P. 1
Depressão e Graça - 2ª parte

Depressão e Graça - 2ª parte

|Views: 110|Likes:
Publicado porJ.J.Oliveira
Segunda parte do estudo da conferência "Depressão e Graça", ministrada na Igreja Cristã Casa de Oração, em Congonhas-MG. Sinta-se a vontade para usar. Qualquer dúvida, sugestão e crítica, podem comentar! Sola Deo Gloria.
Lutando juntos pela sã doutrina,
Jonathan Oliveir
Segunda parte do estudo da conferência "Depressão e Graça", ministrada na Igreja Cristã Casa de Oração, em Congonhas-MG. Sinta-se a vontade para usar. Qualquer dúvida, sugestão e crítica, podem comentar! Sola Deo Gloria.
Lutando juntos pela sã doutrina,
Jonathan Oliveir

More info:

Published by: J.J.Oliveira on Jun 07, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/10/2012

pdf

text

original

Igreja Cristã Casa de Oração Jonathan Oliveira

“Depressão e Graça” – 2ª parte
Texto Base: 1º Reis 19.1-18; Tiago 5.17 Introdução: O Cristão pode entrar em depressão? Muitos são os que, por esta pergunta, já entraram em grandes debates. Alguns insistentemente dizem que pecado não confessado resulta em depressão, e concordo plenamente com essa posição. Mas, podemos ignorar as questões orgânicas? Talvez, o maior perigo nesta pergunta é como será nossa resposta. Devemos ter cuidado para não sermos como os amigos de Jó, que na maioria do tempo que passaram junto a ele, tentaram de todas as maneiras argumentar o porque de todo aquele sofrimento, acabando assim por julgar. Podemos, ainda assim, aprender com Elifaz, Bildade, Zofar e Eliú, que, ao verem pela primeira vez seu amigo, lhes foram empáticos, ficando em silêncio (Jó 2.11-13). Nesta segunda parte de nossa conferência, iremos estudar a vidas de homens e mulheres que passaram por momentos depressivos em suas vidas e veremos como DEUS cuidou especialmente de cada um deles. Como já dissemos, a palavra depressão não aparece nas sagradas escrituras, mas veremos como DEUS cuidou de cada homem e mulher que passaram por momentos de profunda angústia. Que o SENHOR esteja a nos instruir. “Ele é...quem será todas as tuas enfermidades.” (Sl 103.3) Elias: “Deus frequentemente fala através do suave e do óbvio em vez de faze-lo através do espetacular e do incomum” Seu nome significa “Cujo DEUS é Jeová”. Depois de Moises, provavelmente é o maior nome na história do povo de Israel. È o profeta mais conhecido das sagradas escrituras. Através deste homem, DEUS poderosamente se mostrou ao seu povo. Entretanto, muitos não consideram o episódio do monte Horebe na vida de Elias. Seria esta parte de sua vida uma escuro rocha bruta ou um precioso rubi para nossa edificação? Concluiremos isso após aprofundarmos um pouco mais em 1º Reis 19. Neste texto, podemos extrair diversas lições. Analisemo-as: 1)Elias saíra de uma situação de vitória e passara a fugitivo da nação (v.1,2): Quem não conhece o famoso desafio de Elias ao profetas de baal, descrito em 1ª Rs 18? Através do profeta, DEUS havia mostrado sua força e poder, o que levou o povo de Israel a declara: “O Senhor é DEUS! O Senhor é DEUS”. (1º Rs 18.39). Os profetas de baal foram mortos e o nome do SENHOR havia sido glorificado. E isso chegou aos ouvidos de Jezabel, a imoral esposa de Acabe. Prontamente, esta jurou que tiraria a vida de Elias.Acabe era um rei imoral, conhecido por provocar a ira de DEUS (1º Rs 16.33) e Elias fora chamado para confrontar Israel sobre o iniqüidade de Acabe e sobre a depravação espiritual em que estava o povo. Este povo havia visto o poder de DEUS, mas ainda assim Elias fora jurado de morte. Isso mexeu profundamente com Elias, que temeu (v.3). Paulo escreveu aos Efésios, no capítulo 6.13 da carta: “Portanto, tomai toda a armadura de DEUS, para que possais resistir ao dia mal, e depois de terdes vencidos tudo, permanecer inabaláveis.” A tradução King James ainda acrescenta ao final do versículo: “sem retroceder”. A exortação não era somente para resistir ao dia mal, mas também depois dele. A figura de linguagem usada no grego original por Paulo, expressa a idéia da resistência e do avanço individual de cada soldado. Os choques emocionais que acontecem em nossa vida são fortes e caso não permaneçamos com a santa armadura de DEUS, podem tocar profundamente nossa alma. Provérbios sabiamente exorta: “Se te mostrares fraco no dia da angústia, a tua força é pequena”. O fato de estar sendo perseguido após uma clara manifestação do poder de DEUS feriu profundamente a alma de Elias. 2)Elias temeu a Jezabel, e fugiu sozinho (v.3): Elias, quando ouviu as ameaças de Jezabel, fugiu com temor. Ele perdeu o foco de DEUS. Pedro sofreu o mesmo quando enfrentou 11/10/2009

