Você está na página 1de 5

ÂNGELO ANTÔNIO LEITHOLD

RELAÇÃO GANHO IMPEDÂNCIA DE CIRCUITOS DE TRANSÍSTORES

CURITIBA
1975
Este material tem a finalidade de resumir rapidamente a relação ganho-impedância
de circuitos amplificadores.

Para que possa realizar um projeto de circuito eletrônico, o projetista deve


necessariamente estar familiarizado com ganhos e impedâncias dos circuitos propriamente
ditos. Num transistor, por exemplo, seu ganho como amplificador deve ser sempre controlado
em termos de realimentações locais e significativas, ou globais. Pois, quando a realimentação
é significativa, os ganhos e impedâncias são independentes dos parâmetros dos transistores, e
as equações necessárias para o desenho devem ser simplificadas.
Um exemplo seria um amplificador de uma etapa com realimentação pelo emissor
(Figura 1.1), onde as resistências Rb/Re são denominadas fator S do amplificador.

Figura 1.1: Amplificador com realimentação por emissor

Outro exemplo seria a etapa com realimentação por coletor (Figura 1.2), o fator S da
etapa é S=Rf/RL.

Figura 1.2: Amplificador com realimentação por coletor.


Nos dois casos, com realimentação adequada, o ganho de corrente da etapa é
independente dos parâmetros do transistor, uma vez que seu “valor’’ é “S’’ e pode ser
empregado como fator de amplificação com realimentação.
Substituindo, por exemplo os transistores por amplificadores em que o ganho é
controlado pelos mesmos resistores, o ganho total dom amplificador é determinado pelo
mesmo fator S. Assim, a impedância de entrada da etapa com realimentação é independente
do ganho (β) do transistor. Os parâmetros da etapa amplificadora, por exemplo, compostos por
um transistor, são empregados para determinar os efeitos de sua variação.
Para o ganho de corrente de um transistor se usa o β do circuito equivalente em T
que o hfe é mais difícil de determinar. Similarmente, a impedância de entrada dum trnasístor na
configuração base comum (BC) denomina-se como h em vez de hib, e a impedância de entrada
na configuração EC pode ser escrita como βh. Para demonstrar que existe uma dependência
com relação ao ganho de corrente, escreve-se hie.
Para encontrar β = hfe nas tabelas de parâmetros, não é necessário o emprego do
circuito híbrido equivalente aos parâmetros híbridos. A impedância de entrada de um
transistor BC em curto-circuito que naturalmente aparece em algumas equações, pode ser
calculado pela relação de Shockley, que mostra que o h varia inversamente com a corrente de
emissor e com a temperatura absoluta, conforme a equação 1.1:

26 T j (1.1)
h= .
I E 273

onde h é expresso em Ohms, IE em mA, e a temperatura da junção do semicondutor em K. Em


temperatura ambiente considera-se a relação de Shockley como a equação 1.2:

26 (1.2)
h=
IE

considera-se o h com valor de 26 Ω quando a corrente de emissor é 1 mA. O ganho de um


circuito pode ser medido a partir de um multímetro ou de um osciloscópio, mas quando se faz
tal medição, pensa-se em termos de “ganho de tensão’’. Assim, pode-se obter a relação de
ganho a partir da tensão de saída, io.RL dividida pela tensão de entrada iI.RI que é expresso pela
equação 1.3 e figura 1.3:
I O RL (1.3)
Gv =
I I RI

Figura 1.3: Amplificador com relações RG-IT

Substituindo o ganho total de corrente Gi por IO/iI em 1.3, é obtida a equação 1.4:

RL (1.4)
Gv = G I
RI

A equação 1.4 mostra a relação ganho-impedância do transistor que é aplicada na


maioria dos amplificadores transistorizados, inclusive amplificadores que utilizam
transformadores como realimentação. Para verificar o ganho de tensão conhecendo o ganho de
corrente, deve-se determinar a resistência, ou impedância de saída e a impedância de entrada.
Na prática, o ganho de corrente pode ser verificado medindo a corrente de entrada e a de
saída. Considerando um amplificador com diversos acoplamentos, RC ou com etapas
acopladas diretamente, a impedância de entrada de cada etapa é a impedância de carga da
etapa anterior, logo RI = RL e RL/RI é igual a um. O ganho de tensão da etapa é o ganho de
corrente S da etapa. Na prática, para uma melhora de qualidade, o ganho de corrente de um
amplificador é limitado pelos projetistas na ordem de 30 por etapa utilizando ou realimentação
local ou global. O ganho de tensão grande em relação ao ganho de corrente é tolerável, e a
relação RL/RI deve ser maior que a unidade. Se a relação de impedâncias for inferior à
unidade, o ganho da etapa é inferior a 30.
BIBLIOGRAFIA

GE transistor manual 6th ed. Semiconductor Products Department. Technical editor: J.F.
Cleary. Contributors: J.H. Phelps [and] others. Published 1962 in Syracuse, N.Y .

DIREITOS AUTORAIS

RELAÇÃO GANHO IMPEDÂNCIA DE CIRCUITOS DE TRANSÍSTORES by Leithold, Angelo Antonio is


licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0
Unported License.