P. 1
Normas Oriundas Da Dp Pm

Normas Oriundas Da Dp Pm

|Views: 870|Likes:
Publicado porcleybismar

More info:

Published by: cleybismar on Jul 17, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/02/2013

pdf

text

original

1

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESPECIAL DE ESTADO DE DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR * COMANDO GERAL DIRETORIA DE PESSOAL

NORMAS GERAIS DE PROCEDIMENTOS EXECUTADOS PELA DIRETORIA DE PESSOAL

ANO 2005

2

SUMÁRIO
1. FINALIDADE 2. ATRIBUIÇÕES DAS SEÇÕES DA DIRETORIA DE PESSOAL 2.1 - Seção de Cadastro e Avaliação de Praças (DP/1) 2.2 - Seção de Cadastro e Avaliação de Oficiais (DP/2) 2.3 - Seção Financeira (DP/3) 2.4 - Seção de Mobilização (DP/4) 2.5 - Seção de Recrutamento e Seleção (DP/5) 2.6 - Seção de Protocolo e Expediente (DP/6) 2.7 - Seção de Identificação (DP/7) 2.8 - Seção de Psicologia (DP/8) 2.9 – Seção de Serviço Social (DP/9) 3. ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS NA ÁREA DE PESSOAL 3.1. POLICIAL MILITAR A DISPOSIÇÃO DA JRS 3.2. APRESENTAÇÃO ESPONTÂNEA OU CAPTURA DO PM 3.3 - TRANSFERÊNCIA PARA A RESERVA REMUNERADA 3.4 - REFORMA 3.5 - DOCUMENTOS DE TRAMITAÇÃO INTERNA NA OPM 3.6 - MAPAS E RELAÇÃO NOMINAL DAS OPM 3.7 - FOLHAS DE ALTERAÇÕES DOS OFICIAIS E FICHA DISCIPLINAR 3.8 - BASE DOS VENCIMENTOS E VANTAGENS DO POLICIAL MILITAR 4 - CONDIÇÕES PARA PUBLICAÇÕES 5ANEXOS

3

1. FINALIDADE A Diretoria de Pessoal, seguindo as diretrizes do Comandante Geral da PMPA, a fim de atingir a política estabelecida pelo Governo do Estado de valorização do Servidor Público, resolveu desenvolver um programa de palestras sobre as atividades desta Diretoria, com a finalidade de orientar os Comandantes, Chefes de Seção de Pessoal (P/1 e P/2) e Tesoureiros das OPM da Capital e do Interior do Estado, acerca dos diversos procedimentos de sua competência, objetivando tornar os trabalhos com pessoal, mais eficazes e eficientes com vistas ao reflexo dessa atividade na prestação de serviço do policial militar na sociedade.

2. ATRIBUIÇÕES DAS SEÇÕES DA DIRETORIA DE PESSOAL 2.1 - ATIVIDADES DA SEÇÃO DE CADASTRO E AVALIAÇÃO DE PRAÇAS (DP/1) 2.1.1 - ATRIBUIÇÕES GERAIS: 1. Alterar ficha disciplinar e fichário; 2. Ratificar, retificar e prestar informações referentes a Ofícios, requerimentos; 3. Alterar mapas e Relações de efetivo. 2.2 - SEÇÃO DE CADASTRO E AVALIAÇÃO DE OFICIAIS (DP/2) 2.2.1 - ATRIBUIÇÕES GERAIS DA SEÇÃO: 1. Elaborar notas para BG (Transferência, Averbação de Tempo de serviço, Cancelamento de Punições e outras), relativos a Oficial; 3. Confeccionar Certidões de Tempo de Serviço dos Oficiais da ativa, para fins de Reserva e Reforma; 4. Elaborar documentos (Ofícios, certidões de funções gratificadas, de incorporação de gratificações, Memorandos, Circulares e outros);

4 5. Emitir parecer aos requerimentos oriundos de Oficiais, observando a legislação pertinente; 6. Preparar Portarias de Nomeação / Exoneração para função gratificada. 7. Confeccionar Certidões de interiorização para o pessoal da reserva e reforma; 8. Preparar Portarias da Concessão de Licença Especial; 9. Preparar Processo de demissão ex-officio e a pedido, Exclusão por falecimento; 2.3 - SEÇÃO FINANCEIRA (DP/3) 2.3.1 - ATRIBUIÇÕES GERAIS DA SEÇÃO: 1. Receber e selecionar os movimentos financeiros das OPM; 2. Preparar a movimentação manual de nomeações e exonerações de Oficiais; 3. Operacionalizar as movimentações das OPM no SIGRH; 4. Receber e operacionalizar os descontos das consignações; 5. Relacionar e remeter a SEAD os termos de opção; 6. Solicitar a SEAD as incorporações da Lei 5.320; 7. Relacionar e solicitar a SEAD o cadastramento de pensionistas; 8. Operacionalizar as movimentações das pensões alimentícias; 9. Receber, conferir e distribuir contra-cheques; 10. Analisar os relatórios analíticos; 11. Informar a SEFA os valores mensais de contribuição ao FUNPREV e PAS; 12. Informar anualmente a Receita Federal sobre a RAIS e a DIRF; 13. Receber e distribuir cédulas “C” para declaração de IR; 14. Analisar os pedidos de alterações de vantagens (requerimentos); 15. Elaborar folhas suplementares para pagamentos retroativos; 16. Elaborar Certidão de Vencimento; 17. Programar pagamento de ajuda de custo; 18. Movimento financeiro dos Oficiais do Comando Geral; 19. Planejar pagamento de adicionais de férias; 20. Manter atualizada a relação de cargos comissionados;

5 21. Encaminhar a SEAD os processos para pagamento de retroativos; 22. Remeter a Diretoria de Finanças a Classificação Orçamentária para repasse de recurso ao BANPARÁ; 23. Controlar os processos de pensão por falecimento. 2.4 - SEÇÃO DE MOBILIZAÇÃO (DP/4) 2.4.1 - ATRIBUIÇÕES GERAIS DA SEÇÃO: 1. Expedir Certificados de Reservista de 1ª e 2ª via; 2. Notas para BG, referente a reabilitação Policial Militar; 3. Expedir taxa militar; 4. Remeter mapas de prestação de contas de Certificados de Reservistas de 2ª Categoria e isenção para Policiais Militares excluídos disciplinares e que tenha servido por mais de 01 (um) ano; 5. Carimbar anualmente o Certificado de Reservista (EXAR – Exercício de Apresentação de Reserva); 6. Organizar fichário de reservista da PMPA; 7. Expedir Certificados de Inscrição para Policiais Militares Excluídos disciplinares com mais de 01 (um) ano de serviço; 8. Receber e conferir os processos de Alistamento, oriundos das OPM alistadas. 2.5 - SEÇÃO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO (DP/5) 2.5.1 - ATRIBUIÇÕES GERAIS DA SEÇÃO: 1. Recrutar e Selecionar candidatos ao Curso de Formação de Soldados. 2. Preparar a viabilidades de contratação de novos Alunos Oficiais e do CFSD. 3. Entregar o comprovante de inscrição, Cadastramento e Correção de dados pessoais do PIS/PASEP. 2.6 - SEÇÃO DE PROTOCOLO E EXPEDIENTE (DP/6) 2.6.1 - ATRIBUIÇÕES GERAIS DA SEÇÃO: 1. Receber e distribuir todos os documentos da DP;