1

Igreja Cristã Casa de Oração Jonathan Oliveira as ondas do mar (Mt 14.28-30). Quando se passa por momentos de aflição, é fácil perder o foco de nossa fé, o SENHOR JESUS. Daí sermos instruídos a não se desviar nem para a direita e nem para a esquerda, mas sim olhar para JESUS (Js 1.7; Hb 12.2). Elias deixou o seu companheiro em Bersebas e seguiu adiante. Ele agora sentira a solidão em sua alma. E quão grande é a solidão de uma alma que está em grande agonia! Entretanto, é na solidão da alma que DEUS se mostra redentor. Ainda que em solidão, DEUS não desampara seu filhos, mesmos que estes estejam em lágrimas. Jeremias é conhecido como o profeta chorão , e o primeiro versículo de suas lamentações mostram o porque de tanto chorar: a solidão de Jerusalém, que antes era uma bela e imponente cidade. Isto muito se assemelha a nossa alma. Mas, a esperança na alma de Jeremias era viva ( Lm 3.21-26). 3)Elias saiu para Bersebas (v.3): Elias, além de ir sozinho, também foi longe. Foi para Bersebas, a 209 Km ao sul de Jezreel, saindo assim do Reino Norte de Israel. Ele fugiu para longe, onde não seria encontrado. Ao passarmos por momentos de depressão, tendemos a sair do meio de nossos familiares, da Igreja, e até mesmo da presença de DEUS. Entretanto, devemos cuidadr quanto ao limite. Nunca saia da presença do SENHOR. Em grande angústia, a alma de Davi ainda clamava pela presença de DEUS (Sl 63.1). Não fuja para longe, corra para os braços do bom pastor (Jo 6.37). 4)Elias vai para o deserto (v.4): David Roper, em seu livro “Salmo 23: esperança e descanso vindos do pastor” , escreve: O deserto é um dos melhores lugares do mundo para se aprender. Há poucas distrações e poucas coisas para serem usadas. Em tal local, ficamos mais propensos a pensar sobre o sentido das coisas ao invés de pensar sobre o que estas coisas podem nos dar. È nos desertos da vida cristã que aprendemos a viver dependentes de DEUS. Elias estava dirigindo-se para um conhecimento maior de DEUS. Valorize o deserto, pois ainda que o sol seja escaldante e haja escassez de água, o pastor que nós guia é imutável (Sl 23.2, Jo 7.37,38). 5)O Basta de Elias (v.4): Após uma longa caminhada, Elias se assenta. Igualmente, são tantas as dificuldades que aflige nossas almas, que nos assentamos, paramos de andar, hibernamos emocionalmente. E Elias se entrega: Basta. Esta pequena palavra saia do fundo da angustiada alma de Elias, e possui um grande significado. Elias estava pedindo a morte! Não era somente uma situação que levaria alguém a pedir tal coisa, ele estava exausto física, emocional como espiritualmente. Sua justificativa mostra como pensava ter falhado para com sua missão e consequentemente para com DEUS. Por causa da incompatibilidade entre o visível (os defensores de baal continuavam governando) e o invisível (a soberania de DEUS), Elias quis a morte. Atitude parecida tiveram Moíses (Nm 11.15), Jeremias (Jr 20.14-18) e Jonas (Jn 4.3,8). Quando as pressões do mundo, as dificuldades nos oprimem, não abra mão de um grande segredo: o esconderijo (Sl 91.1) – não somente visite, mas instala-se ali. Descanse não nas pequenas sombras de zimbro que o mundo oferece, mas descanse a sombra do onipotente. Lemos no v.5 que Elias dormiu. Dr. Augusto Cury escreve no seu livro “o mestre da sensibilidade”: O estresse intenso rouba do córtex cerebral uma energia que será usada nos órgão da economia do corpo, como na musculatura. O resultado desse roubo de energia é um cansaço físico exagerado e inexplicável (...) quando a fadiga é intensa, gera-se uma sonolência como recurso de defesa cerebral, pois ao dormir repomos a energia biopsiquica. Após aquele sono, Elias iria passar por a grande experiência do Horebe, onde veria que DEUS se mostra grande em coisas pequenas e obvias e que ELE nunca desampara aqueles que são seus filhos. 6)O cuidado e a providência de DEUS (V.7,8): Elias dormia profundamente até que foi despertado por um anjo. Anjos aparecem várias vezes nas escrituras dando ânimo e trazendo a mensagem do Senhor: com Agar (Gn 16), Abraão (Gn 18), Gideão (Jz 6.11-24) e Jesus (Mt 4.11). Anjos são mensageiros do SENHOR, e DEUS enviou um deles para despertar Elias. De igual modo, DEUS desperta nossa alma da angústia (Sl 91.11, 86.7) usando de qualquer meio através da sua soberania. A ordem do anjo é imperativa: levanta e come. Elias, que passara por momentos de grande estresse agora é ordenado a levantar e comer: lhe era oferecido pão 11/10/2009

