P. 1
Roteiro de Leitura - Dom Casmurro

Roteiro de Leitura - Dom Casmurro

|Views: 5.591|Likes:
Publicado porAleSandi
Dom Casmurro, Machado de Assis, Roteiro de Leitura
Dom Casmurro, Machado de Assis, Roteiro de Leitura

More info:

Published by: AleSandi on May 24, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/11/2013

pdf

text

original

MACHADO DE ASSIS

UM POUCO SOBRE O AUTOR Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 1839, no Rio de Janeiro, e aí morreu em 1908. Trabalhou como tipógrafo e revisor, tornando-se logo colaborador da imprensa carioca, como cronista e articulista. Casou-se em 1869 com a portuguesa Carolina Xavier de Novais, companheira que muito o estimulou na carreira literária. Foi também o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras, que ajudou a fundar em 1897. Destacou-se principalmente no romance e no conto, embora tenha escrito ainda poesias — Crisálidas, Falenas, Americanas, Ocidentais —, crônicas, peças de teatro e crítica literária. A característica marcante da literatura machadiana é a profundidade da análise psicológica a que submete seus personagens, procurando investigar os motivos secretos do comportamento humano. Deixou publicados os seguintes livros de contos: Contos fluminenses, Histórias da meia-noite, Histórias sem data, Várias histórias, Páginas recolhidas, Relíquias da casa velha. Mais tarde, vários outros contos esparsos foram reunidos e incorporados à sua obra. Como romancista, deixou: Ressurreição, A mão e a luva, Helena, Iaiá Garcia, Memórias póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Dom Casmurro, Esaú e Jacó, Memorial de Aires. Machado de Assis é o principal autor do Realismo brasileiro e um dos maiores escritores de nossa literatura.

Dom Casmurro
COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA A habilidade de Machado de Assis em criar um clima de incerteza e ambigüidade atinge o ponto mais alto em Dom Casmurro, seu romance mais famoso. A intenção de Bentinho, ao rememorar sua história, é tentar resgatar o tempo passado, talvez compreender o que aconteceu entre ele e Capitu. Para isso, chega a ponto de mandar construir uma casa como aquela onde viveu a infância e a adolescência: “O meu fim evidente era atar as duas pontas da vida, e restaurar na velhice a adolescência. Pois, senhor, não consegui recompor o que foi nem o que fui. Em tudo, se o rosto é igual, a fisionomia é diferente. Se só me faltassem os outros, vá; um homem consola-se mais ou menos das pessoas que perde; mas falto eu mesmo, e esta lacuna é tudo.”. Como a história é narrada pelo próprio personagem depois de muito tempo em que viveu os fatos, temos um relato marcado pela ambigüidade, que não esclarece definitivamente se o adultério ocorreu realmente ou tudo não passou de um terrível engano de marido ciumento. Importa observar ainda que em Dom Casmurro, assim como em outras obras, Machado de Assis desenvolve uma profunda análise psicológica dos personagens. Em muitas passagens, aliás, o leitor é convidado a refletir com o narrador sobre a atitude de determinados personagens, e essa “conversa” com o leitor é também um traço tipicamente machadiano. Este romance é considerado a obra-prima de Machado de Assis e da literatura brasileira. Se a figura fascinante de Capitu, que prende a atenção do leitor, transforma a questão do adultério no ponto central do romance, não podemos nos esquecer de que a obra apresenta vários outros pontos de interesse, pois oferece um rico painel da sociedade brasileira da época, revelando-nos as relações de classe e os meios de ascensão social, a influência da Igreja na vida cotidiana, além de observações desencantadas sobre a condição humana. Roteiro de Leitura Antes da leitura 1. É possível a uma pessoa contar com objetividade fatos que a marcaram profundamente e que ocorreram há muito tempo? Por quê? 2. Como definir os “ciúmes”? Comente um caso vivenciado por você? 3. Pesquise o que é o “realismo psicológico” na obra de Machado de Assis. Durante a leitura 1. Assinalem algumas passagens que exemplifiquem o procedimento constante do autor em dialogar com os leitores, incorporando- os à narrativa e levando-os a refletir sobre o que está sendo narrado. 2. Machado de Assis é famoso por sua linguagem irônica. Assinalem as passagens irônicas que encontrarem durante a leitura para depois as comentar.

