P. 1
Balancetes

Balancetes

|Views: 2.029|Likes:
Publicado porzeramentocontabil

More info:

Published by: zeramentocontabil on Jul 30, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/18/2013

pdf

text

original

Balancete de Verificação

Introdução: Nos primeiro tutoriais após cada lançamento fazíamos um balanço patrimonial, depois de algum tempo, percebemos que esse procedimento era inadequado devido à quantidade de operações que uma empresa pode efetuar num único dia, se considerarmos um mês inteiro então, seriam centenas e mais centenas de balanços. Então começamos a trabalhar com os razonetes e só fazíamos os balanços quando era solicitado. Porém fazer o balanço algumas vezes também tem o seu inconveniente, vocês já perceberam? Que é o de ter que ficar zerando os saldos das contas de despesas e receitas, transferindo-os para a conta de Apuração do Resultado do Exercício, e após para finalizar transferíamos para a uma conta dentro do Patrimônio Liquido, que podia ser a conta de Lucros do Exercício ou Prejuízos do Exercício. Isso é trabalhoso não? Feito o balanço, só tínhamos apresentadas as contas de ativo, passivo e patrimônio liquido, faltavam as contas de resultado (CUSTOS, DESPESAS e RECEITAS). Ai tínhamos que elaborar a DRE. Ou seja, é um trabalho atrás de outro trabalho não? Para resolver tal impasse temos um outro demonstrativo contábil, que e chamado de BALANCETE DE VERIFICAÇÃO ou BALANCETE. Mas o que seria o balancete de verificação? O balancete de verificação é uma demonstração parecida com balanço no inicio, ou seja, apresenta o saldo todas as contas patrimoniais, e ainda apresenta o saldo das contas de resultado, num único demonstrativo. Antigamente ainda tínhamos um outro impasse que era resolvido com a utilização do Balancete de Verificação, sabemos que para cada valor a debito teremos um credito em igual valor certo?. Logo, todos os lançamentos a créditos devem ser iguais a todos os lançamentos a debito. Certo? E que é esse mecanismo que faz o balanço fechar, ou seja, ativo é igual ao passivo. No passado a contabilidade era feita manualmente, não tínhamos sistemas informatizados como os de hoje, então estávamos sujeitos a muito mais erros (troca de valores, erros de valores e etc) que ocasionavam de a soma dos débitos não serem iguais a soma dos créditos, conseqüentemente o balanço não fechava. Então o que contador fazia, pegava todos os saldos finais das contas no livro razão (razonetes não existe na pratica só para fins de aprendizagem), e para cada conta colocava o seu respectivo saldo e ainda indicava se era credor ou devedor, assim na conta caixa, ele indicava o seu saldo final de R$ 1.000,00 DV (por exemplo) e assim com todas as demais contas. Quando acabasse esse procedimento, bastava somar todos os saldos finais CREDOR e depois todos os saldos finais CREDOR, se um fosse igual ao outro, caso ele efetuasse o zeramento das contas de

resultado naquela hora o balanço teria que fechar, a não ser que ele errasse em algum lançamento na hora de zerar as contas. Parece meio complicado não, mais vamos exemplificar: Considere o seguinte balanço inicial.

Faca as seguintes operações: 1 – Compra a prazo de R$ 500,00 de mercadoria a prazo. 2 – Pagamento de R$ 900,00 de fornecedores 3 – Venda de R$ 400,00 de mercadorias por R$ 700,00 a vista. Após apure o resultado e faca o novo balanço patrimonial, e depois a DRE. Os lançamentos ficariam assim:

Bem, até aqui temos todas as operações contabilizadas, somente para efeito de melhor compreensão do balancete de verificação vamos fazer os lançamentos de apuração do resultado em novos razonetes, já considerando os lançamentos efetuados.

Vamos agora fazer o balanço patrimonial e ver como ficará:

Agora a DRE:

Bom vamos aprender agora como é feito o Balancete de Verificação, e compararemos as semelhanças entre ambos. Balancete de Verificação: O primeiro passo para elaborar o balancete de verificação é dispor de todos os razonetes com todas as operações contabilizadas, que são os primeiros razonetes que fizemos, acima, onde deixei uma observação dizendo que seriam para facilitar a feitura do balancete. O objetivo disso é demonstrar que para fazermos o balancete de verificação temos que partir desse ponto.