2

Igreja Cristã Casa de Oração Jonathan Oliveira e água. O crente também suprimento para fortalece-lo em longas batalhas – O SENHOR JESUS CRISTO. Lemos no evangelho de João, no capítulo 6, Jesus declarando ser o pão do céu, que sacia a fome da alma (Jo 6.27,35) e logo seguinte, no capítulo 7, Ele afirma ser a água viva (Jo 7.37,38). Nas angústias da alma, o verdadeiro alimento que dá forças é o SENHOR JESUS, sem Ele o resto é inútil (Is 55.1,2). Elias comeu aquele pão, bebeu a água e logo se firmou para voltar e lutar contra Jezabel? NÃO! Ele dormiu de novo. DEUS não nos avalia pelos tropeços que temos, mas sim pela sinceridade de nosso coração. Nosso irmão Sebatião Honoroto diz que “A vida cristã é uma vida de recomeço.” Por amor de seu nome e para Sua glória, Ele é paciente para conosco, ele conhece a nossa estrutura (Sl 130.14). Elias novamente e despertado e novamente se alimenta. Entretanto desta vez é advertido de que “o caminho será sobremodo longo”. Era um aviso para que Elias se alimentasse de maneira farta, para que tivesse forças. No negro túnel da angústia, o final parece longe. Os salmos constantemente mostram isso: O Sl 38.6 fala em constantes lamentações e em Sl 13.12 vemos um clamor pela presença de DEUS. O caminho da angústia, da dor, da depressão, da provação é longo, e neste caminha a abundância de reservas de energia espiritual é importante, assim como uma plena confiança na graça (Sl 13.5,6) 7)A caminhada até Horebe (v.8): Elias, após se dirigir ao deserto, agora iria adentrar-lo até Horebe. O interessante é que antes de entrar no deserto, DEUS o nutriu e preparou para a longa caminhada. Elias iria em direção ao Monte de DEUS. Horebe possivelmente era uma cadeia montanhosa da monte Sinai. Montanhas nos lembrar difícil acesso, empreendimento de muita força para se alcançar objetivo. Um missionário do século 19 ,C.T. Studd, escreveu: “Não se conhece um homem por sua animação, mas pela quantidade de sofrimento que ele é capaz de suportar.” Este é o modo pelo qual se aprofunda a comunhão com DEUS e possivelmente essa é a melhor definição para o porque do sofrimento. O monte Horebe é chamado O Monte de DEUS. Foi ali que o maior líder de Israel, Moises, fora chamado (Ex 3.1-6). Neste mesmo local, o povo recebera a lei de DEUS, os dez mandamentos (Ex 1920). Este monte era marcado pela grande manifestação do poder de DEUS (Ex 19.16-19). E para este monte, Elias se dirigia, a fim de se encontrar como o SENHOR. Lemos em Ex 34.28 que Moises passou 40 dias no monte de DEUS e que ao descer do monte, seu rosto brilhava (Ex 34.29). Elias levou 40 dias para chegar no monte Horebe e CRISTO passou 40 dias no deserto antes de ser tentado (Mt 4.1). Algo une os três: Comunhão com DEUS. O alimente que DEUS providenciara para Elias deu forças para caminha até Horebe. Os 40 dias que Moises passou com DEUS sobre o monte fizeram com que seu rosto resplandecesse, refletindo assim a glória de DEUS e os 40 dias em que JESUS passou em jejum deram a Ele forças para vencer as tentações de Satã. No deserto da depressão, da dor e da angústia, somente a comunhão real e íntima com DEUS é capaz de dar forças para continuar a caminhada. Elias antes de entrar no deserto, se alimento do pão e da água providenciada por DEUS. Leonard Ranhill escreveu: “As grandes águias voam sozinhas; os grandes leões caçam sozinhos; as grandes almas andam sozinhas - sozinhas com DEUS”. 8)O local, o horário e a pergunta (v.9): Após sua jornada, Elias finalmente chega ao monte Horebe. E entra para uma caverna. Um refúgio, após vigorosos 40 dias de caminhada. Quando paramos, podemos buscar refúgio em DEUS. Jesus lamentou que Israel não queria se esconder como frágeis pintinho debaixo das asas de uma galinho (Mt 24.37). O centro de nossa vida é CRISTO, e Nele podemos encontrar proteção (Sl 17.8, 91.4). Dentro da caverna, Elias passou a noite. Quão densa a noite que cai sobre nossas almas quando surgem as angústias! Tudo parece total escuridão e não conseguimos ver nada, perdemos todas as perspectivas. Entretanto, tudo é para a glória e para a exaltação de DEUS. Davi declara no Sl 16.7: “Bendigo o SENHOR, que me aconselha; pois até durante a noite o meu coração ensina.” Quando uma luz é mais notada? Quando há total escuridão. Do mesmo modo, DEUS é mais glorificado através de todas as dores e lutas que passamos. Não é vã a promessa “Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes.” (Sl 126.6). O Senhor faz uma pergunta a Elias: “Que fazes aqui?” Não sabia o SENHOR, em sua onisciência, o porque de Elias estar ali? Ou, ainda mais, não fora o próprio SENHOR que o mandara para ali? DEUS queria se tornar tangível a Elias, ELE queria ouvir o que Elias tinha a 11/10/2009

