Núcleo Gerador: Gestão e Economia (GE

)

DR2 - Empresas, Organizações e Modelos de Gestão (EOMG)

Colectânea de textos (pequenas citações com a indicação dos respectivos links direccionando para a página original), seleccionados a partir de pesquisas efectuadas no motor de busca "Google" e que se pretende ajudem a descodificar o tema Empresas, Organizações e Modelos de Gestão (EOMG) do Núcleo Gerador: Gestão e Economia (GE) do Referencial de Competências-Chave de Nível Secundário, relativo ao Processo RVCC da Iniciativa Novas Oportunidades.
[Nota: Todos os Adultos/Formandos devem mencionar no seu PRA as fontes de todas as leituras que efectuaram, não podendo copiar ou plagiar, arriscando-se à expulsão do processo RVCC.]

Boas leituras...

Preparado em 16-06-2008 – cont@cto

página:

1/16

são obrigadas a enfrentar.] Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 2/16 .» [Página1 . terminando quarenta anos mais tarde em Waterloo.pt.51423 – Luís Soares – T2 – LEIC – luis.. O período em que a classe comercial. o ano da Revolução Americana.ist. Foi o período áureo da Renascença e também o apogeu dos descobrimentos.Mudança Organizacional Introdução «A mudança organizacional é uma realidade do mundo actual. a reforma protestante. viria a iniciar-se em 1776. em 1517. As empresas devem esperar enfrentar ainda mais mudanças no futuro.utl. (. Em escassas décadas. Quatro décadas durante as quais se deu a Revolução Francesa e em que nasceram o Capitalismo. para além de produtos. tudo se modifica . Outra viragem. presentemente. do aperfeiçoamento da máquina a vapor. É neste contexto que a gestão da mudança constitui uma das preocupações fundamentais dos gestores.são períodos de ruptura – um desses períodos de ruptura. abrindo todos os níveis da sociedade a enormes transformações.. ocorreu no século XV. onde o valor da informação tende a suplantar a importância do capital [1].soares@tagus. Caminha-se para a "Sociedade do Saber". o Comunismo e a Revolução Industrial.) Nunca na história as empresas estiveram sujeitas a tantas e tão profundas mudanças como aquelas que. Actualmente enfrentamos mais um desses períodos: com a Segunda Guerra Mundial inicia-se o período em que a sociedade Industrial vai gradualmente cedendo o lugar à sociedade da Informação. importava novas ideias. em ritmo cada vez mais acelerado. no período de seis décadas que mediou entre os primeiros trabalhos de impressão de Gutenberg.

que constituem uma abordagem diferente daquilo que as pessoas envolvidas geralmente consideram como a forma tradicional. Assim. de modo a minimizar a inevitável queda de produtividade que geralmente acompanha as mudanças [6].. Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 3/16 . resistência.pt] (. entusiasmo.) Gestão da mudança «A gestão da mudança organizacional é o processo de reconhecer. do ponto de vista individual. Têm que enfrentar reorganizações empresariais. guiar e administrar as emoções e reacções humanas. prática e familiar de realizar o seu trabalho. neste contexto como a implementação de novos procedimentos ou tecnologias projectadas para realinhar a organização com as constantes mudanças nas obrigações do seu ambiente de negócio.. As organizações têm que lidar com novas tecnologias e actualizações das tecnologias existentes. iniciativas de melhoria de processos e também fusões e aquisições. energia. ambiguidade.utl. podemos defini-la.» [Página 3 51423 – Luís Soares – T2 – LEIC – luis.soares@tagus. ou na tentativa de conquistar novas oportunidades de negócio. desafio. a mudança pode causar emoções e reacções que vão do optimismo ao medo. Quando uma empresa implanta uma nova tecnologia. incapacidade. podendo incluir ansiedade.O que é a mudança organizacional? «Apesar de haver imensas definições de mudança organizacional. procedimentos e tecnologias. A mudança organizacional abrange a introdução de novos processos. pessimismo e motivação. receio. a utilização dessa tecnologia estará sujeita às influencias do clima e da cultura organizacional e que devem ser analisados como peças fundamentais na gestão da organização.ist.

