P. 1
Miopia

Miopia

|Views: 523|Likes:
Publicado porHiltonLoko

More info:

Categories:Types, Research
Published by: HiltonLoko on Jun 29, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/28/2012

pdf

text

original

Miopia

O problema, que prejudica a visão à distância, pode ser definitivamente resolvido depois de cirurgia a laser, uma técnica pouco arriscada.
O que é?

A miopia acontece principalmente por duas razões: córnea (lente mais externa do olho) muito curva ou tamanho do olho além do normal. A carga genética é o maior determinante da doença. Quem a tem enxerga mal objetos distantes.
Quando surge

O problema começa a aparecer, normalmente, na pré-adolescência, se intensifica na adolescência e se estabiliza na idade adulta.

(1) Retina (2) Córnea (3) Cristalino.

Visão à distância, olho normal Há no globo ocular duas lentes, a córnea e o cristalino, que direcionam os raios luminosos ao pólo posterior (mais no fundo) do olho. Nessa área, a luz é captada e fixa pela retina e transmitida pelo nervo óptico até o cérebro. Se a imagem é formada exatamente na retina, a visão é perfeita.

Visão à distância, olho míope O olho com miopia tem a córnea muito curva ou o eixo anteroposterior (horizontal) muito longo, não permitindo que a imagem chegue à retina. A imagem não consegue se fixar direito e os objetos distantes ficam embaçados.
Tratamento Óculos

O inconveniente dos óculos é a limitação para a prática de exercícios, em especial os competitivos, além da redução do campo visual e dos reflexos do indivíduo.
Lentes de contato

Corrigem bem as miopias, satisfazem a estética, mas podem causar intolerâncias, exigindo maiores cuidados.
Cirurgia

As cirurgias refrativas procuram modificar a curva da córnea, determinando a formação correta da imagem na retina. A técnica mais moderna é feita com excimer laser.
Tipos de cirurgia a laser

PRK - Duração de 3 a 5 minutos
O procedimento

Depois de minuciosos exames, o indivíduo é deitado em uma cama especial. Um aparelho, chamado blefarostato, é usado para fixar as pálpebras e impedir que os olhos se fechem durante a cirurgia. Um colírio anestésico consegue impedir a dor.

O laser

O PRK costuma ser indicado para graus mais baixos. O epitélio do olho (camada superficial sobre a córnea) é raspado para receber o laser, uma luz ultravioleta de alta energia. As células da córnea são pulverizadas com a aplicação do laser, e a córnea é aplanada. O epitélio, com o tempo, se regenera.
Lasik - Duração de 8 a 10 minutos O procedimento

A forma de preparo desse tipo de cirurgia é mais delicada. Depois de o indivíduo ter sido anestesiado com um colírio especial, é utilizado um aparelho chamado microcerátono, que levanta uma pequena camada da córnea para a aplicação do laser. A pálpebra também é fixa com o blefarostato.
O laser

A luz ultravioleta é a mesma da técnica PRK. A radiação, com uma precisão mais que milimétrica, transforma as células da córnea em água e gás carbônico. Depois da aplicação do laser, a camada superficial da córnea afastada pelo microcerátono é recolocada.

Pós-operatório

Depois da cirurgia - tanto no caso da PRK quando no da LASIK - são usados colírios antiinflamatórios e antibióticos. Em geral, um olho é operado de cada vez. O tempo de recuperação pode variar de 24 horas a algumas semanas, dependendo da técnica utilizada e da capacidade de recuperação de cada um.

(1) Antiga curvatura (2) Nova curvatura Pode fazer a cirurgia Quem tem pelo menos um grau de miopia, mais de 18 anos e, principalmente, está com o problema estabilizado. Pode fazer a cirurgia Quem tem pelo menos um grau de miopia, mais de 18 anos e, principalmente, está com o problema estabilizado. Riscos A taxa de complicação depois da cirurgia varia em torno de 2%. Os problemas que podem surgir são: Hipocorreção Quando ainda resta algum grau de miopia e há necessidade de uma segunda cirurgia. Hipercorreção Neste caso, o indivíduo deixa de ser míope e torna-se hipermétrope (visão deficiente para perto). Uma outra cirurgia pode resolver o problema.