Vejamos os razonetes com todas as operações contabilizadas (antes do zeramento das contas de resultado).

O segundo passo é acharmos o saldo de cada conta, e indicar se ela é credora ou devedora. Achar o saldo da conta no momento, não é mais mistérios nenhum basta somarmos os lançamentos de cada lado do razonete e diminuir o maior saldo do menor. O saldo será devedor ou credor, se o resultado encontrado estiver no lado do débito ou do crédito. Por exemplo, o saldo da conta Bancos é de R$ 800,00 DEVEDOR, ou R$ 800,00 DV. Como achamos esse saldo, primeiro eu somei todos os lançamentos que estavam no lado do debito do razonete (1.000,00 de saldo inicial + 700,00 do lançamento n.º 3), totalizando R$ 1.700,00 DEVEDOR. Após eu somei todos os lançamentos a crédito na conta, que na verdade é só um lançamento, porem se fosse mais teríamos que somar, logo, chegamos ao saldo de R$ 900,00 CREDOR. Diminuindo o maior (R$ 1.700,00 DEVEDOR), do menor (R$ 900,00 CREDOR), temos um saldo de R$ 800,00 DEVEDOR. Entendido isso podemos apurar o saldo de todas as contas, por enquanto utilizaremos as siglas CR para indicar um saldo credor e a sigla DV para indicar um saldo devedor. Vamos apurar o saldo de todas as contas.

Esse modelo acima de Balancete de Verificação podemos dizer que seria um Tiranossauro-Rex, dos balancetes, bem pré-histórico, na verdade existe outras formatações que veremos mais adiante, mais já serve para entendermos a finalidade do balancete. O primeiro ponto a ser reparado, e quanto abrangência, vejam que apresentamos todas as contas de ativo, passivo, receita e custo, se houve conta de despesa essa seria apresentada. Ou seja, no balancete temos uma parte das informações que aparecem no balanço, vejam que o saldo das contas de BANCOS, MERCADORIAS, CLIENTES, FORNECEDORES E CAPITAL SOCIAL, são idênticas as apresentadas no balanço. Temos também uma boa parte das informações que estavam na DRE percebam que o valor apresentado nas contas de RECEITA DE VENDAS e CMV são os mesmo que estavam na DRE. Qual foi a conta que tem no balanço que o balancete de verificação não mostrou? A conta de Lucros do Exercício. E qual a conta que tem na DRE que o balancete não mostrou? A conta de Lucros do Exercício. Ou seja, uma única conta que não foi mostrada, que é comum aos dois demonstrativos. Voltaremos a falar dessa diferença depois. Vamos continuar, com a nossa analise. Outro ponto é quanto a forma de apresentação, vejam que primeiro foi apresentada as contas de ATIVO, depois as contas de PASSIVO e PATRIMONIO LIQUIDO. Essas contas devem ser apresentadas sempre nessa ordem primeiro ativo e depois passivo e patrimônio líquido. Logo depois apresentamos as contas de Receita e Custo, se houvesse conta de DESPESA também seria apresentada, aqui não tem ordem para apresentação, porém é mais comum apresentarmos primeiro a Receita depois o Custo depois a Despesa, pois fica até parecido com a DRE, mais isso é caso a caso. Vamos agora quanto ao ponto crucial, como saberíamos que se apurássemos o resultado, nosso ativo seria igual ao passivo? Vejam que ao lado de cada valor temos a sigla da natureza do saldo da conta CR para CREDOR e DV para DEVEDOR, basta somarmos todos os saldos devedores, e depois somarmos todos os saldos credores, os resultados devem ser iguais. Vamos ver? Saldos devedores: Com saldos devedores, temos as contas de Bancos, Clientes, Mercadorias e CMV, que somando os saldos temos R$ 3.800,00 DEVEDOR. Somando os saldos credores teríamos R$ 3.800,00 CREDOR, que é a soma dos saldos das contas de Fornecedores, Capital Social e Receita de Vendas. Isso indica que se efetuarmos os lançamentos de apuração do resultado, nosso balanço fecharia. Mas vamos entender por que podemos dizer que o balanço fechará.

