Você está na página 1de 2

RIQUEZA DAS NAÇÕES

Adam Smith
TRABALHO DAS NAÇÕES
“O trabalho anual de toda nação é o fundo que originalmente lhe fornece todos os
bens necessários à vida e ao conforto anualmente consumidos, e que consistem
sempre na produção imediata do trabalho, ou em bens que essa produção permite
comprar de outras nações. Assim, conforme essa produção, isto é, o que ela
permite comprar, mantenha maior ou menor proporção com número de pessoas
que deverão consumi-la, a nação estará mais ou menos abastecida de todas as
coisas necessárias à vida e ao conforto das quais venha a precisar. Ora, em toda
nação duas diferentes circunstâncias determinam essa proporção: em primeiro
lugar, a habilidade, a destreza e o critério com os quais em geral se executa o
trabalho da nação; e, em segundo lugar, a proporção entre o número dos que
estão empregados em trabalho útil e o número dos que não estão. (...) A
abundância ou escassez dessa provisão parece depender mais da primeira do
que da última circunstância.”
SMITH, Adam, A riqueza das nações, 2 volumes, São Paulo, Martins Fontes,
2003, Introdução p. 1

TRABALHO
“A mais sagrada e a mais inviolável de todas as propriedades é a do próprio
trabalho, porque ela é o fundamento originário de todas as outras propriedades. O
patrimônio de um homem pobre reside na força e na destreza de suas mãos, e
impedi-lo de empregar essa força e destreza da maneira que julga apropriada,
desde que não cause prejuízo a seu próximo, constitui violação manifesta da mais
sagrada propriedade. Trata-se de uma flagrante usurpação da lícita liberdade,
tanto do trabalhador como dos que estariam dispostos a dar-lhe trabalho.”
SMITH, Adam, A riqueza das nações, 2 volumes, São Paulo, Martins Fontes,
2003, livro I cap. 10, p. 155-156
TRABALHO
“Todo homem é rico ou pobre de acordo com o grau em que lhe é dado desfrutar
as coisas necessárias à vida e ao conforto, e das diversões da vida humana. Mas,
depois de estabelecer-se completamente a divisão do trabalho, o trabalho de cada
homem apenas poderá provê-lo de uma parte extremamente diminuta dessas
coisas. A grande maioria delas deverá ser obtida do trabalho de outros homens e,
assim, ele será rico ou pobre de acordo com a quantidade de trabalho que puder
comandar ou conseguir comprar. Portanto, o valor de qualquer mercadoria para a
pessoa que a possui e não pretende utilizá-la ou consumi-la, mas trocá-la por
outras mercadorias, é igual à quantidade de trabalho que tal mercadoria lhe
permite comprar ou comandar. O trabalho é, pois, a medida real do valor de troca
de todas as mercadorias.”
SMITH, Adam, A riqueza das nações, 2 volumes, São Paulo, Martins Fontes,
2003, livro I cap. 5, p. 38

SOCIEDADE DE MERCADO
“Uma vez plenamente estabelecida a divisão do trabalho, é apenas uma pequena
parte das necessidades de um homem que pode ser satisfeita com o produto do
próprio trabalho. a grande maioria dessas necessidades é satisfeita por meio da
troca da parte do produto do trabalho que excede seu próprio consumo pela
mesma parte do produto do trabalho de outros homens de que venha a precisar.
assim, todo homem vive da troca ou em alguma medida torna-se comerciante, e a
própria sociedade se vai convertendo numa verdadeira sociedade mercantil.”
SMITH, Adam, A riqueza das nações, 2 volumes, São Paulo, Martins Fontes,
2003, livro I cap. 4, p. 24