P. 1
disciplina

disciplina

|Views: 3.934|Likes:
Publicado porVolmir J. Bulegon

More info:

Published by: Volmir J. Bulegon on Jul 24, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/05/2013

pdf

text

original

Sections

No bloco anterior começamos a trabalhar as operações de compras e vendas de
mercadorias. Ao realizar estas operações as empresas necessitam desenvolver métodos para
controlar os seus estoques. Para isto existe o sistema de inventário.

Antes de iniciarmos o nosso estudo sobre o sistema de inventário periódico, para melhor
compreensão vale relembrar as funções de algumas contas que serão utilizadas. Vamos lá?

Palavras ou expressões Significado

Abatimentos sobre
compra de mercadorias

A fim de evitar os possíveis prejuízos decorrentes de
devoluções de mercadorias em desacordo com o pedido, o
cliente pode entrar em acordo com o fornecedor e obter do
mesmo o desconto das mercadorias adquiridas. Geralmente
os abatimentos decorrem de perda por deterioração parcial
ou total de mercadorias, defeitos técnicos, prazo de entrega e
qualidade do produto.

Aceite de duplicatas

Reconhecimento da autenticidade da dívida por parte do
cliente – sujeito que assina a duplicata. Em caso de não
reconhecer a dívida, o cliente não deve dar o seu aceite por
meio da assinatura.

Comércio atacadista

Tipo de comércio em que a aquisição das mercadorias é
realizada diretamente do produtor ou de outros comércios
atacadistas para que sejam enviadas ao consumidor final ou a
outro atacadista.

Comércio varejista

Realiza a mediação da mercadoria entre atacadista ou
produtor diretamente ao consumidor final com habitualidade

Contabilidade Geral | 25

e fins lucrativos. Assim, um supermercado, por exemplo, é
uma empresa comercial varejista.

Compra ou Aquisição de
mercadorias

Operação na qual a empresa mercantil adquire a propriedade
sobre bens materiais, os quais são denominados mercadorias,
para revenda.

Consignação

Transação na qual uma empresa emite mercadorias de sua
propriedade para que outra empresa realize a
comercialização das mesmas, obtendo, pela prestação do
serviço, uma comissão. Desta forma a empresa que recebe a
comissão tem uma receita, a qual é denominada comissão
ativa, enquanto a entidade que é proprietária das
mercadorias tem uma comissão passiva, ou seja, uma despesa
de vendas.

Desconto Condicional
ou Financeiro

Este tipo de desconto decorre de análises do setor financeiro
em parceria com a administração geral da empresa. O
desconto condicional é criado de acordo com a política de
crédito da empresa e, em geral, busca viabilizar algum
objetivo financeiro maior a partir da mudança de
comportamento dos clientes. Portanto, é estabelecido para
todos os clientes em determinado período de tempo.

Desconto Incondicional
ou Comercial

Como o próprio nome designa, o desconto incondicional é
aquele realizado sem o preestabelecimento de uma condição
por parte do fornecedor. Em regra, ele se dá por causa do
volume de mercadorias adquiridas, para manter a fidelidade
de um bom cliente, também conhecido como cliente
preferencial, ou interesse de realizar promoção para que o
produto tenha maior saída ou que o mesmo se torne mais
conhecido, dentre outras promoções.

Devolução de
mercadorias

Transação na qual as mercadorias adquiridas regressam para
o fornecedor. A devolução de uma mercadoria adquirida é
possível quando ela não está de acordo com pedido
realizado.

Duplicata

É um título de crédito utilizado em comercializações cujo
recebimento se dá a prazo. A entidade emissora da duplicata
é o credor, enquanto aquele que a aceita é o devedor.

Fatura

Documento comercial que comprova as vendas efetuadas a
prazo ao mesmo cliente e que, portanto, pode englobar uma
ou mais notas fiscais. A finalidade precípua da fatura é
informar ao cliente a relação das notas fiscais a fim de que ele
possa conferir as notas fiscais a prazo e as receptivas datas ou
data de pagamento, já que este será realizado em menos de
30 dias.

Imposto “por dentro”

Chama-se de imposto “por dentro” aquele já embutido no
valor da operação. O ICMS – Imposto sobre Circulação de
Mercadorias e Serviços - é um exemplo de imposto “por
dentro”.

Imposto “por fora”

Denomina-se imposto “por fora” aquele que não está
embutido no valor da operação. O IPI (Imposto sobre Produto
Industrializado) é um exemplo de imposto “por fora”.

26 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Inventário

Levantamento físico das unidades em estoque, que é
demonstrado por um documento contábil que mostra toda a
movimentação de estoques de mercadorias, ou seja, entradas
por aquisição, transferência ou consignação, e saídas por
devolução vendas, transferência e ou consignação. Assim, um
inventário pode ser periódico, quando é feito num período de
tempo delimitado pela empresa, ou permanente, quando o
controle de estoque é contínuo, ou seja, a cada
movimentação há adição ou diminuição do valor do estoque.

Mercadoria

Bem comprado por um estabelecimento comercial - de um
produtor ou atacadista – com o objetivo de revenda.

Nota Fiscal

Documento emitido quando ocorre qualquer movimentação
de mercadoria (venda, devolução, transferência, consignação,
dentre outras). Empresas que prestam serviços também
devem emitir nota fiscal, entretanto, se a empresa for
comercial varejista, ela poderá optar pela emissão do Cupom
Fiscal – documento que tem a mesma validade da nota, mas é
emitido automaticamente por máquina apropriada.

Nota Fiscal - Fatura

Documento utilizado para evitar o trabalho do faturamento
depois da emissão da fatura, já que ele é, ao mesmo tempo,
uma nota fiscal e uma fatura.

Venda de mercadorias Transferência do direito de propriedade de um bem material,
adquirido de um fornecedor, ao seu cliente, que pode ser um
consumidor final ou um varejista.

Ferrari (2002)

Antes de iniciarmos o estudo sobre o sistema de inventário periódico, vamos fazer uma
retrospectiva para melhor compreender os sistemas de inventários?

Nos meados do século XVIII as grandes indústrias não existiam e, neste cenário, a
contabilidade de custos era voltada para o comércio e não para a indústria. Desta forma, os
custos eram calculados periodicamente, pelo menos na época da elaboração do Balanço
Patrimonial.