3

Igreja Cristã Casa de Oração Jonathan Oliveira dizer, mesmo sabendo o que seria dito. Por conhecer nossa fragilidade, Deus se aproxima de nós com todo seu amor e misericórdia e ouve nossas angústias, esperando que nos derramemos em SUA presença, sendo com ELE sincero (Lm 2.19ª, Sl 32.5). 9)A pequena resposta e a grande revelação (v.10-12): A resposta de Elias nos mostra o que estava passando em sua lama durante todo este período. Ele se sentiu sozinho e desamparado, e não escondeu isso do SENHOR. Então o que o SENHOR faz? O julga, condena, castiga ou repreende? Pelo contrário. Assim como com Moises, o SENHOR prepara Elias para que este conheça mais profundamente seu DEUS (Ex 30.20-23, 34.2). O Senhor então se revela a Elias. Primeiro, um forte e destruidor vento, depois um forte terremoto e ainda um fogo que tudo consumia. Tais sinais eram comuns quando DEUS se revelou aos Israelitas, junto com Moises (Ex 19.18,19, 20.18, 24.17; Dt 4.11,12, 5.22,23), mas com Elias ELE fala de maneira diferente, em um cicio tranqüilo e suave, um sussurro amável, uma voz mansa e delicada. DEUS, em sua grandeza e glória, demonstra seu poder de maneira única a cada um. Quando estamos passando por angústias, esperamos que DEUS de maneira espetacular (aos nossos pobres olhos). Entretanto, a Elias ELE ensinou que o silêncio não significa inatividade divina. Passaremos constantemente por desertos até chegarmos ao celeste descanso eterno, e DEUS se manifestará de diferentes e únicas maneiras. A Elias ele se mostrou de maneira quase silenciosa. Quando quisermos ver o mover de DEUS em nossas vidas, devemos nos silenciar. Confiemos “Que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a Terra. Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a DEUS.” (Jó 19.25,26) e “Aquietai-vos e sabei que eu sou DEUS; serei exaltado entre as nações, serei exaltado sobre a terra.” (Sl 46.10). 10)A calma para o processo (v.14): DEUS pergunta novamente a Elias “Que fazer aqui?” e a resposta agora é de um homem forte, destemido, pronto para lutar com, em vez de 450, 900 profetas de baal. Não se ver a resposta de Elias, idêntica a primeira vez. Agora deveria ser o momento de DEUS dizer basta? Ele havia se demonstrado de maneira tão poderosa, tão clara! Mas, DEUS possui um atributo maravilhoso: Ele é compassivo, ou seja, ele demonstra compaixão, misericórdia, clemência. E, segundo as escrituras, DEUS é muito compassivo! O Sl 103.8 diz que o SENHOR é misericordioso e compassivo. Moises exclamou: “Senhor, Senhor, Deus compassivo, clemente e longânime e grande em misericórdia e fidelidade” (Ex 34.6). Deus tem compaixão por nós. Elias ainda não havia sido totalmente mudado, mas DEUS não desistiu, e ELE não desiste de nenhum filho Dele. Se ELE começou uma boa obra, ELE irá terminar! Deus conhecia profundamente Elias e tinha propósito de ser exaltado na vida