Você está na página 1de 1

Novo padrão contábil atrairá mais investidores

Agência Brasil

A presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Maria Helena Santana, defendeu


ontem a adoção do sistema de padronização internacional das normas contábeis pelas
companhias de capital aberto e fez uma previsão otimista quanto ao futuro dos investimentos
neste setor.
"Daremos um passo adiante para que se consolide um patamar mais elevado do nosso
mercado", previu, referindo-se às mudanças iniciadas em dezembro de 2007, quando as
empresas começaram a se adequar aos novos métodos de apresentação de suas
demonstrações financeiras.
A partir de 2010, o Brasil passará a fazer parte do grupo de 101 países que já adotam o
sistema contábil europeu, denominado IFRS (International Financial Reporting Standards).
Mas, durante a fase de transição, as empresas continuarão utilizando também o método
convencional nos balanços financeiros, ou seja, conforme a legislação brasileira. Isso tem
sido motivo de queixa por parte de algumas companhias em função do custo operacional.
"Não dá para evitar esse gasto maior no curto e no médio prazo, mas os benefícios no futuro
vão compensar", avaliou o presidente executivo do Instituto Brasileiro de Relações com
Investidores (Ibri), Geraldo Soares.
Para ele, o novo método será muito mais fácil para o investidor comparar as empresas
mundiais com as brasileiras. "O investidor vai poder avaliar com muito mais facilidade porque
hoje ele tem de analisar o padrão europeu, o brasileiro e o americano, todos distintos um do
outro", disse.
Soares acredita que o mercado norte-americano também vai migrar para o modelo europeu e
a tendência é que, daqui a cinco ou dez anos, o sistema europeu seja predominante no
mundo inteiro.

htt p: / / www.fena con.org.b r/ pres s cl i ppi n g/ 2008/ j unho/ 03/ dci 030608a.ht m