Para calcularmos os custos poderíamos usar uma fórmula, com a ajuda da qual eram
calculados os custos, pois não havia inventários permanentes de estoques.

Como dito no material impresso, o inventário periódico é utilizado quando não há um
controle contínuo das mercadorias existentes em estoque. Periodicamente será realizado um
levantamento físico das mercadorias, com a finalidade de apurar o estoque final, tendo em vista
necessidade de apresentação deste valor no Balanço Patrimonial.

Por este critério o custo das mercadorias vendidas é apurado por dedução, ou seja,

utilizamos a seguinte fórmula:

CMV= EI + C - EF

Contabilidade Geral | 27

Devemos saber:

CMV = Custo da Mercadoria Vendida
EI = Estoque Inicial
C = Compras

Diante do apresentado, temos o Custo da Mercadoria Vendida como o resultado da
subtração do estoque final (apurado a partir do levantamento físico) do valor total das
mercadorias disponíveis para venda (estoque inicial + compras).

Com a adoção do sistema de inventário periódico as empresas passam a elaborar o
inventário físico das mercadorias somente no final de um período, assim o resultado operacional
bruto (Resultado Com Mercadorias - RCM) só será conhecido no final desse período. Vale
ressaltar que, no momento da contagem física do estoque, deve ser atribuído a este, como valor
unitário das mercadorias, o custo das últimas entradas.

Na contabilização das operações do estoque pelo inventário periódico cabe retomar os
métodos para a escrituração: Conta Mista de Mercadorias ou Conta Desdobrada de Mercadorias.
Lembrando que a Conta Mista foi explanada e exemplificada no material impresso, vamos
trabalhar no AVA com a Conta Desdobrada!

A Conta Desdobrada

O Inventário Periódico por contas desdobradas consiste em desdobrar a conta de
Estoque de Mercadorias em tantas quantas forem necessárias para a contabilização isolada de
cada tipo de fato que envolva as operações com mercadorias. Basicamente, as contas são três:

estoque de mercadorias (patrimonial)
compras (resultado)
venda (resultado)

Para que possamos comparar os dois métodos por conta mista (disponível no material
impresso) e contas desdobradas (na situação a seguir), vamos utilizar o mesmo exemplo.

1ª Situação:

Temos os seguintes dados

Estoque Inicial = R$ 23.000,00
Compras no período, a prazo = R$ 104.500,00
Venda à vista = R$ 150.000,00
CMV = (?) Vamos apurar
Estoque Final (levantamento físico) = R$ 22.500,00
RCM = (?) Vamos apurar

Vamos para a contabilização?

Pelo Estoque Inicial (EI), cujo valor corresponde ao final do período anterior = R$

23.000,00, temos:

28 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Iremos registrar as aquisições em uma Conta Desdobrada, “Compras”, conta de resultado
que, na apuração, será encerrada com a conta CMV.

Conta de Resultado

Compras

a) 104.500,00

No método da Conta Desdobrada de Mercadorias o lançamento das vendas não difere
muito do método das Contas Mistas.

Realizada a venda, vamos partir para a apuração do Custo da Mercadoria Vendida. Para
tanto, não podemos esquecer o levantamento físico do estoque final, cujo valor apurado foi de
R$ 22.500,00.

Retomando a fórmula, temos que:

CMV = EI + C – EF
CMV = R$ 23.000,00 + R$ 104.500,00 - R$ 22.500,00
CMV = R$105.000,00

Ativo Circulante

Estoque de Mercadorias

S

23.000,00

Passivo Circulante

Fornecedores

104.500,00 a)

Ativo Circulante

Caixa

b) 150.000,00

Conta de Resultados

Vendas à Vista

150.000,00 b)

Ativo Circulante

Estoque de Mercadorias

S 23.00,00 23.000,00

c)

d) 22.500,00 0

Conta de Resultados

Compras

Saldo 104.500,00 104.500,00 e

0

0

Conta de Resultados

Custo da Mercadoria Vendida

c)

23.000,00 22.500,00

d)

104.500,00
105.000,00

Contabilidade Geral | 29

Observe que na conta “Estoque de Mercadorias” foi registrado apenas o valor dos

estoques inicial e final.

Na apuração do Resultado Com Mercadorias (RCM) teremos o mesmo efeito:

RCM = V – CMV

Em que,
V = Vendas
CMV = Custo da Mercadoria Vendida
Assim, RCM = R$ 150.000,00 – R$ 105.000,00 = R$ 45.000,00

Conta de Resultados

Vendas

e)

150.00,00 150.000,00 S

0

0

Para apurar o Resultado Com Mercadoria basta encerrar o saldo das contas Receita de

Venda e CMV com a conta RCM.

Vale ressaltar que o Inventário Periódico por Contas Desdobradas é pouco utilizado. O
método mais utilizado é o das Contas Mistas!

Sites recomendados:

- http://www.cfc.org.br/
- http://www.classecontabil.com.br/
- http://www.cvm.gov.br/
- http://www.eac.fea.usp.br/
- http://www.fipecafi.com.br/
- http://www.marion.pro.br/portal/modules/tinycontent/?id=1
- http://www.portaltributario.com.br/
- http://www.receita.fazenda.gov.br/
- http://www.redecontabil.com.br/
- http://www.teses.usp.br/

Conta de Resultados

Custo da Mercadoria Vendida

Saldo 105.000,00

105.000,00

f)

0

0

Conta de Resultados

RCM

f)

105.000,00 150.000,00 e)

45.000,00 S

30 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

2. SISTEMA DE INVENTÁRIO PERMANENTE: PEPS E UEPS E SUA CONTABILIZAÇÃO EM
RAZONETES

Pudemos notar, com o estudo do tópico anterior, que o sistema de inventário
permanente era utilizado principalmente por existir uma necessidade grande de controles
periódicos dos estoques. No entanto, com a Revolução Industrial, surgiram as produções em
série e em escalas cada vez maiores. Diante deste fato, foram sendo desenvolvidas técnicas para
cálculo de custos.

Assim, os inventários deixaram de ser periódicos e tornaram-se permanentes,
significando que os registros de entradas e saídas de mercadorias passaram a ser evidenciadas a
cada nova operação, ou seja, a cada nova entrada e a cada nova saída. Foram três as técnicas
que surgiram e foram aperfeiçoadas.

