Você está na página 1de 63

Dinâmica de Sistemas

1. Ciclos Causais

Durval Muniz de Castro

Prof. Durval Castro 1


Introdução
 Dinâmica de sistemas: estudo do
comportamento de sistemas
 Objetivo: elaborar e analisar modelos
de sistemas de negócios
 Aplicações: estudo e planejamento em
operações, marketing, finanças,
recursos humanos, etc.

Prof. Durval Castro 2


Visão geral
 Como os sistemas mudam ao longo do
tempo...
 Como as várias mudanças se relacionam...

Processos Qualidade Mudanças


de negócios Total ambientais

Gestão das Dinâmica Trabalho


mudanças de Sistemas em equipe

Planeja- Aprendi- Crescimento


mento zagem das pessoas
Prof. Durval Castro 3
Conceitos básicos
 Sistema:
 elementos,
 relacionamentos,
 Ambiente:
 entradas,
 processos,
 saídas
 Variáveis:
 causas
 efeitos
 Estado do sistema
 comportamento

Prof. Durval Castro 4


Sistema

• Um conjunto de partes que interagem


para funcionar como um todo.
• Um sistema quase sempre é definido
tendo em vista um propósito específico.
• Os sistemas geralmente apresentam um
padrão circular de causas e efeitos,
chamados ciclos de realimentação
(“feedback”).

Prof. Durval Castro 5


Representações de sistemas

Entradas e Saídas Dinâmica

A
B

• Sistema em equilíbrio • Sistema em transformação


• Foco em resultados • Foco em mudanças

Prof. Durval Castro 6


Diagrama de ciclos causais
 Diagrama representando ciclos
fechados de relações de causa e
efeito (ciclos causais), que exprime
a maneira como as variáveis do
sistema se relacionam.

Prof. Durval Castro 7


Encher um copo de água

+ posição da
torneira

+ diferença +
- vazão da
água
nível
desejado
nível da
água
+

Prof. Durval Castro 8


Sistema real, modelo, diagrama

Linguagem
Modelo Sistema real Categorias
comum

Entradas,
Entradas

Coisas,
e saídas

saídas,
Elementos pessoas, Substantivos
fornecedores,
recursos
clientes

Setas Relações Ações Verbos

Quantidades,
Variáveis Atributos Adjetivos
indicadores

Prof. Durval Castro 9


Simbologia dos ciclos causais
seta  Seta: relação causal
cauda cabeça  Cauda: causa
 Cabeça: efeito
+
 Seta +: efeito varia no mesmo
sentido da causa
–  Seta -: efeito varia no sentido
oposto à causa
 Atraso: o efeito só acontece um
certo tempo depois da causa
 Ciclo de “feedback” positivo:
+ ou + ou perturbações tendem a ser
amplificadas
 Ciclo de “feedback” negativo:
– ou – ou perturbações tendem a ser
compensadas
Prof. Durval Castro 10
Causa/seta positiva

grau de + quantidade
depressão de choro

quantidade de choro

grau de depressão

Prof. Durval Castro 11


Ciclo positivo: crescimento

+ grau de
depressão

+
grau de quantidade
depressão de choro

+ tempo

Prof. Durval Castro 12


Causa/seta negativa

tempo - sensação
de sono de cansaço

sensação de cansaço

tempo de sono

Prof. Durval Castro 13


Ciclo negativo: equilíbrio

+ sensação
de cansaço


sensação tempo de
de cansaço sono

– tempo

Prof. Durval Castro 14


Equilíbrio com atraso

reputação demanda
do serviço + do cliente
-
demanda dos
clientes
atraso

diferença
+
- -
qualidade do
serviço tempo
padrão de serviço

Prof. Durval Castro 15


Equipe de vendas

volume de vendedores
?
vendas na equipe

Prof. Durval Castro 16


Oferta de empregos

número de número de
vagas nas ? imigrantes
empresas chegando
?

Prof. Durval Castro 17


5 passos para ciclos causais
1. Escolha as variáveis;
2. Ligue as variáveis com setas da causa
para o efeito;
3. Determine o sentido do efeito de cada
seta: “+” se for o mesmo, “-” se for
oposto;
4. Indique os atrasos;
5. Determine a polaridade de cada ciclo.