6 2. Elaborar notas para BG (Transferência, Averbação de Tempo de serviço, Cancelamento de Punições e outras); 3. Confeccionar Certidões de Tempo de Serviço do pessoal da ativa, para fins de Reserva e Reforma; 4. Elaborar documentos que tramitam na DP (Ofícios, Memorandos, Circulares e outros); 5. Dar parecer aos requerimentos oriundos das Praças, observando a legislação em vigor; 6. Preparar Portarias de Reinclusão (DETERMINAÇÃO JUDICIAL). 6. Confeccionar Certidões de interiorização para o pessoal da ativa, reserva e reforma (existe um Parecer da SEAD contrário ao pagamento de Interiorização ao nosso pessoal – BG nº 220/00, 24 NOV 2000); 7. Preparar Portarias da Concessão de Licença Especial; 8. Preparar Portarias de licenciamento a pedido, Exclusão por falecimento e disciplinar (Conselho de Disciplina e Deserção); 2.7 - SEÇÃO DE IDENTIFICAÇÃO (DP/7) 2.7.1 - ATRIBUIÇÕES GERAIS DA SEÇÃO: 1. Proceder a expedição de Cédulas de Identidade a Policiais Militares e dependentes legais; 2. Providenciar junto ao Órgão competente as fichas de antecedentes criminais dos candidatos à admissão. 2.8 - SEÇÃO DE SERVIÇO DE PSICOLOGIA (DP/8) 2.8.1 – METODOLOGIA: Os trabalhos são desenvolvidos em grupo e individual, sendo preservada a ética profissional, bem como o respeito ao individuo, através de apoio, suporte emocional, acompanhamento, aconselhamento, psicoterapia individual e encaminhamentos especializados a outras áreas de atuação de acordo com a necessidade de cada caso e situação.

7

A Psicologia na Corporação utiliza as seguintes técnicas e instrumentos: • • • • • • • Entrevistas; Aplicação de Questionários; Testes Psicológicos (bateria de testes de inteligência, personalidade e outros); Dinâmica de Grupo; Pesquisa para identificação do nível de estresse dos policiais nos grandes comandos da capital; Estudos de Caso; Avaliação Psicológica por ocasião de concursos internos (Tático, Grupamento Aéreo e outros), externos (CFO,CFC,CFS) e nos casos de PAD, IPM, Conselhos, solicitações da JRS, Comando, Auditoria Militar e outros. OBS: Diariamente - 24 horas – há os sobreavisos para atendimentos emergenciais, geralmente objetivando dá apoio, orientações e suporte emocional, principalmente em situações de: • • • • Comunicação de morte de PM / Familiares Acidentes de serviço Tentativa de suicídio Violência Doméstica / relacionamento familiar, entre outros.

2.8.2 – ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Durante o ano de 2004, a Seção de Psicologia além das atividades inerentes a cada área de atuação, desenvolveu: • Avaliação Psicológica para o Grupamento Tático do CPR - III, nos municípios de Castanhal, Santa Izabel, Paragominas, Bragança, Salinópolis e Capanema.

8 • • • • Avaliação Psicológica por solicitação dos encarregados de PAD,

Sindicâncias, Conselhos, IPM e Comandantes de Unidades Operacionais. Acompanhamento psicossocial em situações diversas. Acompanhamento de policiais militares internados em centros de recuperação ao uso de drogas. Avaliação Psicológica de policiais e bombeiros militares e policiais civis aprovados no concurso interno do Sistema de Segurança Pública para o Grupamento Aéreo, piloto e tripulante, com apoio de psicólogos militares da Policia Militar do Estado de São Paulo. • Pesquisa nos Grandes Comandos da Capital realizando estatística para identificar o nível e as fases do estresse nas unidades operacionais do CPM, CCIN e CME (em conclusão). • Levantamento do Perfil Sócio-Econômico-Profissional das unidades do CME. 2.8.3 – ATENDIMENTOS DIVERSOS: • • • • • • • • • • • Problemas disciplinares (punições); Problemas no relacionamento familiar\conflitos; Problemas de relacionamento no trabalho; Problemas psiquiátricos (depressão, síndrome de pânico, psicoses, etc.); Alterações de comportamento e conduta; Comportamentos Agressivos; Sintomas de Estresse/Doenças Psicossomáticas; Dificuldades no exercício da função; Apoio a policiais nos processos de Reserva e Reforma; Descontrole Emocional; Dependência Química, principalmente referente ao uso de álcool.

2.8.4 – DO SERVIÇO PSICOSSOCIAL:

9 O trabalho desenvolvido pelos oficiais psicólogos é diversificado e abrangente, além das atividades técnicas especificas de atendimento, acompanhamento, aconselhamento e psicoterapia individual, desenvolvem também ações conjuntas com o Serviço Social, como a organização de festas alusivas ao dia das mães, mulher, confraternizações de final de ano, etc., palestras educativas e de orientações diversas, trabalhos que buscam, entre outros aspectos, a valorização dos recursos humanos, possibilitando uma melhoria de qualidade de trabalho, a partir da valorização do policial enquanto individuo. Nos dez anos de atuação da psicologia na Corporação, percebe-se que conquistas foram realizadas, onde citamos o evento realizado em 2001, a realização da I Jornada de Psicologia que possibilitou levar ao conhecimento da sociedade as atividades desenvolvidas, com debates, conferências e mesas redondas que favoreceram o enriquecimento do trabalho desenvolvido, conscientização na justiça, procuradoria geral do estado acerca da avaliação psicológica realizada nos concursos, participação na reunião do CONSEP (Conselho de Segurança Pública) onde foi exposto aos membros do mesmo os resultados dos trabalhos desenvolvidos pela atividade técnica do psicossocial. No entanto, é notório que ainda vivenciamos dificuldades internas, como a falta de conscientização de alguns Comandantes quanto a importância de um atendimento especializado aos seus comandados, principalmente no aspecto preventivo, o que talvez poderia evitar a realização de tantas avaliações psicológicas de policiais militares que respondem a PAD, Sindicâncias, IPM, Conselhos, etc., por problemas de alcoolismo, comportamento inadequado, agressividade, estresse e outros. Percebe-se que pela dinâmica e peculiaridades do trabalho operacional desenvolvido nas unidades alguns policiais não são encaminhados ao psicólogo para uma avaliação e acompanhamento, principalmente no inicio de sua problemática, considerando que em algumas situações o caso requer apenas orientações e aconselhamento, o que faz com que algumas situações sejam agravadas por não haver um acompanhamento especializado, desta

10 forma com o tempo os sintomas evoluem e agravam, se tornando muitas vezes um destaque negativo a imagem da Corporação através da imprensa que busca denegrir a imagem da Instituição em decorrência de comportamentos isolados e inadequados. 2.9 – SEÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (DP /9): 2.9.1 - DEMANDAS DA ASSISTÊNCIA SOCIAL: 2.9.1.1 - ATENDIMENTO SOCIAL A NÍVEL INDIVIDUAL E GRUPAL: Conflito familiar, solicitação de passagens, reintegração ao serviço ativo da PM, separação conjugal, dificuldades financeiras, reconhecimento de paternidade, vagas em escolas, pensão alimentícia, acompanhamento disciplinar e funcional, solicitação de cursos de qualificação profissional, assistência alimentar, guarda de menor, desvio de comportamento de filho de policial militar, assistência jurídica, casamento civil, curatela, etc. 2.9.2 – SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA DA SAÚDE DE POLICIAIS