Depois da leitura 1. Explicar por que a utilização de um narrador-personagem contribui para reforçar a ambigüidade da narração. 2. Apontar as diferenças sociais que há entre a família de Bentinho e a de Capitu. 3. Destacar alguns episódios que mostram as diferenças de personalidade entre Bentinho e Capitu durante a adolescência. 4. O narrador diz que José Dias “sabia opinar obedecendo”. O que isso revela sobre a personalidade de José Dias e sua condição de agregado? 5. Podemos afirmar que Escobar e Capitu têm em comum certas características de personalidade. 6. Explicar a solução encontrada por Escobar para livrar Bentinho da vida religiosa. 7. José Dias define os olhos de Capitu como os de “uma cigana oblíqua e dissimulada”. Explicar o que pode estar sugerido nessa definição. 8. Com base em passagens do texto, explicar o conceito que a prima Justina tinha de Capitu e de seu relacionamento com Bentinho. 9. Os capítulos 32 e 123 têm o mesmo título: “Olhos de ressaca”. O que significa essa expressão e o que há de comum entre esses capítulos? 10. No capítulo 124, no momento em que devia fechar o ataúde, Bentinho teve ímpetos de “atirar à rua o caixão, defunto e tudo”. Como se pode explicar esse sentimento de Bentinho? 11. Só no capítulo 145, o leitor fica sabendo que Capitu morreu. De que forma é narrada sua morte? Reflita sobre a forma como o narrador conta a morte da mulher que tinha sido a grande paixão de sua vida. Compare-se, por exemplo, com a descrição da morte de José Dias, feita no capítulo 143. 12. No final do livro, o narrador recorda vários fatos que, a seu ver, confirmavam que ele realmente não soubera perceber que Capitu o traíra com Escobar: “Agora lembrava-me tudo o que então me pareceu nada” (capítulo 140). Apontem passagens do romance que possam confirmar as suspeitas de Bentinho. Depois, apontar passagens que possam negar essas suspeitas. 13. No capítulo 10, ao comparar a vida a uma ópera, o narrador diz: “Cantei um duo terníssimo, depois um trio, depois um quatuor...”. Explicar a que momentos de sua vida se refere o narrador. Sugestões para complementar seu conhecimento.  nas telas do cinema: • Dom. Dir. Moacyr Góes. Recente adaptação de Dom Casmurro para o cinema. Seria interessante comparar esse filme com o antigo Capitu, dirigido por Paulo Cesar Saraceni.  nas ondas do som O amor é o tema mais presente na música popular. Façam uma seleção de letras de músicas que possam ser relacionadas ao tema central de Dom Casmurro. Nossa dica: • Dom de iludir, de Caetano Veloso. Comentar a inteligente letra da canção, que fala sobre o dom de iludir que toda mulher teria. Será?  nos enredos do real Capitu é uma das figuras mais fascinantes da literatura brasileira. Ao longo do romance, encontramos várias referências a respeito da criação e educação das meninas no século XIX. Se quiserem se aprofundar no estudo sobre a história da mulher na sociedade patriarcal brasileira do século XIX, sugerimos as seguintes fontes de pesquisa: • História das mulheres no Brasil –– Mary Del Priore (org.), São Paulo, Contexto • História da vida privada no Brasil (vol. 2) — Império: a corte e a modernidade nacional –– Luiz Felipe de Alencastro, São Paulo, Companhia das Letras Ainda hoje vemos exemplos de ciúmes doentios, como o do namorado da menina Eloá. Comente as semelhanças entre esse caso real e o ciúmes de Bentinho. DICAS DE LEITURA  do mesmo autor • Quincas Borba. Neste romance, temos outra figura feminina marcante — Sofia, misteriosa e sedutora. • Memórias póstumas de Brás Cubas. As irreverentes e sarcásticas “memórias” de um autor defunto, numa das obras mais originais da nossa literatura. • A cartomante e outros contos –– São Paulo, Moderna. As melhores histórias curtas de Machado de Assis, exemplos de finas análises psicológicas.  de outros autores

• São Bernardo –– Graciliano Ramos. Na velhice, um homem decide escrever sua história para tentar entender os infortúnios de sua vida e o relacionamento tumultuoso que teve com a esposa, provocando sua morte. • O assassinato e outras histórias –– Anton Tchekhov, São Paulo, Cosac & Naify. Escritor contemporâneo de Machado de Assis, o russo Tchekhov (1860-1904) é um dos mestres do conto psicológico e um dos grandes autores da literatura universal.  leitura de desafio • Otelo –– William Shakespeare. Uma das mais famosas e trágicas peças de Shakespeare, que dá título ao capítulo 135 de Dom Casmurro. Teria Bentinho alguma coisa do ciumento e cruel Otelo? E Capitu, teria alguma semelhança com a bela e infeliz Desdêmona? Seria proveitoso também comparar o texto da peça com o filme Othello, elogiada adaptação cinematográfica feita por Kenneth Branagh.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->