Você está na página 1de 1

12 de maio

Deixando saudades
LEITURA BÍBLICA: Atos 9.36-42
Jeorão tinha trinta e dois anos de idade quando começou a reinar, e reinou oito anos em Jerusalém. Morreu
sem que ninguém o lamentasse (2Cr21.20b).

Q uando eu era criança, tinha muito medo de cemitério. Não sei exatamente o que
sentia, mas não gostava nem um pouco da ideia de saber que um dia lá seria o meu
endereço final. A partir dos 22 anos de idade consegui vencer esse meu trauma.
Recentemente, numa visita turística a uma cidade catarinense, entrei no cemitério da
cidade, por simples curiosidade. Pude então relembrar duas grandes lições. A primeira foi
se observar vários túmulos de crianças e jovens. Isso me fez pensar no fato de que tenho
de estar preparado para me encontrar com Deus a qualquer momento. A segunda lição
veio quando estava lendo os epitáfios (aquelas palavras de homenagem que as familias
escrevem a respeito do falecido). Então pensei: O que tenho feito na vida? Será que meus
feitos serão lembrados com saudade? Será que tenho procurado ser relevante por onde
passo ou sou mais um na multidão?
No texto de hoje, lemos que Dorcas deixou um exempo magnífico
com sua vida, tanto que muitos se entristeceram com sua morte. Em contrapartida, o
versículo em destaque menciona um tal de Jeorão, rei de Judá. Ele foi tão ruim como
governane e como pessoa que o autor sagrado registra seu triste epitáfio: "Ninguém
chorou sua morte". É lastimável ter a vida resumida numa frase como essa. O pior é que
ainda hoje há pessoas que ao sair de um emprego ou concluir um curso ouvem de seus
colegas: "Já vai tarde!". Mas, graças a Deus, podemos aprender com os erros dos outros.
Assim, nosso grande desafio é nao ficar lamentando o quão terrível foi nosso passado,
mas mudar nossas atitudes atuais para que tanto nosso presente quanto nosso futuro
sejam vividos de forma a refletir a presença do Espirio Santo em nossa vida. – RPM

Sua vida deixara saudades?