MILITARES E FAMILIARES: Visita a pacientes internados no HME e em outros hospitais; visitas a outras organizações de saúde, atendimento a familiares de pacientes e a servidores civis e militares do HME; doação de medicamentos, questões relacionadas ao alcoolismo e drogas ilícitas; doação de sangue, tratamento fora do domicílio, serviço de transporte ambulância, acompanhamento médico social, marcação de consultas (AMC e PAS), solicitação de muletas, tratamento eqüoterápico, cadeira de rodas, tratamento especializado e acidentes em serviço. 2.9.3 – PROCEDIMENTO EM SITUAÇÃO DE FUNERAL: Apoio e

encaminhamento em óbitos naturais ou não de policiais militares e familiares, além de orientações pós-morte. 2.9.4 – OUTRAS ATIVIDADES:

11 1. Entrevista e seleção de candidatos ao Programa Voluntário Civil na Corporação. 2. Operacionalização do Programa Cheque Moradia em parceria com a equipe técnica da COHAB. 3. Representação da Corporação na Comissão de Justiça e Segurança no Conselho Regional de Serviço Social. 4. Participação e encontros, cursos e seminários com assuntos pertinentes a profissão Serviço Social. 5. Elaboração de Relatório Estatístico mensal do atendimento médico – ambulatorial do AMC. 6. Elaboração de projetos e relatórios sociais com parecer técnico. 7. Elaboração mensal das escalas de sobreaviso. 8. Reuniões técnicas para avaliação e acompanhamento da prática profissional. 9. Realização de pesquisa para trocar o perfil psicosócio-econômico e profissional, das tropas que compõem o Comando de Missões Especiais – CME (em andamento). 10. 11. 12. Supervisão técnica da Chefia da Seção nas unidades onde se Semana de integração com novos alunos Oficiais e praças do IESP Viagens ao interior do Estado. CPRS I, II, III, no sentido de efetivam o atendimento social. e CFAP. viabilizar o atendimento das questões sociais daqueles efetivos e principalmente a operacionalização da interiorização das ações do Programa Cheque Moradia na Corporação. 13. 14. Visitas inter e intra-institucionais, objetivando articular soluções Planejando organização e execução de eventos diretos como: de ordem social, que afetam o efetivo. páscoa, Dia da Mulher Dia das Mães e dos Pais, aniversariantes do mês, confraternização natalina etc...

12 15. Organização em conjunto com o GFM, da programação da

atividade “pinte o sete”, na praça Batista Campos alusiva à sema da polícia militar. 16. Serviço de sobreaviso 24horas, atendendo situações sociais baleamentos, acidentes, transportes em ambulância, emergenciais de policiais militares ativos e inativos e seus familiares. (óbitos, 17. 18. 19. transferência hospitalar etc.). Participação no Congresso Brasileiro de Saúde dos Policiais Participação em curso de formação de agente multiplicador em Relato de experiências com apresentação de um artigo sobre o Militares, na cidade de Fortaleza como palestrante. diretos humanos (violência doméstica) Projeto Trilha da Cidadania durante o Seminário Internacional do Estado sobre crianças sediado em Belém sobre a coordenação da FACI (Faculdade Ideal). 20. Apresentação de Artigo Científico com o tema “Envelhecimento policial Militar Significado e Representação”, durante o congresso sobre Envelhecimento na Amazônia, coordenado pelo curso de Mestrado em Serviço Social da UFPA; 21. Implantação e execução do Programa Educacional de Resistência à Drogas e violência/PROERD na Escola Municipal Eduardo Teixeira (Ananindeua). 22. Realização de palestra sobre Ética e Cidadania / Violência Doméstica / Estatuto da Criança e do Adolescente / Drogadição InfantoJuvenil em Escolas Públicas do Município de Belém (Escola Mário Barbosa na Terra Firme, Escola Paulo Maranhão e Escola Aníbal Duarte em São Brás) e em Centro de Recuperação de Dependentes Químicos (Desafia o Jovem de Belém DEJOBE no Tapanã e Centro de Assistência no Município de Abaetetuba. 23. Realização de palestra sobre Serviço Social na Polícia Militar do Pará para alunos de Serviço social da UFPA.

13 24. Realização de Palestras sobre “Escola e Violência” para a equipe

de professores da Escola Municipal Eduarda Teixeira (Ananindeua), Escola Estadual Mario Barbosa (Terra firme) e para grupos familiares (jovens e adultos) atendidos pelo Centro Social do Santuário de Fátima. 25. 26. • • • • • • • • Participação na comissão de conferência de carga geral permanente do AMC. Participação em Cursos/Seminários de Capacitação Profissional Seminário de Serviço Social e Violência – Belém / Pa. Seminário Internacional de Estudos Sobre a Criança – Belém / pa. Seminário sobre Envelhecimento na Amazônia – Belém / Pa. Seminário sobre Polícia de Inclusão Social de Crianças e dos seguintes termos:

Adolescentes em Situação de Vulnerabilidade - Belém / Pa. 9º Seminário Anvançado de Serviço Social Sobre o Tema “O Serviço Social no Enfrentamento da Violência “- Belém / Pa. Palestra sobre Matriz Curricular Nacional – Belém / Pa. Ciclo de Debate Sobre Ensino, Pesquisa e extensão coordenação pela UEPA, na condição de ouvinte; Reunião Regional da Sociedade Brasileira para O progresso da Ciência SBPC sobre o tema “Amazônia Múltiplos Sabores e Sócio Biodiversidade” – Belém / Pa. • • • • Curso “A Institucionalização da Violência – Belém / Pa; Curso de Neorololinguistica pela Escola de Governo – Belém / Pa; Curso de Interpessoais no Trabalho pela Escola do Governo– Belém/PA; Membro da Equipe de facilitadores do IESP durante o Encontro Pedagógico acerca dos eixos norteados e áreas temáticas proposta pela Matriz curricular nacional na Formação em Segurança Pública; • Participação nas reuniões da Comissão Técnica do IESP;

14 • Participação no processo de reelaboração e elaboração da

estrutura curricular para o curso de formação de soldado da PMPA, tendo como base a Matriz Curricular Nacional; • Participação no processo de discussão e elaboração da Estrutura Curricular do Curso de adaptação de cabos – CAC (soldado que foram promovidos à Cabo PM em Set./2004) 2.9.5 – AVALIAÇÃO QUALITATIVA DO SERVIÇO SOCIAL: A atuação do serviço de Assistência Social na Corporação é de extrema importância na medida em que acompanha de forma técnica – profissional a resolução de situações que afetam o bem estar social dos policiais militares ativos e inativos, bem como seus familiares, que buscam na Assistente social a resolução/minimização de seus problemas cotidianos, em saúde, educação, habitação, familiar, financeiro, disciplinar, funcional, etc. Acreditamos que à medida que o policial militar se encontra bem assistido e equilibrado em suas questões sociais e de trabalho, melhores condições ele terá para exercer de forma efetiva e eficaz, a sua missão profissional de garantir segurança pública de melhor qualidade à população. 3. ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS NA ÁREA DE PESSOAL: 3.1. POLICIAL MILITAR A DISPOSIÇÃO DA JRS: 3.1.1. AGREGAÇÃO: Art. nº 88, § 1º, Inciso III, letra c, Lei nº 5251/85 (ESTATUTO). a) O Comandante da OPM a que pertence o PM que se encontra a mais de 01(um) ano à disposição da Junta Regular de Saúde, deverá solicitar agregação do mesmo. b) Quando o Policial Militar receber o Apto da JRS, o Comandante da OM deverá solicitar a REVERSÃO ao serviço ativo do PM. c) No caso de Oficial os documentos de demissão serão encaminhados para o Exmo. Sr. Governador do Estado a quem compete elaborar o decreto de agregação.

