Núcleo Gerador: Gestão e Economia (GE

)

DR2 - Empresas, Organizações e Modelos de Gestão (EOMG)

Colectânea de textos (pequenas citações com a indicação dos respectivos links direccionando para a página original), seleccionados a partir de pesquisas efectuadas no motor de busca "Google" e que se pretende ajudem a descodificar o tema Empresas, Organizações e Modelos de Gestão (EOMG) do Núcleo Gerador: Gestão e Economia (GE) do Referencial de Competências-Chave de Nível Secundário, relativo ao Processo RVCC da Iniciativa Novas Oportunidades.
[Nota: Todos os Adultos/Formandos devem mencionar no seu PRA as fontes de todas as leituras que efectuaram, não podendo copiar ou plagiar, arriscando-se à expulsão do processo RVCC.]

Boas leituras...

Preparado em 16-06-2008 – cont@cto

página:

1/16

em 1517. Caminha-se para a "Sociedade do Saber".) Nunca na história as empresas estiveram sujeitas a tantas e tão profundas mudanças como aquelas que. abrindo todos os níveis da sociedade a enormes transformações. a reforma protestante.Mudança Organizacional Introdução «A mudança organizacional é uma realidade do mundo actual.soares@tagus. presentemente. tudo se modifica . importava novas ideias. o Comunismo e a Revolução Industrial. ocorreu no século XV. O período em que a classe comercial. o ano da Revolução Americana.. onde o valor da informação tende a suplantar a importância do capital [1]. Foi o período áureo da Renascença e também o apogeu dos descobrimentos. para além de produtos.» [Página1 . Em escassas décadas.51423 – Luís Soares – T2 – LEIC – luis. Actualmente enfrentamos mais um desses períodos: com a Segunda Guerra Mundial inicia-se o período em que a sociedade Industrial vai gradualmente cedendo o lugar à sociedade da Informação. Outra viragem. (.ist.pt. É neste contexto que a gestão da mudança constitui uma das preocupações fundamentais dos gestores. Quatro décadas durante as quais se deu a Revolução Francesa e em que nasceram o Capitalismo. são obrigadas a enfrentar.] Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 2/16 . em ritmo cada vez mais acelerado. no período de seis décadas que mediou entre os primeiros trabalhos de impressão de Gutenberg. viria a iniciar-se em 1776.utl. As empresas devem esperar enfrentar ainda mais mudanças no futuro.. terminando quarenta anos mais tarde em Waterloo.são períodos de ruptura – um desses períodos de ruptura. do aperfeiçoamento da máquina a vapor.

ist. pessimismo e motivação. Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 3/16 . a mudança pode causar emoções e reacções que vão do optimismo ao medo. podemos defini-la.. neste contexto como a implementação de novos procedimentos ou tecnologias projectadas para realinhar a organização com as constantes mudanças nas obrigações do seu ambiente de negócio. Têm que enfrentar reorganizações empresariais.) Gestão da mudança «A gestão da mudança organizacional é o processo de reconhecer.pt] (. resistência. incapacidade. guiar e administrar as emoções e reacções humanas. desafio. As organizações têm que lidar com novas tecnologias e actualizações das tecnologias existentes.utl. energia. iniciativas de melhoria de processos e também fusões e aquisições. a utilização dessa tecnologia estará sujeita às influencias do clima e da cultura organizacional e que devem ser analisados como peças fundamentais na gestão da organização. receio. procedimentos e tecnologias. ou na tentativa de conquistar novas oportunidades de negócio.soares@tagus. do ponto de vista individual.O que é a mudança organizacional? «Apesar de haver imensas definições de mudança organizacional. Quando uma empresa implanta uma nova tecnologia. A mudança organizacional abrange a introdução de novos processos. podendo incluir ansiedade.. que constituem uma abordagem diferente daquilo que as pessoas envolvidas geralmente consideram como a forma tradicional. de modo a minimizar a inevitável queda de produtividade que geralmente acompanha as mudanças [6]. prática e familiar de realizar o seu trabalho.» [Página 3 51423 – Luís Soares – T2 – LEIC – luis. Assim. ambiguidade. entusiasmo.

