a importância que esses momentos teriam um
dia. Dentro dessa viagem na memória, quero fazer a seguinte reflexão: Todos os
momentos de nossas vidas são momentos históricos. E é nessa história que está o nosso
eu pessoal.
Imagino a importância do professor, pois ele vai fazer parte da história de muitas
pessoas. E é nesse processo de se reconhecer como sujeito histórico e fazedor de
história que vive a beleza de ser professor, e mais, é nesse reconhecer-se sendo, que está
a beleza de ser humano.