Cicatrização anormal A superfície da córnea pode ficar levemente opaca e os olhos perdem a qualidade visual. Dicas para depois da operação Se a luz do sol incomodar, use óculos escuros; Evite esfregar os olhos; Evite piscinas e mar durante cerca de um mês; Não beba álcool, pois pode reagir com os antiinflamatórios; Restrinja a prática de exercícios nos primeiros dias; Evite fumaça poluição e poeira. Fonte: www.santalucia.com.br

Miopia

A miopia é uma anomalia refractiva com um grau de incidência cada vez maior. Para isso muito contribuem as tarefas visualmente exigentes de trabalho prolongado utilizando apenas a visão de perto. O sistema visual não está biológicamente preparado para tais exigências que, continuamente repetidas, conduzem ao desenvolvimento de problemas visuais, entre eles, a miopia. A miopia constitui uma fonte de muita preocupação para quem é por ela afectado e, particularmente para os pais de crianças com miopia. A miopia cria maior ansiedade que outros problemas visuais devido à sua maior tendência para aumentar, com a consequente diminuição da acuidade visual e a crescente dependência dos óculos ou das lentes de contacto. Já agora, um míope não tem só desvantagens. por exemplo, um míope com cerca de 2 a 3 dioptrias, tem uma óptima visão ao perto e, enquanto os não míopes por volta dos quarenta e cinco anos começam a necessitar cada vez mais de ajuda óptica para ler, a ele bastar-lhe-á tirar os óculos que necessita para ver ao longe. A visão ao perto conserva-se boa e sem alterações.
CAUSAS

Várias explicações têm sido propostas. Alguns investigadores argumentam que o estado refractivo é geneticamente determinado. Outros procuram demonstrar a maior influência de factores ambientais. Parece provável que a miopia em vez de ter uma causa isolada seja o resultado de uma combinação errada dos diversos factores. Existe um fenómeno chamado emetropização segundo o qual, ao crescer, os vários factores que afectam o estado refractivo do olho, como as curvaturas da córnea e do cristalino, o comprimento do olho e os índices de refracção dos meios, se combinam de modo que o resultado final

seja a emetropia (ie, sem "graduação"). Quando se desenvolvem anomalias refractivas, estas constituem excepções à emetropização, que apesar de tudo, ainda estão em minoria. Um caso particular de miopia devida a uma alteração do índice de refracção, é aquela que surge em pessoas idosas quando o aumento do índice de refracção no núcleo do cristalino faz aumentar o seu poder refractivo causando miopia. Trata-se de um caso de catarata incipiente mantendo-se o cristalino transparente. É, muitas vezes, este o caso das avós que "ainda enfiam uma agulha" aos 80 anos.
PROGRESSÃO

A miopia raramente existe ao nascer, sendo mais normal que a criança nasça com algum grau de hipermetropia que diminui nos anos seguintes. Esta diminuição por vezes é acelerada na idade escolar, aparecendo a miopia nessa altura, que pode depois continuar a progredir até aos 20-25 anos. Noutros casos, a miopia surge já depois dos 20 anos, mas geralmente não tem um carácter tão progressivo. Existem várias maneiras propostas para impedir ou retardar a progressão da miopia e, embora os resultados dos estudos efectuados sobre este tema sejam contraditórios, podem-se estabelecer alguns princípios que ajudam pelo menos a retardar essa progressão: Manter bons hábitos de higiene visual. Praticar actividades ao ar livre e manter uma alimentação equilibrada. Quem usa óculos e é míope de até1,5 dioptrias, deve retirá-los ao studar, pois desse modo continua a ver bem e com menor esforço. Fonte: www.magnivisao.pt

Miopia

A miopia é um defeito refrativo do olho, no qual a luz focaliza na frente da retina. Pessoas com miopia geralmente podem ver objetos próximos claramente, porém os distantes aparecem borrados. A miopia é o problema de olhos mais comum no mundo, sendo que em torno de 1/4 da população adulta dos Estados Unidos tem miopia. A miopia é medida em diopters; especificamente o tamanho da lente corretiva que deve ser usada para habilitar o olho a focalizar corretamente na retina imagens distantes. Miopia de mais de 6 diopters é considerada severa. Pessoas com alto grau de miopia têm maior risco de desenvolver problemas agudos nos olhos, como glaucoma e descolamento da retina.

Oftalmologistas geralmente corrigem a miopia através do uso de lentes corretivas, como óculos e lentes de contato. A miopia também pode ser corrigida por cirurgia, como a lasik.

Miopia
Miopia ou hipometropia (termo este quase não utilizado) é o distúrbio visual que acarreta uma focalização da imagem antes de esta chegar à retina. Uma pessoa míope consegue ver objectos próximos com nitidez, mas os distantes são visualizados como se estivessem embaçados (desfocados). Para uma visão mais acurada, o ponto focal dos raios luminosos devem convergir para uma área próxima aos receptores de luminosidade (localizados na retina). No caso da miopia, o ponto focal é formado antes, o que pode acontecer por vários motivos:
y y y y

Excesso de poder dióptrico positivo do cristalino; Excesso de curvatura da córnea e, por conseguinte, de seu poder dióptrico positivo; Excessivo alongamento do globo ocular; Combinação dos fa(c)tores anteriores.