Primeiro já vimos que as contas patrimoniais (BANCO, CLIENTES, MERCADORIAS, FORNECEDORES e CAPITAL SOCIAL), estão com o mesmo saldo, tanto no balanço quanto no balancete, isso porque fizemos o balancete já considerando todas as operações do mês. E além do mais essas contas não são envolvidas na apuração do resultado, onde zeramos somente as contas de resultada (CUSTOS, DESPESAS e RECEITAS). O primeiro ponto que faz diferença são as contas de RECEITA, CUSTOS e DESPESAS, se percebemos bem, a diferença do balanço para o balancete, é que no balancete essas contas são mostradas pelos seus saldos totais, e que no balanço essas contas não são mostradas pelos saldos totais e sim pela diferença entre elas, assim no balanço temos um único valor que mostra a diferença entre as contas de resultado, no balanço, mostramos a conta de Lucros do Exercício com o saldo de R$ 300,00 que é a diferença do saldo da conta de Receita de Vendas menos o saldo da conta de CMV (700,00 – 400 = 300). Então se pegássemos o nosso balancete:

Somássemos todos os valores devedores, teríamos R$ 3.800,00 diminuindo o saldo da conta de CMV que é de R$ 400,00 temos um total de R$ 3.400,00, isso porque na verdade o CMV vai ser apurado contra o saldo da conta de Receita de Vendas, e o resultado vai ser demonstrado numa conta dentro do PATRIMÔNIO LIQUIDO, no nosso caso Lucros do Exercício. Esse total de R$ 3.400,00 já se iguala ao total do ativo que apuramos no balanço. Vamos agora fazer o mesmo nos saldos credores, temos um total de R$ 3.800,00, diminuindo o saldo da conta de Receita de Vendas (700,00), temos um total de R$ 3.100,00, que não é igual ao total do nosso passivo, que é de R$ 3.400,00, ou seja, temos uma diferença de R$ 300,00. Essa diferença é justamente o valor que sobrará se diminuirmos o valor da conta de RECEITA DE VENDAS, menos o valor da conta de CMV. Que resultará em R$ 300,00, que nada mais é do que o LUCRO DO EXERCICIO que apuramos acima, lembrando que esse valor apurado, é de natura CREDORA, ou seja o seu saldo é CREDOR, voltamos agora aos R$ 3.100,00 CREDOR, se somássemos com mais os R$ 300,00 CREDOR, teríamos R$ 3.400,00 CREDOR, agora o nosso saldo CREDOR, fica igual ao nosso passivo. Isso acontece por causa do mecanismo da contabilidade onde temos que ter sempre um débito e um crédito de igual valor. Resumindo o Balancete de Verificação mostra que temos R$ 3.800,00 em valores a débito independente se tais valores são de contas de ativo ou não, e o mesmo contas as contas credoras, independente se esses saldos são de contas do passivo e patrimônio liquido ou não.

Nos próximos tutoriais, vamos aprender outros modelos de Balancetes de Verificação e conforme formos prosseguindo, os exercícios ajudarão a entender isso melhor. Mais somente por curiosidade vamos ver se que o vimos acima é verdade, agora vamos utilizar um balancete com os valores a débitos diferentes dos valores a créditos:

Vejam que é o mesmo balancete do outro exercício, a única alteração foi que diminui R$ 100,00 do saldo da conta de CMV. Somando os saldos, devedores temos R$ 3.700,00 e os saldos credores temos R$ 3.800,00. Tentem fazer o balanço, a apuração do resultado e vejam se o balanço fecha, no próximo tutorial “corrigiremos”. Lembrem-se que as contas de Ativo, Passivo e Capital Social já estão contabilizadas, logo a única coisa que deve ser feita é apurar o lucro ou prejuízo, colocar no grupo do patrimônio liquido, e ver se o balanço esta fechando. Correção do Exercício: O exercício era esse: Mais somente por curiosidade vamos ver se que o vimos acima é verdade, agora vamos utilizar um balancete com os valores a débitos diferentes dos valores a créditos:

