P. 1
Eutanasia e Ética

Eutanasia e Ética

|Views: 9.825|Likes:
Publicado poryalmer semedo

More info:

Categories:Types, Business/Law
Published by: yalmer semedo on Jul 13, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/19/2013

pdf

text

original

EUTANÁSIA

³Direito de matar ou direito de morrer?´

Elaborado por: SEMINARISTA: YALMER SEMEDO

³Não darei veneno a ninguém, mesmo que mo peça,nem lhe sugerirei essa possibilidade.´ (Juramento de Hipócrates)

INTRODUÇÃO
A complexidade do tema eutanásia suscita questões (éticos, juridicos e religiosos) relevantes. Ela é um tema debatido na actualidade que levanta muitos problemas éticos e o qual pode afectar profundamente as relações familiares assim como a relação médico ± doente. Independentemente da forma de Eutanásia praticada, seja ela legalizada ou não, é considerada como um assunto controverso, existindo sempre prós e contras, tendo em conta o valor de uma vida humana.

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

HISTÓRIA
‡ O termo eutanásia é oriundo do grego, tendo por significado boa morte ou morte digna. Foi usado pela primeira vez pelo historiador Latino Suetônio, no século II d.C., ao descrever a morte ³suave´ do imperador Augusto: ³A morte que o destino lhe concedeu foi suave,
tal qual sempre desejara: pois todas as vezes que ouvia dizer que alguém morrera rápido e sem dor, desejava para si e para os seus igual eutanásia´ Suetônio

‡Séculos depois, Francis Bacon, em 1623, utilizou eutanásia em sua Historia vitae et mortis, como sendo o ³tratamento adequado às Doenças incuráveis´(apud Jiménez de Asúa, 1942).
SEMINARISTA YALMER SEMEDO

ETIMOLOGIA

A palavra eutanásia veio da palavra grega eu, que significa ³bom´, e thanatos, ³morte´, etimologicamente significando ³morte calma, morte boa, doce, suave, tranqüila´, apropriada ou tratamento adequado às doenças incuráveis´.

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

DEFINIÇÃO
A eutanásia, em sentido estrito, pode ser definida como qualquer ação Ou omissão destinada a provocar a morte de um ser humano com a finalidade de eliminar o sofrimento, pondo fim ³docemente´ à vida própria ou alheia. Em si consiste no acto de facultar a morte sem sofrimento a um indivíduo cujo estado de doença é crónico e, portanto, incurável, normalmente associado a um imenso sofrimento físico e psíquico. Ela pode ser definida como uma prática distinta do suicídio assistido, que é quando um paciente pede ele mesmo - e sempre de maneira consciente - ajuda para se matar.

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

CLASSIFICAÇÃO DA EUTANÁSIA
A eutanásia, pode ser classificada de varias formas, entre elas, as seguintes:

1.

QUANTO AO TIPO DE ACÇÃO:

‡ Eutanásia activa: o acto deliberado de provocar a morte sem
sofrimento do paciente, por fins misericordiosos. ‡ Eutanásia passiva : suspensão de tratamentos médicos para manutenção da vida, deixando o doente morrer; ‡Eutanásia de duplo efeito: , quando a morte é acelerada como conseqüência de ações médicas não visando ao êxito letal, mas sim ao alívio do sofrimento de um paciente

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

CLASSIFICAÇÃO DA EUTANÁSIA
2. QUANTO AO CONSENTIMENTO DO PACIENTE:
‡ Eutanásia voluntária: quando a morte é provocada atendendo
a uma vontade do paciente;

‡ Eutanásia involuntária: quando a morte é provocada contra a
vontade do paciente;

‡ Eutanásia não - voluntária: quando a morte é provocada sem
que o paciente tivesse manifestado sua posição em relação a ela;

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

ONDE É PERMITIDO:
‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Uruguai ( 1º pais a legalizar) Estado americano do Oregon; Holanda; Bélgica; Luxemburgo em via da legalização; Alemanha e Áustria (eutanásia passiva)

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

POR QUE A EUTANÁSIA É TÃO POLÊMICA?
‡ A eutanásia é tão polêmica porque envolve questões de ética e moral, indo de encontro aos valores de cada indivíduo, e também porque não há consenso a respeito do que sentem e pensam os doentes em coma ou em estado vegetativo. Para os que defendem a eutanásia, ela seria um acto de compaixão e solidariedade para acabar com o sofrimento de um paciente em agonia. ‡ Para os que se opõem à eutanásia, é dever do Estado preservar a todo custo à vida humana, assim como do médico.

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

ARGUMENTOS CONTRA A EUTANÁSIA:
‡ 1-º Ao aceitar pôr termo á vida do doente o medico está a destruir a autonomia deste que ele jurou defender. ‡ 2-º Muitos doentes podem ter dor e sofrimento porque não receberam cuidados apropriados. ‡ 3-º Há clara distinção entre pôr fim á vida de forma intencional e abster-se de medidas heróicas ou suspender cuidados de manutenção (suporte) da vida. ‡ 4-º A permissão de eutanásia pode acarretar consequências adversas - eutanásia involuntária e pressão do doente para aceitar eutanásia, com base nos custos de manutenção (suporte) da vida.