Data de criação: 26/10/2007 «O Downsizing surgiu como uma necessidade de solucionar o excesso de burocracia que se verificava em muitas organizações. e da turbulência ambiental. muitas organizações adoptaram com razoável sucesso os conceitos e as técnicas fornecidas pela Teoria da Burocracia mas. poderá colaborar com as mudanças que forem propostas. com o aumento dos níveis concorrenciais.» [Página 5. para que as novas formas de trabalho consigam os resultados esperados é importante a análise das formas existentes de comunicação e é a falta de gestão da comunicação que pode acabar em resultados inadequados nos outros planos estratégicos da organização [4]. foi necessário repensar as estruturas e métodos de tomada de decisões por forma a aumentar a rapidez de resposta e a capacidade de adaptação. Economista. dificultava a tomada de decisões e a adaptação às novas realidades ambientais. Professor e Consultor de Empresas . tentando eliminá-los.pt] Ler mais: http://col. o que. Assim.utl.O clima reflecte os reflexos de todas as mudanças organizacionais. Há que ter em atenção os factores sociais enunciados acima.tagus.pt/ Conceito de Downsizing Autor: Paulo Nunes.51423 – Luís Soares – T2 – LEIC – luis.ist. minimizálos. além da morosidade. responsáveis pela resistência à mudança.soares@tagus. ou pelo menos.ist.utl. Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 4/16 . De facto. Quando um trabalhador realmente conhece os planos da empresa em que trabalha.

Apesar das vantagens dos cortes nos custos e na maior flexibilização da organização. resultando geralmente no despedimento de numerosos trabalhadores. Prahalad. um dos autores do conceito. subcontratando ao exterior (outsourcing) actividades não fundamentais para o core-business permitindo uma maior flexibilização da estrutura organizacional. chamou ao downsizing de anorexia empresarial. afirmou mesmo que se teria ido longe de mais na utilização do downsizing. Conceito de Outsourcing O Outsourcing é uma forma de acrescentar valor a um negócio convertendo um centro de custos interno num serviço externo através da subcontratação. centrando-se no que melhor sabem fazer (core competence). Nomes como Peter Drucker e Charles Handy viriam a público lançar a sua indignação. No campo teórico. Robert Tomasko. autor do best seller Beyond Reengineering. não para o corte de custos. na maioria das vezes. normalmente através da anulação de actividades relacionadas com áreas ou produtos menos rentáveis. que escreveu com Gary Hamel o livro Competing for the Future. o Downsizing continua a ser muito criticado e mal aceite devido ao problema dos despedimentos. Contudo. explica que a reengenharia não tinha nada a ver com o downsizing e que deveria ser aplicada para o crescimento das empresas. Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 5/16 . no corte de custos em áreas consideradas não essenciais. muitos gurus da gestão criticaram ferozmente a utilização do downsizing pelas organizações.O Downsizing resulta. a aplicação prática do Downsizing consistiu. Michael Hammer. o que permite uma concentração de esforços e recursos nas áreas mais rentáveis. assim na redução dos níveis da gestão e na redução da dimensão da organização através da anulação de áreas produtivas não essenciais. permitindo a libertação dos gestores para concentrarem a sua atenção nas áreas de negócio de elevada importância estratégica.