Vejam que é o mesmo balancete do outro exercício, a única alteração foi que diminui R$ 100,00 do saldo da conta de CMV. Somando os saldos, devedores temos R$ 3.700,00 e os saldos credores temos R$ 3.800,00. Tentem fazer o balanço, a apuração do resultado e vejam se o balanço fecha, no próximo tutorial “corrigiremos”. Lembrem-se que as contas de Ativo, Passivo e Capital Social já estão contabilizadas, logo a única coisa que deve ser feita é apurar o lucro ou prejuízo, colocar no grupo do patrimônio liquido, e ver se o balanço esta fechando. Correção:

Como dito acima, os saldos apresentados no balancete já estão contemplados todos os lançamentos, logo não há necessidade de abrirmos os razonetes para efetuarmos lançamentos tendo em vista que todos os lançamentos já estão feitos. Podemos então fazer logo de imediato o balanço

O saldo da conta de Bancos, Clientes, Mercadorias, Fornecedores e Capital Social, é o mesmo que estava apresentado no Balancete, isso porque quando fazemos o balancete, todos os lançamentos já estão efetuados. A única diferença é em relação as contas de Receita de Vendas e CMV, os quais temos que apurar o lucro ou prejuízo e incluir no balanço, no caso acima foi um lucro de R$ 400,00. (700-300). Como havia dito o balanço não vai fechar, pois houve um erro no saldo da conta de CMV, que esta inferior em R$ 100,00. Conseqüentemente tal diminuição no Custo das Mercadorias Vendidas aumentou o lucro em R$ 100,00, ele deveria ser de R$ 300,00, o faria o nosso balanço fechar em R$ 3.400,00 tanto no ativo quanto no passivo. Em relação a esse aumento o saldo da conta de Lucros do Exercício aumento R$ 100,00, portanto o nosso passivo aumentos em R$ 100,00, por isso ele esta com o valor de R$ 3.500,00. É importante entender essa questão, pois toda vez que elaborarmos um balancete e a soma dos débitos não for igual a soma dos créditos, tem alguma coisa errada e precisamos rever os lançamentos. Vamos continuar o nosso aprendizado. Balancete de Verificação com Duas Colunas: O Balancete que aprendemos o tutorial passado é bem simples, na verdade existe varias formas de apresentação de balancetes. Vamos aprender agora como é a forma do balancete de duas colunas. Esse balancete se apresenta da seguinte forma:

Existem duas diferenças básicas em relação ao balancete anterior, a primeira é que os valores a débitos são apresentados em sua coluna especifica o mesmo com os valores a crédito, isso torna mais limpo a aparência do balanço, e permite que seja apurado o total lançado a débito e a crédito, como pode ser visto na última linha, como é o computador que elabora tais somatórios isso evita que tenhamos que ficar somando os valores para se achar os totais. Vale ressaltar que é importante entender o balancete de uma única coluna, pois esse é o modelo que na maioria das vezes é utilizado nas provas de concurso, e quase sempre não há a indicação se os valores são a debito ou a crédito. Quando digo uma única coluna, estou me referindo a uma única coluna para os saldos, pois o primeiro balancete, tinha duas colunas, mas somente uma era para o saldo, a outra indicava a natureza do saldo da conta, ok? Esse balancete, de uma única coluna também pode ser apresentado assim:

Na maioria das vezes o balancete apresentado em concursos é assim:

O candidato tem que saber que saldos são a débito ou a crédito. Temos ainda o balancete de 4, 6 e 8 colunas, mais para chegarmos a esses, necessitaremos de um exercício suporte, que vamos faze-lo agora. Exercício:

Vamos começar do zero, desde a abertura de uma empresa: As operações foram as seguintes: 1 – Integralização do Capital Social em dinheiro no valor de R$ 20.000,00. 2 – Abertura de uma conta corrente com deposito inicial de R$ 19.000,00. 3 – Compra de Moveis para o Escritório da Empresa no valor de R$ 3.000,00 a vista, com cheque. 4 – Compra de um Veiculo no valor de R$ 10.000,00, sendo 30% a vista (em cheque) e o restante financiado em parcelas de R$ 500,00. 5 – Compra de R$ 1.000,00 de mercadorias, a vista com dinheiro do caixa. 6 – Compra de R$ 500,00 de mercadorias, a prazo. Vamos contabilizar todas as operações e fazer primeiro o balancete simples de uma única coluna e com a indicação do saldo.