15

3.1.2. EXCLUSÃO: 3.1.2.1. POR DESERÇÃO: a) SEM ESTABILIDADE: (1ª parte § 4º Art. nº 456 CPPM) - A Diretoria de Pessoal providenciará a Portaria de Exclusão após a publicação em BG da Homologação do Termo de Deserção b) COM ESTABILIDADE: (§ 4º Art. nº 456 CPPM c/c Art. nº 88 § 1º Inciso III Alínea g Lei nº 5251/85) - A Diretoria de Pessoal providenciará a Portaria de Agregação após a publicação em BG da Homologação do Termo de Deserção, devendo o Comandante da OPM a qual pertence o PM desertor informar a DP após 01 (um) ano de agregação do PM, a fim de que seja providenciada a Portaria de Exclusão do PM. OBS: Em ambos os casos o Comandante da OPM deverá solicitar a exclusão da folha de pagamento do PM desertor. 3.2. APRESENTAÇÃO ESPONTÂNEA OU CAPTURA DO PM: a) Deverá ser informado através de Ofício ao Exmo Sr. Juiz Auditor Militar do Estado e ao Exmo Sr Cmt Geral da PMPA a captura ou apresentação espontânea do PM desertor. b) O Comandante da OPM deverá apresentar através de Ofício o PM na Junta Regular de Saúde, a fim de que o mesmo seja submetido a uma avaliação médica. d) O Comandante da OPM deverá também remeter a cópia da Ata de Inspeção de Saúde do PM ao Exmo. Sr. Juiz Auditor Militar do Estado. 3.2.1 - LEGISLAÇÃO: 3.2.1.1 - Portaria de Reinclusão (Art. nº 457 § 1º CPPM) 3.2.1.2 - Portaria de Reversão ao serviço ativo (Art. nº 457 § 3º CPPM c/c Art. nº 91 e 92 Lei nº 5251/85)

16

3 .2.2 - LIBERAÇÃO DO PM PELA JUSTIÇA MILITAR: 3.2.2.1 - Após o PM ser liberado pela Justiça Militar este deverá ser apresentado na DP para que o mesmo seja Classificado em uma OPM. 3.2.3 – LICENCIAMENTO A BEM DA DISCIPLINA ATRAVES DE

HOMOLOGAÇÃO DE CONSELHO DE DISCIPLINA (Art. nº 120 § 2º, II, 124 e 125 Lei nº 5251/85 c/c Art. nº 13 Inciso IV letra a Decreto nº 2562/82): a) Após a publicação em BG a Diretoria de Pessoal aguardará o prazo de 10 (dez) dias, ao termino do qual manterá contato com a Corregedoria Geral da PMPA a fim de verificar de há ou não RECURSO por parte do PM que respondeu ao Conselho de Disciplina. a.1) COM RECURSO: a Diretoria de Pessoal aguardará publicação da Decisão Administrativa pela Corregedoria em BG, a fim de providenciar ou não a Portaria de Exclusão do PM. a.2) SEM RECURSO: a Diretoria de Pessoal providenciará a Portaria de Exclusão do PM. OBS: O Comandante da OPM após a publicação da Portaria de Exclusão deverá recolher a Carteira de Identidade do PM e remeter a Diretoria de Pessoal. 3.2.4 - LICENCIAMENTO OU DEMISSÃO A PEDIDO (Art. 120 Inciso I Lei nº 5251/85-ESTATUTO): a) O requerimento do interessado deverá ser confeccionado em 03 (três) vias. b) O comandante do PM deverá remeter a Diretoria de Pessoal o requerimento do interessado, em duas vias, contendo endereço completo atualizado, filiação e o comportamento atual do PM, devidamente assinado pelo interessado de preferência com a assinatura de 02 (duas) testemunhas. c) O Comandante do PM deverá arquivar a terceira junto a ficha disciplinar do PM.

17 d) No caso de Oficial os documentos de demissão serão encaminhados para o Exmo. Sr. Governador do Estado a quem compete elaborar o decreto de demissão a pedido. 3.2.5 - FALECIMENTO: Art. nº 98 Inciso VIII c/c Art. nº 127 Lei 5251/85 (ESTATUTO) - O Comandante de OPM deverá solicitar dos parentes e/ou dependentes do PM falecido a Carteira de Identidade do PM e a cópia da Certidão de Óbito. - O Comandante da OPM deverá orientar os dependentes legais do PM falecido a solicitarem junto ao IGEPREV a pensão a que tem direito, bem como antes de entregarem a Carteira de Identidade, tirarem algumas cópias reconhecidas em Cartório, pois a cópia será solicitada pelo IGEPREV. - O Comandante da OPM deverá remeter a Diretoria de Pessoal a Carteira de Identidade e a cópia da Certidão de Óbito do PM através de ofício, informando a existência de dependentes do PM falecido. 3.3 - TRANSFERÊNCIA PARA A RESERVA REMUNERADA: - O Comandante da OPM deverá remeter o requerimento do interessado com a documentação necessária, a fim de que a Diretoria de Pessoal proceda o Processo de Reserva do mesmo: DOCUMANTAÇÃO NECESSÁRIA: - Cópia da Carteira de Identidade; - Cópia do último contra-cheque; - Cópia da Certidão de casamento ou nascimento (caso solteiro); - Cópia da Certidão de nascimento dos filhos (menores); - Certidão Original de Tempo de Serviço Averbado (FFAA e INSS). OBS: se o PM interessado não possuir a Certidão original das Forças Armadas, ele poderá substituir este documento pela cópia autenticada em Cartório do Certificado de Alistamento Militar. 3.3.1 - DESAQUARTELAMENTO (Art. 323 da Constituição Estadual)

18 - O Policial Militar interessado solicita, após ter completado 91 (noventa e um) dias que deu entrada com seu pedido na DP, através de Parte para seu Comandante de OPM o seu desaquartelamento, o Cmt de OPM informa através de Ofício para a DP a concessão do referido afastamento.

3.4. REFORMA: - O PM será julgado incapaz definitivamente pela Junta Regular de Saúde (JRS) e encaminhado para Junta Policial Militar Superior de Saúde (JPMSS), a qual homologará ou não parecer da JRS, devidamente publicado em aditamento ao BG. - Após a publicação da homologação do parecer o Comandante da OPM deverá remeter a Diretoria de Pessoal os documentos necessários. * IMPORTANTE: 1. POLICIAL MILITAR INCAPAZ DEFINITIVAMENTE PODENDO PROVER MEIOS PARA SUA SUBSISTÊNCIA: O PM receberá seus vencimentos na inatividade da seguinte forma: a) POR COTAS DE SOLDO: - SOLDO: Cotas (1/30) + complementação = Salário Mínimo em vigor; - GRATIFICAÇÕES: - Risco de Vida – 50 %; - Habilitação Policial Militar – 20%; - Tempo de Serviço; Obs: Casos excepcionais onde o PM recebe vantagens incorporadas. b) POR ACIDENTE DE TRABALHO: - O PM podendo prover meios para a sua subsistência tem direito a proventos equiparados aos seus vencimentos na ativa.