ist. Há que ter em atenção os factores sociais enunciados acima.tagus. com o aumento dos níveis concorrenciais. responsáveis pela resistência à mudança.» [Página 5. Quando um trabalhador realmente conhece os planos da empresa em que trabalha.utl. minimizálos.Data de criação: 26/10/2007 «O Downsizing surgiu como uma necessidade de solucionar o excesso de burocracia que se verificava em muitas organizações. Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 4/16 . além da morosidade.51423 – Luís Soares – T2 – LEIC – luis.soares@tagus. Professor e Consultor de Empresas . e da turbulência ambiental.utl. muitas organizações adoptaram com razoável sucesso os conceitos e as técnicas fornecidas pela Teoria da Burocracia mas. ou pelo menos. foi necessário repensar as estruturas e métodos de tomada de decisões por forma a aumentar a rapidez de resposta e a capacidade de adaptação.ist. o que. Economista.pt/ Conceito de Downsizing Autor: Paulo Nunes. poderá colaborar com as mudanças que forem propostas. dificultava a tomada de decisões e a adaptação às novas realidades ambientais. para que as novas formas de trabalho consigam os resultados esperados é importante a análise das formas existentes de comunicação e é a falta de gestão da comunicação que pode acabar em resultados inadequados nos outros planos estratégicos da organização [4]. tentando eliminá-los.pt] Ler mais: http://col. De facto.O clima reflecte os reflexos de todas as mudanças organizacionais. Assim.

autor do best seller Beyond Reengineering. chamou ao downsizing de anorexia empresarial. assim na redução dos níveis da gestão e na redução da dimensão da organização através da anulação de áreas produtivas não essenciais. Apesar das vantagens dos cortes nos custos e na maior flexibilização da organização. Michael Hammer. muitos gurus da gestão criticaram ferozmente a utilização do downsizing pelas organizações. resultando geralmente no despedimento de numerosos trabalhadores. Conceito de Outsourcing O Outsourcing é uma forma de acrescentar valor a um negócio convertendo um centro de custos interno num serviço externo através da subcontratação. não para o corte de custos. centrando-se no que melhor sabem fazer (core competence). o que permite uma concentração de esforços e recursos nas áreas mais rentáveis. Robert Tomasko. normalmente através da anulação de actividades relacionadas com áreas ou produtos menos rentáveis. Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 5/16 . Nomes como Peter Drucker e Charles Handy viriam a público lançar a sua indignação. Prahalad. Contudo.O Downsizing resulta. No campo teórico. um dos autores do conceito. na maioria das vezes. o Downsizing continua a ser muito criticado e mal aceite devido ao problema dos despedimentos. explica que a reengenharia não tinha nada a ver com o downsizing e que deveria ser aplicada para o crescimento das empresas. que escreveu com Gary Hamel o livro Competing for the Future. no corte de custos em áreas consideradas não essenciais. a aplicação prática do Downsizing consistiu. afirmou mesmo que se teria ido longe de mais na utilização do downsizing. subcontratando ao exterior (outsourcing) actividades não fundamentais para o core-business permitindo uma maior flexibilização da estrutura organizacional. permitindo a libertação dos gestores para concentrarem a sua atenção nas áreas de negócio de elevada importância estratégica.