Como apontado no material impresso, o inventário periódico difere do sistema de
inventário permanente, pois este último consiste em controlar permanentemente os estoques
de mercadorias efetuando os respectivos registros a cada compra ou devolução e a cada venda
ou devolução. Assim, como os estoques de mercadorias são mantidos atualizados,
freqüentemente as organizações podem apurar o resultado da conta Estoque de Mercadorias no
momento necessário.

Vale destacar que na aplicação deste sistema pode ser realizado um controle contínuo de
entradas e saídas de mercadorias do estoque. As operações de entradas e saídas são controladas
com o auxílio de Fichas de Estoque, as quais possuem quatros colunas (dentre elas a data) e três
destas colunas são subdivididas em mais nove colunas, assim dispostas: entrada (quantidade,
valor unitário e total); e saída (quantidade, valor unitário e total). Este método possui a
vantagem de estar sempre atualizado em relação ao saldo do estoque.

Para utilização do sistema de inventário permanente podemos contar com três critérios
diferentes
. Para vocês, quais são?

Contabilidade Geral | 31

Os critérios para avaliação possuem a seguinte denominação:

PEPS ou FIFO
UEPS ou LIFO
Média Ponderada Móvel

Para um aproveitamento maior, trabalharemos os três critérios separadamente, sendo
que, neste tópico, vamos conhecer os dois primeiros critérios de avaliação de estoque, o PEPS,
ou FIFO, e o UEPS, ou LIFO, com suas respectivas contabilizações. O critério da Média Ponderada
será visto no próximo item.

PEPS ou FIFO

A sigla PEPS significa Primeiro que Entra, Primeiro que Sai. Também é conhecida por
FIFO, iniciais da frase em inglês First In, First Out. Este sistema utiliza a seguinte técnica para dar
baixa nos estoques: são baixadas, do estoque de mercadorias, nos casos de vendas, a
mercadorias que foram compradas primeiro, ou seja, vendem-se ou consomem-se antes as
primeiras mercadorias adquiridas.

Vamos ver como isto funciona na prática?

1ª Situação: considerando as movimentações do mês de agosto de X1 da empresa Boas
Vendas,
vamos elaborar a Ficha de Estoque pelo método do PEPS e em seguida contabilizar os
fatos. Seguem as movimentações:

DATA

FATOS

01/08/X1 Saldo inicial de 10 unidades ao custo unitário de R$ 50,00
04/08/X1 Compra, a prazo, de 15 unidades, ao custo unitário de R$ 60,00
09/08/X1 Compra, a prazo, de 05 unidades, ao custo unitário de R$ 70,00
15/08/X1 Venda, à vista, de 28 unidades pelo preço de venda unitária de R$ 100,00

32 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Para elaboração da Ficha de Estoque, pelo critério PEPS, devemos observar:

• Inserir o saldo inicial (quando houver);
• A ordem cronológica (as data em que primeiro
ocorreram os eventos);
• Iniciar os lançamentos de forma individualizada, ou
seja, a quantidade de produtos e seus respectivos
preços devem ser mantidos separadamente;
• Na ocorrência de novas movimentações o saldo
anterior deve ser resgatado (quando necessário
ajustado);
• Na venda de mercadoria devemos retirar dos estoques
as primeiras mercadorias que entraram (somente no
critério PEPS
);
• Depois de concluídos todos os registros, finaliza-se o
preenchimento da ficha através da soma.

Depois destes primeiros passos, vamos à elaboração da ficha?

Observem que na venda dos 28 itens de mercadorias utilizamos inicialmente as 10
unidades do saldo, depois as 15 unidades da segunda compra, do dia 04/08/X1, e, por último
(para completar o total de 28 unidades vendidas), os 03 itens do estoque, referentes à aquisição
do dia 09/08/X1, com valor unitário de R$ 70,00. Neste critério, a Primeira mercadoria que Entrou
foi a que Primeiro Saiu, pois refere-se ao método PEPS!

Quant.

Valor
unitárioTotal Quant.

Valor
unitárioTotal Quant.

Valor
unitárioTotal

01/08/X1

10

50

500

04/08/X1

15

60

900

10
15

50
60

500
900

09/08/X1

5

70

350

10
15
05

50
60
70

500
900
350

15/08/X1

10
15
03

50
60
70

500
900
210

2

70

140

SOMA

20

1250

28

1.610

2

140

Entradas

Saídas

Saldos

FICHA DE ESTOQUE PEPS

Data

Contabilidade Geral | 33

Atenção!

Existem situações em que podem ocorrer devoluções, tanto de compra como de venda de
mercadorias.
As devoluções referentes às vendas recebidas dos clientes serão escrituradas
negativamente entre parênteses na coluna das saídas, o valor das devoluções recebidas
deverá ser o valor do custo da respectiva saída do estoque.
As devoluções de compras efetuadas aos fornecedores serão escrituradas negativamente
entre parênteses na coluna das entradas, o valor das devoluções efetuadas deverá ser o
valor do custo da respectiva entrada no estoque.
Desta forma, a soma das colunas entradas e saídas do controle de estoque representará o
valor das compras e vendas.

Agora vamos contabilizar em razonetes estas operações?

FATOS

LANÇAMENTOS

Saldo inicial de 10 unidades ao custo unitário de R$ 50,00

S

Compra, a prazo, de 15 unidades ao custo unitário de R$ 60,00

a)

Compra, a prazo, de 05 unidades ao custo unitário de R$ 70,00

b)
Venda, à vista, de 28 unidades pelo preço de venda unitário de R$ 100,00 c)

Ativo Circulante

Estoque de Mercadorias

S 500,00

1.610,00 c)

a) 900,00
b) 350,00

S 80,00

Conta de Resultado

Custo da Mercadoria Vendida

c) 1.610,00

Conta de Resultado

Receita de Vendas

2.800,00

c)

Passivo Circulante

Fornecedores

900,00

a)

2500,00

b)

Ativo Circulante

Caixa

c) 2.800,00

34 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Para iniciarmos o próximo assunto a ser estudado, vamos começar apurando o Resultado
Com Mercadorias (RCM)?