Prof. Durval Castro 18


Conta de investimento

juros
taxa de juros

aplicações
Conta de retiradas
investimento

fronteira do
sistema

Prof. Durval Castro 19


Modelo da conta

Aplicações Taxa de juros


+ + +
Cap ital Juros
-
+
Retiradas

Prof. Durval Castro 20


Comportamento da conta

j+

j juro
capital capital
j-

retirada

aplicação

tempo tempo

Prof. Durval Castro 21


População brasileira
População
Brasileira
200 – em milhões
190 – de habitantes
180 –
170 –
160 –
150 –
140 –
130 –
120 –
110 –
100 –
90 –
80 –
70 –
60 –
50 –
40 –
30 –
20 –
10 – anos
0–
| | | | | | | |
40 50 60 70 80 90 00 10

Prof. Durval Castro 22


Modelo: crescimento da população

número de +
nascimentos pop ulação total
por ano
+

Prof. Durval Castro 23


Dinâmica de Sistemas
2. Análise de Sistemas de Negócios

Durval Muniz de Castro


Fábrica

Investimentos
Investidores

Produtos
Lucro Fábrica

Clientes
Receita
Modelo da fábrica

+
Desenvolvimento
e fabricação

+
Investimentos Vendas
+

Lucros +
Ambiente da empresa

Clientes Fornecedores

Concorrentes Investidores
Empresa

Comunidades Sociedade

Governo
Variáveis do sistema: indústria
Propriedades relevantes e quantificáveis de
um sistema ou de um de seus elementos.

custos capacidade preço


materiais
Produção produtos Cliente
trabalho

salários demanda
Sociedade

renda
Modelo do sistema: indústria

+ -
demanda
preço
renda
+ +
+

+
custos
cap acidade
+
salários +
Estado do sistema
Conjunto de propriedades relevantes que o
sistema apresenta em um dado momento.

Meses Janeiro Fevereiro Março


Variáveis
Custos 23,50 23,80 22,20
(R$/unidade)
Preços 42,80 43,10 41,20
(R$/unidade)
Salários 11,00 11,20 10,90
(R$/hora)
Demanda 243 267 215
(mil/mês)
Renda 11,0 11,5 10,8
(R$ 103/ano)
Modelo de um projeto

+
- equipe
Trabalho por necessária
fazer atraso
qualidade do
trabalho -
- +
-
equipe atual

fadiga +
horas extras produtividade
+ +
necessárias
trabalho feito
+ +
Arquétipos de sistemas
 Objetivo: entender o todo
 Padrões genéricos de comportamento:
 Biologia, psicologia, economia, política,
ecologia,... e administração dos negócios.
 Compreender a estrutura dos
problemas
 Encontrar os pontos de alavancagem
Equilíbrio com atraso

condições atuais

atraso

ação corretiva
Limitação do crescimento

condição
limitadora

ação de ação
condição
crescimento restritiva
Transferir a carga

solução do
sintoma

efeitos
sintoma do colaterais
problema

atraso

solução
fundamental
Transferir a carga para o interventor

intervenção
externa

sintoma do cap acidade de


problema ações internas

atraso

solução
interna
Deterioração das metas

meta pressão p ara


atenuar meta

diferença

ações para
condição
melhorar
condições

atraso
Escalada

resultados de A resultados de B

resultados de A
em relação a B

atividade de A atividade de B
Sucesso aos bem sucedidos

sucesso recursos
de A para A

alocação a A
em vez de B

sucesso recursos
de B para B
Tragédia dos comuns

ganhos
líquidos
para A limite do
recurso
atividade do
indivíduo A

ganho p or
atividade atividade
total individual
atraso

atividade do
indivíduo B

ganhos
líquidos
para B
Consertos que falham

problema conserto

atraso

conseqüências
indesejadas
Crescimento e sub-investimento

ação
demanda
crescente padrão de
desempenho

desempenho

necessidade
percebida de investir
cap acidade

investimento em
atraso
cap acidade
Adversários acidentais
Atividades de
A em benefício
de B

Obstaculos não
intencionais de A ao
Esquemas de A sucesso de B
para melhorar
seus próprios
resultados
Sucesso de A
Sucesso de B

Esquemas de B
para melhorar
Obstáculos não seus próprios
intencionais de resultados
B ao sucesso
de A

Atividades de
B em benefício
de A
Dinâmica de Sistemas
3. Estudo de casos

Durval Muniz de Castro


Burson – Benson
utilização do hospital
de tornos para
recuperar produtos
defeituosos

Aloc ação de recursos,


produtos
equipe e rec onhecimento ao
defeituosos
hospital, enquanto outros
proc essos se atrofiam

capacidade de melhorar e
entregar produtos através
dos proc essos de produção
normais
Dinâmica de Sistemas
4. Introdução à simulação