Contabilizada todas as operações podemos fazer o balancete, que ficaria da seguinte forma:

Vamos fazer alguns comentários: Primeiro percebam que efetuamos o balancete, após todos os lançamentos estarem efetuados. Segundo que a conta caixa, devido a estar com o seu saldo zerado, NESSE MODELO de balancete não é mostrada. E que a soma dos débitos confere com a soma dos créditos em R$ 27.500,00. Vamos agora, com o mesmo exercício efetuar o balancete de duas colunas, que ficaria assim:

Balancete de Verificação com Quatro Colunas: Para entendermos o balancete de 4 colunas, vamos fazer um outro exercício partindo dos saldos apresentados no balancete acima, após faremos o balancete de uma coluna indicando o saldo, e o de duas colunas depois veremos como é feito o balancete de 4 colunas. As operações foram as seguintes: 1 – Pagamento com cheque de uma parcela do veiculo (R$ 500,00) como dito no exercício anterior. 2 – Pagamento com cheque de R$ 100,00 da divida com o fornecedor. 3 – Venda de R$ 100,00 de mercadorias por R$ 300,00 a prazo. 4 – Retirada de dinheiro do banco, para recompor o caixa da empresa no valor de R$ 500,00. 5 – Compra de mais R$ 200,00 em moveis a vista. O primeiro passo é abrir os razonetes, tendo em vista que faremos novos lançamentos, indicando o saldo inicial e numerando as operações, somente os lançamentos sem efetuarmos os zeramentos das contas de resultado.

Feito isso podemos fazer os balancetes solicitados. O Balancete de 1 coluna ficaria assim:

Somem os valores a débitos e a credito e vejam que totalizam R$ 27.200,00. Vamos agora fazer o balancete de duas colunas, que ficaria assim:

Vamos aprender agora como é o balancete de 4 colunas. Esse balance se apresenta da seguinte forma:

Vejam que na primeira coluna temos o nome da conta, nas linhas abaixo preencheremos com o nome de cada conta, por exemplo BANCOS, MERCADORIAS, FORNECEDORES e assim sucessivamente até acabarmos com todas as contas. Na coluna ao lado, temos o saldo anterior, nessa coluna preencheremos com o saldo da conta antes de começarmos a fazer os lançamentos, que no nosso exemplo acima, pode ser tanto o saldo final do ultimo balancete que fizemos como o primeiro valor que esta indicado no razonete como Saldo

Inicial (Si), por exemplo na conta Bancos seria de R$ 13.000,00 e ainda nessa coluna colocaremos a sigla do saldo no caso DV. Na próxima coluna de titulo MOVIMENTOS, temos duas sub-colunas, uma A DEBITO e a outra A CREDITO. Na coluna a debito indicaremos o total de todos os lançamentos que foram efetuados a debito na conta em questão, no nosso exemplo da conta BANCOS, preencheríamos com 0,00 ou -, pois não foi efetuado nenhum lançamento a debito nessa conta no exercício passado, já na coluna a credito preencheríamos com R$ 1.100,00, pois esse foi o total dos lançamento a créditos que fizemos nessa conta. Na coluna saldo atual, preencheríamos com o valor do saldo final da conta, indicando a sigla do saldo, assim por exemplo a conta bancos e a conta Caixa ficariam da seguinte forma no balancete de 4 colunas: Para melhor compreensão olhem os respectivos razonetes acima.