Sabemos que todo o desenvolvimento empresarial depende do bom empenho da
atividade mercantil. Por este motivo, faz-se necessária uma apuração periódica do Resultado
Com Mercadorias
(RCM).

Para melhor compreender o RCM devemos saber que as Vendas representam o total
faturado contra o cliente, independente da forma de pagamento, à vista ou a prazo. O Custo
das Mercadorias Vendidas
(CMV) é o valor de custo da mercadoria para a empresa.

Na apuração do Resultado Com Mercadorias deveremos confrontar todos os fatos que
afetam as compras e vendas, já referenciados em conteúdos anteriores a este módulo (na
disciplina Introdução à Contabilidade), e demonstrá-los, discriminadamente, na Demonstração
do Resultado do Exercício (DRE), a qual estudaremos nos próximos tópicos. Resultado com
Mercadorias ou Resultado Bruto com Mercadorias é a diferença total entre as receitas obtidas
pelas vendas de mercadorias, as deduções destas vendas e o custo destas mercadorias que
estão sendo vendidas. Desta forma, o RCM é assim encontrado:

RCM = V - CMV

Em que

RCM = Resultado Com Mercadorias
V = Vendas (ou receita de vendas)
CMV = Custo das Mercadorias Vendidas

Agora, que já sabemos um pouco sobre o RCM, que tal encontrarmos o seu valor neste
exemplo prático trabalhado? Vamos lá!

Na contabilização dos fatos da 1ª Situação encontramos os seguintes valores:
Vendas = R$ 2.800,00
CMV = R$ 1.610,00
RCM = ?

Contabilidade Geral | 35

Já sabemos que o RCM pode ser encontrado através da fórmula

RCM = V - CMV

Então teremos:

RCM = V – CMV
RCM = R$ 2.800,00 - R$ 1.610,00

RCM = R$ 1.190,00

Vejamos a sua contabilização:

Conta de Resultado

Custo da Mercadoria Vendida

S 1.610,00

1.610,00

a)

Só para fixar:

Na apuração do Resultado Com Mercadorias deveremos confrontar todos os fatos que
afetam as compras e vendas, ou seja, a diferença total entre as receitas obtidas pelas vendas de
mercadorias, as deduções destas vendas e o custo destas mercadorias que estão sendo
vendidas. Neste exemplo, o RCM foi encontrado confrontando o valor da receita de Vendas com
o Custo da Mercadoria Vendida!

UEPS ou LIFO

A expressão UEPS significa Último que Entra, Primeiro que Sai, e é também conhecida
por LIFO, iniciais da frase inglesa Last In, First Out.

Neste critério de controle de estoque a organização vai dando baixa nas mercadorias do
estoque a partir das últimas compras, ou seja: vendem-se ou consomem-se, primeiramente, as
últimas mercadorias compradas.

Que tal vermos esta escrituração na prática?

Para que possamos estabelecer uma base de comparação e análise usaremos os mesmos

fatos da 1ª Situação, ok?

Conta de Resultado

Receita de Vendas

b)

2.800,00

2.800,00 S

Conta Transitória

Resultado Com Mercadorias

a) 1.610,00

2.800,00

b)

1.190,00

36 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

2ª Situação: verificando as movimentações do mês de agosto de X1 da empresa Boas
Vendas,
vamos elaborar a Ficha de Estoque pelo método do UEPS e, em seguida, contabilizar os
fatos. Seguem as movimentações:

DATA

FATOS

01/08/X1 Saldo inicial de 10 unidades ao custo unitário de R$ 50,00
04/08/X1 Compra, a prazo, de 15 unidades, ao custo unitário de R$ 60,00
09/08/X1 Compra, a prazo, de 05 unidades, ao custo unitário de R$ 70,00
15/08/X1 Venda, à vista, de 28 unidades pelo preço de venda unitária de R$ 100,00

Na execução do preenchimento da Ficha de Estoque, pelo critério UEPS, devemos seguir

os passos indicados abaixo:

• Inserir o saldo inicial (quando houver);
• A ordem cronológica (as datas em que primeiro
ocorreram os eventos);
• Iniciar os lançamentos de forma individualizada, ou
seja, a quantidade de produtos e seus respectivos
preços devem ser mantidos separadamente;
• Na ocorrência de novas movimentações o saldo
anterior deve ser resgatado (quando necessário
ajustado);
• Na venda de mercadoria devemos retirar dos estoques
as últimas mercadorias que entraram (somente no
critério UEPS
);
• Depois de concluídos todos os registros, finaliza-se o
preenchimento da ficha através da soma.

Vamos agora dar os primeiros passos na Ficha de Estoque para saber se compreendemos

realmente o método UEPS?

Contabilidade Geral | 37

Na elaboração desta segunda Ficha de Estoque podemos notar que na venda dos 28
itens de mercadorias utilizamos inicialmente as 05 unidades compradas por último, referentes à
aquisição do dia 09/08/X1, no valor unitário de R$ 70,00; em seguida as 15 unidades da
mercadoria compradas em 04/08/X1, pelo preço unitário de R$ 60,00; e, por fim, foi dado baixa
em 08 itens constantes no saldo (para completar o total de 28 unidades vendidas), custando
cada elemento R$ 50,00. Neste critério, a Última mercadoria que Entrou foi a que Primeiro Saiu,
pois refere-se ao critério UEPS!

Atenção!

Assim como no método anterior, podem ocorrer situações em que existam devoluções de
compra e/ou de venda de mercadorias dos estoques.
As devoluções referentes às vendas recebidas dos clientes serão escrituradas
negativamente entre parênteses na coluna das saídas, o valor das devoluções recebidas
deverá ser o valor do custo da respectiva saída do estoque.
As devoluções de compras efetuadas aos fornecedores serão escrituradas negativamente
entre parênteses na coluna das entradas, o valor das devoluções efetuadas deverá ser o
valor do custo da respectiva entrada no estoque.
Desta forma, a soma das colunas entradas e saídas do controle de estoque representará o
valor das compras e vendas.

Com a Ficha de Estoque devidamente preenchida, que tal nos
divertirmos um pouco com a contabilização dos fatos em conta “T”?

Quant.

Valor
unitárioTotal Quant.