Durval Muniz de Castro


Introdução à simulação
 Modelo “imita” sistema que desejamos
estudar
 Modelos físicos: dispendiosos, difíceis,
demorados
 Modelos matemáticos: muitos cálculos
 Modelo em computador: rápido, fácil,
barato!!!
Abordagens de simulação

Sistemas discretos Sistemas


 Construir sistema
dinâmicos
 Detalhar sistema
dos detalhes
para o todo do todo para as
partes
 Operacional
 Estratégico
 “Arena”, etc.
 “Vensim”,
“Powersim”,
“I Think”
Etapas do estudo
 Definição do problema
 Identificação do sistema
 Elaboração do modelo
 Comportamento do modelo
 Avaliação do modelo
 Análise do problema e uso do modelo
O que colocar no modelo?
1. Comportamento do sistema
 Conhecimento
 Diagrama de ciclos causais
2. Cenários
 Estórias alternativas
3. Diretrizes
 Decisões que podemos tomar
Estoques e fluxos

+
Ciclos causais clientes vendas
potenciais

- +
clientes atuais

clientes clientes
Estoques e fluxos
potenciais atuais
vendas
Sistema de estoques

Estoque Processa- Entregas


Pedidos Estoque Consumo
desejado mento recebidas
Comportamento - Ciclos

+
+
pedidos para
estoque pedidos em
+
processo
estoque -
desejado

+
+
estoque pedidos
consumo recebidos
- +
Comportamento – E&F
prazo de entrega

pedidos iniciais estoque inicial

Pedidos em
Estoque
Pedidos para processo Remessas Consumo
estoque recebidas

<semanas <Demanda>
para ajustar Uso recente
estoque>

<semanas para ajustar


<semanas em Estoque desejado estimativa da demanda>
estoque>
Cenários

tempo Demanda

Gráfico da Demanda
200

150

100

50

0
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
Tempo (semana)

Demanda : Curva_1 unidade/semana


Demanda : Degrau_1 unidade/semana
Demanda : Equilibrio_1 unidade/semana
Diretrizes

semanas em semanas para ajustar semanas para


estoque estimativa da demanda ajustar estoque

Iniciais: 4 6 8
O Seu: ? ? ?
Resultados: Equilíbrio_1

Estoque x Consumo
1,000 unidade
200 unidade/semana

500 unidade
100 unidade/semana

0 unidade
0 unidade/semana
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
Time (Week)

Estoque : Equilibrio_1 unidade


Consumo : Equilibrio_1 unidade/semana
Resultados: Degrau_1
Estoque x Consumo
1,000 unidade
200 unidade/semana

500 unidade
100 unidade/semana

0 unidade
0 unidade/semana
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
Time (Week)

Estoque : Degrau_1 unidade


Consumo : Degrau_1 unidade/semana
Análise: Degrau_1

Estoque Remessas recebidas Pedidos em processo Pedidos para estoque Uso recente
600 200 400 200 200
450 170 325 170 170
140
300 140 250 110 140
150 110 175 80 110
Estoque
0 80 100 600 80
Consumo Pedidos em processo Pedidos para estoque 450 Consumo
200 400 200 300 200
170 325 170 150 170
0
140 250 140 Estoque desejado 140
110 175 110 600 110
500
80 100 80 80
0 50 100Remessas recebidas 400 0 50 100
Remessas recebidas
Time (Week) 300 Time (Week)
200 200 200
170 170 Uso recente
200
140 140 170
110 110 140
80 80 110
0 50 100 0 50 100 80
0 25 50 75 100
Time (Week) Time (Week) Time (Week)
Resultados: Curva_1

Estoque, Consumo e Demanda


1,000 unidade
200 unidade/semana
200 unidade/semana

500 unidade
100 unidade/semana
100 unidade/semana

0 unidade
0 unidade/semana
0 unidade/semana
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
Time (Week)

Estoque : Curva_1 unidade


Consumo : Curva_1 unidade/semana
Demanda : Curva_1 unidade/semana
Desempenho

Graph for Lucro


600,000

450,000

300,000

150,000

0
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
Time (Week)

Resultado : Curva_1 reais


Resumo
 Identificar o sistema de negócio
 Fazer modelo usando ciclos causais
 Usar modelo para estudar
comportamento
 Usar simulação para avaliar
desempenho do sistema
Onde obter mais informações
 Referências bibliográficas
 Web sites
 Software
 VENSIM
 Manual