os processos a que o Outsourcing é mais frequentemente aplicado são a contabilidade. o transporte de mercadorias. Processos a que deve ser aplicado o Outsourcing Os processos a que deve ser aplicado o Outsourcing são os processos de importância estratégica baixa para o negócio e simultaneamente de baixo risco. o fabrico de componentes. por um lado. tais como o design do produto. por outro.knoow. 2. a consulta económica e financeira. Outsourcing Estratégico Uma das variantes do Outsourcing é o Outsourcing Estratégico que corresponde à contratação no exterior de uma ou mais fases da cadeia operacional. o processamento de salários. a investigação e desenvolvimento. a consultoria estratégica.Vantagens do Outsourcing As duas principais vantagens do outsourcing são: 1.net/ Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 6/16 .» Ler em: http://www. o recrutamento e selecção de pessoal. Desta forma. a publicidade. a introdução de melhorias significativas nos processos sobre os quais é efectuado o Outsourcing e. a consultoria Jurídica. a redução dos custos operacionais. os serviços de cobrança. ou a comercialização dos produtos através do estabelecimento de relações de cooperação. entre outros. os serviços de limpeza. a formação. a manutenção de equipamentos. o acesso a competências de organizações altamente especializadas e que beneficiam de importantes economias de escala e economias de experiência o que permite. as pesquisas de mercado. a libertação de recursos (incluindo a atenção dos próprios gestores) para enfoque no negócio central da organização.

Ao contrário da TQM (Total Quality Management). Um organograma é uma representação esquemática da distribuição das funções de uma empresa Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 7/16 . conceito introduzido por James Champy e Michael Hammer através do best-seller “Reenginnering the Corporation” publicado em 1993. consiste em repensar e redesenhar radicalmente as práticas e processos nucleares da organização tais como o serviço ao cliente. o desenvolvimento de novos produtos. entre outras. afim de aumentar a produtividade através da redução de custos e do aumento do grau de satisfação do cliente. a resposta às encomendas. a reengenharia parte de cima para baixo (dos gestores para os subordinados) e visa obter resultados num curto espaço de tempo. Daqui resulta outra diferença chave da Reengenharia em relação à TQM: enquanto a TQM tem um elevado grau de participação dos subordinados e visa a obtenção de resultados num espaço de tempo alargado.» Ler em: http://www.net/ Estrutura Organizacional das empresas «Para conhecer a organização e estrutura de determinada empresa utilizamos o organograma.Conceito de Reengenharia «A Reengenharia.knoow. a Reengenharia não procura introduzir melhorias em processos já existentes mas sim a eliminação e total reinvenção das regras e processos já ultrapassados bem como de todos os pressupostos fundamentais que lhe servem de base. a cultura organizacional.

Tipos de organigrama: ● Quanto à informação que prestam. Organograma funcional Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 8/16 . podemos considerar: 2. Organograma de indivíduos: 1.

Organograma nominativo: Os órgãos são normalmente representados por rectângulos As relações hierárquicas por linhas verticais e horizontais ● Órgãos – conjunto de meios materiais e humanos ligados à realização de um determinado objectivo.3. página: 9/16 Preparado em 16-06-2008 – cont@cto .

Tipos de organograma (atendendo à forma gráfica): Organograma Piramidal ou Clássico: Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 10/16 .● Relações hierárquicas – são representadas pelas linhas do organograma piramidal e podem ser: ● ● Verticais – ordens ou decisões tomadas desde o órgão superior (topo) ao inferior (base). Horizontais – as decisões são tomadas por órgãos situados ao mesmo nível.

Organograma Circular Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 11/16 .

com/esvagos/ Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 12/16 .Organograma de Barras»: Ler em: http://www.anossaescola.

"Organigrama" é um dos barbarismos de origem francesa mais insistentemente repetidos entre nós. que passou a estar: Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 13/16 .pt/ Vantagens e desvantagens do trabalho em equipa Introdução «A solução para a maioria dos problemas que afecta as organizações começou.sapo. a escrever-se com três palavras apenas: trabalho de equipa.Organograma [Pergunta] Deve dizer-se organograma ou organigrama ou as duas palavras têm significados distintos? Joaquim Castilho :: engenheiro :: Lisboa.C. órgão) + grama ( de origem também grega. Erro crasso. Mas por que razão. de repente. J. Portugal [Resposta] Organograma e não "organigrama". :: 01/01/1997 Ler em: http://ciberduvidas. que quer dizer escrito. registo).M. Organo (do gr. Um conceito mágico onde se deposita a esperança de cura da maioria das doenças de muitas empresas. de um dia para o outro. órganon. algo que já existia ganhou tanto destaque? O trabalho está a mudar A resposta passa pela mudança de natureza do próprio trabalho.