Sintomas da miopia
Um dos sintomas que podemos considerar como um dos primeiros de um olho míope é a má visão ao longe, estando a visão ao perto salvaguardada. No entanto, é evidente que se um indivíduo é míope de muitas dioptrias (ou graus), para ver bem de perto, teria que aproximar-se muito, o que é um fator muito cansativo e incômodo. O sintoma que mais é relatado e que com frequência anuncia o aparecimento de miopia é a visão turva dos objetos distantes. É frequente que nos primeiros estágios do problema, o indivíduo não se dê conta da perda de visão. Por este motivo, há que comprovar-se, junto da visão turva, existe o pestanejar constante, dores de cabeça ou tensão ocular.

Cena de duas crianças vistas através de um olho míope.

Visão normal.

Correção d miopi

A correção da miopia poderá ser efet ada:
y y

Pelo uso de lentes divergentes, também chamadas de negativas, na forma de óculos ou lentes de contato, que deslocam o ponto focal para trás. Através de cirurgias que são realizadas por meio de diferentes técnicas aplicadas: Lasik; Lasek; PRK; Artisan; CK e Implantes de Lentes Intraoculares Fácicas.

Embora existam opções cirúrgicas para o tratamento da miopia, algumas modificações estruturais do bulbo ocular, oriundas dos fatores que provocam esta ametropia, persistem. O ol o excessivamente míope, principalmente devido ao alongamento axial, pode apresentar degeneração ou descolamento da retina, al m de ter maior propensão ao glaucoma, sinérese vítrea e descolamento da hial ide. A correção cirúrgica da visão, apesar de muito segura para a maioria dos casos, traz alguns riscos que devem ser levados em conta pelo candidato à cirurgia refrativa (a cirurgia para correção da miopia).

O que é A Miopia é a condição em que os olhos podem ver objetos que estão perto, mas não são capazes de enxergar claramente os objetos que estão longe.

 

 

A palavra "miopia" vem do grego "olho fechado", porque as pessoas com esta condição, freqüentemente apertam os olhos para ver melhor à distância. O olho míope apresenta uma curvatura corneana acentuada ou comprimento do olho além do normal. Por esse motivo, a formação da imagem se dá antes da retina, resultando em uma baixa de visão. A hereditariedade é o um dos maiores fatores que mais influenciam no aparecimento da miopia. A miopia tende a aumentar durante a fase de crescimento (até, aproximadamente, 19 anos). Os pacientes com miopia enxergam mal objetos distantes. O principal fator que influencia o aparecimento da miopia é a hereditariedade. Hábitos como a leitura, utilizar a visão com pouca luz, ou até mesmo deficiências de nutrição não têm qualquer efeito sobre a miopia. Normalmente a miopia aumenta durante a fase de crescimento (até 19 anos). Tratamento Como corrigir a miopia? Pessoas míopes podem corrigir sua visão de várias formas:
y y y y

Óculos Lentes de contato Cirurgia a laser Ceratotomia radial

Cirurgia a laser As cirurgias refrativas atuam na modificação da curvatura da córnea, determinando a formação correta da imagem na retina. A técnica mais moderna usada atualmente é feito com Excimer Laser. Tipos de cirurgia a laser: PRK - Duração de 3 a 5 minutos Procedimento Após a realização de exames detalhados, um aparelho, blefarostato, é usado para fixar as pálpebras e impedir que os olhos se fechem durante a cirurgia. Um colírio anestésico consegue impedir a dor. O Laser O PRK costuma ser indicado para pacientes com graus mais baixos. O epitélio do olho (camada superficial sobre a córnea) é raspado para receber o laser, uma luz ultravioleta de alta energia. As células da córnea são pulverizadas com a aplicação do laser e a córnea é nivelada. O epitélio, com o tempo, se regenera. Lasik - Duração de 8 a 10 minutos

Procedimento A forma de reparo dessa cirurgia é mais delicada. Depois de o paciente ter sido anestesiado com um colírio especial, é utilizado um aparelho, microcerátono, que levanta uma pequena camada da córnea para a aplicação do laser. O Laser A luz ultravioleta é a mesma da técnica PRK. A radiação, com uma precisão mais que milimétrica, transforma as células da córnea em água e gás carbônico. Depois da aplicação do laser, a camada superficial da córnea afastada pelo microcerátono é recolocada.

TRADUÇÃO DO VIDEO: http://www.youtube.com/watch?v=XGCFXkLftBg

¤

£

¢

¡

miopia ocorre quando a forma da c rnea é muito íngreme ou quando o olho é muito longo. Esta causa à luz de chegar a um foco frente da retina, que resulta na vis o borrada à distancia

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->