Você está na página 1de 1

ALBERTO CAEIRO O MESTRE INGNUO

Para Caeiro fazer poesia uma atitude involuntria, espontnea, pois vive no presente, no
querendo saber de outros tempos, e de impresses, sobretudo visuais, e porque recusa a
introspeco, a subjectividade, sendo o poeta do real objectivo.
Caeiro canta o viver sem dor, o envelhecer sem angstia, o morrer sem desespero, o fazer
coincidir o ser com o estar, o combate ao vcio de pensar, o ser um ser uno, e no
fragmentado.
Discurso potico de caractersticas oralizantes (de acordo com a simplicidade das ideias que
apresenta): vocabulrio corrente, simples, frases curtas, repeties, frases interrogativas,
recurso a perguntas e respostas, reticncias;
Apologia da viso como valor essencial (cincia de ver)
Relao de harmonia com a Natureza (poeta da natureza)
Rejeita o pensamento, os sentimentos, e a linguagem porque desvirtuam a realidade (a
nostalgia, o anseio, o receio so emoes que perturbam a nitidez da viso de que depende a
clareza de esprito)

Objectivismo Sensacionismo
- apagamento do sujeito - poeta das sensaes tal como elas so
- atitude antilrica - poeta do olhar
- ateno eterna novidade do mundo - predomnio das sensaes visuais (Vi como
- integrao e comunho com a Natureza um danado) e das auditivas
- poeta deambulatrio - o Argonauta das sensaes verdadeiras
Anti-metafsico (H bastante metafsica Pantesmo Naturalista
em no pensar em nada.) - tudo Deus, as coisas so divinas (Deus
- recusa do pensamento (Pensar estar as rvores e as flores/ E os montes e o luar e o
doente dos olhos) sol...)
- recusa do mistrio - paganismo
- recusa do misticismo - desvalorizao do tempo enquanto
categoria conceptual (No quero incluir o
tempo no meu esquema)
- contradio entre teoria e prtica

CARACTERSTICAS ESTILSTICAS
- Verso livre - Pontuao lgica
- Mtrica irregular - Predomnio do presente do indicativo
- Despreocupao a nvel fnico - Frases simples
- Pobreza lexical (linguagem simples, - Predomnio da coordenao
familiar) - Comparaes simples
- Adjectivao objectiva - Raras metforas