P. 1
Aula 5 - Tabela Periódica

Aula 5 - Tabela Periódica

|Views: 1.752|Likes:
Publicado porIgor Estrada Achá
Relatório referente à Aula 5 - Tabela Periódica, faculdade FAESA.
Relatório referente à Aula 5 - Tabela Periódica, faculdade FAESA.

More info:

Categories:Types, Research, Science
Published by: Igor Estrada Achá on Jun 18, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as RTF, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/15/2013

pdf

text

original

FACULDADES INTEGRADAS ESPIRITO-SANTENSE FAESA – CAMPUS I ENGENHARIA CIVIL

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL 1º A – 2010/1
ALEX MULLER AMORIM (1040327) IGOR ESTRADA ACHÁ(1040207) FLAINI PEREIRA RAMOS(1040354) PEDRO HENRIQUE GRADIM (1040260)

TABELA PERIÓDICA

Vitória 2010

FACULDADES INTEGRADAS ESPIRITO-SANTENSE FAESA – CAMPUS I ENGENHARIA CIVIL

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL 1º A – 2010/1

ALEX MULLER AMORIM (1040327) IGOR ESTRADA ACHÁ(1040207) FLAINI PEREIRA RAMOS(1040354) PEDRO HENRIQUE GRADIM (1040260)

TABELA PERIÓDICA

Vitória 2010

Trabalho referente à disciplina de Química Geral do 1º período da Faculdade Faesa. Orientado pelo professor Osmar Soares Barros.

2

SUMÁRIO

1. 2. 3. 4. 5.

Introdução................................................................................................... objetivo....................................................................................................... procedimento experimental......................................................................6 resultados e analise.................................................................................7 conclusão.................................................................................................8

3

6.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS ............................................. 9

4

INTRODUÇÃO Tabela Periódica Elementos de uma mesma família da tabela periódica apresentam propriedades quimicamente semelhantes. Isto ocorre porque as estruturas eletrônicas periféricas são iguais, pelo menos entre os elementos repre"Sentativos. As propriedades são semelhantes e não iguais, existindo, de modo geral, também diferenças importantes. Nesta pratica; serão estudadas experimentalmente semelhanças e diferenças entre os elementos, na forma elementar ou iônica, das seguintes famílias: a) 1- Família dos metais alcalinos: Li, Na, K, Rb, Cs e Fr. Estes elementos apresentam um elétron na camada de valência, elétron esse facilmente doável, transformando-se em cátion de carga + 1. Na~ Na +1 + 1ePor doarem com facilidade o elétron de valência, diz-se que esses elementos são muito eletropositivos. b) 2- Família dos metais alcalinos-terrosos: Be, Mg, Ca, Sr, Ba e Ra. Estes elementos apresentam dois elétrons na camada de valência, que são facilmente doáveis, transformando-se em cátions de carga +2. São também muito eletropositivos.

Mg~ Mg +2 + 2ec) 17- Família dos halogênios: F, CI, Br, I e At. Esses elementos possuem sete elétrons da camada de valência e, ao contrário dos metais, tendem a receber elétrons em vez de doá-Ios, transformando-se em ânions de carga -1. Esses elementos são muito eletronegativos, pela facilidade com que ganham elétrons ..

A facilidade de ceder elétrons varia dentro das famílias dos metais alcalinos e alcalinos teITosos, bem como a facilidade de receber elétrons dentro da família dos halogênios.

5

3

OBJETIVO
Verificar quais elementos de uma mesma família da tabela periódica apresentam propriedades químicas semelhantes; e verificar a diferença de eletropositividade e eletronegatividade entre os elementos de uma mesma família.

4

6

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL
Materiais: •Béqueres de 50 ml •Placa de Petri grande •Conta-gotas •Proveta de 20 ml •Bastão de vidro •Espátula •Tubos de ensaio • Pera Reagentes: •Sódio e Potássio P A •Magnésio e Cálcio P A •Solução aquosa de cloro [Ch(aq)] •Solução aquosa de bromo [Br2(aq)] •Solução de HCI 1 mol/L •Solução de KI 0,3 mollL •Solução de KBr 0,3 mollL •Solução de amido 1 % •Fenolftaleína

1- SÓDIO, POTÁSSIO, MAGNÉSIO E CÁLCIO 1. Apanhe 4 béqueres de 50 ml e coloque 20 ml de água destilada e 2 gotas de fenolftaleína em cada um deles. 2. Tem-se uma placa de Petri com 4 sólidos A, B, C e D. Sabe-se que os sólidos são Na, K, Mg ou Ca. 3. Coloque os sólidos em um béquer cada do item 1. Anote as observações e escreva as equações. 4. Aguarde 5 minutos e veja se houve alguma mudança. S. Adicione 5 gotas de solução de HCl e anote as observações, escrevendo as equações. 6.Identifique os sólidos A, B, C e D. 7. Coloque-os em ordem crescente de eletropositividade, explicando o por quê e como se deve a variação de eletropositividade dentro da família dos metais alcalinos e alcalinos terrosos.
fi - CLORO, BROMO e IODO As reações que se seguem têm o objetivo de ordenar os elementos cloro, bromo e iodo, de acordo com sua eletronegatividade. 1. Coloque em um tubo de ensaio cerca de 2 ml (40 gotas) de solução de KI e, em outro tubo, igual solução de KBr. 2. Adicione a cada tubo, gota a gota, 2 ml de solução aquosa de cloro. O que se pode observar? Em termos de eletronegatividade, o que se pode concluir? Escreva a reação das equações. Obs: A presença de I2 pode ser comprovada pela adição, ao tubo de ensaio correspondente, de gotas de solução de amido, que é um indicador para o iodo molecular (12). Amido em presença de iodo molecular produz composto de cor azul. 3. Tome um tubo de ensaio e transfira para ele cerca de 2 ml de solução de KI. Adicione igual volume, gota a gota, de solução aquosa de bromo (não pipete essa solução). O que