Vejam que na conta Caixa, como o saldo anterior era R$ 0,00, não indicamos a sigla, percebam que podemos chegar ao saldo final de outra forma também da seguinte forma: Na conta caixa tínhamos R$ 0,00 de saldo, fizemos débitos de R$ 500,00 (logo, aumentamos o seu saldo em R$ 500,00), e fizemos créditos de R$ 300,00 (logo, diminuímos o seu saldo em R$ 300,00), se tínhamos nada, aumentamos 500,00 e diminuímos 300,00 ficamos com? 200,00. O mesmo com a conta de fornecedores tínhamos 13.000,00 aumentamos nada, e diminuímos 1.100,00 ficamos com 11.900,00. Na ultima linha temos o TOTAL que somente é preenchido para as sub-colunas de MOVIMENTOS, é só somar todos os valores a débito e na outra sub-coluna todos os valores a crédito, no exemplo acima, como não preenchi todas as contas o somatório dos débitos não será igual ao dos créditos, porem quando efetuarmos o completo preenchimento, esses valores tem que ser iguais. A vantagem desse balancete em relação aos de 1 e 2 colunas é na quantidade de informações, pois vejam que ele mostra o saldo que você tinha no balancete anterior, os movimentos a débito, a crédito e o saldo final, nos outros balancetes só tínhamos o saldo final. Esse modelo de balancete é o mais comum nos programas de contabilidade, pois gera uma boa quantidade de informações e ocupa mais ou menos uma folha completa, os balancetes com de 6 e 8 colunas exigem um papel bem maior na hora da impressão, ou então vão reduzir tanto as letras que alguém que não enxergue direito não conseguirá ver nada. Tentem terminar o preenchimento do balancete acima, no próximo tutorial corrigiremos e continuaremos nosso aprendizado.

No tutorial passado terminamos aprendendo como é o balancete de 4 colunas, e ficou a proposta de que tentassem terminar o preenchimento do mesmo, vamos a correção: O balancete já tinha duas linhas preenchidas, bastava terminar, estava da seguinte forma:

Vamos continuar: Agora preenchendo a linha referente a conta Moveis.

Tínhamos um saldo inicial, ou do balancete anterior de R$ 3.000,00 DV, fizemos um lançamento a débito nessa conta, aumentando assim o seu valor, em R$ 200,00, referente a operação N.º 5., não houve lançamento a créditos nela, e o nosso saldo Atual, é de R$ 3.200,00, que é os R$ 3.000,00 iniciais, mais os R$ 200,00 referentes a compra. Vamos agora preencher a linha de Veículos.

Tínhamos um saldo inicial de R$ 10.000,00 DV, não tivemos movimentos a débito nessa conta, e nem a crédito, ou seja, não aumentamos e nem diminuímos nada nessa conta, logo o nosso saldo atual ou final, é os mesmos R$ 10.000,00 DV. Vamos agora preencher o balancete por completo.

Feito isso temos o nosso balancete de 4 colunas preenchidos por completo, reparem que os LANCAMENTOS a débito conferem com os lançamentos a credito, indicando que o nosso balanço caso seja encerrado as contas de resultado, o ativo e o passivo serão iguais. Se perceberem, os saldos finais, são iguais aos últimos balancetes feitos no tutorial passado, a única diferença é que o modelo de 4 colunas, apresentam o saldo inicial, e os totais de movimentos efetuados a crédito e a débito em cada conta. E em comum aos demais balancetes de 1 e 2 colunas, temos o saldo Atual ou Final. Somente para não ficar passar em branco, vamos demonstrar duas análises que o balancete de 4 colunas permite fazer. O Saldo Inicial da conta de mercadorias é de R$ 500,00, temos no balancete que essa conta só foi movimentada a crédito, indicando que diminuímos o saldo dela (motivada pela venda efetuada). Logo podemos concluir que não houve compras de mercadorias no período abrangido pelo balancete. E realmente não houve compras não foi? Mas vamos supor que tivéssemos feito uma compra no valor de R$ 200,00, logo no balancete acima teríamos OBRIGATORIAMENTE que estar apresentando um movimento a débito no valor de R$ 200,00 na linha da conta de Mercadorias. Isso indicaria que ou o lançamento não foi efetuado, ou foi efetuado a débito em alguma outra conta, indicando nesse caso que houve um erro de identificação na conta, isso é muito comum de acontecer no dia a dia. Vamos agora ver como é apresentado o balancete de 6 colunas. Balancete de 6 Colunas: O balancete de 6 colunas não tem mistério nenhum, a única diferença em relação ao de 4 colunas, é que os Saldos anteriores, e os saldos Atuais, são separados em colunas de acordo com a sua natureza idêntico como fazemos com os movimentos, Vamos ver o mesmo balancete que fizemos com 4 colunas, só que agora apresentado no modelo de 6 colunas.