daquele profeta. O Sl 86.5 diz “ Senhor és bom e compassivo; abundante em benignidade para com todos os que te invocam.” Mesmo com todas nossas fraquezas e dificuldade, DUES ainda está nos guiando e erguendo. Em momentos de Angústia, façamos o que diz as sagradas escrituras: “Rasgai o vosso coração e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR, vosso DEUS, porque ELE é misericordioso e compassivo, e tardio em irar-se e grande em benignidade, e se arrepende do mal.” (Jl 2.13). 11)A missão como resposta (v.15): Elias agora tinha uma missão: “vai e volta pelo teu caminho para Damasco...” Elias ungiria os reis que trariam juízo a casa de Acabe e ungiria o seu sucesso, Eliseu. Após sua experiência com DEUS, Elias estava pronto para fazer os propósitos de DEUS. Elias não voltou para Jezreel, de onde saiu, mas foi cumprir a ordem de DEUS em Damasco. Diante do longo deserto que é a dor, a angústia, a depressão, quando DEUS nos transformar através dele, nós somos levados pelo caminho do contentamento e do deleite em DEUS, com a missão de ajudar a outros que passam por este mesmo deserto. Paulo, ao escrever aos Coríntios, na segunda carta, lembrou que: “È ele [O Senhor] que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação que nós mesmo somos contemplados por DEUS.” (2ª Co 1.4) 12)Você não está sozinho (v.18): Ao final da experiência no Horebe, DEUS revela a Elias que ele não estava sozinho, havia 7.000 fiéis, pessoas que não haviam se dobrado diante de baal. Mas, porque DEUS mostra isso somente no final? Ele não deveria ter falado com Elias na 11/10/2009

4

Igreja Cristã Casa de Oração Jonathan Oliveira primeira vez que este confessou que era o único que continuará fiel? Não devemos subestimar a sabedoria de DEUS, pois quem conheceu a sua mente (1ª Co 2.16). Ao revelar que Elias não estava sozinho somente no final, DEUS queria mostrar que o processo que ELE usa para refinar seus servos começa e termina NELE, e somente assim é possível entender o papel de nossos irmãos. ELE, o SENHOR, é o inicio e o fim e mesmo que achemos que estamos sozinho, sempre haverá homens e mulheres que se mantêm fieis a DEUS, independentemente de qualquer coisa. Conclusão: Tiago afirma em sua carta que Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos. Através de sua experiência no monte Horebe, aprendemos que Deus auxilia seus fieis, aqueles que ELE ama, nos momentos de maior dor e angústia. Ainda assim ELE continua conosco, pois não nos desamparara nem nos abandonará. Através da depressão, podemos conhecer melhor o DEUS que servimos. Vamos lá, desperte, alimente-se e comece sua jornada até o Horebe. “Se meditamos nas promessas e levarmos em consideração Aquele que prometeu, experimentaremos a doçura delas e obteremos o seu cumprimento.” (C.H.Spurgeon)

11/10/2009

5

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->