Valor
unitárioTotal Quant.

Valor
unitárioTotal

01/08/X1

10

50

500

04/08/X1

15

60

900

10
15

50
60

500
900

09/08/X1

5

70

350

10
15
05

50
60
70

500
900
350

15/08/X1

05
15
08

70
60
50

350
900
400

2

50

100

SOMA

20

1250

28

1.650

2

100

FICHA DE ESTOQUE UEPS

Data

Entradas

Saídas

Saldos

38 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FATOS

LANÇAMENTOS

Saldo inicial de 10 unidades ao custo unitário de R$ 50,00

S

Compra, a prazo, de 15 unidades ao custo unitário de R$ 60,00

a)

Compra, a prazo, de 05 unidades ao custo unitário de R$ 70,00

b)
Venda, à vista, de 28 unidades pelo preço de venda unitário de R$ 100,00 c)

Ativo Circulante

Estoque de Mercadorias

S 500,00

1.650,00 c)

a) 900,00
b) 350,00

S 100,00

Depois da contabilização das compras e vendas de mercadorias, com suas respectivas
entradas e saídas dos estoques, vamos apurar o RCM?

Já sabemos que o RCM pode ser encontrado através da fórmula

RCM = V - CMV

Em que

RCM = Resultado Com Mercadorias
V = Vendas (ou receita de vendas)
CMV = Custo das Mercadorias Vendidas
Na contabilização dos fatos da 2ª Situação encontramos os seguintes valores:
Vendas = R$ 2.800,00
CMV = R$ 1.650,00
RCM = ?
RCM = R$ 1.150,00

Passivo Circulante

Fornecedores

900,00

a)

350,00

b)

Conta de Resultado

Custo da Mercadoria Vendida

c) 1.650,00

Ativo Circulante

Caixa

c) 2.800,00

Conta de Resultado

Receita de Vendas

2.800,00 c)

Contabilidade Geral | 39

Vejamos a sua contabilização:

Conta de Resultado

Custo da Mercadoria Vendida

S 1.650,00

1.650,00

a)

Atenção!

A utilização do critério de avaliação de estoque do sistema de inventário permanente
UEPS (Último que Entra, Primeiro que Sai) não é permitida pela legislação do Imposto de
Renda!

PEPS x UEPS

Depois de conhecer e praticar os dois critérios de avaliação de estoques do sistema de
inventário permanente, PEPS e UEPS, vamos analisá-los?

Analisando os dois métodos e as suas respectivas Fichas de Estoque podemos chegar às

seguintes considerações:

Conta de Resultado

Receita de Vendas

b) 2.800,00 2.800,00 S

Conta Transitória

Resultado Com Mercadorias

a) 1.650,00

2.800,00

b)

1.150,00

40 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

PEPS

UEPS

Primeiro que Entra, Primeiro que Sai

Último que Entra, Primeiro que Sai

Na venda de mercadoria devemos retirar
dos estoques as primeiras mercadorias
que entraram

Na venda de mercadoria devemos retirar dos
estoques as últimas mercadorias que entraram

Permitida pelo Imposto de Renda

Não é permitida pelo Imposto de Renda

Utilização do custo do lote mais antigo no
momento da venda da mercadoria

Utilização do custo do lote mais novo no
momento da venda da mercadoria

Desvantagem: existe a necessidade de
controlar vários lotes para sabermos o
custo do mais antigo; na prática, muitas
vezes isto pode dificultar

Desvantagem: não se acaba de usar todo um
lote, abandona-se este e começa-se a usar o
último, mais recente, existindo, assim, diversos
controles de lotes com saldos no qual se usa
parcialmente

Desvantagem: a tendência é de que as
primeiras compras possuam um custo
mais baixo e o valor das compras
aumentem com o tempo

Desvantagem: a tendência é de que as últimas
compras possuam um custo mais alto

Seguindo esta tendência, provocará um
estoque com valor mais alto, um custo
mais baixo e um lucro maior, fazendo com
que a empresa pague mais impostos

Seguindo esta tendência, gerará um custo
normalmente maior, conseqüentemente os
estoques e o lucro serão menores, fazendo
com que a empresa pague menos impostos

Agora que você já tem o conhecimento sobre os critérios PEPS e UEPS, vamos entender
um pouco sobre a Média Ponderada e sua contabilização.

Sites recomendados:

- http://www.classecontabil.com.br/
- http://www.cvm.gov.br/
- http://www.eac.fea.usp.br/eac/revista/
- http://www.fipecafi.com.br/
- http://www.marion.pro.br/portal/modules/tinycontent/?id=1
- http://www.portaldeauditoria.com.br/
- http://www.portaltributario.com.br/
- http://www4.usp.br/index.php/home

Contabilidade Geral | 41

3. SISTEMA DE INVENTÁRIO PERMANENTE: MÉDIA PONDERADA E SUA
CONTABILIZAÇÃO EM RAZONETE

A Média Ponderada Móvel (MPM) é o terceiro critério de avaliação de estoque do sistema
de inventário permanente. Geralmente esta é a técnica mais usada, pois o custo médio será
sempre a divisão do saldo financeiro pelo saldo físico. O custo da MPM nos dá um custo
mediano, um lucro mediano e um estoque mediano.

Neste critério, o valor médio de cada unidade em estoque altera-se pelas compras de
outras mercadorias, se os preços forem diferentes. A utilização deste critério evita o controle de
custos por lotes de compras, como nos métodos anteriores, no entanto obriga a maior número
de cálculos, dando como custo de aquisição um valor médio ponderado das compras.

Uma vantagem da utilização da Média é que os métodos anteriores possuem uma
relativa complexidade de controle, sendo agrupados os seus valores por lotes de mercadorias
compradas e vendidas, conforme as suas respectivas datas de entradas e saídas. Já pela
aplicação do critério da Média Ponderada, a avaliação do estoque é por um custo médio,
apurado dividindo-se o custo total do estoque pelas unidades nele existentes, não exigindo um
controle diferenciado por lotes de movimentações.

Vamos ver como isto funciona na prática?

Este exemplo será chamado de 3ª Situação, pois, por finalidade didática e para fins de
comparação, usaremos os mesmos fatos contábeis aplicados nos outros critérios (PEPS e UEPS).