Outro item adicional é somatório ao final de cada coluna. Balancete de 8 Colunas: A diferença dos demais balancetes para o balancete de 8 colunas, é que este apresenta sob a coluna de Movimento os valores lançados a débito e a crédito, bem como os saldos Finais de um determinado período. Sua estrutura é a seguinte:

Vamos somente exemplificar esse modelo de balancete. Vamos supor que estamos no mês de Outubro, e que queremos analisar o balancete de Agosto. O nosso balancete de 8 colunas ficaria da seguinte forma:

Percebam que o balancete se refere ao mês de Agosto. Na coluna de balancete anterior estamos apresentando o saldo final do balancete anterior, que no caso em questão se refere ao balance de Julho, sob a coluna movimentos do período, temos os movimentos a debito e a crédito das contas Caixa e Fornecedores, bem como o saldo final referente

ao mês de Agosto, e na coluna de Balancete Atual, temo o saldo final do mês que estamos, que é referente ao mês de OUTUBRO. Na linha de TOTAL, todas as colunas devem ser somadas e é lógico que os valores devem ser iguais em todas elas. Para fazermos esse balancete, precisaríamos dos saldos finais do balancete do mês de Julho, do balancete de 6 colunas do mês de Agosto, e do Balancete de Outubro. Esse balancete é utilizado para comparar o crescimento de uma conta de um período para o outro. Porém para esse caso é mais conveniente utilizarmos os balancete comparativo. Balancete Comparativo: Esse balancete serve para vermos como e quanto cada conta se alterou durante um período, vejamos como ele é apresentado:

Esse balancete basicamente simples, somente apresenta os saldos finais de cada período. Como dito acima ele serve basicamente para análise do comportamento de cada conta durante o período. O período apresentado pode ser o mais diverso possível, desde 2 meses até um ano inteiro ou mais. Vejam que no item Mercadorias o estoque aumentou muito de um mês para o outro, em Abril ele era R$ 2.000,00 e em maio passou para R$ 9.000,00. Vários fatores podem ter contribuído para isso, tal como um desconto em compras de grandes valores, ou até mesmo uma expectativa de vendas elevadas, isso é comum em empresas que tem uma sazonalidade mais acentuada, assim entendido aquelas empresas em que determinados meses vendem mais do que em outros, por exemplo, é comum um supermercado pequeno comprar mais quantidades no inicio do mês, que é onde as pessoas costumam fazer suas maiores compras, ou poderíamos supor uma loja de roupas, no mês de Dezembro é comum elas aumentarem os seus estoques, e assim por diante.

A conta de Moveis, manteve o mesmo saldo durante 3 meses, depois aumentou em R$ 200,00 passando a ter um saldo de R$ 3.200,00, indicando que naquele mês foi efetuada uma compra de algum móvel. A conta Veículos manteve o mesmo saldo durante todo o período, indicando que não houve alterações nela durante tal período. Considerações Importantes: Todo balancete deve ser identificado no seu cabeçalho pelo nome da empresa e período que esta abrangendo, assim:

Ou assim:

Ou ainda:

No exemplo acima o saldo Atual se refere ao final do mês de Outubro, os valores da coluna de Saldo Anterior se referem aos saldos finais do mês de Setembro, e os movimentos se referem aos que ocorrem durante o mês de Outubro. Resumo: Os balancetes de verificação servem para análise, são muitos mais práticos do que ficarmos fazendo balanços e DRE´s. Apresentei acima os balancetes mais comuns, porém o que vai determinar o modo de apresentação de cada balancete é a necessidade de informações que os gestores necessitam, assim se for necessários os balancetes podem ser diários, de 1, 2, 4, 6, 8 e etc .... colunas. Para efeitos de aprendizado nos próximos tutoriais, utilizaremos os balancetes de 4 ou 6 colunas. OK? Lembrem-se: não deixem de colocar sua avaliação sobre o tutorial, assim como o seu comentário, crítica, sugestão, dúvida ou elogio, será com base nelas que poderemos melhorar a qualidade da informação que estamos tentando passar.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->