a publicidade.knoow. o transporte de mercadorias. a consultoria Jurídica. o acesso a competências de organizações altamente especializadas e que beneficiam de importantes economias de escala e economias de experiência o que permite. o fabrico de componentes. por um lado. a manutenção de equipamentos. a redução dos custos operacionais. o recrutamento e selecção de pessoal. a introdução de melhorias significativas nos processos sobre os quais é efectuado o Outsourcing e. ou a comercialização dos produtos através do estabelecimento de relações de cooperação. a formação.Vantagens do Outsourcing As duas principais vantagens do outsourcing são: 1.» Ler em: http://www. a investigação e desenvolvimento. por outro. a consulta económica e financeira. os serviços de cobrança. a consultoria estratégica. os processos a que o Outsourcing é mais frequentemente aplicado são a contabilidade. as pesquisas de mercado. 2. Processos a que deve ser aplicado o Outsourcing Os processos a que deve ser aplicado o Outsourcing são os processos de importância estratégica baixa para o negócio e simultaneamente de baixo risco.net/ Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 6/16 . os serviços de limpeza. entre outros. Outsourcing Estratégico Uma das variantes do Outsourcing é o Outsourcing Estratégico que corresponde à contratação no exterior de uma ou mais fases da cadeia operacional. a libertação de recursos (incluindo a atenção dos próprios gestores) para enfoque no negócio central da organização. tais como o design do produto. Desta forma. o processamento de salários.

» Ler em: http://www. a resposta às encomendas.Conceito de Reengenharia «A Reengenharia. entre outras. a reengenharia parte de cima para baixo (dos gestores para os subordinados) e visa obter resultados num curto espaço de tempo. Ao contrário da TQM (Total Quality Management).net/ Estrutura Organizacional das empresas «Para conhecer a organização e estrutura de determinada empresa utilizamos o organograma. consiste em repensar e redesenhar radicalmente as práticas e processos nucleares da organização tais como o serviço ao cliente. Daqui resulta outra diferença chave da Reengenharia em relação à TQM: enquanto a TQM tem um elevado grau de participação dos subordinados e visa a obtenção de resultados num espaço de tempo alargado. afim de aumentar a produtividade através da redução de custos e do aumento do grau de satisfação do cliente.knoow. conceito introduzido por James Champy e Michael Hammer através do best-seller “Reenginnering the Corporation” publicado em 1993. o desenvolvimento de novos produtos. Um organograma é uma representação esquemática da distribuição das funções de uma empresa Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 7/16 . a Reengenharia não procura introduzir melhorias em processos já existentes mas sim a eliminação e total reinvenção das regras e processos já ultrapassados bem como de todos os pressupostos fundamentais que lhe servem de base. a cultura organizacional.

Organograma de indivíduos: 1. Organograma funcional Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 8/16 .Tipos de organigrama: ● Quanto à informação que prestam. podemos considerar: 2.

3. Organograma nominativo: Os órgãos são normalmente representados por rectângulos As relações hierárquicas por linhas verticais e horizontais ● Órgãos – conjunto de meios materiais e humanos ligados à realização de um determinado objectivo. página: 9/16 Preparado em 16-06-2008 – cont@cto .

Tipos de organograma (atendendo à forma gráfica): Organograma Piramidal ou Clássico: Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 10/16 .● Relações hierárquicas – são representadas pelas linhas do organograma piramidal e podem ser: ● ● Verticais – ordens ou decisões tomadas desde o órgão superior (topo) ao inferior (base). Horizontais – as decisões são tomadas por órgãos situados ao mesmo nível.

Organograma Circular Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 11/16 .

com/esvagos/ Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 12/16 .anossaescola.Organograma de Barras»: Ler em: http://www.

