Você está na página 1de 5

- AUTISMO -

Revisão Bibliográfica

O autismo infantil foi identificado nos anos 40 pelos médicos L.


Kanner e H. Asperger. Obviamente é um estado que sempre existiu
em todas as épocas e culturas. A partir dos estudos destes autores,
outras pesquisas se seguiram no conhecimento desta síndrome.

Perturbação Global do Desenvolvimento

Esta perturbação é caracterizada por uma incapacidade qualitativa


no desenvolvimento:

1) Interacção social recíproca


2) Aptidões comunicativas verbais e não verbais;
3) Actividade imaginativa.

1) Falha no desenvolvimento de relações interpessoais e


ausência de resposta ou interesse pelas pessoas.

2) A incapacidade na comunicação inclui aptidões verbais e


não verbais. A comunicação não verbal está ausente ou é
socialmente inadequada. A linguagem pode estar completamente
ausente mas quando se desenvolve caracteriza-se por:

• Estrutura imatura, do ponto de vista


gramatical, ecolalia atrasada ou imediata;
• Inversão da utilização dos pronomes
(utilização do “tu” em vez de “eu”);
• Incapacidade para nomear objectos e
utilizar termos abstractos;
• Expressões idiossincráticas cujo
significado é claro apenas para as pessoas familiarizadas com
experiências passadas das crianças (designado por Kanner como
“linguagem metamofórica”);
• Entoação anormal do enunciado;

3) A incapacidade na actividade imaginativa pode incluir


ausência de jogos simbólicos ou fantasiosos com brinquedos ou
incapacidade de imitar papéis de adultos. Em alguns casos, a
perturbação segue-se aparentemente a um período normal ou
relativamente normal de desenvolvimento social nos 1ºanos de
vida, mas, existe sempre incapacidade para brincar em conjunto,
para jogos imaginativos e estabelecimentos de amizades.

O reportório de actividades e interesses é muito restrito e


frequentemente estereotipado e repetitivo. No entanto, a gravidade
e expressão destas incapacidades varia muito de criança para
criança. Nas crianças mais pequenas pode ocorrer resistência ou
reacções catastróficas a alterações ambientais mínimas (ex. a
criança pode gritar se o seu lugar à mesa tiver sido alterado). É
frequente existir fixação a objectos como cordas ou elásticos. As
estereotipais motoras incluem bater as palmas, movimentos
peculiares das mãos, movimentos de embalo e inclinação de todo o
corpo. Nas crianças mais velhas pode existir uma insistência em
seguir rotinas de forma precisa (ex. seguir sempre o mesmo
caminho para o restaurante preferido). Pode ocorrer fascínio pelo
movimento, como permanecer passivamente perto de uma
ventoinha ou qualquer objecto rápido semelhante. Pode pôr toda a
espécie de objectos a rodopiar, para poder ficar a observá-los, ou
pôr-se a si própria a rodopiar. Pode estar exclusivamente
interessada em botões, partes do corpo ou em brincar com água.
Nas crianças mais velhas, as tarefas que envolvem a memória a
longo prazo, por ex., relembrar as palavras exactas de canções
ouvidas há anos atrás, horários de comboios, datas históricas ou
fórmulas químicas, podem ser excelentes.

Idade de aparecimento

Na maioria dos casos é referido pelos pais antes dos 3 anos. Muitos
poucos casos são referidos como aparecendo depois dos 5/6 anos. As
manifestações na 1ª infância são mais subtis do que as observadas
após os 2 anos, facto que traz algumas dificuldades na identificação
do aparecimento.

Evolução

Na maioria dos casos, as manifestações da perturbação duram toda a


vida. Algumas crianças podem apresentar melhoria das aptidões
sociais e da linguagem. A puberdade pode trazer alterações com 2
sentidos, as funções cognitivas e sociais podem diminuir ou melhorar.
É frequente ocorrer uma exacerbação do comportamento agressivo,
conflituoso ou perturbador, que pode durar muitos anos.

Prevalência

10 a 15 crianças em cada 10000. Mais comum no sexo masculino.

Factores predisponentes

Pensa-se que uma série de condições pré, peri e pós-natais, que


causam disfunção cerebral, podem predispor ao desenvolvimento
desta perturbação. Foi descrita a associação com a rubéola maternal,
esclerose, anoxia peri-natal, encefalite, entre outras.

Classificação internacional de doenças – CID


F84.0 - AUTISMO INFANTIL - Transtorno global do desenvolvimento
caracterizado por um desenvolvimento anormal ou alterado,
manifestado antes da idade de três anos, apresentando uma
perturbação característica do funcionamento em cada um dos três
domínios seguintes: interacções sociais, comunicação, e
comportamento repetitivo. O transtorno é acompanhando de
numerosas outras manifestações inespecíficas, por exemplo fobias,
perturbações do sono ou da alimentação, crises de birra ou
agressividade (como auto-agressividade).

Inclui:
Autismo infantil
Psicose infantil
Síndrome de Kanner
Transtorno autístico

Exclui:
Psicopatia autista (F84.5)

Perspectiva Sócio-Histórica

Psicoce autística

Tem um ponto de partida muito precoce, origem essencialmente no


pólo materno e corresponde a um fracasso da organização dos
primeiros tempos de vida, implicando uma impossibilidade para a
criança ser considerada como objecto distinto da mãe. Esta relação
fusional com uma mãe simbiótica ou tóxica, será permanentemente
repetida no plano interpessoal. O “Eu” não está completo e este
insucesso traduz-se por uma atitude autística mais ou menos radical.
Para o sujeito o continente chega a contar mais que o conteúdo. Há
uma distorção da realidade e uma lógica autística na apreciação do
mesmo. Apresenta tendência ao isolamento com actividade interior
bastante intensa, insegurança e carência afectiva.