3ª Situação: considerando as movimentações do mês de agosto de X1 da empresa Boas
Vendas,
vamos preencher a Ficha de Estoque pelo método da Média Ponderada e, em seguida,
contabilizar os fatos. Seguem as movimentações:

DATA

FATOS

01/08/X1 Saldo inicial de 10 unidades ao custo unitário de R$ 50,00
04/08/X1 Compra, a prazo, de 15 unidades, ao custo unitário de R$ 60,00
09/08/X1 Compra, a prazo, de 05 unidades, ao custo unitário de R$ 70,00
15/08/X1 Venda, à vista, de 28 unidades pelo preço de venda unitária de R$ 100,00

Para elaboração da Ficha de Estoque, pelo critério da Média, devemos:

• Inserir o saldo inicial (quando houver);
• A ordem cronológica (as datas em que primeiro ocorreram os eventos);
• Na ocorrência de novas movimentações o saldo anterior serve de base para
encontrar o novo saldo;

42 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

• A coluna destinada ao saldo indicará sempre as
quantidades em estoque com seus respectivos valores
médios, isto é, atualizados sempre em função das últimas
compras;
• Em novas operações somam-se os custos anteriores com
os da aquisição atual e divide-se o total pela quantidade
de unidades, obtendo-se, assim, o custo médio;
• Na venda de mercadoria devemos utilizar como valor
unitário de venda o valor constante na coluna do saldo, o
valor unitário, pois o mesmo já foi encontrado pela
média;
• Depois de concluídos todos os registros, finaliza-se o
preenchimento da ficha através da soma.

Depois destes primeiros passos, vamos à elaboração da Ficha de Estoque pela

Média Ponderada Móvel?

Que tal analisarmos nesse item operação por operação e de que forma foi escriturada na
Ficha de Estoque da Média Ponderada? Então vamos lá!

1º escrituração: inserção do saldo inicial de 10 unidades ao custo unitário de R$ 50,00,
totalizando o valor de R$ 500,00 na coluna de “Saldos”;

2º escrituração: aquisição de 15 unidades ao custo unitário de R$ 60,00, totalizando um

desembolso de R$ 900,00.

3º escrituração: sabemos que no nosso estoque já existia saldo de 10 unidades e, com a
compra de mais 15 itens, passaremos a ter um total de 25 unidades. O custo do primeiro lote, o
do saldo inicial, foi de R$ 500,00; com a nova aquisição desembolsamos mais R$ 900,00; assim,
tivemos um desembolso total de R$ 1.400,00. Para acharmos o valor médio ponderado do valor
unitário da mercadoria basta dividir o valor total desembolsado pela quantidade de
mercadorias
, ficando assim: R$ 1.400,00 ÷÷÷÷ 25 = R$ 56,00.

4º escrituração: no dia 09/08/X1 foi realizada uma compra, a prazo, de 05 unidades ao
custo unitário de R$ 70,00. Observem que já temos um novo saldo registrado. Para encontrar a
nova média ponderada iremos realizar os mesmos passos da 3º escrituração. Vejamos:
considerando os novos valores das colunas de saldos, em que temos 25 unidades a um custo

Quant.

Valor
unitário

Total Quant.

Valor
unitário

Total Quant.

Valor
unitário

Total

01/08/X1

10

50,00

500,00

04/08/X1

15

60,00

900,00

25

56,00

1400,00

09/08/X1

5

70,00

350,00

30

58,33

1750,00

15/08/X1

28

58,33

1633,33

2

58,33

116,67

SOMA

20

1250,00

28

1.633,33

2

116,67

FICHA DE ESTOQUE MÉDIA PONDERÁDA

Data

Entradas

Saídas

Saldos

Contabilidade Geral | 43

unitário de R$ 56,00 e um preço total de R$ 1.400,00; porém, com a nova compra de 05 itens a
um custo unitário de R$ 70,00, totalizando um pagamento de R$ 350,00, para acharmos o valor
médio ponderado do valor unitário da mercadoria basta dividir o valor total desembolsado
até o momento
pela quantidade de mercadorias, ficando assim: R$ 1.750,00 ÷÷÷÷ 30 = R$ 58,33.

5º escrituração: no dia 15/08/X1 ocorreu uma venda, à vista, de 28 unidades pelo preço
de venda unitária de R$ 100,00. Para a escrituração na Ficha de Estoque não precisamos do
preço de venda unitário, pois damos baixa nas mercadorias pelo seu custo. Esta informação será
usada nos lançamentos contábeis e para apuração do RCM. Até o momento da nossa análise
temos, na coluna do saldo, 30 mercadorias a um custo unitário de R$ 58,33, totalizando um valor
de R$ 1.750,00, não é? Pois bem, se vou realizar uma venda de 28 itens, quanto será o custo
unitário de cada para que eu realize baixa do estoque? Para isto basta vocês verificarem, na
coluna do saldo, o custo unitário, pois nas outras operações vocês já tinham encontrado e
escriturado o valor médio ponderado. Desta forma, baixaremos na coluna de saídas:

28 unidades por um custo unitário de R$ 58,33, totalizando R$ 1.633,33. Para
finalizar esta operação não se esqueça de ajustar a coluna do saldo, retirando 28 unidades das 30
existentes (ficando apenas 02 unidades), bem como o seu saldo final total, equivalente a R$
116,67 (referente a R$ 1.750,00 - R$ 1.633,33).

Desta forma podemos concluir que, na venda dos 28 itens de mercadorias, utilizamos o
valor unitário de R$ 58,33, pois ele representa a média ponderada do preço da mercadoria
constante no estoque inicial, bem como as mercadorias que foram adquiridas em datas distintas
e com preços diferenciados.

Atenção!

Existem situações em que podem ocorrer devoluções, tanto de compra como de venda de
mercadorias.
As devoluções referentes às vendas recebidas dos clientes serão escrituradas
negativamente entre parênteses na coluna das saídas, o valor das devoluções recebidas
deverá ser o valor do custo da respectiva saída do estoque.
As devoluções de compras efetuadas aos fornecedores serão escrituradas negativamente
entre parênteses na coluna das entradas, o valor das devoluções efetuadas deverá ser o
valor do custo da respectiva entrada no estoque.
Desta forma, a soma da coluna entradas e saídas do controle de estoque representará o
valor das compras e vendas.