J. de um dia para o outro. Organo (do gr. Mas por que razão. que passou a estar: Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 13/16 .Organograma [Pergunta] Deve dizer-se organograma ou organigrama ou as duas palavras têm significados distintos? Joaquim Castilho :: engenheiro :: Lisboa.pt/ Vantagens e desvantagens do trabalho em equipa Introdução «A solução para a maioria dos problemas que afecta as organizações começou. órganon.C. Um conceito mágico onde se deposita a esperança de cura da maioria das doenças de muitas empresas. registo). :: 01/01/1997 Ler em: http://ciberduvidas.sapo. algo que já existia ganhou tanto destaque? O trabalho está a mudar A resposta passa pela mudança de natureza do próprio trabalho. "Organigrama" é um dos barbarismos de origem francesa mais insistentemente repetidos entre nós. Portugal [Resposta] Organograma e não "organigrama". que quer dizer escrito.M. a escrever-se com três palavras apenas: trabalho de equipa. Erro crasso. de repente. órgão) + grama ( de origem também grega.

como tal. sem se apegar a modelos de arquivos. Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 14/16 . Requer.● ● mais dependente de intricadas redes de conhecimento. No que tange à comunicação. porém. Gimenes Cesca Doutora em Ciências da Comunicação pela USP «As organizações passam por transformações de ordem diversas. menos ligado a tarefas simples de carácter automático. Ou seja.pt/ Comunicação Eletrônica: as transformações nas organizações Cleuza G.» Ler em: http://pmelink. Agora as coisas dificilmente se passam assim. que seja bem redigida para atingir esse objetivo. pois cada pessoa física ou jurídica é um público. os projectos permitiam a divisão de tarefas a tal ponto que as pessoas não precisavam de trabalhar juntas para que todas as peças se unissem no final. Carta Comercial É um veículo de comunicação dirigida. Cresce e transfigura-se à medida das colaborações e dos contributos de cada especialista. a informatização está transformando a comunicação dirigida escrita impressa em dirigida escrita eletrônica. O trabalho de muitas empresas está dependente do conhecimento e. Para isso a criatividade deve ser abundante. até há pouco tempo. não avança de forma sistemática. formador de opinião pública favorável para qualquer organização.

exigências de cerimoniais. sendo aconselhável que se procure manter a estética do impresso. A sugestão é que na forma eletrônica se mantenha a formatação impressa do corpo desse documento para se garantir a sua formalidade. somente é utilizada quando este dirigir-se ao setor público. usa-se esta correspondência que é escrita de forma genérica. para cada um uma maneira de redigir. A sua simplicidade impressa é adaptada facilmente na intranet. pois é uma comunicação somente interna.) Memorando É uma correspondência informal. pois trata-se de uma correspondência mais formal. não se pode chegar a exageros de “um abraço” ou o formalismo de “atenciosamente”. Sua informalidade não dá a liberdade para a utilização em seu texto de termos familiares. (. para a comunicação entre chefias e com o seu público externo. utilizando o memorando (e-mail formatado). Seu conteúdo é formal. É de todas as correspondências a que mais largamente pode ser utilizada eletronicamente. portanto. Nos casos de grandes formalidades. As cartas modernas estão despidas de elementos que no passado eram considerados importantes.. Dada a sua característica Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 15/16 . Sua utilização eletrônica interna (intranet) dinamiza a comunicação..portanto. Circular Sempre que se pretender fazer uma mesma comunicação para vários destinatários. No setor privado. Ofício É uma correspondência quase que exclusivamente utilizada pelo setor público. com estética bloco-compacto. A menos que o setor público opte por abolir este tipo de correspondência. a forma impressa distribuída pessoalmente ou por correio não devem ser desprezadas. Seu conteúdo é comercial. porém sem os exageros do passado. dirigida apenas para o público interno.

pucrs. esses precisarão autorizar formal e publicamente que as pessoas interessadas em requerer algo o façam por forma eletrônica. após se identificar e se qualificar. Por tratar-se de documento endereçado somente ao setor publico ou àqueles com características de público (ex: escolas). no qual o interessado.genérica. evidentemente.» Ler em: http://www. a adaptação na forma eletrônica transcorre com grande facilidade.br/ Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 16/16 . faz a sua solicitação à autoridade competente. Requerimento É um documento somente usado ao dirigir-se ao setor público. Nessa forma não haverá necessidade de deixar longo espaço entre o vocativo e o corpo.