19 2. POLICIAL MILITAR INCAPAZ DEFINITIVAMENTE NÃO PODENDO PROVER MEIOS PARA SUA SUBSISTÊNCIA: a) CB e SD: receberão SOLDO de 3º SGT; b) 1°, 2° e 3° SGT: receberão SOLDO de 2º TEN c) SUBTEN: receberá SOLDO de 1º TEN; OBS. 1 - Praça: recebe o soldo + todas as vantagens que recebia na ativa; OBS. 2 - Oficial: recebe o soldo do posto imediatamente superior ao seu + as vantagens que recebia na ativa. OBS. 3 - Os policiais militares reformados podendo prover meios, não adquirem o direito de receberem o auxílio invalidez. Somente terá esse direito o reformado que não puder prover meios para sua subsistência. OBS. 4 - nos casos de incapacidade, os documentos necessários deverão ser de acordo com o BG nº 215/2000, nos seguintes termos: - Cópia da Carteira de Identidade; - Cópia do ultimo contra-cheque; - Cópia da Certidão de casamento ou nascimento; - Cópia da Certidão de nascimento dos filhos; - Certidão Original de Tempo de Serviço Averbado (FFAA e INSS); - Curatela (para os casos de Reforma por Alienação Mental); - Cópia da Carteira de identidade do Curador (para os casos de Reforma por Alienação Mental); 3.5 - DOCUMENTOS DE TRAMITAÇÃO INTERNA NA OPM: 3.5.1 - QUINQUÊNIO, AUXÍLIO FARDAMENTO, AUXILIO MORADIA, MUDANÇA DE CLASSE: Essas vantagens e auxílios deverão ser solicitados pelos policiais militares aos seus Comandantes de OPM, que após análise e deferido ou não, tornar-se-á público em Boletim Interno e incluídos no movimento financeiro mensal da Unidade. 3.6 - MAPAS E RELAÇÃO NOMINAL DAS OPM:

20 Os Comandantes de OPM deverão remeter os mapas de efetivo, bem como a relação nominal da OPM, em disquete, utilizando o Programa EXCEL, até o dia 05 de cada mês. 3.7 - FOLHAS DE ALTERAÇÕES DOS OFICIAIS E FICHA DISCIPLINAR: O Comandante de OPM deverá remeter a Diretoria de Pessoal as folhas de alterações dos Oficiais semestralmente, nas seguintes datas: 10 JUL para as alterações, correspondente ao 1º semestre, e 10 JAN para as alterações, correspondente ao 2º semestre, de cada ano. O Comandante de OPM deverá remeter a Diretoria de Pessoal a ficha disciplinar e folhas de alterações dos policiais militares transferidos para inatividade, falecidos ou licenciados. O Comandante de OPM deverá remeter a ficha disciplinar atualizada do policial militar para a Unidade em que o mesmo foi transferido, no momento de sua apresentação na referida OPM. O Comandante de OPM deverá remessa semestralmente (10 Jan e 10 JUL) o Pecúlio dos PM, utilizando o programa EXCEL, contendo: (nome completo, nome de guerra, endereço atualizado, CPF, dependentes com grau de parentesco e data do nascimento). 3.8 - BASE DOS VENCIMENTOS E VANTAGENS DO POLICIAL MILITAR: 3.8.1 - SOLDO: É a parte básica dos vencimentos, inerentes ao posto ou Graduação do policial militar na ativa (Lei Estadual nº 4.491/ 73). 3.8.2 - REPRESENTAÇÃO POR GRADUAÇÃO: Destina-se atender despesas extraordinárias decorrentes de compromissos de ordem social ou profissional, inerentes à apresentação e ao bom desempenho de atividade ou determinadas condições quando no efetivo desempenho de suas obrigações, calculada sobre o soldo do próprio posto ou graduação (80, 60, 50, 45, 40, 35 e 30% - Dec. nº 4.490 / 86): a) 80% - Comandante Geral b) 60% - Oficial Superior

21 c) 50% - Oficial Intermediário d) 45% - Oficial Subalterno e) 40% - Aspirante a Oficial f) 35% - Subtenente e Sargento g) 30% - Aluno Oficial e Integrante da Banda de Música h) 30% - Cabos e Soldados 3.8.3 - RISCO DE VIDA: É Calculado o percentual de 50% sobre o soldo para todos os policiais militares (50%.- Art. nº 48 II, Const. Estadual). 3.8.4 - GRATIFICAÇÃO DE HABILITAÇÃO POLICIAL MILITAR: É devida por cursos realizados com aproveitamento em qualquer posto ou graduação nos seguintes percentuais (20, 30, 40 e 50% - Dec. nº 2.940 / 83): a) 50% - Curso Superior de Polícia b) 40% - Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais, Sargentos ou equivalente; c) 30% - Curso de Especialização de Oficiais, Sargentos ou equivalente; d) 20% - Curso de: 1) Formação de Oficiais; 2) Formação de Sargento; 3) Formação de Cabos; 4) Especialização de Soldados; 3.8.5 - GRATIFICAÇÃO DE SERVIÇO ATIVO: É devido ao Policial Militar pelo efetivo desempenho de atividades específicas de seu Corpo ou Quadro e é compreendido em dois tipos(20 e 30% - Dec. nº 3.266 / 84): a) Tipo I - Percentual de 30% - É devido ao PM que serve em Unidade de Tropa ou em Estabelecimento de Ensino ou Instrução Policial Militar; b)Tipo II - Percentual de 20% - É devido ao Policial Militar no desempenho de funções policiais militares que não se enquadrada no item anterior.

22

3.8.6 - GRATIFICAÇÃO LOCALIDADE ESPECIAL: É devido ao Policial Militar que servir em regiões inóspitas, seja pelas condições precárias de vida, seja pela insalubridade, sendo classificada em três Grupos (20, 30, 40% - Dec. nº 1.461 / 81): a) Categoria “A” – 40% do Soldo; b) Categoria “B” – 30% do Soldo; c) Categoria “C” – 20% do Soldo. 3.8.7 - AUXÍLIO MORADIA: É devido ao Policial Militar para indenização mensal de sua moradia, quando não houver imóvel sob responsabilidade do Estado ou da Corporação disponível para si e seus dependentes, e tem duas bases de cálculo sobre o Soldo(10 e 30% - Dec. nº 2.490 / 83): a) 30% - Quando o policial militar possuir dependentes; b) 10% - Quando o PM não possuir dependente. 3.8.8 - INDENIZAÇÃO DE TROPA: É fixado em 10% sobre o soldo do respectivo Posto ou Graduação, devido aos Policiais Militares em efetivo serviço nas Organizações Policiais Militares da PMPA, executoras diretas de encargos ou missões operacionais de apoio logístico ou de instrução de tropa (10% - Dec. nº 2696 /83). 3.8.9 - GRATIFICAÇÃO ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO: É devido ao policial militar por qüinqüênio de tempo de serviço prestado. O policial militar tem direito a receber esta gratificação no porcentual de 5% (Cinco por cento) a cada cinco anos de efetivo serviço prestado com incidência sobre o soldo de seu posto ou graduação e demais vantagens(Art. 20 Lei 4.491 de 28.11.73).