Agora vamos contabilizar em razonetes estas operações?

44 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FATOS

LANÇAMENTOS

Saldo inicial de 10 unidades ao custo unitário de R$ 50,00

S

Compra, a prazo, de 15 unidades ao custo unitário de R$ 60,00

a)

Compra, a prazo, de 05 unidades ao custo unitário de R$ 70,00

b)
Venda, à vista, de 28 unidades pelo preço de venda unitário de R$ 100,00 c)

Ativo Circulante

Estoque de Mercadorias

S 500,00

1.633,33

c)

a) 900,00
b) 350,00

S 116,67

Conta de Resultado

Custo da Mercadoria Vendida

c) 1.633,33

E qual o valor do Resultado Com Mercadorias (RCM)?

Sabemos que o RCM é assim encontrado:

RCM = V - CMV

Passivo Circulante

Fornecedores

900,00 a)
2500,00 b)

Ativo Circulante

Caixa

c) 2.800,00

Conta de Resultado

Receita de Vendas

2.800,00 c)

Contabilidade Geral | 45

Em que

RCM = Resultado Com Mercadorias
V = Vendas (ou receita de vendas)
CMV = Custo das Mercadorias Vendidas

Na contabilização dos fatos da 3ª Situação encontramos os seguintes valores:
Vendas = R$ 2.800,00
CMV = R$ 1.633,33
RCM = R$ 1.166,67

Vejamos a sua contabilização:

Conta de Resultado

Custo da Mercadoria Vendida

S 1.633,33

1.633,33

a)

Agora eu gostaria de saber de vocês: qual dos critérios deve ser utilizado?

Já conhecemos os três critérios, então vamos confrontá-los para tirarmos as nossas

conclusões?

Comparando o PEPS, o UEPS e a MÉDIA, pelo exemplo trabalhado, e considerando as
entradas e as saídas, os resultados obtidos são:

Conta de Resultado

Receita de Vendas

b) 2.800,00

2.800,00 S

Conta Transitória

Resultado Com Mercadorias

a) 1.633,33

2.800,00

b)

1.167,67

46 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CRITÉRIOS VENDA

CMV

RCM

ESTOQUE FINAL

PEPS

R$ 2.800,00 R$ 1.610,00 R$ 1.190,00 R$ 140,00

UEPS

R$ 2.800,00 R$ 1.650,00 R$ 1.150,00 R$ 100,00

MÉDIA

R$ 2.800,00 R$ 1.633,33 R$ 1.167,67 R$ 116,67

Podemos ver nitidamente que temos a mesma quantidade de estoque, porém os
resultados obtidos foram diferentes, em conseqüência dos critérios de atribuição de custos
utilizados, apesar de todos se basearem no mesmo custo de aquisição.

O PEPS possui um custo menor em virtude das compras realizadas no período, pois
compramos por preços diferentes e crescentes, e, no momento da baixa, retiramos dos estoques
as primeiras compras, ou seja, um estoque final com valor mais alto, um custo mais baixo e um
resultado (RCM) maior.

Na análise do UEPS constatamos um custo menor em virtude da compras realizadas no
período, pois compramos por preços diferentes e crescentes, e, no momento da baixa, retiramos
dos estoques as últimas compras, ou seja, as compras com valores mais altos, resultando em um
estoque final com um custo maior. Conseqüentemente os estoques e o resultado (RCM) serão
menores.

No caso da Média Ponderada os valores são intermediários entre o PEPS e o UEPS.
Nestas situações, para evitar distorções, o mais recomendável dos três critérios é o Custo Médio,
pois é o que espelha maior realidade nos Custos, no resultado e no Estoque Final.

Atenção!

Voltamos a informar que a utilização do critério de avaliação de estoque do sistema de
inventário permanente UEPS (Último que Entra, Primeiro que Sai) não é permitida pela
legislação do Imposto de Renda.

Sites recomendados:

- http://www.anefac.com.br/
- http://www.cfc.org.br/
- http://www.classecontabil.com.br/
- http://www.fipecafi.com.br/
- http://www.marion.pro.br/portal/modules/tinycontent/?id=1
- http://www.portaltributario.com.br/
- http://www.prossiga.br/nuca-ie-ufrj/economia/
- http://www.teses.usp.br/

Contabilidade Geral | 47

4. ANTECIPAÇÃO DE RECEBIMENTOS COM DESCONTO DE DUPLICATAS

As transações de desconto de duplicatas têm por objetivo a captação de recursos por
meio da antecipação no recebimento de títulos decorrentes de vendas de mercadorias,
produtos ou serviços a prazo.

Nas operações de desconto de duplicatas a entidade transfere o direito de recebimento
dos títulos para a instituição financeira, mas, caso o cliente não cumpra com o compromisso de
liquidar a duplicata, a empresa é que se responsabiliza por tal procedimento perante a
instituição.

Nesse tipo de operação a empresa endossante é responsável, coobrigada pela liquidação
de tais títulos descontados. Esta transação é similar a uma operação de empréstimo de curto
prazo, utilizado para cobrir insuficiência de recursos no caixa da empresa. Diz-se que funciona
como um empréstimo de curto prazo, porque a empresa, ao negociar com o banco, entrega as
duplicatas como garantia do empréstimo. No verso do título (duplicata) a empresa faz o endosso
ao banco, transferindo o direito de recebimento da duplicata para o banco.

A responsabilidade só desaparece após o pagamento efetuado pelo devedor. Por este
motivo, quando da antecipação do valor do título, não poderemos efetuar a baixa do mesmo na
conta do Ativo “Clientes”, pois o título ainda não foi liquidado, apenas houve uma antecipação
que não foi feita por este cliente. Sendo assim, a baixa do titulo será efetivada em uma conta
retificadora deste direito: “Duplicatas Descontadas”.

E então, vamos ver como esta operação pode ser
contabilizada em razonetes?

1ª Situação: a empresa Vende Muito descontou em 01/04/X1, junto ao Banco País
Legal
, uma duplicata no valor de R$ 40.000,00 cujo vencimento ocorrerá em 30/04/X1. O banco

48 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

descontou antecipadamente despesas financeiras (juros) de R$ 5.000,00 e comissões bancárias
pela contratação do serviço de R$ 1.000,00. Creditou na C/C Bancária o valor líquido de R$
34.000,00. A duplicata foi integralmente quitada na data do vencimento.