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

ARGUMENTOS A FAVOR DA EUTANÁSIA:
‡ 1-º A autonomia justifica a eutanásia: Respeitar a autonomia requer permitir aos indivíduos decidir sobre quando é melhor pôr fim à sua vida, por eutanásia ou suicídio medicamente assistido; ‡ 2-º Beneficência -facilitar o bem-estar dos indivíduos -suporta a eutanásia e a morte medicamente assistida. Em certas circunstâncias viver é pior do que morrer. ‡ 3-º Eutanásia não é diferente do que suspender os tratamentos paliativos, que são reconhecidos como eticamente justificáveis. ‡ 4-º O argumento segundo o qual a liberação da eutanásia pode interferir com a relação medico - doente ou levar a eutanásia forçada é completamente especulativa até á data actual.
SEMINARISTA YALMER SEMEDO

CONSIDERAÇÕES PRATICAS PARA OS DEFENSORES DE EUTANÁSIA
Considera-se que no caso de se recorrer à eutanásia deve-se assegurar que: ‡ Há falha de todos os cuidados paliativos para aliviar a dor e o sofrimento; ‡ O doente deve estar competente e deve requerer a eutanásia e o suicídio medicamente assistido voluntária e repetidamente.

‡ Deve haver um período de espera para se assegurar que o pedido do doente é estável e sincero . ‡ O médico assistente deve solicitar uma 2ª opinião de um medico independente
SEMINARISTA YALMER SEMEDO

EUTANÁSIA & RELIGIÃO
A EUTANÁSIA é considerada, por diferentes religiões, como um acto que atenta contra os Direitos Humanos e contra o carácter sagrado da Vida Humana. O JUDAÍSMO diz que: que: ‡ o moribundo é uma pessoa viva, logo, deverá ser tratado com a mesma consideração que uma pessoa vivente; ‡ o médico pode ser preso e acusado de assassínio se não cumprir a lei. O CRISTIANISMO: CRISTIANISMO: ‡ a Eutanásia, é um crime contra a vida e um atentado contra a humanidade; ‡ a vida humana é um dom de Deus ; O ISLAMISMO ( submissão à vontade de DEUS ): ): ‡ proclama o ³direito à vida´, proíbe o suicídio, ‡ a vida humana é³sagrada e inviolável´

EUTANÁSIA E A IGREJA DO NAZARENO
PARA A IGREJA DO NAZARENO A EUTANÁSIA:
‡ é incompatível à fé cristã; ‡ viola a confiança cristã em Deus como Senhor soberano da vida, ao reivindicar o senhoria da pessoa sobre si mesma; ‡ viola o nosso papel de mordomos diante de Deus; ‡ contribui para a erosão do valor que a Bíblia atribui à vida humana e à comunidade; ‡ reflete a arrogância humana diante de um Deus graciosamente soberano; ‡ POR ISSO, A IGREJA DESAFIA OS CRENTES A SE OPOR VEEMENTEMENTE A TODOSOS ESFORÇOS DE LEGALIZAÇÃO DA EUTANÁSIA.

MEU PONTO DE VISTA:
‡ Em minha opinião não concordo com a eutanásia, porque ela é um acto de homicídio- Suicídio, pelo que, temos de levar em conta que a dor e as contrariedades sempre fizeram parte da vida dos Homens e o único que possui um padrão, incontestável, para determinar o fim de uma vida é Deus ± o soberano Senhor. ‡ VOU APRESENTAR ALGUNS PRINCÍPIOS BÍBLICO QUE DEVEMOS LEVAR EM CONTA ANTES DE PRATICAR ESSE ACTO : ‡ A vida é uma dádiva preciosa de Deus (Gn 1. 20-27); ‡ A vida humana é especialmente preciosa, porque Deus fez o homem à sua imagem e semelhança, portanto ela, obrigatoriamente, precisa ser preservada e não ceifada (Gn 1. 26; 9. 5,6), ‡ A morte não é o fim e nem uma fuga, em si mesmo, ao sofrimento, mas é o resultado do pecado (Rm 6.23); ‡ Muitas vezes ela ocorre com o sofrimento e dor, mas dentro dos propósitos insondáveis de Deus (2 Co 4. 8-10)

CONCLUSÃO:
‡ ³Há tempo de nascer, e há tempo de morrer´. ( Ecl. 3:2ª) ‡ Os padrões éticos do crente são encontrados na Palavra de Deus e nela achamos todo o incentivo para valorizarmos a vida e nos empenharmos em preservá-la, suportando as tribulações com paciência e perseverança, para a glória de Deus.

‡ Isaías 43:1-5 - ³Não tenha medo, pois eu o redimi e o chamei pelo
nome; você é meu. Quando você atravessar a água, eu estarei com você e os rios não o afogarão; quando você passar pelo fogo, não se queimará, e a chama não o alcançará, pois eu sou o seu Deus... Você é precioso para mim, é digno de estima e eu o amo... Não tenha medo, pois eu estou com você´.
SEMINARISTA YALMER SEMEDO

EUTANÁSIA NÃO, MORRER COM DIGNIDADE SIM...

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

SÓ DEUS TEM PODER PARA TIRAR VIDA.

SEMINARISTA YALMER SEMEDO

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->