23 3.8.10 - ADICIONAL DE FÉRIAS: Refere-se ao gozo anual de férias remunerada com um percentual de 33,33% do total dos vencimentos (Art. 31, XI, Constituição Estadual). 3.8.11 - ABONO SALARIAL: Implantado nos vencimentos dos Policiais Militares, com os seguintes valores (Art. 31 Inciso II, Constituição Estadual): a) Oficiais – R$ 360,00 b) Praças - R$ 360,00

3.9 - FOLHA DE PAGAMENTO 3.9.1 - MANUTENÇÃO: A manutenção da folha de pagamento envolve o cumprimento de prazos para remessa das planilhas a SEAD em grupos de operações realizadas por aquele órgão compreendendo um prazo menor e a operacionalização realizada pela Diretoria de Pessoal num prazo maior de mais ou menos 10 (dez) dias. 3.9.2 - TRÂMITE DE REQUERIMENTO: Os requerimentos deverão dar entrada primeiramente no protocolo da OPM de origem do requerente, de onde, depois de analisado e deferido deverá seguir seu trâmite para a Diretoria de Pessoal para solução final; Os requerimentos para pagamento de valores retroativos (ressarcimentos) deverão tramitar primeiramente na OPM para instrução processual, principalmente para elaboração da folha suplementar, sem a qual não poderá ser remetida a SEAD. 3.9.3 - PRAZOS PARA ENTREGA DO FINANCEIRO Para eficácia na manutenção da folha de pagamento, o movimento financeiro mensal das OPM deverá ser entregues no protocolo da Diretoria de Pessoal cumprindo rigorosamente os prazos previamente estabelecidos para

24 este ano, de acordo com a seguinte tabela (BG nº 227, de 15 de dezembro de 2004). MESES JANEIRO / 2005 FEVEREIRO / 2005 MARÇO / 2005 ABRIL / 2005 MAIO / 2005 JUNHO / 2005 JULHO / 2005 AGOSTO /2005 SETEMBRO /2005 OUTUBRO / 2005 NOVEMBRO / 2005 DEZEMBRO / 2005 JANEIRO / 2006 DIA DE ENTREGA 08 DEZEMBRO/2004 15 JANEIRO/2005 16 FEVEREIRO/2005 15 MARÇO/2005 15 ABRIL/2005 14 MAIO/2005 15 JUNHO/2005 15 JULHO/2005 16 AGOSTO/2005 16 SETEMBRO/2005 11OUTUBRO/2005 25 NOVEMBRO/2005 08 DEZEMBRO/2005

3.9.4 - PREENCHIMENTO DE PLANILHAS DE MANUTENÇÃO Os Tesoureiros das OPM deverão procurar a DP-3 para esclarecimentos sobre os diversos procedimentos exigidos pela SEAD para manutenção da folha de pagamento da PMPA, com vistas ao menor numero de falhas na operacionalização do financeiro de sua OPM; 3.9.5 - FONTE DE ESCLARECIMENTOS DO FINANCEIRO Para esclarecimentos sobre folha de pagamento, erros de contracheques, descontos, pagamento de adicionais de férias, etc., o policial militar deverá procurar a tesouraria de sua OPM, e esta, dirimir tais dúvidas na DP-3; 3.9.6 - DETERMINAÇÃO JUDICIAL PARA DESCONTO DE PENSÃO As Unidades da Capital e do Interior do Estado, ao receberem ofício da Justiça determinando descontos de Pensão Alimentícia ou determinação transcrita em Boletim Geral, deverão solicitar da representante legal do menor cópia do CPF, Carteira de Identidade, Comprovante de Residência, Certidão de Nascimento da criança, anexando Certidão a Ficha de de Casamento Declaração ou Nascimento da Representante, de Dependentes,

25 devidamente preenchida, remetendo imediatamente esses documentos à Diretoria de Pessoal, a fim de serem remetidos à SEAD para implantação do desconto em folha de pagamento. No caso de dificuldades no cumprimento das exigências da SEAD, deverão remeter de imediato à DP o ofício da Justiça, informando à autoridade judiciária sobre as dificuldades, e continuar diligenciando na busca desses documentos para remessa posterior; 3.9.7 - TEMPO DE SERVIÇO E MOVIMENTAÇÃO FUNCIONAL Os Tesoureiros deverão observar a diferença entre Gratificação por Tempo de Serviço (Qüinqüênio), e alteração de Cargo Nível (Movimentação Funcional), a fim de evitar falha na manutenção do financeiro dos Soldados da OPM, pois são movimentos diferenciados, remetendo nesses casos a Planilha de Movimentação (Cargo Nível), devidamente preenchida, juntamente com a cópia do Boletim Interno que publicou a concessão; 3.9.8 - PLANO DE FÉRIAS Os Planos de Férias remetidos pelas OPM para a Diretoria de Pessoal no final de cada exercício, visa a elaboração do Plano Geral de Férias para saque do adicional de férias no ano seguinte. Portanto, deve ser observado pelo Tesoureiro que o policial militar movimentado após esse envio, não deve alterar o pagamento de seu adicional de férias, que começa a ser efetuado no mês de dezembro do ano em curso e termina no mês de novembro do ano subseqüente; 3.9.9 - TESOURARIA COMO ORIENTADORA - Os Tesoureiros das Unidades da Capital e do Interior do Estado deverão orientar os policiais militares do efetivo na resolução dos problemas de manutenção financeira de sua OPM, evitando assim que estes procurem diretamente a Diretoria de Pessoal (DP-3); 3.9.10 - HABILITAÇÃO DE BENEFICIÁRIO

26 - Os Tesoureiros das Unidades da Capital e do Interior deverão orientar os policiais militares de seus efetivos a fazerem declaração de seus dependentes e de habilitação de beneficiário, para retirada de contra-cheques em caso de morte, documento necessário para solicitação de INDENIZAÇÃO no IPASEP e PENSÃO POLICIAL MILITAR no IGEPREV, declarações que deverão ser publicadas em Boletim Interno da OPM, e remetidos à Diretoria de Pessoal, a fim de serem encaminhados a SEAD para atualização de cadastro; 3.9.11 - FALECIMENTO DE POLICIAL MILITAR - Os Comandantes das Unidades da Capital e do Interior do Estado, nos casos de falecimento de policial militar em seu efetivo, em qualquer circunstância, tão logo tome conhecimento, deverão comunicar imediatamente a Diretoria de Pessoal através de ofício, anexando cópia da Certidão de Óbito, Certidão de Nascimento dos Dependentes e Certidão de Casamento ou Declaração de Beneficiário Habilitado, além de outros que achar conveniente, a fim de evitar problemas administrativos posteriores; 3.9.12 - CUIDADOS COM O CONTRA-CHEQUE Os Comandantes das Unidades da Capital e do Interior do Estado deverão orientar os policiais militares de seus efetivos a terem cuidados com seus contra-cheques por ser documento importante na identificação funcional e comprovação de renda, etc., e a fim de evitar os constantes pedidos no Financeiro da Diretoria de Pessoal para retirada de cópia do Relatório Analítico, que não tem essa finalidade, causando prejuízos ao andamento dos trabalhos de folha de pagamento. 3.9.13 - EXCLUSÃO DE POLICIAL MILITAR Os Comandantes das Unidades da Capital e do Interior do Estado deverão orientar os Tesoureiros a planilhar as exclusões do serviço ativo, tão logo publique em Boletim Geral, e remeta à Diretoria de Pessoal, a fim de ser