até há pouco tempo. Para isso a criatividade deve ser abundante. que seja bem redigida para atingir esse objetivo. No que tange à comunicação. porém. Ou seja.● ● mais dependente de intricadas redes de conhecimento. Carta Comercial É um veículo de comunicação dirigida. Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 14/16 . O trabalho de muitas empresas está dependente do conhecimento e.pt/ Comunicação Eletrônica: as transformações nas organizações Cleuza G. formador de opinião pública favorável para qualquer organização. a informatização está transformando a comunicação dirigida escrita impressa em dirigida escrita eletrônica. não avança de forma sistemática. como tal. Gimenes Cesca Doutora em Ciências da Comunicação pela USP «As organizações passam por transformações de ordem diversas. Cresce e transfigura-se à medida das colaborações e dos contributos de cada especialista. Agora as coisas dificilmente se passam assim. Requer. menos ligado a tarefas simples de carácter automático. os projectos permitiam a divisão de tarefas a tal ponto que as pessoas não precisavam de trabalhar juntas para que todas as peças se unissem no final. sem se apegar a modelos de arquivos.» Ler em: http://pmelink. pois cada pessoa física ou jurídica é um público.

Circular Sempre que se pretender fazer uma mesma comunicação para vários destinatários. exigências de cerimoniais. A menos que o setor público opte por abolir este tipo de correspondência. a forma impressa distribuída pessoalmente ou por correio não devem ser desprezadas. com estética bloco-compacto. Ofício É uma correspondência quase que exclusivamente utilizada pelo setor público. porém sem os exageros do passado. dirigida apenas para o público interno. É de todas as correspondências a que mais largamente pode ser utilizada eletronicamente. somente é utilizada quando este dirigir-se ao setor público. para cada um uma maneira de redigir. para a comunicação entre chefias e com o seu público externo. (.portanto. Seu conteúdo é comercial. Dada a sua característica Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 15/16 . As cartas modernas estão despidas de elementos que no passado eram considerados importantes. pois é uma comunicação somente interna..) Memorando É uma correspondência informal. usa-se esta correspondência que é escrita de forma genérica. No setor privado. não se pode chegar a exageros de “um abraço” ou o formalismo de “atenciosamente”. Sua informalidade não dá a liberdade para a utilização em seu texto de termos familiares. Sua utilização eletrônica interna (intranet) dinamiza a comunicação. A sua simplicidade impressa é adaptada facilmente na intranet. Nos casos de grandes formalidades. sendo aconselhável que se procure manter a estética do impresso. pois trata-se de uma correspondência mais formal.. portanto. Seu conteúdo é formal. utilizando o memorando (e-mail formatado). A sugestão é que na forma eletrônica se mantenha a formatação impressa do corpo desse documento para se garantir a sua formalidade.

Requerimento É um documento somente usado ao dirigir-se ao setor público.br/ Preparado em 16-06-2008 – cont@cto página: 16/16 .pucrs. após se identificar e se qualificar. Por tratar-se de documento endereçado somente ao setor publico ou àqueles com características de público (ex: escolas).» Ler em: http://www. no qual o interessado. faz a sua solicitação à autoridade competente. a adaptação na forma eletrônica transcorre com grande facilidade. esses precisarão autorizar formal e publicamente que as pessoas interessadas em requerer algo o façam por forma eletrônica.genérica. evidentemente. Nessa forma não haverá necessidade de deixar longo espaço entre o vocativo e o corpo.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful