Você está na página 1de 1

Igreja em Quinta do Conde

A história de William COLGATE

Oscar Lowry conta a seguinte história no seu livro The Sin We’re Afraid To Mention [O Pecado Que Receamos
Mencionar]: «Há já muito tempo, um rapaz de 16 anos deixou a sua casa para procurar fortuna. Levando consigo
todos os haveres num pequeno embrulho, dirigiu-se por um caminho ao longo dum canal para uma grande cidade.

À medida que por aí caminhava, encontrou um velho vizinho, capitão dum barco do canal, e entabularam conversa da
seguinte maneira: «Olá William, então aonde vais?» «Não sei - respondeu o rapaz - O meu pai é pobre de mais para
me poder sustentar por mais tempo e diz que agora eu devo ganhar para mim.» «Não te importes com isso - ajuntou o
capitão - Certifica-te de que começas bem, e continuarás optimamente.» O rapaz contou ao seu amigo que o único
ofício de que sabia alguma coisa era o do fabrico de sabão e velas, no qual ajudava o seu pai, quando se encontrava em
casa.

«Então — disse o velhote — oremos juntos novamente, eu dar-te-ei um pequeno conselho e deixar-te-ei
depois partir.» Ajoelharam ambos naquele caminho e o homem orou fervorosamente por William e deu-lhe depois o
seguinte conselho: «Alguém será brevemente o principal fabricante de sabão em Nova Iorque. Tanto podes ser tu
como outra pessoa qualquer. Espero que o sejas tu. Sê um bom homem; dá o teu coração a Jesus; dá ao Senhor o
que Lhe pertence de cada escudo que ganhares; fabrica o sabão honestamente; não roubes no peso e tenho a certeza
de que ainda chegarás a ser um homem rico e bom.»

Ao chegar à grande cidade, sem casa nem amigos, lembrou-se destas palavras de despedida e do conselho. Foi levado
por elas a entregar-se a Cristo e a unir-se a uma igreja.

Os primeiros escudos que ganhou, fez-lhe chamar a atenção para o assunto exposto pelo velho capitão. Procurou na
Bíblia e viu que se exigia aos Judeus que contribuíssem com um décimo. «Se o Senhor receber um décimo, dá-lo-ei»,
disse ele, e assim fez. Acostumou-se a isto durante a sua longa vida. Um tostão de cada escudo era «sagrado perante o
Senhor».

Alguns anos depois William tornou-se sócio no negócio e mais tarde o único dono. Foi maravilhosamente abençoado.
Então começou a dar dois décimos, tornou-se ainda mais rico e começou a dar três décimos, aumentando depois para
cinco. Educou a sua família, estabeleceu planos para a sua vida e disse ao Senhor que Lhe daria todo o seu rendimento.
Prosperou mais do que nunca. As escolas que agora usam o seu nome são monumentos à sua benevolência.

Esta é a história verdadeira do Sr. William Colgate que deu milhões de escudos para a causa de Deus e deixou um nome
que nunca morrerá. Os produtos com este nome são bem conhecidos em Portugal e em todo o mundo.

Magnus Foreid

http://www.iqc.pt Produzido em Joomla! Criado em: 9 July, 2010, 03:35