se p o d e o b se rv a r?
7
S

4. Adicione também 1 ml de solução de amido. Pelo observado, o que se pode concluir? Escreva a equação da reação. Analisando estes resultados, a que conclusão pode-se chegar quanto a eletronegatividade destes elementos? Qual é o mais eletronegativo e qual é o menos? Como deve variar a eletronegatividade dentro do grupo ou da família dos halogênios?

8

6

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS

Procedimento I Em todos os experimentos, ao se colocar o sólido junto a água e a fenolftaleína, a substância contida no béquer ficou rosada; e essa reação segue a seguinte ordem de Velocidade de Reação: .
V soI.B»V sol.A>V soI.D»V sol.C

Com o aguardo de 5 minutos não houve nenhuma modificação visual decorrente do tempo. Equações do item 3: Na + H20 - NaOH + 1 I zH2 K + H20 - KOH + 1 IzH2 Ca + 2 H20 - Ca(OH)2 + H2 Mg + 2 H20 - Mg (OH)2 + 1 IzH2 Equações do item 5: NaOH + HCI - NaCI + H20 KOH + HCI - KCI + H20 Ca (OH)2 + 2 HCI- CaCh + 2 H20 Mg (OH)2 + 2 HCI- MgCh + 2 H20

Procedimento 11 Ao se adicionar a solução aquosa de cloro à solução de KI houve a formação de um produto escuro; já a junção da solução aquosa de cloro com a solução de KBr não houve nenhuma mudança visual. Segue abaixo a reação desses experimentos: 2 KI + Ch - 2 KCI + 12 2 KBr + Ch - 2 KCI + Br2 Pela segunda análise, onde se adiciona a solução de KI à solução aquosa de bromo, pode se concluir que o bromo é mais eletronegativo do que o iodo, caso contrário a reação não aconteceria, pois a eletronegatividade determina a força que um elemento tem de receber elétrons, ocorrendo assim a reação: 2KI+ Br2 - 2 KBr + b Ao se adicionar solução de amido no tubo de ensaio onde foi colocado as soluções de KI e de CI houve modificação na coloração; já no frasco em que se tinha as soluções de KBr e de CI não houve nenhuma modificação na coloração.

97

ANÁLISE DOS RESULTADOS

Procedimento I

CONCLUSÃO

Pode-se concluir que os sólidos são formados pelos seguintes elementos: Sólido A: Na (sódio); Concluímos que ao estudar as propriedades dos elementos químicos da tabela - Sólido B: K (potássio); podemos analisar o comportamento dos átomos e entender porque alguns periódica, - Sólido C: Mgdeles são extremamente reativos enquanto outros são praticamente inertes. Através da (magnésio) e - Sólido D: Ca (cálcio). sua eletronegatividade, eletropositividade, raio atômico, energia de ionização entre outras propriedades. Sabendo que a eletropositividade é a tendência Que os átomos têm de doar elétrons, pode-se concluir pela velocidade em que aconteceram as reações dos sólidos, que a ordemcomparações de Conclui-se que através de experimentos químicos, utilizando crescente de eletropositividade será: mesma família na tabela periódica foram comprovados comportamentos elementos de uma EPMg < EPea < EPNa < EPde elementos com características parecidas. Com isso evidencia-se que as diferentes K diferenças de eletronegatividade e eletropositividade de vários elementos de uma mesma Procedimento ficoluna na tabela. Também foi provada a capacidade de acontecerem reações de acordo Como as soluçõesade KI e de KBr reagiram com a solução deatravés de adição de outrosoreagentes que só com eletronegatividade e eletropositividade KCI, pode-se concluir que CI é mais eletronegativo do quese 1 eprimeiras reações tivessem acontecido. a força que um fariam efeito o as o Br; pois a eletronegatividade determina elemento tem de receber elétrons, caso não fosse, não ocorreria as reações que seguem abaixo: TUBO I: 2KI+ Ch - 2 KCI + h TUBO 11: 2KBr+ Ch - 2 KCI + Br2

Pela segunda análise, onde se adiciona a solução de KI à solução aquosa de bromo, pode se concluir que o bromo é mais eletronegativo do que o iodo, ocorrendo a reação: 2KI+ Br2 - 2 KBr + h Assim, pode-se , concluir Que a ordem crescente de eletronegatividade para o CI, Br e I será: EGr < EGer < EGc1 A presença de 12 pode ser comprovada pela adição de gotas de solução de amido, que é um indicador para o iodo molecular (h). Amido em presença de iodo molecular produz composto de cor azul. No tubo I, como foi o único Que mudou a coloração, pode-se comprovar que houve a reação descrita anteriomente e a produção de iodo molecular.

8

10

9

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->