27 providenciada a retirada do policial militar excluído, da folha de pagamento da PMPA; 3.9.14 - TRANSFERÊNCIA A OPM de destino do policial militar deverá providenciar a planilha de Transferência e Ajuda de Custo se for o caso. 3.9.15 - PERCENTUAIS DE CURSO MILITAR OU EQUIVALENTE CSP, CAO, CAS, CFS, CFSD e Especialização, igual ou Superior a 05 meses, as tesourarias deverão alterar habilitação em: CSP ………….......…..........…….. 50%; CAO .………………................... 40%; CAS ………………...................…40%; CFS ………………...................…35%; Cursos de Formação...........…20%; Especialização …….......…...... 30%; 3.9.16 - PROMOÇÃO OU MUDANÇA DE CLASSE As tesourarias deverão alterar em planilha a situação funcional do policial militar anexando duas vias do boletim interno ou geral, fazendo a planilha separada da gratificação do adicional de tempo de serviço. 3.9.17 - ALTERAÇÃO DE DADOS PESSOAIS As tesourarias deverão preencher as planilhas com os dados pessoais para correção ou atualização anexando os documentos comprobatórios em duas vias. Alteração de estado civil (Solteiro(a), p/casado(a), desquitado(a), divorciado(a), viúvo(a) e outros; NOME, ENDEREÇO, PIS/PASEP, CPF, RG, DATA DE INCLUSÃO, DATA DE NASCIMENTO. 3.9.18 - AUXILIO FARDAMENTO

28 No caso de 04 (quatro) anos no mesmo posto ou graduação o policial militar enquadrado nessa situação deverá requerer ao Comandante de sua OPM que através da tesouraria deverá planilhar, anexando os comprovantes (BI ou BG) da concessão e remeter à DP para análise e operacionalização. 3.9.19 - PENSÃO ALIMENTÍCIA O desconto deverá ocorrer a partir da data da determinação judicial, porém, para implantação a SEAD exige cópias em duas vias dos seguintes documentos: DETERMINAÇÃO JUDICIAL, CERTIDÃO DE CASAMENTO OU NASCIMENTO 2004). DA PENSIONISTA, IDENTIDADE, CPF, COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA e CERTIDÃO DOS DEPENDENTES (BG n° 019, de 29 de janeiro de

3.9.20 - REINTEGRAÇÃO DE EX-POLICIAL MILITAR Os Comandantes das Unidades da Capital e do Interior do Estado deverão orientar os Tesoureiros de que para reingresso de policial militar na Corporação, faz-se necessária a apresentação na Diretoria de Pessoal, por exigência da SEAD, dos seguintes documentos em duas vias: CERTIDÃO DE NASCIMENTO, CARTEIRA DE RESERVISTA, COMPROVANTE DE ESCOLARIDADE, IDENTIDADE CIVEL e MILITAR, CPF, TÍTULO DE ELEITOR e COMPROVANTE DA ÚLTIMA ELEIÇÃO, CERTIDÃO DE NASCIMENTO DOS DEPENDENTES, EXTRATO DE PARTICIPAÇÃO NO PASEP, COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA, MANIFESTO DA PROCURADORIA GERAL DO ESTADO NOS CASOS DE LIMINAR OU SENTENÇA JUDICIAL E BOLETIM GERAL DE PUBLICAÇÃO DA PORTARIA DE REINGRESSO. 3.9.21 - AJUDA DE CUSTO A Ajuda de Custo será paga nos casos de transferência por necessidade do serviço e está prevista na Lei n° 4.491/73 Art. 40 e será igual ao valor correspondente ao soldo do posto ou graduação do policial militar quando não

29 possuir dependentes e duas vezes o valor do soldo do posto ou graduação quando possuir dependente expressamente declarado, que efetivamente o acompanhar ao novo domicílio. 3.9.22 - AUXÍLIO UNIFORME: O Auxílio aquisição de Uniforme será pago por conclusão de curso, promoção e/ou pelo Art. 80 da Lei n° 4.491/73 quando o policial militar permanecer por mais de 04 (quatro) anos no mesmo posto ou graduação. 3.9.23 - AUXÍLIO MORADIA: A majoração do Auxílio Moradia do percentual de 10 para 30% (trinta por cento) é concedido pelo Comandante da OPM do policial militar, após publicação em Boletim Interno da declaração de dependente cuja comprovação deverá ser remetida no movimento financeiro para atualização cadastral. 3.9.24 - DADOS PESSOAIS e PASTA FUNCIONAL DO SERVIDOR: Os Comandantes de OPM da Capital e Interior deverão desenvolver um trabalho de atualização cadastral em sua própria OPM utilizando ficha contendo dados cadastrais de todos os Oficiais e Praças integrantes de seu efetivo, juntando em uma pasta para arquivo todos os comprovantes desses dados, devendo ainda observar que no decorrer do tempo as alterações sejam efetivadas, informando à Diretoria de Pessoal a cada passo em forem se verificando, bem como remetendo cópia do Boletim Interno que deu legalidade no caso de vantagem ou declaração de dependentes anexando os documentos comprobatórios, como: certidão de nascimento, certidão de casamento ou equivalente, etc. 3.10 - RECURSOS DO PIS/PASEP: A partir de 05 de outubro de 1988, a arrecadação passou a ser de competência do Departamento da Receita Federal, conforme Portaria nº 326, de 01 OUT 88, do Ministério da Fazenda.

30 O mecanismo do Programa PIS/PASEP consista ao final de cada exercício, entre os servidores das entidades vinculadas aos programas, as contribuições arrecadadas. Todavia, de acordo com o artigo 239 da Constituição da República promulgada em 05 de outubro de 1988, a arrecadação decorrente das contribuições para o PIS/PASEP, passou a custear o Programa do SeguroDesemprego e o abono salarial anual. Assim, a partir de 1990 deixou de existir o crédito da distribuição de recursos nas contas dos participantes. 3.10.1 - QUEM TEM DIREITO AO ABONO PIS/PASEP? O trabalhador (civil/militar), que estiver cadastrado no programa PIS/PASEP, há pelo menos cinco anos, que tenham percebido no ano-base remuneração média mensal igual ou inferior a dois salários mínimos vigentes, durante os meses do ano-base, e que tenham trabalhado no mínimo trinta dias no período, desde que corretamente informados na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Anualmente, em período fixado pelo Conselho Diretor do Fundo de participação PIS/PASEP, é facultado ao participante o saque dos rendimentos creditados em sua conta, já atualizados monetariamente, e, quando houver, resultado líquido adicional. 3.10.2 - MOTIVO DO SAQUE DO MONTANTE - Transferência para a reserva. - Reforma. - Vítima de AIDS (Lei nº 7670/88). - Falecimento. 3.11 – PROGRAMA VOLUNTÁRIOS CIVIS Os Comandantes de OPM da Capital e Interior deverão obedecer, para fins de inclusão de novos Voluntários, o que prescreve o Decreto nº 1297, de 18 de outubro de 2004, publicado em BG nº 192, de 21 de outubro de 2004.