Para realizar estes lançamentos, vamos realizar dois blocos de operações:

Pela negociação com o banco
Pela liquidação do título

Pela negociação com o banco

Não está ocorrendo a liquidação da duplicata, por isso o valor nominal do título deverá
ser contabilizado na conta retificadora da conta clientes (Duplicatas Descontadas).

Ativo

Duplicatas Descontadas

40.000,00 a)

Conta de Resultado

Despesa Financeira
Juros Passivos

a) 5.000,00

Pela liquidação do título

Quando ocorrer o efetivo pagamento, o Banco encaminha um aviso de recebimento e,
então, a empresa procede com a baixa do direito. Vamos ver a contabilização?

Ativo

Duplicatas a Receber

S 40.000,00 40.000,00 b)

Vocês perceberam como a contabilização da
antecipação de recebimentos com desconto de duplicatas é
simples?

Ativo

Banco Conta Movimento

a) 34.000,00

Conta de Resultado

Despesa Financeira
Comissões Bancárias

a) 1.000,00

Ativo

Duplicatas Descontadas

b)

40.000,00 40.000,00 S

Contabilidade Geral | 49

Pois é, estamos encerrando o 1º Bloco e espero que vocês tenham aproveitado ao máximo
as informações deste material! Agora vamos testar esses conhecimentos adquiridos
brincando um pouco?

A brincadeira é simples, vocês vão preencher as lacunas com as palavras corretas e
encontrá-las no caça-palavras, ok? Então, vamos começar?

Sites Recomendados:

- http://www.anefac.com.br/
- http://www.classecontabil.com.br/
- http://www.cvm.gov.br/
- http://www.fipecafi.com.br/
- http://www.marion.pro.br/portal/modules/tinycontent/?id=1
- http://www.portaltributario.com.br/
- http://www.prossiga.br/nuca-ie-ufrj/economia/
- http://www.redecontabil.com.br/
- http://www.teses.usp.br/

PERGUNTAS

1 - As ________ são entidades jurídicas que têm como fator preponderante o patrimônio
e são acompanhadas e controladas pelo Ministério Público.

2 - Constituem-se as ________ pela união de pessoas que se organizam para fins não

econômicos.

3 - No registro das operações mercantis poderão ser utilizados dois tipos de métodos, o
da conta ________ ou o da conta ________, e dois tipos de sistemas, o sistema de inventário
________ e o sistema de inventário ________.

4 - O ________ é um imposto de competência dos Municípios e tem como fato gerador a

prestação de serviços.

5 - A _______ __ _______ é o valor sobre o qual é aplicada a alíquota (percentual) para
apurar o valor do tributo a ser pago, ou seja, o valor sobre o qual incide a tributação é a base de
cálculo.

6 - As empresas ________ são aquelas que por qualquer operação modifiquem a
natureza, o funcionamento, o acabamento, a apresentação ou a finalidade do produto ou o
aperfeiçoe para consumo.

50 | CIÊNCIAS CONTÁBEIS

7 - Existem três critérios de avaliação de estoque utilizados pelo Sistema de Inventário
Permanente. São eles: ________, ________ e ________ ________.

8 - As transações de desconto de ________ têm por objetivo a captação de recursos por
meio da antecipação no recebimento de títulos decorrentes de vendas de mercadorias,
produtos ou serviços a prazo.

C

T

S

P

E

U

D

D

D

A

I

R

F

A

E

A

U

H

I

S

T

E

R

P

V

J

F

R

D

R

G

O

O

C

O

F

I

N

E

V

V

E

M

A

T

H

Q

Q

T

X

R

D

V

P

A

A

B

E

R

F

S

A

A

O

A

E

E

G

S

L

L

P

N

B

V

I

X

B

F

N

S

D

T

I

O

S

L

S

O

G

A

I

D

U

G

W

I

Z

S

R

A

J

U

D

B

I

A

F

N

V

E

A

L

T

E

D

I

R

S

N

R

C

T

D

R

E

T

N

E

N

A

M

R

E

P

T

E

A

A

E

R

X

K

D

D

R

E

C

D

J

S

D

D

Ç

E

Y

D

M

G

E

T

D

A

S

U

U

S

S

O

W

H

I

T

B

S

N

I

O

D

I

D

E

P

E

R

I

O

D

I

C

O

A

D

E

P

N

T

R

S

R

F

E

B

M

I

E

P

O

L

L

I

N

E

R

E

D

I

Q

I

D

D

O

S

I

O

D

E

W

I

C

M

S

H

T

A

S

N

A

Q

T

L

R

I

S

C

O

O

G

E

S

E

D

T

U

R

B

R

T

O

V

I

S

S

A

P

R

E

I

I

F

X

D

U

P

L

I

C

A

T

A

S

R

V

D

E

A

C

O

S

I

A

C

O

E

C

L

A

O

A

O

S

S

O

T

N

E

A

V

D

P

T

D

S

C

S

H

E

B

L

P

T

J

D

C

S

V

A

I

A

C

K

T

V

A

U

N

U

N

I

O

P

R

S

0

V

L

N

N

Z

J

C

H

M

B

U

O

I

E

X

A

M

E

C

X

J

R

L

H

U

T

Q

P

R

A

S

E

L

E

M

E

R

C

A

S

B

N

I

O

C

E

M

E

D

I

O

O

I

I

C

V

E

M

L

V

R

O

V

R

I

H

C

P

G

E

E

R

L

A

F

T

T

I

Y

K

N

O

I

T

N

E

D

B

V

D

R

Y

U

A

S

S

O

C

I

A

Ç

O

E

S

R

V

P

E

R

S

H

S

A

I

D

A

L

F

S

T

A

U

E

U

U

B

U

T

O

R

S

T

W

R

A

L

E

C

W

Y

I

C

O

T

A

T

S

R

D

N

B

D

U

Q

T

S

G

H

E

D

R

U

T

U

O

V

S

T

V

E

S

E

E

A

A

G

C

G

F

T

G

Contabilidade Geral | 51

Bloco Temático 02

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->