P. 1
Heroína e Morfina

Heroína e Morfina

4.5

|Views: 3.219|Likes:
Publicado porkahionz

More info:

Published by: kahionz on Jun 15, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/15/2013

pdf

text

original

Heroína e Morfina

Alunos: Gabriel Graziéle Kahio Karla

Origem

Papoula, planta da qual é extraído o ópio. Processado, o ópio produz a morfina, que em seguida é transformada em heroína

Histórico
► ►

A morfina é um alcalóide natural do ópio, foi a primeira droga opiácea a ser produzida (1803). Amplamente empregadas para tratar de feridos durante a Guerra Civil Americana. No final do conflito, 45 mil pessoas encontravam-se viciadas em morfina, levando os médicos a suspeitar que ela causava dependência. Apesar disso, nos EUA, ela continuou a ser usada para tratar tosse, diarréia e cólicas menstruais, sendo vendida até em doceiras. O número de viciados aumentou, levando os cientistas a procurar

Histórico

Em 1898, nos laboratórios da Bayer, surgiu a diacetilmorfina, uma substância três vezes mais potente que a morfina. Considerada "heróica“ pela potência, a Bayer decidiu batizar oficialmente a nova substância com o nome de heroína. A heroína foi aplicada em viciados em morfina, e comprovou-se que a droga aliviava os sintomas de abstinência dos morfinômanos. Durante doze anos acreditou-se que a heroína poderia substituir, segura e eficazmente, a morfina. Além dos usos anteriores, foi utilizada para o tratamento de alcoólicos. Ficou provado que a heroína é mais viciante do que a morfina, podendo criar dependência em apenas algumas semanas de uso. Em 1912, os Estados Unidos assinaram um tratado para acabar com o comércio de ópio no mundo. Por isso, dois anos mais tarde, o Congresso

Efeitos

A heroína é extremamente nociva ao corpo, causa dependência química e psíquica em pouco tempo. Ela age como um depressivo do sistema nervoso central. Após injetar a droga, o usuário fica fora da realidade, as pupilas contraídas e ele sente euforia e conforto. Em seguida, o usuário entra em depressão, buscando mais drogas para repetir o efeito. Fisicamente, quem usa heroína pode apresentar complicações como surdez, cegueira, delírios, inflamação das válvulas cardíacas, coma e até a morte. Quando consumida por meios injetáveis, pode causar necrose das veias. O corpo fica desregulado deixando de produzir substâncias vitais como a endorfina ou passando a produzir substâncias em excesso, como a noradrenalina que, em grande quantidade, acelera os batimentos cardíacos e a respiração. O corpo perde a capacidade de controlar sua temperatura causando calafrios constantes. O estômago e o intestino

Molécula de morfina éc

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->