31 A inclusão somente será efetivada após a autorização expressa da Diretoria de Pessoal. As exclusões de voluntários civis dar-se-ão conforme prescrito no Decreto, ou mediante expressa solicitação do Cmt da OPM, toda vez que o Voluntário deixar de atender as necessidades inerentes a atividade desempenhada pelo voluntário. 3.12 - CPO E CPP Os Comandantes de OPM da Capital e Interior deverão remeter a Comissão de Promoção de Oficiais (CPO) e a Comissão de Promoção de Praças (CPP), a documentação abaixo relacionada, de acordo com as datas estabelecidas em LEI.

3.12.1 - OFICIAIS (LEI Nº 5249, de 29 de julho de 1985) - Cópia das Folhas de Alterações atualizadas; - Copia da punição publicada em Boletim Interno da OPM; - Ficha de Informações. 3.12.2 - PRAÇAS (LEI Nº 5250, de 29 de julho de 1985) - Cópia das Fichas Disciplinares atualizadas - Ficha de Conceito 4 – CONDIÇÕES PARA PUBLICAÇÕES: 4.1 - NA CONFECÇÃO DE NOTAS P/ BG: 4.1.1 - Averbação de tempo de serviço: LICENÇA ESPECIAL: Art. 133, Inciso IV e § 2º Lei nº 5251/85 (ESTATUTO) FÉRIAS: Art. 133, Inciso V e § 2º Lei nº 5251/85 (ESTATUTO) TEMPO DO INSS: Art. 133, Inciso II e § 2º Lei nº 5251/85 (ESTATUTO)

32 4.1.2 - Tempo averbado anteriormente diferente do Tempo apresentado na Certidão atual. 4.1.3 TEMPO DAS FORÇAS ARMADAS: Art. 132, § 1º, Inciso I Lei nº 5251/85 (ESTATUTO). - Tempo de serviço averbado anteriormente; - Tempo de serviço averbado anteriormente diferente do Tempo apresentado na Certidão atual. - Documento anexo, não se encontra autenticado em cartório; 4.1.4 - Transferência por interesse próprio: - Sem que o policial militar tenha cumprido o tempo mínimo na OPM: Art. nº 18 Decreto nº 2400, 13 AGO 82 – Lei de Movimentação. - Oficiais: 03 anos // Praças: 04 anos

4.2 NA CONFECÇÃO DE PORTARIAS P/BG: 5.1 - LICENÇA ESPECIAL: Art. nº 70, § 1º letra a c/c Art. nº 71 § 1º Lei nº 5251/85 (ESTATUTO): O período solicitado já foi concedido em BG anteriormente.

LUIZ DÁRIO DA SILVA TEIXEIRA - CEL QOPM RG 9017 DIRETOR DE PESSOAL

33

34 ANEXOS MODELO DE FICHA DE DADOS CADASTRAIS

POLÍCIA MILITAR DO PARÁ COMANDO GERAL * DIRETORIA DE PESSOAL DADOS CADASTRAIS PARA PASTA FUNCIONAL NOME: POSTO/GRAD: RG: ÓRGÃO EXPEDIDOR: ID. FUNCIONAL DATA DE INCLUSÃO: CPF: GRUPO SANGUÍNEO: DATA DE NASCIMENTO: CIDADE DE NASCIMENTO: FILIAÇÃO: PAI: MÃE: ESTADO CIVIL NACIONALIDADE DATA DE RECADASTRAMENTO TÍTULO DE ELEITOR: ZONA: CARTEIRA DE HABILITAÇÃO CAT: CERTIDÃO DE NASC/CASAMENTO: ENDEREÇO: CIDADE: BAIRRO: TELEFONE: BANCO-AGÊNCIA-NÚMERO DA CONTA CORRENTE PIS/PASEP: ESCOLARIDADE: DEPENDENTE E GRAU DE PARENTESCO: 1. 2. 3. 4. 5. SEXO:

SEÇÃO: VAL:

35
GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESPECIAL DE ESTADO DE DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR * COMANDO GERAL DIRETORIA DE PESSOAL
Exmº/Ilmº Sr. ______________________________________________________________________________ (Cargo do Titular do Órgão) IDENTIFICAÇÃO

Nome Completo: ______________________________________________________ Endereço: __________________________________________ Fone: ____________ Bairro: _________ Município: _________ CEP: _________ Posto/Graduação: ___________________ RG: __________ Matrícula: _______________ Inclusão: ____________
PMPA LOTAÇÃO
Órgão:

Unidade:

VEM REQUERER QUE SEJA CONCEDIDO ASSUNTO: Justificar a solicitação: _____________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________ Em ____ / _________ / ________ __________________________________________ (Assinatura do Requerente)

ANEXOS:
DATA MOVIMENTO DO DOCUMENTO DESTINO DATA DESTINO

36

(VERSO) Informação nº _____/P-1/OPM Outros dados do requerente: ________________________________________________ Filiação: PAI: ____________________________________________________________________ MÃE:____________________________________________________________________ SITUAÇÃO NA OPM:_____________________________________________________ ESTÁ SUBJUDICE: _______________________________ COMPORTAMENTO: ________________________
__________________________________________________________
FA O Á E V R V L P arecer d C an ante d O M o om d a P N OF V R V L Ã A O Á E ___________________________
(A S A U A D C T) S IN T R O M

_

Justificativ a : ____________________________________________________________ _______________________________________________________________________ ___________________________________________________________________

____

UTILIZADO PARA INFORMAÇÃO DA DIRETORIA DE PESSOAL INFORMAÇÃO DP/___. ASSUNTO: ________________________________________________ NOME: ___________________________________________________ POSTO/GRADUAÇÃO: ______RG: __ INCLUSÃO: ____/____/_______ OPM: __________________________________. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ DATA DA INFORMAÇÃO: _____/_____/________. INFORMANTE: ____________________________ VISTO: ______________________

37 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESPECIAL DE ESTADO DE DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR * COMANDO GERAL DIRETORIA DE PESSOAL

DECLARAÇÃO DE DEPENDÊNCIA ECONÔMICA

Eu, _______________________________________________________, declaro para fins de ATUALIZAÇÃO DE CADASTRO que as pessoas abaixo relacionadas vivem sob minha inteira dependência econômica, estando ciente de que em caso de falsidade nestas informações estarei sujeito às penalidades previstas em Lei.

NOME

PARENTESCO

NASCIMENTO

Belém-PA, _____ de _____________ de ________.

__________________________________________________ DECLARANTE

38 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESPECIAL DE ESTADO DE DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR * COMANDO GERAL DIRETORIA DE PESSOAL

DECLARAÇÃO DE DEPENDÊNCIA PARA ABATIMENTO EM IMPOSTO DE RENDA

Eu, _______________________________________________________, declaro para fins de abatimento em IMPOSTO DE RENDA que as pessoas abaixo relacionadas vivem sob minha inteira dependência econômica, estando ciente de que em caso de falsidade nestas informações estarei sujeito às penalidades previstas em Lei.

NOME

PARENTESCO

NASCIMENTO

Belém-PA, ______ de _____________ de _________.

__________________________________________________ DECLARANTE

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->