Você está na página 1de 1

WWW. DEUS EM DEBATE .BLOGSPOT.

COM
RESPONDENDO A ENTREVISTADORES DE
RÁDIO SOBRE O PORQUÊ DO SOFRIMENTO
JOHN PIPER

Scott Simon entrevistou o sacerdote jesuíta James Martin no NPR Saturday morning, no dia 6
de março. Martin acaba de publicar “The Jesuit Guide to (Almost) Everything: A Spirituality for Real
Life” [Guia Jesuíta para (Quase) Tudo: Uma Espiritualidade para a Vida Real] (Editora Harper One,
2010). A última pergunta que Simon fez foi: “Se existe um Deus, por que as criancinhas
sofrem?”
Martin respondeu: “Esta é a pergunta mais difícil, e eu acho que a resposta é: nós não
sabemos.” Num gesto louvável, Martin continuou e disse que, para o cristão, Cristo participou
de nosso sofrimento e dá consolação. Ele também pergunta sabiamente: “Podemos crer em um
Deus cujos caminhos nós não entendemos?” Ele responde que sim.
Fico contente que Martin tenha apontado para os sofrimentos de Cristo. E fico feliz que tenha
afirmado que nós podemos crer num Deus cujos caminhos possam ser inescrutáveis para nós.
Mas a Bíblia não quer que digamos: “Nós não sabemos,” quando os dominantes porquês são
perguntados sobre o sofrimento e a morte.
É verdade que não podemos saber com certeza porque certa criança sofre de tal forma. Mas a
Bíblia quer que falemos o que ela diz a respeito da morte e do sofrimento.
Por que as criancinhas sofrem e morrem? Perguntamos isto com o conhecimento de que isso
está acontecendo neste exato momento às centenas, e perguntamos através de lágrimas de
experiência pessoal e empatia. Eis aqui uma resposta bíblica: “Assim como por um só homem
entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os
homens, porque todos pecaram” (Romanos 5:12).
A morte entrou no mundo através do pecado.
Esta é a resposta bíblica fundamental para de onde todo o sofrimento e a morte vieram. Ou,
para usar as palavras de Romanos 8:20: “A criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente,
mas por causa daquele que a sujeitou.”
Em outras palavras, por causa do pecado, Deus sujeitou toda a criação à futilidade da
mortalidade com todo seu sofrimento e morte. Toda a criação geme sob o julgamento. Se o
entrevistador diz: “Não parece um pouco cruel sujeitar toda a criação ao julgamento do
sofrimento e da morte, incluindo as criancinhas, por causa do pecado de um homem?”
Nós respondemos: “Para você ver o quão ultrajante é o pecado contra um Deus infinitamente
sábio, bom e santo. Nós não medimos o ultraje do nosso sofrimento pelo quão significante
achamos que o pecado seja; nós medimos o ultraje do pecado pelo alcance do sofrimento. O
mais incrível é que você e eu, como pecadores, estamos sentados aqui conversando, quando nós
merecemos estar no inferno. Deus é consideravelmente paciente. E ele deu seu Filho para
morrer em nosso lugar para que todos que creem possam escapar deste julgamento e ter a vida
eterna.”

TRADUZIDO POR ALAN CRISTIE, EM TRANSLATEDBYME.WORDPRESS.COM